Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Galo está eliminado da Copa do Brasil

Equipe baiana perde por 3 a 0, mesmo placar do jogo de ida, em Salvador, mas mostra competência nas penalidades e encara o Vasco nas quartas

Mesmo perdendo por 3 a 0 para o Atlético-MG, no Mineirão, o Vitória se garantiu nas quartas-de-final da Copa do Brasil onde enfrentará o Vasco, que eliminou o Icasa. No jogo de ida, em Salvador, a equipe baiana venceu por 3 a 0, e a decisão foi para as penalidades. No tempo normal, Renan, Welton Felipe e Alessandro marcaram para o Galo. No entanto, Neto Baiano, Bida, Carlos Alberto, Luciano Almeida e Washigton mostraram competência para o Leão da Barra nos pênaltis. Na última cobrança, Leandro Almeida desperdiçou para o Galo, que estreou o técnico Celso Roth no comando.

Renan marca e dá esperanças à torcida atleticana

Precisando vencer por três gols de diferença para avançar às quartas-de-final da Copa do Brasil, o Atlético-MG apertou a saída de bola do Vitória desde os primeiros minutos. Porém, o primeiro chute a gol só saiu aos 11 minutos, e a favor da equipe baiana. Jackson finalizou sobre o gol de Juninho, depois de jogada de Apodi.

Como era previsto, os laterais Thiago Feltri, do Galo, e Apodi, do Leão da Barra, travavam um duelo particular. Aos 21, o Vitória voltou a ameaçar a meta de Juninho. Ramon bateu falta, próxima à entrada da área, e a bola saiu rente à trave. Em seguida, Thiago Feltri levantou, mas Diego Tardelli, impedido, cabeceou sobre o gol de Viafara.

A arma do Atlético era pelo alto, e funcionou. Aos 25, Marcos Rocha apareceu pela direita e cruzou. Em posição irregular,Diego Tardelli dividiu com Viafara, que saiu mal para cortar. A bola ainda bateu na trave e, no rebote, Renan empurrou, inaugurando o placar. Desde então, o Galo entrou de vez no jogo.

Diego Tardelli aproveitou mais um chuveirinho e escorou. Na sequência, Fabiano evitou a saída, pela linha de fundo, e acertou a trave. No rebote, a zaga rubro-negra conseguiu afastar. O Vitória só voltou a ameaçar aos 37. Luciano Almeida desceu pela esquerda, se livrou da marcação e cruzou rasteiro. Ramon desviou, e a zaga mineira tirou em cima da hora.

Juninho pega pênalti, e Galo leva a decisão da vaga para os pênaltis

As duas equipes voltaram sem alterações para a etapa complementar. E assim como nos primeiros 45 minutos, o Atlético se mandou para o ataque. Aos três, Éder Luís subiu mais que a zaga e cabeceou firme. Viafara fez uma defesa espetacular, salvando o Vitória. Vendo que sua equipe encurralada, o técnico Paulo César Carpegiani tirou Ramon e pôs Adriano, para tentar dar mais velocidade ao meio-campo rubro-negro.

Aos 13, o artilheiro Neto Baiano apareceu pela primeira vez. Adriano esticou para o atacante, que bateu cruzado. Juninho segurou. Em seguida, Apodi saiu para a entrada de Bosco. Aos 15, Adriano novamente apareceu no jogo e sofreu pênalti de Rafael Miranda. Neto Baiano cobrou, com paradinha, e Juninho defendeu, levantando a torcida atleticana na arquibancada do Mineirão. Então, o técnico Celso Roth tirou Fabiano e colocou Tchô, deixando o Atlético mais ofensivo.

Aos 19, Thiago Feltri cobrou falta para a área. O zagueirão Welton Felipe apareceu pelo meio da defesa e bateu, no canto de Viafara, anotando o segundo gol do Galo. Só faltava mais um para levar a decisão da vaga para as quartas-de-final para os pênaltis. Alessandro e Élder Granja entraram nas vagas de Rafael Miranda e Marcos Rocha respectivamente, e o Atlético foi para o tudo ou nada. Aos 28, Diego Tardelli finalizou na pequena área, e Viafara segurou, no susto.

Alessandro arriscou de muito longe, aos 32, e Viafara espalmou. A pressão mineira era constante. Aos 35, o veterano Jackson, com dores no ombro, saiu para a entrada do atacante Washington, no Vitória, que se segurava lá atrás e tentava sair nos contra-ataques. Washington, aos 38, pegou de virada, na área, e Juninho defendeu em dois tempos. em seguida, Uelliton foi expulso, deixando o Leão com um homem a menos.

