Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Acabou! O Fluminense é bicampeão brasileiro

Em partida nervosa, Fluminense vence o Guarani por 1 a 0 e após 26 anos volta a ser campeão do Brasil

Fim de uma longa espera de 26 anos! Mesmo rebaixado, o Guarani jogou com seriedade e profissionalismo. Mesmo assim, a superioridade técnica do Fluminense pôde ser vista em campo. Emerson foi o herói, com um gols aos 17 minutos do segundo tempo, e desafogou o grito da torcida tricolor. Resultado: Fluminense 1×0 Guarani. O Brasil tem um novo campeão. E Muricy Ramalho foi tetra: três vezes com o São Paulo e uma com o Fluminense agora.

Quando Carlos Eugênio Simon apitou o início da partida, a torcida tricolor já vibrava com o possível título. Visivelmente nervoso, o time do Fluminense viu o Guarani avançando nos primeiros minutos. Aos 5 minutos, Valencia rolou para Emerson sozinho, o Sheik não conseguiu o domínio e culpou o gramado. O Fluminense foi se soltando e criando boas chances. O Guarani, despreocupado, brigava pela bola.

O Fluminense seguiu melhor em campo, mas investidas de Apodi pela direita assustavam a equipe tricolor. Com mais posse de bola, o Guarani valorizava o jogo e via o nervosismo dos tricolores aumentar cada vez mais. Os jogadores do Guarani discutiam entre si e parecia que era o Bugre que lutava pelo título.

Emerson e Conca fizeram grande tabela, o Sheik recebeu dentro da área e chutou em cima de Aílson. No rebote, Fabiano e Aílson trombaram e a zaga bugrina afastou de qualquer maniera. Na sequência, Mariano cruzou para Fred que cabecou para defesa segura de Emerson. Em um escanteio, o Bugre quase abre o marcador. Após cabeçada de Aílson, Reinaldo dominou, mas foi interceptado por Ricardo Berna. O Fluminense tentou, mas nada de gol.

As duas equipes voltaram sem mudanças. Logo no primeiro minuto, o Fluminense quase marcou com Emerson. Na sequência, Carlinhos agrediu Paulinho, mas Simon não viu. Aos 12 minutos, Julio Cesar, mal em campo, sentiu cãibras e teve que deixar o gramado. Precisando do gol, Muricy chamou Washington e partiu para o time com três atacantes.

Aos 16 minutos, finalmente o gol do Fluminense chegou ao gol e a torcida explodiu! Carlinhos cruzou da esquerda, Washington desviou e Emerson mandou para o fundo do gol. Delírio no Engenhão. Com o gol sofrido, o Guarani partiu para o ataque. Márcio Careca deixou o gramado para a entrada de Geovane.

Querendo defender a equipe, Muricy sacou o goleador Fred e colocou Fernando Bob em seu lugar, mantendo Washington e Emerson no ataque. O Fluminense voltou a errar passes bobos e viu o Guarani tentar criar alguma boa jogada. Mesmo na frente no marcador, a ansiedade foi tomando conta da equipe do Fluminense. A torcida, ainda tímida, ensaiava alguns gritos. Emerson sentiu a perna e deixou a equipe para a entrada de Rodriguinho.

O tempo foi passando e torcida do Fluminense foi se soltando. O Guarani parou de atacar e viu o Fluminense dominar a partida. Algumas boas chances foram criadas, mas o segundo gol não tinha necessidade de acontecer. Após 26 anos, o Fluminense volta a levantar o título Brasileiro. Emoção por todo o Engenhão e por todo o Rio de Janeiro. Os tricolores podem soltar o grito, porque em 2010, o Brasil é verde, branco e grená! Parabéns, Fluminense! Parabéns, torcida tricolor!

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 0 GUARANI

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 5/12/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Altermir Hausmann (RS) e Roberto Braatz (PR)
Renda e público: R$ 2.859.450,00 / 35.527 pagantes / 40.995 presentes
Cartões amarelos: Paulinho, Fabiano, Aílson e Maycon (GUA); Emerson, Mariano e Gum (FLU)
Cartões vermelhos: –
Gols: Emerson 17’/2ºT (1-0)

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diguinho, Julio Cesar (Washington 12’/2ºT) e Conca; Emerson (Rodriguinho 32’/2ºT) e Fred (Fernando Bob 23’/2ºT) – Técnico: Muricy Ramalho.

GUARANI: Emerson, Guilherme Mattis (Pablo 24’/2ºT), Aislan e Ailson; Apodi, Maycon, Paulinho, Ronaldo, Márcio Careca (Geovane 21’/2ºT) e Fabiano; Reinaldo (Douglas 28’/2ºT) – Técnico: Vagner Mancini.

dezembro 5, 2010 Posted by | Fluminense, Guarani | | Deixe um comentário

Grêmio goleia, segue no G4 e fica com o Saldanhão

Equipe gaúcha, agora, tem duelo direto com o Botafogo na última rodada. Resultado decreta o rebaixamento do Bugre.

O Grêmio não fez esforço para golear por 3 a 0 um esforçado Guarani, na tarde deste domingo, no Brinco de Ouro, pela penúltima rodada do Brasileirão. O resultado mantém o Tricolor gaúcho no G4 e premia a equipe do Sul com o Troféu João Saldanha, dado pelo LANCE! ao campeão do returno. Já o Bugre dá adeus à Série A.

Agarrado às poucas chances de não ser rebaixado, o Guarani partiu com tudo para cima do Grêmio. E quase marcou no primeiro minuto. Baiano enfiouótima bola para Reinaldo, que tocou para dentro da área para a chegada de Mazola. Porém, Fábio Santos se adiantou, evitando a conclusão do atacante.

Também querendo vencer para se manter no G4, o Tricolor gaúcho perdeu o zagueiro Mário Fernandes aos 10. Improvisado na direita, o jogador, que voltava a jogar depois de quatro meses parado, sentiu o tornozelo esquerdo e precisou ser substituído.

Os goleiros só começaram a aparecer aos 23, quando o Grêmio abriu o placar. Após cobrança de falta de Rochemback pela esquerda, André Lima subiu mais que a zaga e, de cabeça, desviou para a rede, sem chances para Emerson.

O jogo tornou-se, então, aberto. O Bugre, mais contundente em campo, pecava pela falta de criatividade, mas assustou com Baiano, em cobrança de escanteio, Mazola, que acertou o travessão, e Apodi, que quase enganou Victor em chute que quicou na frente do goleiro.

Na volta do intervalo, o Grêmio pareceu que tomaria conta da partida, mas foi apenas engano. O time do Sul seguiu cadenciando o jogo, vendo o Guarani chegar e obrigar Victor a fazer algumas defesas. Mas o Bugre seguia sem qualidade no meio de campo.

A melhor chance de empate do Guarani aconteceu em cobrança perfeita de falta de Baiano, que obrigou Victor a defender no ângulo esquerdo. Mas o Bugre, que seguia melhor, foi castigado com mais um gol. Diego foi derrubado na área por Ronaldo e, na cobrança, Jonas ampliou.

Para confirmar a permanência entre os quatro primeiros, o Grêmio ampliou. Jonas viu Diego se movimentar e entrar na área e deu lindo passe para o companheiro, que afundou a rede de Emerson. Era o rebaixamento selado do Guarani, que sentiu o gostinho da Primeira Divisão por apenas sete meses.

FICHA TÉCNICA:
GUARANI 0 X 3 GRÊMIO

Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data/Hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Jossemmar José Moutinho (PE) e José Pedro da Silva (PE)
Cartões amarelos: Maycon, Mazola, Baiano, Aislan (GUA); Fábio Rochemback, Jonas (GRE)
Cartões vermelhos:

GOLS: André Lima 23’/1T (0-1); Jonas 33’/2T (0-2); Diego 38’/2T (0-3)

GUARANI: Emerson, Apodi, Aislan, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Baiano, Paulinho (Pablo, intervalo) e Diego Barboza (Ronaldo, 27’/2T); Mazola e Reinald (Douglas, 11’/2T). Técnico: Vágner Mancini.

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes (Ferdinando, 11’/1T), Paulão, Rafael Marques e Fábio Santos; Fábio Rochemback, Adilson, Lúcio (Gilson, 36’/2T) e Douglas; Jonas e André Lima (Diego, 21’/2T). Técnico: Renato Gaúcho.

novembro 28, 2010 Posted by | Grêmio, Guarani | , | Deixe um comentário

Guarani joga contra o Grêmio para se segurar na elite

Bugre encara os gaúchos precisando vencer para permacencer na Primeira Divisão. Tricolor quer seguir no G4

Mesmo com grandes chances de cair para a Série B, o Guarani tem dois jogos pela frente que podem decidir o título brasileiro e uma das vagas
brasileiras na Libertadores do ano que vem. E as “decisões” começam neste domingo, às 17h, quando o Bugre recebe o Grêmio, no Brinco de
Ouro, em Campinas. Uma derrota rebaixa o timecampineiro para a Segunda Divisão.

E o retrospecto é ainda pior. Sem saber o que é vitória há 11 rodadas, o Guarani ainda tem o pior ataque com 33 gols. O único número positivo é o Tricolor Gaúcho não vence o Bugre em Campinas há 12 anos.

– A equipe iniciou bem a competição, mas depois caiu muito de produção. Esperávamos algumas boas partidas para conseguir escapar, mas
infelizmente o rendimento caiu e não conseguimos reagir a tempo de escapar – afirmou o presidente do clube, Leonel Martins de Oliveira.

Ouça na RÁDIO LANCE!

Lúcio: ‘Não podemos lamentar os pontos perdidos’
Douglas: ‘Se tivéssemos reagido antes, brigaríamos pelo título’
Renato feliz com assédio da torcida gremista
Renato quer tirar proveito da situação do Guarani

Para o jogo, o treinador não poderá contar com Geovane, que recebeu o terceiro cartão amarelo no último jogo e está fora. Reinaldo deve ser
seu substituto. Além dele, Mancini também não terá o goleiro Douglas, o zagueiro Fabão, o volante Renan e o meia Ricardo Xavier, todos
machucados. Durante a semana, o meia Preto e o atacante Mazola reclamaram de dores musculares e são dúvidas para a partida. Se não
jogarem, Paulinho e Pablo serão os titulares, respectivamente.

Precisando vencer e torcer para se manter à frente de Atlético-PR e Botafogo na briga pela última vaga para a Libertadores-2011, os Grêmio ganhou um reforço importante para o duelo contra o Guarani, neste domingo, em Campinas. Presente no STJD nesta sexta-feira, o atacante Jonas pegou um jogo de suspensão – já cumprido – e está liberado para a reta final do Brasileirão.

O camisa 7 do Tricolor gremista respondeu ao artigo 254-A (Praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente) por ter acertado o rosto de Adriano, do Santos, com uma cotovelada no dia 13 de novembro. Podendo ser suspenso de quatro a 12 jogos, Jonas pegou apenas um. Aliviado com a liberação, Jonas admitiu que é difícil comparecer ao Tribunal e que já está com o pensamento voltado para o jogo deste domingo.

– É complicado estar na frente dos auditores, sendo julgado, mas saio feliz com o resultado, vou comemorar muito. Já estou pensando no Guarani. Vou dar o máximo nesses dois jogos para ajudar o Grêmio nessa briga pela vaga na Libertadores. Domingo tem uma pedreira – disse o atacante.

Com a notícia de que Jonas está liberado para atuar, o técnico Renato Gaúcho vai mantê-lo ao lado de André Lima na frente. O restante do time é o mesmo que vem atuando nas últimas rodadas, tirando o zagueiro Mário Fernandes, que volta a ser titular, improvisado, no lugar de Gabriel.

FICHA TÉCNICA:
GUARANI X GRÊMIO

Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data/Hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Jossemmar José Moutinho (PE) e José Pedro da Silva (PE)

GUARANI: Emerson, Apodi, Aislan, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Baiano, Preto e Diego Barboza ; Mazola e Reinaldo. Técnico: Vágner Mancini.

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Paulão, Rafael Marques e Fábio Santos; Fábio Rochemback, Adilson, Lúcio e Douglas; Jonas e André Lima. Técnico: Renato Gaúcho.

novembro 28, 2010 Posted by | Grêmio, Guarani | | Deixe um comentário

Dramático! Flamengo vence o Guarani no sufoco e respira

Antes da partida o técnico Vanderlei Luxemburgo dizia que o jogo contra o Guarani era a hora dos mais experientes chamarem a responsabilidade. Porém, o predestinado Diego Maurício saiu do banco de reservas com o jogo empatado, na noite deste sábado, no Engenhão, para fazer o gol salvador do Flamengo na vitória de 2 a 1.

O triunfo direto sobre o Bugre faz o Rubro-Negro chegar aos 43 pontos e se afastar de vez da zona de rebaixamento. O time paulista fica ainda mais ameaçado com 37 pontos, na zona da degola. Os gols da partida foram marcados por Renato, Baiano e Diego Maurício. Após o jogo, parecia uma conquista. Os jogadores ficam ajoelhados comemorando a vitória.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Os dois times voltam a jogar no domingo. No Raulino de Oliveira, o Flamengo encara o Cruzeiro, às 17h. Na mesma hora em que Guarani recebe o Grêmio no Brinco de Ouro.

Diego Maurício põe Fla na frente

Com as duas equipes precisando da vitória para se afastar da zona de rebaixamento, o primeiro tempo foi bastante disputado no Engenhão. O Flamengo começou mais ligado na partida e logo no primeiro lance desarmou o adversário. Logo aos 2 minutos, Diogo fez boa jogada individual na intermediária e foi derrubado. Renato cobrou com perfeição no ângulo direito do gol de Emerson: 1 a 0 Flamengo.

O gol deu força ao Guarani, que passou a pressionar. O Rubro-Negro dava espaços para a chegada dos jogadores do Bugre. Em falta cobrada por Baiano, aos 12 minutos, a bola quicou e enganou Marcelo Lomba: 1 a 1. O goleiro passou a ser vaiado após a falha. O Fla não se abateu e foi para cima na tentiva do empate. Em boa trama entre Kleberson e Deivid, o atacante deixou o volante em boas condições para finalizar, mas acabou cruzando.

O time paulista diminui o ímpeto depois do gol. Aos 23, Renato cobrou bem a falta à esquerda e Emerson, esperto, conseguiu encaixar a bola. O time carioca tinha dificuldade de dar velocidade às jogadas e forçava muito pelo meio de campo, facilitando a vida do time paulista. Apesar disso, Maldonado encontrou espaços e deu passe bom para Léo Moura livre na direita. O lateral chutou colocado, mas emerson fez bela defesa, aos 30 minutos.

Na trombada com zagueiro Deivid se machucou e deu lugar a Diego Maurício, aos 21 minutos. Um dos melhores em campo na primeira etapa, Diogo arrancou em velocidade, passou por dois adversários e mesmo caído conseguiu rolar para Diego Mauríci. Oportunista, Drogbinha buscou o canto e fez o gol da virada no Engenhão: 2 a 1.

O Guarani abdicava do ataque e o Flamengo melhorou ainda mais após o segundo gol. Aos 38, o Flamengo poderia ir para o intervalo mais tranquilo. Léo Moura fez boa jogada e encontrou Renato livre no meio. O apoiador, confiante, bateu de primeira, Emerson, batido no lance, só ficou olhando a bola passar rente à trave esquerda.

Fla administra e sai com a vitória

O Flamengo voltou mais acomodado do intervalo e o Guarani melhorou um pouco em relação à primeira etapa. Nos primeiro minutos de jogos poucas jogadas foram criadas. Os dois times não queriam se arriscar. A primeira boa jogada foi realizada pelo Rubro-Negro. O jovem atacante recebeu pela esquerda, aplicou bom drible no adversário e cruzou para área. Atento, Alison afastou o perigo da área do Guarani.

A torcida pedia a entrada de Petkovic. O Guarani assustava pouco e o Rubro-Negro não acertava a saída de bola. Sumido no segundo tempo, Juan chegou bem pela esquerda, cruzou na segunda trave visando Diego Maurício ou Diogo, no entanto, a bola foi muito forte facilitando a vida dos zagueiros do Guarani.

Aos 25 minutos, Léo Moura arrancou pela direita, cruzou, mas Apodi afastou. Renato Abreu domina o rebote no peitio e finaliza forte e manda sobre a meta do Guarani. Aos 28, enfim, o pedido da torcida rubro-negro foi realizado. Petkovic entrou em campo e na primeira jogada passou por quatro adversário e quase fez um gol de placa no Engenhão. No último momento, o zagueiro consegue interceptar o sérvio.

O Guarani jogava recuado demais e o Flamengo pressionava a todo momento. A entrada de Pet melhorou a equipe de Luxemburgo. O Bugre mudou a estratégia a partir dos 30 minutos. Como não conseguia criar oportunidades no contra-ataque se mandou desesperadamente em busca do empate. Em cobrança de falta, Aislan quase marcou de cabeça, aos 36 minutos. A bola passou rente à trave direita de Lomba, na melhor oportunidade do time paulista no segundo tempo.

FLAMENGO 1 X 2 GUARANI

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 20/11/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF) e João Antônio Paulo Neto (DF)
Renda/público: R$ 387.940,00/ 34.944 (pagantes)
Gols: Renato (2’/1ºT), Diego Maurício (33’/1ºT); Baiano (12’/1ºT)

Cartão amarelo: Flamengo: Léo Moura (41’/1ºT), Willians (17’/2ºT), Juan (19’/2ºT), Diego Maurício (21’/2ºT); Guarani: Preto (22’/1ºT),
Cartão vermelho:

FLAMENGO: Marcelo Lomba, Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Maldonado, Willians, Kleberson (Marquinhos 17’/2ºT) e Renato; Diogo (Petkovic 27’/2ºT) e Deivid (Diego Maurício – 21’/1ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

GUARANI: Emerson, Apodi, Aislan, Ailson e Márcio Careca; Maycon, Baiano, Preto (Paulinho) e Barboza (Mário Lucio – intervalo) ; Mazola e Geovane. Técnico: Vagner Mancini.

novembro 20, 2010 Posted by | Flamengo, Guarani | | Deixe um comentário

Flamengo e Guarani fazem decisão às avessas

Times duelam na parte de baixo da tabela e prometem jogo movimentado

O Flamengo não conquistou nenhum título em 2010, algo que não acontecia desde 2005, mas já participou de algumas decisões este ano. Uma delas – talvez a principal até agora – acontecerá neste sábado, às 19h30, contra o Guarani, no Engenhão, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Afinal, será umduelo de duas equipes que lutam para escapar do rebaixamento, a apenas duas rodadas para o fim da competição. Com Cruzeiro, em casa, e Santos, fora, pela frente, o Rubro-Negro espera alcançar logo a marca de 43 pontos nesta rodada e ficar mais perto da permanência na Série A.

Do outro lado, o Bugre, com 37 pontos, ultrapassará o Fla em casa de vitória, pois ficará com a mesma pontuação e número de vitórias superior. Daí vem a motivação do time de Campinas, que espera jogar os problemas para cima do clube carioca. No entanto, a equipe não vence há dez rodadas, o que faz com que aposte numa formação ofensiva, numa espécie de tudo ou nada para se manter na elite do futebol brasileiro.

Para a partida, o técnico Vagner Mancini usará os meias Preto e Barboza na criação e os atacantes Mazola e Geovane na frente. O garoto Douglas, 17 anos, que fez sua estreia entre os profissionais no empate em 1 a 1 contra o Vitória, na semana passada, e não agradou, perdeu sua vaga para Geovane.

– Não tem como irmos para o Rio se não for com uma equipe que jogue mais à frente. Não é jogo para encher o time de zagueiro e volante, mas sim com atletas que chegam à frente e sabem finalizar – explicou o treinador.

Nesta partida, além da presença de Geovane no ataque, Mancini deverá confirmar o retorno de Baiano ao meio-de-campo bugrino. O experiente volante, que cumpriu suspensão na última rodada, deverá reassumir a vaga de Paulinho. Já os experientes Douglas, Fabão, Renan e Ricardo Xavier, lesionados, seguem desfalcando o time.

No Rubro-Negro, nada de correr muitos riscos. Apesar da situação incômoda, o time nunca esteve na zona de rebaixamento na competição e espera se manter assim. Contando com o apoio da torcida, que deverá encher o Engenhão, o técnico Vanderlei Luxemburgo deixou de lado a formação com três atacantes e escalará a equipe no 4-4-2 tradicional.

O meio será formado com três volantes de origem (Maldonado, Willians e Kleberson) e apenas um armador (Renato). No ataque, a dupla D2 – Diogo e Deivid – ganhará nova chance.

– O Flamengo tem que jogar o seu jogo. Sabemos da proposta do Guarani. É um time de velocidade, com uma bola parada muito boa também. É um jogo decisivo, então, sabemos que temos que atacar. Não precisamos ganhar o jogo em dez minutos. Temos 90 minutos mais os acréscimos. Para vencer, precisamos ter paciência, trabalhar a bola – avaliou Luxemburgo.

FLAMENGO X GUARANI

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 20/11/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF) e João Antônio Paulo Neto (DF)

FLAMENGO: Marcelo Lomba, Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Maldonado, Willians, Kleberson e Renato; Diogo e Deivid – Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

GUARANI: Emerson, Apodi, Aislan, Ailson e Márcio Careca; Maycon, Baiano (Paulinho), Preto e Barboza; Mazola e Geovane – Técnico: Vagner Mancini.

novembro 19, 2010 Posted by | Flamengo, Guarani | , | Deixe um comentário

Confrontos diretos mexem com a zona do rebaixamento

Quatro duelos diretos contra a degola acontecem nas últimas três rodadas do Brasileirão; sete times fogem de três vagas

Faltando apenas três rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, a luta contra o rebaixamento continua embolada. Somente o Grêmio Prudente já teve sua queda confirmada, após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, na Arena da Baixada, no último domingo.

Nada menos que sete equipes ainda brigam para fugir do fantasma da degola, e as rodadas restantes apontam confrontos diretos, que
certamente definirão quem ocupará as três vagas restantes na Série B de 2011. O LANCENET! ouviu um time de especialistas que apontaram as
diferenças entre os candidatos ao descenso e fizeram suas apostas.
Confira os confrontos diretos contra o rebaixamento:

36ª rodada
Flamengo x Guarani
Avaí x Atlético-GO

37ª rodada
Atlético-MG x Goiás

38ª rodada
Vitória x Atlético-GO

Calculadora na mão

A matemática entra em cena na reta final do Campeonato Brasileiro. De acordo com dados do matemático Tristão Garcia, Atlético-GO e Flamengo, que ainda terão duas partidas em casa, têm 12% de chances de cair. O Atlético-MG, que fará seu último jogo como mandante diante do Goiás, na 37ª rodada, tem 21%.

O Vitória tem os mesmos 39 pontos do Galo, mas tem 20% de chances de rebaixamento, por ainda jogar duas vezes no Barradão, uma delas contra o líder Corinthians e outra contra o Atlético-GO, adversário direto.

Sorte do Leão, azar do Bugre

Avaí e Guarani, segundo Tristão, tiveram suas situações invertidas. Os catarinenses, que ainda jogam duas vezes na Ressacada, tinham maior
chance de cair. Agora, a possibilidade de descenso diminuiu para 57% após a importante vitória, por 3 a 2, fora de casa contra o Internacional:

– O Avaí foi o grande vitorioso da rodada, dentre aqueles que brigam contra o rebaixamento. A vitória fora de casa sobre o Internacional foi
importantíssima para as pretensões da equipe – disse o matemático.
Já o Bugre se complicou com o empate, por 1 a 1, em casa diante do Vitória, para quem o resultado não foi tão ruim assim. O Guarani tem 80%
de chances de cair.

Drama esmeraldino

A situação só não é mais crítica que a do Goiás, que tem 98% de possibilidades de rebaixamento. Com a goleada aplicada sobre o Esmeraldino na 34ª rodada, o já rebaixado Grêmio Prudente “puxou” os goianos para a Série B, segundo Tristão:

– A derrota para o Prudente levou o Goiás junto, sem dúvida. Era um confronto direto e o Goiás já se encontrava em situação delicada.

COM A PALAVRA, OS ESPECIALISTAS:

Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira na conquista dotricampeonato Mundial, em 1970

“Creio que os quatro que estão na zona de rebaixamento devem cair, independentemente dos confrontos diretos. Digo isso em virtude das
campanhas e dos elencos. é importante dar moral, mas quando falta elenco, não há técnico que consiga salvar.”

A aposta de Torres: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí

Estevam Soares, técnico

“Acho que agora é a hora da verdade. Não deve haver surpresa a esta altura da competição. É hora de fazer valer a qualidade do elenco, do
treinador, e de mostrar uma diferença de postura. Quem tem mais elenco, vai se salvar. O Guarani, por exemplo, está em queda livre no campeonato pois falta elenco, apesar do trabalho do Vagner Mancini, que é indiscutível. Já a vitória do Avaí sobre o Internacional nao pode ser
considerada zebra. O clube pegou uma maré ruim na competição, com trocas de comando. Os jogos em casa influenciam muito, com a torcida apoiando. Sem dúvida, a questão do mando é muito importante. Num momento como esse, a torcida não se opõe ao time, mesmo com a situação incômoda. Pelo contrário, se junta ao time, joga junto. Se houver protesto, acontece no fim do jogo, mas durante os 90 minutos, é só apoio.”

A aposta de Estevam: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Humberto Perón, colunista do LANCE!

“A situação do Goiás é muito complicada, só com um milagre. A Sul-Americana pode atrapalhar. O Atlético Mineiro tem boa chance de escapar, com o time crescendo. O Flamengo, mesmo com campanha ruim como mandante, é favorito contra o Guarani, que vinha bem em casa, mas não
vem marcando gols. O Atlético-GO vem sabendo jogar no contra-ataque e vem conseguindo resultados importantes. Já o Vitória, forte no Barradão, enfrenta o líder, em um jogo muito importante. A pressão nessa partida é sobre ambos os times, e o Corinthians vai ter de sair para o jogo.”

A aposta de Perón: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Vitor Birner, colunista do LANCE!

“Acredito que os melbores elencos vão permanecer. O Flamengo e o Galo ficam. Sempre achei que o Avaí fosse cair, mas vem jogando melhor. O Vitória se salva em virtude de sua campanha e suas atuações no Barradão, e também porque seu elenco é melhor que o de Avaí e Guarani. O Bugre vinha bem em casa, mas a estrutura e o elenco não são de primeira divisão. Já o Atlético-GO é uma indefinição constante, não se sabe se
cai ou não, mas, coletivamente, tem mais time que os quatro últimos. O Goiás é outro que tem mais elenco, até mesmo individualmente, que os outros que estão na zona de rebaixamento.”

A aposta de Vitor: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Benjamin Back, colunista do LANCE!

“O campeonato está desenhado. Já temos dois times rebaixados pois, na minha opinião, o Goiás também já foi. Temos do Guarani até o Atlético-GO brigando para não cair, ou seja, sete times lutando para fugir de duas vagas. Na minha opinião, o Atlético-MG não cai. É outro time desde a chegada de Dorival Júnior. O mesmo acontece com o Atlético-GO sob o comando de Renê Simões. Já o Vitória no Barradão é dificílimo de ser batido, e terá ainda dois jogos em casa…mas o futebol é imprevisível. Para mim, o Guarani não se salva, era fogo de palha com a boa campanha em casa no primeiro turno. O Vagner Mancini é bom treinador, mas escolheu mal ao aceitar comandar o Bugre.”

A aposta de Back: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

novembro 15, 2010 Posted by | Atlético-MG, Avaí, Ceará, Flamengo, Goiás, Grêmio Prudente, Guarani, Vitória | | Deixe um comentário

Guarani e Vitória ficam no empate e se complicam na briga contra degola

Equipes ficam no 1 a 1, no Brinco de Ouro. Bugre se mantém na zona de rebaixamento, e Leão segue muito próximo dela

O Guarani já conseguiu fazer um gol, mas ainda falta a vitória para respirar na luta contra o rebaixamento. Neste domingo, o Bugre completou seu décimo jogo sem vencer ao empatar por 1 a 1 com o Vitória, no Brinco de Ouro, e se complicou ainda mais depois da 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time não fazia um gol havia sete jogos e só conseguiu graças a um momento iluminado de Geovane, que marcou um gol olímpico. O time baiano, que também está na parte de baixo da tabela, saiu até satisfeito com a igualdade. Qualquer ponto é fundamental em um momento desses.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

As duas equipes ainda estão muito próximas na classificação. O Bugre caiu para a 18ª posição, com 37 pontos, depois da vitória do Avaí sobre o Internacional. Já o Leão é o primeiro fora da zona de rebaixamento, com 39. A três rodadas do fim, ambos correm sério risco de degola.

Emoção zero

O jogo começou com formações diferentes dos dois lados. Vágner Mancini fez mudanças radicais na equipe e lançou garotos como o volante Paulinho e o atacante Douglas, com a intenção de dar novo gás a um time que não vence desde 25 de setembro. Antônio Lopes quis reforçar o sistema defensivo e escalou três volantes, deixando ainda Jonas improvisado na lateral-esquerda, já que Egídio tem características mais ofensivas.

As mudanças não adiantaram, nem para um lado, nem para o outro. O primeiro tempo teve pouquíssimas chances de gol, mesmo assim sem perigo. No Guarani, como sempre, foi Mazola quem tentou criar as melhores jogadas, caindo pela ponta esquerda e atraindo marcação dupla do Vitória. Com a principal arma neutralizada, ficou difícil para o pior ataque do Campeonato Brasileiro (32 gols).

A torcida faz sua parte, atendendo ao chamado de Vágner Mancini e comparecendo em bom número ao Brinco de Ouro. Mais de 6 mil torcedores apoiaram o Bugre a todo momento. Aos 16 minutos, quase soltaram o grito de gol em uma bela jogada de Apodi, que saiu driblando todo mundo e chutou em cima de Viáfara, no lance mais perigoso de um primeiro tempo horrível. O lateral também participou de uma jogada polêmica, em quel foi derrubado por Elkeson dentro da área. O árbitro Evandro Rogério Roman não marcou nada e ainda deu cartão amarelo para Apodi.

O Vitória sofreu com lesões na primeira etap,a e Antônio Lopes já teve de queimar duas substituições antes do intervalo. Ele perdeu Jonas e Ramon, e teve de lançar Egídio e Thiago Martinelli, perdendo um pouco de força ofensiva.

Golaços e igualdade justa

O segundo tempo começou no mesmo ritmo sonolento, mas a situação foi melhorando aos poucos. Talvez porque Guarani e Vitória viram que seus rivais na luta contra a degola estavam vencendo suas partidas. Era hora de atacar a qualquer custo. E aí, Vágner Mancini lançou dois ex-titulares que ajudaram o time a pressionar o Leão: os experientes Geovane e Reinaldo.

O Bugre pressionou, com todas as suas limitações. Levou muito perigo em uma falta cobrada por Aislan, que chegou a tocar no travessão, e manteve o Vitória em seu campo de defesa na maior parte do tempo. O problema é que a equipe de Vágner Mancini deu o contra-ataque o rival. E aí veio o desespero. Aos 33 minutos, o Leão encaixou ótima jogada rápida. Júnior avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para Adaílton. Sozinho, o atacante finalizou para as redes e calou o Brinco de Ouro: 1 a 0.

A apreensão da torcida durou só dois minutos. Pois aos 35, um iluminado Geovane deu um alento ao bugrino que tanto sofria nas arquibancadas. Em uma cobrança de escanteio, ele surpreendeu o goleiro Viáfara, que saiu muito mal do gol: 1 a 1.

A menos de dez minutos do fim, o Guarani tentou uma pressão final. Claramente satisfeito com o empate fora de casa, o Vitória se segurou na defesa, marcando muito, e comemorou após o apito final. Teve até malandragem de Antônio Lopes, que escondeu a bola para retardar o reinício de jogo. Mesmo conquistando apenas um pontinho, o time baiano ao menos manteve o rival na zona de rebaixamento e respirou um pouco mais na difícil batalha da parte de baixo da tabela.

guarani 1 x 1 vitória
Emerson, Apodi, Aislan, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Paulinho (Paulo Roberto), Diego Barboza (Reinaldo) e Preto; Mazola e Douglas (Geovane) Viáfara, Rafael Cruz, Gabriel, Anderson Martins e Jonas (Thiago Martinelli); Neto Coruja, Uelliton, Bida e Ramón (Egídio); Júnior e Elkeson (Adaílton)
Técnico: Vágner Mancini Técnico: Antônio Lopes
Gols: Adaílton, aos 33, e Geovane, aos 35 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Douglas, Apodi, Preto (Guarani); Ramón, Neto Coruja, Gabriel, Viáfara, Bida (Vitória)
Estádio: Brinco de Ouro, em Campinas (SP). Data: 14/11/2010. Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR). Auxlilares: Gilson Bento Coutinho e Bruno Boschilla (ambos do PR). Público: 6.051 pagantes

novembro 14, 2010 Posted by | Guarani, Vitória | | Deixe um comentário

Mais na raça do que na técnica, Guarani encara o Vitória

Equipes fazem duelo direto contra a zona de rebaixamento neste domingo

Os números não são dos mais animadores no Guarani. Sem vencer há nove rodadas, o time ainda convive com o fato de não balançar a rede adversária há seis partidas. No entanto, para enfrentar o Vitória, às 17h, deste domingo, no Brinco de Ouro, em Campinas, os jogadores prometem suar a camisa para dar fim às sequências negativas e salvar o clube de voltar à Série B.

Com o intuito de melhorar a pontaria do setor ofensivo, já que o Bugre ostenta o pior ataque da competição (com 31 gols marcados), o técnico Vagner Mancini aproveitou os treinamentos da semana para realizar um trabalho específico de finalização. Com a derrota sofrida contra o Palmeiras, no domingo, por 1 a 0, o Bugre voltou à zona do rebaixamento, na 17ª colocação. Com 36 pontos conquistados, o Guarani divide a mesma pontuação com o Atlético-MG, que leva avantagem no número de vitórias.

Apesar dos conhecidos problemas extracampo – como os recorrentes atrasos de salário -, o lateral-direito Apodi garantiu que os atletas estão todos focados em reagir na competição e deixar a incômoda zona da degola. Para isso, têm encarado o jogo de domingo como uma decisão na competição.

– Precisamos vencer para tirar esse peso das costas. Nenhum de nós imaginava que o Guarani fosse passar pelo que está passando, mas esse é o Campeonato Brasileiro. Estamos precisando da vitória e, se não for na técnica, vai ser na raça – afirmou Apodi.

Suspensos pelo STJD, os meias Mário Lúcio e Baiano são desfalques confirmados contra a equipe baiana. No entanto, duas boas notícias: o volante Maycon e o lateral-esquerdo Márcio Careca, que estavam suspensos contra o Verdão, devem retornar à equipe. Além deles, o atacante Mazola, um dos principais jogadores da equipe, foi liberado pelo departamento médico é a esperança para dar fim à seca de gols.

No Vitória

O técnico Antônio Lopes terá quatro reforços para a partida contra o Guarani, mais um duelo na luta contra o rebaixamento. Suspensos, Anderson Martins, Thiago Martinelli, Neto Coruja e Júnior não encararam o Cruzeiro, mas voltam a ser opções.

Fazendo algumas experiências durante os treinos, como a improvisação do volante Jonas na lateral esquerda e a manutenção de Gabriel no time titular, Lopes faz mistério e só vai anunciar a escalação no vestiário do Brinco de Ouro.

O zagueiro Anderson Martins saiu do treino desta quinta-feira mais cedo, já que sentiu dores na coxa esquerda. O jogador está em tratamento intensivo para tentar enfrentar o Bugre. Caso não atue, Thiago Martinelli ocupa sua vaga.

FICHA TÉCNICA:

GUARANI X VITÓRIA

Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data/Hora: 14/141 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR-Fifa)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Bruno Boschilia (PR)

GUARANI: Emerson, Apodi, Aislan, Aílson e Mácio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Preto e Barboza; Reinaldo (Douglas) e Mazola. Técnico: Vagner Mancini.

VITÓRIA: Viáfara, Nino Paraíba, Gabriel, (Anderson Martins) Thiago Martinelli e Egídio (Jonas); Neto Coruja, Uelliton, Bida e Ramon; Elkeson e Júnior. Técnico: Antônio Lopes.

novembro 14, 2010 Posted by | Guarani, Vitória | , , | Deixe um comentário

Reservas levam Verdão à vitória e complicam a vida do Guarani

Sem ter o que fazer no Brasileirão, Palmeiras joga com time alternativo e complica o Bugre, que segue sem conseguir deixar a zona de rebaixamento

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Mesmo com um time reserva e sem nenhuma ambição no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras venceu o Guarani, por 1 a 0, neste domingo à noite, na Arena Barueri, pela 34ª rodada da competição, e complicou ainda mais a situação da equipe campineira, que precisava de pelo menos um ponto para sair da zona de rebaixamento. Não deu para o Bugre, que segue na 17ª posição, com 36 pontos. Já o Verdão vai a 50, em décimo lugar.

O Palmeiras está mais interessado na Copa Sul-Americana. Na próxima quarta-feira, às 21h50m (horário de Brasília), no Pacaembu, disputará uma vaga na semifinal com o Atlético-MG. Pelo Brasileirão, o time do Palestra Itália, joga domingo, às 17h, contra o Atlético-GO, em Goiânia. Já o Guarani, no mesmo dia e horário, vai tentar se recuperar contra o Vitória, em Campinas.

Bugre tem iniciativa, mas quem marca é o Verdão

O jogo só valia alguma coisa para o Guarani. Por isso, a pressão bugrina no início da partida era esperada. Apertando as saídas de bola do Palmeiras, a equipe campineira tentava encurralar o adversário. O Verdão começou a fazer faltas (Pierre, principalmente) na entrada de sua área e quase foi castigado logo aos seis minutos, quando Baiano, numa cobrança, até acertou o alvo, o ângulo direito, mas Bruno voou e espalmou.

Ewerthon e Leandro Amaro comemoram o gol da vitória palmeirense (Foto: César Greco / Agência Estado)

O Palmeiras, sem ter o que fazer no Brasileirão a não ser cumprir tabela, entrou em campo com um time quase todo reserva. Oito jogadores foram poupados: o goleiro Deola, o zagueiro Danilo, os volantes Edinho, Márcio Araújo e Marcos Assunção, o meia Lincoln e os atacantes Luan e Kleber. Sem contar o goleiro Marcos e o meia Valdívia, que estão em fase final de recuperção física. O técnico Luiz Felipe Scolari optou por escalar três zagueiros e liberou seus dois laterais. E foi pelos lados do campo que o Verdão tentou chegar. Vítor, pela direita, e Gabriel Silva, pela esquerda, escapavam com velocidade. Gabriel principalmente. Faltava, porém, maior capricho no passe final.

Bruno ainda salvaria outro chute de Baiano, aos 35. Mas a partir daí, o Palmeiras começou a controlar o ímpeto do Guarani. Passou a ficar mais bom a bola e a virar o jogo, buscando uma brecha para invadir a área. Só que tocando estava difícil, pois o Bugre conseguia cortar bem os passes. Quando o primeiro tempo se encaminhava para o 0 a 0, pintou uma falta pelo lado direito do ataque palmeirense. Vítor cobrou com capricho, na cabeça de Leandro Amaro. O zagueiro subiu mais alto que todo mundo e escorou bem, colocando o Verdão na frente.

A derrota mantinha o Guarani na zona de rebaixamento. A pressão enervou a equipe de Campinas. Tanto que o lateral-direito Apodi e o atacante Mazola bateram boca, porque o ala optou pelo drible em vez de passar a bola num lance de contra-ataque logo após o gol. Tiveram de ser contidos pela arbitragem.

Guarani para, Verdão só administra

Quem precisava vencer era o Guarani, mas foi o Palmeiras quem mandou no segundo tempo. Nervosa, a equipe de Campinas errava passes demais, entregava a bola de graça para o adversário. Ainda por cima, dava espaços para o Palmeiras contra-atacar. O atacante Vinícius, que entrou no lugar de Ewerthon, jogou aberto pelo lado direito e levou o Verdão à frente, com velocidade. Faltavam, porém, algum para tabelar com o garoto.

O melhor jogador do Guarani, Mazola, resolveu jogar sozinho. Habilidoso, ele tentava passar por toda a defesa palmeirense, mas sem sucesso. Depois da áspera discussão com Apodi, ele passou a ignorar o companheiro. Não passou nenhuma bola para o ala. Com isso, o ataque campineiro, mais uma vez, se mostrava inoperante. Já são seis jogos consecutivos sem gols.

A partida, então, tornou monótono, com o Bugre sem conseguir furar o bloqueio palmeirense e o Verdão, não demonstrando muita vontade de explorar os espaços que tinha, só esperando o tempo passar.

PALMEIRAS 1 X 0 GUARANI
Bruno, Leandro Amaro, Maurício Ramos e Fabrício; Vitor (Luis Felipe), Pierre, Rivaldo (Tinga), Patrick e Gabriel Silva; Ewerthon (Vinícius) e Dinei. Émerson, Apodi, Aislan, Aílson e Moreno (Diego Barbosa); Baiano, Paulo Roberto, Renan (Geovane) e Preto; Mazola e Reinaldo (Diogo)
Técnico: Luiz Felipe Scolari Técnico: Vagner Mancini
Gols: Leandro Amaro, aos 41 minutos do primeiro tempo
Cartões amarelos: Maurício Ramos, Patrick, Vinícius (Palmeiras)
Público e renda: 3.154 pagantes -R$ 72.882,00
Local: Arena Barueri, em Barueri (SP). Data: 07/11/2010. Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP). Auxiliares: Rogério Zanardo (SP) Junivan Rodrigues de Souza (SP)

novembro 7, 2010 Posted by | Guarani, Palmeiras | | Deixe um comentário

‘Desfocado’, Palmeiras recebe o Guarani em Barueri

Visando a Copa Sul-Americana, Verdão deve poupar jogadores na partida contra o Bugre

Praticamente sem chances de título e com o foco virado para a disputa da Copa Sul-Americana, o desinteressado Palmeiras enfrenta o Guarani, no próximo domingo, às 19h30, na Arena Barueri, em partida válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, apenas para cumprir tabela na competição nacional.

E a falta de motivação na disputa do Brasileirão do Palmeiras é tão grande, que o técnico Luiz Felipe Scolari admitiu que não deve colocar a equipe titular na partida. Alguns jogadores serão poupados para o duelo contra o Atlético Mineiro, no próximo dia 10, contra o Atlético Mineiro, pela Sul-Americana.

O Gladiador Kleber deve ser um deles. Em seu lugar, Dinei e Tadeu disputam a vaga. O primeiro, no entanto, é o favorito para a disputa. Valdivia, se recuperando de uma fibrose na coxa esquerda, também é ausência. Outros deve apenas ser poupados pelos desgaste, como Danilo, Gabriel Silva, Lincoln e Luan.

Dois que estão praticamente confirmados pelo técnico palmeirense são Maurício Ramos e Vitor, que recuperados de lesão, estão novamente à disposição e devem voltar contra o Bugre. Bruno Turco, volante de 19 anos da categoria de base, deve ser relacionado mas não atuar como titular.

No ataque, Ewerthon e Vinícius disputam uma vaga ao lado de Dinei. O primeiro, retornando de lesão, pode ainda não ter condições de atuar por 90 minutos. Neste caso, o segundo, de apenas 17 anos, ganha força na briga.

Sem vencer há oito rodadas e cada vez mais próximo da zona de rebaixamento, o Guarani tentará quebrar o jejum de vitórias na Série A do Brasileiro contra o Palmeiras, no próximo domingo, na Arena Barueri, em Barueri, para respirar no campeonato.

Na avaliação da comissão técnica bugrina, o Guarani ainda precisa de nove pontos nas últimas cinco rodadas do campeonato para se livrar da ameaça de rebaixamento sem depender dos tropeços de adversários diretos na briga, como Atlético-MG, Atlético-GO e Vitória. O Bugre ocupa atualmente a 16ª posição no campeonato, com 36 pontos em 33 rodadas.

O problema para Mancini é que, além do jejum de vitórias, seu time lutará contra o péssimo retrospecto fora de casa. Até o momento, o Guarani venceu apenas um dos 16 jogos disputados longe do Brinco de Ouro – 1 a 0 contra o Vasco, em São Januário, pela sexta rodada. Nas últimas oito partidas fora de Campinas, foram oito derrotas. Apesar do retrospecto desolador, o treinador bugrino tenta se animar.

– Teremos um jogo difícil fora de casa, mas Barueri também não é a casa do Palmeiras. Tivemos uma boa atuação na última rodada (empate sem gols contra o Atlético-MG, no Brinco) e isso nos dá mais motivação para acreditar na vitória – disse Mancini.

Nesta partida, o treinador bugrino não poderá contar com o volante Maycon e com o lateral-esquerdo Márcio Careca, suspensos. O capitão Renan e o lateral Moreno serão os substitutos. Mas a principal novidade estará no ataque. Recuperado de uma lesão na coxa, o rápido Mazola volta ao time depois de três partidas de ausência e deverá formar a dupla de ataque bugrina com Reinaldo.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X GUARANI

Estádio: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data/hora: 7/11/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo (SP) e Junivan Rodrigues de Souza (SP)

PALMEIRAS: Deola, Vitor, Maurício Ramos, Fabrício (Leandro Amaro) e Rivaldo; Pierre, Marcos Assunção, Tinga e Patrik; Ewerthon (Vinícius) e Dinei. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GUARANI: Emerson; Apodi, Aislan, Ailson e Moreno; Renan, Paulo Roberto, Baiano e Preto; Mazola e Reinaldo. Técnico: Vágner Mancini.

novembro 7, 2010 Posted by | Guarani, Palmeiras | , , | Deixe um comentário

Empate em Campinas mantém Guarani e Galo em situação difícil

Resultado é ruim para ambos. Atlético-MG segue no Z-4 e Bugre está uma posição acima

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Guarani e Atlético-MG permanecem em situação desesperadora no Campeonato Brasileiro. Empataram por 0 a 0, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, e se mantiveram em posição perigosa na tabela. O Bugre agora tem 36 pontos e permanece na 16ª colocação. O Galo segue na zona de rebaixamento, com 35 pontos, ocupando o 17º lugar.

O jogo foi equilibrado e disputado com mais vontade do que técnica. Se o placar terminou sendo justo, deixa o sinal de alerta ainda mais aceso para as duas equipes.

Na próxima rodada, o Guarani vai até a Arena Barueri, domingo, às 19h30m (de Brasília), encarar o Palmeiras. Um dia antes, também às 19h30m, o Galo recebe o Santos, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Jogo nervoso e tenso

A situação desesperadora dos dois times na tabela previa o que se confirmou nos momentos iniciais do jogo: muito nervosismo e tensão.

O Guarani começou quente, em cima do Atlético-MG, com muitas bolas cruzadas na área e chutes de média e longa distância. Mas foi o Galo quem quase marcou primeiro. Méndez e Obina tentaram no mesmo lance, e o goleiro Emerson fez duas grandes defesas.

A resposta do Bugre veio logo depois. Márcio Careca achou uma avenida na esquerda e avançou do meio-campo até a pequena área do Atlético-MG. Na hora de concluir a jogada, preferiu cruzar para o meio. Reinaldo não alcançou e o time campineiro perdeu grande chance.

O jogo permaneceu equilibrado. Os dois times criavam e perdiam chances de gol com a mesma intensidade. Após os 30 minutos, o Galo melhorou sensivelmente, com o crescimento de Diego Souza em campo, mas a dupla de ataque Obina/Tardelli não estava vivendo sua noite mais inspirada.

O Guarani ainda perdeu mais uma boa chance, com Baiano. Após lançamento na área, o meia do Bugre girou o corpo no ar e acertou um lindo voleio. Renan Ribeiro foi ainda melhor e fez excelente defesa, ao se esticar todo e mandar para escanteio.

Com isso, o empate parcial acabou sendo um resultado justo para o primeiro tempo.

Empate insistente

O segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro: veloz e muito nervoso. O Atlético-MG estava mais organizado em campo, mas o Guarani tinha espaços e levava perigo nos contra-ataques.

Os dois goleiros apareciam pouco no jogo, que passou a ficar concentrado entre as duas intermediárias. Tanto Vagner Mancini quanto Dorival Júnior tentaram mudar o panorama da partida, fazendo substituições em seus times, mas nada que surtisse efeito.

O Atlético-MG teve mais domínio territorial até os 25 minutos, mas não conseguiu criar grandes chances de gol. A partir daí, o Guarani passou a controlar o jogo, pressionando e dando trabalho a Renan Ribeiro. O Bugre tentou chutes com Márcio Careca, Baiano e Rômulo, que havia entrado no lugar de Ricardo Xavier.

Nos minutos finais, o desespero bateu nas duas equipes, que passaram a tentar o ataque desordenadamente. Mas, se organizados não conseguiram o gol, o que dizer assim?

A reta final do Brasileirão promete ser de muita emoção para os torcedores de Guarani e Atlético-MG. Os times terão que mostrar bem mais do que mostraram nesta quarta-feira, sob pena de voltarem à Série B do Campeonato Brasileiro.

GUARANI 0 X 0 ATLÉTICO-MG
Emerson; Apodi, Aislan, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Baiano e Preto; Reinaldo (Geovane) e Ricardo Xavier (Rômulo). Renan Ribeiro; Rafael Cruz, Werley, Réver e Leandro; Zé Luís, Alê (Rafael Jataí), Méndez (Fernandinho) e Diego Souza (Renan Oliveira); Diego Tardelli e Obina.
Técnico: Vágner Mancini Técnico: Dorival Júnior
Cartões amarelos: Márcio Careca, Maycon e Diego Barbosa (Guarani); Werley, Alê e Rafael Jataí (Atlético-MG)
Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP). Data:03/11/2010
Árbitro: Claudio Mercante (PE). Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Jossemmar José Diniz Moutinho (PE)
Renda: R$ 62.298,00 Público: 5.922

novembro 3, 2010 Posted by | Atlético-MG, Guarani | | Deixe um comentário

Guarani x Atlético-MG: vale fuga da degola

Time mineiro vai à Campinas para se recuperar de derrota para o Botafogo no último sábado

O Atlético-MG vai a Campinas enfrentar o Guarani, nesta quarta-feira, às 19h30, no Brinco de Ouro, numa partida que valerá muito mais do que três pontos. Os dois clubes estão ameaçados de rebaixamento e um poderá afundar o outro nesta rodada.

Com 35 pontos, o Bugre é o primeiro fora da zona do rebaixamento. Já o Galo, com 34, está na porta para deixar o grupo dos quatro piores do Brasileirão. Por conta disso, o confronto é encarado como uma decisão de campeonato.

Mas a esperança do torcedor atleticano está justamente nos confrontos diretos que o time disputou na competição nacional. Em jogos contra times que estão lutando para não cair, o Atlético-MG tem feito a sua parte.

As únicas derrotas foram para o Vitória. Diante do Atlético-GO, duas vitórias, frente ao Avaí, quatro pontos somados, contra Guarani e Goiás venceu as partidas disputadas e empatou com o Flamengo.

Para o duelo em Campinas, o técnico Dorival Júnior fez mudanças na equipe. Sem poder contar com Serginho, suspenso, ele escalou o volante Alê. Werley e Zé Luis voltam depois de terem cumprido automática na rodada passada. Mas a grande novidade foi a saída de Renan Oliveira para a entrada de Edison Méndez no meio de campo.

O atacante Diego Tardelli não vê a hora de voltar a balançar redes. A última vez foi na derrota por 2 a 1 para o Grêmio, na Arena do Jacaré, ocasião que marcou também a lesão muscular do artilheiro.

– São nessas horas que a torcida espera da gente. Espera um gol, uma jogada diferente. Para mim, a responsabilidade aumenta a cada jogo que não faço gol. É trabalhando e tentando buscar o gol que vamos sair dessa, não vamos desistir – disse o camisa 9.

No último treino antes jogo contra o Atlético Mineiro, o técnico Vagner Mancini promoveu uma mudança inesperada: sacou do time titular o volante e capitão da equipe, Renan, e colocou no seu lugar o jogador Maycon. Além desta mudança tática, Mancini terá um time com quatro desfalques: O goleiro Douglas, o lateral-direito Rodrigo Heffner, o meia Vitor Júnior e o atacante Mazolla estão entregues ao Departamento Médico.

Com uma fratura no polegar direito, Douglas será substituído por Emerson. Já Rodrigo Heffner pegou uma virose e não terá condições de atuar. No seu lugar, Apodi terá mais uma chance no time titular. Vitor Júnior, que deixou o jogo de sábado lesionado, passou por uma ressonância magnética nesta segunda-feira e foi constatada uma lesão no tornozelo, que o deixará fora dos gramados de duas a três semanas.

O provável time titular do Guarani que treinou nesta terça-feira é formado por: Emerson; Apodi, Ailson, Aislan e Márcio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Preto e Baiano; Reinaldo e Ricardo Xavier.

Com apenas 35 pontos, o Guarani está em 16°. O bugre não vence a sete rodadas e nos últimos seis jogos o time marcou apenas um gol.

A diretoria do Guarani colocou à venda um total de 15.500 ingressos, sendo 1.200 para a torcida do Atlético-MG. 5.000 bilhetes, do total, serão comercializados pelo valor de cinco reais.

FICHA TÉCNICA

GUARANI X ATLÉTICO-MG

Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data/hora: 03/11/2010, às 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Cláudio Mercadante (PE)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS-Fifa) e Jossemmar Jose Diniz Moutinho (PE)

GUARANI: Emerson; Apodi, Ailson, Aislan e Márcio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Preto e Baiano; Reinaldo e Ricardo Xavier. Técnico: Vagner Mancini

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Réver, Werley e Leandro; Zé Luis, Alê, Méndez e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina. Técnico: Dorival Júnior

novembro 3, 2010 Posted by | Atlético-MG, Guarani | | Deixe um comentário

Avaí vence o Guarani e começa a reagir na reta final

Resultado mantém o Leão catarinense na zona de rebaixamento, nova casa do Bugre

No jogo de número 100 de Vagner Mancini, técnico do Guarani, no comando de clubes da Série A, quem fez a festa foi o Avaí. O Leão deu o primeiro passo na campanha #ReageLeão, criada no Twitter, e derrotou o Bugre por 1 a 0, na noite deste sábado, na Ressacada.

O resultado, porém, não tira a equipe de Santa Catarina da zona de rebaixamento do Brasileirão. Já o Bugre, que tinha um ponto a mais que o Vitória, é o novo integrante da degola. As duas lutas contra a queda para a Série B continuam.

A postura do Guarani atuando fora de casa foi defensiva. Porém, mesmo deixando o Avaí tocar a bola atrás com liberdade, o time catarinense mostrava-se embolado. Só depois de muitos passes errados e da tendência de a partida ser decidida em jogadas de bola parada, o Avaí acordou.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Aos 24 minutos, Patric recebeu na direita da área, tocou para o meio, mas Caio foi travado no momento do chute. Três minutos depois, o placar da Ressacada foi aberto. Vandinho foi até a linha de fundo pela direita e fez cruzamento. A bola passou por toda a pequena área e sobrou para a cabeçada certeira de Eltinho.

O segundo gol só não saiu aos 36, pois Vandinho parou na defesa de Emerson, que salvou o Bugre. E o camisa 1 do Guarani apareceu novamente ao espalmar chute forte de Cleyton, que fez sua estreia com a camisa do Leão.

Na volta do intervalo, o Avaí continou dominando. E os torcedores viram Caio deixar Vandinho na cara do gol, mas o camisa 9 soltou uma bomba, pegando muito embaixo na bola, que subiu demais. Logo na sequência, Rudnei arriscou da entrada da área e a bola passou raspando a trave direita.

O Guarani tentou ficar mais tempo com a bola no pé e assustou o Leão em cobrança de falta do lateral-esquerdo Moreno. Mas o goleiro Renan fez ótima defesa, mantendo a vantagem da sua equipe. Eltinho, Caio (na trave) e Patric desperdiçaram chances, que poderiam ter tranquilizado o torcedor azulino mais cedo.

FICHA TÉCNICA:
AVAÍ 1 X 0 GUARANI

Estádio: Ressacada, em Florianópolis (SC)
Data/hora: 30/10/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Ricardo de Almeida (RJ)
Cartões amarelos: Eltinho, Rudnei (AVA); Maycon, Aislan (GUA)
Cartões vermelhos:

GOL: Eltinho 27’1T (1-0)

AVAÍ: Renan, Emerson Nunes, Cleyton (Pará, 34’/2T) e Emerson; Patric, Diogo Orlando, Rudnei (Batista, 37’/2T), Caio e Eltinho; Vandinho (Daniel, 23’/2T) e Robinho. Técnico: Vagner Benazzi.

GUARANI: Emerson, Rodrigo Heffner (Diego Barbosa, intervalo), Aislan, Ailson e Moreno; Renan, Paulo Roberto, Maycon, Victor Junior (Rodrigo César, 16’/1T) e Márcio Careca; Reinaldo (Ricardo Xavier, 22’/2T). Técnico: Vagner Mancini.

outubro 30, 2010 Posted by | Avaí, Guarani | | Deixe um comentário

Avaí e Guarani duelam contra o rebaixamento em Floripa

O técnico do Alviverde, Vagner Mancini, e o departamento de marketing catarinense são as outras atrações do jogo de sábado

Vagner Mancini completa 100 jogos como treinador de Série A neste sábado, quando o Guarani encara o Avaí, às 18h30, na Ressacada, em Florianópolis.

Mas, apoiado pela campanha #ReageLeão, criada no Twitter, os catarinenses prometem estragar a festa do comandante do Bugre em um jogo decisivo, pois ostimes lutam contra o rebaixamento: o Avaí é o penúltimo (30 pontos) e se perder ficará mais longe da salvação; o Bugre, com 35, vai ver o grupo da degola se aproximar dele em caso de insucesso.

A mobilização da torcida avaiana para evitar o rebaixamento do time chegou ao departamento de marketing do clube que criou uma camisa para a campanha. A mesma começa a ser vendida no sábado para que seja usada no duelo da noite.

– A camisa serve para unirmos forças para ajudar o Avaí a se manter na Série A, além de seguir bem na Sul-Americana – disse Sidney Speckart, diretor de marketing, que espera um ótimo público pois o ingresso será mais barato: varia de R$ 10 a R$ 20. Crianças pagam R$ 5.

Em campo, o técnico Vagner Benazzi não poderá contar com o atacante Roberto, que, mesmo sendo poupado da partida contra o Goiás, pela Sul-Americana no meio de semana, sofreu um estiramento na coxa e deve ficar afastado dos gramados por cerca de duas semanas.

Por outro lado, o lateral-direito Patric e o volante Marcinho Guerreiro, ambos com problemas no tornozelo, devem voltar a ser aproveitados. Os dois estão realizando um trabalho de recuperação e vão ser melhor avaliados no dia do jogo. Patric é quem tem mais chances de jogar.

Guarani

O atacante Mazola foi vetado pelo departamento médico e vai desfalcar o Guarani. Além dele, o técnico Vagner Mancini tem outros três desfalques: os meias Baiano e Preto, suspensos, e Fabão, que segue se recuperando de cirurgia no rosto.

O treinador tem apenas uma dúvida no meio de campo para escalar a equipe titular. O zagueiro Rodrigão e o lateral-esquerdo Fabiano, lesionados, continuam fora. Em contrapartida, o volante Paulo Roberto se recuperou de leve entorse no tornozelo esquerdo e treinou normalmente.

As boas notícias ficam por conta do zagueiro Aislan e do volante Paulo Roberto, que foram poupados dos primeiros treinos da semana. Ambos estão confirmados entre os titulares.

Sem Baiano, Preto e Mazola, Mancini deve atuar com cinco no meio de campo. Maycon e Vitor Júnior estão garantidos. A dúvida está na última vaga. O volante Rodrigo César e o lateral Márcio Careca, que atuaria imporvisado, disputam a vaga. Se o último for escolhido, Moreno ganha vaga na lateral.

Com 35 pontos e lutando para não entrar na zona de rebaixamento, o Bugre precisa dois três pontos. Dos últimos 18 disputados o Alviverde campineiro conquistou apenas 2. Mesmo assim, o Mancini se mantém confiante.

– Estamos fora da zona de rebaixamento e é bom que se diga isso. Ainda podemos alcançar o objetivo que foi traçado no início da competição, que é uma vaga na Sul-Americana – afirmou o técnico.

FICHA TÉCNICA:
AVAÍ X GUARANI

Estádio: Ressacada, em Florianópolis (SC).
Data/hora: 30/10/2010, 18:30 (de Brasília).
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Ricardo de Almeida (RJ).

AVAÍ: Renan, Emerson Nunes, Cleyton e Emerson; Patric, Rudnei (Diogo Orlando), Pará, Caio e Eltinho (Válber); Vandinho e Robinho.
Técnico: Vagner Benazzi.

GUARANI: Emerson, Rodrigo Heffner, Aislan, Ailson e Moreno; Renan, Paulo Roberto, Maycon, Vitor Junior e Marcio Careca (Rodrigo Cesar); Reinaldo.
Técnico: Vagner Mancini.

outubro 29, 2010 Posted by | Avaí, Guarani | , | Deixe um comentário

Atlético-GO bate Guarani, sobe dois degraus e se afasta da zona da morte

Vitória por 1 a 0 em Campinas, com gol de Marcão, leva a equipe de Goiânia para a 14ª colocação. Bugre, ultrapassado, cai para o 15º lugar

Num jogo com dois times ameaçados pelo rebaixamento, o Atlético-GO conquistou um resultado importantíssimo na noite deste sábado na cidade de Campinas, interior de São Paulo. A vitória de 1 a 0 sobre o Guarani, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, fez o Dragão escalar dois degraus na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Com mais sete rodadas a serem disputadas, o time goiano foi a 35 pontos e subiu para a 14ª colocação. O Bugre, com a mesma pontuação, foi ultrapassado e agora é o 15º. Os dois estão a quatro pontos da zona da morte.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O Guarani, que já não tinha o zagueiro Fabão, operado para a reconstrução de um osso do rosto, perdeu o atacante Mazola pouco antes do jogo. Com dores musculares, ele foi vetado e substituído por Diogo.

Com a bola rolando, o Bugre logo tratou de ir para cima do rival. As principais armas do time paulista eram as jogadas pelas laterais, com os alas Rodrigo Heffner e Márcio Careca. O Guarani levou perigo em duas investidas pela esquerda, mas os cruzamentos de Márcio Careca não conseguiram ser completados para o gol. Aos 19, o susto para o Atlético foi ainda maior: Rodrigo levantou na área e Aislan acertou a trave com uma cabeçada.

Os donos da casa eram melhores, mas davam espaço para o Dragão contra-atacar. A equipe de Goiás, que sofreu uma baixa ainda no início do jogo – Anaílson se machucou e precisou ser substituído por Renatinho aos 16 minutos – teve duas boas chances no fim do primeiro tempo, com Josiel e Juninho.

O Bugre também perdeu uma peça importante antes do intervalo. Também por contusão, Paulo Roberto deu lugar a Baiano aos 40 minutos. Na volta para o segundo tempo, uma troca que mudaria a história do jogo: René Simões tirou Josiel e mandou Marcão a campo.

O Atlético passou a apostar mais no seu sistema ofensivo e conseguiu tirar o zero do placar aos 14 minutos. Renatinho fez boa jogada, conduzindo o lance pelo meio até achar Marcão livre. O atacante invadiu a área, dominou a bola e tocou entre as pernas de Douglas. Thiago Feltri quase ampliou no lance seguinte, mas chutou muito alto.

Desesperado, o técnico Vagner Mancini mudou mais duas vezes – Mário Lúcio e Victor Júnior entraram nos lugares de Diogo e Paulo Henrique –, só que não viu o seu Guarani melhorar. Enquanto isso, o Atlético se aproveitava dos contra-ataques. Marcão teve a chance de liquidar o jogo, aos 29, mas a bola passou perto da trave.

Se as coisas já estavam ruins para o Bugre ficaram piores quando Baiano, aos 31, fez falta violenta em Agenor e recebeu cartão vermelho direto. Os últimos suspiros foram numa cabeçada de Aislan e num chute de Aílson, que Márcio defendeu e garantiu a vitória.

O Atlético volta a campo na próxima quinta-feira, quando receberá o Ceará no Serra Dourada, em Goiânia, às 21h. O Guarani só joga no sábado, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, diante do Avaí, às 18h30m (ambas as partidas pelo horário de Brasília).

GUARANI 0  X 1 ATLÉTICO-GO
Douglas; Rodrigo Heffner, Aislan, Ailson e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto (Baiano), Preto e Diego Barboza (Victor Júnior); Diogo (Mário Lúcio) e Reinaldo Márcio; Adriano, Gilson (Paulo Henrique), Jairo e Thiago Feltri; Agenor, Rômulo, Pituca e Anaílson (Renatinho); Juninho e Josiel (Marcão)
Técnico: Vagner Mancini Técnico: René Simões
Gol: Marcão, aos 14 minutos do segundo tempo
Cartão amarelo: Preto (G) e Juninho (A) / Cartão vermelho: Baiano (G)
Público: 2.986 pagantes / Renda: R$ 37.411,00
Local: Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, SP. Data:23/10/2010. Árbitro: Evandro Rogério Roman (FIFA-PR) . Auxiliares:Carlos Bohn (PR) e Marcos Rogério da Silva (PR)

outubro 23, 2010 Posted by | Guarani | , | Deixe um comentário

Com a volta do G4, nove times buscam vaga na Libertadores

LNET! mostra caminho das equipes para a classificação à competição continental

O disputado G4 (grupo dos quatro times classificados para a Libertadores) do Campeonato Brasileiro voltou. Nesta segunda-feira, a Conmebol aprovou mais uma vaga para times brasileiros no torneio, permitindo ao quarto colocado do Brasileirão se classificar para a competição continental. Como Santos e Internacional já estão classificados, nove equipes entram na briga pela vaga a partir de agora.

A decisão reavê a medida tomada no mês passado, quando a entidade retirou uma das vagas do Brasil na competição por conta de o campeão da edição de 2010 ter sido um clube brasileiro (Internacional).

Com isso, a briga por um lugar no torneio sul-americano deve pegar fogo. Times como Cruzeiro, Fluminense e Corinthians, que ocupam as primeiras posições neste momento, terão maiores chances matemáticas de classificação. A Raposa tem 97% de chance de se participar do torneio, e o Tricolor Carioca possui 95%. Já o Timão tem 78% de chances de disputar a Libertadores pelo segundo ano seguido. Outras equipes que estão na intermediária também ganham mais fôlego por uma vaga, como o Palmeiras e o São Paulo.

Se o Brasileiro acabasse hoje, a quarta vaga ficaria com o Atlético-PR, time que ocupa a sexta posição atrás de Internacional e Santos, que estão garantidos na Libertadores por conta dos títulos conquistados esse ano (Libertadores e Copa do Brasil, respectivamente). No entanto, o Grêmio (40%) tem mais chances de se classificar do que o Furacão (36%), segundo dados do matemático Tristão Garcia.

Confira aqui os últimos jogos de todos os candidatos a uma vaga na Libertadores de 2011 e a situação de cada um no Campeonato Brasileiro, além das chances matemáticas de cada equipe:

1º – CRUZEIRO – 54 pontos
Chances de classificação: 97%

Próximos jogos

24/10 – Atlético-MG – João Havelange
30/10 – Grêmio-PP – Eduardo José Farah
3/11 – São Paulo – João Havelange
7/11 – Vitória – Barradão
14/11 – Corinthians – Pacaembu
21/11 – Vasco – João Havelange
28/11 – Flamengo – Engenhão
5/12 – Palmeiras – João Havelange

Mesmo com a derrota para o Grêmio, no domingo, o Cruzeiro vive a sua melhor fase no Brasileirão. É líder da competição a duas rodadas e tem um dos melhores jogadores da competição: o argentino Montillo. Dificilmente ficará de fora da Libertadores do ano que vem.

2° – FLUMINENSE – 53 pontos
Chances de classificação: 95%

Próximos jogos

24/10 – Atlético-PR – Arena da Baixada
28/10 – Grêmio – Engenhão
3/11 – Internacional – Beira-Rio
7/11 – Vasco – Engenhão
14/11 – Goiás – Engenhão
21/11 – São Paulo – Morumbi
28/11 – Palmeiras – Pacaembu
5/12 – Guarani – Engenhão

Liderou o campeonato durante muito tempo, mas as lesões de Emerson, Fred e Deco diminuíram o aproveitamento do time. No domingo, tinha a chance de chegar na liderança novamente com a derrota do Cruzeiro, mas empatou com o Botafogo. Com o G4 novamente, deve ficar com uma das vagas.

3° – CORINTHIANS – 50 pontos
Chances de classificação: 78%

Próximos jogos

24/10 – Palmeiras – Pacaembu
27/10 – Flamengo – Engenhão
3/11 – Avaí – Pacaembu
7/11 – São Paulo – Morumbi
14/11 – Cruzeiro – Pacaembu
21/11 – Vitória – Barradão
28/11 – Vasco – Pacaembu
5/12 – Goiás – Serra Dourada

Até sete rodadas atrás era o favorito ao título, mas as lesões de jogadores como Jorge Henrique e Chicão, além da saída do técnico Adilson Batista resultaram em um jejum de vitórias que dura até hoje. Com isso, o clube entrou em crise, e a torcida que apoiou o time no ano todo, protestou contra vários jogadores. Com o G4, fica com chances enormes de classificação.

4° – SANTOS – 48 pontos
CLASSIFICADO (Campeão da Copa do Brasil)

Próximos jogos

24/10 – Grêmio Prudente – Vila Belmiro
30/10 – Internacional – Beira-Rio
3/11 – Vitória – Vila Belmiro
7/11 – Atlético-MG – Sete Lagoas
14/11 – Grêmio – Vila Belmiro
21/11 – Goiás – Serra Dourada
28/11 – Avaí – Ressacada
5/12 – Flamengo – Vila Belmiro

Passou por uma grande turbulência após a saída de Dorival Júnior, mas retornou a briga com o interino Marcelo Martelotte. Porém, já tem a vaga para a Libertadores garantida por causa do título da Copa do Brasil.

5° – INTERNACIONAL – 47 pontos
CLASSIFICADO (Campeão da Libertadores 2010)

Próximos jogos

24/10 – Grêmio – Olímpico
30/10 – Santos – Beira-Rio
3/11 – Fluminense – Beira-Rio
7/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
14/11 – Avaí – Beira-Rio
21/11 – Botafogo – Engenhão
28/11 – Vitória – Beira-Rio
5/12 – Grêmio Prudente – Eduardo José Farah

Corre por fora na briga pelo título. No entanto, já conquistou a Libertadores esse ano, o que lhe garante a vaga do torneio continental de 2011. No final deste ano, ainda disputa o mundial em Dubai.

6° – ATLÉTICO-PR – 46 pontos
Chances de classificação: 36%

Próximos jogos

24/10 – Fluminense – Arena da Baixada
28/10 – São Paulo – Arena Barueri
4/11 – Palmeiras – Arena da Baixada
7/11 – Flamengo – Engenhão
14/11 – Grêmio Prudente – Arena da Baixada
24/11 – Grêmio – Olímpico
28/11 – Ceará – Castelão
5/12 – Avaí – Arena da Baixada

Cresceu de um tempo para cá e já está colado nos primeiros colocados. É muito forte jogando em casa, mas não mantém a regularidade longe de Curitiba. Com o G4, se torna um candidato forte também.

7° – GRÊMIO – 46 pontos
Chances de classificação: 40%

Próximos jogos

24/10 – Internacional – Olímpico
28/10 – Fluminense – Engenhão
4/11 – Goiás – Serra Dourada
7/11 – Ceará – Olímpico
14/11 – Santos – Vila Belmiro
21/11 – Atlético-PR – Olímpico
28/11 – Guarani – Brinco de Ouro
5/12 – Botafogo – Olímpico

O Grêmio cresceu depois da chegada do técnico Renato Gaúcho. O time, que estava beirando a zona de rebaixamento do campeonato, arrancou na tabela e já começa a colar nos líderes. Com a vitória sobre o Cruzeiro, no domingo, empatou em número de pontos com o Atlético-PR. Tem duelos diretos e em casa, o que pode ajudar a classificar para a Libertadores.

8° – BOTAFOGO – 45 pontos
Chances de classificação: 21%

Próximos jogos

23/10 – Vitória – Engenhão
30/10 – Atlético-MG – Arena da Jacaré
3/11 – Atlético-GO – Engenhão
7/11 – Avaí – Ressacada
14/11 – Ceará – Castelão
21/11 – Internacional – Engenhão
28/11 – Grêmio Prudente – Engenhão
5/12 – Botafogo – Olímpico

O Botafogo também esteve flertando com a liderança até algumas rodadas atrás, no entanto, uma sequência de empates fez com que o time caísse na tabela. Ainda está vivo na briga pela Libertadores.

9° – SÃO PAULO – 44 pontos
Chances de classificação: 16%

Próximos jogos

24/10 – Ceará – Castelão
28/10 – Atlético-PR – Arena Barueri
3/11 – Cruzeiro – João Havelange
7/11 – Corinthians – Morumbi
14/11 – Vasco – São Januário
21/11 – Fluminense – Morumbi
28/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
5/12 – Atlético-MG – Morumbi

Como acontece nos últimos, reacordou na reta final do Brasileirão após uma crise intensa. Desde a chegada de Paulo César Carpegiani o time se reencontrou e vem mantendo boas atuações. Domingo, quebrou um jejum de vitórias sobre o Santos e é um dos candidatos fortes a uma vaga na Libertadores.

10° – PALMEIRAS – 44 pontos
Chances de classificação: 14%

Próximos jogos

24/10 – Corinthians – Pacaembu
30/10 – Goiás – Arena Barueri
4/11 – Atlético-PR – Arena da Baixada
7/11 – Guarani – Arena Barueri
14/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
21/11 – Atlético-MG – Pacaembu
28/11 – Fluminense – Pacaembu
5/12 – Cruzeiro – João Havelange

Embora desminta publicamente, o Palmeiras já pensa sim em participar da Libertadores do ano que vem. O time não perde a sete jogos e cresceu muito de qualidade nas últimas rodadas. No entanto, não tem elenco suficiente. Sem Kleber, Valdivia e Marcos Assunção, a equipe fica sem peças de reposição. Talvez consiga a vaga por causa da Sul-Americana, já que Felipão é tradicionalmente um técnico copeiro.

11° – VASCO – 41 pontos
Chances de classificação: 2%

Próximos jogos

24/10 – Flamengo – Engenhão
30/10 – Vitória – Barradão
3/11 – Grêmio Prudente – São Januário
7/11 – Fluminense – Engenhão
14/11 – São Paulo – São Januário
21/11 – Cruzeiro – João Havelange
28/11 – Corinthians – Pacaembu
5/12 – Ceará – São Januário

É o time que tem menos chances. Empatou em muitos jogos que poderia ter vencido, como contra o Grêmio, em São Januário, semana retrasada. A tabela também não ajuda, já que enfrenta equipes do porte de Fluminense, Cruzeiro, São Paulo e Corinthians.

*Números do matemático Tristão Garcia

outubro 18, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , | Deixe um comentário

Ronaldo marca, juiz anula, e Timão fica no empate sem gols com Guarani

Fenômeno tem dois gols anulados, um deles erradamente, e placar de 0 a 0 em Campinas não agrada a nenhum dos dois times na reta final do Brasileiro

Não fosse um erro da arbitragem, Ronaldo poderia ter deixado o Brinco de Ouro como herói do Corinthians neste domingo. Sob um calor de mais de 30 graus de Campinas, o atacante marcou duas vezes no primeiro tempo do duelo contra o Guarani, mas nenhuma delas valeu. O empate por 0 a 0 não agrada a ninguém. O Timão chega a sete jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro e não consegue espantar a crise que ronda o clube. O Bugre acumula agora cinco rodadas de jejum e já começa a se preocupar com a zona do rebaixamento.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Ronaldo teve um desempenho razoável para quem se ausentou das últimas dez partidas. Ao concluir para a rede pela primeira vez, ele estava em posição legal, mas usou o braço para marcar. Na segunda, estava novamente na mesma linha da defesa ao superar Douglas, e o auxiliar Ednilson Corona marcou erradamente impedimento. Na etapa final, o atacante ainda perdeu um gol feito de cabeça.

A igualdade no interior de São Paulo não alivia o momento turbulento do Corinthians, depois de uma semana recheada de protestos da torcida. O time tem agora 50 pontos, em terceiro lugar, e começa a ver pelo retrovisor a chegada de outros concorrentes na briga pelo título e por uma vaga na Libertadores de 2011. A esperança recai agora na chegada do técnico Tite, que deve ser apresentado nesta terça-feira, no CT Joaquim Grava.

O Guarani também não vive seus melhores dias. Os cinco jogos sem vencer fizeram a equipe campineira despencar para a 14ª colocação, com 35 pontos, somente cinco acima da zona do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Guarani recebe o Atlético-GO, sábado, às 18h30m, no Brinco de Ouro, em Campinas. Já o Corinthians faz o clássico contra o arquirrival Palmeiras, domingo, às 16h, no Pacaembu, em São Paulo.

Ronaldo marca, arbitragem anula

O Corinthians começou a partida em ritmo acelerado. Com três zagueiros, os alas Moacir e Roberto Carlos ganharam liberdade para ajudar a equipe a encurralar o Guarani nos primeiros minutos. Apesar do forte calor, Ronaldo colaborou na movimentação do ataque e, aos quatro minutos, chegou a marcar após cruzamento da esquerda, mas o auxiliar Ednilson Corona marcou um toque da bola no braço do craque. Em seguida, o Fenômeno assustou Douglas em chute perigoso à esquerda.

Mesmo jogando em casa, o Guarani apostou tudo nos contra-ataques. O baixinho Mazola, que pertence ao São Paulo, era a opção de perigo da equipe jogando pelos lados. Entretanto, Reinaldo pouco incomodou ao atuar centralizado na área. A primeira grande chance veio em uma jogada de bola parada, aos 11. Após escanteio, Fabão subiu mais alto que os marcadores e cabeceou forte. Chicão salvou sobre a linha.

A alta temperatura em Campinas fez o jogo cair de ritmo. O Guarani passou a se arriscar mais no ataque, mas errou em demasia nos passes e quase não ofereceu trabalho a Julio Cesar. Aos 19 minutos, Ednilson Corona anulou outra jogada de Ronaldo, que, na mesma linha da defesa, completou para o gol após cruzamento de Moacir. Chicão também deu trabalho, aos 29, chutando duas vezes da entrada da área para boas defesas de Douglas.

O Corinthians continuou melhor até o fim do primeiro tempo, mas não conseguiu pressionar. Elias encostou no ataque para ajudar Ronaldo, porém, Defederico esteve novamente apagado em campo, errando a maioria das jogadas e atrapalhando o sistema ofensivo.

Guarani assusta, e Timão perde chances incríveis

No segundo tempo, o Corinthians reapareceu assustando logo aos dois minutos, com Paulinho soltando uma bomba que Douglas pegou após boa jogada de Leandro Castán. Mas foi só no começo. Logo o Guarani tomou o controle, passou a ganhar todos os lances no meio de campo e quase marcou, aos oito, em chute perigoso de Diego Barbosa à esquerda de Julio Cesar.

Cansado, Ronaldo também pouco apareceu na etapa final. O Corinthians sofreu com a dificuldade em sair com a bola da defesa, e o Fenômeno virou um alvo fácil entre os marcadores. Com as entradas de Danilo e Iarley, o Timão melhorou. Aos 25, o camisa 9 perdeu uma chance incrível. Depois de cruzamento de Danilo, ele apareceu na altura da segunda trave, desviou de cabeça, e a bola foi para fora.

Depois dos 20 minutos, os times partiram para o tudo ou nada. Aos 28, foi a vez de Moacir levar os corintianos ao desespero. Ronaldo recebeu na área e serviu o lateral. Na pequena área, sem marcação, ele furou a finalização e perdeu uma das maiores chances do campeonato. Aos 36 minutos, foi a vez do Guarani. Reinaldo quase acertou uma cabeçada no ângulo esquerdo de Julio Cesar em cobrança de falta ensaiada.

A resposta do Corinthians foi imediata, aos 38. Elias invadiu a área e serviu Paulinho. O volante avançou e, na saída de Douglas, bateu por cobertura. A bola caprichosamente tocou no travessão e sobrou para a defesa do Guarani afastar. E a reação corintiana no Brasileirão ficou no quase.

GUARANI 0 X 0 CORINTHIANS
Douglas, Rodrigo Heffner (Apodi), Fabão, Ailson e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Preto (Victor Júnior) e Diego Barbosa (Mário Lúcio); Mazola e Reinaldo. Julio Cesar, Chicão, William e Leandro Castán; Paulinho, Ralf, Moacir, Elias e Roberto Carlos (Danilo); Defederico (Iarley) e Ronaldo.
Técnico: Vagner Mancini. Técnico: Fábio Carille.
Cartões amarelos: Mazola e Victor Júnior (Guarani); Moacir, Elias, Ralf (Corinthians)
Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas-SP. Data: 17/10/2010.Árbitro: Salvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP). Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Osny Antonio Silveira (SP). Público: 17.469 torcedores. Renda: R$ 409.715,00.

outubro 17, 2010 Posted by | Corinthians, Guarani | , , | Deixe um comentário

Corinthians e Guarani duelam para acabar com seca de vitórias

Alvinegro não vence a seis jogos, Bugre não conquista três pontos a quatro jogos

O Corinthians, a seis jogos sem vencer no Brasileirão, e o Guarani, a quatro jogos sem vitória, se enfrentam neste domingo, às 16h, no Brinco de Ouro, buscando a recuperação na competição. O Timão, na terceira posição da tabela, precisa da vitória para se manter na briga pelo título. Já o Bugre, na 13ª posição, precisa dos três pontos para ficar longe da zona de rebaixamento e seguir na briga por uma vaga na Copa Sul-Americana.

O time alviverde não tem nenhum jogador suspenso para a partida, o que dá tranquilidade para o técnico Vágner Mancini armar a equipe da maneira que ele achar melhor. Os quase 80% de aproveitamento do Bugre dentro de casa também dão confiança aos jogadores.

– Respeitamos a equipe do Corinthians, mas vamos nos impor em busca de uma vitória no domingo. Temos que somar pontos em casa como fez o Ceará conosco – afirmou Mancini, confiante, em entrevista coletiva, citando a derrota da sua equipe para o Vovô por 2 a 0, no Castelão, na última rodada.

Contra o Bugre, pesa o tabu nos jogos contra o Timão. São sete derrotas e quatro empates nos últimos nove anos, com 15 gols alvinegros contra apenas quatro bugrinos.

O Corinthians confia em um bom retorno de Ronaldo para terminar a série de jogos sem vitórias da equipe. O Fenômeno está recuperado da lesão na panturrilha direita e volta aos gramados depois de pouco mais de um mês sem participar de uma partida oficial. O atacante deu entrevista coletiva na última quinta-feira e pediu a ajuda dos torcedores para tirar o time da má fase.

– O torcedor tem a maior parcela de contribuição (na recuperação). Ele tem de acredtar. São nove finais, e vamos precisar da nossa torcida, do início ao fim. Acreditem, como eles sempre falam – disse o Fenômeno.

E parece que a torcida entendeu o recado. Em poucas horas os ingressos para o time visitante se esgotaram no Brinco de Ouro.

Para a partida, o técnico interino Fábio Carille não poderá contar com Bruno César, Dentinho e Jorge Henrique, que estão em tratamento no Departamento Médico do clube. Boquita, que levou o terceiro cartão amarelo na última rodada, também desfalca a equipe.

A dúvida fica por conta do lateral direito Alessandro, que sentiu lesão na coxa direita ainda no primeiro tempo da partida contra o Vasco e deve ficar fora. O lateral deve ser substituido por Moacir. Outra opção é a utilização de Jucilei improvisado na lateral. Neste caso, William Morais comporia o meio de campo com Danilo.

Apesar dos desfalques, os torcedores comemoram o retorno do volante Ralf. O jogador está recuperado da lesão no tornozelo esquerdo e fez bom treino na última quinta-feira. Com isso, deve ser escalado por Carille para o lugar de Boquita.

FICHA TÉCNICA:
GUARANI X CORINTHIANS

Estádio: Brinco de Ouro, Campinas (SP)
Data/hora: 17/10/2010 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Osny Antonio Silveira (SP)

GUARANI: Douglas; Rodrigo Heffner, Fabão, Aílson e Fabiano; Renan, Paulo Roberto, Mário Lúcio e Diego Barboza; Reinaldo (Ricardo Xavier) e Mazola. Técnico: Vágner Mancini.

CORINTHIANS: Julio Cesar; Moacir (William Morais), William, Chicão e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Danilo; Iarley e Ronaldo. Técnico: Fábio Carille.

outubro 17, 2010 Posted by | Corinthians, Guarani | , | Deixe um comentário

Ceará bate o Guarani e ganha força na briga por vaga na Sul-Americana

Vitória por 2 a 0, no Castelão, coloca o time cearense em boa posição para se garantir na competição internacional, enquanto Bugre liga o alerta

No duelo para saber quem ficaria mais tranquilo na disputa por uma vaga na Copa Sul-Americana, e consequentemente se afastaria mais da zona do rebaixamento, deu Ceará. Jogando em casa e demonstrando mais consistência ofensiva do que o adversário, o time alvinegro conseguiu a segunda vitória seguida no Brasileirão, com gols do meia Geraldo e do lateral Boiadeiro. Com o resultado, a equipe alvinegra subiu para a 11ª posição com 38 pontos. Já o Guarani, que não vence há quatro rodadas, está no limite dos clubes classificados para a Sul-Americana e apenas cinco pontos distante na zona da degola. O time alviverde permaneceu na 13ª colocação com 34 pontos.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

No próximo domingo, o Ceará vai enfrentar o Palmeiras, na Arena Barueri, enquanto o Guarani recebe o Corinthians, no estádio Brinco de Ouro.

Geraldo-100 abre vantagem

O Ceará procurou tomar a iniciativa de atacar com velocidade desde o início do confronto, principalmente pelo lado direito com as subidas de Boiadeiro à frente. Do outro lado, o Guarani fez de tudo para não ficar preso no campo de defesa, e nos primeiros minutos até conseguiu equilibrar as ações com as investidas de Mazola. Armado no esquema 3-5-2, o time da casa deixou os seus alas mais soltos para apoiar, enquanto os visitantes, no 4-4-2, tinham dificuldades para superar os três zagueiros adversários.

Aos 15min, o equilíbrio inicial começou a ser quebrado. Pela esquerda, Marcelo Nicácio enfiou boa bola na área para Geraldo, que chutou para as redes na saída do goleiro Douglas. Para delírio da torcida no Castelão, o meia cearense balançou as redes no seu centésimo jogo com a camisa do clube.

A única boa opção de ataque da equipe de Campinas era Mazola, que deu trabalho para o zagueiro Pablo. Como o jovem defensor já tinha cartão amarelo, o técnico Dimas Filgueiras preferiu tirá-lo por precaução, colocando em campo Herivélton. Outra vez pela direita, o Ceará quase ampliou com Nicácio, que perdeu boa chance após cruzamento de boiadeiro.

Mas aos 43min, em cobrança de falta sofrida por Geraldo, Boaideiro acertou o ângulo e decretou 2 a 0 no marcador

Nada mudou

O Guarani até que tentou adotar uma postura mais corajosa na segunda etapa, sempre explorando a velocidade de Mazola pela ponta esquerda. No intervalo, o técnico Vágner Mancini trocou o lateral-direito Rodrigo Heffner e o meia Diego Barboza por Apodi e Maycon. Mas o ímpeto ofensivo campineiro foi esfriado pela dedicação defensiva dos cearenses.

Com a vantagem no marcador, o Ceará tentou tocar a bola e gastar o tempo. Marcelo Nicácio, que articulou boas jogadas sempre que saiu da área, deixou o campo para a entrada de Washington, que jogou mais preso lá na frente para tentar o gol que definiria a partida.

O confronto ficou embolado e pegado no meio-campo, com poucas oportunidades de gol, além de sete cartões amarelos no total (quatro para cada lado). Na melhor chance dos visitantes, o goleiro Michel Alves fez boa defesa em finalização de Apodi. Mas o resultado final acabou sendo definido mesmo com os gols do primeiro tempo: 2 a 0 para o Ceará, que ganhou força na briga por uma vaga na Sul-Americana.

CEARÁ 2 X 0 GUARANI
Michel Alves; Diego Sacoman, Fabrício e Pablo (Herivélton); Boiadeiro, Heleno, Careca, Geraldo e Vicente; Magno Alves (Reina) e Marcelo Nicácio (Washington). Douglas; Rodrigo Heffner (Apodi), Fabão, Aílson e Fabiano (Márcio Careca); Renan, Paulo Roberto, Mário Lúcio e Diego Barboza (Maycon); Reinaldo e Mazola
Técnico: Dimas Filgueiras Técnico Vágner Mancini
Gols: Geraldo, aos 15min e Boiadeiro, aos 43min do 1º tempo.
Cartões amarelos: Diego Sacoman, Pablo, Vicente, Washington (Ceará), Rodrigo Heffner, Renan, Aílson e Mário Lúcio (Guarani).Cartão vermelho: Não houve.
Estádio: Castelão, em Fortaleza (SC). Árbitro: Paulo Bezerra (SC).Auxiliares: Luiz Kallenberger (SC) e Nadine Santos (SC)

 

 

 

 

outubro 10, 2010 Posted by | Ceará, Guarani | | Deixe um comentário

Ruim para os dois, empate frustra Guarani e Botafogo no Brasileirão

Diego Barboza marcou para os campineiros, e Loco Abreu salvou o Fogão da derrota em Campinas. Jejum de ambos aumenta no Nacional

O empate por 1 a 1 foi justo, mas não serviu para ninguém. Guarani e Botafogo fizeram um jogo nada empolgante na noite desta quarta-feira, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. E o que segue nada empolgante também são os ânimos de bugrinos e alvinegros. Ambos com jejum de vitória.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

A equipe campineira, agora com 34 pontos, na 12ª colo, soma três rodadas sem um triunfo. Pior ainda é a situação do Botafogo, que vinha forte na briga para permanecer no G-3 do Nacional. Com o empate desta noite, o time comandado por Joel Santana chega a sete partidas sem vencer (uma derrota e seis empates). O Fogão é quinto, com 43.

O retorno de ambas as equipes a campo será no próximo domingo, pela 29ª rodada do Brasileirão. O Guarani dessa vez joga fora de casa, contra o Ceará, em Fortaleza, às 18h30m. No Rio de Janeiro, às 16h, o Botafogo recebe o Palmeiras, no Engenhão.

Para tentar fazer valer seu bom desempenho como mandante, o Guarani partiu para cima do Botafogo desde o primeiro minuto. Nada muito intenso, mas o suficiente para tirar os espaços do rival. Apesar da iniciativa campineira, as chances de gol eram escassas. Até por isso em algumas oportunidades a bola ia de um lado para o outro, sem objetividade.

Diante da postura tomada pelo Bugre, o Fogão demorou a se achar em campo. Errou passes e se mostrou desorganizado em campo. Quando teve mais posse de bola, os cariocas optaram pelas bolas alçadas na área. Sem sucesso. A zaga adversária levou a melhor em todas, e o goleiro Douglas não teve trabalho algum.

Do outro lado, Renan, que havia salvado chute perigoso de Márcio Careca aos dois minutos, não conseguiu impedir o gol do Guarani aos 26 minutos. Logo depois de o técnico Vagner Mancini reclamar de displicência dos seus comandados, Reinaldo recebeu na esquerda da grande área e fez cruzamento certeiro para Diego Barboza marcar de cabeça.

Insatisfeito, Joel Santana fez uma alteração. Sacou Túlio Souza e escalou Edno. Somália, então, foi deslocado para a lateral direita. Edno, caindo pela esquerda, não resolveu muito, mas lá no meio da área teve quem achasse solução. E o nome dele é Loco Abreu. Aos 45, após cruzamento de Herrera da direita, o uruguaio empatou o jogo para o Botafogo (veja no vídeo acima).

No retorno para o segundo tempo, o técnico do Guarani, Vagner Mancini, lamentou o vacilo da sua equipe no finalzinho da etapa inicial. Especialmente porque ele tinha avisado sobre os perigos de Loco Abreu na bola aérea. Não à toa, a marcação sobre o sistema ofensivo do alvinegro de General Severiano aumentou.

Até por essa preocupação mais defensiva do Bugre, o jogo ficou truncado demais. Aos poucos, porém, o Botafogo passou a controlar mais as ações e explorar as jogadas pelas pontas. Mas ainda faltava melhorar a finalização. Ou melhor, criar jogadas que permitissem aos atacantes dar trabalho ao goleiro adversário.

Apesar do melhor momento dos cariocas, o Guarani por muito pouco não reeditou o gol do primeiro tempo. Aos 14 minutos, Reinaldo recebeu bom passe na área, dessa vez na direita, e cruzou para Barboza cabecear. A bola raspou o travessão. A resposta carioca foi rápida, e não fosse o goleiro Douglas, Herrera teria colocado o Fogão em vantagem. Logo depois, aos 19, o argentino sentiu o ombro esquerdo em disputa com o goleiro, e deu lugar a Caio.

Foi dele, aliás, a melhor chance do Fogão no segundo tempo até então. Aos 28 minutos, ele entrou bem na área, após passe de Loco Abreu, cortou um marcador e chutou rasteiro, acertando a trave (veja no vídeo acima). O lance animou o time visitante, que não desistiu. O Bota tentou com Loco Abreu, com Edno, com Caio de novo…  E o Bugre apostou  nas faltas de Baiano. Mas o placar seguiu no 1 a 1. Ruim para todos.

GUARANI 1X1 BOTAFOGO
Douglas; Rodrigo Heffner (Apodi), Fabão, Aílson e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Fabiano (Geovane) e Diego Barboza (Baiano); Rômulo e Reinaldo. Renan; Túlio Souza (Edno), Antônio Carlos, Danny Morais e Márcio Rozário; Somália, Leandro Guerreiro, Fahel e Lucio Flavio (Renato Cajá); Herrera (Caio) e Loco Abreu.
Técnico: Vagner Mancini. Técnico: Joel Santana.
Gols: Diego Barboza, aos 26, e Loco Abreu, aos 45 minutos do primeiro tempo.
Cartão amarelo: Leandro Guerreiro (BOT).
Público: 3.601 pagantes. Renda: R$ 53.783,00.
Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP). Data: 06/10/2010. Árbitro:Carlos Eugênio Simon (Fifa/RS) . Auxiliares: Julio César Rodrigues Santos (RS) e José Javel Silveira (RS).

outubro 6, 2010 Posted by | Botafogo, Guarani | , | Deixe um comentário

Sem medo de assombração, Guarani e Botafogo se enfrentam

Jogo do 666 mistura dados curiosos que envolvem rivais no Brinco de Ouro

LANCEPRESS!

Há coisas que só acontecem ao Botafogo, inclusive triunfos em condições complicadas. A fase no Glorioso anda obscura, com dúvidas sobre diversas questões, mas a partida contra o Guarani tem todos os ingredientes que um bom alvinegro gosta: Superstição de sobra no jogo do 666. Seis desfalques, seis confrontos sem vitória no Brasileiro e seis anos sem atuar no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, palco do duelo desta quarta-feira, às 19h30. Para chegar à Libertadores e até mesmo ao título nacional, é preciso encarar de tudo na competição.

A partida com transmissão em tempo real pelo LANCENET! mostra o número que segundo a tradição cristã, corresponde ao sinal da Besta. Simbologia de medo, mas a situação vive sombria para os dois lados. O Bugre perdeu nas duas últimas rodadas e caiu para a metade inferior da tabela. Não chega a ser um embate dos desesperados, mas os três pontos podem ser o primeiro passo da caminhada à luz.

CALMA, PESSOAL…

Com 33 pontos, seis em algarismos somados, o Bugre tem três desfalques confirmados. Julgado e punido pelo STJD nesta segunda-feira, o artilheiro Mazola não estará a disposição de Mancini. A equipe também não poderá contar com o meia Mário Lúcio, expulso na partida contra o Internacional e com o atacante Ricardo Xavier, vetado pelo departamento médico em função de uma lesão na panturrilha esquerda.

Mancini ainda tem uma dúvida em relação ao zagueiro Ailson, que sente dores musculares no adutor da coxa e ainda não teve sua presença confirmada no time titular.

– Se o Ailson não jogar, entra o Aislan, mas mantenho a dúvida no meio de campo e no ataque e só vou anunciar o time momentos antes do jogo – afirmou Mancini.

O Guarani terá a volta de Reinaldo, que cumpriu suspensão automática contra o Internacional. A dúvida fica para o companheiro do atacante no ataque bugrino, Giovane deve ser deslocado para a vaga do suspenso Mazola e Barboza deve ganhar uma chance na armação das jogadas.

O treino do Bugre nesta terça foi marcado por uma reunião entre jogadores, comissão técnica e membros da maior torcida organizada do clube.

– Eles vieram aqui para manifestar apoio e todo incentivo é bem vindo. Se não fosse esse tipo de conversa, certamente este encontro não aconteceria. Estamos fazendo o melhor e sabemos daquilo que somos obrigados a fazer – destacou.

CAÇADOR DE FANTASMAS

Em busca da sexta vitória fora de casa para aproximar-se do Cruzeiro, hoje a seis pontos de distância e na vaga do último classificado para a próxima Libertadores, o Botafogo não terá o zagueiro Fábio Ferreira, que lesionou o joelho esquerdo e vai ficar seis meses longe dos gramados.

A meta é sair dos 42 pontos, algarismos que somados dão seis, porém as baixas são muitas. Maicosuel e Marcelo Mattos também contundiram o joelho esquerdo, sendo que o primeiro está fora da temporada. Alessandro e Marcelo Cordeiro cumprem suspensão por cartões e Jefferson vai disputar dois amistosos pela Seleção.

Por sua vez, Jobson viajou para Campinas, mas é dúvida para o jogo, já que treinou separadamente na última segunda-feira e talvez ainda não esteja totalmente recuperado de dores na perna esquerda, das quais o próprio reclamou na véspera do clássico diante o Flamengo, no último sábado.

O problema repentino de Jobson fez despertar em sites de relacionamento diversos boatos sobre envolvimento do atacante com drogas. Vale lembrar que o jogador foi flagrado em dois exames antidoping com substâncias da cocaína no organismo, em 2009, além de ter admitido ser usuário de crack.

Diante de muitos problemas, Renan, Danny Morais, Fahel, Tulio Souza, Lucio Flavio, Renato Cajá e Herrera estão de olho na titularidade. Para o técnico Joel Santana, resta bater de frente com a realidade do grupo.

– Isso não é coincidencia, é o futebol. Estávamos esperando as lesões, que normalmente iriam aparecer. Não contávamos com grandes perdas, como a de Maicosuel e a do Fábio Ferreira. Seremos obrigados a mexer em um setor que todos já sabiam. Infelizmente, vida que segue. Pensamos para a frente – disse.

FICHA TÉCNICA:
GUARANI X BOTAFOGO

Estádio: Brinco de Ouro, Campinas (SP)
Data/hora: 6/10/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Julio Cesar Rodrigues Santos (RS) e José Javel Silveira (RS)

GUARANI: Douglas, Rodrigo Heffner, Fabão, Aislan e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Baiano e Barboza; Reinaldo e Geovane. Técnico: Vagner Mancini.

BOTAFOGO: Renan, Antônio Carlos, Leandro Guerreiro e Danny Morais; Somália, Fahel, Tulio Souza, Lucio Flavio e Renato Cajá; Herrera e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

outubro 5, 2010 Posted by | Botafogo, Guarani | , , | Deixe um comentário

Inter faz 3 a 0 no Guarani e encurta distância para o Fluminense

Colorado vence no Beira-Rio, com gols de Daniel, Glaydson e Giuliano, e agora está oito pontos afastado do líder do Brasileirão

O Fluminense empatou. O Corinthians empatou. O Cruzeiro empatou. E o Inter venceu. Pouco importa que a atuação não tenha sido das melhores. O que o Colorado tira deste sábado, com a vitória de 3 a 0 sobre o Guarani no Beira-Rio, é a visão de uma distância mais curta para o líder do Campeonato Brasileiro. Agora, são oito pontos de afastamento.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O Inter, nos primeiros 45 minutos, foi controlado pelo Guarani, errou muito e chegou a ser vaiado pela torcida. Na etapa final, com as entradas de Daniel e Glaydson, melhorou. Os dois jogadores abriram o placar, complementado depois por Giuliano. O Bugre acertou o travessão do Inter duas vezes. Sofreu com a falta de eficiência.

Com o resultado, o time de Celso Roth subiu para 44 pontos, na quarta colocação. O Fluminense soma 52, mas o Inter tem um jogo a mais para disputar. O Colorado volta a campo na quarta-feira, em Fortaleza, contra o Ceará. O Guarani, no mesmo dia, recebe o Botafogo.

O Guarani amarrou o sistema de criação do Inter no primeiro tempo, deu um nó nele, o guardou dentro de um cofre e jogou a chave fora. Com marcação e posse de bola, o time visitante foi superior ao Colorado na etapa inicial. Só não saiu na frente porque errou quando menos poderia errar: no último toque.

O Inter foi um time adormecido. Nem D’Alessandro conseguiu render. Com o trio de criação colorado dominado, a equipe de Campinas também conseguiu incomodar. Teve duas grandes chances. Em ambas, Baiano esteve envolvido. Primeiro, ele cruzou para Ricardo Xavier cabecear com muito perigo, a milímetros da trave esquerda de Renan. Depois, ele apareceu na pequena área, após cruzamento de Márcio Careca, e desperdiçou o gol mais feito da vida dele. Era só encostar na bola. Mas Baiano chegou com tudo, exagerou na força e acertou o travessão de Renan. Incrível.

A pobreza colorada foi de dar pena: um chute fraco de D’Alessandro, outro igualmente anêmico de Alecsandro, mas nada muito animador. Chance real, clara, daquelas de dar esperança à torcida, só uma: Giuliano acionou D’Alessandro pelo meio, e o argentino, já dentro da área, preferiu rolar para Alecsandro, que dividiu com Fabão e perdeu o gol. A melhor alternativa para o camisa 10 seria já ter emendado o chute.

Wilson Matias e Sorondo, lesionados, deixaram o time do Inter no intervalo. Parecia má notícia, mas não era. Os dois jogadores escolhidos por Celso Roth para entrar no time fizeram os gols que abriram a vitória colorada: Daniel primeiro, Glaydson depois.

Antes que o Guarani pudesse avisar que repetiria a armadura do primeiro tempo, o Inter marcou. Aos seis minutos, Giuliano acionou Daniel na direita. Entre cruzar e mandar o chute, ele optou pela segunda alternativa. Fez bem. A pancada cruzada beijou a rede defendida por Douglas: 1 a 0.

A vitória estava encaminhada. E virou certeza logo depois. D’Alessandro cruzou da direita, a zaga do Guarani se embananou ao tentar fazer a linha de impedimento e Glaydson, livre do outro lado, desviou para o gol. O Beira-Rio soltou um respiro de alívio coletivo.

Mário Lúcio, do Guarani, ainda mandaria uma bola no travessão de Renan. Mas travessão não é gol. Gol é o que Giuliano fez aos 35 minutos. O prodígio colorado recebeu pela esquerda, se livrou da zaga e mandou o chute colocado, com precisão. Estava encerrado o papo. Estava intensificada a perseguição aos líderes. Se Fluminense, Corinthians e Cruzeiro empataram, azar deles: o Inter venceu.

INTERNACIONAL 3 X 0 GUARANI
Renan, Nei, Bolívar, Sorondo (Daniel) e Juan; Wilson Matias (Glaydson), Guiñazu, Giuliano, Edu (Andrezinho) e D’Alessandro; Alecsandro. Douglas, Rodrigo Heffner, Fabão, Ailson (Aislan) e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Baiano (Diego Barboza) e Mário Lúcio; Mazola e Ricardo Xavier (Rômulo).
T: Celso Roth T: Vágner Mancini
Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Data: 2 de outubro. Árbitro:Edivaldo Elias da Silva (PR). Auxiliares: José Amilton Pontarolo (PR) e Moisés Aparecido de Souza (PR).
Gols: Daniel, aos seis, e Glaydson, aos 18, e Giuliano, aos 35 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Nei, D’Alessandro (Inter); Paulo Roberto (Guarani).Cartão vermelho: Mário Lúcio (Guarani).
Público: 10.819. Renda: R$ 129.040,00.

outubro 2, 2010 Posted by | Guarani, Internacional | | Deixe um comentário

Inter aposta em Alecsandro contra o Guarani

Centroavante vai começar jogando pela primeira vez desde a lesão na Libertadores; Bugre tem estreia

LANCEPRESS!

Às 18h30 deste sábado, o Internacional recebe o Guarani no Beira-Rio. Para o Colorado, a partida serve para definir se o time brigará ou não pelo título brasileiro. Para o Guarani, que ocupa o meio da tabela, a meta é seguir somando pontos para garantir a permanência na Série A.

O técnico do Inter, Celso Roth, terá um grande problema para a parida: o lateral-esquerdo Kleber, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Em seu lugar, o treinador campeão da Libertadores vai improvisar o zagueiro Juan, já que Leonardo, substituto imediato que veio do Olympiacos (GRE) está com um problema no tornozelo.

– Nos preocupa o fato de não ter um reserva da posição, infelizmente. É uma improvisação. Não temos o Kleber, suspenso. E o Leonardo teve um problema. Espero que o Juan tenha uma boa atuação – afirmou um apreensivo Celso Roth.

Por outro lado, o centroavante Alecsandro está confirmado no ataque. O jogador, que havia sofrido uma séria lesão ainda na primeira partida da final da Libertadores, contra o Chivas (MEX), vai sair jogando pela primeira vez desde que voltou aos campos. Sendo assim, Leandro Damião, que vinha sendo titular, fica no banco.

– O Alecsandro vai iniciar o jogo. Com isso, ganharemos experiência e qualidade técnica. É o momento de voltar ao time. Um jogador como ele precisa ganhar ritmo de jogo – afirma.

Guarani

Depois da péssima atuação contra o lanterna Grêmio Prudente na última quarta-feira, quando foi derrotado por 4 a 2, o Guarani apostará em um novato, o recém-contratado Barboza, para tentar a reabilitação contra o Internacional em Porto Alegre.

Aos 21 anos, Barboza foi apresentado oficialmente pela diretoria bugrina na última quinta-feira como a solução para o setor de criação bugrino, uma das principais carências do time desde o início do Campeonato Brasileiro. Apesar do currículo modesto – ele disputava a Copa Paulista pelo Paulista, de Jundiaí -, Barboza chegou com um discurso otimista.

– O Mancini (Vagner, treinador do Guarani) procurava um camisa 10 que jogue solto e se aproxime do ataque para finalizar. Esse jogador chegou – disse Barboza, que viajou com a delegação bugrina para Porto Alegre e deverá ser confirmada como titular.

Além de Barboza, outra novidade no Guarani, que ocupa a 11ª posição na tabela, com 33 pontos, será o atacante Ricardo Xavier, que ganha nova oportunidade entre os titulares porque Reinaldo recebeu o terceiro cartão amarelo na derrota para o Grêmio Prudente e cumprirá suspensão.

Já no meio-de-campo bugrino, o volante Paulo Roberto ainda é dúvida. Ele recebeu uma forte pancada no tornozelo direito na última rodada e não tem presença garantida. Se não puder atuar, seu substituto será o também volante Maycon.

– Independentemente de quem jogar, temos que iniciar a partida mais atentos. Não podemos ser presa fácil para o adversário, como aconteceu em Prudente – disse o técnico Vagner Mancini.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL X GUARANI

Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS).
Data/hora: 2/10/2010, às 18h30 (de Brasília).
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR).
Auxiliares: José Amilton Pontarolo (PR) e Moisés Aparecido de Souza (PR).

INTERNACIONAL: Renan, Nei, Bolívar (Sorondo), Índio e Juan; Guiñazu, Wilson Matias, D’Alessandro, Giuliano e Edu; Alecsandro.
Técnico: Celso Roth.

GUARANI: Douglas, Rodrigo Heffner, Fabão, Ailson e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto (Maycon), Baiano e Barboza; Ricardo Xavier e Mazola.
Técnico: Vagner Mancini.

outubro 2, 2010 Posted by | Guarani, Internacional | , | Deixe um comentário

FOTOS – Musas da Copa: Larissa Riquelme do Paraguai

CLIQUE NA FOTO E VEJA O ENSAIO COMPLETO

outubro 2, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Canais em espanhol, Ceará, Classificação Serie A, classificação serie b, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Outros Esportes, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Radio ao vivo, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, TV ao Vivo, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Prudente dá show, vence Guarani e ganha fôlego na luta contra degola

Lanterna do Brasileirão faz grande jogo e bate rival do interior por 4 a 2. Time ainda está em último, mas respira e ganha ânimo com novo técnico

Nem parecia que o time de uniforme vermelho em campo era o lanterna – disparado – do Campeonato Brasileiro e não vencia há dez rodadas na competição. Nesta quarta-feira, o Grêmio Prudente deu um tempo na crise, jogou futebol de encher os olhos e fez 4 a 2 no Guarani, com facilidade impressionante para um time que estava completamente perdido até o último fim de semana. Na 26ª rodada da competição, a equipe se agarra a um fio de esperança para se salvar do rebaixamento.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O resultado mantém o time na lanterna, mas agora com 20 pontos e já um pouco mais próximo dos rivais. O técnico interino Fábio Giuntini estreou com o pé direito em meio a uma turbulência marcada pelo pedido de demissão de Marcelo Rospide. A última vitória havia sido contra o Goiás, em 21 de agosto.

O Guarani, que venceu o Vasco na rodada passada, deu uma freada em sua reação e permanece com 33 pontos na tabela. A equipe não vence longe do Brinco de Ouro há dez jogos.

Wesley brilha

O Prudente mostrou que estava querendo jogo já no primeiro lance, quando Adriano Pimenta exigiu grande defesa de Douglas em um chute de longe. O interino Fábio Giuntini deu liberdade a Wesley e Willian José para que eles flutuassem pelos dois lados do campo. Além disso, deixou medalhões como Fabiano Gadelha no banco de reservas e deu mais velocidade à equipe.

O Bugre, com pouca imaginação, forçou demais as jogadas pela esquerda, até porque Vágner Mancini escalou o time com dois laterais-esquerdos: Fabiano e Márcio Careca. Ambos se revezavam pela ponta e davam auxílio a Mazola, muito bem marcado pela defesa do time da casa.

Apesar de algumas tentativas do Guarani, o Prudente dominou completamente o meio de campo. Com isso, os gols eram questão de tempo. E a estrela de Wesley começou a brilhar. Aos 21, ele invadiu a área e foi puxado por Fabão. Pênalti incontestável e muito bem cobrado por Willian José: 1 a 0.

Com um grande repertório de jogadas, o Prudente confundiu a defesa adversária, ora pelo chão, ora pelo alto, em tabelas ou intervenções individuais. E numa dessas individualidades, Wesley fez um golaço. Aos 40 da primeira etapa, ele saiu da marcação de dois bugrinos e avançou livre, por 20 ou 30 metros, e chutou de esquerda, sem chances para Douglas: 2 a 0.

Show prudentino e esboço de reação verde

O técnico Vágner Mancini resolveu radicalizar. Promoveu logo no intervalo as três substituições de direito do Guarani e optou por dar mais dinamismo à equipe com a entrada de Apodi. As boas jogadas do lateral no início do segundo tempo foram apenas ilusão para o torcedor bugrino. Em poucos minutos, o Prudente voltou a tomar conta das ações.

Aos 17, em um contra-ataque, o time da casa teve pouco trabalho para fazer o terceiro gol. Entre cinco defensores, Adriano Pimenta e Wesley tabelaram e não tomaram conhecimento dos rivais. No fim, Wesley finalizou com força na saída de Douglas e fez outro belo tento.

A noite para o Prudente foi daquelas em que tudo dá certo. Já satisfeito com o placar elástico, Fábio Giuntini lançou Marcelo Oliveira e Wanderley para aproveitarem as jogadas rápidas. E aos 29, a dupla armou o quarto gol – e que golaço! Oliveira rolou para o atacante, que só esperou a saída de Douglas e deu um lindo toque por cima do camisa 1, a famosa cavadinha.

A essa altura, a torcida prudentina – pequena, é verdade – já comemorava e ironizava o Bugre. Aí, um pequeno susto deixou o Grêmio um pouco perdido. Em dois minutos, aos 33 e aos 35, Mazola, de pênalti, e Reinaldo, em lindo voleio, diminuíram o placar e deram esperança ao time alviverde. No entanto, a reação parou por aí e o Prudente pôde comemorar sua quinta vitória no Brasileirão.

GRÊMIO PRUDENTE 4 X 2 GUARANI
Giovanni, Bruno Ribeiro, Anderson Luís, Diego Giaretta e Arthur Henrique; Anderson Pedra, João Vitor (Sasha), Roberto e Ardiano Pimenta (Marcelo Oliveira); Willian José (Wanderley) e Wesley Douglas, Rodrigo Heffner (Apodi), Fabão, Ailson e Marcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Fabiano (Maycon) e Geovane (Mário Lucio); Mazola e Reinaldo
Técnico: Fábio Giuntini Técnico: Vágner Mancini
Gols: Willian José, aos 21, e Wesley, aos 40 do primeiro tempo. Wesley, aos 17, Wanderley, aos 29, Mazola, aos 33, e Reinaldo, aos 35 do segundo tempo.
Cartões amarelos: João Vitor, Anderson Luís, Willian José (GPR); Paulo Roberto, Reinaldo (GUA)
Estádio: Prudentão, em Presidente Prudente (SP). Data: 29/9/2010.Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP). Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Anderson José de Moraes Coelho (ambos de SP)

setembro 30, 2010 Posted by | Grêmio Prudente, Guarani | , | Deixe um comentário