Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Cruzeiro vence o Atlético-MG e conquista o Mineiro

Wallyson e Gilberto marcaram os gols da Raposa na Arena do Jacaré. Foi a primeira derrota de Dorival no clássico

O Cruzeiro é o Campeão Mineiro de 2011. Neste domingo, os comandados do técnico Cuca conquistaram o 37° título da Raposa na competição – contando com o Supercampeonato de 2002 – ao derrotar o rival Atlético-MG por 2 a 0, na Arena do Jacaré em Sete Lagoas.

O primeiro gol da Raposa veio apenas aos 30 minutos do segundo tempo com Wallyson, dois minutos após Magno Alves desperdiçar grande chance de gol. O segundo veio aos 42, após bela cobrança de falta de Gilberto. A derrota deste domingo foi a primeira de Dorival Júnior no comando do Atlético contra o Cruzeiro.

O jogo:

A necessidade da vitória para conquistar o título fez o Cruzeiro buscar o ataque desde o início do Superclássico. Com Marquinhos Paraná e Leandro Guerreiro alternando na lateral direita e Everton e Gilberto na esquerda, a Raposa – sem Montillo, que cumpriu suspensão automática – pressionou o Atlético nos minutos iniciais da partida sob a batuta de Roger e empolgado pela presença da torcida cruzeirense na Arena do Jacaré.

Explorando a velocidade de Thiago Ribeiro e Wallyson, o Cruzeiro ameaçava o gol de Renan Ribeiro, mas tinha dificuldades para criar uma boa oportunidade de gol, já que o Atlético, além de marcar com eficiência, buscava o ataque, apesar de ter a vantagem do empate para ser campeão. Magno Alves, com muita velocidade era a válvula de escape do Galo, mas tinha de vencer Gil e Victorino. Além disso, camisa 11 do Atlético não tinha a companhia de Mancini no ataque.

As chances de Roger

O Atlético até ofereceu certa resistência no início do clássico. No entanto, o Cruzeiro tomou as rédeas da partida e teve duas boas oportunidades para abrir o placar. Ambas com Roger. Aos 22 minutos, Thiago Ribeiro venceu a marcação de Guilherme Santos e cruzou para o camisa 7 – que não esperava a furada de Serginho – e não finalizou com força, o que favoreceu Renan Ribeiro. Já aos 28, Roger cobrou falta de longe e o camisa 30 do Galo fez boa defesa.

Nada de gols…

O Cruzeiro era o Senhor do jogo,  mas não alcançou o seu objetivo no primeiro tempo. Wallyson, aos 31 minutos, após falha de Renan Ribeiro, teve duas chances de gol, mas não aproveitou. Sem gol e vendo o título de aproximando do rival, a Raposa ainda correu o risco de ficar em situação ainda mais delicada. Aos 32 minutos, Magno Alves só não marcou graças ao corte providencial de Gil. Primeiro tempo sem gols e com o Atlético campeão.

Segundo tempo:

O Galo voltou com duas alterações para os últimos 90 minutos do Campeonato Mineiro. Renan Oliveira e Mancini, que pouco fizeram na primeira etapa, deixaram o clássico para as entradas de Claudio Leleu e Richarlyson, respectivamente. A intenção de Dorival Júnior era nítida: compactar ainda mais o seu setor de marcação e oferecer companhia a Magno Alves no ataque.

Aos 11 minutos, o gol cruzeirense quase veio. Gilberto lançou Thiago Ribeiro que passou para Roger finalizar para a boa defesa de Renan Ribeiro. Já o Atlético teve de mudar o seu esquema tático. Com a saída de Guilherme Santos, com dores na coxa esquerda, Dorival Júnior teve de colocar Richarlyson na lateral esquerda e com isso, o jovem Bernard foi à campo e aumentou o poderio ofensivo do Atlético, que pouco depois quase marcou. Aos 21 minutos, Leandro Guerreiro na saída de bola e Magno Alves finalizou para a grande defesa de Fábio.

Fábio, o paredão e Wallyson, o herói

Aos 28 minutos, o lance que poderia confirmar o título para o Galo. Magno Alves recebeu, sem marcação, e ficou cara a cara com Fábio, que tirou a bola dos pés do camisa 11 do Galo, que tentou lhe driblar. Dois minutos depois, Wallyson recebeu pela esquerda, passou pela marcação de Serginho e finaliza sem chances para Renan Ribeiro. Cruzeiro 1 a 0.

Wallyson ainda desperdiçaria grande chance aos 35 minutos, mas o gol perdido não faria falta. Aos 41 minutos, Serginho foi expulso após cometer falta em Thiago Ribeiro. Na cobrança, Gilberto, com maestria, venceu Renan Ribeiro. Cruzeiro 2 a 0 e título mais que confirmado.

Já nos últimos minutos do jogo, Gilberto e Roger, mesmo do banco de reservas, ainda seriam expulsos.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 0 ATLÉTICO-MG

Estádio: Joaquim Henrique Nogueira (Arena do Jacaré), em Sete Lagoas (MG)
Data/hora: 15/5/2011 às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Émerson Carvalho (SP) e Marcelo Van Gasse (SP)
Renda/Público: R$293.414,00 – 17.384 pagantes.
Cartões amarelos: Victorino, Gilberto, Leandro Guerreiro, Gil e Fábio (CRU); Leonardo Silva, Mancini, Serginho e Bernard (ATL)
Cartões vermelhos: Serginho (ATL), aos 41’2T, Gilberto (CRU), aos 45’2T e Roger (CRU), aos 47’2T

Gols: Wallyson, aos 30’1T(1-0) e Gilberto, aos 42’2T(2-0)

CRUZEIRO: Fábio; Leandro Guerreiro, Gil, Victorino e Everton (André Dias, aos 18’2T); Marquinhos Paraná, Henrique (Fabrício, aos 26’2T), Roger (Léo, aos 33’2T) e Gilberto; Thiago Ribeiro e Wallyson. Técnico: Cuca

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Patric, Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos (Bernard, aos 14’2T); Serginho, Fillipe Soutto, Renan Oliveira (Claudio Leleu, intervalo) e Giovanni Augusto; Mancini (Richarlyson, intervalo) e Magno Alves. Técnico: Dorival Júnior

maio 15, 2011 Posted by | Atlético-MG, Cruzeiro | | Deixe um comentário

Atlético vence primeiro jogo da final contra o Cruzeiro

Galo aproveita ressaca cruzeirense pela eliminação na Copa Libertadores e sai em vantagem na decisão do Mineiro

Apoiado pela Massa, o Atlético-MG saiu na frente na corrida pelo título mineiro, ao vencer o clássico deste domingo contra um Cruzeiro ainda de ressaca pela eliminação na Copa Santander Libertadores. O Galo fez 2 a 1 na Arena do Jacaré e leva uma importante vantagem para o segundo jogo da decisão, domingo. Só que no próximo encontro o mando e a torcida serão do Cruzeiro, que precisará de uma vitória por qualquer diferença de gols para ser campeão. O empate é atleticano.

O Galo fez a festa logo aos cinco minutos de jogo. Mancini sofreu falta de Pablo na esquerda do ataque atleticano. Ele mesmo cobrou e abriu o placar, contando com a colaboração do goleiro Fábio, que ficou parado no meio do gol, esperando um cruzamento. Foi o primeiro gol de Mancini desde que retornou da Itália.

Saiba primeiro as notícias do Galo e da Raposa!

Depois do gol, o Galo tirou o pé do acelerador e chamou a Raposa para o ataque. Mas o time cruzeirense não colocou a bola no chão e buscou o gol através do jogadas aéreas. Não teve sucesso, principalmente porque Montillo não deu o ar da graça.

GALERIA DE FOTOS: Veja as imagens da vitória atleticana

O Cruzeiro aproveitou o buraco na marcação atleticana e chegou ao empate aos 27 minutos. Montillo – que resolveu aparecer – arrancou como uma flecha da esquerda para o meio e deu um belo passe na área para Wallyson, que bateu firme e rasteiro no canto direito de Renan Ribeiro.

Um torcedor revoltado com o empate do Cruzeiro atirou uma bateria de celular nas costas de Wallyson e a agressão será relatada na súmula.

Mas a raiva atleticana passou rápido: só dez minutos. Aos 37, em uma jogada parecida com a que originou o gol celeste, o lateral-direito Patric – que estava sendo vaiado – recebeu dentro da área e bateu cruzado para recolocar o Galo em vantagem.

No intervalo, Cuca tentou acertar a marcação no setor direito da Raposa – por onde o Galo teve mais facilidade de atacar -, sacando Pablo e colocando Leandro Guerreiro. A mexida deu resultado. Mais pelo desinteresse do Atlético em atacar por aquele setor, do que pela atuação de Guerreiro.

Só que ofensivamente não houve reação do Cruzeiro, que não conseguiu criar chances para empatar. Enquanto isso, o Atlético ficou na espera de uma brecha na defesa adversária para aumentar o placar. E poderia ter feito o terceiro se o árbitro Paulo César Oliveira tivesse marcado pênalti em Neto Berola, que entrou no lugar de Magno Alves.

Para dificultar a missão de marcar um gol no clássico, Cuca ainda tirou o atacante Ortigoza e colocou o volante Fabrício. Depois de seis meses sem entrar em campo por conta de uma grave lesão, ele só conseguiu um cartão amarelo.

O Cruzeiro só assustou aos 35 minutos da etapa final, quando Gilberto recebeu o passe da esquerda na área e mandou uma pancada na trave. Única chance clara da Raposa, que não conseguiu empatar e vai ter que tentar reverter a vantagem do Galo no próximo domingo, se quiser o título mineiro. Para dificultar a missão celeste, o meia Montillo ainda foi expulso, já aos 46 do segundo tempo, e está fora da finalíssima.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 1 CRUZEIRO

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data/Hora: 8/5/2011 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Roberto Braatz (PR)
Renda e público: R$ 120.640,00 / 17.729 pagantes
Cartões amarelos: Serginho e Neto Berola (ATL); Ortigoza e Fabrício (CRU)
Cartões vermelhos: Montillo 45’/2ºT (CRU)
Gols: Mancini 5’/1ºT (1-0), Wallyson 27’/1ºT (1-1) e Patric 37’/1ºT (2-1)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Patric, Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Fillipe Soutto, Serginho, Bernard (Daniel Carvalho 23’/2ºT) e Giovanni Augusto; Mancini (Wendell 39’/2ºT) e Magno Alves (Neto Berola 18’/2ºT) – Técnico: Dorival Júnior.

CRUZEIRO: Fábio, Pablo (Leandro Guerreiro – Intervalo), Victorino, Gil e Everton; Marquinhos Paraná, Henrique, Gilberto (Dudu 36’/2ºT) e Montillo; Wallyson e Ortigoza (Fabrício 21/2ºT) – Técnico: Cuca.

maio 9, 2011 Posted by | Atlético-MG, Cruzeiro | | Deixe um comentário

Atlético vence o América e está na final do Mineiro

Novamente de virada, Galo passa pelo Coelho por 2 a 1 e agora espera, muito provavelmente, pelo Cruzeiro na final

No aniversário de 99 anos do América-MG, quem ganhou o presente foi a torcida atleticana. De virada, a exemplo do primeiro jogo, o Atlético-MG venceu o Coelho neste sábado, desta vez por 2 a 1, e se garantiu na decisão do Campeonato Mineiro.
Os gols do Galo em tempo real no seu celular!
Os gols foram marcados por Magno Alves e Serginho, para o Galo, enquanto Luciano fez para oCoelho. A vitória foi construída mesmo com Atlético atuando com um homem a menos durante todo o segundo tempo, já que Richarlyson, que entrara no intervalo, foi expulso logo no primeiro minuto da etapa complementar.
Durante todo o jogo o Atlético jogou na defensiva, esperando o América, que precisava vencer por três gols de diferença, ir para cima. Explorando os contra-ataques, o Galo levava mais perigo ao gol de Flávio.
Com pouca mobilidade, o Coelho não conseguia penetrar na compacta defesa atleticana, mas achou um gol no segundo tempo, após falha de Guilherme Santos. O Atlético respondeu à altura, em duas jogadas rápidas que mataram o setor defensivo americano.
A baixa do dia foi o atacante Mancini, que sentiu a coxa direita e saiu antes mesmo do intervalo. Ele pode ser problema para a sequência do campeonato. Na final, o provável adversário do Atlético-MG é o rival Cruzeiro, que enfrenta neste domingo o América-TO podendo perder por até sete gols de diferença.
HOMENAGENS

Antes da bola rolar, o gramado da Arena do Jacaré foi palco de duas homenagens. A primeira delas para o América-MG, que completou nesta sábado 99 anos de história. Uma bela faixa parabenizando o Coelho foi aberta em campo.

Além disso, o meia Irênio também foi lembrado, por fazer seu jogo de número 267 com a camisa americana. Agora, o jogador é o décimo que mais vezes defendeu o clube em toda a história.

COELHO TENTA E GALO SE DEFENDE

Com a bola em jogo, a temática dos primeiros minutos foi uma só. O América bem aberto no campo de ataque e o Galo marcando atrás, esperando por seu adversário. Com mais posse de bola, o Coelho rodava, trocava passes em seu campo, mas tinha dificuldades para penetrar na defesa do Atlético.

Inteligente, o Galo esperava o erro do adversário e explorava os contra-ataques. Neste ritmo, a equipe de Dorival Jr. chegava com certo perigo ao gol de Flávio. A primeira grande chance veio aos 24 minutos, quando Mancini foi lançado na esquerda, passou como quis por Micão e invadiu a área. Na finalização, Flávio apareceu bem e espalmou.

O Atlético jogava tão recuado que em algumas oportunidades Magno Alves puxava contra-ataques sozinho contra três defensores americanos. Aos 32 minutos, Fillipe Soutto arriscou chute de fora da área e Flávio, em dois tempos, fez a defesa.

AMÉRICA CHEGA; LESÕES ATRAPALHAM

Renan Oliveira era um espectador privilegiado do jogo até os 36 minutos, quando em cobrança de falta do América, a bola desviou na defesa atleticana e foi na direção do gol. O jovem goleiro do Galo se esticou e mandou pela linha de fundo.

O América foi obrigado a se lançar mais ao ataque quando o volante Luis Ricardo deixou o gramado lesionado. Ele sentiu uma pancada na coxa esquerda e foi substituído pelo meia Luciano. Antes do intervalo, o Coelho teve sua melhor chance, quando Eliandro, aos 44, aproveitou saída errada de Renan Ribeiro e cabeceou na trave.

Ainda deu tempo de Mancini, que sentiu a coxa direita, ser substituído por Neto Berola, aos 45 minutos.

UM MINUTO DE RICKY
Na volta do intervalo, Dorival Jr. promoveu a entrada de Richarlyson no lugar de Renan Oliveira, fechando ainda mais sua equipe. Porém, com apenas um minuto em campo o volante atleticano foi expulso, após se chocar com Sheslon e reclamar falta com o árbitro.
– O (Cléber Wellington) Abade veio só para prejudicar meu trabalho. Ele me conhece há tanto tempo e estraga o meu trabalho. Não vou nem comentar. Ele sabe o que fez. Fizeram falta em mim e eu gritei: ‘Abade, foi falta’, e então ele me expulsou – se defendeu Richarlyson ao sair do gramado.
Aos cinco minutos, o Atlético demonstrou força mesmo com um a menos. Magno Alves recebeu passe de frente para Flávio, mas demorou a finalizar e Gabriel travou a finalização.
O América seguiu em cima, como no primeiro tempo, mas desta vez sendo menos exigido no aspecto defensivo. E a insistência deu resultado. No minuto eguinte, em laçamento para a área atleticana, Guilherme Santos não cortou e Sheslon tocou de cabeça para o meio, onde Luciano aproveitou para marcar. Coelho 1 a 0.
GALO DÁ O TROCO
Com um homem a mais, o América intensificou sua presença no campo de ataque. A entrada de Daniel Lovinho no lugar de Rodrigo deixou o setor esquerdo completamente livre.
E foi por lá que o Atlético chegou ao empate, aos 19 minutos. Giovanni Augusto invadiua área com liberdade, fez o que quis com Gabriel e cruzou para Magno Alves, que girou e bateu consciente, contando com ajuda de Flávio.
A bola mal saiu e o Galo conseguiu a virada. Serginho foi lançado entre os zagueiro samericanos, ficou de frente com Flávio e só teve o trabalho de tocar na saída do goleiro. Galo 2 a 1.
Depois da virada atleticana, o jogo se arrastou até o fim, sem que nenhuma das equipes levasse muito perigo.

Atlético-MG 2 x 1 América-MG

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas

Data / Horário: 30/04/2011, às 18h30

Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP)

Público / Renda: 16.132 pagantes / R$79.142,50
Cartões amarelos: Renan Oliveira e Neto Berola (CAM); Camilo, Irênio e Moisés (AME)

Cartões vermelhos: Richarlyson (CAM)

Gols: Luciano, aos 15’/2ºT; Magno Alves, aos 19’/2ºT; Serginho, aos 21’/2ºT

Atlético-MG: Renan Ribeiro; Patric, Werley, Réver e Guilherme Santos; Fillipe Soutto, Serginho, Giovanni Augusto e Renan Oliveira (Richarlyson, intervalo); Magno Alves (Cláudio Leleu, 38’/2ºT) e Mancini (Neto Berola, 1ºT/45′). Técnico: Dorival Jr.

América-MG: Flávio; Sheslon, Micão, Gabriel e Rodrigo (Daniel Lovinho, 16’/2ºT); Luiz Ricardo (Luciano, 1ºT/39′), Leandro Ferreira, Camilo (Moisés, 27’/2ºT) e Irênio; Eliandro e Fábio Jr. Técnico: Mauro Fernandes.

maio 1, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Atlético-MG vira clássico contra o América-MG e amplia vantagem

Gabriel abriu o placar de cabeça e depois o clube alvinegro virou após a saída de Ricardo Bueno. Time melhorou com Neto Berola

O Atlético-MG ampliou a vantagem no duelo de semifinal do Campeonato Mineiro ao vencer o América-MG por 3 a 1 na Arena do Jacaré, neste sábado. O resultado foi conseguido de virada, com uma melhora alvinegra ainda no primeiro tempo após a saída de Ricardo Bueno.

Os gols foram anotados por Gabriel, para o Coelho, e depois por Patric, Neto Berola e Serginho, para o Galo. As duas equipes voltam a se enfrentar no próximo fim de semana.

Por ter feito melhor campanha na primeira fase, o Atlético tem a vantagem e pode até perder por dois gols de diferença que se classifica para a decisão.

O primeiro tempo reservou bons lances para América e Atlético. Logo aos dois minutos, Mancini teve ótima chance e ficou cara a cara com Flávio, que conseguiu salvar.

Depois, foi a vez do Coelho responder em boa jogada de Irênio e Fábio Júnior. O meia finalizou por cima da meta de Renan Ribeiro.

Aos oito minutos, o indício de como seria o gol que mexeu no placar pela primeira vez. O capitão americano Gabriel aproveitou cobrança de escanteio mas cabeceou para fora.

Foi de maneira semelhante que o zagueiro marcou aos 22 minutos. Ele subiu mais do que Serginho na primeira trave e desviou para o fundo das redes. Antes disso, os dois times haviam perdido boas chances.

O ritmo do jogo era bom. O América tinha boa organização. O Atlético, por outro lado, irritava a sua torcida com alguns lances, principalmente os protagonizados por Ricardo Bueno. O atacante dominava com dificuldade as bolas, errava lances fáceis e acabou sendo substituído ainda na primeira etapa por Dorival Júnior. Neto Berola ganhou a vaga.

Após a mudança, aos 34 minutos, o Alvinegro apresentou uma melhora que resultou em gol antes do intervalo. Patric recebeu bola pela direita, deu ótimo corte no marcador e finalizou de canhota no alto do gol de Flávio, aos 47 minutos. Na comemoração, o camisa 2 fez sinal de silêncio para a torcida do Galo.

SEGUNDO TEMPO

A crescente alvinegra continuou na etapa final. Sem Ricardo Bueno, o time ganhou mais dinâmica, velocidade e chegou aos gols.

Mancini quase virou aos quatro minutos. Ele fez boa jogada com Neto Berola e ficou cara a cara com Flávio novamente. Mas a bola caiu para a perna esquerda e ele finalizou para fora.

O gol saiu aos 11 minutos em jogada de escanteio. Leonardo Silva desviou na primeira trave e Neto Berola completou na outra extremidade do gol para virar o placar.

O América encontrou dificuldades para criar jogadas devido ao bom posicionamento defensivo encontrado por Dorival Júnior para o Atlético no segundo tempo.

Aos 24 minutos, foi a vez de Serginho marcar. Neto Berola cruzou da esquerda e a bola foi até Patric, no canto direito da área. O camisa 2 cruzou novamente e Serginho guardou.

A partida caminhou até o fim sem o América conseguir levar perigo para o gol de Renan Ribeiro.

FICHA TÉCNICA:
AMÉRICA-MG 1 X 3 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Joaquim Henrique Nogueira (Arena do Jacaré), em Sete Lagoas (MG)
Data/hora: 24/4/2011 às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Carlos Berkembrock (Fifa-SC) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO)
Público/renda: 2.818/R$ 70.935
Cartões amarelos: Otávio, Dudu (AME), Guilherme Santos, Neto Berola, Toró, Renan Ribeiro, Leonardo Silva (ATL)
Cartão vermelho: Não houve

GOLS: Gabriel, 22’/1ºT (1-0), Patric, 47’/1ºT (1-1), Neto Berola 11’/2ºT (1-2), Serginho 24’/2ºT (1-3)

AMÉRICA-MG: Flávio, Sheslon (Nando, intervalo), Otávio, Gabriel e Rodrigo; Dudu, Leandro Ferreira, Irênio (Euller, 32’/2ºT) e Camilo (Davi Ceará, 9’/2ºT); Luciano e Fábio Júnior. Técnico: Mauro Fernandes.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Patric, Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Serginho, Fillipe Soutto, Renan Oliveira e Giovanni Augusto (Toró, 37’/2ºT); Mancini (Daniel Carvalho, 33’/2ºT) e Ricardo Bueno (Neto Berola, 34’/1ºT). Técnico: Dorival Júnior.

abril 24, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Galo pinta o sete e aplica goleada no América/TO

Em dia bastante inspirado, o Atlético-MG mostrou bom futebol e muita vontade, garantindo a segunda colocação na primeira fase do Mineiro

De fato duas das melhores equipes da primeira fase do Campeonato Mineiro, o duelo entre Atlético-MG e América/TO, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, era apontado como um dos mais equilibrados desta 11ª rodada do Estadual. No entanto, não foi bem isso que se viu no jogo ocorrido na tarde deste domingo.

Em um dia bastante inspirado, o ataque do Alvinegro passou por cima do Colorado de Teófilo Otoni, fez 7 a 1 e garantiu a segunda colocação do Campeonato Mineiro, o que lhe dá a vantagem de ter dois resultados iguais e definir o último confronto da semifinal como mandante. Agora, o Galo começa a se preparar para enfrentar o América-MG na segunda fase do torneio regional.

PRIMEIRO TEMPO
A partida começou com as duas equipes criando boas oportunidades. O Atlético-MG utilizava da qualidade e velocidade de seus atacantes, Mancini e Magno Alves. Já o América/TO se aproveitava das jogadas aéreas, ponto fraco da defesa alvinegra.

A primeira grande chance de gol do confronto saiu dos pés de Mancini, que após carregar a bola pelo meio-campo, deu um belo passe para Magno Alves finalizar e obrigar o goleiro Eládio a colocar a bola para escanteio. Depois da cobrança do corner, a bola ficou com Renan Oliveira, que bateu forte de fora da área e exigiu elasticidade do defensor da meta do Dragão.

Sem um grande jogador no setor de criação, Mancini era obrigado a deixar a função de segundo atacante e trabalhar pelo meio-campo. Em uma dessas trocas de posição, Mancini buscou a bola, passou para Magno Alves, driblar três jogadores da retaguarda americana e finalizar para o fundo das redes de Eládio, abrindo o placar aos 14 minutos da primeira etapa.

Logo em sua primeira jogada dentro de campo, Giovanni Augusto fez uma belíssima jogada, exímia de um camisa 10, e deixou Mancini na cara do goleiro. Sem titubear, o atacante afundou a rede de Eládio e fez o segundo gol da partida.

Na sua segunda jogada dentro de campo, o jovem Giovanni Augusto driblou o zagueiro do América/TO e ficou de frente para Eládio, mas, ao tentar deslocar do goleiro do Dragão, não conseguiu marcar o gol. Logo depois, o América/TO deu o troco. Após driblar Réver, Rogélio levou para a intermediária e bateu cruzado, mas a bola passou ao lado do gol de Renan Ribeiro.

O garoto Giovanni Augusto entrou e colocou fogo na partida. Além de dar uma assistência para o gol de Mancini e ter oportunidades de marcar gols, o jogador dava velocidade e qualidade no setor de criação do Atlético-MG.

Apagado em campo, o garoto Renan Oliveira conseguiu aparecer em uma excelente jogada, que se concretizou em gol. Após driblar o volante Luizinho, o meia-atacante finalizou bem colocado no cantinho direito do goleiro Eládio.

Devido a falta de organização no meio-campo do América/TO, a dupla de ataque, formada por Rogélio Ávila e Jonatas Obina, não conseguia aparecer bem em campo, como fizera em outras partidas do Campeonato Mineiro. Entretanto, na primeira oportunidade que tiveram, os dois obrigaram Renan Ribeiro a realizar uma defesa de puro reflexo.

SEGUNDO TEMPO
O Galo retornou ao segundo tempo com o mesmo ritmo do início do confronto. Após uma boa jogada de Renan Oliveira, o meia-atacante Mancini finalizou por cima do goleiro e fez um golaço, mas o assistente assinalou posição irregular do jogador.

Cheio de confiança em campo, Macini driblou o goleiro Eládio e poderia rolar para o companheiro, mas o jogador preferiu finalizar sem muita força e perdeu a chance de fazer o quarto gol do Atlético-MG.

Os meninos do Galo estavam demais. Após boas jogadas de Magno Alves, Renan Oliveira e Giovanni Augusto marcaram o quarto e o quinto gols do Atlético-MG, respectivamente, e demonstraram a força da base alvinegra.

Após substituir Renan Oliveira, Daniel Carvalho, em sua primeira jogada dentro de campo, tentou encobrir o goleiro Eládio e acertou o travessão.

Com uma goleada desenhada, o Alvinegro tocava a bola no meio-campo e o América/TO não conseguia sequer chegar perto do gol de Renan Ribeiro. A falta de criatividade do Dragão impossibilitou que seus atacantes tivessem chances de mostrar o melhor de seu futebol.

Em busca de um gol de honra, o América/TO criou duas oportunidades com sua dupla de ataque. Após boas jogadas de Jonatas Obina e Rogélio Ávila, a defesa atleticana foi obrigada a desempenhar seu papel. Entretanto, o sistema defensivo alvinegro não conseguiu segurar. Em bom cruzamento de Osvaldir, o centroavante Obina cabeceou para o fundo da rede de Renan Ribeiro, sem chances para o goleiro.

Embora tenha sofrido um gol, o Atlético-MG não se intimidou e continuou pressionando. Querendo dilatar o placar da goleada, o Galo foi para cima e teve oportunidades de marcar, no entanto, não obteve êxito na maioria das conclusões.

Depois de uma excelente jogada do lateral-esquerdo Guilherme Santos, o camisa 6 passou a bola para Magno Alves, que driblou o zagueiro Júnior Pereira apenas com o domínio e afundou as redes de Eládio, aumentando o placar da goleada.

Mais uma vez ele deixou sua marca na partida: Magno Alves. Com muita classe e tranquilidade, o Magnata marcou o sétimo gol e fechou o resultado: 7 a 1 para o Galo, que fez sua melhor partida no primeiro semestre da atual temporada.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 7 X 1 AMÉRICA/TO

Motivo: 11ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Público/renda: 6.300 pessoas/R$
Data/hora: 17/4/2011 – 16h
Árbitro: Cleisson Veloso Pereira (MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago e Wesley Moreira de Carvalho (MG)

Cartão amarelo: Patric, Mancini (CAM)

GOLS: Magno Alves (14′ do 1ºT, 31′ e 43′ do 2ºT), Mancini (22′ do 1ºT), Renan Oliveira (36′ do 1ºT, 10′ do 2ºT), Giovanni Augusto (11′ do 2ºT)
Jonatas Obina (24′ do 2ºT)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Patric, Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Fillipe Soutto, Serginho, Renan Oliveira (Daniel Carvalho – 12′ do 2ºT) e Jackson (Giovanni Augusto – 22′ do 1ºT); Mancini (Neto Berola – 25′ do 2ºT) e Magno Alves. Técnico: Dorival Júnior.

AMÉRICA/TO: Eládio; Osvaldir, Luis Henrique, Jádson (Junior Pereira 38′ do 1ºT) e Bruno Barros; Luizinho, Leandrinho (Chrys – 19′ do 1ºT), Felipe Dias e Wellington Bruno (Araújo – 13′ do 2ºT); Jonatas Obina e Rogélio Ávila. Técnico: Gilmar Estevam.

abril 17, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Atlético vence Caldense com a força no banco de reservas

Daniel Carvalho e Ricardo Bueno foram importantes para o resultado de 2 a 0 em Poços de Caldas. Magno Alves também

Com brilho de Daniel Carvalho e Ricardo Bueno, que saíram do banco de reservas, o Atlético derrotou a Caldense no estádio Ronaldo Junqueira na tarde deste domingo por 2 a 0. Agora com 23 pontos, o Alvinegro segue na disputa pela liderança da primeira fase, que se encerra na próxima rodada. O Cruzeiro tem 25 pontos na tabela e também dez jogos.

Os gols foram marcados por Ricardo Bueno e por Magno Alves, ambos no segundo tempo.

O Atlético entrou em campo sem Renan Oliveira, vetado pelo departamento médico. O jovem Bernard foi o substituto. No ataque, Ricardo Bueno ficou no banco para a entrada de Mancini.

O primeiro tempo foi de péssimo futebol das duas equipes e pouca emoção para o torcedor. O lance de maior destaque foi a expulsão de Vieira, que deu um pisão no tornozelo de Bernard no meio de campo e recebeu o segundo cartão amarelo.

Do lado alvinegro, um lance com o próprio Bernard chamou a atenção. Ele deu um chapeu no defensor adversário mas a bola foi muito alta e Glaysson conseguiu defender.

A Caldense arriscava alguns passes na intermediária mas sem conseguir levar perigo para a meta de Renan Ribeiro.

Para o segundo tempo, Dorival Júnior apostou em Ricardo Bueno e se deu bem. Logo aos dois minutos, ele marcou, após pegar rebote de Glaysson. Daniel Carvalho bateu com força de fora da área e o camisa 1 da Caldense não conseguiu encaixar.

Aos 10 minutos, novo bom lance com Daniel Carvalho. Ele cobrou falta perigosa mas Glaysson conseguiu defender no ângulo.

Magno Alves ampliou aos 13 minutos. Após certeiro cruzamento de Ricardo Bueno, Claudio Leleu cabeceou e Glaysson espalmou. Magno Alves pegou o rebote e mandou para o fundo das redes.

Aos 31 minutos, Ricardo Bueno fez outra bela jogada. Ele viu Glaysson adiantado e tentou encobrir o camisa 1 de longe. A bola tinha endereço certo mas o goleiro conseguiu defender.

A Caldense, sem força ofensiva, assustou poucas vezes durante a segunda etapa.

FICHA TÉCNICA

CALDENSE 0 X 2 ATLÉTICO-MG

Estádio: Ronaldão, em Poços de Caldas (MG)
Data/hora: 10/4/2011 – 16h
Árbitro: Renato Cardoso Conceição (MG)
Auxiliares: Marconi Helbert Vieira (MG) e Frederico Soares Vilarinho (MG)
Cartões amarelos: André Alves, Fernando Gaúcho, Vieira e Jardel (CAL), Bernard, Rafael Cruz e Jackson (CAM)
Cartão vermelho: Vieira (CAL, aos 28′,1º T)

GOLS: Ricardo Bueno (CAM, aos 2’/2º T) e Magno Alves (CAM, aos 13’/2º T)

CALDENSE: Glaysson, Rodrigo Dias, André Alves, Rafael Dias e Márcio Loyola(Esquerdinha, aos 28′,2º T); Vieira, Jardel, Maxsuel e Luisinho; Chimba (William, aos 28′,2º T) e Fernando Gaúcho. Técnico: Roberto Fonseca.

