Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Contra o Grêmio, Atlético-PR pensa alto

Após a vitória contra o Prudente, Furacão já pensa no G4; Tricolor segue lutando para escapar da degola

Embalado com as duas vitórias consecutivas, que o fizeram abrir cinco pontos da zona do rebaixamento, o Atlético-PR recebe o Grêmio, neste domingo, às 18h30, na Arena da Baixada, visando a parte de cima da tabela.

Uma vitória sobre o Tricolor gaúcho pode colocar o Furacão até oito pontos longe da zona da degola e aproximá-lo do G4 (no momento, a diferença é de quatro pontos). Além disto, seria a primeira vez na temporada que o clube venceria três partidas consecutivas na competição.

Para ajudar o bom momento, o técnico Paulo César Carpegiani pode ter apenas um desfalque. O volante Chico recebeu uma proposta do Bétis (ESP) e, caso aceite, viaja neste final de semana para a Europa. Por outro lado, o armador Paulo Baier, recuperado de dore no joelho, está de volta. E, assim, quem pode ficar fora é o atacante Guerrón.

– Cheguei a testar o Paulo Baier como segundo volante, mas isto está descartado. Ele vai entrar no lugar de um dos atacantes, que pode ser o Guerrón, o Bruno Mineiro ou o Maikon Leite. Vai depender – declarou o treinador, abindo mão do 4-3-3 para voltar ao 4-4-2, com Branquinho permanecendo entre os titulares.

Grêmio

Com o Grêmio demorando a sair da zona de rebaixamento (é 17º, com 15 pontos), o técnico Renato Gaúcho age como quem troca pneus com o carro andando: promove a estreia tão logo o reforço desembarca.

Quarta-feira, contra o Santos, no Olímpico, escalou Vilson dois dias depois da apresentação do ex-zagueiro do Vitória. Neste domingo, mandará a campo o lateral-direito Gabriel, ex-Panathinaikos (GRE).

E o lateral-esquerdo Gilson, ex-Paraná, poderá reaparecer num gramado de Curitiba três dias depois de ter-se mudado para Porto Alegre.

Renato age assim porque tem um problema grave: sua defesa vaza por todos os lados. É a quinta pior, com 23 gols tomados. Contra o Santos, foi uma tragédia: o Tricolor perdeu de virada levando gol nos descontos, quando já festejava a saída da zona de degola.

Assim, nem a volta ao esquema de três zagueiros está descartada. Entre as várias experiências no coletivo da sexta-feira, esteve a do zagueiro Neuton entrando junto a Vilson e Rafael Marques.

– No 3-5-2, nossa zaga fica mais alta, mais protegida, e ao mesmo tempo mantemos jogadores suficientes para chegar ao ataque -justificou Renato, citando a única vitória do Grêmio sob seu comando, o 2 a 0 sobre o Goiás.

Ele esqueceu que o time perdeu para o Ceará por 1 a 0, no último sábado em Fortaleza, utilizando os três zagueiros. De qualquer forma, a definição só sairá pouco antes do jogo. E é pouco provável que a fórmula seja utilizada.

No meio de campo, o técnico não contará com o volante Willian Magrão pelas próximas três semanas. Contra o Santos, quarta-feira, Magrão sofreu estiramento na coxa esquerda. Menos mal que a saída do jogador coincidiu com o retorno de Adilson, também volante. A zaga poderá ficar melhor protegida. Mas Renato não excluiu a possibilidade de utilizar Lúcio na função, embora este seja lateral-esquerdo.

A articulação de jogadas deverá continuar com Souza e Douglas e o ataque terá Jonas e Borges. Um quarteto de respeito. O problema, como sempre, será equilibrar tudo com um bom sistema defensivo.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-PR X GRÊMIO

Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR).
Data/hora: 29/8/2010, às 18h30 (de Brasília).
Árbitro: Djalma José Beltrami Teixeira (RJ).
Auxiliares: Katiuscia Mayer Berger Mendonça (ES) e Lilian da Silva Fernandes Bruno (RJ).

ATLÉTICO-PR: Neto, Wagner Diniz, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico (Deivid), Olberdam, Branquinho e Paulo Baier; Maikon Leite e Bruno Mineiro.

agosto 29, 2010 Posted by | Atlético-PR, Grêmio | , , | Deixe um comentário

Atlético-PR faz 1 a 0, despacha o Prudente e vence a segunda seguida

Branquinho fez o único gol da vitória paranaense. Furacão chegou aos 20 pontos e se afastou da zona de rebaixamento do Campeoanto Brasileiro

Com um futebol superior, de posse de bola e de mais finalizações a gol, o Atlético-PR conseguiu um ótimo resultado diante do Grêmio Prudente. A equipe venceu por 1 a 0, com um gol de Branquinho, já no segundo tempo da partida. Foi a segunda vitória consecutiva do Furacão, que vinha de um triunfo sobre o Flamengo, no último fim de semana.

Com o resultado, o Atlético-PR chegou aos 20 pontos e subiu bastante na tabela de classificação, se afastando da zona de rebaixamento. Já o Grêmio Prudente segue com 15, ainda na zona da degola do Campeonato Brasileiro.

Agora, na próxima rodada, o time paulista enfrentará o Ceará, no sábado, às 18h30m (de Brasília), em Fortaleza. O Atlético-PR, por sua vez, receberá o Grêmio, no domingo, às 18h30, na Arena da Baixada.

Primeiro tempo sem emoção

O Atlético-PR começou melhor, com mais presença no ataque. O meia Guerrón, sempre com muita velocidade pela direita, chegava com certa efetividade. O jogador se entendia bem com o atacante Bruno Mineiro, que finalizou com perigo contra o gol de Giovanni, aos 10 minutos.

O Grêmio Prudente, por sua vez, tinha dificuldades em incomodar o goleiro Neto, do Furacão. João Vítor e Carlos Eduardo eram os únicos que tentavam armar as jogadas de ataque, mas em quase todas as oportunidades a defesa paranaense levava vantagem.

O jogo era truncado, jogado entre as duas intermediárias, sem quase nenhuma boa chance de gol. As defesas bem postadas se sobressaíam sobre os atacantes. Mesmo assim, o Furacão era melhor e tinha mais posse de bola.

Os poucos momentos de emoção surgiam com jogadas individuais. Bruno Mineiro, o mais lúcido do ataque rubro-negro, aos 34 minutos, quase abriu o placar. O atleta – de fora da área – bateu forte, mas Giovanni estava atento para mandar a bola para a linha de fundo.

O placar de 0 a 0 não fez justiça ao Atlético-PR, que mostrou um melhor futebol que os paulistas.

Gol salvador

O técnico Antônio Carlos Zago voltou para o segundo tempo com uma alteração. O comandante tirou Deyvid Sacconi e colocou em campo Adriano Pimenta. A intenção era dar mais agressividade ao ataque da equipe paulista. Porém, o que se viu foi uma réplica do primeiro tempo, com um predomínio total do Atlético-PR.

A equipe rubro-negra continuava com mais posse de bola e não dava chance aos adversários. Tamanho volume de jogo acabou sendo recompensado, aos 14 minutos. Branquinho dominou a bola na entrada da área, cortou o zagueiro e bateu forte, no canto esquerdo de Giovanni, sem chance de defesa: 1 a 0 para o Furacão.

Após o gol, o Grêmio Prudente cresceu de produção. Desesperado pelo empate e impulsionado pelas alterações de Antônio Carlos Zago, o time paulista chegou com perigo por diversas vezes. O goleiro Neto teve que aparecer e fazer grandes intervenções, evitando o empate.

O técnico Paulo César Carpegiani alterou a equipe para reforçar a defesa, visando manter o placar. O Prudente pressionou, mas não conseguiu empatar o jogo. O placar mínimo a favor do Furacão fez justiça a quem buscou o gol com mais vontade.

GRÊMIO PRUDENTE 0 X 1 ATLÉTICO-PR
Giovanni; Paulo César, Anderson Luís, Flávio Boaventura e Marcelo Oliveira; Rodrigo Mancha, João Vítor, Carlos Eduardo (Henrique Dias) e Deyvid Sacconi (Adriano Pimenta); Robson (Rafael Martins) e Wesley. Neto; Wagner Diniz, Rhodolfo, Manoel e Paulinho; Chico, Olberdam (Deivid), Branquinho e Guerrón (Bruno Costa); Maikon Leite (Thiago) e Bruno Mineiro.
Técnico: Antônio Carlos Zago. Técnico: Paulo César Carpegiani.
Estádio: Prudentão, em Presidente Prudente (SP). Data: 25/8/2010.Horário: 21h (de Brasília). Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES).Auxiliares: José Ricardo Maciel Linhares (ES) e Adaílson Alves Pereira (ES).
Público: 2.419 pagantes. Renda: R$ 35.310,00. Cartão amarelo:Adriano Pimenta (Grêmio Prudente), Neto (Atlético-PR).
Gol: Branquinho (Atlético-PR), aos 14 minutos do primeiro tempo.

agosto 26, 2010 Posted by | Atlético-PR, Grêmio Prudente | , | Deixe um comentário

Atlético-PR derruba Fla ‘sem ataque’ no caldeirão da Arena da Baixada

Time paranaense não joga bem, mas consegue vitória por 1 a 0 e sai do Z-4. Flamengo repete caos ofensivo e aguarda por Deivid e Diogo

O caldeirão basta. O Atlético-PR não jogou bem, tão pouco empolgou os 23 mil presentes na tarde deste domingo. Mas tabu é tabu. E um gol de cabeça de Manoel garantiu a magra vitória por 1 a 0 e mostrou por que o Flamengo tem pânico das partidas na Arena da Baixada. Este foi o 11º duelo no estádio, com nove vitórias do mandante e dois empates.

O Furacão, que passou a noite no Z-4, respira. O time chegou aos 17 pontos e fica na 14ª posição. O destaque da partida foi o ligeiro Maikon Leite. (assista aos melhores momentos no vídeo ao lado).

O time carioca, por sua vez, também confirmou sua fraqueza ofensiva e precisa mais do que nunca da estreia da dupla Deivid e Diogo para voltar a ter um ataque respeitável. Nos oito jogos pós-Copa, a equipe fez quatro gols, dois deles de pênalti. Diante de números tão ruins, a equipe manteve os 20 pontos, caiu para o décimo lugar e distanciou-se do G-4.

Apesar da derrota, em alguns momentos do primeiro tempo a torcida do Fla imaginou que o trauma da Arena chegaria ao fim. O time teve mais posse de bola, envolveu o adversário em alguns momentos, mas não passou disso. Rogério Lourenço começou com Val Baiano e Leandro Amaral e no intervalo decidiu trocá-los por Borja e Vinícius Pacheco. O que era razoável ficou péssimo, e o time carioca passou a ser martelado até sofrer o gol de cabeça, aos 37 minutos da etapa final.

Na próxima rodada, os curitibanos visitam o Grêmio Prudente, quarta-feira, no Prudentão. No dia seguinte, o Flamengo recebe o Atlético-MG no Maracanã.

Fla domina, mas não finaliza

A posição desconfortável na tabela não desanimou a torcida do Atlético-PR, que tomou as arquibancadas da Arena. A escalação com três atacantes (Marcelo, Maikon Leite e Bruno Mineiro) também evidenciou a necessidade de vitória.

O Flamengo fugiu das características predominantes da gestão Rogério Lourenço. Ao contrário dos outros jogos, o time abandonou a cautela defensiva e posicionou-se mais à frente, dominando o adversário desde o início. Mas a primeira chance foi dos anfitriões. Aos nove minutos, Bruno Mineiro ajeitou, Maikon Leite girou e bateu para fora, à direita da trave.

Sob o olhar de Sidnei Lobo, assistente do técnico da seleção brasileira Mano Menezes, Willians deu o primeiro chute do Flamengo aos 11. Mas errou por muito. Em contra-ataque rápido, aos 16, Petkovic lançou rasteiro para Val Baiano. Manoel chegou antes, mas por pouco não fez gol contra.

O Atlético chegou perto duas vezes. Primeiro, Olberdam cabeceou para fora, mas assustou Marcelo Lomba. Depois, aos 25, foi a vez de Maikon Leite chutar, a bola desviar em Jean e parar nas mãos do goleiro carioca.

