Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Atlético-GO empata com o Vitória e se mantém na Série A

Rubro-Negro baiano, finalista da Copa do Brasil-2010, volta para a Segunda Divisão depois de três anos

A última vaga na Série A é do Atlético-GO, que empatou em 0 a 0 com o Vitória, na tarde deste domingo, no Barradão. Com os mesmos 42 pontos, o Dragão se garantiu na elite por ter duas vitórias a mais que o Leão. Assim, depois de três anos na Primeira Divisão, o time baiano, finalista da Copa do Brasil-2010, voltará a disputar a Série B.

Surpreendendo a todos, o técnico Antônio Lopes optou por escalar o Vitória com três atacantes: Henrique, Júnior e Adaílton. Mas a nova formação não surtiu efeito. Isso porque o Rubro-Negro seguia jogandocomo nas rodadas anteriores, explorando o lado direito.

Com a vantagem debaixo do braço, o Atlético-GO mostrava-se mais tranquilo, mas isso sem precisar jogar na retranca. Já o time da casa estava visivelmente nervoso. Tanto que, em saída de bola errada, Egídio perdeu a bola para Marcão, que tenta surpreender Viáfara com chute de longe, mas viu a bola ir longe demais.

Mesmo com os gritos de Antônio Lopes, o Vitória não se acertava em campo. Pressionava o Dragão, mas de forma totalmente desorganizada. Em um avanço pela direita, a bola sobrou para o jovem Adaílton, que arriscou um chute torto. Vendo que o jogo estava complicado, a torcida, que deveria ser um trunfo do Leão, permanecia calada.

Mas os torcedores puderam se animar um pouco (apenas um pouco) na volta do intervalo. Com Elkeson no lugar de Adaílton, o Vitória começou a jogar tentando unir meio de campo e ataque. Em um lance, Elkeson cruzou da direita e Júnior mergulhou, mas a boa cabeçada foi para fora.

A resposta do Atlético-GO, porém, foi rápida. Anderson Martins falhou na hora do corte e a bola sobrou para Juninho, que arrancou sozinho, sem marcação. Na frente de Viáfara, o atacante driblou o camisa 1, chutou, mas, antes de a bola entrar, Neto Coruja tirou perto da linha. Depois dessa jogada, o Dragão passou a defender, enquanto o Vitória tentava, de todos os jeitos, abrir o placar.

Mas, se a situação já estava complicada, ela ficou ainda mais. Isso porque Gabriel Paulista aplicou entrada criminosa em Anaílson e recebeu o cartão vermelho imediatamente. Com um homem de defesa a menos, o Vitória passou a jogar no coração. Mas não foi suficiente. O Leão troca de lugar com o Bahia, para delírio dos torcedores do Tricolor de Aço.

FICHA TÉCNICA:
VITÓRIA 0 X 0 ATLÉTICO-GO

Local: Barradão, em Salvador (BA)
Data/Hora: 5/12/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spinola (SP-Fifa)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP-Fifa) e Carlos Berkenbrock (SC-Fifa)
Cartões amarelos: Júnior, Egídio, Uelliton (VIT); Welton Felipe, Agenor, Márcio, Juninho, Robston (ATG)
Cartões vermelhos: Gabriel Paulista (VIT – 37’/2T)

VITÓRIA: Viáfara, Jonas, Gabriel Paulista, Anderson Martins e Egídio; Neto, Uelliton e Fernando (Ramon, 13’/2T); Henrique (Schwenck, 35’/2T), Júnior e Adaílton (Elkeson, intervalo). Técnico: Antônio Lopes.

ATLÉTICO-GO: Márcio, Adriano, Gílson, Welton Felipe e Thiago Feltri; Agenor, Pituca, Róbston e Elias (Anaílson, 29’/2T; Juninho (William, 43’/2T) e Marcão. Técnico: René Simões.

dezembro 5, 2010 Posted by | Vitória | | Deixe um comentário

Empate com o Inter mantém Vitória na zona da degola

Na última rodada, time pega Atlético-GO de olho na sobrevivência

Internacional e Vitória empataram em 1 a 1, neste domingo, no Beira-Rio. Os gols fora de Adaílton e Rafael Sobis. O resultado manteve o Vitória na zona do rebaixamento, com 41 pontos ganhos. O Inter despediu-se de sua torcida antes do embarque rumo ao Mundial de Clubes, em Abu Dhabi. Na próxima rodada, no próximo domingo, o Vitória recebe a visita do Atlético-GO, enquanto o Inter, quinta-feira, encerra o Brasileirão diante do Grêmio Prudente, em Presidente Prudente.

Os primeiros 45 minutos foram gelados. Os visitantes pareciam dispostos a sair com um empate a todo custo. O esquema formado por Antônio Lopes deixou o atacante Elkeson absolutamente isoilado entre a zaga rival. O Internacional, por sua vez, mais parecia disputar um recreativo de luxo, com direito a uniforme, súmula e arbitragem.

Mesmo sem ser incisivo, a iniciativa maior do jogo foi dos colorados. Este leve domínio, entretanto, não foi traduzido em oportunidades de gol. Os goleiros Viáfara e Renan foram espectadores privilegiados dentro do campo de jogo: as equipes praticamente não arremataram em gol. Para ser mais preciso, houve um chute de cada lado.

O Vitória voltou à etapa final mais ousado. Se passou a primeira metade do jogo empenhado em defender, o time retornou do intervalo com uma proposta mais ofensiva. A tática não tardou a surtir efeito: aos 5, Adaílton, em jogada individual, mandou uma bomba indefensável para Renan.

A vantagem, contudo, devolveu ao Vitória o ímpeto excessivamente defensivo. A equipe se fechou em demasia, o que proporcionou campo ao Inter. O empate colorado veio aos 16 minutos, em um chutaço de Rafael Sobis. Golaço e justiça no placar do Beira-Rio.

O desenho da partida seguiu inalterado. O Inter em busca do gol de desempate, e o Vitória lutando e rezando para que o tempo passasse mais depressa. Com o apito final, vibração rubro-negra por um pontinho que pode ser valioso no fim.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL X VITÓRIA

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (SP-Fifa)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e João Antônio Sousa Paulo Neto (DF)
Cartões amarelos: Neto Coruja (VIT); Sobis, Nei (INT)
Cartões vermelhos: Não houve
Gols: Adaílton, 5’/2ºT (0-1); Sobis 16’/2ºT (1-1)

INTERNACIONAL: Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Mathias, Guiñazu, Tinga (Andrezinho, 15’2ºT), D’Alessandro (Giuliano, 15’2ºT); Rafael Sobis e Alecsandro (Leandro Damião, 31’2ºT). Técnico: Celso Roth.

VITÓRIA: Viáfara, Nino, Gabriel Paulista, Anderson Martins e Egídio; Uelliton, Neto, Bida (Vanderson, 35’2ºT) e Elkeson (Fernando, intervalo); Júnior (Jacson, 20’2ºT) e Adailton. Técnico: Antônio Lopes.

novembro 28, 2010 Posted by | Internacional, Vitória | | Deixe um comentário

Vitória encara o Internacional na luta para ficar na Série A

Equipe baiana é, hoje, a 17ª colocada, com os mesmos 40 pontos de Avaí e Atlético-GO. Colorado terá força máxima

O Vitória precisa vencer o Internacional, neste domingo, às 17h, no Beira-Rio, jogo com transmissão em tempo real no LANCENET!, e torcer por tropeços de Avaí e Atlético-GO para ainda sonhar com a permanência na Série A.

Caso seja derrotado e os rivais catarinense e goiano vençam, o Vitória volta para Salvador rebaixado para a Segunda Divisão.

O Rubro-Negro baiano tem dois desfalques importantes para o jogo em Porto Alegre. O meia Ramon e o atacante Henrique, lesionados, não poderão ser escalados. Assim, o técnico Antônio Lopes deve optar por Bida e Elkeson como seus respectivos substitutos.

Apesar de não ter treinado na quinta, o zagueiro Gabriel Paulista deve ser o companheiro de Anderson Martins. Na frente, a dupla Júnior/Adaílton será mantida.

Colorado com força máxima

Mês que vem, o Internacional começa a disputar o Mundial de Clubes da Fifa. Por isso, vai escalar força máxima contra o Vitória para deixar o time bem preparado para o último compromisso do ano.

Na partida que marcará a despedida diante de sua torcida antes do embarque para Abu Dhabi, os colorados poderão ver Renan reassumir a camisa 1 depois do rodízio promovido pelo técnico Celso Roth.

Depois de receber o prêmio de melhor jogador da Libertadores, Guiliano está confirmado entre os titulares. Quem também estará em campo neste domingo é Guiñazu, que participou do sorteio da Libertadores-2011, quinta, no Paraguai.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL X VITÓRIA

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (SP-Fifa)
Axiliares: Roberto Braatz (PR) e João Antônio Sousa Paulo Neto (DF)

INTERNACIONAL: Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Mathias, Guiñazu, Giuliano, D’Alessandro; Rafael Sobis e Alecsandro. Técnico: Celso Roth.

VITÓRIA: Viáfara, Nino, Gabriel Paulista, Anderson Martins e Egídio; Uelliton, Neto, Bida e Elkeson; Júnior e Adailton. Técnico: Antônio Lopes.

novembro 27, 2010 Posted by | Internacional, Vitória | | Deixe um comentário

Timão empata no Barradão e perde a liderança para o Flu

Com o resultado em 1 a 1 contra o Vitória, o Corinthians volta a depender de resultados para ser campeão. Já o Rubro-Negro Baiano pode acabar a rodada na zona de rebaixamento

Em um jogo nervoso e repleto de emoções, Vitória e Corinthians ficaram no 1 a 1 no Barradão. Com o empate, o Timão tem uma boa e outra má notícia. A ruim é que, com a vitória do Fluminense por 4 a 1 diante o São Paulo, a equipe de Parque São Jorge perdeu a liderança do Brasileirão há duas rodadas do final da competição. Já a boa é que a vaga na Libertadores já está matematicamente garantida, devido a derrota do Botafogo para o Internacional por 2 a 1. Com a igualdade, o Rubro-Negro Baiano poderá acabar a rodada na zona de rebaixamento, dependendo do resultado da partida entre Avaí e Atlético-GO.

Perto da zona de rebaixamento, o Vitória foi a campo visando apenas os três pontos. Com oito gols neste Brasileirão, o atacante Júnior era a grande esperança de gols dos donos da casa. Já o Corinthians, apostava na força de seu elenco para vencer mais uma e ficar ainda mais perto do título. Com os desfalques de Dentinho e Bruno César, era a grande chance de Danilo e Jorge Henrique fazerem valer o forte elenco alvinegro. Na frente, Ronaldo, mais uma vez, estava louco para decidir.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

jogo

Com o forte calor em Salvador e o clima de decisão no ar, Vitória e Corinthians demoraram a criar chances de gol, preferindo se estudar em campo. Depois do início truncado, o Timão assustou duas vezes o goleiro Viáfara. Primeiro com Elias, desarmado na hora “H” na entrada da área e depois com Jorge Henrique. O atacante recebeu lindo passe de Ronaldo e, na frente do gol, chutou em cima do goleiro rubro-negro, aos 14 minutos.

Melhor na partida, os visitantes abriram o placar aos 20. Depois de linda troca de passes entre Ronaldo e Danilo, o meia recebeu na entrada da área e tocou na saída de Viáfara que ainda conseguiu um leve desvio na bola.

Se tudo ia muito bem para os corintianos, a primeira má notícia veio a tona aos 27 minutos. Depois de furar um lançamento, Ronaldo colocou a mão na coxa direita e caiu no gramado, lesionado, deu lugar a Iarley. Problema para a reta final do Brasileirão?

Atrás no placar, os baianos passaram a arriscar mais. Depois de algumas tentativas prontamente interrompidas pela zaga paulista, o Vitória enfim chegou a igualdade. Ralf tentou recuperar a bola na área corintiana e acabou colocando a mão na bola. Bem posicionado Simon marcou o pênalti e na cobrança Viáfara marcou. Tudo igual aos 43 do primeiro tempo, sem tempo para mais nada.

Animado com o empate, o Rubro-Negro baiano voltou para o segundo tempo atacando. Aos seis minutos, a defesa do Timão vacilou na saída de bola e a bola sobrou para Elkeson. O meia invadiu a área, cortou o zagueiro William e bateu, obrigando Julio César fazer defesa milagrosa. Aos 15 minutos o goleiro alvinegro voltou a salvar. Adaílton pegou a sobra no bate e rebate na área e, na cara do gol, chutou em cima do goleiro.

Os donos da casa continuaram a pressão e chegaram até a marcar aos 20 com Júnior, mas o bandeira assinalou impedimento, para insatisfação geral dos baianos. A resposta do Corinthians veio dois minutos depois. Jorge Henrique recebeu pela direita e fez o cruzamento, sozinho Iarley por pouco não alcançou a bola.

Depois de minutos de muita disputa da bola no meio de campo, o Vitória voltou a assustar aos 35. Henrique, que entrou no segundo tempo no lugar de Elkeson, invadiu bem a área, bateu e obrigou Julio César praticar mais uma importante defesa. A resposta corintiana veio dois minutos depois. Após confusão na área, a bola sobrou para Danilo que, dominou no peito e bateu por cima da meta rubro-negra.

Já nos minutos finais, o Corinthians passou a exercer uma pressão. Com ampla posse de bola, os alvinegros esbarravam na defesa adversária até o final da partida.

No próximo domingo o Timão recebe o Vasco da Gama no Pacaembu, às 17h. Já o Vitória vai até o Rio Grande do Sul enfrentar o Internacional no Beira Rio.

FICHA TÉCNICA:
VITÓRIA 1 X 1 CORINTHIANS

Local: Barradão, Salvador (BA)
Data/Hora: 21/11/2010 às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann e por Julio Santos(RS)

Gols: Danilo, 20’/1ºT (0-1), Viáfara, 43’/1º (1-1)

Cartões Amarelos: Nino Paraíba, Egídio (Vitória), Ralf, Elias (Corinthians)

Público e Renda: 26.670 pagantes/ R$ 331.800,00

VITÓRIA: Viáfara; Nino Paraíba, Gabriel, Anderson Martins e Egídio; Neto Coruja (Bida, 27’/2ºT), Uelliton, Ramon (Fernando, 23’/2ºT) e Elkeson (Henrique, 13’/2ºT); Adailton e Júnior.
Técnico: Antônio Lopes

CORINTHIANS: Julio César; Alessandro, William, Chicão e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Danilo; Jorge Henrique (Paulinho, 32’/2°T) e Ronaldo (Iarley, 29’/1ºT).
Técnico: Tite

novembro 21, 2010 Posted by | Corinthians, Vitória | | Deixe um comentário

Duelo entre Vitória e Corinthians promete ferver o Barradão

Decisão entre baianos e paulista promete fortes emoções. Timão segue na briga pelo caneco e Leão quer se afastar da zona da degola

No próximo domingo é dia do Barradão ferver! Não só pela alta temperatura que é prevista em Salvador e sim pelo duelo decisivo entre Vitória e Corinthians às 17h. Apesar dos diferentes momentos vividos pelas equipes, ingredientes não faltarão para um grande jogo. Na beira do abismo, há dois pontos da zona de rebaixamento, os donos da casa querem fazer valer o fator casa para conseguir os três pontos. Já o Timão, que briga rodada a rodada pelo título, precisa vencerpara se manter na liderança do Brasileirão sem depender de outros resultados.

No Vitória…

Com algumas dúvidas para escalar sua equipe, o técnico Antônio Lopes fez mistério após o último treino do Rubro-negro baiano, realizado nesta sexta-feira, e não revelou qual será a equipe que vai entrar em campo no domingo.

Lopes vai aguardar até o último instante para saber se poderá contar ou não com o experiente meia Ramon, que vem fazendo tratamento intensivo para se curar de uma lesão na coxa. O jogador chegou a dar uma corrida no campo, mas a sua presença não está certa. Na atividade desta sexta, uma outra dúvida surgiu por causa de um problema físico sofrido pelo volante Neto Coruja. Caso a dupla não se recupere, Bida e Ricardo Conceição deverão ser escalados.

A única certeza no Vitória é a ausência do zagueiro Wallace, que não se recuperou de uma lesão na coxa esquerda. Com isso, Gabriel ganha uma chance na equipe. Uma outra novidade entre os relacionados para a partida é a presença do meia-atacante Aldair, de 19 anos. O jogador treinou bem na última quinta-feira e possivelmente deverá ser utilizado no decorrer do jogo.

Já no Corinthians…

Se o Barradão servirá de alçapão para o Rubro-negro baiano, no lado corintiano a casa adversária dá sorte. Em jogos de Campeonato Brasileiro, o Timão não perde do Vitória no estádio há 14 anos.

Depois de contar com força total no duelo contra o Cruzeiro no Pacaembu, o Timão terá duas importantes baixas para enfrentar o Vitória. Suspensos devido ao terceiro cartão amarelo, Bruno César e Dentinho não jogam. Tite, sem mistério, já escalou Danilo e Jorge Henrique como substitutos. Outro quesito que preocupa Tite é o número de jogadores pendurados. Ao todo são sete: William, Roberto Carlos, Jucilei, Elias, Paulinho, Leandro Castán e Moacir.

Esperança na criação de jogadas, Danilo espera se dar bem na oportunidade que vai receber. Contratado no início da temporada, o meia ainda não se destacou na equipe do Pq São Jorge e espera ser decisivo na reta final do Brasileirão.

– Todo jogador da minha posição quer pelo menos dar um passe e ser decisivo. No jogo, fica sempre essa expectativa – afirmou o camisa 11.

A principal arma alvinegra segue sendo Ronaldo. O camisa 9 vai para a sua sétima partida consecutiva. Desde a sua volta aos gramados o Corinthians ainda não perdeu. Faltando apenas três rodadas para o final do Brasileirão, o Timão depende apenas de si mesmo para levar o caneco e o Fenômeno promete seguir decidindo…

FICHA TÉCNICA:
VITÓRIA X CORINTHIANS

Local: Barradão, Salvador (BA)
Data/Hora: 21/11/2010 às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann e por Julio Santos(RS)

VITÓRIA: Viáfara; Nino Paraíba, Gabriel, Anderson Martins e Egídio; Neto Coruja (Ricardo Conceição), Uelliton, Bida (Ramon) e Elkeson; Adailton e Júnior. Técnico: Antônio Lopes

CORINTHIANS: Julio César; Alessandro, William, Chicão e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Danilo; Dentinho e Ronaldo. Técnico: Tite

novembro 21, 2010 Posted by | Corinthians, Vitória | | Deixe um comentário

Confrontos diretos mexem com a zona do rebaixamento

Quatro duelos diretos contra a degola acontecem nas últimas três rodadas do Brasileirão; sete times fogem de três vagas

Faltando apenas três rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, a luta contra o rebaixamento continua embolada. Somente o Grêmio Prudente já teve sua queda confirmada, após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, na Arena da Baixada, no último domingo.

Nada menos que sete equipes ainda brigam para fugir do fantasma da degola, e as rodadas restantes apontam confrontos diretos, que
certamente definirão quem ocupará as três vagas restantes na Série B de 2011. O LANCENET! ouviu um time de especialistas que apontaram as
diferenças entre os candidatos ao descenso e fizeram suas apostas.
Confira os confrontos diretos contra o rebaixamento:

36ª rodada
Flamengo x Guarani
Avaí x Atlético-GO

37ª rodada
Atlético-MG x Goiás

38ª rodada
Vitória x Atlético-GO

Calculadora na mão

A matemática entra em cena na reta final do Campeonato Brasileiro. De acordo com dados do matemático Tristão Garcia, Atlético-GO e Flamengo, que ainda terão duas partidas em casa, têm 12% de chances de cair. O Atlético-MG, que fará seu último jogo como mandante diante do Goiás, na 37ª rodada, tem 21%.

O Vitória tem os mesmos 39 pontos do Galo, mas tem 20% de chances de rebaixamento, por ainda jogar duas vezes no Barradão, uma delas contra o líder Corinthians e outra contra o Atlético-GO, adversário direto.

Sorte do Leão, azar do Bugre

Avaí e Guarani, segundo Tristão, tiveram suas situações invertidas. Os catarinenses, que ainda jogam duas vezes na Ressacada, tinham maior
chance de cair. Agora, a possibilidade de descenso diminuiu para 57% após a importante vitória, por 3 a 2, fora de casa contra o Internacional:

– O Avaí foi o grande vitorioso da rodada, dentre aqueles que brigam contra o rebaixamento. A vitória fora de casa sobre o Internacional foi
importantíssima para as pretensões da equipe – disse o matemático.
Já o Bugre se complicou com o empate, por 1 a 1, em casa diante do Vitória, para quem o resultado não foi tão ruim assim. O Guarani tem 80%
de chances de cair.

Drama esmeraldino

A situação só não é mais crítica que a do Goiás, que tem 98% de possibilidades de rebaixamento. Com a goleada aplicada sobre o Esmeraldino na 34ª rodada, o já rebaixado Grêmio Prudente “puxou” os goianos para a Série B, segundo Tristão:

– A derrota para o Prudente levou o Goiás junto, sem dúvida. Era um confronto direto e o Goiás já se encontrava em situação delicada.

COM A PALAVRA, OS ESPECIALISTAS:

Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira na conquista dotricampeonato Mundial, em 1970

“Creio que os quatro que estão na zona de rebaixamento devem cair, independentemente dos confrontos diretos. Digo isso em virtude das
campanhas e dos elencos. é importante dar moral, mas quando falta elenco, não há técnico que consiga salvar.”

A aposta de Torres: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí

Estevam Soares, técnico

“Acho que agora é a hora da verdade. Não deve haver surpresa a esta altura da competição. É hora de fazer valer a qualidade do elenco, do
treinador, e de mostrar uma diferença de postura. Quem tem mais elenco, vai se salvar. O Guarani, por exemplo, está em queda livre no campeonato pois falta elenco, apesar do trabalho do Vagner Mancini, que é indiscutível. Já a vitória do Avaí sobre o Internacional nao pode ser
considerada zebra. O clube pegou uma maré ruim na competição, com trocas de comando. Os jogos em casa influenciam muito, com a torcida apoiando. Sem dúvida, a questão do mando é muito importante. Num momento como esse, a torcida não se opõe ao time, mesmo com a situação incômoda. Pelo contrário, se junta ao time, joga junto. Se houver protesto, acontece no fim do jogo, mas durante os 90 minutos, é só apoio.”

A aposta de Estevam: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Humberto Perón, colunista do LANCE!

“A situação do Goiás é muito complicada, só com um milagre. A Sul-Americana pode atrapalhar. O Atlético Mineiro tem boa chance de escapar, com o time crescendo. O Flamengo, mesmo com campanha ruim como mandante, é favorito contra o Guarani, que vinha bem em casa, mas não
vem marcando gols. O Atlético-GO vem sabendo jogar no contra-ataque e vem conseguindo resultados importantes. Já o Vitória, forte no Barradão, enfrenta o líder, em um jogo muito importante. A pressão nessa partida é sobre ambos os times, e o Corinthians vai ter de sair para o jogo.”

A aposta de Perón: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Vitor Birner, colunista do LANCE!

“Acredito que os melbores elencos vão permanecer. O Flamengo e o Galo ficam. Sempre achei que o Avaí fosse cair, mas vem jogando melhor. O Vitória se salva em virtude de sua campanha e suas atuações no Barradão, e também porque seu elenco é melhor que o de Avaí e Guarani. O Bugre vinha bem em casa, mas a estrutura e o elenco não são de primeira divisão. Já o Atlético-GO é uma indefinição constante, não se sabe se
cai ou não, mas, coletivamente, tem mais time que os quatro últimos. O Goiás é outro que tem mais elenco, até mesmo individualmente, que os outros que estão na zona de rebaixamento.”

A aposta de Vitor: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Benjamin Back, colunista do LANCE!

“O campeonato está desenhado. Já temos dois times rebaixados pois, na minha opinião, o Goiás também já foi. Temos do Guarani até o Atlético-GO brigando para não cair, ou seja, sete times lutando para fugir de duas vagas. Na minha opinião, o Atlético-MG não cai. É outro time desde a chegada de Dorival Júnior. O mesmo acontece com o Atlético-GO sob o comando de Renê Simões. Já o Vitória no Barradão é dificílimo de ser batido, e terá ainda dois jogos em casa…mas o futebol é imprevisível. Para mim, o Guarani não se salva, era fogo de palha com a boa campanha em casa no primeiro turno. O Vagner Mancini é bom treinador, mas escolheu mal ao aceitar comandar o Bugre.”

A aposta de Back: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

novembro 15, 2010 Posted by | Atlético-MG, Avaí, Ceará, Flamengo, Goiás, Grêmio Prudente, Guarani, Vitória | | Deixe um comentário

Guarani e Vitória ficam no empate e se complicam na briga contra degola

Equipes ficam no 1 a 1, no Brinco de Ouro. Bugre se mantém na zona de rebaixamento, e Leão segue muito próximo dela

O Guarani já conseguiu fazer um gol, mas ainda falta a vitória para respirar na luta contra o rebaixamento. Neste domingo, o Bugre completou seu décimo jogo sem vencer ao empatar por 1 a 1 com o Vitória, no Brinco de Ouro, e se complicou ainda mais depois da 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time não fazia um gol havia sete jogos e só conseguiu graças a um momento iluminado de Geovane, que marcou um gol olímpico. O time baiano, que também está na parte de baixo da tabela, saiu até satisfeito com a igualdade. Qualquer ponto é fundamental em um momento desses.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

As duas equipes ainda estão muito próximas na classificação. O Bugre caiu para a 18ª posição, com 37 pontos, depois da vitória do Avaí sobre o Internacional. Já o Leão é o primeiro fora da zona de rebaixamento, com 39. A três rodadas do fim, ambos correm sério risco de degola.

Emoção zero

O jogo começou com formações diferentes dos dois lados. Vágner Mancini fez mudanças radicais na equipe e lançou garotos como o volante Paulinho e o atacante Douglas, com a intenção de dar novo gás a um time que não vence desde 25 de setembro. Antônio Lopes quis reforçar o sistema defensivo e escalou três volantes, deixando ainda Jonas improvisado na lateral-esquerda, já que Egídio tem características mais ofensivas.

As mudanças não adiantaram, nem para um lado, nem para o outro. O primeiro tempo teve pouquíssimas chances de gol, mesmo assim sem perigo. No Guarani, como sempre, foi Mazola quem tentou criar as melhores jogadas, caindo pela ponta esquerda e atraindo marcação dupla do Vitória. Com a principal arma neutralizada, ficou difícil para o pior ataque do Campeonato Brasileiro (32 gols).

A torcida faz sua parte, atendendo ao chamado de Vágner Mancini e comparecendo em bom número ao Brinco de Ouro. Mais de 6 mil torcedores apoiaram o Bugre a todo momento. Aos 16 minutos, quase soltaram o grito de gol em uma bela jogada de Apodi, que saiu driblando todo mundo e chutou em cima de Viáfara, no lance mais perigoso de um primeiro tempo horrível. O lateral também participou de uma jogada polêmica, em quel foi derrubado por Elkeson dentro da área. O árbitro Evandro Rogério Roman não marcou nada e ainda deu cartão amarelo para Apodi.

O Vitória sofreu com lesões na primeira etap,a e Antônio Lopes já teve de queimar duas substituições antes do intervalo. Ele perdeu Jonas e Ramon, e teve de lançar Egídio e Thiago Martinelli, perdendo um pouco de força ofensiva.

Golaços e igualdade justa

O segundo tempo começou no mesmo ritmo sonolento, mas a situação foi melhorando aos poucos. Talvez porque Guarani e Vitória viram que seus rivais na luta contra a degola estavam vencendo suas partidas. Era hora de atacar a qualquer custo. E aí, Vágner Mancini lançou dois ex-titulares que ajudaram o time a pressionar o Leão: os experientes Geovane e Reinaldo.

O Bugre pressionou, com todas as suas limitações. Levou muito perigo em uma falta cobrada por Aislan, que chegou a tocar no travessão, e manteve o Vitória em seu campo de defesa na maior parte do tempo. O problema é que a equipe de Vágner Mancini deu o contra-ataque o rival. E aí veio o desespero. Aos 33 minutos, o Leão encaixou ótima jogada rápida. Júnior avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para Adaílton. Sozinho, o atacante finalizou para as redes e calou o Brinco de Ouro: 1 a 0.

A apreensão da torcida durou só dois minutos. Pois aos 35, um iluminado Geovane deu um alento ao bugrino que tanto sofria nas arquibancadas. Em uma cobrança de escanteio, ele surpreendeu o goleiro Viáfara, que saiu muito mal do gol: 1 a 1.

A menos de dez minutos do fim, o Guarani tentou uma pressão final. Claramente satisfeito com o empate fora de casa, o Vitória se segurou na defesa, marcando muito, e comemorou após o apito final. Teve até malandragem de Antônio Lopes, que escondeu a bola para retardar o reinício de jogo. Mesmo conquistando apenas um pontinho, o time baiano ao menos manteve o rival na zona de rebaixamento e respirou um pouco mais na difícil batalha da parte de baixo da tabela.

guarani 1 x 1 vitória
Emerson, Apodi, Aislan, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Paulinho (Paulo Roberto), Diego Barboza (Reinaldo) e Preto; Mazola e Douglas (Geovane) Viáfara, Rafael Cruz, Gabriel, Anderson Martins e Jonas (Thiago Martinelli); Neto Coruja, Uelliton, Bida e Ramón (Egídio); Júnior e Elkeson (Adaílton)
Técnico: Vágner Mancini Técnico: Antônio Lopes
Gols: Adaílton, aos 33, e Geovane, aos 35 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Douglas, Apodi, Preto (Guarani); Ramón, Neto Coruja, Gabriel, Viáfara, Bida (Vitória)
Estádio: Brinco de Ouro, em Campinas (SP). Data: 14/11/2010. Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR). Auxlilares: Gilson Bento Coutinho e Bruno Boschilla (ambos do PR). Público: 6.051 pagantes

novembro 14, 2010 Posted by | Guarani, Vitória | | Deixe um comentário

Mais na raça do que na técnica, Guarani encara o Vitória

Equipes fazem duelo direto contra a zona de rebaixamento neste domingo

Os números não são dos mais animadores no Guarani. Sem vencer há nove rodadas, o time ainda convive com o fato de não balançar a rede adversária há seis partidas. No entanto, para enfrentar o Vitória, às 17h, deste domingo, no Brinco de Ouro, em Campinas, os jogadores prometem suar a camisa para dar fim às sequências negativas e salvar o clube de voltar à Série B.

Com o intuito de melhorar a pontaria do setor ofensivo, já que o Bugre ostenta o pior ataque da competição (com 31 gols marcados), o técnico Vagner Mancini aproveitou os treinamentos da semana para realizar um trabalho específico de finalização. Com a derrota sofrida contra o Palmeiras, no domingo, por 1 a 0, o Bugre voltou à zona do rebaixamento, na 17ª colocação. Com 36 pontos conquistados, o Guarani divide a mesma pontuação com o Atlético-MG, que leva avantagem no número de vitórias.

Apesar dos conhecidos problemas extracampo – como os recorrentes atrasos de salário -, o lateral-direito Apodi garantiu que os atletas estão todos focados em reagir na competição e deixar a incômoda zona da degola. Para isso, têm encarado o jogo de domingo como uma decisão na competição.

– Precisamos vencer para tirar esse peso das costas. Nenhum de nós imaginava que o Guarani fosse passar pelo que está passando, mas esse é o Campeonato Brasileiro. Estamos precisando da vitória e, se não for na técnica, vai ser na raça – afirmou Apodi.

Suspensos pelo STJD, os meias Mário Lúcio e Baiano são desfalques confirmados contra a equipe baiana. No entanto, duas boas notícias: o volante Maycon e o lateral-esquerdo Márcio Careca, que estavam suspensos contra o Verdão, devem retornar à equipe. Além deles, o atacante Mazola, um dos principais jogadores da equipe, foi liberado pelo departamento médico é a esperança para dar fim à seca de gols.

No Vitória

O técnico Antônio Lopes terá quatro reforços para a partida contra o Guarani, mais um duelo na luta contra o rebaixamento. Suspensos, Anderson Martins, Thiago Martinelli, Neto Coruja e Júnior não encararam o Cruzeiro, mas voltam a ser opções.

Fazendo algumas experiências durante os treinos, como a improvisação do volante Jonas na lateral esquerda e a manutenção de Gabriel no time titular, Lopes faz mistério e só vai anunciar a escalação no vestiário do Brinco de Ouro.

O zagueiro Anderson Martins saiu do treino desta quinta-feira mais cedo, já que sentiu dores na coxa esquerda. O jogador está em tratamento intensivo para tentar enfrentar o Bugre. Caso não atue, Thiago Martinelli ocupa sua vaga.

FICHA TÉCNICA:

GUARANI X VITÓRIA

Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data/Hora: 14/141 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR-Fifa)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Bruno Boschilia (PR)

GUARANI: Emerson, Apodi, Aislan, Aílson e Mácio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Preto e Barboza; Reinaldo (Douglas) e Mazola. Técnico: Vagner Mancini.

VITÓRIA: Viáfara, Nino Paraíba, Gabriel, (Anderson Martins) Thiago Martinelli e Egídio (Jonas); Neto Coruja, Uelliton, Bida e Ramon; Elkeson e Júnior. Técnico: Antônio Lopes.

novembro 14, 2010 Posted by | Guarani, Vitória | , , | Deixe um comentário

Cruzeiro vence o Vitória por 1 a 0 e volta à vice-liderança do Brasileirão

Time mineiro empata com o Corinthians em 60 pontos, mas perde no saldo de gols. Raposa ainda aguarda o resultado de Fluminense e Vasco no Engenhão

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Após perder em casa para o São Paulo, o Cruzeiro precisava de um grande resultado para se recuperar no Campeonato Brasileiro. E o adversário da hora era o Vitória, em pleno Barradão, com uma ótima presença do torcedor rubro-negro. As dificuldades eram evidentes, mas, mesmo com todo o ambiente desfavorável, o time mineiro conquistou importantes três pontos, ao vencer por 1 a 0. O gol foi contra, do zagueiro Jonas, ainda no primeiro tempo. Porém, o árbitro catarinense Paulo Godoy anotou na súmula como sendo do atacante Thiago Ribeiro.

O resultado devolveu ao Cruzeiro a vice-liderança da competição, mesmo que provisória, já que o Fluminense ainda enfrentará, às 19h30m (de Brasília), o Vasco, no Engenhão. Se o Tricolor vencer, voltará à primeira posição, e os mineiros, ao terceiro lugar. A Raposa chegou aos 60 pontos, empatado com o Corinthians, mas perde no saldo de gols: 21 a 12. Já o Vitória, que tentava se livrar da região da zona de rebaixamento, permaneceu com 38 pontos, na 14ª colocação. Porém, o time baiano ainda poderá perder mais uma posição, caso o Guarani vença o Palmeiras, no Pacaembu, às 19h30m|.

Agora, na próxima rodada, o Cruzeiro enfrentará o Corinthians, em uma partida que tem tudo para ser sensacional, já que se trata de um confronto direto na luta pelo título. O duelo está marcado para o sábado, às 19h30m, no Pacaembu. O Vitória terá mais uma chance para se recuperar, também em um jogo dramático, na luta para fugir das últimas posições, contra o Guarani, domingo, às 17h, no Brinco de Ouro, em Campinas.

Raposa na frente

A torcida do Vitória lotou o Barradão e, nem mesmo o forte calor foi capaz de diminuir a empolgação dos baianos, que cantavam sem parar. A pequena torcida do Cruzeiro presente no estádio era mais discreta e apenas se manifestava quando havia um lance de perigo em favor da Raposa.

Com três zagueiros, o Cruzeiro reforçou a marcação no setor defensivo e preencheu os espaços vazios deixados pelo meio-campo em jogos anteriores. O Vitória, por sua vez, tinha dificuldades de chegar ao ataque, devido a boa postura da marcação celeste. Da mesma forma, o Cruzeiro tinha muitas dificuldades na criação das jogadas. Com Montillo mais adiantado ao lado de Thiago Ribeiro, e com Gilberto pouco inspirado, o time de Cuca chegava pouco ao gol de Viáfara.

Mas, mesmo não jogando uma partida excepcional, o Cruzeiro chegou ao gol, aos 35 minutos. Thiago Ribeiro recebeu uma bola rápida pela direita e cruzou forte para Diego Renan, que estava dentro da área, como um verdadeiro atacante. No meio do caminho, o zagueiro Jonas tentou cortar e mandou para o fundo das próprias redes, surpreendendo o goleiro Viáfara. Festa na pequena parte azul do Barradão.

Os rubro-negros sentiram a pressão e se descontrolaram um pouco em campo. O Cruzeiro mostrou mais presença no ataque, mas não conseguiu transformar a superioridade em mais gols.

Pressão rubro-negra

O técnico Antônio Lopes resolveu mudar todo o ataque do Vitória de uma só vez. O comandante rubro-negro sacou Kleber Pereira e Adailton e colocou Schwenck e Henrique, respectivamente. Já Cuca tirou Rômulo, que já estava amarelado, e colocou Jonathan.

Com as alterações, o Vitória cresceu de produção e foi para cima do Cruzeiro. O time baiano, com muito mais presença no ataque, assustou o goleiro Fábio em várias oportunidades. O time mineiro ficou acuado em sua defesa, sofrendo grande pressão, principalmente por causa do apoio que vinha da arquibancada.

A arbitragem da partida desagradava o torcedor baiano. A cada falta marcada contra o Vitória, o Barradão ia à loucura. O ápice veio quando o Vitória armava um perigoso contra-ataque, e a bola bateu no calcanhar do árbitro e sobrou para a defesa cruzeirense. Com o passar do tempo, o time mineiro foi ganhando espaço para contra-atacar, já que o Vitória se mandou todo em busca do empate.

O lance mais perigoso contra o gol de Fábio foi aos 21 minutos, depois de um autêntico bombardeio, Uelliton cabeceou no travessão e quase empatou partida. Mas o Cruzeiro, com muita raça e vontade, conquistou um grande resultado, que o devolve à luta pelo título brasileiro.

VITÓRIA 0 X 1 CRUZEIRO
Viáfara; Nino, Gabriel, Jonas e Egídio (Elkeson); Ricardo Conceição, Ueliton, Bida e Ramon; Kleber Pereira (Schwenck) e Adailton (Henrique). Fábio; Edcarlos, Gil e Léo; Rômulo (Jonathan), Henrique, Marquinhos Paraná, Gilberto (Roger) e Diego Renan (Everton); Montillo e Thiago Ribeiro.
Técnico: Antônio Lopes. Técnico: Cuca.
Estádio: Barradão, em Salvador (BA). Data: 7/11/2010. Horário: 17h (de Brasília). Árbitro: Paulo Godoy (SC). Auxiliares: Kleber Lúcio Gil (SC) e Marco Antonio Martins (SC).
Cartões amarelos: Rômulo, Gil, Diego Renan, Gilberto e Roger (Cruzeiro); Ramon e Schwenck (Vitória).
Gol: Thiago Ribeiro (Cruzeiro), aos 29 minutos do primeiro tempo.

novembro 7, 2010 Posted by | Cruzeiro, Vitória | | Deixe um comentário

Embalado, Vitória recebe o Cruzeiro para respirar e afastar rival do título

Em má fase, Raposa pode ir ao céu ou ao inferno ao fim da rodada, e terá de encarar a empolgada torcida rubro-negra, neste domingo

Vitória e Cruzeiro fazem um duelo de alta tensão neste domingo, às 17h, no Barradão, e que pode definir os rumos na reta final do Campeonato Brasileiro. Mas os rivais não miram o mesmoobjetivo. A luta baiana é para evitar a qualquer custo uma nova aproximação da zona de rebaixamento e, para isso, contará com o apoio maciço de sua torcida que lotará o estádio. Além disso, está embalado. Já a Raposa capenga e precisa pontuar para não sair do bolo da ponta.
Para se ter uma ideia do momento inverso de ambos, a diferença chegou a estar em 25 pontos e, hoje, é de 19. O time de Cuca ganhou uma vez só em quatro partidas, está em terceiro e ameaçado até de perder uma vaga na Libertadores. Já o Rubro-Negro perdeu uma em quatro.
A partida terá a arbitragem de Paulo Godoy (SC), assistido por Kleber Lúcio Gil (SC) e Marco Antonio Martins (SC), e será transmitida pelo canal PFC, além do Tempo Real do GLOBOESPORTE.COM, com vídeos.

Vitória: se triunfar, os comandandos de Antônio Lopes consolidarão a arrancada e poderão terminar a rodada até em 13º, cinco pontos acima da zona e praticamente livres da degola. Por isso, o trato do duelo como uma final. Caso contrário, pode ser ultrapassado pelo Guarani e ficaria obrigado a se esforçar mais. Por sorte, os dois Atléticos não venceram neste sábado.
Cruzeiro: Com 57 pontos, a Raposa quer aproveitar o fato de seus concorrentes diretos ao título (Fluminense, com 58 pontos, e Corinthians, com 57) terem clássicos regionais na rodada para tentar retomar a liderança perdida. Apesar de encarar um Barradão lotado, o time celeste não pensa em outro resultado que não seja a vitória para apagar a impressão deixada nos últimos quatro jogos, quando perdeu três e venceu apenas um.

Vitória: Desfalcada na defesa, a equipe baiana terá até improvisações. Ricardo Conceição, que é volante, será zagueiro. Ao mesmo tempo, Lopes verá o retorno de Vanderson, Schwenck e Ramon, que cumpria gancho. Provável escalação: Viafara; Nino, Gabriel Paulista, Ricardo Conceição e Egídio; Uelliton, Vanderson, Bida e Ramon; Schwenck e Adailton.
Cruzeiro: O técnico Cuca testou várias formações nos treinamentos que antecederam a partida. O treinador usou o esquema com três zagueiros, dando mais liberdade para o argentino Montillo atuar mais à frente, ao lado de Thiago Ribeiro. Outra mudança foi a utilização de Rômulo na vaga de Jonathan, já que Cuca quer que o lado direito avance mais. O provável time para pegar o Vitória será formado por Fábio; Gil, Léo e Edcarlos; Rômulo (Jonathan), Henrique, Marquinhos Paraná, Gilberto e Diego Renan; Montillo e Thiago Ribeiro.

Vitória: Thiago Martinelli, expulso no empate com o Santos, e Anderson Martins, com três cartões amarelos, estão fora. Neto Coruja e Júnior estão suspensos.
Cruzeiro: O volante Fabrício recebeu o terceiro cartão amarelo diante do São Paulo, em Uberlândia, e desfalcará a equipe. Quem também não poderá enfrentar o Vitória são os zagueiros Cláudio Caçapa e Leonardo Silva, que ainda se recuperam de cirurgia nos joelhos. O atacante Wellington Paulista, com entorse no joelho direito, é outro que fica de fora.

Vitória: Thiago Humberto.

Cruzeiro: Fábio, Cláudio Caçapa, Leonardo Silva, Jonathan, Rômulo, Fabinho, Montillo e Farías.