ATLÉTICO: Renan Ribeiro; Rafael Cruz (Claudio Leleu, intervalo), Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Serginho, Fillipe Soutto (Ricardo Bueno, intervalo), Jackson (Daniel Carvalho, aos 30’/1º T) e Bernard; Mancini e Magno Alves. Técnico: Dorival Júnior.

abril 10, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Atlético-MG dá adeus ao sonho da Copa do Brasil

Com lances polêmicos e mau futebol, o Atlético-MG dá adeus a conquista da maior competição nacional do primeiro semestre

Um jogo muito pegado: isso foi o que se viu no confronto entre Atlético-MG e Grêmio Prudente, válido pela segunda fase da Copa do Brasil, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O empate em 0 a 0 foi o retrato do duelo. Apesar da vontade, o time alvinegro não conseguiu marcar um gol e sequer conquistar uma vaga nas oitavas de final da competição nacional.

O jogo foi muito complicado, mas a situação piorou com a expulsão de dois jogadores do Atlético-MG na segunda etapa: Leonardo Silva e Serginho. Além disso, em lance bastante polêmico, o árbitro anulou o que poderia ser o gol da vitória atleticana.

PRIMEIRO TEMPO

O Atlético-MG iniciou a partida com muita vontade. Precisando garantir um resultado positivo, o Alvinegro partiu para cima do Grêmio Prudente e, logos aos 30 segundos de partida, o primeiro chute a gol saiu com Ricardo Bueno, que tentou finalizar de fora da área.

Aproveitando-se de Guilherme Santos, novo lateral-esquerdo do time, o Atlético-MG investia em jogadas naquela faixa do campo. Aos três minutos, após uma boa jogada, Renan Oliveira finalizou de fora da área, mas a bola desviou em Douglas e saiu para escanteio. Depois da cobrança do corner, Leonardo Silva cabeceou e obrigou o goleiro Márcio a realizar excelente defesa.

Esboçando muita vontade, o centroavante Ricardo Bueno dava alternativas ao setor de criação da equipe alvinegra. Mas quem chegou com perigo ao gol de Márcio, foi o companherio de Bueno: Magno Alves. Após receber de costas par o gol, o camisa 11 girou sobre o marcador e finalizou rasteiro, obrigando o goleiro prudentino a realizar grande defesa.

Os primeiros minutos de partida tiveram duas cores: preto e branco. Impedindo que o Prudente chegasse ao seu gol, o Galo pressionava a saída de bola dos paulistas e mantinha o jogo em seu campo de ataque. A todo instante, Guilherme Santos era acionado no setor ofensivo e, por seu lado, apareciam as principais jogadas do Atlético-MG.

A primeira grande jogada do Grêmio Prudente saiu dos pés do meia-atacante Saldanha. Após driblar o zagueiro Réver, o camisa 8 finalizou por cima do gol de Renan Ribeiro.

Por volta dos 20 minutos de partida, o ritmo atleticano caiu e o jogo ficou bastante equilibrado. Com o empate, que insistia em continuar no placar da partida, os paulistas se garantiam nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Ao término da primeira etapa, o setor de criação do Atlético-MG não conseguiu manter o ímpeto do princípio de partida e deixou o Grêmio Prudente crescer na partida. Aos 37 minutos, o atacante Eraldo teve oportunidade de cabecear sozinho. Contudo, a bola passou por cima da meta defendida por Renan Ribeiro.

Insistindo demais nas jogadas aéreas, o Atlético-MG não conseguia finalizar com perigo ao gol de Márcio. As oportunidades apareciam, entretanto, o bloqueio do Grêmio Prudente não era furado pelos alvinegros.

Cobrando uma falta da intermediária, Serginho levou muito perigo ao gol de Márcio. O jogador tentou deslocar do goleiro, que conseguiu fazer boa defesa e afastar para escanteio. Um minuto depois, foi a vez de Guilherme Santos fazer boa jogada pela esquerda e cruzar para o meio da área. Mas o camisa 1 do Grêmio Prudente saiu bem e agarrou a bola.

No fim do primeiro tempo, os atleticanos pediram a entrada de Neto Berola. E foram prontamente atendidos. O jogador entrou, durante o intervalo, no lugar de Renan Oliveira.

SEGUNDO TEMPO

Logo aos dois minutos, o Grêmio Prudente levou perigo ao gol de Renan Ribeiro com uma bola alçada na área. Entretanto, o árbitro assinalou falta no goleiro.

Com três atacantes em campo (Neto Berola, Magno Alves e Ricardo Bueno), o Atlético-MG ganhou mais movimentação no setor ofensivo e buscou o gol no princípio da segunda etapa. Enquanto Berola caia pelo lado direito e tinha o apoio de Patric, que substituiu Rafael Cruz, Magno Alves jogava pela esquerda, tendo o auxílio de Guilherme Santos.

Como de costume, o atacante Neto Berola entrou e incendiou o jogo. A todo instante, o baiano chegava com perigo ao gol de Márcio. Porém, não conseguia afundar a rede do time adversário.

Logo aos dez minutos da segunda etapa, o técnico Dorival Júnior abriu mão do esquema com três homens na linha de frente e colocou Mancini no lugar de Ricardo Bueno. O Galo perdeu a referência no ataque, mas ganhou em qualidade no meio de campo.

Em sua primeira jogada no segundo tempo, aos 15 minutos da etapa, Mancini dominou uma belíssima bola fora da área e finalizou rasteiro, no cantinho direito do goleiro Márcio, mas a bola acabou indo para fora.

Alex Maranhão teve a oportunidade de inaugurar o placar da partida aos 19 minutos da etapa complementar. Com uma boa cobrança de falta, o meia-atacante exigiu que Renan Ribeiro defendesse em dois tempos.

Mostrando muita vontade em campo, o atacante Neto Berola dominou uma boa bola na intermediária e finalizou, contudo, com muita força e por cima do gol de Márcio. Aos 23 minutos de partida, foi a vez de Mancini chegar ao gol de Márcio. Após um bate-rebate, o meia-atacante finalizou mas o arqueiro do Grêmio Prudente fechou muito bem o chute de Mancini.

O Grêmio Prudente chegou com bastante perigo ao gol do Atlético-MG, em boa jogada do Raí, lateral-esquerdo do time do interior paulista. Após boa jogada nas costas de Patric, o camisa 6 chegou à linha de fundo e bateu, tentando deslocar de Renan Ribeiro, mas acabou acertando a rede pelo lado de fora.

Por volta dos 30 minutos de partida, o Atlético-MG perdeu dois atletas. Leonardo Silva e Serginho, respectivamente, foram expulsos e complicaram a forma de jogar da equipe. Logo após a expulsão do volante, Eraldo teve a oportunidade de marcar um gol, porém, bateu para fora, ao tentar deslocar do goleiro.

Aos gritos de “olé”, quando o Grêmio Prudente pegava na bola, os jogadores do Atlético-MG demonstravam enorme nervosismo e não conseguiam chegar ao gol de Márcio.

O Atlético-MG até conseguiu colocar a bola no fundo da rede do Grêmio Prudente. Após um cruzamento de Fillipe Soutto, o zagueiro Réver cabeceou para o gol. No entanto, o árbitro Pathrice Wallace Correa Maia anulou.

Rhayner ainda ameaçou o gol atleticano. Aos 45 minutos, o time do interior paulista acabou perdendo a chance de marcar ao chegar pelo lado esquerdo do ataque prudentino.

Depois de boa jogada do Grêmio Prudente, o centroavante Eraldo teve a oportunidade de decidir o confronto. Contudo, finalizou para fora. Logo depois, foi a vez do Galo. Mancini ficou de frente para o gol, mas não conseguiu marcar.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 0 X 0 GRÊMIO PRUDENTE

Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data/hora: 6/4/2011 – 21h50
Público/renda: 6.968 pessoas/R$33.925,00
Árbitro: Pathrice Wallace Correa Maia (RJ)
Auxiliares: Eduardo de Souza Couto (RJ) e Francisco Pereira de Souza (RJ)
Cartão amarelo: Leonardo Silva, Réver, Guilherme Santos (CAM)
Cartão vermelho: Leonardo Silva, Serginho (CAM) Douglas (GPR)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Rafael Cruz (Patric – intervalo), Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Serginho, Fillipe Soutto, Jackson e Renan Oliveira (Neto Berola – intervalo); Magno Alves e Ricardo Bueno (Mancini – 10′ do 2T). Técnico: Dorival Júnior.

GRÊMIO PRUDENTE: Márcio; Wanderson Cafu, Douglas, Edinei e Rai; Anderson Pedra, Daniel, Saldanha (Alceu – 28′ do 2T) e Elivélton (Rhayner – 23′ do 2T); Eraldo e Juan (Alex Maranhão – 11′ do 2T). Técnico: Márcio Goiano.

abril 7, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Atlético-MG vence e vira o vice-líder do Mineiro

Após superar o Democrata-GV, Galo está muito próximo de garantir a sua presença nas semifinais da competição

Não foi fácil, mas o Atlético-MG superou o Democrata, penúltimo colocado no Campeonato Mineiro, por 3 a 1, neste domingo, no Mamudão, em Governador Valdares e assumiu a vice-liderança da competição.

Com a vitória, Atlético foi aos 20 pontos e precisa de apenas mais um ponto para se garantir nas semifinais da competição. Já o Democrata segue na penúltima posição do Mineiro-2011, com apenas quatro pontos.

Próximos jogos:

Pela Copa do Brasil, o Atlético volta à campo nesta quarta-feira, para enfrentar o Grêmio Prudente. Já pelo Mineiro, no próximo domingo (10), o Galo enfrenta a Caldense, fora de casa, no Estádio Ronaldão, às 16h. Já o Democrata enfrenta o América-MG, no mesmo dia e horário e também fora dos seus domínios. O confronto será na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

O jogo:

O Democrata começou a partida com uma boa marcação e uma postura ofensiva. Amilton, Vander e Fernandão deram certo trabalho à marcação do Atlético, que tinha dificuldades para deixar o seu campo de defesa. No entanto, bastou o Galo trabalhar a bola para o seu jogo fluir com naturalidade, uma vez que o Democrata se mostrou nervoso em campo. Com menos de dez minutos, Vander e Fernandão já haviam sido amarelados.

Galo na frente:

Após esfriar o ímpeto da Pantera, o Atlético mostrou a sua superioridade. Aos dez minutos, Renan Oliveira – agora sem a companhia do experiente Ricardinho – deu passe preciso para Magno Alves finalizar na saída de Vilar, que nada pode fazer. Atlético 1 a 0 em Valadares.

A partir do gol atleticano, o confronto ficou mais aberto. Aos 17 minutos, Fillipe Soutto fez lançamento milimétrico para Renan Oliveira finalizar de primeira. Por muito pouco não veio o segundo do Galo. Já aos 19, o estreante Guilherme Santos arriscou finalização de longe.

Mas a Pantera estava viva em campo. Aos 24 minutos Vander deixou Amilton cara a cara com Amilton que finalizou sem força e Renan Ribeiro fez a defesa e garantiu a tranquilidade para o Atlético seguir atacando. Aos 29 minutos, Magno Alves cobrou falta e Vilar fez grande defesa. Dois minutos depois foi a vez de Jackson desperdiçar boa oportunidade de gol.

Melhor em campo, não tardou para o Atlético ampliar. Aos 35 minutos, Serginho cobrou falta e após Magno Alves cabecear e Vilar proporcionar o rebote, o zagueiro e capitão Réver só teve o trabalho de completar. Atlético 2 a 0.

Pantera reage:

A tranquilidade dos comandados de Dorival Júnior durou pouco. Assim como nas onze partidas anteriores, o Galo voltou a sofrer ao menos um gol. Aos 40 minutos, Cláudio cobrou falta e após desvio de Silvio, Renan Ribeiro deu rebote e Fernandão completou. Democrata 1 x 2 Atlético.

Segundo tempo:

As duas equipes voltaram para a segunda etapa com as mesmas escalações e com a mesma disposição do primeiro tempo. Aos seis minutos, Fernandão recebeu na direita da defesa do Atlético e tentou o passe ao invés de finalizar. No minuto seguinte veio a resposta do Galo: Fillipe Souto cobrou falta e a bola passou muito próxima ao gol de Renan Ribeiro.

Toma lá dá cá:

A partida seguia aberta e com chances para as duas equipes. Aos 15 minutos, após cobrança de falta, Silvio – de ombro – quase empatou para o Democrata. Renan Oliveira, atrasado, nada poderia fazer. No minuto seguinte vieram os dois milagres de ‘São Vilar’. Primeiro veio a finalização do estreante Guilherme e a grande defesa do camisa 1 da Pantera e no rebote, nova defesa de Vilar em cabeçada de Neto Berola.

Expulsão e gol de Neto Berola:

O equilíbrio que exista em campo se desfez após a expulsão do zagueiro Marden, do Democrata. Após cometer falta em Renan Oliveira, o camisa 5 da Pantera, que já tinha o cartão amarelo, deixou a partida. Pouco depois, aos 33 minutos, Neto Berola sofreu pênalti de Ely Tadeu. O próprio camisa 17 cobrou e marcou. Atlético 3 a 1.

Renan Oliveira ainda desperdiçaria grande oportunidade após passe de Magno Alves, aos 41 minutos. Sorte que o gol perdido não fez falta e a vitória foi do Atlético.

FICHA TÉCNICA:
DEMOCRATA-GV 1 X 3 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Mamudão, Governador Valdares (MG)
Data/Hora: 3/4/2011 às 18h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Emérson de Almeida Ferreira (MG)
Auxiliares: Pablo Almeida Costa (MG) e Breno Rodrigues (MG)
Renda/Público: Não divulgados.

Cartões amarelos: Vander, Fernandão, Marden, Renê, Serginho, Ernani e Ely Tadeu (DEM); Magno Alves, Fillipe Soutto, Renan Oliveira, Patrick e Neto Berola (ATL)
Cartões vermelhos: Marden (DEM), aos 22’2T.

Gols: Magno Alves, aos 10’1T(0-1); Réver, aos 35’1T(0-2); Fernandão, aos 40’1T(1-2) e Neto Berola, aos 33’2T(1-3).

DEMOCRATA-GV: Vilar, Lúcio, Marden e Silvio; Cláudio, Rogério, Renê (Ely Tadeu, aos 18’2T), Vander (Serginho, aos 35’2T) e Ernani; Amilton e Fernandão (Adriano, aos 34’2T). Técnico: José Maria Pena.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz (Patrick, aos 25’2T), Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Fillipe Soutto (Wendel, aos 29’2T), Serginho, Renan Oliveira e Jackson; Magno Alves e Ricardo Bueno (Neto Berola, aos 12’2T). Técnico: Dorival Júnior.

abril 3, 2011 Posted by | Atlético-MG | Deixe um comentário

Atlético-MG joga mal e perde para o Grêmio Prudente

Eraldo e Juan marcam para o time da casa e Magno Alves desconta para o Galo. Joga da volta ocorre na próxima quarta

Jogando mal mais uma vez, o Atlético-MG foi derrotado por 2 a 1 pelo Grêmio Prudente, nesta quinta-feira, no Prudentão, pelo jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil. Eraldo e Juan fizeram para o time da casa, enquanto Magno Alves descontou. As equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, na Arena do Jacaré.

A cobrança de falta precisa de Ricardinho, que obrigou Marcio a fazer ótima defesa logos aos sete minutos, serviu apenas para iludir a torcida alvinegra. Assim como aconteceu em muitas partidas do ano, o Atlético-MG saiu perdendo.

Jogando mal, os mineiros foram castigado aos dez. A defesa do Galo parou, Renan Ribeiro saiu mal do gol e Eraldo, sozinho e de cabeça, balançou a rede. E o capitão do Prudente quase ampliou na sequência, quando Erivelton deu passe rasteiro pela esquerda.

Perdido em campo, o Atlético exagerou nos erros, principalmente pela falta de eficiência do meio de campo. E, por isso, foi várias vezes surpreendido pelo time da casa nos contra-ataques. Saldanha arrancou pela esquerda, deixou os marcadores para trás e colocou Eraldo na cara do gol. Mas o capitão deixou a bola passar.

A primeira e única chance de gol atleticana saiu em uma jogada de muito talento de dois jogadores. Quando o Prudente estava perto do segundo gol, Ricardinho deu excelente lançamento para Magno Alves, que dominou no peito e, de primeira, arrematou para a rede. Um golaço!

Mas, voltando ao jogo depois do lampejo de talento da dupla do Galo, o Prudente, ainda melhor, ampliou. Juan recebeu levantamento de Raí e deu um meio voleio por trás do lateral-direito Leandro para deixar o seu.

O técnico Dorival Júnior fez duas mudanças no intervalo, trocando Renan Oliveira por Cláudio Leleu, e Ricardo Bueno por Neto Berola. Foi o suficiente para o Atlético-MG melhorar, trocando mais passes e chegando com mais perigo. Mas nada disso foi suficiente para a reação.

O Prudente seguiu bem posicionado e marcando com precisão. Chegou menos ao gol de Renan Ribeiro, mas também conseguiu evitar as chegadas de maior perigo da equipe adversária. Foi o suficiente para garantir a vantagem para o jogo da volta.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO PRUDENTE 2 X 1 ATLÉTICO-MG

Data/hora: 31/3/2011, 20h
Local: Prudentão, em Presidente Prudente (SP)
Árbitro: Antônio Denival de Morais (PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho e Marcos Rogério da Silva
Cartões amarelos: Wanderson Cafu, Juan (GPR); Serginho, Leonardo Silva (CAM)
Cartões vermelhos: nenhum

GOLS: Eraldo 10’/1T (1-0); Magno Alves 34’/1T (1-1); Juan 36’/1T (2-1)

GRÊMIO PRUDENTE: Marcio, Wanderson Cafu, Douglas, Ednei e Raí; Anderson, Daniel, Saldanha (Alceu, 34’/2T) e Elivelton; Juan (Léo, 41’/2T) e Eraldo (Rhayner, 29’/2T). Técnico: Márcio Goiano.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Réver, Leonardo Silva e Leandro; Toró, Serginho, Renan Oliveira (Cláudio Leleu, intervalo) e Ricardinho (Bernard, 29’/2T); Magno Alves e Ricardo Bueno (Neto Berola, intervalo). Técnico: Dorival Júnior.

março 31, 2011 Posted by | Atlético-MG, Grêmio Prudente | | Deixe um comentário

Atlético-MG não passa de um empate com o Uberaba

Galo desperdiça a chance de dividir a liderança do Campeonato Mineiro com o Cruzeiro

O Atlético-MG não passou de um empate em 1 a 1 com o Uberaba, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, na noite desta quarta-feira, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro.

Com o resultado, o Galo permanece momentaneamente na segunda posição – o América, com uma vitória, pode passar o Alvinegro -, com 17 pontos. O Zebu fica na nova posição, com sete pontos, e permanece invicto fora de casa.

Próximos compromissos:

Na nona rodada, o Atlético encara o Democrata, no Mamudão, em Governador Valadares. O jogo acontece no dia quatro de abril. Já o Uberaba, no mesmo dia, no Uberabão, enfrenta o Funorte, em um duelo de equipes que brigam para não cair.

O jogo:

O Atlético voltou a demonstrar no início da partida os mesmos problemas dos últimos jogos. Erros de passe, muita afobação, pouca calma e a criação de oportunidade gol ficava prejudicada. O fato de o time ser muito leve e ter como característica principal a velocidade tem prejudicado o toque de bola. Nem jogadores mais técnicos, como Ricardinho e Richarlyson, estavam conseguindo cadenciar o ritmo da partida.

A sucessão de passes errados fez com que o Uberaba fosse o primeiro time a criar perigo. Aos 10 minutos, Maurinho cruza a bola, mas Renan Ribeiro, com um tapinha para escanteio, evita a cabeça de Cristiano Brasília. Dois minutos depois, Cristiano Brasília voltou a amedrontar a massa alvinegra. Ele cobrou falta do meio de campo e tentou encobrir Renan Ribeiro, que se recuperou e espalmou para a linha de fundo. Mas o ímpeto do time do interior parou por aí. O Zebu recuou muito e aceitou a pressão alvinegra.

Aos 17 minutos, a primeira chance do Atlético. Jobson sofreu falta na entrada da grande área. Ricardinho cobrou colocado e a bola passou rente a trave do goleiro Fernando, se perdendo pela linha de fundo. E Ricardinho continuava sendo o homem mais perigoso da ofensiva atleticana. Aos 23, o meia pegou, de primeira, um rebote da zaga uberabense e finalizou por cima do gol de Fernando. Dois minutos depois, Jobson tabelou com Renan Oliveira, que deixou a bola para Ricardinho. O armador chutou colocado e o arqueiro Fernando fez grande defesa, impedindo o primeiro gol da partida.

Nos últimos quinze minutos do primeiro tempo, o Galo montou uma blitz no campo de ataque. O time da capital trocava passes dentro da intermediária do Uberaba, que tentava se defender montando um ferrolho, com até nove jogadores atrás da linha da bola. Através da pressão, o Atlético teve a melhor chance. Jobson achou Renan Oliveira livre pela direita. O camisa 8, aos 32 minutos, avançou livre, mas chutou fraquinho, facilitando a defesa de Fernando. Três minutos depois, Richarlyson fez cruzamento perfeito para Ricardo Bueno, que cabeceou com força, mas sem a direção do gol. Apesar da imensa pressão alvinegra, o primeiro tempo terminou sem gols.

Segunda etapa:

Notando a postura extremamente defensiva do Uberaba, Dorival Júnior sacou o volante Toró e colocou o meia-atacante Mancini. O Atlético, com essa alteração, cedia muitos espaços para o contragolpe do Uberaba, mas também conseguia criar mais oportunidades de gol.

Após falha bizonha de Réver, aos dois minutos, Rômulo avançou sozinho, mas finalizou em cima de Renan Ribeiro, perdendo uma clara oportunidade de gol. O Galo inaugurou o placar aos quatro minutos. Jobson fez cruzamento, Ricardo Bueno ganhou do zagueiro e cabeceou no contrapé de Fernando. Na comemoração, cantou parabéns em homenagem a Renan Ribeiro e Zé Luís, aniversariantes do dia.

Mas, aos 10 minutos, nova desatenção defensiva do Galo. Maurinho cruzou da direita, Rômulo ajeitou para o lateral-esquerdo Bruno Campos, que soltou um foguete. Renan Ribeiro, no primeiro momento, salvou o Atlético, mas, no rebote, Bruno Campos igualou o marcador. O Alvinegro sofreu gols em todas as partidas nesse ano.

As bolas aéreas seguiam sendo a melhor alternativa atleticana. Aos 12 minutos, Richarlyson cruzou e Réver testou com força e a bola explodiu no travessão. Mancini, que havia entrado no intervalo, sentiu dores na coxa direita e teve que deixar o campo. Cristiano Brasília, aos 14 minutos, cobrou falta com categoria, a bola passou próxima a trave de Renan Ribeiro.

Após alguns minutos de pouca ação, aos 21, Magno Alves, que recebeu passe de Renan Oliveira, soltou uma bomba, a bola desviou na zaga e passou próxima a trave de Fernando. Aos 28 minutos, Maurinho levantou a bola na área. O baixinho Marcinho ganhou dos grandalhões atleticanos e cabeceou na trave, assustando a torcida atleticana. Aos 32 minutos, Neto Berola avançou em velocidade pela esquerda, limpou a marcação e cruzou para Ricardo Bueno, que cabeceou fraco nas mãos do goleiro. Aos 40 minutos, Ricardo Bueno tentou proteger a bola, se enrolou com o marcador e caiu dentro da área. O juiz mandou o jogo seguir.

O Galo não conseguia furar a retranca do Uberaba e abusava das bolas cruzadas na área. Sem muita efetividade. A zaga do Zebu conseguia cortar todas as jogadas e segurou o empate.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG 1×1 UBERABA

Estádio: Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/hora: 23/03/2011 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto
Auxiliares: Marcus Vinícius Gomes e Janette Mara Arcanjo
Renda/público: R$ 20.375,00 / 4.163 pagantes.
Cartões amarelos: Ricardo, Felipe e Balduíno (UBE) Leonardo Silva (ATL)
Cartões vermelhos: Não houve

GOLS: Ricardo Bueno, 4’2T (0-1), e Bruno Campos, 10’2T (1-1)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Bernard, Leonardo Silva, Réver e Richarlyson; Toró (Mancini, intervalo – Magno Alves, 14’2T), Serginho, Renan Oliveira e Ricardinho; Jobson (Neto Berola, 14’2T) e Ricardo Bueno Técnico: Dorival Júnior

UBERABA: Fernando; Rodrigão, Felipe (Alemão, 19’2T – Hugo, 22’2T) e Ricardo; Maurinho, Balduíno, Gabriel, Rômulo (Juninho Cearense, 32’2T) e Bruno Campos; Marcinho e Cristiano Brasília. Técnico: Nenê Belarmino

março 24, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Atlético-MG sofre, mas vence o Villa Nova pelo Mineiro

Triunfo na Arena do Jacaré veio apenas com um gol contra de Uchoa, aos 47 minutos da segunda etapa

O Atlético-MG sofreu, mas venceu o Villa Nova por 2 a 1, na Arena do Jacaré, neste domingo, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro. Com o resultado, o Galo, chega aos 16 pontos, mas permanece na terceira colocação. O Leão está em quinto, com 11 pontos.

Próximos compromissos:

Na próxima quarta-feira, 23, o Atlético encara o Uberaba, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O Villa Nova recebe o Ipatinga no Castor Cifuentes no próximo domingo, 27.

O jogo:

A partida começou meio lenta. Surpreendentemente, o Villa Nova tomou conta das ações ofensivas da partida e deixava os contragolpes para o time mandante. O Atlético tentava chegar em jogadas de velocidade com Wesley e Jobson, mas os erros de passe prejudicaram a concatenação de jogadas certeiras.

A primeira jogada de perigo ocorreu aos sete minutos. Após boa tabela entre Marinho e Ricardo Bóvio, o volante chutou para o gol, a bola desviou em Réver e saiu em escanteio. Na jogada seguinte, no contra-ataque, Wesley sofre falta na entrada da área. Mas Richarlyson cobra mal e a chance para na barreira. Aos 11 minutos, desatenção total da defensiva atleticana. O goleiro Vagner, após cobrança de falta, achou Palermo livre. O argentino avançou sozinho e, de canhota, tocou na saída do goleiro Renan Ribeiro: 1 a 0 para o time visitante.

O gol diminuiu o ímpeto ofensivo do Leão do Bonfim. A equipe preferiu ter mais cautela e esperar o Galo vir para cima. E o Atlético resolveu correr atrás de melhor sorte. Eron, aos 13, recebeu boa bola na ponta esquerda e cruzou para Ricardo Bueno. O centroavante cabeceou bonito, mas no meio do gol para fácil defesa de Vagner.

O Villa Nova abusava das faltas, mas o Atlético pecava nas cobranças e não assustava ao goleiro Vagner. O Alvinegro também tinha dificuldade para dar sequência as jogadas. Os erros de passes e a insistência nas jogadas pelo meio prejudicavam a equipe de Belo Horizonte.

Nas jogadas pelos flancos, o Leão seguia incomodando. Aos 33, Alex Santos passou por Eron e cruzou para o centro da área. Leonardo Silva se antecipou a Marinho e afastou o perigo. Aos 35 minutos, Allan lançou Marinho, que avançou livre pela grande área, mas finalizou em cima de Renan Ribeiro, perdendo a oportunidade de ampliar o marcador. Ricardo Bueno teve a oportunidade de empatar a partida, aos 45 minutos, mas, na cara do gol, isolou a bola para fora. O Galo deixou o campo vaiado

Segundo tempo:

Dorival Júnior, no intervalo, sacou o meia Wesley e colocou Neto Berola no jogo, procurando dar mais ofensividade ao time. Logo com um minuto, a velocidade de Berola incomodou a defesa do Leão, que cometeu falta na entrada da área. Richarlyson levantou a bola, a zaga afastou e, no rebote, Toró finalizou por cima da meta.

O Galo montou uma verdadeira blitz na intermediária do Leão do Bonfim. Contudo, o time alvinegro esbarrava nos passes equivocados. Aos 11 minutos, no entanto, o volante Richarlyson cruzou na pequena área, Ricardo Bueno não chegou a tempo e a bola passou na frente do gol do Leão.

Mancini, aos 16 da etapa final, entrou no lugar do lateral-esquerdo Eron. Richarlyson cobriu a lateral-esquerda e apenas Toró ficou com funções de marcação. Três minutos depois a ousadia de Dorival Júnior trouxe resultados. Mancini aproveitou bobeada de Carciano e cruzou para Ricardo Bueno, testar de cabeça para o fundo das redes.

Aos 24 minutos, Palermo recebeu bom lançamento de Ricardo Bóvio e chutou com violência para o fundo das redes. No entanto, o árbitro Renato Cardoso Conceição invalidou o lance por causa de uma falta do argentino em Toró. Aos 26, Renan Oliveira lançou Ricardo Bueno, que dominou para Mancini finalizar e virar o marcador. Mas Bueno estava impedido e o gol foi invalidado.

Faltando 10 minutos para o final da partida, Mancini recebeu pela ponta esquerda, limpou o marcador e levantou a bola na área. Ricardo Bueno cabeceou a bola na pequena área, mas não conseguiu direcionar a bola para o gol. Aos 43, m uma falta de longa distância, Alex Santos soltou uma bomba, Renan Ribeiro já estava vencido, mas a bola subiu demais.

Aos 47 minutos, o Atlético encontrou o gol da virada. Magno Alves fez fila pela esquerda e chutou cruzado, o goleiro rebateu, a bola bateu em Felipe e morreu no fundo das redes. Aos 50 minutos, Jackson fez falta dura em Palermo e foi expulso.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 1 VILLA NOVA

Local: Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/horário: 20/3/2011, às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Renato Cardoso Conceição (MG)
Auxiliares: Jair Albano Félix e Pablo Almeida Costa. (MG)
Renda/Público: R$ 47.847,50 / 9.745 pagantes.

Cartões amarelos: Gedeon, Marinho, Uchoa, Carciano, Palermo e Bruno Lourenço (VIL), Jackson e Toró (ATL).
Cartões vermelhos: Jackson (ATL).

Gols: Palermo, aos 15’1T (0-1), Ricardo Bueno, aos 19’2T (1-1) e Uchoa, contra, aos 47’2T.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Jackson, Leonardo Silva, Réver e Eron (Mancini, 16’2T) ; Toró, Richarlyson, Wesley (Neto Berola, intervalo) e Renan Oliveira; Jobson (Magno Alves, 26’2T) e Ricardo Bueno Técnico: Dorival Júnior.

VILLA NOVA: Vagner; Alex Santos, Bruno Lourenço, Carciano e Raniery; Uchoa, Ricardo Bóvio (Marquinhos, 38’2T), Gedeon (Felipe, 31’2T) e Palermo; Marinho (Edmílson, 31’2T) e Allan. Técnico: Wilson Gottardo.

março 20, 2011 Posted by | Atlético-MG | , | Deixe um comentário

Galo fica só no empate diante do ex-lanterna Ipatinga


Técnico do Tigre, Guilherme deu trabalho ao clube onde é ídolo

O Atlético-MG não passou de um empate contra o Ipatinga, por 2 a 2, neste domingo, pela sexta rodada do Mineiro-2011. Jogando no Ipatingão, o Galo pagou o preço de ter feito um primeiro tempo ruim e ter dado espaços no setor defensivo. Este foi o primeiro confronto do técnico do Ipatinga, Guilherme Alves, contra o clube pelo qual fez maior sucesso na carreira.

Com o resultado, o Atlético-MG ficou estacionado na terceira posição, com 13 pontos. Enquanto isso, o Ipatinga pode respirar ao marcar seu terceiro ponto no Mineiro e escapar da zona de rebaixamento, ocupando a décima posição.

Na próxima rodada, o Galo busca a recuperação contra o Villa Nova, domingo, às 16h, na Arena do Jacaré. Já o Ipatinga visita a Caldense, no mesmo dia e horário.

Jogo

No confronto entre os finalistas do Mineiro-2010, foi o Tigre quem mostrou as garras primeiro. Aos 3 minutos, o Ipatinga quase marcou. Depois de cobrança de escanteio, o zagueiro Werley desviou a bola contra o próprio patrimônio. Por sorte do Galo, a redonda explodiu no travessão.

Após susto, o Atlético-MG se lançou ao ataque. Mas o time de Dorival Júnior não conseguiu ser efetivo nas finalizações e ainda deu espaços no setor defensivo.

Em um desses buracos deixados pela zaga atleticana, aos 12 minutos, o estreante Thiago Santos roubou a bola de Réver e a finalização só não tomou o endereço das redes porque Richarlyson se jogou de carrinho para bloquear o chute.

Aos 19, uma nova investida do Ipatinga, que passou a ser o melhor time em campo, deixou o torcedor atleticano sem fôlego. Alessandro desceu em velocidade pela direita e bateu cruzado, mas a bola passou rente à trave de Renan Ribeiro.

Debaixo de muita chuva, acuado e sem conseguir sair jogando, o Galo passou a assistir ao Ipatinga perder chances de gol.

O Atlético chegou a balançar as redes do Tigre com Neto Berola, mas a jogada foi invalidada porque o atacante dominou a bola com o braço. Ele levou amarelo por isso.

Mas Alessandro entrou em cena. Primeiro aos 37 minutos, ao desperdiçar a melhor chance do jogo, depois que Thiago Santos o deixou sozinho, dentro da área, com o goleiro Renan Ribeiro. Mas o camisa 11 isolou.

Só que no minuto seguinte o mesmo Alessandro foi decisivo. O atacante aproveitou o rebote do goleiro após chute de Léo Medeiros e empurrou para o fundo da rede. Festa do time da casa, que conseguiu segurar o placar de 1 a 0 até o intervalo.

Segundo tempo

Na volta do intervalo, Dorival Júnior gastou as duas alterações que ainda tinha. Wesley e Jobson entraram para as saídas de Leandro e Ricardo Bueno. O resultado pode ser visto logo no primeiro minuto de segundo tempo, quando Neto Berola recebeu de Jobson e bateu firme para empatar.

Mas o efeito colateral foi sentido dois minutos depois. O Ipatinga achou espaço no setor defensivo esquerdo do Galo, que era ocupado por Leandro, e achou o gol. Rodrigo Antonio foi ao fundo e passou para Thiago Santos, livre, mandar para as redes.

Em desvantagem, o Galo tomou conta das ações de ataque. Com um Jobson disposto a complicar a vida do Ipatinga, os atleticanos não deram descanso ao goleiro Ranieri.

Aos 31, Jobson avançou pelo meio e deixou Neto Berola livre na área. Só que o camisa 11 parou no goleiro do Tigre, que apareceu para evitar o empate.

Mas no minuto seguinte não teve Ranieri que parasse o Galo. Apesar de estar sofrendo com dores na perna, Réver deu passe açucarado, de calcanhar, para Renan Oliveira. O meia recebeu na pequena área e driblou o goleiro antes de sair para o abraço: 2 a 2.

O Atlético-MG continuou pressionando para virar a partida, mas não conseguiu acertar o pé e teve que deixar o campo com a igualdade no placar.

IPATINGA 2 X 2 ATLÉTICO-MG

Local: Ipatingão, Ipatinga (MG)
Data/Hora: 13/3/2011, às 16h
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Celso Luiz da Silva
Renda/Público: R$ 129.195/ 7.617 presentes
Cartões amarelos: Alessandro 24’/1ºT, Max 26’/1ºT, Eron 40’/1ºT, Rodrigo Antonio 24’/2ºT, Élder, 41’/2ºT (IPA); Neto Berola 25’/1ºT, Richarlyson 27’/1ºT, Serginho 45’/1ºT, Ricardinho 23’/2ºT, Rever, 42’/2ºT (ATL)

Gols: Alessandro, 38’/1ºT (1-0); Neto Berola, 1’/2ºT (1-1); Thiago Santos, 3’/2ºT (2-1); Renan Oliveira, 32’/2ºT (2-2)

IPATINGA: Ranieri, Luizinho, Eron (Vagner. 11’/2ºT), Max e Marinho Donizete; Leanderson, Rodrigo Antonio, Leandro Brasília e Léo Medeiros (Élder, 40’/2ºT); Thiago Santos (William Amendoim, 13’/2ºT) e Alessandro. Técnico: Guilherme Alves

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Serginho, Réver, Werley e Leandro (Wesley, intervalo); Zé Luís (Toró 30’/1ºT), Richarlyson, Ricardinho e Renan Oliveira; Neto Berola e Ricardo Bueno (Jobson, intervalo). Técnico: Dorival Júnior.

março 13, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Atlético goleia Iape e passa de fase na Copa do Brasil

Resultado foi de 8 a 0 com show de Jóbson no segundo tempo, dois de Tardelli, dois de Renan Oliveira e um do estreante Toró

Sem sustos, o Atlético jogou bem, goleou o Iape-MA por 6 a 0 e passou para a segunda fase da Copa do Brasil. Ao contrário do primeiro jogo, recheado de polêmicas e dificuldades no Maranhão, a partida na Arena do Jacaré foi amplamente dominada pelo time alvinegro. Os gols foram de Renan Oliveira (2), Ricardinho, Jóbson, Diego Tardelli e Toró, que fez a sua estreia. A primeira partida terminou em 3 a 2 para o Galo.

Na próxima fase, o adversário do Galo será o Grêmio Prudente. O confronto deverá no próximo dia 16 ou 30 deste mês, com data a ser confirmada pela CBF.

PRIMEIRO TEMPO: APRESSADO

Apressado para definir o jogo, o Galo já abriu o placar quando alguns torcedores ainda se ajeitavam nas arquibancadas da Arena do Jacaré. Renan Oliveira recebeu bom passe de Diego Tardelli e bateu rasteiro, no canto do goleiro Flaubert. Isso tudo com menos de um minuto de jogo.

Depois de poucos minutos, o placar já foi dilatado. Foi a vez do outro armador alvinegro brilhar. Em corte falho do zagueiro Daniel, Ricardinho se aproveitou para entrar na área e bater no cantinho do Iape, para o desespero do presidente Pereirinha.

O jogo já era fácil diante da diferença de qualidade entre os dois times. Mas o Iape também pressionou. O atacante Vanvan, que marcou duas vezes no jogo de ida, era a principal peça ofensiva do time maranhense.

Contudo a partida era mesmo do Atlético, que marcou de novo com Renan Oliveira. Magno Alves fez bom passe e o meia driblou Flaubert para marcar o terceiro.

As chances de aumentar apareceram três vezes com Magno Alves. Com chutes fortes da entrada da área, ele levou perigo para a meta do Iape. Flaubert conseguiu defender.

SEGUNDO TEMPO: IMPIEDOSO

O segundo tempo teve a volta de Jóbson ao time após algum tempo só de treinos. Ele começou bem, com boa jogada na lateral com gramado com velocidade.

Mas perigo mesmo foi Zé Luís que levou, após cruzamento de Serginho. A bola bateu na trave e voltou nas mão de Flaubert. Depois disso, o volante deixou o gramado para a estreia de Toró, aos 15 minutos.

Aos 24 minutos, Jóbson deixou a sua marca de cabeça. Depois de cruzamento de Neto Berola, o atacante balançou as redes adversárias. Em seguida, Neto Berola avançou em velocidade pela direita e bateu para fora, quase marcando o quinto gol.

Jóbson, bem na partida, fez dois dribles na esquerda e irritou Pires, que fez falta dura e foi expulso aos 30 minutos.

Depois disso, o jogo ficou ainda mais fácil para o Galo, que marcou duas vezes. Primeiro, Jóbson fez lindo cruzamento de trivela para Tardelli empurrar para o gol. Depois, Jackson fez jogada pela direita e a bola sobrou para o estreante Toró fazer o seu com um chute rasteiro no canto.

Se ainda tinha torcedor insatisfeito, Jóbson tratou de ampliar a goleada. Ele avançou com velocidade, entrou na área pela esquerda e bateu no canto para a alegria dos mais de cinco mil pagantes.

Calma… O jogo ainda não tinha acabado, logo, tempo para mais gol do clube alvinegro: Jóbson fez passe para Tardelli marcar.

O Iape fez o seu gol de honra com Róbson.

Ficha técnica: Atlético 8 x 1 Iape-MA

Data/hora: 2/3/11, às 21h
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Árbitro: Wagner dos Santos Rosa (RJ)
Assistentes: Jackson Massarra dos Santos (RJ) e Luiz Muniz de Oliveira (RJ)
Público e renda: 5.433 pagantes, R$ 26.455
Cartões amarelos: Arcinho, Tica, Daniel e Carlinhos (IAP), Réver e Zé Luis (ATL)
Cartão vermelho: Pires (IAP)

GOLS: Renan Oliveira (1’/1ro T), Ricardinho (8’/1ro T), Renan Oliveira (20’/1ro T), Jóbson (24’/2do T), Diego Tardelli (34’/2do T), Toró (35’/2do T), Jóbson (41’/2do T) e Tardelli (43’/2do T). Róbson (45’/2do T)

ATLÉTICO: Renan Ribeiro, Jackson, Réver, Werley e Eron; Zé Luís (Toró, aos 15’/2do T), Serginho, Ricardinho e Renan Oliveira (Neto Berola, aos 21’/2do T); Diego Tardelli e Magno Alves (Jóbson, intervalo)
Técnico: Dorival Júnior

Iape-MA: Flaubert, Carlinhos (Bruno Paiva, intervalo), Daniel e Hans Müller; Arcinho (Dieguinho, intervalo), Pires, Curuca, Válbson (Luís Henrique, aos 26’/2do T) e Tica; Vanvan e Robson
Técnico: Paulo Cabrera

março 2, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Com dois do veterano Fábio Júnior, América bate Atlético

Em jogo eletrizante, Coelho faz 2 a 1 no Galo. Atacante americano chega a sete gols e é o artilheiro do campeonato estadual

No duelo entre os artilheiros na Arena do Jacaré, prevaleceu a experiência. Diego Tardelli, 25 anos, perdeu um pênalti; Fábio Júnior, 33 anos, foi decisivo e marcou três gols (um deles, bem anulado pela arbitragem). Assim o América-MG venceu o Atlético-MG de virada por 2 a 1 e, com 13 pontos, tomou a liderança do Galo, que segue com 12. Fábio Júnior é o artilheiro do campeonato com sete gols, dois a mais que Neto Berola, e três a mais que Diego Tardelli e Magno Alves, todos do Galo.
O Atlético-MG receberá o Iape-MA, nesta quarta-feira, às 21h (de Brasília), na mesma Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pela Copa do Brasil. O América-MG, por sua vez, vai ao Farião, em Divinópolis, onde enfrentará o Guarani-MG, no sábado, dia 12 de março, às 16h, novamente pelo Campeonato Mineiro.
Primeiro tempo de sucesso
O América-MG começou o jogo um pouco melhor. Já no primeiro ataque, quase marcou, com um perigoso chute de Fábio Júnior. Sheslon, duas vezes, e Luciano também perderam boas chances, antes dos dez minutos.
O Atlético-MG, porém, foi mais efetivo. Na primeira chance clara que teve, abriu o marcador. Renan Oliveira fez ótima jogada pela esquerda e tocou para Neto Berola, que bateu forte para marcar abrir o placar na Arena do Jacaré, aos 13 minutos.
O gol não abalou o Coelho, que continuou tranquilo, fazendo boa partida. Por isso mesmo, foi premiado com o empate. Após linda jogada de Luciano, pela esquerda, Fábio Júnior finalizou duas vezes para fazer seu sexto gol no Campeonato Mineiro.
O ritmo do jogo continuou acelerado. O Atlético-MG perdeu duas chances incríveis, uma com Richarlyson e outra com Tardelli. O goleiro Flávio salvou o América-MG, mostrando que, mesmo aos 40 anos, ainda tem ótima elasticidade.
Filme repetido
O ‘script’ do segundo tempo foi parecido com o do primeiro. A partida continuou em ritmo acelerado. Logo aos quatro minutos, pênalti para o Atlético-MG. Serginho invadiu a área, e o goleiro Flávio saiu para fazer a defesa, nos pés do jogador atleticano. O árbitro deu uma de vilão e marcou o pênalti equivocadamente. Diego Tardelli fez a cobrança, e Flávio mostrou seus superpoderes, fazendo linda defesa.
O jogo continuou quente e muito nervoso. O árbitro expulsou o técnico do América-MG, Mauro Fernandes, por reclamações excessivas. O treinador xingou o árbitro Joel Tolentino Damata Júnior.
Pouco depois, outro lance polêmico. Leandro Ferreira cruzou para Fábio Júnior marcar, mas o auxiliar Marconi Helbert Vieira assinalou impedimento. Desta vez, a arbitragem acertou.
De tanto pressionar, o América-MG conseguiu a virada. O herói foi novamente Fábio Júnior, que soltou uma bomba de fora da área para fazer 2 a 1 para o Coelho, aos 27 minutos.
O Galo foi pra cima, desesperadamente, tentando a virada, mas não conseguiu fazer nada. A entrada de Magno Alves, 35 anos, no lugar de Renan Oliveira, não alterou o panorama do jogo. Prevaleceu o talento de outro veterano, Fábio Júnior.

ATLÉTICO-MG 1 X 2 AMÉRICA-MG
Renan Ribeiro; Serginho, Réver, Werley e Leandro; Zé Luís, Richarlyson, Ricardinho (Jackson) e Renan Oliveira (Magno Alves); Diego Tardelli e Neto Berola (Mancini). Flávio; Sheslon (Otávio), Micão, Gabriel e Rodrigo; Dudu (Nando), Leandro Ferreira, Camilo e Irênio; Luciano (Moisés) e Fábio Júnior.
Técnico: Dorival Júnior. Técnico: Mauro Fernandes.
Motivo: quinta rodada do Campeonato Mineiro. Data: 27/2/2011. Horário: 16h (de Brasília). Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). Árbitro: Joel Tolentino Damata Júnior. Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Marconi Helbert Vieira.
Público: 17.036 pagantes. Renda: R$ 185.200,00. Cartões amarelos: Dudu, Leandro Ferreira, Flávio e Irênio (América-MG); Neto Berola, Serginho, Renan Oliveira, Richarlyson e Zé Luís (Atlético-MG).
Gols: Neto Berola (Atlético-MG), aos 13 minutos, Fábio Júnior (América-MG), aos 20 minutos do primeiro tempo; Fábio Júnior (América-MG), aos 27 minutos do segundo tempo

fevereiro 27, 2011 Posted by | Atlético-MG | , | Deixe um comentário

Atlético-MG não consegue classificação em estreia na Copa BR

Em partida polêmica, Galo consegue mais uma virada nesta temporda

Um encontro inédito: o confronto da noite desta quarta-feira entre Atlético-MG e IAPE-MA foi o primeiro da História do futebol brasileiro. Apesar da enorme disparidade em relação aos nomes que compõe as equipes, o jogo foi bastante equilibrado. A quarta virada atleticana na temporada, desta vez por 3 a 2, aconteceu no Estádio Nhozinho Santos, em São Luis. Porém, o Galo não conseguiu vencer por dois gols de diferença, o que ocasiona o confronto de volta na próxima quarta-feira na Arena do Jacaré.

PRIMEIRO TEMPO

Com um início bastante disputado no meio-campo, o IAPE-MA demonstrou disposição nos primeiros minutos e a chance mais clara de gol foi da equipe maranhense, que chegou ao gol de Renan Ribeiro com enorme perigo.

Apesar da empolgação do time de Pereirinha, quem abriu o placar foi o Atlético Mineiro. Em uma excelente jogada de Magno Alves, aos seis minutos de partida, o atacante encontrou Renan Oliveira muito bem colocado. O meia atleticano ficou de frente para o gol, defendido por Flauberth, e finalizou, deslocando do goleiro, para o fundo das redes adversárias.

Depois de sofrer o gol da equipe alvinegra, o IAPE-MA diminuiu o ritmo, que apresentara no início da partida. Entretanto, manteve a boa marcação, impedindo que o Galo chegasse a sua meta.

Após um cruzamento na área do Galo, aos 14 minutos, Renan Ribeiro tentou segurar firme. Contudo, o arqueiro atleticano não conseguiu agarrar a bola e ela acabou sobrando para o Vanvan, centroavante do time adversário, que finalizou tranquilamente para o fundo do gol. Os atleticanos reclamaram de falta do jogador da equipe maranhense, mas não foram atendidos pelo árbitro.

Muito bem em campo, o centroavante do IAPE-MA, Vanvan, continuou infernizando a defesa atleticana.Com 19 minutos de jogo, ele driblou o zagueiro Werley e finalizou no canto de Renan Ribeiro. Porém, a bola bateu na trave esquerda do goleiro e foi recuperada pela zaga em seguida.

Sem muita criatividade após o gol de empate, o Alvinegro tentou organizar jogadas e chegar à meta adversária. Todavia, o Galo não conseguia oferecer perigo até os 25 minutos, quando o atacante Magno Alves finalizou de fora da área e obrigou o goleiro Flauberth a realizar uma difícil defesa.

O Galo continuou lutando para chegar ao gol adversário, mas sem êxito. Aos 32 minutos de partida, após um escanteio cobrado pelo lado direito do ataque, a bola sobrou para Diego Tardelli que, de primeira, finalizou forte, porém a bola acabou saindo.

Em uma jogada extremamente confusa, em que árbitro e assistente não sabiam se marcariam impedimento ou não, o centroavante Vanvan conseguiu assinalar seu segundo tento na partida e virar o jogo para o IAPE-MA aos 38 minutos de partida.

Após a confusão, o time preto e branco ficou nervoso em campo e não conseguiu se encontrar. No último minuto do período regulamentar, o IAPE-MA chegou com perigo ao gol do Galo. Depois de um cruzamento na pequena área, Vanvan cabeceou por cima da meta de Renan Ribeiro.

Os atleticanos sairam de campo reclamando bastante do árbitro do confronto.

SEGUNDO TEMPO

O Atlético começou fulminante na etapa complementar. Logo na primeira jogada da partida, o armador Ricardinho deu uma belíssima assistência para o atacante Diego Tardelli finalizar rasteiro para o gol de Flauberth e igualar o duelo novamente.

Enquanto atacava com toda a força, o Galo não conseguia marcar gol e ainda deixava a retaguarda desguarnecida. Contudo, apesar de chegar com perigo, o IAPE-MA não conseguiu marcar mais seu terceiro gol.

Sem conseguir chegar ao gol adversário e virar a partida, o técnico Dorival Júnior decidiu apostar em Neto Berola. O atacante entrou no lugar de Renan Oliveira e deu mais movimentação ao setor ofensivo atleticano.

Em ótima jogada pelo lado esquerdo, aos 15 minutos, entre Leandro e Magno Alves, o atacante deixou o lateral na cara do gol, que finalizou forte e obrigou o goleiro adversário a fazer belíssima defesa.

O Galo continuou ameaçando a defesa adversária. Após um escanteio, a bola sobrou para Diego Tardelli, que finalizou forte e obrigou Flauberth a realizar mais uma difícil intervenção aos 20 minutos. Na jogada seguinte, Ricardo Bueno marcou um gol, mas estava em posição irregular.

Dorival Júnior decidiu apostar em uma formação com quatro atacantes, já que sua equipe não conseguia finalizar a partida. Logo após a modificação do treinador, Diego Tardelli passou a bola para Ricardo Bueno, que finalizou de fora da área e acabou marcando o gol da virada alvinegra aos 31 minutos da segunda etapa.

Em mais uma ótima jogada, aos 36 minutos, Vanvan fintou Jackson, chegou à linha de fundo e tentou colocar por cima de Renan Ribeiro. Contudo, o jogador acabou finalizando para fora.

Incansável na busca por mais um gol, o Atlético-MG chegou ao gol de Flauberth com Neto Berola. Após um belo drible no zagueiro adversário, o atacante tentou acertar o cantinho do goleiro, aos 43 minutos, mas o arqueiro acabou espalmando a bola para escanteio.

Com o resultado obtido em São Luis, o Galo terá que jogar mais uma partida contra o IAPE na próxima quarta-feira na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

FICHA TÉCNICA:
IAPE-MA 2 x 3 ATLÉTICO-MG

Estádio: Nhozinho Santos, São Luis (MA)
Data/hora: 23/2/2011 / 22h
Árbitro: Andrey Silva (PA)
Auxiliares: José Costa (PI) e Francisco Gaspar (PI)
Renda/público:

Gols: Atlético-MG: Renan Oliveira (6′ do 1ºT), Diego Tardelli (1′ do 2ºT), Ricardo Bueno (31′ do 2ºT)
IAPE-MA: Vanvan (14′ do 1ºT e 38′ do 1ºT)

Cartões amarelos: Atlético-MG: Zé Luis (36′ do 1ºT), Ricardinho (9′ do 2ºT), Jackson (29′ do 2ºT)
IAPE-MA: Hans Muller (23′ do 2ºT) e Aldinho (37′ do 2ºT)
Cartões vermelhos:

IAPE-MA: Flauberth, Daniel, Carlinhos e Hans Muller; Arcinho, Pires (Aldinho – 28′ do 2ºT), Curuca, Válbson (Hiltinho – 27′ do 2ºT) e Bruno Paiva (Tica – intervalo); Vanvan e Robson. Técnico: Paulo Cabrera

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Jackson, Werley, Réver e Leandro; Zé Luis, Serginho, Ricardinho (Wesley – 29′ do 2ºT) e Renan Oliveira (Neto Berola – 11′ do 2ºT); Magno Alves (Ricardo Bueno – 19′ do 2ºT) e Diego Tardelli. Técnico: Dorival Júnior.

fevereiro 24, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Atlético-MG vence Guarani e segue na ponta do Mineiro

Time alvinegro define o placar logo no primeiro tempo com gols de Ricardinho (2), Magno Alves e Neto Berola

O Atlético-MG não encontrou dificuldades para vencer o Guarani por 4 a 2 neste domingo, em Divinópolis, e manter a liderança do Campeonato Mineiro. Soberano desde o início da partida, o Galo em nenhum momento teve seu triunfo ameaçado. Já o Bugre termina a rodada na quarta colocação.

Os primeiros minutos da partida mostraram o que seria o domínio atleticano. Jogadas bem tramadas, bolas aéreas, muitas chances criadas e perigo constante ao gol do Guarani. Mas foi com uma mãozinha do juiz que o Galo abriu o placar. Netro Berola se atirou na área e árbitro caiu na cena do jogador. Pênalti bem cobrado por Ricardinho e gol merecido pelo volume de jogo do time visitante.

Com o adversário nocauteado desde o início, os gols foram saindo de forma natural. Ricardinho ampliou pouco depois. Magno Alves e Neto Berola também marcaram e fecharam o placar do primeiro tempo: 4 a 0. O segundo, inclusive, foi o grande destaque do Atlético aliado velocidade, dribles e conclusões certeiras, como no gol em que encobriu o goleiro Fred.

Nem mesmo os gols do Guarani no segundo tempo, as boas jogadas de Luiz Fernando e uma cobrança de falta na trave tiraram a tranquilidade do Atlético. Dorival aproveitou para observar Mancini, Ricardo Bueno e Diego Souza, que entraram quando a fatura já estava liquidada.

O time alvinegro não teve o mesmo ímpeto dos 45 minutos finais, mas seguiu controlando a partida e sem precisar passar grande sufoco.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 2 X 4 ATLÉTICO-MG

Local: Farião, em Divinópolis (MG)
Data e horário: 20 de fevereiro de 2011, 16h (de Brasília)
Árbitro: Átila Carneiro Magalhães
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Celso Luiz da Silva
Renda e público: R$ 72.850,00 e 4.050 pagantes
Cartão Amarelo: Gilvan, Nilson Sergipano, Michel, Emerson (GUA); Ricardinho (ATL)
Cartão Vermelho: Emerson (GUA)
Gols: Ricardinho, 24’/1ºT (0-1); Ricardinho, 30’/2ºT (0-2); Magno Alves, 37’/2ºT (0-3); Neto Berola, 39’/2ºT (0-4); Luiz Fernandom, 2’/2ºT (1-4); Juninho, 45’/2ºT (2-4)

GUARANI: Fred; Carlos César, Filipe, Michel e Fernando Bahia; Jairo (Lima, 31’/1ºT), Nilson Sergipano (Emerson, Intervalo), Gilvan e Luiz Fernando; Thiaguinho e Bruno Fogaça (Juninho, Intervalo). T: José Ângelo

ATLÉTICO: Renan Ribeiro, Serginho, Leonardo Silva, Werley e Leandro, Zé Luis, Richarlyson, Ricardinho e Renan Oliveira (Diego Souza, 17/2ºT); Magno Alves (Ricardo Bueno, Intervalo) e Neto Berola (Mancini, 17’/2ºT). T: Dorival Júnior.

fevereiro 20, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Diante da torcida rival, Atlético-MG derrota Cruzeiro na Arena do Jacaré

Equipe alvinegra vence o time celeste por 4 a 3, com três gols de Tardelli

Pela terceira vez consecutiva, o mandante não consegue vencer o clássico diante de sua torcida. Desta vez, quem riu por último foi o atleticano que ficou em Belo Horizonte e viu, pela televisão, o Galo vencer o Cruzeiro por 4 a 3 na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Com o resultado, a equipe comandada por Dorival Júnior assume a liderança isolada do Campeonato Mineiro. O próximo jogo será no dia 19, contra o Guarani.

Já o Cruzeiro dá um tempo na competição estadual e, na quarta-feira, estreia na Libertadores, contra o Estudiantes, em Sete Lagoas.
As provocações já começaram antes mesmo de a bola rolar. Quando os jogadores do Galo entraram no gramado para o aquecimento, foram xingados pelos torcedores cruzeirenses. O alvo predileto foi o zagueiro Leonardo Silva, que não acertou sua renovação com a Raposa ao final do ano passado e se transferiu para o rival. Os cruzeirenses gritavam ‘o meu Cruzeiro não precisa de você’ e ‘mercenário’ para o defensor.

O jogo começou com as duas equipes se estudando. O primeiro lance de perigo aconteceu somente aos cinco minutos, depois do chute de fora da área de Henrique, que passou a direita do gol de Renan Ribeiro. O Cruzeiro tinha mais posse de bola, enquanto o Atlético esperava o melhor momento para dar o bote. Wellington Paulista, após ter pegado uma bola espirrada depois de um chute de Montillo, só teve o trabalho de tocar no canto direito para abrir o placar, aos 19 minutos.

Mas se não tem lance polêmico, não é clássico. Cinco minutos depois, o árbitro Cleisson Veloso viu falta de Léo sobre Werley dentro da área. Pênalti que Diego Tardelli converteu para empatar.

E o Galo virou o placar pouco tempo depois. Jackson ganhou a dividida de Diego Renan e lançou rasteiro na área. O zagueiro Léo não cortou e Diego Tardelli chutou, Fábio defendeu parcialmente, mas o atacante cabeceou no rebote.
Wellington Paulista abriu o placar em Sete Lagoas
(Foto: Washington Alves/VIPCOMM)
Com a desvantagem no placar, a Raposa foi com tudo em busca do empate. Henrique cabeceou na trave um escanteio cobrado por Montillo. O goleiro atleticano Renan Ribeiro fez duas boas intervenções em chutes de Wellington Paulista e Thiago Ribeiro.

O primeiro tempo acabou com o Cruzeiro pressionando e o Atlético se defendendo como pôde. Quando as duas equipes deixavam o campo os atacante Wellington Paulista e Diego Tardelli protagonizaram cenas de fortes discussões, que começaram após o segundo gol do camisa nove alvinegro.
Segundo tempo

O técnico Cuca preferiu poupar o zagueiro Léo, que havia levado o cartão amarelo e falhado no segundo gol alvinegro. Ele deixou o time para a entrada de Edcarlos. Roger, relacionado pela primeira vez no campeonato, foi para o jogo, na vaga de Gilberto. E entrou sob aplausos da torcida.

O Cruzeiro iniciou a segunda etapa a todo vapor. Pablo lançou Henrique, que tocou na saída de Renan Ribeiro para empatar a partida. Mas, assim como no primeiro tempo, o Galo voltou a marcar logo após o gol celeste. Magno Alves tocou para Diego Tardelli, que da entrada da área, chutou no canto direito de Fábio.

Com o gol, o Galo passou a jogar no contra-ataque, com a velocidade de Tardelli e Magno Alves. E soube ser mortal. Berola lançou Ricardinho na direita e recebeu ótimo passe do meia de dentro da área. O atacante driblou Fábio e tocou rasteiro para fazer o quarto gol.

O Cruzeiro ainda diminuiu com Gil, após rebote de falta cobrada por Montillo e mandou uma bola na trave, na cabeçada de Wellington Paulista, mas a festa acabou, mesmo, sendo da torcida atleticana que não pode ir à Arena do Jacaré.
CRUZEIRO 3 X 4 ATLÉTICO-MG
Fábio; Pablo, Léo (Edicarlos), Gil e Diego Renan (Wallyson); Leandro Guerreiro, Henrique, Gilberto (Roger) e Montillo; Thiago Ribeiro e Wellington Paulista. Renan Ribeiro; Jackson, Leonardo Silva, Werley e Leandro; Zé Luis, Serginho, Ricardinho (Diego Souza) e Renan Oliveira (Wesley); Magno Alves (Neto Berola) e Diego Tardelli.
Técnico: Cuca Técnico: Dorival Júnior
Motivo: segunda rodada do Campeonato Mineiro. Data: 12/02/2011. Horário: 17h (de Brasília). Árbitro: Cleison Veloso. Auxiliares:
Público: 9.793 pagantes. Renda: R$ 267.256,88. Cartões amarelos: Léo , Wellington Paulista, Fábio, Léo, Gil (Cruzeiro); Diego Tardelli, Leandro, Serginho, Leonardo Silva (Atlético-MG). Cartão vermelho: Diego Tardelli.
Gols: Wellington Paulista (Cruzeiro), aos 19 minutos do primeiro tempo; Diego Tardelli (Atlético-MG), aos 25 e aos 27 do primeiro tempo; Henrique (Cruzeiro), aos quatro do segundo tempo; Diego Tardelli, aos seis do segundo tempo; Neto Berola (Atlético-MG), aos 26 do segundo tempo; Gil (Cruzeiro), aos 40 do segundo tempo.

fevereiro 12, 2011 Posted by | Atlético-MG, Cruzeiro | , | Deixe um comentário

Atlético-MG vira para cima do Tupi e vence mais uma vez na raça

Assim como na primeira rodada, quando saiu perdendo para o Funorte, Galo vira e marca três pontos. Richarlyson, expulso, está fora do clássico

Mais uma vez, foi difícil, mas o Galo saiu com a vitória. Assim como na primeira rodada do Campeonato Mineiro, na partida contra o Funorte, o Atlético-MG saiu em desvantagem no marcador, mas, após as substituições de Dorival Júnior, a equipe conseguiu a virada. O placar de 4 a 1 levou o Galo para seis pontos na tabela, provisoriamente na primeira posição do torneio.
Michel Curi, para o Tupi, e Neto Berola (2) e Magno Alves (2), para o Atlético-MG, fizeram os gols da partida. O ‘Magnata’, como é conhecido pelo torcedor, chegou ao terceiro na competição e se tornou artilheiro do estadual, ao lado de Jonatas Obina, do América, de Teófilo Otoni. Michel Curi, ainda no primeiro tempo, e Richarlyson, na segunda etapa, receberam o cartão vermelho e estão suspensos para a próxima rodada.
Com o resultado, o Galo chegou aos seis pontos na tabela, na primeira posição. Já o Galo Carijó, com apenas um ponto do empate com o Villa Nova, marca presença apenas na décima posição, à frente de Caldense e Ipatinga.
Agora, na próxima rodada, o Atlético-MG terá o clássico contra o Cruzeiro, no sábado, às 17h (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O Tupi, por sua vez, receberá o Democrata, de Governador Valadares, no mesmo dia e horário, no estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora.
Quem não faz…
O duelo dos Galos começou muito movimentado. O Atlético-MG partiu com tudo para cima do Tupi, e o goleiro Rodrigo fez três defesas fantásticas, com menos de dez minutos, em duas finalizações de Renan Oliveira e uma de Réver. O time de BH ainda perdeu outra chance clara com Diego Tardelli, que, de dentro da área, bateu cruzado. A bola tirou tinta da trave de Rodrigo.
Só depois dos 15 minutos é que o Tupi conseguiu respirar, colocar a bola no chão e sair para o jogo. Mas, mesmo assim, o panorama da partida não se modificou muito. O Atlético-MG continuou ditando o ritmo e dando as cartas, mas as seguidas oportunidades perdidas começaram a irritar a torcida na Arena do Jacaré.
E então o chavão mais famoso do futebol, mais uma vez, entrou em ação: quem não faz, leva. Aos 29 minutos, Yan começou a jogada, e a bola sobrou para Michel Curi, que, de perna esquerda, bateu, sem chances de defesa para Renan Ribeiro: 1 a 0 para o Tupi.
O gol do Galo de Juiz de Fora deixou o de Belo Horizonte nervoso em campo. Os jogadores do Atlético-MG começaram a errar muitos passes, mostrando ansiedade em demasia. Com isso, o Tupi passou a tocar a bola com mais calma e conseguiu segurar a vantagem parcial até o fim do primeiro tempo.
Antes do apito final, o meia Michel Curi, autor do gol do Tupi, recebeu o cartão vermelho, após fazer falta em Réver no meio-campo.
Virada atleticana
O Atlético-MG voltou com uma formação muito ofensiva para o segundo tempo. O técnico Dorival Júnior tirou Patric e Werley e colocou Mancini e Neto Berola em seus lugares. Com isso, o Galo de BH ficou com três armadores e três atacantes em campo.
Tanta força de ataque resultou na virada do placar em apenas seis minutos. Logo aos 50 segundos, Neto Berola, em sua primeira participação no jogo, invadiu a área e bateu para empatar. A bola ainda desviou na zaga antes de entrar. A virada veio com Magno Alves, que aproveitou falha de Wesley Ladeira e colocou o Atlético-MG na frente do placar.
Aos 12 minutos, Richarlyson, que já tinha cartão amarelo, fez falta em Felipe Cordeiro e também foi expulso, deixando os dois times empatados em números de jogadores. O Tupi chegou a se animar e tentou partir para cima do Atlético-MG, mas foi o Galo de BH quem marcou novamente.
Aos 21 minutos, Neto Berola fez um carnaval na ponta esquerda e cruzou na cabeça de Magno Alves, que só teve o trabalho de empurrar para as redes de Rodrigo e fazer o terceiro gol atleticano. O segundo gol de Magno Alves nocauteou o Tupi, que se fechou em campo para evitar uma goleada. Mas não conseguiu. Neto Berola, que entrou muito bem em campo fez o quarto gol, após bela jogada pessoal.
O Atlético-MG se superou no segundo tempo e deixou um ótimo cartão de visitas para o clássico contra o Cruzeiro, no próximo sábado.
ATLÉTICO-MG 4 X 1 TUPI
Renan Ribeiro; Patric (Neto Berola), Werley (Mancini), Réver e Leandro; Richarlyson, Serginho, Renan Oliveira e Ricardinho; Diego Tardelli (Zé Luís) e Magno Alves. Rodrigo; Leonardo, João Júnior e Wesley Ladeira (Edilson); Felipe Cordeiro, Assis, Claudinho Baiano, Michel Curi, Michel e Fabiano; Yan (Evandro).
Técnico: Dorival Júnior. Técnico: Leonardo Condé.
Motivo: segunda rodada do Campeonato Mineiro. Data: 6/2/2011. Horário: 17h (de Brasília). Árbitro: Átila Carneiro Magalhães. Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Pablo Almeida Costa.
Público: 7.271 pagantes. Renda: R$ 68.920,00. Cartões amarelos: Leandro, Richarlyson e Ricardinho (Atlético-MG); Michel Cury, Claudinho Baiano e Edilson (Tupi). Cartões vemelhos: Michel Cury (Tupi) e Richarlyson (Atlético-MG).
Gols: Michel Curi (Tupi), aos 29 minutos do primeiro tempo; Neto Berola (Atlético-MG), a 50 segundos, Magno Alves (Atlético-MG), aos 5 minutos, Magno Alves (Atlético-MG), aos 21 minutos, e Neto Berola (Atlético-MG), aos 36 minutos do segundo tempo

fevereiro 6, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Atlético-MG vence na estreia do Mineiro


Desde 2006 sem vencer uma estreia no Estadual, Galo vence o Funorte de virada e larga bem no Campeonato Mineiro

Na primeira rodada do Campeonato Mineiro, uma partida inédita: Funorte e Atlético-MG se enfrentavam pela primeira vez na história. Após 13 anos, um time de Montes Claros retornava à elite do futebol mineiro. Porém, para a tristeza da torcida local, o Galo venceu por 2 a 1.

O Atlético-MG entrou em campo com um 4-4-2, a mesma formação que o treinador havia testado o time diante do River Plate-URU, na última quarta-feira, na Arena do Jacaré.

O princípio da partida foi preto e branco, com o Galo trocando passes no meio-campo e buscando o ataque a todo instante. Porém, o time da capital não conseguiu furar o forte bloqueio dos montes-clarenses.

Primeiro tempo:

Logos aos sete minutos de partida, a primeira boa jogada do Atlético. Em belo lançamento do meia Ricardinho, Renan Oliveira recebeu dentro da grande área e finalizou nas mãos do goleiro Barrios.

Nos primeiros minutos de partida, Renan Oliveira era o principal jogador da partida. O camisa 8 buscava a bola, ditava o ritmo da partida e fazia a ligação entre meio-campo e ataque. Tanto que aos 13 minutos, o meia-atacante arrancou com a bola dominada do campo de defesa, passou a bola para Diego Tardelli, que fintou um adversário e rolou para Jobson na cara do gol. O atacante finalizou fraquinho, apenas rolando nas mãos do goleiro adversário.

Até a metade do primeiro tempo, nenhuma das duas equipes conseguiu chegar com tanto perigo ao gol adversário. Contudo, o Galo ainda dominava o jogo. O time trocava passes no meio-campo e tentava penetrar a defesa do Formigão.

Apesar de chamar a responsabilidade e tentar cadenciar a partida para o time de Montes Claros, Peter, meio-campo do Funorte, não conseguia criar boas jogadas para o Formigão, que, até ficou até os 28 minutos, sem incomodar o goleiro Renan Ribeiro. Porém, quando incomodou, acabou abrindo o placar. Após receber um belo passe de Peter, o lateral-esquerdo Stanley acertou um belo chute e abriu o marcador, na primeira finalização em direção ao gol do time de Montes Claros.

Após o gol do Funorte, o Galo tentou chegar ao ataque. Porém, o time não encontrava uma forma de escapar. Pela lateral-direita, Rafael Cruz era pouco acionado. Já pelo lado esquerdo, Leandro era bastante marcado pelos defensores do Funorte. Além disso, os jogadores de meio-campo não trocavam passes com a mesma eficiência do início da primeira etapa.

Aos 35, o atacante Ualisson Mineiro deu um belo drible em Richarlyson e finalizou fraquinho nas mãos de Renan Ribeiro.

Em jogada pelo lado direito do ataque tricolor, Ualisson sofreu falta do zagueiro Werley. O atacante acabou levando a pior na dividida com o defensor atleticano e a partida foi paralisada por dois minutos.

Aos 43 minutos, Serginho tentou levantar uma bola na área, mas o goleiro Barrios acabou dando um tapinha nela e a bola saiu para escanteio. Logo depois, Réver finalizou de dentro da área, após receber cruzamento de Ricardinho. O jogador tentou tirar do goleiro adversário. Porém, acabou cabeceando para fora.

Aos 47, Ricardinho cobrou escanteio, a zaga do Funorte cortou e Diego Tardelli recuperou na sobra, finalizando para fora.

O árbitro deu três minutos de acréscimos e finalizou o primeiro tempo aos 48 minutos.

Segundo tempo:

Dorival Júnior fez duas modificações durante o intervalo. Jobson cedeu lugar a Magno Alves e Rafael Cruz foi substituído por Wesley. O treinador alterou a formação da equipe e passou a utilizar três atacantes.

A segunda etapa começou com o Atlético-MG buscando o empate. O Alvinegro atacava e incomodava a defesa do Funorte com seu trio de ataque e seus dois armadores: Ricardinho e Renan Oliveira.

Aos oito minutos, em boa jogada do trio de ataque atleticano, Tardelli lançou para Wesley, que finalizou rasteiro, mas o goleiro Barrios espalmou e a bola sobrou para Magno Alves, bem colocado, apenas empurrar a bola para o gol adversário.

Após o gol, o Atlético continuo pressionando o adversário. A movimentação dos três atacantes confundiam a defesa do Funorte e o time da capital mineira incomodava a todo instante. Entretanto, com apenas um jogador de marcação no meio-campo e Serginho deslocado para a lateral-direita, o sistema defensivo do Galo ficou vunerável e o time montes-clarense tinha espaço para contra-ataques.

Réver recebeu cartão amarelo aos 16 minutos após uma falta no atacante Dandão. Um minuto depois, foi a vez do zagueiro Anderson Silva receber o cartão devido a uma falta em Diego Tardelli.

Depos de receber um passe do atacante Wesley, aos 18 minutos, Diego Tardelli finalizou de fora da área. Raphael Barrios, o goleiro adversário, fez boa defesa e evitou o que poderia ser o segundo gol do Galo.

O trio de ataque atleticano continuava funcionando muito bem. Aos 21 minutos, o atacante Wesley recebeu boa bola de Diego Tardelli. O centroavante girou e bateu forte, buscando o canto esquerdo do goleiro. Contudo, a bola acabou saindo para tiro de meta.

Peter foi substituído por Gabriel, aos 25 minutos do segundo tempo.

O lateral Stanley demonstrou ser um bom finalizador. Mais uma vez com a canhota, o jogador finalizou da intermediárea. No entanto, a bola passou pelo lado esquerdo do goleiro Renan Ribeiro.

Aos 28 minutos de partida, Renan Oliveira saiu para a entrada de Mancini, que fez sua reestreia pelo Atlético após nove anos longe do clube.

Após um vacilo do sistema defensivo do Atlético-MG, o meio-campista Anderson Toto recebeu um ótimo passe na grande área. O jogador tentou finalizar de primeira e a bola acabou subindo demais.

Aos 33 minutos do segundo tempo, Wesley recebeu uma boa bola de Serginho e acabou sendo calçado dentro da área pelo zagueiro Vinícius. O árbitro marcou pênalti para o Atlético. O zagueiro Anderson Mendes, que já havia recebido um cartão amarelo, foi advertido novamente por reclamação e acabou expulso. O atacante Diego Tardelli converteu a cobrança, fazendo o segundo gol atleticano no Campeonato Mineiro

O Atlético fez uma excelente jogada aos 40 minutos de partida. O ataque envolveu a defesa do Funorte, passando a bola de pé em pé até a finalização do meia-atacante Mancini, defendida pelo goleiro Barrios.

O trio de ataque do Atlético, formado por Diego Tardelli, Wesley e Magno Alves, deu outro ritmo ao jogo e levou a equipe Alvinegra a uma excelente vitória na estreia do Estadual, que o time não conseguia desde a temporada 2006.

FICHA TÉCNICA:
FUNORTE 1 X 2 ATLÉTICO-MG

Local: José Maria Melo, em Montes Claros
Data/hora: 30/01/2011, 19h30
Árbitro: Renato Cardoso da Conceição (MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Heberth Costa (MG)
Renda/Público: R$ 157.850,00 – 4.900 pagantes.

Cartões amarelos: Réver (CAM); Anderson Silveira, Dandão, Vinícius (FUN)
Cartões vermelhos: Anderson Silveira (FUN).

Gols: Stanley (29’/1T); Magno Alves (8’/2T) e Diego Tardelli (36’/2T)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz (Wesley), Werley, Réver e Leandro; Serginho, Richarlyson, Ricardinho e Renan Oliveira (Mancini); Jobson (Magno Alves) e Diego Tardelli. Técnico: Dorival Júnior

FUNORTE: Raphael Barrios, Anderson Silva, Anderson Mendes, Vinícius e Stanley (Fabricinho); Marcelino, Pedrinho, Peter (Gabriel) e Anderson Toto; Dandão e Ualisson Mineiro. Técnico: Wágner Oliveira.

janeiro 31, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Depois de um 2010 com altos e baixos, Renan Oliveira sonha com a Seleção

Meia do Atlético-MG, que chegou a ser emprestado para o Vitória durante o Brasileirão, terminou 2010 como titular e quer comemorar títulos este ano

Um dos responsáveis pela boa campanha do Atlético-MG na reta final do Brasileirão, que culminou com a manutenção da equipe na Série A, o meia Renan Oliveira projeta 2011 como o ano chave para a conquista de títulos do Galo e de seus objetivos pessoais.
Os planos são audaciosos para quem foi do céu ao inferno ao longo do ano passado. Foi dispensado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo no início da temporada e emprestado para o Vitória. Com atuações irregulares na equipe baiana, o meia acabou perdendo espaço no time.

Mas a sorte mudou quando Dorival Júnior, ao assumir o Galo, pediu o retorno do meia para Minas Gerais. A partir daí, Renan agarrou a chance e se firmou na equipe titular do Galo na fase decisiva – e ajudou o time a permanecer na primeira divisão, depois de ter passado quase todo o campeonato na zona de rebaixamento.

Renan destaca a confiança que o técnico Dorival Júnior depositou nele para justificar o bom futebol apresentado no final de 2010.

– Foi um incentivo muito grande. Ele (Dorival Júnior) me passou tranquilidade e me deu muita confiança. Isso elevou minha auto-estima e pude ajudar o Atlético a sair daquela situação.

Seleção

Para Renan, que passou as férias com a família no interior de Minas Gerais, 2011 será a chance do clube alçar vôos mais altos.

– Depois de muitos anos o Atlético mantém toda a base de uma temporada. Com a chegada dos reforços, que são todos jogadores de qualidade, o time tem tudo para conquistar as competições que disputar. O elenco está muito forte.

O meia atleticano espera, na temporada que está começando, alcançar um grande objetivo.

– Meu maior sonho é voltar a vestir a camisa da Seleção Brasileira (Renan já teve várias convocações para as seleções de base). Vou trabalhar muito para conseguir essa convocação. Além disso, quero continuar mostrando um bom futebol para ajudar o clube em todas as competições.

janeiro 3, 2011 Posted by | Atlético-MG | , | Deixe um comentário

Em pouco mais de uma hora, Kalil anuncia Richarlyson e Magno Alves

Volante vai realizar exames nesta terça; atacante diz que torcida pesou na decisão. É o quarto reforço anunciado pelo Twitter nesta semana

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, anunciou nesta sexta-feira pelo Twitter dois reforços em pouco mais de uma hora. Após surpreender e postar a contratação do volante Richarlyson, que jogou as últimas cinco temporadas no São Paulo, o dirigente alvinegro confirmou o acerto com o atacante Magno Alves, que atuou no Brasileirão desteano pelo Ceará.
O anúncio da contratação do ex-são-paulino causou surpresa pelo fato de que, há menos de um mês, o dirigente atleticano chegou a ser enfático em negar um possível acerto com o jogador, que por outro lado, estava negociando com o Fluminense. O Atlético adquiriu 50% dos direitos federativos do jogador de 27 anos, que chega a Belo Horizonte na próxima terça-feira para fazer os exames médicos.
Já o atacante Magno Alves, de 34 anos, fica no Galo até o fim de 2011, e deve brigar por uma posição com Diego Tardelli e Obina. Já em Belo Horizonte, onde realizou exames no clube, o jogador não escondeu os motivos que pesaram em sua decisão, já que após ter realizado um bom Campeonato Brasileiro, recebeu propostas de vários clubes.
– A torcida. É o que a gente sabe dessa torcida, que está sempre com o grupo e principalmente quando se trata de um grande treinador (Dorival Júnior). Nós vimos nessa reta final essa virada, permaneceu (na Série A), até ganhou uma vaga para a Sul-Americana. (O Atlético tem) um grupo forte, querem fazer ainda mais forte para 2011 e eu espero contribuir para isso. Estou feliz e espero fazer como fiz por onde passei e representar bem o Atlético.
Magno diz que a temporada no Nordeste foi boa, e comemora o fato de ter sido o artilheiro do time na competição, ao marcar nove gols.
– Foi uma temporada boa, nem esperava tanto assim, devido ao fato de ter ficado sete anos e meio fora do Brasil. Retornar ao futebol brasileiro, não em uma grande equipe, e mesmo assim ser artilheiro da equipe, é muito bom. Enfim, só tenho a agradecer a Deus e agora é pensar já nesse finalzinho (de ano), porque 2010 ainda não acabou.
Antes de anunciar Richarlyson e Magno Alves, o presidente Kalil já tinha usado o Twitter para comunicar nesta mesma semana as contratações do volante Toró, na quinta-feira, e a do lateral-direito Patric, na quarta.
Ficha de Richarlyson:
Nome completo: Richarlyson Barbosa Felisbino
Data de nascimento: 27 de dezembro de 1982 (27anos)
Peso: 1,76m
Altura: 72kg
Clubes: Santo André, Fortaleza, Salzburg (Áustria) e São Paulo
Títulos: Mundial de Clubes da Fifa (2006) e tricampeão brasileiro (2006, 2007 e 2008), todos pelo São Paulo.
Ficha de Magno Alves:
Nome completo: Magno Alves de Araújo
Data de nascimento: 13 de janeiro de 1976 (34 anos)
Altura: 1,76m
Títulos: Campeonato Brasileiro da Série C (1999) e Campeonato Carioca (2002) pelo Fluminense
Clubes: Ratrans, Valinhos, Independente-SP, Araçatuba, Criciúma, Fluminense, Jeonbuk (Coréia do Sul), Oita Trinita (Japão), Gamba Osaka (Japão), Al-Ittihad (Arábia Saudita), Umm Salla (Qatar) e Ceará

dezembro 17, 2010 Posted by | Atlético-MG | , | Deixe um comentário

Dorival Júnior aprova Jobson no Galo e quer um time mais veloz em 2011

Treinador calcula precisar de seis ou sete jogadores para fechar o elenco

Dorival Júnior quer um Atlético-MG mais veloz em 2011. E um dos ‘motores’ do time pode ser o atacante Jobson, um dos nomes badalados como possível contratação do clube. O treinador não confirma o interesse do Galo, mas admite gostar do jogador, apesar dos problemas extra-campo.

– Muito aproveitável. Eu acho que é um jogador com uma capacidade de definição como poucos no país. O que eu também quero saber é se ele quer. Se ele quiser, nós estaremos ali para ajudá-lo. Espero que se concretize uma contratação como esta. Porque é um jogador que pode vir a ser brilhante pela capacidade que possui.

Sem querer falar em nomes ou posições mais carentes, Dorival deu a indicação de uma carência do grupo atual: atletas velozes. Para 2011, essa é uma das características observadas nas contratações.

– Eu prefiro não falar em posições, em setores. Eu preciso que nós modifiquemos um pouco o padrão. Se esses jogadores que chegarão vão jogar é outra coisa. Teoricamente falando, nós precisamos ganhar em velocidade em alguns setores.

Em entrevista ao programa “Arena Sportv’ desta segunda-feira, Dorival Júnior contou como planeja o próximo ano e fez um balanço da temporada difícil que o Galo passou. Ele comparou as dificuldades enfrentadas pelo Atlético-MG em 2010 com o momento ruim que vive, atualmente, a Inter de Milão. O time com Luxemburgo no comando não conseguiu se encontrar mesmo com grandes contratações como Diego Souza e Réver. Já o time italiano, comandado agora pelo espanhol Rafa Benitez, não repete as campanhas dos últimos anos, quando o clube venceu quase tudo que disputou.

– Foi um problema parecido com o que está passando com a Inter (de Milão) hoje. Será que são jogadores de menor expressão que antes? Não, são iguais ou mais qualificados. Só que o encaixe não acontece da noite para o dia. Todo treinador que forma ou reforma uma equipe tem um problema muito grande. É o problema que teve o Vanderlei. Ele saiu do título mineiro e tentou uma reformulação para o Brasileiro. Talvez não tenha encontrado o ideal. Nós precisamos de uma mudança em cima de uma estrutura adquirida. Eu quero manter 70% da equipe, mas que as seis ou sete contratações que vão acontecer tenham uma característica um pouco diferente.

dezembro 13, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

São Paulo atropela o Atlético-MG no Morumbi

Tricolor se despede de 2010 com uma boa apresentação sobre os mineiros, que se garantem na Sul-Americana

O São Paulo terminou o Brasileirão deste ano com a segunda pior campanha na era dos pontos corridos (só melhor que a de 2005, ano do tricampeonato mundial). Mas ao menos, o Tricolor se despediu dacompetição com uma boa apresentação na tarde deste domingo, no Morumbi. Sem dificuldade, o time do Paulo César Carpegiani fez 4 a 0 no Atlético-MG, que mesmo atropelado, termina com vaga para a Sul-Americana do ano que vem.

A defesa do Atlético foi uma verdadeira mãe para o São Paulo. Jairo Campos e Cáceres não se entenderam e o Tricolor teve duas ótimas oportunidades com apenas dois minutos de jogo. Se a defesa do Galo teve um desempenho pífio, o mesmo não se pode dizer do goleiro Renan Ribeiro, que parou Marlos, Ilsinho e Lucas com ótimas defesas assim que a bola rolou.

Com mais volume de jogo e muito mais atrevido do que o adversário, o São Paulo foi envolvendo o Atlético-MG e tomando conta do jogo sem a mínima dificuldade. Com boas trocas de passes, o time foi premiado com o primeiro gol da partida: Marlos foi derrubado na entrada da área, mas a bola sobrou para Ilsinho, que não desperdiçou.

Três minutos depois, foi a vez de Lucas acertar um belo chute no canto de Renan Ribeiro. E mais tarde, Marlos, também de fora da área, ampliou para os donos da casa e do jogo: 3 a 0, placar justo pelo diferença entre o futebol apresentado pelas duas equipes.

A atuação do Galo no primeiro tempo foi medonha. Tardelli errava passes, lançamentos mal feitos, Serginho não chegava na bola… Dorival Júnior deve ter contado os minutos para o fim dos 45 minutos iniciais.

Se o Atlético tinha esperança de voltar com um comportamento diferente após o puxão de orelhas de Dorival Júnior no vestiário, ela veio por água abaixo logo com um minuto de jogo, quando Renato Silva, de cabeça, aproveitou cruzamento de Carlinhos Paraíba e ampliou ainda mais o baile.

O panorama não mudou e Rogério Ceni foi apenas um espectador de luxo. Triste despedida para o Atlético e promessa de um 2011 melhor ao São Paulo, que deve apostar mais na garotada no próxixima temporada.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 4 X 0 ATLÉTICO-MG

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 5/12/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Rodrigo Pereira Joia (RJ)

Cartão Amarelo: Fabiano (ATL)
Cartão Vermelho: Não houve
Gols: Ilsinho, 27’/1ºT (1-0); Lucas, 30’/1ºT (2-0); Marlos, 40’/1ºT (3-0); Renato Silva, 1’/2ºT (4-0)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Ilsinho, Xandão, Renato Silva e Jorge Wagner (Diogo, 37’/2ºT); Zé Vitor, Jean, Carlinhos Paraíba (Sérgio Mota, 32’/2ºT) e Lucas; Marlos e Lucas Gaúcho (Casemiro, 27’/2ºT). Técnico: Paulo César Carpegiani.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Rafael Cruz (Neto Berola, 32’/1ºT), Cáceres, Jairo Campos e Leandro; Zé Luis (Fabiano, 29’/2ºT), Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina (Ricardinho, Intervalo). Técnico: Dorival Júnior.

dezembro 5, 2010 Posted by | Atlético-MG, São Paulo | | Deixe um comentário

Atlético-MG vence o Goiás e se garante na

Apoiado por sua torcida, Galo alcançou os 45 pontos na tabela e afastou de vez as chances de rebaixamento

O torcedor do Atlético-MG, pode enfim respirar aliviado. Neste domingo, o Galo vence o já rebaixado Goiás por 3 a 1, na Arena do Jacaré com a presença maciça de sua torcida, e se garantiu a sua permanência na Série A do Brasileirão.

Com o triunfo, a equipe mineira foi aos 45 pontos. Já o Goiás segue com 32 e na vice-lanterna da competição.

O jogo:

A festa da torcida do Atlético-MG era grande nas arquibancadas da Arena do Jacaré. Assim como o calor em Sete Lagoas. Mas o Goiás, já rebaixado à Série B, não se intimidou com a pressão e teve boas oportunidades de gol nos primeiros minutos da partida. Já o Atlético buscava cadenciar o jogo e valorizava a posse de bola. O Galo era pura tranquilidade em campo.

O Goiás queria deixar uma boa imagem nessa reta final de competição. Logo aos dois minutos, Camacho arriscou de fora da área. Renan Oliveira fez a defesa. Aos nove, foi a vez de Jonílson chegar à frente. Mais dois minutos e Leyrielton arriscou finalização pela direita – setor em que o Goiás mais atacava – e por pouco não acertou o gol de Renan.

Com a tranquilidade com a qual iniciou a partida, o Galo apagou o ‘fogo’ do Goiás e abriu o placar na Arena do Jacaré. Renan Oliveira passou para Diego Souza, que venceu a marcação goiana e finalizou de esquerda. A bola bateu na trave esquerda, correu a linha da pequena área e entrou. Atlético-MG 1 x 0 Goiás.

O valente Goiás chega ao empate

Após o gol, o Atlético equilibrou as ações e passou a buscar a melhor oportunidade para chegar à pequena área de Harlei. Mas o Goiás não desistiu em deixar aquela ‘boa impressão’ na reta final. A equipe goiana tinha qualidade e provou isso ao chegar ao empate. Wendell Lira fez boa jogada pela direita, colocando a bola por debaixo das pernas do selecionável Réver, e Éverton Santos só teve o trabalho de empurrar para o gol. Atlético-MG 1 x 1 Goiás.

Uma dupla que decide para o Galo

Após muita conversa conversa entre os atleticanos, o Galo voltou a pressionar o Goiás. E para chegar a mais um gol, novamente a dupla Diego Souza-Renan Oliveira entrou em ação. Após cobrança de lateral pela direita do ataque mineiro, Diego Souza achou Renan Oliveira livre na pequena área. O camisa 16 do Galo não desperdiçou. Finalização de primeira no ângulo esquerdo de Harlei, que nada pode fazer. Atlético-MG na frente.

Werley celebra fim do drama do Atlético-MG

A partir de terça-feira, foco do Galo é a Sul-Americana

Discurso do Atlético-MG é em tom de consciência

Segundo tempo:

O Atlético-MG voltou para a segunda etapa com duas mudanças. Saíram Renan Ribeiro e Obina. O goleiro, em decorrência de dores na região do abdômen. Já o atacante, por opção do técnico Dorival Júnior. Com a entrada de Berola, o Atlético passou a ter ainda mais velocidade em seus ataques e com isso.

Gol da permanência

Foi com essa velocidade que o Atlético amplicou. Aos 18 minutos, Diego Tardelli, recebeu bola – em posição duvidosa – cara a cara com Harlei e não desperdiçou. Atlético-MG 3 a 1 Goiás.

A partir do terceiro gol, o Atlético passou a cadenciar o jogo na Arena do Jacaré e ficou na expecativa por uma oportunidade gerada por um contra-ataque para ampliar o marcador em Sete Lagoas. O veloz Neto Berola deu muito trabalho à marcação do Goiás, que buscou uma reação mas não teve a felicidade de marcar novamente.

Já na parte final da partida, o Galo só esperou o apito final do árbitro Guilherme Cereta de Lima e enfim pode comemorar a sua permanência na Série A de 2010. Ano que vem, o futebol de Minas Gerais terá três representantes na elite: América-MG, Atlético-MG e Cruzeiro.

Próximos compromissos:

No próximo domingo, o Goiás recebe o Corinthians, que luta pelo título, no Serra Dourada, às 17h. No mesmo dia e horário, o Atlético-MG visita o São Paulo.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG 3 X 1 GOIÁS

Local: Estádio Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/Hora: 27/11/2010 às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Renda/Público: R$ 103.127,50/17.234 pagantes.

Cartões amarelos: Réver (ATL); Leyrielton (GOI)
Cartões vermelhos: Não houve.

Gols: Diego Souza, aos 15’1T(1-0); Éverton Santos, aos 38’1T(1-1); Renan Oliveira, aos 46’1T(2-1); Diego Tardelli, aos 18’2T(3-1);

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro(Aranha, intervalo); Rafael Cruz, Réver(Lima, aos 29’2T), Werley e Leandro; Zé Luis, Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina(Neto Berola, intervalo). Técnico: Dorival Júnior.

GOIÁS: Harlei; Leyriélton, Danilo Costa(Felipe Amorim, aos 25’2T), Valmir Lucas e Jadílson; Lenon, Jonílson, Wendel Santos e Camacho(Pedro, aos 25’2T); Éverton Santos e Wendell Lira. Técnico: Artur Neto.

novembro 28, 2010 Posted by | Atlético-MG, Goiás | | Deixe um comentário

Galo vence reservas do Palmeiras e se afasta do rebaixamento

Com a cabeça na semifinal da Copa Sul-Americana, Verdão poupa titulares e Atlético-MG se aproveita 

O Atlético-MG bateu o Palmeiras por 2 a 0, na tarde deste domingo, se afastou da zona do rebaixamento e, de quebra, completou o quarto jogo consecutivo sem derrota no Brasileirão. Os gols da vitória do Galo foram marcados pelo ex-palmeirense Diego Souza e por Neto Berola.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

A equipe mineira chegou a perder um de seus principais jogadores no primeiro tempo – Diego Tardelli saiu machucado aos 20 minutos – mas teve sua vida facilitada com a expulsão do zagueiro palmeirense Gualberto, aos 33 do primeiro tempo.

Enquanto para os alvinegros a partida era decisiva na briga contra o rebaixamento, o Verdão apenas cumpria tabela. O alviverde foi à campo com a cabeça no jogo da próxima quarta-feira, contra o Goiás, pela semifinal da Copa Sul-Americana, e escalou seu time reserva.

Há 11 dias, quando ambos se enfrentaram pelas quartas de final do torneio continental, a situação foi inversa. Naquela oportunidade o Atlético-MG poupou seus titulares para o Campeonato Brasileiro e o Palmeiras, que priorizava a competição continental, teve força máxima. Resultado: 2 a 0 para os “titulares” nas duas partidas.

O Jogo

Apesar da equipe mineira precisar do resultado, quem começou melhor a partida foi o Palmeiras, que quase abriu o placar logo no início do jogo. Aos 4 minutos Fabrício cobrou falta com capricho e a bola explodiu na trave. O zagueiro também assustou aos 23, em um chute forte, de muito longe, defendido pelo goleiro Renan Ribeiro.

Os reservas do Verdão pareciam querer mostrar trabalho e, mesmo não criando muitas chances de gol, jogavam bem. A equipe trocava passes no campo de ataque e não dava espaços para o Atlético-MG, que pouco atacava.

O Galo errava muitos passes e não levava perigo ao gol de Bruno. Para piorar, os mineiros perderam um de seus principais jogadores aos 23 minutos. Diego Tardelli sofreu uma falta dura de Fabrício e não conseguiu continuar na partida, dando lugar a Neto Berola.

Mas, aos 30 minutos, uma falta cobrada por Diego Souza começou a mudar a história da partida. O meia contou com um desvio na barreira para acertar o canto direito de Bruno e marcar o primeiro do Atlético-MG. Mesmo tendo saído do Verdão após se desentender com a torcida, o jogador não quis comemorar o gol em respeito ao ex-clube.

– Tenho uma história no clube, independente de minha saída turbulenta. O time foi muito bom comigo e, em respeito, preferi não comemorar – explicou Diego Souza, ao final do primeiro tempo.

Três minutos após o gol as coisas ficaram ainda mais complicadas para o Palmeiras. O zagueiro Gualberto, que já tinha cartão amarelo, fez falta em Neto berola e foi expulso. A partir daí o Galo passou a atacar mais e ao Palmeiras restou se defender e tentar aproveitar alguns contra-ataques.

No segundo tempo, com um homem a mais, só o Atlético-MG atacou, praticamente. Aos 9 minutos, quase que outro ex-palmeirense ampliou o marcador. Obina recebeu na frente da área, girou e chutou no cantinho. Bruno se esticou todo e espalmou para escanteio.

O goleiro palmeirense também foi exigido aos 17, em chute forte de Neto Berola. Após bate e rebate, o atacante soltou uma bomba de dentro da área, mas parou na grande defesa de Bruno.

O arqueiro, entretanto, nada pode fazer aos 32 minutos, quando, depois de confusão entre Obina e a zaga palmeirense, o atacante chutou forte. Bruno ainda conseguiu espalmar, mas Neto Berola aproveitou o rebote e deu números finais ao placar.

Na próxima rodada, no domingo, o Palmeiras recebe o Fluminense, novamente na Fonte Luminosa. No mesmo dia o Atlético-MG pega o Goiás, na Arena do Jacaré.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 0 X 2 ATLÉTICO-MG

Estádio: Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
Data/hora: 21/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (CBF-RS)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e José Antônio Chaves Franco Filho (RS)
Renda/público: R$ 105.855 / 9.662 pagantes
Cartões amarelos: Patrik, Gualberto, Fabrício (PAL); Zé Luis, Neto Berola (ATL-MG)
Cartões vermelhos: Gualberto, 33’/1ºT (PAL);
GOLS: Diego Souza, 30’/1ºT (0-1); Neto Berola, 32’/2ºT (0-2)

PALMEIRAS: Bruno; Leandro Amaro, Gualberto e Fabrício; Vitor, Pierre, Fernando(Jean, 361/2ºT), Patrik e Rivaldo (Luís Felipe, 23’/2ºT); Ewerthon (Vinícius, Intervalo) e Dinei. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Rafael Cruz, Lima, Werley e Leandro; Zé Luis, Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza (Ricardinho, 26’/2ºT); Diego Tardelli (Neto Berola, 23’/2ºT) e Obina(Daniel Carvalho, 33’/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.

novembro 21, 2010 Posted by | Atlético-MG, Palmeiras | | Deixe um comentário