Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Reservas do Palmeiras enfrentam o Atlético-MG em Araraquara

Com a cabeça na Sul-Americana, Felipão poupa jogadores, mas Galo mantém a atenção

O Palmeiras enfrenta o Atlético-MG, no domingo, às 17h, no Estádio da Fonte Luminosa pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Enquanto o Galo busca a vitória para se afastar da zona de rebaixamento, o Verdão, sem mais pretenções no Brasileirão e focado na Sul-Americana, deve levar a campo o seu time reserva. O jogo será relizado na cidade de Araraquara em virtude da perda de mando de campo do Alviverdeapós mau comportamento de sua torcida no clássico contra o Corinthians, no Pacaembu.

Está será a segunda vez que o Palmeiras jogará no estádio do interior paulista nesta temporada. A primeira foi no dia 24 de março, quando o Palmeiras empatou com o Rio Branco em 2 a 2 em partida válida pelo Campeonato Paulista.

O time que enfrentará o Galo contará com jovens promessas e jogadores que não são muito utilizados por Felipão. A base da equipe deve ser a mesma que enfrentou o Atlético-GO na última rodada e foi goleada por 3 a 0. O meia Lincoln é um dos jogadores que deve ser poupado da partida. Ele assumiu que vêm sentindo dores e que está jogando no sacrifício.

– Venho sentindo dores, mas não é uma lesão. Agora é a hora de ir para o sacrifício, mas quero deixar bem claro que não é lesão, é algo normal. As dores não me prejudicam em nada. Às vezes sinto um pouco quandou dou o passe, mas sei controlar isso – disse.

Com 50 pontos e na 10ª colocação, o Palmeiras está garantido na zona de classificação para a Sul-Americana e, sem chances de título, aposta suas fichas na conquista do torneio continental para chegar à Libertadores 2011. Para Felipão, com o elenco que o Verdão tem, é muito difícil manter o time disputando as duas competições.

– Esses são os jogadores que eu tenho. Eu não tenho ponta esquerda de velocidade, ou um ponta direita de velocidade. Tenho de armar a equipe com os jogadores que eu tenho. Em cima dessas características, muitas vezes a gente leva sufoco – afirmou.

No Atlético-MG a ordem é manter o foco. Mesmo o próximo adversário sendo os reservas do Palmeiras, os jogadores e comissão técnica do Galo pregam respeito e atenção com o adversário.

Após a vitória na última rodada sobre o Flamengo, as chances de rebaixamento do Atlético diminuíram bastante. Apesar disso, os jogadores sabem que o fantasma ainda existe e, por isso, tratam a partida deste domingo, como fundamental na luta contra a degola. Uma vitória praticamente garante o Alvinegro na Série A em 2011.

Por isso, o técnico Dorival Júnior disse que a preparação para essa partida foi ainda mais intensa do que a do jogo anterior. Pela primeira vez, o treinador teve a semana inteira para trabalhar e quase todos os jogadores à disposição.

A única baixa será o zagueiro Réver, que está com estiramento na parte posterior da coxa esquerda, e foi vetado para o jogo deste domingo. Lima será o companheiro de zaga de Werley. O resto do time é o mesmo que goleou o Flamengo na última rodada, por 4 a 1, na Arena do Jacaré.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X ATLÉTICO-MG

Estádio: Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
Data/hora: 21/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (CBF-RS)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e José Antônio Chaves Franco Filho (RS)

PALMEIRAS: Bruno; Vitor, Fabrício, Leandro Amaro e Luís Felipe; Pierre, Rivaldo, Bruno Oliveira e Patrik; Ewerthon e Dinei. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Rafael Cruz, Lima, Werley e Leandro; Zé Luis, Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina. Técnico: Dorival Júnior.

novembro 21, 2010 Posted by | Atlético-MG, Palmeiras | , | Deixe um comentário

Dorival Júnior pode igualar pontuação de Luxa com metade das partidas

Enquanto Vanderlei Luxemburgo fez 21 pontos em 24 jogos, atual
treinador do Atlético-MG pode atingir a mesma marca com apenas 12

Dorival Júnior completará, neste domingo, diante do Palmeiras, o 12º jogo à frente do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro. Em caso de vitória, o Galo somará 21 pontos sob seu comando. O interessante neste dado é que Vanderlei Luxemburgo também fez 21 pontos quando treinava o time mineiro. O detalhe é que Luxa comandou o Galo em 24 jogos, o dobro da marca que seu substituto completará no fim de semana.

Com Dorival, o Galo disputou 11 jogos no Brasileirão. Foram cinco vitórias, três empates e três derrotas, o que representa um aproveitamento de 54,54%.

Esperança frustrada

Vanderlei Luxemburgo chegou ao Atlético-MG com ares de salvador. Foi recebido com festa pela torcida e prometeu conquistar títulos. Até começou bem. Venceu o Campeonato Mineiro ao bater o Ipatinga na decisão, mas fracassou na Copa do Brasil, ao ser eliminado nas quartas de final pelo Santos, de Dorival.

No Campeonato Brasileiro, competição da qual é o técnico com mais títulos na história (cinco), o barco de Luxemburgo naufragou de vez. Das 24 rodadas em que comandou o Atlético-MG, o time esteve na zona de rebaixamento em 17, sendo 15 consecutivas, e sofreu goleadas para Fluminense (5 a 1) e para o lanterna Grêmio Prudente (4 a 0). O aproveitamento de Luxa foi pífio: apenas 29,16%.

A cada derrota, o treinador vinha com explicações que desagradavam o torcedor e não abrandavam o fato de o time estar de mal a pior na tabela. Após perder para o Internacional, por 2 a 1, na Arena do Jacaré, na décima rodada, Luxemburgo soltou uma frase que repetiria várias vezes até deixar o Galo.

– Nós estamos no caminho certo. Eu entendo a pressão da imprensa e da torcida, mas nós temos que ter calma e tranquilidade para sair dessa situação.

Outra frase marcante de Luxa durante sua passagem pelo Atlético-MG foi dita antes da derrota para o Botafogo, no Rio de Janeiro.

– O pão só tem caído com o lado da manteiga para baixo. Falta a bola bater na bunda e entrar. Ela bate na bunda do adversário e entra. É isso que precisa acontecer.

Gota d’água

A paciência do presidente Alexandre Kalil acabou quando a torcida já havia desistido há muito tempo. Após a derrota para o Fluminense, por 5 a 1, no Engenhão, Kalil demitiu o ‘professor’, que saiu agradecido à diretoria do clube e à torcida, dizendo que iria se reciclar antes de voltar ao mercado de trabalho. Porém, 11 dias depois, foi contratado pelo Flamengo.

Para o lugar de Luxemburgo, o Atlético-MG trouxe Dorival Júnior, que havia deixado o Santos, após se desentender com o atacante Neymar.

Nova era

Dorival Júnior comanda treino no Atlético-MG
(Foto: Valeska Silva / Globoesporte.com)

Dorival Júnior chegou ao Galo sem prometer milagres. Admitiu que a luta contra o rebaixamento era muito difícil, mas não impossível. Naquele momento, o Atlético-MG ocupava a 19ª colocação e era o time com mais derrotas, além de ter a pior defesa e o pior saldo de gols.

Mas com muito trabalho e paciência, o novo comandante deu padrão de jogo ao time e, aos poucos, conquistou os resultados que tiraram o time da zona de rebaixamento. O preço para isso foi caro. O Atlético-MG se viu obrigado a abrir mão da Copa Sul-Americana, que, neste ano, pela primeira vez, dará vaga na Libertadores do ano seguinte. Para se ter uma ideia, o Galo foi a Bogotá, encarar o Santa Fé, com apenas 14 jogadores na delegação e, mesmo assim, voltou da Colômbia classificado. Depois, o time reserva não resistiu ao Palmeiras e deu adeus à competição.

O treinador conquistou a confiança dos jogadores que assimilaram seu esquema de jogo e passaram a demonstrar muito mais garra e valentia em campo que nos tempos de Luxemburgo. E também ganhou a torcida, ao vencer o clássico com o Cruzeiro, por 4 a 3, em Uberlândia, quando a maioria da imprensa colocava o rival como franco favorito.

Confiança e admiração

Os jogadores do Atlético-MG confiam e acreditam no trabalho de Dorival Júnior. A maioria deles deixa isso claro nas entrevistas, quando o treinador sempre é lembrado. O volante Zé Luís, um dos líderes do grupo, é um deles.

– O Dorival é um cara que tem uma maneira de trabalhar muito tranquila. Ele consegue fazer com que os jogadores o respeitem sem falar um palavrão, sem xingar ninguém. Isso é importante, saber que tem uma parceria. Os atletas gostam da maneira que ele trabalha. É um estudioso do futebol. As conquistas recentes dele mostram isso, dois títulos nos últimos seis meses. Trabalha muito bem a parte tática, dá moral para o grupo e para o time. Hoje nós temos um time considerado titular. Coisa que há pouco tempo não tinha. Depois de uma derrota, mudava três ou quatro jogadores, e isso acabava dificultando muito. É bom demais o atleta dormir e saber que, no dia seguinte, vai jogar. Saber que é titular é importante.

O jovem Renan Oliveira é outro fã confesso de Dorival. Vivendo a melhor fase de sua carreira, o meia atleticano não esconde que boa parte de seu sucesso se deve à chegada de Dorival.

– Ele tem sido muito importante para nós. É um treinador que todo dia está conversando com um, com outro, separadamente. Está sempre apoiando, sempre incentivando.

Próximos passos

A luta do Atlético-MG para se livrar definitivamente da degola ainda não terminou. O time terá pela frente, nas rodadas finais do Brasileirão, Palmeiras, Goiás e São Paulo. O Galo depende somente de suas próprias forças para não cair. O treinador, porém, mantém os pés no chão e pediu que o time mantenha a postura dos últimos jogos.

– O Atlético-MG não cairá caso essa integração continue entre jogadores, comissão e torcedor. Vamos continuar trabalhando forte e com o pensamento na próxima partida. É difícil. Já vi muito matemático errando. Temos que buscar as vitórias para sair dessa situação que incomoda demais e desequilibra qualquer equipe no ambiente de trabalho.

Se depender da confiança da torcida e dos jogadores no trabalho do técnico, o Galo já pode planejar 2011 na elite do futebol nacional.

novembro 18, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Confrontos diretos mexem com a zona do rebaixamento

Quatro duelos diretos contra a degola acontecem nas últimas três rodadas do Brasileirão; sete times fogem de três vagas

Faltando apenas três rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, a luta contra o rebaixamento continua embolada. Somente o Grêmio Prudente já teve sua queda confirmada, após a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, na Arena da Baixada, no último domingo.

Nada menos que sete equipes ainda brigam para fugir do fantasma da degola, e as rodadas restantes apontam confrontos diretos, que
certamente definirão quem ocupará as três vagas restantes na Série B de 2011. O LANCENET! ouviu um time de especialistas que apontaram as
diferenças entre os candidatos ao descenso e fizeram suas apostas.
Confira os confrontos diretos contra o rebaixamento:

36ª rodada
Flamengo x Guarani
Avaí x Atlético-GO

37ª rodada
Atlético-MG x Goiás

38ª rodada
Vitória x Atlético-GO

Calculadora na mão

A matemática entra em cena na reta final do Campeonato Brasileiro. De acordo com dados do matemático Tristão Garcia, Atlético-GO e Flamengo, que ainda terão duas partidas em casa, têm 12% de chances de cair. O Atlético-MG, que fará seu último jogo como mandante diante do Goiás, na 37ª rodada, tem 21%.

O Vitória tem os mesmos 39 pontos do Galo, mas tem 20% de chances de rebaixamento, por ainda jogar duas vezes no Barradão, uma delas contra o líder Corinthians e outra contra o Atlético-GO, adversário direto.

Sorte do Leão, azar do Bugre

Avaí e Guarani, segundo Tristão, tiveram suas situações invertidas. Os catarinenses, que ainda jogam duas vezes na Ressacada, tinham maior
chance de cair. Agora, a possibilidade de descenso diminuiu para 57% após a importante vitória, por 3 a 2, fora de casa contra o Internacional:

– O Avaí foi o grande vitorioso da rodada, dentre aqueles que brigam contra o rebaixamento. A vitória fora de casa sobre o Internacional foi
importantíssima para as pretensões da equipe – disse o matemático.
Já o Bugre se complicou com o empate, por 1 a 1, em casa diante do Vitória, para quem o resultado não foi tão ruim assim. O Guarani tem 80%
de chances de cair.

Drama esmeraldino

A situação só não é mais crítica que a do Goiás, que tem 98% de possibilidades de rebaixamento. Com a goleada aplicada sobre o Esmeraldino na 34ª rodada, o já rebaixado Grêmio Prudente “puxou” os goianos para a Série B, segundo Tristão:

– A derrota para o Prudente levou o Goiás junto, sem dúvida. Era um confronto direto e o Goiás já se encontrava em situação delicada.

COM A PALAVRA, OS ESPECIALISTAS:

Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira na conquista dotricampeonato Mundial, em 1970

“Creio que os quatro que estão na zona de rebaixamento devem cair, independentemente dos confrontos diretos. Digo isso em virtude das
campanhas e dos elencos. é importante dar moral, mas quando falta elenco, não há técnico que consiga salvar.”

A aposta de Torres: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí

Estevam Soares, técnico

“Acho que agora é a hora da verdade. Não deve haver surpresa a esta altura da competição. É hora de fazer valer a qualidade do elenco, do
treinador, e de mostrar uma diferença de postura. Quem tem mais elenco, vai se salvar. O Guarani, por exemplo, está em queda livre no campeonato pois falta elenco, apesar do trabalho do Vagner Mancini, que é indiscutível. Já a vitória do Avaí sobre o Internacional nao pode ser
considerada zebra. O clube pegou uma maré ruim na competição, com trocas de comando. Os jogos em casa influenciam muito, com a torcida apoiando. Sem dúvida, a questão do mando é muito importante. Num momento como esse, a torcida não se opõe ao time, mesmo com a situação incômoda. Pelo contrário, se junta ao time, joga junto. Se houver protesto, acontece no fim do jogo, mas durante os 90 minutos, é só apoio.”

A aposta de Estevam: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Humberto Perón, colunista do LANCE!

“A situação do Goiás é muito complicada, só com um milagre. A Sul-Americana pode atrapalhar. O Atlético Mineiro tem boa chance de escapar, com o time crescendo. O Flamengo, mesmo com campanha ruim como mandante, é favorito contra o Guarani, que vinha bem em casa, mas não
vem marcando gols. O Atlético-GO vem sabendo jogar no contra-ataque e vem conseguindo resultados importantes. Já o Vitória, forte no Barradão, enfrenta o líder, em um jogo muito importante. A pressão nessa partida é sobre ambos os times, e o Corinthians vai ter de sair para o jogo.”

A aposta de Perón: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Vitor Birner, colunista do LANCE!

“Acredito que os melbores elencos vão permanecer. O Flamengo e o Galo ficam. Sempre achei que o Avaí fosse cair, mas vem jogando melhor. O Vitória se salva em virtude de sua campanha e suas atuações no Barradão, e também porque seu elenco é melhor que o de Avaí e Guarani. O Bugre vinha bem em casa, mas a estrutura e o elenco não são de primeira divisão. Já o Atlético-GO é uma indefinição constante, não se sabe se
cai ou não, mas, coletivamente, tem mais time que os quatro últimos. O Goiás é outro que tem mais elenco, até mesmo individualmente, que os outros que estão na zona de rebaixamento.”

A aposta de Vitor: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

Benjamin Back, colunista do LANCE!

“O campeonato está desenhado. Já temos dois times rebaixados pois, na minha opinião, o Goiás também já foi. Temos do Guarani até o Atlético-GO brigando para não cair, ou seja, sete times lutando para fugir de duas vagas. Na minha opinião, o Atlético-MG não cai. É outro time desde a chegada de Dorival Júnior. O mesmo acontece com o Atlético-GO sob o comando de Renê Simões. Já o Vitória no Barradão é dificílimo de ser batido, e terá ainda dois jogos em casa…mas o futebol é imprevisível. Para mim, o Guarani não se salva, era fogo de palha com a boa campanha em casa no primeiro turno. O Vagner Mancini é bom treinador, mas escolheu mal ao aceitar comandar o Bugre.”

A aposta de Back: Grêmio Prudente, Goiás, Guarani e Avaí.

novembro 15, 2010 Posted by | Atlético-MG, Avaí, Ceará, Flamengo, Goiás, Grêmio Prudente, Guarani, Vitória | | Deixe um comentário

Atlético-MG humilha o Flamengo de Luxemburgo e se distancia do Z-4

No reencontro do técnico rubro-negro com o ex-clube, ataque do Galo brilha na Arena do Jacaré. Rubro-Negro fica mais ameaçado de queda

Quase dois meses. Foi o tempo que a torcida do Atlético-MG esperou, ansiosa, para estar novamente frente a frente com Vanderlei Luxemburgo, agora no Flamengo. Olhos nos olhos, um ressentimento sem tamanho por parte dos atleticanos. Quando o técnico deixou Belo Horizonte, no fim de setembro, o Galo padecia na zona de rebaixamento do Brasileirão. Era um time fadado ao fracasso, com malas prontas para a Segunda Divisão. Não é mais. Neste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoa, pela 35ª rodada do Brasileirão, o sentimento dos mineiros foi de vingança e redenção. Uma goleada de 4 a 1, impiedosa, em tom de desabafo. Foi, sem dúvida, uma vitória para Luxemburgo ver. A ameaça de rebaixamento ainda existe, mas a equipe sobe para a 14ª posição, com 39 pontos, e respira.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Obina e Diego Tardelli, ex-rubro-negros, fizeram um gol cada. Renan Oliveira, dispensado por Luxa, fez dois, desfilou talento, comandou a equipe. Dorival Júnior acertou ao buscá-lo de volta no Vitória. Marquinhos, o mais esforçado do Fla na etapa final, descontou.

O Rubro-Negro, por enquanto, continua em 13º, com 40, mas pode ser ultrapassado por Vitória e Atlético-GO neste domingo, no complemento da rodada. Luxa viu tudo atônito, armou um time sem criatividade e presença ofensiva no primeiro tempo, tentou mudar no segundo, mas fracassou. Em oito jogos, duas vitórias, quatro empates e duas derrotas. Se o campeonato do Flamengo é diferente, como ele diz, está na hora de começar a disputá-lo.

O Flamengo volta a jogar no próximo sábado. O adversário será o Guarani, no Engenhão, às 19h30m. No domingo, o Atlético-MG visita o Palmeiras, às 17h, em Araraquara.

Flashes para Luxa; Gols do Galo

Flashes, lentes e microfones apontados para o banco de reservas do Flamengo. Todos os olhos para Vanderlei Luxemburgo. Há pouco mais de um mês, ele estava no Atlético-MG. De herança, deixou o Galo mergulhado no Z-4 do Brasileirão e um ressentimento sem tamanho nos atleticanos. Neste sábado, Luxa foi adversário. Ouviu tudo quanto é tipo de xingamento ao pé do ouvido. O banco de reservas da Arena do Jacaré fica a seis metros da tribuna. Com a costumeira elegância, permaneceu inabalável. Deu entrevistas, recebeu abraços de quase todos os ex-comandados, se emocionou. O jogo só poderia começar depois de tudo isso. Foi uma espécie de ritual.

Em campo, um Flamengo corajoso, mais disposto. Os rubro-negros não pareceram sentir o bafo dos atleticanos. Torcida colada no campo, aos berros. Luxa apostou na experiência de Petkovic para amenizar a pressão. Na frente, Diogo e Diego Maurício, a sexta formação de ataque diferente em oito jogos. Os cariocas tiveram mais campo, mais posse de bola. O problema foi que abusaram dos toques na frente da área. Toques que nunca davam em nada. A exceção foi um chute de Diogo, aos 15, que passou à esquerda de Renan Ribeiro.

O Galo decidiu encher o peito e ir à briga. Agrediu por todos os lados. Chegou com laterais, meias e atacantes. Diego Tardelli correu feito louco. Ora pela esquerda, ora pela direita. Aos 14, cruzou rasteiro, a bola passou na frente do gol de Lomba, à espera de uma boa alma que a chutasse. Faltou Tardelli por lá. O lance empolgou torcedores e jogadores. Pouco depois, Renan Oliveira encarou a marcação pelo meio e abriu para Leandro do lado esquerdo. Nem chute, nem cruzamento. Lomba espalmou pela linha de fundo.

O Flamengo passou a aceitar a pressão na tentativa de encaixar um contra-ataque. Pet sumido, Diego Maurício e Diogo isolados. Juan e Léo Moura até se apresentaram, mas foram pouco acionados. O Atlético não vacilou. Rafael Cruz tinha espaço pela direita, mas errou dois cruzamentos e começou a ser vaiado. O volante Zé Luís e o técnico Dorival Júnior pediram paciência aos torcedores.

Ao longo da semana, os rubro-negros elogiaram a dupla de ataque do Galo. Com Tardelli e Obina não se brinca. Os ex-rubro-negros comeram grama. Disputaram cada mínimo espaço com os zagueiros adversários. Fizeram a diferença. Diego Souza e Renan Oliveira também tentaram. Aos 30, o primeiro cabeceou quase da pequena área, e Lomba encaixou. Logo depois, aos 35, sob chuva, Renan Oliveira bateu colocado. Lomba deu rebote, e Obina guardou. No fundo, doeu no coração do Anjo Negro. Mesmo depois de deixar o clube pela porta dos fundos, no início deste ano, não houve comemoração. Mãos para o alto e pedidos de desculpas à torcida do Galo. Quem no estádio não o perdoaria? Não parou por aí. Aos 43, Obina lançou Renan Oliveira na área. Marcelo Lomba saiu mal do gol e chutou o ar. Renan, talentoso que é, livrou-se do goleiro com um toque sutil e completou: 2 a 0. Loucura na Arena do Jacaré. Luxemburgo não foi esquecido.

– Ôooo, o Luxa é só caô!

– Luxa do c……, a sua vida é só jogar baralho! – cantaram, em referência à suposta paixão do técnico pelo carteado.

Galo passeia, e Fla sofre

Luxemburgo fez todas as mudanças possíveis no intervalo. A experiência de Pet deixou de ser importante, e Guilherme Negueba, de 18 anos, entrou. Com a trinca de volantes não seria útil, Correu saiu para a entrada de Marquinhos. Para Luxa, um atacante de referência não faria falta. Mas Val Baiano foi chamado para o lugar de Diego Maurício. Mais veloz e com o mínimo de presença de área, o Rubro-Negro melhorou, conseguiu trocar passes, ocupar o campo adversário e até ameaçar. Aos 9, a bola parada quase funcionou. Marquinhos cobrou escanteio, Ronaldo Angelim desviou na primeira trave, e Renan Ribeiro pegou. Negueba tentou de longe, mas o goleiro novamente esteve seguro.

À vontade, sossegado, o Galo poderia ter ampliado nos contra-ataques. Obina, Tardelli e Renan Oliveira foram sempre perigosos. O terceiro gol não saiu por detalhe. Dorival também decidiu mudar. Diego Souza deu lugar a Ricardinho. Parte da torcida do Flamengo chegou atrasada ao estádio, na metade do segundo tempo. Devem ter se arrependido. Aos 23, viram Tardelli brincar. O atacante recebeu de Serginho do lado esquerdo da área, trouxe para o meio, cortou o marcador e bateu. Golaço: 3 a 0, fora o baile. Pouco depois, aos 25, Renan Oliveira roubou a bola quase no meio-campo, avançou, ganhou dos zagueiros e chegou em Lomba. O goleiro do Fla tentou afastar com um tapa, mas o garoto conseguiu deixar o quarto, segundo dele. Explosão de alegria em Sete Lagoas e gritos irônicos de “Ah, é Luxemburgo!”.

Apesar de atordoado, o Flamengo ainda teve forças para diminuir, aos 29. Marquinhos se livrou de Serginho dentro da área e acertou o ângulo  Gol que os atleticanos nem sentiram. Daí em diante, virou sessão de aplausos e gozações. Obina e Renan Oliveira foram substituídos e deixaram o campo aplaudidíssimos. Gritos de “olé” encerraram a noite que os torcedores do Atlético vão demorar a esquercer. Luxa também.

ATLÉTICO-MG 4 X 1 FLAMENGO
Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Werley, Réver e Leandro; Zé Luís, Serginho, Renan Oliveira (Neto Berola) e Diego Souza (Ricardinho); Diego Tardelli e Obina (Mendez). Marcelo Lomba, Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Maldonado, Willians, Correa (Negueba) e Petkovic (Marquinhos); Diego Maurício (Val Baiano) e Diogo.
Técnico: Dorival Júnior. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
Gols: Obina, aos 35, e Renan Oliveira, aos 43 do primeiro tempo. Diego Tardelli, aos 23, Renan Oliveira, aos 35, e Marquinhos, aos 29.
Cartões amarelos: Réver (Atlético-MG).
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG. Data: 13/11/2010.Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS) Auxiliares: Altemir Hausmann (RS-FIFA) e por Júlio César Rodrigues Santos (RS).

novembro 13, 2010 Posted by | Atlético-MG, Flamengo | | Deixe um comentário

Galo x Fla: decisão contra a degola na Arena do Jacaré

Clássico marcado por grandes decisões no futebol brasileiro, desta vez, envolve luta contra o rebaixamento

Atlético-MG e Flamengo já protagonizaram muitas decisões ao longo dos anos. Neste sábado, às 19h30, na Arena do Jacaré, as equipes mais uma vez fazem um jogo decisivo, mas de uma forma não tão gloriosa quanto em outras ocasiões.

Separados por quatro pontos e três posições na tabela, tanto o Galo (16º, com 36 pontos) quanto o Rubro-Negro (13º, com 40 pontos) precisam da vitória para não ver aumentar ainda mais o pesadelo do rebaixamento. Quem perder ficará em situação complicada no Campeonato Brasileiro.

A partida também marca o reencontro do técnico Vanderlei Luxemburgo com o ex-clube, de onde saiu demitido após não conseguir tirar o clube da zona da degola.

E você poderá acompannhar todas as emoções deste jogo em tempo real, pelo LANCENET!, neste sábado, a partir das 19h30.

Semana difícil para o Galo

A semana iniciou com diversos problemas para o técnico Dorival Júnior. Zé Luís e Diego Souza saíram contundidos do jogo contra o Santos e tiveram de passar por exame de imagem, mas nada foi constatado.

Diego Souza também foi julgado novamente pela expulsão contra o Fluminense e poderia ser suspenso por mais jogos, mas o STJD manteve a punição inicial de duas partidas, já cumpridas.

Com isso, o treinador atleticano não fez mistério e já confirmou a equipe que entra em campo neste sábado, que será a mesma que empatou com o Santos, em casa, na última semana.

No Fla, clima de decisão

Por mais que o técnico Vanderlei Luxemburgo rechasse o termo, o Flamengo terá sim uma ‘decisão’ pela frente.

Apenas quatro pontos à frente da zona do rebaixamento, a vitória é fundamental para o destino do Rubro-Negro, que ainda quer a vaga na Copa Sul-Americana.

A equipe terá modificações em relação àquela que perdeu para o Atlético-PR, na última rodada. Deivid e Renato, suspensos, dão lugar à Petkovic e Diogo. Já o jovem Diego Maurício ganhou a vaga de Val Baiano no ataque. Correa também será novidade no meio-campo.

Prevendo um clima de guerra, o Rubro-Negro montou esquema para evitar hostilidades da torcida do Galo. Por isso, não divulgou a programação da viagem, nem o hotel em que ficará hospedado. Já Luxemburgo, ex-técnico do Galo, terá proteção especial no banco de reservas.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG X FLAMENGO

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)

Data/Hora: 13/11/2010 – 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)

Auxiliares: Altemir Hausmann (RS-Fifa) e Julio Cesar Rodrigues Santos (RS)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Réver, Werley e Leandro; Zé Luis, Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina. Técnico: Dorival Júnior.

FLAMENGO: Marcelo Lomba; Léo Moura, Ronaldo Angelim, Welinton e Juan; Maldonado, Willians, Correa e Petkovic; Diogo e Diego Maurício. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

novembro 12, 2010 Posted by | Atlético-MG, Flamengo | | Deixe um comentário

Diego Souza faz treino leve e ainda é dúvida para enfrentar o Flamengo

Daniel Carvalho e Zé Luís estão vetados para o clássico na Arena do Jacaré

O meia Diego Souza corre contra o tempo para ter condições de jogo diante do Flamengo, neste sábado, às 19h30m (de Brasília), pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena do Jacaré. O jogador ainda luta para se recuperar de um edema na coxa direita.
Nesta quinta-feira, o atleta deu voltas ao redor de um dos campos da Cidade do Galo. Seu aproveitamento dependerá da reação ao treino e dos exames complementares a que ainda será submetido. Caso tenha uma resposta positiva, poderá ser liberado para treinar com bola nesta sexta-feira. Se participar da movimentação comandada pelo técnico Dorival Júnior, Diego estará apto para atuar diante do Rubro-Negro carioca.
Outros dois jogadores já estão vetados: o meia Daniel Carvalho, também com um edema na coxa direita, e o volante Zé Luís, com dores na coxa esquerda. O primeiro já está liberado do departamento médico, mas como ficou parado por um longo período, ainda necessitará de mais tempo para se recuperar fisicamente. Já Zé Luís ainda está em tratamento intensivo.
Julgamento no STJD
Outro motivo para que Diego Souza tenha tranquilidade é que foi absolvido no julgamento desta tarde, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Ele corria o risco de ficar fora das próximas partidas do Brasileirão, por causa da expulsão diante do Fluminense, na 24ª rodada.
Na primeira vez em que esteve no banco dos réus, Diego Souza levou dois jogos de suspensão. Porém, a Procuradoria entendeu que ele merecia pena maior e recorreu da decisão. No entanto, de acordo com o Pleno do STJD, o meia poderá atuar normalmente nas quatro últimas partidas do ano.

novembro 11, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Verdão cumpre o objetivo, faz 2 a 0 no Galo e avança para a semifinal

Com o Pacaembu lotado, Palmeiras vence os reservas do Atlético-MG com gols de Marcos Assunção e Luan, e passa de fase na Copa Sul-Americana

Em clima de decisão no estádio do Pacaembu, o Palmeiras foi contagiado pelo apoio dos mais de 35 mil torcedores presentes e cumpriu seu objetivo. O Verdão venceu o Atlético-MG por 2 a 0 e está classificado para a semifinal da Copa Sul-Americana. O time paulista soube superar o bom momento dos reservas da equipe mineira após o intervalo e garantiu a importante vitória.

Apesar de ter contado com Valdivia por apenas 16 minutos, Lincoln entrou no lugar do machucado chileno e contribuiu bem para o triunfo alviverde. Com gols de Marcos Assunção e Luan, um em cada tempo, o Palmeiras continua na luta para levantar a taça da competição que passou a priorizar neste final de temporada.

Na próxima fase, o Palmeiras vai enfrentar o vencedor do duelo entre Avaí e Goiás, que fazem o jogo de volta nesta quinta-feira, em Florianópolis. Na ida, em Goiânia, houve empate por 2 a 2. As semifinais serão realizadas nos dias 17 e 24 de novembro, e o Verdão decide a classificação dentro de casa.

Valdivia fora e gol de Assunção

O Verdão foi a campo com força total e com Valdivia entre os titulares. Já o Galo poupou os principais atletas para o Brasileirão, competição em que está ameaçado pelo rebaixamento. A postura ofensiva dos donos da casa pôde ser observada desde o primeiro minuto, porém a experiência da equipe mineira evitou uma pressão maior. A primeira grande chance alviverde foi com Tinga, aos dez minutos, mas os visitantes responderam cinco minutos depois em contragolpe com Ricardo Bueno. Tanto Renan Ribeiro quanto Deola fizeram grandes defesas.

A torcida do Palmeiras ficou preocupada quado novamente o meia Valdivia voltou a sentir dores na coxa esquerda. Aos 16 minutos, o chileno, que ficou fora dos três jogos anteriores, foi substituído por Lincoln. A empolgação palmeirense e o bom volume de jogo empurraram a equipe para o ataque. Com o apoio dos laterais Márcio Araújo e Gabriel Silva e a movimentação de Tinga e Kleber, que ia buscar a bola no meio-campo, o Verdão criou boas oportunidades.

Aos 26, Marcos Assunção mostrou mais uma vez que tem o pé calibrado e fez um gol olímpíco após cobrança de escanteio: 1 a 0. Apostando na velocidade de Neto Berola, o Atlético-MG buscava o empate, mas o Palmeiras manteve a superioridade.

Susto dos mineiros e definição com Luan

Com a vantagem no marcador, o Verdão não mostrou o mesmo apetite em busca do gol após o intervalo. Enquanto isso, o Galo aproveitou para pressionar. O técnico Dorival Júnior percebeu o clima favorável e colocou três titulares antes dos 26 minutos, deixando o time mineiro mais ofensivo. Entraram o volante Serginho e os atacantes Nicão e Diego Tardelli, para as saídas dos volantes Alê e Fabiano e do lateral Diego Macedo.

O confronto ficou equilibrado, e o Atlético-MG chegava com mais frequência à meta de Deola. De cabeça, Ricardo Bueno exigiu o esforço do goleiro. Logo depois, a a resposta veio em uma roubada de bola de Lincoln, mas Kleber finalizou para fora.

Então, aos 33, a apreensão que começava a tomar conta dos milhares de palmeirenses no estádio transformou-se em euforia. Lincoln coroou sua boa atuação na noite puxando o contra-ataque e servindo Luan, que, pelo lado esquerdo da área, chutou para o fundo das redes: 2 a 0.

Depois do segundo gol, a classificação alviverde ficou mais tranquila. O Galo perdeu as suas forças, e a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari esperou o tempo passar. Festa da torcida, que gritou olé nas arquibancadas e comemorou a vaga na semifinal.

PALMEIRAS 2 X 0 ATLÉTICO-MG
Deola, Márcio Araújo, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Valdivia (Lincoln (Dinei)); Kleber e Luan (Pierre) Renan Ribeiro; Lima, Cáceres e Jairo Campos; Diego Macedo (Nicão), Alê (Serginho), Fabiano (Diego Tardelli), Méndez e Fernandinho; Neto Berola e Ricardo Bueno
Técnico Luiz Felipe Scolari Técnico: Dorival Júnior
Gols: Marcos Assunção, aos 26 minutos do primeiro tempo, e Luan, aos 33 minutos do segundo tempo
Cartões Amarelos: Luan, Gabriel Silva, Tinga (Palmeiras); Neto Berola, Jairo Campos (Atlético-MG).
Público: 35.054 pagantes. Renda: R$ 762.160,00
Estádio: Pacaembu, em São Paulo (SP). Data: 10/11/2010. Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa-RS).
Auxiliares: Altemir Haussmann (Fifa-RS) e Dibert Pedrosa Moisés (Fifa-RJ)

novembro 10, 2010 Posted by | Atlético-MG, Palmeiras | , | Deixe um comentário

Palmeiras faz o ‘jogo do ano’ contra o Atlético-MG

Enquanto Verdão considera a partida a mais importante da temproada, Galo está, mesmo, de olho no Brasileirão

Com expectativa de recorde de público, o Palmeiras enfrenta o Atlético-MG, nesta quarta-feira, às 22h, no Pacaembu, na partida que é considerada a principal do ano, já que vale vaga nas semifinais da Copa Sul-Americana. E para isso, o Verdão deve ter um importante retorno ao time titular.

O meia Valdivia, que se recupera de uma fibrose na coxa esquerda há cerca de 15 dias, já começou a fazer atividades e deve aparecer na equipe titular do Palmeiras. Entretanto, com o bom momento do atacante Luan, o Mago deve, enfim, ser escalado na armação das jogadas, deixando o camisa 21 fazer a dupla de ataque com Kleber.

No restante da equipe, o técnico Luiz Felipe Scolari tem mais duas dúvida na escalação: a defesa e a lateral. Recuperados de lesão, o ex-titulares Maurício Ramos e Vitor atuaram na partida contra o Guarani e estão à disposição. Fabrício, que vinha formando a dupla de zaga com Danilo, e Tinga – neste caso, Márcio Araújo voltaria para o meio de campo – podem perder a posição.

E o público no Pacaembu promete superar às expectativas. Até a tarde desta terça-feira, já haviam sido vendidos mais de 25 mil ingressos, o que já garante o recorde de público do Verdão nesta temporada. Antes, o duelo contra o Atlético-GO, pela Copa do Brasil, estava na frente. Na ocasião, o clube alviverde contou com o apoio de 23.982 torcedores no Palestra Itália.

Já no Atlético-MG, o técnico Dorival Júnior adiantou no sábado passado que colocará em campo uma equipe formada por jogadores reservas, exceto o goleiro Renan Ribeiro.

Embora esteja em jogo uma possível vaga na Libertadores de 2011, a prioridade do clube mineiro é escapar do rebaixamento para a Segunda Divisão no Campeonato Brasileiro. Alguns dos principais atletas até estarão em São Paulo com a delegação, mas devem apenas participar de treino na manhã de quarta.

O foco atleticano é o confronto contra o Flamengo, neste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pelo Brasileirão. Logicamente que uma classificação na Sul-Americana será mais do que bem vinda, mas por outro lado, a eliminação não será lamentada neste momento.

O jogo contra o Verdão poder ser uma boa oportunidade para quem não vem jogando pelo Galo mostrar serviço. Os atacantes Neto Berola e Ricardo Bueno ainda tentam se firmar no grupo alvinegro e encaram a partida pela competição continental como grande chance.

– Cobrança vai ter mesmo. Em um clube grande como o Atlético, o jogador vai ser cobrado mesmo. Tenho que encarar como motivação e melhorar meu trabalho. Não posso deixar me abalar. Temos de ser inteligentes, não só preocupar em fazer gols, mas ficar atentos também para não levar, senão complica – disse Bueno, que foi muito vaiado no empate contra o Santos por 2 a 2, pelo Brasileiro.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X ATLÉTICO-MG

Estádio: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/hora: 10/11/2010 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden (BRA)
Auxiliares: Altemir Hausmann (BRA) e Dibert Pedrosa (BRA)

PALMEIRAS: Deola, Márcio Araújo, Maurício Ramos (Fabrício), Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga (Vitor) e Valdivia; Luan e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Campos, Cáceres e Lima; Diego Macedo, Alê, Fabiano, Méndez e Fernandinho; Neto Berola e Ricardo Bueno. Técnico: Dorival Júnior.

novembro 10, 2010 Posted by | Atlético-MG, Palmeiras | , | Deixe um comentário

Ricardo Bueno pode ser uma das novidades do Galo contra o Palmeiras

Atacante treinou dois dias seguidos entre os que devem começar a partida de volta das quartas de final da Sul-Americana, mas ainda não está confirmado

Uma das novidades do Atlético-MG na partida de amanhã com o atacante Ricardo Bueno. Nos dois treinos realizados, até agora, entre os jogadores que devem começar diante do Palmeiras, na partida de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana, ele esteve em campo em ambas oportunidades. A expectativa é grande, já que não está tendo muitas oportunidades.

A última vez em que atuou como titular foi justamente contra o Palmeiras, na partida de ida, realizada em Sete Lagoas – empate por 1 a 1. De lá para cá, Bueno foi utilizado mais duas vezes (Botafogo e Santos), sempre entrando no decorrrer da partida.

– Cobranças em clube grande como o Atlético vão sempre existir. Tenho que encarar essa oportunidade como motivação a mais para mostrar meu trabalho.

O fato de o técnico Dorival Júnior listar 22 jogadores é aprova que o grupo atleticano está unido em busca dos mesmos objetivos: se classificar à próxima fase da Copa Sul-Americana e afastar, de vez, o fantasma do rebaixamento. Mas também pode significar que, apesar de ter treinado uma formação, outra pode começar jogando. Pelo menos foi assim na primeira partida com o Palmeiras, quando houve surpresa. O atacante Obina, que nem relacionado estava, acabou viajando para Sete Lagoas, entrou no decorrer do jogo e, ainda, marcou o único gol atleticano.

– Independentemente de quem jogar, o importante é que nosso grupo está unido e vai viajar junto. Na partida com o Santa Fe, na Colômbia, só fomos 14. Agora é praticamente todo o grupo viajando. Quem entrar, vai dar o máximo para o Galo vencer. Quem ficar de fora, vai dar forças para quem estiver em campo.

novembro 9, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Galo e Santos empatam em jogo marcado por reencontro e falta de luz

Neymar (2), Tardelli e Obina fizeram os gols do jogo cujo resultado não foi bom para ninguém. Dorival Júnior deixou campo xingado pela torcida: ‘burro’

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Atlético-MG e Santos fizeram um jogo muito equilibrado e marcado pelo reencontro de Dorival Júnior e Neymar e por duas quedas de luz, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). O empate por 2 a 2, gols de Diego Tardelli e Obina para o Galo, e Neymar para o Peixe, não foi bom para nenhum dos dois times.

O Galo está com 36 pontos e dorme na 16ª colocação da tabela. Fora, portanto, da zona de rebaixamento. O Santos caiu para o 6º lugar (15 pontos) e mantém remotas chances de ser campeão brasileiro.

Muita velocidade, pouca luz

O jogo começou sob forte chuva na Arena do Jacaré. Tão forte que, com apenas quatro minutos de bola rolando, a energia do estádio acabou. Depois de nove minutos de luzes apagadas, a partida recomeçou.

Mesmo com o gramado pesado, o jogo era bom. A necessidade da vitória levou o Galo ao campo de ataque com toda a força, o que proporcionou ao Santos muitos espaços para os contragolpes.

Foi num lance assim que Neymar abriu o placar. Aos 17 minutos, o atacante avançou com a bola dominada e experimentou de fora da área. A bola entrou no cantinho direito do goleiro Renan Ribeiro.

Se com o jogo empatado o Galo já era ofensivo, quando ficou atrás no placar passou a atacar ainda mais. E, pela persistência, foi premiado com o empate. Pará errou na saída de bola e Serginho ganhou a jogada. O volante acertou um cruzamento perfeito, na cabeça de Diego Tardelli, que, aos 33 minutos, mandou para o fundo das redes.

O jogo seguiu bem disputado e veloz. A luz acabou mais uma vez. Foram mais cinco minutos de escuridão. O segundo reinício da partida foi dado e o primeiro tempo ficou, mesmo, no empate por 1 a 1.

Empate persistente

O desenho tático do início do segundo tempo foi semelhante ao do primeiro. O Galo era mais incisivo no ataque e o Peixe era perigoso nos contragolpes.

Diego Tardelli e Obina se movimentavam muito, abrindo espaços para as penetrações de Renan Oliveira e Diego Souza. No lado do Santos, Neymar era quem mais levava perigo à defesa do Galo, com suas arrancadas, dribles e chutes.

A maior presença ofensiva do Atlético-MG fez com que o time virasse o jogo. Aos 14 minutos, Diego Souza começou a jogada, a bola sobrou para Renan Oliveira, que bateu para o gol. O goleiro Rafael deu rebote nos pés de Obina, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol.

O Santos não se abateu com a virada do Galo. Partiu pra cima e conseguiu o empate, sete minutos depois. Após bola cruzada na área, Durval cabeceou. Renan Ribeiro saiu mal do gol e a bola sobrou limpa para Neymar deixar tudo igual na Arena do Jacaré, mais uma vez.

Depois do empate santista, o jogo perdeu em qualidade técnica, mas ganhou em dramaticidade. Os dois times seguiram buscando o gol da vitória, mas o placar teimou em ficar no 2 a 2, que, no final das contas, não foi bom para ninguém.

Na próxima rodada, o Atlético-MG recebe o Flamengo, na Arena do Jacaré, sábado, às 19h30m (de Brasília), enquanto o Santos encara o Grêmio, na Vila Belmiro, no mesmo dia e na mesma hora.

ATLÉTICO-MG 1 X 1 SANTOS
Renan Ribeiro; Rafael Cruz, Werley, Réver e Leandro; Zé Luís (Alê), Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza (Nikão); Diego Tardelli e Obina Rafael; Maranhão, Bruno Aguiar, Durval e Pará; Adriano, Possebon (Marcel), Rodriguinho e Marquinhos (Alan Patrick); Zé Eduardo e Neymar
Técnico: Dorival Júnior Técnico: Marcelo Martelotte
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). Data: 06/011/2010.Horário: 19h30m (de Brasília). Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF).Auxiliares: Marrubson Melo Freitas (DF) e César Augusto de Oliveira Vaz (DF).
Público: 16.771 pagantes. Renda: R$ 82.060,00. Cartões amarelos: Serginho, Nikão (Atlético-MG), Adriano, Neymar (Santos).
Gols: Neymar (Santos), aos 17 minutos, e Diego Tardelli (Atlético-MG), aos 33 minutos do primeiro tempo; Obina (Atlético-MG), aos 14 minutos, e Neymar, aos 22 minutos do segundo tempo

novembro 6, 2010 Posted by | Atlético-MG, Santos | | Deixe um comentário

Santos x Galo marca reencontro de Neymar e Dorival

Time cearense, que não perde a sete partidas, quer trazer de Porto Alegre pelo menos um ponto

Em ótima fase nesta reta final de Campeonato Brasileiro, o time do Ceará quer manter o bom desempenho do técnico Dimas Filgueiras e chegar à oitava partida sem derrotas. Por isso, para encarar o Grêmio, neste sábado, às 19h30min (horário de Brasília), no estádio Olímpico, em Porto Alegre, os cearenses confiam em seu sistema defensivo.

Melhor defesa do Brasileirão, com apenas 30 gols sofridos, a equipe cearense segue com sua formação intacta. A dupla de zaga com Fabrício e Diego Sacoman e os três volantes no meio: Michel, João Marcos e Heleno são o ponto forte do grupo.

O quinteto, no entanto, terá uma parada indigesta pela frente, o time de Renato Gaúcho possui o terceiro melhor ataque da competição, são 54 gols anotados. A tática para segurar a força tricolor é bem simples para o treinador do Vozão.

– Esse nosso bom momento no Campeonato se deve ao nosso grupo e ao nosso poder de marcação. Primeiro temos de marcar, depois a gente sai para o jogo – declarou o comandante alvinegro.

A expectativa também no Ceará é para a quebra do incômodo tabu de quatro meses sem vencer fora de casa. Apesar de nos últimos três jogos ter empatado com Palmeiras, Corinthians e Atlético-GO, a última vitória alvinegra aconteceu no dia 6 de junho, no Mineirão, ante o Atlético-MG, por 1 a 0.

Para o duelo contra o Grêmio, Dimas confirmou que a equipe será a mesma que empatou com o Flamengo por 2 a 2, no meio de semana, no Castelão. O atacante Washington permanece como titular na vaga de Marcelo Nicácio, que vai ficar como opção no banco de reservas.

O Tricolor Gaúcho vem de vitória contra o Goiás, fora de casa, e espera vencer para entrar com mais força na vaga pela Libertadores. Depois de derrota para Flu e empate no Gre-Nal, o Grêmio havia ficado um pouco mais longe da briga.

A equipe será a mesma que enfrentou e ganhou do time goiano. Souza volta de suspensão, mas ficará no banco de reservas. O zagueiro improvisado como volante Vilson segue lesionado, e faz tratamento para se recuperar de lesão na coxa. O restante estará a disposição do técnico Renato.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO X CEARÁ

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data e hora: 6 de novembro, às 19h30min (horário de Brasília)
Árbitro: Célio Amorim (SC)
Assistentes: Luis Alberto Kallemberger (SC) e Fernando Lopes (SC)

GRÊMIO: Victor, Gabriel, Paulão, Rafael Marques e Lúcio; Fábio Rochemback, Adilson, Lúcio e Douglas; Jonas e André Lima. Técnico: Renato Gaúcho.

CEARÁ: Michel Alves; Boiadeiro, Diego Sacoman, Fabrício e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Geraldo; Washington e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras.


novembro 6, 2010 Posted by | Atlético-MG, Santos | , | Deixe um comentário

Réver diz que Galo está preparado para uma guerra contra o Santos

Zagueiro pede atenção especial com o jovem atacante santista Neymar

Atlético-MG e Santos se enfrentam neste sábado, às 19h30m (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Enquanto o Galo luta para deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Santos, já garantido na Taça Libertadores como campeão da Copa do Brasil, ainda sonha com o título. O zagueiro Réver, um dos principais jogadores do Atlético-MG neste Brasileirão, espera um jogo muito difícil neste sábado.