Aos 27, Petkovic orquestrou um bom ataque. Driblou Rhodolfo, tabelou com Val Baiano, mas o passe final para o atacante foi muito à frente, e a zaga cortou. Depois de uma jogada perigosa de Leandro Amaral e Petkovic que, mais uma vez, esbarrou na zaga adversária, o Flamengo precisou do travessão para se salvar em chute de Paulo Baier, aos 39. O lance despertou o Furacão nos minutos finais do primeiro tempo. Aos 42, Maikon Leite cruzou rasteiro da direita e Paulo Baier, livre e sem goleiro, conseguiu perder.

Ataque novo dos cariocas dá força ao Furacão

No intervalo, Rogério Lourenço mudou a dupla de ataque. Saíram Val Baiano e Leandro Amaral, que não estavam mal no jogo, e entraram Borja e Vinícius Pacheco. A situação ficou pior, bem pior para os cariocas. Em um sopro de esperança, um zagueiro quase fez para o Flamengo. Aos três, Ronaldo Angelim cabeceou após cobrança de escanteio e Neto fez defesa espetacular.

O Atlético-PR reclamou de um pênalti de Correa em Maikon Leite, aos 13 minutos, mas Carlos Eugênio Simon mandou corretamente o lance seguir. No contra-ataque, Vinícius Pacheco chutou fraco e o goleiro do Furacão agasalhou. O mesmo Vinícius quase deu sorte aos 23. A bola desviou na zaga e Neto teve que agir para impedir o gol.

Melhor jogador em campo, Maikon Leite driblou Jean e por pouco não acertou o ângulo esquerdo. O gol dos donos da casa demorou, mas saiu. Paulo Baier cobrou escanteio da direita, Manoel se antecipou à zaga, aos 37, e cabeceou para as redes (assista ao gol no vídeo ao lado).

O Flamengo lançou-se ao ataque e Vinícius Pacheco teve ótima chance de cabeça. Mas como o forte não é finalizar, a bola foi para fora. Dali em diante, o Atlético-PR perdeu algumas chances e administrou a vitória.

ATLÉTICO-PR 1 X 0  FLAMENGO
Neto; Wagner Diniz, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Olberdam (Bruno Costa), Chico e Paulo Baier; Marcelo (Branquinho), Maikon Leite e Bruno Mineiro (Deivid). Marcelo Lomba; Léo Moura, Jean, Ronaldo Angelim e Juan; Correa, Willians, Renato e Petkovic (Kleberson); Leandro Amaral (Borja) e Val Baiano (Vinícius Pacheco)
Técnico: Paulo Cesar Carpegiani Técnico: Rogério Lourenço
Gol: Manoel, aos 37 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Bruno Mineiro, Paulo Baier (Atlético-PR). Borja e Willians (Flamengo)
Estádio: Arena da Baixada. Data: 22/8/2010. Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS). Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Paulo Ricardo Conceição (RS). Público: 21.734 pagantes (23.010 presentes). Renda R$ 414.340,00

agosto 22, 2010 Posted by | Atlético-PR, Flamengo | | Deixe um comentário

Furacão x Fla: ataques em busca de redenção

Com problemas ofensivos, Atlético-PR e Flamengo se enfrentam na Arena da Baixada, pela 15ª rodada do Brasileirão

Para vencer uma partida, há uma corrente no futebol que costuma dizer que a melhor defesa é o ataque. Nesse sentido, Atlético Paranaense e Flamengo têm um grande problema para o confronto deste domingo, às 16h, na Arena da Baixada, pela 15ª rodada do campeonato Brasileiro. Afinal, os próprios técnicos Paulo César Carpegiani, do Furacão, e Rogério Lourenço, do Rubro-Negro carioca, reconhecem a deficiência dos setores ofensivos de suas equipes.

O Flamengo se reforçou com Diogo e Deivid, porém, as novas contratações, apesar de já regularizadas na CBF, ainda não têm data para estrear. Dessa forma, a esperança (ou falta dela) da torcida continua recaindo sobre a dupla formada por Leandro Amaral e Val Baiano, confirmada como titular para o duelo.

– O ambiente é ótimo, mas temos que levar para dentro de campo. Não podemos confundir alegria com euforia – ressaltou, pedindo para que o time não se contagie com a agitação em torno da chegada dos recém-contratados.

Na zaga, o comandante assegurou a volta de Jean ao lado de Ronaldo Angelim, mantendo o esquema 4-4-2. O treinador espera que o time vença e se aproxime do G-4. Com 20 pontos, o Rubro-Negro é o oitavo na tabela.

Já o Furacão vem em 16º, com 14 pontos. Na luta para se afastar da zona de rebaixamento, a equipe vem sofrendo com a má pontaria de seus jogadores. Por isso, o técnico Paulo César Carpegiani montou o time no 4-3-3. O equatoriano Guerrón lesionou o tornozelo direito e foi vetado, dando lugar a Marcelo no ataque, setor que ainda será formado por Maikon Leite, também caindo pelos lados, e Bruno Mineiro como ponto de referência na área.

– Diante do Flamengo, é a hora da recuperação. Para conseguirmos os resultados temos que ter mais atitude dentro de campo. E contra o Flamengo é um ótimo momento para executarmos isso e provarmos o nosso valor diante da nossa torcida – afirmou Carpegiani.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-PR X FLAMENGO

Estádio: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data/hora: 22/8/2010 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon/RS (FIFA)
Auxiliares: Altemir Hausmann/RS (FIFA) e Paulo Ricardo Silva Conceição/RS (FIFA)

ATLÉTICO-PR: Neto, Wagner Diniz, Manoel (Eli Sabiá), Rhodolfo e Paulinho; Chico, Olberdam e Paulo Baier; Marcelo, Bruno Mineiro e Maikon Leite. Técnico: Paulo César Carpegiani

FLAMENGO: Marcelo Lomba, Leonardo Moura, Jean, Ronaldo Angelim e Juan; Correa, Willians, Petkovic e Renato; Leandro Amaral e Val Baiano.

agosto 22, 2010 Posted by | Atlético-PR, Flamengo | , | Deixe um comentário

Mano chama três estreantes para treinos da Seleção

Philippe Coutinho ganha primeira chance com a Amarelinha. Grupo se reunirá na Europa entre os dias 30 de agosto de 9 de setembro

O técnico Mano Menezes convocou nesta sexta-feira 22 jogadores que atuam no exterior para período de treinos da Seleção na Europa, entre os dias 30 de agosto e 9 de setembro. O treinador chamou três estreantes: os meias Douglas Costa (Shakhtar), Fernandinho (Shakhtar) e Philippe Coutinho (Internazionale).

A Seleção tinha disponível duas datas da Fifa para amistosos oficiais em setembro, nos dias 4 e 8. No entanto, a CBF não encontrou adversários para o time de brasileiro, que realizará apenas treinamentos.

A possibilidade já havia sido admitida por Mano durante evento de um dos patrocinadores da Seleção, na segunda-feira.

Não temos a condição ideal na Granja (Comary, em Teresópolis). Visitei as dependências e passei isso para as pessoas da CBF. Se não for para nos reunirmos na Granja, não há sentido fazer em outro lugar do Brasil. Estaríamos nos atrapalhando mais do que ajudando.

Esta foi a segunda convocação de Mano à frente da Seleção. A primeira aconteceu no fim de julho, para o amistoso contra os Estados Unidos, há dez dias. O jogo, disputado em Nova Jersey, terminou com vitória brasileira por 2 a 0.

Confira a relação de convocados:

GOLEIROS:
Gomes (Tottenham)
Diego Alves (Almería)

LATERAIS:
Daniel Alves (Barcelona)
Rafael (Manchester)
André Santos (Fenerbahçe)
Marcelo (Real Madrid)

ZAGUEIROS:
Alex (Chelsea)
David Luiz (Benfica)
Henrique (Racing Santander)
Thiago Silva (Milan)

VOLANTES:
Hernanes (Lazio)
Ramires (Benfica)
Sandro (Tottenham)
Lucas (Liverpool)

MEIAS:
Carlos Eduardo (Hoffenheim)
Douglas Costa (Shakhtar)
Fernandinho (Shakhtar)
Philippe Coutinho (Internazionale)

ATACANTES:
Alexandre Pato (Milan)
Robinho (Manchester City)
André (Dínamo de Kiev)
Hulk (Porto)


agosto 20, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Palmeiras vence Atlético-PR e acaba com jejum de Felipão: 2 a 0

Mesmo jogando com um a mais durante todo o segundo tempo, Furacão não consegue se impor. Zona de rebaixamento se aproxima

Acabou o jejum. Sete jogos após a estreia do técnico Luiz Felipe Scolari, o Palmeiras finalmente consegue uma vitória. Azar do Atlético-PR, que, mesmo com um jogador a mais durante quase todo o segundo tempo, perdeu por 2 a 0, neste sábado, no Pacaembu, e vê a zona de rebaixamento se aproximar.

Na próxima rodada,  o Palmeiras enfrenta o Guarani, domingo, às 16h, fora de casa. O Atlético-PR recebe o Flamengo, no mesmo horário.

Em uma das cabines do Pacaembu, o técnico Mano Menezes viu o técnico Luiz Felipe Scolari fazer mudanças – guardadas as devidas proporções – tão radicais quanto as que o técnico da Seleção promoveu no amistoso contra os EUA. Felipão cumpriu o que prometeu durante a semana e fez várias trocas na equipe. O lateral-direito Vitor, o volante Pierre e o atacante Ewerthon foram barrados. Na vaga de Pierre, entrou o zagueiro Fabrício e o Palmeiras entrou em campo no 3-5-2 pela primeira vez desde que Felipão assumiu. Foi com esse esquema que o treinador levou o Brasil ao pentacampeonato mundial, em 2002. O volante Márcio Araújo foi para a ala direita e Luan ocupou o lugar de Ewerthon. Outra novidade foi a escalação do volante Tinga,que atuou mais adiantado.

Foi uma verdadeira revolução na equipe. O resultado foi quase instantâneo. Marcando forte as saídas de bola do Atlético-PR, o Verdão abriu o placar logo aos três minutos de jogo. Marcos Assunção cobrou falta e a zaga rebateu. A bola sobrou para Tinga, que bancou o ponta direita, foi à linha de fundo e cruzou na cabeça do zagueiro Danilo, que subiu e escorou de cabeça, estufando a rede (veja o vídeo).

A torcida palmeirense pulou para comemorar o gol e espantar o frio. A temperatura em São Paulo despencou neste sábado e atingiu os 11ºC durante o jogo.

O técnico do Atlético, Paulo César Carpegiani, foi rápido ao perceber que seu time tinha dificuldades para sair. Sacou o lateral-esquerdo Bruno Costa, que é mais marcador e estava sem função na equipe, pois o palmeirense Márcio Araújo não subia. Entrou o meia Branquinho, que assumiu a função de armar a equipe, empurrando Paulo Baier mais para a frente. Paulo saiu do meio para cobrar a lateral.

Com essas mudanças, o Furacão passou a ter o domínio da bola e a rondar a área palmeirense. No entanto, não chegou a criar jogadas muito perigosas, a não ser em lances de bola parada. Paulo Baier chegou a arriscar algumas faltas, mas todas pararam nas mãos do goleiro Marcos.

O segundo tempo começou complicado para o Palmeiras. Logo aos três minutos,  Tadeu disputou bola no meio de campo com Deivid e seu braço atingiu o rosto do adversário. O palmeirense levou o segundo amarelo (ele já havia recebido um no início da partida, por retardar uma cobrança de falta) e, conseqüentemente, o vermelho.

Imediatamente, Carpegiani mexeu no time, tirando o próprio Deivid, um volante, para a entrada do atacante Mithyê. Com esse novo jogador e mais o rápido atacante Maikon Leite,que havia entrado no intervalo, na vaga de Guerrón, o Furacão se tornou muito perigoso, sobretudo nas jogadas pela direita. Aos 10, Maikon fez fila, foi à linha de fundo e cruzou para atrás, na direção de Mithyê, que cabeceou firme, obrigando Marcos a fazer ótima defesa.

As mudanças deixaram o time paranaense com apenas um volante, Chico, dois meias, Branquinho e Paulo Bayer e dois atacantes, Maikon Leite e Bruno Mineiro. Se por um lado o gol de Marcos era mais ameaçado, por outro havia espaços para o Palmeiras contra-atacar.

E foi assim que o Verdão matou o jogo. Aos 17, Edinho arrancou livre pelo meio e avançou em direção à área até ser brecado com falta. Na cobrança, Marcos Assunção acertou o travessão. Aos 31, Tinga acertou um precioso passe para Ewerthon, que havia entrado há poucos minutos, no lugar de Luan. O atacante recebeu sozinho, já dentro da área, e chutou forte, de pé direito, ampliando o placar.

PALMEIRAS X ATLÉTICO-PR
Marcos, Maurício Ramos, Danilo e Fabrício; Márcio Araújo, Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Rivaldo; Tadeu e Luan (Ewerthon) Neto; Leandro, Gustavo Lazzaretti, Rhodolfo e Bruno Costa (Branquinho); David (Mithyuê), Chico, Paulo Baier e Paulinho; Guerrón (Maikon Leite) e Bruno Mineiro
Técnico: Luiz Felipe Scolari Técnico: Paulo César Carpegiani
Gols: Danilo, 3 minutos do primeiro tempo; Ewerthon, aos 31.
Cartões amarelos: Paulo Bayer, Maikon Leite (Atlético-PR), Tadeu, Maurício Ramos (Palmeiras). Cartão vermelho: Tadeu (Palmeiras)
Renda e público: R$ 350.520,00/9.400 pagantes
Local: Pacaembu, em São Paulo. Data: 14/8/2010. Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF). Auxiliares: Hilton M. Rodrigues (RJ) e César Augusto de Oliveira Vaz (DF).

agosto 14, 2010 Posted by | Atlético-PR, Palmeiras | | Deixe um comentário

Palmeiras recebe o Atlético-PR para fugir da crise

Sob os olhares de Valdivia, que será apresentado à torcida, Verdão busca encerrar série negativa

Seis jogos consecutivos sem vencer, na 13ª posição no Campeonato Brasileiro e após uma derrota por 2 a 0 para o Vitória, pela Sul-Americana, no meio da semana. É nessa situação que o Palmeiras recebe o Atlético-PR neste sábado, às 18h30, no Pacaembu.

Apesar da péssima fase que o time atravessa, os torcedores terão um motivo para comemorar no estádio: o chileno Valdivia, principal reforço do Verdão, será apresentado antes da partida. E os palmeirenses esperam que ele traga sorte à equipe.

Após a derrota para o Vitória, na última quarta-feira, o técnico Luiz Felipe Scolari, que ainda não ganhou desde que retornou ao Palmeiras, prometeu pelo menos quatro mudanças no time titular. Porém, o treinador faz mistério e fechou o último treino antes do duelo, sem dar pistas da escalação.

Felipão terá vários problemas para montar a equipe. Ele não contará com o atacante Kleber e com o lateral-esquerdo Armero, suspensos por terem tomado o terceiro cartão amarelo. Já o goleiro Marcos, que se recupera de uma artroscopia no joelho esquerdo, e o meia Lincoln, com uma lesão na coxa direita, também desfalcam o Verdão.

Com isso, Deola deve continuar como titular no gol. No ataque, Tadeu deve ser o substituto do Gladiador e Patrik e Tinga lutam pela vaga de Lincoln. Já Gabriel Silva deve voltar ao time na lateral esquerda.

Já O Atlético Paranaense viajou para Sâo Paulo sem saber qual será sua escalação. Insatisfeito com o rendimento nos treinamentos, o técnico Paulo César Carpegiani disse ter dúvidas quanto à formação do time. E elas não são poucas.

O treinador escalou a equipe com Leandro na lateral direita, Gustavo Lazaretti na defesa e Paulinho na esquerda. Depois, passou Leandro para a posição de Gustavo, que deu lugar a Wagner Diniz. Já Paulinho atuou no meio-campo, ao lado de Paulo Baier, com Bruno Costa entrando na esquerda. Além disso, Deivid e Olberdam disputam a vaga do volante Vitor, vetado com dores musculares.

Porém, apesar de todas as dúvidas, Carpegiani acredita que o Furacão vai a campo para buscar os três pontos, uma vez que o clube ocupa a desconfortável 15ª posição, com apenas 14 pontos. Entretanto, o treinador não acredita que a má fase do Palmeiras, que ainda não venceu sob o comando de Luiz Felipe Scolari, possa ajudar.

– Não podemos nos preocupar com o adversário, que apesar de não passar por uma boa fase, tem um grande elenco e uma grande tradição. Temos que ir para lá para buscar os três pontos. Um empate não vai nos ajudar. Mesmo jogando fora temos que ter esta ambição. Nossa proposta de jogo será igual à do Palmeiras, porque vamos atrás do resultado – afirmou o técnico.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X ATLÉTICO-PR

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 14/8/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF)

PALMEIRAS: Deola, Vitor, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Pierre, Edinho, Márcio Araújo e Patrik (Tinga); Ewerthon e Tadeu. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ATLÉTICO-PR: Neto, Wagner Diniz (Leandro), Leandro (Gustavo), Rhodolfo e Bruno Costa (Mithyuê ou Maikon Leite); Chico, Deivid (Olberdam), Paulo Baier e Paulinho; Guerrón e Bruno Mineiro. Técnico: Paulo César Carpegiani.

agosto 14, 2010 Posted by | Atlético-PR, Palmeiras | , | Deixe um comentário

Futebol é alegria! Novo Brasil ataca forte e vence os Estados Unidos

No primeiro amistoso da era Mano Menezes, Seleção Brasileira fez 2 a 0, em Nova Jersey. Neymar e Alexandre Pato marcaram os gols do triunfo

Velocidade, dribles, pedaladas, alegria… Os ingredientes que faltavam à Seleção Brasileira estão de volta. Pelo menos no primeiro amistoso da era Mano Menezes foi assim. Bem organizado defensivamente e ofensivo como nos bons tempos, o Brasil não teve trabalho para fazer 2 a 0 nos Estados Unidos nesta terça-feira.

O estádio New Meadowlands, em Nova Jersey, lotado de fãs da Seleção Brasileira teve espaço até mesmo para gritos de olé. Não poderia ser diferente com Paulo Henrique Ganso, Neymar e Robinho em campo. O trio que brilhou no Santos no primeiro semestre ainda estava reforçado por Alexandre Pato.

Foram dele e de Neymar, cotados para formarem a dupla em 2014, os primeiros gols do Brasil na era Mano. O santista, por sinal, se junta a outros craques brasileiros que marcaram em sua estreia com a camisa amarela, como Pelé, Zagallo, Jairzinho, Zico e Rivaldo. Apenas para citar os mais importantes deles.

A série de amistosos visando a Copa do Mundo de 2014 no Brasil tem mais dois capítulos em setembro. A CBF ainda não divulgou os adversários, mas nos dias 3 ou 4 e 7 ou 8, o time de Mano Menezes fará mais duas partidas. Se as atuações forem iguais à dessa noite, o torcedor terá muito que comemorar.

Os primeiros minutos da Seleção Brasileira de Mano Menezes foram de susto. Aos dois, Donovan recebeu bom passe de Buddle, driblou David Luiz e saiu na cara do gol. André Santos, porém, chegou para cortar. Em seguida, Daniel Alves errou dois passes seguidos e tomou uma leve bronca do treinador.

Aqueles mais pessimistas até poderiam achar que o Brasil estava nervoso. Mas não deu tempo de a desconfiança ganhar espaço. Com cara de futebol brasileiro, a Seleção foi para cima dos Estados Unidos. Esses, sim, ficaram assustados. Toques rápidos e objetividade marcaram o primeiro tempo verde e amarelo.

Com Ganso comandando o meio de campo, o Brasil ganhou muita qualidade para construir jogadas. Até porque Neymar e Robinho se posicionaram muito bem pelas pontas e ganharam o apoio dos laterais Daniel Alves e André Santos. Tanto que foi em uma jogada de linha de fundo que saiu o primeiro gol da Seleção Brasileira (veja o vídeo acima).

Aos 28 minutos, Robinho deu belo passe para André Santos. O lateral apareceu bem na linha de fundo e cruzou na medida para Neymar abrir o placar de cabeça. Na comemoração, o atacante do Santos ajoelhou no gramado, apontou para o céu e ganhou um caloroso abraço coletivo dos outros companheiros.

Entregue ao futebol ofensivo do “novo Brasil”, os Estados Unidos não levavam perigor. Do outro lado, Howard cansou de ver os atacantes brasileiros em boa condição. E aos 45, ele evitou o segundo gol. Ganso tocou para Ramires, que colocou Pato na cara do gol. O atacante driblou o goleiro e rolou para a rede (assista abaixo).

Bolas na trave e olé
A seleção norte-americana voltou para o segundo tempo com três alterações. Já o Brasil de Mano Menezes optou por retornar com a mesma formação. E também com a mesma postura. Logo no primeiro minuto, Robinho fez ótima jogada pela esquerda e colocou Pato na cara do gol. Mas o atacante perdeu chance incrível.

Solto em campo, o Brasil quase marcou o terceiro aos sete minutos. Daniel Alves avançou e cruzou para o meio da área. Pato fez o corta luz e Neymar bateu em cima da zaga. No rebote, Robinho bateu de primeira, deslocando o goleiro e os zagueiros, mas a bola bateu caprichosamente na trave.

Aproveitando alguns erros de passe do Brasil, os Estados Unidos conseguiram mais espaços. Chegaram até a marcar aos 11 minutos, mas Bradley estava impedido quando cabeceou para o fundo do gol. Rapidamente, porém, o time verde e amarelo retomou o comando do jogo e viu a torcida gritar “olé”.

Aos 28 minutos, uma nota triste. Ederson, que havia acabado de entrar no lugar de Neymar, se machucou em seu primeiro lance. Após receber a bola na direita, ele tentou um drible e sentiu lesão muscular. Ao forçar o cruzamento caiu no chão e não teve condições de continuar. Foi substituído por Carlos Eduardo.

A etapa final do amistoso não foi tão empolgante como a primeira, mas ao menos o Brasil acertou duas bolas na trave, com Robinho e Paulo Henrique Ganso. E a torcida, empolgada, calou os norte-americanos com “olé” e gritos de “Brasil, Brasil, Brasil”. Poderiam, no entanto, ter gritado mais gols, não fosse o festival de gols perdidos pelo time de Mano no final.

ESTADOS UNIDOS 0X2 BRASIL
Howard (Guzan); Spector, Bocanegra (Goodson), Bradley e Gonzalez; Donovan (Findley), Bedoya (Gomez), Bornstein e Buddle (Altidore); Edu e Benny Feihaber (Kljestan). Victor; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e André Santos; Lucas, Ramires (Hernanes) e Ganso (Jucilei); Robinho (Diego Tardelli), Neymar (Ederson) (Carlos Eduardo) e Alexandre Pato (André).
Técnico: Bob Bradley. Técnico: Mano Menezes.
Gols: Neymar, aos 28, e Alexandre Pato, aos 45 minutos do primeiro tempo;
Cartões amarelos: David Luiz (BRA)
Público: 77.223 pagantes.
Data: 10/08/2010. Estádio: New Meadowlands, em Nova Jersey, Estados Unidos. Árbitro: Silviu Petrescu (CAN). Auxiliares: Joe Fletcher (CAN) e Daniel Belleau (CAN).

agosto 10, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

‘Tailgate’ agita o pré-jogo de Brasil e Estados Unidos em Nova Jersey

Tradição norte-americana de fazer churrasco no estacionamento do estádio toma conta dos arredores do New Meadowlands. Partida será às 21h11m

CLIQUE NA IMAGEM E VEJA O JOGO AO VIVO

Os jornais não deram muito espaço, é verdade, mas a torcida está bastante empolgada com o amistoso de daqui a pouco entre Estados Unidos e Brasil, no estádio New Meadowlands, em Nova Jersey. A prova disso é a festa que está sendo feita no estacionamento por norte-americanos e brasileiros.

“Tailgate” é o nome dessa tradição. Os torcedores abrem os porta-malas dos carros, colocam o som alto, esticam suas bandeiras e preparam uma bela refeição. A preferência da maioria é por churrasco, mas há aqueles que levam também saladas, maioneses, pratos típicos de países sul-americanos, entre outros.

A prática de futebol também é comum no estacionamento. Brasileiros e norte-americanos brincavam de bola por vários cantos do local, criando um ambiente bem legal no pré-jogo. Somente por um momento é que houve um princípio de confusão entre torcedores mais exaltados, visivelmente alcoolizados.

Porém, a “turma do deixa disso” conseguiu contornar e continuar festejando. No local há pessoas de diferentes nacionalidades, além de brasileiros e norte-americanos. Há também um festival de bandeiras e camisas de clubes brasileiros, como Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Santos, Atlético-MG, Grêmio e Cruzeiro.

A movimentação ao redor do estádio segue grande e a previsão é que mais de 70 mil pessoas estejam presentes para ver a estreia do técnico Mano Menezes na Seleção Brasileira. Os portões do New Meadowlands foram abertos 19h30m.

agosto 10, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, TV ao Vivo, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Mano Menezes testa Seleção com três atacantes

Técnico conquistou a Copa do Brasil e o Paulistão pelo Corinthians no esquema 4-3-3

No último treino da Seleção Brasileira antes do amistoso contra os EUA, nesta terça-feira, em Nova Jersey, o técnico Mano Menezes colocou o time no esquema 4-3-3, com Alexandre Pato, Robinho e Neymar à frente.

O plano tático com três atacantes é herança da época em que o treinador comandou o Corinthians. Em 2009, Mano conquistou o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil usando o mesmo esquema, com Dentinho, Jorge Henrique e Ronaldo no ataque. Porém, o técnico voltou ao tradicional 4-2-2 no início de 2010, onde não teve o mesmo sucesso do ano passado e foi eliminado ainda na primeira fase.

O esquema só voltou a ser utilizado contra o Flamengo, pela Libertadores da América. Mesmo eliminado da competição nacional, o Timão continuou atuando com três atacantes no Brasileirão, onde liderou boa parte da competição e atualmente é o segundo colocado, um ponto atrás do Fluminense.

O Brasil enfrenta o EUA nesta terça-feira, às 21h (horário de Brasília), no estádio New Meadowlands, em Nova Jersey.

agosto 9, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Em noite inspirada de Ceni, Tricolor segura empate com o Atlético-PR

Equipe paranaense domina a maior parte da partida, tem inúmeras chances, mas para no goleiro tricolor, que fez quatro boas defesas

Em jogo que teve apenas 25 minutos de bom futebol, Atlético-PR e São Paulo ficaram no empate por 1 a 1, neste domingo, na Arena da Baixada, em Curitiba. O placar não refletiu o que foi a partida: o time da casa dominou a maior parte do tempo e só não venceu porque parou em Rogério Ceni, que brilhou com grandes defesas. O resultado, no entanto, manteve a maldição tricolor no estádio paranaense. Agora são 13 jogos e nenhuma vitória conquistada. Nesse período, o time sofreu oito derrotas e empatou cinco vezes (assista ao lado aos melhores momentos).

O futebol de pouca inspiração das duas equipes se reflete em suas posições na classificação do Brasileiro. O Tricolor é o 12º, com 16 pontos, três a mais que o Furacão, 15º. Os dois times voltarão a campo no próximo final de semana. No sábado, o Atlético-PR enfrenta o Palmeiras, às 18h30m, no Pacaembu. No domingo, o Tricolor receberá o Cruzeiro, às 16h, no Morumbi.

Mesmo sem poder contar com seu principal goleador, Bruno Mineiro, suspenso, o Furacão tomou a iniciativa e partiu para cima do São Paulo. Com Netinho ajudando Paulo Baier na armação, o time encontrou um Tricolor escalado com três zagueiros, mas não posicionado no 3-5-2. O time entrou no 4-3-2-1, com Renato Silva, Miranda, Samuel e Junior Cesar na linha defensiva. No meio, Rodrigo Souto, Jean e Cleber Santana formaram o trio de marcadores, um pouco atrás de Marlos e Fernandão, que tinha liberdade para encostar em Ricardo Oliveira, o único atacante.

Logo aos dois minutos, Miranda bobeou em saída de bola e o time da casa só não abriu o marcador porque o equatoriano Guerrón falhou na conclusão cara a cara com Rogério Ceni.

Na prática, o esquema tricolor não funcionou. Com exceção de um chute de Ricardo Oliveira no travessão, aos 12, o São Paulo assistiu ao seu rival jogar. Carpegiani, inteligentemente, abriu Guerrón pela direita para impedir o apoio de Junior Cesar. Como pela direita, Renato Silva era um falso lateral-direito e preocupava-se apenas com a marcação, o Tricolor concentrou seu jogo pelo meio, o que facilitou muito a marcação adversária.

Como não teve problemas defensivos, o Furacão subiu sua marcação e só não saiu em vantagem no primeiro tempo porque parou em Rogério Ceni. Aos 27, o goleiro fez bela defesa em cabeçada de Manoel. Oito minutos depois, Paulo Baier ajeitou dentro da área para Nieto, que se livrou de Miranda e bateu no canto direito. Ceni fez um milagre e espalmou. Já aos 44, após cobrança de escanteio da direita, Rodolpho subiu sozinho e testou no ângulo direito de Ceni. A bola, caprichosamente, passou muito perto do ângulo direito são-paulino.

Os dois times voltaram sem alterações para o segundo tempo, e o Atlético chegou com perigo pela primeira vez quando o relógio ainda não marcava um minuto. Renato Silva falhou em saída de bola pela direita e, após cruzamento da esquerda, Paulo Baier cabeceou no ângulo direito. Mais uma vez, Ceni salvou o São Paulo e segurou o 0 a 0.

O tempo passou e o panorama da partida não se modificou. O Atlético-PR seguia dominando as ações, embora já não pressionasse como antes. Por isso, aos 16, o técnico Paulo Cesar Carpegiani resolveu dar novo gás ao time, com as entradas de Mithyuê e Maikon Leite nas vagas de Guerron e Netinho. Do outro lado, o São Paulo tinha dificuldade para trocar passes no meio-campo. Como a bola não chegava, Ricardo Oliveira era obrigado a voltar para buscar a bola, que deixava o goleiro Neto sem ter trabalho.

Mas o futebol não é lógico e o São Paulo, sem merecer, abriu o marcador. Aos 23, Manoel falhou em jogada pela direita e a bola sobrou para Marlos. Ele foi até o fundo e cruzou rasteiro para a área para Cléber Santana bater de pé direito no canto esquerdo do goleiro do Furacão, que ainda tocou na bola antes de entrar: São Paulo 1 x 0. (reveja o gol são-paulino em Curitiba)

O Furacão não se abateu e foi em busca do prejuízo. E precisou de apenas cinco minutos para deixar tudo igual no marcador. Aos 28, Nieto recebeu na área e tocou para Maikon Leite que, no primeiro chute, foi travado por Samuel. Ele mesmo pegou a sobra, fintou Renato Silva como quis e bateu no ângulo de Rogério Ceni que, desta vez, não pode fazer nada: 1 x 1 no marcador.

Com os gols, o jogo finalmente ganhou vida e passou a se tornar agradável. Logo depois de empatar, o Furacão ficou com dez homens, já que o zagueiro Manoel, que já tinha cartão amarelo, fez falta feia em Junior Cesar e foi expulso. Com mais espaço, o São Paulo foi ao ataque e, aos 32, só não marcou o segundo gol porque Neto fez defesa brilhante em chute de Ricardo Oliveira. No rebote do mesmo lance, Cleber Santana bateu de pé direito de fora da área e a bola raspou a trave direita adversária.

No minutos finais, mais emoção. Para dar mais força ao ataque, Milton Cruz sacou o apagado Fernandão e colocou Fernandinho no seu lugar. Mas foi o Furacão quem quase fez o segundo. Aos 41, Maikon Leite recebeu na área, cortou a marcação de Samuel e, na hora do chute, foi travado por Renato Silva, que salvou o Tricolor.

ATLÉTICO-PR 1 X 1 SÃO PAULO
Neto; Leandro (Branquinho), Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Vítor, Paulo Baier e Netinho (Maikon Leite); Guerrón (Mithyuê) e Nieto Rogério Ceni; Renato Silva (Carlinhos Paraíba), Miranda, Samuel e Junior Cesar; Jean, Rodrigo Souto, Cleber Santana (Marcelinho) e Marlos; Fernandão (Fernandinho) e Ricardo Oliveira..
Técnico: Paulo César Carpegiani Técnico: Milton Cruz
Gols: Cléber Santana, aos 23min, e Maikon Leite, aos 28min do 2º tempo
Cartões amarelos: Miranda, Samuel, Cleber Santana e Ricardo Oliveira (São Paulo).
Cartão vermelho: Manoel (Atlético-PR)
Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR). Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ). Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Marco Aurélio Pessanha (RJ). Renda e Público: não divulgados

agosto 8, 2010 Posted by | Atlético-PR, São Paulo | , | Deixe um comentário

São Paulo junta os cacos para enfrentar o Atlético-PR

Tricolor ainda vive ressaca da eliminação na Libertadores e Furacão quer se distanciar da zona de rebaixamento

Os jogadores do São Paulo buscam forças para se reerguerem após a eliminação na Libertadores para o Fluminense e a saída do técnico Ricardo Gomes. E neste domingo, às 18h30, na Arena da Baixada, a equipe terá de enfrentar o Atlético-PR pelo Brasileirão.

Com 13 pontos, o Furacão está em 16º lugar na tabela, há um ponto e uma posição da zona de rebaixamento. Entretanto, uma vitória pode colocar o time na zona de classificação para a Sul-Americana, inclusive ultrapassando o Tricolor paulista. Porém, nem mesmo o fato de o adversário vir sem técnico e eliminado da Libertadores faz o treinador Paulo César Carpegiani acreditar em um jogo mais tranquilo.

– O ideal até era eles virem classificados, pois aí viriam mais tranquilos, com a moral elevada. Mas eles têm um grupo forte, temos que respeitá-los e será um jogo muito equilibrado. Eles não precisam mostrar serviço, mas uma mudança no comando técnico implica no comportamento dos jogadores – analisou ele.

Em campo o treinador terá dois problemas: o atacante Bruno Mineiro, suspenso, e o lateral-direito Wagner Diniz que, por estar emprestado pelo São Paulo, não pode enfrentar o seu ex-cube. Com isso, o Furacão saiu do 3-5-2 e vai no 4-4-2, com o zagueiro Leandro atuando improvisado na lateral-direita e Paulinho voltando à lateral-esquerda. Netinho ganha uma chance no meio-campo e o atacante Nieto fará sua estreia pela equipe, ao lado de Guerrón.

Após a eliminação na Libertadores, o São Paulo agora busca forças para reagir no Campeonato Brasileiro. Com a saída de Ricardo Gomes, o auxiliar Milton Cruz vai dirigir a equipe em Curitiba. Outro que deixou o clube foi o volante Hernanes, negociado com a Lazio (ITA).

A Libertadores era o grande objetivo do Tricolor. Agora, os jogadores terão de se concentrar no Brasileirão pois é o único caminho para voltar à competição preferida do clube. Atualmente na nona colocação, o Sampa está quatro pontos atrás do quarto colocado Ceará.

Marlos entra no lugar do não relacionado Dagoberto e forma a linha de frente com Fernandão e Ricardo Oliveira. Milton Cruz tem problemas para escalar a defesa. Alex Silva (dores no joelho esquerdo) e Xandão (dores no tornozelo direito) estão vetados para o duelo. Em seus lugares devem entrar Renato Silva e Samuel.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-PR X SÃO PAULO

Estádio: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data/hora: 8/8/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (Fifa-RJ) e Marco Aurélio Pessanha (RJ)

ATLÉTICO-PR: Neto, Leandro, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Vitor, Paulo Baier e Netinho; Guerrón e Nieto. Técnico: Paulo César Carpegiani.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Renato Silva, Miranda e Samuel (Casemiro); Jean, Rodrigo Souto, Cleber Santana, Marlos e Junior Cesar; Fernandão e Ricardo Oliveira. Técnico: Milton Cruz.

agosto 8, 2010 Posted by | Atlético-PR, São Paulo | , | Deixe um comentário

Campeonato Brasileiro: a mais nova invasão sul-americana

Assim como na primeira edição da competição, mais da metade dos participantes conta com ‘hermanos’ no elenco

O Campeonato Brasileiro vem, nos últimos anos, se transformando em um autêntico paraíso para jogadores estrangeiros, principalmente sul-americanos. A atual edição brinda a torcida nacional com um verdadeiro festival de gringos, nem sempre de qualidade comprovada. Das 20 equipes participantes, nada menos do que 13 contam com representantes de países vizinhos.

Apesar de ter ganho vulto na última década (fruto do crescimento da economia no Brasil e, consequentemente, do fortalecimento da moeda), a imigração latina não é novidade no futebol pentacampeão do mundo.

Em sua primeira versão, em 1971, o Brasileiro foi disputado com 15 estrangeiros sul-americanos (ainda havia o zagueiro Alex, alemão naturalizado e ídolo inconteste dos torcedores do América carioca). Flamengo, Vasco, América-RJ, Cruzeiro, Atlético-MG, Grêmio, Internacional, São Paulo, Palmeiras, Santos, Portuguesa-SP e Sport tinham ‘forasteiros’ em seus plantéis, muitos que até hoje são reverenciados por saudosos torcedores, como são os casos dos uruguaios Pedro Rocha, Forlán (no Tricolor paulista) e Ancheta (no gaúcho); o paraguaio Reyes (no Flamengo); o chileno Figueroa (no Inter); e os argentinos Andrada (no Vasco) e Ramos Delgado (no Santos).

Outro estrangeiro que participou daquela edição foi Néstor Scotta. Contratado pelo Grêmio, o centroavante argentino veio do River Plate para ser o autor do primeiro gol em um Campeonato Brasileiro. No dia 7 de agosto, Scotta abriu o placar na vitória por 3 a 0 sobre o São Paulo em pleno no Morumbi (ele faria também o segundo) e escreveu definitivamente seu nome na história da mais importante competição nacional.

Naquele tempo, quando nem se imaginava internet e as informações instantâneas por ela proporcionadas, um jogador vindo de fora necessariamente deveria ter reconhecidos predicados, como atuações nas seleções de seus respectivos países, ou indicações credenciadas pelos pouquíssimos empresários de futebol da época. Outro canal muito utilizado pelos dirigentes dos clubes nacionais eram as indicações de treinadores brasileiros que tentavam a sorte no futebol argentino e uruguaio, principalmente.

1971 – Andrada-ARG (gol, Vasco) e Ramos Delgado-ARG (zag, Santos)
1972 – Pedro Rocha-URU (ata, São Paulo) e Reyes-PAR (zag/vol, Fla)
1973 – Ancheta-URU (zag, Grêmio) e Cejas-ARG (gol, Santos)
1974 – Perfumo-ARG (zag, Cruzeiro)
1975 – Figueroa-CHI (zag, Inter) e Fischer-ARG (ata, Botafogo)
1976 – Doval-ARG (ata, Flu)
1977 – Darío Pereyra-URU (zag, São Paulo)
1981 – Benítez-PAR (gol, Inter)
1983 – De León-URU (zag, Grêmio)
1984 – Romerito-PAR (ata, Flu)
1985 – Rubén Paz-URU (mei, Inter)
1988 – Aguirregaray-URU (zag, Inter)
1995 – Gamarra-PAR (zag, Inter)
1998 – Arce-PAR (lat, Palmeiras)
1999 – Rincón-COL (mei, Corinthians)
2000 – Sorín-ARG (lat, Cruzeiro)
2003 – Maldonado-CHI (vol, Cruzeiro)
2004 – Lugano-URU (zag, São Paulo)
2005 – Tevez-ARG (ata, Corinthians)
2007 – Valdivia-VEN/CHI (mei, Palmeiras) e Acosta-URU (mei, Náutico)
2009 – Guiñazu-ARG (vol, Inter), Maxi López-ARG (ata, Grêmio) e Conca-ARG (mei, Flu)

Campeonato Brasileiro edição 2010

Nos dias de hoje, o número de empresários e agentes se multiplicou e o Brasil virou trampolim para uma compensadora transferência rumo ao mercado europeu que, praticamente vedado até a década de 80, vem desde então escancarando gradativamente suas portas. Seguindo modestamente a efervescência vista no Velho Continente, diversos clubes, em parcerias com empresas que investem pesado em futebol, abrem os braços para recepcionar as atrações latinas.

A Série A de 2010, que já se encontra na 12ª rodada, é um contundente exemplo desta invasão gringa. No momento, 28 jogadores sul-americanos estão integrados aos elencos de 13 das equipes participantes. O Internacional conta com cinco estrangeiros e é o recordista. Apesar da instabilidade do veterano goleiro Pato Abbondanzieri-ARG e do pouco mostrado pelo lateral Bruno Silva-URU, o Colorado até que não pode se queixar. D’Alessandro-ARG ganhou a torcida vermelha e Guiñazu-ARG é um ídolo inconteste. Quanto a Sorondo-URU, mais prós do que contras para o jogador que, com um filho brasileiro, já obteve dupla nacionalidade.

O eterno rival gaúcho surpreende este ano. Contumaz cliente (em 2009 teve o argentino Maxi López como destaque), o Grêmio atualmente não conta com qualquer representante do mercado sul-americano. Nas páginas douradas do clube, desfilam personagens como o já citado Ancheta e o também zagueiro De León (campeão em 1981), mas nesta temporada o Tricolor luta com um elenco genuinamente nacional.

Com três inscritos (Guerrón-EQU, Ivan González-PAR, Nieto-ARG), o Atlético Paranaense poderia estar à frente do Inter no quesito ‘Legião Estrangeira’ com nada menos que sete. A diretoria do Furacão, no entanto, negociou durante a competição o colombiano Valencia com o Fluminense e dispensou Javier Toledo-ARG, Serna-COL e Vanegas-COL.

Quem também parece satisfeito com suas atrações importadas do Mercosul é o Botafogo. A raça do argentino Herrera (que já defendeu Grêmio e Corinthians) e o carisma de SebastiánLoco Abreu (com passagem apagadíssima pelo Tricolor gaúcho em 1998) contagiam seus torcedores. Empolgados, muitos alvinegros chegaram ao ponto de virar a casaca na Copa da África do Sul e torcer pelo Uruguai, só por causa de Loco, o camisa 13 da Celeste Olímpica.

Buscando reeditar o sucesso das contratações do zagueiro Perfumo nos anos 1970 e do multifuncional Sorín (com passagens vitoriosas nesta década), o Cruzeiro agora aposta suas fichas em outros dois argentinos, o meia Montillo e o atacante Farías, que ainda não estrearam. Os celestes cruzam os dedos torcendo para que o tiro não saia pela culatra e os gringos não se tornem nomes a serem facilmente esquecidos.

Outro grande de Minas, o Galo, por sua vez, conta com os equatorianos Edison Méndez (primo de Guerrón) e Jairo Campos, além do paraguaio Cáceres. Já durante o Brasileiro, a direção atleticana dispensou o goleiro Carini-URU e o zagueiro Benítez-PAR.

Considerado por muitos o destaque da competição de 2009, Darío Conca é incontestável no Fluminense. Maestro da equipe na espetacular reação que livrou o Tricolor do rebaixamento, o pequeno argentino segue com a companhia do compatriota Equi González e agora com a do colombiano Valencia.

Clube mais popular do país, o Flamengo ostenta o título de atual campeão brasileiro e tem um gringo histórico em seu atual elenco, mas que nasceu muito longe do continente sul-americano. O sérvio Petkovic obviamente não entra na lista rubro-negra, que conta com o atacante colombiano Cristian Borja (primo de Rentería, avante com desempenho regular no Inter entre 2005 e 2006) e o veterano chileno Maldonado (com passagens destacadas por São Paulo, Cruzeiro e Santos). Aguardando desfecho das negociações com o Boca Juniors-ARG, o também chileno Fierro está fora dos planos, mas segue inscrito pelo clube (não está integrado ao plantel).

O arqui-rival Vasco flertou com alguns nomes, com o do zagueiro Scott, reserva da seleção uruguaia na última Copa, mas trouxe como novidade o lateral paraguaio Irrazábal. Antes do início do Brasileiro, dispensou o meia argentino Palermo, que atuou somente em um amistoso preparatório.

Em São Paulo, Palmeiras e Corinthians são os que deram um sotaque espanhol a seus plantéis. Depois de não acertar transferência para a Itália, o colombiano Armero pernaneceu no Verdão que abriu os cofres para trazer de volta um ídolo recente, Valdivia, venezuelano naturalizado chileno de ótima passagem pelo clube entre 2006 e 2008. O Mago já tem lugar na galeria palestrina, ao lado de nomes como o lateral paraguaio Arce.

Pelos lados do Timão, as fichas agora estão com o goleiro paraguaio Bobadilla, que se junta a Defederico, uma promessa argentina que ainda não vingou no Parque São Jorge. Depois de vibrar com as jogadas de Carlitos Tevez e com a aplicação de Mascherano na conquista de 2005 (o suplente Sebá era o terceiro argentino do elenco), a Fiel não sentirá a menor falta de Balbuena-PAR, Escudero-ARG, Emiliano Vecchio-ARG e Mariano Torres-ARG, todos dispensados há pouco do clube.

Atuais campeões paulistas e da Copa do Brasil, os brasileiríssimos Robinho, Ganso, Neymar e André têm um parceiro gringo em suas travessuras no Santos. O suplente Breitner nasceu na Venezuela e veio para o Brasil com apenas nove anos. Formado nas divisões de base do Peixe, o meia é filho de pai brasileiro e já tem dupla nacionalidade.

Os sul-americanos também fizeram história nos campeonatos nacionais atuando pelo São Paulo, como El Verdugo Pedro Rocha, Pablo Forlán (pai do atacante Diego Forlán, eleito o melhor jogador da Copa da África do Sul) e mais recentemente o vigoroso zagueiro Lugano, também uruguaio. Na atual edição, o lateral argentino Adrián González integrava o elenco, mas teve o contrato rescindido e não veste mais a camisa tricolor.

Ter um hermano na equipe, entretanto, não é exclusividade de clubes do Sul e do Sudeste. Depois de uma passagem irregular pelo Atlético Paranaense, o goleiro colombiano Viáfara se mudou para o Vitória em 2008 e hoje, com o moral nas alturas, é chamado de El Paredon pela torcida do Leão baiano.

A história repete a cada dia temas que parecem não envelhecer jamais. Assim como na já longínqua primeira edição, a presença de jogadores sul-americanos faz parte da trajetória do Brasileirão. O que certamente se espera é que a cada desembarque em solo tupiniquim, além do sotaque espanhol, o novo hermano traga em sua bagagem muito futebol, como alguns compatriotas que desfilaram seu talento e conquistaram os corações dos apaixonados torcedores brasileiros.

Confira os sul-americanos do Brasileirão 2010

Atlético-MG (Cáceres-PAR, Méndez-EQU, Jairo Campos-EQU) – dispensou Carini-URU e Benítez-PAR
Atlético-PR (Guerrón-EQU, Ivan González-PAR, Nieto-ARG) – dispensou Javier Toledo-ARG, Serna-COL e Vanegas-COL
Botafogo (Herrera-ARG e Loco Abreu-URU)
Ceará (Reina-COL)
Corinthians (Bobadilla-PAR, Defederico-ARG) – dispensou Balbuena-PAR, Emiliano Vecchio-ARG, Escudero-ARG (emprestado para o Argentinos Jrs.), Mariano Torres-ARG
Cruzeiro (Farias-ARG, Montillo-ARG)
Flamengo (Cristian Borja-COL, Maldonado-CHI e Fierro-CHI, este negociando com o Boca Jrs-ARG)
Fluminense (Conca-ARG, Equi González-ARG e Valencia-COL)
Inter (Abbondanzieri-ARG, Bruno Silva-URU, D’Alessandro-ARG, Guiñazu-ARG e Sorondo-URU)
Palmeiras (Armero-COL, Valdivia-VEN/CHI) – dispensou Figueroa-CHI
Santos (Breitner-VEN)
Vasco (Irrazábal-PAR)
Vitória (Viáfara-COL)

Obs. O São Paulo dispensou o argentino Adrián González e o Goiás, o chileno Angel Rojas.

agosto 7, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

FALE CONOSCO

Fale com Redação do Portal Futebol

Esta é a central para comunicação entre usuários e a equipe do PORTAL FUTEBOL Incentivamos as mensagens de nossos leitores com sugestões de pautas, críticas, elogios ou reclamações.

Você poderá entrar em contato por aqui enviando um email para(Sugestões/Dúvidas/Reclamações)

pelo email: contatoportalatendimento@gmail.com

agosto 3, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Com show de Conca e dois gols de Washington, Flu vence e vira líder

Coração Valente volta e brilha no triunfo por 3 a 1 sobre o Atlético-PR. Tricolor torce contra o Corinthians no clássico contra o Palmeiras

Bom público, gols, vitória convincente e liderança. De volta ao Fluminense após um ano e meio, Washington teve uma reestreia dos sonhos na noite deste sábado, no Maracanã. Com dois gols, o Coração Valente foi um dos destaques do triunfo tricolor por 3 a 1 sobre o Atlético-PR, em partida válida pela 12ª rodada do Brasileirão. Emerson também deixou o dele, e Bruno Mineiro descontou no fim. Quem não fez gol, mas comandou a vitória dos cariocas foi Conca, com belas jogadas e lançamentos.

Com direito a mais de 40 mil torcedores em êxtase e cantando a todo momento que o “show está começando” e que querem gritar “é campeão” – além de serem responsáveis por uma sonora vaia a Guerrón – , o Fluminense chegou aos 26 pontos e assumiu a liderança isolada. Para terminar a rodada nesta posição, precisa torcer para que o Corinthians não vença o clássico contra o Palmeiras, neste domingo.

Já o Furacão permanece com 13 pontos e cai para a 14ª posição. Para não terminar a rodada na zona de rebaixamento, precisa secar Vasco, Goiás, Botafogo, Grêmio e Atlético-MG.

Coração Valente mata a saudade e faz a festa do torcedor

Se não foi um primor tecnicamente e esteve longe de ser empolgante, o Fluminense fez das características do estreante do dia, Washington, uma arma para sair na frente do Atlético-PR. Valente, o Tricolor superou as ausências de última hora de Diguinho, com febre, e Carlinhos, ainda com problema na coxa esquerda, na base do coração e abriu vantagem com seu novo artilheiro na primeira etapa.

Com bastante espaço para atacar pelo lado esquerdo, o Furacão até começou melhor e levou perigo em boas jogadas de Paulinho aos 12, 14 e 16. Guerrón, principal esperança dos paranaenses, por sua vez, era bastante vaiado e errava tudo que tentava. Sem muita inspiração, o Flu pouco criava, e Washington e Emerson não se encontravam no setor ofensivo, mostrando falta de entrosamento.

O faro de gol do camisa 9, no entanto, foi capaz de superar qualquer adversidade. Na primeira conclusão, aos 18, a cabeçada foi fraca, para fora, mas três minutos depois Washington foi responsável por fazer explodir o Maracanã. Após passe torto de Emerson, Conca recuperou uma bola praticamente perdida na lateral direita, deixou Bruno Costa para trás e cruzou com maestria. Na entrada da pequena aérea, o Coração Valente escorou de primeira e correu para a galera batendo a mão no peito.

O lance incendiou as arquibancadas, mas dentro de campo a equipe tricolor continuava burocrática. Com Conca sozinho na criação, o Flu passava pouco do meio-campo com a bola dominada. Menos mal que o poder de fogo do Atlético-PR era mínimo. Na melhor oportunidade, aos 27, Guerrón recebeu de Vítor pela direita e chutou nas alturas.

Pressionado, o Fluminense ao menos tinha espaço para contra-golpes. E foi dessa maneira que levou perigo aos 38, quando Emerson rolou para Julio Cesar emendar firme. Neto fez a defesa. Quatro minutos depois, o time de Muricy Ramalho, enfim, se manteve por um bom tempo no campo ofensivo. A série de cruzamentos, porém, não surtiu efeito e o placar na descida para o intervalo continuou 1 a 0.

Conca comanda show tricolor

O domínio territorial no primeiro tempo e a desvantagem no placar fizeram com que Paulo César Carpegiani mandasse o Atlético-PR para o ataque no segundo tempo. Ousadia que custou caro. Depois de trocar um volante e um lateral por dois atacantes, o treinador até viu sua equipe arriscar alguns chutes de longa distância, mas quem balançou as redes foi o Fluminense.

Aos 10 minutos, Manoel foi desarmado por Washington no meio-campo. A bola sobrou para Fernando Bob, que rapidamente devolveu para o Coração Valente. Solidário, ele descolou ótimo passe para Emerson, que invadiu a área e soltou uma bomba de pé direito. Inapelável para Neto: 2 a 0.

Com muita disposição, o Fluminense passou a ser avassalador diante de um Atlético-PR atordoado. Roubadas de bola eram comuns no campo de ataque. Em uma delas, Emerson ficou novamente em boa condição, aos 12, e tocou com categoria no cantinho. Dessa vez, Neto foi bem e evitou o gol com a ponta dos dedos.

No minuto seguinte, mais uma boa chance. Mariano colocou a bola no peito de Washington, que dominou e chutou fraco para fora. Ciente de suas ações em campo, o Tricolor passou a dar espetáculo. Jogava com inteligência, dava campo para o Furacão e era mortal nos contra-ataques. Assim, chegou ao terceiro gol.

Aos 25, Darío Conca fez linda jogada no Maracanã, arrancou do meio-campo, deixou os adversários para trás, invadiu a área e deu o gol de presente para Washington. O atacante só teve o trabalho de tirar a bola do alcance de Neto e correr para abraçar o argentino. A festa estava garantida.

Nos 17 minutos restantes, Fernando Henrique ainda teve tempo para fazer uma série de defesas incríveis, mas não conseguiu impedir o gol de Bruno Mineiro, de cabeça, aos 39. Nada que atrapalhasse a festa de 40 mil tricolores ensandecidos e que felizes gritavam: “Vamos para cima Fluzão, quero gritar campeão”.

Na próxima rodada, o Fluminense vai até Porto Alegre, onde encara o Grêmio, domingo, às 18h30m (de Brasília), no estádio Olímpico, enquanto o Atlético-PR, no mesmo dia e horário, recebe o São Paulo, na Arena da Baixada, em Curitiba.

FLUMINENSE 3 X 1 ATLÉTICO-PR
Fernando Henrique, André Luis, Cássio e Leandro Euzébio; Mariano, Diogo, Belletti (Fernando Bob), Conca e Julio Cesar (Marquinho); Washington e Emerson (Alan). Neto, Wagner Diniz (Alex Mineiro), Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Bruno Costa (Maikon Leite), Vítor, Chico e Paulo Baier; Guerrón (Branquinho) e Bruno Mineiro.
Técnico: Muricy Ramalho Técnico: Paulo César Carpegiani
Gols: Washington, aos 21 minutos do primeiro tempo. Emerson, aos 10, e Washington, aos 25, e Bruno Mineiro, aos 39 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Belletti, Diogo e Fernando Bob(FLU)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ). Data: 31/07/2010. Árbitragem:Carlos Eugênio Simon (FIFA/RS), auxiliado por Alessandro Álvaro Rocha Matos (FIFA/BA) e José Javel Silveira (RS).

julho 31, 2010 Posted by | Atlético-PR, Fluminense | , | Deixe um comentário

Flu e Atlético-PR duelam com objetivos distintos no Maracanã

Enquanto cariocas querem vitória pela liderança, paranaenses lutam para afastar o perigo do rebaixamento

Fluminense e Atlético Paranaense se enfrentam neste sábado, às 18h30 (de Brasília), no Maracanã, com objetivos diferentes. Enquanto os cariocas querem voltar ao topo da tabela do Campeonato Brasileiro, o Furacão quer se afastar de vez da zona de rebaixamento da competição. A partida marca a reestreia de Washington pelo Fluminense, que vai substituir o lesionado Fred. O Furacão também uma estreia. Trata-se do atacante Guerrón, principal esperança de gols para o restante da temporada.

O Tricolor reencontra a torcida no Maior do Mundo depois de empate no clássico do último domingo, contra o Botafogo, no Engenhão. O lateral-direito Mariano quer a busca pela vitória desde o início.

– Estamos lutando pela liderança e precisamos vencer. Estaremos jogando em casa ao lado da torcida e temos de agredir o adversário para conseguir a vitória. Sabemos que o time do Atlético-PR é forte e vai vir fechado. Dentro do Maracanã temos de ser mais fortes que eles, pois queremos a liderança – disse.

O técnico Muricy Ramalho elogiou o adversário, que segundo ele tem jogadores de qualidade, principalmente no ataque.

– Tem o Guerrón que é rápido, o Alex Mineiro, é um time muito forte. Temos que orientar nossos jogadores de acordo com quem vai jogar. É preciso tomar cuidado – afirmou, destacando as dificuldade de conseguir bons resultados como mandante nesta competição.

– Está muito difícil ganhar em casa. Muitos dos times vêm fechados. Essa história de que só vencer em casa basta é passado.

Embalado com duas vitórias consecutivas, que o tiraram da zona do rebaixamento, o Atlético Paranaense espera manter a boa fase no Maracanã. E nada melhor do que testar sua recuperação contra um time que briga pela liderança do Brasileirão.

– Fizemos duas excelentes partidas e as vitórias acabaram acontecendo de forma natural. É lógico que o Fluminense é uma equipe muito boa e vai dificultar a partida, mas vamos fazer o nosso jogo e buscar o resultado que é interessante para nós. Acredito que agora estamos entrosados e prontos para brigar por um objetivo maior – disse o zagueiro Bruno Costa.

Para isto, o técnico Paulo César Carpegiani terá à disposição a principal contratação do clube para a temporada: o equatoriano Guerrón. O atacante teve seu nome registado no BID (Boletim Informativo Diário) e fará sua estreia com a camisa do Furacão. Ele entrará no lugar de Alex Mineiro, que ficará no banco de reservas. Na defesa, Rhodolfo volta após cumprir suspensão.

Assim, o Atlético-PR, em princípio, irá escalado no 3-5-2, e pode, no decorrer da partida, alternar para o 4-3-3, com Bruno Costa fazendo a função de lateral esquerdo e Paulinho pela esquerda no ataque, enquanto Guerrón ocupará o lado direito.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE X ATLÉTICO-PR

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 31/07/2010, às 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (FIFA/RS)
Auxiliares: Alessandro Alvaro de Matos (FIFA/BA) e José Javiel Silveira (RS)

FLUMINENSE: Fernando Henrique; Mariano, André Luis, Leandro Euzébio e Carlinhos; Diogo, Diguinho, Belletti e Conca; Emerson e Washington. Técnico:Muricy Ramalho

ATLÉTICO-PR: Neto, Manoel, Rhodolfo e Bruno Costa; Wagner Diniz, Chico, Vitor, Paulo Baier e Paulinho; Guerrón e Bruno Mineiro. Técnico: Paulo César Carpegiani

julho 31, 2010 Posted by | Atlético-PR, Fluminense | , | Deixe um comentário

Flamengo não descarta acordo para quitar dívida com Bruno

Dirigente espera reunião com advogado do goleiro para decidir como agir até por existir orientação jurídica para não tratar sobre o assunto

O advogado de Bruno, Ércio Quaresma, confirmou nos últimos dias que irá à Gávea nesta quarta-feira para cobrar alguns atrasados que o Flamengo deve ao seu cliente. Mas para ele resolver esta situação não será tão simples assim. A comissão jurídica rubro-negra que foi formada para tratar do assunto indicou aos dirigentes do clube que não seja pago qualquer valor ao goleiro. Qualquer decisão referente a este assunto, inclusive a rescisão por justa causa com o jogador, só deve ser tomada a partir de sexta-feira, quando Patrícia Amorim retorna à presidência após a viagem aos Estado Unidos.

Mas a cobrança do advogado de Bruno é procedente. Antes de ele ser preso por conta do envolvimento no desaparecimento da ex-amante Eliza Samudio, o Flamengo já devia cerca de R$ 300 mil referentes a premiações e algumas luvas. O vice de finanças, Michel Levy, não confirmou os valores, mas reconheceu uma dívida com o goleiro. O dirigente, porém, quer conversar com o advogado Ércio Quaresma para tratar do assunto.

– O Flamengo está aberto a conversar com ele e vai respeitar os direitos do Bruno. Não descarto um acordo, apesar de haver uma recomendação para nada ser pago. De qualquer maneira, só dá para falar qualquer coisa depois da conversa com o advogado do Bruno, se ele vier aqui mesmo – disse Michel Levy.

A presidente Patrícia Amorim volta da viagem aos Estados Unidos nesta quinta-feira. O vice geral e atual presidente interino, Hélio Ferraz, avisou que a rescisão do contrato com Bruno só será assinada por ela. O Flamengo estuda também entrar com ação por danos morais contra o goleiro.

julho 28, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Mano Menezes revela ‘não’ de jogador que disputou a última Copa

Treinador entrou em contato com todos os jogadores que atuam no exterior antes da convocação e escutou pedido de dispensa de um atleta

Mano Menezes teve dois dias para montar a primeira lista de convocados no comando da Seleção Brasileira. Pouco tempo, principalmente porque é preciso fazer uma renovação após a eliminação nas quartas-de-final da Copa do Mundo. O treinador chamou nesta segunda-feira 24 jogadores para o amistoso contra os Estados Unidos, no próximo dia 10 de agosto, em Nova Jérsei. Deles, 12 atuam no exterior e quatro estavam na África do Sul: Robinho, Ramires, Thiago Silva e Daniel Alves. Era para ter mais um remanescente do grupo de Dunga, mas o novo comandante da Seleção ouviu um “não”.

Mano Menezes se preocupou em entrar em contato por telefone e conversar com os jogadores que atuam no exterior e também com quem disputou a última Copa do Mundo. O treinador queria saber a condição de cada um por causa das férias pelo calendário europeu. E escutou de um jogador que esteve na África do Sul que não era o melhor momento para voltar à Seleção Brasileira. O novo comandante não revelou os motivos que levaram o atleta a pedir a dispensa do amistoso contra os Estados Unidos.

– Dizer que não está bem para ir para Seleção é uma postura respeitável. Vou guardar o nome e considerar muito as opiniões dele no futuro… – disse, descontraído, Mano Menezes.

O treinador preferiu não revelar qual foi o jogador que pediu para não estar na primeira lista. Ao ser questionado se o nome do atleta começava com a letra “k”…

– O nome não começa com o K (risos) – disse Mano Menezes, que em seguida completou a frase percebendo que ficou um ar de desconfiança já que o nome de Kaká, na verdade, é Ricardo.

– Posso omitir as coisas, mas não mentir (risos)… Mas não é o Kaká – completou.

Mano Menezes procurou deixar claro que não tem qualquer restrição com os jogadores que disputaram a última Copa do Mundo. Admitiu que a idade avançada de alguns como Gilberto (34), Gilberto Silva (33) e Lúcio (32) pode afastá-los da Seleção em um processo natural de renovação.

– Tive uma conversa com os jogadores que são remanescentes e jogaram a última Copa, pois sei que eles tiveram um desgaste maior. Ainda é um momento de recuperação. Quando você não ganha, você acaba sentindo muito, você se desgasta mais. Não é necessário utilizá-los neste primeiro momento. Nós não estamos excluindo nenhum jogador que participou da Copa, apenas se entendeu que, para a maioria, deve-se dar um descanso. Depois as coisas devem andar normalmente. Se acharmos – e provavelmente vamos – que alguns deles devem novamente fazer parte da Seleção, eles vão fazer – disse o treinador.

A seleção brasileira vai seguir para os Estados Unidos no dia 8 de agosto. No dia 9 faz o reconhecimento do gramado e no dia 10 enfrenta os americanos, em Nova Jérsei, na estreia do treinador.

julho 26, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Com Neymar e Ganso, Mano convoca a seleção pela primeira vez

Treinador anuncia lista com 12 jogadores que atuam no futebol brasileiro e quatro que disputaram a última Copa do Mundo

Com uma seleção renovada, com apenas quatro jogadores que disputaram a última Copa do Mundo, Mano Menezes iniciou nesta segunda-feira, em um hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro, o trabalho com a Seleção Brasileira. O ex-treinador do Corinthians anunciou a primeira lista com os 24 convocados para o amistoso contra os Estados Unidos, dia 10 de agosto, em Nova Jérsei. Nela estão Neymar, Paulo Henrique Ganso e André, do Santos. E algumas surpresas como Ederson, do Lyon, o goleiro Renan, do Avaí, e o lateral Rafael, do Manchester United.

Usando um terno cinza e sentado ao lado do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, Mano Menezes chamou 12 jogadores que atuam no futebol brasileiro e outros 12 que estão no exterior.

Dos jogadores que disputaram a última Copa do Mundo, Mano Menezes chamou quatro jogadores: Daniel Alves, do Barcelona, Ramires, do Benfica, Robinho, do Santos, e Thiago Silva, do Milan.

Mano Menezes teve pouco tempo para montar a primeira lista já que foi convidado pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira, na noite de sexta-feira. Antes, a entidade havia sondado Luiz Felipe Scolari e feito uma proposta oficial a Muricy Ramalho, que preferiu permanecer no Fluminense.

O treinador, acompanhado da mulher, Maria Inês, e da filha, Camilla, chegou ao Rio de Janeiro no início da madrugada. E se reuniu com Ricardo Teixeira antes de anunciar a lista de convocados.

A LISTA DE MANO MENEZES
Goleiros
Renan Avaí
Jefferson Botafogo
Victor Grêmio
Laterais
Rafael Manchester United
Marcelo Real Madrid
André Santos Fenerbahçe
Daniel Alves Barcelona
Zagueiros
David Luiz Benfica
Henrique Racing Santander
Réver Atlético-MG
Thiago Silva Milan
Meias
Ederson Lyon
Carlos Eduardo Hoffenheim
Hernanes São Paulo
Sandro Internacional
Paulo Henrique Ganso Santos
Lucas Liverpool
Jucilei Corinthians
Ramires Benfica
Atacantes
Robinho Santos
Neymar Santos
Alexandre Pato Milan
André Santos
Diego Tardelli Atlético-MG

julho 26, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , | Deixe um comentário

Em dia de boas notícias, Atlético-PR bate Goiás e deixa zona da degola

Furacão vence e deixa zona da degola (Agência Estados)

Furacão vence a primeira longe de Curitiba pelo Brasileirão e resultado tira equipe de Carpegiani do sufoco. Manoel e Maikon Leite marcaram

O Atlético-PR só teve notícias animadoras neste domingo. A vitória por 2 a 0 sobre o Goiás, no Serra Dourada, foi incontestável e tirou a equipe da zona de rebaixamento. Além disso, a defesa, que iniciou a rodada como uma das mais vazadas do campeonato, não sofreu gol pelo segundo jogo seguido e se arriscou no ataque com Manoel, que abriu o placar. Foi o primeiro triunfo do Furacão fora de casa no Brasileirão. E para completar, o time viu o atacante Maikon Leite marcar seu primeiro gol com a camisa do clube. O Goiás, que não venceu após a Copa do Mundo, tem Leão com o cargo cada vez mais a perigo.

Com a segunda vitória seguida (bateu o Santos na quarta-feira), o Furacão chegou aos 13 pontos e terminará a rodada fora do grupo dos quatro últimos colocados. Isso porque a vitória fez a equipe ultrapassar o próprio Goiás e o Atlético-MG, que só empatou com o Avaí no sábado. Os goianos permanecem com 12 pontos, em situação preocupante na competição.

Manoel, autor do primeiro gol atleticano, voltou ao time depois de quatro jogos suspenso por conta da confusão com o palmeirense Danilo na Copa do Brasil. Ele formou a zaga com Leandro e Bruno Costa.

Zaga paranaense mostra habilidade

O time de Émerson Leão parecia ter os nervos no lugar depois de toda a confusão no jogo contra o Vitória, no qual o técnico e o atacante Rafael Moura se desentenderam com repórteres no Barradão. Consciente, o meio de campo tentava manter a posse de bola e criou mais chances do que o rival nos primeiros minutos.

Aos 10 minutos, um lance polêmico. Bruno Mineiro fez um golaço de fora da área, acertando uma bomba sem deixar a bola cair. O camisa 11 saiu para comemorar e, quando o Goiás já se preparava para dar a saída de bola, o auxiliar chamou o árbitro Ricardo Marques Ribeiro para relatar um toque de mão de Alex Mineiro, que deu o passe para Bruno. O lance foi anulado.

O lance acordou o Atlético-PR, que apenas assistia ao toque de bola do rival. O Furacão resolveu buscar mais o jogo e aproveitar os contra-ataques, já que a defesa goiana deixava muitos espaços. Na defesa, o trio de zagueiros começava a se destacar anulando Rafael Moura e Éverton Santos.

Aos 27, os defensores se aventuraram no ataque e obtiveram êxito. Quem disse que zagueiro não sabe driblar? Bruno Costa provou o contrário, partiu pela esquerda e deixou Rafael Toloi no chão. De pé direito, ele cruzou na cabeça de Manoel, que testou para o gol com firmeza, sem chances para Calaça. 1 a 0 Furacão, graças aos zagueiros.

Do outro lado, o Goiás começou a perder gols em sequência. Logo depois do tento atleticano, Bernardo cobrou falta e acertou o travessão do goleiro Neto. Aos 35, foi a vez de Rafael Moura chutar e atingir o poste esquerdo do Atlético-PR. A sorte estava com os paranaenses.

Uniforme diferente, futebol também

O Goiás voltou com roupa diferente para a segunda etapa: a tradicional camiseta verde no lugar da branca, utilizada nos primeiros 45 minutos. Leão conversou muito com o grupo no retorno ao gramado, e pediu pressão para cima dos visitantes. Isso porque o Esmeraldino começou em alta velocidade, criando muitas chances – e perdendo mais gols.

Aos 9, Wellington Saci avançou pela esquerda e exigiu grande defesa de Neto. Depois, foi a vez de Bernardo arrematar de fora da área e dar mais trabalho ao goleiro. Percebendo a pressão, Carpegiani fez duas alterações que melhoraram ainda mais os dois pontos fortes do Atlético. Para reforçar a boa defesa, o zagueiro Alex Fraga substituiu Wagner Diniz. E para dar velocidade ao contragolpe, Maikon Leite no lugar de Alex Mineiro.

No Goiás, Leão lançou Otacílio Neto no ataque e o jogo ficou ainda mais aberto. Enquanto os goianos se cansavam de desperdiçar bons lances, o Furacão foi preciso. Em sua melhor jogada, Maikon Leite avançou em velocidade, saiu costurando a defesa e chutou de chapa, tirando de Rodrigo Calaça: 2 a 0 e jogo definido para os paranaenses.

No fim, Amaral acertou a terceira bola do Goiás na trave. Para provar mais uma vez que a tarde era mesmo do Atlético-PR, que deixou o campo comemorando muito a fuga da zona da degola.

goiás 0 x 2 atlético-pr
Rodrigo Calaça, Carlos Alberto, Rafael Tolói, Ernando e Wellington Saci (Douglas); Jonílson, Amaral, Wellington Monteiro (Romerito) e Bernardo (Otacílio Neto); Éverton Santos e Rafael Moura. Neto, Manoel, Leandro e Bruno Costa; Wagner Diniz (Alex Fraga), Vítor, Chico, Paulo Baier (Branquinho) e Paulinho; Alex Mineiro (Maikon Leite) e Bruno Mineiro.
Técnico: Émerson Leão Técnico: Paulo César Carpegiani
Gols: Manoel, aos 27min do primeiro tempo, e Maikon Leite, aos 35 do segundo tempo.
Cartão amarelo: Otacílio Neto (GOI)
Estádio: Serra Dourada, em Goiânia (GO). Data: 25/7/2010. Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG). Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago e Jair Albano Félix (ambos de MG).

julho 25, 2010 Posted by | Atlético-PR, Goiás | , | Deixe um comentário

Goiás recebe o Atlético-PR no Serra Dourada

Esmeraldino quer apagar má impressão do Barradão

O Goiás recebe o Atlético-PR neste domingo, às 16h, no estádio Serra Dourada, querendo reencontrar o caminho da vitória, uma vez que o Esmeraldino ainda não triunfou depois que o Campeonato Brasileiro foi reiniciado.

Além disso, o clube tenta apagar a má impressão deixada na última rodada, quando empatou com o Vitória e protagonizou uma confusão ao final do jogo, que envolveu o técnico Leão e os jogadores Rafael Moura, Marcão e Romerito.

Para o duelo contra os paranaenses, o técnico Leão não tem problemas e deve repetir a mesma formação que utilizou em Salvador. Com isso, o time deve atuar no esquema 4-4-2 com Éverton Santos e Rafael Moura formando a dupla de ataque. Além disso, o Esmeraldino ainda não perdeu para equipes rubro-negras na competição. Foram duas vitórias (Atlético e Flamengo) e um empate (Vitória).

De olho no Furação:

O Atlético Paranaense viajou para Goiânia tentando buscar o primeiro ponto fora de casa neste Brasileirão (em cinco jogos, foram cinco derrotas). Para isto, o técnico Paulo César Carpegiani aposta na mesma equipe que na última quarta-feira surpreendeu a todos e derrotou o Santos por 2 a 0.

Porém, o treinador deve fazer duas alterações no time. No meio-campo, o volante Chico, que cumpriu suspensão na rodada passada, deve entrar no lugar de Deivid. Já nã zaga, o comandante do Furacão não terá o zagueiro Rhodolfo, suspenso pelo terceiro amarelo.

Assim, quem retorna à equipe titular é Manoel. O jogador ficou de fora dos dois últimos jogos devido à suspensão imposta pelo STJD por causa da confusão com o zagueiro Danilo, do Palmeiras. E ele se diz muito mais motivado para esta partida, tanto por retornar aos gramados, quanto para acabar com o jejum longe da Arena.

– Estou muito motivado. Fiquei duas partidas de fora e estava treinando forte. Estou muito concentrado para este jogo. Dentro de casa estamos fazendo boas partidas. Temos que ter concentração jogando fora para também ter boas atuações. Assim podemos conquistar os resultados – disse o zagueiro.

FICHA TÉCNICA:

GOIÁS X ATLÉTICO-PR

Estádio: Serra Dourada, Goiânia (RJ)
Data/hora: 25/7/2010 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Marcus Eustáquio Souza Santiago (MG) e Jair Albano Félix (MG)

GOIÁS: Calaça, Carlos Alberto, Rafael Toloi, Ernando e Wellington Saci ; Jonilson, Amaral, Wellington Monteiro e Bernardo; Éverton Santos e Rafael Moura Técnico: Leão

ATLÉTICO-PR: Neto, Manoel, Leandro e Bruno Costa; Wagner Diniz, Chico, Vitor, Paulo Baier e Paulinho; Bruno Mineiro e Alex Mineiro. Técnico: Paulo César Carpegiani.

julho 25, 2010 Posted by | Atlético-PR, Goiás | , | Deixe um comentário

Mano Menezes é o novo técnico da Seleção

Treinador confirmou neste sábado o convite da CBF e aceitou o projeto de dirigir o Brasil na Copa de 2014

Um dia depois de Muricy Ramalho ter se recusado a assumir a Seleção Brasileira, a CBF acertou com um novo técnico. Trata-se de Mano Menezes, que deixa o Corinthians para comandar o projeto que vai culminar com a disputa da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Mano confirmou que aceitou a proposta da CBF em entrevista coletiva concedida na manhã deste sábado, após dirigir o treino do Timão.

– Gostaria de comunicá-los que, como já estão sabendo, recebi o convite da CBF para assumir o comando da Seleção Brasileira. Tive uma conversa longa com Ricardo Teixeira e aceitei o convite dele – afirmou o treinador.

– Todo o Brasil, a partir de agora, eu digo oficialmente que aceito o convite para ser o técnico da Seleção Brasileira – completou Mano.

Mano Menezes iniciou carreira como técnico em 1997, dirigindo o Guarani-RS. Porém foi em 2004 que ele despontou para o cenário nacional ao conduzir o modesto XV de Novembro-RS a ser semifinalista da Copa do Brasil. No ano seguinte já estava no Grêmio, dirigindo o Tricolor na campanha de volta à elite do futebol nacional. O título da Série B do Brasileiro foi conquistado com a famosa Batalha dos Aflitos. Ainda pelo Grêmio foi campeão gaúcho em 2006 e 2007. Também em 2007 foi finalista da Copa Libertadores, com os gremistas caindo na decisão diante do Boca Juniors.

Depois do Grêmio, Mano Menezes assumiu o Corinthians em 2008 e conquistou o título da Série B do Campeonato Brasileiro. Em 2009 levou o Timão a ser campeão paulista e da Copa do Brasil.

Mano Menezes repete assim a História de Vanderlei Luxemburgo e Carlos Alberto Parreira. Ambos, quando treinavam o Corinthians, foram chamados para assumir o Brasil e aceitaram a proposta.

julho 24, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Mano Menezes é convidado para ser técnico da Seleção Brasileira

Treinador do Corinthians não deve se pronunciar nesta sexta-feira sobre o caso.

Horas depois da negativa oficial de Muricy Ramalho, a CBF fez um convite para Mano Menezes assumir a Seleção Brasileira. O treinador, que comandou o treino do Corinthians na tarde de sexta-feira, só deve dar a resposta em uma coletiva no sábado, após o treino marcado para às 9h30m no Parque São Jorge. O mais provável é que ele aceite.

A informação foi confirmada por Ricardo Teixeira, em nota oficial divulgada no site da CBF. O presidente da CBF já conta com Mano para fazer a primeira convocação após a Copa do Mundo.

– Conversei com muitas pessoas, assisti a debates em vários programas esportivos e ouvi também torcedores para chegar a três nomes. O que determinou a escolha foi o entendimento de que é necessária uma imediata renovação na Seleção Brasileira, o que o Mano Menezes iniciará já na convocação para o amistoso do dia 10 de agosto contra os Estados Unidos – disse Ricardo.

julho 23, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Fluminense faz jogo duro, e Muricy Ramalho não assume a Seleção

Presidente do Tricolor carioca, Roberto Horcades confirma em coletiva a permanência do treinador, que terá contrato renovado até o fim de 2012

Após ser convidado para ser o novo técnico da Seleção Brasileira, Muricy Ramalho foi para as Laranjeiras, onde se reuniu com dirigentes do Fluminense. O treinador, que não chegou a se pronunciar, se dirigiu em seguida para o campo realizar um treinamento, e em entrevista coletiva foi anunciada a sua permanência no clube. O presidente Roberto Horcades foi quem deu a notícia.

– A posição oficial do Fluminense tem que ser dada. O treinador Muricy vai continuar no clube cumprindo o contrato como deve ser. Pessoas do nível do Muricy são necessárias no futebol – disse ele.

O presidente do patrocinador do clube, Celso Barros, tomou a palavra em seguida e garantiu que o treinador vai ter o contrato renovado até dezembro de 2012.

– Deixamos combinados a renovação do Muricy Ramalho até dezembro de 2012. E como ele sempre disse que é uma pessoa de cumprir os contratos e já tinha deixado apalavrado com o Fluminense para ficar até fim de 2012, vai cumprir o contrato – disse Celso Barros.

O Tricolor queria que ele ficasse até o fim do ano dividindo os cargos, mas a CBF gostaria que Muricy assumisse imediatamente. No fim, prevaleceu o desejo do Fluminense.

– A posição do clube é que não vamos liberá-lo de modo algum – disse o vice de futebol tricolor, Alcides Antunes, à TV Globo, antes da coletiva.

Antes mesmo do anúncio oficial, informação de bastidor já dava conta de que Muricy teria optado pela permanência nas Laranjeiras, atendendo ao desejo da diretoria.

– O cara não vai aceitar, não – disse uma pessoa ligada a Muricy.

Muricy Ramalho conversou pela manhã por cerca de uma hora e meia com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, em um clube de golfe da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O treinador aceitou o convite, mas como tem contrato até o fim do ano com o clube carioca, disse que precisava comunicar os dirigentes cariocas da decisão.

Ao chegar ao Fluminense, o treinador escutou da diretoria que não aconteceria um divórcio amigável e que o clube não o liberaria. O Fluminense e a CBF não tem um bom relacionamento por causa da última eleição do Clube dos 13, vencida por Fábio Koff. Passou, então, a acontecer uma negociação para o treinador acumular os cargos até o fim do ano.

julho 23, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , | Deixe um comentário

Muricy é o novo técnico da Seleção

Acordo é firmado após encontro com Ricardo Teixeira, presidente da CBF

A CBF anunciou nesta sexta-feira o nome do novo técnico da Seleção Brasileira: Muricy Ramalho. O treinador terá a responsabilidade de comandar a renovação da Seleção para a disputa da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil.

Muricy tem contrato até o fim do ano com o Fluminense, clube que levou à liderança do Campeonato Brasileiro após a vitória desta quinta-feira, sobre o Cruzeiro. Ainda não foi divulgado se o treinador vai acumular a função no clube e na seleção ou se pedirá demissão do Tricolor.

Eleito o melhor técnico do Brasileirão entre 2005 e 2008, Muricy tem como ponto alto da carreira o tricampeonato nacional com o São Paulo (2006, 2007 e 2008), depois de ter sido vice com o Inter em 2005. Como jogador, nos tempos em que ainda era cabeludo, foi um talentoso meia do tricolor paulista entre 1973 e 1979, com 26 gols em 177 jogos.

Em recente entrevista ao jornal O Globo, o treinador disse que sua maior frustração foi não ter participado da Copa do Mundo de 1978. Segundo ele, o sonho só não foi realizado por causa de uma lesão que sofreu nos tempos em que o técnico Coutinho definia o grupo que jogaria na Argentina.

– É uma coisa que me marcou e que eu não esqueço. Era a minha oportunidade, faltava um ano, e com certeza eu iria. Não ia ser titular, porque o titular era o meu ídolo Zico, eu ia ser reserva dele. Já estava bom – comentou o ex-jogador, que também defendeu o Puebla, do México, entre 1979 e 1985.

Muitas vezes rabugento em entrevistas coletivas, Muricy também se tornou famoso por suas frases. Com o lema “isso aqui é trabalho”, não foram poucas as pérolas até mesmo em momentos de alegria, como na comemoração do tricampeonato com o São Paulo em 2008.

– Faz uns 20 anos que estou com sorte, é muita para um cara só. Fica em casa para ver se a sorte vai te ajudar. Tem que trabalhar – disse na ocasião.


A carreira de Muricy como treinador começou como auxiliar de Telê Santana no São Paulo. Além das passagens pelo tricolor paulista, pelo Fluminense e pelo Internacional, Muricy também treinou Guarani (1997), Ituano (1999), Botafogo-SP (1999), Santa Cruz (2000), Náutico (2001/2002), Figueirense (2002), Internacional (2003), São Caetano (2004) e Palmeiras (2009/2010). No exterior, trabalhou no Shangai Shenhua, da China, em 1993.

Seu primeiro título foi o bicampeonato pernambucano pelo Náutico em 2001/2002. Em 2003, foi campeão gaúcho pelo Inter. No ano seguinte, levou o São Caetano à conquista do Paulistão. Em 2005, foi mais uma vez campeão estadual pelo Inter. Em 2006 deu início à campanha do tri nacional pelo São Paulo, sequência que só foi interrompida com o quinto lugar pelo Palmeiras no ano passado.

Fonte: GloboEsporte

julho 23, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Classificação Serie A, classificação serie b, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , | Deixe um comentário