Aos 40, Élder Granja recuperou e deixou com Tchô. O meio-campo cruzou para a área, e Alessandro escorou de cabeça. A bola ainda chorou antes de entrar. Com 3 a 0, o Atléticolevava a decisão da vaga para as quartas-de-final da Copa do Brasil para a disputa de pênaltis. Aos gritos de “mais um”, o Atlético correu atrás do quarto gol até o terceiro minuto de acréscimo – deu tempo de Diego Tardelli perder cara a cara com Viafara, e Welton Felipe ser expulso – , mas a decisão ficou para as penalidades.

Nos pênaltis, Vitória mostra competência e garante a vaga

O Vitória inaugurou as cobranças. Neto Baiano, que no segundo tempo havia perdido uma cobrança, desta vez deixou a firula de lado e soltou a bomba, sem chance para Juninho. Em seguida, Diego Tardelli conferiu para o Atlético. Bida, com paradinha e vaias da torcida, deixou novamente a equipe baiana na frente.

Alessandro foi o segundo a bater para o Galo e fez. Na sequência, Carlos Alberto bateu no alto, sem chance para Juninho. Élder Granja, que entrou no segundo tempo, bateu com categoria para o Atlético. Luciano Almeida, com violência, marcou para o Vitória. Tchô converteu para o Atlético, e Washington para o Vitória. No entanto, Leandro Almeida perdeu a quinta cobrança, e o Atlético acabou eliminado.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Ficha técnica:

ATLÉTICO-MG 3 (4) x (5)0 VITÓRIA
Juninho; Marcos Rocha (Élder Granja), Leandro Almeida, Welton Felipe e Thiago Feltri; Renan, Rafael Miranda (Alessandro), Márcio Araújo e Fabiano (Tchô); Éder Luis e Diego Tardelli. Viafara; Apodi, Wallace, Victor Ramos e Luciano Almeida; Apodi (Bosco), Uelliton, Bida, Carlos Alberto, Ramon (Adriano) e Jackson (Washington); Neto Baiano.
Técnico: Celso Roth. Técnico: Paulo César Carpegiani.
Gols: Renan, aos 25 minutos do primeiro tempo; Welton Felipe, aos 19 do segundo tempo, e Alessandro, aos 40.
Pênaltis: Diego Tardelli, Alessandro, Élder Granja (Atlético-MG); Neto Baiano, Bida, Carlos Alberto, Luciano Almeida e Washington (Vitória)
Cartões amarelos: Leandro Almeida, Rafael Miranda, Thiago Feltri, Welton Felipe (Atlético-MG); Bida, Uelliton, Wallace, Ramon (Vitória). Cartões vermelhos: Uelliton (Vitória); Welton Felipe (Atlético-MG).
Estádio: Mineirão. Data: 06/05/2009. Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS). Auxiliares: Marcelo Bertanha (RS) e Alexandre Antonio (RS).

maio 7, 2009 Posted by | Atlético-MG, Vitória | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Carlos Alberto melhora e corre em volta do campo na Colina

Jogador anima a comissão técnica e faz exercícios físicos em São Januário

Ampliar Foto Alexandre Cassiano/Globo Alexandre Cassiano/Globo

Carlos Alberto corre em volta do campo de São Januário

Fora do jogo contra o Icasa-CE nesta quinta-feira, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil, em São Januário, por causa de uma lesão muscular, Carlos Alberto deu voltas em torno do gramado e animou a comissão técnica. O meia trabalha forte para voltar ao time no segundo duelo entre os clubes, no dia 6 de maio, em Juazeiro do Norte, no Ceará.

Carlos Alberto teve um edema na coxa direita. Ele vai desfalcar o Vasco pela sexta vez nesta temporada. Além dele, outro jogador que começou a correr em volta do gramado para manter a forma física foi o volante Nilton. Ele se recupera de um problema na clavícula.

Já o meia Magno, primeiro reforço do Vasco para a Série B, ainda não começou a trabalhar com bola. O jogador, que veio do Brasil de Pelotas-RS, fez um trabalho físico para ficar no mesmo nível do grupo.


abril 29, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com boas referências de Ronaldinho Gaúcho, Maxi López chega ao Grêmio

Atacante diz que tem boa relação com o colorado D’Alessandro, mas garante que rivalidade fala mais alto a partir de agora

Ampliar Foto Divulgação/Site Oficial do Grêmio Divulgação/Site Oficial do Grêmio

Argentino esquenta rivalidade no Sul

Por muito pouco ele não ficou longe do estádio Olímpico. Depois de uma demorada negociação e muita expectativa da torcida tricolor, o atacante argentino Maxi López finalmente foi apresentado pelo Grêmio. Nesta segunda-feira, o jogador falou pela primeira vez como jogador do clube e fez questão de prometer muita dedicação. Ainda sem previsão de estreia, ele assegura que não faltará esforço para entrar em forma.

– A ideia é jogar o mais rápido possível. Nos últimos dias não pude trabalhar 100%, mas vamos agir intensamente. Preciso conversar com a comissão técnica e saber qual é o planejamento. Venho com muita vontade de trabalhar e render bem o mais rápido possível. Sou um jogador que me entrego e me esforço, sou um atacante que trabalha pelos gols. Vou me sacrificar e me adaptar ao futebol do Grêmio  – disse, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Aos 24 anos, o jogador é ex-companheiro e amigo de um gremista mundialmente conhecido. Maxi foi ouvir conselhos de Ronaldinho Gaúcho e, ao que tudo indica, só recebeu boas referências.

  • AspasCom D’Alessandro, nos falamos no River, nos cruzamos na Espanha e tenho uma relação boa. Mas a partir de agora sou gremista e ele é colorado. Não vamos nos falar mais. Ele é do Inter e eu do Grêmio

– É um grande amigo que me ajudou na Espanha. Como é desta cidade, nasceu aqui, tive que pedir a opinião dele. ‘Ronnie’ me deu uma ajuda na Europa e quando disse que poderia jogar aqui, garantiu que deveria aceitar de olhos fechados, que o clube é incrível e muito profissional. Disse ainda que a cidade é bárbara. Isso me deu muita tranqüilidade – destacou.

Máxi Lopez começou sua carreira em 2001, no River Plate, onde ficou até janeiro de 2005, quando foi transferido para o Barcelona. Em 2007, foi para o Mallorca por empréstimo. Em agosto do mesmo ano, assinou com o FC Moscou, onde atuou até o começo de 2009. São 114 jogos na carreira e apenas 26 gols. Apesar de os números jogarem contra, ele demonstra otimismo e pretende aumentar a marca.

– Fundamental para um atacante é a continuidade. Nos primeiros anos no River, tive isso e atuei em alto nível. Depois, no Barcelona, tive uma lesão que me atrapalhou e fui para o Mallorca. A ideia é jogar no Brasil e voltar a marcar gols. O Grêmio é uma equipe consistente e vai disputar a Libertadores. A continuidade é o que pretendo ter aqui – comentou.

Sobre a rivalidade com o Internacional, ele se mostra totalmente informado e não quer saber de conversa nem com os compatriotas que estão no Beira-Rio.

– Com D’Alessandro, nos falamos no River, nos cruzamos na Espanha e tenho uma relação boa. Mas a partir de agora sou gremista e ele é colorado. Não vamos nos falar mais. Ele é do Inter e eu do Grêmio – destacou.

Ele não vai jogar na estreia do Grêmio na Libertadores, no próximo dia 25, em casa, contra a Universidad do Chile. Deverá estar à disposição somente em 20 dias. O contrato do jogador vai até o fim da temporada.
– O importante é um grupo trabalhar muito bem em conjunto, chego para somar aos companheiros e me adaptar ao esquema – disse.
Alex Mineiro e Jonas, goleador da equipe, são os principais jogadores do ataque do Grêmio atualmente. Herrera recupera a forma e o ritmo de jogo e começa a entrar aos poucos durante as partidas. O técnico Celso Roth ainda não definiu o esquema que utilizará na competição continental. Nesta temporada, ele já testou o 3-5-2, o 3-6-1 e o 4-4-2.

– O esquema tático é um trabalho para o treinador. Nos próximos dias quero conhecer melhor a equipe, mas sei que tem um grande potencial tático. É um grupo que trabalha muito bem. Quero me adaptar rápido aos esquemas. Mais do que individualidade, o importante é o conjunto – destacou.

Ficha Técnica:

Nome completo: Maximiliano Gastón López
Data de nascimento: 3/4/1984 (24 anos)
Naturalidade: Buenos Aires, Argentina.
Altura: 1,88
Posição: atacante

fevereiro 17, 2009 Posted by | Grêmio | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário