Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

De virada, Avaí vence São Paulo e vai às semis da Copa do Brasil

Leão da Ilha saiu perdendo por 1 a 0, mas conseguiu a vitória por 3 a 1 e se prepara para enfrentar o Vasco nas semis

No jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, o Avaí venceu o São Paulo por 3 a 1 na noite desta quinta-feira, na Ressacada. Com isso, a equipe de Santa Catarina avança às semifinais da competição nacional. E vai enfrentar o Vasco na sequência do torneio.

O Leão da Ilha entrou em campo precisando de uma vitória por dois gols de diferença, já que perdeu o primeiro jogo por 1 a 0. O São Paulo marcou gol logo aos 15 minutos e deixou o Avaí na posição de ter de fazer três gols. E o time da casa assim o fez.

Na sequência da Copa do Brasil, o Avaí enfrenta o Vasco nas semifinais. O Alvinegro carioca empatou em 1 a 1 com o Atlético Paranaense. O jogo de ida das semis será no próximo dia 18. Já a partida de volta acontece no próximo dia 25.

O São Paulo agora se prepara para a sua estreia no Campeonato Brasileiro, no próximo dia 22, diante do Fluminense, em São Januário.

No jogo, o São Paulo sofreu com os cruzamentos do Avaí em direção à área. Apesar de sair ganhando no primeiro tempo, em 15 minutos o Tricolor levou a virada. Na segunda etapa, o Avaí marcou logo aos 30 segundos de jogo, o São Paulo então pressionou, mas não conseguiu diminuir.

Só na bola aérea

No primeiro tempo, o jogo foi de muita marcação e velocidade. Sem a bola, a equipe do Avaí ficou apenas com William à frente, e o meio de campo com seis jogadores, congestionando as ações ofensivas do São Paulo. Os dois homens de frente do Tricolor – Dagoberto e Fernandinho – foram contidos pelos alas catarinenses e Lucas foi seguido de perto por Marcinho Guerreiro.

Para acompanhar a velocidade são-paulina, contudo, o Avaí teve que recorrer às faltas. E foi uma delas que gerou o gol de cabeça de Casemiro, aos 15 minutos. A desvantagem maior “acordou” o Leão, que foi para cima.

No minuto seguinte ao tento tricolor, William empatou após bom cruzamento de Estrada pela esquerda. O time se lançou ao ataque e passou a ter mais volume de jogo que o São Paulo. Aos 30, com Bruno, veio a virada avaiana.

Sempre nas bolas aéreas as duas equipes tentavam chegar. Pelo lado do Avaí, o meia Marquinhos, que jogou após obter efeito suspensivo, infernizou a área são-paulina com cobranças fechadas de escanteio. O camisa 10 do time catarinense foi o melhor em campo.

Susto e pressão são-paulina

Logo aos 30 segundos da segunda etapa, o Avaí chegou ao terceiro gol, com Marquinhos Gabriel.Tento que daria a classificação à equipe comandada por Silas.

Após o “gol da eliminação”, o São Paulo se lançou ao ataque e teve duas chances claras de gol. Carpegiani abriu mão dos três zagueiros e substituiu Xandão por Henrique. Deu certo: o Tricolor passou a pressionar mais o time do Avaí, que recuou no jogo e passou a apostar nos contra-ataques.

Taticamente, os alas avaianos demonstraram muita disposição. Sem a bola, eles ficavam ao lado da grande área e davam combate aos jogadores são-paulinos. O São Paulo trocava passes na intermediária, mas teve dificuldade em criar chances concretas. A marcação avaiana estava sempre em cima.

A pressão são-paulina acabou por arrefecer na sequência do segundo tempo e o Avaí conseguiu segurar o resultado e a classificação. Carpegiani ainda substituiu Marlos, que entrou no segundo tempo, por Willian, mas sem resultado prático.

No fim da partida, Acleisson cobrou falta com muita força e a bola explodiu na trave de Rogério Ceni. O Tricolor tentou pressionar, mas o time catarinense se segurou bem e garantiu a vaga.

FICHA TÉCNICA:
AVAÍ 3 X 1 SÃO PAULO

Estádio: Ressacada, em Florianópolis (SC)
Data/hora: 12/5/2011 – 21h50
Árbitro:  Marcio Chagas da Silva
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison e José Eduardo Calza 

Renda/público:  Não disponíveis
Cartões amarelos: Estrada, Romano e Diogo Orlando (AVA); Juan (SPO)
Cartões vermelhos: Nenhum.
GOLS: Casemiro, 15’/1ºT (0-1); William, 16’/1ºT (1-1); Bruno, 30’/1ºT (2-1); Marquinhos Gabriel, 30”/2ºT (3-1)

AVAÍ: Renan; Revson, Bruno, Gustavo Bastos; Diogo Orlando, Marcinho Guerreiro, Estrada (Acleisson, 8’/2ºT), Marquinhos (Maurício Alves, 28’/2ºT) e Romano (Marquinhos Gabriel, 31’/1ºT); Julinho e William. Técnico: Silas

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Xandão (Henrique, 5’/2ºT), Alex Silva e Rhodolfo; Jean, Casemiro, Carlinhos Paraíba, Lucas e Juan; Fernandinho (Marlos, intervalo) (Willian, 37’/2ºT) e Dagoberto. Técnico: Paulo César Carpegiani.

maio 13, 2011 Posted by | Avaí, São Paulo | , | Deixe um comentário

Botafogo empata e é eliminado da Copa do Brasil

Alvinegro vencia até os 42 minutos do segundo tempo. Após apito final, houve briga generalizada entre os jogadores

Na noite desta quarta-feira, o Botafogo empatou em 1 a 1 com o Avaí, em Florianópolis, e está eliminado da Copa do Brasil. A equipe vencia por 1 a 0 até os 42 minutos do segundo tempo, mas cedeu o empate após um pênalti cometido por Lucas. Após o apito final, houve uma confusão generalizada entre os jogadores, que chegaram às vias de fato.

O JOGO

Mesmo podendo empatar em 0 a 0 ou 1 a 1, o Avaí mostrou que não estava para brincadeira: logo aos cinco minutos de jogo, Marquinhos deu uma caneta em João Filipe pela esquerda, e cruzou para Rafael Coelho, que cabeceou mal, e por cima do travessão.

O Fogão respondeu pouco depois com Herrera. O atacante alvinegro invadiu a área pelo lado direito, levou a bola para a perna esquerda, mas chutou para fora, desperdiçando boa chance de abrir o marcador na Ressacada.

A partir daí, o Botafogo cresceu na partida, e passou a criar mais chances de perigo. Aos 25, Cortês progrediu pelo lado esquerdo e tentou cruzar. A bola bateu na defesa e carimbou a trave direita de Renan.

No minuto seguinte, Marcelo Mattos soltou uma bomba de longe, e a bola passou por cima do gol. Os donos da casa reagiram, e William quase encobriu Jefferson com uma cabeçada, mas o goleiro do Botafogo apareceu bem.

O Avaí voltou a levar perigo em um chute de longa distância, de Marquinhos, mas a bola saiu por cima. Já mais perto do intervalo, novamente o Botafogo criou boa oportunidade. Após cobranã rápida de falta, Abreu lançou Cidinho, que bateu para fora.

Logo na volta do intervalo, Abreu concluiu mal após bela jogada de ataque que passou pelos pés de Cidinho e Herrera. O uruguaio teve liberdade pela direita da área, e bateu cruzado, mas muito desviado. Os donos da casa, por sua vez, não criavam oportunidades muito claras, mas souberam ter a posse de bola.

Aos 28 minutos, o torcedor alvinegro finalmente conseguiu soltar o grito de alívio: Herrera recebeu livre pela direita da área, o goleiro Renan saiu em seus pés, e o derrubou. Na sobra, Loco Abreu apenas tocou para o gol vazio, abrindo o marcador para o Botafogo.

Mas o sofrimento alvinegro estava só começando, e os botafoguenses ainda teriam que passar sufoco nos minutos seguintes. Logo após o gol, Fahel falhou e permitiu que Rafael Coelho ficasse sozinho na pequena área. O atacante avaiano bateu, com pouco ângulo, e Jefferson fez uma bonita defesa, já caído.

O time da casa foi para o desespero, e chegou a ter um pênalti não marcado. Arévalo Rios derrubou Julinho na grande área, e o árbitro Ricardo Marques Ribeiro nada marcou, mesmo com os protestos dos jogadores do Avaí. Pouco depois, a defesa alvinegra voltou a cometer o mesmo erro, quando Lucas derrubou o colombiano Estrada na área. Desta vez, pênalti marcado.

Na cobrança, William bateu com categoria, deslocando Jefferson, e empatou a partida. Na sequência, o técnico Caio Junior reclamou da marcação do pênalti, e acabou expulso pelo árbitro. Despedida melancólica do Botafogo na Copa do Brasil. Depois do jogo, os jogadores das duas equipes trocaram agressões, protagonizando cenas lamentáveis. O alvinegro Herrera e o avaiano Marquinhos eram os mais exaltados. Este último teria provocado os alvinegros após o fim do jogo, o que teria motivado a confusão.

FICHA TÉCNICA
AVAÍ 1X1 BOTAFOGO
Data/horário: 20/4/2011 – 19h30min
Estádio: Ressacada, em Florianópolis (SC)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)

Gols:
Loco Abreu, 28’/2ºT (0-1), William, 42’/2ºT (1-1)

Avaí: Renan; Bruno, Cássio, Gian e Felipe (Evando, 36’/2ºT); Marcinho Guerreiro, Diogo Orlando (Marquinhos Gabriel, 30’/2ºT), Marquinhos e Julinho; Rafael Coelho (Estrada, 41’/2ºT) e William. Técnico: Silas.
Botafogo: Jefferson; Lucas, Fahel, João Filipe (Everton, 17’/2ºT) e Cortês; Arévalo Ríos, Lucas Zen, Marcelo Mattos e Cidinho (Caio, 28’/2ºT); Herrera (Somália, 32’/2ºT) e Loco Abreu. Técnico: Caio Junior.

Cartões amarelos:
Avaí – Diogo Orlando, Julinho, Bruno e Estrada
Botafogo – Herrera e Lucas

abril 20, 2011 Posted by | Avaí, Botafogo | | Deixe um comentário

Bota é surpreendido pelo Avaí no Engenhão

Glorioso começou perdendo por 2 a 0, mas conseguiu o empate. Avaí, agora, tem a vantagem de definir na Ressacada

As cadeiras azuis vazias no Engenhão devem ter assustado os jogadores do Botafogo nesta quarta-feira. O estádio dava até impressão de uma grande presença da torcida do Avaí, que tem a cor em seu uniforme. O time catarinense até entrou no clima e abriu 2 a 0 com apenas 21 minutos de jogo. Mas o Glorioso correu atrás e empatou sob protestos da torcida. No final, o 2 a 2 ficou melhor para os visitantes, que decidem a classificação para as quartas de final em casa.

Avaí surpreende com 2 a 0, mas Bota corre atrás do prejuízo

O Avaí parecia bem à vontade no início do primeiro tempo. Com o Botafogo errando muitos passes, os visitantes trataram de aproveitar. Logo aos 13, João Filipe errou na saída e a bola sobrou para Marquinhos Gabriel. O camisa 10 encontrou William na entrada da área e o atacante, ex-Santos, bateu certeiro, no ângulo de Jefferson, abrindo o placar.

Bastou um gol para que os poucos alvinegros presentes ao Engenhão iniciassem as vaias. Mas eles não esperavam que teriam mais motivos para protestar. Explorando as duas pontas, já que os laterais botafoguenses marcavam mal, o Avaí chegou novamente aos 21. Mais uma vez Marquinhos Gabriel. Desta vez ele cruzou na cabeça de Rafael Coelho. O ex-jogador do Vasco cabeceou bonito, no contrapé de Jefferson, aumentando o inferno-astral carioca.

Mas os gritos de Caio Junior após o segundo gol pareceram ter acordado os jogadores. Tanto que, apenas um minuto depois, Caio passou por dois marcadores na esquerda e cruzou forte para o meio da área e o argentino Herrera completou para o fundo das redes.

Pouco depois, o comandante botafoguense fez a primeira substituição. O lateral-esquerdo Márcio Azevedo foi o escolhido e saiu de campo debaixo de sonoras vaias. Em seu lugar, Cortês, ex-Duque de Caxias, que fez sua estreia.

Após início apagado, os donos da casa tomaram controle do jogo. Em chute forte de fora da área, Alessandro assustou o goleiro Renan. Pressionando, o Alvinegro conseguiu, aos poucos, o apoio da torcida de volta.

A pressão surtiria efeito no final do primeiro tempo, e pode colocar na conta do sistema defensivo catarinense. Aos 44, uma sobra que parecia tranquila para Bruno se transformou no gol de empate. O volante do Avaí recuou a bola em direção ao goleiro Renan que, àquela altura, já estava na marca do pênalti achando que o companheiro deixaria passar. Resultado, Loco Abreu foi esperto, ganhou do camisa na disputa e deixou tudo igual.

Os presentes ficaram aliviados, mas as vaias foram inevitáveis na descida dos botafoguenses para os vestiários.

Empate prevalece em um segundo tempo desanmiado

Na volta do intervalo, o Botafogo não fez nenhuma modificação. Mas logo aos 8, Caio Junior tirou Herrera e colocou o lateral-direito Lucas. Com isso, o esquema 4-3-3 virou 4-4-2. Com Caio e Loco Abreu no ataque e Lucas e Everton pelas pontas, o Glorioso não melhorou tanto.

Aos 26, a melhor oportunidade da segunda etapa. Após jogada rápida, o atacante Evando, que entrara no lugar de William, driblou Arévalo e o goleiro Jefferson. Porém, ao chutar, já na pequena área, lá estava o lateral-direito Alessandro para salvar. Como de costume, o camisa 2 comemorou muito após o corte e, cansado, em seguida, deixou o campo para a entrada de Somália.

O panorama inicial do jogo se repetiu no final do segundo tempo. Pouco criativo, já que Everton parecia cansado e não jogava mais centralizado, o Botafogo não criou.

Recuado, o Avaí não parecia muito preocupado, já que o resultado era favorável para o jogo de volta em Florianópolis. Com o empate, o time catarinense leva consigo dois importantes gols na bagagem e decide na Ressacada, na próxima quarta-feira. O Botafogo terá uma missão difícil na casa do adversário.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 2 X 2 AVAÍ

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 13/04/2011, às 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS)
Cartões amarelos: Antônio Carlos (BOT); Gian, Cássio, Julinho e Diogo Orlando (AVA)

GOLS: William, 9’/1ºT (0-1); Rafael Coelho, 21’/1ºT (0-2); Herrera, 22’/1ºT (1-2), Loco Abreu, 44’/1ºT (2-2)

BOTAFOGO: Jefferson, Alessandro (Somália, 31’/2ºT), Antônio Carlos, João Filipe e Marcio Azevedo (Cortês, 26’/1ºT); Arévalo, Marcelo Mattos e Everton; Caio, Herrera (Lucas, 8’/2ºT) e Loco Abreu – Técnico: Caio Junior.

AVAÍ: Renan; Felipe (Acleisson, 28’/2ºT), Gian, Cássio e Julinho; Marcinho Guerreiro, Bruno, Diogo Orlando e Marquinhos Gabriel; William (Evando, 24’/2ºT), Rafael Coelho (Fabiano, 29’/2ºT) – Técnico: Silas.

abril 13, 2011 Posted by | Avaí, Botafogo | | Deixe um comentário

Avaí vence o Santos e se livra do rebaixamento

Peixe abriu dois gols de diferença, mas permitiu a virada do time catarinense

Caio. Este nome será lembrado pelos jogadores do Santos nos próximos dias. Depois de estar vencendo o Avaí por 2 a 0, neste domingo, na Ressacada, em Florianópolis, o Peixe tomou a virada e perdeu por 3 a 2, com três golaços do camisa 10 catarinense, resultado que praticamente tirou o Avaí da briga pelo rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Agora com 43 pontos ganhos, o Avaí subiu para a 14ª colocação do Brasileiro, ficando mais distante do descenso. Já o Santos, sem pretensões na competiçãopor estar garantido na Libertadores de 2011 e não estar brigado nem pelo título nem para cair, ficou com os mesmos 55 pontos, na sétima posição.

O jogo

Com a Ressacada completamente lotada, o Avaí começou o jogo todo no ataque. Caio, Rudnei, Robinho e Vandinho saindo para o jogo e impedindo o time santista de jogar. No entanto, as chances de gols foram raras até os nove minutos de jogo, quando o placar foi alterado pela primeira vez.

Em um lance de sorte, Neymar conseguiu evitar a saída da bola pela lateral, deu um drible no zagueiro do Avaí e cruzou na área. O goleiro Renan tentou tirar, mas Keirrison mandou de joelho para o gol e a bola entrou devagarzinho. 1 a 0 Peixe!

Daí em diante, o jogo se tornou um duelo entre Neymar e Caio. Do lado santista, a esperança era por uma sobra de bola na direita para o garoto tentar as jogadas e concluir para o gol. Foram duas tentativas desta forma: uma em que o camisa 11 tentou encobrir o goleiro e outra aos 32, depois de Arouca passar com maestria pelo meio de campo catarinense e lançar de três dedos para Neymar, que tocou no canto de Renan e fez o segundo. Santos 2 a 0, para desespero dos catarinenses.

Já pelo lado do Avaí, Caio estava disposto a brilhar. Foram quatro tentativas de marcar o gol, sendo a mais perigosa aos 19 minutos, quando ele driblou o zagueiro do Santos e chutou por cima. Porém, aos 39, o camisa 10 protagonizou uma jogada de craque: recebeu na entrada da área, driblou três santistas, invadiu a área e chutou na saída de Rafael, marcando o primeiro do Avaí, para explosão das arquibancadas.

O gol despertou o time da casa e a torcida, que empurrou o time ao empate. E ele aconteceu aos 46, obviamente com Caio. Desta vez, ele arriscou de fora da área e Rafael, que vinha fazendo excelentes defesas no jogo, deixou passar. 2 a 2, ainda no primeiro tempo.

– A gente precisa ir para cima, vencer… – disse Caio, no intervalo.

E foi isso que o Avaí fez durante todo o segundo tempo. Caio voltou para o jogo apagado, mas mesmo assim ainda levou perigo ao gol santista, como em um lance aos nove minutos em que ele driblou o marcador e chutou de perna direita, mas a bola foi longe.

O Santos também continuou com a mesma forma de jogar do primeiro tempo: bola no Neymar. Só que o camisa 11 cansou a etapa final, e pouco fez. Keirrison quase não encostou na bola e os demais estavam andando em campo. Até os jogadores que poderiam mostrar algo ao novo técnico Adilson Batista, pouco fizeram. Casos de Rodrigo Possebon e Adriano, que foram substituídos na etapa final e não tiveram bom desempenho.

Aos 30 minutos, Davi apareceu sozinho na área e perdeu, depois de tropeçar na bola, para desespero da torcida do Avaí. A entrada de Zé Eduardo, também aos 30, fortaleceu o ataque santista, que passou a assustar o goleiro Renan.

E quando tudo caminhava para o empate, Caio apareceu novamente. Ele avançou pela entrada da área, cortou o marcador e chutou no ângulo de Rafael, marcando o terceiro gol, o da virada, do Avaí, selando a vitória da equipe catarinense. No final do jogo, a torcida do Avaí comemorou muito a vitória, a permanência na Série A e o nome do jogo e do Avaí no Brasileirão: Caio.

O Avaí reencontra o rival Figueirense na elite do futebol brasileiro em 2011, fato que não acontece desde 1979. A última vez que a Série A teve dois times catarinenses foi em 2004, quando Figueirense e Criciúma participaram da Primeira Divisão.

Na última rodada, o Santos recebe o Flamengo, na Vila Belmiro. Já o Avaí, ainda lutando contra o rebaixamento, joga contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada.

FICHA TÉCNICA
AVAÍ 3 X 2 SANTOS

Estádio: Ressacada, Florianópolis (SC)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Marcia Lopes Caetano (Fifa-RO) e Gilson Bento Coutinho (PR)
Renda/público: R$ 67.100, 00 – 17.800 pagantes
Cartões amarelos: Bruno Silva, Emerson e Eltinho (AVA) Keirrison, Neymar, Arouca, Alex Sandro, Danilo, Rodrigo Possebon, Adriano, Durval (SAN)
Cartões vermelhos: Não houve
GOLS: Keirrison 9’/1°T; Neymar 32’1/1°T; Caio 39’/1°T; Caio 46’/1°T; Caio 36’/2°T

AVAÍ: Renan; Patric, Emerson Nunes, Emerson e Eltinho; Bruno, Rudnei, Batista e Caio (Dinélson – 45’/2°T); Robinho (Davi – Intervalo) e Vandinho (Daniel – 22’/2°T). Técnico: Vagner Benazzi.

SANTOS: Rafael; Pará (Zé Eduardo – 32’/2°T), Bruno Aguiar, Durval e Léo; Arouca, Adriano (Danilo – Intervalo), Rodrigo Possebon (Alex Sandro 15’/2°T) e Felipe Anderson; Neymar e Keirrison. Técnico: Marcelo Martelotte.

novembro 28, 2010 Posted by | Avaí, Santos | | Deixe um comentário

Desesperado Avaí encara o tranquilo Santos

Time catarinense luta para fugir da zona de rebaixamento, enquanto que o Peixe apenas cumpre tabela no Brasileirão

O confronto entre Avaí e Santos põe frente a frente duas equipes em situações bem distintas no Brasileirão. O time catarinense encara o Peixe, neste domingo, às 17h, na Ressacada, querendo fugir da zona de rebaixamento, já que está na 16ª colocação, com 40 pontos. O Alvinegro, por outro lado, em sétimo lugar, com 55 pontos, apenas cumpre tabela.

O Avaí espera um jogo complicado. Embalado por duas vitórias nas últimas rodadas, a equipe contará com a presença em massa da torcida em casa, já que todos os ingressos para o jogo estão esgotados desde sexta-feira de manhã.

O time catarinense conta com a volta de dois reforços importantes. O atacante Robinho e o zagueiro Émerson, absolvidos em julgamento no STJD na segunda-feira, são presença confirmada no time titular.

Ainda assim, o time sofre com sérios desfalques. O goleiro Zé Carlos e o volante Marcinho Guerreiro estão em tratamento de lesão. Eles não estarão no banco e não devem mais jogar no Brasileirão. Além disso, o volante Diogo Orlando e o meia Jefferson vão cumprir suspensão automática e desfalcam a equipe do técnicoVágner Benazzi.

Já o Santos se encontra em águas bem mais tranquilas. Tanto que o técnico interino Marcelo Martelotte vai poupar jogadores considerados titulares da partida, como o zagueiro Edu Dracena e o meia Marquinhos. Para o lugar deles, o treinador promoveu as entradas do defensor Bruno Aguiar e do volante Rodrigo Possebon.

Apesar disso, o atacante Neymar vai atuar no time titular. Havia a possibilidade do jogador tirar férias antecipadas, mas isso não irá ocorrer.

Como o Peixe não aspira mais nada na temporada, a partida servirá para Adilson Batista avaliar novamente o elenco do Santos. O treinador, aliás, vai assistir o jogo no estádio do time catarinense.

L! no Ar analisa rodada que pode definir o campeão

FICHA TÉCNICA:
AVAÍ X SANTOS

Estádio: Ressacada, Florianópolis (SC)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Marcia Lopes Caetano (Fifa-RO) e Gilson Bento Coutinho (PR)

AVAÍ: Renan; Patric, Émerson, Emerson Nunes e Eltinho; Bruno, Batista, Rudnei e Caio; Robinho e Roberto. Técnico: Vagner Benazzi.

SANTOS: Rafael; Pará, Bruno Aguiar, Durval e Léo; Arouca, Adriano, Possebon (Zé Eduardo) e Felipe Anderson; Neymar e Keirrison. Técnico: Marcelo Martelotte.

novembro 27, 2010 Posted by | Avaí, Santos | | Deixe um comentário

Avaí vence o Atlético-GO e deixa a zona de rebaixamento para trás


Com o resultado, equipes estão empatadas com 40 pontos. Jeferson marca duas vezes, e Vandinho perde pênalti para o time catarinense

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O Avaí fez valer sua condição de dono da casa e fez 3 a 0 sobre o Atlético-GO, neste domingo, na Ressacada. O resultado tira a equipe catarinense da zona de rebaixamento. Agora, o time está em 16º com 40 pontos. O Dragão, que tem os mesmos 40 pontos, está em 15º. Os gols da partida foram marcados por Eltinho e Jeferson (dois).

O Avaí jogou com um homem a mais desde a expulsão de Thiago Feltri, aos 39 minutos do primeiro tempo. O primeiro gol dos catarinenses saiu logo no minuto seguinte, na cobrança da falta, em chute de Eltinho que foi desviado pela defesa goiana. 

Como as duas equipes precisavam muito da vitória, ninguém quis ficar para trás e o jogo foi aberto desde o apito inicial. Dono da casa, o Avaí teve mais posse de bola e presença mais constante na área adversária. Os dois goleiros tiveram trabalho no início e trabalharam bem. Márcio fez boa defesa em chute de Caio, e Renan voou para impedir o gol na finalização de Juninho.
Quando o arqueiro Márcio não defendeu, levou sorte. Aos 22 minutos, Patric arrancou pela direita, trouxe para o meio e chutou de perna esquerda. A bola bateu na trave e voltou livre para Davi, que finalizou por cima da trave com o gol aberto na sua frente. Um lance inacreditável.
Mas a sorte mudou para o Avaí e para o goleiro Márcio a partir dos 37 minutos, quando o lateral-esquerdo do Atlético-GO, Thiago Feltri, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso. Na cobrança da falta, Eltinho levantou na área, a bola desviou em Marcão, do time goiano, e o arqueiro aceitou: 1 a 0.
O jogo ficou quente e, após um desentendimento entre os jogadores por causa de uma falta feita em cima de Vandinho, policiais entraram no campo para esfriar os ânimos.

Apesar de estar em vantagem no placar, o Avaí não deixou cair o ritmo na volta do vestiário. Com um homem a mais em campo, o time da casa era presença constante na área do Atlético. Rudinei, aos oito, e Davi, aos 11, perderam boas chances de colocar o 2 a 0 no placar.
Estava mesmo complicado de sair o segundo gol do Avaí. Aos 29 minutos, Vandinho foi seguro por Jairo dentro da área e o árbitro marcou a penalidade. O próprio atacante foi para a cobrança, mas chutou fraco, rasteiro, e o goleiro Márcio defendeu. O alívio só veio aos 39, quando Jeferson, que havia entrado há pouco, mandou uma bomba de perna esquerda e acertou o gol.
O meia estava mesmo inspirado. Aos 42, ele recebeu de Eltinho e, da entrada da área, acertou o cantinho direito do goleiro Márcio, que pulou mas não achou a bola: 3 a 0 e festa na Ressacada. Ânimo renovado para os catarinenses e sinal de alerta ligado no Atlético.
No próximo domingo, às 17h (de Brasília), no Serra Dourada, o Atlético-GO recebe o São Paulo. No mesmo dia e no mesmo horário, o Avaí recebe o Santos na Ressacada.
AVAÍ 3 X 0 ATLÉTICO-GO
Renan; Patric, Emerson, Emerson Nunes e Eltinho; Diogo Orlando, Rudnei (Jeferson), Batista e Caio; Vandinho (Daniel Tiago) e Davi (Bruno). Márcio, Adriano, Gilson, Jairo e Thiago Feltri; Róbston, Agenor (Anaílson), Pituca e Renatinho (Wiliam); Juninho e Marcão (Elias).
Técnico: Vagner Benazzi Técnico: Renê Simões
Gols: Eltinho, aos 40 minutos do primeiro tempo; Jeferson aos 39 e 42 minutos da segunda etapa.
Cartões amarelos: Jairo, Juninho (ATL); Eltinho, Bruno, Jeferson (AVA) . Cartão vermelho: Thiago Feltri.
Local: Ressacada, em Florianópolis. Data: 21/11/10. Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR). Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa/SP) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP).

novembro 21, 2010 Posted by | Avaí | | Deixe um comentário

Avaí x Atlético-GO: vale a saída da zona do descenso

Jogo em Florianópolis pode ajudar a selar o destino dos dois times na Série A do Campeonato Brasileiro em 2011

Lutando para sair da zona de rebaixamento, o Avaí enfrenta o Atlético-GO neste sábado, na Ressacada, às 19h30, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O time de Santa Catarina terá de vencer e ainda torcer por maus resultados de Vitória e Atlético-MG para sair da zona de degola. Já o Atlético-GO, se vencer, deve escapar definitivamente do rebaixamento, segundo as contas do técnico Renê Simões.

O volante Bruno, do Avaí, conseguiu efeito suspensivo da punição que cumpriria no jogo e estará disponpivel ao técnico Benazzi. No entanto, o meia Robinho cumprirá suspensão e será substituído por Roberto. O goleiro Zé Carlos e os volantes Rudnei e Diogo Orlando são dúvida para a partida.

No treino deste sábado pela manhã, o técnico Vagner Benazzi terá a definição quanto aos lesionados e com isso, definirá a equipe titular que enfrenta o Atlético-GO.

Atlético pronto para pressão na Ressacada

A uma vitória de praticamente se garantir na Série A, o Atlético-GO embarcou para Florianópolis, onde encara o Avaí, neste domingo, no Ressacada, com um pensamento: jogar de forma inteligente. Os jogadores sabem da pressão que o torcedor catarinense aplica sobre o jogo, mas acreditam no sucesso e na permanência na Série A.

O técnico René Simões realizou coletivos durante a semana e definiu a equipe com apenas uma alteração em relação ao time que venceu o Palmeiras no último domingo. Josiel, mais uma vez lesionado, está fora do restante da Série A e com isso, Marcão volta ao time titular. Na zaga, Jairo e Gílson permanecem, mesmo com a volta de Welton Felipe. O zagueiro artilheiro Gílson (três gols na Série A) sabe que a bola parada pode resolver a partida.

– Para nós que jogamos atrás fazer gol não é tão importante. O melhor é não levar. Mas quando tem oportunidade de uma bola parada é bom. Tudo isso é com trabalho, cada dia treina uma cobrança de escanteio, uma falta na intermediária. É isso que a gente vem fazendo e tem dado certo, os gols estão saindo – afirmou o camisa 3 do Dragão.

Além de escapar do rebaixamento, se vencer o Atlético pode também sonhar com uma vaga na Copa Sul-Americana, tema que já é tratado no elenco. O goleiro Márcio revela que o objetivo principal é se afastar do Z4, mas a Sul-Americana como prêmio seria excelente.

FICHA TÉCNICA

Estádio: Ressacada, Florianópolis (SC)
Data/hora: 20/11/2010 – 19:30h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (FIFA-PR)
Auxiliares: Ednilson Corona (FIFA-SP) e Emerson Augusto de Carvalho (FIFA-SP)

AVAÍ: Zé Carlos (Renan); Patric, Emerson Nunes, Émerson e Eltinho; Diogo Orlando (Bruno), Batista, Rudnei e Caio; Roberto e Vandinho. Técnico: Vagner Benazzi

ATLÉTICO-GO: Márcio, Adriano, Gilson, Jairo e Thiago Feltri; Agenor, Pituca, Robston e Renatinho; Juninho e Marção. Técnico: Renê Simões

novembro 21, 2010 Posted by | Avaí | | Deixe um comentário

Confrontos diretos mexem com a zona do rebaixamento

Quatro duelos diretos contra a degola acontecem nas últimas três rodadas do Brasileirão; sete times fogem de três vagas

Faltando apenas três rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, a luta contra o rebaixamento continua embolada. Somente o Grêmio Prudente já teve sua queda confirmada, após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, na Arena da Baixada, no último domingo.

Nada menos que sete equipes ainda brigam para fugir do fantasma da degola, e as rodadas restantes apontam confrontos diretos, que
certamente definirão quem ocupará as três vagas restantes na Série B de 2011. O LANCENET! ouviu um time de especialistas que apontaram as
diferenças entre os candidatos ao descenso e fizeram suas apostas.
Confira os confrontos diretos contra o rebaixamento:

36ª rodada
Flamengo x Guarani
Avaí x Atlético-GO

37ª rodada
Atlético-MG x Goiás

38ª rodada
Vitória x Atlético-GO

Calculadora na mão

A matemática entra em cena na reta final do Campeonato Brasileiro. De acordo com dados do matemático Tristão Garcia, Atlético-GO e Flamengo, que ainda terão duas partidas em casa, têm 12% de chances de cair. O Atlético-MG, que fará seu último jogo como mandante diante do Goiás, na 37ª rodada, tem 21%.

O Vitória tem os mesmos 39 pontos do Galo, mas tem 20% de chances de rebaixamento, por ainda jogar duas vezes no Barradão, uma delas contra o líder Corinthians e outra contra o Atlético-GO, adversário direto.

Sorte do Leão, azar do Bugre

Avaí e Guarani, segundo Tristão, tiveram suas situações invertidas. Os catarinenses, que ainda jogam duas vezes na Ressacada, tinham maior
chance de cair. Agora, a possibilidade de descenso diminuiu para 57% após a importante vitória, por 3 a 2, fora de casa contra o Internacional:

– O Avaí foi o grande vitorioso da rodada, dentre aqueles que brigam contra o rebaixamento. A vitória fora de casa sobre o Internacional foi
importantíssima para as pretensões da equipe – disse o matemático.
Já o Bugre se complicou com o empate, por 1 a 1, em casa diante do Vitória, para quem o resultado não foi tão ruim assim. O Guarani tem 80%
de chances de cair.

Drama esmeraldino

A situação só não é mais crítica que a do Goiás, que tem 98% de possibilidades de rebaixamento. Com a goleada aplicada sobre o Esmeraldino na 34ª rodada, o já rebaixado Grêmio Prudente “puxou” os goianos para a Série B, segundo Tristão:

– A derrota para o Prudente levou o Goiás junto, sem dúvida. Era um confronto direto e o Goiás já se encontrava em situação delicada.

COM A PALAVRA, OS ESPECIALISTAS:

Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira na conquista dotricampeonato Mundial, em 1970

“Creio que os quatro que estão na zona de rebaixamento devem cair, independentemente dos confrontos diretos. Digo isso em virtude das
campanhas e dos elencos. é importante dar moral, mas quando falta elenco, não há técnico que consiga salvar.”

A aposta de Torres: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí

Estevam Soares, técnico

“Acho que agora é a hora da verdade. Não deve haver surpresa a esta altura da competição. É hora de fazer valer a qualidade do elenco, do
treinador, e de mostrar uma diferença de postura. Quem tem mais elenco, vai se salvar. O Guarani, por exemplo, está em queda livre no campeonato pois falta elenco, apesar do trabalho do Vagner Mancini, que é indiscutível. Já a vitória do Avaí sobre o Internacional nao pode ser
considerada zebra. O clube pegou uma maré ruim na competição, com trocas de comando. Os jogos em casa influenciam muito, com a torcida apoiando. Sem dúvida, a questão do mando é muito importante. Num momento como esse, a torcida não se opõe ao time, mesmo com a situação incômoda. Pelo contrário, se junta ao time, joga junto. Se houver protesto, acontece no fim do jogo, mas durante os 90 minutos, é só apoio.”

A aposta de Estevam: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Humberto Perón, colunista do LANCE!

“A situação do Goiás é muito complicada, só com um milagre. A Sul-Americana pode atrapalhar. O Atlético Mineiro tem boa chance de escapar, com o time crescendo. O Flamengo, mesmo com campanha ruim como mandante, é favorito contra o Guarani, que vinha bem em casa, mas não
vem marcando gols. O Atlético-GO vem sabendo jogar no contra-ataque e vem conseguindo resultados importantes. Já o Vitória, forte no Barradão, enfrenta o líder, em um jogo muito importante. A pressão nessa partida é sobre ambos os times, e o Corinthians vai ter de sair para o jogo.”

A aposta de Perón: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Vitor Birner, colunista do LANCE!

“Acredito que os melbores elencos vão permanecer. O Flamengo e o Galo ficam. Sempre achei que o Avaí fosse cair, mas vem jogando melhor. O Vitória se salva em virtude de sua campanha e suas atuações no Barradão, e também porque seu elenco é melhor que o de Avaí e Guarani. O Bugre vinha bem em casa, mas a estrutura e o elenco não são de primeira divisão. Já o Atlético-GO é uma indefinição constante, não se sabe se
cai ou não, mas, coletivamente, tem mais time que os quatro últimos. O Goiás é outro que tem mais elenco, até mesmo individualmente, que os outros que estão na zona de rebaixamento.”

A aposta de Vitor: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Benjamin Back, colunista do LANCE!

“O campeonato está desenhado. Já temos dois times rebaixados pois, na minha opinião, o Goiás também já foi. Temos do Guarani até o Atlético-GO brigando para não cair, ou seja, sete times lutando para fugir de duas vagas. Na minha opinião, o Atlético-MG não cai. É outro time desde a chegada de Dorival Júnior. O mesmo acontece com o Atlético-GO sob o comando de Renê Simões. Já o Vitória no Barradão é dificílimo de ser batido, e terá ainda dois jogos em casa…mas o futebol é imprevisível. Para mim, o Guarani não se salva, era fogo de palha com a boa campanha em casa no primeiro turno. O Vagner Mancini é bom treinador, mas escolheu mal ao aceitar comandar o Bugre.”

A aposta de Back: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

novembro 15, 2010 Posted by | Atlético-MG, Avaí, Ceará, Flamengo, Goiás, Grêmio Prudente, Guarani, Vitória | | Deixe um comentário

Avaí, com gol-relâmpago, bate Inter no Beira-Rio: 3 a 2

Catarinenses ganham esperança de fugir do rebaixamento ao superar o Colorado, que vive jejum de vitórias a um mês do Mundial

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

A esperança do Avaí caminha de mãos dadas com a preocupação do Inter. O time catarinense ganhou um empurrão em sua luta contra o rebaixamento ao fazer 3 a 2 no Colorado na tarde deste domingo, no Beira-Rio. Os gaúchos, pouco interessados na partida, expuseram problemas exatamente um mês antes da estreia no Mundial. Os números escancaram um alerta vermelho: o Colorado não vence há sete partidas.

A vitória do Leão foi sustentada em um gol-relâmpago, o mais rápido do Brasileirão, com Patric, aos 15 segundos de partida. Batista, ainda no primeiro tempo, fez 2 a 0. O Inter reagiu na etapa final e empatou com Leandro Damião e Rafael Sobis, mas Robinho garantiu a vitória do Avaí.

Com o resultado, o time de Florianópolis subiu para 37 pontos, ainda na zona de rebaixamento, mas agora na primeira casa dela, a 17ª colocação. O Colorado, com 51, é o oitavo. O Avaí volta a campo domingo, em casa, em duelo direto contra o Atlético-GO. O Inter, no mesmo dia, visita o Botafogo.

Avaí atropela: 2 a 0 no primeiro tempo

Quinze segundos. Mal dá tempo de comprar um refrigerante no estádio. Mal dá tempo de dar uma mordida naquele cachorro-quente recheado de ar que se vende nas arquibancadas. Mal dá tempo de espiar a torcedora que desfila perto da mureta. Mas dá tempo de fazer gol. Com inacreditáveis 15 segundos de partida, o Avaí largou na frente e deu um aviso de como seria a tarde de domingo no Beira-Rio.

E de pensar que a saída de bola foi do Inter… Mas por dois ou três segundos. O Avaí logo roubou e saiu em disparada numa aula de contra-ataque. Patric foi o cérebro da jogada. Ele tabelou com Rudnei, Caio e Vandinho até mandar uma pancada no ângulo de Lauro, diante de uma zaga imóvel, de um estádio boquiaberto.

Parecia um lance ocasional. Não era. A verdade é que a atuação do Inter no primeiro tempo deveria ser proibida para menores de 18 anos. Com interesse quase nulo na partida, o Colorado foi disperso, como quem joga com a cabeça nas nuvens – ou, vá lá, em Abu Dhabi. O Avaí foi o extremo oposto. Comeu grama em busca da vitória.

O Inter teve D’Alessandro. E ninguém mais. Rafael Sobis e Alecsandro beiraram a tragédia no ataque nos primeiros 45 minutos. Giuliano manteve a recente rotina de mais errar do que acertar. Nei e Kleber pouco fizeram. A dupla de zaga parecia ter se conhecido milésimos de segundo antes de o jogo começar. O Inter levou a pior no primeiro tempo por um simples motivo: porque mereceu.

O Avaí poderia ter feito mais gols. Uma pancada de Caio estourou na rede de Lauro, por fora. Vandinho, livre, driblou o goleiro colorado, mas foi desarmado por Kleber na hora da conclusão. Batista foi mais competente. Após tabelar com Eltinho, mandou chute forte e viu a bola desviar na zaga antes de adormecer no fundo do gol. O Avaí fazia 2 a 0.

O Inter, como sempre, teve o controle da bola. E, como sempre, criou muito pouco. Excetuados eventuais chutes de longe, teve um cabeceio forte de Alecsandro, defendido por Zé Carlos, e uma conclusão perigosa de Kleber, em chute sem peso, na altura do ângulo, ameaçando o goleiro do Leão.

Inter reage, mas Avaí vence

O Inter resolveu jogar futebol no segundo tempo. E o jogo ficou em chamas. A entrada de Leandro Damião no lugar de Alecsandro, já no intervalo, logo ganhou justificativa. O centroavante recebeu de Rafael Sobis pela direita, avançou com a bola e mandou uma patada em diagonal. Fez um gol de centroavante. E deu vida ao Colorado.

A ressurreição vermelha era questão de tempo. Guiñazu, dentro da área, fintou a zagueirada adversária e mandou chute torto, por cima. Não é a especialidade dele, mas é a de Sobis. De D’Alessandro para Giuliano, de Giuliano para Sobis, de Sobis para o gol. Uma pancada feita sob medida, lá no ângulo. Golaço do atacante.

Estava desenhada a virada. E lá foi o Avaí, pegou a borracha e apagou todos os traços. Quando o Inter mais vibrava, quando a torcida mais festejava, quando o Beira-Rio mais se enchia de esperança, o Leão mordeu a jugular colorada. Emerson Nunes apareceu bem na direita e cruzou na cabeça de Robinho, que fez o gol mais fácil da vida dele. Os catarinenses retomavam as rédeas do placar.

O Inter passou o resto do jogo procurando novo gol de empate. A entrada de Andrezinho não foi suficiente. O Avaí soube segurar o resultado para, com uma vitória das mais expressivas, manter o sonho de escapar da degola.

INTERNACIONAL 2 X 3 AVAÍ
Lauro, Nei (Andrezinho), Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias (Glaydson), Guiñazu, Giuliano, D’Alessandro e Rafael Sobis; Alecsandro (Leandro Damião). Zé Carlos, Patric, Émerson Nunes, Emerson e Eltinho; Diogo Orlando, Batista, Rudnei (Jeferson) e Caio; Robinho (Daniel Thiago) e Vandinho (Marcelinho).
T: Celso Roth T: Vágner Benazzi
Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Data: 14/11/2010. Árbitro: Péricles Bassols Cortez (Fifa/RJ). Auxiliares: Dilbert Pedrosa Moisés (Fifa/RJ) e Ednílson Corona (Fifa/SP).
Gols: Patric, aos 15 segundos, e Batista, aos 38 minutos do primeiro tempo; Leandro Damião, aos nove, Rafael Sobis, aos 14, e Robinho, aos 18 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: D’Alessandro, Guiñazu, Andrezinho (Inter); Robinho, Eltinho (Avaí).
Público: 12.690. Renda: R$ 187.510,00.

novembro 14, 2010 Posted by | Avaí, Internacional | , , | Deixe um comentário

Internacional recebe o Avaí, que tenta fugir da degola

Colorado terá Alecsandro contra desesperados catarinenses

Com prentensões diferentes no Brasileirão, Internacional e Avaí duelam neste domingo, às 17h, no Beira-Rio, pela 35ª rodada da competição. O Colorado, fora da briga pelo título e com a vaga na Libertadores já assegurada por ser o atual campeão, cumpre tabela, apesar de jogar com força máxima. Já o Avaí coloca em jogo a permanência na elite do futebol nacional. O Inter é o oitavo colocado, com 51 pontos, enquanto o Avaí é o 18º, com 34.

Para a partida, Celso Roth vai colocar todos os titulares disponíveis em campo. Inclusive o atacante Alecsandro. O jogador foi julgado nesta sexta-feira pelo STJD por causa da expulsão contra o Atlético-MG. Colocado no artigo 254, que trata de jogada violenta, ele poderia ficar até seis jogos fora do time, mas como o ganhco foi de um jogo – já cumprido – ele estará de volta.

Depois de ser eliminado em casa da Copa Sul-Americana, o Avaí volta as atenções para a luta contra o rebaixamento no Brasileirão. Para continuar respirando na competição e ultrapassar o primeiro clube fora da zona da degola — o Atlético-MG — é preciso somar mais pontos aos 34 já conquistados até aqui. Por isso, uma vitória sobre o time campeão da Libertadores é fundamental.

No entanto, o momento do time é ruim e os números comprovam a tendência negativa: Em novembro, foram três jogos e a equipe não conseguiu vencer e sequer marcar gols.

O técnico Vagner Benazzi deve repetir a escalação dos últimos jogos e vai depender da superação técnica e emocional de seus jogadores para tirar o clube do buraco.

— A gente joga bem e os resultados não vem, mas agora jogando bem ou mal a gente tem que conseguir os resultados — afirmou o zagueiro Emerson.

FICHA TÉCNICA:

INTERNACIONAL X AVAÍ

Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data/hora: 14/11/2010 – 17h de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols (RJ)
Auxiliares: Diberto Pedrosa Moises (RJ)e Ednilson Corona (SP)

INTERNACIONAL: Lauro, Nei, Bolívar, Índio e Kléber; Wilson Matias, Guiñazu, Giuliano e D’Alessandro. Rafael Sobis e Alecsandro. Técnico: Celso Roth.

AVAÍ: Zé Carlos, Émerson Nunes, Cleyton e Émerson; Patric, Diogo Orlando, Rudnei, Caio, Valber e Pará; Roberto. Técnico: Vagner Benazzi.

novembro 14, 2010 Posted by | Avaí, Internacional | , | Deixe um comentário

Em jogo de muita tensão e pouca técnica, Avaí e Botafogo empatam

Resultado de 0 a 0 na Ressacada complica a vida dos dois times em suas lutas em pontas opostas da tabela do Brasileirão

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Em pontas opostas da tabela, mas igualmente pressionados, Avaí e Botafogo fizeram um jogo de muita tensão e pouca técnica. Assim, só poderia terminar empatada em 0 a 0 a partida realizada neste domingo, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado não foi bom para nenhum dos times em suas brigas contra o rebaixamento (caso do time catarinense) e por uma vaga na Libertadores e pelo título (situação do Alvinegro).

Na próxima rodada o Botafogo, que permaneceu no quarto lugar, com 55 pontos, enfrenta o Ceará em Fortaleza, em jogo antecipado para a quarta-feira. Já o Avaí, que chegou a 34 pontos e segue em 18º, vai a Porto Alegre jogar contra o Internacional, domingo. Apesar de seguir no G-4, o Alvinegro se vê ameaçado por causa das vitórias de Corinthians e Cruzeiro, adversários diretos.

Desde o início da partida ficou claro que o Avaí seria o responsável por pressionar, enquanto o Botafogo se recuaria para explorar os contra-ataques. Empurrado por sua torcida, o time da casa pressionava a saída de bola e induzia o Alvinegro aos erros de passe. Assim, a equipe de Joel Santana tinha dificuldades em sair jogando, tendo que apelar para os chutões.

Embora chegasse constantemente ao ataque, o Avaí não conseguia produzir jogadas de perigo. Perto da área, a equipe tinha dificuldades de penetrar na muralha defensiva do Botafogo. À frente da área, Danny Morais, Leandro Guerreiro, Antônio Carlos e Fahel impediam a progressão. Restava aos catarinense os chutes de fora, mas que não assustavam o goleiro Jefferson.

Com o passar do tempo, os erros do Avaí irritaram a torcida, e o Botafogo começou a se arriscar mais no ataque. Não precisaram de muitas tentativas para que o Alvinegro criasse as melhores chances do primeiro tempo, com Jobson, sempre pela ponta direita. Numa delas, Loco Abreu chutou para fora, dentro da área, e na segunda, ele próprio arriscou, obrigando Zé Carlos a espalmar.

Se no primeiro tempo houve muitos erros, principalmente de passe, a segunda etapa teve ainda pior nível técnico de ambas as partes. Nenhuma das duas equipes conseguia se articular para chegar ao gol adversário. O Avaí, entretanto, levava vantagem por estar diante de sua torcida, que empurrava a equipe. Do outro lado, o Botafogo não mostrava o poder de marcação de sempre e deixava espaços nas laterais, pouco aproveitados pelo adversário.

Joel Santana, então, tentou sua última cartada. Buscando dar mais velocidade ao time, tirou de campo Lucio Flavio e Alessansdro, substituindo por Renato Cajá e Caio, respectivamente. O objetivo era reforçar os contra-ataques, única saída que parecia possível para o Botafogo vencer.

À medida que o tempo passava, o Avaí se lançava mais ao ataque, diante da necessidade de vencer para se livrar do rebaixamento. Então os espaços ficaram maiores e mais claros para o Botafogo, que não conseguia aproveitá-los por incompetência nos passes e conclusões. E de erros em erros, a partida chegou ao fim com um resultado que os traduziram com perfeição.

AVAÍ 0 X 0 BOTAFOGO
Zé Carlos, Rafael, Emerson Nunes e Bruno (Jéferson); Patric, Diogo Orlando, Rudnei (Davi), Caio e Eltinho; Válber (Daniel Thiago) e Roberto. Jefferson, Danny Morais, Leandro Guerreiro e Antônio Carlos; Alessandro (Caio), Fahel, Marcelo Mattos, Lucio Flavio (Renato Cajá) e Edno; Jobson e Loco Abreu.
Técnico: Vagner Benazzi. Técnico: Joel Santana.
Cartões amarelos: Rafael (Avaí); Danny Morais, Antônio Carlos, Marcelo Mattos (Botafogo).
Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC). Data:07/11/2010. Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa/SP).Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Vicente Romano Neto (SP). Público: 14.538 presentes. Renda: R$ 40.150.

novembro 7, 2010 Posted by | Avaí, Botafogo | , | Deixe um comentário

Avaí e Botafogo se enfrentam na ‘Batalha da Ressacada’

Catarinenses precisam da vitória para manter vivo sonho de continuar na elite, enquanto Fogão quer continuar arrancada para brigar pelo título

A batalha na Ressacada, neste domingo, às 17h (de Brasília) é de dois extremos. De um lado, os donos da casa, o Avaí, na luta desesperada para fugir do rebaixamento contra o Botafogo, equipe que segue sonhando com um título. Por isso, a promessa é de um duelo com muitas emoções, em Florianópolis.

MUITOS PROBLEMAS NO AVAÍ

Ao contrário do time carioca, que briga pelo título do Brasileirão, o Leão Catarinense convive com inúmeros problemas dentro e fora de campo. Não bastasse a pressão por estar na zona de rebaixamento a cinco rodadas do término do Campeonato Brasileiro, o Avaí não consegue repetir a escalação sequer por duas partidas seguidas. O técnico Vagner Benazzi tem sofrido para colocar o mesmo time em campo, já que seu elenco está repleto de jogadores contundidos e suspensos.

E contra o Botafogo não será diferente. Nesse jogo, o treinador não contará com Vandinho, suspenso por ter levado o terceiro cartão amarelo, e com Robinho e Emerson, que foram expulsos na derrota para o Corinthians. Roberto e Marcelinho disputam uma vaga no ataque. Já, no lugar de Robinho, Benazzi está em dúvida entre Valber e Davi.

Para o lugar de Emerson, o técnico deve optar por Rafael, que está fora do time há três meses se recuperando de uma contusão no pé direito. Caso o zagueiro não tenha condições, Gabriel assume a posição. A boa notícia para torcida é que o lateral-esquerdo Eltinho retorna ao time após cumprir suspensão.

Outro que segue em franca recuperação e pode figurar entre os reservas contra o Botafogo, o meia Rodrigo Thiesen. O jogador garante que o grupo está empenhado para evitar o rebaixamento do Avaí.

– Todo mundo fica triste porque estão todos no mesmo barco. Aqui ninguém jogou a toalha ainda, temos chances de nos livrar dessa e com certeza vamos conseguir – afirmou o meia.

NEM TANTOS ASSIM NO BOTAFOGO

O técnico Joel Santana pode ter o retorno de seus dois laterais neste domingo. O de Alessandro, na ala-direita, é certo, já que ele retorna de suspensão. Do outro lado, já fica a dúvida. Marcelo Cordeiro vinha em fase de recuperação quando voltou a sentir um incômodo na coxa esquerda na última quinta-feira. O jogador fez tratamento intensivo para poder entrar em campo e o treinador conta com este retorno.

No entanto, as escalações de Márcio Rosário e Somália já não estão tão certas assim. O volante ainda sente uma lesão na coxa direita e é dúvida. Já o zagueiro sente o mesmo, mas na perna esquerda. Como sua recuperação tem sido lenta, dificilmente o xerife alvinegro entrará em campo. Danny Morais assumirá seu posto.

Apesar dos desfalques, o ânimo no Botafogo não poderia estar melhor. A possibilidade real de chegar ao título tem animado a torcida e os jogadores, que esperam dar uma arrancada final nestes últimos cinco jogos do Brasileiro para, quem sabe, sonhar com a conquista.

– Queremos terminar com honra, como começamos. Temos nossos objetivos. O primeiro era a Libertadores, pois temos mais oportunidades de chegar. Isso que visamos. Estamos trabalhando para isso – disse o técnico Joel Santana.

FICHA TÉCNICA
AVAÍ X BOTAFOGO

Local: Ressacada, Florianópolis (SC)
Data-Hora: 7/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Salvio Spinola Fagundes Filho (Fifa/SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Vicente Romano Neto (SP)

AVAÍ: Zé Carlos, Emerson Nunes, Rafael (Gabriel) e Bruno; Patric, Rudnei, Diogo Orlando, Caio (Jeferson) e Pará; Roberto (Marcelinho) e Valber (Davi) – Técnico: Vagner Benazzi.

BOTAFOGO: Jefferson, Danny Morais, Leandro Guerreiro e Antônio Carlos; Alessandro, Marcelo Mattos, Fahel (Somália), Lucio Flavio e Marcelo Cordeiro; Jobson e Loco Abreu – Técnico: Joel Santana.

novembro 7, 2010 Posted by | Avaí, Botafogo | , | Deixe um comentário

Timão goleia Avaí e fica a um ponto do líder. São Paulo deu uma força

Comemoração em dose dupla no Pacaembu. Além do triunfo em casa, a Fiel agradeceu a ajuda do Tricolor, que venceu o Cruzeiro em Minas

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Quando uma vitória por 4 a 0 vale como um 6 a 0? No caso do Corinthians, valeu esta noite. Além de ter comemorado o triunfo sobre o Avaí, no estádio do Pacaembu, os corintianos celebraram também os 2 a 0 do rival São Paulo em cima do Cruzeiro, rival direto do Alvinegro na briga pelo título do Brasileirão. Os gols dos anfitriões foram marcados pelo aniversariante Bruno César, Elias e Ronaldo (2).

E valeu a pena o torcedor do Timão ficar com um olho no placar eletrônico e outro no campo. Com o triunfo sobre os catarinenses somado à vitória do São Paulo sobre o Cruzeiro, o Corinthians foi a 57 pontos, passou os mineiros, assumiu a segunda posição e ficou a apenas um ponto do líder Fluminense, que empatou com o Inter.

Já o Avaí, que infantilmente perdeu dois jogadores expulsos, continua na zona de rebaixamento, com 33 pontos. Se tivesse conseguido ao menos um empate, a situação estaria melhor, mas com a derrota é necessário uma reação mais do que rápida para a equipe catarinense conseguir sobreviver na Série A.

O Corinthians volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no domingo, às 17h. O adversário será o rival São Paulo, no estádio do Morumbi. Já o Avaí volta a jogar na Ressacada, em Florianópolis, contra o Botafogo. O duelo será no mesmo horário.

Quando uma vitória por 4 a 0 vale como um 6 a 0? No caso do Corinthians, valeu esta noite. Além de ter comemorado o triunfo sobre o Avaí, no estádio do Pacaembu, os corintianos celebraram também os 2 a 0 do rival São Paulo em cima do Cruzeiro, rival direto do Alvinegro na briga pelo título do Brasileirão. Os gols dos anfitriões foram marcados pelo aniversariante Bruno César, Elias e Ronaldo (2).

E valeu a pena o torcedor do Timão ficar com um olho no placar eletrônico e outro no campo. Com o triunfo sobre os catarinenses somado à vitória do São Paulo sobre o Cruzeiro, o Corinthians foi a 57 pontos, passou os mineiros, assumiu a segunda posição e ficou a apenas um ponto do líder Fluminense, que empatou com o Inter.

Já o Avaí, que infantilmente perdeu dois jogadores expulsos, continua na zona de rebaixamento, com 33 pontos. Se tivesse conseguido ao menos um empate, a situação estaria melhor, mas com a derrota é necessário uma reação mais do que rápida para a equipe catarinense conseguir sobreviver na Série A.

O Corinthians volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no domingo, às 17h. O adversário será o rival São Paulo, no estádio do Morumbi. Já o Avaí volta a jogar na Ressacada, em Florianópolis, contra o Botafogo. O duelo será no mesmo horário.

Demorou, mas o Corinthians engrenou ainda no primeiro tempo da partida. O Avaí, cauteloso demais, manteve seus onze jogadores no campo de defesa e tentou alguns contra-ataques. Na maioria das vezes em impedimento. Nos primeiro minutos, o Timão parecia nervoso. Perdeu bolas bobas e não levou perigo.

Ronaldo, por exemplo, quase não tocou na bola. Quando a tinha nos pés optava por tocar de primeira. Deu mais errado do que certo. Mais uma vez, então, o jeito foi explorar a ousadia de Bruno César. Como se movimenta o camisa 10 do Corinthians. Ele tenta pela esquerda, pela direita, pelo meio…

E tenta também de fora da área. Quando o Timão mais sentia dificuldade em abrir espaços na zaga catarinense, o meia alvinegro arriscou de longe aos 19 minutos. Girou o corpo e bateu de perna esquerda. Surpreso com o lance, o goleiro Zé Carlos ainda encostou na bola, mas ela entrou no seu ângulo esquerdo: 1 a 0.

Apesar da desvantagem, o Avaí não estava entregue. Tinha chances de reagir. Mas uma infantilidade de Robinho prejudicou a equipe de Florianópolis. Aos 34 minutos, o atacante, que já tinha cartão amarelo, colocou a mão na bola, levou o segundo e acabou expulso de campo. A torcida alvinegra comemorou como se fosse gol.

Por falar em gol, era para ter saído outro, não fosse o erro de Iarley aos 44. Depois de linda tabela com Bruno César, Elias deixou o companheiro na cara do gol. Mas ele se atrapalhou, dominou errado e perdeu chance incrível. Foi a senha para a torcida pedir a entrada de Dentinho, que retornou à equipe no banco de reservas.

Elias matador

Apesar dos pedidos da Fiel, o técnico Tite não colocou Dentinho logo de cara no segundo tempo. Resolveu dar mais uma chance a Iarley, até para preservar o jogador e não desmotivá-lo. Do lado do Avaí, Vagner Benazzi também não mudou nada. Voltou para a etapa final com o mesmo time que terminou a primeira parte.

Mas Iarley não teve sossego. Bastava tocar na bola e a torcida pegava em seu pé, pedindo a entrada de Dentinho. Só que um fato lá em Uberlândia, Minas Gerais, acalmou a Fiel. Gol do São Paulo contra o Cruzeiro. É raro, muito raro, mas a torcida alvinegra comemorou o feito do rival, que marcou com Lucas.

A comemoração só não foi maior porque Ronaldo perdeu gol incrível aos 10. Ele recebeu de Elias, de frente para o goleiro e bateu em cima de Zé Carlos. Ah se fosse o Iarley… Mas ele teve outra chance de irritar a torcida. Aos 14, recebeu de Elias de novo e perdeu a passada novamente. Dentinho foi chamado.

Na saída de campo, Iarley contou com o apoio dos companheiros, que o cumprimentaram e aplaudiram. Enquanto isso, o Avaí nada fazia para tentar a reação. Com um a menos, limitou-se a defender. Explorou alguns contra-ataques, é verdade, mas parou na segura defesa dos donos da casa.

Soberano em campo, o Timão chegou ao segundo gol aos 20 minutos. Alessandro fez boa jogada pela direita e cruzou para chegada de Elias, que bateu colocado: 2 a 0. Com o resultado nas mãos, o Corinthians tirou o pé. Mas foi ajudado ainda mais pelo Avaí. Emerson fez falta em Ronaldo e levou o cartão vermelho.

Sobrou tempo, então, para Ronaldo deixar a sua marca aos 38 e aos 44minutos. Primeiro ele recebeu de Roberto Carlos perto da meia-lua e bateu rasteiro, sem chance para Zé Carlos. E depois fez de pênalti, dando números finais à partida: 4 a 0.

CORINTHIANS 4X0 AVAÍ
Julio Cesar; Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Paulinho, Jucilei, Elias (William Morais) e Bruno César (Danilo); Iarley (Dentinho) e Ronaldo. Zé Carlos; Emerson Nunes, Emerson e Bruno; Patric (Daniel Thiago), Rudnei, Diogo Orlando, Caio (Jeferson) e Pará; Vandinho (Dinelson) e Robinho.
Técnico: Tite. Técnico: Vagner Benazzi.
Gols: Bruno César, aos 19 minutos do primeiro tempo; Elias, aos 20, e Ronaldo, aos 38 e aos 44 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Emerson, Robinho, Patric, Vandinho, Rudnei (AVA).Cartões vermelhos: Robinho, Emerson (AVA).
Público: 23.275 pagantes. Renda: R$ 764.259,50.
Local: Pacaembu, em São Paulo (SP). Data: 03/11/2010.Árbitro:Francisco Carlos Nascimento (AL). Auxiliares: Pedro Jorge Santos de Araújo e Carlos Jorge Titara da Rocha.


novembro 3, 2010 Posted by | Avaí, Corinthians | | Deixe um comentário

Diante do Avaí, Timão quer vitória para seguir rumo ao título

Pelas contas de Tite, se Timão empatar fora e vencer em casa, pode ser campeão

Após o empate fora de casa diante do Flamengo, Tite havia previsto um caminho de vitórias em casa e, no mínimo, empates como visitante para chegar ao título. Nesta quarta-feira, contra o Avaí, o treinador busca fazer valer sua estimativa e quer um triunfo ante os catarinenses.

Para reforçar o ataque, Tite poderá contar Dentinho, que não atuava pelo Corinthians há cinco partidas, quando saiu lesionado da derrota para o Atlético-MG. Entretanto, a escalação do jovem atacante não confirmada e Iarley pode aparecer novamente com a vaga de titular.

A ausência significativa na equipe será Ralf. O volante recebeu o terceiro cartão amarelo diante do Flamengo e cumpre suspensão automática. Para seu lugar, o treinador alvinegro deve escalar Paulinho. Outro volante do meio campo corintiano terá um motivo a mais para buscar a vitória e comemorar. Diante do Avaí, Elias completará a marca de 150 partidas defendendo as cores do Corinthians.

Contando também com a presença de Ronaldo em campo, Tite deve buscar sua segunda vitória desde que chegou ao clube para manter-se firma na busca pela conquista do Nacional. A seis partidas do final da competição, o Corinthians ocupa a terceira colocação, com 54, três atrás de Fluminense e Cruzeiro.

Já pelo lado catarinense, a vitória sobre o Guarani no último sábado trouxe o alento que o Avaí precisava na luta contra o rebaixamento. Os próprios jogadores revelaram que a equipe está com um “astral diferente”. No entanto, o time, que ainda segue na zona de rebaixamento, tem uma verdadeira pedreira pela frente. Por outro lado, vencer o Corinthians no Pacaembu pode tirar o Leão da degola.

– Conversei com os jogadores e pedi para eles terem a cabeça tranquila e voltada para o próximo adversário, que é o Corinthians. Temos que conversar sobre a qualidade deles, uma boa apresentação lá fora vai repercutir bem para o clube e para os jogadores – declarou o técnico Vágner Benazzi.

Para a partida desta quarta-feira, o Avaí terá as ausências do atacante Roberto, no departamento médico por conta de um estiramento na coxa esquerda. Vandinho, o provável substituto, tem uma lesão na panturrilha e é dúvida. Outro que desfalca o Leão é o lateral-esquerdo Eltinho, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Assim, Pará começa no setor.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS X AVAÍ

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 3/11/2010 – 21h50
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Pedro Jorge Santos de Araújo (AL) e Carlos Jorge Titara da Rocha (AL)

CORINTHIANS: Julio Cesar, Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Paulinho, Jucilei, Elias e Bruno César; Iarley (Dentinho) e Ronaldo. Técnico: Tite

AVAÍ: Zé Carlos; Emerson Nunes, Emerson e Bruno; Patric, Rudnei, Diogo Orlando, Caio e Pará; Vandinho e Robinho. Técnico: Vágner Benazzi

novembro 3, 2010 Posted by | Avaí, Corinthians | , | Deixe um comentário

Avaí vence o Guarani e começa a reagir na reta final

Resultado mantém o Leão catarinense na zona de rebaixamento, nova casa do Bugre

No jogo de número 100 de Vagner Mancini, técnico do Guarani, no comando de clubes da Série A, quem fez a festa foi o Avaí. O Leão deu o primeiro passo na campanha #ReageLeão, criada no Twitter, e derrotou o Bugre por 1 a 0, na noite deste sábado, na Ressacada.

O resultado, porém, não tira a equipe de Santa Catarina da zona de rebaixamento do Brasileirão. Já o Bugre, que tinha um ponto a mais que o Vitória, é o novo integrante da degola. As duas lutas contra a queda para a Série B continuam.

A postura do Guarani atuando fora de casa foi defensiva. Porém, mesmo deixando o Avaí tocar a bola atrás com liberdade, o time catarinense mostrava-se embolado. Só depois de muitos passes errados e da tendência de a partida ser decidida em jogadas de bola parada, o Avaí acordou.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Aos 24 minutos, Patric recebeu na direita da área, tocou para o meio, mas Caio foi travado no momento do chute. Três minutos depois, o placar da Ressacada foi aberto. Vandinho foi até a linha de fundo pela direita e fez cruzamento. A bola passou por toda a pequena área e sobrou para a cabeçada certeira de Eltinho.

O segundo gol só não saiu aos 36, pois Vandinho parou na defesa de Emerson, que salvou o Bugre. E o camisa 1 do Guarani apareceu novamente ao espalmar chute forte de Cleyton, que fez sua estreia com a camisa do Leão.

Na volta do intervalo, o Avaí continou dominando. E os torcedores viram Caio deixar Vandinho na cara do gol, mas o camisa 9 soltou uma bomba, pegando muito embaixo na bola, que subiu demais. Logo na sequência, Rudnei arriscou da entrada da área e a bola passou raspando a trave direita.

O Guarani tentou ficar mais tempo com a bola no pé e assustou o Leão em cobrança de falta do lateral-esquerdo Moreno. Mas o goleiro Renan fez ótima defesa, mantendo a vantagem da sua equipe. Eltinho, Caio (na trave) e Patric desperdiçaram chances, que poderiam ter tranquilizado o torcedor azulino mais cedo.

FICHA TÉCNICA:
AVAÍ 1 X 0 GUARANI

Estádio: Ressacada, em Florianópolis (SC)
Data/hora: 30/10/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Ricardo de Almeida (RJ)
Cartões amarelos: Eltinho, Rudnei (AVA); Maycon, Aislan (GUA)
Cartões vermelhos:

GOL: Eltinho 27’1T (1-0)

AVAÍ: Renan, Emerson Nunes, Cleyton (Pará, 34’/2T) e Emerson; Patric, Diogo Orlando, Rudnei (Batista, 37’/2T), Caio e Eltinho; Vandinho (Daniel, 23’/2T) e Robinho. Técnico: Vagner Benazzi.

GUARANI: Emerson, Rodrigo Heffner (Diego Barbosa, intervalo), Aislan, Ailson e Moreno; Renan, Paulo Roberto, Maycon, Victor Junior (Rodrigo César, 16’/1T) e Márcio Careca; Reinaldo (Ricardo Xavier, 22’/2T). Técnico: Vagner Mancini.

outubro 30, 2010 Posted by | Avaí, Guarani | | Deixe um comentário

Avaí e Guarani duelam contra o rebaixamento em Floripa

O técnico do Alviverde, Vagner Mancini, e o departamento de marketing catarinense são as outras atrações do jogo de sábado

Vagner Mancini completa 100 jogos como treinador de Série A neste sábado, quando o Guarani encara o Avaí, às 18h30, na Ressacada, em Florianópolis.

Mas, apoiado pela campanha #ReageLeão, criada no Twitter, os catarinenses prometem estragar a festa do comandante do Bugre em um jogo decisivo, pois ostimes lutam contra o rebaixamento: o Avaí é o penúltimo (30 pontos) e se perder ficará mais longe da salvação; o Bugre, com 35, vai ver o grupo da degola se aproximar dele em caso de insucesso.

A mobilização da torcida avaiana para evitar o rebaixamento do time chegou ao departamento de marketing do clube que criou uma camisa para a campanha. A mesma começa a ser vendida no sábado para que seja usada no duelo da noite.

– A camisa serve para unirmos forças para ajudar o Avaí a se manter na Série A, além de seguir bem na Sul-Americana – disse Sidney Speckart, diretor de marketing, que espera um ótimo público pois o ingresso será mais barato: varia de R$ 10 a R$ 20. Crianças pagam R$ 5.

Em campo, o técnico Vagner Benazzi não poderá contar com o atacante Roberto, que, mesmo sendo poupado da partida contra o Goiás, pela Sul-Americana no meio de semana, sofreu um estiramento na coxa e deve ficar afastado dos gramados por cerca de duas semanas.

Por outro lado, o lateral-direito Patric e o volante Marcinho Guerreiro, ambos com problemas no tornozelo, devem voltar a ser aproveitados. Os dois estão realizando um trabalho de recuperação e vão ser melhor avaliados no dia do jogo. Patric é quem tem mais chances de jogar.

Guarani

O atacante Mazola foi vetado pelo departamento médico e vai desfalcar o Guarani. Além dele, o técnico Vagner Mancini tem outros três desfalques: os meias Baiano e Preto, suspensos, e Fabão, que segue se recuperando de cirurgia no rosto.

O treinador tem apenas uma dúvida no meio de campo para escalar a equipe titular. O zagueiro Rodrigão e o lateral-esquerdo Fabiano, lesionados, continuam fora. Em contrapartida, o volante Paulo Roberto se recuperou de leve entorse no tornozelo esquerdo e treinou normalmente.

As boas notícias ficam por conta do zagueiro Aislan e do volante Paulo Roberto, que foram poupados dos primeiros treinos da semana. Ambos estão confirmados entre os titulares.

Sem Baiano, Preto e Mazola, Mancini deve atuar com cinco no meio de campo. Maycon e Vitor Júnior estão garantidos. A dúvida está na última vaga. O volante Rodrigo César e o lateral Márcio Careca, que atuaria imporvisado, disputam a vaga. Se o último for escolhido, Moreno ganha vaga na lateral.

Com 35 pontos e lutando para não entrar na zona de rebaixamento, o Bugre precisa dois três pontos. Dos últimos 18 disputados o Alviverde campineiro conquistou apenas 2. Mesmo assim, o Mancini se mantém confiante.

– Estamos fora da zona de rebaixamento e é bom que se diga isso. Ainda podemos alcançar o objetivo que foi traçado no início da competição, que é uma vaga na Sul-Americana – afirmou o técnico.

FICHA TÉCNICA:
AVAÍ X GUARANI

Estádio: Ressacada, em Florianópolis (SC).
Data/hora: 30/10/2010, 18:30 (de Brasília).
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Ricardo de Almeida (RJ).

AVAÍ: Renan, Emerson Nunes, Cleyton e Emerson; Patric, Rudnei (Diogo Orlando), Pará, Caio e Eltinho (Válber); Vandinho e Robinho.
Técnico: Vagner Benazzi.

GUARANI: Emerson, Rodrigo Heffner, Aislan, Ailson e Moreno; Renan, Paulo Roberto, Maycon, Vitor Junior e Marcio Careca (Rodrigo Cesar); Reinaldo.
Técnico: Vagner Mancini.

outubro 29, 2010 Posted by | Avaí, Guarani | , | Deixe um comentário

Goiás bate o rival direto Avaí e fica a três pontos do primeiro fora do Z-4

Gol de pênalti de Bernardo garante o triunfo do time goiano, que ultrapassa o adversário catarinense na tabela de classificação (31 pontos contra 30)

O Goiás recebeu neste domingo o Avaí, no Serra Dourada, e conseguiu vitória muito importante em sua luta contra o rebaixamento. Bernardo, de pênalti, fez o gol do triunfo por 1 a 0. A partida foi válida pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Com o resultado, ambas as equipes seguem na zona de rebaixamento. O Goiás, entretanto, ultrapassou o Avaí e tem agora 31 pontos, um a mais que o rival. O esmeraldino passou a ficar três pontos abaixo da primeira equipe fora da zona da degola.

O confronto foi o primeiro de três que os dois clubes vão travar num curto espaço de tempo. Os outros dois, válidos pela Copa Sul-Americana, acontecem nesta quartas-feira (27) e no dia 11 de novembro.

Avaí começa bem nos contra-ataques

A duas equipes optaram por esquemas com três zagueiros para o início do jogo. O Goiás, desde o apito inicial, demonstrou mais volume de jogo, mas foi o Avaí, nos contragolpes, que levou perigo primeiro. Em duas oportunidades, Roberto foi lançado nas costas da zaga e saiu na cara do goleiro Harlei, que em ambas as situações fez grandes defesas e salvou o esmeraldino.

Aos poucos, o Goiás conseguiu transformar o maior volume em chances. Explorando o lado direito de seu ataque, o time da casa criou oportunidades por meio de Éverton Santos, o substituto do suspenso Rafael Moura (fez dupla com Felipe no ataque). Primeiro, o atacante serviu Bernardo, que perdeu gol incrível na pequena área. Depois, ele mesmo chutou forte e obrigou Zé Carlos a espalmar para fora com dificuldade.

Pênalti bobo dá vantagem ao Goiás

Quando o primeiro tempo já caminhava para o fim, o Goiás encontrou seu gol. Aos 42, após cruzamento da direita, Marcos se enroscou com Bernardo dentro da área e a arbitragem marcou pênalti. O próprio Bernardo bateu firme e pôs o Verdão do Cerrado em vantagem.

Depois do intervalo, o Avaí voltou com Válber no lugar de Robinho não função de ligação com o ataque. O time catarinese mostrou-se ligeiramente mais ousado, embora não tenha tido facilidade para ameaçar o gol do rival.

No Goiás, aos 8 minutos, Valmir Lucas entrou na vaga do zagueiro Marcão, que além de já ter um cartão amarelo, reclamava de dores nas costelas. Precisando do resultado, o Avaí chegou a ameaçar o Goiás, principalmente em jogadas aéreas. Válber e Diogo Orlando chegaram a perder chances em cabeçadas.

Goiás se fecha e segura o resultado

Preocupado, o técnico Jorginho resolveu fechar o meio do campo e trocou Bernardo por Carlos Alberto. Ao contrário do primeiro tempo, foi o Goiás quem passou a atuar explorando os contra-ataques, principalmente depois que Vagner Benazzi lançou o atacante Vandinho na vaga do ala Marcos.

O jogo ficou mais movimentado, com chances de gol para os dois lados. Wellington Monteiro acertou a trave avaiana com um chute de fora da área que desviou na zaga. Pouco depois, aos 28, Roberto teve a chance do empate, mas a bomba foi em cima de Harlei, que fez grande defesa.

Aos 34, Jorginho armou de vez o ferrolho esmeraldino: tirou o atacante Felipe para lançar o volante Jonílson. O expediente deu certo, e o Goiás segurou o resultado positivo. Pouco antes do apito final, Bruno Silva fez falta violenta em Jonílson e levou o vermelho direto. Foi o último suspiro dos avaianos.

GOIÁS 1 X 0 AVAÍ
Harlei; Ernando, Rafael Tolói e Marcão (Valmir Lucas); Douglas, Amaral, Wellington Monteiro, Bernardo (Carlos Alberto) e Wellington Saci; Éverton Santos e Felipe (Jonílson). Zé Carlos; Emerson Nunes, Leo San e Bruno Silva; Marcos (Vandinho), Diogo Orlando (Danielzinho), Rudnei, Caio e Eltinho; Robinho (Válber) e Roberto.
Técnico: Jorginho. Técnico: Vagner Benazzi.
Gol: Bernardo, aos 42 minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Marcão, Valmir Lucas, Amaral (GOI), Marcos e Eltinho (AVA). Cartão vermelho: Bruno Silva (AVA).
Data: 24/10/2010. Estádio: Serra Dourada, em Goiânia. Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa-RS). Assistentes: Ednílson Corona (Fifa-SP) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS).

outubro 24, 2010 Posted by | Avaí, Goiás | | Deixe um comentário

Goiás e Avaí fazem prévia da Copa Sul-Americana

Equipes, que vão se enfrentar pelas quartas de final da competição latina, lutam contra o rebaixamento no Brasileiro

Goiás e Avaí fazem neste domingo, às 16h, no Serra Dourada, uma prévia do confronto pelas quartas de final da Copa Sul-Americana.

Assim como na competição latina, a partida terá um caráter decisivo. Explica-se: tanto Avaí (30 pontos) quanto Goiás (28), estão na zona de rebaixamento e precisam da vitória para respirar e seguir com chances de escapar de uma queda para a Segunda Divisão.

O Goiás teve uma má notícia na última sexta-feira: a suspensão de Rafael Moura em julgamento do STJD por dois jogos. O jogador já cumpriu um, mas fica fora do confronto de seis pontos contra os catarinenses.

O técnico Jorginho lamentou o desfalque, principalmente por não ter mais nenhum atleta com as mesmas características de Rafael. Mesmo assim, o treinador confirmou que vai Éverton Santos, expulso na quarta-feira contra o Peñarol, será o substituto do camisa 9 ao lado de Felipe.

– Vamos entrar com o Éverton e o Felipe, eu queria ter um jogador de referencia, mas não consegui contratar e por isso vamos ter que explorar a velocidade dos dois. São dois jogadores que jogam muito pelas laterais, mas é importante que eles não fiquem muito distantes um do outro. Não podemos perder de forma nenhuma dentro de casa, ainda mais contra um adversário direto – ressaltou o treinador.

Jorginho deve manter a mesma base da equipe que enfrentou o Peñarol, mas deixou a possibilidade de fazer algumas modificações, como a entrada de Rafael Toloi e Carlos Alberto no time titular. Quem permanece com moral é Marcão, que quer quebrar o tabu contra o Avaí: nos quatro jogos oficiais entre a equipe, o Goiás não venceu nenhum. Marcão acredita que a partida será tensa e que o adversário é muito perigoso, mas que o Goiás não pode pensar em errar.

Avaí

Animado pela heroica classificação na Sul-Americana, diante do Emelec (EQU), na última quinta-feira, o Avaí espera conseguir uma vitória em Goiânia para tentar deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A partida deste domingo vai servir também para o Leão conhecer melhor o Goiás, seu próximo adversário na competição latina.

– Vamos respeitar o Goiás, mas iremos atrás da vitória. Sabemos que é um adversário difícil, mas queremos para vencer – avisou o meia Caio.

Em campo, o técnico Vagner Benazzi não vai poder repetir a escalação do segundo tempo contra os equatorianos, quando o time alviceleste jogou seu melhor futebol. Isso porque o zagueiro Emerson e o meia Jeferson se machucaram durante o último jogo e nem viajaram com a delegação catarinense.

Na defesa, Benazzi deve optar pela entrada do zagueiro Léo San. No meio, Valber, que entrou muito bem contra o Emelec é o mais cotado para jogar no lugar antes ocupado por Jeferson. Por conta dos diversos problemas de lesão (Rafael, Gabriel, Patric, Marcinho Guerreiro, Rodrigo Thiesen, Leandro Bonfim e Sandro), alguns atletas das categorias de base podem aparecer.

FICHA TÉCNICA:
GOIÁS X AVAÍ

Estádio: Serra Dourada, em Goiânia (GO).
Data/hora: 24/10/2010, às 16h (de Brasília).
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS).
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS).

GOIÁS: Harlei, Valmir Lucas, Ernando (Rafael Toloi) e Marcão; Douglas, Amaral, Wellington Monteiro, Bernardo e Wellington Saci; Felipe e Everton Santos.
Técnico: Jorginho.

AVAÍ: Zé Carlos, Marcos, Emerson Nunes, Léo San e Eltinho; Bruno, Rudnei, Caio e Valber; Robinho e Roberto.
Técnico: Vagner Benazzi.

outubro 24, 2010 Posted by | Avaí, Goiás | , | Deixe um comentário

Com a volta do G4, nove times buscam vaga na Libertadores

LNET! mostra caminho das equipes para a classificação à competição continental

O disputado G4 (grupo dos quatro times classificados para a Libertadores) do Campeonato Brasileiro voltou. Nesta segunda-feira, a Conmebol aprovou mais uma vaga para times brasileiros no torneio, permitindo ao quarto colocado do Brasileirão se classificar para a competição continental. Como Santos e Internacional já estão classificados, nove equipes entram na briga pela vaga a partir de agora.

A decisão reavê a medida tomada no mês passado, quando a entidade retirou uma das vagas do Brasil na competição por conta de o campeão da edição de 2010 ter sido um clube brasileiro (Internacional).

Com isso, a briga por um lugar no torneio sul-americano deve pegar fogo. Times como Cruzeiro, Fluminense e Corinthians, que ocupam as primeiras posições neste momento, terão maiores chances matemáticas de classificação. A Raposa tem 97% de chance de se participar do torneio, e o Tricolor Carioca possui 95%. Já o Timão tem 78% de chances de disputar a Libertadores pelo segundo ano seguido. Outras equipes que estão na intermediária também ganham mais fôlego por uma vaga, como o Palmeiras e o São Paulo.

Se o Brasileiro acabasse hoje, a quarta vaga ficaria com o Atlético-PR, time que ocupa a sexta posição atrás de Internacional e Santos, que estão garantidos na Libertadores por conta dos títulos conquistados esse ano (Libertadores e Copa do Brasil, respectivamente). No entanto, o Grêmio (40%) tem mais chances de se classificar do que o Furacão (36%), segundo dados do matemático Tristão Garcia.

Confira aqui os últimos jogos de todos os candidatos a uma vaga na Libertadores de 2011 e a situação de cada um no Campeonato Brasileiro, além das chances matemáticas de cada equipe:

1º – CRUZEIRO – 54 pontos
Chances de classificação: 97%

Próximos jogos

24/10 – Atlético-MG – João Havelange
30/10 – Grêmio-PP – Eduardo José Farah
3/11 – São Paulo – João Havelange
7/11 – Vitória – Barradão
14/11 – Corinthians – Pacaembu
21/11 – Vasco – João Havelange
28/11 – Flamengo – Engenhão
5/12 – Palmeiras – João Havelange

Mesmo com a derrota para o Grêmio, no domingo, o Cruzeiro vive a sua melhor fase no Brasileirão. É líder da competição a duas rodadas e tem um dos melhores jogadores da competição: o argentino Montillo. Dificilmente ficará de fora da Libertadores do ano que vem.

2° – FLUMINENSE – 53 pontos
Chances de classificação: 95%

Próximos jogos

24/10 – Atlético-PR – Arena da Baixada
28/10 – Grêmio – Engenhão
3/11 – Internacional – Beira-Rio
7/11 – Vasco – Engenhão
14/11 – Goiás – Engenhão
21/11 – São Paulo – Morumbi
28/11 – Palmeiras – Pacaembu
5/12 – Guarani – Engenhão

Liderou o campeonato durante muito tempo, mas as lesões de Emerson, Fred e Deco diminuíram o aproveitamento do time. No domingo, tinha a chance de chegar na liderança novamente com a derrota do Cruzeiro, mas empatou com o Botafogo. Com o G4 novamente, deve ficar com uma das vagas.

3° – CORINTHIANS – 50 pontos
Chances de classificação: 78%

Próximos jogos

24/10 – Palmeiras – Pacaembu
27/10 – Flamengo – Engenhão
3/11 – Avaí – Pacaembu
7/11 – São Paulo – Morumbi
14/11 – Cruzeiro – Pacaembu
21/11 – Vitória – Barradão
28/11 – Vasco – Pacaembu
5/12 – Goiás – Serra Dourada

Até sete rodadas atrás era o favorito ao título, mas as lesões de jogadores como Jorge Henrique e Chicão, além da saída do técnico Adilson Batista resultaram em um jejum de vitórias que dura até hoje. Com isso, o clube entrou em crise, e a torcida que apoiou o time no ano todo, protestou contra vários jogadores. Com o G4, fica com chances enormes de classificação.

4° – SANTOS – 48 pontos
CLASSIFICADO (Campeão da Copa do Brasil)

Próximos jogos

24/10 – Grêmio Prudente – Vila Belmiro
30/10 – Internacional – Beira-Rio
3/11 – Vitória – Vila Belmiro
7/11 – Atlético-MG – Sete Lagoas
14/11 – Grêmio – Vila Belmiro
21/11 – Goiás – Serra Dourada
28/11 – Avaí – Ressacada
5/12 – Flamengo – Vila Belmiro

Passou por uma grande turbulência após a saída de Dorival Júnior, mas retornou a briga com o interino Marcelo Martelotte. Porém, já tem a vaga para a Libertadores garantida por causa do título da Copa do Brasil.

5° – INTERNACIONAL – 47 pontos
CLASSIFICADO (Campeão da Libertadores 2010)

Próximos jogos

24/10 – Grêmio – Olímpico
30/10 – Santos – Beira-Rio
3/11 – Fluminense – Beira-Rio
7/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
14/11 – Avaí – Beira-Rio
21/11 – Botafogo – Engenhão
28/11 – Vitória – Beira-Rio
5/12 – Grêmio Prudente – Eduardo José Farah

Corre por fora na briga pelo título. No entanto, já conquistou a Libertadores esse ano, o que lhe garante a vaga do torneio continental de 2011. No final deste ano, ainda disputa o mundial em Dubai.

6° – ATLÉTICO-PR – 46 pontos
Chances de classificação: 36%

Próximos jogos

24/10 – Fluminense – Arena da Baixada
28/10 – São Paulo – Arena Barueri
4/11 – Palmeiras – Arena da Baixada
7/11 – Flamengo – Engenhão
14/11 – Grêmio Prudente – Arena da Baixada
24/11 – Grêmio – Olímpico
28/11 – Ceará – Castelão
5/12 – Avaí – Arena da Baixada

Cresceu de um tempo para cá e já está colado nos primeiros colocados. É muito forte jogando em casa, mas não mantém a regularidade longe de Curitiba. Com o G4, se torna um candidato forte também.

7° – GRÊMIO – 46 pontos
Chances de classificação: 40%

Próximos jogos

24/10 – Internacional – Olímpico
28/10 – Fluminense – Engenhão
4/11 – Goiás – Serra Dourada
7/11 – Ceará – Olímpico
14/11 – Santos – Vila Belmiro
21/11 – Atlético-PR – Olímpico
28/11 – Guarani – Brinco de Ouro
5/12 – Botafogo – Olímpico

O Grêmio cresceu depois da chegada do técnico Renato Gaúcho. O time, que estava beirando a zona de rebaixamento do campeonato, arrancou na tabela e já começa a colar nos líderes. Com a vitória sobre o Cruzeiro, no domingo, empatou em número de pontos com o Atlético-PR. Tem duelos diretos e em casa, o que pode ajudar a classificar para a Libertadores.

8° – BOTAFOGO – 45 pontos
Chances de classificação: 21%

Próximos jogos

23/10 – Vitória – Engenhão
30/10 – Atlético-MG – Arena da Jacaré
3/11 – Atlético-GO – Engenhão
7/11 – Avaí – Ressacada
14/11 – Ceará – Castelão
21/11 – Internacional – Engenhão
28/11 – Grêmio Prudente – Engenhão
5/12 – Botafogo – Olímpico

O Botafogo também esteve flertando com a liderança até algumas rodadas atrás, no entanto, uma sequência de empates fez com que o time caísse na tabela. Ainda está vivo na briga pela Libertadores.

9° – SÃO PAULO – 44 pontos
Chances de classificação: 16%

Próximos jogos

24/10 – Ceará – Castelão
28/10 – Atlético-PR – Arena Barueri
3/11 – Cruzeiro – João Havelange
7/11 – Corinthians – Morumbi
14/11 – Vasco – São Januário
21/11 – Fluminense – Morumbi
28/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
5/12 – Atlético-MG – Morumbi

Como acontece nos últimos, reacordou na reta final do Brasileirão após uma crise intensa. Desde a chegada de Paulo César Carpegiani o time se reencontrou e vem mantendo boas atuações. Domingo, quebrou um jejum de vitórias sobre o Santos e é um dos candidatos fortes a uma vaga na Libertadores.

10° – PALMEIRAS – 44 pontos
Chances de classificação: 14%

Próximos jogos

24/10 – Corinthians – Pacaembu
30/10 – Goiás – Arena Barueri
4/11 – Atlético-PR – Arena da Baixada
7/11 – Guarani – Arena Barueri
14/11 – Atlético-GO – Serra Dourada
21/11 – Atlético-MG – Pacaembu
28/11 – Fluminense – Pacaembu
5/12 – Cruzeiro – João Havelange

Embora desminta publicamente, o Palmeiras já pensa sim em participar da Libertadores do ano que vem. O time não perde a sete jogos e cresceu muito de qualidade nas últimas rodadas. No entanto, não tem elenco suficiente. Sem Kleber, Valdivia e Marcos Assunção, a equipe fica sem peças de reposição. Talvez consiga a vaga por causa da Sul-Americana, já que Felipão é tradicionalmente um técnico copeiro.

11° – VASCO – 41 pontos
Chances de classificação: 2%

Próximos jogos

24/10 – Flamengo – Engenhão
30/10 – Vitória – Barradão
3/11 – Grêmio Prudente – São Januário
7/11 – Fluminense – Engenhão
14/11 – São Paulo – São Januário
21/11 – Cruzeiro – João Havelange
28/11 – Corinthians – Pacaembu
5/12 – Ceará – São Januário

É o time que tem menos chances. Empatou em muitos jogos que poderia ter vencido, como contra o Grêmio, em São Januário, semana retrasada. A tabela também não ajuda, já que enfrenta equipes do porte de Fluminense, Cruzeiro, São Paulo e Corinthians.

*Números do matemático Tristão Garcia

outubro 18, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , | Deixe um comentário

Atlético-MG vence o Avaí por 2 a 0 e deixa o Z-4 por apenas duas horas

Galo vence com gols de Rafael Cruz e Neto Berola e chega a sair da zona de rebaixamento, mas triunfo do Vitória deixa equipe em 17º lugar

O Atlético-MG fez o que prometeu durante toda a semana: se superou e superou, também, o Avaí. Venceu por 2 a 0 e alimentou o sonho de permanecer na Série A do Brasileirão. Depois de um primeiro tempo ruim, de poucas chances, o Galo voltou melhor no segundo tempo e faturou três importantes pontos.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Com o resultado, o Atlético-MG chegou aos 31 pontos e, por pouco mais de duas horas, deixou a zona de rebaixamento. Porém, com o triunfo do Vitória sobre o Prudente, o Galo caiu para o 17º lugar. O Avaí, por sua vez, com 30 pontos, entrou no Z-4: está na 18ª posição.

Na próxima rodada, Atlético-MG faz o clássico com o Cruzeiro, no domingo, às 18h30m (de Brasília), no Parque do Sabiá, em Uberlândia. Já o Avaí vai a Goiânia enfrentar o Goiás, às 16h.

Sem gols e com vaias

A chuva que atingiu Sete Lagoas uma hora antes da partida não foi capaz de esfriar os ânimos dos torcedores, que lotaram a Arena do Jacaré. Eles faziam festa desde a entrada do mascote em campo. E mais ainda quando os jogadores pisaram no gramado. A animação na arquibancada motivou o time mineiro, que assustou logo em sua primeira descida ao ataque, com Serginho chutando para fora, com perigo.

Mas foi o Avaí que quase abriu o placar aos 10 minutos, com Roberto. O atacante recebeu livre na intermediária, penetrou sozinho na área, driblou o goleiro Renan, que se recuperou e atrapalhou o jogador, que finalizou para fora.

O árbitro Heber Roberto Lopes sentiu a fúria da torcida atleticana aos 18 minutos. O lateral Eron cruzou da esquerda, e a bola bateu na mão do zagueiro Emerson, dentro da área. Ao contrário da decisão que tomou na Vila Belmiro, quando marcou a penalidade máxima contra o Atlético em uma bola que bateu na mão do zagueiro Werley, desta vez Heber mandou o jogo seguir e não assinalou pênalti. Ouviu muitas vaias e xingamentos.

Com os dois times desesperados em busca do resultado, o nervosismo tomou conta da partida. Os erros de passe a cada jogada levavam os torcedores e os treinadores à loucura. Vagner Benazzi chegou a discutir com torcedores do Atlético-MG que estavam atrás do banco de reservas do time catarinense.

Sem conseguir armar jogadas ofensivas, o Galo levou perigo em uma bela cobrança de falta de Daniel Carvalho, aos 39 minutos, que o goleiro Zé Carlos mandou para escanteio. O Avaí teve mais duas oportunidades, mas não conseguiu concretizar nenhuma. E primeiro tempo terminou sem gols e com muitas vaias da torcida.

Superação

A conversa do técnico Dorival Júnior no intervalo deve ter sido boa. Afinal, o Atlético-MG voltou animado. Com Neto Berola na vaga de Daniel Carvalho, aos seis minutos Rafael Cruz tabelou com o atacante, que, de calcanhar, deixou o lateral livre para chutar rasteiro no canto direito e abrir o placar. Delírio na Arena do Jacaré.

O time mineiro continuou criando boas oportunidades e levando perigo ao gol do Avaí. Até que, aos 22 minutos, Neto Berola recebeu livre na entrada da área, tirou o goleiro do lance e tocou de letra para o fundo das redes, ampliando o placar.

O gol alvinegro incendiou o jogo. O Avaí foi com tudo para o ataque e descia com velocidade, porém, era incompetente no passe final. A Arena do Jacaré virou palco de uma grande festa. Ainda mais com os gols do Grêmio sobre o rival Cruzeiro, no Olímpico. O domingo atleticano estava do jeito que a massa sonhava, mas os triunfos do Atlético-GO sobre o Vasco e do Vitória sobre o Prudente mantiveram o time entre os quatro últimos da tabela.

ATLÉTICO-MG 2 X 0 AVAÍ
Renan Ribeiro; Rafael Cruz, Rever, Werley e Eron (Renan Oliveira); Zé Luis, Serginho, Fernandinho e Diego Souza; Daniel Carvalho (Neto Berola) e Obina. Zé Carlos; Emerson Nunes, Bruno Silva e Emerson; Patric, Rodrigo Thiesen (Leo San), Batista (Marques), Valber e Eltinho; Robinho (Marcelinho) e Roberto.
Técnico: Dorival Júnior. Técnico: Vagner Benazzi.
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). Data: 17/10/2010.Horário: 16h (de Brasília). Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR).Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e José Puntarolo (PR).
Público: 16.824 pagantes. Renda: R$ 86.652,50. Cartões amarelos:Emerson, Roberto (Avaí); Fernandinho, Renan Oliveira (Atlético-MG).
Gols: Rafael Cruz (Atlético-MG), aos 6 minutos, e Neto Berola (Atlético-MG), aos 22 minutos do segundo tempo.

outubro 17, 2010 Posted by | Atlético-MG, Avaí | | Deixe um comentário

Atlético tem ‘decisão’ domingo contra o Avaí

Diante da torcida, time mineiro pode deixar a zona de rebaixamento após 20 rodadas.

O Atlético-MG encara a partida contra o Avaí, neste domingo, às 16h, na Arena do Jacaré, como uma decisão. Se vencer os catarinenses, vai ultrapassá-los na tabela de classificação e pode até sair da zona da degola.

O Alvinegro é o 18º colocado, com 28 pontos. O primeiro time fora da zona de rebaixamento é o Avaí, com 30 pontos. Para sair do Z4, além de vencer o confronto direto, o Galo precisa que o Atlético-GO não derrote o Vasco, no Serra Dourada, ou o Vitória perca do Prudente, no Barradão.

Acontecendo algum desses dois resultados, o Galo sai da zona de rebaixamento depois de 20 rodadas seguidas. Porém, os jogadores sabem que não adianta preocupar com os placares dos outros jogos se o Atlético não fizer sua parte, vencendo o Avaí.

Para isso, conta com o retrospecto favorável, jogando em casa, diante dos catarinenses, onde nunca perdeu. Além disso, o técnico Dorival Júnior ganha mais mais opções para escalar o time nessa partida. O departamento médico está esvaziando e não há jogadores suspensos.

Dessa forma, pela primeira vez, desde que chegou ao Galo, Dorival poderá contar com Daniel Carvalho, Diego Souza, Obina e Réver para montar sua equipe. Diego Tardelli não se recuperou a tempo de participar dessa partida, mas deverá ficar disponível para o clássico contra o Cruzeiro, na rodada seguinte.

A partida deste domingo diante do Atlético-MG também é decisiva para o Avaí. Se ganhar, o Leão se distancia do Galo, rival direto na luta contra o rebaixamento; se perder, entra automaticamente no Z4 pela primeira vez em todo o campeonato. Assim como contra o Flamengo, quando empatou em 2 a 2, na última rodada, os catarinenses estão desfalcados.

O novo técnico da equipe, Vágner Benazzi, que estreou com derrota no meio de semana na Sul-Americana (2 a 1 para o Emelec-EQU), não deve poder contar com o zagueiro Gabriel, que deixou o último jogo com dores na coxa. Como prefere utilizar o esquema com três zagueiros, Benazzi deve improvisar o volante Bruno na defesa.

– Se precisar de zagueiro, vou de zagueiro. Se precisar de volante, também. Estou aí para ajudar – disse Bruno.

Além disso, o volante Rudnei também desfalca o time. Ele foi expulso no empate com o Fla. O zagueiro Rafael, volante Marcinho Guerreiro e os meias Diogo Orlando e Leandro Bonfim, seguem no departamento médico e têm poucas chances de entrarem em cmapo.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG X AVAÍ

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data/Hora: 17/10/2010 às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Jose Amílton Pontarolo (PR)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Werley, Réver e Eron; Zé Luís, Serginho, Fernandinho e Diego Souza; Daniel Carvalho e Obina. T: Dorival Júnior

AVAÍ: Zé Carlos, Emerson, Emerson Nunes e Bruno; Patric, Sandro Silva, Valber, Jeferson e Eltinho; Marcelinho e Robinho.
Técnico: Vágner Benazzi.

outubro 17, 2010 Posted by | Atlético-MG, Avaí | , | Deixe um comentário

Em jogo histórico, Avaí perde para o Emelec-EQU em Guayaquil

Partida desta quarta-feira foi a primeira oficial disputada pelo clube catarinense fora do Brasil. Jogo de volta será dia 21 de outubro

O dia 13 de outubro de 2010 entrou para a história do Avaí, mas não foi como o clube e nem a torcida desejavam. Em seu primeiro jogo oficial fora do território nacional, o Leão foi derrotado por 2 a 1 para o Emelec-EQU, no Estádio George Capwell, em Guayaquil, em confronto válido pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. A partida também marcou a estreia do técnico Vagner Benazzi no comando da equipe catarinense, que levou o segundo gol aos 48 minutos da etapa final.

O jogo da volta está marcado para o próximo dia 21 de outubro, no estádio da Ressacada, em Florianópolis. Quem passar deste confronto encara o vencedor do duelo entre Goiás e Peñarol-URU. O Esmeraldino venceu a primeira partida por 1 a 0 e decide a vaga no Uruguai.

O Avaí entrou em campo com as bandeiras do Brasil, de Santa Catarina e do Chile, que viveu momentos apreensivos nos últimos dois meses com os 33 mineiros presos a mais de 600 metros de profundidade em uma mina de cobre no norte do país.

Emelec começa pressionando, mas Avaí tem as melhores chances

Em ótima fase na temporada e campeão do primeiro turno do Campeonato Equatoriano, o Emelec começou o jogo no ataque e mostrando que a pressão seria grande para a equipe brasileira. A torcida local não parava de cantar e empurrar o time. Mesmo assim, o Avaí se comportava muito bem na defesa e não dava espaços ao adversário.

O primeiro lance de perigo ocorreu aos 11 minutos. Rojas recebeu bom lançamento pela esquerda, entrou na área, mas o goleiro Zé Carlos saiu abafando e jogou a bola para escanteio. Na cobrança, o próprio Rojas aproveitou o rebote, mas o chute foi rasteiro para fora. A equipe do Avaí respondeu no ataque seguinte. Robinho entrou na cara do gol, e o goleiro Klimowicsz salvou os equatorianos espalmando para longe.

Com 22 minutos de jogos, o Emelec tinha a maior posse de bola, e o Avaí jogava no contra-ataque. A estratégia do time brasileiro quase deu certo. Depois de uma bola roubada, Marcelinho lançou para Patrick, que entrou na área, mas finalizou para fora. A equipe teve mais uma boa chance aos 26. Sandro recebeu, invadiu a área, mas chutou por cima do goleiro. O técnico Vágner Benazzi ficou desesperado à beira do campo lamentando as duas chances claras. Após o lance, a torcida do Emelec ficou em silêncio sentindo a possibilidade de sofrer um gol.

O time equatoriano tocava a bola tentando um erro de posicionamento do Avaí, mas a equipe brasileira se mostrava muito equilibrada. Sem conseguir entrar na área, o Emelec começou a arriscar chutes de fora. Aos 37, o time cobrou uma falta rápida e quase surpreendeu. Ayoví recebeu na ponta direita e cruzou forte, a bola passou raspando o travessão de Zé Carlos. O último lance de perigo do primeiro tempo foi do Avaí. Depois da cobrança do escanteio, Emerson Nunes apareceu como elemento surpresa e raspou de cabeça. A bola passou muito perto da trave.

Pressão equatoriana

Como aconteceu no primeiro tempo, o Emelec começou a etapa final pressionando. Logo com 50 segundos, Biglieri recebeu na cara de Zé Carlos e chutou forte, a bola passou raspando o travessão. Os equatorianos continuaram atacando, e Rojas perdeu outra grande oportunidade. A Bola foi cruzada na área e sobrou para o atacante, que tentou um voleio, mas finalizou fraco e para fora.

O Avaí mostrava falta de condicionamento físico no segundo tempo e jogava recuado. Com isso, o Emelec tentou aproveitar. Depois de uma cobrança de falta, a bola bateu no pé de Eltinho e foi para o fundo das redes. Os jogadores brasileiros chegaram a reclamar de um impedimento, mas o bandeira ignorou.

Na saída de bola, o Avaí atacou com muita velocidade, e Marcelinho quase empatou. O atacante chutou colocado, mas a bola foi para fora. O Emelec respondeu logo em seguida. Quiroz arriscou de fora da área e a bola explodiu no travessão. O jogo ficou aberto, e o Avaí empatou. Marcelinho fez tabela com um companheiro e finalizou com categoria no canto esquerdo do goleiro Klimowicsz.

Sabendo da importância do resultado, o Avaí começou a jogar com o tempo. O time tocava a bola e esperava o adversário para tomar alguma iniciativa. O time do Emelec ficou nervoso e fazia muitas faltas. Aos 40, Quiñonez deu um carrinho criminoso em Davi e foi expulso. Mesmo assim, o time equatoriano teve uma grande chance aos 40. Ayoví fez bela jogada pela esquerda e chutou forte para a Linda defesa de Zé Carlos. Porém, nos acréscimos o Emelec acabou com as esperanças do Avaí. Rojas recebeu passe na área e chutou, a bola ainda desviou na zaga antes de entrar. Final de jogo: 2 a 1.

EMELEC 2 X 1 AVAÍ
Klimowicsz, Quiñonez, Morante, Achilier, Valencia(Torres), Quiroz, Wila, Gimenez, Rojas, Ayoví, Biglieri Zé Carlos, Patric, Gabriel, Emerson, Emerson Nunes, Eltinho, Davi, Rudnei, Robinho, Sandro(Jeferson), Marcelinho (Valber)
Técnico: Jorge Sampaoli Técnico: Vágner Benazzi
Gols: Eltinho (contra) e Rojas. Marcelinho (Avaí)
Cartões amarelos: Robinho, Rudnei, Davi e Bruno (Avaí). Achilier e Quiñonez(Emelec). Vermelho: Quiñonez
Estádio: Estádio George Capwell, em Guayaquil (Equador). . Data:13/10//2010. Árbitro: Francisco Peñuela (COL). Assistentes: Humberto Clavijo (COL) e Eduardo Díaz (COL).

outubro 14, 2010 Posted by | Avaí | , | Deixe um comentário

Avaí pega Emelec na estreia do técnico Vágner Benazzi

Treinador foi anunciado no início da semana e deve utilizar o esquema 3-5-2 no Equador

Apresentação Emelec X Avaí Sul-AmericanaApresentação Emelec X Avaí Sul-Americana

Mal no Campeonato Brasileiro, onde figura na 16 colocação, a apenas um ponto da zona de rebaixamento, o Avaí enfrenta os equatorianos do Emelec, nesta quarta-feira, às 22h, no George Capwell, em Guayaquil.

Debutantes emcompetiçõesinternacionais, os catarinenses, que terão a estreia de seu novo técnico, Vágner Benazzi, esperam encontrar na Sul-Americana o sucesso não obtido até aqui no Brasileiro.

Benazzi ainda não conversou com os jogadores – viajou às pressas na noite de domingo –, mas deve mandar a campo o esquema 3-5-2, utilizado no segundo tempo do empate em 2 a 2 com o Flamengo.

No entanto, os onze que iniciam a partida somente serão definidos pouco tempo antes do começo do jogo. Jogadores como o meia Rodrigo Thiesen e o atacante Roberto, que não atuaram contra o Fla, devem ganhar uma chance. Ainda do meio para a frente, Caio e Valber disputam uma vaga ao lado de Jeferson no setor de criação.

Emelec

Engana-se quem pensa que o mal momento que o Avaí vive no Brasileirão fez o técnico equatoriano Jorge Luis Sampaoli não se preocupar com o adversário brazuca. Em entrevista nesta terça, o treinador disse conhecer bem os pontos fracos e fortes do Leão da Ressacada.

– É preciso ter cuidado. O volante Rudnei se movimenta muito no meio de campo e os atacantes Vandinho e Robinho são muito rápidos – disse, sem saber que Vandinho não deve ser titular.

Em campo, Sampaoli não deve poder contar com o atacante Jaime Ayovi, que, com uma lesão no joelho esquerdo, só joga por um milagre. E o provável desfalque de Ayovi não é o único do Emelec. O zagueiro Marcelo Freitas e o volante Pedro Quiñonez, com dores musculares, ainda não estão confirmados.

FICHA TÉCNICA:
EMELEC (ECU) X AVAÍ

Estádio: George Capwell, em Guayaquil (ECU).
Data/hora: 13/10/2010, às 22h (de Brasília).
Árbitro: Francisco Peñuela (COL).
Auxiliares: Humberto Clavijo (COL) e Eduardo Díaz (COL).

EMELEC: Klimowicz, Achiler, Morante, Mina e Giménez; Quiñónez, Quiróz, Biglieri, Valencia; Rojas e Menéndez (Ayoví).
Técnico: Jorge Luis Sampaoli.

AVAÍ: Renan, Patric, Emerson Nunes, Gabriel e Pará; Rodrigo Thiesen, Rudnei, Caio (Válber) e Jeferson; Roberto e Robinho.
Técnico: Edson dos Santos.

outubro 13, 2010 Posted by | Avaí, Futebol Sulamericano | | Deixe um comentário

Fla abre 2 a 0 com Val Baiano, mas Avaí busca o empate na Ressacada

Time catarinense recorre aos escanteios para buscar a igualdade: 2 a 2

Dois jogos em um. No primeiro tempo o Flamengo passeou. E no segundo, só o Avaí conseguiu atacar. Em um confronto de domínio alternado, a igualdade se justifica: Avaí e Flamengo empataram em 2 a 2 no Estádio da Ressacada, em Florianópolis, na tarde deste domingo (assista ao lado aos melhores momentos).

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Val Baiano abriu 2 a 0 para os visitantes na etapa inicial, mas Emerson e Roberto igualaram o placar após o intervalo.

Com o empate, o Avaí se mantém fora da zona de rebaixamento, com 30 pontos – é o 16º. O Flamengo desperdiça a chance de ingressar na área de classificação à Copa Sul-Americana, somando 34 pontos, na 14ª colocação.

Próximos jogos

Pela 30ª rodada do Brasileirão 2010, o Flamengo volta a jogar às 18h30m do próximo sábado, contra o Inter, no Rio de Janeiro. No domingo, o Avaí visita o Atlético-MG, na Arena do Jacaré.

Antes, o Avaí tem compromisso pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Na quarta-feira, dia 13, os catarinenses enfrentam o Emelec, no Equador.

Luxemburgo, Renato e Val Baiano

No sábado, Vanderlei Luxemburgo comandou treino tático no CT do Figueirense. Sem o clichê do mistério, revelou a equipe e esmerou-se no posicionamento dos jogadores.

Sistematizou os titulares no 4-4-2, com um volante (Willians) guarnecendo três meias alinhados: Correa, Kleberson e Renato Abreu. Sem Diogo, definiu o ataque com Diego Maurício e Val Baiano.

Onde estariam Petkovic e Deivid? Na reserva. Luxemburgo substituiu ambos. Para o meia sérvio, a justificativa foi física – ‘não é mais um garoto’, disse; sobre o centroavante, a explicação foi tática – ‘preciso de um jogador mais de área’.

Na prática, a teoria de Luxemburgo confirmou-se em dois minutos. Foi o tempo necessário para que Renato Abreu e Val Baiano, logo os dois substitutos por ele escolhidos, desconstruíssem a defesa do Avaí.

Logo aos 14, Kleberson lançou Renato Abreu, em posição irregular, entre o lateral Patric e o zagueiro Gabriel. Ele ergueu a cabeça e cruzou rasteiro. Val Baiano, o homem de área, lá estava para concluir: 1 a 0. E aos 16, novamente em jogada do meia canhoto, o centroavante fez o segundo gol do Flamengo.

Vaias aos anfitriões

Tamanha superioridade do Flamengo irritou os avaianos na Ressacada. Patric e Gabriel, considerados pela torcida co-autores dos gols adversários, passaram a ser vaiados a cada toque na bola.

Na curva sul do estádio, entretanto, aglomeravam-se pouco menos de mil flamenguistas. Eufóricos. Seus cânticos podiam ser ouvidos em qualquer centímetro quadrado do campo. E o time visitante sentiu-se em casa.

– Vamos Flamengo. Vamos ser campeões, vamos Flamengo. Minha maior paixão, vamos Flamengo. E essa taça vamos conquistar! – cantavam os rubro-negros, ao ritmo de ‘I Love You Baby’, música da compositora Gloria Gaynor.

Outro jogo

No segundo tempo, o Avaí abdicou do 4-4-2 com meio-campo em losango. O técnico Edson dos Santos fez duas trocas no intervalo: entraram Emerson Nunes e Válber, saíram Caio e Robinho, e configurou-se o 3-5-2.

A torcida também mudou. Parou de vaiar, e incentivou o Avaí.

– Ooô, vai para cima deles Leão!

A pressão, do time e da arquibancada, surtiu efeito. Aos oito, o zagueiro Emerson, capitão da equipe, voou na área e marcou de cabeça, após cobrança de escanteio. Gol que intensificou o repertório de conclusões do Avaí.

Léo Moura é expulso

Na seqüência Léo Moura, em seu 300º jogo com a camisa do Flamengo – marca que motivou homenagens ao jogador antes da partida – cometeu falta, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Atônito, o Flamengo não soube reagir, e o inevitável empate nasceu de novo escanteio, aos 14. Pará cobrou fechado, Roberto desviou, a bola passou por baixo das pernas do goleiro Marcelo Lomba e a Ressacada quase explodiu na comemoração.

Empate irreversível

O Flamengo esqueceu o caminho que levava ao campo do Avaí. Com posicionamento adiantado, os catarinenses encurralaram a equipe de Luxemburgo, e seguiram apostando nos cruzamentos pelo alto.

Com Petkovic em campo, o Flamengo tentou arrefecer a correria adversária controlando a posse de bola. Ainda assim, o Avaí seguiu pressionando, rondando a área de Marcelo Lomba. Mas, mesmo com um jogador a mais, o Avaí não conseguiu a virada.

á perto do fim do jogo, Renato Abreu se desentendeu com Rudnei. David Braz correu para tirar satisfações com o avaiano e foi atingido no rosto. O árbitro Evandro Rogério Roman resolveu por expulsar Rudnei e David. Logo depois, um torcedor do Flamengo invadiu o gramado para tentar agredir o juiz. Apartada a confusão, a bola rolou por mais dois minutos e o jogo acabou.

AVAÍ 2 X 2 FLAMENGO
Renan; Patric, Gabriel, Emerson e Pará; Rodrigo Thiesen, Rudnei, Jéfferson e Caio (Emerson Nunes); Robinho (Válber) e Roberto (Marcelinho). Marcelo Lomba; Léo Moura, David Braz, Welinton e Juan; Willians, Correa, Kleberson (Petkovic) e Renato Abreu; Diego Maurício (Galhardo) e Val Baiano (Deivid).
Técnico: Edson dos Santos. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
Gols: Val Baiano (Flamengo), aos 14m e aos 16m, no 1º tempo. Emerson (Avaí), aos 8m; Roberto (Avaí), aos 14m, no 2º tempo.
Cartões amarelos: Caio, Emerson (Avaí); Léo Moura, Willians, Juan (Flamengo). Cartões vermelhos: Rudnei (Avaí), Léo Moura e David Braz (Flamengo).
Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis. Data: 10/10/2010. Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR). Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Bruno Boschilia (PR).

outubro 10, 2010 Posted by | Avaí, Flamengo | , | Deixe um comentário

Valdivia brilha, Palmeiras goleia o Avaí e encerra jejum no Pacaembu

Meia chileno faz dois gols e ajuda Alviverde a bater o agonizante Leão por 4 a 1. Equipe volta a vencer no estádio paulistano depois de mais de um mês

Aquela história de maldição, uruca ou mandinga envolvendo Palmeiras e Pacaembu acabou na noite desta quinta-feira. Virou assunto morto e enterrado após a vitória maiúscula sobre o Avaí, um dos piores visitantes deste Campeonato Brasileiro. A goleada de 4 a 1 encerrou uma sina envolvendo a equipe palestrina e o estádio municipal paulistano: o Alviverde não vencia no local desde o dia 19 de agosto, quando bateu o Vitória por 3 a 0, pela Copa Sul-Americana.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O fim da maldição, assunto na Academia durante a semana, passou pelos pés precisos de Valdivia. O Mago fez a sua melhor partida desde que voltou ao clube, em agosto deste ano. Driblou, sofreu faltas, deu passes e fez gols. Dois, sendo um deles uma pintura, com preciso chute da intermediária do campo. O jogo ainda foi marcado por uma cena curiosa. Para dizer o mínimo.

O goleiro Zé Carlos, da equipe catarinense, defendeu pênalti cobrado por Kleber quando a partida estava 2 a 1. Em vez de sair jogando, ou até mesmo comemorar, deu um tapa no rosto do atacante palmeirense, que estava sentado. O camisa 1 foi expulso pelo árbitro Cláudio Francisco Lima e Silva, que marcou novo pênalti. Com o jovem Neto no gol, o Gladiador acertou a cobrança e ampliou a vantagem.

Agora, o Palmeiras, com 42 pontos, mas ainda na nona posição, enfrenta o Botafogo, no Engenhão, no domingo, às 16h (de Brasília). Depois disso, a equipe de Luiz Felipe Scolari se volta para a Sul-Americana. Encara o Universitario de Scure, na quinta-feira da próxima semana, na Bolívia.

Já o Avaí segue agonizando no Brasileirão. Está no limite da zona do rebaixamento, na 16ª posição, com 29 pontos, um a mais que o Atlético-MG, primeira equipe do Z-4. Na próxima rodada, o time de Edson Neguinho tenta se recuperar diante do Flamengo, na Ressacada, também às 16h de domingo.

O retorno do Palmeiras ao Pacaembu começou com um susto. Logo aos três minutos, Davi acertou a trave de Deola, provocando arrepios na torcida alviverde. Parecia que a volta ao “estádio dos caras (corintianos)”, forma como Kleber se referiu à arena municipal durante a semana, seria mais uma vez de agonia.

No entanto, um toque de magia mudou o clima para os palmeirenses que conseguiram chegar ao estádio, mesmo com a forte chuva que atingiu São Paulo até uma hora e meia antes da partida. Kleber sofreu falta pelo lado esquerdo, e Marcos Assunção logo se apresentou. Ao invés do chute direito, o camisa 28 colocou com precisão na cabeça de Valdivia. Gol do Mago, o primeiro desde que retornou. O 25º do camisa 10 pelo clube, considerando sua primeira passagem. E um tento que encerra um jejum de 12 partidas em branco – o último gol do chileno havia ocorrido contra o Vitória, em um 3 a 0 no Palestra Itália, em 7 de agosto de 2008.

Valdivia estava bem em campo. Durante a primeira etapa, ele fez uma de suas melhores exibições desde que voltou. Sofreu faltas, arriscou, deu passes. Mas o Palmeiras, apesar de dominar a partida, ainda tinha dificuldades. E bobeou na defesa.

Aos 37 minutos, o Avaí teve um escanteio. No bate-rebate, a bola sobrou na pequena área. Na tentativa de encerrar a jogada, Edinho acabou acertando o gol e empatando a disputa. No lance, ele viu Roberto, que estava em posição de impedimento, aparecer de repente, mas não teve jeito. O árbitro anotou o gol para o atleta do time catarinense: 1 a 1.  E a sina do Palmeiras de não conseguir um bom resultado no Pacaembu persistia. Ao menos no primeiro tempo.

Valdivia voltou do intervalo com tudo. E não demorou muito para o Mago dar mais um toque refinado no confronto. Depois de um drible de corpo, ele armou o pé direito e disparou contra Zé Carlos. Sem chances para o goleiro do Avaí. Um golaço. O 2 a 1 no placar mexeu com os torcedores, que começaram a cantar “Festa no chiqueiro”, mesmo fora do Palestra Itália.

Depois da magia, a confusão. Rivaldo foi derrubado na área por Patric. Os atletas do Avaí contestaram a marcação do pênalti, mas não houve jeito. Kleber, porém, bateu de forma displicente, no meio do gol. Zé Carlos defendeu sem dificuldades, mas para ele não foi suficiente. O goleiro pegou a bola e provocou o atacante palmeirense. Deu um tapinha no rosto do Gladiador e zombou da sua batida. Com o camisa 30 alviverde no chão, Cláudio Francisco Lima marcou nova penalidade.

Com Renan no gol – Zé Carlos foi expulso depois de levar o segundo amarelo – , Kleber não perdeu. Bateu seguro, no lado esquerdo do jovem arqueiro, e comemorou os 3 a 1, aos 13 minutos. Com um a mais em campo, o jogo passou a ficar mais tranquilo para o Palmeiras. O único susto foi aos 24, quando Caio tentou duas vezes contra Deola, mas o goleiro palestrino foi bem nas defesas.

E houve tempo até para Gabriel Silva, atleta revelado pelas categorias de base do Palmeiras, marcar. E com o pé direito. Com liberdade, o lateral-esquerdo armou o chute e fez um golaço, no ângulo de Renan. O placar de 4 a 1 enterrava de vez qualquer maldição do Pacaembu.

PALMEIRAS 4 X 1 AVAÍ
Deola, Vitor (Patrik), Maurício Ramos, Fabrício e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção (Pierre), Márcio Araújo, Rivaldo (Lincoln) e Valdivia; Kleber. Zé Carlos; Patric, Emerson, Gabriel e Pará; Bruno Silva (Renan), Rodrigo Thiesen, Caio (Marcelinho) e Davi; Robinho e Roberto.
Técnico: Luiz Felipe Scolari. Técnico: Edson Neguinho.
Gols: Valdivia, aos 11, e Roberto, aos 37 minutos do primeiro tempo. Valdivia, aos 4 minutos, Kleber, aos 13, e Gabriel Silva, aos 25 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Bruno Silva, Emerson e Zé Carlos (Avaí). Cartão vermelho: Zé Carlos (Avaí).
Local: Pacaembu, em São Paulo. Árbitro:Cláudio Francisco Lima e Silva (SE). Auxiliares:Vaney Alves de Lima e Edmo Oliveira Santos (ambos do SE). Público: 6.306 pagantes. Renda: R$ 208.850,00.

outubro 7, 2010 Posted by | Avaí, Palmeiras | , | Deixe um comentário