Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Empate contra o Ceará tira Atlético-PR da Libertadores

Chances de alcançar o G4 caem bruscamente com os resultados da rodada; Vozão está na Sul-Americana

Em partida movimentada e cheia de alternativas, Ceará e Atlético-PR empataram em 1 a 1 neste domingo, no Castelão, pela 37ª rodada do Brasileirão. Com gols de Rafael Santos para os paranaenses e Manoel contra, o Furacão está fora da briga pela Libertadores, visto que Grêmio e Botafogo se enfrentam na última rodada. Enquanto isso, o Alvinegro comemorou a confirmação da vaga na Sul-Americana.

A partida começou disputada, mas com poucas chances de ambos os lados. A concentração era muito grande no meio de campo, apesar da formação ofensiva do Furacão, com três atacantes.

Pouco a pouco, o Atlético começava a chegar mais ao ataque, avançando mais pelo lado direito, por meio de Guerrón e Wagner Diniz. Os cearenses também exploravam mais o setor direito, com o lateral Boiadeiro. O Ceará trabalhava melhor a bola, mas não conseguia criar lances de perigo.

Passados os quinze primeiros minutos, o jogo ganhou em movimentação e velocidade. Os paranaenses tentavam pressionar, mas a resposta do time da casa vinha logo em seguida, sempre com Boiadeiro. Magno Alves também fazia das suas, mas todos os chutes paravam no goleiro Neto.

Apesar da grande presença da torcida no Castelão, o Ceará, nos primeiros minutos, esperava o Atlético em seu campo e apostava na velocidade para encaixar os contra-ataques, mas logo procurava manter a posse de bola para organizar jogadas ofensivas.

No entanto, foi o Rubro-Negro que chegou mais perto do gol, aos 28 minutos, com chute de Maikon Leite no travessão. Na sequência, Wagner Diniz acertou cruzamento preciso para Bruno Mineiro, que mandou pela linha de fundo. Aos 36, a pressão deu resultado: após cruzamento de Paulinho em cobrança de falta pela esquerda, Rafael Santos abriu o placar para o Furacão: 1 a 0.

Sete minutos depois, em um dos contra-ataques cearenses, Magno Alves levou a bola em velocidade e cruzou pela direita. O zagueiro Manoel desviou e a bola morreu lentamente no fundo das redes do goleiro Neto. Era o empate dos mandantes.
Mesmo com um a menos, Vozão para para cima

A etapa final começou com a expulsão de Diego Sacoman logo no primeiro minuto, após falta sobre Guerrón. O zagueiro era o único da equipe de Dimas Filgueiras que tinha sido advertido com o cartão amarelo. Logo em seguida, o técnico alvinegro tirou o atacante Marcelo Nicácio, sem oportunidades na partida, para colocar o volante Camilo, recompondo o meio de campo.

Mesmo com um jogador a menos, o Ceará tentou partir para cima, como sempre, com velocidade. Geraldo, principal homem de criação, era muito acionado, mas esbarrava na forte marcaçãoparanaense, que fechava o cerco com zagueiros, laterais e também com os volantes Vítor e Deivid.

Precisando do segundo gol, o técnico rubro-negro Sérgio Soares tirou o volante Vítor para colocar Netinho, meia de armação, para ajudar Branquinho a articular as jogadas de ataque. E a alteração deu resultado: o Furacão passou a explorar melhor os espaços deixados pela equipe cearense.

Com isso, o jogo ficou aberto, com chances de ambos os lados. As principais chances do time da casa aconteciam em lances de bola parada, mas as jogadas terminavam sempre nas mãos de Neto, que fez boas e importantes defesas ao longo do jogo, como aos 37 minutos, em cobrança de falta de Reina.

Apesar disso, nem os espaços deixados pela ausência de Diego Sacoman tornaram o jogo mais movimentado. Não houve trocas rápidas de passes nem jogadas criativas como nos primeiros 45 minutos. No entanto, o Ceará crescia pouco a pouco, administrando a posse de bola, ciente da desvantagem numérica. Com isso, Sérgio Soares trocou volantes: Deivid por Claiton, aos 30 minutos. A busca pela vaga no G4 parecia ter ficado em segundo plano.

Nas substituições, mérito para o técnico Dimas Filgueiras, que não deixou o Ceará perder seu poder de marcação, mesmo com um jogador a menos. Já o time de Sérgio Soarews não conseguiu recuperar avantagem. O time pagou com a vaga à Libertadores. O preço acabou sendo alto demais.

FICHA-TÉCNICA
CEARÁ 1X1 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Data e hora: 28 de novembro, às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Ednilson Corona (SP) e João Bourgalber Nobre Chaves (SP)
Cartões amarelos: Diego Sacoman, Geraldo (CEA); Deivid, Guerrón (APR)
Cartões vermelhos: Diego Sacoman (CEA)
Gols: Rafael Santos 36’/1°T (0-1), Manoel contra 43’/1°T (1-1)

CEARÁ: Michel Alves ; Fabrício, Erivelton e Diego Sacoman; Boiadeiro (Luizinho 31’/2°T), Michel, Careca, Geraldo e Eusébio (Reina, 33’/2°T); Magno Alves e Marcelo Nicácio (Camilo, 3’/2°T) . Técnico: Dimas Filgueiras.

ATLÉTICO-PR: Neto, Wagner Diniz (Marcelo, 27’/2°T), Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Vitor (Netinho, 12’/2°T), Deivid (Claiton 30’/2°T) e Branquinho; Guerrón, Bruno Mineiro e Maikon Leite. Técnico: Sérgio Soares.

novembro 28, 2010 Posted by | Atlético-PR, Ceará | | Deixe um comentário