Vitória: Schwenck está de volta e com a responsabilidade de ser o goleador que a equipe ainda precisa, sobretudo após os quatro feitos no Vasco, semana passada. Júnior, em boa fase, está fora, o que cresce o olhar sobre o artilheiro do Vitória na temporada.
Cruzeiro: o atacante Thiago Ribeiro é vice-artilheiro da equipe no Campeonato Brasileiro, com seis gols. O jogador marcou duas vezes contra o Atlético-MG e passou em branco nas duas últimas rodadas. Como deverá ser o único atacante da equipe titular, Thiago carrega a esperança de gols da torcida celeste.
Antônio Lopes (técnico do Vitória): “Vai jogar o Gabriel (Paulista) e vou ter que fazer uma adaptação ali. Acho temerário colocar mais um garoto, embora Gabriel sempre que entrou tenha jogado bem. Neto (Coruja) poderia ser adaptado, mas recebeu cartão amarelo e também está fora”
Cuca, técnico do Cruzeiro: “Conheço o Antônio Lopes, já foi meu treinador e sabe arrumar bons times. Será um jogo muito difícil porque teremos campo lotado, com torcida contra, o calor. Não será fácil. Eles brigam para sair lá de baixo, e nós, pela liderança. Estamos a um ponto apenas do líder, e espero que a gente consiga um bom resultado”

– Cruzeiro e Vitória se enfrentaram 27 vezes pelo Campeonato Brasileiro. Foram 15 vitórias do Cruzeiro, cinco empates e sete derrotas. O Cruzeiro marcou 55 gols e sofreu 33.

No primeiro turno, ainda sob o comando do técnico Toninho Cecílio, o Vitória surpreendeu o Cruzeiro e venceu o rival por 1 a 0, em pleno Ipatingão. O atacante Júnior marcou o gol da vitória baiana em um belo chute da entrada da área, sem chances para o goleiro Fábio (veja no vídeo ao lado os melhores momentos).

novembro 7, 2010 Posted by | Cruzeiro, Vitória | , , | Deixe um comentário

Santos e Vitória agridem a bola e ficam no empate na Vila Belmiro

Peixe ainda sonhava com título, mas resultado e desempenho tiram as esperanças. Já o Leão sai de campo satisfeito com o placar

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Não foi fácil. Quem foi à Vila Belmiro nesta quarta-feira à noite sofreu com o futebol de má qualidade que Santos e Vitória apresentaram. O jogo, válido pela 33ª rodada do Brasileirão, só terminou 1 a 1 porque houve raros lampejos dos dois lados. Caso contrário, um 0 a 0 seria apropriado. Se algum santista ainda acreditava em título antes da partida, perdeu as esperanças. Primeiro por que a distância para os líderes é enorme. O time da Vila tem 50 pontos, na quinta posição. Fluminense tem 58 e Corinthians e Cruzeiro, 57. Segundo por que o futebol apresentado nos últimos jogos não é digno de título. Já são quatro partidas seguidas sem vitória.

Para o Leão, por outro lado, o empate ficou de bom tamanho: a equipe baiana se mantém na zona de classificação para a Copa Sul-Americana, com 38 pontos, em 14º. Tanto que houve comemoração pelo lado rubro-negro quando o juiz apitou o fim da partida.

O Santos volta a jogar no próximo sábado, às 19h30m (horário de Brasília), contra o Atlético-MG, em Sete Lagoas (MG). Já o Vitória, no domingo, às 17h (Brasília), recebe o Cruzeiro, no Barradão, em Salvador.

Neymar e Júnior quebram monotonia

O jogo já começou devagar. Parecia que os times haviam entrado em campo só para cumprir tabela. Ritmo lento, erros de passe, sono. O Santos tinha a iniciativa, mas abria muitas brechas no meio de campo, dando ao Vitória chances para contra-atacar. Tanto que os primeiros chutes a gol foram da equipe baiana, com o meia Bida. O goleiro santista Rafael, porém, não tinha muito trabalho. Eram arremates de longa distância, sem potência suficiente para assustar.

O Peixe apresentava problemas de armação de jogadas. Uma ironia, já que atuou com dois armadores: Marquinhos e Alan Patrick. O problema é que ambos iniciaram a partida dispersos, errando demais. Mas eis que, aos 33 minutos, os santistas resolveram quebrar a monotonia e acertaram uma bela linha de passes: de Brum para Alan Patrick, para Marquinhos, para Neymar, para o gol. O camisa 11 recebeu livre à frente de Viáfara e apenas rolou no canto direito. Foi o único lance lúcido da equipe alvinegra em toda a partida.

O Leão, porém, estava vivo e perigoso. Jogando com seu terceiro uniforme – todo negro, com detalhes em verde e amarelo, em homenagem à Seleção Brasileira – a equipe baiana, aos poucos, foi ganhando campo e encurralando o time da casa. O grandalhão Júnior dava muito trabalho para os dois zagueiros santistas. Edu Dracena e Durval, expostos demais, não conseguiam se acertar na marcação do camisa 9. Ele dominava todas os passes que recebia dentro da área.

Aos 39, ele receberia mais um se não tivesse sido empurrado por Pará. Pênalti que a arbitragem deixou passar. Um minuto depois, porém, veio o empate. Nino Paraíba fez ótima jogada pela direita e cruzou para Júnior. O ‘Diabo Loiro’ recebeu de costas para Edu Dracena, girou e bateu no cantinho esquerdo. Um gol que se mostrou inevitável.

Jogo duro. De assistir

O segundo tempo foi uma pasmaceira só. A não ser por uma falta cobrada por Bida, aos 11 minutos, e por uma sequência de dribles de Neymar (que não deu em nada, diga-se), aos 25, os 4.643 torcedores que pagaram para ver o jogo não tiveram muitos motivos para se levantar. A não ser que quisesem ir embora antes do fim. O Santos tinha a bola, mas não sabia o que fazer com ela. O Vitória contava com espaços para atacar, mas estava satisfeitíssimo com o empate.

O técnico Marcelo Martelotte tirou o meia Alan Patrick para colocar o atacante Keirrison. A mudança provocou um enorme buraco no meio de campo santista, isolando os atacantes. Marquinhos, que já não conseguia armar o time com Patrick ao seu lado, ficou sozinho e desapareceu. As vaias passaram a ecoar na Vila Belmiro. Sinal de que os torcedores perceberam que já era. Brasileirão para o Peixe só em 2011.

Do outro lado, Antônio Lopes fez mudanças do tipo “seis por meia dúzia”. Mais  para gastar o tempo. Sua equipe, claramente, não parecia muito interessada em jogar. Aos 36, Thiago Martinelli fez falta em Neymar e, como já tinha amarelo, acabou sendo expulso. Mesmo assim, não houve mudança no panorama da partida. O apito final foi bem-vindo.

SANTOS 1 X 1 VITÓRIA
Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Roberto Brum, Danilo (Maranhão), Marquinhos e Alan Patrick (Keirrison); Neymar e Zé Eduardo (Marcel). Viáfara; Nino Paraíba, Thiago Martinelli, Anderson Martins e Egídio (Gabriel); Neto, Uelliton, Bida e Elkeson (Renato); Junior e Adailton (Henrique).
Técnico: Marcelo Martelotte Técnico: Antônio Lopes
Gols: Neymar, 33; Júnior, 40 minutos do primeiro tempo
Cartões amarelos: Uelliton, Anderson Martins,  Thiago Martinelli, Neto Coruja, Júnior (Vitória), Roberto Brum, Danilo, Alex Sandro, Edu Dracena, Neymar (Santos). Cartão vermelho: Thiago Martinelli
Público e renda: 4.643 pagantes/R$ 112.825,00
Estádio: Vila Belmiro, em Santos (SP). Data: 03/11/2010. Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR). Auxiliares: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e João Monteiro de Souza (RS)

novembro 3, 2010 Posted by | Santos, Vitória | | Deixe um comentário

Santos e Vitória fazem déjà vu da final da Copa do Brasil

Em 2010, baianos venceram duas vezes, enquanto o Santos conquistou acompetição nacional contra o Vitória

Perto de completar três meses da final da Copa do Brasil, Santos e Vitória se reencontram, com objetivos distintos, nesta quarta-feira, às 19h30, na Vila Belmiro.

Esse será o quarto encontro entre as duas equipes no ano. O Peixe, apesar de ter levado o título, perdeu duas e ganhou só uma, na Vila Belmiro.

O Santos, com 49 pontos, na quinta colocação, a oito pontos, não pode pensar em perder pontos nas próximas seis rodadas, enquanto o Vitória, em 14º, mas a 3 pontos da zona do rebaixamento, precisa evolui na competição.

Para o confronto, o técnico Marcelo Martelotte não poderá contar com Léo e Arouca, machucados, além de Rodriguinho, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Com isso, Marquinhos entra no meio de campo e Alex Sandro na lateral esquerda. Danilo será recuado para a função de Arouca.

– O grupo é forte, não são só 11 jogadores, muda taticamente porque o Arouca tem uma característica mais defensiva e o Danlo mais ofensiva. Ganhamos com a entrada do Marquinhos – disse o volante Roberto Brum.

O Vitória, embalado pela vitória por 4 a 2 contra o Vasco, está confiante para o duelo. Porém, a missão não será fácil. Isso porque a equipe rubro-negra conquistou apenas dez pontos fora de casa, dos 37 conquistados até agora.

Além desse retrospecto preocupante, o Vitória nunca venceu o Santos na Vila em 13 jogos disputados na casa do Peixe pela Série A – foram quatro empates e nove derrotas.

Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o meia Ramon está fora da partida. O zagueiro Wallace, machucado, dará lugar a Thiago Martinelli. Já o atacante Kléber Pereira, recuperado, foi relacionado e pode encarar o ex-clube.

O técnico Antônio Lopes vai repetir a equipe da rodada passada, com Bida no lugar do camisa 10 e a dupla de ataque sendo formada por Adaílton e Júnior.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS X VITÓRIA

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 3/11/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR)
Auxiliares: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e João Monteiro de Souza (RS)

SANTOS: Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Roberto Brum, Danilo, Marquinhos e Alan Patrick; Neymar e Zé Eduardo

Técnico: Marcelo Martelotte

VITÓRIA: Viáfara; Jonas, Thiago Martinelli, Anderson Martins e Egídio; Neto Coruja, Uelliton, Bida e Elkeson; Adailton e Júnior

Técnico: Antônio Lopes

novembro 3, 2010 Posted by | Santos, Vitória | | Deixe um comentário

Vitória vence o Vasco e respira no Brasileiro

Baianos fazem 4 a 2 no Cruzmaltino e seguem vivos na briga contra o rebaixamento. Libertadores fica longe para os cariocas

O Vitória não tomou conhecimento do Vasco e venceu o rival, com três gols na primeira etapa, os baianos venceram por 4 a 2 e chegou aos 37 pontos, dando uma respirada na briga contra o rebaixamento. Já o Vasco se manteve com os mesmo 42 pontos. Na próxima rodada, o Vitória encara o Santos, na Vila, enquanto o Vasco recebe o Grêmio Prudente, quinta-feira.

PRIMEIRO TEMPO AVASSALADOR

A partida começou com o Vitória partindo para o ataque. Logo aos dois minutos, Adaílton balançou as redes vascaínas. Após ganhar na dividida com Jádson e Cesinha, o jovem atacante fuzilou as redes de Fernando Prass e abriu o marcador. Na sequência, o Vasco tentou chegar, mas Eder Luis finalizou mal.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Mesmo com o gol, o Leão seguiu no ataque buscando o segundo gol. Sem Dedé, a zaga do Vasco parecia perdida em camp oe via o Vitória tabelar como queria. O Vitória teve boa chance de amplair aos 17. Adaílton recebeu na área e fuzilou. Fernando Prass fez ótima defesa.

O Vitória continuou melhor, enquanto o Vasco se fechava. Aos 32, Antônio Lopes teve que mudar. Wallace, machucado, deixou o gramado para a entrada de Thiago Martinelli, ex-Vasco. O jogo continuou com o mesmo panorama, e o Leão ampliou aos 40. Elkesson arriscou de longe e Fernando Prass falhou. Foi o segundo gol do Vitória. Antes mesmo do final do primeiro tempo, o Vitória chegou ao terceiro. Após bate-rebate na área, Neto Coruja de cabeça ampliou para 3 a 0.

No intervalo, Zé Roberto deixou o gramado preocupado e alertou sobre os riscos: – Conversamos e sabíamos o quanto era difícil jogar aqui e da pressão e do calor. Entramos querendo ganhar e se não mudarmos a postura, vamos ser atropelados e passar vergonha – disse.

VASCO ESBOÇA REAÇÃO, MAS PÁRA NO DIABO LOURO

Querendo não deixar a profecia de Zé Roberto se concretizer, PC mudou o time. Colocou Rômulo na vaga de Fellipe Bastos. A alterção mudou a postura do Vasco que partiu para cima criando boas oportunidades. Logo aos 4 minutos, Nunes diminuiu, após falta cobrada por Felipe, de cabeça.

O gol animou o Vasco que partiu para o ataque, querendo diminuir e buscar o empate. Porém, a esperança durou pouco tempo. Aos 12, Júnior recebeu linda bola de Neto Coruja, girou em cima de Jádson Viera, e o Diabo Louro bateu sem chances para Fernando Prass. O gol do Vitória foi um balde de água fira nas pretensões do Vasco. Abatida, a equipe diminuiu a pressão e viu o Leão dominar as ações da partida.

No final, Fumagalli ainda diminuiu em excelente cobrança de falta, mas ficou nisso. Triunfo dos baianos que respiram contra o rebaixamento. Já a Libertadores para o Vasco, fica cada vez mais longe.

FICHA TÉCNICA:
VITÓRIA 4 X 2 VASCO

Estádio: Barradão, Salvador (BA)
Data/hora: 30/10/2010 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Auxiliares: Herman Brumel Vani (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Cartões amarelos: Júnior, Ramón, Anderson Martins, Neto Coruja (VIT); Jádson Viera, Zé Roberto (VAS)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Adaílton, 2’/ºT (1-0); Elkeson, 40’/1ºT (2-0); Neto Coruja, 47’/1ºT (3-0); Nunes, 4’/2ºT (3-1); Júnior, 12’/2ºT (4-1); Fumagalli, 47’/2ºT (4-2)

VITÓRIA: Viáfara; Jonas, Wallace (Thiago Martinelli, 32’/1ºT), Anderson Martins, Egídio; Neto Coruja, Uellinton (Renato, 39’/2ºT), Ramón e Elkeson (Ricardo Conceição, 17’/2ºT); Júnior e Adaílton. Técnico: Antônio Lopes.

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Jádson Viera, Cesinha e Diogo (Nunes, 35’/1ºT); Rafael Carioca, Jumar, Fellipe Bastos (Rõmulo, intervalo) e Felipe; Zé Roberto e Eder Luis (Fumagalli, 21’/2ºT). Técnico: Paulo César Gusmão.

outubro 30, 2010 Posted by | Vasco da Gama, Vitória | | Deixe um comentário

Vasco enfrenta o Vitória para quebrar tabu na Bahia

Time cruz-maltino nunca venceu Vitória no Barradão. Time baiano busca triunfo para sair da degola

O Vasco enfrenta o Vitória, neste sábado, às 16h, a fim de quebrar um tabu: nuca ter vencido no Barradão. Enquanto o time de São Januário não tem muitas pretensões neste Brasileiro, a equipe baiana busca o triunfo para sair da zona de rebaixamento.

Para esta partida, o técnico Paulo César Gusmão ainda tem dúvida quanto à escalação e Fellipe Bastos e Nunes brigam por uma vaga na equipe. Com Fellipe Bastos no time titular, o ataque será formado por Zé Roberto e Eder Luis. Mas o técnico pode optar ainda pelo centroavante Nunes, que faria dupla com Eder Luis. Assim, Zé Roberto seria recuado para o meio de campo e jogaria ao lado de Felipe. O treinador não descartou também a utilização do volante Rômulo. 

– O time não vai fugir muito do que todos já conhecem. Temos o Nunes ou o Fellipe Bastos, além do Rômulo, que também voltou bem – disse.

Além do Vitória, o Vasco terá um outro adversário difícil: o calor. Como a região Nordeste não aderi ao horário de verão, o jogo será às 15h. Para o lateral Fagner, esse será mais um fator complicador na partida deste sábado.

– Vamos ter um jogo complicado, porque o sol deve estar muito forte no horário da partida e também pelo fato de o adversário estar brigando contra o rebaixamento. Todos estes fatores tornam o jogo muito complicado e temos que ter atenção durante todo o jogo – comentou.

O técnico Antônio Lopes ainda não definiu o time do Vitória que encara o Vasco. O que pôde ser visto durante a semana de treinos foi que Egídio voltou a ser usado na lateral esquerda, o que, porém, não o garante como titular. Rafael Cruz, dono da posição nos dois últimos jogos, pode se manter com a camisa 6.

No ataque, os torcedores do Leão baiano puderam ver uma mudança nos treinamentos. Lopes testou Henrique no lugar de Adailton, mas o segundo deve seguir entre os 11. O atacante Kleber Pereira, com cansaço muscular, ficou no departamento médico, foi submetido a exame de imagem, mas o mesmo nada apontou. No entanto, o jogador não deve ficar nem na reserva.
Lutando contra o rebaixamento, Lopes admitiu que encarar o Vasco, agora, não era o ideal. E o delegado, profissional que colecionou títulos pelo clube cruzmaltino durante a carreira, explicou o motivo.

– O Vasco vem bem no campeonato e tem jogadores de categoria do meio para a frente. Preferiria que não fosse o Vasco – disse.

FICHA TÉCNICA:
VITÓRIA x VASCO

Estádio: Barradão, Salvador (BA)
Data/hora: 30/10/2010 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP-Fifa)
Auxiliares: Herman Brumel Vani (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)

VITÓRIA: Viáfara, Jonas, Wallace, Anderson Martins e Egídio; Neto Coruja, Uelliton, Ramon e Elkeson; Adaílton e Júnior. Técnico Antônio Lopes.

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Cesinha, Jadson e Diogo; Rafael Carioca, Jumar, Fellipe Bastos (Nunes) e Felipe; Ze Roberto e Eder Luis. Técnico: PC Gusmão

 

outubro 29, 2010 Posted by | Vasco da Gama, Vitória | , | Deixe um comentário

Golaço de falta quebra jejum do Bota. E deixa Vitória à beira do Z-4

Marcelo Cordeiro marca no fim do 1º tempo e faz Alvinegro chegar à ‘faixa Libertadores’, Time baiano corre risco de terminar a rodada entre os últimos

Para as cobranças de faltas, Botafogo e Vitória contavam com uma arma poderosa cada um: Lucio Flavio e Ramon, respectivamente. O confronto entre os atuais campeões carioca e baiano no Engenhão, neste sábado, foi decidido em uma jogada do tipo. Mas coube a Marcelo Cordeiro mostrar precisão na bola parada e garantir a vitória alvinegra por 1 a 0, em partida pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O gol do lateral-esquerdo, aos 44 minutos do primeiro tempo, quebrou a sequência de nove jogos do Botafogo sem triunfo no Nacional e fez a equipe carioca pular do oitavo para o quinto lugar, com 48 pontos. Dentro da zona de classificação para a Libertadores – o quarto colocado, o Santos, já está assegurado na competição por ter conquistado a Copa do Brasil.

O time baiano caiu da 15ª para a 16ª posição e corre o risco de terminar a rodada no Z-4. O que ocorrerá se o Atlético-MG derrotar o Cruzeiro neste domingo.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Botafogo e Vitória voltam a campo no próximo sábado. O Alvinegro vai a Sete Lagoas enfrentar o Alético-MG, às 18h30m (de Brasília). O Rubro-Negro recebe o Vasco no Barradão, às 16h.

Duelo de cobradores de falta

Para um duelo fundamental para as pretensões do time na competição, Joel Santana manteve o Botafogo no 3-5-2, com Alessandro, que havia se machucado no treino de sexta-feira, na ala direita. Com o time atuando fora de casa, Antônio Lopes decidiu escalar o Vitória com três volantes: Vanderson, Bida e Jonas. Um dos destaques do time no Brasileirão, Elkeson foi para o banco de reservas.

A responsabilidade de armar o Rubro-Negro baiano coube ao veterano Ramon. Se começou mal o jogo, errando um passe fácil logo após o pontapé inicial, o meia de 38 anos mostrou que mantém a categoria e que é muito perigoso nas cobranças de falta. O Vitória só não abriu o placar aos oito minutos porque o rebote de Jefferson, após uma infração cobrada pelo camisa 10, sobrou na pequena área para o zagueiro Anderson Martins. Que mostrou por que é defensor, chutando a bola para fora com a meta vazia à frente (no vídeo ao lado).

Com dificuldades para superar a marcação do adversário e articular jogadas em um gramado prejudicado pela chuva que passou a cair sobre o Engenhão pouco antes do jogo, o Botafogo também recorreu a cobranças de falta. E se o Vitória contava com Ramon, o Alvinegro tinha Lucio Flavio. Se não conseguia armar o time com a eficiência do rival, o 10 alvinegro também ameaçava nas bolas paradas. Em uma delas, Danny Morais cabeceou. Viáfara agarrou. O goleiro colombiano também foi exigido numa infração cobrada de longe por Marcelo Mattos.

Diante do mau desempenho da equipe, a paciência de torcedores alvinegros durou 32 minutos. Após um centro errado sobre a área, vaias se ouviram no Engenhão. Isso enquanto Alessandro tentava trocar as chuteiras à beira do campo. Foram quase três minutos para encontrar um par adequado. E o time com um a menos.

Mas antes do intervalo, a preocupação da torcida virou festa. Exatamente em uma cobrança de falta. Mas não com Lucio Flavio. Aos 44, o lateral Marcelo Cordeiro assumiu a responsabilidade e colocou a bola com precisão no ângulo direito. Viáfara ainda raspou na pelota, mas não evitou que a rede balançasse.

No segundo tempo, logo aos cinco minutos, Marcelo Cordeiro sofreu uma lesão muscular e teve que deixar o jogo. Joel Santana escalou Edno na ala esquerda. Que teve atuação sofrível.

Apesar de seguir com o trio de volantes, o Vitória, inferiorizado no placar, procurou tomar a iniciativa. O time baiano rondava a área alvinegra, mas suas tentativas eram neutralizadas pelos adversários. Já a equipe de casa recuou perigosamente, apostando nos contra-ataques.

Com Ramon já sem tanto fôlego, pela idade e pelo campo pesado, Lopes decidiu mudar o esquema rubro-negro, trocando o veterano pelo jovem atacante Henrique, com exatamente a metade da idade do meia: 19 anos. Mesmo sem Ramon, as melhores chances do Leão ocorreram em duas faltas. Cobradas por Bida, muito perto da meta.

Do lado do Botafogo, Lucio Flavio era vaiado toda vez que pegava na bola. Torcedores pediam a entrada de Renato Cajá. O que ocorreu aos 29 minutos. No ataque, Jobson e Loco Abreu não se entendiam. Dois minutos antes da alteração, o camisa 9 invadiu pela direita e arriscou o chute – para fora. Livre, o uruguaio pedia o passe. Em vão.

Com os erros do Botafogo, o Vitória ameaçava cada de vez mais. Antônio Lopes queimou o último cartucho, escalando Elkeson no lugar de Júnior. O time baiano investia especialmente pela direita, com o lateral Nino. Enquanto Joel deixava claro que o objetivo era segurar o resultado, tirando Jobson e colocando Fahel em campo.

O Vitória pressionou nos minutos finais, mas o Botafogo conseguiu se defender. E comemorar um triunfo esperado há quase um mês e meio.

BOTAFOGO 1 X 0 VITÓRIA
Jefferson, Danny Morais, Leandro Guerreiro e Márcio Rosário; Alessandro, Marcelo Mattos, Somália, Lucio Flavio (Renato Cajá) e Marcelo Cordeiro (Edno); Jobson (Fahel) e Loco Abreu Viáfara; Nino Paraíba, Wallace, Anderson Martins e Rafael Cruz; Bida, Neto Coruja (Vanderson), Jonas e Ramon (Henrique); Adaílton e Júnior (Elkeson).
Técnico: Joel Santana Técnico: Antônio Lopes
Gol: Marcelo Cordeiro, aos 44 minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Somália (BOT), Bida, Adaílton, Neto Coruja, Júnior, Nino (VIT)
Local: Engenhão (Rio de Janeiro). Árbitro: Mário Chagas da Silva (RS).Assistentes: Marcelo Bertanha Barison (RS) e José Javel Silveira (RS).Renda: R$ 224.360,00. Público: 10.041 (pagantes) / 13.000 (presentes)

outubro 23, 2010 Posted by | Botafogo, Vitória | | Deixe um comentário

Botafogo aposta confiança no futuro diante do Vitória

Há nove jogos sem triunfar, Alvinegro mantém foco para reagir

Não adianta tentar fugir do tema. Para o Botafogo, só o triunfo interessa após nove partidas sem ganhar no Brasileiro. Com uma derrota e oito empates seguidos, o Alvinegro tenta dar fim na escrita neste sábado, contra o Vitória, às 18h30, no Engenhão. Apenas a um ponto atrás do Atlético-PR, hoje último classificado para a próxima Libertadores, o Glorioso quer deixar a fase de tropeços no passado e arrancar, como na campanha que próprio clube lançou.

Em oitavo lugar, o Bota aposta na força da torcida e criou a corrente Arrancada Final, que contra com o apoio de ídolos e até uma música de incentivo. Por outro lado, uma organizada foi ao treino desta sexta-feira para cobrar resultados. A tranquilidade depende dos três pontos, diante de um rival desesperado para fugir do rebaixamento, atualmente na 15ª posição.

CHEGA DE SOFRER!

Diante de uma incrível sequência de empates, a segunda maior da história dos Brasileiros (apenas o Internacional, em 1972, teve nove igualdades) o técnico Joel Santana trabalhou o corpo e a mente dos jogadores ao longo da última semana. Com a volta do G4 confirmada pela Conmebol, o clube voltou a respirar os ares a competição continental. O sonho está cada vez mais vivo, mas a tarefa não é fácil.

Diferentemente do time que atuou no empate em 1 a 1 com o Fluminense, Antônio Carlos vai ficar fora por até três semanas por lesão na coxa direita. Danny Morais treinou entre os titulares e deve assumir a vaga. No banco, Caio recebeu o terceiro amarelo e também desfalca. Por fim, Alessandro machucou o tornozelo esquerdo na atividade desta sexta, mas deve ir para campo. Dificuldades? Nada abala a confiança de Joel Santana.

– Estou pensando até em G3. G4 é o troco. Temos que pensar no certo, já que o G4 pode dimiunir se um brasileiro ganhar a Sul-Americana. Jogando bem, a torcida vai junto. Se não, o público segue a mesma linha. Com os dois lados trabalhando em parceria, certamente vamos vencer – disse.

LEÃO SEM MEDO

O triunfo contra o Grêmio Prudente, rodada passada, foi o primeiro passo do Vitória na luta contra o rebaixamento. O próximo desafio, porém, não será contra uma equipe que também luta contra a degola. Pelo contrário. O Botafogo, adversário deste sábado, é uma das equipes que sonham alto na temporada. Pela classificação de momento das equipes, o volante Bida desabafa:

– Precisamos deste resultado muito mais do que eles. Espero que a equipe possa fazer uma boa partida sábado, para que possamos ficar longe da zona de vez.

Para este duelo, o técnico Antônio Lopes não poderá contar com o atacante Schwenck, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e com o lateral-esquerdo Egídio, que está com uma lesão no púbis. O primeiro será substituído por Júnior, enquanto o segundo abre vaga para o meio Rafael Cruz, que será improvisado.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO X VITÓRIA

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 23/10/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison (RS) e José Javel Silveira (RS)

BOTAFOGO: Jefferson, Leandro Guerreiro, Danny Morais e Márcio Rosário; Alessandro, Marcelo Mattos, Somália, Lucio Flavio e Marcelo Cordeiro; Jobson e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

VITÓRIA: Viáfara, Nino Paraíba, Wallace, Anderson Martins e Rafael Cruz; Vanderson, Uelliton, Bida e Ramon; Adailton e Júnior. Técnico: Antônio Lopes.

outubro 22, 2010 Posted by | Botafogo, Vitória | , | Deixe um comentário

Com a volta do G4, nove times buscam vaga na Libertadores

LNET! mostra caminho das equipes para a classificação à competição continental

O disputado G4 (grupo dos quatro times classificados para a Libertadores) do Campeonato Brasileiro voltou. Nesta segunda-feira, a Conmebol aprovou mais uma vaga para times brasileiros no torneio, permitindo ao quarto colocado do Brasileirão se classificar para a competição continental. Como Santos e Internacional já estão classificados, nove equipes entram na briga pela vaga a partir de agora.

A decisão reavê a medida tomada no mês passado, quando a entidade retirou uma das vagas do Brasil na competição por conta de o campeão da edição de 2010 ter sido um clube brasileiro (Internacional).

Com isso, a briga por um lugar no torneio sul-americano deve pegar fogo. Times como Cruzeiro, Fluminense e Corinthians, que ocupam as primeiras posições neste momento, terão maiores chances matemáticas de classificação. A Raposa tem 97% de chance de se participar do torneio, e o Tricolor Carioca possui 95%. Já o Timão tem 78% de chances de disputar a Libertadores pelo segundo ano seguido. Outras equipes que estão na intermediária também ganham mais fôlego por uma vaga, como o Palmeiras e o São Paulo.

Se o Brasileiro acabasse hoje, a quarta vaga ficaria com o Atlético-PR, time que ocupa a sexta posição atrás de Internacional e Santos, que estão garantidos na Libertadores por conta dos títulos conquistados esse ano (Libertadores e Copa do Brasil, respectivamente). No entanto, o Grêmio (40%) tem mais chances de se classificar do que o Furacão (36%), segundo dados do matemático Tristão Garcia.

Confira aqui os últimos jogos de todos os candidatos a uma vaga na Libertadores de 2011 e a situação de cada um no Campeonato Brasileiro, além das chances matemáticas de cada equipe:

1º – CRUZEIRO – 54 pontos
Chances de classificação: 97%

Próximos jogos

24/10 – Atlético-MG – João Havelange
30/10 – Grêmio-PP – Eduardo José Farah
3/11 – São Paulo – João Havelange
7/11 – Vitória – Barradão
14/11 – Corinthians – Pacaembu
21/11 – Vasco – João Havelange
28/11 – Flamengo – Engenhão
5/12 – Palmeiras – João Havelange

Mesmo com a derrota para o Grêmio, no domingo, o Cruzeiro vive a sua melhor fase no Brasileirão. É líder da competição a duas rodadas e tem um dos melhores jogadores da competição: o argentino Montillo. Dificilmente ficará de fora da Libertadores do ano que vem.

2° – FLUMINENSE – 53 pontos
Chances de classificação: 95%

Próximos jogos

24/10 – Atlético-PR – Arena da Baixada
28/10 – Grêmio – Engenhão
3/11 – Internacional – Beira-Rio
7/11 – Vasco – Engenhão
14/11 – Goiás – Engenhão
21/11 – São Paulo – Morumbi
28/11 – Palmeiras – Pacaembu
5/12 – Guarani – Engenhão

Liderou o campeonato durante muito tempo, mas as lesões de Emerson, Fred e Deco diminuíram o aproveitamento do time. No domingo, tinha a chance de chegar na liderança novamente com a derrota do Cruzeiro, mas empatou com o Botafogo. Com o G4 novamente, deve ficar com uma das vagas.

3° – CORINTHIANS – 50 pontos
Chances de classificação: 78%

Próximos jogos

24/10 – Palmeiras – Pacaembu
27/10 – Flamengo – Engenhão
3/11 – Avaí – Pacaembu
7/11 – São Paulo – Morumbi
14/11 – Cruzeiro – Pacaembu
21/11 – Vitória – Barradão
28/11 – Vasco – Pacaembu
5/12 – Goiás – Serra Dourada

Até sete rodadas atrás era o favorito ao título, mas as lesões de jogadores como Jorge Henrique e Chicão, além da saída do técnico Adilson Batista resultaram em um jejum de vitórias que dura até hoje. Com isso, o clube entrou em crise, e a torcida que apoiou o time no ano todo, protestou contra vários jogadores. Com o G4, fica com chances enormes de classificação.

4° – SANTOS – 48 pontos
CLASSIFICADO (Campeão da Copa do Brasil)

Próximos jogos

24/10 – Grêmio Prudente – Vila Belmiro
30/10 – Internacional – Beira-Rio
3/11 – Vitória – Vila Belmiro
7/11 – Atlético-MG – Sete Lagoas
14/11 – Grêmio – Vila Belmiro
21/11 – Goiás – Serra Dourada
28/11 – Avaí – Ressacada
5/12 – Flamengo – Vila Belmiro

Passou por uma grande turbulência após a saída de Dorival Júnior, mas retornou a briga com o interino Marcelo Martelotte. Porém, já tem a vaga para a Libertadores garantida por causa do título da Copa do Brasil.

5° – INTERNACIONAL – 47 pontos
CLASSIFICADO (Campeão da Libertadores 2010)

Próximos jogos

24/10 – Grêmio – Olímpico
30/10 – Santos – Beira-Rio
3/11 – Fluminense – Beira-Rio
7/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
14/11 – Avaí – Beira-Rio
21/11 – Botafogo – Engenhão
28/11 – Vitória – Beira-Rio
5/12 – Grêmio Prudente – Eduardo José Farah

Corre por fora na briga pelo título. No entanto, já conquistou a Libertadores esse ano, o que lhe garante a vaga do torneio continental de 2011. No final deste ano, ainda disputa o mundial em Dubai.

6° – ATLÉTICO-PR – 46 pontos
Chances de classificação: 36%

Próximos jogos

24/10 – Fluminense – Arena da Baixada
28/10 – São Paulo – Arena Barueri
4/11 – Palmeiras – Arena da Baixada
7/11 – Flamengo – Engenhão
14/11 – Grêmio Prudente – Arena da Baixada
24/11 – Grêmio – Olímpico
28/11 – Ceará – Castelão
5/12 – Avaí – Arena da Baixada

Cresceu de um tempo para cá e já está colado nos primeiros colocados. É muito forte jogando em casa, mas não mantém a regularidade longe de Curitiba. Com o G4, se torna um candidato forte também.

7° – GRÊMIO – 46 pontos
Chances de classificação: 40%

Próximos jogos

24/10 – Internacional – Olímpico
28/10 – Fluminense – Engenhão
4/11 – Goiás – Serra Dourada
7/11 – Ceará – Olímpico
14/11 – Santos – Vila Belmiro
21/11 – Atlético-PR – Olímpico
28/11 – Guarani – Brinco de Ouro
5/12 – Botafogo – Olímpico

O Grêmio cresceu depois da chegada do técnico Renato Gaúcho. O time, que estava beirando a zona de rebaixamento do campeonato, arrancou na tabela e já começa a colar nos líderes. Com a vitória sobre o Cruzeiro, no domingo, empatou em número de pontos com o Atlético-PR. Tem duelos diretos e em casa, o que pode ajudar a classificar para a Libertadores.

8° – BOTAFOGO – 45 pontos
Chances de classificação: 21%

Próximos jogos

23/10 – Vitória – Engenhão
30/10 – Atlético-MG – Arena da Jacaré
3/11 – Atlético-GO – Engenhão
7/11 – Avaí – Ressacada
14/11 – Ceará – Castelão
21/11 – Internacional – Engenhão
28/11 – Grêmio Prudente – Engenhão
5/12 – Botafogo – Olímpico

O Botafogo também esteve flertando com a liderança até algumas rodadas atrás, no entanto, uma sequência de empates fez com que o time caísse na tabela. Ainda está vivo na briga pela Libertadores.

9° – SÃO PAULO – 44 pontos
Chances de classificação: 16%

Próximos jogos

24/10 – Ceará – Castelão
28/10 – Atlético-PR – Arena Barueri
3/11 – Cruzeiro – João Havelange
7/11 – Corinthians – Morumbi
14/11 – Vasco – São Januário
21/11 – Fluminense – Morumbi
28/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
5/12 – Atlético-MG – Morumbi

Como acontece nos últimos, reacordou na reta final do Brasileirão após uma crise intensa. Desde a chegada de Paulo César Carpegiani o time se reencontrou e vem mantendo boas atuações. Domingo, quebrou um jejum de vitórias sobre o Santos e é um dos candidatos fortes a uma vaga na Libertadores.

10° – PALMEIRAS – 44 pontos
Chances de classificação: 14%

Próximos jogos

24/10 – Corinthians – Pacaembu
30/10 – Goiás – Arena Barueri
4/11 – Atlético-PR – Arena da Baixada
7/11 – Guarani – Arena Barueri
14/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
21/11 – Atlético-MG – Pacaembu
28/11 – Fluminense – Pacaembu
5/12 – Cruzeiro – João Havelange

Embora desminta publicamente, o Palmeiras já pensa sim em participar da Libertadores do ano que vem. O time não perde a sete jogos e cresceu muito de qualidade nas últimas rodadas. No entanto, não tem elenco suficiente. Sem Kleber, Valdivia e Marcos Assunção, a equipe fica sem peças de reposição. Talvez consiga a vaga por causa da Sul-Americana, já que Felipão é tradicionalmente um técnico copeiro.

11° – VASCO – 41 pontos
Chances de classificação: 2%

Próximos jogos

24/10 – Flamengo – Engenhão
30/10 – Vitória – Barradão
3/11 – Grêmio Prudente – São Januário
7/11 – Fluminense – Engenhão
14/11 – São Paulo – São Januário
21/11 – Cruzeiro – João Havelange
28/11 – Corinthians – Pacaembu
5/12 – Ceará – São Januário

É o time que tem menos chances. Empatou em muitos jogos que poderia ter vencido, como contra o Grêmio, em São Januário, semana retrasada. A tabela também não ajuda, já que enfrenta equipes do porte de Fluminense, Cruzeiro, São Paulo e Corinthians.

*Números do matemático Tristão Garcia

outubro 18, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , | Deixe um comentário

Após duas horas de Z-4, Vitória bate Prudente e deixa sufoco para rivais

Baianos entraram na zona de rebaixamento após resultados das 16h, mas responderam rapidamente com ótima atuação. Prudente segue lanterna

A passagem do Vitória pela zona de rebaixamento durou cerca de duas horas neste domingo. Após ter começado a rodada em 15º lugar e entrado no Z-4 com os triunfos dos rivais, o Rubro-negro não deu chance ao lanterninha Grêmio Prudente e bateu o rival por 2 a 0, no Barradão. Com o término da 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, a equipe baiana segue no sufoco, mas se mantém fora do grupo dos quatro últimos. O jogo marcou a estreia do técnico Antônio Lopes. Já o Prudente, cada vez mais afundado na última posição, está muito próximo da Série B de 2011.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O susto para o Leão veio depois que Atlético-MG e Atlético-GO venceram suas partidas contra Avaí e Vasco, respectivamente, e ultrapassaram os baianos na classificação. Mas os gols de Viáfara e Júnior levaram a equipe novamente ao 15º lugar, agora com 34 pontos. O Prudente permanece com 21, a sete pontos do Goiás, penúltimo colocado.

Na próxima rodada, o Vitória vai até o Engenhão enfrentar o Botafogo, sábado, às 18h30 (de Brasília). O Prudente também joga fora de casa: na Vila Belmiro, contra o Santos, domingo, também às 18h30.

A direita é o caminho

Logo em sua chegada, Lopes promoveu mudanças no time que vinha atuando. No ataque, preferiu uma formação mais leve com Adaílton e Schwenck, dois jogadores de maior movimentação. Enquanto isso, Júnior e Kléber Pereira ficaram no banco de reservas. Outra entrada importante foi a do lateral-direito Nino, grande válvula de escape da equipe pelo setor.

O Prudente procurou se resguardar na defesa e apostar nos contra-ataques, postura normal para um time que é lanterna do campeonato e tem poucas esperanças de se salvar do rebaixamento. Mesmo assim, a equipe paulista teve lá suas chances, principalmente nos chutes de Wesley. Todos bloqueados pela defesa ou defendidos por Viáfara. Os visitantes reclamaram também de um suposto pênalti de Vanderson, que tocou a bola com a mão dentro da área.

Insistindo pela direita, com Nino e Adaílton, o Vitória chegava e já merecia um placar mais favorável. Em dois cruzamentos do lateral, Schwenck quase abriu o placar em cabeçadas que passaram à direita de Giovanni. Logo depois, Adaílton saiu driblando todo mundo e cruzou rasteiro para trás – ninguém apareceu para finalizar.

Com um volume de jogo bem maior, o gol era questão de tempo para o Vitória. E ele veio com uma ajudinha do Prudente: estabanado, Anderson Luís empurrou Elkeson dentro da área. Pênalti claro marcado pelo árbitro e convertido com toda a tranquilidade pelo colombiano Viáfara, aos 41 da primeira etapa.

Põe na roda

A segunda etapa teve ritmo de treino para o Vitória. Completamente entregue, o Prudente apenas observou o rival desfilar em campo, trocar passes e criar mais chances de gol. Antônio Lopes se deu ao luxo até de fazer experiências, lançando Júnior no lugar de Schwenck e testando o ataque com um homem de referência.

E a experiência acabou sendo muito feliz para o Rubro-negro. Aos 24, o time promoveu belíssima troca de passes até que Adaílton arrancou pela direita e chutou cruzado. Júnior, muito bem colocado, apenas empurrou a bola para as redes, com o pé esquerdo.

Nas arquibancadas, a torcida respondeu ao chamado de jogadores e diretoria, que ressaltaram durante a semana a importância da massa para tirar a equipe da situação delicada. Os mais de 27 mil rubro-negros não pararam de cantar um minuto sequer e fizeram do Barradão um verdadeiro caldeirão, como nos tempos de Copa do Brasil.

Do outro lado, desanimado, o Prudente parece já se conformar com a queda antecipada para a Série B. O segundo tempo pífio da equipe paulista praticamente decretou o fim da aventura prudentina na elite do futebol brasileiro.

VITÓRIA 2 X 0 GRÊMIO PRUDENTE
Viáfara, Nino, Wallace, Anderson Martins e Rafael Cruz; Vanderson, Bida, Elkeson (Jacson) e Ramón (Ricardo Conceição); Schwenck (Júnior) e Adaílton Giovanni, Roberto, Anderson Luís, Diego Giaretta e Arthur Henrique; Anderson Pedra, João Vitor (Gilmar), Sasha e Adriano Pimenta (Rhayner); Wesley e Wanderley (Willian José)
Técnico: Antônio Lopes Técnico: Fábio Giuntini
Gols: Viáfara, aos 41 do primeiro tempo; Júnior, aos 24 do segundo tempo
Cartões amarelos: Nino, Schwenck (VIT); Anderson Luís, Diego Giaretta, Wesley, Sasha (GPR)
Estádio: Barradão, em Salvador (BA). Data: 17/10/2010. Árbitro:Edivaldo Elias da Silva (PR). Auxiliares: Carlos Bohn (PR) e José Carlos Dias Passos (PR). Público: 27.199 pagantes

outubro 17, 2010 Posted by | Grêmio Prudente, Vitória | , | Deixe um comentário

Com apoio da torcida, Vitória recebe o Prudente

Rubro-Negro encara o lanterna do Brasileirão com a missão de voltar a vencer após cinco rodadas

O Vitória não vence há cinco rodadas. Por isso, sair pelas ruas de Salvador tem sido difícil para o elenco rubro-negro. Para mudar esse quadro, a reação precisa começar neste domingo, às 18h30, no Barradão. Criado nas categorias de base do clube, o zagueiro Wallace, torcedor do Leão, sabe o que é preciso neste momento para que o time comece uma recuperação.

– É o momento de se fechar e ter o torcedor do nosso lado para reverter esta situação. Não podemos errar como estamos errando – disse.

O discurso de que o apoio da torcida é fundamental, principalmente nesta reta final, também é adotado pelo capitão Vanderson.

– Quero ver agora quem é rubro-negro mesmo. Chegou a hora da união de todos.

E o pedido de ajuda aos torcedores é sério. Nesta quinta-feira, o técnico Antônio Lopes, o presidente Alexi Portela e outros dirigentes estiveram reunidos com integrantes de algumas torcidas organizadas.

– Nosso objetivo é trazer a torcida para o nosso lado. Este é o momento da união de todos e, por isso, solicitei ao presidente um encontro com vocês. Gosto sempre de citar o Fluminense como exemplo e quero ver a torcida incentivando os nossos jogadores e vaiando o adversário – disse Lopes.

Em campo, Lopes deve colocar escalar o time no 4-3-3, com Jacson na esquerda, Adaílton na direita e Júnior no meio. Egídio sequer foi relacionado por conta de uma pubalgia e Thiago Humberto, por decisão do treinador Lopes. Thiago Martinelli, Uelliton e Neto Coruja estão suspensos.

Grêmio Prudente

Divisor de águas. Assim é encarado o jogo contra o Vitória pelos jogadores e comissão técnica do Grêmio Prudente. Com 21 pontos no Brasileirão, sete atrás do penúltimo colocado, o Goiás, uma vitória pode fazer o time respirar e ainda sonhar com a permanência na Séria A.

No entanto, o técnico Fábio Giuntini terá problemas para escalar a equipe em Salvador. O lateral-esquerdo Marcelo Oliveira sofreu uma lesão na panturrilha esquerda no jogo contra o São Paulo e foi vetado pelo departamento médico. Mesma situação do zagueiro Leonardo, com uma contusão na coxa direita.

Além deles, Rodrigo Mancha, Rafael Martins e Hugo, que já estavam fora no jogo passado, também não viajarão para Salvador.

– Enquanto tivermos chances matematicamente vamos continuar lutando. Apesar da situação difícil, uma vitória no próximo domingo nos dará um novo ânimo para continuar lutando. Estamos confiantes e não vamos abandonar o barco –  afirmou Marcelo Oliveira.

FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA X GRÊMIO PRUDENTE

Local: Barradão, em Salvador (BA)
Data/Hora: 17/10/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e José Carlos Dias Passos (PR)

VITÓRIA: Viáfara, Nino Paraíba, Wallace, Anderson Martins e Rafael Cruz; Vanderson, Bida, Ramon e Elkeson; Adailton e Schwenck.. Técnico: Antônio Lopes.

GRÊMIO PRUDENTE: Giovanni, Bruno Ribeiro, Anderson Luís, Diego, Artur; João Vitor, Roberto, Adriano Pimenta e Wesley; William José e Araújo. Técnico: Fábio Giuntini.

outubro 17, 2010 Posted by | Grêmio Prudente, Vitória | , , | Deixe um comentário

Bernardo marca e Goiás bate Vitória em duelo direto contra rebaixamento

Esmeraldino faz 1 a 0 com belo gol do meia e respira no Brasileirão. Baianos veem rivais de baixo se aproximarem perigosamente

Um belo gol de falta manteve o Goiás vivo na luta contra o rebaixamento. Neste domingo, em jogo fraco tecnicamente, o Esmeraldino fez 1 a 0 no Vitória, no Serra Dourada, e embolou ainda mais o bloco de baixo na tabela do Campeonato Brasileiro. O duelo, válido pela 29ª rodada, teve o único gol marcado pelo meia Bernardo.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Agora, os dois times ficam muito próximos na classificação. O Goiás foi a 28 pontos, ainda dentro da zona da degola, mas cola em Atlético-MG, Atlético-GO, Avaí e no próprio Vitória, que permanece com 31 – e vendo os adversários se aproximando perigosamente.

Na próxima rodada, o time treinado por Jorginho terá duelo contra o Atlético-PR, no próximo sábado, ás 18h30m, em Curitiba. Já o Vitória receberá o Grêmio Prudente no domingo, às 16h, no Barradão.

Sol atrapalha ritmo

O técnico Jorginho improvisou o lateral-esquerdo Wellington Saci na meia, e deixou nomes como Marcelo Costa e Bernardo no banco. Sem cacoete para a armação, Saci acabou sumindo na marcação dos volantes do Vitória e pouco produziu quando pegou na bola. O Esmeraldino teve posse de bola bem maior que o adversário, mas não soube criar chances reais de gol. O goleiro Lee praticamente não trabalhou.

Pelo Vitória, o técnico Antônio Lopes ainda não estreou, por conta de uma suspensão do STJD. O time, mesmo mais tímido no ataque, esteve muito próximo de abrir o placar. Kléber Pereira jogou isolado na frente e o meio-de-campo foi povoado com seis jogadores.

A melhor chance veio aos 27, quando Ricardo Conceição ganhou da zaga, invadiu a área e chutou cruzado. Harlei salvou o Goiás ao fazer excelente defesa. Minutos depois, Kléber Pereira recebeu sozinho a bola, mas dominou mal e perdeu ótima oportunidade.

A alta temperatura em Goiânia comprometeu a qualidade do futebol no Serra Dourada. Desgastando-se rapidamente, os jogadores atuaram em um ritmo muito abaixo do normal. Tão abaixo que o árbitro Paulo César de Oliveira até promoveu uma parada técnica na metade da primeira etapa.

O verdadeiro 10 resolve

No intervalo, o técnico Jorginho fez a alteração que já deveria ter ocorrido antes do início do jogo: colocou Bernardo no lugar de Jadílson e colocou Wellington Saci em seu lugar de origem – a lateral. Assim, o Esmeraldino pôde aumentar a pressão para cima dos baianos.

Ainda que tenha melhorado a qualidade, o Goiás seguiu sofrendo com os contra-ataques. O Vitória chegou perto do gol, novamente com Ricardo Conceição, em lance muito parecido com o do primeiro tempo. Ele ficou cara a cara com Harlei, que fez mais uma boa defesa.

Em um jogo tão igual e travado, só mesmo um autêntico camisa 10 resolve. E Bernardo mostrou isso na única chance que teve. Aos 31, uma cobrança perfeita de falta bastou para dar a vitória ao Goiás. O meia bateu com extrema categoria no ângulo direito e contou com a colaboração de Lee, que pulou tarde demais na bola.

Só com o gol sofrido o Vitória se lançou de vez no ataque, com Henrique fazendo companhia a Kléber lá na frente. Mas a falta de qualidade na armação impediu que o time baiano conseguisse levar perigo a Harlei. Melhor para o Esmeraldino, que fez as pazes com a torcida e ouviu os gritos de “Time de guerreiros”.

GOIÁS 1 X 0 VITÓRIA
Harlei, Douglas, Ernando, Valmir Lucas e Jadílson (Bernardo); Amaral, Carlos Alberto (Otacílio Neto), Wellington Monteiro e Wellington Saci; Jones (Wendell Lira) e Éverton Santos Lee, Thiago Martinelli, Gabriel e Anderson Martins; Ricardo Conceição, Bida, Neto Coruja (César Santiago), Ramón (Thiago Humberto), Elkeson e Egídio (Henrique); Kléber Pereira
Técnico: Jorginho Técnico: Antônio Lopes
Gol: Bernardo, aos 31 do segundo tempo
Cartões amarelos: Carlos Alberto, Éverton Santos, Bernardo (GOI); Thiago Martinelli, Neto Coruja, Anderson Martins, César Santiago (VIT)
Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO). Data: 10/10/2010. Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP). Auxiliares: Danilo Ricardo Manis (SP) e Fábio Pereira (TO)

outubro 10, 2010 Posted by | Goiás, Vitória | | Deixe um comentário

Goiás recebe o Vitória em busca da reação

Jorginho ainda acredita em seus comandados. Vitória ‘estreia’ técnico

Goiás recebe o Vitória no Serra Dourada. Só a vitória interessa para as duas equipes

Goiás recebe o Vitória no Serra Dourada. Só a vitória interessa para as duas equipes(Crédito: Montagem de Alex Ximenes)

LANCEPRESS!

A derrota para o Cruzeiro, por 1 a 0 no Serra Dourada, poderia ter sido bem digerida não fosse a apatia dos jogadores do Goiás dentro de campo. O técnico Jorginho enfatizou seguidas vezes que a equipe não foi guerreira como vinha sendo, e por isso, quer recuperar esse espírito para a partida deste domingo, as 16h, contra o Vitória, no Serra Dourada.

O confronto marca o reencontro das duas equipes após o lamentável episódio ocorrido no Barradão após o empate por 2 a 2, no dia 24 de julho, quando o treinador Emerson Leão e oatacante Rafael Moura iniciaram uma briga generalizada com repórteres locais.

Personagem principal na ocasião, Rafael Moura fica de fora da partida, assim como o zagueiro Marcão, ambos suspensos pelo terceiro cartão amarelo. O problema na zaga aumenta porque Rafael Toloi continua no Departamento Médico e por isso, Amaral deve ser improvisado.

Em compensação, o atacante Felipe, vetado nos vestiários antes da partida contra o Cruzeiro, deve voltar a ser opção, assim como Jones e Bernardo, que ficaram de fora por cláusulas contratuais. Com isso, Jorginho deve sair do esquema 3-6-1 para o 3-5-2, com Felipe e Jones na frente, e com a manutenção de Marcelo Costa na criação de jogadas.

O treinador tratou de levantar o ânimo do elenco e mostrar que ainda acredita no potencial de todos e que não é hora de jogar a toalha na Série A.

– A cada jogo que passa dificulta ainda mais, mas ainda temos condições de reverter e é a hora de reconhecer os erros e ter uma melhor atitude. Confio em todos os atletas e por isso a responsabilidade é toda minha. Deixamos a desejar, precisamos sim melhorar, mas eu não vou jogar a toalha nunca – afirmou o comandante.

Vitória ‘estreia’ técnico Antônio Lopes:

O Vitória aposta na estreia de Antônio Lopes, para alcançar um bom resultado diante do Goiás e se afastar da zona do rebaixamento. Atualmente, o time baiano é o 14º colocado, com apenas 31 pontos após 28 rodadas já disputadas.

Antônio Lopes comandou seu primeiro treino como técnico do Vitória nesta sexta-feira, mas não estará à beira do campo no jogo contra o Goiás, neste domingo, no Serra Dourada, pois cumpre suspensão pela expulsão ocorrida na época em que ainda comandava o Avaí. O auxiliar Miguel Ferreira Pereira é quem vai substituir o “delegado” no Serra Dourada.

Para esse desafio, os desfalques são: Eduardo e Vanderson, machucados, e Jonas, Wallace e Uelliton, suspensos.

Porém, nem tudo é problema. O comandante terá os retornos do volante Ricardo Conceição, do meia Elkeson e do atacante Henrique. Os dois primeiros cumpriram suspensão na rodada passada, enquanto Henrique não atuou contra o São Paulo por ter seus direitos vinculados ao clube paulista.

FICHA TÉCNICA:
GOIÁS X VITÓRIA

Local: Estádio Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/Hora: 10/10/2010 às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simom Manis (SP) ou Fábio Pereira (TO)

GOIÁS: Harlei, Valmir Lucas, Amaral e Ernando; Wendel Santos, Carlos Alberto, Wellington Monteiro, Marcelo Costa e Júnior; Jones e Felipe (Éverton Santos).Técnico: Jorginho.

VITÓRIA: Lee, Jonas, Wallace, Thiago Martinelli e Egídio; César Santiago (Neto Coruja), Ricardo Conceição, Bida e Elkeson; Júnior e Henrique. Técnico: Miguel Ferreira Pereira.

 

outubro 10, 2010 Posted by | Goiás, Vitória | | Deixe um comentário

Na reestreia de Carpegiani, São Paulo passeia em Barueri e bate o Vitória

Mais organizado e com muito mais vontade do que na época de Sérgio Baresi, Tricolor fez 2 a 0 e poderia saído de campo com placar mais dilatado

Paulo César Carpegiani chegou ao São Paulo na segunda-feira. Comandou dois treinos e veio para a estreia. E avisou: não esperem um grande futebol no começo. Nesse primeiro momento, o importante era voltar a vencer. Mas, se a primeira impressão é a que fica, o torcedor são-paulino tem motivos para voltar a sorrir. Apesar das claras limitações do Vitória, que de finalista da Copa do Brasil começa a sofrer com a ameaça do rebaixamento, o Tricolor, como há muito tempo não se via, passou fácil pela equipe baiana. Com vontade, mais organizado e contando com uma dupla de ataque inspirada, a equipe do Morumbi marcou 2 a 0 fácil fácil.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O resultado acabou com uma série de três derrotas e fez o São Paulo subir para a décima colocação, com 38 pontos. Já o time baiano, que sofreu sua quarta derrota consecutiva, estacionou nos 31 pontos e manteve a 14ª colocação. As duas equipes voltarão a campo no próximo final de semana. No sábado, o Tricolor enfrenta o Grêmio Prudente no interior paulista. Já o rubro-negro da Boa Terra vai a Goiânia para enfrentar o Goiás.

Começo arrasador do Tricolor

Como o novo técnico pediu, logo que a bola rolou, o São Paulo tomou a iniciativa e foi para cima do adversário. O time concentrou seu jogo pelo lado direito, apostando suas fichas na dupla Lucas e Dagoberto, que tinha a constante companhia de Jean no apoio. Do outro, não havia a mesma efetividade, já que Carlinhos Paraíba ficava mais recuado e Diogo, inicialmente, se preocupou com a marcação. O Vitória, por sua vez, entrou com cinco homens no meio e apenas Kleber Pereira no ataque. Os meias Renato e Thiago Humberto tinham a incumbência de levar a bola à frente. Mas, anulados pelos volantes Casemiro e Rodrigo Souto, não foram notados em campo.

Além da constante movimentação na frente, impressionava a vontade dos atletas do Tricolor. A cada dividida, a cada desarme, muita vibração. E, sempre conversando, se cobravam, buscando o melhor posicionamento. Dominando amplamente, o São Paulo não precisou mais do que 17 minutos para abrir o marcador. Jean tabelou com Casemiro, recebeu na frente, invadiu a área e cruzou na medida para Dagoberto, que empurrou para as redes.

O Vitória, após alguns minutos, conseguiu respirar e finalmente foi ao gol defendido por Rogério Ceni. Thiago Humberto, em dois lances, exigiu boas defesas do camisa 1 tricolor. Mas o São Paulo seguia senhor da partida. E, aos 30, marcou o segundo. Fernandinho, que não tinha com quem jogar na esquerda, veio atuar pela direita. Ele recebeu belo passe de Lucas, passou por dois marcadores, invadiu a área, driblou Lee e rolou para o gol vazio. Festa em Barueri para um justíssimo 2 a 0.

Antes do apito para o intervalo, o Vitória, que havia perdido o lateral-direito Eduardo, machucado, ficou com dez homens (Uelliton foi expulso por reclamação). O Tricolor só não fez o terceiro porque Lee fez grande defesa em chute de pé esquerdo de Fernandinho.

Etapa complementar

Os times voltaram com as mesmas formações e com o São Paulo soberano. Ao contrário do que aconteceu no primeiro tempo, o time também atacou pela esquerda. Diogo se soltou e passou a apoiar com as companhias de Fernandinho e Carlinhos Paraíba. O Vitória até saiu um pouco mais para o jogo, mas esbarrava na falta de qualidade do seu meio. Para piorar, o capitão Vanderson sentiu uma lesão e foi substituído por Neto Coruja.

Outro ponto pedido por Carpegiani nos treinamentos aconteceu muito no segundo tempo. Como o Vitória, tentou buscar o ataque, o Tricolor recuperava a bola e com um, no máximo dois passes, chegava à grande área adversária. Dagoberto e Fernandinho tiveram boas chances mas, individualistas, falharam. Percebendo que havia muito espaço para atacar, Carpegiani pôs o time ainda mais à frente, sacando Casemiro e colocando Marlos. Com isso, Carlinhos Paraíba foi recuado para o papel de volante. Na sequência, Sergio Mota entrou no lugar de Fernandinho.

Nos últimos 15 minutos, o time sensivelmente diminuiu o ritmo. Procurou valorizar a posse de bola no meio-campo, esperando uma brecha para atacar. E a torcida, feliz da vida, gritava: “Olé, Olé, Olé”. Na sequência, o hino são-paulino ecoou na Arena da Baixada. Para completar, delírio total quando o placar eletrônico anunciou o segundo gol do Atlético-MG na partida contra o Corinthians, em Sete Lagoas. E a festa continuou até o apito final.

SÃO PAULO 2 X 0 VITÓRIA
Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Diogo; Casemiro (Marlos), Rodrigo Souto, Carlinhos Paraíba e Lucas (Lucas Gaúcho); Dagoberto e Fernandinho (Sergio Mota). Lee; Eduardo (Jonas), Wallace, Thiago Martinelli e Egídio; Vanderson (Neto Coruja), Uelliton, Bida, Thiago Humberto e Renato; Kléber Pereira (Júnior).
Técnico: Paulo César Carpegiani. Técnico: Ricardo Silva
Gols: Dagoberto, aos 17min e Fernandinho, aos 30min do 1º tempo
Cartões amarelos: Alex SIlva, Casemiro, Dagoberto (São Paulo); Wallace, Renato, Jonas e Vanderson (Vitória). Cartão vermelho:Uelliton (Vitória).  Renda e Público: R$ 127.916,59 / 14.364 pagantes
Estádio: Arena Barueri, em Barueri (SP). Árbitro: Cláudio Mercante (PE). Auxiliares: Jossemar José Diniz Moutinho (PE) e José Pedro Vanderlei da Silva (PE)

outubro 7, 2010 Posted by | São Paulo, Vitória | , | Deixe um comentário

Na estreia de Carpegiani, São Paulo encara o Vitória

Treinador tem uma série de problemas em seu primeiro jogo, que acontecerá na Arena Barueri

LANCEPRESS!

O jogo contra o Vitória nesta quarta-feira, às 22h, na Arena Barueri, marca o início de Uma nova era no São Paulo. Paulo César Carpegiani fará sua estreia como treinador da equipe e tem a missão de reencontrar o caminho das vitórias, que não aparecem há três partidas.

– É um excelente treinador, já colocou a maneira de jogar e queremos assimilar rapidamente. Queremos aplicar tudo em campo o mais rápido possível – elogiou o volante Rodrigo Souto.

E, logo em seu primeiro compromisso, Carpegiani tem nove desfalques para armar o time. Além de Richarlyson e Ricardo Oliveira, suspensos, ele ainda tem sete jogadores no departamento médico. Wellington e Junior Cesar se recuperam de operação. Fernandão (lesão na panturrilha esquerda), Ilsinho (lesão no tornozelo esquerdo), Cleber Santana (lesão no tornozelo esquerdo), Jorge Wagner (fratura na mão esquerda) e Xandão (lesão no adutor da coxa esquerda) ficaram em tratamento.

Devido ao grande número de problemas, o treinador colocará em campo um trio muito veloz na frente: Lucas, Dagoberto e Fernandinho. Eles ainda podem ter a companhia de Marlos, que disputa uma vaga com Carlinhos Paraíba. Este último foi o titular no coletivo de terça-feira.

Com Ricardo Silva mantido no cargo após a goleada por 3 a 0 para o Grêmio – a terceira consecutiva -, o Vitória vem a São Paulo, tentando se distanciar de vez da zona de rebaixamento.

Como prometido após a última derrota, o treinador promoverá mudanças na equipe. No treino desta terça-feira, Ramon e Júnior foram barrados por Renato Ribeiro e Kleber Pereira, respectivamente.

Quem volta à equipe é o lateral-direito Eduardo, que cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo, e o meia Renato. Os desfalques ficam por contra do volante Ricardo Conceição, e do meia Elkeson, suspensos, e do atacante Henrique, que não pode enfrentar o São Paulo, seu clube de origem. Nos lugar dos suspensos entram Uelliton e Thiago Humberto.

A partida acontecerá na Arena Barueri porque o Morumbi, casa do Tricolor, foi alugado para receber o show da banda Bon Jovi.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X VITÓRIA

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 6/10/2010 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Claudio Mercante (PE)
Auxiliares: Jossemmar Diniz Moutinho (PE) e Jose Pedro da Silva (PE)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Jean, Alex Silva, Miranda e Diogo; Casemiro, Rodrigo Souto, Carlinhos e Lucas; Dagoberto e Fernandinho. Técnico: Paulo César Carpegiani.

VITÓRIA: Lee, Eduardo, Wallace, Thiago Martinelli e Egidio; Vanderson, Uelliton, Bida, Thiago Humberto e Renato; Kleber Pereira. Técnico: Ricardo Silva.

outubro 5, 2010 Posted by | São Paulo, Vitória | , , | Deixe um comentário

Na volta de Renato à Bahia, Grêmio bate Vitória e confirma ponta no returno

Com sete desfalques, Tricolor gaúcho aproveita erros do Rubro-Negro baiano e consegue o quarto triunfo seguido fora de casa: 3 a 0

Na volta de Renato Gaúcho a Salvador, onde treinou o Bahia até ser convocado a dirigir o clube onde é o ídolo maior, o Grêmio reforçou, neste sábado, o seu título de melhor time do returno do Campeonato Brasileiro. Apesar de sete desfalques, o Tricolor gaúcho aproveitou erros do adversário e derrotou o Vitória por 3 a 0, no Barradão, em jogo pela 27ª rodada do Nacional.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Os gols da partida foram marcados por Maylson, aos 20 minutos do primeiro tempo, aproveitando uma falha do zagueiro Wallace na saída de bola, Diego e Edílson, aos 45 e 47 da etapa final, respectivamente.

Com a quarta vitória seguida fora de casa, o atual campeão gaúcho ganhou mais uma posição na classificação, subindo para o oitavo lugar, com 39 pontos. Já o campeão baiano vive uma situação díficil. Com três derrotas consecutivas, o Vitória é o 14º colocado, com 31 pontos, cinco a mais que o Atlético-GO, que iniciou a rodada no Z-4.

Os dois times voltam a atuar na quarta-feira. O Grêmio recebe o lanterna Prudente no Olímpico, às 19h30m (de Brasília). O Vitória enfrenta o São Paulo, no Morumbi, às 21h50m.

As duas equipes entraram em campo com desfalques de última hora. No Vitória, o lateral Jonas sentiu uma indisposição estomacal, e o treinador Ricardo Silva precisou improvisar o volante Ricardo Conceição no lado direito. Do lado do Grêmio, Adílson foi liberado para voltar a Porto Alegre devido ao falecimento de um amigo muito próximo. Foi a sexta mudança que Renato Gaúcho precisou fazer no time que iniciou a partida contra o São Paulo, na quarta-feira. Também não puderam atuar Vilson, Rafael Marques, Douglas, André Lima e Paulão, todos suspensos. E Fábio Rochemback não pôde retornar à equipe devido a uma distensão na coxa direita.

Diante de tantos problemas, o treinador gremista decidiu escalar o time com Jonas como único atacante de ofício; fez improvisações, com o jovem zagueiro Simon atuando como volante, e o lateral Lúcio como meia; e mandou a campo garotos como Neuton, Roberson e Maylson. No Rubro-Negro baiano, Ricardo Silva promoveu o retorno do experiente meia Ramon, responsável pela armação de jogadas junto da revelação Elkeson.

Apesar dos problemas, o Grêmio assustou o adversário com um minuto. Após cobrança de escanteio, Neuton ficou livre na área, mas cabeceou por cima, perdendo ótima chance. Diante de um rival com cinco homens no meio-campo, o Vitória enfrentou muitas dificuldades para superar a defensiva gremista, que marcava até a saída de bola. E em um lance de marcação-pressão saiu o primeiro gol da partida. Aos 20 minutos, o zagueiro Wallace saiu jogando errado e chutou em cima de Roberson. A bola sobrou limpa para Maylson, que, livre na entrada da área, chutou forte para abrir o placar.

O gol acordou o Vitória, que teve criou duas boas oportunidades aos 23 e 26 minutos. Na primeira, Henrique deu ótimo passe para Ricardo Conceição, que dominou na área e obrigou Victor a fazer uma ótima intervenção (no vídeo acima). Em seguida, Júnior acionou Ramon, que, da entrada da área, chutou rente à trave direita.

Para o segundo tempo, apesar das dificuldades enfrentadas pela equipe e das atuações apagadas de Júnior e Elkeson, o treinador do Vitória, Ricardo Silva, não mexeu no time. Mas nos primeiros dez minutos, o time baiano seguiu com muitos erros de passes e não conseguindo superar o bloqueio na entrada da área. Nos dez minutos iniciais, o Rubro-Negro só conseguiu ameaçar em uma falta cobrada por Bida, que Victor espalmou para escanteio.

A paciência do treinador do Vitória com Júnior acabou aos 14 minutos. Ao ser substituído por Schwenk, o camisa 9 saiu falando palavrões (assista no vídeo acima). E o técnico também tentou dar mais fôlego ao time, trocando Ramon por Thiago Humberto.

Mas a situação não melhorou para o time da casa. O Leão recorria a cruzamentos para a área, rebatidos na grande maioria pela defesa do Grêmio. O que causou perigo só gerou risco devido a uma falha de Victor, que rebateu mal um centro aos 25. A bola sobrou para Thiago Humberto, que chutou forte, mas o goleiro se recuperou e defendeu.

Aos 32, Ricardo Silva queimou seu último cartucho, colocando Kléber Pereira em campo no lugar do volante Vanderson.

A equipe baiana tentou atacar, mas de forma desordenada. E foi o Grêmio que chegou ao gol. Não apenas uma vez. Mas duas. Aos 45, Diego aproveitou uma bola rebatida pelo goleiro Lee e ampliou. E dois minutos depois, com o Vitória já entregue, Gabriel passou para Edílson, que acertou um belo chute, definindo o marcador e mais três pontos para o melhor time do segundo turno do Brasileirão.

VITÓRIA 0 X 3 GRÊMIO
Lee; Ricardo Conceição, Wallace, Thiago Martinelli e Egídio; Vanderson (Kléber Pereira), Bida, Ramon (Thiago Humberto) e Elkeson; Júnior (Schwenk) e Henrique. Victor; Gabriel, Ozéia, Neuton e Fábio Santos; Saimon (Edílson), Fernando (William Magrão), Roberson, Maylson (Diego) e Lúcio; Jonas.
Técnico: Ricardo Silva. Técnico: Renato Gaúcho.
Gols: Maylson, aos 20 minutos do primeiro tempo, Diego, aos 45 do segundo e Edílson, aos 47.
Cartões amarelos: Elkeson, Ricardo Conceição (VIT), Lúcio, Ozéia e Victor (GRE)
Local: Barradão, em Salvador. Data: 02/10/2010. Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ). Auxiliares: Luiz Moreira de Oliveira (RJ) e Arnaldo Rodrigues de Souza (CE).

outubro 2, 2010 Posted by | Grêmio, Vitória | , | Deixe um comentário

Renato Gaúcho e goleada motivam Grêmio contra o Vitória

Em boa fase, Tricolor gaúcho segue na busca por vaga no G3. Rubro-Negro terá o retorno de Ramon

LANCEPRESS!

O técnico Renato Gaúcho chegou a Porto Alegre no dia 12 de agosto. De lá para cá, foram sete vitórias, três empates e três derrotas no comando do Grêmio, que ocupava a penúltima posição na tabela e, hoje, já se encontra na nona, sonhando com a Libertadores.

Além da boa campanha do treinador, o último triunfo do Tricolor gaúcho, a goleada para o São Paulo, quarta-feira passada, é mais uma motivação para o duelo contra o Vitória, neste sábado, às 16h, no Barradão.

Treinando no CT do Bahia, Renato Gaúcho não deu nenhum indicativo de qual equipe será usada na capital baiana. Assim, fica a dúvida com relação aos substitutos dos cinco jogadores suspensos pelo terceiro cartão amarelo: Vilson, Rafael Marques, Paulão, Douglas e André Lima. Além deles, Fábio Rochemback, lesionado, não poderá atuar.

Com a dupla de zagueiros fora de combate, o Grêmio pode ter Ozéia e Neuton como substitutos. Lúcio segue improvisado no meio de campo e Saimon forma dupla com Adilson, que foi poupado no treino de quinta.

No Vitória

O meia Ramon está de volta ao time do Vitória. O técnico Ricardo Silva relacionou o veteranos, que não atuou diante do Atlético-PR, rodada passada, quando os baianos foram derrotados na Arena da Baixada. Além de Ramon, Jonas está confirmado como titular na lateral direita, já que Eduardo, suspenso, não poderá atuar.

FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA X GRÊMIO

Local: Barradão, em Salvador (BA)
Data/Hora: 2/10/2010 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Auxiliares: Luiz A. Muniz de Oliveira (RJ) e Arnaldo Rodrigues de Souza (CE)

VITÓRIA: Lee, Jonas, Wallace, Anderson Martins e Egídio; Vanderson, Ricardo Conceição, Elkeson e Ramon; Júnior e Henrique.
Técnico: Ricardo Silva.

GRÊMIO: Victor, Gabriel, Ozéia, Neuton e Fábio Santos; Saimon, Adilson, Lúcio e Roberson; Jonas e Diego. Técnico: Renato Gaúcho.

outubro 2, 2010 Posted by | Grêmio, Vitória | | Deixe um comentário