Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Em ritmo de virada, Fla e Cruzeiro duelam por returno bem melhor

Ambos decepcionaram até aqui e buscam início de redenção no Maracanã

LANCEPRESS!

Campeões estaduais, Flamengo e Cruzeiro chegaram com pinta de favoritos ao menos a duas das vagas para a Libertadores do ano que vem. Só que, agora, na virada do turno, a realidade é diferente. Por isso, o duelo, desta quinta-feira, às 21h, no Maracanã, tem gostinho de vida nova para ambos os clubes, em 10º e 14º, respectivamente.

Inconstante, o Rubro-Negro, comandado por Andrade, já esteve cotado para entrar no G4, já encheu o estádio algumas vezes e, mesmo que em raras ocasiões, deu bom espetáculo. Nada disso foi suficiente para que embalasse na competição, culminando com a goleada sofrida pelo Grêmio, por 4 a 1, no domingo.

– O Flamengo vem jogando bem, criando oportunidades, mas de vez em quando falha atrás. É normal por conta das mudanças, mas temos que acabar com isso. Temos saído atrás em muitos jogos e isso acaba dificultando, pois é um desgaste fisico e emocional grandes – analisa o técnico rubro-negro.

Em campo, como lembrou Andrade, são muitos desfalques. No meio-de-campo não haverá nenhum titular. Léo Moura, Willians, Kleberon, Pet e Juan estão fora. Com isso, jovens como Everton Silva e Lenon precisam se firmar. A única dúvida foi elucidada nesta quarta. Fabrício entra na zaga e empurra Aírton para o meio.

O Cruzeiro encara o returno do Brasileiro como a oportunidade final para tentar se recuperar de vez da perda da Libertadores e conseguir uma vaga na competição do ano que vem. O time de Adilson Batista tentará a segunda vitória seguida fora de casa. A Raposa, até o momento, somou apenas sete pontos longe de seus domínios.

Os jogadores estão atentos com o artilheiro do Brasileirão. O zagueiro Leonardo Silva pediu atenção de toda a defesa e, por ora, descarta travar um duelo particular contra o Imperador, que já marcou dez gols na competição.

– Acho que vai ser um grande jogo, Adriano é um jogador que vamos ter a máxima atenção, pela característica, por ser um jogador finalizador, de muito perigo dentro da área. Mas acho que o duelo maior vai ser entre Cruzeiro e Flamengo – frisou o cruzeirense.

Sem confirmar o time, Adilson Batista testou uma formação com três atacantes entre os reservas. O treinador, porém, não terá Guerrón que não foi regularizado na CBF a tempo de embarcar com a delegação ao Rio de Janeiro. O companheiro de ataque de Kléber deverá ser Thiago Ribeiro, jogador tem as características de velocidade que agradaram a Adilson.

Henrique também retornará ao meio-de-campo que terá Gilberto como armador, assim como foi no duelo contra o Santos, no domingo passado. O time aposta na velocidade para bater os rubro-negros em casa.

– Os dois laterais do Flamengo apóiam bastante, o Kléberson, quando estava, atacava bastante. O Íbson atacava bastante. O Flamengo joga dessa forma, é o estilo do Flamengo – analisou Kléber.


FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO X CRUZEIRO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 20/8/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho(Fifa-SP) e Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP)

FLAMENGO: Bruno, David, Fabrício, Ronaldo Angelim; Everton Silva, Aírton, Lenon, Fierro, Everton; Emerson e Adriano – Técnico: Andrade

CRUZEIRO: Fábio, Fabinho, Leonardo Silva, Thiago Heleno, Diego Renan; Fabrício, Marquinhos Paraná, Henrique, Gilberto; Thiago Ribeiro e Kléber – Técnico: Adilson Batista

agosto 20, 2009 Posted by | Cruzeiro, Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Inter volta a mostrar sua força e é líder isolado

Agora, o Colorado volta a pensar na final da Recopa

Náutico e Inter jogaram essa noite nos Aflitos (Crédito: Antonio Carneiro)

Náutico e Inter jogaram essa noite nos Aflitos

O Internacional mostrou sua força e venceu o Náutico, nos Aflitos, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Com dois gols de Nilmar, o Colorado voltou à liderança isolada da competição e agora foca todas as atenções na Recopa. Já o Náutico, que já esteve na ponta da tabela, caiu para a 17ª colocação, entrando na zona de rebaixamento.

Apesar de estar jogando nos Aflitos, quem tomou a iniciativa do jogo foi o Internacional. D’Alessandro tabelou bem com Nilmar, mas o atacante errou o passe final e perdeu grande oportunidade. O Náutico não deixou barato. Em um contra-ataque, Carlinhos Bala foi derrubado de frente para a área. Na cobrança, Anderson Lessa quase marca.

O técnico Marcio Bittencourt armou uma surpresa desagradável para o adversário, colocando o garoto Nilson para marcar a peça de articulação colorada: o meia D’Alessandro. A estratégia deu certo e, pelo menos, no início, o Timbu conseguiu anular essa jogada.

Aos 21 minutos, Carlinhos Bala driblou dois jogadores do Inter e chutou forte, mas o goleiro Lauro fez bem a defesa. Com sua principal jogador de articulação anulado, o time de Tite passou a explorar o lado esquerdo de ataque. No entanto, a ideia não foi tão acertada, já que Kleber errava quase todos os lances que tentava.

Depois de ficar muito tempo atrás, o Inter conseguiu fazer sua primeira jogada de perigo. Num contra-ataque, D’Alessandro tabelou com Nilmar, que saiu de cara para o gol. Quando o atacante ia finalizar, Galiardo o derrubou dentro da área. Na cobrança de D’Alessandro, o goleiro Eduardo escolheu o canto certo e defendeu o chute, impedindo que o Inter abrisse o placar.

Mesmo perdendo a penalidade máxima, o Inter ganhou moral e passou a tomar conta da partida. Aos 39 minutos, em outra boa triangulação, a bola sobrou limpa para Kleber, que chutou à esquerda do goleiro pernambucano. Assim, o nervosismo do Inter passou para o lado do Náutico, que errava vários passes, pouco antes do final da primeira etapa.

Na volta para o Segundo tempo, o Náutico veio um pouco mais organizado do que no final do primeiro. Aos 2 minutos, Galiardo chegou bem pela linha de fundo, cruzou, mas a zaga do Inter conseguiu rifar a bola. Cinco minutos depois, Carlinhos Bala se livrou de dois adversários e tocou para Galiardo, que deu um chute forte para a defesa de Lauro.

Aos 20, Galiardo deixou Carlinho Bala sozinho com o goleiro, mas o jogador chegou um pouco atrasado e perdeu a boa chance. Vendo que D’Alessandro era dominado, o técnico Tite colocou Alecsandro e Andrezinho nos lugares de Taison e D’Alessandro, respectivamente. E a mudança deu certo.

Após cruzamento de Andrezinho, Nilmar resvalou e abriu o placar para o Inter. Não parou por aí. Nilmar, novamente, recebeu em posição irregular dentro da área e só teve o trabalho de deslocar o goleiro: Inter 2 a 0.

Na próxima rodada, o Náutico pega o Palmeiras, no Palestra Itália. Já o Inter enfrenta o Furacão, na Arena da Baixada.


FICHA TÉCNICA

NÁUTICO 0 X 2 INTERNACIONAL

Local: Aflitos, em Recife (PE)
Data-Hora: 5/7/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Marcelo Braz Mariano (RJ) e Lorival Candido das Flores (RJ)
Renda e Público: R$ 35.720,00 / 12.292 pagantes

Cartões Amarelos: Galiardo, Johnny, Eduardo Ere (NAU); Danny Morais, Nilmar (INT)
Cartões Vermelhos: Asprilla, 2’/1ºT (NAU)
Gols: Nilmar 25’/2ºT (0-1), Nilmar 32’/2ºT (0-2)


NÁUTICO: Eduardo, Juliano, Vágner, Asprilla e Anderson Santana; Johnny(Eduardo Ere/Intervalo), Galiardo, Nilson e Carlinhos Bala; Gilmar e Anderson Lessa(Ailton, 18’/2ºT) – Técnico: Márcio Bittencourt.

INTERNACIONAL: Lauro, Bolívar, Indio, Danny Morais e Kleber; Glaydson, Magrão, Guiñazú e D’Alessandro(Andrezinho, 23/2ºT); Taison(Alecsandro, 23/2ºT) e Nilmar(Bolaños, 37’/2ºT) – Técnico: Tite.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 5, 2009 Posted by | Internacional, Náutico | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

André Dias: um capitão de olho na América

Com a braçadeira em quatro jogos, zagueiro assumiu a liderança da equipe e, agora, quer a Libertadores

André Dias tem suprido em grande estilo a ausência de Rogério Ceni na liderança da equipe (Foto: VIPCOMM)

André Dias tem suprido em grande estilo a ausência de Rogério Ceni na liderança da equipe (Foto: VIPCOMM)

A lesão de Rogério Ceni não tirou apenas mais um jogador do São Paulo de campo. Sem ele, criou-se uma ausência de liderança no grupo e a faixa de capitão ficou sem dono momentaneamente. Muricy revezou a braçadeira nas primeiras partidas, mas, nos últimos quatro jogos, e também para os próximos até a volta do goleiro, André Dias assume o posto de confiança do técnico e também dos companheiros.

A nova responsabilidade pode render um status diferente ao novo capitão. Por enquanto, não passa de um sonho, mas ele pode ter o privilégio de levantar a taça da Libertadores, já que Ceni está fora até o fim da competição sul-americana.

André sabe o quanto pode ser importante este momento. Ele ficaria marcado na História do Tricolor ao lado de atletas que levantaram taças importantíssimas como Careca, Dario Pereyra, Raí, Ronaldão…

Em sua quarta temporada no Tricolor, o zagueiro, quando estava lesionado, já era apontado como a voz de Muricy dentro de campo. Após a sua volta, foi exatamente o que aconteceu. O comandante são-paulino delegou a função ao camisa 3, que a assumiu com personalidade.

A grande prova de liderança aconteceu no último domingo, diante do Avaí, no empate em 0 a 0, na Ressacada. O defensor notou que Jean Rolt não estava bem pelo lado esquerdo e mudou o companheiro, que estreava, de lugar.

Antes desse jogo, André falou sobre esta liberdade que tem de mudar o time em campo. Ele tem uma ótima leitura do que está acontecendo e, respeitando os limites dados por Muricy Ramalho, posiciona a equipe.

– O tempo de casa, o meu jeito nunca ter mudado, a liberdade com o Muricy, tudo isso me ajuda. Mas acho que também temos outros líderes no grupo, o que é sempre importante – afirmou o camisa 3.

Com moral no elenco e a confiança de Muricy Ramalho, André Dias agora trabalha para levantar a taça da Libertadores. Além disso, também quer deixar o título nacional encaminhado para que, quando Rogério voltar, ele assuma o posto e pela quarta vez consecutiva esteja no fim da competição com a taça da competição.

Líder da defesa e do grupo, o zagueiro segue dentro de campo o estilo sério que o comandante são-paulino tem fora. É a voz do treinador mais próxima dos companheiros.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

junho 11, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo x Cruzeiro: duelo, agora, é pelo Brasileiro

Times se enfrentam pela segunda vez em quatro dias

LANCEPRESS!

São Paulo e Cruzeiro, rivais nas quartas-de-final da Libertadores, voltam a se encontrar neste domingo às 16h, no Morumbi. Depois da vitória da Raposa na última quarta, pela competição sul-americana (2 a 1, no Mineirão), o duelo agora vale pelo Campeonato Brasileiro.

O Tricolor tenta quabrar um incômodo jejum. O atual tricampeão brasileiro ainda não venceu no campeonato deste ano. Já a Raposa, embalada pela vitória na Liberta, está em quarto lugar no Brasileirão.

E não é somente no Brasileiro que o São Paulo vive mau momento. O time já está sem vencer há seis partidas, e depois de vários problemas de lesões de elenco, o técnico Muricy Ramalho poderá contar com praticamente todos os titulares. Até o zagueiro Miranda, convocado para a Seleção Brasileira, deve estar em campo. O volante Richarlyson, suspenso, e o goleiro Rogério Ceni, ainda se recuperando de cirurgia, são os desfalques.

No Cruzeiro, uma despedida: o meia Ramires, também convocado por Dunga, deve fazer sua última partida pela Raposa. O jogador, que defenderá o Brasil nas Eliminatórias e na Copa das Confrederações, foi vendido ao Benfica (POR).

Apesar da importância dos duelos pela Libertadores, o meia Jorge Wagner, do Sampa, prefere “esquecer” da competição sul-americana e se concentrar no Brasileiro:

– Agora, o nosso pensamento volta para o Campeonato Brasileiro. Precisamos pontuar, pois já têm várias equipes despontando na ponta da tabela e não podemos vacilar.

Depois de quebrar, na última quarta, a marca de cinco anos sem vencer o São Paulo, o Cruzeiro entra em campo agora com uma nova motivação. A escrita da vez é terminar com o jejum contra o Tricolor no Morumbi.

Jogando no território inimigo, o último triunfo celeste foi em 2003. O camisa 10 Alex e o atacante Deivid, três vezes, marcaram os gols e a Raposa venceu por 4 a 2. A curiosidade é que, na ocasião, o Gladiador Kléber estava do lado paulista.

– O time de 2003 do Cruzeiro era praticamente imbatível. Perdemos feio no Mineirão e tomamos um passeio no Morumbi também – elogia o atacante Kléber, agora, do lado azul do confronto.

O Gladiador deverá ter um novo parceiro no ataque. Thiago Ribeiro se lesionou no confronto pela Libertadores e desfalcará o time por um mês. Wellington Paulista e Zé Carlos, autor do gol da vitória na quarta-feira passada, lutam pela vaga.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X CRUZEIRO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 31/5/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman – PR(FIFA)
Auxiliares: Marcia Bezerra Lopes Caetano/RO(FIFA ) / Gilson Bento Coutinho/PR

São Paulo: Denis, Zé Luis, André Dias, Miranda e Richarlyson; Eduardo Costa, Jean, Hernanes e Jorge wagner; Dagoberto e Washington (Borges)
Técnico: Muricy Ramalho

Cruzeiro: Fábio, Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva e Gerson Magrão; Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná e Ramires; Wellington Paulista (Zé Carlos) e Kléber
Técnico: Adilson Batista

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 31, 2009 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Dentinho é suspenso por três jogos na Copa do Brasil

Agora, atacante só volta a jogar se Timão for para a final

Atacante está fora dos próximos duelos da Copa Do Brasil (Foto:Tom Dib)

Atacante está fora dos próximos duelos da Copa Do Brasil (Foto:Tom Dib)

LANCEPRESS!

Os corintianos receberam uma péssima notícia na tarde desta sexta-feira. O atacante Dentinho foi suspenso por três jogos na Copa do Brasil por conta de uma suposta cotovelada no atacante Rafael Moura, do Atlético-PR. Assim, ele está fora do confronto de quarta, contra o Fluminense, pelas quartas-de-final. Além disso, o jogador támbém não vai ter condições de jogo nas duas partidas das semifinais, caso o Timão consiga a classificação.

Inicialmente, o camisa 31 do Alvinegro seria julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) no artigo 253 (Por praticar agressão física) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). A pena prevista era de 120 a 540 dias. No entanto, durante o julgamento, a procuradoria decidiu punir o jogador no artigo 254 (Por praticar jogada violenta). Assim, a pena poderia ser de duas a seis partidas.

Durante o julgamento, o advogado do Timão, João Zanforlin, alegou que Dentinho não teve a intenção de acertar Rafael Moura e lembrou que ambos chegaram a jogar juntos no próprio Alvinegro. Mesmo assim, os argumentos não convenceram os procuradores e o atacante foi condenado por três votos a um.

O jogador não foi ao julgamento, no Rio de Janeiro, por estar no treinamento da tarde desta sexta, no CT do Parque Ecológico. Mesmo assim, Zanforlin alegou que o atleta estava ausente por estar muito gripado.

Ao saber da decisão do STJD, o técnico Mano Menezes ficou indignado.

– Acho um absurdo levar três jogos por aquilo que aconteceu. Primeiro, porque sou contra a uma arbitragem paralela, que é o que considero. Mas já tenho falado que tem muita gente falando. Então, você pega o programa da segunda-feira e já condena o Dentinho. Como tem essas coisas de moda, você acaba vendo o jogador ser suspenso da forma que foi – afirmou o treinador.

– Existia um árbitro e um quarto árbitro um pouco mais distante e eles interpretaram que não era passível de punição. Isso é um absurdo e um absurdo para o futebol brasileiro – completou.

O departamento jurídico do Corinthians ainda vai tentar reverter a situação. O clube pode pedir um efeito suspensivo e tentar um novo julgamento.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 15, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em último episódio, Mengão x Fogão duelam por tudo ou nada

Rivais buscam Estadual, que vale o tri para um e a redenção do outro

LANCEPRESS!

Ao Flamengo vale o tricampeonato, ao Botafogo, além da 20ª conquista estadual, vale o troco pelas duas últimas derrotas nas finais para o rival. Neste domingo, às 16h, no Maracanã, Rubro-Negro e Glorioso decidem o Campeonato Carioca com este clima, em um jogo que promete muitas emoções. No primeiro confronto deu empate em 2 a 2 e, agora, quem vencer leva o caneco. Em caso de nova igualdade, a disputa é nos pênaltis.

Envolto pelo mistério, aparentemente engrandecido pela viagem a Saquarema, o Botafogo segue com a indefinição a respeito da escalação de Reinaldo, que recupera-se de torção no tornozelo. O atacante não treinou com bola a semana inteira e chegou a ser vetado. Caso fique mesmo fora, Ney Franco de certa forma já antecipou que Túlio Souza jogará, povoando o meio e montando um 3-6-1.

Vetado, Maicosuel está mesmo fora, embora tenha ido até Saquarema apoiar o grupo, que persegue a conquista que tirará o estigma de vice do clube. Sereno, o treinador alvinegro não se incomoda com os números e lembra que seu time, apesar de desfalcado, divide o favoritismo.

– Não concordo que o Flamengo tenha obrigação de vencer. Estamos em uma final, temos a mesma responsabilidade. Uma equipe de tradição, como o Botafogo, não pode ser dependente apenas de dois jogadores (Maicosuel e Reinaldo) – disse.

Se seu ataque parece à meia-bomba, o mesmo não se pode dizer do setor ofensivo do rival, crê Ney Franco. Vale lembrar que os jogadores de frente do Rubro-Negro não marcam há quatro partida, até porque tem tido a ajuda do zagueiro alvinegro Emerson.

– Não dá para cair na armadilha de achar que o ataque deles é inoperante. Não podemos desprezar Obina, Josiel e Emerson. A qualquer momento o ataque vai voltar a fazer gols, precisamos ter cuidado – alertou.

Na Gávea, o clima é de otimismo para tricampeonato após as circunstâncias em que se conseguiu o empate com o Alvinegro na primeira partida. O treinador Cuca faz mistério na escalação mas, ao que tudo indica, Aírton volta ao time no lugar de Welinton. O restante da equipe deverá ser o mesmo do 2 a 2.

Vindo de um empate em 0 a 0 no meio da semana com o Fortaleza , pela Copa do Brasil, os treinos foram mais leves e se focaram bastante na parte técnica. Principalmente nas finalizações, já que o ataque não marca há quatro rodadas.

– Treinei muitas finalizações para os jogadores pegarem confiança, mas eu não me preocupo com esse jejum. O importante é fazer gols, não interessa de quem. Se neste domingo for 1 a 0, com um gol de lateral, zagueiro, volante ou meia, seremos campeões do mesmo jeito. No jogo contra o Fortaleza, criamos muitas oportunidades. Eu estaria preocupado se não estivéssemos cirando chances de gol – disse Cuca.

Se levar o caneco, o Flamengo passará o Fluminense pela primeira vez na Histórica do Carioca em conquistas, com 31 títulos. Além disso, oito terão o privilégio de encher a boca para dizer que são tricampeões: Bruno, Diego, Léo Moura, Angelim, Juan, Toró, Paulo Sérgio e Obina.


FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO X BOTAFOGO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 03/5/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Cortêz (Fifa-SP)
Auxiliares: Wágner de Almeida Santos (SP) e Vinicius da Vitória Nascimento (SP)

FLAMENGO: Bruno, Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Kleberson, Willians, Ibson e Juan; Zé Roberto e Josiel – Técnico: Cuca.

BOTAFOGO: Renan, Leandro Guerreiro, Juninho e Emerson; Alessandro, Fahel, Léo Silva, Eduardo e Thiaguinho; Reinaldo (Túlio Souza) e Victor Simões – Técnico: Ney Franco


Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 2, 2009 Posted by | Botafogo, Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Nos pênaltis, Fogão é eliminado pelo Americano em noite épica

Mago é herói e vilão em jogo emocionante no Engenhão. Time dirigido por Ney Franco, agora, concentra forças na decisão da Taça Rio

Maicosuel lamenta muito a eliminação precoce do Fogão

Maicosuel lamenta muito a eliminação precoce do Fogão (Crédito: Júlio Cesar Guimarães)

A comparação de Victor Simões entre o jogo desta quinta-feira e o clássico de domingo, contra o Flamengo, pode ter sido exagerada, mas a julgar pela disposição do Americano do meio do primeiro tempo para frente, culminando na eliminação nos pênaltis, até fez sentido. Com muita emoção no Engenhão, Maicosuel fez 2 a 1 nos acréscimos, só que nas cobranças o grande vitorioso por 5 a 4 foi o time de Campos, após erro do craque na primeira.

Ao clube, agora, só resta se fechar para não desperdiçar a chance de ser campeão estadual direto, com a conquista da Taça Rio, que estará em jogo contra o Rubro-Negro. Já os campistas vão esperar pela definição entre Figueirense e Ponte Preta, que jogam dia 22 pela vaga.

Confira também como foi Águia x Fluminense

O JOGO:

Como um foguete, o Botafogo começou o jogo acuando o Americano, que levou cerca de dez minutos para conseguir sair do campo de defesa com a bola dominada. Triangulações entre Thiaguinho, Léo Silva e Victor Simões davam a velocidade necessária para que o goleiro Jeferson fosse ameaçado com certa frequência.

Reinaldo, em seguida, deu trabalho ao camisa 1 com um potente chute de canhota da meia-lua. Quando o Americano passava a gostar da partida – lembrando que até esse momento garantia-se na outra fase -, Juninho recuperou uma bola, arrancou pelo meio e tabelou com Victor Simões, que, de letra, deixou o zagueiro na boa para acertar bom chute no ângulo direito.

A vantagem foi o empurrão fundamental para que a torcida, presente em bom número, esquentasse o jogo. Pena somente acabou sendo a lesão de Reinaldo, que teve de sair, poupado, reclamando de desconforto na coxa esquerda. Isso talvez tenha desanimado um pouco o time, que cedeu espaços. Ao fim da primeira etapa, o Americano já era até melhor.

SEGUNDO TEMPO:

E o panorama seguiu assim logo depois do intervalo, com duas chances criadas por Kiesa, justamente pelo lado da defesa que Ney Franco mexeu, ao pôr o ofensivo ala Gabriel no lugar de Wellington. Com as instruções do treinador, porém, os jogadores foram se ajustando em campo.

Na prática, ficou assim: Leandro Guerreiro passou a ser o zagueiro pela esquerda, função semelhante a que poderá ocupar de novo no domingo, contra o Flamengo, em virtude da suspensão de Juninho; Thiaguinho seguiu para o meio-de-campo e Gabriel povoou sua vaga.

O que era para melhorar, tornar o Fogão mais ofensivo, se transformou em tensão no Engenhão, quando Eberson deixou Kiesa livre para deslocar Renan e empatar. A partir daí, quem apoiava passou a cobrar, quem estava bem no jogo, ficou nervoso… Afinal, era preciso fazer dois gols para passar! Thiaguinho desperdiçou grande chance, ao testar sua canhota cega.

Toninho Andrade, então, deu início às suas substituições para interromper a partida, e nada de o time de Ney encontrar alternativas para invadir a populosa área rival com qualidade. Nem mesmo a entrada do estreante Jean Coral resolveu alguma coisa. Em boa noite, Juninho tentou de suas bombas, mas foi Maicosuel, por sua vez, que explodiu uma no travessão.

E foi assim, tentando acreditar no que estava acontecendo, já que estava prestes a ser a primeira decepção oficial da temporada, que o Botafogo arriscou, driblou e errou muito. Até que surgiu um Mago, aos 46 minutos, ensaboado como só ele, que encaixou a bola no canto esquerdo e fez 2 a 1, resultado que levaria a decisão da vaga para os pênaltis, quebrando todos os paradigmas de que, ali, a bola não mais entraria.

Minutos depois, porém, o mesmo craque desperdiçou seu chute, o primeiro do time, e o Americano foi competente o suficiente para acertar as cinco batidas. Pirão marcou o último e levou a vaga para Campos.
DISPUTA DE PÊNALTIS:

Botafogo: Maicosuel (ERROU), Juninho (GOL), Léo Silva (GOL), Victor Simões (GOL) e Leandro Guerreiro (GOL)
Americano: Kiesa (GOL), Paulo Henrique (GOL), Carlão (GOL), Ernani (GOL) e Pirão (GOL)
FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 2 X 1 AMERICANO

NOS PÊNALTIS: 4 X 5

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 16/04/09 – 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Djalma José Beltrami Teixeira (RJ)
Assistentes: Eduardo de Souza Couto (RJ) e Flavio Manoel da Silva (RJ)
Renda/público: R$ 142.235,00 / 17.809 pagantes (19.229 presentes)
Cartões amarelos: Victor Simões, Wellington e Alessandro (BOT) Diego Sales, Renan e Élson (AME)
Cartões vermelhos: –
GOLS: Juninho, 18’/1ºT (1-0), Kiesa, 20’/2ºT (1-1) e Maicosuel, 46’/2ºT (2-1)

BOTAFOGO: Renan, Fahel (Jean Coral, 27’/2ºT), Juninho e Wellington (Gabriel, intervalo); Alessandro, Leandro Guerreiro, Léo Silva, Maicosuel e Thiaguinho; Reinaldo (Diego, 29’/1ºT) e Victor Simões – Técnico: Ney Franco.

AMERICANO: Jeferson, Elson, Carlão e Anderson; Paulo Henrique, Pirão, Renan, Éberson (Elias, 38’/2ºT) e Ernani; Diego Sales (Diego, 27’/2ºT) e Kieza – Técnico: Toninho Andrade.

* Atualizado às 23h

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

abril 17, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Escudero é liberado para estrear pelo Timão

Zagueiro aparece no BID e pode ser relacionado para pegar o Mogi, na quarta

Eduardo Viana)Escudero já treina no Corinthians desde a semana passada (Foto: Eduardo Viana)

LANCEPRESS!

O zagueiro Sergio Escudero, enfim, está liberado para estrear pelo Corinthians. O nome do argentino apareceu nesta segunda-feira no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e, agora, apenas depende do técnico Mano Menezes para jogar.

No último final de semana, o treinador corintiano já o levou para a concentração. Porém, como não foi liberado, Escudero foi cortado da partida contra a Portuguesa, que terminou empatada por 1 a 1, no último sábado, no Pacaembu.

A possibilidade de escalá-lo abre um leque de opções para Mano. O argentino, que se vê como lateral-esquerdo, também atua como segundo volante pelo lado esquerdo e até como terceiro zagueiro, no 3-5-2.

– É um jogador que pode ser utilizado em várias posições, e isso é importante para qualquer treinador – disse Mano, após sua contratação.

O argentino pode substituir André Santos no próximo domingo, no clássico contra o São Paulo, no Morumbi, caso o titular leve o terceiro amarelo nesta quarta, contra o Mogi Mirim, no Pacaembu.

fevereiro 9, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , | Deixe um comentário

Reformulado, Glorioso 2009 enfrenta o Boavista de olho em mais uma decisão

Alvinegro dá largada neste sábado à temporada com muitas caras novas no elenco, mas ainda sob o comando do remanescente treinador Ney Franco

O Botafogo inicia neste sábado a luta para chegar à terceira final seguida do Campeonato Carioca. A equipe começa a sua trajetória por Saquarema, onde enfrenta o Boavista, às 16h (de Brasília), pela primeira rodada da Taça Guanabara. O Alvinegro terá uma equipe reformulada, mas ambiciosa. O objetivo será, agora, conquistar o título que deixou escapar nos dois últimos anos. O Premiere transmite a partida ao vivo, e o GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real.

O jogo deste sábado será o primeiro contato da torcida com um time bem diferente daquele que ela acostumou a ver nos últimos dois anos. Dos que terminaram 2008 como titulares, estarão em campo apenas o goleiro Renan, o lateral-direito Alessandro, o volante Leandro Guerreiro e o meia Lucas Silva. A maioria da equipe principal é composta por caras novas.

Até mesmo o esquema tático mudou. Ney Franco optou por uma formação no 3-5-2, com Leandro Guerreiro atuando como líbero. No meio-campo, ao lado de Lucas Silva, Maicosuel terá a missão de municiar os atacantes Diego e Victor Simões, um dos destaques da pré-temporada que durou duas semanas e aconteceu no Caio Martins, em Niterói.

Ampliar Foto Jorge William/O Globo Jorge William/O Globo

Ney Franco orienta os jogadores que formam o novo Botafogo

É no setor ofensivo, aliás, que o Botafogo terá o seu único desfalque. Reinaldo, um dos principais jogadores do elenco, sofreu um estiramento na coxa direita durante o jogo-treino contra o Olaria, na última quarta-feira. Esse fato gerou frustração, mas não diminuiu o otimismo de Ney Franco. Ele confia na boa atuação da equipe, embora saiba que o entrosamento ainda não é o ideal.

– Peço paciência à torcida, porque são normais as dificuldades neste início de temporada. Ainda buscamos a melhor forma física e técnica, o que acontecerá apenas com a sequência de jogos. De qualquer forma, isso não mudará nosso objetivo, que será sempre o de vitória.

No Botafogo, clube tão apegado à tradição, até mesmo a nostalgia tem gosto de novidade. A partida contra o Boavista também marcará a volta de um velho conhecido. Juninho, que passou o ano de 2008 no São Paulo, estará de volta ao comando da zaga, conquistando o status de capitão.

– Dá um frio na barriga só de pensar em voltar a disputar o Campeonato Carioca. Contamos com o apoio da torcida, e vamos superar a falta de entrosamento com muita garra – prometeu o zagueiro.

Mesmo sem medalhões, Boavista mostra confiança

Ampliar Foto Agência/Globo Agência/Globo

Juninho retorna ao Botafogo após um ano atuando pelo São Paulo

O Boavista também apresenta muitas caras novas para o Campeonato Carioca. Mas algumas das mais famosas, como o zagueiro Gustavo e o volante Cocito (ambos campeões brasileiros pelo Atlético-PR, em 2001), não poderão atuar, pois ainda recuperam a forma física. De qualquer forma, a equipe de Saquarema conta com o alçapão do Estádio Elcyr Resende de Mendonça, onde derrotou o Botafogo em 2007, acabando com as chances do Alvinegro de chegar à semifinal da Taça Guanabara.

O técnico Júlio Marinho tem apenas uma dúvida no time titular. Pessanha, ex-Internacional, e Juan disputam uma vaga na defesa. Mesmo assim, o comandante do Boavista acredita num bom desempenho de sua equipe na primeira rodada e no restante do Campeonato Carioca.

– O jogo de estreia é sempre mais complicado, mas estou confiante de que faremos uma boa partida, principalmente por estarmos jogando no nosso estádio. O Botafogo montou um elenco forte também e será um adversário difícil. Acredito que o ponto forte deles será o conjunto. O que as pessoas podem esperar do Boavista no Campeonato Carioca é um time competitivo e com vontade de vencer – afirmou Júlio Marinho.

BOAVISTA BOTAFOGO
Erivélton, Rogério Rios, Pessanha (Juan), Santiago e Hamilton; Thiaguinho, Alexandre Silva, Bruno Moreno e Têti; Tony e Roberto Santos. Renan, Emerson, Leandro Guerreiro e Juninho; Alessandro, Léo Silva, Lucas Silva, Maicosuel e Eduardo; Diego e Victor Simões.
Técnico: Júlio Marinho. Técnico: Ney Franco.
Estádio: Elcyr Resende de Mendonça, em Saquarema (RJ). Data: 24/01/2009. Árbitro: Marcelo de Souza Pinto. Auxiliares: Jackson Lourenço Massara dos Santos e Marcos Antônio Bastos Júnior.
Transmissão: O Premiere, pelo sistema pay-per-view, mostra para todo o país.
Tempo Real: O GLOBOESPORTE.COM acompanha a partir de 16h (de Brasília)

janeiro 24, 2009 Posted by | Botafogo | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Borges, agora, vive com a sombra de Washington

Atacante são-paulino dispara: ‘Meus números falam por mim’

Borges foi o artilheiro do time no ano passadoBorges foi o artilheiro do time no ano passado (Crédito: Lancepress!)

LANCEPRESS!

No começo do ano passado, Borges era pouco falado e viveu com a sombra do Imperador Adriano. Em 2009, a história parece se repetir. Mesmo sendo o artilheiro do time em 2008, com 26 gols, Borges agora convive com o fantasma de Washington, contratado para ser o grande nome do ataque são-paulino.

– Ano passado falaram que era Adriano e mais um. Eu não era cogitado e fui um dos que mais jogou com o Adriano. Tudo é questão de entrosamento. Não cabe a mim dizer quem vai jogar. Não preciso ficar falando, os números falam por mim – disse Borges.

Juntos, Borges e Washington marcaram 37 gols no Brasileirão. Agora na mesma equipe, esta dupla tem tudo para brilhar nesta temporada. Borges quer brigar pela artilharia, mesmo lutando contra Kléber Pereira, Ronaldo, Keirrison e Ronaldo.

– Vou trabalhar para fazer meu papel. Nos últimos dois anos fui artilheiro do São Paulo. Não vou falar antes das coisas acontecerem e vou trabalhar para buscar a artilharia – completou o são-paulino.

janeiro 16, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Agora, Grêmio precisa torcer por algozes

Gaúchos poderão ultrapassar o Palmeiras no confronto direto. Porém, para desbancar o São Paulo, precisarão de ajuda

Após perder a liderança do Brasileirão na rodada passada, no empate em 1 a 1 com o Figueirense, em pleno Olímpico, o Grêmio foi obrigado a adotar uma nova estratégia: secar o líder São Paulo. E a ajuda poderá vir de quem atrapalhou os planos de título dos gaúchos.

Nas últimas cinco rodadas, o Tricolor Paulista enfrentará quatro equipes que tiraram pontos do Grêmio no returno do Brasileirão (Portuguesa, Figueirense, Fluminense e Goiás). Em terceiro lugar (60 pontos), o time do técnico Celso Roth poderá ultrapassar o Palmeiras (2º com 61), pois ainda o enfrentará na capital paulista.

Mas como não jogará mais contra o São Paulo (62 pontos), apesar de ter vencido os dois confrontos, precisará da ajuda dos algozes do returno que ainda pegarão o time paulista.

O Grêmio perdeu dez pontos para esses adversários. Foi derrotado pela Lusa no Canindé e pelo Goiás no Olímpico e empatou com Figueira (em casa) e Fluminense (Maracanã).

Porém, essa torcida pelos algozes só fará sentido se o time gaúcho vencer seus rivais. E para cumprir esse objetivo, será preciso que Celso Roth consiga motivar seus jogadores, tarefa que não será fácil. Antes do empate com o Figueira, no domingo passado, houve uma palestra especial.

– Saímos muito motivados da palestra. Mas, no dia seguinte, as coisas não aconteceram tão bem como desejávamos – admitiu um atleta, que não quis se identificar.

novembro 5, 2008 Posted by | Grêmio | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário