Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Nos pênaltis, Internacional é campeão dentro do Olímpico

Após jogo eletrizante no tempo normal, Renan se redime de falha e pega três cobranças

Grêmio e Internacional decidiram neste domingo, no Estádio Olímpico, o título do Campeonato Gaúcho de 2011. Com a vitória colorada por 3 a 2 no tempo normal, a decisão foi para os pênaltis, já que o Grêmio vencera o primeiro jogo pelo mesmo placar. Nas penalidades, brilhou a estrela do goleiro Renan, que pegou as cobranças de William Magrão, Lúcio e Adílson.

A partida começou com os donos da casa impondo seu ritmo. Mesmo tendo batido o rival no Beira-Rio, o Grêmio imprensou o seu adversário em seu campo de defesa, e contou com o meia Douglas em tarde inspirada.O Inter, por sua vez, viu seu esquema com três zagueiros ruir logo aos 15 minutos da etapa inicial. Douglas deu lançamento milimétrico para Lúcio, que tocou por baixo do goleiro Renan. Incrédulos, os defensores colorados pediam impedimento inexistente.

O gol acentuou ainda mais o predomínio azul, que seguia de posse do meio de campo e criava as oportunidades mais concretas. Viçosa e Douglas, por exemplo, desperdiçaram chances que praticamente selariam o bicampeonato do Gaúcho. O rumo da partida mudou quando o técnico Falcão decidiu abandonar o desenho tático inicial.

Com o meia Zé Roberto na vaga de Juan, o Colorado foi um time mais envolvente e equilibrou as ações e a posse de bola. E foi dos pés de Zé Roberto que nasceu o empate dos visitantes. O apoiador fez jogada pela esquerda e cruzou. Leandro Damião, bem colocado, girou sobre o zagueiro e bateu para reacender as esperanças da minoria colorada presente ao jogo.

Necessitando de mais um gol para levar a decisão para os pênaltis, o Internacional não tinha outra alternativa a não ser buscar o ataque. Aos 45 minutos, Zé Roberto bateu o escanteio, a zaga rebateu e Andrezinho, de fora da área, colocou fogo no clássico.

A etapa final deixou os torcedores com a respiração presa, deixando no ar a sensação de que um gol de qualquer uma das partes resolveria a parada. Impulsionado pelo gol obtido quase nos acréscimos, o Inter partiu para cima do rival, que voltou um tanto mais cauteloso para a decisão.

Aos poucos, porém, o reequilíbrio voltou a ser a tônica do jogo. Aos 11, Leandro Damião isolou o que poderia ser o gol do título. Um minuto depois, Viçosa não marcou o gol que representaria o alívio tricolor.O suspense permaneceu. O desenho aparentemente definitivo da decisão aconteceu aos 28 minutos, momento em que Victor derrubou Zé Roberto na área. O argentino D’Alessandro, que não vinha em grande jornada, teve calma para colocar a bola no fundo da rede.

O apelido Imortal, no entanto, cabe bem ao Grêmio. Aos 36, o goleiro Renan soltou novamente um cruzamento na área e Borges, bem colocado, teve o trabalho de marcar e levar a decisão para os pênaltis. Antes do apito de Leandro Vuaden, entretanto, Inter e Grêmio tiveram chances claríssimas de liquidar.

Nos pênaltis, vitória colorada por 5 a 4. Bicampeonato e festa da metade vermelha do Rio Grande do Sul.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 2 (4) X 3 (5) INTERNACIONAL

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 15/5/2011 às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: Altemir Hausmann e Júlio Cesar dos Santos
Cartões amarelos: Juan, D’Alessandro, Zé Roberto, Guiñazu (INT); Vílson, Fábio Rochemback (GRE)
Cartões vermelhos: –

Gols: Lúcio, 15’/1ºT (1-0); Leandro Damião, 31’/1ºT (1-1), Andrezinho, 46’/1ºT (1-2), D’Alessandro, 29’/2ºT (1-3), Borges, 36’/2ºT (2-3)

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Vilson, Rodolfo e Gilson (William Magrão, 32’/2ºT); Fábio Rochemback, Adilson Lúcio e Douglas; Leandro (Lins, 31’/2ºT) e Júnior Viçosa (Borges,30’/2ºT) Técnico: Renato Gaúcho.

INTERNACIONAL: Renan, Bolivar, Índio, Juan (Zé Roberto, 28’/1ºT) e Nei; Bolatti, Guiñazu, Andrezinho (Oscar, 4’/2ºT), D’Alessandro e Kleber; Leandro Damião. Técnico: Falcão.

maio 15, 2011 Posted by | Grêmio, Internacional | , | Deixe um comentário

Grêmio vence o Inter no primeiro jogo da decisão

Jogo foi movimentado no Beira-Rio, Tricolor consegue virada e sai na frente do rival no primeiro jogo da final do Gauchão

Internacional e Grêmio começaram neste domingo a decidir o Campeonato Gaúcho. E quem se deu melhor foi o Tricolor que, numa partida muito movimentada, venceu por 3 a 2 no Beira-Rio e, agora, pode empatar e até perder de 1 a 0 ou 2 a 1 no Olímpico para levantar a taça de campeão.

Mesmo jogando fora de casa, o Grêmio começou melhor a partida, encurralando o Internacional em seu campo de defesa nos minutos iniciais. Mas o domínio territorial não foi transformado em gols e o Colorado aproveitou para sair na frente logo em sua primeira oportunidade, com Andrezinho mandando bola no cantinho de Grohe após bom passe de Leandro Damião.

Veja os gols da vitória do Grêmio sobre o Inter

Com a vantagem do Inter, inverteu-se também o domínio do jogo, agora totalmente Colorado. Jogando bem, o time comandado por Falcão ficou perto de chegar ao segundo em oportunidades de Andrezinho e Kléber, defendidas por Marcelo Grohe. Mas o Grêmio não estava morto e chegou ao empate com Júnior Viçosa, que havia desperdiçado duas chances antes. Desta vez, o atacante tricolor contou com saída ruim do goleiro adversário Renan e mandou de cabeça para o fundo da rede.

Se o primeiro tempo foi bem movimentado, o segundo não começou atrás. Com 38 segundos, o Grêmio já marcou o segundo. Leandro tabelou com Viçosa e mandou de bico mesmo para dentro, virando o marcador.

Em destantagem, nada sobrava ao Inter a não ser ir para cima. O jogo, então, ganhou em movimentação com as duas equipes alternando bons momentos no ataque. De tanto insistir, o Colorado chegou ao empate com Leandro Damião. Quando parecia que tudo terminaria igual, Renan voltou a sair mal e Júnior Viçosa, mais uma vez, cabeçou encobrindo o goleiro, dando à vitória por 3 a 2 ao Tricolor.

No finzinho, Escudero ainda foi expulso, mas o Internacional não tinha tempo para mais nada. Resta, agora, correr atrás no Olímpico.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL 2 X 3 GRÊMIO

Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 8/5/2011 – 16h
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison (RS) e José Javel Silveira (RS)

Cartões amarelos: Tinga, Rodrigo, Bolatti, Bolívar, Nei (INT); Fernando, Neuton (GRE)
Cartões vermelhos: Escudero, 44’/2ºT (GRE)

Gols: Andrezinho, 8’/1ºT (1-0); Júnior Viçosa, 38’/1ºT (1-1); Leandro, 1’/2ºT (1-2); Leandro Damião, 36’/2ºT (2-2); Júnior Viçosa, 41’/2ºT (2-3)

INTERNACIONAL: Renan, Nei, Bolívar, Rodrigo e Kléber; Bolatti, Tinga, Andrezinho e D’Alessandro (Oscar, 14’/2ºT); Rafael Sóbis (Cavenaghi, 14’/2ºT) e Leandro Damião. Técnico: Falcão

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Mário Fernandes, Vilson, Rodolfo (Neuton, 15’/2ºT) e Gilson; Fábio Rochemback, Fernando, Escudero e Douglas (Lúcio, 23’/2ºT); Leandro (Lins, 33’/2ºT) e Júnior Viçosa. Técnico: Renato Gaúcho.

maio 9, 2011 Posted by | Grêmio, Internacional | | Deixe um comentário

Em jogo sem sal, Grêmio se despede da Libertadores

Derrota fora de casa, contra o Universidad Católica (CHI), completou a péssima noite dos gaúchos na competição

O Grêmio encerrou de forma melancólica a noite trágica dos gaúchos na Copa Santander Libertadores. Se a esperança era um clássico contra o Inter nas quartas de final, o desfecho foi que nem um dos lados do confronto permaneceu na competição. Um passivo time gremista perdeu por 1 a 0, nesta quarta-feira, na partida de volta contra o Universidad Católica (CHI), em Santiago. E como havia perdido também por 2 a 1, em pleno Olímpico, na ida, o Tricolor teve de dar adeus à disputa.

Esfacelado por sete desfalques, o Grêmio pareceu anestesiado. Lento na saída de bola, o time de Renato Gaúcho não conseguiu assustar o Universidad Católica. O mais animado entre os brasileiros foi o próprio treinador, símbolo da agonia à beira do gramado, pedindo mais atitude dos gremistas.

Com a classificação encaminhada por conta da vitória no Olímpico, os chilenos cozinharam o jogo ainda mais. Com um toque de bola refinado, a equipe de Juan Pizzi demonstrou maturidade e equilíbrio para fazer o tempo passar sem correr riscos.

Com um ataque desentrosado (Junior Viçosa e Lins), a “ponta da lança” gremista não conseguiu perfurar a defesa chilena. Com o passar do tempo quem encontrou liberdade para dar trabalho foi o carrasco Pratto, autor dos dois gols no jogo de ida. Foi dele a cabeçada que fez Marcelo Grohe mostrar que é capaz de substituir Victor.

No segundo tempo, com a dose de desespero aumentada, o Grêmio foi mais agressivo. Só que a sorte não estava ao lado do Tricolor. Quando a jogada ofensiva se encaixou, o capitão Valenzuela apareceu para salvar a pele dos chilenos, ao afastar – de cabeça e em cima da linha – um chute de Junior Viçosa com endereço do gol.

Mas nem com as alterações de Renato – tirando o zagueiro Rafael Marques e lançando o garoto Leandro – o Grêmio embalou. O tempo passou rápido para o time brasileiro, que não esboçou reação.

Para encerrar a noite, Mirosevic marcou, de cabeçe, já aos 41 minutos do segundo tempo e fechou a eliminação do Grêmio, que vai ter de buscar o tricampeonato da América em outra ocasião.

U. CATÓLICA (CHI) 1 X 0 GRÊMIO
LOCAL: Estádio San Carlos de Apoquino, em Santiago (CHI)
DATA: 4/5/11
CARTÕES AMARELOS: Eluchans, Costa (UCA); Vilson (GRE)
GOLS:Mirosevic, aos 41’/2ºT (1-0);

U. CATÓLICA: Garcés, Valenzuela, Martínez, Henríquez e Eluchans; Ormeño, Silva, Meneses, Costa (Mirosevic, 8’/2ºT) e Cañete; Lucas Pratto (R. Gutiérrez, 45’/2ºT). TÉCNICO: Juan Pizzi.

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Mário Fernandes (Vinícius Pacheco, 38/2ºT), Rafael Marques (Leandro, 18’/2ºT), Rodolfo, e Gilson; Vílson, Adilson, Fernando e Douglas; Lins (Escudero, 33’/2ºT) e Junior Viçosa. TÉCNICO: Renato Gaúcho.

maio 5, 2011 Posted by | Grêmio | , | Deixe um comentário

Inter vence nos pênaltis, ganha returno e força dois superclássicos


Colorado empata por 1 a 1 com o Grêmio no tempo normal, mas vence nas cobranças, por 4 a 2, e ganha o returno

O Inter teve o poder da multiplicação ao superar o Grêmio nos pênaltis na tarde deste domingo, no Beira-Rio, após empate por 1 a 1 no tempo normal. Foi múltiplo em campo, com um time mais bem distribuído, mais criativo, mais agrupado. Pluralizou seu bom momento e a instabilidade do rival, consequências naturais de um clássico sem igual – não tente convencer um gaúcho do contrário. E, acima de tudo, transformou um Gre-Nal em três. A conquista do título do returno pelos colorados assegurou a realização de dois superclássicos para a definição de quem manda no Rio Grande do Sul.
O gol do Inter foi marcado por Leandro Damião, no primeiro tempo, em lance polêmico. Júnior Viçosa empatou no segundo tempo. Mas o Inter levou a melhor nos pênaltis, por 4 a 2, com gols de D’Alessandro, Damião, Kleber e Rodrigo. O Grêmio fez com Rochemback e Adílson, mas errou com Borges, que chutou por cima, e Fernando, que parou na defesa de Renan.
A partida reuniu pela primeira vez os maiores ídolos da história dos dois clubes, ambos agora treinadores. Paulo Roberto Falcão e Renato Gaúcho travaram um duelo de estratégia. Os dois modificaram a forma habitual de suas equipes jogarem. O comandante colorado levou a melhor. O Inter foi superior em campo. Só perdeu o controle do jogo com a expulsão de Guiñazu na etapa final.
Os Gre-Nais decisivos serão nos dois próximos domingos, primeiro no Beira-Rio, depois no Olímpico. Antes, é preciso pensar na Libertadores. Na quarta-feira, os colorados recebem o Peñarol, e os tricolores visitam o Universidad Católica.
Euforia vermelha se confunde com ira azul: 1 a 0 pro Inter no primeiro tempo
Aos 23 minutos do primeiro tempo, em um Beira-Rio quase tomado de vermelho e azul, enquanto Leandro Damião fazia festa, todos os jogadores do Grêmio tentavam dar um jeito de pegar o árbitro pelas orelhas e arremessá-lo no fosso do estádio. Um segundo antes, o centroavante do Inter havia vencido Rodolfo no corpo, havia visto o defensor se espatifar no gramado, havia recuperado a bola, havia concluído com um toque precioso por cima de Marcelo Grohe. Antes mesmo de a bola cruzar a última linha tricolor e ir beijar a rede, os atletas do time visitante urravam um pedido de falta do camisa 9 rival. Márcio Chagas da Silva nada marcou. A euforia vermelha se confundiu com a ira azul. Era o gol do Inter.
Era um gol que, separada a polêmica do lance, o Inter mereceu. Os colorados foram bastante superiores aos rivais no primeiro tempo. Paulo Roberto Falcão montou sua equipe em um esquema diferente do habitual, com três criadores – Andrezinho pela esquerda, Oscar pela direita e D’Alessandro livre para circular pelo meio. No Grêmio, Renato Gaúcho foi precavido. Criou um 3-6-1, com Vilson na zaga e três volantes acompanhando Douglas no meio.

Leandro Damião comemora gol do Inter contra o Grêmio (Foto: Jefferson Bernardes / VIPCOMM)
Os primeiros instantes foram de supremacia do Inter. Com dez minutos, o time colorado chegou três vezes na frente com relativo perigo. Damião chutou fraco. Rodrigo cobrou falta para fora. Andrezinho cabeceou por cima.
O Grêmio, quando respondeu, o fez bem. Gilson apareceu pela esquerda e mandou uma pancada em diagonal. Renan espalmou.
Mas o lance não abalou o time da casa. O Inter seguiu superior. Criou chances repetidas vezes, embora elas não tenham sido das mais ameaçadoras. Andrezinho infernizou pelo lado esquerdo. A zaga do Grêmio deve ter pensado em levantar uma daquela plaquinhas com o rosto do jogador, um valor de recompensa embaixo e um recado na parte de cima: procurado. Aos 21 minutos, ele chutou por cima. Aos 34, bateu falta, e Grohe pegou. Aos 46, bateu colocado, novamente com perigo. E foi dele o passe para o gol de Damião.
Renato Gaúcho mexeu em sua equipe ainda no primeiro tempo. Tirou Willian Magrão e colocou o atacante Leandro. Assim, transformou o 3-6-1 em 3-5-2. A mudança não teve força para dar controle ao Grêmio, mas ao menos rendeu uma chance. O guri de 17 anos recebeu lançamento de Rodolfo, entrou na área pela direita e quase empatou. O chute foi parar na rede, mas por fora.
Grêmio equilibra jogo e busca o empate
O início do segundo tempo manteve a supremacia vermelha. Renato Gaúcho se viu obrigado a fazer mais uma mudança, já que Gabriel se lesionou. O volante Fernando foi a campo, e Vilson passou para a lateral direita. Enquanto se reorganizava, o Tricolor viu seu rival criar novas chances de gol. Tinga errou conclusão dentro da área. D’Alessandro mandou pancada de fora, e Grohe espalmou.
Aos poucos, o Grêmio conseguiu dominar o calor do Inter na partida. E equilibrou de vez as ações ao ver Guiñazu ser expulso. O argentino deu um de seus tradicionais carrinhos e levou o cartão amarelo. Já tinha um. Foi para a rua.
Falcão teve que reconstruir seu sistema de marcação. Primeiro, entrou Wilson Matias no lugar de Oscar; depois, Juan na vaga de Andrezinho. O Inter se encolheu. Virou a hora de o Grêmio forçar a barra em busca do gol.
Foi fundamental a entrada de Júnior Viçosa. A ousadia de Renato foi determinante. O treinador tirou Vilson e colocou o atacante. Aos 41 minutos, após confusão dentro da área, o atleta saído do banco completou para o gol. Era o empate. Era o renascimento do Grêmio. Era a chance de o Tricolor ser campeão gaúcho já neste domingo.
O jogo explodiu em tensão. Leandro Damião fez fila na zaga gremista e só parou em Marcelo Grohe. Na resposta, Viçosa ficou livre para virar, mas a zaga abafou. Jogaço!
Mas passou o tempo, acabou o jogo. Restavam os pênaltis, o drama em seu nível máximo, a situação mais inadjetivável para um gaúcho – e tente dizer a algum deles que existe algo superior a um Gre-Nal.
INTERNACIONAL 1 X 1 GRÊMIO
Renan, Nei, Bolívar, Rodrigo e Kleber; Guiñazu, Tinga, Andrezinho (Juan) e D’Alessandro; Oscar (Wilson Matias) e Leandro Damião. Marcelo Grohe, Rafael Marques, Vilson (Júnior Viçosa) e Rodolfo; Gabriel (Fernando), Fábio Rochemback, Adílson, Willian Magrão (Leandro), Douglas e Gilson; Borges.
Técnico: Paulo Roberto Falcão Técnico: Renato Gaúcho
Gols: Leandro Damião, aos 24 minutos do primeiro tempo; Júnior Viçosa, aos 41 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Gilson, Rafael Marques, Adílson (Grêmio); Guiñzu (Inter). Cartão vermelho: Guiñazu (Inter).
Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Data: 01/05/2011. Árbitro: Márcio Chagas da Silva. Auxiliares: Altermir Hausmann e José Antônio Chaves Franco Filho. Público: 33.634.

maio 3, 2011 Posted by | Grêmio, Internacional | Deixe um comentário

Pratto e Borges complicam Grêmio na Libertadores

Chilenos confirmam bom retrospecto fora de casa e vencem por 2 a 1. Grêmio precisa vencer por 2 a 0 no Chile para avançar

Foi um jogo muito mais complicado do que a torcida previa. A Universidad Católica manteve sua escrita de bons jogos longe de casa e, dentro do Estádio Olímpico, surpreendeu o Grêmio com um placar de 2 a 1. Borges foi expulso ainda no primeiro tempo e deixou o Tricolor com um a menos. Lucas Pratto marcou os dois gols dos chilenos, enquanto Douglas descontou para o time gaúcho. O resultado deixa os tricolores com a responsabilidade de vencer por dois gols de diferença ou por um desde que marque três na próxima quarta-feira, em Santiago.

Com os instrumentos musicais e bandeiras de sua torcida liberados pela polícia após polêmica, a noite se iniciava de forma otimista para o Grêmio. Enquanto ainda havia torcedores chegando ao Estádio Olímpico, o Tricolor já tinha quatro escanteios a seu favor. Quase marcou em uma cabeçada de Borges e deu esperanças aos gremistas presentes.

Um dos melhores times a jogar fora de seus domínios na Libertadores, a Universidad Católica não seguiu o exemplo de Oriente Petrolero e León de Huánuco, adversários gremistas na fase de grupos, e jogou. Teve logo no início do jogo uma finalização de Pratto. Mas o que chamou atenção foi a dedicação na marcação, dificultando às ações de ataque gremista. Douglas encontrou espaço e acertou a trave de Garcés, mas os tricolores não conseguiam entrar na área da La Católica. Pratto também assustou de fora da área. Depois das finalizações, o jogo permaneceu morno para os dois lados, e a torcida azul arrefeceu seu ânimo na arquibacanda.

As emoções do primeiro tempo iniciaram a partir dos 25 minutos. Borges, em um dos lances em que foi protagonista, driblou três marcadores e chutou para fora. Três minutos depois, o balde de água fria. Em erro de Gilson no ataque, a Universidad retomou a bola. Cañete recebeu o lançamento, tirou Rafael Marques da jogada e o campo se abriu na sua frente. Ao seu lado, Pratto entrou livre pela esquerda. Neuton, sozinho, nada pode fazer. O centroavante dos chilenos tocou na saída do goleiro Marcelo Grohe e abriu o placar.

Só que se a coisa estava ruim, piorou. Borges deu uma cotovelada em Henríquez e o auxiliar viu. Foi dedurado e expulso por Néstor Pitana. Deixou o Grêmio com uma a menos e sem centroavante. Na pressão gremista até o fim do primeiro tempo, seriam dois levantamentos que cruzaram a área sem um pé de camisa 9 para empurrá-los para dentro do gol.

Após os 20 minutos no vestiário, Lins voltou no ataque junto de Leandro. A tentativa era de dar mais força ao setor ofensivo. E, ao menos em postura, adiantou. Outra vez com dois atacantes, o Grêmio se postou à frente, no campo da Universidad.

De inúmeras tentativas coletivas, nada saiu. Pois em uma jogada individual de Douglas, o empate veio. Sozinho, Douglas saiu da direita e passou por seus adversários em direção ao meio-campo. Da intermediária, armou e bateu forte na bola. O chute zuniu em direção ao ângulo de Garcés, onde entrou aos 14 minutos. Que golaço! Que empate!

A partir daí, o Tricolor se empolgou. Trocou bola no meio-campo e tentava achar alguma outra brecha na defesa da Católica. Leandro tinha muito vontade, corria muito, mas não conseguiu ser decisivo como em outras situações. E para piorar, os chilenos não se retrancaram. Muito pelo contrário: em estocada aos 29 minutos, Lucas Pratto recebeu cruzamento na área e cumprimentou Marcelo Grohe. O desânimo arrebateu o Estádio Olímpico.

Sem organização, o Grêmio pressionou – ou tentou – até o final da partida. Os chilenos saíam nos contra-ataques e mantinham a posse de bola até gastar o tempo necessário para o árbitro apitar o término do jogo. Nos últimos minutos, Marcelo Grohe ainda salvou o Grêmio de um futuro pior.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 2 UNIVERSIDAD CATÓLICA

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Data-Hora: 26/4/2011 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Auxiliares: Hernan Maidana (ARG) e Alejo Castan (ARG)
Renda e público: R$ 766.807,50 / 31.559 pagantes / 35.101 presentes
Cartões amarelos: Martínez, Costa, Silva, Eluchans e Valenzuela (UCA); Willian Magrão e Adilson (GRE)
Cartões vermelhos: Borges 34’/1ºT (GRE)
Gols: Pratto 28’/1ºT (0-1), Douglas 14’/2ºT (1-1) e Pratto 29’/2ºT (1-2)

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Gabriel, Rafael Marques, Neuton e Gilson (Escudero 45’/2ºT); Fábio Rochemback, Willian Magrão (Lins – Intervalo), Adilson e Douglas; Leandro (Carlos Alberto 32’/2ºT) e Borges – Técnico: Renato Gaúcho.

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Garcés, Valenzuela, Henríquez, Martínez e Eluchans; Ormeño, Silva (Felipe Gutiérrez 18’/2ºT), Costa (Sepúlveda 38’/2ºT), Meneses e Cañete (Villanueva 30’/2ºT); Pratto – Técnico: Juan Antonio Pizzi.

abril 27, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio vence o Cruzeiro e passa para a final do turno

Em grande jogo, Tricolor fez 3 a 2 no adversário e está na final da Taça Farroupilha

Depois de reclamar e pestanejar sobre o gramado, o Grêmio teve boa atuação e em grande jogo venceu o Cruzeiro no Estádio Passo D’Areia. O resultado de 3 a 2 coloca o Tricolor na final da Taça Farroupilha. Agora, espera o vencedor do jogo entre Inter e Juventude para conhecer o adversário. Se ganhar o jogo final do segundo turno, o clube leva o campeonato gaúcho por antecipação, já que foi o campeão da Taça Piratini. Se Juventude passar, a decisão será no Alfredo Jaconi. Se o Inter se classificar no tempo normal, decisão no Beira-Rio. Pênaltis dá Estádio Olímpico.

O JOGO

Renato Gaúcho surpreendeu e escalou seu time com três volantes. Willian Magrão substituiu o lesionado Gilson, e Lúcio foi deslocado para a lateral esquerda. Mas quem achou que o Grêmio, assim, não atacaria, estava enganado. Logo aos 50 segundos de jogo, Magrão recebeu grande toque de Douglas e soltou a patada. Fábio espalmou para escanteio. Se em tão pouco tempo já havia a primeira finalização do jogo, estava claro que o ritmo da partida seria alto.

O tão falado gramado sintético em nada atrapalhou os jogadores em campo. Um ou outro escorregão, com o de Fábio em lançamento para Borges, mas nenhum problema mais grave quanto a grama. Tanto Grêmio quanto Cruzeiro conseguiam tocar a bola e se armar sem ter o piso molhado como empecilho.

O destaque do time mandante era Jô, leve e rápido atacante que incomodou a zaga gremista. Léo Maringá comandava o meio-campo. O Grêmio, após um momento de domínio inicial, cedeu campo ao Estrelado. Seus três volantes postavam-se muito atrás. Assim, o Cruzeiro levou perigo em jogada aos 15 de Jô, e depois aos 33. Neste último lance, Maringá acionou o atacante. O toque saiu para o lateral Márcio, que cruzou na área. Centroavante que é, Mauro dividiu com Victor. Mas ao socar a bola para longe, o goleiro gremista lesionou o ombro e saiu para a entrada de Marcelo Grohe aos 39. Dúvida para a Libertadores, na terça.

Quando o Grêmio era mais pressionado na partida, teve a felicidade de um lance rapidíssimo. Em uma jogada, em três toques, o gol gremista. Willian Magrão, mais a frente, deu o toque para Borges. Na primeira intervenção do centroavante no jogo, passe para Leandro, dentro da área. O atacante limpou o zagueiro com tranquilidade e fuzilou Fábio. Outro vez o rapaz de 17 anos decidiu para o Tricolor, aos 41 minutos. Antes do intervalo, ainda deu tempo para um petardo de Adilson no travessão.

Só que os 15 minutos de parada parecem ter feito melhor para o Cruzeiro. Em apenas dois minutos, o mandante atacou e descolou uma falta na meia esquerda de ataque. Na cobrança de Márcio, Claudinho sobe mais que a zaga gremista e empata a partida. É como se o segundo tempo iniciasse em igualdade.

Como no primeiro tempo, houve chute de Willian Magrão. Mas dessa vez Fábio não conseguiu espalmar. O gol havia feito o Cruzeiro crescer, mas o Grêmio manteve tranquilo. Em jogada entre Leandro, Gabriel e Willian Magrão pela direita, o volante ajeitou para a perna esquerda e mandou a bomba. O chute saiu fraco, mas desviou na zaga e matou Fábio aos seis minutos.

Em jogo que vale vaga na final, qualquer mudança acende o jogo. E o gol foi assim, colocou emoção no jogo. O Cruzeiro se abriu e procurou o ataque para arrancar um empate. O Grêmio aproveitava os espaços e tentava ampliar. Aos nove minutos, teve pênalti não marcado sobre Borges. Aos 11, tramou jogada pela direita e Douglas cabeceou para defesa de Fábio. Do outro lado, o Cruzeirinho também assustava. Em passe errado de Lúcio, Mauro tabelou com Jô e acertou a trave de Marcelo Grohe.

A emoção continuava. Em lance aos 15 minutos, o Cruzeiro pressionou. Na sequência, Douglas roubou a bola e Leandro perdeu dentro da área. O jogo estava lá e cá! E em mais uma bola levantada na área do Grêmio, o gol de empate cruzeirense. Márcio cruza na área e Léo Maringá completa de cabeça sem chances para Marcelo Grohe. 17 minutos, 2 a 2.

Sem grande atuação de seus atacantes, Renato Gaúcho apostou em Carlos Alberto para mudar a partida. Em seu primeiro lance, falta e xingamentos para o volante Alberto. Na jogada seguinte, carrinho para tentar tirar a bola do goleiro Fábio e drible levado. A vontade do meia arrefeceu o ânimo do Cruzeiro e colocou o Tricolor na frente. Mesmo que não tenha criado grandes jogadas, sua vontade – às vezes em demasia – parece que energizou os colegas.

Em poucos minutos, no entanto, o Cruzeiro desmoronou. Após lance de Lúcio, falta na meia esquerda para o Grêmio. Fábio Rochemback levanta e a bola aérea agora é favorável ao time gremista. Rafael Marques aparece atrás da zaga adversária e, de carrinho, marca o terceiro do Tricolor. Dois minutos depois, Alberto, o único jogador da partida com cartão amarelo, derruba Leandro e é expulso.

Os dois lances deram tranquilidade ao time gremista. Com um a mais e a vantagem no placar, os gremistas trocavam bola e dominavam a partida com certa facilidade. A expulsão de Alberto deu ao Grêmio a chance de administrar a vitória e tirou as forças restantes do Cruzeiro. Mesmo com o sangue novo que o técnico Leocir Dall’Astra colocou, o time mandante foi eliminado da competição outra vez na semifinal.

No final, ainda deu tempo de Carlos Alberto recompor a linha defensiva como lateral esquerdo, já que Lúcio sentia dores na virilha.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 2 X 3 GREMIO

Data/hora: 23/04, às 18h30

Local: Estádio Passo D’Areia, em Porto Alegre

Árbitro: Vinícius da Costa, auxiliado por Júlio Cesar dos Santos e Alexandre Kleiniche.

Gols: Leandro, aos 41 minutos do primeiro tempo, Willian Magrão, aos 6 minutos do segundo tempo e Rafael Marques, aos 29 minutos do segundo tempo(G) e Claudinho, aos 2 minutos do segundo tempo e Léo Maringá aos 17 minutos do segundo tempo(C)

Cartões amarelos: Alberto, Márcio (C)

Cartões vermelhos: Alberto (C)

Cruzeiro: Fábio; Márcio, Claudinho, Sandro e Tinga; Alberto, Almir, Leo Maringá(Juninho Botelho 39’/2ºT) e Diego Torres(Faísca 33’/2ºT); Jô e Mauro(Rafael Cearense 30’/2ºT). Técnico: Leocir Dall’astra.

Grêmio: Victor(Marcelo Grohe 39’/1ºT); Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Lúcio; Fábio Rochemback, Adilson, Willian Magrão e Douglas; Leandro(Lins 38’/2ºT) e Borges(Carlos Alberto 24’/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

abril 23, 2011 Posted by | Grêmio | , | Deixe um comentário

Grêmio garante nos pênaltis a vaga na semifinal

Fora de casa, Tricolor eliminou o Ypiranga e pega o Cruzeiro

Foi sofrido, mas o Grêmio conseguiu a classificação para a semifinal do returno do Gauchão, neste domingo, contra o Ypiranga, no Colosso da Lagoa, em Erechim. Após o empate em 1 a 1 no tempo normal, vitória só veio na disputa de pênaltis, por 4 a 2. Com o resultado, o Grêmio vai enfrentar o Cruzeiro na próxima fase da competição.

O jogo

O Grêmio começou animado. O jovem Leandro colocou fogo na partida com jogadas ofensivas. Em uma deles, aos sete minutos, o placar quase foi aberto a favor do Tricolor. Leandro deixou Borges na boa para marcar, mas o atacante não conseguiu chegar na bola e empurrar para o gol.

O time de Renato Gaúcho continuou em cima, buscando o gol, principalmente nas tabelinhas pela direita, entre Gabriel, Douglas e Leandro.

O esforço gremista foi premiado aos 23 minutos, quando Douglas recebeu de Rodolfo e mandou um míssil no ângulo do goleiro. Golaço!

Após o gol, o ritmo do Grêmio diminuiu e o Ypiranga não se arriscou. Panorama que se manteve até o segundo tempo.

A vida do Grêmio estava tranquila, mas Douglas deu bobeira no meio, perdeu a bola para Saulo, que passou para Geovani. O jogador do Ypiranga, mesmo sem ângulo, chutou forte para o gol e empatou a partida. Bobeira do goleiro Victor.

Com a igualdade, o jogo ganhou emoção. Renato Gaúcho surpreendeu e tirou Leandro e Douglas do jogo. Quem entrou para armar o Grêmio foi Carlos Alberto e no ataque a aposta foi Lins.

O Grêmio sufocou o Ypiranga. Foram várias chances criadas. Teve chute no travessão e Borges e defesas de Luiz Carlos. Mas o time da casa não deixou por menos e colocou até bola na trave de Victor na cabeçada de Silvestre.

Mas os dois times ficaram no quase e a definição do classificado teve que ir para as penalidades. Victor pegou duas e deu a vaga para o Tricolor.

YPIRANGA 1 (2) X (4)1 GRÊMIO
LOCAL: Colosso da Lagoa, em Erechim (RS)
DATA: 17/4/2011
CARTÕES AMARELOS: Frede, João Paulo, Glauco (YPI); Gabriel, Fernando (GRE)

GOLS: Douglas, 23’/1ºT (0-1); Geovane, 17’/2ºT (1-1);

PÊNALTIS:
Fizeram: Borges, Fabio Rochemback, Carlos Alberto e Gabriel (GRE) Cleiton, Frede (IPY)

Perderam: Lúcio (GRE); Saulo e Branco (YPI).

YPIRANGA: Luiz Carlos; Gasparino, Frede, Glauco e Branco; Saulo, João Paulo, Geovani e Bodini (Sylvestre, 5’/2ºT); Cleiton e Tiago Pereira. TÉCNICO: Agenor Piccinini.

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Neuton; Fábio Rochemback, Adilson (Fernando, 38’/1ºT), Lúcio e Douglas (Carlos Alberto, 18’/2ºT); Leandro (Lins, ‘/2ºT) e Borges. TÉCNICO: Renato Gaúcho.

abril 17, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio leva ‘olé’ do mistão do Oriente Petrolero

Bolivianos devolvem o placar do jogo de ida e Tricolor gaúcho termina a fase de grupos na segunda posição do Grupo 2

Com atuação muito ruim, o Grêmio foi goleado por 3 a 0 pelo Oriente Petrolero, nesta quinta-feira, na Bolívia, pela última rodada da fase de grupos da Copa Santander Libertadores. Com a derrota, o Tricolor gaúcho, que já estava classificado, manteve-se na segunda posição do Grupo 2, com dez pontos.

O Tricolor Gaúcho poderia terminar a chave na liderança, uma vez que o Junior Barranquilla, líder do grupo, ficou apenas no empate com o León de Huánuco, jogando em Barranquilla, por 1 a 1. Com a derrota, o Grêmio pode terminar com uma das piores campanhas entre os segundos colocados.

MAIS LIBERTADORES:
– SIMULADOR: Confira como podem ficar os duelos das oitavas
– TABELA: Veja os resultados e a classificação das chaves
– Santos vence Cerro no Paraguai e renasce no Grupo 5
– Universidad Católica e Vélez Sarsfield avançam no Grupo 4

O JOGO

O técnico Renato Gaúcho surpreendeu ao escalar o zagueiro Mário Fernandes na direita, deslocando Gabriel para o meio de campo. Mas a opção pouco interferiu na maneira como o Grêmio já vinha jogando, no 4-4-2, sempre em busca do ataque.

A ofensividade característica do Tricolor pôde ser reconhecida rapidamente. Porém, com o passar do tempo, não tornou-se objetiva e, com poucas finalizações, o time gaúcho acabou sofrendo pressão da equipe boliviana.

Depois dos 30 minutos, o goleiro Victor foi constantemente ameaçado. Saucedo, com chute de muito longe, fez o camisa 1 tricolor espalmar para escanteio. Na sequência, outra grande defesa de um chute de fora e depois, no rebote, mais trabalho.

Escudero, após pisar na bola em lance no qual sairia cara a cara com o goleiro, mostrava como o Grêmio estava nervoso com a pressão do Oriente Petrolero. O time tricolor sentia muito a falta do maestro Douglas, que ficou em Porto Alegre por causa de uma gripe.

Ao contrário do que se esperava, Renato Gaúcho não modificou a equipe. E, com a mesma postura na volta do intervalo, o Grêmio viu o time boliviano abrir o placar. Rodolfo deu muito espaço para Arce pela direita e o atacante cruzou para dentro da área. Fernández, que se antecipou a Rafael Marques, cabeceou sem chances para Victor.

Mesmo já eliminado da Libertadores, mas jogando bem e dominando o Grêmio, o Oriente Petrolero foi agraciado com gritos de “olé” pelos torcedores na metade do segundo tempo. O time gaúcho não acertava os passes, o que prejudicava a continuidade das jogadas. Borges, sem goleiro, acertou a trave direita, na melhor chance tricolor.

Mas a noite não era brasileira. Depois de se lançar ao ataque em busca do empate e da virada, o Grêmio deu espaços e foi castigado com dois gols. No contra-ataque, Arce lançou da direita o companheiro Saucedo, que estava na esquerda, dentro da área. Ele chutou sem chances para Victor. Na sequência, Arce mandou uma bomba e deixou o dele. Aos 40, Rodolfo foi expulso. E mais gritos de “olé”.

Os gremistas, agora, querem esquecer o vexame na Bolívia. A notícia boa é que o “Neymarzinho” Leandro, xodó tricolor, poderá ser inscrito, tornando-se a maior esperança tricolor nas próximas fases da Libertadores. Resta agora aguardar quem será o adversário nas oitavas de final.

FICHA TÉCNICA
ORIENTE PETROLERO 3 X 0 GRÊMIO

Local: Ramón Tahuichi Aguilera, em Santa Cruz de la Sierra (BOL)
Data-Hora: 14/4/2011 – 22h45 (de Brasília)
Árbitro: Omar Ponce (EQU)
Auxiliares: Juan Cedeño (EQU) e Christian Lescano (EQU)
Cartões amarelos: Fábio Rochemback (GRE)
Cartões vermelhos: Rodolfo 40’/2T (GRE)
Gols: Fernández 5’/2T (1-0), Fernando Saucedo 30’/2T (2-0) e Arce 34’/2T (3-0)

ORIENTE PETROLERO: Etulain, Hoyos, Schiapparelli, Caamaño e Gutierrez; Fernando Saucedo, Terrazas, Aguirre e Veizaga (Campos 20’/2T); Fernández (Peña 20’/2T) e Arce (Melén 35’/2T) – Técnico: Ariel Russo.

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes (Diego Clementino 11’/2T), Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço (Fernando 31’/1T); Fábio Rochemback, Adilson (Vinícius Pacheco 11’/2T), Lúcio e Gabriel; Escudero e Borges – Técnico: Renato Gaúcho.

abril 15, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio empata no fim com Santa Cruz e escapa do Inter

Tricolor vai enfrentar o Ypiranga nas quartas do returno do Gauchão

Garantido nas quartas de final do Gauchão, o Grêmio teve dificuldades para empatar neste domingo com o Santa Cruz, fora de casa, por 1 a 1, pela última rodada da fase de classificação do returno. O gol de Borges, aos 42 minutos do segundo tempo. O Tricolor terminou em terceiro da chave B, com 13 pontos, resultado suficiente para evitar o confronto com o Internacional na fase seguinte. Gre-Nal agora só é possível na decisão. O adversário gremista nas quartas será o Ypiranga.

No primeiro tempo, o destaque foi o goleiro do Santa Cruz. Com intervenções providenciais, César evitou que o Grêmio deixasse a primeira etapa com a vantagem no placar.

César começou a trabalhar cedo. Logo aos 3 minutos, ele usou os pés para impedir que o chute de William Magrão balançasse as redes. O camisa 1 do Santa foi exigido mais uma vez aos 16, quando mostrou reflexo ao defender o chute do meia gremista Pessalli – que substituiu Douglas – e em seguida evitar o gol de Lúcio, no rebote.

O duelo César x William Magrão se repetiu mais uma vez, aos 33. Melhor para o goleiro. Mas ele não conseguiu chegar em todas as bolas, mas a trave esteve lá para ajudar, como aconteceu aos 40. O travessão também marcou presença, com participação providencial aos 42, depois de cobrança de falta de Lúcio.

Só que na etapa final o Santa Cruz resolveu sair do buraco e atacar o Grêmio. Deu certo. Aos 13 minutos, Régis cruzou na área, o uruguaio Alejandro subiu mais do que a zaga gremista e fez a festa dos donos da casa.

No embalo do gol, o Santa foi ao ataque mais uma vez. Mas a trave, alidada no primeiro tempo, foi adversária e impediu que a bola de Régis entrasse no gol de Victor.

Personagem do primeiro tempo, o goleiro César não ficou de espectador na etapa final. Aos 20 minutos, ele fez mais uma defesa sensacional, desta vez na cabeçada de Borges, que desperdiçou à queima-roupa.

O Grêmio seguiu com dificuldades para achar o caminho das redes. Aos 31, foi a vez de Escudeiro perder uma oportunidade. O meia-atacante argentino fez linda jogada, passando por quatro marcadores, mas na hora de chutar ele não teve a mesma precisão.

Aos 41 minutos, os resultados de momento estavam colocando Grêmio e Internacional frente a frente logo nas quartas de final do Gauchão. Mas o atacante Borges foi puxado por Rodrigo dentro da área. Pênalti, que o próprio Borges cobrou e saiu para o abraço. Comemoração dupla: pelo empate e por ter “fugido” do maior rival na próxima fase da competição.

SANTA CRUZ 1 X 1 GRÊMIO

LOCAL: Estádio dos Plátanos, em Santa Cruz do Sul (RS)
DATA/HORA: 10/4, às 16h.
CARTÕES AMARELOS: Régis, Luiz Henrique, Rodrigo (SAN); Rodolfo e Pessalli (Grêmio)

GOLS: Alejandro, 12’/2ºT (1-0); Borges, 42’/2ºT (1-1)

SANTA CRUZ: César; Anelka, Rodrigo Rizzo e Luís Henrique; Régis, Xipote, Alejandro, Uillian e Cristiano (Vinícius, intervalo); Juari (Osmar, 26’/2ºT) e Leonardo (Maicon, 34/’2ºT). Técnico: Edson Porto

GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson (Escudero, 17’/2ºT); Adilson, Willian Magrão (Vinícius Pacheco, 12’/2ºT), Lúcio e Pessalli; Leandro (Lins, 30’/2ºT) e Borges

abril 10, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio vence o Junior e assegura vaga nas oitavas da Libertadores

Tricolor gaúcho derruba o último time 100% e garante classificação com uma rodada de antecedência

O Grêmio venceu o Junior Barranquilla por 2 a 0, nesta quinta-feira, no Olímpico, assegurando vaga nas oitavas de final da Libertadores. E, de quebra, o Tricolor gaúcho ainda derrubou o último time com 100% de aproveitamento na competição continental.

Após um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da tragédia ocorrida no Rio de Janeiro nesta quinta-feira, o jogo começou com reclamação da torcida gremista no Olímpico. Isso porque Douglas dividiu bola com o goleiro e ficou no chão. Mas a imagem da televisão não mostrou infração.

Apesar de ter mais a posse de bola e de ser o time que mais criava, o Grêmio quase permitiu que o Junior abrisse o placar. Bacca apostou corrida com Rafael Marques e levou a melhor. Mas esbarrou em Rodolfo, que fez o corte antes do chute do adversário.

De tanto insistir, o time tricolor, finalmente, marcou. Depois de cruzamento de Borges para dentro da área, a bola desviou na defesa e cruzou todo o campo até o lado esquerdo, onde Lúcio, sem marcação, apenas arrumou para bater e estufar a rede.

Nos minutos finais da primeira etapa, Bacca driblou o goleiro Victor mais uma vez e tocou para o gol. Quase em cima da linha, Bruno Collaço deu um carrinho e mandou para escanteio.

Ainda dono do jogo após o intervalo, o Grêmio quase ampliou aos quatro minutos. Douglas cruzou pela esquerda na cabeça de Rafael Marques, que, cara a cara, obrigou Viera a realizar ótima e incrível defesa de puro reflexo. E, de tanto insistir, o time da casa voltou a ser premiado. Borges aproveitou cobrança de escanteio da direita para apenas, de costas, tocar sutilmente na bola, empurrando-a para a rede.

O jogo, que deveria ter ficado ainda mais tranquilo para o Grêmio, pois Romero fez falta em Borges e recebeu o cartão vermelho, complicou. Com um a mais, o Tricolor gaúcho pecou na marcação, obrigando Victor a fazer duas defesas importantes. Mas, com um goleiro de Seleção embaixo das traves, o Grêmio não foi vazado.

Com classificação assegurada, o Grêmio encara o Oriente Petrolero, dia 14, fora de casa, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 2 X 0 JUNIOR

Local: Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data/hora: 7/4/11 – 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Héctor Baldassi
Auxiliares: Ricardo Casas (ARG) e Diego Bonfa (ARG)
Cartões amarelos: Otálvaro, Macías, Romero, Barahorna (JUN); Fábio Rochemback, Borges, Adilson, Rodolfo (GRE)
Cartões vermelhos: Romero (JUN)

GOLS: Lúcio 32’/1T (1-0); Borges 15’/2T (2-0)

Grêmio: Victor, Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço; Fábio Rochemback (Vinícius Pacheco, 24’/2T), Adilson, Lúcio (Fernando, 36’/2T) e Douglas; Escudero (Diego Clementino, 30’/2T) e Borges. Técnico: Renato Gaúcho.

Junior Barranquilla: Viera, Otálvaro, De Almeida, Macías (Amaya, 44’1T), Fawcett; Romero, García, Valencia, Barahorna, Hernández (Cortés, 34’/2T); Bacca (Caneda, 41’/2T). Técnico: Oscar Quintabani.

abril 7, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

‘Neymarzinho’ mostra serviço e Grêmio vence

Vitória faz Tricolor dividir a liderança do Grupo 2

Seis jogos com a camisa do Grêmio e cinco gols. Neste domingo, o garoto Leandro mais uma vez justificou a preferência do técnico Renato Gaúcho, que pela primeira vez o escalou como titular no time principal em um duelo realizado no Estádio Olímpico. Foi dele o gol que abriu o placar na vitória por 2 a 1 sobre o Veranópolis. O resultado levou o Grêmio aos 12 pontos, dividindo a liderança do Grupo 2 com o Cruzeiro (venceu o ex-líder Santa Cruz, que parou nos 11 pontos). O outro gol gremista foi de Borges. O VEC descontou com Renan.

O Grêmio começou fazendo pressão e marcando o Veranópolis no campo do rival, o que fez o time visitante mal conseguir sair da sua defesa nos primeiros cinco minutos. Acuado, o VEC precisou fazer muitas faltas para evitar a blitz inicial do Grêmio: foram seis em seis minutos. Não por acaso, logo de cara o volante Sananduva já tinha levado um cartão amarelo. Mas o time gremista era muito econômico nos arremates. E isso foi determinante para o Tricolor sair para o intervalo amargando o 0 a 0 contra um rival nitidamente inferior. Para se ter ideia: somente duas finalizações, de Rochemback e do zagueiro Rodolfo, aos 23 e 28 minutos, ofereceram perigo ao gol de Luiz Müller.

– Ou jogamos pelas laterais, onde estão os espaços, ou não ganhamos este jogo. Pelo meio está embolado demais – disse o volante Fabio Rochemback na saída para o intervalo

Renato manteve a escalação dos 45 minutos iniciais , mas fez uma alteração importante: deixou Borges mais centralizado no ataque e pediu para Leandro flutuar pelos flancos, procurando buscar o jogo. O Veranópolis percebeu que começava a perder espaços, o que fez o treinador Dal Pozzo realizar duas mudanças antes dos 12 minutos. Mas não teve jeito. Aos 13, após uma cobrança de falta de Rochemback, a bola desviou na barreira e sobrou para Leandro. Desmarcado, a revelação gremista bateu e abriu o placar.

O Veranópolis se abriu. Aos 16 quase saiu o segundo gol gremista. Leandro tocou para Douglas perder grande chance pois ocorreu um desvio. No escanteio, Rafael Marques concluiu e a bola passou raspando.

Leandro seguiu atazanando a defesa do Veranópolis, que perdeu a cabeça de vez aos 21 minutos. Num ataque, o garoto chegou atrasado na bola e atingiu Luiz Muller. A falta foi marcada e o atacante levou o amarelo. Mas o goleiro Luiz Müller, revoltado, revidou a falta com uma agressão e acabou levando o cartão vermelho ao camisa 1 do VEC.

– Leandro me pisou maldosamente e as imagens vão mostrar. Só olharam um lado – resmungou o goleiro.

O segundo gol era questão de tempo e ele acabou saindo aos 38 minutos. Pessali, que havia acabado de entrar, aproveitou um cochilo da marcação de Sananduva, que acabou comentendo um pênalti infantil. Borges cobrou, o goleiro reserva Rodrigo Rocha defendeu parcialmente, mas o mesmo Borges pegou o rebote e marcou.

Nos acréscimos, aos 48, Renan cobrou uma falta do meio da rua, mas Victor foi muito mal na bola e o Veranópolis conseguiu diminuir.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 2X1 VERANÓPOLIS

Local: Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data/hora: 3/4/11 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco,
Auxiliares: José Franco Filho e Rafael da Silva Alves
Cartões amarelos: Rafael Marques (GRE); Sananduva, Naves (VEC)
cartões vermelhos: Luiz Müller, aos 21′ 2ºT (VEC)

GOL: Leandro, 13’/2T (1-0); Borges, pên, 38’/2T (2-0); Renan, 48′ 2T (2-1)

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço; Fábio Rochemback, Willian Magrão (Passale, 36’/2T) , Lúcio (Diego Clementino, 40’/2T) e Douglas (Carlos Alberto, 29’/2T); Leandro e Borges. Técnico: Renato

VERANÓPOLIS: Luiz Müller; Fininho, Anderson Bill, Juliano e Fred; Sananduva, Naves, Alê (Rodrigo Rocha, 28’/2T) e Raullen; Luiz Carlos Bahia (Edinho, 11’/2T) e Fábio Oliveira (Renan, 9’/2T) Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Público: 9943 pagantes (12047 presentes)
Renda: R$ 153.916,00

abril 3, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Leandro ofusca derrota do Grêmio e é notícia boa

Atacante tem boa atuação contra o Juventude e é elogiado mais uma vez por Renato

De bom na derrota do Grêmio, apenas a figura do garoto Leandro. Com 17 anos, o menino começa a ganhar espaço no grupo gremista e tem total confiança de Renato Gaúcho. Apesar do técnico elogiar o desempenho como um todo, se ateve ao atacante por minutos tecendo boas referências sobre a atuação em Caxias do Sul.

Diante do Juventude, além do segundo gol, Leandro também teve grande participação na maioria das jogadas de ataque do Grêmio. Tanto é que perdeu uma das chances de gol frente a Jonatas e depois serviu Borges, que também desperdiçou.

– Leandro foi uma grande figura no jogo, vem crescendo a cada partida. Estaria em todas as capas de jornais se a gente tivesse vencido, e com razão. É uma grande revelação. Fico triste pela derrota, e muito feliz por esse garoto a cada dia que passa deixar de ser uma promessa – disse Renato Gaúcho

O atacante pode ganhar outra chance como titular no fim de semana, diante do Veranópolis, no domingo. O comandante gremista não se mostra receoso em escalar o menino como titular daqui para frente até na Libertadores.

– Hoje(quarta) ele entrou em um jogo difícil, e foi muito bem. Tem personalidade, está com confiança, e está aproveitando as chances. Não tenho medo, não quero saber de salário, nome idade para escalar jogador. Ele está bem. Por isso jogou e tem oportunidades. É momento, mesmo com 17 anos – explicou.

Para Libertadores, o atacante já é nome certo na mudança de três jogadores que pode ser feita entre fase de grupos e oitavas-de-final. Além dele, Willian Magrão também será inscrito.

março 31, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio bate Pelotas e tem melhor campanha do Gaúcho

Tricolor fez 3 a 1 fora de casa e chegou a nove pontos no grupo 2 da Taça Farroupilha

Com outra boa atuação do menino Leandro, de 17 anos, o Grêmio venceu o Pelotas, na Boca do Lobo, por 2 a 1. Willian Magrão e Rodolfo marcaram para os azuis, enquanto Sandro Sotilli descontou. O resultado levou o tricolor a nove pontos, mas mesmo se o Cruzeiro não vencer na noite deste domingo, se mantém na terceira colocação do grupo 2 da Taça Farroupilha, já que tem saldo de gols menor. A vitória, no entanto, dá ao clube a melhor campanha na classificação geral do Campeonato Gaúcho, com 26 pontos.

Na quarta-feira, o time gremista vai a Caxias do sul para enfrentar o Juventude, em jogo da primeira rodada, atrasado. Já o Pelotas viaja a Santa Maria para enfrentar o Inter-SM, no sábado.

Poupando apenas dois titulares, o Grêmio entrou em campo com o que tinha de melhor. Faltou só estar a 100km/h, como o técnico Renato Gaúcho exigiu após a goleada contra o Inter-SM. Em um início de partida morno, foi o Pelotas que assustou primeiro, aos três minutos, em arrancada de Makelele. Por sinal, o volante ex-Palmeiras e Grêmio seria o nome da primeira etapa para o Pelotas.

Na metade inicial do primeiro tempo, o jogo estava truncado. Sem Fábio Rochemback, recaía sobre Douglas a responsabilidade de armar as jogadas ofensivas. Mas o meia demorou a acertar, a entrar no jogo. Com isso, o Grêmio utilizava Gabriel, pela direita, como escape, mas o lateral recebia forte marcação, e o Pelotas era melhor. Makelele errou por pouco da meia-lua aos 24, e depois pelo lado aos 25. Aos 34, Clodoaldo perdeu na frente de Marcelo Grohe.

Nos últimos quinze minutos, após sofrer certa pressão do Pelotas, o Grêmio voltou ao campo de ataque. Douglas, já melhor em campo, arrancou e arrumou um escanteio. Depois, serviu Lúcio, parado com falta. Em jogada ensaiada, Rodolfo quase marcou de cabeça. Depois, aos 40, Escudero recebeu cruzamento de Lúcio e quase marcou. Dionatan defendeu a cabeçada do argentino no contrapé, mostrando elasticidade, na última jogada de perigo do primeiro tempo.

Na volta do intervalo, Renato Gaúcho promoveu a entrada de Leandro no lugar de Escudero. O argentino saiu de campo fazendo tratamento com gelo no tornozelo direito. E o segundo tempo já começou, aí sim a “100 por hora”. Logo aos oito minutos, Leandro cavou falta. No rebote da cobrança, Rodolfo achou Willian Magrão livre, e o volante abriu o placar para o Grêmio. Só que um minuto depois, Sandro Sotilli recebeu entre os zagueiros tricolores e desviou na saída de Marcelo Grohe para empatar.

Com os gols, a partida ganhou em emoção. As duas equipes se soltaram mais, atrás da vantagem no placar. O Grêmio agredia mais com Leandro do que com Escudero, e o menino foi o responsável por diversas jogadas de ataque. Serviu Borges em jogada que o centroavante empurrou para as redes, mas impedido. Depois, driblou João Rodrigo e arrumou um escanteio para o Tricolor. Na cobrança de Douglas, Rodolfo subiu e passou a frente no placar outra vez aos 29.

A vantagem não deixou Renato Gaúcho satisfeito. Com dois atacantes de velocidade aberto, o Grêmio pressionou para tentar ampliar o placar. O Pelotas tinha apenas o contra-ataque como alternativa, já que a marcação gremista no campo de ataque complicava a saída de bola. Em arrancada de João Paulo, quase marcou aos 39. Mas com o domínio das ações, o time visitante administrou sua vantagem e garantiu os três pontos. No final, Rafael Marques aproveitou cruzamento de Lúcio e garantiu a vitória.

FICHA TÉCNICA

PELOTAS 1 X 3 GRÊMIO

Data/hora: 27/03, às 16h

Local: Estádio Boca do Lobo, em Pelotas (RS)

Árbitro: Leandro Vuaden

Auxiliares: Júlio dos Santos e Paulo Conceição

Cartões amarelos: Adilson, Escudero (G) Wanderson, João Rodrigo (P)

Gols: Willian Magrão, Rodolfo e Rafael Marques, aos 8, aos 29 e aos 44 minutos do segundo tempo (G). Sandro Sotilli, aos 9 minutos do segundo tempo(P)

Pelotas: Dionantan; Eduardo Eré, Jonas, Júnior Paulista e João Rodrigo; Gavião, Wanderson(Kleber 15’/2º), Makelele(Márcio Tinga 29’/2ºT) e Allan(João Paulo 34’/2ºT); Clodoaldo e Sandro Sotilli. Técnico: Armando Desessards.

Grêmio: Marcelo Grohe; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Bruno Collaço; Adilson, Willian Magrão(Vinícius Pacheco 27’/2ºT), Lúcio e Douglas; Escudero(Leandro, intervalo) e Borges(Fernando 40’/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho

março 27, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Em ritmo de treino, Grêmio goleia Inter-SM no Gauchão

Garoto Leandro marcou dois gols e foi destaque da partida

Com extrema facilidade, o Grêmio goleou o Inter de Santa Maria por 6 a 0, nesta quinta-feira, em ritmo de treino. Os poucos torcedores que encararam a chuva e foram ao Estádio Olímpico viram dois gols do garoto Leandro, uma promessa das divisões de base tricolor. Na classificação geral do Campeonato Gaúcho, o Tricolor iguala o número de pontos do rival Inter – o de Porto Alegre -, mas faltou um gol para igualar também em saldo de gols.

LIBERTADORES: Petrolero vence e deixa Grêmio perto das oitavas

A próxima partida gremista será no próximo domingo, dia 27, frente ao Pelotas, na Boca do Lobo. Já o Inter-SM joga no mesmo dia, com o Juventude, às 18h30, em Caxias do Sul.

Todos os prognósticos apontavam para uma partida fácil diante do Inter-SM. O clube do interior gaúcho tem apenas 18 jogadores no elenco, após dispensa de cinco. No fim de semana, dois baladeiros foram dispensados. O xará do rival gremista não tinha um ponto na Taça Farroupilha, e continua assim.

O início mostrou o que seria o jogo. Logo a 3 minutos, nem o público baixo havia se consolidado e Gilson arrancou pela esquerda e sofreu pênalti. Douglas cobrou no canto esquerdo de Pedro Paulo, alto, e abriu o placar. A movimentação dos homens do ataque, principalmente de Escudero, era intensa, e o goleiro santamariense precisou trabalhar em duas oportunidades para evitar mais gols.

A partir dos dez minutos, o Grêmio arrefeceu um pouco os ânimos e cedeu espaços. O Inter aproveitou em algumas oportunidades, e Marcelo Grohe mostrou serviço à torcida gremista na falta de Victor, com a Seleção. Mas aos 23, o Tricolor voltou ao ataque e ampliou. A qualidade fez diferença: pela direita, o zagueiro improvisado Mário Fernandes ingressou na diagonal, como lateral, tabelou com Viçosa e fez um belo gol.

Três minutos depois, a arbitragem voltou os holofotes para ela. André Cieslak ia marcando falta fora da área quando o bandeirinha José Silveira já estava na linha de fundo, interpretando o toque da bola na mão de Rodolfo. Pênalti para o Inter de Santa Maria, desperdiçado por Dinei em grande defesa de Marcelo Grohe. Depois, Gilson e Lúcio foram derrubados por defensores do Interzinho dentro da área, mas Cieslak nada marcou. O primeiro tempo acabou com as polêmicas e o 2 a 0 gremista.

A orientação de Renato Gaúcho era tocar a bola e valorizar a posse dela. Pois foi o que o Grêmio fez e, sem maiores problemas, chegou ao terceiro gol aos sete minutos. Lúcio acionou Douglas em contra-ataque. Já dentro da área, o meia achou Viçosa, que, com uma cavadinha, tirou do goleiro.

As chances de gols foram se empilhando. Com dois a menos, o Inter-SM definhou diante da qualidade gremista. Rafael Marques, de peixinho, marcou aos 20 minutos. Aos 30, o garoto Leandro, que havia entrado no lugar do volante Adilson, deixou sua marca e fez o segundo com a camisa gremista. E ainda tinha tempo para mais, já que aos 42 o próprio garoto fuzilou Pedro Paulo e aumentou a goleada para 6 a 0.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 6 X 0 INTER-SM

Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data-Hora: 24/3/2011 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: André Cieslak (RS)
Auxiliares: José Silveira (RS) e Carlos Henrique Selbach (RS)
Cartões amarelos: Douglas e Adilson (GRE); Luiz Henrique, Diogo Fernandes e Deurick (ISM)
Cartões vermelhos: Diogo Fernandes 9’/2ºT e Luiz Henrique 32’/2ºT (GRE)
Renda e público: R$ 55.104,50 / 4.291 pagantes / 5.099 presentes
Gols: Douglas 3’/1ºT (1-0), Mário Fernandes 23’/1ºT (2-0), Júnior Viçosa 7’/2ºT (3-0), Rafael Marques 20’/2ºT (4-0) e Leandro 30’2ºT (5-0) e 42’/2ºT (6-0)

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Mário Fernandes, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson (Bruno Collaço 20’/2ºT); Fábio Rochemback, Adilson (Leandro 13’/2ºT), Lúcio e Douglas; Escudero (Vinícius Pacheco 25’/2ºT) e Júnior Viçosa – Técnico: Renato Gaúcho.

INTER-SM: Pedro Paulo, Diogo Fernandes, Diego Borges, André Bahia e Luiz Henrique; Elias, Deurick, Thiago Corrêa, Wendes (Leonardo 46’/2ºT) e Cadu (Foguinho 25’/2ºT); Dinei (Ronni 29’/2ºT) – Técnico: Suca.

março 24, 2011 Posted by | Grêmio | , | Deixe um comentário

Reservas do Grêmio vencem duelo em gramado sintético

Time de Renato Gaúcho derrotou facilmente o Porto Alegre

Jogando com os reservas, com exceção do goleiro Victor, o Grêmio não teve dificuldades para vencer o Porto Alegre, por 3 a 0 neste domingo, pela terceira rodada do Segundo Turno do Gauchão.

Receba primeiro as notícias do Grêmio no seu celular!

Com o resultado, o time de Ranato Gaúcho se recuperou da derrota para o Cruzeiro e marcou os primeiros três pontos no turno. O Grêmio é o quarto colocadodo Grupo 2 da competição. O Santa Cruz lidera com sete pontos. O próximo compromisso do Tricolor é o Grenal, só que o Inter é o de Santa Maria, quinta-feira, às 19h30, no Olímpico. Já o Porto Alegre visita o Pelotas, no mesmo dia, mas às 20h.

No gramado sintético do Estádio Passo D’Areia, o Grêmio começou com tudo. Logo aos quatro minutos o Tricolor saiu na frente com um golaço do argentino Escudero. O meia-atacante pegou de primeira o cruzamento de Mithyuê e a bola foi no ângulo.

Mesmo com as dificuldades impostas pelo gramado, o Grêmio manteve o ritmo e aos 27 ampliou. Júnio Viçosa mostrou oportunismo ao escorar de cabeça a bola que veio dos pés de Pessali. Festa da torcida gremista, que foi maioria esmagadora no estádio.

O placar poderia ter sido ampliado ainda no fim do primeiro tempo, quando Escudero perdeu um gol feito. O argentino recebeu dentro da área, mas parou em uma bela defesa do goleiro Giovani.

Na etapa final, o Grêmio continuou controlando as ações. Mas sem a mesma agressividade ofensiva do primeiro tempo.

Somente no fim a emoção reapareceu. Aos 45 minutos, Vinícius Pacheco recebeu de Leandro, driblou o goleiro e sacramentou a vitória tricolor.

Resultados da rodada deste domingo do Gauchão-2011:

Veranópolis 2 x 2 Pelotas
Porto Alegre 0 x 3 Grêmio
18h30 – Lajeadense x Caxias
19h30 – São Luiz x São José

março 20, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Carlos Alberto é expulso e Grêmio perde para Cruzeiro

Time visitante faz dois em pleno Estádio Olímpico

Na tarde deste sábado, Carlos Alberto tinha tudo para ser o grande nome do Grêmio, já que era o único titular. Mas após simular uma falta, foi expulso no segundo tempo e piorou a situação gremista no Estádio Olimpico. O Cruzeiro venceu o Tricolor por 2 a 0 em jogo que poderia ter sido uma goleada tamanha as chances perdidas do time visitante.

Na próxima rodada do Gauchão, o Grêmio pega o Porto Alegre, no domingo, e o Cruzeiro enfrenta o Juventude, no mesmo dia.

A equipe reserva do Grêmio teve um bom começo de partida. Com segundos de jogo, Carlos Alberto já mostrou que tentaria aproveitar a chance ao máximo ao roubar bola no meio-campo. Mesmo desentrosado, a equipe demonstrou que poderia criar boas chances aos 2, quando Bruno Collaço deu grande lançamento para Emerson. Estreante, o meia encobriu Fabio mas observou Faísca conseguir tirar em cima da linha.

A chance de gol foi sucedida por boas chegadas do Grêmio aos cinco minutos e aos oito, em boas jogadas coletivas. Só que a partir desses momentos o Tricolor parou em campo. Com qualidade técnica, o Cruzeiro cresceu e criou chances de gol como aos 12, quando o estreante Matheus abafou finalização de Jô dentro da área.

Sem Fábio Rochemback, o Grêmio tinha problemas na saída de bola. Fernando não conseguia impor a mesma qualidade, e Carlos Alberto recuava bastante para tentar armar o jogo. O Cruzeiro adiantou seu time e passou a incomodar e marcou até, mas Rafael estava impedido aos 23 minutos. Não demorou muito, aos 32, e Diego Torres consolidou a boa atuação com abertura do placar. Após receber grande passe de Almir, venceu Matheus e mandou para o gol.

Monótono até então, o jogo melhorou, mas não para o Grêmio. O Cruzeiro incrivelmente continuou em cima do time reserva gremista. Matheus teve de trabalhar outra vez e tirar a bola da cabeça de Rafael, salvando o Tricolor. Aos 42, Clementino perdeu a melhor chance do Grêmio, depois de boa arrancada. Renato Gaúcho tinha muito o que conversar no intervalo.

O Grêmio até começava bem o segundo tempo, mas em jogada pela direita, Carlos Alberto se atira e é expulso com um minuto. Coroando uma atuação apagada no jogo e no Grêmio, o capitão e jogador mais experiente de um time de reservas deixou o campo junto com Renato Gaúcho, também expulso por reclamação. Com um jogador a menos, no entanto, o Grêmio se postou mais a frente e até melhorou sua atuação em relação a primeira etapa.

Levou inclusive perigo aos dez minutos, quando Neuton arrancou desde o campo de defesa e, sem companheiros na área do Cruzeiro para cruzar, bateu no gol da linha de fundo. Fábio se atrapalhou e quase engoliu um frango. Só que a vantagem dava ao Estrelado a possibilidade do contra-ataque, e Diego Torres acionou Jô pela esquerda. O atacante serviu Rafael no meio da área, e Matheus fez um milagre ao evitar o gol aos 15. Mas o espaço que a defesa gremista dava não seria sempre preenchido pelo goleiro. Aos 17 minutos, após troca de passes envolvente, Almir recebeu de Diego Torres na entrada da área. De frente, mandou a bola para as redes de Matheus. 2 a 0 em pleno Estádio Olímpico.

Apesar das tentativas, faltava qualidade a equipe reserva do Grêmio. Os garotos não conseguiam criar, e pareciam também sentir a falta de liderança, tanto dentro como fora de campo. Em outras duas oportunidades, Matheus salvaria o time tricolor. Com naturalidade, o Cruzeiro manteve o domínio até o fim da partida, inclusive acertando uma bola na trave quando o relógio batia 37 minutos do segundo tempo.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 0 X 2 CRUZEIRO

Data/Hora: 12/03, às 16h

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre

Árbitro: Márcio Coruja, auxiliado por João de Souza Júnior e Renata Schaefer

Cartões amarelos: Carlos Alberto(G) Léo, Almir, Sandro (C)

Cartões vermelhos: Carlos Alberto

Público: 8.304(total)

Renda: R$ 93.223

Gols: Diego Torres, aos 32 do primeiro tempo e Almir, aos 17 minutos do segundo tempo

Grêmio: Matheus; Maylson, Mário Fernandes(Saimon), Neuton e Bruno Collaço; Fernando, Emerson, Vinícius Pacheco(Mateus Magro) e Carlos Alberto; Diego Clementino e Wesley(Lins). Técnico: Renato Gaúcho.

Cruzeiro: Fábio; Márcio(Alex), Léo, Claudinho(Sandro) e Leó Maringá; Alberto, Almir, Faísca e Diego Torres; Jô e Rafael(Juninho). Técnico: Leocir Dall’astra.

março 12, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio reage, bate o Caxias nos pênaltis e conquista a Taça Piratini


No tempo normal, Tricolor empata com um gol aos 50 minutos do segundo tempo, depois de sair perdendo por 2 a 0

O Grêmio conquistou a Taça Piratini, e com ela a tranquilidade desejada para preservar titulares no segundo turno do Campeonato Gaúcho. Nesta noite de quarta-feira, no Estádio Olímpico, o time de Renato Gaúcho ergueu o troféu do primeiro turno batendo o Caxias nos pênaltis por 4 a 1 – com duas defesas do goleiro Victor.
No tempo normal, a partida foi emocionante. Logo cedo o Caxias abriu 2 a 0, com Itaqui e Gerley. Ainda no primeiro tempo Willian Magrão descontou. E, após muita luta, Rafael Marques empatou aos 50 do segundo tempo.
O resultado garante ao Grêmio vaga antecipada na decisão do Gauchão 2011. Se conquistar também a Taça Farroupilha – o segundo turno – será campeão estadual sem necessidade de uma grande final.
Caxias à vontade na capital
Com mistério, o Grêmio tratou de animar os momentos prévios à decisão de público reduzido nas arquibancadas. Renato Gaúcho divulgou duas escalações – uma com Lúcio no meio-campo, outra com Willian Magrão – e o mistério perdurou até a entrada da equipe em campo, a dez minutos do início da partida.
Devido à falta de ritmo de Lúcio, fora da equipe desde 24 de fevereiro, jogou Magrão. Mas ele foi mais um a assistir, em campo, ao predomínio do Caxias no início do primeiro tempo.
Aos 6, Lima viu-se à frente de Victor. Totalmente livre, chutou para fora. Bom exemplo do controle grená, amparado em complexos movimentos táticos envolvendo Dê, Lima e Everton em pelo menos duas variações táticas – 4-1-4-1 sem a bola, 4-4-2 em losango com ela.
Quando o Grêmio parecia equilibrar o confronto, avançando com Gabriel e Gilson pelos lados, o Caxias saiu à frente. Aos 19, em distante cobrança de falta, o ex-gremista Itaqui disparou um míssil rasante, vencendo Victor. Caxias completamente à vontade em Porto Alegre.
Troca, e dois gols

Willian Magrão, autor do primeiro gol do Grêmio, se livra de dois jogadores do Caxias (Foto: Agência Estado)
Sem Lúcio, Renato Gaúcho abdicou do preferencial losango, e sistematizou o Grêmio no 4-4-2 em quadrado. Mas o controle dos visitantes, com abertura de placar, levou-o a repensar a estrutura.
Aos 8 ele ordenou o início do trabalho de aquecimento dos reservas. E, com apenas 26, trocou o meia Carlos Alberto pelo lateral-esquerdo Bruno Collaço, que entrou para reproduzir o movimento de Lúcio como meia no losango. O mesmo havia acontecido na Colômbia, contra o Junior Barranquilla. Carlos Alberto deixou a partida dividindo a torcida, entre aplausos e vaias.
Outras reclamações foram dirigidas ao lateral-esquerdo Gilson. Renato Gaúcho, com a autoridade do maior personagem da história do clube, virou-se às sociais e gesticulou pedindo calma aos torcedores.
No setor visitante, em contraste, cerca de 500 grenás festejavam. Com duplo motivo. Aos 39, o lateral-esquerdo Gerley completou boa troca de passes e marcou 2 a 0 para o Caxias, chutando forte sob Victor.
A animação arrefeceu quatro minutos depois. Willian Magrão recebeu de Rochemback na intermediária ofensiva, e chutou com raiva. Da mesma forma, comemorou com raiva: Grêmio 1 x 2 Caxias.
Lúcio vai para cima
No segundo tempo o Grêmio também não conseguiu pressionar de início. O Caxias mostrou-se mais cauteloso, ainda com as variações táticas proporcionadas pelo trio Dê, Lima e Everton. Concedeu ao Grêmio mais posse de bola, fechando-se para evitar as conclusões, para contra-atacar com velocidade.
Bloqueado pelo Caxias, Renato Gaúcho recorreu a Lúcio. Assim que despiu-se do colete, o jogador percorreu o caminho até o local da entrada em campo ovacionado:
– Lúcio! Lúcio! – gritaram os gremistas.
A maior comemoração, entretanto, estaria por vir. Assim que a placa eletrônica sinalizou a saída de Gilson, aos 16, os tricolores vibraram. Bruno Collaço passou à lateral, e Lúcio ingressou no meio-campo.
Com Lúcio, o Grêmio enfim colocou-se no campo do Caxias, pressionando e criando boas oportunidades – a maioria delas em cruzamentos para a área.
De queda em queda, a queda
Na meia-hora final o Caxias esclareceu a derradeira estratégia: acabar com o jogo sem deixar que ele se desenvolvesse. O goleiro André Sangalli comandou a série de encenações, pretestando lesões a cada lance na área. Economizou minutos e mais minutos.
Da mesma forma, os três jogadores substituídos também pediram atendimento médico antes de sair. Fechado, fazendo o tempo passar, o Caxias manteve a vitória por 2 a 1 até os 50min. Pouco antes disso, Rodolfo e Marcelo Ramos haviam levado vermelho.
Mas foi a cera do Caxias que levou o árbitro a sinalizar seis minutos de acréscimos. Com tanto tempo, o Grêmio pressionou. Victor foi para a área, Rafael Marques tornou-se centroavante. E o zagueiro tricolor pegou um rebote para marcar, enlouquecendo o Estádio Olímpico. Empate, levando aos pênaltis.
André Lima, que saíra lesionado, discutiu com o auxiliar Altemir Hausmann. Ele acusou o bandeira de dizer “Deus é justo” assim que o viu cair machucado no gramado. O centroavante comandou a ira de dirigentes e integrantes da comissão técnica sobre o auxiliar após o gol.
Grêmio, campeão nos pênaltis
Borges abriu a série para o Grêmio: 1 a 0. Dê cobrou na sequência, Victor defendeu. Douglas aumentou a vantagem, e Victor novamente defendeu, impedindo Diogo de marcar.
Rochemback fez 3 a 0. Everton descontou, fazendo 3 a 1. E o título veio pelo pé esquerdo de Lúcio, decretando o 4 a 1.
Próximos jogos
Abrindo a Taça Farroupilha, o Grêmio recebe o Cruzeiro-Poa às 16h deste sábado, no Estádio Olímpico. A partida foi antecipada da segunda rodada. Pela Taça Libertadores a próxima partida será às 19h (horário de Brasília) de quinta-feira, dia 17, contra o León de Huánuco-PER, fora de casa.
GRÊMIO (4) 2 X 2 (1) CAXIAS
Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson (Lúcio); Fábio Rochemback, Willian Magrão, Carlos Alberto (Bruno Collaço) e Douglas; Borges e André Lima (Diego Clementino). André Sangalli; Alisson, Edson Rocha (Neto), Marcelo Ramos e Gerley; Marcos Rogério, Itaqui (Diogo), Edenilson e Dê; Everton e Lima (Pedro Henrique).
Técnico: Renato Gaúcho. Técnico: Lisca.
Data: 09 de março de 2011. Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Árbitro: Márcio Chagas da Silva, auxiliado por Altemir Hausmann e Júlio Cesar Rodrigues dos Santos.
Gols: Itaqui (Caxias), aos 19m; Gerley (Caxias), aos 39m; Willian Magrão (Grêmio), aos 43m, no primeiro tempo. Rafael Marques (Grêmio), aos 50m do segundo tempo.
Cartões amarelos: Willian Magrão, Rodolfo, Douglas, André Lima (Grêmio); Edenilson, Alisson, Marcos Rogério, Edson Rocha, Everton, André Sangalli (Caxias). Cartões vermelhos: Rodolfo e André Lima (Grêmio); Marcelo Ramos (Caxias).
Público: 23.465 torcedores. Renda: R$ 633.833,00

março 10, 2011 Posted by | Grêmio | , | Deixe um comentário

Grêmio faz 2 a 0 no León e lidera grupo na Libertadores

Em duas jogadas de bola parada, André Lima e Borges garantem vitória do Tricolor sobre o time peruano em Porto Alegre

A bola parada mais uma vez ajudou o Grêmio. Mesmo sem apresentar o futebol vistoso costumeiro de dentro do Olímpico, o Tricolor fez 2 a 0 no León de Huánuco e assumiu a liderança do Grupo 2 da Copa Libertadores. Depois da derrota na Colômbia na última rodada, o time se reabilita e agora lidera temporariamente o grupo, já que o Junior joga apenas na próxima terça-feira, com seis pontos – mesmo número da equipe colombiana, mas com saldo dois gols maior. A próxima partida agora será apenas dia 17, diante do mesmo León, no Peru.

Antes do jogo, ninguém imaginaria que seria tão difícil. Mesmo com uma boa colocação – estava na frente do Grêmio no grupo – o León surpreendeu em Porto Alegre. Mas não pelo bom futebol, e sim pela capacidade incansável de marcação. Com duas linhas de quatro tão claras quanto sólidas.

FOTOS: Em casa, Grêmio faz 2 a 0 no León de Huánuco

A iniciativa no jogo foi gremista. Mas a primeira chegada com mais perigo aconteceu aos quatro minutos, quando González Vigil recebeu na ponta da área, às costas de Gabriel, e bateu para defesa firme do goleiro da Seleção Brasileira. Se o León arrematava de fora da área, o Grêmio também. Borges girou sobre a zaga e finalizou por cima aos cinco.

A bola até ficava nos pés do Grêmio. Só que passes assanhados, verticais não aconteceram. Sem penetração e jogadas pelas laterais, restava ao Grêmio a bola aérea. Em um ensaio do que seria o gol, Rochemback cruzou na área, mas Rodolfo passou em branco aos 20. A cera de todos os jogadores do León também atrapalhava os tricolores.

Mas mais uma vez a principal jogada do Grêmio salvou a noite. Em falta na meia direita, Douglas levantou com açúcar para André Lima. E centroavante, dentro da área, não perdoa. Marcou aos 42 minutos e com isso, acabou o primeiro tempo de forma favorável para o time gaúcho, menos tenso e complicado para o Tricolor.

E se o primeiro gol realmente tranquilizou o jogo para o Grêmio, o segundo, aos nove do segundo tempo acalmou qualquer tentativa que pudesse a acontecer de reação do time peruano, que de qualquer modo não havia acontecido até então. Em mais uma bola levantada na área por Douglas, André Lima sofreu pênalti. O outro centroavante, Borges, bateu e liquidou a fatura logo no início do segundo tempo.

O Grêmio manteve seu domínio sobre os peruanos com a posse de bola. Com a vantagem no placar, o time de Renato Gaúcho não precisava se preocupar em penetrar a área do León. E sem a pressão, o jogo aumentou em emoção. Aos 19, o León fez Victor trabalhar. Em cabeçada do recém entrado Rodríguez, o goleiro voou e salvou o Tricolor.

Só que mesmo com a chance clara não manifestou nenhuma mudança no panorama do jogo. O time gremista continou à frente, controlando o adversário, mas sem conseguir criar chances claras e demonstrar um bom futebol. Até o final do jogo, o Grêmio só passou aperto em um momento, quando Orejuela entrou pela direita e acertou a trave de Victor, mas em posição de impedimento.

Nos minutos finais, o Grêmio, em sua principal arma – a bola aérea – assustou mais uma vez no fim da partida, em cruzamento de Douglas. No entanto, Borges desviou pela linha de fundo.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 2 X 0 LEÓN DE HUÁNUCO

Data/hora: 03/03, às 20h15

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre

Árbitro: Enrique Osses, auxiliado por Patricio Basualto e Sergio Román (Chile)

Cartões Amarelos: Ferrari, Zegarra (L) Fábio Rochemback, Gabriel, Gilson (G)

Gols: André Lima, aos 42 minutos do primeiro tempo e Borges, aos 9 minutos do segundo tempo

Público total: 28.605

Renda: R$ 612.469,00

Grêmio: Victor; Gabriel, Rafael Marques, Rodolfo(Mário Fernandes) e Gilson; Fábio Rochemback, Adilson, Carlos Alberto(Bruno Collaço) e Douglas; André Lima(Escudero) e Borges. Técnico: Renato Gaúcho.

León de Huánuco: Flores; Espinoza, Araújo, Cardoza e Salas; Ferrari(Cevasco), Zegarra, Céspedes e Elías(Otálvaro); Orejuela e Gonzáles(Rodríguez). Técnico: Franco Navarro

março 3, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Com três de Borges, Grêmio vence o Cruzeiro-Poa e vai à final do turno

Grêmio decidirá o título da Taça Piratini – o primeiro turno do Gaúcho

Se havia alguma dúvida sobre a recuperação física de Borges, ela acabou. Após quatro meses no Departamento Médico, o centroavante gremista está de volta em alto estilo. E com banca de DJ. Na tarde deste domingo ele confirmou a grande fase – já havia marcado contra Ypiranga e Junior Barranquilla-COL – fazendo os três gols do Grêmio na vitória de 4 a 2 sobre o Cruzeiro-Poa, que valeu vaga na final do primeiro turno do Campeonato Gaúcho.
E ainda teve direito a pedir música no “Fantástico”, já que balançou a rede três vezes. Jô e Léo marcaram os gols do Cruzeiro-POA. Gabriel, de pênalti, fechou para o Grêmio, no Estádio Olímpico. Se conquistar o turno, o time tricolor estará antecipadamente classificado à grande final do Gauchão 2011.
Encaixe tático
Para combater o Grêmio, o Cruzeiro-POA fez uso do mesmo sistema tático implementado por Renato Gaúcho em agosto do ano passado. Com isso, as duas equipes enfrentaram-se distribuídas no 4-4-2 com meio-campo em losango. E o bem organizado adversário não apenas afastou os tricolores da própria área, como também se articulou para criar boas oportunidades. Na melhor delas, Diego Torres foi parado em defesa de Victor.
Na sequência, o Grêmio respondeu, com Gabriel acertando o poste esquerdo. E foi pelos mesmos pés do lateral-direito que a torcida gremista enfim conseguiu comemorar. Aos 35 ele recebeu de Douglas e cruzou para Borges bater de primeira: 1 a 0.
Sequência de gols
No segundo tempo, a morosidade das marcações encaixadas teve fim. Em vez de vitórias das defesas, os atacantes começaram a ter sucesso. E várias vezes. Foram quatro gols marcados em um espaço de oito minutos. Aos dez o Grêmio reprisou uma jogada comum aos times ingleses. Gabriel cruzou, André Lima escorou, e Borges bateu na saída do goleiro: 2 a 0. Dois minutos depois, entretanto, o atacante Jô usou a cabeça para marcar o primeiro dos visitantes.
De pênalti por ele sofrido, aos 15, Borges credenciou-se a pedir música no “Fantástico” nesta noite de domingo. Ele recebeu lançamento de Carlos Alberto e foi puxado dentro da área por Alberto. A batida foi forte, e a comemoração se deu em frente à torcida do Grêmio. Mas o “hat-trick” de Borges não foi suficiente para dar tranquilidade ao Grêmio. Aos 18 o zagueiro Léo, também de cabeça, descontou novamente para o Cruzeiro-POA: 3 a 2.
Em uma partida intensa, os goleiros Victor e Fábio seguiram em ação. Nem o Grêmio desistiu de aumentar a diferença, nem o Cruzeiro-POA abdicou da busca pelo empate que levaria a decisão da vaga aos pênaltis.
Classificação assegurada
No final, os dois treinadores recorreram ao banco de reservas, fazendo três alterações cada. Alberto, volante do Cruzeiro-POA, ainda foi expulso. E as mudanças mantiveram o Grêmio à frente no placar, proporcionando aos tricolores a comemoração no Estádio Olímpico. Nos acréscimos, Júnior Viçosa – o substituto de Borges – foi derrubado na área. Novo pênalti. E Gabriel cobrou, fechando a partida em 4 a 2, aos 49.
Próximos jogos
Na próxima quinta-feira, dia 3 de março, o Grêmio recebe às 20h15m, no Olímpico, o León de Huánuco-PER, pela terceira rodada do Grupo 2 da Taça Libertadores. E na quarta-feira, dia 9, disputa a decisão da Taça Piratini, contra o vencedor da partida entre Caxias e São José-Poa.
GRÊMIO 4 X 2 CRUZEIRO-POA
Victor; Gabriel, Paulão, Rodolfo e Gilson; Rochemback, Adilson, Carlos Alberto (Bruno Collaço) e Douglas; Borges (Júnior Viçosa) e André Lima (Escudero). Fábio; Marcio, Léo, Sandro Müller e Zadda (Léo Maringá); Alberto, Almir (Juninho Botelho), Faísca e Diego Torres; Jô e Adriano (Rafael Cearense).
Técnico: Renato Gaúcho. Técnico: Leocir Dall’Astra.
Data: 27/02/2011. Local: Estádio Olímpico. Árbitro: Anderson Daronco, auxiliado por José Franco Filho e José Inácio de Souza.
Gols: Borges (Grêmio), aos 35m do primeiro tempo. Borges (Grêmio), aos 10m; Jô (Cruzeiro-Poa), aos 12m; Borges (Grêmio), aos 15m; Léo (Cruzeiro-Poa), aos 18m; e Gabriel (Grêmio), aos 49m no segundo tempo.
Cartões amarelos: Rodolfo, Gabriel, Gilson, Douglas e Fábio Rochemback. (Grêmio); Marcio, Léo, Jô e Alberto (Cruzeiro-Poa). Cartão vermelho: Alberto (Cruzeiro-Poa).
Público: 15.736. Renda: R$ 308.421,00

fevereiro 27, 2011 Posted by | Grêmio | , | Deixe um comentário

Grêmio perde na Colômibia jogo e liderança

Time gremista sai ganhando mas deixa Junior de Barranquilla virar para 2 a 1

Antes da partida, a opinião unânime era de que este seria o desafio maior do Grêmio na fase de grupos da Libertadores. Fora de casa, e contra a melhor equipe de sua chave, o Grêmio perdeu sua invencibilidade de quase 20 jogos sob o comando de Renato Gaúcho, o 2 a 1 do Junior Barranquilla deixou o clube gaúcho na segunda posição do grupo 2, com três pontos. Os colombianos lideram com seis pontos ganhos.

Na Libertadores, o próximo compromisso gremista será dia 03 de março, na próxima quinta, diante do León de Huánuco, no Estádio Olímpico. O Junior pega o Oriente Petrolero cinco dias depois, na Bolívia.

O JOGO

Se pela escalação o Grêmio seria ofensivo em campo, não foi isso que o primeiro tempo demonstrou. Os primeiros 45 minutos foram muito complicados para o time gremista. Apesar do gol tricolor ter saído cedo. Logo quando o relógio batia quase cinco minutos, Adilson ajeitou e Douglas achou Borges como se olhasse com uma lupa. O centroavante, de canhota, finalizou forte e no alto para abrir o placar.

Só que o gol recuou o Grêmio. A marcação, antes feita na intermediária do time colombiano, passou a ser feita a partir da linha de meio campo. Jogando com liberdade, Hernández, com a 10 às costas, distribuía o jogo, mas abusava dos cruzamentos da intermediária. Apesar de não criar chances de gol, a pressão da equipe de Barranquilla era enorme. Pela esquerda, Adilson e Gilson não conseguiam segurar o ímpeto do adversário, e vazavam com frequência. Pela direita, Carlos Alberto fazia muitas faltas.

A pressão de donos da casa acabou dando resultado. Aos 28 minutos, depois de envolver o meio de campo gremista, Hernández apareceu às costas de Gilson – grande problema de marcação do Grêmio – e desviou na saída de Victor para empatar a partida.

Pelo gol sofrido, mas também muito pela atuação, Renato resolveu agir. Tirou Carlos Alberto, já com cartão amarelo e correndo risco de expulsão, e reforçou a marcação com Bruno Collaço na meia esquerda, no lugar de Lúcio. Adilson passou para a direita, e o Grêmio melhorou na partida. Mas o ataque continuava deficiente. Depois do gol, o Tricolor só finalizou aos 42 minutos, com Adilson, no apagar das luzes do primeiro tempo.

A parada fez bem ao Grêmio. Começou o segundo tempo como deveria ter atuado no primeiro: manteve a posse de bola em seu campo ofensivo. Assim, diminuiu o ânimo colombiano, que terminara o primeiro tempo em alta. Logo aos dois minutos boa jogada, Grêmio ficou com a bola no campo de ataque, e Collaço cruzou para Borges cabecear por cima. E aos 11 minutos, uma situação clara em que o árbitro Marco Rodriguez: em mais uma vez em seus lampejos, Douglas achou o autor do gol gremista livre. Borges adiantou a bola e foi claramente puxado pela camisa dentro da área. Pênalti não marcado.

O jogo permaneceu tranquilo para o time de Porto Alegre. Até os 25 minutos da segunda etapa, não havia corrido riscos. A pressão colombiana ficou nos vestiários em obras do Estádio Metropolitano e o Grêmio mantinha a bola em seu campo ofensivo. E quando ela não ficava lá, até do campo defensivo o Grêmio assustava. Em jogada sensacional do zagueiro Rodolfo, de antes do meio de campo, o gremista encobriu o goleiro Rodriguez, mas a bola quicou na pequena área e encobriu também a goleira.

Após o lance, Hernández descolou um escanteio despretensioso para o Junior. Na cobrança, o próprio dez colocou a bola na cabeça de Paez e escorou para o meio da pequena área, onde Viáfara apareceu de carrinho e empurrou para o gol. A virada saiu quando o Junior era amplamente dominado pelo time gremista.

Após o gol, o jogo cresceu em emoção. O Grêmio pressionou o time colombiano, com jogadas principalmente pela esquerda, entre Gilson e Bruno Collaço. Gabriel, arma frequente, não conseguiu repetir as boas atuações. Experiente, o time colombiano gastou o tempo como pode. Aos 45 minutos, o Grêmio teve em falta nos pés de Fábio Rochemback a chance do empate. Mesmo com o bate-rebate na área, os colombianos conseguiram afastar o perigo. Na sequencia, bolas sumiram e o tempo foi sendo gasto pelo time de Barranquilla, na experiência de Hernádez.

FICHA TÉCNICA:

JUNIOR BARRANQUILLA 2 X 1 GRÊMIO

Data/hora: 24/02, às 23h45

Local: Estádio Metropolitano, em Barranquilla, na Colômbia

Árbitro: Marco Rodríguez, auxiliado por Marvin Torrentera e José Camargo, todos do México

Cartões amarelos: Cortez, Garcia (JB) Adilson, Carlos Alberto, André Lima(G)

Gols: Borges, aos 5 minutos do primeiro tempo e Hernández, aos 28 minutos do primeiro tempo e Viáfara, aos 28 minutos do segundo tempo

Junior: Rodriguez; Gomez,, De Almeida, Macías e Fawccet; García, Viáfara, Cortéz(Cárdenas) e Hernández; Bacca e Paez(Valencia). Técnico: Oscar Fagglione

Grêmio: Victor; Gabriel, Paulão, Rodolfo e Gilson(Vinícius Pacheco); Fábio Rochemback, Adilson, Carlos Alberto(Bruno Collaço) e Douglas; André Lima(Júnior Viçosa) e Borges.Técnico: Renato Gaúcho

fevereiro 25, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio goleia e passa para a semifinal do Gauchão

Tricolor faz 5 a 0 sobre o Ypiranga, de Erechim, e não dá vexame como rival

Sem dificuldade nenhuma, o Grêmio bateu o Ypiranga, de Erechim, e se classificou para a semifinal do Campeonato Gaúcho. A goleada de 5 a 0 no placar logo cedo deu a possibilidade de o Tricolor se poupar durante a tarde deste domingo para o próximo compromisso na Libertadores, na quinta-feira. Agora, também no Estádio Olímpico, recebe o Cruzeiro para garantir vaga na final.

É normal em jogos de campeonato regional falar que o time grande impôs seu domínio desde o início do jogo. Poucas vezes isso faz tanto sentido quanto na partida deste domingo.

Nem bem o jogo havia começado – tinha torcedores ainda fora do Estádio Olímpico – e André Lima abriu o placar. A um minuto, o centroavante, estreando a camisa 99 na numeração fixa do Grêmio, desviou cruzamento de Fábio Rochemback e abriu o placar.

Como 11 torcedores que ganharam alguma promoção e puderam entrar em campo, o Ypiranga apenas assistia a partida. O domínio de meio-campo era tanto que Fábio Rochemback, primeiro volante da equipe, avançou até a intermediária e acertou o travessão do adversário aos 11 minutos.

Mais gols era questão de tempo. Com sua força máxima, o Grêmio massacrava o time de Erechim, não com muitas chances de gol, mas em volume de jogo. E quando apareciam as oportunidades, o Tricolor matou o jogo. Aos 25, Gabriel faz jogada pela direita e dá grande passe para André Lima colocar no alto, forte, e fazer seu segundo gol na partida e também o 2 a 0.

Em nova chance de bola parada, o Grêmio matou o jogo ainda no primeiro tempo. Aos 33, em outra jogada de bola parada, Fábio Rochemback levantou na área e Douglas, fugindo de sua característica, desviou de cabeça e marcou mais um e fechou o primeiro tempo com 3 a 0 no placar.

Sem muito o que fazer, o Ypiranga voltou do vestiário buscando mais o gol. Assustou nos cinco minutos iniciais, com o seu ímpeto, mas outra vez o Grêmio iniciou o jogo para demonstrar realmente quem manda. Logo aos 6, Lúcio fez grande jogada pelo flanco esquerdo, deixou João Paulo para trás e colocou na cabeça de Borges, que voltou a marcar com a camisa do Grêmio.

O domínio gremista não deixava dúvidas alguma. Com 4 a 0 no placar, Renato iniciou as mudanças para poupar seus titulares mais importantes. Rodolfo e Douglas pediram para sair, e Mário Fernandes e Willian Magrão ganharam suas oportunidades. Após uma paralisão aos 20 minutos de jogo, para atendimento ao zagueiro Glauco, o Ypiranga até marcou com João Paulo, mas em situação de impedimento.

Sem mais grandes emoções para a torcida, o que o Grêmio ofereceu no segundo tempo foi uma apresentação: Leandro. O garoto de 17 anos entrou no lugar de Fábio Rochemback, também poupado para a partida do meio de semana pela Libertadores. E logo na primeira oportunidade no grupo principal, teve a chance de se consagrar. Lúcio fez grande jogada pela esquerda, e cruzou rasteiro para trás. Leandro aparou com a parte interna do pé e a bola se chocou com o travessão, com a cabeça do goleiro, e saiu em escanteio. Foi um ensaio do que estava por vir.

Aos 46, o garoto recebeu pela direita de Lúcio, partiu para cima e finalizou para marcar seu primeiro gol com a camisa do Grêmio. E fechar a goleada de 5 a 0 na maior goleada do técnico Renato Gaúcho como comandante gremista.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 5 X 0 YPIRANGA

Data/hora: 20/02, às 16h
Local: Estádio Olímpico
Árbitro: Vinícius da Costa, auxliado por Antônio Padilha e Rafael Alves.

Cartões amarelos: Pansera (Ypiranga)
Público/renda: 11.790 pagantes / R$ 229.162,00

GOLS: André Lima (1′ e 25’/1ºT); Douglas (32’/1ºT); Borges (6’/2ºT); e Leandro (47’/2ºT);

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Paulão, Rodolfo(Mário Fernandes) e Gilson; Fábio Rochemback(Leandro), Adilson, Lúcio e Douglas(Willian Magrão); André Lima e Borges. Técnico: Renato Gaúcho.

YPIRANGA: Bruno Grassi; Thiago(Gilvan), Glauco(João Lima), Matheus e João Paulo; Pansera, Saulo, Emerson e Geovani; Cleiton e Elcimar(Silvestre). Técnico: Agenor Piccinini

fevereiro 20, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio goleia Oriente Petrolero e lidera Grupo 2

Clube gaúcho se junta a Cruzeiro como brasileiro que ganhou na estreia na fase de grupos da Libertadores da América

Em um jogo inicialmente mais complicado do que o esperado, o Grêmio bateu o Oriente Petrolero, da Bolívia, por 3 a 0, com gols de Douglas, duas vezes, e Gilson e lidera o Grupo 2 da Libertadores. Com o resultado, o Tricolor passa a ter saldo 3 e ultrapassa o Junior de Barranquilla, que tem o mesmo número de pontos.

Na próxima rodada, o Grêmio vai a Barranquila e enfrenta o time colombiano, dia 24, às 23h45. O León de Huánuco recebe o Oriente Petrolero, dia 23, às 17h15.

O JOGO

Foi um primeiro tempo bastante movimentado e equilibrado. Para quem achou que o Oriente se defenderia, se enganou. A equipe boliviana adiantou o time e deu problemas ao Grêmio nos primeiros 10 minutos. Mas foi o time da casa que finalizou a primeira vez, com Douglas, da intermediaria.

O canhoto gremista se movimentou bastante. Carlos Alberto não ficou preso no lado direito do losango. Por vezes foi o mais adiantado do setor, com Douglas ocupando o seu lugar pela direita e Lúcio jogando mais recuado.

No entanto, afora um chute de Arce aos 20, o Oriente Petrolero só levou perigo ao Grêmio aos 37 minutos. Nesse meio tempo, o Tricolor empilhou chances de gol e teve inclusive um anulado. Aos 19, Borges dominou a bola com a mão e fez um gol irregular e anulado. Teve de parar as cambalhotas no ar.

O gol do Grêmio amadurecia. O Oriente Petrolero recuou e aceitou a pressão do time da casa, esperando o contra-ataque. Aos 37, teve a única chance dada pelo Tricolor: Arce foi acionado em velocidade, e não fosse a recuperação de Gilson no lance, teria feito o primeiro gol.

Se o Oriente não aproveitou as chances, o Grêmio resolveu finalmente abrir o placar. Mas teve uma ajudinha do árbitro Néstor Liber. A bola bateu no rosto de Terrazas, mas o juiz interpretou como pênalti. Douglas cobrou e colocou a bola para dormir na rede.

O Grêmio voltou do vestiário com o mesmo ímpeto. Em jogada pela esquerda de Gilson, Borges fez a parede e finalizou no gol, fraco. Suárez deu outra ajuda ao Tricolor e soltou a bola nos pés de Gilson, que só empurrou ao gol vazio. 2 a 0 tricolor aos dois minutos. E a pressão seguiu até os 15 minutos, só depois o Oriente Petrolero se refez do baque.

Depois de alguns bons momentos do Oriente, o Grêmio retomou o controle da bola e do jogo. Aos 21, em bate-rebate na área, André Lima deu uma casquinha e Suárez quase se complicou. Era o que precisava para o Tricolor voltar ao jogo. Lúcio foi a linha de fundo e colocou rasteiro para Douglas, que minutos antes havia sido repreendido por Renato Gaúcho. O meia empurrou para o gol e ampliou a vantagem para três gols.

Sem muito mais o que fazer na partida, o time boliviano só tocava a bola. Em uma finalização aos 30, fez Victor trabalhar, mas já não tinha forças para lutar com a qualidade gremista. Os últimos minutos do Grêmio foram para testes. Renato colocou Escudero, Adilson e Maylson, e cozinhou o jogo até o apito final.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 3 X 0 ORIENTE PETROLERO

Data/Hora: 17/02, às 19h45

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre

Árbitro: Líber Prudente, auxiliado por Carlos Pastorino e William Casavieja, todos uruguaios.

Gols: Douglas, aos 43 do primeiro tempo e aos 24 do segundo, e Gilson, aos dois minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Maurício Saucedo, Caamaño(O) Carlos Alberto

Público: 35.693

Renda: 825.910,50

Grêmio: Victor; Gabriel, Paulão, Rodolfo e Gilson; Fábio Rochemback, Lúcio(Maylson), Carlos Alberto(Adilson) e Douglas; Borges e André Lima(Escudero). Técnico: Renato Gaúcho.

Oriente Petrolero: Hugo Suárez; Miguel Hoyos, Alejando Caamaño, Alejandro Schiapparelli(Melean) e Luis Gutiérrez; Fernando Saucedo, Jhasmani Campos(Peña), Terrazas(Aguirre), Joselito Vaca e Mauricio Saucedo; Juan Carlos Arce. Técnico: Ariel Russo.

fevereiro 17, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Carlos Alberto estreia com derrota no Grêmio

Rival Inter vence na estreia do argentino Cavenaghi

A festa era de Carlos Alberto, que fazia sua estreia com a camisa do Grêmio, mas quem roubou a cena na vitória do Novo Hamburgo por 2 a 0 foi o goleiro Eduardo Martini, que está há 450 minutos sem ser vazado e fez defesas milagrosas para os donos da casa – eliminados da Taça Piratini (o primeiro turno do Gauchão). Classificado, o Grêmio enfrentará o Ypiranga nas quartas de final e, se avançar, pode ter o rival Internacional pela frente nas semifinais.

O Novo Hamburgo ignorou a presença de Carlos Alberto. O técnico Julinho Camargo não quis imprimir marcação especial por confiar em sua defesa, que está há cinco partidas sem sofrer gols. O treinador mudou de ideia durante o jogo. Não esperava que o estreante entrasse em campo com tanta vontade. O camisa 19 aparecia como opção em praticamente todos os setores do lado ofensivo.

Vendo que o gol gremista era questão de tempo, Camargo colocou Russo na cola de Carlos Alberto. O ritmo adversário diminuiu e o Novo Hamburgo soube aproveitar suas chances. Aos 12 do segundo tempo, Cláudio Luiz abriu o placar em cobrança de pênalti. O experiente meio de campo Rodrigo Mendes, completou aos 15, após rebote do goleiro Victor.

O Internacional venceu o Pelotas por 3 a 2 e jogará contra o Cruzeiro no Beira-Rio. O atacante argentino Cavenaghi estreou pela equipe colorada e fez ótima dupla de ataque ao lado de Leandro Damião.

Nos outros dois confrontos das quartas de final, o Juventude receberá o São José e o Caxias jogará contra o Veranópolis.

Confira os jogos da 8ª rodada da Taça Piratini:

Inter 3 x 2 Pelotas
Novo Hamburgo 2 x 0 Grêmio
Caxias 1 x 0 Porto Alegre
São José 5 x 0 Santa Cruz
São Luiz 1 x 2 Cruzeiro
Ypiranga 4 x 2 Veranópolis
Canoas 2 x 2 Inter-SM
Lajeadense 0 x 0 Juventude

fevereiro 13, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio bate São Luiz e confirma melhor campanha

Clube gaúcho terá vantagem nas próximas fases do Gauchão

O Grêmio venceu mais uma batalha no Campeonato Gaúcho. Dessa vez bateu o São Luiz, por 1 a 0, e confirmou a melhor campanha do Regional. Com a vitória, chegou a 17 pontos e garantiu a primeira colocação da chave 2. Nas próximas fases, o Tricolor agora tem a vantagem de jogar no Estádio Olímpico. O São Luiz continua com sete pontos, em último lugar na chave 1, e não tem mais chances de classificação. No fim de semana, o time gremista encara o Novo Hamburgo, fora de casa, enquanto o time de Ijuí recebe o Cruzeiro, em casa.

O jogo iniciou morno. A melhor jogada do começo da partida foi o próprio gol gremista. Vindo de trás, Adilson aciona Borges no pivô, e a bola vai para Mário Fernandes, ao lado da área. O lateral-direito driblou o marcador com facilidade e coloca na cabeça de Maylson. Vanderlei fez milagre, mas a bola voltou nos pés do jogador do Grêmio e o placar foi aberto logo aos oito minutos.

Como o jogo era importante também para o São Luiz, o time do interior gaúcho também se jogou a frente. Aos 15, Fernando foi à linha de fundo e cruzou. Sharlei errou o tempo de bola e Alexandre bateu de canhota. Mário Fernandes se jogou na frente da bola e cedeu escanteio.

Aos 17, o São Luiz levou perigo ao gol de Marcelo Grohe outra vez com Alexandre. Depois de passe de Jean Paulo, o camisa 11 do time de Ijuí bateu forte sobre a meta gremista.

No entanto, o time de Beto Campos dava liberdade ao Grêmio. Sem marcar de forma mais forte, o São Luiz facilitava o objetivo do Tricolor. A equipe de Porto Alegre dominou a partida e perdeu mais algumas chances.

Aos 30 minutos, Roberson perdeu grande chance de ampliar o placar e facilitar ainda mais o jogo para o Grêmio. Depois de Clementino driblar três e escorregar, Maylson acionou Mário Fernandes na direita. O lateral cruzou, a zaga tirou e Roberson aparou a sobra, da marca do pênalti, por cima do gol. Depois, ao tentar se redimir, bateu forte da intermediária e obrigou Vanderlei a se esticar todo e jogar para escanteio.

Apesar de não ter grande atuação, o Grêmio contava com uma frouxidão na marcação por parte do São Luiz. O primeiro tempo acabou com o time de Ijuí sem conseguir nem atacar, nem defender com qualidade.

Só aos cinco minutos do segundo tempo o São Luiz fez Marcelo Grohe participar da partida. Negueti olhou para área aos 5 e onde viu Sharlei, colocou a bola. Marcelo voou e tirou a bola da cabeça do atacante do São Luiz. Na sequencia, interceptou outro cruzamento, dessa vez de Fernando.

Com a vantagem, o Grêmio voltou sem grande ímpeto no início do segundo tempo. Os garotos gremistas até tentavam jogadas de ataque, mas faltava maior capricho no último passe. Borges se mostrou ainda fora de ritmo, apesar de participativo. Diego Clementino era o melhor jogador gremista na partida, mas também faltava o último passe. Aos 12, Maylson cobrou falta da intermediária e deu o primeiro chute do Grêmio na segunda etapa.

Ainda que tenha levado perigo em boa trama de Vinícius Pacheco e Mário Fernandes, o Grêmio passou sufoco aos 15. Na primeira oportunidade, Sharlei levantou do lado esquerdo de ataque e Marcelo e Rafael Marques se atrapalharam. A bola passou por toda a área e Bruno Collaço tirou. Aos poucos, a pressão do time de Ijuí aumentava.

Imediatamente Renato chamou Mithyuê e trocou os meias. Com mais gás no meio campo, o Tricolor emparelho o confronto. As chances do São Luiz escacearam. Os chutes de fora da área – o Grêmio com Mithyuê e o São Luiz com Jean Paul – viraram alternativa aos 25, mas nenhuma das equipes obteve melhor sucesso.

Quando aos 35 minutos Bronzati pegou Borges por trás e foi expulso, o jogo se desenhou a favor do Grêmio. Sem sofrer mais perigos, o Grêmio tocou mais a bola e cozinhou o jogo até o final da partida.

Aos 45, Borges poderia ter voltado em alto nível. Vinícius Pacheco passou por dois marcadores na entrada da área e lançou Borges, no pivô. O centroavante girou sobre a marcação, driblou o goleiro e quando bateu, Glauber deu um carrinho e salvou o que seria o gol da volta de Borges

FICHA TÉCNICA:

SÃO LUIZ 0 X 1 GRÊMIO

Data/hora: 09/02, às 22h

Local: Estádio 19 de Outubro, em Ijuí

Árbitro: Fabrício Corrêa, auxiliado por Paulo Conceição e Edemar Palmeira

Gols: Maylson, aos oito minutos do primeiro tempo.

Cartões amarelos: Neguete, Baiano, Bronzati, Glauber, Daril(SL) Mateus Magro, Mário Fernandes(G)

Grêmio: Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Paulão, Rafael Marques e Bruno Collaço; Adilson, Mateus Magro, Roberson(Mithyuê) e Maylson(Vinícius Pacheco); Diego Clementino(Wesley) e Borges. Técnico: Renato Gaúcho.

São Luiz: Vanderlei; Bronzati, Glauber e Faccin(William); Fernando(Anderson), Daril, Baiano, Jean Paulo(André Luis) e Negueti; Alexandre e Sharlei. Técnico: Beto Campos.

fevereiro 9, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Grêmio bate Caxias e se classifica no Gauchão

Vitória confirmou Tricolor nas quartas de final da Taça Piratini

Com dois jogos de antecedência, o Grêmio garantiu classificação para a fase final da Taça Piratini. A vitória sobre o Caxias, que tinha a melhor campanha do Gauchão, garantiu o Tricolor entre os quatro primeiros colocados da chave 2. Com 14 pontos, o time gremista assume a ponta de seu grupo. Já o Caxias, mesmo com a vitória, se mantém na primeira colocação da chave 1 e espera o resultado de Inter x Veranópolis para saber sua posição.

Na quarta, o Grêmio cumpre jogo adiado devido à disputa da Pré-Libertadores contra o São Luiz, em Ijuí, às 22h. Já o Caxias joga apenas no fim de semana, no domingo, contra o Porto Alegre, às 17h.

Os primeiros toques da partida foram bonitos. Todos os jogadores tricolores tocaram apenas uma vez na bola, sem deixar a roda parar. Mas quando o Caxias recuperou, mostrou porque defendia a melhor campanha do Gauchão. Em um toque, Balthazar fez Victor ter de deixar a área e se antecipar à Lima.

A troca de passes gremista continuou vistosa. Como se em um coletivo em que só pudesse tocar duas vezes na bola, aos seis minutos, Willian magrão tabelou com André Lima. O centroavante lançou o volante às costas da zaga, sem marcação. Magrão viu Douglas na pequena área e só rolou para o meia abrir o placar.

Estreante, Rodolfo mostrou a que veio. Em lance que Lima atingiu Gilson e ficou caído, o Caxias não colocou a bola para fora de campo. Quando ela quicou em sua frente, Rodolfo jogou na arquibancada e correu em direção ao capitão do time adversário, cobrando fair play. A torcida foi ao delírio.

O esquema armado por Lisca dava liberdade para Fábio Rochemback. O 4-3-2-1 deixou o capitão gremista livre para acionar Júnior Viçosa, derrubado na intermediária, que Rochemback colocou na área. Rodolfo correu para área depois de ouvir as orientações de Renato e complicou a marcação de Neto. Pois o estreante ajeitou para Vilson se desgarrar da marcação e fazer o segundo gol gremista aos 24.

Melhor campanha do Gauchão antes de iniciar a partida, o Caxias só conseguiu levar perigo ao gol de Victor aos 38 minutos. Edenílson carregou pelo meio, acionou Lima no pivô e chutou a direita do gol do goleiro gremista. Aos 47, André Lima recebeu de Lúcio na área e quase marcou.

Sob o calor e as entradas duras do Caxias, Renato resolveu poupar dois dos principais jogadores gremistas: Gabriel, no final do primeiro tempo, e Rochemback, no intervalo. Entraram Mário Fernandes e Vinícius Pacheco, respectivamente. O Caxias também mudou, e Pedro Henrique, promessa das categorias de base caxiense e atacante substituiu o volante Felipe. Na lateral-direita, Patrício tomou o lugar de Allison.

Com as mudanças, o Caxias se postou mais a frente, dentro do campo do Grêmio. A posse de bola se inverteu, e o time visitante agora tinha mais tentativas de criação. Porque chances claras… nenhuma.

Até os 15 minutos, quando Balthazar lançou Pedro Henrique às costas de Rodolfo. O atacante dançou na frente do zagueiro e finalizou de pé esquerdo para defesa do goleiro Victor. Entretanto, ao invés de melhorar o momento do time do interior gaúcho, a chance acordou o Grêmio. Melhor postado, o dono da casa parou o ímpeto caxiense e voltou a levar perigo.

Aos 30 minutos, em escanteio batido curto, Vinícius Pacheco cruzou e Viçosa cabeceou em cima do goleiro Matheus. Logo depois, saiu para o retorno aos gramados do centroavante Borges, sem jogar desde o dia 11 de setembro de 2010.

Mesmo melhor no segundo tempo, o Caxias só conseguiu chegar com força aos 38 minutos, em lançamento de Edenílson para Pedro Henrique. Victor abafou e jogou para escanteio. Na cobrança, Balthazar levantou a bola na área e Edson Rocha subiu no quarto andar para descontar. A pressão do Caxias se intensificou no fim da partida, mas não surtiu efeito

FICHA TÉCNICA:

Grêmio 2 x 1 Caxias

Data/hora: 06/02, 17h

Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre

Gols: Douglas, aos 6min do primeiro tempo e Vilson, aos 24 do primeiro tempo(G). Edson Rocha, aos 39 do segundo tempo(C).

Cartão Amarelo: Lúcio (G) Allison, Pedro Henrique, Itaqui (C)

Público: 9.094

Renda: R$ 123.755,50

Grêmio: Victor; Gabriel(Mário Fernandes), Vilson, Rodolfo e Gilson; Fábio Rochemback(Vinícius Pacheco), Willian Magrâo , Lúcio e Douglas; Júnior Viçosa e André Lima.Técnico: Renato Gaúcho

Caxias: Matheus, Allison(Patrício), Edson Rocha, Neto e Gerley; Marcos Rogério, Felipe(Pedro Henrique), Itaqui(Rodrigo Paulista) e Edenílson; Balthazar e Lima. Técnico: Lisca.

fevereiro 5, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário