Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Vozão segura o empate e tira o Fla na Copa do Brasil

Rubro-Negro abriu 2 a 0, mas Ceará empatou e usou vantagem conquistada no Rio para assegurar a vaga para as semifinais

E a Carroça Desembestada freou o Bonde do Mengão mais uma vez. Em jogo emocionante, lá e cá, o Flamengo deu adeus à Copa do Brasil ao empatar em 2 a 2 com o Ceará na noite desta quarta-feira, no Presidente Vargas. Após abrir dois gols de diferença, com Thiago Neves, no primeiro tempo, o time carioca sofreu o empate ainda nos 45 minutos iniciais, com dois de Washington, o que bastava para o Vozão carimbar a vaga após vitória no jogo de ida.

Com o resultado em casa, o Ceará se classifica para a semifinal da Copa do Brasil, na qual enfrenta o Coritiba, que mesmo com a derrota para o Palmeiras no jogo de volta por 2 a 0, passou de fase por causa da goleada no Couto Pereira.

Receba primeiro as notícias do Mengão no seu celular!

Pura emoção: Fla abre 2 a 0 e Vozão corre atrás do placar

O jogo começou com o Flamengo se sentindo em casa. Ronaldinho, com um semblante sério, parecia querer mostrar aos que o vaiaram na última quinta-feira que ainda é tem um grande futebol a mostrar ao distrubuir boas jogadas para o ataque.

O Rubro-Negro pressionou. Ainda antes dos vinte minutos, já eram sete finalizações contra o gol de Fernando Henrique. Tragédia anunciada. Aos 19, Thiago Neves recebeu passe milimétrico de Ronaldinho, aquele que queria calar a boca dos críticos. O camisa 7 dominou livre dentro da área e teve trabalho apenas de escolher o canto para abrir o placar.

O time carioca não diminuiu o ritmo. O bombardeio contra o gol cearense continuava e Willians, como um paredão, não deixava a bola ultrapassar a linha do meio campo. E Thiago Neves decidiria novamente.

Nove minutos depois de abrir o placar, o meia, em jogada individual, bateu de canhota de fora da área no cantinho, sem chances para Fernando Henrique. Era o segundo do Fla, que com o gol, se classificava às semifinais.

O Ceará partiu para o desespero e uma substituição do técnico Vagner Mancini mudou o rumo do primeiro tempo. No Vozão, que já tinha perdido o lateral-direito Boiadeiro aos nove, machucado, – Diego Macedo foi o escolhido par a vaga -, entrou o atacante Osvaldo no lugar do lateral-esquerdo Vicente. E o baixinho que vestiu a camisa 17 mudou o estilo dos donos da casa.

Aos 35, ele sofreu e bateu a falta que Washington cabeceou para diminuir, 2 a 1. Três minutos depois o próprio conseguiu a expulsão de Ronaldo Angelim, que após falta na entrada da área recebeu o segundo amarelo, com a ajuda do juiz. O Ceará se animava cada vez mais.

E o empate não demorou muito. Após cobrança de escanteio, Thiago Humberto disputou no alto com Willians e a bola sobrou para Washington, novamente, chutar meio torto e deixar tudo igual aos 41.

E um lance no finalzinho da primeira etapa descreveria as emoções dos 45 minutos iniciais. Léo Moura para Wanderley, que devolveu de cabeça e deixou o lateral-direito cara a cara com Fernando Henrique. O chute, por cima do goleiro, saiu fraco e Michel conseguiu desviar. Mas no desespero do volante, a bola acabou acertando o travessão e, mais impressionante, sobrou para Wanderley, que, livre, cabeceou novamente na trave. Os times foram para o vestiário.

Mas as emoções não pararam por aí. Após o apito de Sandro Meira Ricci, os jogadores rubro-negros foram tirar satisfação com o árbitro. A polícia entrou em ação e um deles acertou Ronaldinho com um escudo. O técnico Vanderlei Luxemburgo, indignado, tirou seus jogadores de perto e continuou reclamando. Resultado, o treinador foi expulso.

Jogo perde em velocidade, mas não em emoção

O segundo tempo começou em marcha um pouco mais lenta que o primeiro. Mas isso não quis dizer que não houve emoção. O Fla, precisando de mais um gol, mesmo com um homem a menos, tomava a iniciativa dos ataques.

E Fernando Henrique, experiente em confrontos contra o Rubro-Negro em sua época de Fluminense, entrou em cena. Depois de Wanderley acertar uma meia bicicleta perigosa no início da etapa, Thiago Neves teve a melhor chance dos 45 minutos finais. Cara a cara com o goleiro após passe do próprio Wanderley, o camisa 7 bateu, mas o camisa 1 do Vozão fez grande defesa.

O Ceará usou as substituições. Aos 28 minutos do segundo tempo, já queimava a terceira, com a entrada de Eusébio no lugar de Thiago Humberto. E o camisa 17 entrou bem. Aos 28, de fora da área, ele obrigou Felipe a fazer grande defesa.

O Fla dependia de Ronaldinho que, cansado, não era o mesmo do primeiro tempo, assim como Thiago Neves. Errando muitos passes, o time carioca não conseguia finalizar com tanta frequência.

O técnico Vanderlei Luxemburgo resolveu apostar no jovem Negueba. Aos 31, ele tirou Willians e colocou o Fla todo para frente.

Já o Ceará apostava em Iarley e Osvaldo. O segundo, inclusive, quase liquidou a fatura aos 38. Após passar por David, ele só não marcou pois o goleiro Felipe fechou bem o ângulo.

Cansado, o time do Flamengo não conseguia mais criar. Experiente, os jogadores do Vozão, seguravam a bola no ataque quando tinham oportunidade. E assim foi o jogo até o final.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ 2 X 2 FLAMENGO

Local: Estádio Presidente Vargas, Fortaleza (CE)
Data/Hora: 11/5/2011 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Cartões amarelos: Diego Macedo, Michel (CEA); Ronaldo Angelim, Felipe, Egídio, Willians (FLA)
Cartão vermelho: Ronaldo Angelim (FLA)

GOLS: Thiago Neves, 19’/1ºT (0-1); Thiago Neves, 28’/1°T (0-2); Washington, 35’/1ºT (1-2); Washington, 41’/1ºT (2-2);

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura (Fierro, 13’/2ºT), David, Welinton e Ronaldo Angelim; Willians (Negueba, 31’/2ºT), Renato, Bottinelli (Egídio, 40’1ºT), Thiago Neves; Ronaldinho e Wanderley – Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CEARÁ: Fernando Henrique, Boiadeiro (Diego Macedo, 9’/1ºT), Erivelton, Fabrício, Vicente (Osvaldo, 32’/1ºT); João Marcos, Michel, Thiago Humberto (Eusébio, 14’/2ºT), Geraldo; Iarley e Washington – Técnico: Vagner Mancini

maio 12, 2011 Posted by | Ceará, Flamengo | | Deixe um comentário

Ceará freia o bonde do Flamengo no Engenhão

Flamengo perde invencibilidade de 26 partidas e fica em situação complicada nas quartas de final da Copa Libertadores

Empolgado pelo título carioca conquistado no domingo, o Flamengo foi surpreendido pelo Ceará nesta quinta-feira, no Engenhão, por 2 a 1, e ficou em situação delicada na Copa do Brasil. De quebra, o Rubro-Negro viu sua invencibilidade de 26 jogos (desde a penúltima rodada do Brasileirão de 2010) ser quebrada. Com gols de Marcelo Nicácio e Geraldo – Wanderley descontou -, os cearneses ficaram mais próximos das semifinais.

Receba primeiro as notícias do Mengão no seu celular!

Agora, para se classificar, o Flamengo precisa, no Presidente Vargas, em Fortaleza, na próxima quarta-feira, vencer por dois gols de diferença ou por um gol de vantagem, desde que faça três ou mais gols. O empate e uma vitória rubro-negra por 1 a 0 classificaria o Ceará. Nada satisfeita, a torcida rubro-negra vaiou o time ao término do jogo – inclusive Ronaldinho Gaúcho.

Equilíbrio e gol no fim

Os torcedores que foram ao Engenhão devem ter bocejado durante todo o primeiro tempo. Apesar de os primeiros 45 minutos terem sido disputados e equilibrados, as chances de gol foram escassas. Mas, a rede balançou… e não foi a favor do time da casa.

Se fosse julgar pelos minutos iniciais, os presentes achariam que a história seria diferente. Aos nove minutos, Ronaldinho Gaúcho fez jogada individual e recebeu falta próxima à área. O camisa 10 cobrou e obrigou o goleiro Fernando Henrique a fazer boa defesa. A resposta veio apenas três minutos depois, quando Marcelo Nicácio, também de falta, carimbou a trave direita do goleiro Felipe.

Aos 20, depois de boa troca de passes, a bola sobrou para Deivid, que invadiu a área e caiu. Pediu pênalti, mas o árbitro nada marcou. Mais uma vez, o Ceará tratou de ir ao ataque logo depois e Vicente acertou forte chute da entrada da área e Felipe afastou o perigo.

A marcação de ambos os times ficou mais acirrada e as oportunidades de gol ainda mais raras no primeiro tempo. Depois de alguns chutões para lá e para cá, o gol. Já nos minutos finais, quando tudo parecia se encaminhar para um empate sem gols e sem graça, Marcelo Nicácio arrumou a bola para uma cobrança de falta quase que no mesmo local do começo do jogo. Mas, desta vez, bateu do outro lado e contou com uma pequena ajuda do goleiro Felipe para abrir o placar.

Gol do Ceará. Substituições e gol do Fla

O Flamengo voltou para o segundo tempo mais ligado. Logo aos dois minutos, Ronaldinho Gaúcho mandou a bola para dentro da área, ninguém alcançou, Thiago Neves apareceu sem marcação e desviou para o gol, mas a bola bateu no travessão. No rebote, Deivid finalizou e a bola pegou na zaga.

A partir daí, a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo começou uma verdadeira blitz em busca do gol de empate, mas ele não saía. E quem balançou a rede foi o Ceará. Aos 20 minutos, Geraldo recebeu na entrada da área, dominou (com uma ajuda do braço esquerdo), entrou na área e bateu na saída do goleiro Felipe para ampliar a vantagem alvinegra.

Aos 30 minutos, o toque de Luxemburgo. Fierro, que havia entrado no segundo tempo, cruzou para Wanderley, que também entrou na etapa final, fazer o gol do Flamengo. Depois do gol, o time da Gávea voltou a pressionar. Aos 34, o goleiro Fernando Henrique evitou o empate com a ponta dos dedos literalmente. Depois de cruzamento de Fierro, Ronaldo Angelim cabeceou no canto o camisa 1 salvou.

Aos 37, quase saiu o terceiro do Ceará. Murilo foi à linha de fundo e cruzou para Geraldo que, sem marcação, mandou a bola para fora, perdendo chance clara. Apesar das chances, o placar não foi mais modificado.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 2 CEARÁ

Data-Hora: 5/5/2011 – 21h50 (de Brasília)
Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Kléber Lúcio Gil (ES)
Renda e público: R$ 306.520,00 / 14.711 pagantes / 17.127 presentes
Cartões amarelos: Bottinelli e Willians (FLA); Geraldo e Fernando Henrique (CEA)
Cartões vermelhos: –
Gols: Marcelo Nicácio 43’/1ºT (0-1), Geraldo 20’/2ºT (0-2) e Wanderley 30’/2ºT (1-2)

FLAMENGO: Felipe, Galhardo (Diego Maurício 39’/2ºT), Welinton, Ronaldo Angelim e Rodrigo Alvim (Fierro 23’/2ºT); Willians, Renato, Bottinelli e Thiago Neves; Ronaldinho Gaúcho e Deivid (Wanderley 29’/2ºT) – Técnico Vanderlei Luxemburgo.

CEARÁ: Fernando Henrique, Boiadeiro, Fabrício, Erivélton e Vicente; João Marcos, Eusébio, Thiago Humberto (Murilo 32’/2ºT) e Geraldo; Iarley (Osvaldo 39’/2ºT) e Marcelo Nicácio (Washington 23’/2ºT) – Técnico: Vagner Mancini.

TAGS

maio 6, 2011 Posted by | Ceará, Flamengo | | Deixe um comentário

Fla vence Vasco nos pênaltis e é campeão invicto


Thiago Neves marcou o gol da vitória por 3 a 1 na disputa após empate sem gols no tempo normal

Pode comemorar, rubro-negro! Com uma campanha irretocável, o Flamengo venceu o Vasco por 3 a 1 nos pênaltis, depois de um empate sem gols no tempo normal, neste domingo, no Engenhão, e consolidou seu título invicto do Campeonato Carioca. É o 32º caneco do Rubro-Negro, soberano em conquistas do estado. 

Foi a terceira vitória rubro-negra em cobranças de penalidades no campeonato (já havia batido Botafogo e Fluminense). Desta vez, Felipe, herói nas outras disputas, apenas viu seus adversários chutarem para fora as cobranças. Bernardo, Fellipe Bastos e Elton erraram pelo Cruz-Maltino. Já o Flamengo, com Renato, Fernando e Thiago Neves – que bateu o pênalti do título – não desperdiçaram.

Com a conquista da Taça Rio, o Flamengo repete o feito do Botafogo no ano passado e levanta o campeonato sem precisar disputar a grande decisão. Assim, o Fluminense acabou ficando com o segundo lugar geral no Estadual. O Vasco terminou em sexto.

VASCO COMEÇA MAIS AGRESSIVO

O início do Clássico dos Milhões refletiu a campanha das duas equipes nesta Taça Rio: enquanto o Vasco priorizava as jogadas ofensivas, o Flamengo cadenciava com eficiência a força da defesa e a qualidade no meio de campo. Em suma, extremo equilíbrio.

Como a tônica do jogo previa, as melhores oportunidades foram criadas pela equipe cruz-maltina, mas a boa colocação do goleiro Felipe e a falta de pontaria de Eder Luis, que perdeu um gol feito logo no início da partida.

Mas a muralha da Colina, Fernando Prass, também não ficou para trás. Na única vez em que o Flamengo entrou na área do rival, Bottinelli finalizou de frente para a meta, mas Prass, bem posicionado, salvou o time do Trem-Bala.

Ronaldinho, que foi confirmado apenas horas antes do apito inicial, brigou muito e até criou algumas jogadas. Mas a defesa vascaína, liderada por Dedé, esteve sempre atenta aos passos do craque.

No Gigante da Colina, destaque para o volante Fellipe Bastos, que, além de impecável nos desarmes atrás, foi o ponto de desiquilíbrio com passes precisos.

CLÁSSICO NÃO SAI DO ZERO E DECISÃO VAI PARA OS PÊNALTIS

E o segundo tempo conseguiu ser ainda mais truncado que o primeiro. Em meio ao festival de passes errados, duas figuras roubaram a cena. Do lado cruz-maltino, o zagueiro Dedé; do rubro-negro, o volante Willians – ambos fazendo jus à alcunha de “mostro” criada por suas respectivas torcidas.

Em poucos minutos após a volta do intervalo, Bottinelli recebeu falta duvidosa na entrada da área. Ronaldinho pegou a bola e bateu com estilo, mas a Fernando Prass subiu no segundo andar para evitar a vantagem rubro-negra.

Aos 25 minutos, Diego Souza – outra vez, sumido em campo – foi substituído por Bernardo. E o xodó da Colina, que para muitos merecia a vaga de titular, começou colocando fogo no jogo. Logo no seu primeiro lance, ele recebeu bom passe de Eder Luis, cortou o zagueiro e chutou forte, no canto, mas Felipe espalmou para escanteio.

A partir de então, o Vasco readiquiriu o terreno ofensivo, como fizera na primeira etapa. Mesmo assim, não assustava tanto, já que suas principais jogadas (as bolas cruzadas), vinham sendo bem interceptadas pela defesa.

Aos 30 minutos, o inoperante Deivid deu lugar a Wanderley. E o camisa 33, para muitos, um talismã, fez em dois minutos aquilo que o colega não havia feito em 75. Após levantamento, ele ajeitou de calcanhar para Thiago Neves, mas o camisa 7 chutou mal, sem direção.

Dois minutos depois, Fernando Prass, mais uma vez, salvou o Vasco. Em cotnra-ataque três contra dois, Renato bateu cruzado e o camisa 1 cruz-maltino espalmou para escanteio.

No último minuto, o estádio ficou em silêncio. Após cobrança de escanteio, Thiago Neves bateu de primeira, a bola passou por Prass e beliscou a trave cruz-maltina.

Já nos acréscimos, Allan, pelo Vasco, e Willians, pelo Fla, discutiram e foram expulsos, deixando ambas as equipes com dez em campo.

No fim, o placar não saiu do zero e a disputa foi mesmo para os pênaltis.

VASCO ERRA TRÊS E FLA É CAMPEÃO

O Vasco deu início à disputa com Alecsandro, que bateu no meio do gol, mas Felipe não alcançou.

Pelo Flamengo, Renato cobrou no canto oposto do de Prass e empatou a disputa.

O xodó Bernardo, que já havia errado na semifinal, voltou a bater mal, e chutou para fora. Mas Fierro, na sequência, fez o mesmo e tudo seguiu igual.

Chance para o Vasco retomar a vantagem, mas Fellipe Bastos desperdiçou outra para o cruz-maltino, jogando para fora.

Já Fernando, do Flamengo, não hesitou e colocou o Fla em vantagem.

Responsabilidade para Elton, que também e jogou para fora.

O título ficou nas mãos de Thiago Neves, um dos destaques da campanha invicta rubro-negra. E ele cobrou com categoria, consolidando o 32º título carioca do Rubro-Negro.

FICHA TÉCNICA

VASCO 0 (1) X (3) 0 FLAMENGO

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 1/5/2011 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Luis Antônio Silva Santos (RJ)
Assistentes: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Marco Aurélio dos Santos Pessanha

Público/ renda: pagantes – 33.996; presentes: 39.029/R$1.033.655,00

Cartões amarelos: Bottinelli, Rodrigo Alvim, Deivid, Galhardo (FLA); Alecsandro, Elton, Bernardo (VAS)

Cartão vermelho: Allan (VAS) e Willians (FLA)

Pênaltis: Renato (FLA), Fernando (FLA), Thiago Neves (FLA); Alecsandro (VAS); Erraram: Bernardo (VAS), Fellipe Bastos (VAS), Elton (VAS); Fierro (FLA)

VASCO: Fernando Prass; Allan, Dedé e Anderson Martins, Ramon; Rômulo, Fellipe Bastos, Felipe e Diego Souza (Bernardo, aos 24’/ 2ºT); Eder Luis (Elton, aos 39’/ 2ºT) e Alecsandro. Técnico: Ricardo Gomes.

FLAMENGO: Felipe, Galhardo (Fernando, aos 38’/ 2ºT), Welinton, David, Rodrigo Alvim; Willians, Renato, Bottinelli (Fierro, aos 15’/ 2ºT), Ronaldinho e Thiago Neves; Deivid (Wanderley, aos 30’/ 2ºT). TÉC: Vanderlei Luxemburgo.

maio 3, 2011 Posted by | Flamengo, Vasco da Gama | Deixe um comentário

Com facilidade, Flamengo goleia Horizonte e avança

Rubro-Negro enfrentará Ceará nas quartas de final. Thiago Neves rouba a cena no Ceará

Em Horizonte (CE), o Flamengo não deu chance para a zebra na Copa do Brasil e venceu o time da casa por 2 a 0, nesta quarta-feira, avançando às quartas de final da Copa do Brasil. O adversário do Rubro-Negro será o Ceará, que derrotou o Grêmio Prudente. O primeiro confronto será disputado na próxima quarta, dia 4 de maio.

Sem Ronaldinho Gaúcho e Léo Moura, lesionados, Thiago Neves chamou a responsabilidade e foi o protagonista no triunfo do Flamengo.

FLAMENGO OFENSIVO E GOL RÁPIDO

O técnico Vanderlei Luxemburgo alterou o time que conseguiu a classificação para a final da Taça Rio, no domingo, contra o Fluminense. Ele optou por uma formação mais ofensiva com Bottinelli no meio na vaga do volante Fernando, que sequer ficou no banco de reservas, Deivid no ataque ao lado de Wanderley.

No 4-4-2, com Willians e Renato como volantes, Thiago Neves e o argentino tiveram liberdade para se movimentar à frente. E foi com a dupla que quase o Flamengo abriu o placar.

Aos cinco minutos, Thiago Neves lançou Bottinelli na intermediária. El Pollo dominou, avançou, mas finalizou para fora, à esquerda do goleiro Alex.

Quatro minutos depois, porém, o Rubro-Negro abriu o placar com Galhardo, que substitiu Léo Moura. A revelação do Fla tentou cruzar, a bola foi em direção ao gol e o camisa1 do Horizonte não alcançou.

À frente no placar, o Flamengo pouco era ameaçado pelos cearenses. O time local tentava explorar o contra-ataque, mas não conseguia concluir as jogadas.

A melhor jogada do Horizonte no primeiro tempo foi uma falta cobrada por Junior Cearense da intermediária direita. O camisa 11 bateu diretamente para a área, a bola quicou à frente de Felipe, mas o goleiro espalmou para escanteio.

O Flamengo poderia ter ampliado a vantagem no marcador. Pelo menos três oportunidades claras foram criadas até o término da primeira etapa.

A primeira delas aconteceu com Deivid, aos 29 minutos. O camisa 9 recebeu na ponta esquerda, penetrou na área e chutou cruzado. A bola sofreu desvio do goleiro e saiu à linha de fundo.

Pouco tempo depois, aos 34, Wanderley recebeu lançamento de Thiago Neves, deu um chapéu no zagueiro e finalizou com força. Alex, porém, conseguiu fazer a defesa.

Já no fim do primeiro tempo, Deivid, de novo, quase marcou o segundo para o Flamengo. Após outro passe de Thiago Neves, o camisa 9 antecipou-se ao marcador, tirou do goleiro, mas Douglas brecou o chute do atacante rubro-negro.

SOLO DE THIAGO NEVES

Principal responsável pelas jogadas do Flamengo no primeiro tempo, Thiago Neves manteve o bom nível de sua atuação na etapa final e logo aos três minutos deu passe para Deivid marcar o segundo.

O gol, porém, ficou em segundo plano. Antes do camisa 9 marcar, Thiago Neves driblou três adversários e rolou para Deivid apenas empurrar para o gol vazio.

Autor de vários passes, o camisa 7 também tentou deixar a sua marca. Aos 13 minutos ele cobrou falta do lado direito e quase surpreendeu o goleiro Alex, que espalmou para escanteio.

O terceiro gol quase saiu em uma jogada que também começou com Thiago Neves. O meia cruzou da esquerda, o goleiro Alex soltou a bola e ela sobrou para Wanderley. O atacante do Fla, porém, isolou e desperdiçou a chance.

DOMÍNIO E GOLEADA

Superior em campo e com uma boa vantagem no placar, O Flamengo não era ameaçado. Vanderlei Luxemburgo, então, promoveu alterações no Flamengo. Ele sacou Bottinelli para lançar Fierro e, depois, abdicou do 4-4-2, deixando o Fla somente com Deivid no ataque. Wanderley saiu para a entrada de Muralha no meio de campo.

Isolado à frente, Deivid teve a chance de marcar seu segundo gol na partida. O camisa 9 foi lançado no ataque após erro de posicionamento da defesa do Horizonte e avançou. Sozinho ele tentou tirar a bola do goleiro, mas mandou para fora.

Depois do camisa 9, foi a vez de Fierro perder uma oportunidade. Aos 30 minutos, Renato penetrou pela esquerda e rolou para trás. O chileno chutou com força, mas a bola pegou na zaga.

A 12 minutos para o fim do jogo, o principal jogador da classificação rubro-negra deixou o campo. Thiago Neves saiu e deu lugar a Diego Maurício.

Pouco tempo depois, aos 35 minutos, foi a vez do volante Willians roubar a cena e mostrar categoria para marcar o terceiro do Flamengo em Horizonte. Ele arrancou do meio de campo, passou por Carlinhos, driblou o goleiro Alex e sacramentou o placar.

o golaço do camisa 8 representou a boa atuação do Flamengo que não deixou chances ao Horizonte.

FICHA TÉCNICA:

HORIZONTE 0 X 3 FLAMENGO

Data/hora: 27/4/2011, às 21h50 (de Brasília)
Local: Domingão, Horizonte (CE)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa/PR)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA) e Gilson Bento Coutinho (PR)
Cartão amarelo: Carlinhos, Siloé (HOR); David, Galhardo (FLA)
Cartão vermelho: Hércules, aos 29’/ 2ºT (HOR)

Gols:Galhardo, aos 9’/ 1ºT; Deivid, aos 3’/ 2ºT; Willians, aos 35’/ 2º T (FLA)

HORIZONTE: Alex, Robert, Carlinhos, Douglas e Hércules; Valter (André Luís, aos 6’/2º T), Isac (Lúcio Maranhão, aos 18’/2º T), Elanardo e Diego Palhinha; Júnior Cearense (Da Silva, aos 33’/2ºT) e Siloé. Técnico: Roberto Carlos.

FLAMENGO: Felipe, Galhardo , Welinton, David e Rodrigo Alvim; Willians, Renato, Bottinelli (Fierro, aos 16’/2º T), Thiago Neves (Diego Maurício, aos 33’/2ºT); Deivid e Wanderley (Muralha, aos 22’/2º T). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

abril 27, 2011 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

Flamengo vence o Flu nos pênaltis e vai à final

Felipe pegou duas cobranças na disputa de pênaltis; Flamengo decide a Taça Rio com o Vasco, no próximo domingo

O Bonde do Mengão pode não estar acelerado, mas segue sem freio. Depois do empate por 1 a 1 no tempo normal, o Flamengo bateu o Fluminense na disputa de pênaltis e está na decisão da Taça Rio, e ainda invicto! O goleiro Felipe, outra vez, fechou a meta rubro-negra, defendendo dois pênaltis do rival. Na batida derradeira, o jovem Diego Maurício bateu com segurança, classificando o Tricolor.

O ex-tricolor Thiago Neves foi outro destaque do jogo. Primeiro, a favor, ao marcar o gol de empate rubro-negro na segunda etapa. Depois, como vilão, ao perder o pênalti que poderia colocar o Fla na decisão. no fim, acabou contando com a colaboração dos companheiros e segue firme com o bonde rumo à saga pelo título carioca.

Rafael Moura marcou o gol tricolor no tempo normal. na disputa de pênaltis, Souza, Araújo e Tartá perderam as cobranças, que pôs fim ao sonho do Fluminense da dobradinha no semestre.

Agora, o Tricolor foca na Copa Santander Libertadores. Nesta quinta-feira, encara o Libertad-PAR, no Engenhão, pela primeiro jogo das oitavas de final.

Já o Flamengo, se prepara para pegar o arquirrival vasco na decisão, domingo. Antes, tem páreo duro pela frente: decide a classificação na Copa do brasil contra o Horizonte (CE), quinta-feira, no estádio Domingão.

QUEDA DE ENERGIA PARALISA CLÁSSICO

Ainda aos 11 minutos do primeiro tempo, o jogo foi paralisado devido a uma queda de energia nos arredores do Engenhão. Demorou cerca de 10 minutos para que os refletores fossem se acendendo e, quando o árbitros Péricles Bassols autorizou o reinício da partida, o goleiro Felipe, do Fla, pediu nova interrupção.

Então, passaram-se mais alguns minutos de espera até que, mesmo sem a iluminação no estádio ter voltado integralmente, os dos times concordaram em dar continuidade ao jogo.

Mas quando a bola finalmente voltou a rolar, um lance curioso. Como o cronômetro marcava 20 minutos, Péricles parou o clássico novamente para o tempo técnico. Os jogadores se irritaram com a falta de flexibilidade do árbitro.

SEM R10, FLA PERDE LÉO MOURA LOGO NO INÍCIO

Não bastasse o momento inferior ao adversário, o Flamengo teve uma baixa importantíssima de última hora: Ronaldinho Gaúcho, que, ainda com dores pela torção no joelho direito, foi vetado pelo departamento médico. Em seu lugar, Diego Maurício foi para o clássico.

Do outro lado, o Fluminense repetia a formação que alcançou o milagre no meio da semana, pela Copa Santander Libertadores, com Fred e Rafael Moura no ataque.

E, logo no início, a boa fase voltou a colaborar com o Tricolor. O lateral-direito Léo Moura levou a pior em dividida com Conca e fez o Fla perder outra liderança em campo. Para o lugar do camisa 2, outro jovem, Rafael Galhardo.

IMPEDIDO, HE-MAN PÕE O FLU NA FRENTE

Mas o Flu não dependeu apenas da sorte. Com a bola rolando, foi superior ao rival durante toda a primeira etapa. Os ‘inhos’ da defesa, o zagueiro Edinho e o volante Diguinho, foram uns monstros na marcação, permitindo ao goleiro Berna 45 minutos de tranquilidade, com exceção a uma finalização de Drogbinha, em que o camisa 1 saiu com eficiência evitando o gol rubro-negro.

Em compensação, Felipe teve que rebolar para fechar a meta do Fla. Nos chutes de fora da área, mostrou segurança. E, quando Rafael Moura recebeu lançamento na cara do gol, o arqueiro rubro-negro se atirou no atacante tricolor. O lance gerou reclamação por parte do rival, que pediu pênalti. O árbitro, porém, assinalou simulação do He-Man.

Mas o centroavante acabou se redimindo. Aos 21 minutos, em cobrança de falta, Edinho ajeitou para Rafael Moura, que escorou para o fundo das redes. Gol justo pelo domínio tricolor, mas erroneamente confirmado, já que o atacante estava em posição irregular.

CARRASCO DOS CLÁSSICOS EMPATA O FLA-FLU

Na volta do intervalo, o técnico Vanderlei Luxemburgo completuo as mexidas possíveis. Colocou em campo os meia Bottinelli no lugar do volante Fernando e tirou seu xará Wanderley (apático em campo), dando nova chance ao atacante Deivid.

Com isso, o Fla ficou mais ofensivo e passou a tocar mais a bola. Drogbinha e Bottinelli abriram pelas pontas, enquanto Thiago Neves apoiava Deivid pelo meio. E, numa das subidas do quarteto, Thiago recebeu passe preciso do argentino, e por pouco não empatou o clássico.

E o Flamengo, que seguia melhor, ampliou seu domínio quando Enderson Moreira tirou o autor do gol do Flu para a entrada de Tartá, que voltou demais para ajudar a defesa.

Pouco depois, o camisa 7 rubro-negro, carrasco em clássicos, fez sua terceira vítima entre os rivais neste Carioca. Aos 21 minutos, Willians levantou da intermediária, a bola passou por Edinho e Thiago Neves, de cabeça, deixou tudo igual no Engenhão. Depois de comemorar contra Vasco e Botafogo, o apoiador agora fazia a festa diante do seu ex-clube.

A partir daí, o clássico tomou ritmo alucinante. Na resposta, o Tricolor só não marcou porque o capitão Fred, de frente para a meta, furou na finalização. Na sequência, Diego Maurício chutou cruzado da grande área para a bela defesa de Berna.

Aos 36 minutos, Marquinho perdeu aquela que poderia ser a bola do jogo para o Flu. Após bela triangulação, o camisa 7 recebeu livre, frente-a-frente para Felipe, mas isolou na finalização.

No fim, empate no clássico, que acabaria sendo decidico nos pênaltis.

FELIPE PEGA DOIS PÊNALTIS E FLA VAI PARA A DECISÃO

No Fluminense, Fred, Edinho, Conca marcaram. Souza cobrou para fora, enquanto Felipe defendeu a batida de Araújo.

No Flamengo, Renato começou a cobrança e chutou mal, Berna defendeu. Deivid, Galhardo, Bottinelli fizeram para o Fla.

Thiago Neves teve a chance de colocar o Rubro-negro na final, mas Berna, novamente, fechou a meta para o Tricolor.

Nas cobranças alternadas, Tartá parou em Felipe. Diego Maurício, em nova oportunidade derradeira para o Fla, não desperdiçou e classificou o Flamengo para a decisão da Taça Rio.

FLUMINENSE X FLAMENGO

Data/ hora: 23/4/2011, às 16h (de Brasília)

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Péricles Bassols

Auxiliares: Jackson Lourenço e Wagner de Almeida

Cartão amarelo: Rafael Moura, Mariano, Fred, Julio Cesar, Marquinho (FLU); Galhardo, Thiago Neves, Rodrigo Alvim (FLA)

Gols: Rafael Moura, aos 21’/ 1ºT (FLU); Thiago Neves, aos 21’/ 2ºT (FLA)

FLUMINENSE: Berna; Mariano, Gum, Edinho e Julio Cesar (Souza, aos 44’/2ºT) ; Valencia, Diguinho, Marquinho (Araújo, aos 38’/ 2ºT) e Conca; Fred e Rafael Moura (Tartá, aos 17’/ 2ºT). Técnico: Enderson Moreira.

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura (Galhardo, aos 10’/1ºT), Welinton, David e Rodrigo Alvim; Fernando (Bottinelli, intervalo), Willians, Renato e Thiago Neves; Diego Maurício e Wanderley (Deivid, intervalo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

abril 24, 2011 Posted by | Flamengo, Fluminense | | Deixe um comentário

Em casa, Flamengo apenas empata com Horizonte (CE)

Equipe rubro-negra não joga bem e sai do Enegnhão com um resultado ruim nas oitavas da Copa do Brasil

O Flamengo recebeu o o Horizonte (CE), na noite desta quarta-feira, em Engenhão, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil, e ficou apenas no empate em 1 a 1. Em partida sem grandes emoções, Wanderley marcou o gol rubro-negro e Elanardo fez o cearense.

Agora, a equipe carioca precisa de uma vitória ou empate por 2 ou mais gols no Ceará, na próxima quarta-feira. Já a igualdade no placar sem gols é favorável ao Horizonte (CE)

Pressão rubro-negra e pênalti para o Horizonte

Como esperado, o Flamengo começou a partida indo para o ataque. Logo com um minuto de jogo, Thiago Neves recebeu próximo à área e chutou cruzado, mas a bola passou perto da trave direita do goleiro Alex. Três minutos depois, a zaga cearense levou mais um susto. Após cobrança de falta ensaiada, David cruzou para a área e Léo Moura apareceu para cabecear, mas a zaga afastou o perigo quase em cima da linha.

Depois de muita insistência, o Flamengo chegou ao seu gol. Aos 17 minutos, Negueba cruzou da esquerda, Wanderley dominou dentro da área, girou e bateu forte. Apesar do gol, a equipe do Horizonte conseguiu melhorar em campo e chegou mais ao ataque. Porém, o rubro-negro quase fez o segundo, em uma finalização de Willians, aos 28 minutos. O goleiro Alex espalmou para longe.

Como se diz no mundo do futebol, o time cearense passou “a gostar do jogo” e a criar jogadas de ataque, sempre apostando na velocidade. Até que, aos 38 minutos, Siloé arrancou do campo de defesa, driblou dois marcadores e foi derrubado por David na área: pênalti. Na cobrança, Elanardo deixou tudo igual.

Sem grandes oportunidades, placar é mantido

O segundo tempo começou assim como o primeiro: com a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo no campo de ataque. Aos quatro minutos, Rodrigo Alvim cruzou para Ronaldinho Gaúcho, que estava sozinho na área. Mas o assistente já havia marcado impedimento. Pouco tempo depois, Renato assustou o goleiro do Horizonte em boa cobrança de falta.

Aos 13 minutos, porém, o susto foi da torcida do Flamengo, quando Elanardo cobrou escanteio cheio de efeito e por pouco não fez um gol olímpico.

A partir dos 20 minutos da etapa final, as oportunidades de gol para ambos os lados ficaram escassas. Diego Maurício, que entrou no segundo tempo, ainda tentou algumas jogadas pela direita, mas sem sucesso. Thiago Neves também tentou ampliar o marcador com chutes de longa distância, porém, sem grandes sustos para o goleiro Alex.

Nos minutos finais de jogo, Ronaldinho Gaúcho desperdiçou duas boas chances de gol. Fierro avançou pela direita e cruzou para o camisa 10, que chutou de dentro da área e obrigou ao goleiro Alex fazer a defesa. No rebote, novo cruzamento do chileno e Ronaldinho cabeceou por cima da meta. Nos acréscimos, Thiago Neves cobrou falta e a torcida rubro-negra quase tirou o grito de “gol” da garganta. A bola passou muito perto da trave esquerda, mas bateu na rede pelo lado de fora.

Agora, o Flamengo vai ao Ceará precisando vencer ou empatar com por dois ou mais gols. Para o Horizonte (CE), o empate sem gols é necessário para passar às quartas de final da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 1 HORIZONTE

Data: 19/4/2011
Horário:21h50 (de Brasília)
Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Auxiliares: Paulo César Silva Faria (MT) e Fabio Rodrigo Rubinho (MT)

Cartão amarelo: Maldonado, Ronaldinho Gaúcho, David, Thiago Neves, Wellinton (Fla); Valter, Alex, Régis (HOR)
Cartão vermelho: Régis, 48’/2ºT
Gols: Wanderley, 17’/1ºT (1-0); Elanardo, 38’/2ºT (1-1)

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David, Renato; Maldonado (Rodrigo Alvim – Intervalo), Willians (Fierro – Willians, 32’/2ºT), Negueba (Diego Maurício – 12’/2ºT), Thiago Neves, Ronaldinho; Wanderley. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

HORIZONTE (CE): Alex, Éderson (Régis – 29’/2ºT), Hércules (Da Silva – 23’/2ºT), Douglas , Zezé; Valter, Junior Cearense, Diego Palinha (Jackei Chan – 40’/2ºT), Siloé; Isaac e André Luiz. Técnico: Roberto Carlos

abril 21, 2011 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

Ronaldinho perde pênalti no fim e Fla empata com Macaé

Placar de a 1 a 1 em Volta Redonda garante Fla-Flu nas semifinais da Taça Rio

Ronaldinho jogou pelos ares, nos acréscimos, as chances do Flamengo de fugir de um clássico nas semifinais da Taça Rio. O Rubro-Negro teve dificuldades para arrancar o empate em 1 a 1 com o Macaé, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, neste domingo, e terminou na segunda colocação do Grupo A e vai encarar o Fluminense nas semifinais da Taça Rio.

Sem Leonardo Moura e com Thiago Neves no banco, o Flamengo não transformou o domínio em boas jogadas e gols. Os laterais Rodrigo Alvim, na esquerda, e Rafael Galhardo na direita, se apresentaram para o jogo, mas sem a qualidade necessária. Nem mesmo o meia argentino Botinelli foi eficaz na função de levar o time ao ataque. Tanto que a grande ameaça ao goleiro Everton, do Macaé, aconteceu aos seis minutos de partida.

Mantendo a pressão nos primeiros minutos, o Flamengo apostava em Ronaldinho. Com seus passes, ele criou boas situações para Rodrigo Alvim, que acertou a trave ao tentar cruzamento para Deivid aos 19 minutos. No minuto seguinte, o camisa 10 aproveitou sobra em chute de Renato e mandou rasteiro para o gol, assustando Everton.

Já Felipe assistia à partida tranquilamente até os 35 minutos, quando espalmou de forma estranha a bomba de Johnatan. O mesmo pulo ele repetiu sete minutos depois, em chute perigoso de Robson.

Pouco ativos no jogo, o atacante Deivid e Botinelli foram substituídos no intervalo por Diego Maurício e Thiago Neves. Com eles, o Flamengo e a partida ganharam em dinamismo. Com um minuto em campo, o camisa 7 encobriu o arqueiro Everton e só não marcou porque o zagueiro Ciro estava no lugar certo e na hora certa. Mas aos 12, não teve jeito. Ronaldinho cobrou escanteio e Jean escorou para o gol. Ainda houve toque de um adversário, mas o árbitro anotou tento para o defensor da Gávea.

Em seguida, o Macaé ganhou motivos para reclamar. Bruno Luiz recebeu passe de cabeça antes de completar para as redes. No entanto, sem ver que Galhardo dava condições, o árbitro assinalou impedimento.

As falhas de marcação do Flamengo e a queda de produção deram chances ao Macaé. Aos 33, Robson avançou como quis na grande área do Flamengo e chutou. Felipe até fez a defesa, mas Hyantony pegou o rebote de cabeça: 1 a 1. Daí em diante, a equipe do técnico Luxemburgo deu espaços aor ival e, por pouco, não levou a virada.

No último minuto de partida, porém, Ronaldinho podia enfim tirar o Flamengo do sufoco, depois de o árbitro marcar pênalti sobre Diego Maurício. Cobrador do time, o camisa 10 isolou a oportunidade do gol da vitória e a possibilidade de enfrentar o Olaria nas semifinais da Taça Rio. O Rubro-Negro terá de pegar Fluminense.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 1 MACAÉ

Local: Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
Data-Hora: 17/4/2011 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Philip Georg Bennett (RJ)
Auxiliares: Luiz Cláudio Regazone (RJ) e Diogo Carvalho Silva (RJ)
Renda e público: Não divulgados.
Cartões amarelos: Maldonado, Fierro e Felipe (FLA); Bruno Luiz (MAC)
Cartões vermelhos: –
Gols: Jean 12’/2ºT (1-0) e Hyantony 33’/2ºT (1-1)

FLAMENGO: Felipe, Rafael Galhardo (Fernando 29’/2º), Jean, Ronaldo Angelim e Rodrigo Alvim; Maldonado, Fierro, Renato Abreu e Bottinelli (Thiago Neves – Intervalo); Ronaldinho Gaúcho e Deivid (Diego Maurício – Intervalo) – Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

MACAÉ: Everton, Johnatan (Marcos Tamandaré 29’/2º), Eduardo Luiz, Ciro e Bill; Gedeil, Osmar, André Gomes e Danilo; Robson (Marcelo 40’/2º) e Bruno Luiz (Hyantony 32’/2ºT). Técnico: Toninho Andrade.

abril 17, 2011 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Com dois gols de Thiago Neves, Fla vence o Bota

Flamengo vence por 2 a 0 e está classificado para as semifinais. Botafogo se complica no Grupo B

Em jogo muito brigado, Botafogo e Flamengo não conseguiram repetir os grandes clássicos dos últimos anos. Com poucas chances de ambas as partes, o Rubro-Negro soube jogar no erro do rival e triunfou. Com a vitória por 2 a 0, o time está classificado para a semifinal com uma rodada de antecipação e deixou o Bota em situação delicada, precisando vencer na última rodada e torcer contra o Olaria.

BOTA E FLA SE SOLIDARIZAM COM TRAGÉDIA DE REALENGO

Antes do início do jogo, os dois times mostraram solidariedade com as vítimas da tragédia que ocorreu na última semana em Realengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, em que um atirador assassinou a sangue frio 12 crianças em uma escola e depois se matou. O Glorioso entrou de camisas pretas, de luto, e o Fla com uma faixa de protesto.

(Fla e Botafogo mostraram solidariedade no clássico – Foto: Alexandre Loureiro)

Nos últimos anos o clássico entre Botafogo e Flamengo sempre começou em ritmo alucinante. No entanto, não foi o que aconteceu no primeiro tempo do jogo deste domingo, no qual as duas equipes se respeitaram demais. Ronaldinho tentou dar o toque de classe no meio de campo do Rubro-Negro, mas Deivid não conseguiu sair da forte marcação. No Bota, Everton foi a melhor opção pela esquerda, no buraco muitas vezes deixado pelo ofensivo Léo Moura. Mas, com as zagas bem postadas, as chances de gol foram escassas e pelo alto. Em cabeçada, Ronaldinho assustou Jefferson. Pelo outro lado, Loco Abreu dominou no peito e bateu de canhota para Felipe salvar, com boa defesa.

De fato, para sair um gol só com um cochilo de um dos times. Foi o que aconteceu. Aos 35 minutos, Rodrigo Alvim deu bom passe para Renato, que mesmo marcado por Arévalo conseguiu cruzar da esquerda. A bola pegou a defesa alvinegra mal posicionada e passou por todos. Menos por Thiago Neves, que oportunista botou o Mengão na frente: 1 a 0.

O Botafogo ainda ensaiou uma reação, mas Herrera preferiu servir Loco Abreu em vez de tentar a finalização quando seria a jogada mais certa. O juiz acabou dando impedimento de El Loco, erroneamente.

NOITE DE THIAGO NEVES

Insatisfeito com o meio de campo alvinegro, Caio Junior resolveu voltar para o segundo tempo com Lucas no lugar de Bruno, que não esteve bem na primeira etapa. O time melhorou e mesmo que sem muita criatividade foi para cima do rival. Não demorou e o curinga Somália deu lugar ao jovem Guilherme na lateral esquerda. Precisando do resultado, o Bota se lançou à frente, mas a sólida defesa rubro-negra não dava chances, parecendo intransponível. No Fla, o inoperante Deivid, deu lugar ao jovem Diego Maurício.

Apesar de ganhar volume de jogo com as alterações, o empate não vinha para o Glorioso, e o Fla acabou quase chegando no contra-ataque. Thiago Neves arrancou pela esquerda em posição legal e deu passe açucarado para Diego Maurício. Entretanto, providenciavelmente, Lucas cortou, evitando o segundo gol do Rubro-Negro. Em seguida, Marcelo Mattos deu bom chute, de fora da área. Felipe apenas torceu para que não entrasse, passando bem perto da trave esquerda.

Quando o jogo parecia controlado pelo Flamengo, Thiago Neves deu números finais ao jogo. Após receber grande passe de Léo Moura, o camisa 7 bateu na saída de Jefferson, com muita categoria. Vitória merecida do time de Vanderlei Luxemburgo, que não errou durante todo o duelo. O Bonde Rubro-Negro continua sem freio.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 0 X 2 FLAMENGO
DATA:10/4
HORÁRIO:18H30
ESTÁDIO: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
ÁRBITRO:Wagner do Nascimento Magalhães
AUXILIARES: Dibret Pedrosa Moisés e Luiz Antônio Muniz de Oliveira
Gols: Thiago Neves, 35’/1°T e 43’/2°T
Cartões Amarelos: Willians, Welinton, Maldonado(FLA); Herrera, Everton, Arévalo, Antônio Carlos, Loco Abreu, Caio (BOT)
Cartões Vermelho: Não Houve
Público presente/Renda:

BOTAFOGO: Jefferson, Alessandro, Antônio Carlos, João Filipe e Somália (Guilherme, 8’/2°T); Arévalo, Marcelo Mattos, Bruno (Lucas – Intervalo) e Everton (Caio, 26’/2°T); Herrera e Loco Abreu. Técnico: Caio Junior

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David e Rodrigo Alvim; Maldonado, Willians (Fierro, 45’/2°T), Renato e Thiago Neves; Ronaldinho e Deivid (Diego Maurício, 12’/2°T). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

abril 10, 2011 Posted by | Botafogo, Flamengo | , | Deixe um comentário

Renato brilha e Flamengo vence o Duque de Caxias

Time do Fla joga bem e vence na Taça Rio após três empates

O Flamengo precisava da vitória para dar um fim ao jejum que durava três jogos no Estadual. E nos momentos difíceis, Renato, o Urubu-Rei, sempre aparece para afastar os problemas. Com um golaço e um cruzamento, o Rubro-Negro venceu o Duque de Caxias por 2 a 0, na noite deste sábado, no Engenhão, e assumiu a liderança do Grupo A da Taça Rio.

Pressão do Flamengo

Apesar do pleno domínio na primeira etapa, o Fla não conseguia abrir o placar. Vindo de três empates consecutivos, o time do Flamengo entrou disposto a afastar os questionamentos e partiu para cima do Duque de Caxias. Logo aos dois minutos, em lance que começou com passe genial de Ronaldinho, Léo Moura fez o cruzamento na direção de Gaúcho. Atento, o goleiro Fernando realizou a defesa.

O clube da Gávea seguiu melhor e dominando a partida. Aos cinco uma bela troca de passes entre Ronaldinho, Thiago Neves e Léo Moura por pouco não termina em gol. O time de Caxias só assustava em lances esporádicos. Aos 9, Thiago Neves arriscou de longe e a bola passou rente à trave.

Inspirado, Ronaldinho recebeu passe de Thiago Neves, tirou o adversário do lance com uma pedalada, mas errou o passe. O gol parecia que iria sair em questão de tempo. No lance seguinte, Ronaldinho cobrou descanteio, Wanderley pegou a sobra e chutou em cima de Fernando. No rebote, Rodrigo Alvim, livre, errou um gol feito. Vaiado, o lateral não conseguia acertar um cruzamento.

Renato, porém, seguia bem em campo. Em jogada de velocidade pela esquerda, aos 23 minutos, o meia driblou o zagueiro e chutou cruzado. O zagueiro Hamilton tentou afastar e acabou chutando em cima de Ronaldinho: por pouco a bola não entra. Três minutos depois, Ronaldinho proporcionou mais um lance genial. O camisa 10 passou de três dedos para Thiago Neves. Ele avançou e chutou na rede pelo lado de fora.

Se não fosse o zagueiro Hamilton, aos 35 minutos, o Flamengo abriria o placar. Ronaldinho cobrou escanteio fechado, Welinton não alcançou e Hamilton tirou a bola em cima da linha. Aos 40 minutos, novamente o zagueiro do Caxias salvou após chute de Ronaldinho. No fim do jogo, Somália deu um balão em Welinton e quase fez o primeiro do Duque de Caxias.

Renato resolve

Logo no intervalo, o técnico Vanderlei Luxemburgo tirou Wanderley para dar oportunidade para Deivid. Mas foi o Duque de Caxias quem assustou primeiramente. Na falha da David, que cortou de cabeça errado, Gilcimar chutou no canto para a difícil defesa de Felipe.

Ronaldinho apareceu bem aos 5 minutos, quando entrou em velocidade e foi derrubado na entrada da área por Vitor. O camisa 10 cobrou direto, surpreendendo Fernando. O goleiro deu rebote e Deivid chutou fraco, nas mãos dele.

Dois minutos depois, mais uma oportunidade que saiu dos pés de Ronaldinho. Em cobrança de escanteio, o apoiador mandou na área, Somália cortou e jogou nos pés de Thiago Neves. O camisa 7 emendou e jogou sobre o gol. E no primeiro lance que Rodrigo Alvim acertou no jogo, Renato recebeu o passe, aplicou o balão e chutou à direita da meta.

Até que Renato resolveu aparecer e chutar forte de fora da área e marcar o primeiro gol do jogo e afastar os questionamentos, aos 30 minutos. Novamente ele apareu aos 44, quando cruzou e o zagueiro Hamilton, que salvou o time de tomar dois gols no primeiro tempo, acabou mandando contra o próprio patrimônio: 2 a 0, fim do jogo e da seca de vitórias.

Líder do Grupo A, o Flamengo pode perder a liderança caso Vasco e/ou Americano vençam seus jogos neste domingo, contra Bangu e Olaria, respectivamente. O Fla volta a campo no próximo domingo, para enfrentar o Botafogo. Já o Duque de Caxias, ainda com chances no Grupo B, recebe o Resende, também no domingo.

FICHA TÉCNICA
DUQUE DE CAXIAS 0 X 2 FLAMENGO

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Lenilton Rodrigues Gomes Júnior (RJ)
Auxiliares: Silbert Faria Sisquim (RJ) e Wendel de Paiva (RJ)
Renda e público: R$ 199.210,00 / 9.127 pagantes / 11.791 presentes
Cartões amarelos: Lenílson, Juninho e Vitor (DUQ); Willians (FLA)
Gols: Renato 30’/2ºT (0-1) e Hamilton (contra) 44’/2ºT (0-2)

DUQUE DE CAXIAS: Fernando, Ari, Vitor, Genílson e Hamilton; Juninho, Jougle, Lenílson e Geovani Maranhão (Gerônimo 17’/2ºT); John (Gilcimar – Intervalo) e Somália – Técnico: Waldemar Lemos.

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David e Rodrigo Alvim (Diego Maurício 15’/2ºT); Maldonado, Willians, Renato, Thiago Neves (Fierro 40’/2’T) e Ronaldinho; Wanderley (Deivid – Intervalo) – Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

abril 2, 2011 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Fla empata com Madureira e pelo menos segue invicto

Com pedidos por Adriano e vaiado pela torcida, time só arranca empate com o Tricolor Suburbano

O Flamengo segue invicto, mas a torcida que vivia um clima de euforia, neste domingo, após o empate com o Madureira por 3 a 3, em Macaé, parece ter mudado um pouco de atitude. A equipe foi vaiada pela primeira vez, Luxemburgo criticado desde o início do jogo e os gritos por Adriano vindo das arquibancadas ecoaram no estádio. O Madureira, que não tinha nada com isso, jogou bem e soube aproveitar as falhas cometidas pelos rubro-negros durante todo o jogo. Os gols da partida foram marcados por Welinton (contra), Michel e Baiano para o Madureira. Descontaram para o Fla: Léo Moura, Deivid e Thiago Neves.

Fla decepciona, mas arranca empate com Madureira. Veja!

As falhas do Flamengo, aliás, foram as mesmas que o time apresentou durante toda a temporada. A falta de um lateral-esquerdo e a deficiência da zaga, principalmente de Welinton, que neste domingo teve uma tarde para se esquecer, já que além de marcar um gol contra, foi driblado nos outros dois gols do adversário, são problemas apresentados desde a pré-temporada, em Londrina. No ataque, Luxemburgo segue acreditando que Deivid pode ser a solução. Quando a equipe precisou de força ofensiva, o técnico tirou Wanderley, que fez um bom primeiro, fazendo inclusive o passe para o gol de Léo Moura. Talvez por isso que a pressão por Adriano seja tão grande nas arquibancadas.

O esquema escolhido pelo técnico, que resolveu testar o jovem Lorran como volante principal da equipe, não funcionou e o Madureira aproveitou para vencer durante grande parte do jogo. Porém, para não falarem que o jogo foi uma desgraça total para o Flamengo, Diego Maurício voltou a fazer uma boa partida, mostrando velocidade e ajudando o Flamengo com a reação nos minutos finais. Léo Moura foi regular como sempre e Ronaldinho Gaúcho, após o Flamengo estar perdendo por 3 a 1, resolveu jogar e criou boas jogadas, mesmo não tendo feito um bom jogo.

A partida se desenhava para a primeira derrota para o Flamengo, mas hoje em dia, vencer este time, mesmo quando joga mal, não tem sido uma tarefa fácil. Quando percebeu que ia perder, a equipe acordou e arrancou o empate, graças a uma bomba de Thiago Neves, que até então, estava sumido na partida.

Agora, o Flamengo encara na próxima rodada o Duque de Caxias, já de olho no p´roximo final de semana quando fará o clássico contra o Botafogo. Já o Madureira recebe o América.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 3 X 3 MADUREIRA

Estádio: Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
Data/hora: 27/3/2011 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Pathrice Maia/RJ (FIFA)
Cartões amarelos: Bottinelli(FLA) Abedi(MAD)
Cartões vermelhos: –
Renda / público: R$ 81.330, 00 / 5.073 pagantes

GOLS: Wellinton (contra), 34’/1°T (0-1); Léo Moura, 42’/1°T (1-1); Michel, 12’/2°T (1-2); Baiano, 19’/2°T (1-3); Deivid, 29’/2°T (2-3); Thiago Neves, 37’/2°T (3-3)

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Wellinton, David e Rodrigo Alvim; Maldonado, Lorran (Diego Maurício, intervalo), Galhardo (Bottinelli, 19’/2ºT), Thiago Neves e Ronaldinho; Wanderley (Deivid, 11’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Madureira: Cléber, Caio Posses, Luís Otávio, Douglas Assis e Nil; Vnicius, Abedi (Gomes, 16’/2ºT), Rodrigo e Michel (Alex Silva, 35’/2ºT); Baiano e Adriano Magrão (Adriano Magrão, 25’/2ºT). Técnico: Atônio Carlos Roy.

março 27, 2011 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Sem Ronaldinho, Flamengo só empata com a Cabofriense

Com o resultado, o Rubro-negro perdeu a liderança do grupo A e o Tricolor da Região dos Lagos deixou a lanterna do grupo B

Sem os suspensos Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves, o Flamengo esbarrou na trave e empatou com a Cabofriense neste domingo em 0 a 0. O Rubro-Negro perdeu a liderança do Grupo A da Taça Rio para o Boavista, que no sábado derrotou o Fluminense. Já a Cabofriense deixou a laterna do grupo B. Em um jogo bastante equilibrado e com muitos cartões amarelos, as equipes não conseguiram movimentar o placar.

O Rubro Negro na próxima rodada da competição pegará o Madureira, às 16h, no Moacyrzão. O tricolor da Região dos Lagos, por sua vez, enfrentará o Americano, às 15h30, no Correão, em Cabo Frio.

JOGO COMEÇA EQUILIBRADO, MAS SEM GOLS

O primeiro tempo começou com um leve predomínio do Flamengo. Mas nada que chegasse a assustar o time da Cabofriense, que estava bem na marcação. Com as ausências de Ronaldinho e Thiago Neves, o Rubro-Negro não conseguia chegar ao ataque com perigo, então coube a Renato a responsabilidade na armação das jogadas.

Ambos os times estavam bem postados atrás, o que dificultava as tentativas ofensivas. Tanto que os primeiros chutes a gol da partida saíram de dois chutões de fora da área. O primeiro foi de Renato, do Fla, aos nove minutos, que passou por cima da meta do goleiro Flávio. O segundo foi de Everton, da Cabofriense, aos 13, e que obrigou o arqueiro Felipe a se esticar para espalmar a bola pela linha de fundo.

Aos 19 minutos de jogo, o time da Região dos Lagos assustou os flamenguistas presentes no Moacyrzão. Arílson fez boa jogada pela direita, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para o meio da área. Diego Sales, que vinha de trás, pegou de primeira, mas a bola bateu em Egídio. Na sequência, Diego Sales de novo encheu o pé, mas Felipe conseguiu fazer a defesa.

Após a parada técnica, o Flamengo voltou com maior volume de jogo e as chegadas à frente se tornaram mais frequentes. Em uma das investidas rubro-negras, Renato foi a linha de fundo e cruzou para a área. Wanderley subiu mais que o zagueiro e cabeceou a bola, que saiu raspando na trave.

Com 34 minutos de primeiro tempo, o Flamengo quase abriu o placar em Macaé. O volante Willians, que já havia isolado a bola em outras duas oportunidades, acertou um chute de esquerda na pequena área. Porém, o goleiro Flávio realizou uma defesa milagrosa. Três minutos depois, Wanderley foi derrubado próximo à área e o juiz marcou falta, que Renato cobrou. A bola foi com tanta força que, mesmo no meio do gol, o arqueiro não conseguiu segurar a bola e teve que fazer a defesa em dois tempos.

A partir dai o jogo se tornou mais equilibrado e um tanto quanto pegado. Muitas faltas foram cometidas nos minutos finais da primeira etapa, que terminou com o placar em branco.

SEGUNDO TEMPO COM MUITAS FALTAS E NOVE CARTÕES AMARELOS

O Flamengo voltou a campo com mais disposição que o adversário, porém sem eficiência nas finalizações. Nos primeiros minutos de segundo tempo, o Flamengo teve três chutes a gol e nas três oportunidades, duas com Bottinelli e uma com Léo Moura, a bola foi isolada.

Já a bola da Cabofriense passou mais perto do gol, aos 12 minutos. Diego Sales partiu em contra-ataque, tabelou com Léo Itaperuna e chutou para o gol. A bola chegou até a balançar a rede, mas pelo lado de fora, chegando a assustar os torcedores que estavam posicionados do outro lado do campo.

Mas foi o Rubro-Negro que quase abriu o placar aos 19 minutos de partida com Diego Maurício, que havia entrado no lugar de Negueba no intervalo. Egídio avançou pela esquerda e tocou para o atacante, que chutou de fora da área e a bola bateu no pé da trave do Tricolor da Região dos Lagos.

A bronca que Vanderlei Luxemburgo deu no time durante a parada técnica parece não ter surtido muito efeito. Tanto que a equipe só foi ter sua outra chance de marcar aos 28 minutos. Fierro cobrou falta para a área, a zaga da Cabofriense conseguiu afastar, mas a bola sobrou para Renato, que chutou e bola foi na rede pelo lado de fora.

Deivid, que entrou no lugar de Wanderley, recebeu cruzamento perfeito de Egídio e cabeceou sozinho por cima da meta do goleiro Flávio. Na jogada seguinte, Renato lançou Diego Maurício, que dominou, limpou dois marcadores e bateu para o gol. Porém, a bola caprichosamente bateu no travessão e saiu.

Assim como durante todo o segundo tempo, os minutos finais de partida foram de muitas faltas e cartões amarelos. No total foram nove, na etapa derradeira. Os times não conseguiram armar mais nenhuma jogada de perigo ao adversário e nenhuma das equipes inaugurou o placar, que ficou mesmo em 0 a 0.

FICHA TÉCNICA
CABOFRIENSE 0 X 0 FLAMENGO

Local: Moacyrzão, em Macaé (RJ)
Data-Hora: 20/3/2011 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Auxiliares: Lilian Fernandes Bruno (RJ) e Andréa Marcelino de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Everton, Luciano Totó, Léo Itaperuna, Assumpção e Allan (CAB); Léo Moura, Welinton, David Braz, Egídio, Fierro, Renato, Bottinelli e Willians (FLA)
Cartões vermelhos: –
Gols: –

CABOFRIENSE: Flávio, Arílson, Zé Carlos, André Paulino e Everton; Marcelo Cardoso, Luciano Totó, Zotti (Jajá 35’/2ºT), Diego Sales (Café 17’/2ºT); Léo Itaperuna e Assumpção (Allan 28’/2ºT) – Técnico: Lucho Nizzo.

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David Braz e Egídio; Maldonado (Fierro – Intervalo), Willians, Bottinelli (Deivid 14’/2ºT) e Renato; Negueba (Diego Maurício – Intervalo) e Wanderley – Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

março 20, 2011 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

Flamengo goleia Fortaleza no Castelão e se classifica

Apesar de algumas falhas, Rubro-Negro consegue passar de fase na Copa do Brasil com gols de Renato, Wanderley e Diego Maurício

Pela segunda fase da Copa do Brasil, o Flamengo enfrentou o Fortaleza na noite desta quarta-feira, no Castelão, Ceará, e voltou com a classificação na bagagem ao vencer por 3 a 0. Renato, no primeiro tempo, Wanderley e Diego Maurício, no segundo, foram os autores dos gols rubro-negros.

Agora, a equipe de Vandelei Luxemburgo espera o adversário da próxima fase, que sairá do confronto entre Guarani (SP) e Horizonte (CE), partida que acontece nesta quinta-feira.

Triangulação e golaço

Apesar do favoritismo, o Flamengo começou a partida levando um susto. Logo aos dois minutos, Bismarck recebeu passe de Léo Andrade e chutou forte para a boa defesa de Felipe. Porém, a resposta foi imediata. No minuto seguinte, Thiago Neves, após jogada de Léo Moura, arriscou da intermediária e Fabiano fez a defesa.

A primeira chance clara de gol foi aos seis minutos, quando Ronaldinho Gaúcho cobrou falta para dentro da área e David Braz dominou sem marcação, mas acabou isolando a bola. A partir daí, o jogo se equilibrou, mas com o Fortaleza apostando nos contra-ataques. Até que, em uma triangulação entre Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves e Renato, o camisa 11 acertou o ângulo esquerdo de Fabiano e abriu o placar, aos 20 minutos.

Apesar da desvantagem no marcador, a equipe da casa não mudou a tática e quase chegou ao empate aos 27 minutos. Luciano Henrique recebeu lançamento na ala esquerda, avançou e chutou cruzado, mas Felipe conseguiu evitar o gol. Depois disso, o momento de mais emoção até o fim do primeiro tempo foi aos 43 minutos, quando Egídio fez jogada individual e cruzou para a área, porém, a bola desviou na zaga e quase enganou o goleiro do tricolor cearense.

Gols, aviãozinho e classificação

O segundo tempo mal havia começado e Fabiano teve de fazer boa defesa. No primeiro minuto da etapa final, Renato arriscou de longe e a bola parou nas mãos do goleiro do Fortaleza. Apenas dois minutos depois foi a vez de Luciano Henrique chutar de longe. A bola chegou a desviar na zaga, mas Felipe fez defesa segura.

Aos 10 minutos, Vanderlei Luxemburgo colocou o zagueiro Ronaldo Angelim na vaga do lateral-esquerdo Egídio, que não vinha tendo boa atuação e saiu vaiado pelos torcedores, enquanto Angelim, ídolo do Fortaleza, entrou sob aplausos. Quatro minutos depois, Ronaldinho avançou pela esquerda e cruzou. Thiago Neves tentou de voleio e errou o chute, mas a bola sobrou para Wanderley, de cabeça, balançar a rede: Flamengo 2 a 0.

Depois de sofrer o segundo gol, o time do técnico Flávio Araújo se perdeu em campo e não conseguia pressionar a equipe carioca. Tanto que aos 27 minutos, em uma longa troca de passes no meio de campo, já era possível ouvir os gritos de “olé”. Com a saída do meia Bismarck, aos 35 minutos, diminuiu ainda mais o poder de reação do Fortaleza, já que o meia era o principal responsável por ligar os contra-ataques do time.

A equipe carioca até conseguiu ter algumas boas oportunidades de ampliar a vantagem, as melhores com chutes de longa distância de Thiago Neves. Mas o terceiro gol só veio no fim do jogo. Diego Maurício recebeu de Ronaldinho Gaúcho e bateu na saída de Fabiano.

Assim, os rubro-negros não tiveram grandes dificuldades de manter o resultado favorável e garantir a classificação sem a necessidade do jogo de volta. Agora, a equipe espera o confronto entre Guarani (SP) e Horizonte (CE).

FICHA TÉCNICA:
FORTALEZA 0 X 3 FLAMENGO

Estádio: Castelão, Fortaleza (CE)
Data/hora: 16/3/2011 – 21h50 (de Brasília)

Árbitro: Nielson Nogueira (PE)
Auxiliares: Erich Bandeira (PE – Fifa) e Jossemmar José Diniz Moutinho (PE)

Cartões amarelos: Roniery (FOR); David, Egidío (FLA)
Cartões vermelhos: Não houve
GOLS: Renato, 20’/1ºT (0-1); Wanderley, 14’/2ºT (0-2); Diego Maurício, 46’/1ºT (0-3)

FORTALEZA: Fabiano, Roniery, Gilmak, Plínio e Guto; Marcos Paulo, Régis, Luciano Henrique (Adriano Pimenta – 16’/2ºT) e Bismarck (Eduardo – 35’/2ºT) ; Reginaldo Jr. e Léo Andrade (tatu – 13’/2ºT). Técnico: Flávio Araújo.

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David, Egídio (Ronaldo Angelim – 10’/2ºT); Maldonado, Willians, Renato, Thiago Neves (Diego Maurício – 38’/2ºT), Ronaldinho Gaúcho; Wanderley (Dario Bottinelli – 23’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

março 17, 2011 Posted by | Flamengo | Deixe um comentário

Em clássico agitado, Fla e Flu ficam apenas no zero

Os goleiros dos dois times acabaram sendo os destaques do jogo

Num dos jogos mais esperados do Campeonato Carioca, o placar ficou no zero. Flamengo e Fluminense não conseguiram mexer no marcador, apesar das inúmeras chances criadas para ambos os lados, no Engenhão. O resultado acabou sendo bom para o Rubro-Negro que manteve a invencibilidade no ano e, de quebra, a liderança do Grupo A. O Fluminense chegou a sete pontos, dois a menos que o Botafogo, e fica assim em segundo do Grupo B.

O primeiro tempo começou muito corrido, com os dois times investindo no setor ofensivo. O primeiro lance de perigo foi do Fluminense, num chute de Conca na entrada da área, aos dois minutos. O Flamengo deu a resposta pouco depois com Ronaldinho, fazendo bela jogada e deixando Diguinho para trás, mas o camisa 10 chutou para fora.

Aos poucos o time rubro-negro foi tomando conta do jogo, com mais posse de bola e finalizações. Porém, o Flamengo só voltou a ter boas chances de marcar perto do fim. Aos 42 minutos, Thiago Neves fez bonita jogada na ponta esquerda e rolou para Negueba, que chutou fortemente de longe, e Ricardo Berna espalmou para longe. Logo depois foi a vez de Renato arriscar um chute da intermediária, obrigando o goleiro tricolor a fazer outra grande defesa.

O segundo tempo começou agitado, com o Fluminense mostrando estar muito melhor postado em campo. Emerson era o principal jogador do lado tricolor e fez duas grandes jogadas, chutando cruzado em ambas. Na sequência, o Rubro-Negro mostrou que não estava morto e assustou com um chutaço de Thiago Neves, que parou na linda defesa de Ricardo Berna.

Muricy fez duas mudanças e, com isso, conseguiu pressionar o rival em seu campo de defesa. Após sufocar seu adversário, o Fluminense teve a melhor chance no jogo. Em bela jogada de Souza, a bola acabou sobrando para Mariano, que rolou para Gum chutar de dentro da área. O goleiro Felipe foi rápido e conseguiu tocar de leve, espalmando a bola para a trave.

Luxemburgo viu as mudanças do Fluminense e logo colocou seu xará Wanderley no lugar de Negueba. Pouco depois foi a vez de Fierro substituir Thiago Neves, que deixou o campo exausto. O treinador conseguiu conter as jogadas ofensivas do Fluminense, mas acabou prejudicando o ataque, que perdeu a mobilidade do começo do jogo.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 0 X 0 FLUMINENSE

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David e Egídio; Maldonado, Willians, Renato(Bottinelli 39’T°), Negueba (Wanderley/25’°T), Thiago Neves (Fierro/33’2°T), e Ronaldinho Téc: Vanderlei Luxemburgo

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Diogo, Diguinho, Marquinho (Souza/21’2°T) e Conca; Emerson (Araújo/21’2°T) e Rafael Moura Téc: Muricy Ramalho

Público e renda: 21.281 pagantes, R$ 666.415,00

Cartões amarelos: Thiago Neves, Ronaldinho, Renato (Fla) Emerson, Carlinhos, Diguinho(Flu)

Local: Estádio João Havelange (Engenhão), Rio de Janeiro

Árbitro: Pathrice Maia (RJ)

março 13, 2011 Posted by | Flamengo, Fluminense | , | Deixe um comentário

No sufoco: Fla se esforça, pressiona, e bate o Bangu nos acréscimos

Atacante marcou o gol da vitória aos 50 minutos do segundo tempo

Foi suado mas o Flamengo conseguiu vencer mais um jogo no Carioca. O Rubro-Negro venceu o Bangu por 2 a 1, com direito a gol de Diego Maurício aos 50 minutos, o primeiro dele na temporada. Ronaldinho fez o primeiro gol do Flamengo e Pipico marcou para o Bangu diante de muita chuva no Estádio Claudio Moacyr, em Macaé.

O jogo começou muito corrido para os dois lados. As primeiras chances foram todas do Flamengo, mas logo o Bangu igualou e criou boas jogadas com Pipico, levando a defesa rubro-negra à loucura. Depois de muitas investidas pela ponta direira, o lateral Léo Moura conseguiu fazer boa jogada e arrumou um pênalti ao se jogar logo depois de belo drible. Ronaldinho foi para a cobrança e bateu com firmeza no canto, abrindo o marcador aos 23 minutos.

Logo depois o árbitro Djalma José Beltrami voltou a errar, desta vez para o Bangu. Welinton desarmou Pipico, mas foi assinalado o pênalti e o próprio atacante converteu, num chute rasteiro, sem chances para Felipe.

Os torcedores começaram a pegar no pé de Bottinelli e todas as vezes que o argentino tocava na bola era vaiado. Porém, o meia logo respondeu lançando bela bola para Renato, que desperdiçou chutando torto de perna direita.

O Flamengo voltou mais ofensivo para o segundo tempo, com Fierro e Diego Maurício nas vagas de Léo Moura e Willians, ambos poupados por já terem levado cartões. O novo esquema logo mostrou resultado, já que Ronaldinho passou a jogar mais recuado, armando as principais jogadas de ataque. O camisa 10 lançou Thiago Neves, livre na área, mas o meia demorou a chutar.

Os minutos finais da partida foram de muita pressão e o Flamengo perdeu pelo menos quatro grandes chances de passar a frente no marcador. O gol da vitória só veio no último minuto. Após cobrança de escanteio, a zaga do Bangu cortou mal e Diego Maurício apareceu livre para fazer o segundo do Flamengo e garantir mais três pontos.

março 10, 2011 Posted by | Flamengo | , , | Deixe um comentário

Com mais um do ‘passista’ R10, Fla bate o Olaria e pula o carnaval em paz


Fantasiado’ de centroavante, camisa 10 faz o gol da virada no 3 a 2 em Volta Redonda. Passe é de Thiago Neves, que marca dois e sai aplaudido

No terceiro mês da temporada, o campeão da Taça Guanabara ainda parece um time em formação. Egídio não consegue transmitir confiança na esquerda. Renato ainda busca o melhor posicionamento. Bottinelli foi mais uma vez substituído. Mas Vanderlei Luxemburgo ganhou neste sábado um argumento para insistir com Ronaldinho Gaúcho como dublê de camisa 9. Na vitória por 3 a 2 sobre o Olaria, o astro vestiu bem a fantasia de centroavante no gol da virada (veja o vídeo).
O gol aos três do segundo tempo foi o quarto de Ronaldinho com a camisa rubro-negra. Ele já havia marcado de pênalti, de cabeça e de falta. Desta vez, marcou recebendo a bola dominada dentro da área. Depois do passe de Thiago Neves – com uma boa dose de contribuição da zaga – o astro escolheu o canto e tocou com simplicidade. Comemorou repetindo o bonde sem freio da final da Taça Guanabara. No rosto, o sorriso de quem sabe que poderá pular o carnaval à vontade, sem qualquer pressão (clique e veja o roteiro do craque na folia). Os outros dois gols foram de Thiago Neves, que saiu bastante aplaudido.
O Flamengo volta a campo na próxima quinta-feira, contra o Bangu, às 19h30m, no Engenhão.
Confira a classificação atualizada da Taça Rio
Susto logo no começo
O cenário era festivo para o Flamengo. Apesar da chuva, a torcida mostrava animação no Raulino de Oliveira. Aos dois minutos, Ronaldinho tocou a bola entre as pernas de um adversário e levantou a galera. Símbolo da confiança de quem conquistou a Taça Guanabara com oito vitórias e um empate. Mas a invencibilidade ficou ameaçada logo aos cinco minutos de jogo. Renan Silva arriscou um chute de longe. O goleiro Felipe falhou e soltou a bola nos pés de seu xará adversário, que completou para a rede: 1 a 0.
– Está chovendo, o gramado está irregular, não vi a saída da bola… Mas Tenho que assumir, não podia dar aquele rebote ali – comentou o goleiro no intervalo.
De uniforme novo, o caítão Ronaldinho Gaúcho também voltou para armar jogadas (Foto: Vipcom)

Ao confessar seu erro, o camisa 1 já tinha uma ponta de alívio pelo empate obtido no último lance da etapa inicial. Um gol que surgiu meio sem querer. Aos 46, da entrada da área, Bottinelli arriscou o chute e pegou mal na bola. O efeito acabou se transformando em lançamento para Thiago Neves, livre na pequena área. O camisa 7 só teve o trabalho de tocar para o gol e correr para comemorar, com a defesa do Olaria reclamando de impedimento inexistente.
O gol de Thiago Neves fez justiça a um primeiro tempo em que o Flamengo esteve longe de ser envolvente, mas incomodou o goleiro Henrique várias vezes. Foram 13 finalizações rubro-negras. Numa delas, Ronaldinho Gaúcho tentou de bicicleta e pegou mal.
A maioria das tentativas foi de fora da área. Thiago Neves acertou o pé da trave. Bottinelli também arriscou duas vezes. Mas o time era mais perigoso quando conseguia colocar seus homens de frente para trocar passes. Na jogada mais bonita da primeira etapa, Ronaldinho levantou na área para Renato, que ajeitou no peito e devolveu. Ronaldinho Gaúcho chegou chutando de chapa e deslocou o goleiro. A bola só não entrou porque pegou no cotovelo do zagueiro.
O Olaria teve duas chances de ampliar em contra-ataques. Aos 33, foram quatro jogadores de azul contra apenas dois rubro-negros. Mas Renan Silva, fominha, preferiu o chute de longe em vez da troca de passes, facilitando o trabalho de Felipe.
Expulsão preocupa, mas contra-ataque salva
O gol de empate aos 46 mexeu com o Olaria e levantou o Flamengo, que voltou para a segunda etapa pressionando desde o começo. Aos dois, Ronaldinho chutou da entrada da área e obrigou Henrique a fazer importante defesa. Na jogada seguinte, não deu para o goleiro. Thiago Neves rolou para o camisa 10, que, livre na área, tocou com estilo, no canto, aos três.
O gol acalmou o Flamengo e esfriou de vez o Olaria. Até que o juiz expulsou David numa jogada em que o zagueiro não fez falta. Renan Silva tentou um drible, adiantou demais a bola e se jogou. David já tinha cartão amarelo e levou o segundo. O panorama tranquilo para os rubro-negros ficava ameaçado.
Vanderlei Luxemburgo mandou Willians para a zaga. E o volante conseguiu êxito na primeira jogada como zagueiro, evitando de carrinho um chute de Waldir de dentro da área. Logo depois, o juiz errou ao marcar falta de Thiago Neves na intermediária. Luxemburgo ficou uma fera. Mal sabia que a jogada seria benéfica. Na cobrança, a defesa rebateu e a bola sobrou para Léo Moura. Inteligente, o lateral viu Fierro escapando pela direita e fez ótimo lançamento. O chileno levantou a cabeça, percebeu Thiago Neves arrancando pelo lado oposto, e cruzou na área. Thiago dominou e tocou por cima do goleiro, com categoria: 3 a 1, aos 25, em contra-ataque de almanaque.
Na arquibancada, estava antecipado o início do Baile do Vermelho e Preto. Qualquer coisa era motivo para festa. Um simples carrinho foi o estopim para gritos de “Ronaldinho é Seleção”. Pouco depois, Thiago Neves foi substituído por Jean e saiu sob aplausos. O mesmo aconteceu com Renato, que deu lugar a Negueba.
Mas ainda havia tempo para sustos. Aos 43, Nicolas cobrou falta e Rafael subiu livre para cabecear: 3 a 2. O Flamengo, no entanto, não atravessou. Tocou a bola e esperou o apito final.

FLAMENGO 3 X 2 OLARIA
Felipe, Léo Moura, Welinton, David Braz e Egídio; Maldonado, Willians, Renato (Negueba), Botinelli (Fierro) e Thiago Neves (Jean); Ronaldinho Henrique, Ivan, Thiago Eleutério, Rafael e Calisto (Gonzalo Gil); David, Danilo, Victor e Renan Silva (Nicolas); Waldir e Felipe Silva (Renato Valpaços)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo Técnico: Luiz Antônio Ferreira
Gols: No primeiro tempo, Danilo, aos 5, e Thiago Neves, aos 46. No segundo, Ronaldinho Gaúcho, aos 3, e Thiago Neves, aos 25, e Rafael, aos 43.
Cartões amarelos: David, Thiago Neves (Flamengo) e Henrique (Olaria). Cartão vermelho: David
Data: 5/3/2011. Estádio: Raulino de Oliveira, em Volta Redonda
Árbitro: Rodrigo Cavalhães de Miranda apita o jogo, auxiliado por Michel Correia e Luis Felippe Costa

março 5, 2011 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

À la Zico e Pet, Ronaldinho, de falta, decide para o Flamengo a Taça GB

Mesmo sem brilhar, craque cobra com estilo, Fla vence Boavista por 1 a 0 e conquista, de forma invicta, seu 19º troféu do primeiro turno

Foram 534 minutos em campo com a camisa rubro-negra. Nas seis partidas pelo Flamengo desde que chegou, Ronaldinho Gaúcho não conseguiu, até o momento, repetir as grandes atuações que o fizeram ídolo no Barcelona, no Milan e na Seleção Brasileira. Mas craque, mesmo sem brilhar, pode decidir. E numa cobrança de falta, relembrando outros camisas 10 marcantes, como Zico e Petkovic, o novo ídolo rubro-negro começou a escrever sua história no clube. Aos 26 minutos do segundo tempo, bateu com maestria e correu para o abraço. E, junto com o time, comemorou no embalo do “Bonde sem freio”, rap que virou hit entre os jogadores na semana da decisão, o gol que garantiu, neste domingo, a vitória por 1 a 0 sobre o Boavista e a 19ª Taça Guanabara para o clube, de forma invicta.
Ao fim da partida, todos os jogadores, puxados pelo camisa 10, voltaram a fazer a coreografia do “Bonde do Mengão sem freio”. Ronaldinho comemorou como um garoto que iniciava a carreira. E a torcida do Flamengo, que lotou o Engenhão, vibrou com a primeira conquista da temporada 2011. “Que torcida é essa?”, gritava, eufórica. Com os jogadores já no alto do pódio para receber as medalhas e erguer o troféu, cantou o hino do clube. E depois da volta olímpica, Ronaldinho fez questão de chegar próximo da arquibancada para mostrar a taça. Euforia total.
Com a coreografia do “Bonde do Mengão sem Freio”, Ronaldinho puxa o time para comemorar o gol de falta aos 26 do segundo tempo que dá título da Taça GB ao Rubro-Negro (Foto: André Durão / Globoesporte.com)
Com a conquista da Taça Guanabara, o Flamengo assegurou vaga cativa na decisão do Campeonato Carioca. Ao Boavista, resta o consolo de ter feito boa campanha no primeiro turno e, pela primeira vez, ter ido a uma decisão.
O gol marcado deu a Ronaldinho, 46 dias depois de sua apresentação apoteótica na Gávea, diante de 20 mil torcedores, a alegria de, também, ser o responsável pelo primeiro grito de carnaval dos rubro-negros. O camisa 10, que desfilará na Portela e na Grande Rio, poderá brincar também à vontade no bloco que criou – Samba,.Amor e Paixão – no próximo domingo.
Ronaldinho de centroavante

O técnico Vanderlei Luxemburgo surpreendeu ao sacar Deivid e escalar o argentino Bottinelli no meio-campo, deslocando Ronaldinho para a posição de centroavante. A outra alteração foi a saída de Ronaldo Angelim para a entrada de Egídio. A ideia, segundo o treinador, era usar três meias – Thiago Neves, Renato e Bottinelli – para municiar o camisa 10. A opção pelo lateral era criar pelo lado esquerdo mais uma opção de ataque.
Foi até do camisa 6 a primeira boa jogada, aos cinco minutos. Foi à linha de fundo e centrou para Thiago Neves cabecear. A zaga do Boavista interceptou. Mas o que se viu em boa parte do primeiro tempo foi um Flamengo tocando muito a bola, mas com poucas infiltrações para criar oportunidades. Com Ronaldinho preso na área e Bottinelli e Thiago Neves errando passes, o esquema de Vanderlei não deu certo.
O Verdão de Saquarema, desde o início, dava a senha do que seria sua estratégia: esperar o Flamengo em seu campo para partir em contra-ataque e aproveitar os buracos da defesa. Durante os 11 primeiros minutos, nem uma coisa nem outra. O Flamengo só conseguiu a primeira boa jogada de gol quando Ronaldinho saiu da área e foi para a ponta esquerda. Livrou-se de Bruno Costa e centrou para Thiago Neves cabecear pelo lado direito. Mas o goleiro, xará do camisa 7, espalmou para escanteio. Pouco depois, pela direita, Léo Moura recebeu na medida de Thiago Neves e bateu cruzado, para fora, na melhor oportunidade.
Ronaldinho cobra a falta com maestria e sai para
o abraço (Foto: André Durão / Globoesporte.com)
Se o Flamengo melhorava o seu toque de bola, o Boavista não conseguia puxar os contra-ataques. Renato era eficiente no primeiro combate, e Willans e Maldonado marcavam em cima Tony e Leandro Chaves, os armadores da equipe da Região dos Lagos. Com isso, Frontini não conseguia ser acionado.
Queda de ritmo
Com os termômetros marcando 42 graus no Engenhão, os dois times caíram de ritmo. Muito marcado na área, Ronaldinho caía pelos flancos para ajudar na armação, mas pouco dava sequência às jogadas. Bottinelli, sem ritmo de jogo, errava o último passe. Thiago Neves raramente servia bem e pecava pelo excesso de individualismo.
O time só voltou a levar susto à meta do Boavista num lance sem querer de Egídio. Na tentativa de centrar para a área, ele quase encobriu o goleiro Thiago, que se esticou para espalmar a bola. O goleiro voltou a aparecer bem aos 40 minutos, quando o Flamengo acertou uma jogada pela direita, no lançamento de Maldonado para Bottinelli. O argentino foi à linha de fundo e centrou para encontrar Ronaldinho, que vinha na corrida. Mas Thiago saiu bem do gol e espalmou, salvando o Boavista.
No fim do primeiro tempo, as duas equipes se aproveitaram de erros para criar chances de abrir o placar. Na única que o Boavista teve, Leandro Chaves levou a melhor após desequilíbrio de Maldonado, que ao partir para tentar dominar a bola – mal passada por Willians – caiu. O camisa 10 do Verdão de Saquarema chutou com violência, mas no meio do gol. Felipe rebateu. O Flamengo contra-atacou com Welinton na área adversária. Em bola resvalada erradamente pela zaga, o camisa 3 rubro-negro apanhou a sobra e bateu por cima.
Negueba em campo
Vanderlei atendeu aos pedidos da torcida e lançou Negueba no lugar de Bottinelli, no segundo tempo. O Boavista começou a sair um pouco mais para o ataque, e o técnico Alfredo Sampaio, com dez minutos, botou o lateral-direito Joílson no lugar de Bruno Costa, para subir melhor.

Depois que Negueba fez boa jogada pela direita e centrou para Thiago Neves, que chegou atrasado, Vanderlei resolveu mexer no Flamengo novamente. Sacou Egídio para pôr o atacante Diego Maurício. Com isso, Renato foi para a lateral, e Ronaldinho voltou ao meio-campo. As jogadas não saíam. A torcida se irritava, Vanderlei também. Ao reclamar de uma falta de Maldonado marcada pelo árbitro, acabou advertido. O Boavista ensaiava sair mais para o jogo, mas esbarrava nos erros de passes e na boa cobertura rubro-negra.
Gol de falta
Aos 25 minutos, começou o lance capital da partida e de Ronaldinho na Taça Guanabara. Edu Pina derrubou Thiago Neves próximo da área. Não houve quem não pedisse o craque para bater. E o camisa 10 relembrou os grandes tempos de Barcelona ao cobrar com maestria. A bola cobriu a barreira e foi caindo à esquerda de Thiago, que sequer pulou. Antes de a bola entrar, o ídolo já saiu correndo para comemorar. E, junto com o time, fez a coreografia do “Bonde do Mengão sem freio”, inspirado no funk que virou febre entre os jogadores.
Vibração no pódio é intensa: capitão Ronaldinho ergue a Taça GB (Foto: André Durão / Globoesporte.com)
Com a vantagem, Vanderlei fortaleceu a defesa ao trocar o cansado Thiago Neves por Ronaldo Angelim. Pouco depois, após dividida em que Renato Abreu bateu com o joelho no peito de Frontini, o atacante do Boavista deu um tapa no jogador rubro-negro, que valorizou o lance. O átbitro expulsou o argentino.
O Boavista pressionou, e no fim da partida, o time reclamou de pênalti em Gustavo, não marcado pelo árbitro. O time de Saquarema lutou, mas a Taça GB já tinha dono. Mais uma vez, foi para a Gávea.
FLAMENGO 1 X 0 BOAVISTA
Felipe, Léo Moura, Welinton, David Braz e Egídio (Diego Maurício); Maldonado, Willians, Renato, Thiago Neves (Ronaldo Angelim) e Bottinelli (Negueba); Ronaldinho. Thiago, Bruno Costa (Joílson), Gustavo,Santiago e Paulo Rodrigues; Júlio César, Edu Pina, Leandro Chaves e Tony; André Luís (Raphael Augusto) e Frontini.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo Técnico: Alfredo Sampaio
Gol: Ronaldinho, aos 26 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Renato Abreu e Ronaldinho Gaúcho (Fla), Leandro Chaves, Júlio César, Edu Pina e Gustavo (Boavista). Cartão vermelho: Frontini (Boavista
Local: estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro. Data: 27/02/2011. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique. Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés e Luiz Antônio Muniz de Oliveira. Renda: R$ 1.198.930,00. Público pagante 36.102. Público presente. 41.708

fevereiro 27, 2011 Posted by | Flamengo | , , , | Deixe um comentário

Paredão Felipe garante o Fla sobre o Bota nos pênaltis

Goleiro rubro-negro defende duas cobranças depois do empata em 1 a 1 no tempo normal. Final será contra o Boavista

Esse filme já é conhecido. Na disputa de pênaltis, o Flamengo venceu o Botafogo, neste domingo, no Engenhão, e se garantiu na final da Taça Guanabara. Após um clássico alucinante, que terminou com empate em 1 a 1 (gols de Ronaldo Angelim e Loco Abreu), o goleiro Felipe, com duas defesas, garantiu a classificação rubro-negra.

O Flamengo encara o Boavista no próximo domingo, no Engenhão, pela final da Taça Guanabara. Já o Botafogo se concentra na Copa do Brasil, pela qual estreia na quarta-feira, contra o River Plate (SE), em Aracaju.

FLA DOMINA PRIMEIRA ETAPA E LARGA NA FRENTE

Já se passou um ano desde a surpreendente classificação do Botafogo sobre o Flamengo na semifinal da Taça Guanabara. Na ocasião, o técnico Joel Santana descobriu a fórmula que pôs um fim à então soberania rubro-negra. Doze meses depois, as duas equipes se encontraram na mesma fase da mesma competição. O Glorioso, do mesmo Papai Joel, seguiu recorrendo à velha fórmula: três zagueiros fechados e dois alas avançando no contra-ataque levantando bolas para Herrera e Loco Abreu.

Mas o Flamengo de 2011 entrou para o clássico com a experiência do último fracasso. Daquele elenco, quase ninguém sobrou, mas as lições foram passadas para aqueles que chegaram.

A primeira medida tomada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo foi fechar o miolo de zaga para escorar o “chuveirinho” do rival. Os três defensores (David, Welinton e Angelim) formaram um bloqueio para Loco Abreu. Enquanto isso, a movimentação dos meias Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves e até do volante Willians (quem por vezes, se tornou um ponta pela direita), prendiam demais os laterais alvinegros.

Os primeiros 45 minutos foram de bastante equilíbrio. Com duas marcações fortes, a diferença estaria na qualidade técnica. E, neste quesito, o Fla era superior.

Ronaldinho, bastante marcado por Rodrigo Mancha, passou a etapa inicial de forma discreta. Coube ao seu companheiro de criação, Thiago Neves, desequilibrar. Com bastante movimentação, o camisa 7 criou espaços, sofreu faltas perigosas, e, aos 15 minutos, assistiu o primeiro gol da partida, marcado pelo zagueiro Ronaldo Angelim, ao melhor estilo ‘hexa’: de cabeça, em cobrança de escanteio.

O vantagem não modificou muito a postura do jogo. O Rubro-Negro permaneceu tomando a iniciativa no ataque. Léo Moura e Thiago Neves tivaram boas chances de ampliar. O goleiro Jefferson salvou uma delas com uma defesa espetacular em cabeçada do camisa 7.

A única chance de real perigo antes do intervalo aconteceu aos 30 minutos. Márcio Azevedo aproveitou escorada de Loco e chutou de meia-bicicleta. A bola passou com perigo.

JOEL MUDA, BOTA EMPATE, E CLÁSSICO VAI PARA OS PÊNALTIS

Joel Santana promoveu uma alteração na volta do intervalo. Márcio Azevedo deixou o jogo para a entrada de Éverton. E a estrela do técnico não demorou muito a entrar em cena. Logo aos três minutos, em jogada iniciada por Éverton, Loco Abreu igualou o placar.

Aos 11 minutos, quase o segundo alvinegro. Outra vez o ex-rubro-negro apareceu pela esquerda, cruzou na cabeça de Loco Abreu, mas Felipe evitou a virada com bela defesa.

O Botafogo era melhor. Percebendo a inoperância do setor ofensivo, Luxemburgo sacou o atacante Deivid e colocou o jovem Guilherme Negueba. Em pouco tempo, a revelação da Gávea perturbou a defesa adversária. Aos 18, avançou bem pela direita e cruzou para Ronaldinho no meio. Mas o craque acabou travado pela zaga.

A ousadia do garoto inspirou os “figurões” rubro-negros. O Botafogo recuou e o Fla retomou o controle da partida. Aos 22, R10 quase fez um belo gol, mas Jefferson, num leve desvio, colocou a bola para fora.

A partir dos 30 minutos, o duelo voltou ao equilíbrio. O clássico tomou um ritmo alucinante. Os dois times partiram para o ataque. Foi a vez de os goleiros Felipe e Jefferson brilharem com belas defesas. No fim, outro empate no Clássico da Rivalidade, que, assim como nos últimos anos, ficou para ser decidido nas grandes penalidades.

PAREDÃO FELIPE COLOCA FLA NA FINAL

Felipe pega pênalti de Éverton (foto: Gilvan de Souza)

Na disputa por pênaltis, o goleiro Felipe fez a torcida rubro-negra lembrar os bons tempos de Bruno. Léo Moura, Fernando e Renato Abreu fizeram para o Fla. Já o paredão rubro-negro agarrou as cobranças de Éverton e Somália. Na batida derradeira, Renato Cajá jogou para fora. O zagueiro Márcio Rosário fez o único gol alvinegro na disputa.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 1 (3) X (1) 1 BOTAFOGO

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 20/2/2011 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Luis Antônio Silva dos Santos (RJ)
Auxiliares: Ricardo Maurício Ferreira de Almeida (RJ) e Eduardo de Souza Couto (RJ)

Público/ Renda: 26.684 pagantes/ R$ 805.645,00
Cartões Amarelos: Willians, Deivid, David, Thiago Neves (FLA); Herrera, Renato Cajá, Mancha (BOT)

GOLS: Ronaldo Angelim, aos 15’/ 1ºT (FLA); Loco Abreu, aos 3’/2ºT (BOT)

Pênaltis: Márcio Rosário (fez, 0-1); Léo Moura (fez, 1-1); Éverton (perdeu, 1-1); Renato Abreu (fez, 2-1); Somália (perdeu, 2-1); Fernando (fez, 3-1); Renato Cajá (perdeu, 3-1)

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David e Ronaldo Angelim (Diego Maurício, aos 36’/ 2ºT); Fernando, Willians, Renato, Thiago Neves e Ronaldinho; Deivid (Negueba, aos 13’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

BOTAFOGO: Jefferson, Alessandro, Antônio Carlos, Márcio Rosário e Márcio Azevedo (Éverton, intervalo); Arévalo (Araruama, aos 45’/2ºT), Rodrigo Mancha, Somália e Renato Cajá; Herrera (Caio, aos 30’/2ºT) e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

fevereiro 20, 2011 Posted by | Botafogo, Flamengo | | Deixe um comentário

Fla faz 2º tempo espetacular e elimina Murici da Copa do BR

Ronaldinho, Renato e Negueba fizeram os gols que eliminaram o time alagoano. Mudanças foram fundamentais para vitória

O Flamengo até começou mal, mas as mudanças no segundo tempo foram fundamentais para a vitória do Flamengo sobre Murici(AL) por 3 a 0, no estádio Rei Pelé. Jogando de centroavante, Ronaldinho fez o primeiro gol com bola rolando. De falta, Renato fez o segundo e Negueba sacramentou a eliminação do time alagoano na Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira.

Murici melhor

Estádio lotado, grande festa antes da partida promovida pelo torcedores antes de a bola rolar no estádio Rei Pelé. Afinal era a estreia do Flamengo na Copa do Brasil e a primeira partida de Ronaldinho pelo Flamengo fora do Rio.

Dentro de campo, o Flamengo começou em marcha lenta e errou excessivamente passes no início de partida. Renato, Ronaldinho e Léo Moura erraram passes em sequências. As principais jogadas do Murici foram feitas pelo meia Everlan e pelo habilidoso Gustavo.

Apesar disso, a primeira oportunidade foi criada pelo Clube da Gávea, aos 8 minutos. Léo Moura viu bem a passagem de Willians na entrada da área, rolou para o chute de primeira à esquerda do goleiro Dias. O Fla seguia mal, Ronaldinho e Thiago Neves errando jogadas individuis.

Quem se aproveitava disso era o time alagoano. Souberam explorar a avenida nas costas de Ronaldo Angelim e infernizaram a defesa adversária. Por aquele lado, Everlan arriscou de longe quase complica a vida de Felipe. O goleiro teve de cair no canto esquerdo e fazer grande defesa, aos 22.

A partir daí, o Flamengo equilibrou a partida e chegou a ser superior em determinados momentos. Ronaldinho, centralizado, viu bem a passagem de Thiago Neves na esquerda, fez bela virada de jogo. O camisa 7 cruzou na medida para Deivid perder um gol feito cara a cara com Dias, aos 24.

O Murici respondeu quatro minutos depois. Everlan acertou belo passe de calcanhar para o atacante Alexandro. Este chutou forte para obrigar Felipe a realizar outra defesa imporante.

No fim do primeiro tempo, o Flamengo começou a pressionar em busca do primeiro gol. Na primeira boa jogada, Ronaldinho enfiou boa bola para Deivid entre os zagueiros. O atacante dividiu com Dias e a bola acabou saido com bola e tudo.

Ronaldinho e Renato fazem

Como no primeiro tempo, o Murici voltou melhor e começou assustando logo aos 3 minutos com Everlan. O apoiador do Murici apareceu livre pela direita, mas Welinton conseguiu se recuperar e afastou o perigo.

Nos minutos seguintes, Bilu e Franco promoveram uma verdadeira blitz à defesa do Flamengo. Na esquerda, Bilu cruzou para o chute perigoso de Franco à esquerda de Felipe. Logo em seguida o Flamengo respondeu com chegada perigosa de Thiago Neves.

Vendo que o time estava mal postado, Luxemburgo tirou Welinton e pôs Egídio. Ronaldo Angelim foi para a zaga. Tirou Maldonado e colocou Fierro. A partir das mudanças, o time do Flamengo foi soberano. Aos 15, Ronaldinho fez uma jogada à sua caraterística. Partiu para cima e tirou três adversários e cruzou certo para Thiago Neves. Este acabou deixando a bola passar.

Insatisfeito com atuação Deivid, Vanderlei chamou Negueba e mudou o posicionamento de Ronaldinho. Agora, o craque passou a jogar de centroavante. Aos 21, Léo Moura foi ao fundo e cruzou na cabeça do camisa 10. Ronaldinho subiu mais que os zagueiros e aparou de cabeça para o fundo da rede: 1 a 0. Ronaldinho vibrou muito com o gol e gritou para os companheiros: “Vem, vem” na comemoração.

O Clube da Gávea seguia em cima na tentativa de eliminar o jogo de volta. Em falta cobrada pela direita, Renato chutou forte, a bola quicou atrapalhando o goleiro dias. A bola acabou morrendo no fundo do barbante: 2 a 0. O Flamengo ainda teve tempo para fazer mais um. Negueba recebeu na entrada da área e aproveitou o passe de Thiago Neves empurrando a bola para a rede: 3 a 0.

Murici 0 x 3 Flamengo

Local: estádio Rei Pelé, Maceió (AL)
Data-Hora: 16/02/2011 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Jailson Freitas (BA)
Renda/público: R$ 662.500/ 15.100
Gols: Ronaldinho, Renato e Negueba.
Cartão amarelo:
Cartão vermelho: não houve.

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura, Welinton (Egídio 9’/2ºT ), David e Ronaldo Angelim; Maldonado (Fierro 9’/2ºT), Willians, Thiago Neves, Ronaldinho e Renato; Deivid (Negueba 18’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

MURICI: Dias, Alex Murici, Nado, Sinval e Paulinho; Gueba, Serginho, Gustavo (Edvaldo 10’/2ºT), Everlan; Josy e Alexandro(Franco – intervalo). Técnico: Gilmar Baptista.

fevereiro 16, 2011 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Deivid marca e Flamengo termina Taça GB 100%

Time vence o Resende por 1 a 0 e duela contra o Botafogo nas semifinais da Taça Guanabara. Gigante do Vale está eliminado

Era jogo de campeonato com importância de amistoso. E o Flamengo soube pontuar bem esta diferença neste domingo. Sem inspiração – e com pouca transpiração – o time venceu por 1 a 0 o Resende, em Macaé, e terminou a primeira fase da Taça Guanabara com 100% de aproveitamento. Antes alvo da torcida, Deivid foi o herói do magro triunfo.
A má atuação foi simbolizada por Ronaldinho. No terceiro jogo pelo Rubro-Negro, o camisa 10 foi presa fácil para o marcador do Resende. Gabriel, de apenas 17 anos, levou a melhor em quase todos os lances contra um adversário disperso, lento e de passes imprecisos.
A ciranda tática de Vanderlei Luxemburgo, que a cada jogo opta por um esquema, também não dá resultados. Desta vez, Ronaldo Angelim foi discreto na lateral esquerda e o meio-campo não se encontrou. Mesmo assim, o time venceu.
O Flamengo termina a primeira fase com 21 pontos, a melhor campanha entre os 16 participantes e enfrenta o Botafogo na semifinal. A partida será no próximo domingo, no Engrenhão. Antes disso, o Rubro-Negro estreia na Copa do Brasil contra o Murici, quarta-feira, em Maceió.
Por sua vez, o Resende foi prejudicado pela vitória por 5 a 3 do Boavista sobre o Nova Iguaçu e perdeu a segunda vaga. O Boavista, segundo colocado da chave, enfrenta o Fluminense.

Confira a classificação do Campeonato Carioca
Preguiça rubro-negra
O sol forte e a situação confortável na tabela provocaram preguiça no Flamengo. O time forçou as jogadas pelo lado esquerdo – o da sombra – mas pouco produziu. A disposição do Resende era outra. Em busca da segunda da chave, o time arriscou chutes de longe e aos 10 minutos foi prejudicado pela marcação irregular de um impedimento quando Alexandro recebeu livre dentro da grande área.
A torcida, que não lotou o estádio Cláudio Moacyr, se deleitava a cada passe de Ronaldinho. Mas o camisa 10 também parecia contaminado pela lei do menor esforço e limitava-se aos toques para o lado.
Repetindo a atuação ruim do coletivo de sexta-feira, quando foi dominado e perdeu para os reservas por 2 a 1, o time do Flamengo só deu um chute perigoso aos 35. Léo Moura recebeu de Deivid na área e Eduardo espalmou o chute. Em falta lateral cobrada por Thiago Neves, aos 43, o goleiro do Resende novamente salvou. Mas foi só. Ao fim do primeiro tempo, as esperadas vaias dos torcedores insatisfeitos.
Deivid, o salvador
No segundo tempo o Flamengo, pelo menos, passou a ter o domínio das ações. Mas Ronaldinho – sim, Ronaldinho – e Thiago Neves erravam quase tudo. Até em uma cobrança de falta frontal o camisa 10 esbarrou na barreira.
Perigoso, o Resende contragolpeou com Marcel, aos 14. Ele chutou no alto e Felipe se esticou para evitar o gol. A torcida rubro-negra só aplaudiu quando Luxemburgo chamou Negueba.
Mas foi outro jogador que entrou, Fierro, quem fez a jogada salvadora. Aos 31 minutos, ele cruzou da direita e Deivid se antecipou à zaga para marcar o quarto dele no Estadual. O atacante igualou a Wanderley, que está machucado, na artilharia da equipe.
Pouco depois, Ronaldinho foi substituído por Muralha e deixou o campo aplaudido. Aos 43 o Resende teve a chance de empatar. Anderson cabeceou dentro da pequena área e Felipe salvou com o pé direito.

FLAMENGO 1 X 0 RESENDE
Felipe; Léo Moura, Jean, David Braz e Ronaldo Angelim; Willians (Fierro), Fernando, Marquinhos (Negueba), Thiago Neves e Ronaldinho (Muralha); Deivid. Eduardo; Wellington, Rogério, Anderson Conceição e Kim; Ramon, Gabriel, Léo Silva e Valdeir (Léo); Marcel (Elias) e Alexandro.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo Técnico: Paulo Campos
Gols: Deivid, aos 31 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Willians (Flamengo)
Local: Cláudio Moacyr, em Macaé. Data: 13/2/2011. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique. Auxiliares: Luiz Cláudio Regazone e Diogo Carvalho Silva. Público: 4.588 pagantes (6.684 presentes)

fevereiro 13, 2011 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

R10 desencanta e Negueba garante a vitória


Ronaldinho marcou seu primeiro gol pelo Flamengo na vitória por 3 a 2 sobre o Boavista; Rubro-Negro garante a liderança

A tarde tinha tudo para ser de Ronaldinho Gaúcho. Mas foi o jovem Guilherme Negueba quem garantiu, nos minutos finais, a vitória por 3 a 2 do Flamengo sobre o Boavista, neste domingo, no estádio Cláudio Moacyr. Além da liderança do grupo garantida a partida marcou também o primeiro gol assinalado por R10 pelo Rubro-Negro. O craque converteu o pênalti sofrido por Deivid ainda na primeira etapa. O camisa 9, aliás, também marcou o segundo gol do Fla, no início da etapa final.

Frontini, duas vezes, fez os gols da equipe de Saquarema, que chegou a empatar o jogo após apagão da defesa rubro-negra. Mas acabou castigada no fim.

Com a ponta da chave assegurada, o Flamengo encerra sua participação na primeira fase no próximo domingo, contra o Resende, em local ainda não definido. No mesmo dia, o Boavista encara o Nova Iguaçu, fora de casa.

R10 MARCA O PRIMEIRO

A bola começou a rolar no Moacyrzão e o Flamengo já partiu com tudo para cima do Boavista. Destaque para a movimentação dos meias Thiago Neves, Renato e, ele, o nome da primeira etapa: Ronaldinho Gaúcho.

O camisa 10 iniciou sua segunda apresentação pelo rubro-negro um pouco mais incisivo do que na estreia. Conseguiu alguns dribles, sofreu faltas perigosas e desencantou. Aos 22 minutos, Thiago Neves fez lançamento primoroso para Deivid. O atacante dominou, fintou o goleiro Thiago e caiu em seguida. Pênalti para o Flamengo. Alguma dúvida de quem iria para a cobrança?

E R10, depois de passar em branco no meio da semana, pode comemorar seu primeiro gol com o manto sagrado. E como comemorou. Primeiro, uma vibração que mais parecia um desabafo. Em seguida, sua dancinha característica, que conquistou o mundo em outros tempos. e promete levar ao delírio a torcida rubro-negra.

A vantagem aliviou o ritmo da equipe de Vanderlei Luxemburgo. A defesa recuou, e Renato se postou como um terceiro volante. Os atacantes André Luís e Frontini, do Boavista, chegaram a assustar. Mas Felipe e a falta de pontaria mantiveram o Rubro-Negro na frente até a saída para o intervalo.

COADJUVANTES GARANTEM VITÓRIA APÓS APAGÃO

Com um meio campo recheado de craques, um dos queridinhos da torcida, o lateral-direito Léo Moura, parecia até discreto. Mas o camisa 2 mostrou que segue como uma das principais opções de ataque do time. Aos quatro minutos, num dos seus primeiros avanços até a linha de fundo, Léo cruzou para a segunda trave e Deivid, de cabeça, ampliou para o Rubro-Negro.

Mas a tranquilidade durou pouco. Um minuto depois, o Boavista diminuiu. O ex-botafoguense Joílson cruzou da direita, a bola passou por toda a defesa rubro-negra, mas não por Frontini, que, de carrinho, deixou Felipe vendido no lance. Em seguida, o camisa 11 quase igualou o placar para a equipe de Saquarema.

A partir daí, o Flamengo retomou sua característica de administrar o resultado. Jean entrou no lugar de Egídio e a defesa passou a contar com três zagueiros. A medida foi tomada para dar segurança, mas acabou sendo letal para a equipe de Luxa.

Aos 33 minutos, Welinton se enrolou na saída de bola, Frontini intercepta o passe e chuta. A bola desviou em Jean e enganou Felipe. Tudo igual em Macaé.

E o gol deu um blecaute na equipe rubro-negra. Minutos depois, foi a vez de David errar na entrada da área e Frontini quase virou para o Alviverde.

Mas, quando o placar parecia condenado à igualdade, foi a vez dos coadjuvantes brilharem. O volante Willians passou como um trator pela esquerda, cruzou rasteiro e o jovem Guilherme Negueba garantiu a vitória e a liderança do Grupo A para o Flamengo.

BOA VISTA 2 X 3 FLAMENGO

Local Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)

Data/hora: 6/02/2011, 17h (Brasília)

Árbitro: Carlos Eduardo Nunes Braga

Auxiliares: Francisco Pereira de Sousa e João Luiz Coelho

Cartões Amarelos: Thiago, Frontini, Joílson, André Luís (BOA); Maldonado, Renato, Ronaldinho, Welinton (FLA)

Gol: Ronaldinho, aos 23’/1ºT, Deivid, aos 4’/ 2ºT, Negueba, aos 38’/ 2ºT (FLA); Frontini, aos 5′ e aos 33’/2ºT (BOA)

BOAVISTA: Thiago, Joílson, Gustavo, Santiago e Paulo Rodrigues; Roberto Lopes (Max, aos 41’/2ºT), Thiaguinho (Leandro Chaves, intervalo), Júlio César e Tony; André Luis e Frontini. TÉC: Alfredo Sampaio.

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David, Egídio (Jean, aos 20’/2ºT); Maldonado (Fernando, intervalo), Willians, Renato, Thiago Neves, Ronaldinho; Devid (Guilherme Nagueba, aos 32’/2ºT). TÉC: Vanderlei Luxemburgo.

fevereiro 6, 2011 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Wanderley faz o gol da vitória na estreia de Ronaldinho

Oportunista, atacante estava no lugar certo para pegar o rebote no chute de Thiago Neves

Novamente Wanderley sai herói em uma estreia no Flamengo. Mas desta vez, na de Ronaldinho Gaúcho não roubou a cena. Porque apesar de fazer o gol da vitória sobre o Nova Iguaçu na noite desta quarta-feira, no Engenhão, o camisa 10 proporcionou aos mais de 40 mil pessoas vários lances de seu repertório genial. Time rubro-negro consegue quinta vitória consecutiva e é líder do Grupo A com 15 pontos. O time da Baixada Fluminense perdeu a invencibilidade, mas ainda tem chances na Taça Guanabara.

1º tempo

A torcida do Flamengo fez a sua parte e lotou o Engenhão para acompanhar a estreia de Ronaldinho Gaúcho. Antes de começar a partida contra o Nova Iguaçu, o então capitão Léo Moura passou a braçadeira de capitão ao estreante. O técnico Vanderlei Luxemburgo escalou o time com a mesma formação dos jogos anteriores no 4-2-3-1. Para entrada de Ronaldinho, o treinador deslocou Renato para a ala esquerda.

Desta forma, Vander ficou mais centralizado e Ronaldinho pela esquerda. Renato teve um pouco de dificuldades para marcar na esquerda e Maldonado tinha de fazer a cobertura. A partida começou com o rubro-negro tocando mais a bola e o time laranja à espera para encaixar o contra ataque. Num deles, o Nova Iguaçu quase abre o placar. Cortês é lançado na esquerda, avança e toca na medida para Alex Faria perder um gol feito.

O Flamengo só ameaçava em chute de fora da área. Sobretudo em cobranças de faltas de Ronaldinho. Em em duas oportunidades com Deivid, Renato e Thiago Neves. O Nova Iguaçu mostrou mais preparo físico do que o rival. Em vários lances Ronaldinho mostrou toda a sua habilidade. Além de na esquerda pedalar e errar a tentativa de passe, o jogador proporcionou o lance mais perigoso do primeiro tempo, no qual deu passe de calcanhar para a finalização forte de Renato.

2º tempo

Jogo começou mais lento do que na primeira etapa. Flamengo não conseguia penetrar na defesa adversária. Enquanto o Nova Iguaçu conseguia boas jogadas pelas laterais. O Flamengo começou a sentir o ritmo do jogo e o técnico Vanderlei Luxemburgo pôs Bottinelli no lugar de Vander e Wanderley na vaga de Deivid. Logo na primeira jogada da dupla, o argentino deu bom passe para o atacante, que chutou cruzado para fora.

Bottinelli melhorou a dinâmica do meiom de campo do Flamengo. E em alguns lances conseguiu criar boas jogadas. Num deles, driblou dois adversários e chutou de primeira para a boa defesa do goleiro do Nova Iguaçu. No lance seguinte, Ronaldinho Gaúcho rolou para Thiago Neves chutar sobre o gol. Cinco minutos depois, Ronaldinho fez outro lance brilhante, no qual tocou de primeira de cabeça para Léo Moura chutar forte para a defesa difícil do goleiro do Nova Iguaçu.

O Flamengo passou a pressionar. Até que em jogada individual saiu o primeiro gol. Thiago Neves fez bela jogada pela esquerda, entrou na área e bateu cruzado. Goleiro do Nova Iguaçu bate roupa e Wanderley, oportunista, faz o primeiro do Flamengo. Até o fim do jogo o Flamengo ainda segue melhor e Cortês derruba Léo Moura na entrada da área. Ronaldinho e Thiago Neves estavam na bola. O primeiro foi para cobrança e quase fez o segundo gol. Bola passou perto da trave esquerda. E foi só. Clube da Gávea segue invicto.

FLAMENGO 1 X 0 NOVA IGUAÇU

Data: 2/02/2011

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães

Renda/público : 1.081,600/37.042/42.108

Cartão Amarelo: Alex Moraes, Diogo, Welinton e Maldonado.

Flamengo Felipe, Léo Moura, Welinton, David, Renato; Maldonado (Egídio 42’/2ºT), Willians, Vander (Botinelli 14’/2ºT), Thiago Neves e Ronaldinho; Deivid (Wanderley 14’/2ºT). Téc: Vanderlei Luxemburgo.

Nova Iguaçu: Diogo, Paulo Henrique, Leonardo, Alex Moraes, Cortês; Amaral, Dieguinho, Mossoró (Luan 38’/2ºT), Marcos Vinícius; Uallace e Maycon. TÉC: Josué Teixeira.

fevereiro 2, 2011 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Flamengo derrota o Vasco e elimina matematicamente rival da Taça Guanabara

Flamengo segue com 100% de aproveitamento e Vasco perde quarta partida seguida

O Flamengo derrotou o Vasco por 2 a 1 neste domingo, no Engenhão, e eliminou o rival da Taça Guanabara. Com gol de Deivid e golaço de Thiago Neves no primeiro tempo, o Rubro-Negro venceu o Cruz-Maltino, que ainda diminuiu no segundo tempo com Rômulo.

Na próxima rodada o Flamengo enfrentará o Nova Iguaçu quarta-feira, às 22h, no Engenhão, na estreia de Ronaldinho Gaúcho. Já o Vasco cumprirá tabela contra o Volta Redonda, quinta-feira, em São Januário.

FLAMENGO É MELHOR E THIAGO NEVES FAZ GOLAÇO

Os times foram para a partida passando por momentos completamente distintos. O Vasco vivendo uma crise após três derrotas seguida para times pequenos e com demissão de técnico PC Gusmão e afastamento de jogadores (Carlos Alberto e Felipe). O Flamengo, mais tranquilo, chegou com a moral dos 100% de aproveitamento.

O jogo começou corrido, os dois times tantando encontrar um caminho para chegar ao gol adversário. Porém, nos primeiros minutos da partida o Flamengo, com maior posse de bola, arriscou mais chutes de fora da área. Antes da parada técnica somente o goleiro Fernando Prass teve de trabalhar em chutes de Vander, Maldonando e Egídio.

FOTOS! Veja em sequência o golaço de Thiago Neves

O Flamengo transformou esse domínio em gol. Aos 22 minutos, Egídio cruzou a bola para Thiago Neves, que tocou para Léo Moura. O lateral chutou cruzado para o meio da área e Deivid escorou para o fundo da rede.

O Vasco tentava fazer algumas investidas com Jéferson e Eder Luis. Outra aposta vascaína era pelo lado direito com Fagner, de onde saíam algumas boas jogadas. Porém, o Flamengo continuava melhor na partida.

Thiago Neves, que fazia sua estreia no Engenhão com a camisa do Flamengo, estava bem na partida e mostrava vontade de marcar seu primeiro gol pelo clube. Tanto tentou que conseguiu aos 44 minutos de jogo. E que golaço, por sinal. Renato Abreu fez um lançamento em profundidade para o camisa 7, que entrou sozinho na área. Thiago encobriu o goleiro Fernando Prass e de coxa direita ampliou para o Rubro-Negro.

(Thiago Neves fez seu primeiro gol pelo Fla – Crédito: Paulo Sérgio)

Essa foi último lance do primeiro tempo. Vantagem do Flamengo por 2 a 0 e mais pressão sobre o Vasco.

VASCO DIMINUI, MAS É ELIMINADO DA TAÇA GUANABARA

O Flamengo veio para o segundo tempo ainda com muita disposição. Logo aos três minutos de jogo Deivid acertou o travessão do Vasco. Renato Abreu soltou a bomba de fora da área e Fernando Prass rebateu. Na sequência o atacante rubro-negro pegou de primeiro, mas a bola caprichosamente foi na trave.

O Flamengo continuou dominando a partida. Gaúcho, o técnico interino do Cruz-Maltino, colocou Márcio careca e Misael na esperança de melhorar o desempenho de seu time. E de fato aconteceu. O Gigante teve algumas boas chances de diminuir, mas esbarrava sempre nas defesas de Felipe.

(Ronaldinho, ao lado de Patricia Amorim, gostou do que viu – Crédito: Alexandre Loureiro)

Porém, tanto tentou que consegui diminuir em jogada confusa dentro da área do Fla. Após cruzamento, Wellinton cabeceou para cima. O goleiro Felipe pulou para tentar segurar, mas não achou nada. Rômulo, atento, aproveitou e diminuiu para o Vasco.

O Vasco decidiu tomar as rédeas do jogo. Misael e Jéferson davam trabalho à zaga rubro-negra. O time buscava o empate de qualquer maneira, mas não conseguia transformar a pressão em gols.

Porém, a partida terminou desta maneira. O Flamengo derrotou o Vasco por 2 a 1 e eliminou matematicamente o time cruz-maltino da Taça Guanabara.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 X 2 FLAMENGO

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

Data/Hora: 30/1/2011 – 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (RJ)

GOLS: Deivid (22’/1ºT) Thiago Neves (44’/1ºT) e Rômulo (30’/2ºT)

CARTÕES AMRELOS: Renato Abreu e Maldonado (Flamengo) , Anderson Martins, Fernando Prass, Eduardo Costa e Fagner (Vasco)

PÚBLICO: 12.854 pagantes e 15.356 presente

RENDA: R$ 354.720,00

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Ramon (Márcio Careca 14’/2ºT); Eduardo Costa, Rômulo, Allan (Misael 14’/2ºT) e Jéferson; Eder Luis (Patric 33’/2ºT) e Marcel. Técnico: Gaúcho.

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura, Welinton, David e Egídio; Maldonado, Willians, Thiago Neves (Marquinhos 20’/2ºT), Renato e Vander (Fierro 30’/2ºT); Deivid (Wanderley 20’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

TAGS

janeiro 31, 2011 Posted by | Flamengo, Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Wanderley brilha e faz dois na vitória sobre o Americano

Atacante entrou ainda no primeiro tempo na vaga de Egídio e acabou marcando os dois gols

Na estreia de Thiago Neves, quem brilhou foi Wanderley. O atacante entrou ainda no primeiro tempo na vaga de Egídio e acabou fazendo os dois gols da vitória do Flamengo sobre o Americano, na noite desta quarta-feira, no Estádio Cláudio Moacyr. Essa foi a terceira vitória consecutiva do clube na Taça Guanabara. O Fla continua líder do Grupo A.

Primeiro tempo

O técnico Vanderlei Luxemburgo surpreendeu e começou o jogo com Thiago Neves. O camisa 7 mostrou movimentação durante a primeira etapa e quase fez um gol de voleio aos sete minutos. O jogo era equilibrado até os 19 minutos, quando Felipe fez nova falta violenta em Renato e foi expulso. A partir daí, o Flamengo passou a dominar o jogo e criar as principais jogadas.

Vanderlei Luxemburgo aproveitou que estava com um jogador a mais e tirou Egídio e pôs o atacante Wanderley para dar mais força ofensiva ao time. E deslocou Renato para a lateral esquerda. Apesar de o Flamengo ter mais a posse de bola, criou poucas oportunidades efetivas de gol.

FOTOS! Confira as imagens da vitória do Flamengo

No fim do primeiro tempo, Wanderley achou Fernando livre na área, mas o volante demorou para finalizar a jogada e acabou chutando nas mãos do goleiro do Americano. Em alguns contra-ataques, o Americano assustou e quase Gustavinho fez o primeiro gol. Esperto, Felipe saiu para impedir o adversário de prosseguir com o lance.

Wanderley faz dois gols

Apesar de jogar com um a mais, o Flamengo não conseguiu mostrar superioridade em campo, e Thiago Neves sumiu na segunda etapa e pouco tocou na bola. Acabou substituído por Marquinhos aos 16 minutos e o time melhorou de desempenho.

MAIS

– Wanderley: ‘Fizemos o que pediu Vanderlei e deu certo’
– Thiago Neves é discreto e projeta melhora para clássico

O Americano jogava recuado à espera de espaço para os contra-ataques. Vander subiu de produção e chegou a criar algumas boas jogadas. Numa delas, quase marcou um golaço após cortar o zagueiro e bater de canhota à direita de Jefferson.

O jogo seguiu morno até os 23 minutos, quando pela esquerda Marquinhos faz o cruzamento na área, a zaga do Americano bateu cabeça e Wanderley aproveitou para tocar para o fundo da rede: 1 a 0 Flamengo.

(Wanderley vibrou muito após fazer seu primeiro gol – Crédito: Gilvan de Souza)

Três minutos depois o Flamengo ampliou. Esperto, Léo Moura cobrou a falta rapidamente, Renato recebeu pela esquerda e fez o cruzamento na segunda trave para Wanderley fazer o segundo gol dele e do Flamengo.

Após os dois gols, o Flamengo cadenciou a partida até o fim para confirmar a terceira vitória consecutiva na Taça Guanabara.

FLAMENGO 2 X 0 AMERICANO

Estádio: Estádio Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)

Juiz: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

Gol: Wanderley (2)
Renda/público: 8.085 pagantes/ R$ 218.250,00
Cartão Amarelo: Flamengo: Léo Moura; Americano: Felipe, Elson e Diego Neves
Cartão Vermelho: Felipe

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Welinton, David Braz, Fernando, Willians e Egídio (Wanderley 17’/1ºT), Renato Thiago Neves, Vander e Deivid
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

AMERICANO: Jefferson, Elson, Carlão, Jefferson Capixaba, Catatau, Renan, Índio, Wellington Jacaré, Gustavinho, Diego Neves, Felipe
Técnico: Paulo Marcos

janeiro 26, 2011 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Sem dificuldades, Flamengo faz 3 a 1 no América

Renato Abreu, David e Deivid fizeram os gols do Rubro-Negro, que chegou à segunda vitória na Taça Guanabara

No toque de bola, sem muita correria e sabendo administrar todo o tempo a vantagem e o forte calor. O Flamengo bateu o América por 3 a 1, neste sábado, no Estádio Edson Passos, e, dessa forma, chegou à sua segunda vitória na Taça Guanabara. O apoiador Renato, o zagueiro David e o atacante Deivid fizeram os tentos do Fla, que assume a liderança provisória do Grupo A, com seis pontos. Já o América, que fez o gol de honra com Leandrinho, segue sem vencer no Carioca, após o empate no primeiro jogo.

Na próxima rodada, o Flamengo vai a Macaé, onde encara o Americano, quarta-feira, no estádio Claudio Moacyr. No mesmo dia, o América recebe o Resende, no Edson Passos.

FLA ABRE VANTAGEM SEM DIFICULDADES

O forte calor sobre o Rio de Janeiro na tarde deste sábado ditou o ritmo da partida. O time do técnico Vanderlei Luxemburgo entrou em campo com a clara estratégia de não agitar demais. Procurando manter a posse de bola, o Rubro-Negro explorou a superioridade técnica dos seus jogadores contra o melhor preparo físico do rival. Em pouco tempo, o esquema se mostrou bem sucedido.

Aos 10 minutos, Renato arriscou de longe. A bola desviou na defesa, o atacante Deivid aproveitou a sobra e foi derrubado na entrada da área. Em cobrança ensaiada, o camisa 11 apenas “colocou” no canto no goleiro Mota, sem força, mas com a eficiência o suficiente para deixar os visitantes na frente no Estádio Edson Passos.

Com o primeiro objetivo alcançado, os jogadores rubro-negros se fecharam esperando o contra-ataque. O apoiador Marquinhos, pela ponta direita, tornou-se a principal arma ofensiva. E não decepcionou. Aos 32 minutos, fez bela jogada pelo setor e só foi parado com falta. Em outra cobrança de Renato, o zagueiro David sobiu mais do que a defesa do Diabo e assinalou o segundo tento rubro-negro na partida.

O gol desmontou o adversário, que, minutos depois, escancarou sua defesa e, por muito pouco, Marquinhos e Vander não transformam o placar em goleada.

Enquanto isso, atrás, o goleiro Felipe segurava as poucas chances criadas pelo Diabo. Uma delas, um milagre em cabeçada a queima roupa de Leandrinho.

VITÓRIA GARANTIDA E FLA SE POUPA NO SEGUNDO TEMPO

No intervalo, o técnico do Diabo promoveu duas alterações inusitadas: trocou laterais direito e esquerdo. Tudo pelo passeio que os pontas rubro-negros (Vander e Marquinhos) haviam dado na etapa inicial. Mas pouco adiantou.

Em seu primeiro lance de linha fundo após a volta do vestiário, Vander passou como quis por Felipe Assis, cruzou rasteiro e o atacante Deivid, que fazia sua estreia na temporada, deixou o placar ainda mais folgado para o Rubro-Negro, aos sete minutos.

O jogo, então, adquiriu ritmo de treino. O Flamengo rodava a bola pacientemente no meio de campo, enquanto o América, inferior tecnicamente, aceitou o domínio sem agredir.

Aos 21 minutos, o Diabo acabou encontrando um gol, através de sua única jogada de ataque: os levantamentos para a área. Leandrinho, aproveitando boa escorada de Hugo e desviou do goleiro Felipe. Gol que não mudou os rumos da partida. Mesmo mostrando disposição, a equipe do técnico Gilson Gênio não conseguia assustar e o resultado seguiu até o apito final.

AMÉRICA 1 x 3 FLAMENGO

Local: Estádio Giulite Coutinho (Edson Passos), Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Gutembergue de Paula (RJ)

Auxiliares: Ednei Guerreiro Mascarenhas e Marco Aurélio Pessanha

Cartões Amarelos: Welinton e David (Fla)

Gols: Renato, aos 12’/ 1ºT, David, aos 32’/ 1ºT e Deivid, aos 7’/ 2ºT (FLA); Leandrinho, aos 21’/2ºT (AME)

AMÉRICA-RJ: Mota; Edson (Josimar Junior, intervalo) , Victor, Ronan e Bruno Santos (Felipe, intervalo); Yves, Rodolpho, Fukamati, Luiz Araújo e Leandrinho (Welington, aos 25’/2ºT); Felipe Adão e Hugo. Técnico Gilson Gênio

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura, David, Welinton e Egídio; Fernando, Willians, Renato, Vander (R. Angelim, aos 32’/2ºT) e Marquinhos (Wanderley, aos 20’/2ºT); Deivid (João Vitor, aos 39’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

janeiro 22, 2011 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

Sob olhares de R10, Fla estreia com vitória sem sustos e gols de reforços

Vander e Wanderley marcam, e Rubro-Negro derrota o Volta Redonda no Engenhão por 2 a 0, pela Taça Guanabara

Observado por Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves, o Flamengo estreou com vitória no Campeonato Carioca sob o comando de outros dois reforços menos badalados. Vander e Wanderley não formam uma dupla sertaneja, mas mostraram afinidade com a camisa rubro-negra na primeira partida oficial que disputaram pelo clube. Nesta quarta-feira, eles marcaram os gols da vitória por 2 a 0 sobre o Volta Redonda, no Engenhão.
Com este resultado, o Fla somou sem grandes sustos seus primeiros três pontos no Grupo A da Taça Guanabara. A equipe lidera no saldo de gols, já que mais cedo o Resende derrotou o Vasco por 1 a 0. Por sua vez, o Voltaço permanece com zero.
Os dois times voltam a campo no próximo sábado, às 17h (de Brasília). O Flamengo joga contra o América em Edson Passos, enquanto o Volta Redonda recebe o Boavista no Raulino de Oliveira.
Vander abre o placar no primeiro tempo
Ainda sem contar com Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves, que acompanharam a partida de camarote, o Flamengo apostou suas fichas no jovem Vander, contratado ao Bahia. Já o Volta Redonda entrou em campo com algumas caras conhecidas do torcedor carioca, como Radamés (Ex-Flu), Jonilson (ex-Bota e Vasco), Lopes (ex-Fla e Flu) e Jean (ex-Fla, Flu e Vasco).
No primeiro bom lance do Flamengo, Renato usou de seu ponto forte – o chute de fora da área – e fez o goleiro Mauro trabalhar logo aos nove minutos. Porém, era visível a falta de ritmo do time rubro-negro, que encontrava dificuldade para armar as jogadas ofensivas.
O Volta Redonda chegou com perigo aos 20 minutos. Lopes chutou com força e Felipe se esticou para defender no canto direito. Enquanto isso, o setor defensivo da equipe do interior procurava se proteger dos lançamentos em profundidade e cruzamentos do adversário.
Os flamenguistas só voltaram a ameaçar aos 32. Fierro recebeu de Leo Moura na área, demorou para chutar e devolveu para o lateral soltar a bomba de direita. Em seguida, aos 35, Fernando tocou para Fierro, que caiu na área, mas a jogada foi limpa e a bola ficou com o goleiro Mauro.
Jogador mais dinâmico do ataque rubro-negro na etapa inicial, Vander organizou o lance que abriu o placar no Engenhão, aos 41 minutos. Ele invadiu a área pelo lado direito, passou pela marcação de Radamés e cruzou para o meio. Padovani desviou contra a própria meta, mas o árbitro acabou dando o gol para o meia do Fla.

Vander comemora o primeiro gol do Flamengo (Foto: Alexandre Loureiro / FOTOCOM.NET)
No segundo tempo, o Volta Redonda começou com tudo. Aos cinco minutos, Thiago Maciel passou a bola entre as pernas de Fernando e cruzou rasteiro, mas Jean chegou atrasado e não conseguiu concluir. Pouco depois, aos dez, Felipe salvou o Flamengo em dois lances seguidos. Primeiro, espalmou chute de Glauber, jogando para escanteio. Após a cobrança, ele defendeu cabeçada de Ávalos.
A resposta do Flamengo veio aos 11, quando Egídio arriscou de longe e quase acertou o ângulo esquerdo de Mauro. Na sequência, Vanderlei Luxemburgo fez duas mexidas: tirou o apático Deivid e lançou Wanderley na frente, além de trocar Fierro por Marquinhos.
Em sua primeira jogada, aos 15 minutos, Wanderley ampliou a vantagem do Flamengo. Leo Moura fez ótima jogada pela direita e cruzou na medida para o atacante tocar de cabeça, no canto direito.
A partir daí, os espaços começaram a aparecer ainda mais. Marquinhos teve a chance de aumentar aos 22, mas chutou fraco e facilitou o trabalho da zaga. Depois disso, o Flamengo passou a administrar a vantagem, enquanto o Volta Redonda, apesar da maior posse de bola, pouco ameaçava.
Embora tenha diminuído o ritmo, o Fla ainda ameaçou duas vezes no fim. Renato, aos 41 minutos, cobrou falta em cima da barreira. Já aos 45, Marquinhos dominou na entrada da área e bateu na rede pelo lado de fora, encerrando o primeiro passo do Fla em busca do 32º título estadual.
FLAMENGO 2 X 0 VOLTA REDONDA
Felipe; Léo Moura, Welinton, David Braz e Egídio; Willians, Fernando, Fierro (Marquinhos) e Renato; Vander e Deivid (Wanderley). Mauro; Thiago Maciel, Avalos, Padovani e Fabinho; Jonilson, Radamés (Adenis), Leandrinho e Lopes (Gláuber); Gilmar (Tássio) e Jean.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo Técnico: Márcio Bittencourt
Gols: Vander, aos 41 minutos do primeiro tempo; Wanderley, aos 15 minutos do segundo tempo
Cartões Amarelos: Fabinho (Volta Redonda)
Público: 6.881 pagantes (7.804 presentes). Renda: R$ 137.170,00
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro. Data: 19/01/2011. Árbitro: Pathrice Maia
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia e Silbert Faria Sisquim

janeiro 19, 2011 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário