Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Washington anunciará aposentadoria nesta quinta

Coração Valente não teria mais condições cardiológicas para continuar no futebol

A coletiva convocada pelo atacante Washington para esta quinta-feira, em Mangaratiba, não trará boas notícias para a torcida tricolor. Segundo fontes ligadas ao Fluminense e ao jogador, o Coração Valente confirmará o encerramento de sua carreira. O clube alegará que a decisão é exclusiva do jogador por motivos pessoais, mas a verdadeira razão para o triste desfecho é a falta de condições médicas do jogador para praticar futebol profissional.

Diferentemente do que acontecia em toda a assinatura de contrato de Washington, o seu cardiologista particular, doutor Constantino Constantini, não está disposto a assumir a responsabilidade em mais um compromisso do jogador com o futebol profissional. Sem a assinatura de um médico responsável, condicional para a renovação do atacante com o Tricolor, Washington não pode jogar por nenhum clube. Por isso, a opção final deve ser mesmo a de pendurar as chuteiras.

janeiro 12, 2011 Posted by | Fluminense | | Deixe um comentário

Flu e Araújo: namoro antigo, enfim, se aproxima de um final feliz

Após negociação frustrada em maio, Tricolor volta a conversar em sigilo com atacante do Al Gharafa e acerto deve ser confirmado em breve

Com oito meses de atraso, Araújo, enfim, deve ser anunciado como jogador do Fluminense na próxima semana. Sonho antigo do Tricolor e do patrocinador, o atacante negociou com o clube em sigilo nas últimas semanas e entre as duas partes tudo já está acertado para que um contrato de dois anos seja assinado. A liberação do Al Gharafa, do Qatar, clube atual do jogador, também já está bem encaminhada e deve ser assinada após os 10 dias de folga de fim de ano.
Aos 33 anos, Araújo chega a Recife neste sábado para passar o Natal com a família. Seu contrato no Oriente Médio se encerra em maio de 2011 e como já deixou claro que não renovará para retornar ao Brasil, a tendência é que seja liberado para antecipar o acerto. Outro ponto favorável foi a permanência no Al Gharafa mesmo após ter as negociações bastante adiantadas com o Tricolor em maio.
Representante do atacante, seu sogro José Alberto confirmou o acerto.
– Está quase tudo certo para que Araújo já seja jogador do Fluminense. Dessa vez não devemos ter problemas com a liberação. As conversas estão bem adiantadas.
Revelado pelo Goiás, Araújo passou também por Cruzeiro e pelo futebol japonês antes de chegar ao Al Gharafa, clube que defende desde 2007. Atualmente, o Fluminense conta com cinco atacantes em seu elenco: Fred, Emerson, Rodriguinho, Washington e o jovem Matheus Carvalho.

dezembro 17, 2010 Posted by | Fluminense | , , | Deixe um comentário

Acabou! O Fluminense é bicampeão brasileiro

Em partida nervosa, Fluminense vence o Guarani por 1 a 0 e após 26 anos volta a ser campeão do Brasil

Fim de uma longa espera de 26 anos! Mesmo rebaixado, o Guarani jogou com seriedade e profissionalismo. Mesmo assim, a superioridade técnica do Fluminense pôde ser vista em campo. Emerson foi o herói, com um gols aos 17 minutos do segundo tempo, e desafogou o grito da torcida tricolor. Resultado: Fluminense 1×0 Guarani. O Brasil tem um novo campeão. E Muricy Ramalho foi tetra: três vezes com o São Paulo e uma com o Fluminense agora.

Quando Carlos Eugênio Simon apitou o início da partida, a torcida tricolor já vibrava com o possível título. Visivelmente nervoso, o time do Fluminense viu o Guarani avançando nos primeiros minutos. Aos 5 minutos, Valencia rolou para Emerson sozinho, o Sheik não conseguiu o domínio e culpou o gramado. O Fluminense foi se soltando e criando boas chances. O Guarani, despreocupado, brigava pela bola.

O Fluminense seguiu melhor em campo, mas investidas de Apodi pela direita assustavam a equipe tricolor. Com mais posse de bola, o Guarani valorizava o jogo e via o nervosismo dos tricolores aumentar cada vez mais. Os jogadores do Guarani discutiam entre si e parecia que era o Bugre que lutava pelo título.

Emerson e Conca fizeram grande tabela, o Sheik recebeu dentro da área e chutou em cima de Aílson. No rebote, Fabiano e Aílson trombaram e a zaga bugrina afastou de qualquer maniera. Na sequência, Mariano cruzou para Fred que cabecou para defesa segura de Emerson. Em um escanteio, o Bugre quase abre o marcador. Após cabeçada de Aílson, Reinaldo dominou, mas foi interceptado por Ricardo Berna. O Fluminense tentou, mas nada de gol.

As duas equipes voltaram sem mudanças. Logo no primeiro minuto, o Fluminense quase marcou com Emerson. Na sequência, Carlinhos agrediu Paulinho, mas Simon não viu. Aos 12 minutos, Julio Cesar, mal em campo, sentiu cãibras e teve que deixar o gramado. Precisando do gol, Muricy chamou Washington e partiu para o time com três atacantes.

Aos 16 minutos, finalmente o gol do Fluminense chegou ao gol e a torcida explodiu! Carlinhos cruzou da esquerda, Washington desviou e Emerson mandou para o fundo do gol. Delírio no Engenhão. Com o gol sofrido, o Guarani partiu para o ataque. Márcio Careca deixou o gramado para a entrada de Geovane.

Querendo defender a equipe, Muricy sacou o goleador Fred e colocou Fernando Bob em seu lugar, mantendo Washington e Emerson no ataque. O Fluminense voltou a errar passes bobos e viu o Guarani tentar criar alguma boa jogada. Mesmo na frente no marcador, a ansiedade foi tomando conta da equipe do Fluminense. A torcida, ainda tímida, ensaiava alguns gritos. Emerson sentiu a perna e deixou a equipe para a entrada de Rodriguinho.

O tempo foi passando e torcida do Fluminense foi se soltando. O Guarani parou de atacar e viu o Fluminense dominar a partida. Algumas boas chances foram criadas, mas o segundo gol não tinha necessidade de acontecer. Após 26 anos, o Fluminense volta a levantar o título Brasileiro. Emoção por todo o Engenhão e por todo o Rio de Janeiro. Os tricolores podem soltar o grito, porque em 2010, o Brasil é verde, branco e grená! Parabéns, Fluminense! Parabéns, torcida tricolor!

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 0 GUARANI

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 5/12/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Altermir Hausmann (RS) e Roberto Braatz (PR)
Renda e público: R$ 2.859.450,00 / 35.527 pagantes / 40.995 presentes
Cartões amarelos: Paulinho, Fabiano, Aílson e Maycon (GUA); Emerson, Mariano e Gum (FLU)
Cartões vermelhos: –
Gols: Emerson 17’/2ºT (1-0)

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diguinho, Julio Cesar (Washington 12’/2ºT) e Conca; Emerson (Rodriguinho 32’/2ºT) e Fred (Fernando Bob 23’/2ºT) – Técnico: Muricy Ramalho.

GUARANI: Emerson, Guilherme Mattis (Pablo 24’/2ºT), Aislan e Ailson; Apodi, Maycon, Paulinho, Ronaldo, Márcio Careca (Geovane 21’/2ºT) e Fabiano; Reinaldo (Douglas 28’/2ºT) – Técnico: Vagner Mancini.

dezembro 5, 2010 Posted by | Fluminense, Guarani | | Deixe um comentário

Flu vence de virada e fica com a mão na taça

Desmotivado, Palmeiras sai vencendo, mas vê o Fluminense virar o jogo e ficar a 90 minutos do título Brasileiro

Em jogo da união das torcidas, o Fluminense venceu o Palmeiras, de virada, por 2 a 1, na Arena Barueri, e ficou próximo de conquistar o título Brasileiro. No próximo domingo, basta o Fluminense vencer o Guarani, já rebaixado, no Engenhão, para ficar com a taça. Caso o time não vença, dependerá dos resultados dos jogos de Corinthians e Cruzeiro para obter pela segunda vez o troféu da competição.

A partida começou com o Fluminense tomando a iniciativa. Porém, aos 4 minutos, o Palmeiras surpreendeu. Leandro Euzébio falhou e Dinei acertou uma bomba, inapelável para Ricardo Berna. O atacante do Verdão não comemorou. O Fluminense voltou a atacar e, após cruzamento, Emerson carimbou o travessão de Deola. No rebote, o mesmo Emerson, em impedimento, perdeu um gol feito.

De tanto pressionar, aos 18 minutos o Tricolor chegou ao empate. Carlinhos passou pela defesa e bateu de perna direita, no ângulo de Deola, que, atrasado, não chegou na bola. O gol do time visitante, de forma inusitada, contou também com a vibração da torcida do Palmeiras. Visivelmente sem motivação, os jogadores do Palmeiras tiravam o pé em algumas bolas. Deola, com boas defesas, era vaiado pela torcida palmeirense e até mesmo xingado em alguns lances.

Assista aos gols da virada do Flu sobre o Palmeiras

Aos 31, Deco sentiu a coxa e teve que deixar a partida. A torcida pediu e Muricy atendeu, colocando Tartá em seu lugar. Cinco minutos depois, o Flu teve uma grande chance de virar. Conca encontrou Fred sozinho. O goleador rolou para Emerson, que por pouco não mandou para a rede. O Tricolor tentou, mas não chegou à virada ainda na primeira etapa.

O Palmeiras voltou com uma mudança para o segundo tempo. O garoto Fernando entrou na vaga de Marcos Assunção. Aos 8 minutos, Fred teve a melhor chance do jogo. Após belo passe de Conca, o goleador invadiu a área e mandou por cima do gol de Deola, para desespero dos tricolores.

Porém, aos 13, a torcida soltou o grito engasgado. Após chute de Emerson, Deola rebateu e Tartá colocou no canto direito para virar a partida na Arena Barueri. Sem aspirações em campo, o Palmeiras olhava o Fluminense jogar. Kléber arriscou de longe e obrigou Berna a fazer boa defesa. A partida ficou parada e as duas equipes pouco criando. Aos 31, Dinei, autor do gol do Palmeiras, deixou o gramado muito vaiado.

Sem atacar, o jogo ficou mesmo na vitória do Fluminense e a taça cada vez mais próxima. Na próxima rodada, o Tricolor encara o Guarani, no Engenhão, para confirmar o título. Basta uma vitória par ao Tricolor, após 26 anos, voltar a levantar o título Brasileiro. Já o Verdão encerrará sua participação no Brasileiro contra o Cruzeiro, que ainda briga pelo título, em Sete Lagoas (MG).
FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 1 X 2 FLUMINENSE

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Marrubson Melo Freitas (DF)
Renda/público: R$ 393.596,00/ 11.291 pagantes
Cartões amarelos: Pierre e Luan (PAL); Tartá (FLU)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Dinei, 4’/1ºT (1-0); Carlinhos, 18’/1ºT (1-1) e Tartá 13’/2ºT (1-2);

PALMEIRAS: Deola; Márcio Araújo, Maurício Ramos, Leandro Amaro e Gabriel Silva; Pierre, Marcos Assunção (Fernando, intervalo) e Tinga; Luan (Lenny, 10’/2ºT), Dinei (Vinícius, 31’/2ºT) e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Diguinho, Valencia, Deco (Tartá, 31’/1ºT) e Conca; Fred e Emerson (Rodriguinho, 36’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

novembro 28, 2010 Posted by | Fluminense, Palmeiras | | Deixe um comentário

Fluminense enfrenta Palmeiras podendo ser campeão antecipado

Equipes vão se enfrentar na Arena Barueri. Combinação de resultados pode fazer Flu ser tricampeão nesse domingo

Nada melhor do que superar um grande algoz para certificar um título. Esse é o papel do Fluminense, que irá à Arena Barueri, domingo, às 17h, enfrentar um Palmeiras que ainda digeriu a eliminação da Copa Sul-Americana.

Uma combinação de resultados pode já dar ao Fluminense seu tricampeonato nacional no domingo. Para isso acontecer, basta os rivais Vasco e Flamengo ajudarem. Caso o Vasco derrote Corinthians, no Pacaembu, e o Cruzeiro não vença o Flamengo, o Tricolor Carioca poderá soltar o grito de campeão.

RÁDIO L! Tabelinha: Fim de semana de título no Brasileirão?

Já pelo lado do Palmeiras, a situação é complicada. A derrota por 2 a 1 para o Goiás, na última quarta-feira, decretou o fim do sonho da classificação à Copa Libertadores.

Para fechar o ano com saldo positivo, nada melhor do que vencer as duas partidas finais, certo?

Não é a maneira que a torcida pensa. Caso o Palmeiras derrote o Fluminense, o maior beneficiado será o arquirival Corinthians, vice-líder do Campeonato Brasileiro. O fato – inusitado – faz com que os torcedores, através da internet, manifestem-se a favor de uma entrega da partida para o Tricolor Carioca.

A corrente para não colaborar com o arquirival Corinthians é tão grande que até o diretor de futebol do Palmeiras, Antonio Carlos Corcione, deu declarações fortes a respeito da partida entre Palmeiras e Fluminense.

– Convoco os torcedores do Fluminense que venham a São Paulo, porque tenho certeza que esse será o jogo do título. Esse vai ser o jogo que o Fluminense vai respirar aliviado. Tenho certeza que será uma tarde bastante agradável para o torcedor do Palmeiras e do Fluminense. Será o jogo do título e vamos torcer para que tudo dê certo – afirmou o dirigente.

Alheio as especulações, o técnico Luiz Felipe Scolari deverá manter o time que vinha atuando no Campeonato Brasileiro. Time, esse, de reservas.

Desta forma, as ausências confirmadas ficam por conta de Patrik e Fabrício, suspensos por terem levado o terceiro cartão amarelo, além do zagueiro Gualberto, que foi expulso diante do Atlético-MG, no fim de semana passado.

Já pelo lado do Fluminense, as coisas parecem, enfim, entrar nos eixos. O Tricolor poderá, enfim, contar com seu quarteto tão badalado pela primeira vez. Deco, Conca, Emerson e Fred treinaram bem ao longo da semana e têm tudo para entrarem jogando de início na Arena Barueri.

Fato, esse, tratado abertamente por Muricy, que não deverá ter Emerson durante os 90 minutos da partida.

– São jogadores de qualidade. O Emerson não joga faz algum tempo e é uma coisa natural sentir falta de ritmo de jogo. Só se ganha jogando e nós esperamos, pela qualidade que ele tem, que este problema seja minimizado – afirmou Muricy, próximo de conquistar seu quarto título brasileiro.

Além do time completo, o Fluminense terá grande apoio de seus torcedores. Cerca de 11 mil ingressos foram destinados aos torcedores tricolores, que prometem lotar o estádio em Barueri para, quem sabe, comemorar o título nacional que não é conquistado desde 1984.

L! no Ar analisa rodada que pode definir o campeão

L! no Ar analisa rodada que pode definir o campeão

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS X FLUMINENSE

ESTÁDIO: Arena Barueri, Barueri (SP)
DATA/HORA: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
ÁRBITRO: Wilton Pereira Sampaio (DF)
AUXILIARES: Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Marrubson Melo Freitas (DF)

PALMEIRAS: Deola, Vitor, Maurício Ramos, Leandro Amaro e Gabriel Silva; Pierre, Marcos Assunção, Márcio Araújo e Tinga; Luan e Kleber.
TÉCNICO: Luiz Felipe Scolari.

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio, Carlinhos; Valencia, Diguinho, Deco e Conca; Emerson e Fred. TÉCNICO: Muricy Ramalho.

novembro 27, 2010 Posted by | Fluminense, Palmeiras | | Deixe um comentário

Sob a batuta de Conca, Fluminense vence e é o novo líder do Brasileirão

Camisa 11 marcou dois gols e participou dos outros dois da vitória do novo líder do Brasileirão

O Fuminense é o novo líder do Brasileirão. Neste domingo, o Tricolor Carioca venceu o São Paulo por 4 a 1, fora de casa na Arena Barueri, graças a uma grande atuação do argentino Conca e assumiu a liderança da competição, já que o Corinthians apenas empatou em 1 a 1 com o Vitória, em Salvador.

Com o triunfo, o Fluminense chegou aos 65 pontos. O Corinthians foi aos 64 com o tropeço diante do Vitória.

O jogo:

Desde o início da partida o Fluminense partiu em busca do que lhe interessava: o gol. Atuando pelas laterais do campo com Mariano e Carlinhos, só o Tricolor Carioca jogava na Arena Barueri. Aos quatro minutos veio a primeira oportunidade de gol. Conca foi à linha de fundo pela direita e cruzou. Washington, sem marcação, cabeceou para fora.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Aos oito minutos, após escanteio, Alex Silva escorou e o zagueiro Gum, sem marcação, cabeceou para fora. No minuto seguinte mais uma chance Fluminense. Mariano, em jogada individual, partiu em velocidade e finalizou para a defesa se Rogério Ceni, que deu rebote. Washington marcou e acreditou ter colocado um ponto final no seu jejum de gols. No entanto, o camisa 99 da equipe carioca, estava em posição ilegal.

O São Paulo, que até o momento só se preocupava em conter o ímpeto do Fluminense, resolveu ‘entrar’ na partida. Aos 17 minutos, o veloz Lucas partiu em velocidae e finalizou para a defesa de Ricardo Berna. No minuto seguinte foi a vez de Carlinhos Paraíba arriscar de fora da área.

No entanto, a pressão paulista ficou por aí. O Fluminense seguia buscando o ataque, uma vez que o Corinthians vencia o Vitória, em Salvador. Mariano não tinha dificuldades para percorrer a ‘Avenida Richarlyson’ tamanha era a facilidade em vencer a marcação do lateral do São Paulo. Aos 22, o sempre veloz Mariano, partiu novamente em velocidade e passou para Fred. O camisa 9 furou e Washington por pouco não alcnçou. A pressão do Fluminense só continuava. Aos 33, Carlinhos venceu a marcação de Jean e finalizou para a boa defesa de Ceni.

Recompensa para o Fluminense:

De tanto buscar, o Fluminense foi recompensado. Aos 34 minutos, Conca cobrou escanteio pela direita e Gum, vencendo a marcação de Xandão, cabeceou sem chances de defesa para Rogério Ceni. Fluminense 1 a 0 em Barueri.

Mas o São Paulo não estava a passeio. Aos 37 minutos, Jean cruzou pela direita, Lucas Gaúcho cabeceou e a bola caprichosamente tocou em Ricardo Berna deixando as quatro linhas.

Eis que nas arquibancadas da Arena do Barueri tanto a torcida do São Paulo, quanto a do Fluminense comemoravam. O motivo? Viáfara, goleiro do Vitória, empatava o duelo diante do Corinthians, o que fazia Fluminense assumir, provisoriamente, a liderança do Brasileirão. Fred quase ampliaria já na parte final da primeira etapa. Aos 44 minutos, o atacante finalizou com estilo de fora da área e Rogério Ceni se mostrou atento fazendo a defesa.

Segundo tempo:

O São Paulo veio com mudança para a segunda etapa. Ilsinho, lateral-direito de origem entrou na vaga de Marlos. Mostrando mais vontade em campo, o São Paulo chegou a ter a posse de bola, mas não teve a tranquilidade para chegar ao gol de Ceni. Já o Fluminense só não ampliou pois Washington, pecou e muito. Aos nove minutos, Fred recebeu e passou para Deco. O camisa 20 cruzou e Washington, sem marcação, dominou e finalizou para fora.

O castigo para o Fluminense veio na sequência. Aos 11 minutos, após rápdida jogada pela direita, Jean cruzou, Lucas Gaúcho tocou de letra e a bola acabou desviando no zagueiro Leandro Eusébio e entrou. São Paulo 1 x 1 Fluminense.

São Paulo fica com dois a menos em campo:

Ciente da necessidade de voltar a ficar na frente, o Fluminense tinha de driblar a ansiedade. Pecando na hora de finalizar, o Fluminense passou a ficar com boa vantagem numérica em campo. Aos 17 minutos, Xandão fez falta em Fred e como era o último homem da defesa são-paulina, foi expulso. Carpegiani sacou Fernandão e colocou o zagueiro Renato Silva. Mas de nada adiantou a precaução do técnico do São Paulo: aos 24, foi a vez de Richarlyson fazer falta reclamar e ser expulso.

Aos 28, o Fluminense driblou a temida ansiedade e voltou a ficar na frente. Conca recebeu de Carlinhos dominou e finalizou sem chances para Rogério Ceni. O gol do alívio veio na seguida. Com muito espaço para atacar, o Fluminense chegou ao terceiro. Conca arriscou de fora da área, Ceni deu rebote e Fred marcou. Fluminense 3 a 1.

Cabia mais. O Fluminense tinha muita facilidade para chegar ao gol de Rogério Ceni, que nada pode fazer aos 42 minutos, quando Conca recebeu de Mariano e finalizou sem defesa para o goleiro do São Paulo. Segundo gol do camisa 11 do Fluminense, que participou dos quatro gols do Fluminense. Vitória do novo líder do Campeonato Brasileiro.

Próximos compromissos:

No próximo domingo, o São Paulo enfrenta o Atlético-GO, fora de casa, no Serra Dourada, às 17h. Já o Fluminense voltar a atuar fora de seus domínios: enfrentá o Palmeiras, na Fonte Luminosa, no mesmo horário.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 1 X 4 FLUMINENSE

Estádio: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data/hora: 21/11/2010 às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
Renda/Público: R$ 169.831.59/14.410 pagantes.

Cartões amarelos: Alex Silva e Ilsinho (SPO); Leandro Eusébio (FLU)
Cartões vermelhos: Xandão, aos 17’2T e Richarlyson, aos 24’2T.

Gols: Gum, aos 34’1T(0-1); Leandro Eusébio(contra), aos 10’2T(1-1); Conca, aos 29’2T; Fred, aos 32’2T e Conca, aos 42’2T.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Jean, Alex Silva, Miranda(Xandão, aos 7’1T) e Richarlyson; Carlinhos Paraíba, Cleber Santana, Lucas e Marlos(Ilsinho, intervalo); Fernandão(Renato Silva, aos 19’2T) e Lucas Gaúcho. Técnico. Paulo César Carpegiani.

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia(Tartá, aos 28’2T), Diguinho, Deco e Conca; Fred e Washington(Rodriguinho, aos 15’2T). Técnico: Muricy Ramalho.

novembro 21, 2010 Posted by | Fluminense, São Paulo | , | Deixe um comentário

Sem corpo mole, São Paulo recebe Fluminense

Tricolores se encaram e paulistas prometem dificultar o jogo para cariocas, que disputam liderança com Corinthians

O São Paulo recebe o Fluminense, neste domingo às 17h (de Brasília), querendo fazer a sua parte. Apesar do torcedores dos paulistas pedirem para entregar o jogo, para complicar a vida do rival Corinthians, o discurso no São Paulo é de jogar para ganhar.

Pelo lado do São Paulo, muitos problemas para o técnicoPaulo César Carpegiani. Dagoberto (contratura na coxa esquerda), Ricardo Oliveira (tendinite no joelho esquerdo), Rodrigo Souto (trauma nas costas) e Fernandinho (edema na perna direita) estão vetados.

Assim, o atacante Lucas Gaúcho ganhará sua primeira chance como titular. No meio, a única dúvida. Carpegiani ainda não se decidiu entre Casemiro e Jorge Wagner, que disputam a vaga de Rodrigo Souto.

Mesmo com a torcida são-paulina para o time perder do Fluminense, o discurso no clube é completamente diferente.

– Os jogadores têm de estar conscientes de que têm de buscar o melhor dentro de campo. Nós não podemos entrar e fazer um papel secundário. Temos que nos impor em campo e buscar a vitória. A obrigação nossa é de ganhar – declarou Carpegiani.

SEM EMERSON, FLU DEVE IR COM WASHINGTON E FRED

Vetado para mais uma partida, Emerson está fora da partida diante do São Paulo. Com isso, no último treinamento realizado no Rio de Janeiro, Muricy Ramalho escalou a equipe carioca com dois centroavantes: Fred e Wasdhington. A única dúvida do treinador fica por conta de Deco e Fernando Bob. Com isso, o colombiano Valencia segue na equipe titular ao lado de Diguinho, que ficou no banco diante do Goiás.

Em relação a um possível corpo mole do São Paulo, Muricy Ramalho se mostrou irritado com as insistentes perguntas e cutucou a imprensa.

– As pessoas que estão por dentro do futebol, principalmente vocês da imprensa, precisam entender mais do futebol. Esta pergunta foi feita durante toda essa semana e, sempre quando ouço, me irrita. Talvez eu possa falar aqui algo que vocês não vão gostar. Todos no futebol são profissionais e ninguém vai fazer isso. Tenho certeza que ninguém vai amolecer no jogo e nunca vamos entrar em campo com esse pensamento, vamos entrar pra ganhar, tendo a certeza que vai ser um jogo duríssimo – disparou.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X FLUMINENSE

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 21/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Casemiro (Jorge Wagner), Cleber Santana, Carlinhos e Lucas; Fernandão e Lucas Gaúcho. Técnico. Paulo César Carpegiani.

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diguinho, Deco (Fernando Bob) e Conca; Fred e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

novembro 21, 2010 Posted by | Fluminense, São Paulo | , | Deixe um comentário

Jorge Wagner sobre o amigo Washington: ‘Me mandou tirar o pé’

Em tom de brincadeira, camisa 7 do São Paulo admite troca de ligações com atacante do Fluminense

“Alô, Jorge Wagner? Vê se tira o pé contra o Fluminense, vem devagar!”

A frase acima foi dita por Washington, atacante do Fluminense, ao amigo Jorge Wagner, meia do São Paulo. Companheiros no Tricolor em 2009 e até meados deste ano, os dois já conversaram por telefone sobre o jogo de domingo, decisivo para o time carioca. E com muito bom humor.

– Sempre tem essas brincadeiras, é uma coisa que é normal. Ele vai estar defendendo as cores do Fluminense e eu a minha parte. E quando chegar ali dentro de campo, a amizade existe, mas é cada um fazendo o seu – garantiu o camisa 7 do Sampa.

Mas a dupla de amigos e rivais não é a única que tem conversado por telefone sobre a decisão. Até Fernandinho, vetado para o jogo por dores na perna direita, sofreu “ameaças” de outro ex-são-paulino:

– O Andre Luis já ligou e falou: “Nem joga senão eu te quebro” – disse, aos risos.

Apesar do clima amistoso entre os colegas, o jogo está sendo encarado com muita seriedade pelos atletas do São Paulo. A possibilidade de entrega do jogo, para prejudicar o Corinthians na busca pelo título, está completamente descartada.

– Estamos vendo uma movimentação muito grande para que a gente entregue o jogo. Tenho encontrado torcedores e eles têm pedido isso. Não é legal. O que pode acontecer é o Fluminense pela boa equipe que tem, ganhar do São Paulo – disse Jorge Wagner.

novembro 18, 2010 Posted by | Fluminense, São Paulo | | Deixe um comentário

Flu prefere esperar partida com o Palmeiras, e Emerson está vetado

Sentindo dores residuais no tornozelo esquerdo, Sheik não pega o São Paulo. Comissão decide esperar mais uma semana para escalá-lo

Ainda não vai ser dessa vez que o Fluminense terá Emerson de volta. Sentindo dores residuais no tornozelo esquerdo, o Sheik não está em plenas condições de enfrentar o São Paulo, domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Barueri, pela 36ª rodada do Brasileirão, e a comissão técnica entrou em consenso de que a melhor opção é poupá-lo para o confronto com o Palmeiras, no dia 28, na Fonte Luminosa, em Araraquara.

Emerson, que já tinha se queixado de um incômodo no mesmo local e ficou fora da partida contra o Goiás, treinou com o grupo na quarta e quinta-feira, mas não conseguiu se livrar das dores. A intenção era de que o Sheik fizesse uma reavaliação nesta sexta, antes da viagem para São Paulo, entretanto ficou decidido que o mais prudente é esperar mais uma semana. Com isso, Rodriguinho, Tartá e Washington disputam uma vaga ao lado de Fred no ataque.

Esta será a sexta partida consecutiva da equipe sem Emerson, que sofreu uma torção no tornozelo no empate por 0 a 0 com o Botafogo pela 30ª rodada. A partida marcava justamente seu retorno ao time após 42 dias se recuperando de um estiramento na coxa esquerda. O atacante entrou em campo nove vezes com a camisa do Flu neste Brasileirão e marcou sete gols.

Com 62 pontos, o Tricolor é o segundo colocado na competição, atrás apenas do Corinthians, que tem 63 e encara o Vitória, também domingo às 17h (de Brasília), no Barradão, em Salvador.

novembro 18, 2010 Posted by | Fluminense | , | Deixe um comentário

Romário lança camisas de Fla, Flu, Vasco, América e Seleção Brasileira

Linha de produtos ainda tem sacolas com logomarca do ídolo das torcidas

O agora deputado federal Romário, herói do tetra mundial em 1994 pela Seleção Brasileira e ídolo das torcidas, especialmente dos clubes do Rio, entrou na onda de camisas retrô e resolveu lançar  linha de produtos com a sua logomarca. O site http://www.lojadoromario.com.br/principal/ estampa, nesta segunda-feira, a coleção lançada pelo eterno camisa 11.

Os vascaínos que quiserem a camisa de Romário terão duas opções: a branca com faixa diagonal preta e a preta com faixa diagonal branca. Os rubro-negros podem escolher a tradicional, com listras mais largas, e a branca, com tiras vermelhas e pretas horizontais, no centro. Os tricolores terão apenas a branca, com gola polo vermelha e manga com listras verde e grená – que o ex-atacante jamais usou, bem como a do Flamengo com listras largas.

Os americanos podem escolher a camisa rubra. As dos clubes levam a assinatura do craque. E quem preferir relembrar o tetra mundial, terá a tradicional amarelinha. Todas com o número 11 usado pelo ex-jogador. Os preços são de R$ 99,90 para as dos clubes e R$ 39,90 para a do Brasil. Além das camisas, o Baixinho vende as sacolas por R$ 29,90.

novembro 16, 2010 Posted by | Flamengo, Fluminense, Seleção brasileira., Vasco da Gama | , , , | Deixe um comentário

Site de torcida são-paulina cria campanha pró-Flu

Entrega ou não entrega? Boa parte da torcida são-paulina deve torcer contra o próprio clube no domingo

Apesar dos apelos do técnico Carpegiani em ressaltar a importância de uma vitória sobre o Fluminense, no próximo domingo, boa parte da torcida são-paulina deve mesmo torcer pelo Tricolor carioca. Ou melhor, contra o título do Corinthians.

A situação é tão inusitada que o o Site SPFC Digital, ligado à torcida do clube, criou a campanha “Doce Vigança”, em alusão à polêmica ocorrida na penúltima rodada do Brasileirão do ano passado.

Na ocasião, o Corinthians transferiu a partida contra o Flamengo – que ainda não era o líder da competição – para Campinas, e foi derrotado por 2 a 0. Num dos gols, em pênalti cobrado por Léo Moura, o goleiro Felipe nem esboçou reação, e foi acusado pelos são-paulinos de ter feito corpo mole.

Segundo um dos diretores do site, uma pesquisa realizada verificou que 82% dos torcedores desejam que a equipe entregue o jogo para o Fluminense, contra 18% que não gostariam. Com isso, decidiram divulgar a campanha por diversas redes sociais na internet. Uma charge de Rogério Ceni com a camisa do Fluminense foi criada, e os torcedores já se organizam para levar uma faixa à Arena Barueri.

– Nós temos que pensar em vencer o jogo. A torcida pode pedir o que quiser, mas temos a obrigação profissional de tentar vencer. Vamos com uma equipe forte – disse Carpegiani, após o empate contra o Vasco, por 1 a 1.

novembro 15, 2010 Posted by | Corinthians, Cruzeiro, Fluminense, Palmeiras, São Paulo | | Deixe um comentário

Flu esbarra na marcação do Goiás, fica no empate e perde a liderança

Conca marca de pênalti, mas Tricolor não passa do 1 a 1 e deixa para o Corinthians a primeira colocação do Campeonato Brasileiro

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

A vitória do Corinthians sobre o Cruzeiro, no sábado, obrigava o Fluminense a vencer no Engenhão para seguir na liderança do Campeonato Brasileiro. Mas, apesar da insistência, o Tricolor esbarrou na falta de pontaria e na forte marcação do Goiás. Assim, o empate por 1 a 1, neste domingo, tirou o Tricolor da primeira colocação. Já o time esmeraldino segue na luta contra o rebaixamento, mas, a três rodadas do fim, passa a depender de uma improvável combinação de resultados.

O Fluminense, que agora está em segundo lugar, com 62 pontos (um a menos do que o Corinthians), volta a campo no próximo domingo para enfrentar o São Paulo na Arena Barueri. No mesmo dia, o Goiás, que segue na penúltima posição, com 32 pontos, recebe o Santos no Serra Dourada. O time está a sete pontos do primeiro time fora da zona da degola.

Goiás faz marcação forte e abre o placar com Rafael Moura

Mobilizada pela importância da partida, a torcida do Fluminense encheu o Engenhão. A ideia era criar um ambiente de pressão sobre o adversário e apoio aos jogadores. No entanto, o esperado ímpeto do Tricolor não veio. E, sem muita dificuldade, o Goiás conseguiu manter a partida equilibrada.

A implacável marcação sobre Conca – principalmente a do volante Carlos Alberto – deixou o Fluminense enfraquecido. Outro responsável por armar as jogadas ofensivas, Deco se mostrava sem ritmo de jogo. Assim, Tartá e Fred pouco podiam fazer. Com a partida defensivamente controlada, o Goiás se lançou à frente e marcou seu gol aos 19 minutos. Após um passe errado de Carlinhos, Jones avançou pela direita e cruzou para Rafel Moura, que subiu para cabecear e fazer 1 a 0.

Dupla formada por Fred e Washington insistiu, mas passou em branco (Foto: Ivo Gonzalez / Agência O Globo)

O ambiente do Engenhão, inicialmente festivo, estava longe de ser um caldeirão. Fechado em sua defesa, o Goiás segurava o Fluminense na base das faltas e tentava sair nos contra-ataques. No entanto, a falta de articulação deixou a torcida tricolor impaciente, vaiando Fernando Bob e pedindo a entrada de Diguinho, que estava no banco de reservas.

Fluminense pressiona e empata em cobrança de pênalti

O pedido foi atendido, e o volante entrou em campo no segundo tempo, no lugar de Deco. O técnico Muricy Ramalho também decidiu dar nova oportunidade a Washington, que substituiu Tartá. Sob o grito de “time de guerreiros”, o Fluminense partiu para cima do Goiás e criou jogadas de perigo, mas a defesa esmeraldina conseguia salvar.

O que se viu no segundo tempo foi um verdadeiro bombardeio do ataque tricolor, enquanto o Goiás se virava como podia para afastar a bola de sua área. Principalmente pelo alto, Fred e Washington es esforçavam, mas não acertavam o alvo. Vivendo longo jejum de gols, o Coracão Valente chegou a desviar para fora uma conclusão de bicicleta do companheiro, que aparentemente levaria perigo ao goleiro Harlei.

Quando a tensão e o silêncio tomavam conta do Engenhão, um lance isolado deu a oportunidade para o Fluminense empatar a partida. Após receber uma bola espirrada, Rodriguinho foi derrubado dentro da área de forma infantil por Ernando. Conca cobrou o pênalti com força, praticamente no meio do gol, e fez 1 a 1 aos 38 minutos.

O Fluminense intensificou sua pressão, mas novamente não conseguiu se livrar da forte marcação do Goiás. A equipe tricolor pressionou, mas foi o time esmeraldino que quase marcou, com Felipe, aos 46 minutos.

Ficha técnica:

fluminense 1 x 1 goiás
Ricardo Berna, Mariano, Leandro Euzébio, André Luis e Carlinhos; Valencia, Fernando Bob (Rodriguinho), Deco (Diguinho) e Conca; Tartá (Washington) e Fred. Harlei, Valmir Lucas, Ernando e Marcão; Douglas (Wendel Santos), Amaral, Carlos Alberto (Jonílson), Marcelo Costa e Wellington Saci; Jones (Felipe) e Rafael Moura.
Técnico: Muricy Ramalho. Técnico: Arthur Neto.
Gols: Rafael Moura, aos 19 minutos do primeiro tempo; Conca, aos 38 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Mariano, Diguinho (Fluminense); Douglas, Marcelo Costa, Ernando (Goiás).
Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro. Data: 14/11/2010. Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa/RS). Assistentes: Marcelo Bertanha Barison (RS) e Tatiana de Freitas (RS). Público: 30.897 pagantes (36.227 presentes). Renda: R$ 984.475,00.

novembro 14, 2010 Posted by | Fluminense, Goiás | , | Deixe um comentário

Com Deco e Fred, Flu quer se manter na ponta

Tricolor encara o Goiás, desesperado na luta contra a degola. Vitória praticamente garante cariocas na Libertadores

Fluminense e Goiás se enfrentam no Enehão, neste domingo às 17h (de Brasília), em situações distintas. O Tricolor busca uma vitória para se amnter na liderança e ficar cada vez mais próximo do título, já o Goiás, com uma derrota, fica muito próximo do rebaixamento. Além disso, um triunfo do Flu coloca a equipe carioca muito próxima da Libertadores.

Para esta partida Muricy Ramalho mantém o suspense sobre a escalção da equipe. A dúvida fica entre Diguinho ou Valencia no meio de campo. A boa notícia é que Deco e Fred finalmente estão de volta. Já Emerson, segue sendo avaliado e tem poucas chances de ir para a partida.

– Futebol é dia a dia. O cara vai mostrando evolução e se tiver bem joga, senão, não. Eu acho que a gente conta com o Emerson, porque ele está bem melhor do que estava. Perdemos Marquinho (machucado), que marcava muito e sabia sair jogando. Contamos com a volta do Deco, que ganhamos na criação, mas perdemos na marcação. O Goiás tem um contra-ataque e uma jogada aérea perigosa, por isso testei Valencia e depois Diguinho no meio de campo. É a grande dúvida na minha cabeça – afirmou.

Caso Emerson não tenha condições, Tartá fará dupla de ataque com Fred. Washington vai para o banco. Na defesa, André Luis entra na vaga de Gum, suspenso.

ÚLTIMO SUSPIRO DO GOIÁS

A classificação para as semifinais da Copa Sul-Americana, feito inédito na história do clube, foi bastante comemorada no Goiás, mas o foco já mudou para o Brasileirão e a necessidade que o Esmeraldino tem de fazer um milagre. O time encara o líder Fluminense no Engenhão e não pode pensar em outro resultado que não seja a vitória. Sem os três pontos, o time praticamente confirma o rebaixamento para a Série B de 2011.

O técnico Artur Neto, recém contratado, ainda não teve tempo para fazer um treinamento mais intenso, por isso deve repetir a mesma formação que derrotou o Avaí pela Sul-Americana, com apenas uma modificação. O zagueiro Rafael Toloi foi expulso na última partida contra o Grêmio Prudente e será substituído por Valmir Lucas. O sistema defensivo, pior dessa Série A, foi muito bem contra o Avaí e Ernando espera repetir a atuação no Rio de Janeiro.

– Cada jogo tem a sua história. Sabemos que o Fluminense é líder, está com um time muito entrosado, mas temos que buscar uma melhor sorte. Sabemos que vai ser um jogo difícil, mas podemos fazer um bom jogo de marcação e dificultar. A torcida deles vai apoiar muito e precisamos ter cautela – apontou o zagueiro esmeraldino.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE X GOIÁS

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 14/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison (RS) e Tatiana Jacques de Freitas (RS)

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Leandro Euzébio, André Luis e Carlinhos; Fernando Bob, Diguinho (Valencia), Deco e Conca; Tartá e Fred. Técnico: Muricy Ramalho.

GOIÁS: Harlei, Valmir Lucas, Ernando e Marcão; Douglas, Amaral, Carlos Alberto, Marcelo Costa e Wellington Saci; Felipe e Rafael Moura. Técnico: Arthur Neto

novembro 14, 2010 Posted by | Fluminense, Goiás | , | Deixe um comentário

Sem estrelas, Carlinhos diz que ‘guerreirinhos estão dando conta’

Lateral elogia Fred, Deco e Emerson, mas afirma que mesmo sem
eles o time tricolor tem conseguido se manter na ponta da tabela

Fred, Emerson e Deco são, ao lado de Conca, as estrelas do Fluminense. Mas ao contrário do argentino, os três primeiros lutaram constantemente contra lesões durante todo o Brasileiro. Neste domingo, o trio pode voltar aos campos, mas, mesmo que isso não aconteça, a confiança nas Laranjeiras continua grande. Afinal, mesmo sem seus principais guerreiros, o time tem conseguido os resultados de que precisa.
– Eles foram contratados para serem titulares. São ótimos jogadores. Mas, mesmo sem eles, a gente tem ido muito bem. Os guerreirinhos estão dando conta. Não deu para eles, vai com os guerreirinhos, que resolvem. Passamos o campeonato todo entre o primeiro e o segundo lugares – disse Carlinhos.
Apesar da declaração bem-humorada, o lateral fez questão de elogiar os seus colegas. Para ele, a volta do trio ajudará muito o time tricolor na reta final do Campeonato Brasileiro.
– Estamos na esperança de tê-los à disposição. Seria importante a volta deles. E ficaria mais fácil para o Muricy escalar o time.
Neste domingo, o Fluminense encara o Goiás. O jogo será disputado no Engenhão e tem início às 17h (horário de Brasília).

novembro 11, 2010 Posted by | Fluminense | Deixe um comentário

Perto da volta, Deco avisa: ‘Ninguém sofre mais com lesões que o jogador’

Luso-brasileiro reforçará o Fluminense diante do Goiás, assim como Fred. Emerson tem chance de voltar ao time também

A semana é de boas notícias no Fluminense. Líder do Campeonato Brasileiro, com 61 pontos, o time contará com os retornos de Fred, recuperado de lesão na panturrilha esquerda, e Deco, livre das dores na coxa direita. Outro que pode voltar no domingo, contra o Goiás, pela 35ª rodada, no Engenhão, é o atacante Emerson, ainda em fase transição da fisioterapia para a preparação física. Se ficar livre das dores no tornozelo esquerdo, ele tem chance de atuar, mas seu caso requer mais cuidado.

Nesta segunda-feira, todos jogadores participaram de uma pesada atividade física na areia da praia do Leme. Deco e Fred trabalharam com o restante do elenco com corridas com elástico e cones. Já o Sheik fez uma atividade à parte. Após o treino, o luso-brasileiro desabafou sobre o período fora do time – não joga desde o dia 10 de outubro, pela 29ª rodada, na derrota por 1 a 0 para o Cruzeiro.

– Quem mais sofre com as lesões são os jogadores. Vivo mal, sou menos feliz quando não jogo e ficou mais mal humorado porque não posso fazer o que gosto. Ninguém fica mais triste e sofre mais com a lesões que os jogadores. Óbvio que a torcida sofre, até porque deseja ver o time completo, mas quem mais sofre são os jogadores – disse Deco, que brincou sobre a atividade na praia:

– Aqui é um pouco mais pesado, mais difícil, mas esse grupo é bom, gosta de trabalhar.

Washington segue tratamento no ombro

Pouco antes do fim da atividade na praia, o atacante Washington colocou uma bolsa de gelo no ombro direito e foi em direção ao ônibus da delegação tricolor. O jogador tem uma lesão e sente dores no local. Ele, inclusive, jogou no sacrifício no último domingo, no clássico contra o Vasco. Ainda assim, o camisa 99 parou para tirar fotos com os fãs e atendeu pedidos de autógrafo. Mas o camisa 99 não deve ser problema para a partida do próximo domingo.

novembro 9, 2010 Posted by | Fluminense | , | Deixe um comentário

Com aplicação, Flu resiste à pressão do Vasco, vence e continua líder

Time mantém vantagem de um ponto sobre Corinthians e Cruzeiro com o triunfo por 1 a 0. Gol da vitória, de Tartá, surgiu com três minutos de jogo

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Antes, o Corinthians havia feito a sua parte, ao derrotar o São Paulo por 2 a 0 no Morumbi. O Cruzeiro também. Venceu o Vitória no Barradão. Restava ao Fluminense derrotar o Vasco no Engenhão, neste domingo, para não deixar escapar a liderança do Brasileirão. E o triunfo ocorreu graças à aplicação tática, aliada à luta e à sorte que costuma acompanhar os campeões. O time resistiu à forte pressão do Vasco no fim. O gol de Tartá, com apenas três minutos de jogo, garantiu o 1 a 0 que leva a equipe aos 61 pontos, um ponto à frente dos outros candidatos ao título, a quatro rodadas do fim do Brasileirão 2010.

A torcida respondeu nas arquibancadas com a costumeira empolgação. A notícia ruim para o tricolor que viu pela TV ou esteve presente ao Engenhão na noite deste domingo – o público, de pouco mais de 16 mil pagantes, com mais de 20 mil presentes, voltou a decepcionar – é que o meia Marquinho, numa trombada com o próprio colega de time, o zagueiro Leandro Euzébio, deixou o campo com suspeita de fratura no braço.

Tartá corre para o abraço: gol logo aos três minutos garante liderança para o Flu (Foto: Photocamera)

Houve também tumulto no fim da partida. Do lado do Vasco, não faltaram reclamações contra o árbitro Péricles Bassols, que foi cercado pelos jogadores. A maior queixa foi pela forma como terminou a partida. A bola havia sido alçada na área para Fumagalli cabecear. Fernando Prass, Fágner e Nunes foram os que mais reclamaram. O atacante, inconformado também com Leandro Euzébio, chegou a esperar o zagueiro tricolor descer no túnel para o vestiário com intenção de agredi-lo. Acabou contido  pelo zagueiro Dedé e o técnico PC Gusmão.

Na briga pelo título,  o Fluminense receberá o Goiás também no Engenhão, no próximo domingo, pela 35ª rodada. No mesmo dia, em São Januário, o Vasco vai encarar o São Paulo.

Gol no começo do Flu

No primeiro tempo, o Tricolor aproveitou-se dos erros de marcação e da lentidão do Vasco para obter com justiça a vantagem no marcador,  ainda que nos minutos finais tenha levado uma pressão do adversário, que acertou principalmente o buraco criado entre os seus setores

O jogo já começou com muita emoção. O técnico PC Gusmão surpreendeu ao escalar o Vasco no 4-3-3. Em vez de começar com o volante Jumar, optou por Jonathan na frente fazendo companhia a Eder Luis e Nunes. E logo no primeiro minuto, o camisa 15, pela direita, tratou de aproveitar bem a chance de começar como titular. Pela direita, centrou na medida para Nunes. O centroavante bateu pelo alto e perdeu uma grande oportunidade de abrir o placar.

O susto não abalou o Fluminense, mais interessado em campo por uma vitória. Num contra-ataque iniciado por uma “pipocada” de Felipe, que perdeu a bola, Tartá dominou a bola e serviu Washington pela meia esquerda. O atacante cortou Cesinha para o meio e bateu cruzado. Fernando Prass espalmou nos pés de Tartá, que se antecipou à defesa cruzmaltina e escorou para as redes, aos três minutos, abrindo o placar para o Tricolor.

Erros cruzmaltinos

Com a desvantagem no placar logo no início, o Vasco se viu obrigado a sair mais ainda para o jogo. Só que a saída de bola era lenta para servir Felipe. Com isso, o ataque, apesar de contar com três jogadores, pouco rendia porque não era municiado. E o meio-campo, com menos um na marcação, perdia a maioria das jogadas e deixava buracos na defesa, que errava na saída de bola.

Leandro Euzébio, de atadura, e Eder Luis travam
grande duelo no clássico. Tricolor leva a melhor
(Foto: Marcelo Sadio / Site Oficial do Vasco)

Numa delas, Washington, livre no meio, serviu Conca na esquerda. O camisa 11, que andava marcado ora por Romulo ora pelo camisa 8 Rafael Carioca, dessa vez não tomou conhecimento e bateu cruzado. Prass foi bem na bola e espalmou para escanteio. Logo depois, Carlinhos, também pela esquerda, teve chance semelhante, mas bateu fraco.

Se o esquema defensivo cruzmaltino mostrava falhas de marcação e erros na saída de bola, além da lentidão, o ferrolho montado por Muricy dava poucas chances ao adversário de criar. Favorecida pela boa marcação do meio-campo, que fechava bem os lados para evitar os avanços dos laterais Fágner e Max, a zaga tomava conta da área.  Leandro Euzébio, com atadura após uma contusão na cabeça, ditava a disposição. No meio, Valencia, Fernando Bob e Marquinhos lutavam pela bola. Tartá e Washington, bem, se movimentavam na frente e criavam.

Vasco quase empata

A partir dos 33 minutos, após Mariano arrancar pela direita e bater para Dedé desviar a bola para escanteio e assustar Fernando Prass, o panorama mudou. A marcação vascaína adiantou, aproximando o meio do ataque. Com menos buracos, o toque de bola melhorou. Nunes teve boa chance mas foi travado por Gum. Eder Luis e Jonathan se mexiam mais, abrindo espaços e chamando os laterais. Numa falta cobrada pela esquerda, Eder Luis cabeceou de costas para o gol. Ricardo Berna espalmou para escanteio.

Outro que passou a participar melhor do jogo foi Felipe. O camisa 6 vascaíno fez sua melhor jogada pela meia direita, quando ajeitou a bola e bateu de canhota, rente à trave. E no fim do primeiro tempo, a oportunidade do empate ocorreu do outro lado do campo. Mariano errou saída de bola. Max a tomou e deu um tirambaço de canhota, mas a bola perdeu a direção.

Segundo tempo

PC Gusmão reclamou da falha nas finalizações. E mandou o Vasco continuar no ataque. O Flu, com a vantagem no placar, esperava o adversário e buscava explorar os contra-ataques, principalmente com a velocidade dos laterais Mariano e Carlinhos.

Aos sete minutos, numa confusão na área, com a bola parada, Cesinha deu uma cotovelada em Conca que o árbitro Péricles Bassols não puniu. Apagado no primeiro tempo, o camisa 11 argentino pelo menos buscava mais se livrar da marcação. Do outro lado, Felipe, apesar de vigiado por Fernando Bob, crescia na armação das jogadas. Numa delas, arriscou de perna direita, que não é seu forte. Bola fora. Pouco depois, iniciou outra na medida para Jonathan, da meia-lua, mandar uma bomba que Berna salvou para escanteio, na melhor defesa do jogo.

Lento no início, Felipe cresce com o Vasco na 2ª
etapa (Foto: Marcelo Sadio / Site Oficial do Vasco)

O Vasco avançava os laterais – PC Gusmão lançou Irrazábal no lugar de Max pela esquerda. Mas foi pelo lado direito que surgiu outra grande oportunidade de empate. Mas Eder Luis bateu cruzado, à direita de Ricardo Berna, com perigo. Na jogada seguinte, Fágner tropeçou em Marquinhos, que vinha por trás e tomou a bola em condições de marcar. Demorou a cortar Prass e bater. Fágner se recuperou e salvou o Vasco de sofrer o segundo gol.

Eder Luis cansou e deu vez a Jefferson Silva. Felipe e Irrazábal trocavam de posição para aumentar o gás no meio-campo. Do lado tricolor, Tartá, cansado, sumiu. Quem apareceu bem novamente foi Mariano, que centrou na medida, mas Washington não alcançou a bola.  O que aumentou o drama tricolor.

PC Gusmão arriscou com Fumagalli no lugar de Rafael Carioca. Mais ofensivo, o Vasco insistia e Nunes por pouco não empatou. O atacante recebeu de Fágner e chutou na trave. Muricy respondeu no Flu com Thiaguinho no lugar de Tartá, cansado. Quando ia lançar Rodriguinho no de Washington, Marquinho se chocou com Leandro Euzébio e saiu com suspeita de fratura no braço.

No contra-ataque, no fim, Conca fez sua melhor jogada na partida e serviu Washington, que perdeu nova chance e irritou a torcida, tensa com a pressão do Vasco e o jejum do atacante de 12 partidas sem marcar. No apito final do árbitro, confusão. Fernando Prass e Fágner, além do resto do time do Vasco, reclamaram da forma como Péricles Bassols terminou a partida, com a equipe no ataque.  Apesar de todo o sofrimento, a festa foi tricolor no fim.

FLUMINENSE 1 X 0 VASCO
Ricardo Berna, Mariano, Leandro Euzébio, Gum e Carlinhos; Valencia, Fernando Bob, Marquinho (Júlio César) e Conca; Tartá (Thiaguinho) e Washington. Fernando Prass, Fagner, Cesinha, Dedé e Max (Irrazábal); Romulo, Rafael Carioca (Fumagalli) e Felipe; Eder Luis (Jefferson Silva), Jonathan e  Nunes.
Técnico: Muricy Ramalho Técnico: PC Gusmão
Gols: Tartá, aos três minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Gum, Conta, Tartá (Flu); Fágner, Rafael Carioca, Jonathan e Nunes (Vasco).
Estádio: Engenhão. Data: 07/11/2010. Árbitro: Péricles Bassols Cortez (Fifa/RJ). Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Ricardo de Almeida (RJ). Renda: R$ 428.265,00. Público: 16.263 pagantes.

novembro 7, 2010 Posted by | Fluminense, Vasco da Gama | , , | Deixe um comentário

Fluminense e Vasco: jogo para dar passo a frente

Tricolor busca triunfo para se mater na liderança. Já o cruz-maltino, se afastar da degola e se garantir na Sul-americana

Vasco e Fluminense se enfrentam neste domingo, às 19h30, no Engenhão. Para o time das Laranjeiras, vencer o clássico se torna essencial para permanecer no topo da tabela e ainda mais próximo do título. Já para a equipe de São Januário, o triunfo representa se distanciar da zona de rebaixamento e dar mais um passo para a Sul-americana do ano que vem.

Para a partida, o técnico Muricy Ramalho não poderá contar com o volante Diguinho, suspenso após receber o terceiro cartão amarelo. Em sua vaga, o treinador deve optar pelo colombiano Valência, que jogará ao lado de Fernando Bob.

– O Valencia é muito forte na marcação e conhece bem a posição. Já o Diguinho também tem essa marcação, mas gosta mais de sair para o jogo. Os dois gostam de jogar nesta posição e sabem muito – analisou Muricy.

A presença de Fred continua sendo uma incógnita. A comissão técnica do clube não se entende quando o assunto é o camisa 9, que vem treinando em dois turnos e trabalhará este sábado para tentar participar do clássico.

– Ele fez um forte treinamento na piscina nesta sexta-feira e, neste sábado, estará treinando – concluiu.

Problemas no ataque de um lado, problema no outro. O Vasco não terá Zé Roberto, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e a participação de Eder Luis ainda é incerta. O camisa 7 deixou o jogo contra o Grêmio Prudente com dores na coxa direita e as dores no local permanecem.Assim, a dupla Jonathan e Nunes, titular no retorno do Campeonato Brasileiro após a Copa do Mundo, pode ser a solução para domingo.

O volante Rômulo, autor dos dois gols da vitória sobre o time do Grêmio Prudente, sabe que enfrentar o Fluminense não será fácil e exalta a força do elenco tricolor.

– O Fluminense tem o Mariano, que é ótimo jogador, de Seleção Brasileira. E tem o Conca, um jogador que tem de ser marcado de perto, pois se tiver espaço, vai fazer a diferença – afirmou.

Para o capitão Felipe, conquistar os três pontos em um clássico é importante para o restante da competição:

– Vencer um clássico é sempre bom e, temos de almejar os três pontos sempre. Se possível, temos de vencer os próximo cinco jogos para deixarmos o Vasco em uma situação mais confortável e honrosa.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE X VASCO

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 6/11/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ – Fifa)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Ricardo M. F. de Almeida (RJ)

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Fernando Bob, Marquinho e Conca; Tartá (Rodriguinho) e Washington. Técnico: Muricy Ramalho

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Cesinha, Dedé e Max; Rafael Carioca, Jumar, Rômulo e Felipe; Eder Luis (Jonathan) e Nunes. Técnico: PC Gusmão

novembro 7, 2010 Posted by | Fluminense, Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Muricy: ‘Eu gosto desse desafio e essa é a minha escola’

Na reta final do Campeonato Brasileiro, técnico do Flu lembra de momentos ruins em outras equipes para valorizar o trabalho nas Laranjeiras

Acostumado com títulos e muitos desafios na carreira, o técnico Muricy Ramalho se vê diante de mais um em sua trajetória profissional. Na liderança do Campeonato Brasileiro com o Fluminense, ele reconhece que a tarefa de conquistar mais uma vez a competição não será fácil, mas garante que esse fator competitivo é que move sua vida. Conhecido pelas frases de impacto, o comandante tricolor lembrou de momentos complicados em outros clubes para exaltar sua forma de agir no trabalho.

– Já tive trabalhos duros com times que não ganhavam título há muito tempo, com pouca estrutura, salários atrasados e sem comida. Eu gosto desse desafio e essa é a minha escola, de enfrentar desafios difíceis. Aqui no Fluminense a cada partida perdemos um jogador importante.

O momento do Vasco, que não briga pelo título e nem corre o risco de rebaixamento, não faz com que Muricy considere o Fluminense favorito para vencer o clássico de domingo.

– Clássico não tem momento. Todo mundo quer jogar e ganhar. É um clássico e todo mundo vai dar seu máximo. Ganhamos só um (2 a 1 contra o Flamengo), mas também não perdemos nenhum (empatou quatro). É um jogo decisivo. Encaramos dessa forma.

Depois de ver o Fluminense brigando para não ser rebaixado em edições anteriores (2008 e 2009), o treinador comemora o fato de levar o clube para o ponto mais alto da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

– O Fluminense lutava na parte de baixo da tabela e agora está na parte de cima. Claro que tem muita coisa para arrumar, mas está no caminho certo, brigando por uma posição melhor.

O Fluminense enfrenta o Vasco, no próximo domingo, às 19h30m, no estádio do Engenhão.

novembro 6, 2010 Posted by | Fluminense | | Deixe um comentário

Empate para o tempo avaliar: Flu fica no 0 a 0 contra o Inter

Colorado tem predomínio sobre o adversário, mas morre nas mãos de Ricardo Berna no Beira-Rio

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Só o tempo dará o real valor do empate conquistado pelo Fluminense na noite desta quarta-feira, no Beira-Rio. Só em 5 de dezembro, quando estiver encerrado o Brasileirão, os tricolores poderão determinar se ficar no 0 a 0 com o Inter valeu o ouro do título ou a ferrugem da decepção. Para os colorados, o amargor é claro na quinta partida seguida sem vitória no Brasileirão. Pensar em título virou utopia.

O Fluminense avançou para 58 pontos e segue na liderança. Agora com um ponto a mais que o vice-líder, o Corinthians, que goleou o Avaí (4 a 0). O Tricolor foi beneficiado pela derrota do Cruzeiro para o São Paulo por 2 a 0. O Colorado, dono de boa parte da partida em Porto Alegre, foi a 50, ainda na sexta colocação, virtualmente eliminado da possibilidade de ser campeão.

Os cariocas voltam a campo no domingo para o clássico contra o Vasco. Os gaúchos, um dia antes, visitam o Atlético-GO.

D’Ale dominou, driblou, armou, correu. Conca recebeu, fintou, criou, incomodou. Mas nenhum dos craques conseguiu ser decisivo no primeiro tempo. O Beira-Rio, enfeitado pelo palco que receberá show de Paul McCartney no domingo, abrigou 45 minutos agitados, com erros e acertos, com avanços e retrocessos, com chances criadas e perdidas. Mas não viu gols na etapa inicial.

As melhores oportunidades foram do Inter. O problema é que parecia ter um decreto assinado pelas duas partes, em quatro vias, proibindo a bola de entrar. Diguinho, em cima da linha, cortou cabeceio de Alecsandro. Ricardo Berna, no meio do gol, abafou testada de Índio. A trave, em conclusão de Alecsandro após Berna espalmar chute de Sobis, barrou outra vez o grito de gol dos vermelhos. E o goleirão tricolor salvou mais uma em conclusão de Giuliano, após tabela com Sobis. Chances, chances e mais chances. E nada de gol.

O Flu esteve sempre presente no ataque. Mas teve contundência nula. Sempre que pintava uma chance, saía ou um chute fraquinho, daqueles que fazem o boleiro ter vontade de cavar um buraco no gramado e pular dentro, ou uma conclusão torta. Nem Conca, nem Marquinho, nem Fernando Bob conseguiram vazar a meta de Renan.

No Inter, Giuliano criou pouco. Mais errou do que acertou. D’Alessandro, bem marcado, teve vitória pessoal discreta sobre seus caçadores. Sobis correu, lutou, insistiu. Alecsandro, isolado, buscou a bola fora da área. No Flu, Marquinho e Conca se revezaram na criação, sempre lidando com uma marcação dura do Inter. Guiñazu e Wilson Matias levaram cartão amarelo e correram o risco de expulsão antes mesmo de terminar o período inicial.

Tudo na mesma: 0 a 0

De nada adiantou Gum mandar uma pancada por cima do gol. Foi inútil Marquinhos, do Inter, bater cruzado. Sem valia os cabeceios dos xarás Leandro Euzébio, espalmado por Renan, e Leandro Damião, defendido por Berna. Estava na cara que o jeito era aceitar o 0 a 0.

O segundo tempo foi uma cópia reduzida, em emoção, da etapa inicial. O jogo seguiu competitivo, pegado, com busca pelo gol de lado a lado, mas chances ficaram mais escassas. Roth tentou mexer no jogo com Marquinhos e Leandro Damião. Em vão. Muricy sacou Washington, muito discreto, e apostou em Rodriguinho. Por nada. Seguia o 0 a 0.

E seguiu mesmo com Andrezinho. O jogo do Beira-Rio viveu seu momento mais curioso aos 34 minutos do segundo tempo. O meio-campista foi a campo direto para a frente da área do Fluminense. Ali, tinha um falta a bater. O estádio viveu momentos de tensão. Era o meia, especialista em cobranças, contra Berna, em noite muito inspirada. O goleiro venceu. Voou no canto e mandou a bola a escanteio. Logo depois, Damião entrou pela esquerda e bateu cruzado, para fora.

O Fluminense matou o tempo, e o Inter tentou acelerá-lo nos minutos finais. Suor pelo suor. O 0 a 0 era definitivo.

INTERNACIONAL 0 X 0 FLUMINENSE
Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias, Guiñazu, Giuliano (Marquinhos), D’Alessandro e Rafael Sobis (Leandro Damião); Alecsandro (Andrezinho). Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Fernando Bob (Valencia), Diguinho, Marquinho, Tartá e Conca (Belletti); Washington (Rodriguinho).
T: Celso Roth T: Muricy Ramalho
Estádio: Beira-Rio. Data: 03/11/10. Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa/PR). Auxiliares: Alessandro Rocha (Fifa/BA) e José Carlos Dias Passos (PR).
Cartões amarelos: Guiñazu, Wilson Matias, D’Alessandro, Alecsandro (Inter); Diguinho, Tartá, Gum (Fluminense).
Público: 20.069. Renda: R$ 252.370,00.

novembro 3, 2010 Posted by | Fluminense, Internacional | | Deixe um comentário

Inter x Flu: duelo de gigantes para mexer com o Beira-Rio

Duas equipes repetem a mesma escalação que colocaram em campo na última rodada: confronto de gigantes no Beira-Rio

 

O confronto entre dois argentinos de fato acontecerá. Conca, o maestro argentino do Fluminense, estava confirmado. D’alessandro, no entanto, não havia treinado na segunda-feira e talvez pudesse não estar em campo. Depois do treinamento desta terça-feira, D’Ale treinou normalmente e está confirmado para o duelo contra o líder do campeonato.

Nei destacou que a partida será um marco para o Internacional. Se o resultado for de derrota, estará fora da briga pelo título.
– Os adversários estarão torcendo para a gente segurar o líder. Temos que fazer nossa parte na frente da torcida. Como a gente ainda pensa no título, não podemos ter tropeços. Temos que vencer essas seis partidas. Se o Inter perder, acabou de vez. Enquanto tivermos chances, vamos tentar, lutar até o final. Se não der, paciência – afirmou.
O Inter tem hoje 49 pontos, e está na 6 colocação, mesma pontuação do Santos. Só o título interessa ao time gaúcho, já que está garantido na Libertadores de 2011. A diferença para o líder Fluminense é de 8 pontos.

Finalmente, o técnico Celso Roth poderá repetir a escalação. O time será o considerado titular, e terá apenas o desfalque de Tinga, com lesão muscular. O jogador deve voltar apenas nas três rodadas finais do Campeonato Brasileiro, para readquirir ritmo de jogo. Sem desfalques nem jogadores suspensos com o que tem de melhor.

Já o Fluminense, que tenta se manter na ponta da tabela, segue seu martírio de desfalques. Desta vez, no entanto, a equipe que Muricy Ramalho irá colocar em campo parece ter entrado em sintonia, mesmo sem Fred, Emerson e Deco, machucados. O time deve ser o mesmo que derrotou o Grêmio, na última semana. A única novidade pode ser a entrada do atacante Rodriguinho no lugar de Julio Cesar (que foi deslocado para a meia). Mas a tendência é que Muricy mantenha o 4-5-1.

E você confere todas as emoções de Internacional x Fluminense em tempo real pelo LANCENET!, a partir das 19h30.

Internacional: Renan; Nei, Índio, Bolívar e Kléber; Guiñazu, Wilson Mathias, Giuliano e D’Alessandro; Rafael Sóbis e Alecsandro.

Técnico: Celso Roth

Fluminense: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Diguinho, Fernando Bob, Marquinhos e Conca; Julio Cesar (Rodriguinho) e Washington.

Técnico: Muricy Ramalho

Árbitragem: Evandro Rogério Roman (PR/Fifa)

Horário: 19h30 (Brasília)

novembro 3, 2010 Posted by | Fluminense, Internacional | | Deixe um comentário

Bota e Flu aprendem lição e viram exemplos

Na luta pelo título, Fluminense e Botafogo destacam nova rotina carioca: saber jogar o Brasileiro

Em novembro de 2009, Fluminense e Botafogo passavam por batalha que serviu como lição. A improvável fuga do rebaixamento de ambos resultou em planejamento e, um ano depois, a dupla tenta repetir o feito do Flamengo: ser campeão brasileiro nos pontos corridos. Aos poucos, os cariocas começam a ser personagens comuns na parte superior da tabela, resultado de um pensamento inteligente.

Diante de campanhas exemplares, Flu e Bota mostram pequenas mudanças que fizeram a diferença. Nos dois casos, os técnicos foram mantidos como peças importantes nas filosofias de trabalho. Assim como Andrade foi a cara do Fla em 2009, Muricy Ramalho e Joel Santana apontam onde os times pensam. Nos casos, o título.

Para dentro das quatro linhas, mais mudanças. Os rivais enfrentaram problemas por lesões e passaram por cima das dificuldades com um elenco de qualidade. No Bota, Joel destaca que não existem titulares e reservas. Já Muricy sabe trabalhar com as peças que tem.

A fórmula parece simples, mas a lista não conta com contratações equivocadas e salários atrasados.

Se não dá para erguer um moderno CT de um dia para o outro, por exemplo, resta aproveitar fatores mínimos para levar vantagem.

– Lógico que é bom um clube proporcionar estrutura, mas também acho que se deve saber jogar o Brasileiro. O campeonato é equilibrado e precisamos usar nossos trunfos – disse Carlinhos, lateral-esquerdo tricolor.

Para o presidente do Botafogo, Mauricio Assumpção, o clube ainda não chegou ao ideal, mas sabe quais são os passos para continuar firme entre os primeiros no futuro:

– Com um planejamento maior, servido por centro de treinamento e divisões de base, o clube vai estar sempre nas cabeças. Sem isso, o topo pode virar apenas algo eventual – afirmou.

EQUIPES CARIOCAS NA ERA DO BRASILEIRO 2003 

8° Flamengo

17° Vasco

19°Fluminense

*Botafogo

2005 

5° Fluminense

9° Botafogo

12° Vasco

15° Flamengo

2007 

3° Flamengo

4° Fluminense

9° Botafogo

10° Vasco

2009 

1° Flamengo

15° Botafogo

16°Fluminense

*Vasco

POR PONTOS CORRIDOS 

* JOGOU A SÉRIE B

2004 

9°Fluminense

16° Vasco

17° Flamengo

20° Botafogo

2006 

6° Vasco

11° Flamengo

12° Botafogo

15°Fluminense

2008 

5° Flamengo

7° Botafogo

14°Fluminense

18° Vasco

2010 

????????

????????

????????

????????

novembro 2, 2010 Posted by | Botafogo, Fluminense | | Deixe um comentário

Fluminense vence Grêmio, apaga escritas e abre folga

Tricolor carioca leva a melhor por 2 a 0, liderado por Conca

A sequência de cinco partidas sem vitória é coisa do passado para o Fluminense. Nesta quinta-feira, o Tricolor das Laranjeiras derrotou o Grêmio por 2 a 0, com gols de Conca, no Engenhão. O placar deixou olíder Flu três pontos na frente de Corinthians e Cruzeiro, além de representar o primeiro revés do clube gaúcho após nove duelos invicto.

Com 57 pontos e a seis rodadas do fim do Brasileiro, o Fluminense agora vai encarar o Internacional, no Beira-Rio. Por sua vez, o Imortal ficou com 47, fora do grupo de classificados para a próxima Libertadores, e terá o Goiás pela frente, no Serra Dourada.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

QUE CHUTE!

Empurrado pela torcida, que compareceu em bom número e encheu o estádio de pó de arroz, o Fluminense partiu para cima do Grêmio. Nos primeiros minutos, o Tricolor carioca rondou a área adversária, só que as tentativas não foram efetivas e o goleiro Victor teve pouco trabalho. Nos primeiros 15 minutos, a jogada que mais chamou a atenção foi um chute de Fernando Bob, que acertou a bola no peito do árbitro Heber Roberto Lopes, obrigado a parar o confronto por ficar sem ar.

Aos 18, mais uma trapalhada. Após Douglas lançar Vilson dentro da área, Leandro Euzébio tentou tirar e manda a bola em cima Gum. Quase gol contra. Faltava qualidade, mas Conca decidiu aparecer. No minuto seguinte, Mariano desceu pela direita e acionou o argentino, que de fora da área mandou uma bomba e correu para o abraço. Sem chances para Victor, que não chegou no canto superior direito.

A vantagem deixou o Fluminense mais tranquilo. Já o Grêmio ficou mais atento e ofensivo. Coube a Souza ligar a defesa ao ataque, que contou com Jonas, artilheiro do Brasileirão, e André Lima em noite não muito inspirada. O apoiador também foi responsável pelo maior susto no goleiro Ricardo Berna, que viu batida passar rente ao poste esquerdo.

Depois, foram as vezes dos sustos. Primeiro em cabeçada de André Lima, que raspou a trave direita após cruzamento de Jonas. Dois minutos depois, aos 44, Washington cruzou, a bola desviou em Rafael Marques e não entrou por milagre. O confronto caminhou elétrico para o intervalo.

CADA VEZ MAIS PERTO

A segunda etapa iniciou equilibrada. Flu e Grêmio até tentaram, mas erraram muitos passes. Quando a assistência foi certa, a torcida acordou. Diguinho colocou para Julio Cesar, que da entrada da área, colocou próximo da trave esquerda de Victor. A resposta do Grêmio foi imediata. Da esquerda, Lúcio achou André Lima pelo alto, que conseguiu perder na cara do goleiro rival. Por cima da barra.

Daí o duelo ganhou em disputa. O técnico Muricy Ramalho pediu tranquilidade aos comandados, mas aos 19, Gum acertou Jonas dentro da área. Penalidade não dada por Heber Roberto Lopes. Papéis invertidos, os jogadores do Grêmio perderam a cabeça e levaram três amarelos por reclamações. Aos 24, Fernando Bob foi derrubado por Paulão, mas o árbitro também mandou seguir.

Diante do resultado negativo, restou ao Grêmio avançar. Aos 29, Douglas cruzou da esquerda e Júnior Viçosa quase deixou tudo igual, em cabeceio próximo da meta. Último suspiro gaúcho. Conca tocou para Washington, que chutou cruzado. A bola passou por Victor e quando caminhava para sair, foi empurrada por Conca para o fundo do gol, aos 36. O apoiador apontou para o camisa 99, como se o tento fosse dele. Na verdade, é o da liderança.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 2 X 0 GRÊMIO

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 28/10/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gílson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
Renda/público: R$ 214.485,00 / 13.592 pagantes
Cartões amarelos: Washington, Diguinho, Gum, Ricardo Berna (FLU); Rafael Marques, Souza, Douglas, André Lima, Gilson (GRE)
GOLS: Conca, 19’/1ºT (1-0); Conca, 36’/2ºT (2-0)

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum e Leandro Euzébio; Carlinhos, Diguinho (Belletti, 42’/2ºT), Fernando Bob (Valencia, 32’/2ºT), Marquinho, Conca e Julio Cesar (Thiaguinho, 34’/2ºT); Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Rafael Marques, Paulão e Fábio Santos (Gilson, 29’/2ºT); Vilson, Souza (Diego, 35’/2ºT), Douglas e Lúcio; Jonas e André Lima (Júnior Viçosa, 26’/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

outubro 28, 2010 Posted by | Fluminense, Grêmio | , | Deixe um comentário

Valendo seis pontos: Flu e Grêmio no Engenhão

Vitória dos cariocas praticamente tira os gaúchos da briga pelo título Brasileiro e até mesmo Libertadores

Fluminense e Grêmio se encaram nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília), no Engenhão, com transmissão em tempo real pelo LANCENET!, em uma partida decisiva para ambas as equipes. Uma vitória do Fluminense, que lidera o campeonato com 54 pontos praticamente descarta o Tricolor gaúcho da briga pelo caneco (o Grêmio soma 47 pontos). Contudo, uma vitória dos gaúchos embola de vez a parte de cima da tabela.

Jogando em casa, Muricy Ramalho ainda não definiu a equipe que vai começar a partida. Mesmo com a obrigação de vencer, o treinador deve optar por uma escalação mais cautelosa, com apenas Washington no ataque e três zagueiros. O que pesa à favor desta decisão é a falta de opções para o setor – Rodriguinho e Tartá estão suspensos, enquanto Emerson e Fred continuam no departamento médico.

O treinador não revelou qual será a sua opção, mas garantiu que vem fazendo testes.

– Estamos definindo a equipe, vamos esperar. Temos poucas opções para o ataque. Estou levando o Dori e o Matheus Carvalho, que são garotos e um deles deve ser relacionado – afirmou.

Todos no Flu na torcida por fim de jejum de gols do Washington

Todos no Flu na torcida por fim de jejum de gols do Washington

O treinador ainda testou uma equipe com três defensores e em seguida colocou o time no 4-5-1, com Julio Cesar no meio, na vaga de André Luis.

REENCONTRO COM O FLU

O duelo ainda marcará o reencontro de Renato Gaúcho com o Fluminense. O treinador que passou pela equipe em diversas oportunidades, afirmou que ainda guarda boas recordações, mas que não dará colher de chá para a equipe, aonde foi ídolo.

– Todos sabem que eu gosto do Fluminense, tenho um carinho especial. Mas agora é uma partida como as outras que eu já enfrentei e eu espero manter o Grêmio nessa pegada para continuar buscando os nossos objetivos – contou.

Já o meio de campo Douglas, foi só elogios para a equipe Tricolor, em especial para o apoiador argentino, Conca.

– O time do Fluminense tem muita qualidade na parte ofensiva. Principalmente pelos pés do Conca. Se dermos bobeira na marcação, ele vai complicar o nosso jogo.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE X GRÊMIO

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 28/10/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gílson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diguinho, Marquinho, Conca e Julio Cesar (André Luis); Washington. Técnico: Muricy Ramalho

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Rafael Marques, Paulão e Fábio Santos; Vilson, Ferdinando, Douglas e Lúcio; Jonas e André Lima. Técnico: Renato Gaúcho

outubro 28, 2010 Posted by | Fluminense, Grêmio | | Deixe um comentário

Flu mira goleiro Felipe para 2011

Sondado também pelo Flamengo, ex-corintiano tem cláusula que o libera do Braga (POR) em dezembro e se animou com chance de jogar Libertadores

O Fluminense trabalha com o foco voltado para as últimas sete rodadas que vão definir o título do Brasileirão, mas nos bastidores já há movimentações visando reforçar a equipe para 2011. Entre as prioridades para a temporada está a contratação de um goleiro, e o nome escolhido é o de Felipe, ex-Corinthians e atualmente no Braga, de Portugal.

Com os direitos econômicos pertencentes a um grupo de empresários e 25% ao Bragantino, o jogador está emprestado por uma temporada com cláusula que permite a saída para qualquer clube brasileiro em dezembro. Segundo pessoas próximas ao jogador, Fluminense e Flamengo fizeram contato para contar com ele a partir de janeiro e a possibilidade de jogar a Libertadores, além dos grandes salários pagos pelo clube em parceria com o patrocinador, o deixou bastante animado. As conversas, no entanto, ainda são bem preliminares.

O empresário de Felipe, Bruno Paiva, por sua vez, garantiu não ter sido procurado por nenhum clube brasileiro e disse que o foco do jogador está nas disputas da Liga dos Campeões e do Campeonato Português.

– Existe uma cláusula no contrato que permite a saída dele para o Brasil ou para qualquer outro clube em dezembro. Mas não fomos procurados por nenhum clube brasileiro. O Felipe está no meio de uma competição importante.

Recentemente, o goleiro brasileiro se viu envolvido em uma polêmica em Portugal ao ser acusado de agressão por sua namorada. Na ocasião, Letícia Carlos revelou também que Felipe não gosta de jogar na “Terrinha” e teria muita vontade de retornar ao Brasil, apesar de ser titular do Braga.

Atualmente, o Fluminense conta com quatro goleiros no elenco: Fernando Henrique, fora da equipe por conta de uma fratura na mão, Rafael, barrado após ser contestado pela torcida, Ricardo Berna, o atual titular, e o jovem Kléver, que nunca atuou entre os profissionais.

outubro 25, 2010 Posted by | Fluminense | | Deixe um comentário

Washington tem tarde para esquecer, e Flu empata com Atlético-PR

Há nove jogos sem marcar, Coração Valente faz gol contra em 2 a 2 na Baixada. Resultado coloca cariocas na liderança e tira Furacão do G-6

O placar pode até levar a imaginar que o confronto entre Atlético-PR e Fluminense, neste domingo, na Arena da Baixada, pela 31ª rodada do Brasileirão, foi daqueles de tirar o fôlego e mostrar por que as duas equipes ocupam a parte de cima da tabela. Mas não foi bem assim. Com muita catimba e erros de passe, o duelo foi pautado no meio de campo, e o 2 a 2 se deu mais pela disposição na reta final do que pela inspiração dos jogadores . Um deles, no entanto, teve uma tarde para esquecer: Washington.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Além de chegar a nove jogos sem fazer gols pelo Tricolor – o maior jejum de sua carreira -, o Coração Valente relembrou os velhos tempos e fez a alegria da torcida do Furacão, com um gol contra. Wagner Diniz, Marquinho e Conca completaram o placar. Os episódios negativos para Washington, no entanto, não param por aí. No gol do argentino, ele pegou a bola para cobrar pênalti, para desespero da torcida tricolor, que àquela altura já imaginava mais um erro do atacante. Mas Conca mostrou personalidade, pegou a bola, bateu e empatou o jogo.

Com o resultado, o Fluminense voltou ao primeiro lugar da competição, com 54 pontos, e torce contra o Cruzeiro no clássico com o Atlético-MG, às 18h30m (de Brasília), para se manter nesta colocação. O próximo compromisso está marcado para a próxima quinta, às 21h, no Engenhão, contra o Grêmio de Renato Gaúcho.

Já o Atlético-PR não tem muito o que comemorar. Os dois pontos perdidos em casa tiraram a equipe da zona de classificação para a Libertadores. Com 47, agora o Furacão é sétimo e encara o São Paulo, também quinta às 21h, na Arena Barueri.

A partida tinha peso decisivo para atleticanos e tricolores no Brasileirão, mas, antes de a bola rolar, a competição ficou em segundo plano. Ambos entraram em campo preocupados em reverenciar o rei. Como forma de homenagear Pelé, que completou 70 anos no sábado, o Furacão exibiu uma faixa com os parabéns pela data, enquanto o Fluminense fez com que duas de suas principais estrelas usassem a camisa 10 com o nome do craque: Muricy Ramalho e o argentino Conca, que deixou a idolatria a Maradona de lado.

Após o apito inicial de Wilson Luiz Seneme, no entanto, o futebol apresentado foi digno de envergonhar o maior jogador de todos os tempos. Burocráticos, Fluminense e Atlético-PR fizeram uma partida marcada por jogadas no meio de campo e muitas faltas. Conca e Paulo Baier não estiveram em seus melhores dias, e os goleiros Ricardo Berna e Neto se transformaram em meros espectadores.

Mesmo fora de casa, o Tricolor suportou bem a pressão do “caldeirão” da Baixada e foi quem mais permaneceu no campo ofensivo. Faltava, porém, qualidade para Washington e Rodriguinho, que não conseguiam finalizar na direção do gol. Apoiado pelo torcedor, o Furacão se mandou de forma objetiva para o ataque somente nos 20 minutos finais, apostando na velocidade de Guerrón e Branquinho. Nada muito eficiente e que resultou em apenas uma boa oportunidade desperdiçada pelo equatoriano.

Bolas paradas ‘acordam’ Neto e Berna

Apesar de o espetáculo em campo não ser dos mais empolgantes, a torcida do Atlético-PR não perdia o pique e gritava incessantemente o nome do clube. Contagiados, os jogadores resolveram se mandar para o ataque a partir do 40 e fizeram, enfim, com que os goleiros trabalhassem. Paulinho para os paranaenses e Washington para os cariocas cobraram faltas com precisão para voos certeiros de Ricardo Berna e Neto. Foi o único acerto de Washington na partida.

Washington ‘encerra’ jejum

Na volta para o segundo tempo, o panorama mudou pouco: as duas equipes continuavam errando bastante no meio e atuavam com uma displicência que não condizia com a importância da partida. Na arquibancada, o torcedor também permanecia inquieto e apoiando o Atlético-PR.

Sonolento, o Fluminense passou a dar espaços na defesa, principalmente pelo lado direito. Foi por ali que Paulinho levou perigo em jogadas de linha de fundo e Branquinho conquistou o escanteio que tirou o primeiro zero do placar, aos 15. Após cobrança fechada de Paulo Baier, Marquinho afastou o perigo, mas a bola voltou para os pés do meia, que  levantou mais uma vez na área. A bola voou e encontrou a cabeça de Washington, maior artilheiro da história do Brasileirão com 34 gols, em 2004, com a camisa do Furacão. O desvio mandou contra o patrimônio: 1 a 0 no placar e gritos irônicos dos torcedores paranaenses para o ex-artilheiro.

A fase do Coração Valente realmente não é das melhores. Como se não bastasse o gol contra, ele completou nove jogos sem balançar a rede a favor do Flu, maior jejum de sua carreira.

A vantagem fez com que o torcedor do Atlético ficasse ainda mais inquieto e o grito de “uh, caldeirão” tomou conta da Arena. Para piorar, o Fluminense aumentou sua lista de lesionados e perdeu Diogo, com uma torção no joelho. Mas foi exatamente com tudo contra que os cariocas mostraram força e conseguiram o empatar, aos 24, quando Diguinho tentou passe para Rodriguinho e a bola sobrou limpa para Marquinho. Com a perna direita (que não é a boa), o apoiador acertou um chutaço no canto esquerdo de Neto.

A igualdade fez com que a partida voltasse ao ritmo morno do início, com toques para o lado e pouca objetividade. Até que, aos 38, Wagner Diniz avançou pela direita e cruzou rasteiro para Nieto. O argentino se enrolou todo, mas a bola voltou para os pés do lateral, que estufou as redes de Ricardo Berna: 2 a 1 e mais gritos enlouquecidos na Arena.

Conca ‘briga’ com Washington, chama a responsabilidade e empata

Sete minutos para o fim, vantagem no placar, torcida apoiando. Tudo estava a favor do Atlético-PR. O Flu, por sua vez, não desistiu e foi buscar a igualdade mais uma vez quatro minutos depois. Em jogada rápida, Tartá, dispensado pelo Furacão no início do Brasileirão, aproveitou descuido da defesa, invadiu a área e recebeu uma trombada do paraguaio Ivan Gonzalez. Pênalti assinalado corretamente, mas que revoltou o torcedor, que trocou o “uh, caldeirão” por “vergonha”.

Enquanto isso, uma dúvida no Flu: quem cobraria o pênalti? Washington abraçou a bola, mas foi impedido por Conca, que chamou a responsabilidade para si e decretou o empate.

– Pedi, sim. A gente tem um bom diálogo – confirmou o argentino, após o jogo.

ATLÉTICO-PR X FLUMINENSE
Neto, Elder Granja (Wagner Diniz), Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Vítor (Nieto), Paulo Baier e Branquinho (Ivan Gonzalez); Guerrón e Bruno Mineiro. Ricardo Berna, Thiaguinho, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos (Julio Cesar); Diogo (Fernando Bob), Diguinho, Conca e Marquinho; Rodriguinho (Tartá) e Washington.
Técnico: Sérgio Soares. Técnico: Muricy Ramalho.
Gols: Washington contra, aos 15, e Marquinho, aos 24, Wagner Diniz, aos 38, e Conca, aos 42 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Paulinho e Bruno Mineiro (ATL-PR) Rodriguinho e Carlinhos (FLU).
Local: Arena da Baixada, em Curitiba. Data: 24/10/2010. Árbitro:Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP) . Auxiliares: Marco Antônio Martins (SC) e Angelo Rudimar Bechi (SC).

outubro 24, 2010 Posted by | Atlético-PR, Fluminense | , | Deixe um comentário