Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

DM do Santos é colocado em xeque

Cepraf do Peixe é questionado e presidente já admite preocupação

O Santos estuda alternativas para mudar os rumos do Cepraf (Centro de excelência em prevenção e recuperação de atletas de futebol). Inaugurado no ano passado para se tornar referência nacional na recuperação de atletas, o local, mas principalmente seus profissionais, passaram a receber críticas de alguns atletas do elenco santista.

Recentemente, um jogador do Santos se queixou ao PORTAL FUTEBOL do tratamento recebido no Cepraf. Segundo ele, o local está “abandonado”, não é mais como antes e os jogadores em tratamento não fazem idéia de quando vão sair de lá.

O comentário foi levado até o presidente Marcelo Teixeira, que não gostou do vazamento dos problemas. Apesar disso, em contato com a reportagem do PORTAL!, o mandatário admitiu preocupação e disse ter se reunido nas últimas semanas com os profissionais que lá trabalham, para tentar aparar arestas.

As reclamações começaram por conta do largo período de recuperação de alguns atletas. O caso do meia Robinho é o que causa maior estranheza. O jogador chegou ao Santos no dia 6 de junho e disputou apenas três jogos. Outra situação que causou desconforto foram as declarações de Molina, que disse estar jogando com dores há cinco meses.

– Depois de cinco meses com dores na coxa, e após tratamento, descobri que a dor era de um desequilíbrio na postura – disse o jogador.

Membros da cúpula santista acreditam que o problema passa pela saída do fisioterapeuta Nilton Petroni, o Filé. No início do ano ele foi para o Palmeiras junto com Vanderlei Luxemburgo e levou consigo a aparelhagem que havia conseguido junto à empresa italiana Globus System.

A lesão de Molina, inclusive, é igual a do meia Pedrinho, que se tratou com Filé no Santos e em pouquíssimas semanas voltou a atuar, completamente recuperado das dores. O médico santista Carlos Braga se defende e diz que nunca recebeu queixas de qualquer jogador:

– Reclamações são normais no meio de trabalho. Mas nunca ninguém falou diretamente comigo.

Com a decadência do Cepraf, está provado que o Santos precisa arrumar a casa dentro e fora de campo.

outubro 15, 2008 Posted by | Santos | , , , | Deixe um comentário

Fora, Santos é um dos piores da história

Aproveitamento de 16,7% iguala a marca de 1997, a pior do Alvinegro

O Santos está impedido de sonhar com uma condição melhor no Brasileirão devido ao péssimo desempenho fora de casa. A campanha é péssima, soma apenas uma vitória em 14 jogos, o que resulta, até o momento, no pior desempenho como visitante da história do time no torneio.

O aproveitamento de 16,7% é idêntico ao de 1997, quando a equipe somou só oito, dos 48 pontos possíveis como visitante. Mesmo assim, o time comandando por Luxemburgo chegou até a semifinal da disputa graças ao aproveitamento de 88,9% como mandante. Neste ano, o aproveitamento na Vila é de 57,8%.

Gramados ruins, campos grandes, pressão da torcida, tudo isso já foi argumento para os jogadores santistas, mas nada justifica o pífio desempenho longe da Vila.

A disparidade entre as atuações dentro e fora de casa neste campeonato são impressionantes, e assombra inclusive a era Márcio Fernandes. Com o treinador, considerado fundamental para a recuperação do elenco, já foram cinco partidas como visitante, sendo dois empates e três derrotas. O único triunfo obtido sem o mando foi diante do Internacional (1 a 0), no Beira-Rio. Na época, a equipe era dirigida por Cuca.

– O Santos tem mostrado qualidade e competência para conquistar o resultado fora – acredita Fernandes.

Não é o que mostram os números. A dificuldade para marcar fora de casa impressiona. Foram apenas sete, dos 36 feitos no Brasileirão.
Kléber Pereira ilustra bem este quesito. Já que o artilheiro do Brasileirão com 20 gols, marcou apenas um longe do alçapão. O tento aconteceu no clássico contra o Palmeiras, no Palestra Itália.

Como visitante ainda restam cinco jogos. Tempo suficiente para o elenco reagir e não entrar negativamente para a história do clube.

Sofrimento fora de casa

Kléber Pereira
É o artilheiro do Brasileirão com 20 gols, mas só marcou uma vez fora de casa, na partida contra o Palmeiras, no Palestra Itália. chutou a bola na trave.

Molina
Fez dez gols com a camisa do Santos, e todos foram marcados na Vila Belmiro. Os números justificam sua fama de jogador caseiro.

No Brasileirão
Saldo de gols da equipe como visitante é de 18. Nenhum jogador marcou mais de uma vez fora de casa. Sete atletas têm um gol cada.

outubro 12, 2008 Posted by | Santos | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário