Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Fla foge do treino coletivo, mas está escalado para a decisão

Treinador Cuca não confirma escalação, mas Emerson e Zé Roberto foram os escolhidos para iniciar a final contra o Botafogo

Ampliar Foto Alexandre Cassiano/Globo Alexandre Cassiano/Globo

Cuca instrui os jogadores antes do treino

Os coletes ficaram guardados na tarde desta sexta-feira, no Ninho do Urubu. Nada de trabalho tático ou coletivo no penúltimo treino do Flamengo antes da final do Campeonato Carioca, domingo, contra o Botafogo. O técnico Cuca preferiu exercitar fundamentos. Aliás, um só: as finalizações.

Depois de uma longa conversa no centro do campo e de repetidas rodas de bobo, os jogadores foram divididos em dois grupos para treinar arremates. Escalação? Apenas 45 minutos antes de o clássico começar. No entanto, em conversa com os atletas, o treinador confirmou o ataque com Emerson e Zé Roberto. Recuperado de uma torção no tornozelo direito, Aírton retorna à zaga no lugar de Welinton.

– Eles (jogadores) sabem quem vai jogar. O time está decidido. Mas só vou divulgar um pouquinho antes da partida – despistou o treinador.

O jejum de quatro jogos sem gols dos atacantes parece não incomodá-lo. O comandante do Flamengo classificou as últimas atuações do time como “boas” e lamentou somente a falta de pontaria.

– Não me preocupo com a falta de gols dos atacantes. Criamos 25 chances no último jogo. Só faltou precisão, mas só nos treinamentos é que eles podem pegar essa confiança – explicou Cuca.

O time está escalado com: Bruno; Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Willians, Ibson, Kleberson e Juan; Zé Roberto e Emerson.

Flamengo e Botafogo decidem o título estadual no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã.


Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 2, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Ibson, o torcedor que pulou o fosso e caiu no time do Flamengo

Volante com alma de arquibancada conta ao GLOBOESPORTE.COM sua vida no Fla desde os nove anos: ‘Por mim, ficava mais cinco, dez anos’

Considerar Ibson um torcedor de arquibancada do Flamengo é bobagem. Ele é mais do que isso. Trata-se de um torcedor de geral mesmo. Foi no (aposentado) setor mais popular do Maracanã que ele assistiu à final da Copa do Brasil de 2003 contra o Cruzeiro.

O jogo terminou empatado e, em Belo Horizonte, o Rubro-Negro perdeu o título. Menos de um mês depois, Ibson “atravessou o fosso” que separa os torcedores do gramado e estreou na vitória por 2 a 1 sobre o Vasco.

Eduardo Peixoto/GLOBOESPORTE.COM

Com a arquibancada da Gávea ao fundo, Ibson veste a camisa de 1992 e conta histórias

Era o primeiro passo nos profissionais. Por trás daquilo havia uma história de suor e interação com o Flamengo. Ele chegou ao clube em 1992, então com nove anos. Deu sorte e assistiu a Júnior e companhia conquistarem o último Campeonato Brasileiro.

São 14 anos de história na Gávea e 25 de vida. A cada passo que dá na sede rubro-negra relembra uma história.

– Está vendo ali? (aponta para a quadra de bocha) Trocávamos de roupa atrás daquela mureta porque não tinha nem vestiário. E quando os profissionais treinavam, nós tínhamos que bater bola no estacionamento porque não havia espaço para todo mundo – lembrou, sempre sorridente.

Os percalços das divisões de base ficaram para trás. A sensação de “jogador-torcedor”, não. Vendido ao Porto em 2005, voltou dois anos e meio depois para tornar-se o símbolo de uma arrancada impressionante que tirou o time da zona de rebaixamento e o levou à Libertadores.

– Como diz a torcida: aqui é sempre raça, amor e paixão – disse, relembrando o hit das arquibancadas.

Abandonou o sonho europeu pelo orgulho de ser rubro-negro. Lembra, sem se gabar, que abriu mão de dinheiro para poder retornar ao seu país. O empréstimo aos portugueses foi “pago por ele”: teve de prorrogar o contrato por duas temporadas para passar um aninho no Flamengo.

O clube conseguiu mantê-lo por mais 12 meses. Mas a trajetória está perto do fim. Dia 4 de julho o empréstimo termina. Há uma cláusula que pode obrigá-lo a sair no fim desde mês, mas nem o jogador e nem o Flamengo cogitam a hipótese.
A vontade declarada é de renovar e continuar em terras cariocas. O Flamengo também já o escolheu como “o alvo” para tentar segurar. Resta encontrar o dinheiro necessário para comprá-lo.

– Por mim eu sentava e renovava contrato agora. Mas… – contou.

Antes de pensar na despedida tem a chance de participar de seu terceiro título carioca (no currículo tem 2004 e 2008). Para tal, precisa correr – e muito – na final da Taça Rio deste domingo, às 16h, contra o Botafogo.

Confira a entrevista completa de Ibson:
Chamá-lo de jogador-torcedor é exagero? Ibson: Se eu não tivesse uma paixão grande pelo clube eu passaria a ter pelos anos que vivi aqui. Mas eu já era flamenguista antes de chegar. Amo esse clube e essa torcida que sempre me recebeu bem. Algumas coisas acontecem, mas fazem parte do futebol. Tenho 14 anos dentro do clube. É uma vida. Quando entro em campo é como se estivesse brigando por um prato de comida da minha família.

Neste ano, jogando bem ou nem tanto, uma de suas características tem sido a entrega e a disposição durante os jogos. É um Ibson versão pura raça?
Jogar no Flamengo não basta só ter qualidade. Tem que ter vontade para vestir essa camisa. Quando as coisas não vão bem, tem que fazer alguma coisa. Tem que ir na raça. Flamengo é botar o coração na ponta da chuteira. A torcida já diz: é raça, amor e paixão.

Em 2008 os torcedores acabaram vaiando-o em alguns jogos. Mas nesta temporada, você está invicto. Por quê?
A torcida é aquilo que vê dentro de campo. Eles agem mais pela emoção e não pela razão. Mas neste ano as coisas estão indo bem, tenho feito bons jogos.

Em escala bem menor, você tomou uma atitude parecida à do Adriano. Também largou a Europa antes do que gostaria para retornar para “casa”…
É diferente, mas com certeza passa muita coisa na cabeça depois de ficar muito tempo fora. Bate saudade da família, dos amigos. Quando você está na sua cidade, depois do treino pode ir para casa, reencontrar os amigos. Mas quando você está longe não é a mesma coisa.

Mas está chegando o fim de mais um contrato…
Desta vez não cabe mais a mim. Se prevalecesse a minha vontade eu já assinava contrato com o Flamengo agora. Tenho mais dois anos de contrato de Porto, já

Ampliar Foto Eduardo Peixoto/GLOBOESPORTE.COM Eduardo Peixoto/GLOBOESPORTE.COM

Ibson observa o treino do Flamengo

fui emprestado por dois anos. Acredito que mais um vai ser complicado. E não espero renovar novamente com o Porto para poder ser emprestado. Mas espero que possa correr tudo bem.

E o que o faria ficar?
A grande coisa é que estou feliz. Infeliz não vai desenvolver o trabalho. Estou perto da minha família, no clube que tenho uma paixão grande. É isso que me incentiva a querer ficar.

Ao contrário do ano passado, você parece que está levando essa proximidade do fim do contrato de maneira muito mais tranquila. Por quê?

Experiência. Ano passado vivi esse problema e toda hora tocavam no assunto. Tentava separar, mas acaba influenciando em tudo. A ansiedade bate. Mas agora quero curtir e tentar fazer o melhor para o Flamengo. Tenho mais dois, três meses de contrato. Está chegando ao fim, mas espero que a gente sente e resolva isso da melhor maneira possível.

abril 17, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Diretoria do Fla busca soluções para caos financeiro

Kléber Leite diz que clube quitou parte da dívida com os jogadores

Kléber Leite busca solução para problemas financeirosKléber Leite busca solução para problemas financeiros (Crédito: Ricardo Cassiano)

LANCEPRESS!

O vice de futebol do Flamengo, Kléber Leite, confirmou que houve uma reunião com Fábio Luciano, Cuca, Ibson, Bruno e Plínio Serpa Pinto (gerente de futebol) no vestiário após o clássico com o Botafogo, no último domingo. O dirigente negou que houve discussão com o capitão do time e disse que está em busca de soluções para quitar os salários atrasados.

Para isso, vai haver uma reunião na noite desta terça-feira com pessoas influentes no clube para tentar sanar uma parte dos problemas financeiros. Na quarta-feira, Kléber Leite vai se encontrar com o elenco para explicar que soluções serão tomadas.

– Houve uma reunião que durou mais de trinta minutos e estamos tentando encontrar soluções. É um absurdo dizer que houve discussão. A possibilidade de grosseria por parte do Fábio Luciano é zero. Temos algumas dívidas de luvas com outros jogadores, mas buscamos soluções. Convocamos uma reunião com pessoas importantes e influentes. O problema existe, mas aqui nunca deixou de ter trabalho e fidalguia – explicou Kléber Leite.

Segundo o dirigente, o Flamengo já quito o décimo terceiro dos jogadores. Falta o clube quitar o mês de dezembro. O salário de janeiro só vence no dia 25 de fevereiro:

– O Flamengo só vai completar dois meses de salários atrasados no dia 25 de fevereiro.

fevereiro 17, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Titulares do Fla só empatam com reservas

Treino desta quinta-feira terminou 1 a 1. Léo Moura, que era dúvida, fez um gol.

O técnico Caio Júnior comandou um treino coletivo de cerca de 50 minutos nesta quinta-feira, na Gávea, e os titulares ficaram no empate por 1 a 1 com os reservas do Flamengo.

O lateral-direito Leonardo Moura, que não enfrentou o Botafogo e era dúvida para a partida contra o Palmeiras por conta de uma lesão, fez o gol dos titulares. O argentino Sambueza, suspenso do jogo de domingo, marcou para os reservas.

Caio Júnior fez várias modificações no time titular. Ainda sem a condição ideal de jogo, Juan deu lugar a Luizinho no meio do coletivo. Marcleinho Paraíba foi substituído por Everton no ataque. Toró entrou no lugar de Jaílton perto do fim do treino. Assim semdo, Aírton foi recuado para terceiro zagueiro.

Confira os times:
TITULARES: Bruno, Jaílton (Toró), Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Aírton, Ibson, Kleberson e Juan (Luizinho); Marcelinho Paraíba (Everton) e Obina.

RESERVAS: Diego, Dininho, Leonardo e Thiago Sales; Fierro, Jônatas, Toró (Jaílton), Everton (Fernando) e Luizinho (Sambueza); Maxi e Vandinho (Diego Tardelli).

novembro 13, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Juan ainda não está garantido para domingo

Lateral participa de coletivo, mas deixa o treino 30 minutos depois

A pancada levada na panturrilha direita, no clássico contra o Botafogo, ainda incomoda o lateral-esquerdo Juan. Depois de fazer musculação durante a semana, nesta quinta-feira, ele participou de apenas 30 minutos do coletivo e deixou o gramado substituído por Luizinho, que foi improvisado na esquerda.

Ainda não está confirmada a escalação de Juan para o jogo decisivo de domingo, contra o Palmeiras, no Maracanã. Com tempo para se recuperar, o lateral não teria plenas condições de atuar se a partida fosse nesta quinta.

Na atividade, Kleberson reafirmou a sua condição de titular, aproveitando-se da suspensão do argentino Sambueza. Aírton foi mantido à frente dos três zagueiros, deixando Toró entre os reservas.

Os titulares treinaram com: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Aírton, Ibson, Kleberson e Juan (Luizinho); Marcelinho Paraíba (Everton) e Obina.

novembro 13, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Sambueza treina entre os titulares do Fla

Caio Jr. saca Kleberson e escala argentino. Maxi entra no lugar de Obina

Caio Júnior começou a montar a equipe do Flamengo para o clássico deste domingo contra o Botafogo, no Maracanã. Sem poder contar com Obina, suspenso, o treinador optou por Maxi no ataque. A novidade foi o aproveitamento de Sambueza no meio-de-campo no lugar de Kleberson.

Toró, com dores na coxa esquerda, não treinou e ficou fazendo fisioterapia. Aírton ganhou uma chance entre os titulares em seu lugar. O chileno Fierro, que tem agradado Caio Júnior, ficou no time reserva.

Os titulares do Fla foram: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Aírton, Ibson, Sambueza e Juan; Marcelinho Paraíba e Maxi.

novembro 5, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com gol contra, Fla bate o Vasco no Maraca: 1 a 0

Rubro-Negro mantém sonho do hexacampeonato aceso. Já o Cruzmaltino volta a amargar a lanterna do Brasileirão

Com um gol vascaíno, o Flamengo conseguiu vencer o Vasco por 1 a 0, neste domingo, no Maracanã. A vitória rubro-negra fez com que o sonho do hexacampeonato voltasse a ficar vivo na Gávea. O Flamengo chegou aos 52 pontos e se aproximou ainda mais dos líderes. Já o time de São Januário permanece em seu calvário na luta pelo rebaixamento. O clube cruzmaltino permaneceu com 27 pontos, na última posição do Campeonato Brasileiro.

O jogo começou com muita correria das duas equipes. O time cruzmaltino pressionou a saída de bola rubro-negra e criou algumas chances antes dos 15 minutos de jogo. A primeira foi com Mádson, aos 13, após cruzamento de Alex Teixeira. Um minuto depois, Toró deu um passe errado e Alan Kardec arriscou da entrada da área, saindo com perigo à direita da meta de Bruno.

O ataque do Flamengo tinha dificuldade para invadir a defesa do Vasco tanto que, até os 25 minutos, o Rubro-Negro não havia chutado na direção da meta defendida por Rafael. Por sua vez, o time de Renato Gaúcho criou boas chances no contra-ataque, principalmente com Alex Teixeira. Bruno teve que trabalhar em um chute do apoiador, aos 20, e outro de Mateus, aos 22.

Depois do início alucinante, o Vasco tirou o pé do acelerador. Só assim o Flamengo chegou ao seu primeiro lance de perigo. Aos 32, Marcelinho Paraíba chutou à direita da meta de Rafael. O lance animou a equipe rubro-negra. Três minutos depois, quase o atacante marca de falta, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Depois disso, as duas equipes diminuíram o ritmo e o jogo parecia que ia para o intervalo empatado. No entanto, aos 43, o Flamengo tentou uma jogada na área com Obina. Antes da conclusão, Jorge Luiz entrou de carrinho e desarmou o atacante. No entanto, a bola acabou indo na direção do gol e Rafael não conseguiu evitar. Flamengo 1 a 0.

O ritmo lento permaneceu no início da segunda etapa. O Flamengo controlava mais a posse de bola enquanto o Vasco tentava sair no contra-ataque. A primeira chance da segunda etapa foi cruzmaltina, em uma cabeçada de Alan Kardec, aos 9. Cinco minutos depois, foi Jorge Luiz que tentou de cabeça, mas colocou por cima.

A situação ficou melhor para o Vasco com a expulsão de Fábio Luciano, aos 19. O zagueiro tentou sair com a bola dominada, perdeu para Alan Kardec e cometeu a falta. Como ele era o último homem da zaga rubro-negra, recebeu o cartão vermelho.

Com a superioridade em campo, o Vasco começou a ter maior domínio da posse de bola. Aos 24, quase que o time cruzmaltino empata a partida. Pedrinho cobrou falta da ponta direita na cabeça de Fernando. O zagueiro cabeceou, mas Bruno fez ótima defesa. Apesar dessa chance, o Vasco pouco conseguia criar.

Com a zaga rubro-negra fechada, o time de São Januário tentou chegar ao gol através das bolas aéreas, mas a zaga do Fla conseguiu conter as investidas vascaínas. Além disso, o goleiro Bruno esteve muito bem nas saídas do gol. Com isso, o Flamengo segurou a posse de bola até o apito final do juiz Marcelo de Lima Henrique.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 0 X 1 FLAMENGO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 19/10/2008 – 18h10 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Renda/público: R$ 679.117,00 / 37.074 pagantes.
Cartões amarelos: Jorge Luiz, Mateus, Wagner Diniz (VAS); Fábio Luciano (FLA)
Cartão vermelho: Fábio Luciano (FLA), 19’/2ºT.

GOL: Jorge Luiz (contra), 43’/1ºT (0-1);

VASCO: Rafael, Fernando, Jorge Luiz e Eduardo Luiz (Pinilla, 29’/2ºT); Baiano (Wagner Diniz, 15’/2ºT), Jonílson, Mateus (Pedrinho, 19’/2ºT), Madson, Alex Teixeira e Valmir; Alan Kardec. Técnico: Renato Gaúcho.

FLAMENGO: Bruno, Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró, Ibson, Everton (Fierro, 19’/2ºT) e Juan; Marcelinho Paraíba (Dininho, 22’/2ºT) e Obina (Josiel, 48’/2ºT). Técnico Caio Júnior.

outubro 19, 2008 Posted by | Flamengo, Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Caio Júnior embaralha e muda a escalação rubro-negra

Depois de praticamente confirmar Josiel e Vandinho, treinador volta atrás e escala Everton no time titular

Se a intenção era confundir, o técnico Caio Júnior conseguiu. Na véspera, ele escalou Vandinho e Josiel no ataque do Flamengo e elogiou a dupla. Praticamente os confirmou na partida de domingo contra o Ipatinga, no Maracanã.

Nesta quinta-feira, no CT Ninho do Urubu, ele voltou atrás e escalou Everton no time titular. Desta forma, Vandinho passou a primeira parte da atividade contra os juniores sentado à beira do campo.

Apesar de alguns sustos por causa da velocidade do time sub-20 – destaque para o menino Bruno Paulo -, os titulares venceram por 2 a 0, com gols de Everton e Josiel. Na segunda parte da atividade, o técnico fez um teste e sacou Jaílton para a entrada de Vandinho.

– O time ficou ofensivo, praticamente com três atacantes: Marcelinho, Josiel e Vandinho – diz Everton.

O Flamengo atuou com a seguinte formação: Bruno; Jaílton (Vandinho), Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leo Moura, Kleberson, Ibson, Everton e Juan; Marcelinho Paraíba e Josiel.

Já a equipe sub-20, comandada por Adílio, treinou com: Diego (“emprestado” pelos profissionais); Lucas, Wellinton e Leo; Rafael Mazzei, Pecka, Vinícius Colombiano e Renan Silva; Vander e Bruno Paulo.

setembro 19, 2008 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário