Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Vitória aproveita apatia do Coritiba e vence na Sul-Americana

Comandada pelo técnico interino Ricardo Silva, equipe baiana domina a partida e derrota o Coxa por 2 a 0

Na batalha dos técnicos interinos, Ricardo Silva levou a melhor sobre Édison Borges e viu o Vitória derrotar o CoritibaCopa Sul-Americana, nesta quinta-feira. Sob os olhares do novo treinador, Vagner Mancini, que ainda não fez sua reestreia no comando da equipe, o time baiano dominou a partida desde o início, mas só conseguiu balançar as redes na etapa final, com Uelliton e Jackson. Pelo lado alviverde, o técnico Ney Franco, que assistiu à partida dos camarotes, teve uma prova de algumas das principais deficiências de sua equipe, que jogou desfalcada de Marcelinho Paraíba e Leandro Donizete. por 2 a 0, no Barradão, pela primeira fase da Sul-Americana

O jogo de volta entre Vitória e Coritiba está marcado para o dia 25 de agosto, às 20h15m, no Couto Pereira. O Coxa precisa vencer por três gols de diferença para se classificar. Se os paranaenses fizerem 2 a 0 em casa, haverá disputa de pênaltis. Quem avançar enfrentará o vencedor do confronto entre Blooming (BOL) e River Plate (URU).

Vitória domina desde o início

Ampliar Foto Agência/Estado Agência/Estado

De joelhos, Uelliton comemora o primeiro gol do Vitória sobre o Coritiba no Barradão

O primeiro chute da partida não levou perigo à meta de nenhuma das equipes, mas rendeu um susto ao Coritiba. Da entrada da área alviverde, Uelliton bateu com força e atingiu o rosto do zagueiro Pereira, aos oito minutos de jogo. Nocauteado, o zagueiro precisou ser atendido fora de campo.

Aos 19, contra-ataque rubro-negro. Roger arrancou pela direita e bateu cruzado da entrada da área, mas chutou de mau-jeito, e o goleiro Edson Bastos acompanhou com os olhos a saída da bola pela linha de fundo.

Márco Aurélio perdeu boa chance de abrir o placar para o Coxa, aos 27, em chute de fora da área. O goleiro Gléguer pulou atrasado e quase foi surpreendido, mas a bola saiu à sua direita.

Aos 29, Roger perdeu chance incrível para o time baiano. Dentro da pequena área, o atacante emendou de primeira, após levantamento de Willian, mas mandou por cima do travessão. O jogador insistiu e, aos 34, após boa jogada pela direita, chutou rasteiro com força, para a defesa de Edson Bastos. O goleiro alviverde apareceu bem, mais uma vez, aos 41, na tentativa de Apodi, que buscava o canto direito da meta dos visitantes.

Se o placar permanecia em branco, o domínio baiano na primeira etapa podia ser medido pela quantidade de cartões amarelos recebidos pelos jogadores do Coritiba, que recorriam excessivamente às faltas – três, contra nenhuma advertência feita aos rubro-negros.

Rubro-Negro marca dois gols
E foi justamente uma falta cometida sobre Leandro Domingues no primeiro minuto da segunda etapa que fez as redes finalmente balançarem. Na cobrança, Uelliton chutou com força e se aproveitou do desvio na barreira para surpreender o goleiro Edson Bastos e marcar para o Vitória.

O gol tornou mais óbvia a superioridade do Leão baiano. O Coxa encontrava muitas dificuldades para se organizar e não oferecia qualquer perigo aos donos da casa.

Aos 15, faltou sorte ao Vitória para ampliar. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Wallace acertou o cabeceio, mas carimbou o travessão. Mas aos 26, com a defesa alviverde parada, Jackson recebeu lançamento pela esquerda, invadiu a área e, com tranquilidade, escolheu o canto para marcar o segundo gol rubro-negro.

Com as duas equipes vivendo momentos complicados no Campeonato Brasileiro, o triunfo representa, ainda, um importante passo para o início da recuperação desejada pelos baianos.

Ficha técnica:

VITÓRIA 2 x 0 CORITIBA
Gléguer; Apodi, Anderson Martins, Wallace e Robinho (Nino); Vanderson, Uelliton, Willian (Bida) e Leandro Domingues; Jackson (Carlos Alberto) e Roger. Edson Bastos, Cleiton, Pereira e Demerson; Márcio Gabriel (Rodrigo Heffner), Guaru, Douglas Silva, Pedro Ken (Renatinho) e Carlinhos Paraíba; Marcos Aurélio (Leozinho) e Bruno Batata.
Técnico: Ricardo Silva. Técnico: Édison Borges.
Gols: Uelliton, a um minuto, e Jackson aos 26 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Leandro Domingues, Uelliton (Vitória); Guaru, Pereira, Demerson (Coritiba). Cartão vermelho: (Vitória); (Coritiba).
Estádio: Barradão. Data: 13/08/2009. Árbitro: Carlos Galeano (PAR). Auxiliares: Rodney Aquino (PAR) e Cesar Franco (PAR).

agosto 14, 2009 Posted by | Coritiba, Vitória | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Após conversa, São Paulo não libera Wagner Diniz para defender o Santos

Dirigente tricolor diz que lateral também interessava a outros clubes

Ampliar Foto Reprodução/Site Oficial do São Paulo Reprodução/Site Oficial do São Paulo

Wagner Diniz treina no São Paulo

Perguntado sobre o interesse em Wagner Diniz, o técnico do Santos , Vagner Mancini, admitiu que o lateral-direito estava nos planos, mas que o Peixe ainda teria que convencer o São Paulo a liberar o atleta pelo menos por empréstimo, para a disputa do Brasileiro . O comandante ainda esperava um desfecho positivo para sua equipe. Mas a diretoria tricolor já descartou a negociação.

– Não acho possível o São Paulo liberar o Wagner Diniz para o Santos porque já houve a consulta e nós descartamos a possibilidade. O jogador despertou interesse em outros clubes também, mas não temos interesse em negociá-lo – explicou João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol são-paulino.

Wagner Diniz chegou ao São Paulo no início da temporada, após ter um bom rendimento pelo Vasco em 2008. No entanto, não foi muito aproveitado pelo técnico Muricy Ramalho, que prefere improvisar Zé Luis na posição. No último domingo, contra o Fluminense , pelo Brasileiro, o lateral entrou na partida. O time paulista perdeu por 1 a 0, no Maracanã.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 12, 2009 Posted by | Santos, São Paulo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Ex-gandula, Cristian reencontra seu mentor profissional, Vagner Mancini

Volante do Timão era zagueiro no Paulista e foi lançado no profissional pelo atual técnico do Santos. Eles duelam, domingo, na final do Paulistão

Ampliar Foto Reprodução/Rede Globo Reprodução/Rede Globo

No domingo, Cristian reencontrará seu mentor nos tempos de Paulista, de Jundiaí: Mancini

De gandula de um pequeno time do interior de São Paulo a titular absoluto do Corinthians e finalista do Campeonato Paulista. Em seis anos, o futebol mudou drasticamente a vida de Cristian, mas será ingrato nos dois próximos domingos. Se quiser ser campeão Estadual pela primeira vez, o jogador precisará derrotar nada menos que seu “guru”: Vagner Mancini, técnico do Santos, adversário do Timão na decisão.

– Foi ele quem me colocou para jogar. Tudo o que aconteceu na minha carreira devo a ele. É uma pessoa honesta e muito humilde. Só tenho boas lembranças – afirmou o marcador.

A história deles se cruzou em 2003, no Paulista, de Jundiaí. Cristian, com 19 anos na ocasião, era zagueiro das categorias de base do Galo da Japi e servia de gandula nos jogos da equipe profissional. O trabalho o levou a admirar Vagner Mancini, um meio-campista, de 38 anos, em final de carreira.

– Eu era gandula do Paulista nos jogos e acompanhava as atuações dele. Era um grande jogador, que tinha muito carinho da torcida – lembrou Cristian.

Ampliar Foto Agência/Estado Agência/Estado

Vagner Mancini deu uma chance ao jovem Cristian, quando comandava o Galo da Japi

O destino começou a mudar a vida do volante poucos meses depois. Zetti deixou o comando do Paulista, e Mancini encerrou o ciclo como atleta para se transformar em treinador. Sem muitos recursos para contratar, decidiu apostar nos garotos das equipes de base. Um deles, Cristian, zagueiro até então.

– Eu treinava com o profissional, mas era zagueiro. Um dia, ele me viu jogar e disse que passaria a me usar como volante porque eu tinha boas características para essa função. Depois disso, as coisas só foram melhorando para mim – contou.

No meio-de-campo, Cristian ajudou o Paulista a conquistar o inédito título da Copa do Brasil de 2005 sobre o Fluminense. Em seguida, foi negociado com o Atlético-PR e, pouco tempo depois, passou pelo Flamengo, até ser comprado pelo Corinthians, em meados de 2008.

A distância, contudo, não foi suficiente para apagar a amizade da dupla. Mesmo adversários, Cristian e Mancini conversam praticamente todos os dias. Mas, domingo, a história ficará para trás.

– Ligo para ele todos os dias. A gente conversa muito, tem uma amizade muito grande. No jogo da primeira fase, dei minha camisa para ele. Agora, vai ser cada um brigando pelo seu pão – completou.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

abril 22, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Vagner Mancini busca sombra para Fabio Costa

Diretoria santista espera aval do teinador para buscar goleiro que possa brigar pela vaga de titular

Goleiro santista terá concorrência pela camisa 1 (Foto: Ivan Storti)Goleiro santista terá concorrência pela camisa 1 (Foto: Ivan Storti)

LANCEPRESS!

Em recente entrevista ao Blog do jornalista Cosme Rímoli, o técnico do Santos, Vagner Mancini, confidenciou ter pedido aos diretores do Peixe a contratação de um goleiro que possa disputar a vaga de titular da equipe com Fábio Costa.

O comandante santista acredita que os demais goleiros do grupo são muito inexperientes comparados a ele. Mancini quer um camisa 1 vivido, que possa fazer frente e sombra a Fábio Costa.

Por enquanto, segundo o gerente de futebol do clube, Ocimar Bolicenho, não há nenhum nome em pauta pois, segundo ele, Vagner Mancini ainda não passou essa intenção para a diretoria.

– Também vi essa entrevista que o Mancini deu, mas ele até agora não pediu nenhum outro goleiro para nós. Preciso até conversar com ele para saber mais sobre isso – diz.

Hoje, além de Fábio Costa, o Santos conta com mais três goleiros. Douglas, de 25 anos, substituto imediato do titular, além dos jovens Vladimir e Rafael, que vieram das categorias de base do Santos.

Com a chegada do preparador de goleiros Eduardo Bahia, que integra a comissão técnica de Mancini, os demais goleiros e principalmente Fábio Costa não estão tendo vida fácil. Bahia tem exigido muito de todos nos treinamentos e já é perceptível a melhora no condicionamento físico do titular.

março 5, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário