Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Por 2 a 1, Ceará vence o Santos no Castelão

Vozão marcou dois gols em jogadas de bolas aéreas; K9 fez seu primeiro com a camisa do Peixe

O Ceará venceu o Santos pelo placar de 2 a 1, na noite deste domingo, em partida válida pela 21ª rodada do Brasileirão, no Castelão, em Fortaleza. Os gols do time da casa saíram de jogadas de bolas aéreas e decretaram mais um revés do Peixe, que perdeu a chance de se aproximar mais dos líderes do Campeonato. O sonho da Tríplice Coroa fica mais longe…

Após o término do jogo, Neymar e outros jogadores santistas ainda se estranharam com alguns dos jogadores adversários, o que provocou a entrada de policiais no campo. Na confusão, houve desentendimento entre alguns jogadores santistas e parte dos policiais que tentavam acalmar os ânimos. Os jogadores do Santos ainda acusaram um dos policiais de agredir o meia Marquinhos, que exibiu uma marca de um machucado em suas costas.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O Santos, que já vinha de uma derrota contra o Botafogo, na última rodada, se distancia dos primeiros colocados na tabela de classificação, enquanto o Vovô volta a sonhar com a classificação para a Libertadores

Na próxima rodada, o Ceará, agora com 28 pontos, vai ao Barradão, onde enfrenta o Vitória. Já o Peixe, que permanece com 31, recebe o Atlético-GO na Vila Belmiro.

O jogo:

Antes mesmo do apito inicial, o Santos já teve de voltar aos vestiários. Como as duas equipes portavam calções brancos antes de começar a partida, o árbitro Héber Roberto Lopes solicitou para que o Santos trocasse, e voltasse a campo com o calção reserva. Desta vez, de preto, o Peixe voltou ao gramado do Castelão para finalmente começar a partida.

A partida começou em um ritmo bastante rápido, e o time da casa não intimidou com a badalada equipe santista, que, apesar dos desfalques de Léo, sem condições físicas, e Danilo, suspenso pelo terceiro amarelo, ainda contava com Arouca, Keirrison e Neymar entre os titulares. O Vovô logo partiu para o ataque e passou a dominar as laterais do campo.

Marcando a saída de bola do Peixe, o Ceará não permitiu que o Peixe trocasse passes com calma até a metade da etapa inicial. A marcação forte dos donos da casa deixou os santistas nervosos, que passaram a jogar em um ritmo mais rápido.

A pressão cearense e a velocidade do jogo logo provocaram os primeiros cartões do jogo. Com muitas faltas, os amarelos foram sendo distribuídos pelo árbitro Héber Roberto Lopes. Porém, a pressão do Vovô não resultou apenas em cartões. Aos 29 minutos da primeira etapa, Kempes encontrou Magno Alves na área do Peixe, que, livre, mandou de cabeça para o fundo das redes, abrindo o placar no Castelão.

Entretanto, a resposta santista veio logo em seguida. Dois minutos após o gol do time mandante, Neymar dominou a bola no meio do campo e costurou o setor defensivo cearense em uma linda jogada, antes de tocar para Keirrison empatar a partida, fazendo seu primeiro gol com a camisa do clube da Vila Belmiro.

O jogo, que já era bom, melhorou mais ainda após os dois gols. Com Neymar, o Peixe continuou pressionando em busca da virada. Do outro lado, Ernandes fez jogada espetacular pela lateral esquerda e tocou para Oziel, na área, que por pouco não colocou o Ceará na frente do placar novamente.

As equipes continuaram tentando estar à frente no placar, sempre buscando o gol, mas continuaram empatadas até o fim da etapa inicial. Sofrendo muitas faltas, Neymar fez um primeiro tempo espetacular, apesar das duras entradas dos defensores adversários.

Na volta dos vestiários, foi possível observar um ritmo de jogo bem mais lento, o que, entretanto, não comprometeu o desenvolvimento da partida, que continuou apresentando boas chances para as duas equipes.

O Santos demonstrou leve vantagem no início da etapa complementar, criando boa oportunidade, mas parando no atacante Keirrison, que não conseguiu encontrar Neymar na área após receber ótimo passe de Marquinhos. Aos poucos, o domínio do Peixe na partida foi crescendo e o Ceará parou de atacar, sem conseguir atravessar o bloqueio santista.

Porém, mesmo vivendo um mau momento no jogo, a equipe mandante chegou ao gol, novamente em uma jogada de bola aérea, aos 24 minutos do segundo tempo. Após jogada pela esquerda, o atacante Magno Alves, autor do tento que abriu o placar no Castelão, encontrou o experiente Geraldo na área que, de cabeça, colocou o Vovô novamente à frente.

O gol deu ânimo à equipe da casa, que, antes em baixa na partida, passou a dominar o meio de campo e chegar com perigo à meta santista. Logo após o segundo gol, Magno Alves, novamente de cabeça, quase ampliou a vantagem cearense.

O Vozão continuou atacando até o final da partida, sem medo do contra-ataque santista. Nos minutos finais, apesar do Peixe quase chegar ao empate com Maranhão, o Vovô administrou a vantagem e esperou o apito do juiz para comemorar a vitória.


FICHA TÉCNICA
CEARÁ 2 X 1 SANTOS

Local: Castelão, Fortaleza (CE)
Data e Hora: 12/09/2010 – 18h30
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho e Bruno Boschilia (ambos PR)
Renda e público: não disponíveis.

Cartões amarelos: Heleno e Kempes (CEA) / Durval, Roberto Brum e Arouca (SAN)
Cartões vermelhos: não houve.
GOLS: Magno Alves 29’/1ºT (1-0), Keirrison 31’/1ºT (1-1) e Geraldo 24’/2ºT (2-1)

CEARÁ: Michel Alves; Heleno (Camilo, 15’/2ºT), Fabrício e Anderson; Oziel, Michel, João Marcos, Geraldo e Ernandes; Kempes (Misael, 18’/2ºT) e Mano Alves (Tony, 35’/2ºT). Técnico: Dimas Filgueiras.

SANTOS: Rafael; Pará (Maranhão, 29’/2ºT), Durval, Edu Dracena e Alex Sandro; Arouca, Roberto Brum, Marquinhos e Zezinho (Marcel, 29’/2ºT); Keirrison (Madson, 19’/2ºT) e Neymar. Técnico: Dorival Júnior.

setembro 12, 2010 Posted by | Ceará, Santos | , | Deixe um comentário

Cruzeiro vence no Maracanã e desencadeia crise no Flamengo

Mineiros vencem de virada por 2 a 1. Bruno sai de campo hostilizado

O Cruzeiro mostrou que não quer ser um mero coadjuvante no Campeonato Brasileiro e iniciou o segundo turno com uma vitória de virada sobre o Flamengo, por 2 a 1, pela 20ª rodada. Após transitar a primeira metade da competição na parte inferior da tabela, a Raposa deu o primeiro passo para a campanha diante de um “freguês” recente, já que os mineiros venceram os últimos cinco jogos contra os cariocas.

O gol de Emerson e a comemoração à la torcedor dele indicavam uma noite feliz para os rubro-negros. Mas Diego Renan e Fabrício aproveitaram as falhas do adversário para mudar a festa para o lado azul. A torcida do Fla ainda perdeu a paciência com o goleiro Bruno. Mesmo com a equipe perdendo, o capitão retardou diversas reposições de bola e foi xingado em peso pelos pouco mais de 14 mil torcedores que foram ao estádio.

A equipe celeste chegou a 24 pontos e está em 13º lugar, uma posição apenas atrás do Flamengo, que é o 12º om 27 pontos. A segunda derrota consecutiva traz mais instabilidade a Andrade, efetivado no cargo há sete rodadas. Convocado por Dunga nesta quinta, Adriano pouco participou do jogo.

Na próxima rodada, o Flamengo viaja a Florianópolis para enfrentar o Avaí, domingo, às 18h30m (de Brasília). No mesmo dia e horário, o Cruzeiro recebe o Náutico, no Mineirão.

Emerson abre o placar e beija o escudo

Ampliar Foto Agência/VIPCOMM Agência/VIPCOMM

Emerson comemora o gol que abriu o placar

A chuva e a campanha irregular do Flamengo no Brasileirão afastaram os torcedores do Maracanã. Quem compareceu assistiu a uma partida equilibrada no primeiro tempo. Aos 12 minutos, Emerson encontrou Adriano na ponta. Travado na perna esquerda, o atacante jogou para a direita e chutou fraco. Fábio defendeu sem problemas.

Na sequência, enquanto Ronaldo Angelim reclamava no meio-campo, Marquinhos Paraná avançou livre e chutou rasteiro. Bruno segurou.

Em jogada extraordinária, aos 23, Adriano deu um drible no meio-campo, arrancou e passou para Everton Silva, mas o goleiro cruzeirense foi mais rápido e saiu nos pés do lateral.

A displicência de Bruno quase custou caro ao Flamengo. Aos 30 minutos, o goleiro saiu “na fogueira”, Lenon errou o passe, e o Cruzeiro retomou. Após cruzamento de Marquinhos Paraná, Kléber, na pequena área, finalizou, mas o camisa 1 se redimiu e salvou com o pé esquerdo.

Se durante a semana Emerson teve o nome envolvido na possível transferência para o Al-Ain, dos Emirados Árabes, dentro de campo o atacante deu show de dedicação. E técnica. Aos 28, ele acertou a trave após linda finalização por cobertura. Na chance seguinte, Jorbison foi à linha de fundo e cruzou. O Sheik subiu na segunda trave e cabeceou no contrapé de Fábio. Na comemoração, beijos no escudo e tapas no peito. A mensagem era clara: mostrar que, apesar da iminente saída, o jogador leva o Flamengo no coração.

Antes do fim do primeiro tempo, o Cruzeiro reclamou de um suposto pênalti de Fabrício em Kléber.

Cruzeiro vira, e torcida hostiliza jogadores

Ampliar Foto Agência/VIPCOMM Agência/VIPCOMM

No fim, a festa no Maracanã foi toda cruzeirense

A apatia do Flamengo no início do segundo tempo foi castigada aos sete minutos. Everton Silva perdeu a bola na beira da área. Diego Renan roubou, chutou forte entre as pernas de Bruno e empatou a partida.

A torcida ficou impaciente e passou a vaiar alguns jogadores, como Fierro e Everton Silva. Desarrumado em campo, o time rubro-negro cedeu espaço ao Cruzeiro, que virou o jogo aos 25. Fabrício aproveitou a sobra da dividida entre Bruno e Soares e bateu da entrada da área. O goleiro rubro-negro não conseguiu pegar e também passou a ser vaiado pela torcida: 2 a 1 para a Raposa.

Aplausos, só para Emerson, quando saiu de campo com uma lesão na coxa para dar lugar ao argentino Maxi. Em vez de agilizar a partida, Bruno não tinha pressa para repor a bola nos tiros de meta. Parecia retaliação aos apupos da arquibancada.

Os erros de passe continuaram, e o Cruzeiro passou a dominar a partida. Aos 42, Kléber arrancou e bateu fraco. Bruno defendeu. Repleto de garotos da base, o Flamengo ainda perdeu Fabrício, machucado, nos minutos finais. Como havia feito as três alterações, a equipe terminou a partida com apenas dez jogadores. E vaiada…

Ficha técnica:

FLAMENGO 1 x 2 CRUZEIRO
Bruno; David, Fabrício e Ronaldo Angelim; Everton Silva, Aírton, Lenon, Fierro (Camacho) e Jorbison (Rafael Galhardo); Emerson (Maxi) e Adriano. Fábio; Gil, Leo Silva e Thiago Heleno (Jancarlos); Diego Renan, Marquinhos Paraná, Fabrício, Henrique e Gilberto (Dudu); Thiago Ribeiro (Soares) e Kléber .
Técnico: Andrade. Técnico: Adilson Batista.
Gols: Emerson, aos 32 minutos do primeiro tempo; Diego Renan, aos sete minutos, Fabrício, aos 25 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: David, Fabrício, Aírton (Flamengo). Gil, Thiago Ribeiro (Cruzeiro)
Estádio: Maracanã. Data: 20/08/2009. Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP) Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP) e Emerson Augusto de Carvalho (SP). Público: 12.273 pagantes (14.312 presentes). Renda: R$ 185.795,00

agosto 21, 2009 Posted by | Cruzeiro, Flamengo | , , , , , , , | Deixe um comentário

Vasco derrota o frio e o Juventude na Serra Gaúcha

Gigante da Colina é vice-líder e Alviverde está na zona da degola

Vasco, de Carlos Alberto, vai ao Rio Grande do Sul e volta com três pontos na bagagem: 2 a 1 sobre o Juventude (Crédito: Gilmar Gomes)

Vasco, de Carlos Alberto, vai ao Rio Grande do Sul e volta com três pontos na bagagem: 2 a 1 sobre o Juventude

LANCEPRESS!

O Vasco enfrentou o frio da Serra Gaúcha – 9°C – e conquistou sua segunda vitória consecutiva na Série B do Campeonato Brasileiro ao derrotar o Juventude, por 2 a 1, em Caxias do Sul (RS), pela 15ª rodada. O resultado coloca o time carioca na vice-liderança da competição e empurra o Alviverde para a zona de rebaixamento.

Com o resultado, a equipe gaúcha permaneceu com 14 pontos na disputa e caiu do 15º para o 18º lugar, passando a ser o antepenúltimo colocado na tabela. Enquanto isso, o Gigante da Colina pulou da quinta para a segunda posição ao alcançar os 29 pontos – três a menos que o líder Atlético-GO.

O Vasco iniciou a partida pressionando o Juventude e abriu o placar logo aos cinco minutos, com Carlos Alberto cobrando pênalti inexistente em Ramon. Em vantagem, o time visitante relaxou e o oponente passou a buscar o ataque, sem, no entanto, muita eficiência.

E em seu segundo chute a gol, aos 21 minutos, o Cruzmaltino ampliou a vantagem: Souza arrematou da intermediária e o goleiro Juninho aceitou. A partir daí, o Alviverde, além de manter o controle das ações, criou chances claras e, aos 46 minutos, diminuiu com Mendes convertendo penalidade sofrida por seu melhor jogador, Zezinho.

O Juventude entrou para o segundo tempo naturalmente pressionado, mas o Vasco, com o atacante Adriano no lugar do volante improvisado na lateral direita, buscava ter mais posse de bola. Porém, o desenho da partida favoreceu o time gaúcho, que pressionava, acertou a trave com Nenê aos nove minutos.

Apostando nos contra-ataques, o Gigante da Colina não conseguia ameaçar a defesa Alviverde. Por sua vez, o goleiro Fernando Prass redimiu-se de alguns erros, especialmente em saídas de bola, ao realizar duas boas defesas (já fizera uma na etapa inicial) e segurar a vantagem da equipe carioca.

Aos 35 minutos, em uma chegada de três vascaínos contra um defensor do time gaúcho, o atacante Adriano conseguiu perder o gol, finalizando em cima de Juninho. Aos 41 minutos, em lance semelhante, acertou a trave e, no rebote, acertou o zagueiro em cima da linha. E, aos 49 minutos, novamente livre, outra vez acerta a trave.

O Juventude volta a campo já nesta terça-feira, às 21h, para enfrentar a Portuguesa, em São Paulo (SP). Já o Vasco, no próximo sábado, recebe o Campinense, às 16h10, em São Januário.

FICHA TÉCNICA:
JUVENTUDE 1 X 2 VASCO

Estádio: Alfredo Jaconi, Caxias do Sul (RS)
Data/hora: 1/8/2009 – 16h10
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (Fifa-SP)
Auxiliares: José Antônio das Couves (SP) e Marco Antônio Abade (SP)
Renda/público: R$ 86.210,00 / 10.025 presentes
Cartões amarelos: Mendes, Gustavo, Ivo, Nenê, Da Silva, Leanderson, Tiago Reinz e Diego Rosa (JUV); Paulinho, Ramon e Nilton (VAS)
Cartão vermelho: Allyson, 47’/2°T (JUV)

GOLS: Carlos Alberto, 5’/1°T (0-1); Souza, 21’/1°T (0-2); Mendes, 46’/1°T (1-2).

JUVENTUDE: Juninho, Da Silva, Xavier (Nenê, intervalo) e Allyson; Bruno, Gustavo (Leanderson, 12’/2°T), Tiago Renz, Zezinho e Ivo (Marcos Dener, 12’/2°T); Mendes e Diego Rosa. Técnico: Ivo Wortmann.

VASCO: Fernando Prass, Paulinho (Adriano, intervalo), Vilson, Titi e Ramon; Amaral (Dedé, 27’/2°T), Nilton, Souza e Alex Teixeira; Carlos Alberto e Elton (Enrico, 33’/2°T). Técnico: Dorival Júnior.

agosto 1, 2009 Posted by | Juventude, Vasco da Gama | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

De virada, Brasil supera algoz Paraguai

Após sofrer gol de Cabañas, equipe de Dunga foi à frente e assumiu liderança das Eliminatórias

Kaká sofre marcação na partida contra o Paraguai (Foto: Reuters)

Kaká sofre marcação na partida contra o Paraguai (Foto: Reuters)

Caio Carrieri

De virada, o Brasil venceu o Paraguai nesta quarta-feira, por 2 a 1, no Arruda, em Recife, e assumiu o primeiro lugar isolado na disputa por uma vaga na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. De quebra, a equipe vingou-se da única equipe que a derrotou até aqui nesta edição – 2 a 0, em Assunção.

Como era esperado, a Seleção Brasileira tomou a iniciativa da partida e foi para cima do Paraguai, que começou o jogo com forte marcação no campo de defesa. Em menos de dois minutos de bola rolando, Robinho e Kaká já tinham feito o goleiro Villar trabalhar, mesmo que sem dificuldades.

Nilmar, que substituiu Luis Fabiano, expulso contra o Uruguai, bem que tentou tabelar com Kaká e Robinho, mas a falta de entrosamento ficou evidente na construção das jogadas, que tiveram origem em sua maioria nos longos lançamentos de Felipe Melo.

Apesar de o Brasil ter o domínio do duelo, foi o Paraguai quem chegou mais perto de marcar. Aos nove minutos, Riveros soltou uma bomba do bico da área, e a bola passou perto da meta verde-amarela.

Com a ineficiência do ataque canarinho, o selecionado paraguaio passou a ocupar o campo de ataque, e o arqueiro brasileiro voltou a trabalhar aos 22 minutos. Martínez recebeu de Cabañas e bateu para grande defesa de Julio Cesar.

Passados três minutos, Cabañas cobrou falta da intermediária, a bola desviou em Elano e enganou Julio Cesar. O último tento sofrido pelo Brasil havia sido em novembro de 2007, na vitória por 2 a 1 de virada em cima do Uruguai, no Morumbi.

Depois do baque, a equipe brasileira se mostrou desorganizada e Felipe Melo quase proporcionou lance perigoso ao adversário. O camisa 5 tentou inverter a jogada do lado esquerdo para o direito, mas Cabañas não dominou.

A cinco minutos do intervalo, Daniel Alves cruzou no segundo poste, e Robinho aproveitou falha de Véron para, de canhota, empatar o placar.

Logo na volta para a segunda metade, Nilmar virou o marcador e jogou uma ducha de água fria nos paraguaios. Aos quatro minutos, Felipe Melo deu belo lançamento para o atacante do Internacional, que tentou ajeitar de primeira para Robinho, mas a bola bateu em Victor Cáceres e o camisa 9 aproveitou para fazer seu primeiro gol nas Eliminatórias.

Com a vantagem, a amarelinha deu espaços para o Paraguai e passou a jogar nos contra-ataques puxados pela velocidade de Kaká.

Embora Daniel Alves, de falta, e Robinho, em chute de fora da área tenham assutado Villar, os comandados de Dunga não ampliaram e asseguraram o terceiro triunfo seguido na competição.

O próximo compromisso do Brasil será contra o Egito, na segunda-feira, pela estreia da Copa das Confederações, competição na qual o Brasil busca o bicampeonato.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 2 X 1 PARAGUAI

Estádio: Arruda, Recife (PE)
Data/hora: 9/6/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Óscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Abraham González (COL) e Wilson Berrío (COL)

Cartões amarelos: Lucio, Felipe Melo e Ramires (BRA); Julio Cáceres e Victor Cáceres (PAR)

Público/renda: 55.252 pagantes/ R$ 4.322.555,00

GOLS: Cabañas, aos 25’/1ºT (0-1); Robinho, aos 40’/1ºT (1-1); Nilmar, aos 4’/2ºT (2-1)

BRASIL: Julio Cesar; Daniel Alves, Lucio, Juan, Kléber; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano (Ramires – 14’/2ºT), Kaká; Robinho (Kleberson – 39’/2ºT) e Nilmar (Pato – 29’/2ºT). Técnico: Dunga

PARAGUAI: Villar; Verón, Julio Cáceres, Da Silva, Caniza; Bonet (Benitez – 24’/2ºT), Ledesma (Aquino – 17’/2ºT), Victor Cáceres, Rivero; Martínez (López – 33’/2ºT) e Cabañas. Técnico: Gerardo Martino

junho 11, 2009 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Dagoberto decide e Sampa é primeiro

Atacante marca duas vezes e vira o jogo no Morumbi. Tricolor garante a liderança do grupo 4

Dagoberto marcou os dois gols do Sampa no Morumbi (Crédito: Reginaldo Castro)

Dagoberto marcou os dois gols do Sampa no Morumbi (Crédito: Reginaldo Castro)

Longe de ser brilhante, mas mostrando vontade e disposição no segundo tempo, o São Paulo venceu, de virada, o América de Cali nesta quarta-feira, no Morumbi, por 2 a 1, e garantiu o primeiro lugar do grupo 4 da Copa Libertadores. Dagoberto fez os dois gols do Sampa e Parra descontou.

Errando muito, e longe de apresentar um futebol de hexacampeão, o Tricolor por pouco não perdeu a quarta partida seguida, fato que não ocorria desde 2002. Naquele ano, Palmeiras, São Caetano, Corinthians (Rio-São Paulo) e o Figueirense (Copa do Brasil) superaram o Tricolor seguidamente. Neste, duas derrotas para o Corinthians na semifinal do Paulistão e mais um tropeço para o Independiente de Medellín.

Mais uma vez apático e sem criatividade alguma, os comandados de Muricy começaram apresentando um mau futebol e, pior, sem garra e qualquer poder de reação.

Logo aos oito minutos do primeiro tempo, Parra, com liberdade, abriu o placar e silenciou o Morumbi. A partir daí, vieram as jogadas aéreas, o futebol previsível e os erros constantes, que tem marcado o São Paulo nos últimos jogos.

Dagoberto, mais uma vez escalado na direita, tentava criar, brigava, mas a inspiração era pouca. Assim como a da dupla de atacantes. Borges e Washington se revezaram na tarefa de perder gols. Inexplicável.

Difícil de explicar também a queda de produção de Hernanes, cada vez mais longe do futebol brilhante do ano passado. A defesa tricolor, tida como a melhor dos últimos anos no Brasil, voltou a jogar abaixo do rótulo que ganhou.

No segundo tempo, o São Paulo voltou com mais atitude, mas ainda com pouca inspiração. Empurrado pela torcida, o Tricolor chegou ao gol. Aos 12 minutos, Jean fez grande jogada e rolou para Dagoberto. O atacante tirou do goleiro e foi premiado pela garra demonstrada.

Nove minutos depois, Dagoberto usou novamente de sua determinação e conseguiu virar o jogo. A zaga recuou para o goleiro Meza, que tentou afastar. O goleiro, porém, vacilou e chutou em cima do atacante são-paulino, que acreditou na jogada. Virada no Morumbi, com gol de costas.

Depois disso, o São Paulo administrou e agora espera a definição dos grupos para saber o adversário das oitavas-de-finais da Libertadores. Ufa!

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 2 X 1 AMÉRICA DE CALI (COL)

ESTÁDIO: Morumbi, em São Paulo (SP)
DATA/HORÁRIO: 22/04/2009 às 21h50
ÁRBITRO: Carlos Torres (PAR)
AUXILIARES: Nicolas Yegros (PAR) e Oscar Viera (PAR)
Renda/público: R$ 472.815, 00 / 23.221 pagantes
Cartões amarelos: Lenny (PAL); Arango, Valdés (AME)
Cartões vermelhos:
GOLS: Parra 8’/1ºT (0-1); Dagoberto 12’/2ºT (1-1), Dagoberto 21’/2ºT (2-1)

SÃO PAULO: Bosco; Rodrigo (Aislan, 42’/2ºT), Renato Silva, Miranda e Júnior César; Jean, Hernanes, Jorge Wagner e Dagoberto; Borges (Hugo, 39’/2ºT) e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

AMÉRICA DE CALI: Meza, Ângulo, Valdés, Viáfara e Távima; Banguero, Chara, Arango (Casañas, 41’/2ºT), Alex Del Castillo e Restrepo (Otálvaro, 32/2ºT); Parra (Morelo, 38’/2ºT). Técnico: Alex Escobar

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

abril 23, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Neymar brilha e Santos goleia na Vila

Peixe jogou apenas na segunda etapa, mas graças a Neymar garantiu classificação

Neymar fez o seu e brilhou na vitória do Peixe. (Foto: Ivan Storti)Neymar fez o seu e brilhou na vitória do Peixe. (Foto: Ivan Storti)

Em partida debaixo de chuva e com menos de 2 mil pagantes na Vila Belmiro, O Santos jogou um primeiro tempo ruim, mas soube se arrumar na etapa final e, com gols de Neymar, Lucio Flavio, Germano e Kleber Pereira, venceu o Rio Branco por 4 a 0. O Peixe, que venceu o jogo de ida, no Acre, por 2 a 1, encara o CSA-AL na próxima fase da Copa do Brasil.

O Santos dominou a posse de bola no começo da primeira etapa, mas errou passes demais e não conseguiu criar. Lucio Flavio, assim como o resto da equipe, esteve apagado. Nem o menino Neymar, destaque das últimas partidas, apareceu.

A única jogada de perigo do Peixe no primeiro tempo veio através de um cruzamento de Triguinho, que teve muito espaço, porém não soube aproveitar. O camisa três, aos 21 minutos, avançou e fez o levantamento. Kleber Pereira dominou bem, mas chutou para fora.

O Rio Branco se fechou na defesa, mas nas poucas vezes em que atacou levou perigo à meta de Fábio Costa. Milton Melgar e Testinha levaram perigo com chutes de fora da área. O camisa 10 Testinha, destaque da equipe na partida, teve chance de ampliar após passe de Ananias, mas, cara a cara com o goleiro santista, chutou para fora.

Apesar do primeiro tempo apagado, o técnico Vagner Mancini voltou sem alterações para a etapa final. A equipe, apesar de ser a mesma, voltou mais animada e, em menos de 25 minutos abriu 3 a 0 no marcador.

Neymar usou todo seu talento aos 13 minutos, passou pelo zagueiro e tocou no canto direito do goleiro André para abrir o placar. O gol trouxe tranquilidade ao Santos que começou a atropelar o Rio Branco.

Lucio Flavio, três minutos depois, aproveitou boa jogada de Pará pela direita e tocou com categoria no canto esquerdo do goleiro, sem chances de defesa. E não parou por aí. O camisa 10 sofreu pênalti de Testinha. Kleber Pereira, que completou 100 jogos pelo Peixe, foi para a cobrança, mas acertou a trave. Germano pegou o rebote e marcou o terceiro.

Faltava o gol de Kleber Pereira, que completou 100 jogos pelo Peixe, mas Neymar resolveu o problema. O camisa 7 fez boa jogada individual e cruzou na área. Kleber Pereira desviou de cabeça e fez o seu.

Fábio Costa ainda teve tempo de defender uma penalidade cobrada por Fábio Silva e impediu o gol de honra do Estrelão.

Com o resultado assegurado e um homem a mais, já que Caimmy foi expulso por acertar uma cotovelada em Neymar, o Peixe tirou o pé do acelerador e, mesmo jogando apenas um tempo na partida, garantiu a classificação para a próxima fase da Copa do Brasil. Destaque para o menino Neymar, que, com seu talento, liderou a equipe na segunda etapa e fez seu primeiro gol na Vila Belmiro.

O CSA-AL, que derrotou o Serra-ES, é o próximo adversário do Peixe na competição.
FICHA TÉCNICA

SANTOS 4 X 0 RIO BRANCO-AC

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 18/03/2009, às 21h50
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Assistentes: Vinícius Barone Pampurre (RJ) e Francisco Pereira de Souza (RJ)
Público e renda: 1.855 presentes / R$ 27.450,00
Cartões amarelos: Germano e Fabão (SAN); Ananias, Milton Melgar e Testinha (RIO)
Cartão vermelho: Caimmy (RIO)
Gols: Neymar, 14’/2ºT (1-0); Lucio Flavio, 17’/2ºT (2-0); Germano, 23’/2ºT (3-0); Kleber Pereira, 41’/2ºT (4-0)

SANTOS: Fábio costa, Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho; Pará (Bolaños, 2’/2ºT), Germano (Paulo Henrique Lima, 31’/2ºT), Madson (Rodrigo Souto, 2’/2ºT) e Lucio Flavio; Neymar e Kleber Pereira. Técnico: Vagner Mancini.

RIO BRANCO: André, Caimmy, Fábio Silva, Rodrigão e Ananias; Zé Marco, Ismael, Testinha (Neném, 32’/2ºT) e Milton Melgar; Rozier (Pery, 16’/2ºT) e Juliano Cesar (Rogério, 25’/2ºT). Técnico: Ulisses Torres.

março 19, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Kléber Pereira faz dois, Peixe vira em cima do Rio Branco, mas não elimina volta

Na estreia de Vagner Mancini, time perde muitas chances, mas vence a partida. Na volta, Alvinegro pode até perder por 1 a 0

No embalo de Kléber Pereira, o Santos venceu o Rio Branco, do Acre, por 2 a 1, de virada, nesta quarta-feira à noite, em Rio Branco, pela primeira rodada da Copa do Brasil.Foi a estreia do técnico Vagner Mancini, que assumiu o comando do Alvinegro após a saída de Márcio Fernandes. O Peixe saiu atrás, jogou com um a mais desde os 11 minutos do segundo tempo, pressionou muito, e teve chances para golear e eliminar o jogo de volta. Mas abusou das chances perdidas.  O jogo de volta será disputado no dia 18 de março, na Vila Belmiro. O Peixe pode até perder na volta por 1 a 0 que, ainda assim, avança.

Rio Branco assusta

Empolgado, o Rio Branco partiu para cima do Santos logo que o árbitro apitou o início da partida. Tanto que não deu tempo nem para o adversário se assentar em campo. Logo aos cinco minutos, Ananias acertou uma bomba da entrada da área. Douglas não conseguiu segurar. No rebote, Juliano César ganhou a dividida de Paulo Henrique e cabeçeou para o gol, abrindo o placar.

O Santos conseguiu se recuperar do susto e passou a tocar a bola, chamando o adversário e se lançando em rápidos contra-ataques. A estratégia era perigosa, pois o Estrelão chegou a sufocar a equipe santista e quase chegou ao segundo. No entanto, o Alvinegro conseguiu segurar a pressão e empatar a partida. Aos 19, Pará fez boa partida pela direita e cruzou para Kléber Pereira, que emendou de primeira e tirou a bola do alcance de Acosta.

O Rio Branco não conseguiu manter o ritmo forte até o fim e o Peixe passou a jogar melhor, tentando até chances para virar a partida, como quando Róbson, aos 41, Robson desce em velocidade e ajeita para Madson chutar forte. Acosta defendeu.

Peixe pressiona, e consegue a virada

O Santos começou melhor no segundo tempo, dominando a posse de bola e se aproveitando dos erros de passe do adversário.  Com a pressão santista, o Rio Branco ficou acuado, apenas fazendo faltas. Tanto que Bruno acabou expulso aos 11 minutos. Ele já tinha cartão amarelo e acabou acertando o lateral-esquerdo santsita Triguinho.

Curiosamente, quando passou a ter um jogador a mais, o Peixe tirou o pé e o Estrelão chegou até a ameaçar, mas sem conseguir acertar o alvo. Aos poucos, porém, o Alvinegro foi se acertando novamente e rondando a área do Rio Branco. Molina e Wesley, que entraram nos lugares de Róbson e Bolaños, respectivamente, fizeram o Peixe crescer e criar muitas chances. Os chutes vinham de todo o lado. Ora, Kléber Pereira, ora Molina, ora Madson. Faltava, no entanto, acertar o gol.

O técnico do Rio Branco, por outro lado, estava satisfeito com o empate. Tanto que tirou os dois melhores jogadores do time para reforçar a marcação. Tirou Juliano César, autor do gol, e Testinha. Foi muito vaiado pelos torcedores. Todo fechado, o Estrelão limitou-se a ficar preso atrás, tentando segurar a pressão santista.

O bloqueio da equipe acreana caiu aos 41, quando Kléber Pereira recebeu de Molina e virou a partida.

Ficha técnica:

RIO BRANCO-AC 1 x 2 SANTOS
Acosta, Bruno, Rodrigão, Fábio Silva e Ananias (Esquerdinha); Zé Marcos, Nilton Melgar, Nenem e Ismael; Testinha (Jajá), Juliano César (Pery). Douglas, Pará, Fabão, Paulo Henrique e Triguinho (Paulinho Henrique Lima); Roberto Brum, Rodrigo Souto, Róbson (Molina) e Madson; Bolaños (Wesley) e Kléber Pereira.
Técnico: Ulisses Torres. Técnico: Vagner Mancini.
Gols: Juliano César, 5, e Kléber Pereira, aos 19 do primeiro e aos 41 do segundo tempo
Cartões amarelos: Triguinho, Roberto Brum, Rodrigão (Santos), Bruno, Nilton Melgar (Rio Branco). Cartão vermelho: Bruno (Rio Branco).
Estádio: Arena da Floresta, em Rio Branco (AC). Data: 18/02/2009. Árbitro: Arnoldo Vasconcelos Figarela (RO). Auxiliares: Márcia Bezerra Lopes Caetano (Fifa /RO) e Wilson Gonçalves de Aquino (RO).

fevereiro 19, 2009 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário