Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

No Morumbi, São Paulo quer embalar contra o Guarani

Após vencer o Palmeiras, Tricolor pode subir na tabela

O São Paulo recebe o Guarani nesta quarta-feira, às 19h30, no Morumbi, para tentar embalar no Campeonato Brasileiro. A equipe de Sérgio Baresi se recuperou diante do Palmeiras e ocupa 8ª colocação, com 31 pontos, sete a menos que o Botafogo, último time que se garantiria na Libertadores neste momento.

Para o jogo, o Tricolor terá o desfalque de Ilsinho. O lateral-direito torceu o tornozelo esquerdo no clássico de domingo e não poderá jogar por duas semanas. Além dele, Junior Cesar (lesão no tendão-de-aquiles) e Fernandinho (estiramento no músculo posterior da perna direita) também estão no departamento médico.

O São Paulo terá dois jogos no Morumbi. Depois de encarar o Bugre, a equipe recebe o Goiás, no sábado. Essa sequência pode fazer com que o Tricolor volte a brigar por algo maior no campeonato. Para conseguir isso, Richarlyson se espelha na última atuação:

– Temos de ter a mesma atitude que a gente teve contra o Palmeiras. Mesmo se nós tivéssemos vencido o Inter, eu não teria gostado da nossa atitute. Contra o Palmeiras, a nossa atitude foi diferente e, em nenhum momento, a torcida ficou cabisbaixa.

A novidade é o retorno de Ricardo Oliveira. O atacante está recuperado de uma tendinite no joelho esquerdo e voltará a disputar uma partida após quase um mês frequentando o Reffis.

Depois de empatar sem gols no Brinco de Ouro com o Santos, o Guarani tem mais um grande paulista pela frente. Apesar de não vencer há duas rodadas, o alviverde campineiro se mantém em uma situação estável no Brasileirão, atualmente está em 10º lugar com 30 pontos.

Para a partida desta quarta-feira, o técnico Vágner Mancini não contará com duas importantes peças de sua equipe. O volante Renan e o atacante Mazola não entrarão em campo, ambos pertencem ao São Paulo e estão emprestados para o Guarani, na negociação houve o acordo de que eles não poderiam enfrentar o clube que os cedeu por empréstimo. No lugar de Renan, já está confirmada a entrada de Maycon.

Já na vaga de Mazola, Mancini mantém um certo mistério. Geovane que substituiu Mazola na última partida, quando o mesmo estava suspenso, pode perder a vaga para um terceiro zagueiro. No treinamento da manhã desta terça-feira, o treinador chegou escalar a equipe titular no 3-5-2, com Fabão, Ailson e Aislan formando o trio defensivo. O Bugre entrou com essa formação apenas uma vez na competição e o resultado não foi dos melhores: 4 a 2 para o Cruzeiro.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X GUARANI

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 21/9/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Vicente Romano Neto (SP) e Marcelo Van Gasse (SP)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Rodrigo Souto, Alex Silva e Miranda; Jean, Casemiro, Jorge Wagner, Lucas e Richarlyson, Fernandão e Ricardo Oliveira. Técnico: Sérgio Baresi.

GUARANI: Douglas; Fabão, Ailson e Aislan (Geovane); Apodi, Maycon, Paulo Roberto, Baiano e Marcio Careca; Mario Lucio e Ricardo Xavier. Técnico: Vágner Mancini.

setembro 22, 2010 Posted by | Guarani, São Paulo | , , | Deixe um comentário

São Paulo x Flu: novo duelo que promete emoção

Tricolores proporcionaram grandes jogos nos últimos confrontos

São Paulo e Flu fazem duelo eletrizante nesta quarta (Crédito: Allex Ximenes)

São Paulo e Flu fazem duelo eletrizante nesta quarta

LANCEPRESS!

Vivendo situação distintas no Campeonato Brasileiro, São Paulo e Fluminense estreiam no returno da competição nesta quarta-feira, às 21h50, no Morumbi, cercados de expectativas. Os últimos duelos entre os Tricolores sempre foram eletrizantes.

Além da expectativa de casa cheia – foram colocados mais de 55 mil ingressos à disposição dos torcedores – o São Paulo terá algumas novidades para o duelo dos tricolores.

Rogério Ceni deve voltar ao time pouco mais de quatro meses após sofrer lesão no tornozelo esquerdo. Recuperado, o camisa 1 deve retomar a meta do tricolor paulista e a braçadeira de capitão.

– Fico feliz por Ceni estar voltando. Só vou devolver para quem realmente pertence a faixa. Ganhamos então dois reforços: o Rodrigo que estava numa situação dificil e o Ceni que volta de lesão. Então voltamos fortes para o segundo turno. Vamos olhar para trás e ficaremos tranquilo, porque tem um cara experiente lá, que sabe cadenciar e sabe falar o que estamos errando dentro do jogo – frisou André Dias.

Para o duelo contra o Flu, André Dias é o único remascente da zaga titular . Isso porque, Renato Silva e Miranda foram expulsos no jogo contra o Sport, no último domingo, e desfalcam o São Paulo.

– Nós temos o Aislan, que é um menino que não tem sido convocado, mas no momento como esse é possível que ele pinte. Vamos torcer para que o Rodrigo esteja bem, já que jogou comigo ali ano passado. E se for improvisar, o Richarlyson deve ficar por ali, pois já atuou naquela posição – concluiu o zagueiro.

Contra as ausências, Ricardo Gomes, além de contar com a volta do capitão Rogério Ceni, poderá ter o retorno do volante Jean e do atacante Dagoberto. Ambos cumpriram suspensão na vitória contra o Sport, mas retornam ao time nesta quarta-feira.

O Fluminense também terá novidades para o confronto. Em situação delicadíssima na tabela, com 15 pontos e na 19º colocação, o time sofreu algumas mudanças promovidas pelo técnico Renato Gaúcho.

O esquema mudará de 4-4-2 para o 3-5-2. O zagueiro Cássio entra no lugar do apoiador Marquinho e João Paulo volta à lateral-esquerda na vaga de Augusto.

Ciente da importância de um bom resultado no Morumbi, Renato Gaúcho que bastante seriedade dos jogadores e uma mudança de atitude.

– Vai ser uma partida com muita disputa. Tem que ter a atitude que vinha tendo nos últimos jogos, como antes do jogo contra o Coritiba. Nós não temos tempo para passar a mão na cabeça dos jogadores. Não adianta falar dez, quinze palavras bonitas e na hora não adiantar. Tem que ter atitude – salientou.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO x FLUMINENSE

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 19/8/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (Asp.Fifa-BA)
Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha de Matos(Fifa-BA) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Rodrigo (Aislan), André Dias e Zé Luis; Jean, Hernanes, Richarlyson, Jorge Wagner e Júnior César; Dagoberto e Washington. Técnico: Ricardo Gomes.

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Edcarlos, Cássio e Luiz Alberto; Ruy, Diogo, Fábio Santos, Conca e João Paulo; Roni e Kieza. Técnico: Renato Gaúcho.

agosto 19, 2009 Posted by | Fluminense, São Paulo | , , , , , , , | Deixe um comentário

Morumbi vira a arma do São Paulo no returno do Campeonato Brasileiro

Dos quatro rivais que hoje estão na briga com o Tricolor pelo título, três enfrentarão o Tricolor na capital paulista, onde a equipe ainda não perdeu

Ampliar Foto Divulgação/Diário de São Paulo Divulgação/Diário de São Paulo

No Morumbi, equipe ainda não perdeu nesse Campeonato Brasileiro

O estádio do Morumbi virou a grande arma para o São Paulo deixar seus principais rivais para trás e comemorar, no final do ano, o quarto título nacional consecutivo. Analisando a tabela do Campeonato Brasileiro, das quatro equipes que, junto com o Tricolor, ocupam as primeiras posições na tabela, a equipe comandada por Ricardo Gomes enfrentará três em seu estádio (Palmeiras, Internacional e Atlético-MG). Apenas contra o Goiás é que o duelo acontecerá longe da capital paulista.

Os jogadores deixaram claro que essa é uma vantagem que pode colocar a equipe na rota de mais um caneco. Isso porque, até agora, a equipe não sabe o que é perder como mandante dentro da competição nacional. Nas nove partidas disputadas até o momento, foram seis vitórias e três empates.

– Todo mundo sabe que o São Paulo é muito forte quando joga dentro do estádio do Morumbi. Por isso, temos de somar o maior número de pontos possíveis porque a maioria dos confrontos diretos acontecerão no nosso estádio. Sem dúvida, é uma vantagem que temos – analisou o zagueiro André Dias.


O lateral-esquerdo Junior Cesar seguiu pela mesma linha de raciocínio.

– O Morumbi é a nossa casa e não podemos nem pensar em não conquistar sempre os três pontos. E isso precisa começar já contra o Fluminense – lembrou o camisa 6.

agosto 18, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo Jason bate Goiás e já está no G4

Tricolor faz quinta ‘vítima’ seguida, mantém ascensão no Brasileirão e quebra sequência esmeraldina

Washington comemora o primeiro gol do Sampa (Foto: Reginaldo Castro)

Washington comemora o primeiro gol do Sampa (Foto: Reginaldo Castro)

LANCEPRESS!

São Paulo e Goiás duelaram neste domingo, no Morumbi, para por à prova a ótima fase que as duas equipes vivem. E no duelo dos “recuperados”, deu Tricolor. Com autoridade, o Sampa bateu o time goiano por 3 a 1 e chegou pela primeira vez ao G4 do Brasileirão. A distância para o líder Palmeiras já caiu para cinco pontos.

O Goiás teve a sua sequência de seis vitórias seguidas quebrada, mas permanece como více-líder da competição. Já o Tricolor “Jason”, como vem sendo chamado pela torcida que foi em grande número ao Morumbi com a máscara do personagem dos filmes de terror “Sexta-feira 13”, engatou seu quarto triunfo consecutivo e sete partidas invictas.

Quem começou assustando foi os donos da casa. Aos 13 minutos, o ex-volante e agora lateral-direito Jean, levantou a bola na área e a zaga do Goiás afastou. No rebote, Richarlyson, de primeira, acertou chute forte, mas a bola explodiu no travessão.

A partir daí o jogo ficou muito disputado no meio-de-campo e sem emoções maiores. O Goiás não conseguia ameaçar o gol de Denis e o Tricolor perdia muitas jogadas alçadas na área, principalmente com o centroavante Washington. O Esmeraldino só conseguiu ser efetivo aos 43 minutos. Léo Lima dominou e arriscou de fora da área. A bola passou com perigo à esquerda do goleiro Denis.

As principais jogadas são-paulinas saíram pelo lado esquerdo com Jorge Wagner e Júnior César. E foi com o lateral que o Tricolor voltou a assustar. Aos 45 minutos, Júnior César tabelou com Dagoberto, entrou na grande área e acertou um chute forte, porém a bola, novamente, acertou o travessão de Harlei.

Mas, de tanto tentar, o lado esquerdo do São Paulo conseguiu, enfim, ser efetivo. Jorge Wagner recebeu passe, foi a linha de fundo e cruzou. Washington ganhou da zaga goaina e testou firme. Harlei chegou a tocar na bola, porém não foi suficiente para evitar com que o time da casa abrisse o placar. Festa no Morumbi, no último lance da etapa incial.

No segundo tempo, o técnico Hélio dos Anjos resolveu voltar com uma formação mais ofensiva e lançou o atacante Bruno Meneghel no lugar do volante Fernando, deixando assim o sistema 3-6-1. A mudança porém, não surtiu efeito e o São Paulo seguiu dominando a partida.

Aos 16 minutos, o zagueiro goiano Valmir Lucas vacilou e Dagoberto, esperto, roubou a bola. O camisa 25 do Tricolor entrou na área e chutou rasteiro, mas Harlei saiu bem do gol e evitou que o Sampa aumentasse a vantagem. Aos 30, o mesmo Dagoberto fez bela jogada individual, passou por três zagueiros esmeraldinos e bateu para o gol. A bola, caprichosamente, acertou o travessão de Harlei pela terceira vez na partida.

O Goiás, que já tinha uma árdua missão para buscar o empate no Morumbi, teve a sua vida dificultada ainda mais. Aos 31 minutos, o zagueiro Rafael Tolói acertou um soco na boca de Dagoberto. O árbitro Alício Pena Júnior não pensou duas vezes e expulsou o jogador.

Com um jogador a mais, o Tricolor foi para cima e um minuto depois Hernanes bateu escanteio na cabeça de Jorge Wagner que só escorou para as redes e aumentou o placar no Morumbi.

O Goiás ainda descontou: aos 41, Bruno Meneghel recebeu grande lançamento, cortou André Dias e tocou na saída do goleiro Denis. Mas não foi suficiente para iniciar uma reação.

E ainda deu tempo para o São Paulo aumentar: aos 49, Borges recebeu lançamento de Hernanes e chutou sem chances para o goleiro Harlei.

Na próxima rodada o São Paulo vai à Ilha do Retiro enfrentar o lanterna Sport. Já o Goiás recebe o Vitória no Serra Dourada para tentar voltar a vencer no Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 3 X 1 GOIÁS

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 9/8/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e Jair Albano Felix (MG)
Renda/público: R$ 691.280,00 / 28.200 pagantes
Cartões amarelos: Dagoberto, Jean, Júnior César, Hernanes (SAO); Fernando, Iarley (GOI)
Cartões vermelhos: Rafael Tolói, 31’/2ºT (GOI)
GOLS: Washington, 46’/1ºT (1-0); Jorge Wagner, 32’/2ºT (2-0); Bruno Meneghel, 41’/2ºT (2-1); Borges, 49’/2ºT (3-1)

SÃO PAULO: Denis, Renato Silva, André Dias, Miranda; Jean, Hernanes, Richarlyson, Jorge Wagner, Junior César; Dagoberto(Marlos, 40’/1ºT) e Washington (Borges, 19’/2ºT). Técnico: Ricardo Gomes

GOIÁS: Harlei, Valmir Lucas, Leandro Euzébio, Rafael Tolói; Gomes(Rafael, 19’/2ºT), Amaral, Fernando(Bruno Meneghel, Intervalo), Léo Lima, Felipe Menezes(Robert, 41’/2ºT), Júlio César; Iarley. Técnico: Hélio dos Anjos.

agosto 9, 2009 Posted by | Goiás, São Paulo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Tricolor Jason vence Bota e encosta na ponta

Equipe vence de virada no Morumbi e obtém quarto triunfo consecutivo no Campeonato Brasileiro

São Paulo joga o suficiente para vencer o Botafogo

São Paulo joga o suficiente para vencer o Botafogo

LANCEPRESS!

Em uma partida de boas alternativas, o São Paulo, ou Tricolor Jason , mostrou que realmente está em recuperação e venceu o Botafogo por 3 a 1, de virada, nesta quarta-feira, no Morumbi, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória foi a quarta seguida do time paulista na competição e de quebra acabou com a invencibilidade de sete jogos que o adversário obtinha. Os gols do jogo foram marcados por Dagoberto, Washington e Jorge Wagner para os donos da casa e Lucio Flavio descontou para os cariocas.


O jogo começou com o Botafogo melhor, apesar da evidente superioridade técnica do São Paulo. O time carioca abusava das jogadas pelas laterais, principalmente, pelo lado direito com Alessandro ou Renato, que flutuava na frente da defesa paulista. Já o Tricolor insistia em jogadas pelo meio com Washington, que tinha muita dificuldade para dominar as bolas.

O melhor volume de jogo do Glorioso era evidente e não demorou muito para ele se transformar em gol. Aos 19 minutos, Batista achou Lucio Flavio próximo a área. O maestro alvinegro dominou, girou e acertou um belo chute no canto esquerdo de Denis, abrindo o placar. Com o gol, parecia que a vitória seria mesmo do time carioca, mas quatro minutos depois dois fatos mudaram a cara do jogo. O primeiro foi a contusão de Renato, melhor jogador do Bota em campo até o momento, obrigando o técnico ney Franco a colocar Jean Coral em seu lugar. O segundo, o técnico Ricardo Gomes vendo que o Botafogo era perigoso pela direita, colocou Dagoberto aberto pela esquerda, atuando nas costas do ala alvinegro.

Aos 36 minutos, Washington, agora melhor, carregou a bola sozinho pelo meio e deu um belo passe para Hugo. O meia invadiu a área e foi derrubado por Castillo. Jorge Wagner se apresentou para bater o pênalti e não deu chance para o goleiro do Botafogo, empatado a partida. Após o gol, o Botafogo se destruturou e nove minutos depois acabou sofrendo a virada. André Dias ganhou na raça de Eduardo, pela direita, invadiu a área e rolou para Washington, sozinho, marcar o gol da virada, no último lance do primeiro tempo.

A segunda etapa começou com o São Paulo um pouco mais recuado, apostando na velocidade de Dagoberto e dos alas para armarem os contra-ataques. Porém, foi só quando Ricardo Gomes tirou Washington e colocou Borges, que as jogas começaram a sair. O Botafogo tentava criar com Lucio Flavio e Victor Simões, mas o segundo tempo era todo dos tricolores.

Aos 26 minutos, Dagoberto recebeu lançamento de cabeça, dominou e colocou com categoria por cima de Castillo fazendo o terceiro gol e decretando a vitória do hexacampeão brasileiro. Com dois a menos no placar, o Botafogo sentiu e não conseguiu mais assustar os donos da casa. No finalzinho, Hernanes ainda teve duas oportunidades de ampliar o placar. A primeira passou bem perto e a segunda explodiu na trave.

Na próxima rodada o São Paulo volta a jogar em casa e recebe o Goiás. Já o Botafogo, tem um duelo complicado contra o Atlético Paranaense, que venceu o cruzeiro por 2 a 0 nesta quarta-feira, no Engenhão.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 X 1 BOTAFOGO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 05/08/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Cunha (Asp.Fifa/GO)
Auxiliares: Fabrício Vilarinho (GO) e Cristhian Passos Sorence(GO)
Renda/Público: R$ 423.115,00/ 19.182 pagantes

GOLS: Lucio Flavio, 19’/1°T (0-1); Jorge Wagner, 36’/1°T (1-1); Washington, 45’/1°T (2-1); Dagoberto, 26’/2°T (3-1)

São Paulo: Denis, Renato Silva, André Dias e Miranda; Jean, Hernanes, Richarlyson, Hugo (Júnior César, 23’/2ºT) e Jorge Wagner; Dagoberto (Marlos, 42’/2ºT). e Washington (Borges, 20’/2ºT). Técnico Ricardo Gomes.

Botafogo: Castillo, Wellington (Túlio Souza, 29’/2ºT), Juninho e Eduardo; Alessandro, Leandro Guerreiro, Batista, Renato (Jean Coral, 23’/1ºT), Lucio Flavio e Michael (Léo Silva, 10’/2ºT); Victor Simões. Técnico: Ney Franco.

agosto 6, 2009 Posted by | Botafogo, São Paulo | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo encara Botafogo no duelo da recuperação

Equipe paulista não perda há cinco jogos e time carioca há sete

LANCEPRESS!

O São Paulo recebe o Botafogo nesta quarta-feira, às 21h, no Morumbi, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, no duelo entre os dois times que estão em plena recuperação na competição. O time da casa não perde há cinco jogos e conta com algumas estreias. Enquanto os cariocas não sabem o que é uma derrota há sete partidas.

O time paulista tem alguns reforços importantes para enfrentar o Botafogo. Os dois reforços estrangeiros, o lateral-direito, Adrián González, e o zagueiro Nelson Saavedra, já constam no Boletim Informativo Diário da CBF (BID) e já ficam à disposição de Ricardo Gomes para serem escalados. Além disso, voltam ao time após cumprirem suspensão, Washington (o artilheiro da equipe na temporada), e o zagueiro Miranda. Os desfalques ficam por conta de Bosco, que se recupera de uma contusão no osso da face, e Eduardo Costa, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Desde que Ricardo Gomes assumiu o São Paulo, o time já derrubou algumas escritas importantes. Após quatro meses, o time voltou a vencer fora de casa e derrubou o melhor mandante do Brasileiro em 2009, o Vitória, que não perdia em casa há sete jogos. Se vencer o Botafogo, o time chega a quatro vitórias consecutivas.

– A gente precisa vencer, independentemente desta marca ser inédita ou não. Ainda estamos no prejuízo pelo nosso começo ruim e jogando em casa não tem outro resultado que nos interesse que não seja a vitória – disse o zagueiro capitão.

Para tentar supreender o Tricolor, o técnico Ney Franco escalou a equipe alvinegra em um 3-6-1, promovendo a estreia de Michael na ala esquerda e Thiaguinho na direita. a surpresa ficou por conta da ausência de Reinaldo. O atacante sentiu dores no tornozelo direito e foi vetado. Sem poder contar com André Lima, suspenso, a expectativa era a de que o ataque fosse formado por Victor Simões e Reinaldo.

– O pensamento era começar com Reinaldo. Fomos surpreendidos pelo departamento médico. Conversei com o jogador, nesse momento não posso pedir nada além de paciência. Queria muito utilizá-lo, não posso expor um atleta assim. Já deixei claro que conto com ele. Vencer o São Paulo no Morumbi significa chegar a oito jogos consecutivos somando pontos. E mostrará que temos elenco para brigar lá em cima – disse Ney Franco.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X BOTAFOGO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 05/08/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Cunha (Asp.Fifa/GO)
Auxiliares: Fabrício Vilarinho (GO) e Cristhian Passos Sorence(GO)

São Paulo: Denis, André Dias, Renato Silva e Miranda; Jean (A. González), Hernanes, Richarlyson, Jorge Wagner e Júnior César; Dagoberto e Washington. Técnico Ricardo Gomes.

Botafogo: Castillo, Wellington, Juninho e Eduardo; Thiaguinho, Leandro Guerreiro, Batista, Renato, Lucio Flavio e Michael; Victor Simões. Técnico: Ney Franco

agosto 5, 2009 Posted by | Botafogo, São Paulo | , , , , , , , | 1 Comentário

Na Bahia, Tricolor quer se aproximar da Liberta

Leão usa o Barradão para não se distanciar do G4

LANCEPRESS!

Após vencer o Grêmio, no Morumbi, a confiança tomou conta do São Paulo que agora vai à Bahia e enfrenta o Vitória, que vem de uma goleada, em busca de mais três pontos para se aproximar de vez da do grupo da Libertadores. A arracanda é conhecida do time do Morumbi, no final do primeiro turno em 2008, o time ganhou força, e de forma surpreendente entrou no returno atropelando todos os adversários, até sagrar-se tricampeão Brasileiro.

Para Dagoberto, um dos principais jogadores nessa nova arrancada do Tricolor, o time está ganhando corpo, e se há cinco jogos era especulado sobre uma possível série B, a equipe de Ricardo Gomes respondeu em campo, hoje, em 11º lugar na tabela, com uma ótima sequência, de um empate e três vitórias, está há cinco pontos do G4.

– O São Paulo onde entra é muito forte. Claro que este ano as coisas estão difíceis e esta eequipe é forte e vai em busca dos objetivos – garantiu o atacante.

Além da recuperação de Rogério Ceni e Bosco, para o duelo no Barradão, o São Paulo não contará com dois dos seus principais jogadores nesta temporada. Suspensos, Washington e Miranda não enfrentam o Leão. Ambos devem voltar para o jogo contra o Botafogo, no Morumbi.

O técnico Paulo César Carpegiani terá que lidar com dois desafios antes de encarar o São Paulo: refazer o moral do time do Vitória após a goleada sofrida para o Avaí nesta quinta-feira e montar a equipe, que terá três desfalques. O principal problema para o treinador está na defesa.

– Vamos ter que avaliar a responsabilidade de alguns. Vou ter que tomar medidas porque isso é uma covardia. É um que sai e deixa o peso para os outros dez, depois sai outro e deixa para os nove – disse o treinador, sobre os jogadores expulsos.

O zagueiro Victor Ramos e o volante Uellinton foram expulsos na partida de quinta-feira e estão suspensos. O atacante Roger recebeu o terceiro cartão amarelo e também terá que ficar fora da partida. De qualquer forma, Carpegiani não poderia contar com o atacante contra o São Paulo por causa de uma cláusula contratual do empréstimo do jogador, que o impossibilita de atuar contra seu clube de origem.

Apesar de ter sido substituído no intervalo contra o Avaí, por causa de dores no joelho esquerdo, Apodi amanheceu nesta sexta se sentindo melhor e deve estar em campo contra o São Paulo.

FICHA TÉCNICA
VITÓRIA x SÃO PAULO

Estádio: Barradão, Salvador (BA)
Data/hora: 2/8/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Carlos Jorge Titara da Rocha (AL) e Ivaney Alves de Lima (SE)

VITÓRIA: Viáfara; Anderson Martins, Wallace, Fábio Ferreira;
Apodi, Vanderson, Magal, Leandro Domingues, Leandro; Adriano e Itacaré
Técnico: Paulo César Carpegiani

SÃO PAULO: Denis, André Dias, Renato Silva e Zé Luis (Richarlyson); Jean, Hernanes, Richarlyson (Eduardo Costa), Jorge Wagner e Junior César; Dagoberto e Borges. Técnico: Ricardo Gomes

agosto 1, 2009 Posted by | São Paulo, Vitória | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Dagoberto comanda vitória são-paulina sobre Grêmio

Tricolor paulista supera gaúcho por 2 a 1 no Morumbi, palco de homenagens para Massa e Paulo Autuori

Dagoberto comemora gol na vitória do Sampa sobre o Grêmio (Crédito: Vipcomm)

Dagoberto comemora gol na vitória do Sampa sobre o Grêmio

Com show de Dagoberto, o São Paulo venceu um sonolento Grêmio por 2 a 1, no Morumbi, alcançou os gaúchos, com 21 pontos, e subiu para a 11ª posição no Campeonato Brasileiro, ficando a cinco pontos do G4. Já Souza, Tcheco e Cia., que tem uma vitória a mais do que o Sampa, continuam sem triunfar longe do Olímpico, e caíram para a 10ª posição depois da 15ª rodada.

Com o resultado, os comandados de Ricardo Gomes chegaram pela primeira vez a duas vitórias seguidas, o que não acontecia desde março, no Paulistão.

Antes de a bola rolar, o estádio Cícero Pompeu de Toledo foi palco de homenagens. No placar, a mensagem de incentivo “A nação tricolor torce por sua volta” ao piloto de Fórmula-1 Felipe Massa, que está internado em Budapeste devido ao acidente sofrido no treino classificatório do GP da Hungria, no último final de semana. Os são-paulinos também demonstraram apoio ao brasileiro ao entrarem no gramado com uma camisa especial, com “Força Massa” estampado nas costas. E não parou por aí. Paulo Autuori, técnico dos gaúchos que retornava pela primeira vez à casa dos paulistas, recebeu da diretoria uma camiseta com o número três, em alusão aos tricampeonatos da Libertadores e do Mundial conquistados em 2005.

O São Paulo teve total domínio da primeira etapa. Em uma noite inspiradíssima de Dagoberto, velocíssimo e insinuante, os tricolores se sobressaíram na partida com troca rápida de passes e uma forte marcação logo no campo de ataque, a ponto de o zagueiro Miranda avançar na metade gremista. Já o Grêmio teve Souza pouco animado e um contra-ataque lento liderado por Tcheco e tendo Herrera e Maxi Lópes como avantes. A chance mais clara que os comandados de Autuori teriam foi invalidada erroneamente por Gilson Bento Coutinho ao marcar impedimento de Maxi, que sairia cara a cara com Denis.

Aos dez minutos, Souza lançou Tcheco pela direita, que cruzou para Maxi finalizar para fora. Passados sete minutos, Dagoberto deu mostras de que faria Victor trabalhar. O camisa 25 arriscou chute de fora da área, e a bola passou raspando a trav esquerda gremista. Aos 21, Hernanes deu lindo passe para Dagoberto no costado da zaga adversária, e o atacante completou para rede, de primeira, antes de a bola tocar o chão. Antes do intervalo, Jorge Wagner assustou Victor em cobrança de escanteio, e Dagoberto obrigou o goleiro a fazer ótima defesa em cabeçada.

Na volta para segunda etapa, o São Paulo não deu nem chances para o Grêmio reagir. No primeiro minuto, Dagoberto tabelou com Jorge Wagner, e fez seu terceiro gol no campeonato nacional ao aproveitar falha de Réver, minando assim as esperanças do rival, que havia promovido a entrada de Jonas no lugar do apagado Herrera. Os gaúchos reclamaram de posição irregular de Borges, que, em impedimento, esboçou participar da jogada.

Soberando na partida, o Sampa assustou o Tricolor gaúcho em pancada de Richarlyson de fora de área e em arrancada de Miranda desde a defesa até a intermediária gaúcha. O zagueiro deixou Borges tocou para Borges livre na área, mas o atacante finalizou fora. A 11 minutos do fim, Tcheco diminuiu para o Grêmio em cobrança de pênalti, cometido por Miranda em cima de Jonas.

Depois do tento, os visitantes buscaram o empate, mas Denis e erros de arremate impediram a igualdade no Morumbi.

O próximo compromisso do Grêmio é com o Cruzeiro, às 18h30 de domingo, no Olímpico, e o São Paulo pega o Vitória às 16h, no Barradão.


FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 x 1 GRÊMIO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 30/7/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa/ PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Moisés Aparecido de Souza (PR)
Renda/público: R$ 295.745/ 13.323 pagantes
Cartões amarelos: Miranda, Jorge Wagner e Borges (SPO).
Cartões vermelhos: não houve
GOL: Dagoberto aos 21’/1ºT (1-0) e a 1’/2ºT (2-0); Tcheco 34’/2ºT (2-1)

SÃO PAULO: Denis; Renato Silva, André Dias, Miranda; Jean, Hernanes (Eduardo Costa 36’/2ºT), Richarlyson, Jorge Wagner e Junior Cesar; Dagoberto (Marlos 37’/2ºT) e Borges. Técnico: Ricardo Gomes.

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes (Rafael Marques 34’/2ºT), Leo, Réver e Fábio Santos ; Adilson (Douglas Costa 16’/2ºT), Túlio, Tcheco e Souza; Herrera (Jonas/intervalo) e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

julho 31, 2009 Posted by | Grêmio, São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Sampa busca emplacar sequência contra o Grêmio

Com ex-são paulinos, Tricolor quer acabar com jejum fora de casa

LANCEPRESS!

O São Paulo busca emplacar uma boa sequência neste Brasileiro e arrancar de vez para a meta que Ricardo Gomes estabeleceu logo ao chegar: estar entre os primeiros na virada para o segundo turno. O adversário da vez, nesta quinta-feira às 21h, no Morumbi, é o Grêmio, que atualmente busca uma das vagas no G4 do Nacional.

Atualmente o Tricolor está a 13 pontos do líder Palmeiras e contra os gaúchos vai encarar antigos conhecidos dos são-paulinos, fato que pode dificultar o avanço do Sampa nesta rodada.

O técnico Paulo Autuori, o meia Souza e o lateral Fábio Santos, hoje titulares na equipe gaúcha, são personagens importantes na história do São Paulo. Para Richarlyson, os ex-jogadores do clube podem entrar em campo, com uma vontade a mais e isso pode complicar para o Tricolor, porém, o que mais preocupa é o estilo de jogo do Grêmio, considerado um time brigador

– Isso é um dos complicadores, jogadores que já atuaram por um clube quando jogam contra querem mostrar que podem voltar ao time. O mais dificil é enfrentar a equipe do Grêmio quem vem vindo numa boa sequência, é muito bem formada pelo Autuori. Mas antes de pensar nos ex-são paulinos que atuam lá, temos que pensar no time num todo – disse o camisa 20.

Além dos lesionados Bosco e Rogério Ceni, o São Paulo conta com mais um desfalque importante para duelo contra o Grêmio. Washington, atual artilheiro do time na temporada, não joga, por estar suspenso. Para o lugar do camisa 9, Borges volta à equipe e formará dupla ao lado de Dagoberto.

O zagueiro André Dias, que sofreu um edema na coxa direita, foi relacionado para o jogo, mas segue como dúvida na zaga. Se ele não jogar, Zé Luís será improvisado no setor.

O Grêmio vai completo para o desafio de vencer pela primeira vez fora de casa: o zagueiro Réver, o lateral-esquerdo Fábio Santos e o atacante Maxi López voltam depois de cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O otimismo em relação ao fim da escrita – são cinco derrotas e um empate em seis jogos como visitante – cresce com a lembrança de que o time marcou seus melhores desempenhos contra adversários fortes: a goleada de 3 a 0 sobre o Corinthians e a vitória no Gre-Nal.

Em contrapartida, a pior atuação, segundo o técnico Paulo Autuori, aconteceu na semana passada em Florianópolis, a derrota de 1 a 0 para o Avaí.

– Não podemos atuar bem só contra os grandes, mas esse problema a gente adia para mais tarde, pois será importante vencer no Morumbi – disse o treinador.

Autuori pediu um atacante de velocidade, para explorar os contra-ataques em jogos fora, mas não recebeu. O volante Túlio acha, porém, que é possível começar a vencer no estilo em que a equipe atua – compacta, avançando em toques de bola.

— Além disso, é possível armar contragolpes rápidos mesmo sem ter esse atacante veloz. Fizemos isso no primeiro tempo contra o Coritiba, nossa melhor performance como visitantes – lembra Túlio. (O Grêmio largou na frente, naquela partida, mas tomou a virada).

Três titulares importantes do meio-de-campo entrarão pendurados: Túlio, Souza e Tcheco. Mas ninguém vai se preservar para o jogo de domingo, contra o Cruzeiro, no Olímpico.

— Quero todos se esforçando no limite – avisa Autuori. Afinal, o desafio é conquistar a primeira vitória longe do Olímpico.


FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO x GRÊMIO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 30/7/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa/ PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Moisés Aparecido de Souza (PR)


SÃO PAULO: Denis, Zé Luis (André Dias), Renato Silva e Miranda; Jean, Hernanes, Richarlyson, Marlos (Jorge Wagner) e Júnior César; Dagoberto e Borges. Técnico: Ricardo Gomes

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Leo, Réver e Fábio Santos ; Adilson, Túlio, Tcheco e Souza; Herrera e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori

julho 30, 2009 Posted by | Grêmio, São Paulo | , , , , , , , | Deixe um comentário

Náutico é sinônimo de superação para Hernanes

Em momento de desconfiança, volante marcou e pontuou a arrancada tricolor rumo ao título de 2008

LANCEPRESS!

Contra o Náutico, neste sábado às 16h10, no Morumbi, Hernanes vai ter a oportunidade de reviver um jogo muito importante na sua carreira. No segundo turno do Brasileiro de 2008, o São Paulo conseguiu uma vitória suada contra o time de Recife, com um gol do volante no finalzinho do jogo.

A vitória sobre o time da cidade natal do camisa 10, foi de suma importância para a arrancada do São Paulo rumo ao tricampeonato. A vitória por 1 a 0, no Morumbi, aproximou o Tricolor quatro pontos do então líder, Grêmio, e o aproximou dois pontos do próximo adversário na tabela, o Palmeiras, que estava em terceira posição.

– Eu estava pensando em relação a esse jogo. Aquela partida foi muito especial pra mim e enfrento o Náutico mais uma vez em um momento de confiança na minha vida. Estou tranquilo e se tiver mais uma chance pra jogar acredito que será um verdadeiro recomeço pra mim – alegou o jogador.

Agora, em momento do recomeço para o time, com a confiança do novo técnico, que fez questão de ressaltar a prioridade em manter o volante no time, Hernanes, tem novamente a oportunidade de chamar a responsabilidade e levantar a moral do Sampa na temporada 2009.

Além da volta de Hernanes, Ricardo Gomes manteve Richarlyson no time, e com a ausência de André Dias (suspenso) a dupla de zaga será formada por Jean Rolt e Renato Silva, além de deixar no banco o jogador que mais tempo atuou no Tricolor na temporada 2009: Jean

No Náutico, o treinador Márcio Bittencourt quer encerrar a má fase, que já dura três rodadas com três derrotas. Mas a missão não é nada fácil: vencer o São Paulo no Morumbi. O intento pode parecer impossível, mas não é o que os jogadores alvirrubros demonstraram durante toda a semana.

– Sabemos o quanto é difícil jogar fora de casa, mas o São Paulo não está numa fase tão boa assim. Nada no futebol é impossível e poderemos surpreender fora dos Aflitos – apostou o atacante Carlinhos Bala.

O discurso de Bala resume a opinião do grupo, mas o mesmo não poderá atuar nesta partida, porque estar suspenso. Outro que ficará de fora é o zagueiro Vagner, que sofreu uma lesão na coxa esquerda. Sendo assim, o volante Galiardo jogará improvisado em seu lugar. Asprilla e Gladstone serão seus colegas de posição.

FICHA TÉCNICA

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 27/06/09 – 16h10 (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Jesmar Benedito Miranda de Paula e Cristhian Passos Sorence (GO)

SÃO PAULO: Denis, Zé Luis, Jean Rolt, Renato Silva e Junior César; Eduardo Costa, Hernanes,Richarlyson e Marlos; Borges e Washington. Técnico: Ricardo Gomes

NÁUTICO: Eduardo, Galiardo, Gladstone e Asprilla; Sidny, Derley, Johnny, Aílton e Anderson Santana; Gilmar e Márcio Barros. Técnico: Márcio Bittencourt.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

junho 27, 2009 Posted by | Náutico, São Paulo | , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo e Cruzeiro fazem ‘o jogo do ano’

Equipes se enfrentam nesta quinta-feira pela Copa Libertadores

LANCEPRESS!

Chegou a hora da decisão. Dos dois lados, os jogadores afirmaram ser este o confronto do ano. O atacante Kléber, um dos protagonistas do duelo, foi além e chegou a dizer que seria o jogo da sua vida. É com este clima que São Paulo e Cruzeiro se enfrentam nesta quinta-feira, às 22h, no Morumbi, pela segunda partida das quartas-de-final da Libertadores e só um dos dois seguirá brigando pelo título.

No primeiro confronto a Raposa venceu por 2 a 1, no Mineirão, e tem a vantagem do empate para avançar as semifinais da competição. Uma vitória por 1 a 0 dá a vaga aos paulistas.

O São Paulo conta com a volta de Hugo, que sentia dores no joelho esquerdo, e Renato Silva, com dores na coxa direita. O zagueiro deve formar a defesa com André Dias e Hugo deve ficar no banco como opção.

Renato Silva alerta e dá a receita para o Sampa triunfar diante do Cruzeiro no Morumbi: o time de Muricy Ramalho tem de ficar atento a bola parada e a qualidade técnica da equipe Celeste, pois são os fatores que mais preocupam o jogador.

– O importante é não sofrer gol, porque pelo menos um eu tenho certeza de que a gente vai fazer. Devemos ter atenção às bolas paradas, que eles são forte e marcaram assim no Mineirão. Além disso, não adianta sermos afobados. Temos 90 minutos para vencer o jogo – disse o jogador

Do lado celeste do confronto, Adilson Batista, como de costume, não quis dar nenhuma pista do time que começará jogando nesta quinta-feira.

A equipe se preparou para o confronto em Atibaia, interior paulista, já que enfrentou o Palmeiras no Palestra Itália no último fim de semana.

Certo é que, da derrota de domingo para o jogo da Libertadores, o Cruzeiro entrará com uma equipe mais forte em campo no Morumbi. Defesa, meio-de-campo e ataque serão reforçados com jogadores que foram desfalques no fim de semana.

Nas duas laterais, novos titulares: Jonathan e Gerson Magrão. No meio-de-campo, Fabrício e Wagner, peças chave no setor, recuperaram-se de uma fadiga muscular e devem começar como titulares. E no ataque, o reforço mais importante. Suspenso contra o Palmeiras, Kléber está de volta na linha de frente celeste.

Kléber, inclusive, tem demonstrado uma motivação fora do comum para a partida.

– Em nenhum dos dois jogos contra o São Paulo neste ano eu fiz gol. Contra o Inter, eu fui expulso logo no início, não fiquei muito tempo no jogo. Contra o Palmeiras eu fiquei fora. Então, estou com uma saudade muito grande de fazer gol. Espero, nesta quinta-feira, poder ajudar e marcar gol – declarou o Gladiador, que já jogou sete vezes contra o Tricolor Paulista e já marcou dois gols, ambos em 2008.

APRESENTAÇÃO:

FICHA TÉCNICA:
São Paulo x Cruzeiro

Estádio: Morumbi, São Paulo
Data/hora: 18/6/2009 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Sergio Pezzoto (ARG)
Auxiliares: Roberto Reta (ARG) e Diego Romero (ARG)

SÃO PAULO: Denis, Zé Luis, André Dias, Renato Silva, Junior Cesar; Jean, Eduardo Costa, Hernanes e Marlos; Washington e Borges. Técnico: Muricy Ramalho

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Leonardo Silva, Léo Fortunato e Gerson Magrão;
Fabrício, Marquinhos Paraná, Henrique e Wagner; Kléber e Wellington
Paulista. Técnico: Adilson Batista

junho 18, 2009 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | , , , , , , , , , | 1 Comentário

São Paulo e Santo André ficam no 1 a 1 no Morumbi

Em noite inspirada de Marcelinho Carioca, Borges salva o São Paulo e garante o empate

Marcelinho fez uma ótima partida (Crédito: Reginaldo Castro)

Marcelinho fez uma ótima partida

Em noite inspirada de Marcelinho Carioca, Borges salvou o Tricolor e garantiu o empate em um a um entre São Paulo e Santo André, no Morumbi.

Muricy Ramalho armou sua equipe no 4-4-2, com Jean e Richarlyson jogando nas laterais. O tricolor começou bem, e parecia que iria continuar assim. Restrito às boas jogadas armadas por Marlos, o São Paulo quase não saiu do seu campo de ataque durante os dez minutos iniciais da partida.

Por outro lado o Santo André estava com uma equipe bem arrumada, principalmente no meio-campo, e soube esperar o momento certo para contra atacar a equipe do Morumbi. Aos 16 minutos de jogo, o Ramalhão só não abriu o placar no chute de Antônio Flávio graças à grande defesa de Denis.

Quem comandava o meio campo do Ramalhão era Marcelinho Carioca, velho conhecido da torcida tricolor. O meia não marcava um gol no São Paulo há seis anos, e neste sábado, retornou de suspensão para quebrar esta escrita. Depois de bela jogada do Santo André pela direita, Marcelinho acertou um belo chute de primeira e abriu o placar.

Marcelinho anotou seu 12º gol contra o São Paulo em sua carreira. O ex-corintiano queria mais. Um escanteio cobrado com muito veneno quase surpreendeu o goleiro Denis. Ainda no primeiro tempo, Carioca acertou a trave em uma cobrança de falta, sua especialidade.

Já o São Paulo seguia sem encontrar uma maneira de passar pela defesa do Santo André. Hernanes mais uma vez teve uma participação apagada, longe das exibições que o fizeram receber o título de craque do Campeonato Brasileiro no último ano. Borges era o homem tricolor que mais buscava jogo. O atacante demonstrava vontade e acertou duas bolas na trave.

De tanto insistir, Borges foi recompensado. Mais uma vez o atacante salvou o tricolor paulista. Depois de Washington disputar a bola no ataque, Borges apareceu rapidamente e fuzilou Neneca, era o empate do São Paulo.

O São Paulo volta à campo na próxima quinta-feira no Morumbi, quando enfrenta o Cruzeiro pela Libertadores. Já o Santo André receberá o Sport no sábado, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.


FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 1 X 1 SANTO ANDRÉ

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 13/6/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Auxiliares: João Bourgalber Nobre Chaves (SP) e Giovani Cesar Canzian (SP)
Renda/público: R$ 250.427,00 / 8.995 pagantes
Cartões amarelos: Jean, André Dias, Borges (SAO); Élvis, Cesinha, Fernando, Marcelinho Carioca e Escobar (STA)
GOLS: Marcelinho 27’/1ºT (0-1) e Borges 38’/2ºT (1-1)

SÃO PAULO: Denis; Jean (Dagoberto, 16’/2ºT), Jean Rolt (Arouca, 31/2ºT), André Dias e Richarlyson; Eduardo Costa, Hernanes, Marlos e Jorge Wagner (Junior Cesar, INT); Borges e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

SANTO ANDRÉ: Neneca; Cicinho, Cesinha, Marcel e Arthur; Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca (Rodrigo Fabri 45’/2ºT) e Élvis; Pablo Escobar (Rodriguinho 47’/2ºT) e Antônio Flávio (Dionísio 35’/2ºT). Técnico: Sérgio Guedes

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

junho 14, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , | Deixe um comentário

Revanche e tabu em jogo no Morumbi

São Paulo não vence o Santo André há quatro anos. Na última partida, 2 a 0 pelo Paulistão 2009

Empatados com seis pontos, equipes querem voltar a soma três pontos no Campeonato Brasileiro (Créditos: Ricardo Araújo)

Empatados com seis pontos, equipes querem voltar a soma três pontos no Campeonato Brasileiro (Créditos: Ricardo Araújo)

LANCEPRESS!

Após o empate de 0 a 0 diante o Avaí, na última rodada do Campeonato Brasileiro, o São Paulo vê no jogo diante o Santo André, amanhã, às 18h30, no Morumbi, a chance de melhorar sua posição na competição, por fim a um incômodo tabu e, principalmente, chegar fortalecido para o confronto decisivo contra o Cruzeiro, pela Copa Libertadores.

Apesar do 14º lugar na classificação do Brasileirão, a equipe do Grande ABC chega para a partida com um favorável retrospecto. Há quatro anos o Santo André não sabe o que é perder para o São Paulo, atual 12º colocado. A última vitória do Tricolor aconteceu em 2005, no Campeonato Paulista. Desde então, o Ramalhão soma duas vitórias e um empate nos duelos contra o atual tricampeão brasileiro.

Pelo Paulistão deste ano, a equipe liderada pelo ex-corintiano Marcelinho Carioca novamente aprontou para cima de Rogéria Ceni e companhia. Além de perder o confronto por 2 a 0 em pleno Morumbi, a derrota também custou a perda da invencibilidade são-paulina de 22 jogos, que durava desde o Brasileirão de 2008. Para o meio-campista Hernanes, a conquista dos três pontos contra o Santo André é fundamental.

– Eles [Santo André] vieram aqui, meteram duas tacas [gols] e trouxeram problemas pra gente. Vai ser um jogo bom porque a equipe está se encontrando de novo e uma vitória vai nos deixar fortalecidos para o jogo contra o Cruzeiro – ressaltou o camisa 10 tricolor.

Empatados com os mesmos seis pontos no Campeonato Brasileiro (ambos com uma vitória, três empates e uma derrota), os dois times têm desfalques importantes para o jogo. A equipe de Muricy Ramalho não poderá contar com o lateral Zé Luis, suspenso. A novidade fica por conta do provável retorno de Eduardo Costa.

Já o técnico Sérgio Guedes tem duas grandes baixas. São elas: o lateral-esquerdo Gustavo Nery, submetido a uma artroscopia no joelho esquerdo, e o atacante Nunes, suspenso. Em compensação, o boliviano Pablo Escobar, que defendeu sua seleção nas Eliminatórias para a Copa do Mundo 2010, e Marcelinho Carioca, após cumprir suspensão na última rodada contra o Santos, retornam ao time.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO X SANTO ANDRÉ

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 13/6/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Auxiliares: João Bourgalber Nobre Chaves (SP) e Giovani Cesar Canzian (SP)

SÃO PAULO: Denis; Arouca, Jean Rolt, André Dias e Junior Cesar; Jean, Eduardo Costa, Hernanes e Marlos; Borges e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

SANTO ANDRÉ: Neneca; Cicinho, Cesinha, Marcel e Arthur; Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca e Élvis; Pablo Escobar e Antônio Flávio. Técnico: Sérgio Guedes

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

junho 13, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Denis focado no jogo contra o Santo André

Idéia é pensar apenas no Brasileiro, por enquanto. Confira

Preocupado com Marcelinho Carioca, Denis quer manter o bom desempenho contra o Santo André (Foto: Tom Dib)

Preocupado com Marcelinho Carioca, Denis quer manter o bom desempenho contra o Santo André (Foto: Tom Dib)

LANCEPRESS!

Focado para a partida diante o Santo André, neste sábado, às 18h30, no Morumbi, o goleiro Denis rechaçou que o atual pensamento da equipe seja o confronto contra o Cruzeiro, na próxima quinta-feira (18), pela Copa Libertadores.

– A gente tem de pensar jogo a jogo. O próximo é o Santo André. Se ficarmos só pensando no Cruzeiro tenho certeza de que não faremos um bom jogo e não conquistaremos o resultado – explicou o camisa 12.

Se a equipe do Grande ABC é o principal foco de Denis, consequentemente as bolas paradas de Marcelinho Carioca, principal jogador do Ramalhão, também preocupam o goleiro.

– Sempre preocupa, ele é um jogador que bate bem na bola. Mas eu venho treinando forte durante a semana para estar bem preparado – ressaltou.

Prestes a viver novamente à sombra de Bosco, que deixou o Reffis na manhã desta sexta-feira e fez um treino leve no CT da Barra Funda, Denis tem demonstrado tranquilidade quanto o seu desempenho de suprir a ausência de Rogério Ceni.

– O Bosco tem o espaço dele, eu torço para que ele volte o mais rápido possível. Eu fiz a minha parte, o meu papel, fui muito feliz de ter entrado e aproveitado a oportunidade. Tenho de fazer o meu trabalho no treinamento – finalizou o goleiro.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

junho 13, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Washington faz 100º gol e pode superar Adriano

Atacante está prestes a alcançar média do Imperador no Sampa

Contra o Cruzeiro, Washington comemorou o primeiro golo da vitória por 3 a 0 (Crédito: Tom Dib)

Contra o Cruzeiro, Washington comemorou o primeiro golo da vitória por 3 a 0

LANCEPRESS!

O gol que Washington fez contra o Cruzeiro, no último domingo, no Morumbi, não só foi importante para abrir o caminho para a goleada por 3 a 0 do São Paulo. O Coração Valente chegou a marca de cem gols em Brasileirões, contando os cinco clubes que atuou.

Foram 34 pela Ponte Preta, o mesmo número pelo Atlético-PR, dez pelo Paraná, 21 pelo Fluminense e agora um pelo São Paulo. Foi a quarta partida do atacante com a camisa do Tricolor no Nacional.

– Entrar para a história com cem gols é sempre importante. Foi um gol que ajudou o time vencer o Cruzeiro e espero que assim continue – analisou Washington.

Com 16 gols na temporada em 27 partidas, o camisa 9 são-paulino também está próximo de alcançar a marca de Adriano em 2008. O Imperador balançou 17 vezes as redes adversárias em 28 jogos. Washington pode, no mínimo, igualar o atacante do ano passado.

O próximo confronto do São Paulo é contra o Avaí, na Ressacada, às 16h, pela quinta rodada do Brasileirão.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

junho 1, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , | Deixe um comentário

Na volta de Borges, Tricolor dá troco na Raposa em prévia da Libertadores

Atacante faz o segundo gol no triunfo de 3 a 0, primeiro do São Paulo no Brasileiro. Dia 17, times jogam pelo torneio continental


Borges, atacante do São Paulo

Borges esperneou contra a reserva e abriu polêmica com o técnico Muricy Ramalho por uma vaga de titular no São Paulo. Pelo menos neste domingo, o atacante apresentou seus argumentos. Com um gol dele e outros de Washington e Dagoberto, o Tricolor derrotou o Cruzeiro por 3 a 0, no Morumbi, vingou-se da derrota na semana passada e obteve a primeira vitória no Campeonato Brasileiro.

O placar, aliás, classificaria o São Paulo para as semifinais caso a partida valesse pela Taça Libertadores. No primeiro duelo, em Belo Horizonte, os mineiros venceram por 2 a 1. O segundo jogo está marcado para o dia 17 de junho, às 21h50m, novamente no Morumbi.

Pelo Brasileirão, o primeiro triunfo após quatro rodadas põe o Tricolor na nona colocação, com cinco pontos. O time dirigido por Muricy Ramalho não vencia há quatro jogos, desde o 2 a 1 diante do América de Cali, pela última rodada da primeira fase da Libertadores. Já a Raposa cai para oitavo, com seis.

Assista os Golls da Partida:

Na próxima rodada, o São Paulo pega o Avaí, domingo, às 16h, na Ressacada, em Florianópolis. O Cruzeiro encara o Internacional, no mesmo dia, às 18h30m, no Mineirão.

Tricolor abre boa vantagem no primeiro tempo

O São Paulo foi a campo com três novidades que mexeram bastante na estrutura da equipe. Hernanes, Dagoberto e Jorge Wagner ficaram no banco de reservas para as entradas de Junior Cesar, Marlos e Borges, que havia reclamado da reserva após a derrota para o mesmo Cruzeiro, quarta-feira passada, em Belo Horizonte.

Mesmo sem encantar, o Tricolor não demorou a abrir o placar em um lance curioso, aos 12 minutos. Miranda deu um chutão da defesa para o ataque. Washington desviou de cabeça, a bola subiu e foi em direção ao gol de Fábio. Ainda pelo alto, a defesa não conseguiu cortar corretamente, e o Coração Valente testou no canto direito: 1 a 0.

O Cruzeiro quase empatou no lance seguinte. Após cruzamento da esquerda de Wellington Paulista, Denis não saiu, e a bola sobrou na segunda trave para Gerson Magrão. Livre de marcação na pequena área, o lateral-esquerdo tocou de primeira, mas acertou a trave, assustando os mais de 51 mil torcedores presentes ao Morumbi.

Contratado para resolver os problemas de armação no meio-de-campo do São Paulo, Marlos começou a aparecer aos 27. De fora da área, arriscou e obrigou Fábio a fazer ótima defesa, espalmando para escanteio. Aos 32, fez linda jogada pela direita e rolou para Zé Luis na linha de fundo. O ala cruzou rasteiro e Borges apareceu em velocidade para fazer o segundo. Festa do atacante, que vibrou muito, deu a famosa cambalhota e arrancou da torcida os gritos de “Bor-ges!”.

Mais uma vez o Cruzeiro teve a oportunidade de marcar logo em seguida ao gol tricolor. Aos 36, Kléber avançou pela direita e cruzou rasteiro. Ramires furou na tentativa do calcanhar e a bola cruzou toda a pequena área. Wellington Paulista também não desviou.

Dagoberto fecha a conta no Morumbi

No segundo tempo, o técnico Adilson Batista sacou Gerson Magrão para a entrada de Athirson. Mas foi o São Paulo que assustou logo aos dois minutos. Zé Luis cruzou da direita para Borges na área. Sem marcação, o atacante bateu forte, e Fábio fez ótima defesa. Aos três, foi a vez de Ramires. Ele chutou de fora da área, e Denis defendeu.

Com a boa vantagem no placar, o São Paulo passou a administrar jogando nos contra-ataques. Como aliada, o Tricolor pôde contar com a chuva que caiu sobre o Morumbi na etapa final. Com o gramado mais pesado, o Cruzeiro sofreu para tocar a bola. Zé Carlos, herói da Raposa no duelo de quarta-feira, entrou no lugar de Wellington Paulista, mas nada fez.

Para ganhar velocidade, Muricy Ramalho sacou Washington e colocou Dagoberto. Logo no primeiro lance, o atacante perdeu boa chance. Ele partiu rápido pela direita, cortou para o meio e soltou a bomba, mas sem direção, enquanto Borges e Marlos esperavam passe na área.

Mas, na segunda oportunidade, Dagoberto não desperdiçou. Após lançamento do goleiro Denis, o atacante recebeu a bola na direita da área e chutou forte e cruzado, sem chances para Fábio. Festa no Morumbi e sonho em repetir a dose pela Libertadores.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 X 0 CRUZEIRO

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 31/05/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman – PR(FIFA)
Auxiliares: Márcia Bezerra Lopes Caetano/RO(FIFA) e Gilson Bento Coutinho/PR
Cartões Amarelos: Miranda E Zé Luís (SAO); Wellington Paulista, Henrique e Ramires (CRU).

GOLS: Washington, aos 11’/1oT (1-0); Borges, aos 32’/1oT (2-0) e Dagoberto, aos 33’/2oT (3-0).

SÃO PAULO: Dênis; Renato Silva, André Dias e Miranda; Zé Luís, Jean, Eduardo Costa, Marlos (Hernanes, aos 33’/2ºT) e Júnior César; Borges e Washington (Dagoberto, aos 26’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

CRUZEIRO: Fábio; Jonathan, Léo Fortunato, Thiago Heleno e Gérson Magrão (Athirson, no intervalo) (Eli Carlos, aos 28’/2ºT) ; Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná e Ramires; Wellington Paulista (Zé Carlos, aos 20’/2ºT), e Kléber. Técnico: Adílson Batista

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)


maio 31, 2009 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Washington e Borges: Sedentos por gols

Se marcarem contra o Cruzeiro, atacantes alcançam marcas pessoais. Disputa também por vaga no time

Além de ser um fator importante na luta por uma vaga no competitivo ataque do São Paulo, Washington e o insatisfeito Borges terão um aperitivo a mais para marcar contra o Cruzeiro, neste domingo, às 16h, no Morumbi, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Se marcarem pelo menos um tento contra a equipe mineira, os dois atacantes alcançarão marcas significativas pelo Tricolor.

Washington, titular absoluto da equipe de Muricy, vem tentando, desde a partida contra o Fluminense, na primeira rodada, o seu centésimo gol na competição nacional. Já Borges, reserva na última partida contra o Cruzeiro, e vencedor dos últimos dois brasileiros com o Sampa, busca seu gol de número 50 com a camisa do clube.

O camisa 9 do São Paulo marcou 99 gols no Brasileirão por cinco clubes diferentes: Paraná (dez, em 1999), Ponte Preta (16 e 18, em 2000 e 2001, respectivamente), Atlético-PR (34 em 2004) e Fluminense (21, em 2008). Nas duas últimas edições do torneio que ele participou, ele terminou como o artilheiro. Em 2004, O Coração Valente bateu o recorde. É o jogador que mais fez gols em uma só edição do Brasileiro.

– Para mim esta marca seria muito importante, ainda mais por se tratar de um campeonato tão disputado como este – comentou o camisa 9 tricolor, antes da estreia no Brasileirão deste ano.

Washington foi o autor do gol são-paulino na derrota de 2 a 1 para o Cruzeiro, pelas quartas-de-final da Libertadores, na última quarta-feira. Ele acabou com um jejum de sete jogos sem marcar, seu maior desde que chegou ao Morumbi. O atacante é o artilheiro do São Paulo no ano, com 15 gols marcados, seguido por Borges.

O mesmo Borges que foi o artilheiro do Tricolor nas duas últimas temporadas, mas que, este ano, tem seu posto ameaçado por um ‘estreante’ no clube. O camisa 17 é o artilheiro da equipe na Libertadores. Amparado pelos números, o jogador desabafou nesta semana, após ficar no banco de reservas no duelo decisivo contra o Cruzeiro, pela competição sul-americana.

– Onde eu ando na rua, todo mundo fica perguntando por que eu não sou titular. Estou bem, não estou com problema. Não posso ser cara-de-pau de falar que fiquei feliz de não Ter jogado, porque sou o artilheiro na Libertadores e na última partida marquei gol. Mas é o Muricy que escala e não tem de dar satisfação – declarou Borges, logo após a partida no Mineirão.

Vale lembrar que, na Libertadores, todos os gols da equipe de Muricy foram marcados por atacantes. Além dos cinco de Borges, Washington marcou três, Dagoberto, dois, e André Lima, um.

Em contrapartida, o São Paulo não tem um jogador na briga pela artilharia do Brasileirão, competição que venceu as últimas três edições, desde 2002, quando Luís Fabiano foi o maior goleador. Com disputa acirrada por posição, e com marcas a alcançar, o ataque do São Paulo vai com tudo pra cima do Cruzeiro. Pior para Fábio, goleiro da equipe mineiro.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 30, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Choque-Rei movimenta início de Brasileirão

Palmeiras quer quebrar pequeno tabu, e São Paulo a reabilitação após tropeços nos primeiros jogos

Clássico paulista movimenta terceira rodada do Brasileirão (Crédito: Allex Ximenez)

Clássico paulista movimenta terceira rodada do Brasileirão (Crédito: Allex Ximenez)

LANCEPRESS!

O Choque-Rei deste domingo, no Palestra Itália, pela terceira rodada do Brasileirão, é movido pela vontade dos times de voltar a triunfar na temporada. Do lado do Palmeiras, a equipe quer vencer sob os olhares da torcida após um desempenho ruim e derrota para o time misto do Inter no último domingo, no Beira Rio. Já o São Paulo, que vem de empate com o Atlético-PR, no Morumbi, busca sua primeira vitória na competição.

O Verdão recebe o Tricolor e tenta se aproveitar da pouca experiência do goleiro Denis, que substituirá Bosco, para quebrar um pequeno e indigesto tabu para os torcedores palmeirenses: a última vez em que o Alviverde superou o Tricolor no Campeonato Brasileiro foi em 2006 (3 a 1, em Presidente Prudente). De lá para cá foram quatro partidas entre os rivais pela competição: duas vitórias dos comandados de Muricy e dois empates.

No retrospecto geral, a última vez em que o Palmeiras bateu o São Paulo em casa foi na semifinal do Paulistão do ano passado, no polêmico jogo do ‘gás’ – no intervalo do jogo, jogadores do São Paulo reclamaram da existência de um gás no vestiário do visitante. No único duelo de 2009, Washington fez o gol da vitória do clube do Morumbi e os são-paulinos deixaram os rivais sem balançar a rede pela primeira oportunidade no ano.

Com os desfalques de Pierre, suspenso por cartão vermelho no jogo de Porto Alegre, Willians, em fase final de recuperação de lesão no púbis, além de Edmílson, que reiniciou os trabalhos físicos nesta semana depois da cirurgia em abril, Vanderlei Luxemburgo deve escalar Jumar e Souza como volantes, assim como fez no último treino antes do clássico, e adiantar Diego Souza para ficar mais próximo de Keirrison no ataque.

Das muitas ausências do São Paulo, André Dias, Dagoberto e Jean treinaram normalmente neste sábado pela manhã. O zagueiro e o volante ainda não estão confirmados no time, mas o atacante formará a dupla de ataque ao lado de Washington, já que Borges ainda está afastado pelo departamento médico em função da pancada que levou na cabeça no jogo contra o Atlético-PR.

Palmeiras x São Paulo

Estádio Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data: 24/05/2009 às 16:00
Árbitro: Rodrigo Braghetto
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)

Palmeiras: Marcos, Maurício Ramos, Danilo e Marcão; Fabinho Capixaba, Jumar (Mozart), Souza, Cleiton Xavier e Armero; Diego Souza e Keirrison. Técnico : Vanderlei Luxemburgo.

São Paulo: Denis, Zé Luis, Miranda, Richarlyson (André Dias) , Jorge Wagner, Eduardo Costa (Jean) e Arouca; Hernanes, Hugo, Dagoberto e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Palmeiras, São Paulo | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

André Lima salva o São Paulo no fim

Furacão esteve sempre a frente, mas cedeu o empate. Atacante salvou mau atuação do Sampa

Duelo entre São Paulo e Atlético-PR acaba empatado no Morumbi (Crédito: Reginaldo Castro)

Duelo entre São Paulo e Atlético-PR acaba empatado no Morumbi (Crédito: Reginaldo Castro)

Quando parecia que o São Paulo perderia a quinta partida em seis jogos, o atacante André Lima, quem diria, em posição duvidosa, salvou a equipe. O jogador fez o seu sexto gol com a camisa do Tricolor, que empatou em 2 a 2, com o Atlético-PR, neste domingo, no Morumbi.

O zagueiro Rafael Santos fez os dois gols do Furacão e, não fosse André Lima, teria saído do Morumbi como herói. O Sampa continua sem perder para o Atlético dentro de casa, fato que não acontece desde 1983.

Com muitos desfalques, sete ao todo, Muricy teve de improvisar e mandou a campo uma equipe diferente do que o torcedor está acostumado a ver. Richarlyson voltou a atuar como terceiro zagueiro, ao lado de Miranda e Zé Luis, que retornou. O treinador também sacou Júnior César e escalou Eduardo Costa a frente da defesa.

Mas as novidades pararam por aí. Em campo, o torcedor são-paulino viu novamente um time sem criatividade, previsível e que apelava para as jogadas áreas. Aos 20 minutos, Hugo resolveu destoar e colocou Borges na cara do gol. O atacante se atrapalhou e chutou em cima do goleiro Gallato. Borges teve mais uma boa chance depois, mas mandou por cima.

O Atlético se aproveitou da falta de qualidade do adversário e foi pra cima, quase sempre em contra-ataques. Numa cobrança de escanteio, a bola sobrou para Rafael Santos que, de bico, abriu o placar.

Com o gol sofrido, o São Paulo passou a tomar mais a iniciativa mas não conseguia êxito. No começo do segundo tempo, porém, Borges empatou e a equipe parecia que reagiria. Mas o mau futebol continuou.

Aos 29, em nova cobrança de escanteio, Rafael Santos subiu mais do que a zaga e de novo colocou o Furacão na frente. O São Paulo passou a ir pra cima na base do desespero e a derrota parecia iminente.

Mas, aos 43 minutos, dois após sua entrada, André Lima aproveitou cruzamento de Hugo e, sozinho, mandou empurrou paras as redes. Foi o quarto gol do atacante em posição duvidosa desde que chegou ao Tricolor – dois contra o Vasco, ano passado pelo Campeonato Brasileiro, e um este ano, contra o São Caetano, pelo Paulistão.

No próximo domingo, o São Paulo encara o Palmeiras no Palestra Itália. O Atlético recebe o Náutico na Arena da Baixada, ambas as partidas pelo Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 2 X 2 ATLÉTICO-PR

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 16/5/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Marrubson M. Freitas e César Augusto Vaz (DF)
Renda/público: Não disponiveis
Cartões amarelos: Eduardo Costa, Washington, Júnior César (SÃO); Rafael Santos, Raul e Marcinho (APR)
GOLS: Rafael Santos, 45’/1ºT (0-1); Borges, 1’/2ºT (1-1); Rafael Santos, 29’/2ºT (1-2); André Lima, 43’/2ºT (2-2)

SÃO PAULO: Bosco; Zé Luis, Miranda e Richarlyson; Arouca (Wellington, 20’/2ºT), Eduardo Costa, Hernanes, Hugo e Jorge Wagner (Júnior César, 16’/2ºT); Borges (André Lima, 41’/2ºT) e Washington. Técnico: Muricy Ramalho

ATLÉTICO-PR: Galatto; Rafael Santos, Rodolpho e Antonio Carlos; Raul, Chico, Rafael Miranda, Marcinho e Márcio Azevedo (Alecsandro, 38’/2ºT); Wallyson (Gustavo, 44’/2ºT)e Rafael Moura. Técnico: Geninho

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 17, 2009 Posted by | Atlético-PR, São Paulo | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em má fase, São Paulo recebe o pressionado Atlético-PR

As duas equipes perderam na estreia e precisam vencer

Borges forma dupla com Washington

O duelo entre São Paulo e Atlético-PR, neste domingo, às 16h (de Brasília), no Morumbi, marca a necessidade das duas equipes pela vitória. O Tricolor perdeu quatro dos últimos jogos da temporada – dois pelo Paulista, quando foi eliminado pelo Corinthians, um pela Libertadores e na estreia do campeonato nacional, para o Fluminense – e tenta reencontrar o bom futebol. O Furacão também foi batido na primeira rodada pelo Vitória, na Arena da Baixada, amargando o resultado ruim em casa. E ainda passou pela eliminação recente na Copa do Brasil, para o Timão. Os três pontos significam tranquilidade para quem vencer. O canal Premiere exibe ao vivo, e a Rádio Globo SP transmite para São Paulo. O GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real.


Muito papo no Tricolor Paulista

No time paulista, a semana começou com conversa. Os jogadores ouviram Muricy Ramalho ressaltar a importância da volta por cima. Depois de mais de duas semanas sem jogar, a equipe perdeu no Maracanã por 1 a 0 e decepcionou. Agora espera que a história seja diferente.

– Entramos com a responsabilidade de vencer, pois não temos conseguido bons resultados. A equipe geralmente perde muito pouco, e em menos de cinco meses fomos derrotados tanto quanto o ano passado todo. Conversamos a respeito e agora precisamos colocar em prática a mudança – explicou o volante Zé Luis.

Mesmo com a derrota por 2 a 0 para os baianos em casa, diante da torcida, o time paranaense merece total atenção de Muricy. O treinador são-paulino prevê um adversário armado por Geninho de forma defensiva.

– O Atlético é um time que fora de casa joga bem fechado. Claro que temos obrigação de ir para cima por jogarmos em casa, mas será um confronto duro como qualquer um do Brasileiro – justificou o comandante.

Muricy tem vários problemas para a partida. Dagoberto e Renato Silva, machucados, estão vetados, assim como André Dias e Jean. Aislan é reserva, mas sente dores lombares e é dúvida. Com isso, o treinador só tem um zagueiro para escalar: Miranda. E deve improvisar Richarlyson ao lado do titular. Zé Luis volta após mais de um mês em recuperação e ocupa a lateral direita. Como a defesa está bastante desfalcada, Eduardo Costa pode ser usado para proteger a zaga, atuando na cabeça-de-área. Sem Dagoberto, Borges volta a formar o ataque com Washington.

– A gente procura tirar o máximo de cada um, mas na defesa é um pouco mais difícil improvisar, pois tem que ter paciência, defender é mais complicado do que atacar. Não é fácil fazer a cabeça do jogador para marcar – explicou o treinador, lamentando a necessidade grande de improvisar.

Estreias pelo Furacão

Recuperado de lesão muscular na coxa esquerda, o zagueiro e capitão Antônio Carlos estreia no Campeonato Brasileiro, assim como o recém-contratado Rafael Miranda, que deixou o Atlético-MG. É pouco provável, mas há a possibilidade de Chico ser adiantado para o meio-campo, e Rafael Santos entrar na zaga rubro-negra. Caso se confirme esta mudança, o garoto Jairo perde a vaga no meio-campo do Furacão.

– Espero poder corresponder às expectativas, fazer aquilo que o Geninho sabe que eu posso fazer e ajudar meus companheiros a fazer um bom jogo. E quem sabe trazer um resultado positivo de lá – disse Rafael Miranda, em entrevista ao site oficial do clube.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 17, 2009 Posted by | Atlético-PR, São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Renato Silva e Dagoberto viram dúvidas para jogo deste domingo, no Morumbi

Aislan sente dores, mas ainda não preocupa médicos. Jean já está vetado

Ampliar Foto VipComm/Agência VipComm/Agência

Renato Silva sente dores musculares

O técnico Muricy Ramalho tem mais problemas para escalar o São Paulo neste domingo, contra o Atlético-PR , no Morumbi, pelo Brasileiro . Dagoberto e Renato Silva, que sentiam dores, mas não preocupavam para o duelo, viram dúvidas. O primeiro, com uma pequena contratura no adutor da perna direita, chegou a melhorar, mas voltou a se queixar do problema na atividade desta quinta-feira à tarde. O zagueiro nem treinou com os companheiros e segue em tratamento até sábado por causa de dores na coxa direita.

Aislan, que reclama de dores na região lombar, ainda não é dúvida. mas o departamento médico já está de olho no zagueiro. Jean, que sofreu uma queda na semana passada e teve um trauma lombar, está vetado. André Dias, também fora, segue tratando um estiramento na coxa esquerda.

O único retorno é o de Zé Luis, recuperado de um estiramento na coxa esquerda, sofrido contra o Defensor, no dia 9 de abril, pela Libertadores.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 15, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Zé Luis garante estar pronto para voltar

Volante agora busca ritmo de jogo e aprimoramento da forma física

Ampliar Foto Agência/EFE Agência/EFE

Zé Luis quer voltar logo a jogar pelo Tricolor

O técnico Muricy Ramalho terá um reforço no elenco para o time do São Paulo neste domingo, contra o Atlético-PR , no Morumbi, pelo Brasileiro . Zé Luis, que se machucou contra o Defensor (URU), no dia 9 de abril, pela Libertadores , garantiu que está pronto para jogar. O volante se recuperou de um estiramento na coxa esquerda.

– A lesão foi grande, mas estou bem. Conversei com os médicos e fisioterapeutas e eles disseram que sentir um certo incômodo é normal devido à fibrose que se cria. Mas a lesão já está cicatrizada e tenho que treinar e trabalhar em cima disso. Não está me limitando mais, e essa semana já terei condições de jogar – explicou Zé Luis ao site oficial do clube.

O volante agora busca ritmo de jogo e trabalha para retomar a boa forma física. O atleta, que costuma ser improvisado na lateral direita por Muricy, espera ser aproveitado pelo treinador o mais rápido possível.

– Agora só falta ganhar ritmo de jogo e melhorar a condição física. Isso só acontecerá com os treinos e com os jogos, e isso está muito próximo de acontecer. Podem contar comigo – acrescentou Zé.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 13, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Fluminense segue com a fama de carrasco e vence o São Paulo na estreia

Maurício faz o gol da vitória do time carioca com um belo chute no ângulo

Maurício comemora seu belo gol contra o São Paulo

Maurício comemora seu belo gol contra o São Paulo (Crédito: Cléber Mendes)

Com um golaço de Maurício, logo aos dois minutos de jogo, o Fluminense estreou bem no Campeonato Brasileiro vencendo por 1 a 0 o atual tricampeão São Paulo, neste domingo, no Maracanã. O resultado acabou com uma invencibilidade de 18 jogos do Tricolor paulista na competição. A última derrota do São Paulo no Brasileirão tinha sido para o Grêmio, em agosto de 2008.

O Fluminense mais uma vez mostrou-se um carrasco para o São Paulo. Além de ter eliminado o clube paulista da Libertadores do ano passado, o Tricolor carioca está há cinco jogos sem perder do rival nos Brasileiros. São três vitórias e dois empates.

O Fluminense não perde em uma estreia de Campeonato Brasileiro há sete anos. Em 2003, foi derrotado pelo Criciúma por 2 a 0. Desde lá foram duas vitórias sobre o São Paulo (2005 e 2009), uma sobre o Atlético-PR (2006) e três empates com o Atlético-MG (2008), o Cruzeiro (2007) e o Paysandu (2004).

Na segunda rodada do Campeonato Brasileiro, o Fluminense viaja para encarar o Barueri, no domingo, às 16h. Já o São Paulo recebe o Atlético-PR, no Morumbi, no mesmo dia e horário.

Maurício marca um golaço logo no início

O público decepcionou. Do lado direito da tribuna de honra, era possível contar quantos torcedores estavam na arquibancada no momento em que a partida começou. O setor amarelo tinha 48 tricolores. E o verde outros 34. No final, o público presente foi de 15.843 pessoas.

O Fluminense demorou dois minutos e seis segundos para marcar o seu primeiro gol no Campeonato Brasileiro. E foi um golaço. Maurício dominou a bola na intermediária com o pé direito e soltou uma bomba com o esquerdo. O chute passou entre as pernas de Jorge Wagner, encobriu o goleiro Bosco e ainda tocou no travessão e na trave direita antes de entrar. No banco de reservas, Carlos Alberto Parreira começou a rir sem acreditar muito do que tinha acabado de ver. Fluminense 1 a 0.

Ricardo Ayres/Photocâmera

Jogadores do Fluminense comemoram o lindo gol marcado por Maurício no primeiro tempo

O São Paulo quase não assustava. Sem jogadas pelas laterais, o time insistia nas tentativas pelo meio. E era facilmente anulado pelos zagueiros do Fluminense. A melhor chance do clube paulista foi em uma cobrança de falta da entrada da área. Mas Jorge Wagner chutou a bola na barreira. E nos primeiros 45 minutos, Washington não teve uma única chance de concluir.

Já o Fluminense, mesmo com Thiago Neves apagado, teve quatro chances para ampliar a vantagem no primeiro tempo. Aos 18 minutos, um lance incrível. Marquinho deu ótimo passe para Thiago Neves, que entrou na área e chutou. Bosco espalmou para o meio da área.  Edcarlos aproveitou a sobra e soltou uma bomba. O goleiro tricolor novamente tocou na bola, que bateu ainda em Richarlyson em cima da linha e não entrou.

Depois, Fred tentou duas vezes. O atacante recebeu passe na área e chutou forte no canto esquerdo. Bosco espalmou para escanteio. Em seguida, Maurício cruzou e Fred cabeceou com perigo para fora.

Aos 46 minutos, o Fluminense foi prejudicado pela arbitragem. Thiago Neves cobrou falta pela direita e Maicon subiu bem para marcar de cabeça. Mas o auxiliar  Paulo Ricardo Silva Conceição assinalou, de forma errada, impedimento. E o árbitro anulou o lance. Só que quem estava avançado era o zagueiro Edcarlos. Maicon estava, segundo o tira-teima, sete centímetros atrás do último marcador. E o primeiro tempo terminava com um sensação amarga para o Tricolor carioca, que poderia ter uma vantagem maior.

Borges perde a chance de empatar

O segundo tempo começou com o técnico Muricy Ramalho fazendo duas mudanças para tentar melhorar o São Paulo. Wágner Diniz entrou no lugar de Richarlyson. E Borges na vaga de Hugo. O São Paulo melhorou. Washington quase empatou aos dez minutos. O atacante recebeu passe, dominou no peito e chutou cruzado. Fernando Henrique espalmou e evitou o empate.

O Fluminense começou a perder a cabeça contra o árbitro Sandro Meira Ricci e o auxiliar Altemir Hausmann, que trocaram faltas e marcaram dois impedimentos que não aconteceram. O médico Michel Simoni acabou expulso após reclamar contra o bandeira.

E a torcida teve mais motivos para reclamar aos 25 minutos. Thiago Neves dominou na área e foi derrubado po Junior Cesar. O árbitro mandou o jogo continuar.

O São Paulo teve duas chances claras de empatar no final da partida. Ambas com Borges. Primeiro, aos 41 minutos, o atacante recebeu na área e chutou cruzado. Fernando Henrique fez uma difícil defesa. Dois minutos depois, praticamente do mesmo lugar, Borges levou a melhor sobre Edcarlos e bateu rasteiro. Com o pé esquerdo, o goleiro salvou o Fluminense. A vitória estava garantida.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)
Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Ficha técnica:

FLUMINENSE 1 x 0 SÃO PAULO
Fernando Henrique; Mariano, Edcarlos, Luiz Alberto e João Paulo; Wellington Monteiro, Maurício (Fabinho), Marquinho e Thiago Neves (Tartá); Maicon (Everton Santos) e Fred. Bosco; Arouca, Renato Silva, Miranda e Junior Cesar; Richarlyson (Wágner Diniz), Hernanes, Jorge Wagner e Hugo (Borges); Dagoberto (Wellington) e Washington.
Técnico: Carlos Alberto Parreira. Técnico: Muricy Ramalho.
Gol: Maurício aos dois minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Luiz Alberto e Fernando Henrique (Fluminense); Richarlyson, Hugo, Wellington e Jorge Wagner (São Paulo).

Público: 14.574 pagantes / 15.843 presentes

Renda: R$ 228.098,00

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro.

Data: 1/05/2009.

Árbitro: Sandro Meira Ricci.

Auxiliares: Altemir Hausmann (RS)  e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS)

maio 10, 2009 Posted by | Fluminense, São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Vitória derrota o Atlético-PR na Arena

Wallace e Leandro marcam na bela estreia do rubro-negro baiano

No duelo dos respectivos campeões estaduais, o Vitória levou a melhor e venceu o Atlético Paranaense por 2 a 0 em plena Arena da Baixada, neste domingo. Wallace e Leandro marcaram para o Rubro-negro Baiano, num jogo em que os baianos estiveram melhor na maioria do tempo. Na próxima rodada o Furacão terá pela frente o São Paulo, no Morumbi, e o Vitória receberá o Sport, em Salvador.

A partida

Motivado com a conquista da vaga às quartas-de-final da Copa do Brasil, o Vitória entrou em campo aprontando uma forte correria para cima do Furacão, mesmo atuando no 3-6-1 e com apenas Neto Baiano na frente. Já o Furacão não se encontrava em campo. Perdido e com um meio-de-campo nada criativo, Rafael Moura e Wallysson não conseguiram produzir nada nos 45 minutos iniciais.

O Vitória também não criava lances claros, mas conseguiu abrir o placar com o zagueiro Wallace, de cabeça, aproveitando cobrança de escanteio em que o goleiro Galatto e o lateral-esquerdo Marcio Azevedo não conseguiram cortar. O gol abalou o Atlético que passou a errar muitos passes, irritando o torcedor que foi à Baixada.

Para tentar mudar o panorama, o técnico Geninho voltou para o segundo tempo com o atacante Wesley no lugar do volante Renan, que mais uma vez nada fez. A mudança deu resultado e o Furacão tomou o domínio da partida. O que não mudou foi a falta de pontaria do atacante Wallyson, que desperdiçou duas chances incríveis.

Mesmo com a falta de pontaria, o atacante revelado pelo ABC (RN) era o jogador mais lúcido da equipe paranaense. No entanto, Geninho sacou o jogador para a entrada de Júlio César, para protesto do torcedor. O Furacão parou de pressionar e o Vitória voltou a administrar a partida.

Após ter acertado uma bola no travessão, Leandro acabou confirmando o triunfo do Vitória aos 44, após receber belo passe de Adriano. Festa dos baianos que largam muito bem na Série A do Brasileirão e agora jogam na quarta, contra o Vasco, pela Copa do Brasil. Já no Atlético, muita reclamação da torcida, cobrando reforços da diretoria rubro-negra.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-PR 0 X 2 VITÓRIA


Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data/hora: 10/05/09 – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Célio Amorim
Auxiliares: Carlos Berckembrock e Marco Antonio Martins
Cartões amarelos: Rhodolfo e Chico (APR) / Neto Baiano (VIT)
Gol: Wallace, 14’/1ºT – 0x1 e Leandro, 44’/2ºT – 0x2 (VIT)
Renda/ Público: R$ 239.110 – 12.906 pagantes

Atlético-PR: Galatto; Chico, Rhodolfo e Gustavo; Raul, Jairo (Julio dos Santos, 28’/2ºT), Renan (Wesley, intervalo), Marcinho e Marcio Azevedo; Wallyson (Júlio César, 23’/2ºT) e Rafael Moura. Técnico Geninho.

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor e Marcos Aurélio; Apodi (Leandro, 18’/2ºT), Vanderson (Uellinton, 26’/2ºT), Bida, Carlos Alberto, Jackson e Róbson; Neto Baiano (Adriano, 26’/2ºT). Técnico: Paulo César Carpeggiani.

maio 10, 2009 Posted by | Atlético-PR, Vitória | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Dagoberto decide e Sampa é primeiro

Atacante marca duas vezes e vira o jogo no Morumbi. Tricolor garante a liderança do grupo 4

Dagoberto marcou os dois gols do Sampa no Morumbi (Crédito: Reginaldo Castro)

Dagoberto marcou os dois gols do Sampa no Morumbi (Crédito: Reginaldo Castro)

Longe de ser brilhante, mas mostrando vontade e disposição no segundo tempo, o São Paulo venceu, de virada, o América de Cali nesta quarta-feira, no Morumbi, por 2 a 1, e garantiu o primeiro lugar do grupo 4 da Copa Libertadores. Dagoberto fez os dois gols do Sampa e Parra descontou.

Errando muito, e longe de apresentar um futebol de hexacampeão, o Tricolor por pouco não perdeu a quarta partida seguida, fato que não ocorria desde 2002. Naquele ano, Palmeiras, São Caetano, Corinthians (Rio-São Paulo) e o Figueirense (Copa do Brasil) superaram o Tricolor seguidamente. Neste, duas derrotas para o Corinthians na semifinal do Paulistão e mais um tropeço para o Independiente de Medellín.

Mais uma vez apático e sem criatividade alguma, os comandados de Muricy começaram apresentando um mau futebol e, pior, sem garra e qualquer poder de reação.

Logo aos oito minutos do primeiro tempo, Parra, com liberdade, abriu o placar e silenciou o Morumbi. A partir daí, vieram as jogadas aéreas, o futebol previsível e os erros constantes, que tem marcado o São Paulo nos últimos jogos.

Dagoberto, mais uma vez escalado na direita, tentava criar, brigava, mas a inspiração era pouca. Assim como a da dupla de atacantes. Borges e Washington se revezaram na tarefa de perder gols. Inexplicável.

Difícil de explicar também a queda de produção de Hernanes, cada vez mais longe do futebol brilhante do ano passado. A defesa tricolor, tida como a melhor dos últimos anos no Brasil, voltou a jogar abaixo do rótulo que ganhou.

No segundo tempo, o São Paulo voltou com mais atitude, mas ainda com pouca inspiração. Empurrado pela torcida, o Tricolor chegou ao gol. Aos 12 minutos, Jean fez grande jogada e rolou para Dagoberto. O atacante tirou do goleiro e foi premiado pela garra demonstrada.

Nove minutos depois, Dagoberto usou novamente de sua determinação e conseguiu virar o jogo. A zaga recuou para o goleiro Meza, que tentou afastar. O goleiro, porém, vacilou e chutou em cima do atacante são-paulino, que acreditou na jogada. Virada no Morumbi, com gol de costas.

Depois disso, o São Paulo administrou e agora espera a definição dos grupos para saber o adversário das oitavas-de-finais da Libertadores. Ufa!

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 2 X 1 AMÉRICA DE CALI (COL)

ESTÁDIO: Morumbi, em São Paulo (SP)
DATA/HORÁRIO: 22/04/2009 às 21h50
ÁRBITRO: Carlos Torres (PAR)
AUXILIARES: Nicolas Yegros (PAR) e Oscar Viera (PAR)
Renda/público: R$ 472.815, 00 / 23.221 pagantes
Cartões amarelos: Lenny (PAL); Arango, Valdés (AME)
Cartões vermelhos:
GOLS: Parra 8’/1ºT (0-1); Dagoberto 12’/2ºT (1-1), Dagoberto 21’/2ºT (2-1)

SÃO PAULO: Bosco; Rodrigo (Aislan, 42’/2ºT), Renato Silva, Miranda e Júnior César; Jean, Hernanes, Jorge Wagner e Dagoberto; Borges (Hugo, 39’/2ºT) e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

AMÉRICA DE CALI: Meza, Ângulo, Valdés, Viáfara e Távima; Banguero, Chara, Arango (Casañas, 41’/2ºT), Alex Del Castillo e Restrepo (Otálvaro, 32/2ºT); Parra (Morelo, 38’/2ºT). Técnico: Alex Escobar

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

abril 23, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário