Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Vozão segura o empate e tira o Fla na Copa do Brasil

Rubro-Negro abriu 2 a 0, mas Ceará empatou e usou vantagem conquistada no Rio para assegurar a vaga para as semifinais

E a Carroça Desembestada freou o Bonde do Mengão mais uma vez. Em jogo emocionante, lá e cá, o Flamengo deu adeus à Copa do Brasil ao empatar em 2 a 2 com o Ceará na noite desta quarta-feira, no Presidente Vargas. Após abrir dois gols de diferença, com Thiago Neves, no primeiro tempo, o time carioca sofreu o empate ainda nos 45 minutos iniciais, com dois de Washington, o que bastava para o Vozão carimbar a vaga após vitória no jogo de ida.

Com o resultado em casa, o Ceará se classifica para a semifinal da Copa do Brasil, na qual enfrenta o Coritiba, que mesmo com a derrota para o Palmeiras no jogo de volta por 2 a 0, passou de fase por causa da goleada no Couto Pereira.

Receba primeiro as notícias do Mengão no seu celular!

Pura emoção: Fla abre 2 a 0 e Vozão corre atrás do placar

O jogo começou com o Flamengo se sentindo em casa. Ronaldinho, com um semblante sério, parecia querer mostrar aos que o vaiaram na última quinta-feira que ainda é tem um grande futebol a mostrar ao distrubuir boas jogadas para o ataque.

O Rubro-Negro pressionou. Ainda antes dos vinte minutos, já eram sete finalizações contra o gol de Fernando Henrique. Tragédia anunciada. Aos 19, Thiago Neves recebeu passe milimétrico de Ronaldinho, aquele que queria calar a boca dos críticos. O camisa 7 dominou livre dentro da área e teve trabalho apenas de escolher o canto para abrir o placar.

O time carioca não diminuiu o ritmo. O bombardeio contra o gol cearense continuava e Willians, como um paredão, não deixava a bola ultrapassar a linha do meio campo. E Thiago Neves decidiria novamente.

Nove minutos depois de abrir o placar, o meia, em jogada individual, bateu de canhota de fora da área no cantinho, sem chances para Fernando Henrique. Era o segundo do Fla, que com o gol, se classificava às semifinais.

O Ceará partiu para o desespero e uma substituição do técnico Vagner Mancini mudou o rumo do primeiro tempo. No Vozão, que já tinha perdido o lateral-direito Boiadeiro aos nove, machucado, – Diego Macedo foi o escolhido par a vaga -, entrou o atacante Osvaldo no lugar do lateral-esquerdo Vicente. E o baixinho que vestiu a camisa 17 mudou o estilo dos donos da casa.

Aos 35, ele sofreu e bateu a falta que Washington cabeceou para diminuir, 2 a 1. Três minutos depois o próprio conseguiu a expulsão de Ronaldo Angelim, que após falta na entrada da área recebeu o segundo amarelo, com a ajuda do juiz. O Ceará se animava cada vez mais.

E o empate não demorou muito. Após cobrança de escanteio, Thiago Humberto disputou no alto com Willians e a bola sobrou para Washington, novamente, chutar meio torto e deixar tudo igual aos 41.

E um lance no finalzinho da primeira etapa descreveria as emoções dos 45 minutos iniciais. Léo Moura para Wanderley, que devolveu de cabeça e deixou o lateral-direito cara a cara com Fernando Henrique. O chute, por cima do goleiro, saiu fraco e Michel conseguiu desviar. Mas no desespero do volante, a bola acabou acertando o travessão e, mais impressionante, sobrou para Wanderley, que, livre, cabeceou novamente na trave. Os times foram para o vestiário.

Mas as emoções não pararam por aí. Após o apito de Sandro Meira Ricci, os jogadores rubro-negros foram tirar satisfação com o árbitro. A polícia entrou em ação e um deles acertou Ronaldinho com um escudo. O técnico Vanderlei Luxemburgo, indignado, tirou seus jogadores de perto e continuou reclamando. Resultado, o treinador foi expulso.

Jogo perde em velocidade, mas não em emoção

O segundo tempo começou em marcha um pouco mais lenta que o primeiro. Mas isso não quis dizer que não houve emoção. O Fla, precisando de mais um gol, mesmo com um homem a menos, tomava a iniciativa dos ataques.

E Fernando Henrique, experiente em confrontos contra o Rubro-Negro em sua época de Fluminense, entrou em cena. Depois de Wanderley acertar uma meia bicicleta perigosa no início da etapa, Thiago Neves teve a melhor chance dos 45 minutos finais. Cara a cara com o goleiro após passe do próprio Wanderley, o camisa 7 bateu, mas o camisa 1 do Vozão fez grande defesa.

O Ceará usou as substituições. Aos 28 minutos do segundo tempo, já queimava a terceira, com a entrada de Eusébio no lugar de Thiago Humberto. E o camisa 17 entrou bem. Aos 28, de fora da área, ele obrigou Felipe a fazer grande defesa.

O Fla dependia de Ronaldinho que, cansado, não era o mesmo do primeiro tempo, assim como Thiago Neves. Errando muitos passes, o time carioca não conseguia finalizar com tanta frequência.

O técnico Vanderlei Luxemburgo resolveu apostar no jovem Negueba. Aos 31, ele tirou Willians e colocou o Fla todo para frente.

Já o Ceará apostava em Iarley e Osvaldo. O segundo, inclusive, quase liquidou a fatura aos 38. Após passar por David, ele só não marcou pois o goleiro Felipe fechou bem o ângulo.

Cansado, o time do Flamengo não conseguia mais criar. Experiente, os jogadores do Vozão, seguravam a bola no ataque quando tinham oportunidade. E assim foi o jogo até o final.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ 2 X 2 FLAMENGO

Local: Estádio Presidente Vargas, Fortaleza (CE)
Data/Hora: 11/5/2011 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Cartões amarelos: Diego Macedo, Michel (CEA); Ronaldo Angelim, Felipe, Egídio, Willians (FLA)
Cartão vermelho: Ronaldo Angelim (FLA)

GOLS: Thiago Neves, 19’/1ºT (0-1); Thiago Neves, 28’/1°T (0-2); Washington, 35’/1ºT (1-2); Washington, 41’/1ºT (2-2);

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura (Fierro, 13’/2ºT), David, Welinton e Ronaldo Angelim; Willians (Negueba, 31’/2ºT), Renato, Bottinelli (Egídio, 40’1ºT), Thiago Neves; Ronaldinho e Wanderley – Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CEARÁ: Fernando Henrique, Boiadeiro (Diego Macedo, 9’/1ºT), Erivelton, Fabrício, Vicente (Osvaldo, 32’/1ºT); João Marcos, Michel, Thiago Humberto (Eusébio, 14’/2ºT), Geraldo; Iarley e Washington – Técnico: Vagner Mancini

maio 12, 2011 Posted by | Ceará, Flamengo | | Deixe um comentário

Ceará freia o bonde do Flamengo no Engenhão

Flamengo perde invencibilidade de 26 partidas e fica em situação complicada nas quartas de final da Copa Libertadores

Empolgado pelo título carioca conquistado no domingo, o Flamengo foi surpreendido pelo Ceará nesta quinta-feira, no Engenhão, por 2 a 1, e ficou em situação delicada na Copa do Brasil. De quebra, o Rubro-Negro viu sua invencibilidade de 26 jogos (desde a penúltima rodada do Brasileirão de 2010) ser quebrada. Com gols de Marcelo Nicácio e Geraldo – Wanderley descontou -, os cearneses ficaram mais próximos das semifinais.

Receba primeiro as notícias do Mengão no seu celular!

Agora, para se classificar, o Flamengo precisa, no Presidente Vargas, em Fortaleza, na próxima quarta-feira, vencer por dois gols de diferença ou por um gol de vantagem, desde que faça três ou mais gols. O empate e uma vitória rubro-negra por 1 a 0 classificaria o Ceará. Nada satisfeita, a torcida rubro-negra vaiou o time ao término do jogo – inclusive Ronaldinho Gaúcho.

Equilíbrio e gol no fim

Os torcedores que foram ao Engenhão devem ter bocejado durante todo o primeiro tempo. Apesar de os primeiros 45 minutos terem sido disputados e equilibrados, as chances de gol foram escassas. Mas, a rede balançou… e não foi a favor do time da casa.

Se fosse julgar pelos minutos iniciais, os presentes achariam que a história seria diferente. Aos nove minutos, Ronaldinho Gaúcho fez jogada individual e recebeu falta próxima à área. O camisa 10 cobrou e obrigou o goleiro Fernando Henrique a fazer boa defesa. A resposta veio apenas três minutos depois, quando Marcelo Nicácio, também de falta, carimbou a trave direita do goleiro Felipe.

Aos 20, depois de boa troca de passes, a bola sobrou para Deivid, que invadiu a área e caiu. Pediu pênalti, mas o árbitro nada marcou. Mais uma vez, o Ceará tratou de ir ao ataque logo depois e Vicente acertou forte chute da entrada da área e Felipe afastou o perigo.

A marcação de ambos os times ficou mais acirrada e as oportunidades de gol ainda mais raras no primeiro tempo. Depois de alguns chutões para lá e para cá, o gol. Já nos minutos finais, quando tudo parecia se encaminhar para um empate sem gols e sem graça, Marcelo Nicácio arrumou a bola para uma cobrança de falta quase que no mesmo local do começo do jogo. Mas, desta vez, bateu do outro lado e contou com uma pequena ajuda do goleiro Felipe para abrir o placar.

Gol do Ceará. Substituições e gol do Fla

O Flamengo voltou para o segundo tempo mais ligado. Logo aos dois minutos, Ronaldinho Gaúcho mandou a bola para dentro da área, ninguém alcançou, Thiago Neves apareceu sem marcação e desviou para o gol, mas a bola bateu no travessão. No rebote, Deivid finalizou e a bola pegou na zaga.

A partir daí, a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo começou uma verdadeira blitz em busca do gol de empate, mas ele não saía. E quem balançou a rede foi o Ceará. Aos 20 minutos, Geraldo recebeu na entrada da área, dominou (com uma ajuda do braço esquerdo), entrou na área e bateu na saída do goleiro Felipe para ampliar a vantagem alvinegra.

Aos 30 minutos, o toque de Luxemburgo. Fierro, que havia entrado no segundo tempo, cruzou para Wanderley, que também entrou na etapa final, fazer o gol do Flamengo. Depois do gol, o time da Gávea voltou a pressionar. Aos 34, o goleiro Fernando Henrique evitou o empate com a ponta dos dedos literalmente. Depois de cruzamento de Fierro, Ronaldo Angelim cabeceou no canto o camisa 1 salvou.

Aos 37, quase saiu o terceiro do Ceará. Murilo foi à linha de fundo e cruzou para Geraldo que, sem marcação, mandou a bola para fora, perdendo chance clara. Apesar das chances, o placar não foi mais modificado.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 2 CEARÁ

Data-Hora: 5/5/2011 – 21h50 (de Brasília)
Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Kléber Lúcio Gil (ES)
Renda e público: R$ 306.520,00 / 14.711 pagantes / 17.127 presentes
Cartões amarelos: Bottinelli e Willians (FLA); Geraldo e Fernando Henrique (CEA)
Cartões vermelhos: –
Gols: Marcelo Nicácio 43’/1ºT (0-1), Geraldo 20’/2ºT (0-2) e Wanderley 30’/2ºT (1-2)

FLAMENGO: Felipe, Galhardo (Diego Maurício 39’/2ºT), Welinton, Ronaldo Angelim e Rodrigo Alvim (Fierro 23’/2ºT); Willians, Renato, Bottinelli e Thiago Neves; Ronaldinho Gaúcho e Deivid (Wanderley 29’/2ºT) – Técnico Vanderlei Luxemburgo.

CEARÁ: Fernando Henrique, Boiadeiro, Fabrício, Erivélton e Vicente; João Marcos, Eusébio, Thiago Humberto (Murilo 32’/2ºT) e Geraldo; Iarley (Osvaldo 39’/2ºT) e Marcelo Nicácio (Washington 23’/2ºT) – Técnico: Vagner Mancini.

TAGS

maio 6, 2011 Posted by | Ceará, Flamengo | | Deixe um comentário

Vasco bate Ceará e garante vaga na Sul-americana

Em jogo sonolento, Dedé e Bruno Paulo garantem vitória do time de São Januário, que, agora, projeta 2011

O Vasco recebeu o Ceará na tarde deste domingo, em São Januário, e, um jogo sonolento, venceu por 2 a 0, com gols de Dedé e Bruno Paulo. Com a vitória, o timecruzmaltino garantiu vaga na Sul-americana do ano que vem.

Gol para afastar o sono

Os poucos torcedores presentes a São Januário mostravam refletiram no gramado. A animação da arquibancada era quase a mesma dos jogadores, ou seja, quase nenhuma. O primeiro tempo foi marcado pelo ritmo lento das equipes, que, sem criatividade, não conseguiram mostrar um bom futebol e as oportunidades de gol foram escassas. Tanto Vasco quanto Ceará apostavam nos avanços pelas alas e em consequentes bolas alçadas na área.

Aos 22 minutos, Marcelo Nicácio perdeu grande chance de abrir o placar. O jogador foi lançado em profundidade e saiu na cara do goleiro Fernando Prass, que saiu com qualidade e conseguiu fazer a defesa. Já no lado cruzmaltino, Allan tentava jogadas rápidas, principalmente pela ala direita.

E foi após uma jogada assim que o Vasco conseguiu um escanteio e, após cobrança de Fagner, Dedé subiu sem marcação e cabeceou com estilo para fazer 1 a 0, aos 32 minutos. Dois minutos depois, Eder Luis recebeu próxima à linha de fundo e tocou para trás, mas Allan chutou por cima.

Sem poder de reação, o Ceará voltou a assustar aos 46 minutos, quando Boiadeiro roubou a bola de Ramon e, ao tentar cruzar, mandou a bola diretamente para o gol, assustando Fernando Prass.

Mal o segundo havia começado e a torcida do Vasco comemorou novamente. Logo aos dois minutos, novamente depois de cobrança de escanteio, a bola sobrou nos pés de Bruno Paulo que, com o goleiro Michel Alves fora, teve o trabalho de bater e ampliar a vantagem cruzmaltina.

Gol relâmpago e vitória

Mal o segundo tempo havia começado e a torcida do Vasco comemorou novamente. Logo aos dois minutos, novamente depois de cobrança de escanteio, a bola sobrou nos pés de Bruno Paulo que, com o goleiro Michel Alves fora, teve o trabalho de bater e ampliar a vantagem cruzmaltina.

Com o placar favorável, o Vasco partiu para cima atrás do terceiro gol e começou a pressionar o Ceará, que se defendia do jeito que dava. Os comandados de PC Gusmão apostavam, principalmente, na velocidade dos jogadores como Bruno Paulo, Ramon, Fagner e Eder Luis.

A situação do Ceará ficou ainda pior aos 28 minutos, quando Heleno deu um carrinho por trás de Ramon e recebeu o cartão vermelho. Com um a mais em campo, o Vasco passou a trocar passes com mais tranqulidade e a criar boas jogadas ofensivas. Mas, desperdiçou as chances que teve, as vezes por esbarrar em boas defesas de Michel Alves e as vezes por falta de pontaria de seus jogadores.

Fim de jogo e vitória vascaína por 2 a 0. O resultado garantiu a equipe de São Januário na Sul-americana de 2011. Já o Ceará, que já tinha a vaga para a competição internacional assegurada, restou apenas lamentar a derrota.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 2 X 0 CEARÁ

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 5/12/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (S)P – Fifa)
Auxiliares: Marcia B. Lopes Caetano (RO – Fifa) e Luiz Alberto Kallenberger (SC)

Renda/público: R$ 75.525,00/ 2.989 pagantes
Cartões amarelos: Jumar, Allan (VAS); Erivelton, Nicácio, Boiadeiro(CEA)
Cartões vermelhos: Heleno, 28’/2ºT (CEA);
GOLS: Dedé, 32’/1ºT (1-0); Bruno Paulo, 2’/2ºT (2-0)

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Douglas e Ramon; Jumar, Rômulo, Allan e Caíque, Bruno Paulo (Jonathan – 25’/2ºT) e Eder Luis – técnico: PC Gusmão

CEARÁ: Michel Alves; Boiadeiro, Fabrício, Erivelton, Michel; Eusébio, Heleno, Júnior Cearense (Camilo – Intervalo) e Reina (luizinho – 20’/2ºT); Magno Alves e Marcelo Nicácio (Kempes – 17’/2ºT) – Técnico: Dimas Filgueiras

dezembro 5, 2010 Posted by | Ceará, Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Empate contra o Ceará tira Atlético-PR da Libertadores

Chances de alcançar o G4 caem bruscamente com os resultados da rodada; Vozão está na Sul-Americana

Em partida movimentada e cheia de alternativas, Ceará e Atlético-PR empataram em 1 a 1 neste domingo, no Castelão, pela 37ª rodada do Brasileirão. Com gols de Rafael Santos para os paranaenses e Manoel contra, o Furacão está fora da briga pela Libertadores, visto que Grêmio e Botafogo se enfrentam na última rodada. Enquanto isso, o Alvinegro comemorou a confirmação da vaga na Sul-Americana.

A partida começou disputada, mas com poucas chances de ambos os lados. A concentração era muito grande no meio de campo, apesar da formação ofensiva do Furacão, com três atacantes.

Pouco a pouco, o Atlético começava a chegar mais ao ataque, avançando mais pelo lado direito, por meio de Guerrón e Wagner Diniz. Os cearenses também exploravam mais o setor direito, com o lateral Boiadeiro. O Ceará trabalhava melhor a bola, mas não conseguia criar lances de perigo.

Passados os quinze primeiros minutos, o jogo ganhou em movimentação e velocidade. Os paranaenses tentavam pressionar, mas a resposta do time da casa vinha logo em seguida, sempre com Boiadeiro. Magno Alves também fazia das suas, mas todos os chutes paravam no goleiro Neto.

Apesar da grande presença da torcida no Castelão, o Ceará, nos primeiros minutos, esperava o Atlético em seu campo e apostava na velocidade para encaixar os contra-ataques, mas logo procurava manter a posse de bola para organizar jogadas ofensivas.

No entanto, foi o Rubro-Negro que chegou mais perto do gol, aos 28 minutos, com chute de Maikon Leite no travessão. Na sequência, Wagner Diniz acertou cruzamento preciso para Bruno Mineiro, que mandou pela linha de fundo. Aos 36, a pressão deu resultado: após cruzamento de Paulinho em cobrança de falta pela esquerda, Rafael Santos abriu o placar para o Furacão: 1 a 0.

Sete minutos depois, em um dos contra-ataques cearenses, Magno Alves levou a bola em velocidade e cruzou pela direita. O zagueiro Manoel desviou e a bola morreu lentamente no fundo das redes do goleiro Neto. Era o empate dos mandantes.
Mesmo com um a menos, Vozão para para cima

A etapa final começou com a expulsão de Diego Sacoman logo no primeiro minuto, após falta sobre Guerrón. O zagueiro era o único da equipe de Dimas Filgueiras que tinha sido advertido com o cartão amarelo. Logo em seguida, o técnico alvinegro tirou o atacante Marcelo Nicácio, sem oportunidades na partida, para colocar o volante Camilo, recompondo o meio de campo.

Mesmo com um jogador a menos, o Ceará tentou partir para cima, como sempre, com velocidade. Geraldo, principal homem de criação, era muito acionado, mas esbarrava na forte marcaçãoparanaense, que fechava o cerco com zagueiros, laterais e também com os volantes Vítor e Deivid.

Precisando do segundo gol, o técnico rubro-negro Sérgio Soares tirou o volante Vítor para colocar Netinho, meia de armação, para ajudar Branquinho a articular as jogadas de ataque. E a alteração deu resultado: o Furacão passou a explorar melhor os espaços deixados pela equipe cearense.

Com isso, o jogo ficou aberto, com chances de ambos os lados. As principais chances do time da casa aconteciam em lances de bola parada, mas as jogadas terminavam sempre nas mãos de Neto, que fez boas e importantes defesas ao longo do jogo, como aos 37 minutos, em cobrança de falta de Reina.

Apesar disso, nem os espaços deixados pela ausência de Diego Sacoman tornaram o jogo mais movimentado. Não houve trocas rápidas de passes nem jogadas criativas como nos primeiros 45 minutos. No entanto, o Ceará crescia pouco a pouco, administrando a posse de bola, ciente da desvantagem numérica. Com isso, Sérgio Soares trocou volantes: Deivid por Claiton, aos 30 minutos. A busca pela vaga no G4 parecia ter ficado em segundo plano.

Nas substituições, mérito para o técnico Dimas Filgueiras, que não deixou o Ceará perder seu poder de marcação, mesmo com um jogador a menos. Já o time de Sérgio Soarews não conseguiu recuperar avantagem. O time pagou com a vaga à Libertadores. O preço acabou sendo alto demais.

FICHA-TÉCNICA
CEARÁ 1X1 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Data e hora: 28 de novembro, às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Ednilson Corona (SP) e João Bourgalber Nobre Chaves (SP)
Cartões amarelos: Diego Sacoman, Geraldo (CEA); Deivid, Guerrón (APR)
Cartões vermelhos: Diego Sacoman (CEA)
Gols: Rafael Santos 36’/1°T (0-1), Manoel contra 43’/1°T (1-1)

CEARÁ: Michel Alves ; Fabrício, Erivelton e Diego Sacoman; Boiadeiro (Luizinho 31’/2°T), Michel, Careca, Geraldo e Eusébio (Reina, 33’/2°T); Magno Alves e Marcelo Nicácio (Camilo, 3’/2°T) . Técnico: Dimas Filgueiras.

ATLÉTICO-PR: Neto, Wagner Diniz (Marcelo, 27’/2°T), Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Vitor (Netinho, 12’/2°T), Deivid (Claiton 30’/2°T) e Branquinho; Guerrón, Bruno Mineiro e Maikon Leite. Técnico: Sérgio Soares.

novembro 28, 2010 Posted by | Atlético-PR, Ceará | | Deixe um comentário

Grêmio Prudente perde pênalti e empata com o Ceará

Rebaixado, time paulista surpreende e mostra boa disposição

Rebaixado para a Série B, o Grêmio Prudente deveria ser a garantia de três pontos na tabela para seus adversários. A ideia, entretanto, ficou só na teoria. Aequipe recebeu o Ceará neste sábado, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, e deu trabalho no empate em 1 a 1.

O atacante Rhayner marcou o primeiro gol da partida aos 27 minutos do primeiro tempo. O jogador recebeu a bola, girou o corpo rapidamente e chutou no canto direito do goleiro.

As emoções ficaram para o segundo tempo. William perdeu um pênalti, aos 37 minutos, em bela defesa de Michel Alves. Três minutos depois foi a vez do Ceará ter sua chance de converter um pênalti. Geraldo empatou e se igualou a Magno Alves na artilharia do Ceará no Brasileirão.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Com o empate, os cearenses seguem com tranquilidade na busca por uma vaga na próxima Copa Sul–Americana. O Alvinegro, que chegou a 46 pontos na tabela, manteve boa distância para Flamengo e Atlético–GO, que está uma posição abaixo da zona de classificação para o torneio sul-americano.

Como consolação, o Grêmio ainda tem chances de deixar a lanterna da Série A com o Goiás, que tem dois pontos a mais e jogará contra o Santos em casa.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO PRUDENTE 1 X 1 CEARÁ

Local: Estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente (SP)
Data/Hora: 20/11/2010 às 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Elmo Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Cristian Sorence (GO) e Fabrício da Silva (GO)
Renda/Público: R$ 6.960/842 pagantes

Cartões amarelos: Careca e Rhayner(GPP); Wellington Amorim (CEA).
Cartões vermelhos: João Marcos (CEA).

Gols: Rhayner, 27’/1ºT (1-0); Geraldo, 40’/2ºT (1-1).

GRÊMIO PRUDENTE: Sidney, Bruno Ribeiro, Ânderson Luís, Leonardo(Anderson Pedra, 24’/2ºT) e Diego; Rodrigo Mancha, João Vitor, Roberto e William; Rhayner e Adriano Pimenta(Renan, 14’/2ºT). Técnico: Fábio Giuntini.

CEARÁ: Michel Alves, Boiadeiro(Wellington Amorim, 32’/2ºT), Diego Sacoman, Fabrício e Arlindo Maracanã(Reina, 20’/2ºT); Heleno, Careca, João Marcos e Geraldo; Magno Alves e Marcelo Nicácio(Kempes, 30’/2ºT). Técnico: Dimas Filgueiras.

novembro 20, 2010 Posted by | Ceará, Grêmio Prudente | | Deixe um comentário

Grêmio Prudente recebe o Ceará e quer a vitória por ‘dignidade’

Jogadores pedem apoio do torcedor na parida diante dos cearenses

Grêmio Prudente e Ceará se enfrentam neste sábado sem nenhum motivo para comemorar. A penúltima apresentação das equipes na temporada será apenas para cumprir tabela.

O time da casa entra em campo já rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro. O momento será de despedida e uma vitória pode ao menos dar um último alento ao torcedor na atual temporada. A oredem agora é começar o planejamento visando 2011 e um passo fundamental nesse sentido será dar chances aos jovens.

A equipe que entra em campo no Eduardo José Farah não terá o meia Wesley, que cumpre suspensão automática. No departamento médico prudentino temos alguns atletas: Wanderley e Gilmar são as baixas no ataque. Arthur Henrique fica de fora na lateral. Outros que não apresentam condições de jogo são Flávio e Araújo, lesionados no joelho

A boa notícia será o retorno do experiente Rodrigo Mancha, fora do time há mais de um mês tratando de um problema no púbis. Apesar da queda do time, o volante fala em terminar a competição de forma digna e manda um recado ao torcedor.

– Convido os torcedores para que venham ao Prudentão. Empenho e determinação a gente promete. Com a ajuda deles, esperamos, pelo menos terminar, esses últimos três jogos de cabeça erguida – garante.

Sem vencer uma partida longe de casa desde o dia 6 de junho, quando bateu o Atlético/MG por 1 a 0, no Mineirão, os cearenses lutam para acabar o incômodo jejum e, de quebra, conquistar o sonho da diretoria: disputar uma competição Internacional.

Com 45 pontos na 12ª colocação, o time alvinegro precisa da vitória e torce para que Flamengo e Atlético-GO não vençam seus respectivos jogos. Apesar do adversário já estar matematicamente rebaixado, os jogadores do Ceará não esperam jogo fácil e acreditam em profissionalismo do elenco paulista.

– Vi a última partida do Prudente e achei que a equipe dele foi muito bem, inclusive foi até melhor. Mas no futebol, ganha quem faz gols, e o Prudente saiu de campo com a derrota. Contra a nossa equipe, os jogadores vão mostrar o mesmo empenho, afinal são profissionais e querem se despedir do Brasileirão de forma digna, então, tenho certeza que o jogo vai ser complicado – afirmou o goleiro Michel Alves.

Para esse duelo, o técnico Dimas Filgueiras não poderá contar com o volante Michel, expulso no empate de 2 a 2 com o Botafogo, nem com o zagueiro Anderson e o atacante Misael, machucados. Por outro lado, os também volantes Heleno e João Marcos retornam, após cumprirem
suspensão automática.

O treinador do Vozão novamente vai utilizar o esquema 3-5-2, com Heleno atuando como terceiro zagueiro. Na ala esquerda a novidade é o lateral Arlindo Maracanã, com isso, o meia Reina, que jogou no setor no último jogo, volta para o banco de reservas. Na frente, o ataque será formado por Nicácio e Magno Alves.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO PRUDENTE X CEARÁ

Estádio: Eduardo José Farah, Presidente Prudente (SP)
Data/hora: 20/11/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence e Fabricio Vilarinho da Silva (ambos de G0)

GRÊMIO PRUDENTE: Sidnei; Bruno Ribeiro, Anderson Luis, Leonardo e Diego Giaretta; Rodrigo Mancha, João Vitor, Roberto e Adriano Pimenta; Willian e Rhayner. Técnico: Fabio Giuntini.

CEARÁ: Michel Alves; Fabrício, Heleno e Diego Sacoman; Boiadeiro, João Marcos, Careca, Geraldo e Arlindo Maracanã; Marcelo Nicácio e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras.

novembro 19, 2010 Posted by | Ceará, Grêmio Prudente | , | Deixe um comentário

Confrontos diretos mexem com a zona do rebaixamento

Quatro duelos diretos contra a degola acontecem nas últimas três rodadas do Brasileirão; sete times fogem de três vagas

Faltando apenas três rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, a luta contra o rebaixamento continua embolada. Somente o Grêmio Prudente já teve sua queda confirmada, após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, na Arena da Baixada, no último domingo.

Nada menos que sete equipes ainda brigam para fugir do fantasma da degola, e as rodadas restantes apontam confrontos diretos, que
certamente definirão quem ocupará as três vagas restantes na Série B de 2011. O LANCENET! ouviu um time de especialistas que apontaram as
diferenças entre os candidatos ao descenso e fizeram suas apostas.
Confira os confrontos diretos contra o rebaixamento:

36ª rodada
Flamengo x Guarani
Avaí x Atlético-GO

37ª rodada
Atlético-MG x Goiás

38ª rodada
Vitória x Atlético-GO

Calculadora na mão

A matemática entra em cena na reta final do Campeonato Brasileiro. De acordo com dados do matemático Tristão Garcia, Atlético-GO e Flamengo, que ainda terão duas partidas em casa, têm 12% de chances de cair. O Atlético-MG, que fará seu último jogo como mandante diante do Goiás, na 37ª rodada, tem 21%.

O Vitória tem os mesmos 39 pontos do Galo, mas tem 20% de chances de rebaixamento, por ainda jogar duas vezes no Barradão, uma delas contra o líder Corinthians e outra contra o Atlético-GO, adversário direto.

Sorte do Leão, azar do Bugre

Avaí e Guarani, segundo Tristão, tiveram suas situações invertidas. Os catarinenses, que ainda jogam duas vezes na Ressacada, tinham maior
chance de cair. Agora, a possibilidade de descenso diminuiu para 57% após a importante vitória, por 3 a 2, fora de casa contra o Internacional:

– O Avaí foi o grande vitorioso da rodada, dentre aqueles que brigam contra o rebaixamento. A vitória fora de casa sobre o Internacional foi
importantíssima para as pretensões da equipe – disse o matemático.
Já o Bugre se complicou com o empate, por 1 a 1, em casa diante do Vitória, para quem o resultado não foi tão ruim assim. O Guarani tem 80%
de chances de cair.

Drama esmeraldino

A situação só não é mais crítica que a do Goiás, que tem 98% de possibilidades de rebaixamento. Com a goleada aplicada sobre o Esmeraldino na 34ª rodada, o já rebaixado Grêmio Prudente “puxou” os goianos para a Série B, segundo Tristão:

– A derrota para o Prudente levou o Goiás junto, sem dúvida. Era um confronto direto e o Goiás já se encontrava em situação delicada.

COM A PALAVRA, OS ESPECIALISTAS:

Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira na conquista dotricampeonato Mundial, em 1970

“Creio que os quatro que estão na zona de rebaixamento devem cair, independentemente dos confrontos diretos. Digo isso em virtude das
campanhas e dos elencos. é importante dar moral, mas quando falta elenco, não há técnico que consiga salvar.”

A aposta de Torres: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí

Estevam Soares, técnico

“Acho que agora é a hora da verdade. Não deve haver surpresa a esta altura da competição. É hora de fazer valer a qualidade do elenco, do
treinador, e de mostrar uma diferença de postura. Quem tem mais elenco, vai se salvar. O Guarani, por exemplo, está em queda livre no campeonato pois falta elenco, apesar do trabalho do Vagner Mancini, que é indiscutível. Já a vitória do Avaí sobre o Internacional nao pode ser
considerada zebra. O clube pegou uma maré ruim na competição, com trocas de comando. Os jogos em casa influenciam muito, com a torcida apoiando. Sem dúvida, a questão do mando é muito importante. Num momento como esse, a torcida não se opõe ao time, mesmo com a situação incômoda. Pelo contrário, se junta ao time, joga junto. Se houver protesto, acontece no fim do jogo, mas durante os 90 minutos, é só apoio.”

A aposta de Estevam: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Humberto Perón, colunista do LANCE!

“A situação do Goiás é muito complicada, só com um milagre. A Sul-Americana pode atrapalhar. O Atlético Mineiro tem boa chance de escapar, com o time crescendo. O Flamengo, mesmo com campanha ruim como mandante, é favorito contra o Guarani, que vinha bem em casa, mas não
vem marcando gols. O Atlético-GO vem sabendo jogar no contra-ataque e vem conseguindo resultados importantes. Já o Vitória, forte no Barradão, enfrenta o líder, em um jogo muito importante. A pressão nessa partida é sobre ambos os times, e o Corinthians vai ter de sair para o jogo.”

A aposta de Perón: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Vitor Birner, colunista do LANCE!

“Acredito que os melbores elencos vão permanecer. O Flamengo e o Galo ficam. Sempre achei que o Avaí fosse cair, mas vem jogando melhor. O Vitória se salva em virtude de sua campanha e suas atuações no Barradão, e também porque seu elenco é melhor que o de Avaí e Guarani. O Bugre vinha bem em casa, mas a estrutura e o elenco não são de primeira divisão. Já o Atlético-GO é uma indefinição constante, não se sabe se
cai ou não, mas, coletivamente, tem mais time que os quatro últimos. O Goiás é outro que tem mais elenco, até mesmo individualmente, que os outros que estão na zona de rebaixamento.”

A aposta de Vitor: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Benjamin Back, colunista do LANCE!

“O campeonato está desenhado. Já temos dois times rebaixados pois, na minha opinião, o Goiás também já foi. Temos do Guarani até o Atlético-GO brigando para não cair, ou seja, sete times lutando para fugir de duas vagas. Na minha opinião, o Atlético-MG não cai. É outro time desde a chegada de Dorival Júnior. O mesmo acontece com o Atlético-GO sob o comando de Renê Simões. Já o Vitória no Barradão é dificílimo de ser batido, e terá ainda dois jogos em casa…mas o futebol é imprevisível. Para mim, o Guarani não se salva, era fogo de palha com a boa campanha em casa no primeiro turno. O Vagner Mancini é bom treinador, mas escolheu mal ao aceitar comandar o Bugre.”

A aposta de Back: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

novembro 15, 2010 Posted by | Atlético-MG, Avaí, Ceará, Flamengo, Goiás, Grêmio Prudente, Guarani, Vitória | | Deixe um comentário

Botafogo empata com o Ceará e fica com a sua posição no G-4 ameaçada

Loco Abreu marca duas vezes e leva a melhor no duelo com Magno Alves, mas Alvinegro carioca deixa estádio Castelão com resultado preocupante

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Resta torcer. O empate em 2 a 2 com o Ceará na noite desta quarta-feira, em Fortaleza, deixou o Botafogo seriamente ameaçado de perder sua posição no G-4. Com três pontos a mais do que Atlético-PR e Grêmio, terá de torcer por tropeços de seus adversários diretos no complemento da 35ª rodada para se manter na zona de classificação para a Libertadores de 2011 – o Tricolor gaúcho encaro Santos na Vila Belmiro, e o Furacão, o lanterna Prudente na Arena da Baixada. As ínfimas chances de conquistar o título também dependem de uma improvável combinação de derrotas dos times que estão à sua frente na tabela.

O Botafogo, que por enquanto permanece na quarta posição, com 56 pontos, volta a campo apenas no dia 21, para enfrentar o Internacional, às 17h (de Brasília), no Engenhão. Na véspera, o Ceará, que segue em 12º lugar, com 45 pontos, joga contra o Grêmio Prudente no interior de São Paulo, às 19h30m (de Brasília).

Vozão começa o jogo em cima, mas visitante abre o placar

Empurrado por sua torcida, o Ceará começou a partida buscando o ataque, mas o Botafogo conseguiu controlar as ações do adversário. Apesar de se repetirem os erros de passe, comuns nas últimas partidas, o time carioca conseguiu uma mínima articulação para chegar ao ataque e abriu o placar aos 11 minutos. Edno cruzou pela esquerda, Alessandro tentou concluir, mas não conseguiu. A bola sobrou para Lucio Flavio, que chutou, e Loco Abreu desviou para o gol, fazendo 1 a 0.

A vantagem fez o Botafogo recuar em excesso, quase que imediatamente. E era muito cedo para isso. Do outro lado havia Magno Alves, que, com velocidade e chutes potentes, levava muito perigo. Foi então que apareceu o talento de Jefferson. O goleiro da Seleção Brasileira vencia o duelo com o atacante do Ceará, mas não resistiu a um erro grosseiro de sua defesa. Márcio Rosário recuou mal para Leandro Guerreiro, que não conseguiu dominar a bola. Magno Alves roubou, avançou e chutou rasteiro para empatar aos 22 minutos.

Autor dos dois gols do Botafogo, Loco Abreu tenta dominar no meio de capo (Foto: Photocâmera)

Foi então que o Botafogo perdeu o mínimo de tranquilidade que tinha até então. Os erros de passe se intensificaram, muitas vezes se transformando em erros no domínio de bola. Inofensivo, o Alvinegro carioca foi dominado, e não demorou muito para o Ceará virar o placar. Após uma tabela com Marcelo Nicácio na entrada da área, Geraldo acertou um belo chute de perna esquerda, no ângulo esquerdo de Jefferson, aos 34 minutos.

Até o intervalo o Botafogo bem que tentou o empate, se aproveitando do recuo do Ceará, que tentava administrar a vantagem. No entanto, esbarrou nos seus erros – incluindo os de conclusão – e não conseguiu igualar o placar até o fim da primeira etapa.

Postura ofensiva do visitante na etapa final

O Botafogo retornou para o segundo tempo com uma postura extremamente ofensiva. Excetuando o nervosismo de alguns jogadores e as muitas reclamações com a arbitragem, o Alvinegro pressionou o Ceará, se arriscando ao deixar espaços em sua marcação. Mas o risco valeu a pena. Após cruzamento de Túlio Souza, Alessandro dominou e rolou atrás para Loco Abreu, que chutou de perna esquerda, com categoria, no canto de Michel Alves, empatando o jogo aos 12 minutos.

Mas se o ataque levava perigo, a defesa causava calafrios. Num lance bizarro, Fahel tentou livrar o perigo de dentro da área dando um chutão para fora. Mas a bola explodiu em Leandro Guerreiro e tocou na trave direita de Jefferson. Diante da necessidade da vitória, Joel Santana não demorou a lançar Caio no lugar de Fahel, formando um trio ofensivo com Jobson e Loco Abreu.

Mas quantidade não significou qualidade. Apesar da luta e da insistência, que se tornou risco na defesa, o Botafogo não conseguiu concluir com eficiência as chances criadas, saindo de campo com um frustrante empate.

CEARÁ 2 X 2 BOTAFOGO
Michel Alves, Boiadeiro, Anderson, Fabrício e Diego Sacoman (Erivelton); Michel, Careca, Reina (Arlindo Maracanã) e Geraldo; Magno Alves e Marcelo Nicácio (Washington). Jefferson, Danny Morais, Leandro Guerreiro e Márcio Rosário; Alessandro, Fahel (Caio), Túlio Souza (Bruno), Lucio Flavio (Renato Cajá) e Edno; Jobson e Loco Abreu.
Técnico: Dimas Filgueiras. Técnico: Joel Santana.
Gols: Loco Abreu, aos 11, Magno Alves, aos 22, e Geraldo, aos 34 minutos do primeiro tempo; Loco Abreu, aos 12 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Michel, Michel Alves, Boiadeiro (Ceará); Loco Abreu, Túlio Souza, Fahel, Jobson, Danny Morais (Botafogo). Cartão vermelho: Michel.
Estádio: Castelão, em Fortaleza (CE). Data: 10/11/2010. Árbitro:Wallace Nascimento Valente (ES). Assistentes: Adailson Alves Pereira (ES) e José Ricardo Maciel Linhares (ES). Público: 16.330 pagantes (19.067 presentes). Renda: R$ 226.355.

novembro 10, 2010 Posted by | Botafogo, Ceará | | Deixe um comentário

Ceará e Botafogo jogam para definir destinos no Brasileiro

Vozão quer encerrar possibilidade de rebaixamento, enquanto Glorioso deseja continuar na briga pelo título

De acordo com o matemático Tristão Garcia, o Botafogo tem 1% de chance para ser campeão brasileiro. De olho em contrariar a pequena possibilidade, o Glorioso vai enfrentar o Ceará, nesta quarta-feira, às 21h50, no Castelão. Depois de altos e baixos ao longo da competição, finalmente chegou o momento de saber se a taça vai continuar na mira em General Severiano.

Diante do quarto colocado, que hoje também tem 48% de chances de garantir a vaga na próxima Libertadores, o Vozão ainda luta contra o rebaixamento e segue em busca da classificação à Sul-Americana. Sinônimo de facilidade para o Bota? Para os jogadores do Ceará, na 12ª posição, o compromisso pela 35ª rodada vale muito.

FICA LOGO!

Precisando de pelo menos mais dois pontos para se garantir matematicamente na Série A na próxima temporada, o Ceará acredita no fator mando de campo para conquistar seu objetivo. Em 17 partidas como mandante, o Vozão conquistou nove vitórias, empatou sete vezes e perdeu em apenas uma oportunidade. É o quarto melhor time atuando dentro de casa.

– São três pontos que vão nos garantir (na primeira divisão). Os resultados da última rodada nos ajudaram. Agora, nós sabemos que cada jogo tem sua história, ainda mais contra o Botafogo. Não vai ser nada fácil. Mas dentro de casa com o apoio do nosso torcedor temos tudo para fazermos uma boa partida e sairmos com a vitória – declarou o atacante Magno Alves, que fez três gols nos últimos dois jogos.

Para encarar a equipe carioca, o treinador do Ceará, Dimas Filgueiras, tem problemas. Os volantes Heleno e João Marcos estão suspensos e devem ser substituídos por Anderson e Careca, respectivamente. Na frente, a seca de gols do atacante Washington, que não marca desde a 17ª rodada, pode fazer o camisa 9 perder a posição de titular para Marcelo Nicácio.

Apesar da fraca atuação nos últimos três jogos, o meia Geraldo segue em alta com o técnico Dimas Filgueiras e permanece como capitão da equipe. Já o goleiro Michel Alves, que falhou em dois gols sofridos nas duas partidas anteriores contra Flamengo e Grêmio, também continua como titular.

PENSAMENTO ÚNICO

Depois de empatar com o Avaí no último domingo e encarar cerca de sete horas de viagem até o Nordeste, a delegação do Botafogo treinou na manhã desta terça-feira. Com pouco tempo de recuperação, Marcelo Cordeiro, Somália e Márcio Rosário ainda sentem lesões e devem ser poupados. Fora as possíveis baixas por contusões, o técnico Joel Santana não vai contar com Antônio Carlos e Marcelo Mattos, suspensos pelo terceiro cartão amarelo.

Na montagem do time, Fahel pode ser recuado para a zaga, com Edno pela ala esquerda. No meio, Tulio Souza e Felipe Lima podem ganhar uma chance entre os titulares. São muitas as dificuldades para somar três pontos aos atuais 55, mas a vitória virou uma obsessão no Bota.

– Neste momento não dá para pensar em empatar ou perder. Estamos fechados, bem focados. Todo esforço vale a pena, pois queremos o título. Vamos fazer um jogo que é o divisor de águas – disse Jefferson.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ X BOTAFOGO

Estádio: Castelão, Fortaleza (CE)
Data/hora: 10/11/2010 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES)
Auxiliares: Adailson Alves Pereira (ES) e José Ricardo Maciel Linhares (ES)

CEARÁ: Michel Alves, Diego Sacoman, Anderson e Fabrício; Boiadeiro, Michel, Careca, Geraldo e Eusébio; Washington e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras.

BOTAFOGO: Jefferson, Fahel, Leandro Guerreiro e Danny Morais; Alessandro, Tulio Souza, Felipe Lima, Lucio Flavio e Edno; Jobson e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

novembro 10, 2010 Posted by | Botafogo, Ceará | , | Deixe um comentário

Grêmio não desiste da Libertadores e goleia o Ceará sem piedade

Com grandes atuações de Douglas e Fábio Rochemback, Grêmio faz 5 a 1

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Apesar da concorrência acirrada, o Grêmio não desiste de chegar à Taça Libertadores em 2011. O pensamento é quase obsessão entre os tricolores. Uma inspiração que transmite ao time a ânsia de vencer impiedosamente.

Nesta noite de sábado, no Estádio Olímpico, o Grêmio transformou esta vontade em goleada, vencendo o Ceará por 5 a 1. A partida abriu a 34ª rodada do Brasileirão 2010, e levou a equipe gaúcha provisoriamente à 5ª colocação, com 53 pontos. O Ceará permanece com 44, no 12º lugar.

Noite de Maestro
Sobram personagens na atuação gremista contra o Ceará. De início, Victor candidatou-se a protagonista. Com duas grandes defesas o goleiro da Seleção Brasileira bloqueou conclusões de Heleno e Magno Alves. Mas aquela anunciada força ofensiva do Ceará praticamente resumiu-se, em todo o jogo, aos dois lances.

Passado o desencontro tricolor, Douglas reivindicou a regência da orquestra gremista. E o ‘Maestro’ harmonizou o meio-campo. Aos 23, cobrando falta, fez assistência para gol de André Lima. Cinco minutos depois, Douglas convocou Jonas a participar da sinfonia. Em passe sutil, concedeu ao artilheiro do Brasileirão a oportunidade de marcar seu 21º gol.

Desconcertado, o Ceará – que até então ostentava a melhor defesa do campeonato – perdeu Heleno, expulso após cometer falta. Na cobrança, aos 34, Fábio Rochemback marcou o terceiro dos gaúchos. Não fossem marcações equivocadas de impedimentos, e o Grêmio teria feito mais ainda antes do intervalo.

Melhor ataque
Douglas transformou o Olímpico em um teatro, oferecendo ao público uma apresentação erudita. Passes de trivela, combinações de primeira, movimentação e primorosa visão na hora do passe preciso. Além do talento, o Maestro contou ainda com a sorte.

No segundo tempo, com 11 minutos, cobrou falta e assistiu à trapalhada de Michel Alves, que aceitou o chute responsável pelo gol do camisa 10. Mas os demais integrantes da orquestra gremista também foram solistas.

André Lima, por exemplo, acertou todas as notas na área adversária. Aos 16 afinou seu instrumento de trabalho: o pé direito. Recebeu de Jonas, venceu o goleiro, e chegou a seu oitavo gol nos últimos 11 jogos: 5 a 0.

Com André Lima – duas vezes – Jonas, Fábio Rochemback e Douglas, o Grêmio ultrapassou o Corinthians em número de gols marcados. Tem agora o melhor ataque da competição, com 59, contra 58 dos paulistas, que ainda jogam na rodada, contra o São Paulo.

Pela honra
Gols em profusão fizeram o Grêmio jogar com uma naturalidade rara. Renato Gaúcho se deu ao luxo de fazer trocas mais ofensivas – o lateral Gabriel deu lugar ao atacante Júnior Viçosa, e o volante Adilson foi substituído por Souza ainda no primeiro tempo. Não bastava o 5 a 0. O Grêmio queria mais.

O Ceará, apesar da definitiva derrota, não se resignou. Paulão, aplaudido a cada dividida contundente, impediu avanços dos visitantes. Mas no final o atacante Magno Alves conseguiu se beneficiar de espaço entre os zagueiros gremistas e marcou o gol de honra do Ceará, derradeiro do placar da partida.

Próximos jogos
O Ceará abre a 35ª rodada do Brasileirão 2010 na próxima quarta-feira, recebendo às 21h50m o Botafogo no Estádio Castelão. Sábado, dia 13 de novembro, o Grêmio visita o Santos na Vila Belmiro, às 19h30m.

3 

GRÊMIO 5 X 1 CEARÁ
Victor; Gabriel (Júnior Viçosa), Paulão, Rafael Marques e Fábio Santos; Fábio Rochemback, Adilson (Souza), Lúcio (Gilson) e Douglas; Jonas e André Lima. Michel Alves; Boiadeiro, Fabrício, Diego Sacoman e Eusébio; Heleno, Michel, João Marcos e Geraldo (Reina); Magno Alves e Washington (Anderson).
Técnico: Renato Gaúcho. Técnico: Dimas Filgueiras.
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Dia: 06/11/2010.Árbitro: Celio Amorim, auxiliado por Luis Alberto Kallenberger e Fernando Lopes (trio catarinense).
Gols: André Lima (Grêmio), aos 23m; Jonas (Grêmio), aos 28m; e Fábio Rochemback (Grêmio), aos 34m, no primeiro tempo. Douglas (Grêmio), aos 11m; André Lima (Grêmio), aos 16m, e Magno Alves (Ceará), aos 31m, no segundo tempo.
Cartões amarelos: Adilson e Lúcio (Grêmio); Washington, Geraldo, Heleno e João Marcos (Ceará). Cartão vermelho: Heleno (Ceará).
Público: 20.789 torcedores. Renda: R$ 356.349,00

novembro 6, 2010 Posted by | Ceará, Grêmio | | Deixe um comentário

Ceará aposta na defesa para segurar o Grêmio

Time cearense, que não perde a sete partidas, quer trazer de Porto Alegre pelo menos um ponto

Em ótima fase nesta reta final de Campeonato Brasileiro, o time do Ceará quer manter o bom desempenho do técnico Dimas Filgueiras e chegar à oitava partida sem derrotas. Por isso, para encarar o Grêmio, neste sábado, às 19h30min (horário de Brasília), no estádio Olímpico, em Porto Alegre, os cearenses confiam em seu sistema defensivo.

Melhor defesa do Brasileirão, com apenas 30 gols sofridos, a equipe cearense segue com sua formação intacta. A dupla de zaga com Fabrício e Diego Sacoman e os três volantes no meio: Michel, João Marcos e Heleno são o ponto forte do grupo.

O quinteto, no entanto, terá uma parada indigesta pela frente, o time de Renato Gaúcho possui o terceiro melhor ataque da competição, são 54 gols anotados. A tática para segurar a força tricolor é bem simples para o treinador do Vozão.

– Esse nosso bom momento no Campeonato se deve ao nosso grupo e ao nosso poder de marcação. Primeiro temos de marcar, depois a gente sai para o jogo – declarou o comandante alvinegro.

A expectativa também no Ceará é para a quebra do incômodo tabu de quatro meses sem vencer fora de casa. Apesar de nos últimos três jogos ter empatado com Palmeiras, Corinthians e Atlético-GO, a última vitória alvinegra aconteceu no dia 6 de junho, no Mineirão, ante o Atlético-MG, por 1 a 0.

Para o duelo contra o Grêmio, Dimas confirmou que a equipe será a mesma que empatou com o Flamengo por 2 a 2, no meio de semana, no Castelão. O atacante Washington permanece como titular na vaga de Marcelo Nicácio, que vai ficar como opção no banco de reservas.

O Tricolor Gaúcho vem de vitória contra o Goiás, fora de casa, e espera vencer para entrar com mais força na vaga pela Libertadores. Depois de derrota para Flu e empate no Gre-Nal, o Grêmio havia ficado um pouco mais longe da briga.

A equipe será a mesma que enfrentou e ganhou do time goiano. Souza volta de suspensão, mas ficará no banco de reservas. O zagueiro improvisado como volante Vilson segue lesionado, e faz tratamento para se recuperar de lesão na coxa. O restante estará a disposição do técnico Renato.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO X CEARÁ

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data e hora: 6 de novembro, às 19h30min (horário de Brasília)
Árbitro: Célio Amorim (SC)
Assistentes: Luis Alberto Kallemberger (SC) e Fernando Lopes (SC)

GRÊMIO: Victor, Gabriel, Paulão, Rafael Marques e Lúcio; Fábio Rochemback, Adilson, Lúcio e Douglas; Jonas e André Lima. Técnico: Renato Gaúcho.

CEARÁ: Michel Alves; Boiadeiro, Diego Sacoman, Fabrício e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Geraldo; Washington e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras.

novembro 6, 2010 Posted by | Ceará, Grêmio | , | Deixe um comentário

Fla fica na frente duas vezes, mas permite o empate do Ceará: 2 a 2

Equipes não conseguem melhorar suas posições na tabela do Brasileirão

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Vencer o Ceará no Castelão não é tarefa fácil. A torcida do Vozão não para, canta alto, pressiona. Mas o Flamengo, que também teve apoio importante na capital cearense, deixou escapar uma ótima oportunidade de melhorar sua posição na tabela. Nesta quarta-feira, em jogo válido pela 33ª rodada do Brasileirão, o Rubro-Negro foi superior ao adversário na maior parte do tempo, ficou duas vezes em vantagem no placar, mas fracassou. O 2 a 2 não deixa as equipes andarem. O Vozão tem 43, em 11º, enquanto o Fla chega a 40, em 13º. Ambas continuam na zona de classificação para a Copa Sul-Americana.

Luxemburgo apostou novamente no ataque 3D, mas foram os zagueiros que fizeram a diferença. Welinton e Ronaldo Angelim marcaram os gols do Fla, enquanto Magno Alves, rival antigo, dos tempos de Fluminense, fez os dois dos donos da casa, em duas falhas do goleiro Marcelo Lomba, que não teve uma noite feliz.

Sob o comando de Luxa, o Flamengo tem duas vitórias e quatro empates. Empates, aliás, não faltam ao Rubro-Negro. Em 33 jogos até então, foram 16 igualdades. É o recordista da competição até aqui. O Vovô mantém o bom desempenho em casa. Em 17 partidas como mandante, são nove vitórias, sete empates e apenas uma derrota (para o Vasco, por 2 a 0).

O Ceará volta a jogar neste sábado. O time visita o Grêmio, no estádio Olímpico, às 19h30m. No domingo, no mesmo horário, o Flamengo recebe o Atlético-PR, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Casa cheia e jogo quente: 1 a 1

Jogo bom é assim. Começa antes mesmo de a bola rolar, com arquibancada cheia, gente cantando sem parar, fazendo barulho. No Castelão, as torcidas de Ceará e Flamengo chegaram para jogar. Provocação de um lado e de outro, mas em clima de paz. A maioria vestindo branco e preto, é verdade, mas os rubro-negros não se intimidaram na hora de berrar.

Jogo bom tem de ter gol. E quando é logo de cara deixa tudo mais empolgante. Vanderlei Luxemburgo escalou o Rubro-Negro pela segunda vez com o ataque 3D. Uma nova versão: Deivid centralizado e um pouco mais recuado, Diogo aberto pela esquerda, e Diego Maurício na direita. Quem apareceu, no entanto, foi um zagueiro. Welinton é zagueiro-zagueiro. Dá chutão, sim. Dá de bico também. Bico para a rede adversária. Aos dois minutos, Renato cobrou escanteio, Michel Alves tentou segurar a bola, mas largou. Diego Maurício pegou a sobra e ajeitou para o defensor marcar.

O Ceará sentiu, errou passes, não se encontrou. Geraldo, Magno Alves e Washington pouco apareceram, eram facilmente desarmados pelos defensores. Instável, o time quase sofreu o segundo gol, aos cinco. Em novo escanteio, Michel Alves socou nos pés de Welinton, mas o chute rasteiro desviou na zaga do Vozão e saiu.

Se era para jogar, a torcida cearense empurrou, e os donos da casa cresceram. Washington arriscou chute rasteiro, e Lomba defendeu. Magno Alves tentou o mesmo, mas ficou na trave. Errar uma terceira vez seria quase um pecado. Aos 27, Boiadeiro decidiu avançar pela direta e cruzar. Marcelo Lomba saiu, desviou de soco, mas a bola caiu nos pés de Magno Alves. Com Lomba fora do gol, ele soltou a bomba, no alto, para empatar: 1 a 1. Magno, que por cinco anos defendeu o Fluminense, relembrou os tempos de Fla-Flu no Maracanã.

Era a vez de o Flamengo sentir o gol. Deivid foi figura pouco produtiva, quase não pegou na bola; Diogo correu, mas foi bem marcado; Renato era discreto, e Diego Maurício não conseguiu fazer muito isolado pela direita. Do lado alvinegro, Geraldo começou a aparecer no meio; Boiadeiro e Eusébio cresceram, passaram a subir pelas laterais e a buscar cruzamentos para Washington na área. Em um deles, o atacante cabeceou para o chão, mas errou o alvo. Pelo equilíbrio, empate justo na primeira etapa.

Fla joga melhor, mas não consegue vencer

Luxa não desistiu dos três atacantes no segundo tempo. Pelo menos não de cara. O problema é que muitas vezes o que se via era um clarão entre a defesa e o ataque rubro-negros. Correa passou a avançar um pouco mais para tentar ajudar Renato, mas sem sucesso. A linha de frente parecia mais organizada, mas a tentativa do treinador durou 16 minutos. Foi quando ele decidiu sacar Diogo e Diego Maurício e lançar Val Baiano e Marquinhos.

Dimas Filgueiras também mudou. Tirou Washington e escalou Marcelo Nicácio. O Vozão optou por jogar nos contra-ataques e explorar a velocidade de Magno Alves pela esquerda. Aos 34 anos, ele ainda dá trabalho e conseguiu atrapalhar os avanços de Léo Moura. Em uma das investidas, acionou Geraldo na entrada da área. Marcelo Lomba espalmou o chute do camisa 10.
O Flamengo ganhou terreno, partiu para o ataque, teve mais apetite. A chuva fina não esfriou o ritmo rubro-negro, que conseguiu aproveitar a bola aérea. Renato cruzou duas vezes até encontrar a cabeça de Ronaldo Angelim. A finalização foi no canto direito de Michel Alves, aos 22. Cabeçada no melhor estilo “gol do título do Brasileirão do ano passado”.

Mesmo em vantagem, os cariocas não diminuíram o ritmo. Tiveram mais volume, mas presença ofensiva. Num único lance, duas boas chances. Primeiro com Val Baiano, depois com Fernando. Ambos não conseguiram. Como não desistiu, o Ceará acabou recompensado. Aos 36 minutos, Boiadeiro arriscou um chute cruzado, Marcelo Lomba deu rebote, e Magno Alves só teve o trabalho de empurrar para o gol: 2 a 2. Resultado com sabor de derrota para o Flamengo.

CEARÁ 2 X 2 FLAMENGO
Michel Alves, Boiadeiro, Diego Sacoman, Fabrício e Eusébio; Michel, Heleno (Reina), João Marcos e Geraldo (Wellington Amorim); Magno Alves e Washington (Marcelo Nicácio). Marcelo Lomba, Léo Moura, Ronaldo Angelim, Welinton e Juan; Willians, Correa, Renato e Diogo (Val Baiano); Diego Maurício (Marquinhos) e Deivid (Fernando).
Técnico: Dimas Filgueiras Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
Gols: Welinton, aos dois, Magno Alves, aos 27 minutos do primeiro tempo. Ronaldo Angelim, aos 22, Magno Alves, aos 36 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Geraldo (Ceará); Willians (Flamengo).
Estádio: Castelão, em Fortaleza (CE). Data: 03/11/2010. Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP). Auxiliares: Márcio Eustáquio Sousa Santiago (MG) e Anderson José de Moraes Coelho (SP).

novembro 3, 2010 Posted by | Ceará, Flamengo | , | Deixe um comentário

Ceará e Flamengo duelam por Sul-Americana

Vovô aposta na forte defesa, e Rubro-negro no ataque 3D

Ceará e Flamengo se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h50, no Castelão, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, com o mesmo objetivo: se aproximar da conquista de uma vaga na próxima Copa Sul-Americana. Com 43 pontos (quatro a mais que o Rubro-Negro), o Vovô tem como ponto forte a sua defesa – a menos vazada do campeonato, com 31 gols sofridos. Já o clube carioca aposta no ataque 3D (Diogo, Diego Maurício e Deivid) para superar o adversário.

– Com a sequência de treinos e, principalmente, de jogos, a gente vai se encaixando melhor nesse sistema. Já sabemos onde nos posicionar quando o Flamengo está com a posse de bola. Estou confiante que pelo menos um dos três “Ds” do ataque vai marcar um gol e garantir a vitória sobre o Ceará – declarou o camisa 99, por meio de sua assessoria de imprensa – destaca o atacante Deivid.

Na zaga, o zagueiro Ronaldo Angelim, que nasceu em São Paulo mas se criou em Juazeiro do Norte, interior do Ceará, está confirmado como titular pelo segundo jogo consecutivo. A única mudança com relação ao time que entrou em campo na última partida é a entrada de Correa no lugar de Maldonado, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Com lesões musculares, Kleberson e Petkovic nem viajaram com o grupo.

Além da defesa forte, o Ceará confia no apoio de sua torcida para conseguir os três pontos em casa.

– Tenho certeza de que a torcida lotará o Castelão, pois será um jogo aberto e com muitas possibilidades. Trabalhamos bastante nos últimos dias e os jogadores estão prontos para fazer uma bela partida. O Flamengo também precisa do resultado e acredito que não ficará na defesa, já que terá três atacantes desde o início. Estamos confiantes – disse o técnico Dimas Filgueiras.

O treinador perdeu o lateral-esquerdo Vicente, que fraturou o maxilar e está fora do Campeonato Brasileiro. O jogador será substituído por Eusébio. Na zaga, Anderson perdeu a condição de titular para Diego Sacoman. No ataque, Magno Alves terá Washington como parceiro.

FICHA TÉCNICA

CEARÁ X FLAMENGO

Estádio: Castelão
Data/Hora: 3/11/2010 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Paulo César Oliveira
Auxiliares: Marcio Eustáquio/MG (FIFA) e Anderson José de Moraes/SP

CEARÁ: Michel Alves; Boiadeiro, Diego Sacoman, Fabrício e Eusébio; Michel, Heleno, João Marcos e Geraldo; Magno Alves e Washington. Técnico: Dimas Filgueiras

FLAMENGO: Marcelo Lomba; Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Willians, Correa, Renato e Diogo; Diego Maurício e Deivid. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

novembro 3, 2010 Posted by | Ceará, Flamengo | | Deixe um comentário

Márcio falha e Atlético-GO empata com o Ceará

Dragão e Vozão ficam no empate após jogo bastante movimentado no Serra Dourada

Atlético-GO e Ceará realizaram uma partida recheada de boas oportunidades, mas apenas empataram em 1 a 1 no estádio Serra Dourada, nesta quinta.

O Dragão, agora com 36 pontos, não conseguiu manter a sequência de vitórias, que já durava três partidas, e com o resultado pode voltar a zona de rebaixamento, já que pode ser ultrapassado por Vitória, Guarani e Atlético-MG. Já o Ceará completou o sétimo jogo seguido sem derrota e está cada vez mais longe do Z-4, com 43 pontos.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

 

O jogo:

A partida começou sem emoção, mas o Atlético era quem ditava o ritmo da partida, explorando principalmente o lado direito de ataque. A primeira chance foi aos 4 minutos, após cobrança de falta e cabeçada de Daniel Marques, que saiu sem perigo a direita. O zagueiro teve outra chance igual, aos 12 minutos, mas a bola saiu por cima. Antes disso, Juninho e Adriano já faziam as jogadas, como aos 7 minutos, em que o camisa 11 entrou na área e bateu fraco.

O jogo ganhou em velocidade e o Atlético tomou conta da partida. Aos 18, Renatinho fez jogada individual e bateu de fora da área para Michel Alves espalmar. Aos 21, na primeira jogada pela esquerda, Thiago Feltri cruzou e Marcão cabeceou com perigo por cima. O Ceará só deu o primeiro chute aos 24 minutos, em finalização de Vicente, para defesa fácil de Márcio.

Mas o Atlético era soberano e abriu o placar em seguida. Em outra jogada pela esquerda, Thiago Feltri cruzou, Marcão dividiu no ar com Anderson, e na sobra, o próprio Marcão empurrou pro gol na saída de Michel Alves: 1 a 0. O Atlético continuou na pressão e teve mais duas chances: aos 28, em uma bomba de Róbston de fora da área que o goleiro espalmou, e aos 29, no cruzamento de Adriano para a cabeça firme de Gílson, parada na bela defesa de Michel Alves, a melhor do 1° tempo.

Insatisfeito com a postura da equipe, o técnico Dimas Filgueiras resolveu mexer logo na primeira etapa e melhorou a equipe com a entrada de Diego Saccoman no lugar de Anderson. O time cearense melhorou a marcação e o Atlético não teve mais oportunidades, apenas num lance inusitado, onde Michel Alves chutou a bola em cima de Marcão e a bola quase foi para as redes.

Segundo tempo:

A segunda etapa começou como a primeira: morna, mas aos poucos as equipes acordaram e o Ceará começou a mostrar perigo. O veterano Magno Alves, em duas descidas, quase empatou. Primeiro, aos 10 minutos, ele bateu fraco a direita do gol de Márcio; na segunda, aos 13, ele recebeu lançamento de Eusébio no lado esquerdo, adiantou a bola e Márcio colocou para escanteio. Na cobrança, Diego perdeu o gol de empate.

O Ceará era melhor e a torcida rubro-negra pedia a entrada de Elias. O técnico René Simões atendeu e o time melhorou. Aos 17, Róbston acertou mais uma bomba e colocou Michel Alves para trabalhar. Aos 18, foi a vez de Juninho exigir uma bela defesa do goleiro. Como o ditado é de “quem na faz, leva”, o Atlético tomou o empate. Aos 30 minutos, Michel cobrou falta sem muito perigo, no canto direito, e Márcio engoliu um “frango”: 1 a 1.

O Atlético sentiu o gol e com isso, o Vôzão cresceu e por pouco não virou a partida. Primeiro, aos 37, em lançamento para Washington, que ganhou da zaga e chutou desequilibrado, para defesa de Márcio. Depois, aos 40, Careca mandou uma pancada de fora da área e assustou Márcio. O Atlético ainda tentou uma pressão no fim, mas esbarrou na forte marcação adversária, que continua com a melhor defesa do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO -GO 1 X 1 CEARÁ

Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/Hora: 28/10/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP/FIFA)
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto (SP) e João Bourgalber (SP)
Renda e Público: R$63.875,00 / 3.840 pagantes

GOLS: Marcão 25’/1°T (1-0), Michel 30’/2°T (1-1)

Cartão amarelo: Michel Alves (CEA)
Cartão vermelhos: Não houve.

ATLÉTICO-GO: Márcio, Adriano (Chiquinho, 33’/2°T), Gílson (Jairo, 15’/2°T), Daniel Marques e Thiago Feltri; Agenor, Pituca, Róbston e Renatinho (Elias, 17’/2°T); Juninho e Marcão. Técnico: René Simões.

CEARÁ: Michel Alves, Boiadeiro (Careca, 32’/2°T), Fabrício, Anderson (Diego Saccoman, 31’/1°T) e Vicente (Eusébio, 7’/2°T); Heleno, Michel, João Marcos e Geraldo; Magno Alves e Washington. Técnico: Dimas Filgueiras.

outubro 28, 2010 Posted by | Ceará | | Deixe um comentário

Atlético-GO recebe o Ceará na volta de Elias ao time

Apoiador está confirmado no Dragão para o confronto no Serra Dourada. Já o Vozão quer o fim das chances do descenso

A grande novidade no Atlético-GO, que recebe o Ceará, nesta quinta, às 21h, no estádio Serra Dourada, é o retorno do meia Elias, artilheiro da equipe na Série A com 10 gols e 22 em toda a temporada, e que ficou de fora das últimas seis partidas da equipe rubro-negra devido a uma contusão no jogo contra o Grêmio Prudente, no dia 25 de setembro.

Um mês depois, Elias está de volta e terá uma missão dura pela frente: passar pela defesa menos vazada do Brasileirão, que tomou apenas 30 gols até agora. O meia já não pensa mais em artilharia, e sim em ajudar o Atlético a manter a boa fase até o fim da competição. O jogador ainda acredita que não consiga atuar a partida toda, mas crê que pode contribuir para vencer mais uma no Serra Dourada.

– Eu já estava recuperado na semana passada, mas não joguei porque eu mesmo não me sentia confiante, minha lesão foi séria. Eu quero é ajudar, e não atrapalhar a equipe, por isso jogar os doistempos é complicado. Mesmo assim, precisamos derrotar o adversário, porque é essencial vencer e fazer o dever de casa nesse momento para conquistar o objetivo – explicou o camisa 10.

O técnico René Simões também irá contar com os retornos do zagueiro Daniel Marques e do volante Robston, que cumpriram suspensão contra o Guarani, e voltam nos lugares de Jairo e Rômulo. Em contrapartida, o Dragão não terá Anaílson e Josiel, mais uma vez entregues ao Departamento Médico e com isso, Marcão ganha uma vaga no ataque.

Ceará próximo de alcançar a meta pré-estabelecida

Na semana em que antecedia a estreia do Campeonato Brasileiro, o discurso de todos no Ceará era de que o principal objetivo do clube seria evitar o rebaixamento e com isso permanecer na Série A na próxima temporada. Quase seis meses depois, o objetivo está bem próximo de ser concluído.

Diante do Atlético-GO, equipe alvinegra poderá alcançar os 45 pontos e assim garantir seu desejo. Desde que os pontos corridos com 20 clubes foram estabelecidos, jamais uma equipe com essa pontuação caiu para a Série B.

Se por um lado o objetivo inicial e acabar com o risco de rebaixamento, por outro a intenção é garantir mais uma vitória que pode deixar o Vovô ainda mais próximo de uma vaga à Copa Sul-Americana.

– Nosso pensamento sempre foi fazer com o que o Ceará permaneça na Série A, mas é claro que esse grupo vem demonstrando que pode ir além. Vamos alcançar logo nosso objetivo e depois quem sabe buscar essa vaga na Sul-Americana – declarou o capitão e meia Geraldo, um dos líderes do grupo.

Para encarar o Dragão, o Ceará tem o retorno do volante Heleno, que não participou da vitória por 2 a 0 sobre o São Paulo no fim de semana passado. Com isso, o zagueiro Diego Sacoman retorna para o banco. Já no setor de frente, o atacante Washington deve continuar entre os titulares e com isso Marcelo Nicácio aguarda por nova chance entre os reservas.

Invicto há seis rodadas, o Ceará também vai lutar para quebrar o tabu de não vencer uma partida fora de casa há mais de quatro meses. O último triunfo longe de seus domínios foi no jogo contra o Atlético-MG, dia 6 de junho, no Mineirão, 1 a 0, gol do atacante Washington.

FICHA-TÉCNICA:
ATLÉTICO-GO X CEARÁ

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data e hora: 28 de outubro, às 21h (horário de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Assistentes: Márcio Luiz Augusto (SP) e João Bourgalber Nobre Chaves (SP)

ATLÉTICO-GO: Márcio, Adriano, Gilson, Daniel Marques e Thiago Feltri; Agenor, Pituca, Robston e Elias; Juninho e Marcão. Técnico: René Simões.

CEARÁ: Michel Alves; Boiadeiro, Anderson, Fabrício e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Geraldo; Washington e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras.

outubro 28, 2010 Posted by | Ceará | | Deixe um comentário

Sob forte calor, Ceará faz 2 a 0 e breca arrancada do São Paulo

Magno Alves e Diego Sacoman marcam os gols do Vozão em Fortaleza

A tarde quente de domingo em Fortaleza foi de festa para o Ceará, que parou a sequência vitoriosa do São Paulo com um triunfo por 2 a 0, no Castelão repleto, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os donos da casa, que não perdem há seis jogos, impediram que o adversário conseguisse a quarta vitória consecutiva na competição. O time paulista, com a zaga desfalcada, sofreu com a pressão do anfitrião e decepcionou os torcedores presentes.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Com o resultado, o Vozão chegou a 42 pontos, na 11ª posição, e segue forte na briga por uma vaga na Copa Sul-Americana. O time paulista permaneceu com 44 pontos, na nona colocação, e perdeu uma ótima oportunidade de se aproximar do G-4, a zona de classificação para a Libertadores da América. Na próxima rodada, o Ceará encara o Atlético-GO no Serra Dourada, às 21h (de Brasília), quinta-feira. No meso dia e horário, o Tricolor recebe o Atlético Paranaense na Arena Barueri.

Antes do início do jogo, dois momentos especiais: Geraldo entrou em campo com a camisa 10 e o nome de Pelé às costas. O Rei do futebol foi homenageado pelo aniversário de 70 anos, completados no sábado. Pelo São Paulo, Rogério Ceni entrou carregando “na garupa” um torcedor de 13 anos que precisou amputar as pernas, na altura dos joelhos, quando ainda era um bebê. Mesmo assim, Carlos Roney deseja ser goleiro e até defendeu um chute do camisa 1 tricolor no campo do Castelão.

Com os termômetros na casa dos 30 graus (teve até paralisação para que os atletas pudessem beber água), o calor foi realmente um adversário à parte – sem horário de verão, o jogo começou às 15h pelo horário local. Mas este não foi o único motivo de o time paulista ter tido tantas dificuldades. Com desfalques na defesa, Carpegiani escalou Renato Silva improvisado na lateral direita, e Xandão ao lado de Miranda. Diogo ocupou a ala esquerda. Aproveitando a perda de jogadores importantes no adversário, o Ceará apostou na velocidade, acionando principalmente os laterais Boiadeiro e Vicente. E pressionou desde o início.

O Tricolor só teve um grande momento na etapa inicial, quando Ricardo Oliveira balançou a rede, mas o bandeira apontou impedimento, em um lance muito difícil de avaliar. O Vozão criou várias oportunidades, dando muito trabalho para Rogério Ceni, que logo passou a ser ovacionado como o “melhor goleiro do Brasil”. Mas o camisa 1 não conseguiu segurar uma cabeçada de Magno Alves, aos 20 minutos: 1 a 0 para o Ceará. Ceni reclamou muito, dizendo que a bola saiu do campo antes do cruzamento de Vicente, mas não teve êxito. O gol foi legal, e a torcida do Alvinegro, maioria no Castelão, fez festa.

Carpegiani tentou mudar a postura da equipe, que estava muito recuada e não conseguia desenvolver as jogadas com o quarteto ofensivo. O treinador tirou Xandão e colocou Ilsinho pela lateral. O objetivo era ter mais um jogador para carregar a bola ao ataque e, ao mesmo tempo, tentar conter um pouco a descida de Vicente. Renato Silva, que antes estava na lateral, passou a formar a zaga com Miranda.

Mas o que o técnico são-paulino não imaginava era que o zagueiro Diego Sacoman iria acertar um lindo chute de longe, indefensável para Ceni. A bomba foi no ângulo direito do goleiro e fez a torcida celebrar: 2 a 0. Sacoman ajoelhou no campo, incrédulo, enquanto era abraçado pelos companheiros. O Ceará ainda criou algumas oportunidades, e o São Paulo apareceu diante de Michel Alves com Lucas e Ricardo Oliveira, mas o primeiro tempo terminou com a vitória parcial do Vozão.

Segundo tempo

O segundo tempo parecia uma reprise do primeiro. Apesar de o São Paulo até ter tentado uma ou outra jogada de ataque, o Ceará continuava pressionando e criando as melhores oportunidades, baseado na velocidade. Mais cansado, o adversário tentava seguir o ritmo do anfitrião. Diego Sacoman quase fez o segundo dele ao cabecear a bola para o chão, mas desta vez Ceni ficou com ela. O chute de Fernandão, isolando a bola na direção da torcida cearense, era o retrato do que o time paulista havia criado até o momento.

Magno Alves e Geraldo eram os principais articuladores das jogadas do Ceará. Vendo isso, Carpegiani tentou mudar a forma de o São Paulo jogar mais uma vez. Tirou Diogo, colocou o volante Zé Vitor para ajudar na marcação e jogou Carlinhos Paraíba para fechar pela esquerda. Marlos também substituiu Lucas, que não rendeu bem e chegou a ser vaiado pela torcida são-paulina. O técnico Dimas Filgueira também trocou no Ceará: Washington, aplaudido, deixou o campo para a entrada de Misael.

Mas se o calor já era um problema maior para o São Paulo desde o início do jogo, o Ceará também diminuiu o ritmo na segunda etapa, após aplicar uma verdadeira correria diante do rival. Ainda criava mais, só que já deixava o Tricolor mais solto. Tanto que Fernandinho bem que tentou descer pela esquerda e surpreender Michel Alves, mas foi parado pela defesa. O mesmo Fernandinho teve de deixar o campo aos 30 minutos, com dores na panturrilha direita, e a equipe paulista ficou com um jogador a menos no final da partida.

A tarde se encerrou com festa para os donos da casa, em busca da vaga na Sul-Americana, e gritos de olé.

CEARÁ 2 X 0 SÃO PAULO
Michel Alves; Anderson, Diego Sacoman, Fabrício, Boiadeiro, Vicente, Geraldo (Careca), João Marcos, Michel, Magno Alves (Reina), Washington (Misael) Rogério Ceni, Renato Silva, Xandão (Ilsinho), Miranda e Diogo (Zé Vitor); Rodrigo Souto, Carlinhos Paraíba, Lucas (Marlos) e Fernandinho; Fernandão e Ricardo Oliveira
Técnico: Dimas Filgueira Técnico: Paulo César Carpegiani
Gol: Magno Alves, aos 20, e Diego Sacoman, aos 34 minutos do primeiro tempo
Cartão amarelo: Lucas e Diogo (SP)
Local: Castelão, em Fortaleza, CE. Data: 24/10/2010. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ) . Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA) e Rodrigo Pereira Joia (RJ).
Renda: R$ 1.118.960,00 Público: 44.591 pagantes

outubro 24, 2010 Posted by | Ceará, São Paulo | , | Deixe um comentário

Com previsão de calor, Ceará recebe o São Paulo

Sampa até tentou mudar o horário do jogo, mas a expectativa é de alta temperatura

Se em alguns jogos nesta temporada, o time do Ceará sofreu com o frio do Sul e Sudeste brasileiro, o momento agora é de revanche. A equipe alvinegra recebe o São Paulo neste domingo, às 16h (horário de Brasília, que adota o horário de verão), com a previsão de uma temperatura acima dos 30 graus.

Em 12º lugar com 39 pontos e sem perder há seis rodadas, os cearenses sabem que poderão tirar vantagem do rival paulista no duelo do Castelão.

– Acho que o horário da partida acabou se tornando positivo para nós. Estamos adaptados ao clima e ao calor aqui de Fortaleza. Deve ser sim um ponto favorável para nós. O São Paulo vai querer cadenciar o jogo, mas temos de impor um ritmo forte logo no início – destacou o lateral-esquerdo Vicente.

Além do calor como aliado, os alvinegros deverão ter o apoio de mais de 30 mil torcedores. Até a sexta-feira, mais de 15 mil ingressos já haviam sido comercializados. Outra boa notícia é que o atacante Marcelo Nicácio se recuperou a tempo de um edema muscular na coxa esquerda e vai para o jogo. O desfalque é o volante Heleno, suspenso. Em seu lugar, Dimas Filgueiras vai colocar o zagueiro Diego Sacoman.

No Tricolor, muitos são os desfalques. Alex Silva, Jean e Richarlyson estão suspensos, e dão lugar a Xanxão, Renato Silva e Diogo. Outra importante baixa é Dagoberto, que ingeriu substância dopante ao tomar medicação para dor de cabeça durante a semana. Como precaução, a comissão técnica aposta em Fernandão para o ataque.

– Cada um tem a sua conduta. O médico fala para, se incomodar, ligar. Mas ele preferiu tomar (o remédio) e está arcando com as conseqüências. Ele não queria ficar fora do jogo, mas todos perdemos com essa história – avaliou Miranda.

Com Paulo César Carpegiani, o Sampa fez três jogos e venceu todos. Por isso, na 9ª colocação com 44 pontos, o time quer manter o embalo para seguir sonhando com a classificação para a Libertadores.

FICHA-TÉCNICA

CEARÁ X SÃO PAULO

Local: Castelão, em Fortaleza (CE)
Data/hora: 24 de outubro, às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA) e Rodrigo Pereira Jóia (RJ)

CEARÁ: Michel Alves; Boiadeiro, Anderson, Fabrício e Vicente; Diego Sacoman, Michel, João Marcos e Geraldo; Marcelo Nicácio e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Renato Silva, Xandão, Miranda e Diogo; Rodrigo Souto, Carlinhos Paraíba, Lucas e Fernandinho; Ricardo Oliveira e Fernandão. Técnico: Paulo César Carpegiani.

outubro 24, 2010 Posted by | Ceará, São Paulo | , , | Deixe um comentário

Com a volta do G4, nove times buscam vaga na Libertadores

LNET! mostra caminho das equipes para a classificação à competição continental

O disputado G4 (grupo dos quatro times classificados para a Libertadores) do Campeonato Brasileiro voltou. Nesta segunda-feira, a Conmebol aprovou mais uma vaga para times brasileiros no torneio, permitindo ao quarto colocado do Brasileirão se classificar para a competição continental. Como Santos e Internacional já estão classificados, nove equipes entram na briga pela vaga a partir de agora.

A decisão reavê a medida tomada no mês passado, quando a entidade retirou uma das vagas do Brasil na competição por conta de o campeão da edição de 2010 ter sido um clube brasileiro (Internacional).

Com isso, a briga por um lugar no torneio sul-americano deve pegar fogo. Times como Cruzeiro, Fluminense e Corinthians, que ocupam as primeiras posições neste momento, terão maiores chances matemáticas de classificação. A Raposa tem 97% de chance de se participar do torneio, e o Tricolor Carioca possui 95%. Já o Timão tem 78% de chances de disputar a Libertadores pelo segundo ano seguido. Outras equipes que estão na intermediária também ganham mais fôlego por uma vaga, como o Palmeiras e o São Paulo.

Se o Brasileiro acabasse hoje, a quarta vaga ficaria com o Atlético-PR, time que ocupa a sexta posição atrás de Internacional e Santos, que estão garantidos na Libertadores por conta dos títulos conquistados esse ano (Libertadores e Copa do Brasil, respectivamente). No entanto, o Grêmio (40%) tem mais chances de se classificar do que o Furacão (36%), segundo dados do matemático Tristão Garcia.

Confira aqui os últimos jogos de todos os candidatos a uma vaga na Libertadores de 2011 e a situação de cada um no Campeonato Brasileiro, além das chances matemáticas de cada equipe:

1º – CRUZEIRO – 54 pontos
Chances de classificação: 97%

Próximos jogos

24/10 – Atlético-MG – João Havelange
30/10 – Grêmio-PP – Eduardo José Farah
3/11 – São Paulo – João Havelange
7/11 – Vitória – Barradão
14/11 – Corinthians – Pacaembu
21/11 – Vasco – João Havelange
28/11 – Flamengo – Engenhão
5/12 – Palmeiras – João Havelange

Mesmo com a derrota para o Grêmio, no domingo, o Cruzeiro vive a sua melhor fase no Brasileirão. É líder da competição a duas rodadas e tem um dos melhores jogadores da competição: o argentino Montillo. Dificilmente ficará de fora da Libertadores do ano que vem.

2° – FLUMINENSE – 53 pontos
Chances de classificação: 95%

Próximos jogos

24/10 – Atlético-PR – Arena da Baixada
28/10 – Grêmio – Engenhão
3/11 – Internacional – Beira-Rio
7/11 – Vasco – Engenhão
14/11 – Goiás – Engenhão
21/11 – São Paulo – Morumbi
28/11 – Palmeiras – Pacaembu
5/12 – Guarani – Engenhão

Liderou o campeonato durante muito tempo, mas as lesões de Emerson, Fred e Deco diminuíram o aproveitamento do time. No domingo, tinha a chance de chegar na liderança novamente com a derrota do Cruzeiro, mas empatou com o Botafogo. Com o G4 novamente, deve ficar com uma das vagas.

3° – CORINTHIANS – 50 pontos
Chances de classificação: 78%

Próximos jogos

24/10 – Palmeiras – Pacaembu
27/10 – Flamengo – Engenhão
3/11 – Avaí – Pacaembu
7/11 – São Paulo – Morumbi
14/11 – Cruzeiro – Pacaembu
21/11 – Vitória – Barradão
28/11 – Vasco – Pacaembu
5/12 – Goiás – Serra Dourada

Até sete rodadas atrás era o favorito ao título, mas as lesões de jogadores como Jorge Henrique e Chicão, além da saída do técnico Adilson Batista resultaram em um jejum de vitórias que dura até hoje. Com isso, o clube entrou em crise, e a torcida que apoiou o time no ano todo, protestou contra vários jogadores. Com o G4, fica com chances enormes de classificação.

4° – SANTOS – 48 pontos
CLASSIFICADO (Campeão da Copa do Brasil)

Próximos jogos

24/10 – Grêmio Prudente – Vila Belmiro
30/10 – Internacional – Beira-Rio
3/11 – Vitória – Vila Belmiro
7/11 – Atlético-MG – Sete Lagoas
14/11 – Grêmio – Vila Belmiro
21/11 – Goiás – Serra Dourada
28/11 – Avaí – Ressacada
5/12 – Flamengo – Vila Belmiro

Passou por uma grande turbulência após a saída de Dorival Júnior, mas retornou a briga com o interino Marcelo Martelotte. Porém, já tem a vaga para a Libertadores garantida por causa do título da Copa do Brasil.

5° – INTERNACIONAL – 47 pontos
CLASSIFICADO (Campeão da Libertadores 2010)

Próximos jogos

24/10 – Grêmio – Olímpico
30/10 – Santos – Beira-Rio
3/11 – Fluminense – Beira-Rio
7/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
14/11 – Avaí – Beira-Rio
21/11 – Botafogo – Engenhão
28/11 – Vitória – Beira-Rio
5/12 – Grêmio Prudente – Eduardo José Farah

Corre por fora na briga pelo título. No entanto, já conquistou a Libertadores esse ano, o que lhe garante a vaga do torneio continental de 2011. No final deste ano, ainda disputa o mundial em Dubai.

6° – ATLÉTICO-PR – 46 pontos
Chances de classificação: 36%

Próximos jogos

24/10 – Fluminense – Arena da Baixada
28/10 – São Paulo – Arena Barueri
4/11 – Palmeiras – Arena da Baixada
7/11 – Flamengo – Engenhão
14/11 – Grêmio Prudente – Arena da Baixada
24/11 – Grêmio – Olímpico
28/11 – Ceará – Castelão
5/12 – Avaí – Arena da Baixada

Cresceu de um tempo para cá e já está colado nos primeiros colocados. É muito forte jogando em casa, mas não mantém a regularidade longe de Curitiba. Com o G4, se torna um candidato forte também.

7° – GRÊMIO – 46 pontos
Chances de classificação: 40%

Próximos jogos

24/10 – Internacional – Olímpico
28/10 – Fluminense – Engenhão
4/11 – Goiás – Serra Dourada
7/11 – Ceará – Olímpico
14/11 – Santos – Vila Belmiro
21/11 – Atlético-PR – Olímpico
28/11 – Guarani – Brinco de Ouro
5/12 – Botafogo – Olímpico

O Grêmio cresceu depois da chegada do técnico Renato Gaúcho. O time, que estava beirando a zona de rebaixamento do campeonato, arrancou na tabela e já começa a colar nos líderes. Com a vitória sobre o Cruzeiro, no domingo, empatou em número de pontos com o Atlético-PR. Tem duelos diretos e em casa, o que pode ajudar a classificar para a Libertadores.

8° – BOTAFOGO – 45 pontos
Chances de classificação: 21%

Próximos jogos

23/10 – Vitória – Engenhão
30/10 – Atlético-MG – Arena da Jacaré
3/11 – Atlético-GO – Engenhão
7/11 – Avaí – Ressacada
14/11 – Ceará – Castelão
21/11 – Internacional – Engenhão
28/11 – Grêmio Prudente – Engenhão
5/12 – Botafogo – Olímpico

O Botafogo também esteve flertando com a liderança até algumas rodadas atrás, no entanto, uma sequência de empates fez com que o time caísse na tabela. Ainda está vivo na briga pela Libertadores.

9° – SÃO PAULO – 44 pontos
Chances de classificação: 16%

Próximos jogos

24/10 – Ceará – Castelão
28/10 – Atlético-PR – Arena Barueri
3/11 – Cruzeiro – João Havelange
7/11 – Corinthians – Morumbi
14/11 – Vasco – São Januário
21/11 – Fluminense – Morumbi
28/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
5/12 – Atlético-MG – Morumbi

Como acontece nos últimos, reacordou na reta final do Brasileirão após uma crise intensa. Desde a chegada de Paulo César Carpegiani o time se reencontrou e vem mantendo boas atuações. Domingo, quebrou um jejum de vitórias sobre o Santos e é um dos candidatos fortes a uma vaga na Libertadores.

10° – PALMEIRAS – 44 pontos
Chances de classificação: 14%

Próximos jogos

24/10 – Corinthians – Pacaembu
30/10 – Goiás – Arena Barueri
4/11 – Atlético-PR – Arena da Baixada
7/11 – Guarani – Arena Barueri
14/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
21/11 – Atlético-MG – Pacaembu
28/11 – Fluminense – Pacaembu
5/12 – Cruzeiro – João Havelange

Embora desminta publicamente, o Palmeiras já pensa sim em participar da Libertadores do ano que vem. O time não perde a sete jogos e cresceu muito de qualidade nas últimas rodadas. No entanto, não tem elenco suficiente. Sem Kleber, Valdivia e Marcos Assunção, a equipe fica sem peças de reposição. Talvez consiga a vaga por causa da Sul-Americana, já que Felipão é tradicionalmente um técnico copeiro.

11° – VASCO – 41 pontos
Chances de classificação: 2%

Próximos jogos

24/10 – Flamengo – Engenhão
30/10 – Vitória – Barradão
3/11 – Grêmio Prudente – São Januário
7/11 – Fluminense – Engenhão
14/11 – São Paulo – São Januário
21/11 – Cruzeiro – João Havelange
28/11 – Corinthians – Pacaembu
5/12 – Ceará – São Januário

É o time que tem menos chances. Empatou em muitos jogos que poderia ter vencido, como contra o Grêmio, em São Januário, semana retrasada. A tabela também não ajuda, já que enfrenta equipes do porte de Fluminense, Cruzeiro, São Paulo e Corinthians.

*Números do matemático Tristão Garcia

outubro 18, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , | Deixe um comentário

Assunção volta a marcar, mas Palmeiras só empata com o Ceará

Volante artilheiro coloca Alviverde na frente, na Arena Barueri, mas Geraldo anota de pênalti e consegue igualdade

Parecia ser uma reprise da partida do meio da semana, quando o Palmeiras enfrentou o Universitario de Sucre, pela Sul-Americana. Como no jogo na Bolívia, o Alviverde saiu na frente ainda no primeiro tempo, em cobrança de falta de Marcos Assunção, o especialista do time. Mas o Ceará resolveu mudar o roteiro final e mandou por água a esperança da torcida alviverde de encostar no G-3 do Brasileiro. Na noite deste domingo, na Arena Barueri, o 1 a 1 foi um castigo para o time paulista e um alento para o Ceará, que tenta se recuperar na competição – Geraldo anotou de pênalti.  

Mesmo com o empate, o Palmeiras segue com uma boa série no Brasileiro. Sem perder desde o dia 19 de setembro, quando foi derrubado pelo São Paulo no Pacaembu, o time de Luiz Felipe Scolari tem agora uma sequência de sete partidas sem derrotas – foram quatro vitórias e três empates. Os 44 pontos, porém, mantém o time na nona posição do Nacional.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Na próxima rodada o Palmeiras tem o clássico com o Corinthians, no domingo, Antes disso, a equipe decide a vaga às quartas de final da Sul-Americana com o Universitario de Sucre, também na Arena Barueri.

Já o Ceará, que tem 39 pontos na 12ª posição, recebe o São Paulo, domingo, no Castelão.

Na casa que assumiu como sua, o Palmeiras procurou pressionar logo de cara. No primeiro minuto de jogo, Marcos Assunção cobrou falta na lateral direita do campo e Lincoln só não alcançou a bola porque João Marcos chegou antes. Mas, com o passar do tempo, o Alviverde aparecia com mais posse de bola, mas sem aproveitar as oportunidades.

O Ceará, que só tinha Magno Alves como sua principal aposta, procurava fechar o meio-campo, tornando o jogo mais truncado. E o Palmeiras sentia a falta de Kleber e Valdivia, dupla que esteve fora do compromisso por ter recebido o terceiro amarelo na partida com o Botafogo.

Mas se faltava um Gladiador ou “magia” em campo, o Palmeiras se virou com outra especialidade: a bola parada. E na jogada que tem sido a salvação da equipe em muitas partidas – vide a vitória no meio da última semana, quando o time bateu o Universitario de Sucre, na Bolívia, por 1 a 0.

Pois quando Tinga sofreu falta próxima a grande área, os torcedores na Arena Barueri já se assanharam. Era a vez de Marcos Assunção, que ainda não havia arriscado um chute direto para o gol, começar todo o seu ritual. Meias, chuteira direita bem amarrada e alguns passinhos para trás e a torcida palmeirense já comemorava. Foi o oitavo gol do volante na temporada pelo clube. Foi o sétimo em cobranças de falta. A vitória começava a ser desenhada pelos pés do especialista, aos 45 minutos do primeiro tempo.

– É sempre assim. A mesma coisa. Os caras se jogam, o juiz dá falta e o Marcos Assunção bate – reclamou o meia Geraldo, do Ceará.

Ceará empata

Na segunda etapa, o Palmeiras seguiu com mais posse de bola, mas sem conseguir penetrar pela defesa do Ceará. E a emoção só vinha nas bolas paradas, com Marcos Assunção. Cansado e pendurado para o clássico com o Corinthians, marcado para o próximo domingo, o volante artilheiro foi sacado por Luiz Felipe Scolari para a entrada de Pierre. E saiu aplaudido.

O Ceará, por sua vez, continuava esticando as bolas para Magno Alves, mas sem sucesso. Em uma das poucas oportunidades que o time nordestino teve, Reina acertou a trave direita de Deola.

Depois que Assunção deixou a partida, o Palmeiras perdeu poder de fogo. E se lembrou com saudades de Kleber e Valdivia em campo. O 1 a 0 começou a ficar ameaçado. E logo se transformou em empate.

Magno Alves foi derrubado na área por Márcio Araújo e recebeu o pênalti. Geraldo cobrou no meio do gol e decretou o 1 a 1, acabando com as pretensões do Alviverde de encostar no G-3 do Nacional.

PALMEIRAS 1X1 CEARÁ
Deola, Márcio Araújo, Maurício Ramos (Fabrício), Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção (Pierre), Tinga, Rivaldo (Tadeu) e Lincoln; Dinei Michel Alves; Boiadeiro, Anderson, Fabrício e Vicente; Michel, Heleno (Vandinho), João Marcos, Geraldo e Jean Carlos (Reina); Magno Alves (Diego Sacomã)
Técnico: Luiz Felipe Scolari. Técnico: Dimas Filgueiras.
Gols: Marcos Assunção, aos 45 minutos do primeiro tempo. Geraldo, aos 37 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Gabriel Silva, Márcio Araújo e Dinei (Palmeiras). Michel e Heleno (Ceará)
Local: Arena Barueri. Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá. Auxiliares:Márcia Lopes Caetano (RO) e Luiz Muniz de Oliveira (RJ). Renda: R$ 186.628,00. Público: 8.257 pagantes.

outubro 17, 2010 Posted by | Ceará, Palmeiras | , | Deixe um comentário

Palmeiras e Ceará: invencibilidades em jogo

Enquanto verdão não perde a seis jogos no Brasileirão, Vozão sustenta quatro sem derrota

Sem os principais astros Kleber Gladiador e Mago valdivia, o Palmeiras recebe o Ceará no próximo domingo, às 18h30, na Arena Barueri, que agora á a nova casa do Verdão. Enquanto o time do técnico Luiz Felipe Scolari busca confirmar uma série de seis jogos sem perder no Campeonato Brasileiro, o Ceará também defende uma invencibilidade: quatro jogos.

Entretanto, Felipão não vei ter vida fácil para escalar o Verdão em busca do sétimo jogo sem derrota. Além de Kleber e Valdivia, que estão suspensos – o Mago também está lesionado -, o treinador palmeirense pode ter mais problemas para formar os 11 titulares.

Edinho, que desfalcou a equipe na partida cotnra o Unviersitário de Sucre, na Copa Sul-Americana, por uma indisposição estomacal, disse que está se recuperando e deve ficar à disposição, mas ainda é dúvida, assim como Pierre, que sentiu uma lesão no tornozelo esquerdo e não está 100%.

Maurício Ramos, que saiu de campo na quinta-feira reclamando de dores, não deve ser problema. No ataque, para o lugar da dupla de ídolos alviverdes, Felipão já indicou que deve escalar Lincoln e Dinei. No restante, a equipe deve ser a mesma que vem jogando nos últimos duelos.
Quatro jogos de invencibilidade, duas vitórias seguidas, distante da zona do rebaixamento e mais perto de brigar por uma vaga na Copa Sul-Americana, este é o time do Ceará que vai empolgado para enfrentar o Palmeiras. A equipe cearense, que não perdeu para o time alviverde no primeiro turno quando ficou no 0 a 0, no Castelão, contará com o retorno de três titulares.

O zagueiro Anderson e o volante Michel já cumpriram suspensão automática, enquanto o também volante João Marcos se recuperou de um problema muscular que o tirou do duelo contra o Goiás.

Por outro lado, o único desfalque é o centroavante Marcelo Nicácio. O jogador acabou sofrendo um edema no músculo posterior da coxa esquerda, na última terça-feira, foi vetado pelo departamento médico e ficará de molho por pelo menos dez dias. Para o seu lugar, o técnico Dimas Filgueiras ainda não sabe quem vai a campo.

No treino da quinta-feira, o meia Reina formou a dupla de ataque com Magno Alves. Só que no trabalho desta sexta, no Estádio Carlos de Alencar Pinto, o colombiano sofreu uma pancada no joelho direito e saiu de campo. Mas segundo os médicos do clube não foi nada de grave, tanto que o meio-campista viajou com a delegação. Com isso, Jean Carlos assumiu o posto. Assim, Dimas só deve confirmar o novo titular momentos antes do início da partida.

– Nós vamos jogar para vencer, como fazemos em todas as partidas. Temos de respeitar o Palmeiras, que é um grande time. Agora, se sairmos de lá com um pontinho será bem-vindo – afirmou o volante João Marcos.

FICHA-TÉCNICA:

PALMEIRAS X CEARÁ

Local: Estádio Arena Barueri, em São Paulo (SP)
Data e hora: 17 de outubro, às 18h30min (horário de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Assistentes: Márcia B. Lopes Caetano (RO) e Luiz A. Muniz de Oliveira (RJ)

CEARÁ: Michel Alves; Boiadeiro, Fabrício, Anderson e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Geraldo; Marcelo Nicácio e Reina (Jean Carlos). Técnico: Dimas Filgueiras.

PALMEIRAS: Deola, Márcio Araújo, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Rivaldo; Lincoln e Dinei. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

outubro 17, 2010 Posted by | Ceará, Palmeiras | , | Deixe um comentário

Ceará bate o Guarani e ganha força na briga por vaga na Sul-Americana

Vitória por 2 a 0, no Castelão, coloca o time cearense em boa posição para se garantir na competição internacional, enquanto Bugre liga o alerta

No duelo para saber quem ficaria mais tranquilo na disputa por uma vaga na Copa Sul-Americana, e consequentemente se afastaria mais da zona do rebaixamento, deu Ceará. Jogando em casa e demonstrando mais consistência ofensiva do que o adversário, o time alvinegro conseguiu a segunda vitória seguida no Brasileirão, com gols do meia Geraldo e do lateral Boiadeiro. Com o resultado, a equipe alvinegra subiu para a 11ª posição com 38 pontos. Já o Guarani, que não vence há quatro rodadas, está no limite dos clubes classificados para a Sul-Americana e apenas cinco pontos distante na zona da degola. O time alviverde permaneceu na 13ª colocação com 34 pontos.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

No próximo domingo, o Ceará vai enfrentar o Palmeiras, na Arena Barueri, enquanto o Guarani recebe o Corinthians, no estádio Brinco de Ouro.

Geraldo-100 abre vantagem

O Ceará procurou tomar a iniciativa de atacar com velocidade desde o início do confronto, principalmente pelo lado direito com as subidas de Boiadeiro à frente. Do outro lado, o Guarani fez de tudo para não ficar preso no campo de defesa, e nos primeiros minutos até conseguiu equilibrar as ações com as investidas de Mazola. Armado no esquema 3-5-2, o time da casa deixou os seus alas mais soltos para apoiar, enquanto os visitantes, no 4-4-2, tinham dificuldades para superar os três zagueiros adversários.

Aos 15min, o equilíbrio inicial começou a ser quebrado. Pela esquerda, Marcelo Nicácio enfiou boa bola na área para Geraldo, que chutou para as redes na saída do goleiro Douglas. Para delírio da torcida no Castelão, o meia cearense balançou as redes no seu centésimo jogo com a camisa do clube.

A única boa opção de ataque da equipe de Campinas era Mazola, que deu trabalho para o zagueiro Pablo. Como o jovem defensor já tinha cartão amarelo, o técnico Dimas Filgueiras preferiu tirá-lo por precaução, colocando em campo Herivélton. Outra vez pela direita, o Ceará quase ampliou com Nicácio, que perdeu boa chance após cruzamento de boiadeiro.

Mas aos 43min, em cobrança de falta sofrida por Geraldo, Boaideiro acertou o ângulo e decretou 2 a 0 no marcador

Nada mudou

O Guarani até que tentou adotar uma postura mais corajosa na segunda etapa, sempre explorando a velocidade de Mazola pela ponta esquerda. No intervalo, o técnico Vágner Mancini trocou o lateral-direito Rodrigo Heffner e o meia Diego Barboza por Apodi e Maycon. Mas o ímpeto ofensivo campineiro foi esfriado pela dedicação defensiva dos cearenses.

Com a vantagem no marcador, o Ceará tentou tocar a bola e gastar o tempo. Marcelo Nicácio, que articulou boas jogadas sempre que saiu da área, deixou o campo para a entrada de Washington, que jogou mais preso lá na frente para tentar o gol que definiria a partida.

O confronto ficou embolado e pegado no meio-campo, com poucas oportunidades de gol, além de sete cartões amarelos no total (quatro para cada lado). Na melhor chance dos visitantes, o goleiro Michel Alves fez boa defesa em finalização de Apodi. Mas o resultado final acabou sendo definido mesmo com os gols do primeiro tempo: 2 a 0 para o Ceará, que ganhou força na briga por uma vaga na Sul-Americana.

CEARÁ 2 X 0 GUARANI
Michel Alves; Diego Sacoman, Fabrício e Pablo (Herivélton); Boiadeiro, Heleno, Careca, Geraldo e Vicente; Magno Alves (Reina) e Marcelo Nicácio (Washington). Douglas; Rodrigo Heffner (Apodi), Fabão, Aílson e Fabiano (Márcio Careca); Renan, Paulo Roberto, Mário Lúcio e Diego Barboza (Maycon); Reinaldo e Mazola
Técnico: Dimas Filgueiras Técnico Vágner Mancini
Gols: Geraldo, aos 15min e Boiadeiro, aos 43min do 1º tempo.
Cartões amarelos: Diego Sacoman, Pablo, Vicente, Washington (Ceará), Rodrigo Heffner, Renan, Aílson e Mário Lúcio (Guarani).Cartão vermelho: Não houve.
Estádio: Castelão, em Fortaleza (SC). Árbitro: Paulo Bezerra (SC).Auxiliares: Luiz Kallenberger (SC) e Nadine Santos (SC)

 

 

 

 

outubro 10, 2010 Posted by | Ceará, Guarani | | Deixe um comentário

Ceará abafa esperança colorada: 1 a 0 no Castelão

Inter sofre com desfalques, joga mal e perde chance de se aproximar da liderança do Brasileirão

Era para ser uma rodada perfeita para o Inter. Não foi. O Colorado, fragilizado pela ausência de mais de metade do time titular, levou 1 a 0 do Ceará na noite desta quarta-feira, em Fortaleza. No mesmo dia em que Fluminense e Corinthians foram derrotados, o time gaúcho jogou no lixo a chance de colar nos líderes do Campeonato Brasileiro. Bom para a equipe nordestina, que encerrou a série de seis partidas sem vitórias e ganhou corpo no grupo de classificados para a Sul-Americana.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Heleno, no início do segundo tempo, fez o gol da vitória do Vovô. O resultado alçou o Ceará para 35 pontos, na 12ª colocação. O Inter ficou estagnado na quarta posição, com 44. Está mantida a distância de oito pontos do time vermelho para o Fluminense, líder do Brasileirão.

As duas equipes voltam a campo no domingo. O Ceará recebe o Guarani no Castelão, e o Inter pega o Atlético-MG no Beira-Rio.

Foi de bocejar. Ceará e Inter oscilaram entre o quase nada e o muito pouco no primeiro tempo. O time de casa foi o exemplo mais claro possível da ruindade dos primeiros 45 minutos: não teve uma chance sequer. O Colorado até criou uma ou outra oportunidade. E as desperdiçou.

O Inter teve que se redesenhar para a partida. Do quinteto de meio-campo, o único titular foi Guiñazu. Andrezinho, Edu e Marquinhos formaram a linha de articulação, mas sem a qualidade de figuras como Giuliano e D’Alessandro. O Colorado ficou mais pobre. Mesmo assim, criou mais.

O primeiro tempo esteve nos pés, no peito e na cabeça de Alecsandro. O centroavante teve três chances: na primeira, não conseguiu alcançar ótimo lançamento de Andrezinho; na segunda, completou para fora, em cabeceio, passe preciso de Nei (veja no vídeo acima); na terceira, deixou a bola escapar ao tentar matar no peito um cruzamento de Edu. Andrezinho, em duas cobranças de falta, também tentou, assim como Marquinhos, em chute cruzado. Em vão.

O intervalo fez bem ao Ceará. O Vovô voltou a campo mais encorpado no segundo tempo. Conseguiu dominar um espaço mais avançado do campo e, assim, incomodou o Inter. Heleno só precisou de uma chance para colocar o time alvinegro na frente. Com seis minutos, recebeu de Boiadeiro e mandou uma pancada da entrada da área. O voo de Renan foi inútil. A bola explodiu na rede: 1 a 0 para o Ceará (veja no vídeo ao lado).

O gol não serviu como despertador para o Inter. A entrada de Leandro Damião no lugar de Marquinhos surtiu pouco efeito prático. Com a criação resumida à correria de Guiñazu e aos passes de Andrezinho, o time de Celso Roth foi frágil. Quando teve a chance de empatar, falhou. Alecsandro, pela direita, cruzou para Damião, que não alcançou. A bola sobrou para Edu, e o meia-atacante mandou por cima, com o gol aberto, a centímetros da linha. Perdeu a oportunidade mais viva da partida.

As duas equipes pouco fizeram depois disso. O Ceará cozinhou o jogo, ficou na dele, atacou só na boa. O Inter foi um deserto. Nada de criatividade. A entrada de Ilan representou uma última esperança, mas vã. Os visitantes ficaram restritos a lançamentos lotéricos para a área, na expectativa de algum cabeceio salvador. Não deu certo, e a aproximação vermelha foi freada pelo Ceará.

CEARÁ X INTERNACIONAL
Michel Alves, Boiadeiro, Anderson, Fabrício e Vicente; Heleno, Michel, João Marcos e Reina (Careca); Magno Alves (Misael) e Marcelo Nicácio (Jean Carlos). Renan, Daniel, Sorondo, Bolívar e Nei; Glaydson, Guiñazu, Andrezinho, Edu (Oscar) e Marquinhos (Leandro Damião); Alecsandro (Ilan).
Técnico: Dimas Filgueiras Técnico: Celso Roth
Estádio: Castelão. Data: 6 de outubro. Árbitro: Wilton Sampaio (DF).Auxiliares: Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Carlos Emanuel Manzolillo (DF).
Gols: Heleno, aos seis minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Sorondo, Guiñazu, Glaydson e Andrezinho (Inter); Heleno, Anderson, João Marcos, Michel e Jean Carlos (Ceará).

 

outubro 7, 2010 Posted by | Ceará, Internacional | | Deixe um comentário

Ceará encara um Internacional muito desfalcado

Recheado de jovens como Oscar e Marquinhos, Colorado ainda sonha com o título do Brasileirão

LANCEPRESS!

A gordura que tinha acumulado para queimar acabou. Por isso, o Ceará sabe que só uma vitória em cima do Internacional, nesta quarta-feira, às 22h, no Castelão, pode fazer com que o time se distancie da zona do rebaixamento e recupere o prestígio com o torcedor, que anda preocupado.

Apesar da equipe alvinegra estar em 13º lugar com 32 pontos, mais perto da grupo da Sul-Americana do que da degola, vencer nos últimos tempos tem sido uma árdua tarefa. Para se ter uma ideia, das últimas 20 partidas no Brasileiro, o Vozão só saiu vitorioso em duas.

E sem ganhar há seis rodadas, os jogadores do Ceará sabem que do outro lado terão pela frente um adversário experiente e querendo aumentar esse jejum.

– O Inter é uma equipe de muita qualidade, campeã da América e dona de um dos melhores elencos do Brasil. Precisamos respeitar, assim como respeitamos todos os times que enfrentamos aqui dentro de casa, mas nosso pensamento é sair de campo com os três pontos – afirmou o atacante Marcelo Nicácio.

Para quebrar a sequencia negativa de resultados, o time cearense não poderá contar com o meia Geraldo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Em seu lugar, o técnico Dimas Filgueiras faz mistério, mas deverá promover a estreia do colombiano Reina. Essa será a única mudança em relação ao jogo contra o Timão.

– Independente de estar ou no grupo titular, o Ceará é um grupo forte e tem de fazer o dever de casa – comentou o meia, de 21 anos, que ficou mais de dois meses treinando esperando sua regularização trabalhista.

Internacional

No Internacional, os desfalques não param. O zagueiro Índio tem uma lesão muscular na coxa esquerda; o volante Wilson Matias tem o mesmo problema, só que na coxa direita.

Outro que está fora do jogo desta quarta é o meia Tinga. Os três devem ficar fora também da partida contra o Atlético-MG, no fim de semana.

O meia D’Alessandro, no Japão com a Argentina, também não joga. Além desses, também desfalcam a equipe o lateral-esquerdo Kleber, desgastado fisicamente, e o meia Giuliano, convocado por Mano Menezes para a Seleção Brasileira.

Por outro lado, o zagueiro Sorondo, que deixou a partida contra o Guarani com dores no púbis, melhorou e está confirmado ao lado de Bolívar na zaga. No meio de campo, a tendência é a de que Marquinhos comece entre os onze.

As novidades ficam por conta do jovem meia Oscar, que veio do São Paulo e do atacante Ilan, contratado há pouco mais de um mês.

Ambos foram relacionados para a partida. Com tantos problemas, o técnico colorado, Celso Roth, deve improvisar o lateral-direito Nei no lado esquerdo.

– Essa versatilidade sempre me ajudou. Atuando na lateral esquerda, na direita, no meio. No Atlético-PR (2007), atuei nas primeiras 16 partidas como lateral-esquerdo – contou Nei.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ X INTERNACIONAL

Estádio: Castelão, em Fortaleza (CE)
Data/hora: 6/10/2010, às 22h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: César Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Carlos Emanuel Manzolillo (DF).

CEARÁ: Michel Alves, Boiadeiro, Fabrício, Anderson e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Reina; Marcelo Nicácio e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras.

INTERNACIONAL: Renan, Daniel, Bolívar, Sorondo e Nei; Guiñazu, Glaydson, Edu, Andrezinho e Marquinhos; Alecsandro.
Técnico: Celso Roth.

outubro 5, 2010 Posted by | Ceará, Internacional | , | Deixe um comentário

Defederico salva o Corinthians da derrota para o Ceará no Pacaembu

Depois de estar perdendo por 2 a 0, Timão busca igualdade com gol do argentino, mas chega ao terceiro jogo sem vencer no Brasileirão 2010

O resultado não foi dos melhores, mas o Corinthians somou neste sábado um ponto importante na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Depois de estar perdendo por dois gols de diferença, o Timão suou a camisa para empatar por 2 a 2 com o Ceará, no Pacaembu, e seguir vivo na competição. Marcelo Nicácio e Magno Alves marcaram para o Vovô, mas Paulinho e Defederico, que saiu do banco de reservas, deixaram tudo igual.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

A festa da Fiel pela reação da equipe camufla o momento instável vivido pelo Alvinegro paulista no torneio. Foi o terceiro tropeço consecutivo – antes, perdeu para o Inter e empatou com o Botafogo. A diferença para o líder Fluminense segue de três pontos graças ao empate dos cariocas com o lanterna Grêmio Prudente, no interior de São Paulo. O Corinthians tem ainda um jogo a menos, a ser disputado em 13 de outubro, contra o Vasco, em São Januário.

Já o Ceará segue em situação perigosa. O Vovô sobe para 32 pontos, mas acumula agora seis rodadas sem vencer. De quebra, se aproxima perigosamente da zona do rebaixamento

O Corinthians volta a campo na próxima quarta-feira para enfrentar o Atlético-MG, às 22h, na Arena Jacaré, em Sete Lagoas-MG. No mesmo dia e horário, o Ceará recebe o Internacional, no Castelão, em Fortaleza.

Timão joga mal, e Nicácio coloca o Ceará em vantagem

A retranca esperada pelo Corinthians aconteceu. Desde o primeiro minuto, o Ceará recuou todos os seus jogadores para trás da linha do meio de campo. Coube ao Timão procurar espaços em jogadas individuais. Jorge Henrique, aos sete, foi o primeiro a arriscar. Ele aplicou lindo drible sobre um marcador e serviu Bruno César livre na área. O chute, porém, saiu fraco e Michel Alves pegou no canto direito.

Elias fez muita falta. A rápida ligação do meio para o ataque não apareceu nos pés de Paulinho. Jucilei atuou aberto pela direita, enquanto Edu fez a função de cabeça de área e rendeu muito pouco. O Alvinegro também sentiu a ausência de Ralf, cão de guarda da defesa. Prova disso foi o gol do Ceará, aos 16. Em contra-ataque, Mago Alves disparou e esperou o momento certo para encontrar no meio o centroavante Marcelo Nicácio, que só tocou na saída de Julio Cesar.

A má atuação irritou a torcida, presente em grande número ao Pacaembu. Edu era o principal alvo das vaias. Lento, não conseguiu encaixar a marcação sobre Geraldo, Magno Alves e Marcelo Nicácio. O último, aliás, quase fez um golaço, aos 30, ao driblar dois adversários e da entrada da área bater com muito perigo no canto direito. A resposta veio aos 33, com Iarley chutando fraco sem marcação na área.

Corinthians sufoca e chega ao empate
No segundo tempo, Adilson Batista tentou dar mais criatividade ao Corinthians. Edu saiu para a entrada de Danilo. Jucilei passou a fazer a função de primeiro volante, com Paulinho um pouco mais avançado. Apesar da troca, o Timão continuou sem força no meio. Fechado, o Ceará construiu uma barreira em sua intermediária e não permitiu que Iarley fosse acionado na área.

Com a dificuldade, o Corinthians passou a procurar o jogo pelos lados. Thiago Heleno, aos 13, obrigou Michel Alves a fazer linda defesa após cabeçada em cobrança de escanteio. Logo em seguida, foi a vez de Jucilei assustar. Ele disparou de trás, passou por dois adversários e cruzou ao invés de chutar. Ninguém apareceu para completar.

O desespero fez o Corinthians cometer os mesmos erros defensivos da rodada passada. A equipe se abriu e deu espaços para o Ceará levar perigo. Assim, aos 20, Magno Alves recebeu pela esquerda, encarou a marcação e bateu com precisão no canto direito: 2 a 0. E poderia ter sido mais. Logo em seguida, Vicente perdeu gol certo de frente para Julio Cesar.

Apesar do duro golpe, o Timão respondeu imediatamente, aos 25, enchendo o Pacaembu de esperança outra vez. Bruno César fez bela jogada pelo meio e lançou para Paulinho dar um belo toque por cobertura, sem chances para Michel Alves. Aos 33, os corintianos reclamaram de um puxão de Heleno em Iarley na área. Heber Roberto Lopes nada marcou.

O empate corintiano veio aos 37. Defederico cobrou falta direta para a área e a bola entrou no canto direito de Michel Alves. Delírio da Fiel no Pacaembu. A partir disso, o Corinthians arriscou tudo para buscar a virada, que não veio. O Ceará também teve sua chance, aos 43, com Jean Carlos chutando para o alto de frente para Julio Cesar. Moacir, no lance seguinte, quase marcou no ângulo direito de Michel Alves.

CORINTHIANS 2 X 2 CEARÁ
Julio Cesar, Alessandro (Defederico), Thiago Heleno, Paulo André e Roberto Carlos; Edu (Danilo), Jucilei, Paulinho e Bruno César; Jorge Henrique (Moacir) e Iarley. Michel Alves, Boiadeiro, Anderson, Fabrício e Vicente; Michel, Heleno, João Marcos e Geraldo (Careca); Magno Alves (Misael) e Marcelo Nicácio (Jean Carlos).
Técnico: Adilson Batista. Técnico: Dimas Filgueiras.
Gols: Marcelo Nicácio, aos 16 minutos do primeiro tempo. Magno Alves, aos 20, e Paulinho, aos 25, e Defederico, aos 37 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Geraldo (Ceará).
Local: Pacaembu, em São Paulo. Data: 02/10/2010. Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR). Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Bruno Boschilia (PR).

outubro 2, 2010 Posted by | Ceará, Corinthians | | Deixe um comentário

Para seguir na briga, Timão pega o Ceará

Após empatar em cara e ver o Fluminense na liderança, Corinthians quer retomar a ponta

LANCEPRESS!

Para provar que continua firme como um dos favoritos ao título do Campeonato Brasileiro, o Corinthians enfrenta nesta sábado o Ceará, no Pacaembu.

Após perder para o Internacional no Beira-Rio e não conseguir sair do empate diante do Botafogo no Pacaembu, a equipe de Adilson Batista viu o Fluminense retomar a ponta da competição. Apesar de ainda ter um jogo a menos no Brasileirão, o Corinthians deseja voltar à primeira colocação.

Mesmo com a colocação do adversário em uma posição não muito confortável na tabela – o Ceará é o 14º colocado – Adilson Batista quer a partida encara com respeito, já que é uma oportunidade de encostar no líder.

– (O campeonato) Está afunilando, não dá pra perder ponto contra esse ou aquele. Existe o respeito pelo Ceará, temos de jogar concentrados. Temos de igualar, encostar no Fluminense e, nas últimas rodadas, temos de ter atenção – disse o comandante Adilson Batista.

Além dos desfalques certos como Dentinho, Chicão e Ronaldo, paaara compor sua equipe, o treinador terá mais duas ausências: Elias, recebeu o terceiro cartão amarelo, cumpre suspensão e só volta ao time quando retornar da Seleção Brasileira e Ralf voltou a sentir dores no tornozelo e ficará ao menso 30 dias sem atuar pelo Timão.

Na mesma linha que mantém desde que chegou ao Corinthians, Adilson Batista segue com o mistério da escalação da equipe até a hora da partida.

– Eu tenho opções, mas já decidi. Amanhã vocês (jornalistas) vão saber quem joga. Pode ser dois meias, a mesma trinca de volantes… Eu já sei – limitou-se.

– Os jogadores sabem quem vai jogar. A ideia é deixar o outro lado sem saber. É uma coisa interna, não pode dar mastigado. Já sei o que vou fazer para a gente ter um equilíbrio e força – explicou.

Se fosse só por enfrentar o vice-líder do Campeonato, o desafio já seria considerado enorme. Mas o Ceará tem pela frente bem mais do que um adversário brigando pelo título do Brasileiro.

Em 14º lugar com 31 pontos, os cearenses estão a cinco partidas sem vencer, e olhe que nessas partidas só marcaram um gol, diante do até então vice-lanterna Goiás. Se não bastasse, nas últimas 18 partidas saiu de campo apenas com dois triunfos. Além disso, não vence um jogo fora de casa desde o período pré-copa, em 6 de junho, quando bateu o Atlético-MG, no Mineirão por 1 a 0. Para piorar a situação, nunca na história dos confrontos contra o Corinthians conseguiu ganhar dentro de São Paulo.

Mesmo assim, o elenco do Vozão embarcou esperançoso e confiante de que pode surpreender o time do lateral-esquerdo Roberto Carlos.

– No Brasileirão é assim. Estamos sempre encarando jogos difíceis a cada rodada. Vamos enfrentar o vice-líder da competição, mas sabemos da nossa qualidade e acreditamos em um bom resultado – declarou o goleiro Michel Alves, que não descartou o empate um mau negócio.

Para o duelo, o técnico interino Dimas Filgueiras pode contar com o retorno do seu xerife da zaga, Fabrício. Recuperado de uma contusão no tornozelo, o camisa 3 alvinegro é a principal novidade entre os titulares, depois de cinco jogos ausente. Entre as opções do banco, o treinador do Vovô ainda pode promover a estréia de dois atletas: o meia Javier Reina e o atacante Jean Carlos.

O colombiano, apresentado como reforço do clube há mais de dois meses, enfim foi regularizado e tem grandes chances de entrar logo de início. Enquanto Jean Carlos, que chega do futebol russo e também há um bom tempo esperava a primeira chance, deve ser opção para o segundo tempo. Já o zagueiro Diego Sacoman está fora do jogo, devido a uma clausula que o impede de enfrentar o Timão, dono dos seus direitos federativos.

FICHA-TÉCNICA
CORINTHIANS X CEARÁ

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data e hora: 2/10/2010, 16h
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Assistentes: Gilson Bento Coutinho (PR) e Bruno Boschilia (PR)

CORINTHIANS: Julio Cesar, Alessandro, Paulo André, William e Roberto Carlos; Boquita (Edu), Jucilei, Paulinho e Bruno César; Jorge Henrique e Iarley. Técnico: Adilson Batista.

CEARÁ: Michel Alves; Boiadeiro, Fabrício, Anderson e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Geraldo; Marcelo Nicácio (Reina) e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras.

outubro 2, 2010 Posted by | Ceará, Corinthians | , , | Deixe um comentário