– A gente está preparado para uma guerra diante de uma grande equipe, que vive um momento bom. Acho que uma das melhores equipes do futebol brasileiro é o Santos. Temos que respeitar a equipe deles e entrar preparados.

Réver disse que o Galo não pode mais cometer erros, sob pena de ser rebaixado ao término do campeonato.

– Acho que a gente já errou muito neste campeonato. Então é jogo de erro zero. Não só diante do Santos, mas nestes cinco jogos, temos que errar o mínimo possível, para não chegarmos ao final do ano chateados com o descenso.

O zagueiro do Galo e da Seleção Brasileira pediu atenção especial ao jovem Neymar, mesmo sabendo que ele não é o único bom jogador da equipe da Vila Belmiro.

– O Neymar é um excelente jogador, vem desequilibrando. Mas a gente também não pode pensar só no Neymar e se esquecer dos outros jogadores, porque a equipe do Santos tem muita qualidade e jogadores que também podem desequilibrar.

Depois do jogo deste sábado, o Galo ainda enfrentará Flamengo e Goiás, em casa, e Palmeiras e São Paulo, fora.

novembro 6, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Obina revela: se ajudar o Galo, vai torcer até para o Cruzeiro vencer

Para atacante, vale tudo para escapar da zona de rebaixamento – inclusive esquecer que o Vitória, adversário cruzeirense, é seu time do coração

Na opinião do atacante atleticano Obina, vale tudo na luta contra o rebaixamento nesta reta final do Campeonato Brasileiro. Até torcer para o maior rival. O Atlético-MG enfrenta o Santos, neste sábado, às 19h30m (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, enquanto o Cruzeiro vai a Salvador enfrentar o Vitória, às 17h, no Barradão. O time baiano, assim como o Galo, é candidato ao rebaixamento.

Para Obina, a rivalidade regional deve ficar de lado neste momento. E o mais importante para o Galo é vencer os jogos e torcer contra os adversários na luta contra a degola.

– Se o Cruzeiro for nos ajudar, eu sou mais Cruzeiro. Eu quero que o Cruzeiro vença e que a gente consiga vencer o nosso jogo e sair desta situação. É isso que importa. Se fizermos o nosso, vamos secar quem está na nossa frente pra gente poder passar.

Obina, torcedor declarado do Vitória, deixa de lado até seu time de coração nesta hora. Para ele, o importante é o Galo escapar da degola.

– Sou torcedor do Vitória, sempre torci para o Vitória. Independentemente de tudo, sou profissional e só estou pensando no Atlético. Um jornal da Bahia até fez uma matéria comigo depois do clássico contra o Cruzeiro. Fiz os três gols, saímos da zona de rebaixamento e mandamos o Vitória para o nosso lugar. Falaram que eu estava sendo visto como traíra lá, mas não quero nem saber, quero tirar o Atlético desta situação, custe o que custar, eu vou lutar por isso, independentemente se o Vitória vai pra zona de rebaixamento ou não.

Jogo difícil

O atacante Obina espera uma partida complicada neste sábado. Segundo o artilheiro do Galo no Brasileirão, o time não pode pensar em um resultado diferente da vitória, mesmo com um adversário tão qualificado pela frente.

– O Santos tem um elenco muito forte. Quando a gente jogou lá, estavam sem a zaga titular e nos venceram. Nós temos que respeitar o time deles, que tem uma qualidade muito grande. O mais importante é a gente tentar fazer um grande jogo e lutar o máximo para vencer o jogo e sair desta situação.

Obina já fez dez gols neste Brasileirão, mas passou em branco nos dois últimos jogos, contra Botafogo e Guarani. Para o atacante, o pequeno jejum é natural.

– Faz parte. O futebol é desta maneira. Atacantes têm que ter os momentos de glória, como foi no jogo contra o Cruzeiro. Então a gente tem que estar sempre concentrado. As oportunidades estão aparecendo, eu sempre falo isso. Espero que no próximo jogo eu possa aproveitar e ajudar a equipe.

novembro 6, 2010 Posted by | Atlético-MG | , | Deixe um comentário

Kalil responde à ameaça de processo na justiça comum

Pelas declarações após a partida contra o Botafogo, o presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, será processado pela ANAF. Em seu twitter, o presidente do Atlético-MG já respondeu às ameaças.

A Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF) vai processar o presidente do Atlético-MG por ter dito, após a derrota atleticana para o Botafogo, por 2 a 0, que o árbitro Evandro Rogério Roman era “profissional” e “mal intencionado”. Por causa dessas declarações, a ANAF divulgou nota informando que, com autorização de Roman, vai “reunir as provas amplamente divulgadas por toda a imprensa esportiva brasileira, e distribuir uma ação contra o citado dirigente”.

Na nota, a ANAF lembra que “a velocidade de reparo de um dano moral em uma ação judicial, muitas vezes, não é tão rápida nem talvez tão divulgada como uma ofensa ou acusação proferida após uma partida, em uma entrevista coletiva perante toda a imprensa esportiva brasileira. Mas esta é a única ferramenta das pessoas que trabalham de forma honesta, defenderem-se de atos que acarretam tantos prejuízos em suas vidas”, destaca o documento.

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, não perdeu tempo e já respondeu, por meio do seu twitter, a ameaça de ser processado na justiça comum. Kalil postou o link (veja) de um vídeo no YouTube do jogo entre Londrina e Engenheiro Beltrão, pelo Campeonato Paranaense, que teve Ramon como árbitro. “O que vocês acham desse vídeo? E eu é que vou ser processado?”, escreveu Kalil.

Por causa dessas declarações, Alexandre Kalil também deve ser denunciado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Roman relatou na súmula do jogo que, após o término da partida, quando estava entrando no vestiário, o trio de arbitragem foi abordado por Kalil, que disse: ‘você é mal intencionado, você não vai mais apitar jogo do Atlético’, repetindo estas frases por duas vezes.

novembro 6, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Empate em Campinas mantém Guarani e Galo em situação difícil

Resultado é ruim para ambos. Atlético-MG segue no Z-4 e Bugre está uma posição acima

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Guarani e Atlético-MG permanecem em situação desesperadora no Campeonato Brasileiro. Empataram por 0 a 0, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, e se mantiveram em posição perigosa na tabela. O Bugre agora tem 36 pontos e permanece na 16ª colocação. O Galo segue na zona de rebaixamento, com 35 pontos, ocupando o 17º lugar.

O jogo foi equilibrado e disputado com mais vontade do que técnica. Se o placar terminou sendo justo, deixa o sinal de alerta ainda mais aceso para as duas equipes.

Na próxima rodada, o Guarani vai até a Arena Barueri, domingo, às 19h30m (de Brasília), encarar o Palmeiras. Um dia antes, também às 19h30m, o Galo recebe o Santos, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Jogo nervoso e tenso

A situação desesperadora dos dois times na tabela previa o que se confirmou nos momentos iniciais do jogo: muito nervosismo e tensão.

O Guarani começou quente, em cima do Atlético-MG, com muitas bolas cruzadas na área e chutes de média e longa distância. Mas foi o Galo quem quase marcou primeiro. Méndez e Obina tentaram no mesmo lance, e o goleiro Emerson fez duas grandes defesas.

A resposta do Bugre veio logo depois. Márcio Careca achou uma avenida na esquerda e avançou do meio-campo até a pequena área do Atlético-MG. Na hora de concluir a jogada, preferiu cruzar para o meio. Reinaldo não alcançou e o time campineiro perdeu grande chance.

O jogo permaneceu equilibrado. Os dois times criavam e perdiam chances de gol com a mesma intensidade. Após os 30 minutos, o Galo melhorou sensivelmente, com o crescimento de Diego Souza em campo, mas a dupla de ataque Obina/Tardelli não estava vivendo sua noite mais inspirada.

O Guarani ainda perdeu mais uma boa chance, com Baiano. Após lançamento na área, o meia do Bugre girou o corpo no ar e acertou um lindo voleio. Renan Ribeiro foi ainda melhor e fez excelente defesa, ao se esticar todo e mandar para escanteio.

Com isso, o empate parcial acabou sendo um resultado justo para o primeiro tempo.

Empate insistente

O segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro: veloz e muito nervoso. O Atlético-MG estava mais organizado em campo, mas o Guarani tinha espaços e levava perigo nos contra-ataques.

Os dois goleiros apareciam pouco no jogo, que passou a ficar concentrado entre as duas intermediárias. Tanto Vagner Mancini quanto Dorival Júnior tentaram mudar o panorama da partida, fazendo substituições em seus times, mas nada que surtisse efeito.

O Atlético-MG teve mais domínio territorial até os 25 minutos, mas não conseguiu criar grandes chances de gol. A partir daí, o Guarani passou a controlar o jogo, pressionando e dando trabalho a Renan Ribeiro. O Bugre tentou chutes com Márcio Careca, Baiano e Rômulo, que havia entrado no lugar de Ricardo Xavier.

Nos minutos finais, o desespero bateu nas duas equipes, que passaram a tentar o ataque desordenadamente. Mas, se organizados não conseguiram o gol, o que dizer assim?

A reta final do Brasileirão promete ser de muita emoção para os torcedores de Guarani e Atlético-MG. Os times terão que mostrar bem mais do que mostraram nesta quarta-feira, sob pena de voltarem à Série B do Campeonato Brasileiro.

GUARANI 0 X 0 ATLÉTICO-MG
Emerson; Apodi, Aislan, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Baiano e Preto; Reinaldo (Geovane) e Ricardo Xavier (Rômulo). Renan Ribeiro; Rafael Cruz, Werley, Réver e Leandro; Zé Luís, Alê (Rafael Jataí), Méndez (Fernandinho) e Diego Souza (Renan Oliveira); Diego Tardelli e Obina.
Técnico: Vágner Mancini Técnico: Dorival Júnior
Cartões amarelos: Márcio Careca, Maycon e Diego Barbosa (Guarani); Werley, Alê e Rafael Jataí (Atlético-MG)
Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP). Data:03/11/2010
Árbitro: Claudio Mercante (PE). Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Jossemmar José Diniz Moutinho (PE)
Renda: R$ 62.298,00 Público: 5.922

novembro 3, 2010 Posted by | Atlético-MG, Guarani | | Deixe um comentário

Guarani x Atlético-MG: vale fuga da degola

Time mineiro vai à Campinas para se recuperar de derrota para o Botafogo no último sábado

O Atlético-MG vai a Campinas enfrentar o Guarani, nesta quarta-feira, às 19h30, no Brinco de Ouro, numa partida que valerá muito mais do que três pontos. Os dois clubes estão ameaçados de rebaixamento e um poderá afundar o outro nesta rodada.

Com 35 pontos, o Bugre é o primeiro fora da zona do rebaixamento. Já o Galo, com 34, está na porta para deixar o grupo dos quatro piores do Brasileirão. Por conta disso, o confronto é encarado como uma decisão de campeonato.

Mas a esperança do torcedor atleticano está justamente nos confrontos diretos que o time disputou na competição nacional. Em jogos contra times que estão lutando para não cair, o Atlético-MG tem feito a sua parte.

As únicas derrotas foram para o Vitória. Diante do Atlético-GO, duas vitórias, frente ao Avaí, quatro pontos somados, contra Guarani e Goiás venceu as partidas disputadas e empatou com o Flamengo.

Para o duelo em Campinas, o técnico Dorival Júnior fez mudanças na equipe. Sem poder contar com Serginho, suspenso, ele escalou o volante Alê. Werley e Zé Luis voltam depois de terem cumprido automática na rodada passada. Mas a grande novidade foi a saída de Renan Oliveira para a entrada de Edison Méndez no meio de campo.

O atacante Diego Tardelli não vê a hora de voltar a balançar redes. A última vez foi na derrota por 2 a 1 para o Grêmio, na Arena do Jacaré, ocasião que marcou também a lesão muscular do artilheiro.

– São nessas horas que a torcida espera da gente. Espera um gol, uma jogada diferente. Para mim, a responsabilidade aumenta a cada jogo que não faço gol. É trabalhando e tentando buscar o gol que vamos sair dessa, não vamos desistir – disse o camisa 9.

No último treino antes jogo contra o Atlético Mineiro, o técnico Vagner Mancini promoveu uma mudança inesperada: sacou do time titular o volante e capitão da equipe, Renan, e colocou no seu lugar o jogador Maycon. Além desta mudança tática, Mancini terá um time com quatro desfalques: O goleiro Douglas, o lateral-direito Rodrigo Heffner, o meia Vitor Júnior e o atacante Mazolla estão entregues ao Departamento Médico.

Com uma fratura no polegar direito, Douglas será substituído por Emerson. Já Rodrigo Heffner pegou uma virose e não terá condições de atuar. No seu lugar, Apodi terá mais uma chance no time titular. Vitor Júnior, que deixou o jogo de sábado lesionado, passou por uma ressonância magnética nesta segunda-feira e foi constatada uma lesão no tornozelo, que o deixará fora dos gramados de duas a três semanas.

O provável time titular do Guarani que treinou nesta terça-feira é formado por: Emerson; Apodi, Ailson, Aislan e Márcio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Preto e Baiano; Reinaldo e Ricardo Xavier.

Com apenas 35 pontos, o Guarani está em 16°. O bugre não vence a sete rodadas e nos últimos seis jogos o time marcou apenas um gol.

A diretoria do Guarani colocou à venda um total de 15.500 ingressos, sendo 1.200 para a torcida do Atlético-MG. 5.000 bilhetes, do total, serão comercializados pelo valor de cinco reais.

FICHA TÉCNICA

GUARANI X ATLÉTICO-MG

Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data/hora: 03/11/2010, às 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Cláudio Mercadante (PE)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS-Fifa) e Jossemmar Jose Diniz Moutinho (PE)

GUARANI: Emerson; Apodi, Ailson, Aislan e Márcio Careca; Maycon, Paulo Roberto, Preto e Baiano; Reinaldo e Ricardo Xavier. Técnico: Vagner Mancini

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Réver, Werley e Leandro; Zé Luis, Alê, Méndez e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina. Técnico: Dorival Júnior

novembro 3, 2010 Posted by | Atlético-MG, Guarani | | Deixe um comentário

Galo treina com Edison Méndez no meio de campo

Treinador atleticano comandou treino tático na manhã desta terça-feira e colocou o equatoriano na vaga de Renan Oliveira

O técnico Dorival Júnior comandou treinamento tático nesta manhã na Cidade do Galo e praticamente definiu a equipe que enfrentará o Guarani, nesta quarta-feira, às 19h30, no Brinco de Ouro, em Campinas, pela 33ª rodada do Brasileirão.

A principal novidade foi a presença do volante Edison Méndez na formação principal. O equatoriano entrou na vaga de Renan Oliveira, ao que tudo indica, por opção do treinador, já que o meia participou de trabalhos de finalização.

O zagueiro Werley e o volante Zé Luis estão de volta ao time depois de cumprirem suspensão automática por três cartões amarelos na rodada passada. Com Serginho suspenso, Dorival Júnior confirmou as expectativas e colocou Alê.

O provável Atlético-MG para o duelo contra o Guarani: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Réver, Werley e Leandro; Zé Luis, Alê, Méndez e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina.

Além dos titulares, o comandante alvinegro relacionou mais oito jogadores para a viagem a Campinas, que acontece nesta tarde. Confira os escolhidos:

Goleiros: Renan Ribeiro e Aranha
Laterais: Rafael Cruz, Leandro e Fernandinho
Zagueiros: Réver, Werley e Lima
Volantes: Alê, Zé Luis, Jataí e Méndez
Meias: Diego Souza, Renan Oliveira e Nikão
Atacantes: Diego Tardelli, Obina, Neto Berola e Ricardo Bueno

novembro 2, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Botafogo vence Atlético-MG e abre no G4 da Libertadores

Edno e Loco Abreu marcam em importante triunfo fora de casa

Com gols de Edno e Loco Abreu, o Botafogo arrumou a primeira mala para viajar pelas Américas. Neste sábado, o Glorioso venceu o Atlético-MG por 2 a 0, na Arena do Jacaré, e foi aos 51 pontos. Agora com quatro de vantagem sobre o São Paulo, primeiro clube abaixo na luta pela competição continental, o clube de General Severiano já pode até pensar em título. Motivos para otimismo não faltam.

Por sua vez, o Galo estacionou nos 34 pontos e desceu à zona de rebaixamento. Na próxima rodada, o clube mineiro vai encarar o Guarani, rival na luta contra a degola, no Brinco de Ouro. Já o Bota pode continuar a arrancada em casa, diante do Atlético-GO.

SÓ PROMETEU

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Estádio lotado e dimensões de campo pequenas. Ingredientes para um início de jogo agitado. Setores ofensivos ligados já nos primeiros minutos. Aos cinco minutos, Diego Souza soltou a bomba de longe e assustou Jefferson, que viu a bola sair rente ao seu poste esquerdo. Logo depois, Jobson foi derrubado na entrada da área. Na cobrança, Lucio Flavio colocou na barreira. O equilíbrio durou até os dez, quando o Galo começou a dominar as ações.

O Atlético-MG subiu pelos pés de Diego Souza, Obina e Diego Tardelli, que se movimentou muito durante seu jogo 100 pelo clube. Para sorte do Glorioso, a defesa estava atenta e colocou o perigo para longe. Em uma das rebatidas, surgiu o contra-ataque que acabou em cruzamento de Alessandro para Jobson, colocado na cara do gol. Na hora de empurrar para as redes, o árbitro Evandro Rogério Roman marcou falta de Loco Abreu, que iniciou a ação.

Aos poucos, o duelo eletrizante deu lugar ao sono. Emoção apenas para Márcio Rosário, que afastou diversas bolas lançadas pelo Atlético-MG. Confronto truncado, passes errados e pouca inspiração. Neste cenário as duas equipes caminharam para o intervalo.

MUDOU!

A meta era embalar novamente e Jobson tentou. Aos quatro, Marcelo Mattos fez jogada pela direita e tocou para o camisa 9, que pegou mal na frente da área e mandou por cima da barra, mesmo livre de marcação. Obina buscou o troco no minuto seguinte, mas também mandou muito alto.

Entre chutões e correria, Obina apareceu novamente. Em velocidade, o camisa 27 deu uma caneta em Márcio Rosário e só não fez por chute, no mínimo, estranho. Finalização ainda pior deu Loco Abreu, aos 23, quando pegou sobra de tentativa feita por Jobson. Mesmo com o goleiro Renan Ribeiro batido, o uruguaio conseguiu isolar a bola.

Pelo menos era um sintoma de disputa mais quente, concretizada pela pancada de Diego Tardelli, que só parou na trave superior de Jefferson. No termômetro, só faltava o gol, que veio. Aos 30, a defesa do Galo errou em linha de impedimento e deixou El Loco na cara do gol. Frio, o camisa 13 só rolou para Edno, que marcou depois de sair do banco cinco minutos antes.

O Galo precisou ir todo para a frente. Levou uma cavadinha mortal. Aos 44, Edno serviu Loco Abreu, que correu pela esquerda e bateu. Festa do Botafogo, quarto colocado e com sonhos cada vez maiores no Brasileiro.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG 0 X 2 BOTAFOGO

Estádio: Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/hora: 30/10/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Gilson Bento Coutinho (PR)
Renda/público: R$ 92.780,00 / 17.012 pagantes
Cartões amarelos: Diego Tardelli, Serginho (CAM); Alessandro (BOT)
GOLS: Edno, 30’/2ºT (0-2); Loco Abreu, 44’/2ºT (0-2)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz (Wescley, 33’/2ºT), Réver, Lima e Leandro; Alê, Serginho, Renan Oliveira (Ricardo Bueno, 40’/2ºT) e Diego Souza (Nikão, 36’/2ºT); Diego Tardelli e Obina. Técnico: Dorival Júnior.

BOTAFOGO: Jefferson, Danny Morais, Leandro Guerreiro e Márcio Rosário; Alessandro, Marcelo Mattos, Fahel, Lucio Flavio (Edno, 25’/2ºT) e Somália; Jobson (Caio, 38’/2ºT) e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

outubro 30, 2010 Posted by | Atlético-MG, Botafogo | | Deixe um comentário

Atlético-MG e Botafogo lutam por suas metas e inspirações

Galo vai de Obina, enquanto Glorioso quer premiar Garrincha

Obina ou Garrincha? O curioso confronto de duas gerações resume de onde Atlético-MG e Botafogo vão buscar ainda mais energia para o duelo deste sábado, às 18h30, na Arena do Jacaré, em Minas Gerais. Com 34 pontos, o Galo mostra evolução no Brasileiro, mas terá um empolgado adversário pela frente. O Glorioso vem de triunfo contra o Vitória e tem 48 pontos.

VIVA O 27!

O Atlético-MG entra em campo para se afastar cada vez mais da zona do rebaixamento e até encostar no grupo que garante vaga para a Copa Sul-Americana de 2011. Depois de duas vitórias seguidas pela competição nacional contra Avaí e Cruzeiro, a equipe comandada pelo técnico Dorival Júnior tenta chegar à inédita série de três triunfos consecutivos. Se conquistar os três pontos, o time mineiro pode até terminar a rodada na 14ª colocação e deixar a encrenca para os concorrentes da parte inferior da tabela.

Dois titulares não poderão enfrentar o Glorioso. O zagueiro Werley e o volante Zé Luis receberam o terceiro cartão amarelo no jogo anterior e cumprem suspensão neste sábado. Os substitutos já foram definidos pelo comandante atleticano. Lima entra na zaga e Alê fica com a vaga no meio de campo. Nos outros setores a base será mantida.

A esperança de gols está novamente depositada em Obina. O atacante atravessa grande fase, anotou seis gols nas últimas quatro partidas. Além do camisa 27, Diego Tardelli também está confirmado na linha de frente. Os dois costumam se dar bem quando enfrentam o Botafogo e a torcida, que vai lotar o estádio, espera que desta vez não seja diferente.

VIVA O 7!

Integrante do G4 para a próxima Libertadores, o Botafogo espera dar uma vitória de presente ao ídolo Garrincha contra o Atlético-MG. Se estivesse vivo, a Alegria do Povo teria feito 77 anos na última quinta-feira e o número do eterno camisa 7 pode inspirar o time. Ainda faltam sete jogos até o fim do Brasileiro e se vencer todos, o Alvinegro pode novamente ser o clube o clube hegemônico no Brasil.

A missão é complicada, porém Marcelo Mattos ainda acredita no título. Invicto com a camisa do Bota, o volante deseja aplicar a magia de Garrincha na matemática e fazer com que o Glorioso fique na ponta da tabela, mesmo pouco acreditado.

– As pessoas olham e às vezes acham que o Bota não tem mais chances de ser campeão. Mas se ganharmos todos os próximos jogos, vai dar. O torcedor quer o título e nossa missão é não desistir. Estamos cada vez mais focados na conquista, mesmo cientes de que teremos um compromisso muito difícil pela frente, em Minas – avaliou.

Para o jogo em Minas, Marcelo Cordeiro foi vetado por conta de uma contratura na coxa esquerda. Assim Somália deve ficar na ala esquerda e a vaga de volante pode sobrar para Fahel ou Tulio Souza.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG X BOTAFOGO

Estádio: Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/hora: 30/10/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Gilson Bento Coutinho (PR)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Réver, Lima e Leandro; Alê, Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina. Técnico: Dorival Júnior.

BOTAFOGO: Jefferson, Danny Morais, Leandro Guerreiro e Márcio Rosário; Alessandro, Marcelo Mattos, Fahel (Tulio Souza), Lucio Flavio e Somália; Jobson e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

outubro 29, 2010 Posted by | Atlético-MG, Botafogo | , | Deixe um comentário

Árbitro erra e Galo e Palmeiras empatam por 1 a 1

Marcelo de Lima Henrique ‘desmarca’ pênalti em Lincoln e dá penalidade inexistente em cima de Obina na Arena do Jacaré

Prejudicado pela arbitragem, o Palmeiras ficou no empate com o Atlético-MG na Arena do Jacaré nesta quarta-feira. Kleber abriu o placar para o Verdão, enquanto Obina empatou, em cobrança de pênalti que não existiu.

Insosso. Esse é o melhor jeito para definir o primeiro tempo de jogo na Arena do Jacaré. As duas equipes tiveram dificuldades de criação e, nas poucas vezes que conseguiram chegar, esbarraram nos goleiros adversários.

O Palmeiras começou marcando a saída de bola do Atlético-MG e dificultando a vida do time mineiro, que se via obrigado a recorrer aos chutões para tentar sair no contra-ataque. Desta forma, surgiu a primeira e única chance do Verdão na primeira etapa, aos seis minutos.

Marcos Assunção, conhecido por sua excelente mira nas cobranças de falta, teve visão e enxergou Kleber livre, entrando na área atleticana. O passe preciso deixou o Gladiador sozinho com o goleiro do Galo, que defendeu a finalização pouco precisa do atacante alviverde.

Valdivia voltou a sentir a contusão em sua coxa esquerda aos 19 minutos e, já do banco de reservas, viu a defesa parar e apenas assistir a tabela entre Ricardo Bueno e Neto Berola, que resultou com chute do segundo para boa defesa de Deola.

Para a segunda etapa, Dorival Junior, que já havia substituído Daniel Carvalho por lesão no primeiro tempo, colocou o titular Obina para ir à frente e tentar vir a São Paulo com vantagem de poder empatar para conseguir a classificação às semifinais. O tiro, entretanto, saiu pela culatra.

Aos nove minutos, Kleber, que não fazia boa partida, conseguiu tabelar com Tinga, pelo meio da defesa do Galo e, com tranquilidade, tirou de Renan Ribeiro, que havia levado a melhor no duelo na primeira etapa: 1 a 0 para o Verdão.

Com 20 minutos, surgiu o personagem que seria o grande protagonista da partida: o árbitro Marcelo de Lima Henrique. Primeiramente, Lincoln invadiu a área e foi derrubado por Jairo Campos. Com convicção, o juiz apontou a marca da cal e deu a penalidade para o Verdão.

Porém, após alguns instantes, ele inverteu a marcação, dando impedimento de Lincoln na jogada. O detalhe fica por conta de que o auxiliar, em nenhum momento, ergue a bandeira assinalando a irregularidade.

Sete minutos depois, veio a cereja do bolo. Cruzamento na área do Palmeiras e Obina desaba ao passar por Márcio Araújo. Com a mesma certeza que havia marcado o pênalti em Lincoln, o árbitro novamente marca a infração. Os jogadores do Palmeiras reclamaram muito pois, claramente, Araújo não esbossa reação alguma sobre o atacante do Galo que justificasse a marcação.

O mesmo Obina cobrou com categoria, sem chances para o goleiro Deola e deu números finais à controversa partida de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana.

Na partida de volta, dia 10 de novembro, no Pacaembu, quem vencer estará classificado. O Palmeiras joga por um empate sem gols para assegurar a vaga. Empate por 1 a 1 leva a decisão para os pênaltis, enquanto qualquer igualdade com mais gols dá a vaga ao Atlético-MG.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG 1 X 1 PALMEIRAS

Estádio: Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/hora: 27/10/2010 – 19h45 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Alessandro Matos (RJ) e Erich Bandeira (RJ)
Renda/público: R$ 66.005,00 / 11.548 pagantes
Cartões amarelos: Cáceres (ATL); Luan, Kleber e Danilo (PAL)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Kleber, 9’/2ºT (0-1); Obina, 30’/2ºT (1-1)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Werley, Jairo Campos e Cáceres; Diego Macedo (Diego Souza, 18’/2ºT), Zé Luis, Mendez, Daniel Carvalho (Nicão, 27’/1ºT) e Fernandinho; Neto Berola (Obina, Intervalo) e Ricardo Bueno. Técnico: Dorival Junior.

PALMEIRAS: Deola, Márcio Araújo, Danilo, Fabrício e Gabriel Silva; Edinho, Assunção, Tinga (Pierre, 28’/2ºT) e Valdívia (Lincoln, 19’/1ºT); Luan e Kléber. Técnico: Luís Felipe Scolari.

outubro 27, 2010 Posted by | Atlético-MG, Palmeiras | | Deixe um comentário

Focado na Sul-Americana, Palmeiras enfrenta ‘mistão’ do Galo

Enquanto Verdão mira 100% na competição, Atlético-MG monta time praticamente reserva

Com focos e prioridades completamente diferentes,Atlético Mineiro e Palmeiras se enfrentam na Arena do Jacaré, às 19h45, em Sete Lagoas. Enquanto o Galo vai com um time misto e sem se importar com as quartas de final da Sul-Americana, o Verdão mira 100% na competição que promete ser o caminho mais curto para a Copa Libertadores de 2011.

Apesar do vitória no clássico, o Atlético-MG não vai com força máxima para a partida contra o Verdão. A situação no Brasileiro ainda requer cuidados e o técnico Dorival Júnior afirmou que a prioridade do Atlético continua sendo o Brasileirão. Dos atletasque iniciaram o jogo no triunfo sobre o Cruzeiro, apenas o goleiro Renan Ribeiro, o zagueiro Werley e o volante Zé Luís estarão no confronto contra o Palmeiras.

A utilização do jovem goleiro Renan Ribeiro é uma opção da comissão técnica. Já Werley e Zé Luis jogam, pois foram suspensos com terceiro cartão amarelo e não poderão participar da próxima rodada do Campeonato Brasileiro. No treino realizado nesta terça, o técnico Dorival armou o time no 3-5-2.

Os zagueiros Cáceres e Jairo Campos farão companhia a Werley. O meia-atacante Daniel Carvalho, que já foi titular, mas hoje atua pelo time reserva, comanda o time. Ao lado dele, Diego Macedo, Zé Luis, Méndez e Fernandinho. O ataque será formado por Neto Berola e Ricardo Bueno.

O motivo do descanso aos titulares é a partida deste sábado, contra o Botafogo, na Arena do Jacaré. O Galo precisa da vitória para se afastar ainda mais da zona da degola.
Ao contrário do Atlético Mineiro, o Palmeiras mira todas as suas forças para a competição internacional, caminho mais curto – e mais acessível – para a classificação na Copa Libertadores da América de 2011. E para isso, o técnico FLuiz Felipe Scolari deve contar com o Mago Valdivia.

Apesar de não treinar na manhã desta terça-feira, instantes antes da equipe viajar para Minas Gerais, o chileno foi relacionado pelo técnico palmeirense e pode aparecer na equipe titular. Caso Valdivia não seja titular, Felipão pode colocar o centroavante Dinei e recuar Luan mais para armação. O treinador, inclusive, testou esta formação no treino.

O desfalque certo é o zagueiro Maurício Ramos que com uma lesão no tornozelo direito, está vetado para o duelo desta quarta. Em seu lugar, o canhoto Fabrício deve aparecer na equipe, deslocando Danilo para o lado direito da zaga palmeirense.

E o fato de o Atlético Mineiro ir à partida com a equipe praticamente reserva não anima o volante Marcos Assunção.

– Os jogadores que jogam no Atlético estão lá porque têm condições de jogar. Independentemente de quem for, o jogo será difícil. Por serem reservas, farão de tudo para mostrar para o Dorival que têm condições de serem titulares. São jogadores de muita qualidade também. Teremos de ter atenção de qualquer jeito – afirmou.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG X PALMEIRAS

Estádio: Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/hora: 27/10/2010 – 19h45 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Erich Bandeira (Fifa-PR) e Alessandro Álvaro Rocha Matos (Fifa-BA).

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Werley, Cáceres e Campos; Diego Macedo, Zé Luis, Méndez, Daniel Carvalho e Fernandinho; Neto Berola e Ricardo Bueno. Técnico: Dorival Júnior.

PALMEIRAS: Deola, Márcio Araújo, Danilo, Fabrício e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Valdivia (Dinei); Luan e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

outubro 27, 2010 Posted by | Atlético-MG, Palmeiras | | Deixe um comentário

Maluf: ‘Não vamos admitir sermos roubados como fomos no domingo’

Dirigente do Atlético-MG não poupa trio de arbitragem e presidente da
comissão de duras críticas, mesmo com a vitória alvinegra por 4 a 3

O diretor de futebol do Atlético-MG, Eduardo Maluf, anunciou após o treinamento desta segunda-feira, que o clube vai encaminhar um protesto para a Federação Mineira de Futebol e para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) contra a arbitragem do árbitro Sandro Meira Ricci no clássico contra o Cruzeiro.

O dirigente alvinegro pediu a atenção de todos para a reta final da competição.

– Nesse momento, em final de campeonato, temos que ficar atentos. Não vamos admitir sermos roubados igual fomos domingo. A CBF tem que tomar uma posição firme e a FMF também – desabafou Maluf.

Apesar da vitória por 4 a 3 do Galo, os alvinegros reclamaram bastante da atuação do trio de arbitragem, que segundo eles, prejudicou muito o time. A diretoria atleticana reclama do pênalti marcado pelo árbitro, de Werley sobre Edcarlos, além de três impedimentos contra o Galo mal assinalados.

– Durante essas rodadas que estivemos na zona de rebaixamento, pouquíssimas vezes reclamamos de arbitragem, porque entendíamos que éramos incompetentes. Domingo, fizemos um grande jogo, o time venceu o clássico, e era para ficarmos calados. Mas estamos encaminhando um ofício para o Sérgio (Corrêa, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem), que é despreparado.

Maluf não poupou críticas aos auxiliares Guilherme Dias Camilo e Márcio Eustáquio Santiago, que são mineiros.

– Os árbitros só têm errado a favor dos clubes que estão na ponta. No domingo, os bandeiras tiveram seis erros inadmissíveis pelas posições que estavam. Não pode, em um jogo, os bandeiras terem três, quatro erros só contra um time. Os bandeiras erraram em muito lances. Foi decepcionante para o nível do futebol mineiro a atuação dos bandeiras. O Sandro, que vinha bem, marcou um pênalti com uma convicção que eu achei que ele estava certo. Mas teve um erro absurdo – desabafou.

outubro 25, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Galo faz 4 a 3 sobre o Cruzeiro em clássico incrível e escapa do Z-4

Obina marca três gols ainda no primeiro tempo e praticamente garante a vitória. Na raça, Cruzeiro diminui a vantagem, mas não consegue o empate

Espetacular! Essa é a melhor palavra para definir o clássico mineiro. Tudo conspirava para que o Cruzeiro conquistasse mais uma vitória do Campeonato Brasileiro. Afinal de contas, o público presente no Parque do Sabiá era formado apenas por torcedores cruzeirenses. E mais, o time celeste era o líder da competição, com uma campanha brilhante, e o Galo, na zona de rebaixamento há 21 rodadas, lutava para se livrar do péssimo retrospecto no torneio. Além disso, o Cruzeiro tinha em campo o craque do Brasileirão, Montillo, em grande fase. Mas não foi o que aconteceu. O dono do jogo foi Obina, que marcou três gols na vitória do Atlético-MG, por 4 a 3, em Uberlândia. Réver marcou o outro, e Thiago Ribeiro (2) e Gilberto fizeram para o Cruzeiro.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Obina se juntou a um seleto grupo de jogadores que já marcou três gols no mesmo clássico, após 1965, ano de inauguração do Mineirão. Tucho, pelo Atlético-MG, e Revétria, Ronaldo e Fábio Júnior, pelo Cruzeiro, já conquistaram o feito.

Com o resultado, o Cruzeiro perdeu a primeira posição na tabela. O time tem 54 pontos, o mesmo que o Fluminense, mas perde no saldo de gols: 18 a 9. Já o Galo deixou a zona de rebaixamento, com 34 pontos. A equipe alvinegra tem a mesma pontuação que o Vitória, mas fica na frente no número de vitórias.

Na próxima rodada, Cruzeiro e Atlético-MG jogarão no sábado, às 18h30m (de Brasília). A Raposa encara o Grêmio Prudente, no interior de São Paulo, enquanto o Galo pegará o Botafogo, na Arena do Jacaré. Antes, porém, o alvinegro terá um compromisso pela Copa Sul-Americana, na quarta-feira, às 19h45, também em Sete Lagoas.

Clássico frenético

Com todo o ambiente favorável, o Cruzeiro pareceu partir para cima do Galo. Porém, imediatamente, o time alvinegro mostrou que as coisas não seriam assim. Com um volume de jogo muito maior que o adversário, o Atlético-MG logo começou a criar as melhores chances.

E o gol não demorou a sair. Aos 6 minutos, Leandro chegou pela esquerda e fez um ótimo cruzamento. Obina subiu mais que o zagueiro Cláudio Caçapa e cabeceou de forma certeira, sem chances para Fábio. A bola ainda bateu no travessão, antes de balançar as redes do Cruzeiro.

Com o gol, vários torcedores do Atlético-MG, que até então estavam discretos no meio dos cruzeirenses, não resistiram e vibraram bastante. A Polícia Militar, como prometido, retirou várias pessoas do estádio.

E o Cruzeiro saiu para o jogo, mesmo assustado com o passeio imposto pelo Galo. Montillo teve chances, assim como Farías, mas a defesa atleticana evitou o empate. O Galo dava mostras de que o jogo estava dominado. E um jogador em especial estava iluminado: Obina.

Em mais um ataque de velocidade do Atlético-MG, o atacante fez mais um. O lateral-direito Rafael Cruz, aos 23 minutos, foi até a linha de fundo e cruzou na pequena área. A bola passou por Edcarlos e Cláudio Caçapa e chegou aos pés de Obina, que fez o segundo: 2 a 0.

Na sequência, o Cruzeiro teve a grande chance de diminuir o placar. Após escanteio cobrado por Montillo, Edcarlos foi empurrado por Werley dentro da área. O árbitro Sandro Meira Ricci não teve dúvidas e marcou o pênalti. Na cobrança, Montillo deu uma cavadinha, mas exagerou e tocou por cima da trave, pela linha de fundo.

Os jogadores do Galo comemoraram bastante e, no ataque seguinte, mais ainda, já que o Atlético-MG chegou, incrivelmente, ao terceiro gol, novamente com Obina. Aos 30 minutos, Diego Souza tocou para Serginho, que cruzou para a área. Obina, mais uma vez em excelente condição, abriu grande vantagem no placar: 3 a 0. Obina se juntou a jogadores como Tucho, Revétria, Ronaldo e Fábio Júnior, que já marcaram três gols no mesmo clássico.

O técnico Cuca, então, perdeu a paciência e tirou Diego Renan de campo. Gilberto entrou em seu lugar e, logo no primeiro lance, diminuiu o marcador. Thiago Ribeiro conseguiu chegar à linha de fundo, pela direita, e fez ótimo cruzamento para trás. Gilberto, aos 37 minutos, no primeiro toque na bola, pegou de primeira e mandou a bola no ângulo esquerdo de Renan Ribeiro: 3 a 1.

O Galo sentiu o golpe, tanto que o Cruzeiro fez uma pressão incrível até o fim do primeiro tempo. O time celeste teve chances de diminuir ainda mais o placar, mas esbarrou na boa atuação do goleiro atleticano.

Emoção sem precedentes

Cuca teve que alterar a equipe no intervalo. Jonathan não suportou as dores na coxa direita e foi substituído por Pablo, que passou a atuar improvisado na lateral direita. E o que se viu no segundo tempo foi uma partida de ataque contra defesa. O Cruzeiro pressionava, e o Galo se defendia, na tentativa de manter o placar favorável. Apenas nos contra-ataques, o Atlético-MG tentava alguma jogada, quase sempre impedida pelos zagueiros celeste.

Mas o Galo estava impossível. Em um lance isolado, o time arranjou um escanteio pela esquerda. O volante Serginho, aos 21 minutos, fez a cobrança, e Réver subiu mais que os zagueiros e fez o quarto. Assim como no primeiro gol, a bola chegou a tocar na trave, antes de balançar as redes de Fábio: 4 a 1.

Mas o Cruzeiro diminuiu o placar, aos 31 minutos. Pela direita, Pablo cruzou na área, e Farías cabeceou firme, para grande defesa de Renan Ribeiro. Porém, no rebote, Thiago Ribeiro, de cabeça, marcou o segundo. No minuto seguinte, novamente Thiago Ribeiro, após tabela com Montillo, bateu firme, sem chance para o goleiro atleticano: 4 a 3.

O Cruzeiro pressionou bastante, mas não conseguiu chegar ao empate. Ao fim do jogo, a torcida cruzeirense reconheceu a luta da equipe e aplaudiu a saída dos jogadores.

CRUZEIRO 3 X 4 ATLÉTICO-MG
Fábio; Jonathan (Pablo), Cláudio Caçapa, Edcarlos e Diego Renan (Gilberto); Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná (Roger) e Montillo; Ernesto Farías e Thiago Ribeiro. Renan Ribeiro; Rafael Cruz, Réver, Werley e Leandro; Zé Luis, Serginho e Diego Souza (Joedson) e Renan Oliveira (Alê); Obina e Diego Tardelli (Daniel Carvalho).
Técnico: Cuca. Técnico: Dorival Júnior.
Estádio: Parque do Sabiá, em Uberlândia (MG). Data: 24/10/2010.Horário: 18h30m (de Brasília). Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF).Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago (FIFA/MG) e Guilherme Dias Camilo (MG).
Cartões amarelos: Diego Renan e Fabrício (Cruzeiro); Werley e Daniel Carvalho (Atlético-MG).
Gols: Obina (Atlético-MG), aos 6 minutos, Obina (Atlético-MG), 23 minutos, Obina (Atlético-MG), aos 30 minutos, e Gilberto (Cruzeiro), aos 37 minutos do primeiro tempo; Réver (Atlético-MG), aos 21 minutos, Thiago Ribeiro (Cruzeiro), aos 31 minutos, Thiago Ribeiro (Cruzeiro), aos 32 minutos do segundo tempo.

outubro 24, 2010 Posted by | Atlético-MG, Cruzeiro | | Deixe um comentário

Cruzeiro recebe o Atlético com Parque do Sabiá todo azul

Rivais mineiros duelam em Uberlândia em jogo em que apenas os torcedores celestes estarão nas arquibancadas

O Cruzeiro luta para se manter na liderança e o Atlético quer sair da zona do rebaixamento. Uma vitória no superclássico mineiro pode não só ser útil no objetivo de cada clube na reta final do Brasileirão como ainda atrapalhar os planos do rival. As duas equipes se enfrentam neste domingo, às 18h30, no Parque do Sabiá, em Uberlândia, no clássico mais importante dos últimos anos.

A tarefa alvinegra não é facil. O Cruzeiro é líder do Campeonato Brasileiro e tem a defesa menos vazada. Além disso, o jogo só terá torcedores cruzeirenses e o retrospecto recente é bem favorável ao time comandado por Cuca.

Desde a chegada do técnico Dorival Júnior o Atlético vem evoluindo bastante, entretanto. Como a prioridade do time é o Brasileiro, o Galo abriu mão de mandar os titulares para a partida contra o Santa Fe, na Colômbia, e aproveitou a semana toda para realizar treinamentos na Cidade do Galo.

O Cruzeiro também teve uma semana cheia na Toca da Raposa 2. Cuca, teve novidades positivas e outras nem tanto. Enquanto Diego Renan e Caçapa foram liberados do departamento médico e devem ser titulares, o artilheiro Wellington Paulista fica fora do confronto com uma entorse no joelho direito.

O volante Fabrício prega atenção para todo o time celeste. Ele rejeita o favoritismo apesar da melhor campanha da Raposa no Campeonato Brasileiro.

– É perigoso falar sobre favorito. Está tudo favorável, aí chega o adversário mordido, se motiva e atropela. A gente sabe que faltam poucas rodadas para acabar, poucos jogos em casa e temos que aproveitar e tentar ser 100% em casa – declara o volante.

Os titulares do Atlético tiveram, pela primeira vez, uma semana inteira de trabalho com o Dorival. A novidade do time é a presença do atacante Diego Tardelli, que ficou fora do time por três semanas se recuperando de contusão. Ele volta no clássico e Dorival poderá, enfim, contar com Réver, Diego Souza, Daniel Carvalho, Diego Tardelli e Obina.

Se no início do trabalho, o treinador tinha dificuldades para escalar a equipe por causa de contusões e suspensões, Ricardinho, contundido, e Fernandinho, suspenso, são os únicos desfalques.

Para sair da zona de rebaixamento, o Galo precisa vencer o rival e torcer pelo empate do Atlético-GO contra o Guarani, no Brinco de Ouro, ou a derrota do Vitória para o Botafogo, no Engenhão.

Com um desses dois resultados, o Atlético-MG fica fora da degola. Se os dois resultados acontecerem, termina a rodada em 15º lugar.

FICHA TÉCNICA:
CRUZEIRO X ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Parque do Sabiá, em Uberlândia (MG)
Data/Hora: 24/10/2010 às 18h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-DF)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)

ATLÉTICO-MG:
30- Renan Ribeiro, 26-Rafael Cruz, 5-Réver , 22-Werley e 6-Leandro; 15-Zé Luis, 31-Alê, 8-Serginho, 11-Diego Souza; 9-Diego Tardelli e 27-Obina. Téc: Dorival Júnior

CRUZEIRO:

1- Fábio, 2- Jonathan, 3- Caçapa, 4- Edcarlos, 6- Diego Renan; 5- Fabrício, 7- Marquinhos Paraná, 8- Henrique, 10- Montillo; 9- Farías e 11- Thiago Ribeiro. Téc: Cuca

outubro 24, 2010 Posted by | Atlético-MG, Cruzeiro | , | Deixe um comentário

Leandro pode ser uma das novidades do Galo no clássico com o Cruzeiro

Lateral, que ainda treina com a mão direita fraturada, pode ser escalado domingo,em Uberlândia. Se confirmado, usará proteção especial no local

O gesso na mão direita indica que a fratura ainda não está calcificada. Nada que impeça o lateral-esquerdo Leandro de jogar o clássico com o Cruzeiro no próximo domingo, às 18h30m (de Brasília), no Parque do Sabiá. Ele treinou a semana inteira e, caso seja confirmado entre os titulares, deverá ganhar uma proteção especial no local.

O técnico Dorival Júnior ainda não divulgou o time que começa jogando. Mas, como Eron (que vinha atuando) não foi nem relacionado para a viagem a Uberlândia, nesta sexta, é bem provável que o departamento médico do Atlético-MG esteja abastecendo a bagagem com o material usado para substituir o gesso e deixar Leandro preparado.

– Não sinto mais dor. Conversei com os médicos e eles sabem como está a lesão. Estão estudando a melhor maneira de tirar o gesso para que eu fique à disposição do técnico. O que mais me incomoda, na verdade, é ficar longe do time.

Se escalado, Leandro terá a mão direita imobilizada. Os médicos do clube deverão usar um material específico, mais maleável, que não ofereça riscos de machucar o adversário, em caso de choque. E que, também, não atrapalhe a recuperação do lateral.

Leandro, que já atuou pelo Cruzeiro (estava na equipe que conquistou a Tríplice Coroa, em 2003), conhece bem a rivalidade e a importância do clássico. No jogo do primeiro turno, ele começou no banco e entrou no decorrer da partida, em lugar de Ricardinho. Lembra que, naquela ocasião, o Atlético-MG ‘deu bobeira’, algo impensável para o jogo do próximo domingo devido às pretensões do time no campeonato.

– Para mudar essa situação em que estamos, a única solução que temos é vencer. A equipe vem numa crescente. Fomos nós mesmos que nos colocamos nessa situação e somos nós quem podemos tirar. E vamos. Independentemente de o Cruzeiro estar na frente. No primeiro jogo demos bobeira e, agora, estamos com mais cautela e tranquilidade. Há bastante tempo a equipe adversária vem vencendo, mas vai ser um jogo de superação para o Galo. Não tem favorito. Os dois times tem jogadores de qualidade. Eles também estão estudando nossa equipe pois sabem que se derem vacilo, poderemos sair com vitória.

Outra novidade

Além de Leandro, outra novidade no time que enfrenta o Cruzeiro é Diego Tardelli. O atacante ficou afastado do time por três semanas, se recuperando de um estiramento muscular. Ele voltará a formar dupla de ataque com Obina.

outubro 22, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário