Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Após mais de três horas, Timão e Lusa empatam

Tempestade para jogo por uma hora e vinte e dois minutos no segundo tempo. Torcida pede pela volta de Herrera

Tom Dib/Lancepress!)Elias (à direita) disputa bola com Guigov durante o jogo (Foto: Tom Dib/Lancepress!)

LANCEPRESS!

A forte chuva que caiu em São Paulo na tarde deste sábado fez com que Corinthians e Portuguesa disputassem um jogo inesquecível. Não pelo resultado de 1 a 1 pelo que aconteceu dentro de campo. Do apito incial, às 17h, ao apito final foram três horas e 20 minutos. A tempestade inundou o gramado, fez as luzes do estádio apagarem e a partida ficar suspensa por partida ficar parada das 18h14 (4 minutos do segundo tempo até) às 19h36.

A igualdade não agradou os torcedores do Timão. Ao fim do jogo, o time saiu de campo sobre os gritos de “Herrera”, que está no Grêmio. Souza, contratado neste ano, ainda não caiu nas graças da Fiel por conta dos muitos gols perdidos.

Com o resultado, o Timão se manteve na liderança do Paulistão com 14 pontos. Mas pode ser ultrapassado pelo Palmeiras, que, mesmo com um jogo a menos, soma 12 pontos e recebe o Santos, neste domingo, no Palestra Itália. Já a Lusa está com 8 e não ficará acima da oitava colocação da tabela ao final da rodada.

Começou a chover com dez minutos de jogo, mas no intervalo, a força aumentou e uma tempestade castigou o gramado. A drenagem do campo do Paulo Machado de Carvalho deixou a desejar e, mesmo assim, o árbitro Flávio Rodrigues Guerra decidiu que os times deveriam voltar para a segunda etapa. Após quatro minutos de jogo e um ataque do Timão no qual as poças d´água foram as principais defensoras da Lusa, o juiz parou a partida, às 18h14. Os times foram imediatamente para o vestiário, no exato momento em que acabou a luz no estádio.

A partir daí, uma série de informações desencontradas foram divulgadas no vestiário do Pacaembu, até que a partida fosse reiniciada. A primeira, através do árbitro Flávio Rodrigues Guerra, suspendia definitivamente o jogo. Minutos depois, às 18h30, a Federação Paulista de Futebol informou que o árbitro esperaria 30 minutos, até às 19h, para ver se o campo dava condições de a partida ser retomada. Mas os jogadores já tomavam banho no vestiário e as arquibancadas estavam vazias. Então, às 19h04, foi informado que o jogo seria reiniciado em 40 minutos. E ele voltou às 19h36, após muita reclamação do diretor de futebol do Corinthians, Mário Gobbi.

O técnico Mano Menezes também chiou muito com a situação:

– Eles já tinham tomado banho, se alimentado. É temerário isso. O árbritro nos avisou que o jogo estava suspenso. Mas o famoso telefone do futebol brasileiro fez com que o jogo tivesse que recomeçar – disse ele.

Dentro de campo:

Mano Menezes surpreendeu na escalação. Tudo levava a crer que ele promoveria o retorno imediato do meia Douglas, que não atuou nas últimas quatro partidas por conta de uma lesão no púbis. No entanto, o técnico corintiano colocou o jovem Boquita em campo. Outra mudança foi a entrada de Túlio na cabeça de área, ao invés de Fabinho, que era favorito. Ao lado da revelação da Copinha, Morais voltou de suspensão e armou as jogadas de ataque.

O primeiro tempo começou agitado, mas a chuva esfriou os ânimos dos times e determinou um jogo lento, com poucas emoções. A primeira foi da Lusa. Logo aos 4 minutos, uma jogada entre dois veteranos chegou a balançar a rede. Da direita, o lateral César Prates cruzou bem para a área, onde o atacante Christian empurrou para o gol, mas o árbitro assistente Celso Barbosa de Oliveira marcou acerdatamente o impedimento.

Já torcida corintiana vibrou em dois lances no primeiro tempo. Jorge Henrique, que voltou de lesão, acertou forte chute e obrigou o goleiro Vítor a fazer boa defesa, mas ele rebateu para o meio e foi a vez de André Santos bater ao gol para que Vítor defendesse mais uma vez. Já no final do primeiro, o atacante Souza demonstrou sua habilidade para perder gols, mas com estilo. O camisa 50 recebe de Morais e chutou forte, no canto esquerdo alto do arqueiro lusitano que espalmou para escanteio.

Com muita chuva e possibilidade de atraso no início do segundo tempo, os times voltaram no horário previsto. Douglas, de volta após quatro jogos fora por conta de uma lesão no púbis, entrou no lugar de Boquita. Mas a bola rolou apenas quatro minutos, até que o árbitro Flávio Rodrigues Guerra percebesse o óbvio: não havia condição alguma de se jogar futebol.

Uma hora e vinte e dois minutos depois da paralisação, as equipes voltaram surpreendetemente dispostas. Em menos de dez minutos, os times criaram algumas chances e o atacante Jorge Henrique conseguiu cavar a expulsão do volante Ediglê, que derrubou o camisa 23, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso, aos 13 minutos.

Com um jogador a mais, o Corinthians tinha mais espaço para armar as suas jogadas, entretanto o time estava descalibrado e desperdiçava as chances. O lance mais perigoso foi de Jorge Henrique. Ele arriscou de fora da área, a bola desviou na zaga e acertou o travessão de Vítor.

Sem marcar, o Timão sofreu o gol aos 30 minutos. Guigov fez belo lançamento da defesa, Christian ganhou na disputa com Jean e chutou para o fundo da rede, sem chance defesa para Felipe. 1 a 0 para a Portuguesa. E o Timão, não teve tempo para nervosismo. Três minutos depois, Otácilio Neto recebeu ótimo passe de Túlio, ganhou da defesa e bateu forte no canto esquerdo para comemorar o seu segundo gol no Paulistão.

Depois disso, os times cansaram e o placar terminou igual, num dia inesquecível no Pacaembu.
FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 1 X 1 PORTUGUESA

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 7/2/2009 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP)
Auxiliares: Celso Barbosa de Oliveira (SP) e Claudson Lincoln Beggiato (SP)

Renda/público: R$ 540.605,00/23.988 pagantes

Cartões amarelos: Elias (COR); Ediglê e Alex Bruno (POR)
Cartão vermelho: Ediglê (POR)
GOLS: Christian, 30’/2ºT (0-1); Otacílio Neto, 34’/2ºT (1-1);
CORINTHIANS: Felipe, Alessandro (Diogo, 36’/1ºT), Chicão, Jean e André Santos; Túlio, Elias, Boquita (Douglas, intervalo) e Morais (Otacílio Neto, 19’/2ºT); Jorge Henrique e Souza. Técnico: Mano Menezes.

PORTUGUESA: Vitor, Alex Bruno, Bruno Rodrigo e Erick; César Prates, Ygor, Ediglê, Marco Antônio e Athirson (Guigov, 37’/1ºT); Edno (Rai, 31’/2ºT) e Christian (Heverton, 35’/2ºT). Técnico: Mário Sérgio.

fevereiro 9, 2009 Posted by | Corinthians, Portuguesa | , , , , , , , | Deixe um comentário