Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Vasco destrona o Ceará no Castelão e se aproxima novamente do G-4

Time de PC Gusmão faz 2 a 0, com gols de Zé Roberto e Felipe Bastos


O Vasco conseguiu fazer neste sábado algo que nenhuma equipe havia feito ainda no Campeonato Brasileiro: vencer o Ceará no Castelão. A equipe da Colina fez 2 a 0, com gols de Zé Roberto e de Felipe Bastos, e foi para a sétima posição com 26 pontos. Fernando Prass foi o principal destaque do time com defesas salvadoras. Um dos responsáveis pelo feito foi o técnico cruzmaltino PC Gusmão, que havia treinado o Vovô nas primeiras sete rodadas da competição.

O time cruzmaltino tem um jogo a menos do que os outros rivais, já que a partida contra o Corinthians, pela 18ª rodada, foi adiada.

A equipe cearense permanece com 25 pontos mas cai para a oitava posição. Após a partida, o técnico Mário Sérgio foi muito vaiado pelos torcedores.

A partida começou atrasada porque os times entraram em campo com camisas predominantemente brancas, o que dificultaria a vida dos atletas. No gramado, os jogadores do Vasco trocaram o uniforme por um da cor preta.

Na próxima rodada, quarta-feira, às 19h30m (de Brasília), no Engenhão, o Vovô enfrenta o Fluminense. Na quinta, às 21h, em São Januário, o Vasco encara o Atlético-MG.

A partida começou em alta velocidade, e com os donos da casa dando um susto logo aos três minutos, quando Magno Alves arrancou pela esquerda e chutou na rede pelo lado de fora. Apesar do ímpeto inicial, o Ceará passou a sofrer porque dava muita liberdade para os homens de frente do Vasco, que cresceu na partida. O time carioca, que iniciou o jogo com Nunes entre os titulares, foi mortal em um contra-ataque aos sete minutos. Carlos Alberto deu uma arrancada espetacular pelo meio e tocou na velocidade para Éder Luis, que deixou o marcador no chão e rolou na medida para Zé Roberto. O camisa 10 só escorou a bola para o fundo da rede: 1 a 0 na primeira finalização cruzmaltina na noite.

Depois de sofrer o gol, o time cearense apertou a marcação e passou a não correr tantos riscos. Na frente, as chances começaram a aparecer. Aos 20, Camilo recebeu de frente para o gol e chutou na saída de Fernando Prass, que se atirou na frente do adversário e, com a perna, salvou o Vasco.

A necessidade de empatar o jogo para não perder a invencibilidade em casa fez o Ceará pressionar. Aos 32, Ernandes aproveitou uma escorregada de Dedé, invadiu a área e disparou uma bomba de perna esquerda. Mas a bola subiu demais. No minuto seguinte, kempes tocou com o peito para João Marcos, que, da marca do pênalti, pegou de primeira e mandou rente à trave direita de Prass.

A equipe cruzmaltina só voltou a finalizar aos 43, mas sem perigo. Nunes tocou para Zé Roberto na entrada da área, e o meia chutou fraco, à direita do gol.

Estreante Felipe Bastos garante a vitória cruzmaltina

A segunda etapa começou com uma má notícia para o Vasco, já que Carlos Alberto se machucou e precisou ser substituído por Fumagalli. Mas apesar de o Ceará seguir com mais posse de bola, a primeira boa chance foi dos cariocas. Aos nove, Éder Luis recebeu pela esquerda, cortou para o pé direito e chutou forte. Michel Alves conseguiu fazer a defesa.

A partida caiu muito de ritmo na segunda etapa, e as oportunidade de gol ficaram mais raras. Só aos 27 minutos o Ceará teve uma oportunidade clara. Magno Alves tabelou com Geraldo e chutou de cara para o gol, mas Fernando Prass fez outra ótima defesa.

Em um lance de bola parada, o Vasco conseguiu garantir a vitória. Aos 37, o estreante Felipe Bastos, que havia entrado no lugar de Éder Luis, cobrou falta com força e a bola bateu na barreira. Ele próprio aproveitou o rebote e, de perna esquerda, venceu o goleiro Michel Alves. Com a vantagem, o time só controlou a partida até que o árbitro desse o apito final.

CEARÁ 0 X 2 VASCO
Michel Alves, Fabrício, Diego Sacoman e Pablo (Geraldo); Oziel (Vandinho), João Marcos, Heleno, Camilo e Ernandes; Magno Alves e Kempes. Fernando Prass; Fagner, Dedé, Titi e Jumar; Rafael Carioca, Romulo, Carlos Alberto (Fumagalli) e Zé Roberto (Jonathan); Nunes e Éder Luis (Felipe Bastos).
Técnico: Mário Sérgio Técnico: PC Gusmão
Gols: Zé Roberto, aos sete minutos do primeiro tempo, e Felipe Bastos, aos 37 minutos da segunda etapa.
Cartões amarelos: Zé Roberto (VAS); Camilo, Kempes (CEA)
Estádio: Castelão, em Fortaleza. Data: 04/09/2010. Horário: 18h30m (de Brasília). Árbitro: Sálvio Espinola Fagundes Filho (Fifa/SP).Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Vicente Romano Neto (SP).

setembro 4, 2010 Posted by | Ceará, Vasco da Gama | , , , , , , | Deixe um comentário

Botafogo e Grêmio dominam um tempo cada e ficam no empate

Alvinegro abre dois gols de vantagem até o intervalo, mas Tricolor gaúcho reage na segunda etapa e chega ao 2 a 2


Quando cada equipe leva a melhor nas duas metades da partida, o resultado mais provável é o empate. E deu a lógica no Engenhão, onde Botafogo e Grêmio ficaram no 2 a 2, neste sábado, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro abriu dois gols de vantagem no primeiro tempo, e o Tricolor gaúcho dominou o segundo, igualando placar aos 40 minutos.

O resultado manteve o Botafogo na terceira posição, agora com 31 pontos. No entanto, pode perder sua vaga no G-4 dependendo dos resultados deste domingo. O Grêmio, por outro lado, soma 20 pontos, ocupa o 16º lugar e tem chance de retornar à zona de rebaixamento se seus adversários diretos vencerem. O Alvinegro volta a campo na próxima quinta-feira para enfrentar o Santos na Vila Belmiro. Já os gaúchos recebem o Atlético-GO em Porto Alegre na quarta-feira.

A partir do momento em que a bola rolou, o Botafogo mostrou que estava disposto a resolver a parada o mais rapidamente possível. Com um Maicosuel inspirado, o Alvinegro sufocou o Grêmio, que se mostrava nervoso e mal posicionado na defesa. Depois de uma troca de empurrões entre Rafael Marques e Alessandro, os lances bonitos apareceram.

Aos 13 minutos, o Maicosuel quase marcou um golaço após dar um lençol num adversário e colocar a bola próxima ao ângulo de Victor. Mas pouco tempo depois, o Mago fez o papel de garçom. Ele cobrou escanteio com precisão para Antônio Carlos, que, sozinho, cabeceou para abrir o placar aos 16 minutos.

Mesmo antes de o Grêmio assimilar o golpe, o Botafogo ampliou a vantagem, aos 20 minutos. Da entrada da área, Marcelo Mattos, encontrou Herrera em boa condição, e o argentino colocou a bola com precisão no canto esquerdo do goleiro Victor, fazendo 2 a 0. Assim, o técnico Renato Gaúcho não hesitou em fazer sua primeira modificação, substituindo o volante Gilson por Roberson.

Com o placar confortável, o Botafogo aos poucos foi diminuindo o ritmo e deixando espaços para o Grêmio. A equipe gaúcha acertou seu posicionamento e passou a chegar ao ataque com certa facilidade e poderia ter diminuído a diferença aos 43, quando Borges recebeu dentro da área e chutou, obrigando Jefferson a fazer uma grande defesa.

O merecido gol do Grêmio saiu, sim, depois do intervalo. Mais precisamente aos oito minutos, aproveitando a ainda desatenta equipe do Botafogo. Leandro Guerreiro errou na saída de bola na entrada da área, e Jonas chutou, fazendo 2 a 1. Joel Santana não perdeu tempo e trocou o volante Fahel pelo atacante Caio.

O gol acordou o Botafogo, que voltou a atacar o Grêmio, mas pecava nas finalizações. Caio encontrou Herrera livre, mas o argentino, em boa condição, chutou mal e colocou a culpa no gramado. Revoltado, arrancou um tufo de grama. Em seguida, Marcelo Cordeiro fez cruzamento açucarado para Loco Abreu, que furou o chute e fez Joel Santana levar as mãos à cabeça.

Aos 22 minutos, Loco Abreu foi substituído por Edno. Na saída, o uruguaio foi aplaudido pela torcida e por Joel Santana, com quem se desentendeu na última quarta-feira, quando deixou o campo durante a partida contra o Grêmio Prudente.

Mas o treinador alvinegro logo em seguida perdeu a compostura quando o Botafogo perdeu gols em sequência aos 34 minutos. Renato Cajá acertou a trave, Maicosuel tentou no rebote, e a bola sobreu para Renato, que cabeceou rente ao travessão de Victor. Do outro lado, o Grêmio mantinha a tranquilidade e chegava com perigo.

E a insistência do Grêmio foi finalmente premiada aos 40 minutos, quando Lucio cobrou falta na área e encontrou Jonas, que cabeceou com precisão, empatando a partida. O Botafogo tentou pressionar até o fim, mas não teve a tranquilidade para chegar à vitória.

OTAFOGO 2 X 2 GRÊMIO
Jefferson, Antônio Carlos, Leandro Guerreiro e Fábio Ferreira; Alessandro, Fahel (Caio), Marcelo Mattos, Maicosuel e Marcelo Cordeiro; Herrera (Renato Cajá) e Loco Abreu (Edno). Victor, Gabriel, Vilson, Rafael Marques e Lucio; Gilson (Roberson), Fábio Rochemback (Leandro), Adilson e Souza (André Lima); Jonas e Borges.
Técnico: Joel Santana. Técnico: Renato Gaúcho.
Gols: Antônio Carlos, aos 16, Herrera, aos 20 minutos do primeiro tempo; Jonas, aos 8 e aos 40 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Herrera, Maicosuel, Alessandro, Edno (Botafogo); Souza, Adilson, Borges, Jonas, Lucio (Grêmio). Público: 16.921 pagantes (20.593 presentes). Renda: R$ 430.390.
Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ). Data: 04/09/2010. Árbitro:Sandro Meira Ricci (DF). Auxiliares: Márcio Eustáquio Sousa Santiago (Fifa/MG) e Ênio Ferreira de Carvalho (DF).

setembro 4, 2010 Posted by | Botafogo, Grêmio | , , , , , , , | Deixe um comentário