Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Classificação Brasileirão 2009 Serie A

Posição

Time

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

1


Palmeiras

Palmeiras

40

21

11

7

3

33

19

14

2


Goiás

Goiás

38

21

11

5

5

39

29

10

3


São Paulo

São Paulo

36

21

10

6

5

29

22

7

4


Avaí

Avaí

34

21

9

7

5

33

24

9

5


Internacional

Internacional

33

19

10

3

6

33

24

9

6


Atlético-MG

Atlético-MG

33

20

9

6

5

35

28

7

7


Corinthians

Corinthians

32

21

9

5

7

28

27

1

8


Barueri

Barueri

32

21

8

8

5

40

29

11

9


Grêmio

Grêmio

31

21

9

4

8

37

24

13

10


Vitória

Vitória

28

21

8

4

9

29

32

-3

11


Santos

Santos

28

20

7

7

6

33

33

0

12


Cruzeiro

Cruzeiro

27

20

8

3

9

24

30

-6

13


Atlético-PR

Atlético-PR

27

21

8

3

10

23

31

-8

14


Flamengo

Flamengo

27

21

7

6

8

29

36

-7

15


Santo André

Santo André

24

21

6

6

9

24

30

-6

16


Coritiba

Coritiba

22

21

6

4

11

27

33

-6

17


Náutico

Náutico

21

21

5

6

10

26

41

-15

18


Botafogo

Botafogo

21

20

4

9

7

29

35

-6

19


Sport

Sport

16

21

4

4

13

27

39

-12

20


Fluminense

Fluminense

16

21

3

7

11

21

33

-12

agosto 24, 2009 Posted by | Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Botafogo, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Náutico, Palmeiras, Santo André, Santos, São Paulo, Sport, Vitória | | Deixe um comentário

Impecável no Olímpico, Grêmio derrota o Atlético-MG sem fazer força

Em ritmo de treino, Tricolor faz 4 a 1 no Galo e enxerga o G-4 mais próximo. Mineiros vivem pequeno jejum


Rever comemoração Gremio jogo contra Atletico-MG

Fácil como tirar doce de criança. Assim o Grêmio construiu uma vitória maiúscula sobre o Atlético-MG, neste domingo, pela 21ª rodada do Brasileirão. O placar de 4 a 1 foi construído praticamente todo no primeiro tempo com tranquilidade e três gols. O resultado comprova a força do Imortal no estádio Olímpico. Em onze jogos como mandante, foram nove vitórias e dois empates. O Tricolor chega a 31 pontos e assume a oitava posição. O Galo completa quatro partidas sem vencer e perde novamente a chance de voltar ao G-4. Com 33 pontos, está em sexto.

Confira a classficação do Brasileiro e simule resultados

Na próxima rodada, as duas equipes jogam no domingo. O Atlético recebe o Sport, no Mineirão, às 16h. O Grêmio visita o Botafogo, no Engenhão, às 18h30m.

Em ritmo de treino, Grêmio abre vantagem

Assista os Golls da Partida:

Antes de a bola rolar, o técnico do Atlético, Celso Roth, ex-comandate gremista, foi vaiado por parte dos torcedores no estádio. Mas houve quem o aplaudisse, principalmente o público das sociais. Todos os jogadores do Tricolor fizeram questão de cumprimentá-lo.

O início da partida foi mentiroso. Solto e bem disposto em campo, o Galo parecia pronto para surpreender e usou o lado direito para tentar abrir o placar. Aos três, a defesa do Grêmio vacilou na marcação e deixou Marcos Rocha passar livre. O garoto cruzou, mas Victor não deixou que bola chegasse em Diego Tardelli na pequena área. Tardelli e Carlos Alberto também apareceram pelo setor com perigo, mas não o suficiente.

E logo na primeira vez que buscou o gol, o Grêmio conseguiu. Aos sete, a bola área, sempre forte, deu resultado. Tcheco cobrou falta do lado esquerdo para a área, Réver subiu sem marcação e abriu o placar. Quarto gol do zagueiro no Brasileirão. Os mineiros sentiram o golpe, mas sem desanimar. Aos 15, Marcos Rocha voltou a ter libertade na direita, rolou para Carlos Alberto, e o chute do volante saiu cruzado e torto. Faria falta.

Com domínio absoluto do jogo, a equipe de Paulo Autuori provou que vive mesmo uma fase irretocável no Olímpico e passou a explorar o lado direito do ataque. Aos 23, Souza recebeu livre na área e cruzou na segunda trave. O colombiano Perea, sem qualquer marcação, cabeceou no travessão, a bola tocou no goleiro Bruno e entrou: 2 a 0 no placar e avalanche na arquibancada.

Estava realmente fácil demais para o Grêmio. Com o Atlético desorganizado e abatido, os donos da casa trataram de ampliar. Aos 29, Souza cobrou falta com perfeição, e Bruno só olhou, impotente. Na tentativa de mudar o quadro, Celso Roth não esperou o fim do primeiro tempo para mexer. O cronômetro marcava 33 minutos quando o meia Evandro entrou no lugar de Marcos Rocha. Não havia muita força e nem tempo para criar.

Tricolor amplia, e Galo sofre

Roth mudou o ataque atleticano na volta do intervalo. Ele lançou o colombiano Rentería, que durante muito tempo foi rival do Grêmio com a camisa do Inter, no lugar de Eder Luis. Como um sopro de esperança, o Galo chegou a assustar bem cedo. No primeiro minuto, Renan Oliveira recebeu ótimo passe na área pela esquerda, bateu cruzado com a canhota, mas a bola se perdeu pela linha de fundo.

Não era dia nem de Diego Tardelli. O artilheiro do time no Brasileiro, com nove gols, pouco conseguiu produzir de tão isolado na frente. Atlético sem força, sem equilíbrio e frágil. Aos 12, o quarto gol gremista comprovou que realmente a tarde não era atleticana. Com um passe de primeira, Souza encontrou Jonas na área, o atacante só esperou o zagueiro Welton Felipe passar lotado pela bola e a empurrou para o gol de Bruno. Não perca a conta: 4 a 0.

E até quando a defesa falha o Grêmio está seguro. Aos 21, num dos poucos lances de ataque alvinegro até então, Rentería recebeu na área e cruzou certinho para Tardelli bater de primeira, com a esquerda. Victor, goleiro da seleção brasileira, fez uma defesa espetacular. Mas bastou caprichar um pouquinho para o Galo chegar. Aos 33, em jogada individual, Evandro saiu de marcação dupla com velocidade e bateu cruzado da entrada da área. Gol de honra. E só. Coincidentemente, nas últimas três partidas que venceu no Olímpico, o Imortal fez o placar de 4 a 1. Celso Roth precisa conter a queda livre.

agosto 24, 2009 Posted by | Atlético-MG, Grêmio | , , , , | Deixe um comentário

No Serra Dourada, Goiás despacha o Santos e segue na cola do Verdão

Equipe esmeraldina confirma sua fama de carrasca santista em Brasileiros e se isola na vice-liderança da competição


Jogadores do Goiás comemoram no Serra Dourada

O Goiás acabou com os cinco jogos de invencibilidade do Santos neste Brasileirão, venceu por 2 a 1, neste domingo, no Serra Dourada, em Goiânia, e se isolou na vice-liderança da competição, com 38 pontos. A equipe esmeraldina está dois pontos atrás do líder Palmeiras e dois à frente do São Paulo, terceiro colocado. Já o Peixe estaciona nos 28 pontos e está em 11º lugar.

Com o resultado, o time esmeraldino confirma sua fama de carrasco santista. Agora, são 36 jogos entre as duas equipes válidos pelo Brasileirão. O Peixe venceu apenas oito vezes: são 15 empates e 13 vitórias do Goiás. Nenhuma outra equipe da Série A leva tanta vantagem sobre o Santos no histórico de confrontos pela competição nacional.

O Goiás volta jogar no próximo domingo, às 18h30m (horário de Brasília), contra o Internacional, em Porto Alegre. Já o Peixe joga quarta-feira, às 21h, na Vila Belmiro, também contra o Colorado. O jogo é válido pela 16ª rodada e foi remarcado porque o time gaúcho estava disputando um torneio no Japão.

Goiás sai na frente, mas Santos equilibra

O Santos tentou controlar o jogo no início, marcou bem pelo meio e se lançou ao ataque com a velocidade de Madson. Tanto que chegou até a ameaçar primeiro, quando o baixinho fez jogada individual pela direita, aos nove, e mandou uma bomba da entrada da área. A bola passou bem perto da trave esquerda.

Assista os Golls da Partida:

Mas o time da casa não se assustou. Conseguiu se assentar em campo e passou a dar as cartas no meio-de-campo, abrindo a defesa santista graças à movimentação constante do trio formado pelo ala direito Vítor e pelos atacantes Iarley e Felipe. Aos 11, o goleiro Felipe conseguiu salvar o Peixe espalmando uma bomba de Iarley. Mas, aos 19, não teve jeito. Iarley recebeu na meia-lua e escorou para Vítor mandar a bomba de direita. Felipe se esticou todo, mas não conseguiu chegar perto.

Após o gol, o Goiás aumentou a pressão e chegou a acuar o Peixe, que se retraiu na esperança de encaixar algum contra-ataque. Como o Esmeraldino foi todo à frente, apareceram espaços para os visitantes trocarem passes quando conseguiam sair. Até que, aos 29, veio o empate. Paulo Henrique acertou um belo passe para Kléber Pereira, que entrou pela direita e chutou forte e rasteiro. A bola ainda bateu em Harley, mas acabou entrando.

Empatada a partida, o Peixe passou a mandar no meio-de-campo, envolvendo a marcação adversária. Faltou, porém, maior capricho no passe final.

Esmeraldino aperta e garante a vitória

O Goiás voltou para o segundo tempo com apetite, foi para cima, pressionou e conseguiu ficar em vantagem novamente, logo aos cinco minutos. Após cobrança de escanteio da direita, Fabão cortou e a bola sobrou para Felipe, que limpou a marcação e mandou a bomba de fora da área. Seu xará santista voou, mas novamente não chegou sequer perto: 2 a 1.

O esmeraldino seguia em cima. Como o Peixe saiu para tentar o empate, mais uma vez, sobravam espaços para o time da casa criar jogadas. Aos 12, Júlio César pegou a bola pela meia direita e tentou chutar colocado, de canhota. Acabou acertando a trave.

Aos poucos, o Peixe foi se soltando e equilibrou o jogo novamente. A partir dos 15 minutos, a equipe paulista passou a rondar mais a área adversária, principalmente em jogadas de bola parada, mas faltava concluir as jogadas: a zaga do Goiás conseguia sempre levar a melhor.

Aos 20 minutos, as duas esperadas estreias. Fernandão, do Goiás, e Emerson, do Santos, entraram em campo. Fernandão, em melhor forma, ajudou na armação de jogadas, mostrou mobilidade. Já Emerson, visivelmente fora de forma, tinha dificuldade até para dominar a bola. Logo após essas alterações, a equipe da casa retomou o controle do jogo e criou boas chances, mas o goleiro Felipe fazia boas defesas. Uma delas, aos 20, num chute de seu xará Felipe.

Aos 27, um lance engraçado e esquisito: o goleiro santista foi repor a bola numa jogada de tiro de meta e escorregou. A chuva em Goiânia era muito forte e tornava o gramado bastante escorregadio. Mesmo com o goleiro tocando a bola, o árbitro Heber Roberto Lopes determinou a repetição da cobrança.

O Goiás continuava mais perigoso e criava chances, mas Felipe seguia salvando o Santos. Aos 40, em mais um duelo de Felipes, o santista levou a melhor, espalmando um chute cruzado de esquerda. Graças a seu goleiro, o Peixe escapou de perder por um placar elástico.

Aos 41, o zagueiro João Paulo, do Goiás, fez falta em Madson e, como já tinha o amarelo, acabou expulso. Com jogador a mais, o Peixe apertou no fim, jogou várias bolas na área esmeraldina, mas não conseguiu empatar a partida.

agosto 24, 2009 Posted by | Goiás, Santos | , , , | Deixe um comentário

Flu só empata com o Barueri no Maracanã e permanece na lanterna

Tricolor das Laranjeiras joga mal e não consegue superar o time paulista mesmo com dois jogadores a mais no segundo tempo


Conca se esforça contra o Barueri, mas não evita o empate sem gols no Maracanã

Com uma atuação muito ruim, o Fluminense só empatou sem gols neste domingo com o Barueri, no Maracanã, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor das Laranjeiras foi dominado na maior parte da partida e só não foi derrotado porque Thiago Humberto estava em um dia infeliz. O camisa 10 do Barueri perdeu três chances claras de gol durante a partida.

O Barueri terminou a partida com menos dois jogadores. Os zagueiros André Luiz e Diego foram expulsos no segundo tempo. Mas mesmo assim, o Flu não conseguiu se organizar em campo e criar jogadas de ataque. Com apenas 16 pontos, o Tricolor termina a rodada na última colocação da tabela e seis pontos atrás do Coritiba, o primeiro time da fora da zona de rebaixamento.

Na zona de rebaixamento há 11 rodadas, o Fluminense está em uma situação bem delicada. Pelos matemáticos, o time precisa de dez triunfos nas 17 partidas restantes na competição para se livrar da Série B. O Tricolor, até agora, só venceu três vezes após 21 rodadas.

O técnico Renato Gaúcho começa a ser questionado. Ele só venceu uma partida em dez jogos no comando do Fluminense neste Brasileirão.

Na próxima rodada, o Fluminense vai até a Vila Belmiro enfrentar o Santos. A partida será no domingo, às 16h. Já o Barueri enfrenta o Corinthians, na quarta-feira, às 21h50m.

Primeiro tempo desastroso do Fluminense

Assista os lances da Partida:

O Fluminense entrou em campo no esquema 4-3-3, com Roni, Maicon e Kieza no ataque. Adeílson, que seria titular, sentiu uma lesão muscular pouco antes da partida. Mas apesar de a tática ser ofensiva, o que se via em campo era um time recuado, desorganizado, sem criar jogadas de ataque.

Eram muitos erros de passe. João Paulo estava perdido na esquerda. Ruy era perseguido pela torcida. E Fabinho e Diguinho não se entendiam no meio-campo. Até Dario Conca estava perdido. Logo, o Barueri começou a dominar a partida.

O primeiro chute veio aos cinco minutos. Bola fraca de Ralf que o goleiro Rafael defendeu sem problema, no meio do gol. Pouco depois, uma grande oportunidade. Márcio Careca tocou para Thiago Humberto, que entrou livre na área e chutou em cima do goleiro Rafael. O camisa 1 tricolor espalmou para escanteio e salvou o time de sofrer o primeiro gol.

O Fluminense não tinha saída de bola e deixava o técnico Renato Gaúcho desesperado. Ele chutava o vento, gesticulava, gritava com os jogadores. Mas nada adiantava. O Barueri mandava na partida. Val Baiano recebeu livre na entrada da área, mas chutou mal. Rafael defendeu. Aos 33, bola cruzada para a área tricolor. André Luiz apareceu livre para cabecear. Para a sorte de Rafael, ela passou por cima do travessão.

O Fluminense só chegou com perigo aos 35. Maicon avançou pela direita, entrou na área e chutou rasteiro. A bola foi para fora, com o goleiro Renê em cima do lance. Foi a única chance tricolor em todo o primeiro tempo.

Aos 43, um lance incrivel. Fabinho perdeu a bola no meio-campo e Thiago Humberto arrancou sozinho. Ele ficou na cara de Rafael e tinha Val Baiano livre do lado direito. Mas o meia preferiu chutar rasteiro. A bola foi para fora. Um gol inacreditável perdido pelo camisa 10 do Barueri. Após o lance, quase todos os jogadores do time paulista colocaram as mãos à cabeça sem acreditar. E as vaias e protestos dos torcedores tricolores vieram com o fim do primeiro tempo. Alguns mostravam para os jogadores notas de R$ 1 e R$ 10 na descida para o vestiário.

Mesmo com dois a mais em campo, Tricolor não consegue vencer

O Fluminense voltou sem alterações para o segundo tempo. E continuou muito mal. O cenário seguia sombrio como nos primeiros 45 minutos. O Barueri criava chances. Thiago Humberto chutou por cima do travessão. Val Baiano chegou tarde em um cruzamento.

A sorte tricolor é que Thiago Humberto estava em uma tarde muito infeliz. O meia tabelou com Val Baiano e entrou livre na área. Mas Rafael defendeu com os pés o chute do camisa 10. Logo depois, o meia recebeu outro passe de Val Baiano e da marca do pênalti bateu em cima de Luiz Alberto. Na sobra, o atacante do Barueri iria marcar o gol. Mas o chute bateu nas costas de Thiago Humberto e foi para fora. Impressionante o azar do camisa 10 do time paulista.

Renato Gaúcho resolveu então mudar. Tirou Roni e colocou Alan no time. De nada adiantou. O Barueri seguia dominando a partida. Mas para a sorte tricolor, o zagueiro Diego deu uma entrada maldosa em cima de Maicon e acabou expulso direto pelo árbitro.

Com um jogador a menos, o Fluminense partiu com tudo para cima. Mais na vontade do que com organização. Aos 34, Renê saiu mal do gol. Ruy conseguiu chegar primeiro na bola e tocar por cobertura. O goleiro se esticou todo e tocou na bola, que ainda bateu no travessão. Por muito pouco não saiu o gol tricolor.

O Barueri, porém, não estava entregue. Em um contra-ataque, Márcio Careca avançou bem pela esquerda e chutou da entrada da área. Rafael pulou no ângulo direito e espalmou para escanteio.

No final, o zagueiro André Luiz ainda foi expulso por falta dura em Maicon. Mas o Fluminense não conseguiu aproveitar a superioridade numérica. E o placar não saiu do 0 a 0 para o desespero dos torcedores.

agosto 24, 2009 Posted by | Fluminense, Grêmio Prudente | , , | Deixe um comentário

Wellington Paulista marca três vezes, e Cruzeiro bate o Náutico no Mineirão

Atacante demora apenas 15 segundos para abrir o placar e comanda vitória celeste, em jogo interrompido por falta de luz


Wellington Paulista comemora um de seus três gols na vitória do Cruzeiro

Com direito a um gol-relâmpago, o atacante Wellington Paulista marcou três vezes na vitória do Cruzeiro sobre o Náutico por 4 a 2, neste domingo, no Mineirão, em partida válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, e frustrou o sonho dos recifenses de deixar a zona de rebaixamento. A partida, que não contou com a presença do atacante cruzeirense Kleber, que tem uma pubalgia e também estaria envolvido em negociações com o Porto, teve a estreia do equatoriano Guérron e foi interrompida duas vezes por conta da queda de energia no estádio.

Com o resultado, a Raposa chegou à 12ª colocação, com 27 pontos. O Timbu segue em 17º, com 21.

O Cruzeiro enfrenta o Botafogo às 21h de quinta, no Engenhão, em partida adiada da 11ª rodada. No sábado, o Náutico recebe o Atlético-PR nos Aflitos, às 18h30m.

Primeira etapa repleta de gols

Assista os Golls da Partida:

O Cruzeiro saiu na frente com apenas 15 segundos de bola rolando. Gilberto recebeu pela direita, foi à linha de fundo, se livrou do zagueiro e fez o cruzamento para o cabeceio certeiro de Wellington Paulista, que se antecipou a Asprilla e abriu o placar, marcando o gol mais rápido desta edição do Brasileirão. A Raposa esteve perto de ampliar aos cinco minutos. Diego Renan roubou a bola no meio-campo, rolou para Fabrício, que foi à linha de fundo e cruzou para Thiago Ribeiro, mas o atacante chutou em cima do goleiro Gledson.

No contra-ataque, Gilmar invadiu a área pela esquerda e foi derrubado por Gil, aos seis. O árbitro assinalou pênalti e, na cobrança, o próprio atacante mandou no canto esquerdo de Fábio e empatou.

Apesar da igualdade no placar, o time mineiro era visivelmente superior em campo. Aos 12, Gilberto cobrou falta da entrada da área e obrigou o goleiro alvirrubro a fazer boa defesa. O segundo gol cruzeirense veio aos 29, e foi um golaço. De fora da área, Fabrício mandou uma bomba no ângulo direito de Gledson e ampliou.

O Náutico poderia ter empatado na sequência, com Carlinhos Bala. Mas o atacante alvirrubro desperdiçou chance incrível dentro da área, aos 30

Se aproveitando bem dos espaços, a equipe celeste insistia no ataque. Aos 34, Henrique tentou driblar Vagner dentro da área e sofreu o pênalti. Wellington Paulista cobrou alto, no meio do gol, e marcou o terceiro. Thiago Ribeiro ainda desperdiçou a chance de marcar o quarto, aos 43. O atacante recebeu na frente e chutou cruzado da entrada da área, mas a bola saiu à direita da meta recifense.

Luz apagada e queda de ritmo

Quando os jogadores das duas equipes já estavam de volta ao gramado para a segunda etapa, uma queda de energia retardou o reinício do jogo. Foram necessários cerca de 30 minutos para que houvesse iluminação suficiente para o prosseguimento da partida. O técnico Geninho foi o único a mexer em sua equipe no intervalo e pôs o uruguaio Acosta no lugar de Juliano.

Mas se o primeiro tempo foi repleto de gols desde o início, na metade final os lances de ataque foram mais raros.

Aos 13, Jancarlos fez boa jogada individual pela direita e cruzou rasteiro, mas a bola atravessou a área e passou por Thiago Ribeiro, que não conseguiu desviar para o gol. O técnico Adilson Batista já passava orientações para o equatoriano Guerrón quando as luzes do Mineirão voltaram a se apagar, aos 15. A partida foi retomada dez minutos depois, e o atacante equatoriano pôde, enfim, fazer sua estreia pelo Cruzeiro.

Um lance curioso aconteceu aos 38, quando o alvirrubro Anderson Santana deu um lençol em Marquinhos Paraná e emendou com o “drible da foquinha”, que ficou famoso justamente com o ex-cruzeirense Kerlon.

O ritmo da partida caiu vertiginosamente na etapa final, e o estreante Guerrón aproveitou para mostrar serviço. Aos 49, o equatoriano cruzou da direita para Wellington Paulista, de cabeça, marcar mais um. Aos 53, em sua única chance de marcar no segundo tempo, o Náutico descontou, com Carlinhos Bala, que recebeu na área e estufou as redes.

agosto 24, 2009 Posted by | Cruzeiro, Náutico | , , , , | Deixe um comentário

Avaí bate fácil o desmantelado Flamengo e entra no G-4

Equipe catarinense está há 11 partidas sem perder. Rubro-Negro começa a se preocupar com a zona de rebaixamento


Jogadores do Avaí comemoram gol sobre o Fla

O Avaí provou mais uma vez que não é apenas um “fogo de palha”. Neste domingo, a equipe catarinense venceu com facilidade o Flamengo por 3 a 0 e agora está há 11 rodadas sem perder. Com 34 pontos, o time consegue entrar no grupo dos classificados para a Libertadores de 2010 (quarto lugar). Luis Ricardo, Léo Gago e Fabinho Capixaba fizeram os gols.

Com a mais uma derrota, a terceira seguida,o Rubro-Negro permanece com 27 pontos e caiu para a 14ª posição do Campeonato Brasileiro. A equipe carioca mais uma vez sofreu muito com o desentrosamento causado pela grande quantidade de desfalques (nove para este jogo). O novo fracasso deixa o Fla com o alerta mais ligado do que nunca, já que a zona de rebaixamento começa a ficar muito próxima.

Na próxima rodada, sábado, às 18h30m, o Avaí vai até Curitiba enfrentar o Coritiba. No mesmo dia e no mesmo horário, o Flamengo recebe o Santo André no Maracanã.

Fla não é páreo para o Avaí

Assista os Golls da Partida:

Cheio de confiança com a boa fase que vive, o Avaí mostrou que estava disposto a dominar a partida desde o início. Logo aos quatro minutos, a desentrosada e mau posicionada defesa do Flamengo aprontou a primeira. Wellinton e Bruno não se entenderam na hora de cortar uma bola cabeceada por Marquinhos e quase entregaram o gol para o o atacante William. Mas os catarinenses não demorariam a abrir o placar. Aos sete minutos, o Avaí bateu curto o escanteio e o Fla ficou só olhando. Muriqui cruzou rasteiro e Luis Ricardo desviou para o fundo da rede: 1 a 0.

Atrás no placar, o Rubro-Negro conseguiu uma ótima chance de igualar o marcador aos 11 minutos. Zé Roberto cruzou da esquerda e a bola sobrou para Adriano na segunda trave. O Imperador, no entanto, se enrolou na hora do domínio e perdeu a oportunidade. Um minuto depois, mais um problema de lesão para o técnico Andrade: Everton Silva machucou a coxa esquerda e foi substituído pelo jovem Rafael Galhardo.

Quando tentava equilibrar o jogo, o Flamengo levou outro duro golpe. Aos 30 minutos, Léo Gago, sem marcação, arriscou de longe e se deu bem. A bola desviou no meio do caminho em Everton e matou o goleiro Bruno: 2 a 0. Quando a fase é ruim…

Cansado de errar passes, o Fla quase viu o Avaí ampliar aos 45 minutos. Luis Ricardo penetrou na área como quis e chutou de perna esquerda, mas Bruno conseguiu fazer a defesa.

Avaí tira o pé do acelerador. Mas amplia

Na volta do intervalo, o técnico Andrade tirou Rômulo e colocou Camacho para tentar organizar o meio de campo. E, apesar de mais atrás por causa da vantagem feita no primeiro tempo, foi o Avaí que teve uma ótima chance de fazer o terceiro. Aos sete, o ex-rubro-negro Eltinho desceu pela esquerda e cruzou na medida para Luis Ricardo. Ele desviou de primeira e a bola passou rente à trave de Bruno. Aos 11, o Fla conseguiu uma rara boa trama de ataque. Everton cruzou para Denis Marques, que, de cabeça, mandou para trás. Wellinton mandou uma bomba da entrada da área e a bola passou raspando o travessão.

Aos 17, o Rubro-Negro assustou em uma falta na entrada da área sofrida por Denis Marques. Rafael Galhardo cobrou com categoria, mas o goleiro Eduardo Martini voou e fez boa defesa. Para piorar a situação do time e do técnico Andrade, o volante Willians foi expulso aos 25 minutos.

Apesar de acomodado e só esperando o tempo passar, o Avaí conseguiu matar o jogo aos 32 minutos. Muriqui achou Fabinho Capixaba sozinho na direita. O lateral, de frente para o goleiro Bruno, teve tempo de dominar e equilibrar antes de fuzilar o camisa 1 do Flamengo: 3 a 0.

Os visitantes ainda tentaram até o fim diminuir o prejuízo mas, desorganizados, não conseguiram ameaçar o adversário. Antes de o apito final, Adriano levou o seu terceiro cartão amarelo e não vai enfrentar o Santo André na próxima rodada.

agosto 24, 2009 Posted by | Avaí, Flamengo | , , | Deixe um comentário

Com gol de mão e pênalti inexistente, Timão e Bota empatam no Pacaembu

Árbitro Arilson Bispo da Anunciação erra muito, e times ficam no 3 a 3. Corinthians cai na tabela e cariocas seguem no sufoco


Jorge Henrique, do Corinthians, e Fahel, do Botafogo, disputam lance no Pacaembu

No jogo mais polêmico da edição 2009 do Campeonato Brasileiro, Corinthians e Botafogo empataram por 3 a 3, neste domingo, no Pacaembu. O duelo ficou marcado pelos erros do árbitro Arilson Bispo da Anunciação, que validou um gol de mão de André Lima e marcou um pênalti inexistente em Jorge Henrique. O placar interrompeu a arrancada paulista e fez os cariocas permanecerem na zona de rebaixamento.

Com o resultado, o Corinthians se afasta da briga pelos primeiros lugares. O Timão está agora na sétima colocação, com 32 pontos, nove a menos que o líder Palmeiras. Já o Bota segue bastante ameaçado pela degola, em 18º lugar, com apenas 21 pontos – a equipe, porém, tem uma partida a menos, contra o Cruzeiro, que será disputada na próxima quinta-feira.

Na próxima rodada, o Corinthians enfrenta o Barueri, quarta-feira, às 21h50m, na Arena, na Grande São Paulo. O Botafogo recebe o Grêmio, apenas no domingo, às 18h30m, no Engenhão, no Rio de Janeiro.

Times perdem chances, mas Dentinho marca de pênalti

Assista os Golls da Partida:

Embalado pelas duas vitórias consecutivas, o Corinthians começou a partida tentando tirar proveito do momento ruim vivido pelo Botafogo. Com os cariocas formando duas linhas de quatro jogadores em seu campo, Mano Menezes apostou na agilidade de seu ataque para furar o bloqueio e incomodar o goleiro uruguaio Castillo.

Logo aos nove minutos, Marcinho, mais ofensivo do que nos outros jogos, fez o cruzamento pela esquerda, Henrique se antecipou a um adversário e cabeceou rente ao canto direito. No lance seguinte, Jorge Henrique arrancou da intermediária, passou pela defesa, mas, na saída do goleiro, bateu para fora. Seria um golaço!

Depois da pressão inicial, o Botafogo conseguiu reagir. Lucio Flavio se aproximou dos atacantes e aumentou o poder ofensivo diante de uma defesa totalmente reserva. Aos 11, foi a vez do zagueiro Juninho quase marcar em seu lance característico. Ele cobrou falta pela esquerda, a bola tocou no gramado e raspou a trave direita de Julio Cesar.

O lance animou o Bota. Aos 17, mais uma boa chance. Lucio Flavio fez ótimo passe, André Lima entrou por trás da zaga na área e chutou forte para o goleiro corintiano defender. Dois minutos depois, o mesmo centroavante pegou rebote na entrada da área e disparou uma bomba. Julio pegou no canto direito.

Com o avanço carioca, o Corinthians ganhou espaço para jogar nos contra-ataques. Jorge Henrique, aos 26, avançou em velocidade e cruzou. Leandro Guerreiro afastou mal, Dentinho pegou o rebote na área, mas bateu por cima, para desespero da torcida. Em seguida, aos 26, o Botafogo reclamou de um pênalti. Alessandro desviou de cabeça para a área, Moradei subiu para cortar e trombou com Victor Simões. O árbitro ignorou.

Antes do encerramento do primeiro tempo, o Corinthians conseguiu abrir o placar em uma penalidade, aos 42. Dentinho arrancou pela esquerda, driblou Wellington e foi derrubado na área por Léo Silva. O próprio atacante bateu e colocou o Timão em vantagem.

Segundo tempo com gol de mão, pênalti duvidoso e muita polêmica

Na volta do intervalo, Estevam Soares trouxe o Botafogo para o ataque com a entrada de Reinaldo no lugar de Léo Silva. A mudança deu resultado logo a um minuto. Lucio Flavio cobrou escanteio, o atacante subiu mais que os zagueiros e cabeceou sem chances para Julio Cesar, empatando o jogo.

O Corinthians, porém, respondeu imediatamente. Aos seis minutos, o árbitro marcou falta que não aconteceu em Jucilei. Marcinho cobrou com perfeição e acertou o canto esquerdo. Castillo sequer foi para a bola. Foi o primeiro gol do jogador com a camisa do Timão.

A animação da Fiel nas arquibancadas acabou aos 14 minutos com o empate carioca. Após cruzamento da direita, André Lima, que já vinha sendo puxado pela camisa, se antecipou ao goleiro Julio Cesar e desviou com a mão esquerda para as redes. Os jogadores do Corinthians reclamaram, mas o árbitro Arilson Bispo da Anunciação e o auxiliar Luiz Carlos Silva Teixeira confirmaram o gol.

A confusão, contudo, estava longe de acabar. Aos 24, mais um pênalti. Só o juiz viu um empurrão de Thiaguinho em Jorge Henrique na área. Souza, que acabara de entrar, pegou a bola para bater, mas Dentinho assumiu a responsabilidade novamente. Ele bateu, Castillo defendeu, mas o atacante aproveitou o rebote para fazer 3 a 2. Os jogadores do Botafogo reclamaram de uma irregularidade. O lance, no entanto, foi validado.

O Botafogo mostrou força para chegar ao empate mais uma vez. Lucio Flavio cobrou falta com perfeição, aos 34, e acertou o ângulo esquerdo, marcando um golaço. Nos minutos finais, os times ainda tentaram o quarto gol, mas o desgaste físico impediu.

agosto 24, 2009 Posted by | Botafogo, Corinthians | , , , , | Deixe um comentário

Grêmio fica no 0 a 0 com o Caracas e vai às semifinais da Libertadores

Time tricolor falha nas conclusões e até leva alguns sustos, mas garante vaga para pegar São Paulo ou Cruzeiro


Maxi López lutou, mas pecou demais nas finalizações

Pouco importa que ainda falte aquela atuação de encher os olhos, que persistam algumas desconfianças e que empatar por 0 a 0 em casa contra um time da Venezuela não seja exatamente animador. Tudo isso fica depois. O que vale mesmo é que o 0 a 0 com o Caracas na noite desta quarta-feira, no Olímpico, colocou o Grêmio nas semifinais da Libertadores da América. Faltam quatro jogos para, se tudo der certo para os tricolores, o time gaúcho ser tricampeão do principal torneio do continente.

Na estreia do 4-4-2 na Libertadores, o time de Paulo Autuori controlou o jogo e criou repetidas chances de gol, mas desperdiçou todas, especialmente com Maxi López. Na defesa, alguns sustos naturais – um deles, no fim do jogo, de apavorar.

O adversário do Grêmio nas semifinais será o São Paulo ou o Cruzeiro. As duas equipes jogam nesta quinta-feira no Morumbi. O time gaúcho visitará quem passar já na semana que vem, ou em Belo Horizonte, ou na capital paulista. Antes, tem Campeonato Brasileiro. No sábado, o Tricolor recebe o Goiás pela sétima rodada.

Faltou o gol

Com um pouco mais de precisão nas conclusões, o Grêmio teria balançado a rede venezuelana no primeiro tempo. Não faltaram chances. Maxi López tentou de tudo que é jeito: em chute cruzado, em cabeceio, até por cobertura. E nada de a bola entrar. Os 45 minutos iniciais foram de dominação tricolor, mas de pouca inspiração. E o time de Paulo Autuori ainda levou alguns sustos.

A superioridade tricolor foi uma questão inclusive matemática. Só nos primeiros 12 minutos, o Grêmio criou quatro oportunidades vivas de gol. Souza, em bonito voleio, quase abriu o placar logo com dois minutos. Na sequência, Maxi apareceu três vezes. O problema é que ele não encontrou o gol. O cabeceio morreu no goleiro, o chute cruzado acertou a rede por fora e o toque por cobertura, após bobeada da zaga em recuo curto, passou por cima.

Aí o Caracas resolveu passear pelo campo de ataque. Lucena viraria herói nacional se o goleiro Marcelo Grohe não voasse bonito para tirar a bola do ângulo com a ponta dos dedos. Quase. Gómez também arriscou de longe, e o goleiro novamente trabalhou. O chute ficou nos braços do gremista, bem posicionado no meio do gol.

Com o 0 a 0 garantindo a classificação, o Grêmio não viu necessidade de colocar a língua de fora. Atacou com calma, na manha, cozinhando o oponente, que marcava forte no campo de ataque, mas deixava espaços atrás. Tcheco, dentro de área, desperdiçou a melhor chance da etapa inicial. Ele bateu de primeira, com a perna canhota, por cima do gol. Maxi, de novo, mandou chute cruzado aos 28. Vega espalmou.

Como vem acontecendo sistematicamente na Libertadores, o Grêmio jogou o suficiente para controlar o adversário no primeiro tempo, mas não teve aquela atuação capaz de convencer os torcedores de que o título está encaminhado. O time ainda errou muito nos cruzamentos, especialmente com Fábio Santos, e se mostrou lento na transição ao ataque.

Sem gol no Olímpico, a torcida do Grêmio teve como alento vibrar com a desgraça do rival. Quando Jorge Henrique colocou o Corinthians na frente do Inter no Pacaembu, no primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil, o Olímpico teve o momento de maior vibração no primeiro tempo.

Segundo tempo


O segundo tempo começou no mesmo tom da etapa inicial. O Grêmio seguiu dominando. O Caracas, temeroso de ceder espaços fatais ao time brasileiro, só atacou com prudência. Muito pouco para superar um adversário tão superior.

Tcheco, com 40 segundos de período complementar, mandou chute perigoso e quase fez o gol. A bola viajou no céu do Olímpico e caiu repentinamente. Quase entrou. A partir daí, o Grêmio fez uma ronda na área venezuelana, mas não conseguiu criar chances até Herrera ir a campo no lugar de um apagado Alex Mineiro, aos 15 minutos. O argentino colocou correria na direita e mandou na cabeça do compatriota Maxi López, que cabeceou rente à trave direita de Vega. Faltou pouco. De novo.

E aconteceria mais uma vez, novamente com Herrera, novamente em cruzamento da direita, mas desta vez com Souza. O meia apareceu feito centroavante para desviar do goleiro, que rezou para todos os santos e foi atendido. A bola saiu.

Com o passar do tempo, o Caracas tentou avançar em campo para se aproximar do gol. Não deu certo. Acabou criando buracos defensivos que o Grêmio só não aproveitou porque realmente não era a noite de Maxi. Aos 33 minutos, Souza deu passe precioso para Herrera, que deixou La Barbie de frente para o gol. E ele errou de novo.

Aos 39 minutos, o time de Paulo Autuori quase perdeu a vaga. Castellín, quase dentro do gol, cabeceou para fora. Foi um dos maiores sustos que o Olímpico já viveu. A bola não entrou por milagre.

A torcida do Grêmio não conseguiu comemorar um gol de seu time. Mas ficou feliz da vida ao vibrar com mais um do Corinthians contra o Inter. Se Maxi não fez no Olímpico, Ronaldo marcou no Pacaembu. E os gremistas foram para casa duplamente felizes.

Ficha técnica:

GRÊMIO 0 x 0 CARACAS
Marcelo Grohe, Ruy, Léo, Réver e Fábio Santos; Túlio, Adilson, Souza e Tcheco; Alex Mineiro (Herrera) e Maxi López. Vega, Romero, Barone, Rey e Alejandro Cichero; Vera, Darío Figueroa (Guerra), Lucena e Jesús Gomez (Prieto); Rentería (Valoyes) e Castellín.
Técnico: Paulo Autuori. Técnico: Noel Sanvicente.
Gols: .
Cartões amarelos: Rentería, Figueroa, Gómez, Castellín (Caracas); Souza (Grêmio).
Estádio: Olímpico. Data: 17/06/2009. Árbitro: Carlos Torres (PAR). Auxiliares: Rodney Aquino (PAR) e César Franco (PAR).

junho 18, 2009 Posted by | Grêmio | , , , | Deixe um comentário

Palmeiras não supera o Nacional e está eliminado da Libertadores

Equipe fica no 0 a 0 com o Nacional, que avança por causa do gol marcado fora da casa. Árbitro não marca pênalti para o Alviverde no primeiro tempo


Diego Souza tenta deixar o adversário para trás e levar o Palmeiras ao ataque em Montevidéu

Fim do sonho do bicampeonato. Apesar de muita luta, o Palmeiras ficou no 0 a 0 com o Nacional nesta quarta-feira, em Montevidéu, e está eliminado da Libertadores. Como empatou por 1 a 1 no jogo de ida, no Palestra Itália, a equipe brasileira precisava ao menos repetir este resultado para levar a partida para os pênaltis. Os uruguaios, desta forma, se classificam para a semifinal da competição por causa do gol marcado fora de casa. Aos palmeirenses ficou ainda a sensação de que a história poderia ter sido diferente se o árbitro não tivesse ignorado um pênalti ainda no primeiro tempo.

Na próxima fase, o Nacional terá pela frente o vencedor do confronto entre Estudiantes e Defensor, que se enfrentam nesta quinta. No jogo de ida, os argentinos venceram por 1 a 0 fora de casa e estão com a vantagem.

Bola no travessão e pênalti não marcado

Assista os melhores momentos:


Apesar da pressão da torcida local, que lotou o Centenário para empurrar o Nacional, os jogadores palmeirenses não se acuaram no campo de defesa. Nos primeiros minutos da partida, as duas equipes erraram muitos passes e o jogo ficou preso no meio-de-campo. A primeira boa oportunidade foi dos brasileiros, aos oito minutos. Cleiton Xavier bateu escanteio da esquerda e quase fez gol olímpico. O goleiro Muñoz chegou a desviar a bola, que bateu no travessão e ficou bobeando dentro da área, mas nenhum palmeirense conseguiu aproveitar o rebote.

Com dificuldades de penetrar na defesa adversária, o Nacional passou a apostar nos chutes de longa distância para abrir o placar. A mais perigosa aconteceu aos 16 minutos. Dominguez mandou uma bomba em cobrança de falta e Marcos, no centro do gol, espalmou para o lado. Aos 24 minutos, foi a vez de Romero subir ao ataque e, com um chute forte, assustar os palmeirenses. A bola, no entanto, subiu demais.

Mais efetivo com os avanços pelas laterais, o Palmeiras chegou perto do gol aos 30 minutos. Diego Souza recebeu bom passe dentro da área e finalizou, Keirrison desviou a bola, que foi por cima do gol com o goleiro Muñoz já batido. Dois minutos depois, os uruguaios reclamaram que a bola bateu na mão de um defensor alviverde após um bate-rebate na área, mas o árbitro não viu irregularidade e mandou o lance seguir.

Aos 43, foi a vez de os brasileiros reclamarem, e pelo mesmo motivo. Armero desceu pela esquerda e fez o cruzamento, cortado com a mão por Coates, do Nacional. O árbitro assinalou somente o escanteio. Revolta geral na equipe alviverde.


Obina perde grande chance perto do fim


O Palmeiras voltou do vestiário com a pressão ainda maior de chegar ao primeiro gol, mas encontrou um jogo amarrado, cheio de faltas e poucas oportunidades. O tempo corria e os brasileiros só conseguiam entrar na área adversária com bolas aéreas, o que facilitava a vida dos defensores do time uruguaio. Vendo a dificuldade da sua equipe, Luxemburgo aumentou o poder ofensivo com as entradas de Ortigoza e Obina nos lugares de Willians e Marcão.

O primeiro lance de real perigo do Palmeiras aconteceu somente aos 25 minutos, justamente com os jogadores que entraram no segundo tempo. Ortigoza tocou boa bola para Obina dentro da área, o atacante girou e bateu, mas o chute saiu torto, à esquerda do gol de Muñoz.

Jogando sem se expor muito, o Nacional quase não fez o goleiro Marcos trabalhar. Em raro lance de ataque bem trabalhado, aos 30 minutos, Lodeiro recebeu um cruzamento da direita e, de entrada da área, mandou uma bomba. A bola, no entanto, subiu demais. O lance de mais perigo do Palmeiras aconteceu aos 39. Ortigoza desceu pela esquerda e cruzou na medida para Obina, que desviou de cabeça e a bola passou rente à trave do Nacional.

No minuto seguinte, os uruguaios se aproveitaram bem do desespero alviverde e puxaram um rápido contra-ataque. Garcia ficou de frente para Marcos e tocou na saída do goleiro, mas a bola saiu mansamente à esquerda do gol. Ainda havia tempo para mais emoção. Aos 45, Cleiton Xavier tentou encobrir o goleiro, que havia saído errado. O arqueiro do Nacional, no entanto, se recuperou e fez a defesa. Aos 46, após cruzamento para a área, o goleiro Marcos foi tentar o gol e quase se torna o herói após tentativa de cabeça.

Ficha técnica:

NACIONAL 0 x 0 PALMEIRAS
Muñoz, Romero, Victorino, Coates e Dominguez; Matias Rodriguez, Arismendi, Oscar Morales e Lodeiro; Medina (Angel Morales) e Biscayzacú (Garcia). Marcos, Maurício Ramos, Danilo e Marcão (Obina); Wendel, Pierre, Cleiton Xavier, Diego Souza e Armero; Willians (Ortigoza) e Keirrison.
Técnico: Gerardo Pelusso. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
Cartões amarelos: Medina, Lodeiro (NAC); Diego Souza, Mauricio Ramos (PAL).
Estádio: Centenário, Montevidéu. Data: 17/06/2009. Árbitro: Carlos Vera (Equador). Auxiliares: Juan Cedeño e Luis Alvarado (ambos equatorianos).

junho 18, 2009 Posted by | Palmeiras | , , , | Deixe um comentário

Timão sai na frente do Inter em busca do Tri

Com gol de Ronaldo, Corinthians faz 2 a 0 no Colorado na primeira final da Copa do Brasil


Corintianos comemoram gol de Jorge Henrique (Foto: Tom Dib)

Corintianos comemoram gol de Jorge Henrique


Na primeira partida da decisão da Copa do Brasil, o Corinthians jogou melhor do que o Internacional, fez 2 a 0 com direito a gol de Ronaldo, e viaja para Porto Alegre podendo perder por até um gol de diferença que conquista o tricampeonato.

Em embate bastante movimentado e com maração forte tanto da equipe paulista quanto da gaúccha, o Timão começou mais aceso na grande finalíssima. Logo no primeiro minuto de jogo, Douglas cobrou falta pelo lado esquerdo do campo, a bola viajou toda a área colorada para Chicão completar de cabeça. Em cima da linha, Danilo Silva, que substituiu Bolívar, suspenso, afastou o perigo.

O Alvinegro quase abriu o placar aos 21 minutos do primeiro tempo. Em ótima triangulação corintiana, Jorge Henrique lançou Dentinho, que cruzou rasteiro na área. Lauro fez ótima defesa após complemento de Ronaldo à queima roupa.

Assista os Golls da Partida:


Apesar de ter sentido as ausências de Nilmar e Kléber, que servem a Seleção Brasileira na Copa das Confederações, na África do Sul, e D’Alessandro, que ficou de fora devido a uma lesão na coxa direita, e ter ficado sem criatividade no meio de campo, o Inter respondeu no lance seguinte. Marcelo Cordeiro recebeu de Taison dentro da área, pelo lado esquerdo, e, na saída de Felipe, tocou para trás. Antes que Alecsandro empatasse a partida, William tirou de carrinho.

Com o domínio do duelo, não demorou para o Corinthians sair à frente no marcador. Em ótima jogada de Marcelo Oliveira, substituo de André Santos, também na equipe de Dunga, o lateral-esquerdo fintou Danilo Silva com facilidade e tocou para Jorge completar para o gol, fazendo seu segundo tento na competição. Ainda antes do intervalo, Ronaldo bateu forte da entrada da área e assustou Lauro.

O Inter voltou melhor para a segunda etapa, mas não tardou para o Fenômeno dar o ar da graça e deixar sua marca em mais uma decisão. Aos oito minutos, Ronaldo foi lançado por Elias pela meia direita, fintou Índio sem dificuldade e bateu forte, de canhota, no canto esquerdo de Lauro. O terceiro gol com a marca do fenômeno na Copa do Brasil.

Depois do segundo gol, o Colorado bem que tentou reagir, mas a zaga alvinegra e o goleiro Felipe, com atuações irreparáveis, impediram que os comandados de Tite diminuíssem a vantagem para o jogo de volta, no Beira Rio, dia 1º de julho.

Aos 16 minutos, Andrezinho cobrou falta com precisão, e o goleiro se esticou para evitar o pior. Antes do fim, Taison saiu livre no ataque e bateu em cima do camisa 1.


FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 2 X 0 INTERNACIONAL

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 17/6/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Alessandro Álvaro Rocha Matos (BA)
Renda/público: R$ 1.825.478,00 / 36.614 pagantes
Cartões amarelos: Alessandro, Douglas, Boquita e Souza (COR); Índio, Magrão, Sandro e Leandrão (INT);
Cartões vermelhos: Leandrão (INT);
GOLS: Jorge Henrique, 26′/1ºT (1-0); Ronaldo, 8′/2ºT (2-0).

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, Chicão, William, Marcelo Oliveira (Diego 38′/2ºT); Cristian, Elias, Douglas; Jorge Henrique (Souza 45′/2ºT), Dentinho (Boquita 25′/2ºT) e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes.

INTERNACIONAL: Lauro, Danilo Silva, Índio, Álvaro, Marcelo Cordeiro; Sandro (Giuliano 30′/2ºT), Guiñazú, Magrão, Andrezinho (Glaydson 38′/2ºT), Taison e Alecsandro (Leandrão 13′/2ºT). Técnico: Tite.

junho 18, 2009 Posted by | Corinthians, Internacional | | Deixe um comentário

Pato ou Nilmar? Dunga mantém mistério

Técnico realizou rápido treino tático nesta tarde de bolas paradas, defensivas e ofensivas, e revezou os atacantes ao lado de Robinho


Nilmar, Dunga e Alexandre Pato em treino: mistério deve seguir até próximo ao jogo

O técnico Dunga optou por manter o mistério sobre o companheiro de Robinho no ataque da seleção brasileira, que enfrenta o Paraguai, nesta quarta, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010. No rápido treino tático realizado na tarde desta terça-feira, no Arruda, o treinador trabalhou as cobranças de escanteios e faltas levantadas na área. E não deu pistas sobre Pato ou Nilmar. Eles disputam a vaga de Luís Fabiano, expulso na vitória por 4 a 0 sobre o Uruguai, no último sábado, em Montevidéu.


No primeiro período da atividade, liberada apenas para alguns sócios e parentes de dirigentes do Santa Cruz na arquibancada, o técnico priorizou a defesa, e deixou Nilmar e Pato fora. Quando deu ênfase ao setor ofensivo, os atacantes se revezaram no setor ofensivo. Daniel Alves treinou normalmente entre os titulares. Já Maicon, recuperado de uma lesão muscular, mas ainda precisando de mais ritmo de jogo, ficou entre os reservas.


Na última segunda-feira, Pato largou na frente na disputa ao marcar um gol contra o time juvenil do Santa Cruz, em jogo-treino no Arruda. Apesar de cinco anos mais novo e da preferência de Robinho por Nilmar, o atacante do Milan tem mais experiência na seleção brasileira e vive um bom momento no Milan. Ele marcou 18 gols e foi o jogador do atual grupo da seleção que mais balançou a rede na última temporada europeia.

junho 9, 2009 Posted by | Seleção brasileira. | , , , | Deixe um comentário

Técnico garante: Vasco não vai fugir de compromisso

Sob jejum de vitórias, desafio é ganhar fora do líder Guarani


Técnico Dorival Júnior afirma que o Vasco tem que encarar os desafios que se impõem ao time

Técnico Dorival Júnior afirma que o Vasco tem que encarar os desafios que se impõem ao time


O Vasco, após cinco rodada das Série B do Campeonato Brasileiro, está em quarto lugar, com dez pontos, mas não vence há dois jogos e seu próximo adversário é o líder Guarani, fora de casa.

Diante deste desafio, a equipe busca a vitória para não deixar o Bugre, que ganhou todas as suas partidas, abrir maior vantagem sobre si na tabela de classificação.

– É uma necessidade. Você tem de enfrentar todo e qualquer adversário. Estaremos enfrentando o líder do campeonato dentro de sua casa e é um momento importante – destacou o técnico Dorival Júnior.

Após derrota com os reservas para o Paraná, em Curitiba (PR), e empate com o São Caetano, em São Januário, entremeadas pela eliminação na Copa do Brasil para o Corinthians com dois empates, o Cruzmaltino tenta encerrar o jejum de vitórias.

– Não temos que fugir de um compromisso, não. Se o Vasco tem algum objetivo pela frente tem de enfrentar toda e qualquer situação. É bom que estejamos preparados para enfrentar um grande jogo – afirmou Dorival Júnior.

junho 9, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , | Deixe um comentário

No Santos de Mancini, Roberto Brum vira amuleto para vitórias

Técnico santista nunca perdeu um jogo quando teve volante em campo


Roberto Brum durante entrevista coletiva

No elenco santista, o volante Roberto Brum é conhecido pela pegada dentro de campo, o estilo brincalhão, pelas histórias que conta e pelo apego à religião. Mas para o técnico Vagner Mancini, o atleta também pode ser considerado uma espécie de amuleto da sorte. Isso porque, quando Brum está em campo, o treinador santista não perde.

Desde que assumiu o Santos, em fevereiro deste ano, Mancini comandou o time em 23 partidas. Foram 12 vitórias, oito empates e somente três derrotas. E nesse três únicos revezes que teve, Brum foi a única ausência entre os atletas considerados titulares.

– Foi ele quem veio me falar isso. Eu fiquei impressionado e disse que, em nome de Jesus, não vamos perder nenhum. Não sou um homem supersticioso, mas vejo isso como um cuidado de Deus na minha vida – disse Brum ao GLOBOESPORTE.COM, lembrando que não esteve em campo nas duas derrotas para o Corinthians (1 a 0 e 3 a 1, pelo Campeonato Paulista) e na eliminação santista para o CSA (1 a 0, pela Copa do Brasil).

Quarto colocado do Campeonato Brasileiro, o time da Vila Belmiro é o paulista mais bem posicionado na competição, com nove pontos. Ao lado do líder Internacional e do vice-líder Atlético-MG, a equipe alvinegra forma o trio que ainda não perdeu nesta edição da competição em cinco rodadas disputadas.

– O Santos tem regularidade e estabilidade. Você entra em campo sabendo o que vai fazer. Não existem interrogações na cabeça dos jogadores. O segredo agora é manter esse padrão de jogo e a batida porque o campeonato é longo e não se pode oscilar muito.

Roberto Brum só lamenta os dois tropeços que o Santos teve diante do Goiás, na Vila Belmiro, e Santo André, fora de casa, quando vencia as partidas, mas acabou cedendo os empates, ambos em 3 a 3.

– Esses pontos eram possíveis e poderiam ter nos levado para liderança com o Inter. Mas esse time não tem um limite e o caminho é bater na cabeça da tabela – avisou.

junho 9, 2009 Posted by | Santos | , , | Deixe um comentário

Hernanes e Jean: superação na adversidade

Hernanes agradece apoio de Jean e mostra fidelidade ao amigo


Na semana passada, depois de Hernanes ter ficado no banco de reservas contra o Cruzeiro, na vitória do Tricolor por 3 a 0, no Morumbi, Jean saiu em defesa do companheiro. Parceiros desde as categorias de base do clube em 2002, o camisa 15, que herdou o número que o amigo usou às costas quando ganhou o prêmio de melhor jogador do Brasileirão em 2008, disparou:

– Um ano atrás ele (Hernanes) sempre falava que eu ia dar certo como jogador, ele deixou bem claro para mim. Da mesma forma que é difícil de você manter o nível lá emcima, ainda mais jogador de futebol, que joga sempre, mas aqui eu sou a pessoa mais próxima dele, e pelo que a gente conversa, ele está normal, não mudou nada. Nada vai abatê-lo, entristecê-lo. É só uma fase dentro de campo, ele já provou a qualidade que tem e vai passar. Eu respondo por ele: vai passar.

Contra o Avaí, no último domingo, no empate em 0 a 0, Hernanes voltou ao time titular. Com a ausência de Eduardo Costa, com dores na parte posterior da coxa direita, o camisa 10 atuou ao lado de Jean, como volante, mais avançado do que o amigo, mas com a responsabilidade de marcar. Ele agradece a ajuda:

– Ele (Jean) sempre jogou e marcou comigo. Não era agora que iria me abandonar, na fase ruim. Na alegria e na tristeza estamos juntos (risos). Ele é um companheiro fiel, fidelidade.

Antes da volta de Hernanes, Jean já tinha garantido que, se fosse preciso, mostraria que a amizade entra no gramado. Ajudar o amigo voltar a apresentar o mesmo futebol do ano passado era primordial:

– O Hernanes é um cara que eu faço questão de correr por ele só pra vê-lo jogando, faço questão de tomar a bola e dar para ele, por que ele é impressionante, tem uma habilidade e uma caráter diferenciados.

Em campo, no último confronto do Sampa, a dupla voltou a atuar junta, como aconteceu na reta final do Brasileirão do ano passado. No meio-de-campo, os dois foram responsáveis pela proteção da defesa.

Jean mais recuado, Hernanes com mais liberdade. Este ano, o camisa 10 mudou de posição. Avançou um pouco, iniciou bem, mas nos últimos jogos não rendeu o esperado. Agora, um ajudando o outro, a dupla espera acertar os ponteiros para seguir em busca do segundo título lado a lado. Desta vez, a Libertadores.

junho 9, 2009 Posted by | São Paulo | , | Deixe um comentário

Campeão em 99, Alex visita Palmeiras e usa passado para atiçar torcida

Meia do Fenerbahçe relembra título da Libertadores, jogo difícil contra o Vasco e afirma crer em nova virada contra o Nacional do Uruguai


Contra o Nacional, Alex crê em nova virada palmeirense, como a diante do Vasco, em 99

O torcedor palmeirense que o visse andando pelos gramado da Academia de Futebol sentiria saudades. De férias no Brasil após renovar por mais dois anos com o Fenerbahçe, o meia Alex, ex-atleta do Alviverde, esteve na tarde desta terça-feira na sua antiga casa. No CT palmeirense, reviu antigos amigos, como o goleiro Marcos, e memórias. Perto do aniversário de dez anos da conquista da Taça Libertadores, o atleta relembrou a campanha daquele time, comandado por Luiz Felipe Scolari, que pode animar os fanáticos pelo time paulistano.

Depois de empatar em 1 a 1 a primeira partida das quartas de final da competição continental com o Nacional, o time brasileiro define a vaga no estádio Centenário, no Uruguai, no próximo dia 17. Para avançar à semifinal da Libertadores, o Palmeiras precisa vencer os uruguaios por qualquer placar. Empate sem gols garante o rival na outra etapa do torneio. Um novo 1 a 1 leva a decisão para as penalidades. Caso ocorra uma igualdade por mais de um gol, os paulistas também seguem na competição – nesta fase do campeonato, o gol fora de casa tem um peso maior.

Mas antes dessa etapa do torneio, o time já havia sofrido para classificar à fase de mata-mata e conseguiu com um gol de Cleiton Xavier nos minutos finais da partida com o Colo Colo, no Chile. Esse passado recente, segundo Alex, lembra muito as dificuldades que o time teve para a conquista de 1999.

– O time classificou de forma dramática no Chile, fez uma partida ruim contra o Nacional, causando um mal-estar geral, mas posso lembrar uma coisa para o torcedor. Em 99, fizemos uma partida ruim contra o Vasco e só empatamos em 1 a 1 no Palestra Itália. No Rio, vencemos e passamos. Acho que vai acontecer a mesma coisa agora. O Nacional saiu satisfeito daqui com o resultado, mas pode acontecer um revés – disse Alex, relembrando os 4 a 2 sobre os cariocas na partida de volta das oitavas de final da competição de dez anos atrás.

Camisa 10 do Palmeiras naquela época, Alex ficou no clube paulistano por quatro anos. Por esse tempo, conhece bem o estilo do torcedor e a pressão que a equipe sofre em algumas partidas quando joga mal em casa.

– Isso é normal no Palmeiras, é coisa de time grande. Única coisa que é que o Palestra tem de ser mesmo a casa do Palmeiras. Era sempre uma atmosfera fantástica e tem de ser sempre assim – avaliou o meia, aconselhando os torcedores alviverdes.

junho 9, 2009 Posted by | Palmeiras | , , , | Deixe um comentário

Tite surpreende e indica que argentino D’Alessandro poderá pegar o Vitória

Treinador teme que atleta perca ritmo de jogo com muito tempo fora. O mesmo vale para o zagueiro Álvaro


D’Alessandro se recupera de tendinite, mas é cotado por Tite para o jogo de domingo

Se o departamento médico, precavido, deu sinais de que D’Alessandro não enfrentaria o Vitória no domingo, pela sexta rodada do Brasileiro, o técnico Tite mirou os indícios em sentido contrário. Pelo que disse o treinador do Inter, o argentino estará em campo domingo, mesmo que ainda se recupere de tendinite na perna esquerda. Tite lembrou que o processo de recuperação não é isolada da parte técnica no Beira-Rio. Quando um atleta está clinicamente liberado, também está quase pronto para jogar.

Tite teme que D’Alessandro perca ritmo de jogo se não atuar no domingo. Por isso, deve escalá-lo contra o Vitória. O mesmo vale para o zagueiro Álvaro, que apresentou desgaste e foi preservado do jogo contra o Cruzeiro.

– Vamos esperar até o fim de semana para ver o que fazer em cada posição – disse Tite.

Bolívar não estará em campo no primeiro jogo da final da Copa do Brasil. Como consequência, enfrentará o Vitória. Lauro e Guiñazu, suspensos, não pegam o time baiano. Possível time para domingo: Michel Alves, Bolívar, Danny, Álvaro e Marcelo Cordeiro; Maycon, Glaydson, Andrezinho e D’Alessandro; Talles Cunha e Alecsandro.

junho 9, 2009 Posted by | Internacional | , | Deixe um comentário

Fluminense x Grêmio: ingressos à venda

Times se enfrentam pela sexta rodada do Brasileiro, domingo, no Maraca


O Fluminense recebe o Grêmio neste domingo, às 16h, no Maracanã, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Os ingressos para a partida já estão à venda nas Laranjeiras, na Gávea, na Bilheteria 8 do Maraca, na sede do São Cristóvão FC e no Parque Terra Encantada, na Barra da Tijuca (Zona Oeste do Rio de Janeiro).

A carga total de bilhetes colocada à venda foi de 67 mil. O preço das entradas varia de R$ 120 (cadeira especial – inteira) a R$ 10 (cadeira comum – meia). O único dia que os ingressos não serão comercializados será na quinta-feira.

Preço dos ingressos:

– Cadeira Especial: R$ 120 (R$ 60, meia-entrada)

– Arquibancada branca: R$ 40 (R$ 20, meia)

– Arquibancada verde e amarela: R$ 30 (R$ 15, meia)

– Cadeira Comum: R$ 20 (R$ 10, meia)

Locais de venda:

De terça-feira a sábado. Na quinta-feira não haverá venda de ingresso (9h às 17h):

– Laranjeiras (sede do Fluminense)

– Gávea (sede do Flamengo)

– Bilheteria 8 do Maracanã

– Sede do São Cristóvão FC

– Parque Terra Encantada, Barra da Tijuca (sexta e sábado até as 13h)

*** A venda nas laranjeiras, exclusiva para sócio e sócio-torcedor, será na quarta e na sexta

No dia do jogo haverá venda nas bilheterias (12h às 16h45m):

– Bilheteria nº 5 (Avenida Maracanã) – Todos os setores (inteira e meia-entrada)

– Bilheteria nº 6 (Rua Mata Machado) – Todos os setores (inteira)

– Bilheteria nº 7 (Rua Mata Machado) – Todos os setores (inteira)

– Bilheteria nº 8 (Av. Radial Oeste) – Todos os setores (inteira e meia)

– Bilheteria nº 9 (Av. Radial Oeste) – Todos os setores (inteira)

junho 9, 2009 Posted by | Fluminense, Grêmio | , , , | Deixe um comentário

Flu lança Camisa e provoca Fla

Essa é a camisa de Assis que será comercializada

Segunda camisa de Assis provoca o Fla


Essa é a camisa de Assis que será comercializada

Estampa tem a frase: ‘Recordar é viver, Assis acabou com você’

O Fluminense irá inaugurar mais uma loja da Fluboutique, no Barra Square (Barra da Tijuca), nesta terça, às 19h30. E o grande atrativo serão as camisas a Assis, eterno ídolo tricolor, campeão carioca de 83/84/85 e brasileiro de 84. Enquanto uma relembra o uniforme de jogo da época, a outra chama a atenção pela provocação ao Flamengo. Isso porque o ex-jogador leva a fama de ser o Carrasco Rubro-Negro.

A camisa leva uma foto de Assis seguida de uma frase: “Recordar é viver, Assis acabou com você” (foto acima). O motivo é que tanto em 83, como em 84, o atacante marcou o gol do título sobre o clube da Gávea.

Obs: há o modelo grená da camisa também.

junho 9, 2009 Posted by | Flamengo, Fluminense | , | Deixe um comentário

Adriano não vai aos treinos do Fla e é visto na praia

Clube avisa que jogador foi liberado para uma audiência judicial, mas fotos tiradas depois do almoço o mostram em um quiosque na Barra da Tijuca

Adriano em um quiosque na praia da Barra

Uma semana depois a cena se repete. Adriano não apareceu na reapresentação do Flamengo nesta terça-feira. O atacante não foi aos testes físicos realizados nesta manhã, no Ninho do Urubu, e tampouco esteve presente na atividade da tarde, no mesmo local.

Segundo a justificativa oficial do clube, o jogador teve uma audiência judicial na Vara de Família. Porém, uma agência de fotografias comercializou imagens do jogador em um quiosque na praia da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. O fotógrafo que fez o registro disse que as fotos foram tiradas por volta de 8h30m da manhã, e não às 14h como informara anteriormente a agência. Não se sabe, porém, que horas serial a tal audiência do atleta.

O agente do jogador, Gilmar Rinaldi, disse que não houve falta e que o Flamengo sabia do compromisso.

– Eu sei que ele está em uma audiência nesta tarde. Se durou o dia inteiro só o juiz pode responder. O clube sabia que ele não iria aos treinos. Na foto ele aparece comprando uma água de coco, o que não diz nada – declarou, por telefone.

Apesar de o empresário do Imperador dizer que o clube estava ciente de que o atleta faltaria aos treinos, o vice-presidente de futebol do Fla, Kleber Leite, afirmou não estava sabendo de nada. Ele só irá falar sobre o caso assim que conversar com a comissão técnica.

– Não posso falar nada porque não estou ciente desse assunto. Estou no clube desde a manhã resolvendo outras questões. Só vou me pronunciar depois de me encontrar com o Cuca e com o Isaías (Tinoco) – disse o dirigente.

Na 1ª Vara de Família do Fórum da Barra da Tijuca, Adriano tem uma audiência com a ex-namorada Daniele Carvalho de Oliveira, mãe dos dois filhos dele  (Sophia e Adrianinho) sobre oferta de pensão alimentícia.

Na última terça-feira, o jogador não compareceu a um treino na Gávea. Na ocasião,o vice-presidente de futebol do Flamengo, Kleber Leite, minimizou o episódio e culpou o aparelho de rádio do supervisor Isaías Tinoco, que estaria desligado e impossibilitou o contato.

Ainda fora de forma, o centroavante participou de dois jogos desde que retornou ao Flamengo. Na semana passada, o preparador físico Riva Carli comentou a importância dos treinos físicos às terças para que Adriano melhorasse o condicionamento dele.

junho 9, 2009 Posted by | Flamengo | , , | Deixe um comentário

FOTOS: clube lança linhas casual e retrô

Peças são inspiradas nas cores e na história da Raposa


Agência/Vip.com

Modelos desfilam com a linha casual lançada pelo Cruzeiro nesta terça-feira, em Belo Horizonte

Agência/Vip.com

Wagner e Jonathan vivem dia de modelos exibindo a moda casual no evento

Agência/Vip.com

Esta camisa retrô é inspirada no uniforme usado na década de 40 e resgata uma fase histórica em que o clube jogava como Sociedade Esportiva Palestra Itália. Uniforme tinha faixas horizontais verdes e vermelhas, gola e punhos brancos, com escudo no centro.

Agência/Vip.com

Já esta usada por Fábio é inspirada no modelo de 1956, quando o uniforme passou a ter listras horizontais azuis e brancas. Apesar do bom apelo junto à torcida, a camisa não foi usada em muitas competições, o que tornou o modelo ainda mais cobiçado.

junho 9, 2009 Posted by | Cruzeiro | , | Deixe um comentário

Felipe: ‘Não tem como esconder. São 180 minutos que levam à Libertadores’

Goleiro do Corinthians sabe da importância do Campeonato Brasileiro, mas não esconde que Copa do Brasil está na cabeça do elenco desde já

Apesar do jogo contra o Goiás, domingo, Felipe só pensa na final da Copa do Brasil contra o Inter

Antes da primeira partida da final da Copa do Brasil, contra o Internacional, no próximo dia 17, no Pacaembu, o Corinthians tem um desafio diante do Goiás, domingo, fora de casa, pela sexta rodada Campeonato Brasileiro. Normalmente, nesses casos, o discurso dos jogadores é norteado pelo clichê “temos de pensar apenas no próximo jogo para não perder o foco”. Mas não é assim para o goleiro Felipe.

Embora reconheça a importância do jogo pelo Nacional, o camisa 1 do Timão acredita que às vésperas de uma final tão importante é impossível deixá-la de lado.

– Não tem como esconder. Ainda se fosse no início da Copa do Brasil, tudo bem, mas agora só faltam dois jogos. Todo mundo sabe que essa é a nossa prioridade. No Brasileiro ainda teremos mais 33 partidas e podemos recuperar os pontos perdidos até agora. Já na Copa do Brasil temos 180 minutos que podem nos levar à Taça Libertadores da América – comentou o goleiro corintiano.

No Corinthians desde abril de 2007, Felipe já passou por bons e maus momentos, como o rebaixamento à segunda divisão nacional no ano de sua chegada. Agora em alta, o goleiro comemora a força do elenco comandado por Mano Menezes.

– A equipe melhorou muito com a chegada de alguns jogadores mais experientes. No ano passado a gente foi longe, mas este ano é totalmente diferente. Já fomos campeões paulistas invictos e estamos preparados para essa final – falou o goleiro.

Na decisão da Copa do Brasil do ano passado, contra o Sport, Felipe foi bastante criticado pela atuação na derrota por 2 a 0 na Ilha do Retiro. Tanto que no retorno da equipe a São Paulo, ele foi afastado pelo técnico Mano Menezes. Depois desse período na berlinda, porém, o camisa 1 cresceu novamente e não saiu mais do gol.

Nesta temporada, Felipe também chegou a ser criticado no começo do ano, após algumas falhas. No entanto, logo se recuperou.

– A crítica tem de acontecer quando a fase não é boa. Nesses casos o melhor é continuar trabalhando. Eu fui criticado no começo do ano, mas agora estou aí, melhor – finalizou o defensor do Corinthians.

junho 9, 2009 Posted by | Corinthians | , , | Deixe um comentário

No Botafogo, reunião fechada antes de treino em General

Imprensa espera do lado de fora enquanto Alvinegro tenta resolver crise


Imprensa teve de esperar cerca de meia hora para ter acesso ao campo

Imprensa teve de esperar cerca de meia hora para ter acesso ao campo

A derrota no clássico para o Fluminense complicou ainda mais a situação do Botafogo, que ainda não venceu neste Brasileiro e está na zona de rebaixamento. Para tentar contornar a crise, a diretoria alvinegra se reuniu nesta terça-feira com comissão técnica e jogadores em General Severiano. E a imprensa foi proibida de entrar no local do treino até o fim da conversa.

Os últimos a saírem da reunião foram o gerente de futebol, Anderson Barros, o coordenador, Márcio Touson, e o técnico Ney Franco. A conversa durou cerda de 30 minutos.

Assim como na segunda-feira, a entrada da sede do Botafogo está com segurança reforçada para evitar possíveis protestos dos torcedores. Na última semana, um grupo pichou um dos tapumes que cercam do clube.

junho 9, 2009 Posted by | Botafogo | , , | Deixe um comentário

Atlético-MG x Náutico: ingressos a partir de R$ 2 nesta terça

Times se enfrentam no domingo, às 16h, no Mineirão, com promoção para as entradas na geral


A venda de ingressos para o jogo entre Atlético-MG e Náutico começa nesta terça-feira, com uma promoção: a entrada para a geral custará R$ 2. Os dois times se enfrentam neste domingo, às 16h, no Mineirão, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Para as cadeiras, o valor do ingresso varia entre R$ 20 e R$ 50. Estudantes e maiores de 60 anos pagam meia entrada, desde que apresentem documento comprobatório do desconto.

Confira os preços de cada setor

Cadeira Especial R$ 50,00
Cadeira Superior Central, Cadeira Inferior Central, Cadeira de Setor e Cadeira Superior Lateral R$ 20,00
Torcida do Náutico R$ 20,00
Geral R$ 2,00

Locais de compra

Sede de Lourdes
Labareda
Loja Class Club Buritis
Loja Class Club Sion
Loja do Galo Betim
Loja do Galo Barreiro
Bilheterias do Mineirão

junho 9, 2009 Posted by | Atlético-MG, Náutico | , , , , | Deixe um comentário

Invicto no Brasileirão, Galo goleia o Atlético-PR e derruba Geninho

Atlético-MG não toma conhecimento do Furacão e vence

Jogadores comemoram mais um gol do Galo

O Atlético-MG continua apresentando um ótimo rendimento neste início do Campeonato Brasileiro. O Galo foi até a Arena da Baixada, na tarde deste domingo, pela quinta rodada, e aplicou uma goleada sobre o Atlético-PR por 4 a 0, se mantendo invicto na competição. Com o resultado em Curitiba, o time mineiro chegou aos 11 pontos, passando a ocupar a segunda posição, ficando a dois pontos do líder Internacional, que empatou por 1 a 1 com o Cruzeiro, no Mineirão, e perdeu os 100% de aproveitamento. A quantidade de gols derrubou o técnico Geninho, que pediu demissão do cargo após o jogo, e fez o Furacão cair para a lanterna, com apenas um ponto, mas com saldo pior que o rival Coritiba, penúltimo colocado. Marcinho foi expulso no primeiro tempo e acabou prejudicando muito a equipe paranaense, que sofreu a terceira derrota consecutiva dentro de casa.

Assista os Golls da Partida:

A próxima partida do Atlético-MG será contra o Náutico, às 16h (de Brasília), de domingo, no Mineirão. Já a equipe do Atlético-PR, que continua sem vencer no campeonato, enfrenta o Sport, às 18h30m, de sábado, na Ilha do Retiro. O apoiador Paulo Baier, recém-contratado pelo clube paranaense, esteve na Arena acompanhando o jogo e tem grandes chances de jogar no Recife.

Galo assusta com um minuto de jogo

O Atlético-MG começou a partida a todo vapor. Logo no primeiro ataque, com um minuto de jogo, o time quase abriu o placar. Diego Tardelli aproveitou o cruzamento de um escanteio, cabeceou sozinho, mas a zaga do Atlético-PR tirou em cima da linha. O Furacão respondeu oito minutos depois. Patrick cruzou pela direita, e Rafael Moura cabeceou com perigo. Porém, o bandeirinha marcou impedimento.

Aos 23, Diego Tardelli aproveitou uma bobeada da defesa adversária, dominou a bola e finalizou na entrada da área. A bola passou raspando na trave esquerda do goleiro Vinícius. O Galo continuou melhor e, cinco minutos depois, fez o seu primeiro gol. Após um cruzamento pela esquerda, Tardelli ajeitou de calcanhar para a chegada de Júnior, que só teve o trabalho de concluir.

O que estava ruim, ficou ainda pior para o Atlético-PR. Marcinho deu uma entrada desleal no lateral Thiago Feltri, e o juiz Rodrigo Martins Cintra expulsou o meia.

Atlético-MG continua melhor no segundo tempo

Com um jogador a mais, o Galo voltou para a etapa final determinado a liquidar a partida. Logo aos dez minutos, o time fez uma bela triangulação na entrada da área, e a bola sobrou para o atacante Diego Tardelli, que finalizou com categoria para aumentar o placar. A torcida paranaense não poupou o técnico Geninho, que foi chamado de burro.

Aos 20, Diego Tardelli entrou sozinho na área e chutou forte. O goleiro Vinícius espalmou para longe e salvou o Furacão. O time mineiro dominava o jogo e acabou ficando com a torcida adversária a seu favor, aos 30. Depois de trocar passes, a torcida do Furacão gritou “olé” contra o próprio time. O Galo aproveitou e fez o terceiro gol aos 33. Marco Rocha cruzou pela direita, e Éder Luís cabeceou. O goleiro defendeu, e o atacante aproveitou o rebote para marcar. Três minutos depois, veio a goleada. Marcos Rocha mais uma vez cruzou, e Éder raspou de cabeça na bola acertando o canto direito de Vinícius, dando números finais ao jogo.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

junho 7, 2009 Posted by | Atlético-MG, Atlético-PR | , , , , | Deixe um comentário

Flamengo abre vantagem, mas Sport vira o jogo em nove minutos

Cariocas fazem dois, mas pernambucanos viram o jogo, conquistando sua primeira vitória na estreia de Leão


Em nove minutos, Sport vira e goleia o Flamengo

Parecia que o Flamengo golearia o Sport com facilidade, neste domingo à tarde, na Ilha do Retiro. O Rubro Negro abriu 2 a 0, mas parou e permitiu a virada do time pernambucano, que venceu por 4 a 2, marcando os seus quatro gols em nove minutos. Tudo isso em um primeiro tempo disputado a toda velocidade. O atacante Weldon, com três gols, foi o herói do time pernambucano, que estreou o seu novo treinador: Leão. Emerson marcou os dois do Fla, que cai para o 11º lugar, com sete pontos. Já o Leão sobe para a 15ª posição, com cinco pontos. Foi a primeira vitória do time pernambucano no Brasilelirão.

O resultado diante dos cariocas foi uma boa oportunidade para os torcedores do Leão provocarem os flamenguistas em relação ao Campeonato Brasileiro de 1987, quando o time pernambucano conquistou o módulo amarelo, e ficou com título diante da desistência de Fla e Internacional, campeão e vice do módulo verde, de disputar o cruzamento. Durante o jogo, uma bandeira foi desfraldada lembrando a edição daquele ano, e um canto da torcida dizia que o “Sport é o campeão de 87″.

No próximo domingo, o Flamengo enfrenta o Coritiba, às 16h (de Brasília), em Curitiba. O Sport, no sábado, recebe o Atlético-PR, às 18h30m, em Recife.

Show de gols no primeiro tempo

Um primeiro tempo disputado em ritmo alucinante. O Flamengo começou melhor, valorizando a posse de bola e aproveitando os muitos espaços cedidos pela equipe do Sport. Os pernambucanos, mal posicionados e marcando errado, viram o Rubro Negro abrir dois gols de vantagem com apenas nove minutos de jogo.

Aos seis, uma bela troca de passes dos flamenguistas. Após receber de Juan, Adriano rolou de calcanhar para Léo Moura, que acionou Emerson, livre pela direita. O Sheik invadiu a área e tocou por cima do goleiro Magrão, abrindo o placar. O Sport seguia perdido em campo e, aos nove, veio o segundo gol. A zaga pernambucana cochilou e deixou Juan receber sozinho dentro da área. O lateral cruzou para Emerson, que ganhou de César Lucena e mandou de bico para o gol.

O Flamengo tinha tanta facilidade para chegar à área do Sport que dava toda a pinta de que golearia o adversário. No entanto, o técnico Emerson Leão foi obrigado a fazer uma alteração no Sport e o jogo mudou de lado. Igor se machucou e o treinador teve a boa sacada de colocar o zagueiro Juliano. Com isso, o time de Recife voltou a jogar como está habituado: no 3-5-2.

Com essa formação, o Sport voltou a ter jogadas pelas laterais. Moacir e Dutra passaram a jogar mais no ataque, inibindo as subidas dos alas do Flamengo. Com Léo Moura e Juan presos, o Rubro Negro perdeu todo o seu potencial ofensivo. Dessa forma, o time pernambucano passou a apertar. E a zaga flamenguista vacilou muito.

Aos 26, Fumagalli cobrou falta da direita. Bruno saiu mal e Durval completou de cabeça, diminuindo a vantagem carioca. Animada pelo gol, a torcida do Sport voltou a empurrar o time, que intensificou a pressão e chegou ao empate no minuto seguinte. Aos 27, a estrela de Weldon, que esteve para ser dispensado pelo Leão, começou a brilhar. Dutra cruzou da esquerda, Ronaldo Angelim furou e Weldon completou de primeira. Bruno chegou a bater na bola, mas não conseguiu a defesa.

Atordoado, a zaga do Flamengo seguia batendo cabeça. Aos 30, Fumagalli cobrou falta. Juliano desviou e Weldon completou. O Sport virava. Mas ainda havia tempo para mais um. A jogada começou com o goleiro Magrão, que mandou o chutão na direção de Fumagalli. O meia escorou de cabeça para Ciro, que driblou Angelim e abriu para Weldon afundar a rede de Bruno com um forte chute de pé esquerdo. E a zaga do Flamengo só olhando…

Fla tenta apertar, mas Sport se segura

No segundo tempo, as duas equipes melhoraram na marcação e os ataques não tiveram a moleza da primeira etapa. O Flamengo, atrás no placar, tomou a iniciativa. Adiantou o seu meio-de-campo e passou a rondar a área adversária. No entanto, deixava espaços para contra-ataques.

Tanto que a primeira chance da segunda etapa foi exatamente do Sport. Aos 12, Weldon arrancou pelo meio e abriu para Ciro, que entrava livre pela esquerda. O garoto invadiu a área, mas demorou para chutar. Quando houve o arremate, Bruno estava muito em cima e conseguiu abafar.

O Fla, apesar de ter maior volume de jogo, só conseguiu ameaçar pela primeira vez aos 23. Após cruzamento da esquerda, Josiel, que havia entrado no lugar de Emerson, apareceu na frente do goleiro Magrão, mas bancou o zagueiro e acabou tirando a bola da área, em vez de empurrá-la para o gol.

Aos 33, um lindo lance fez os torcedores prenderem a respiração por alguns segundos. Sandro Goiano percebeu Bruno adiantado e arriscou o chute do campo de defesa do Sport. A bola ia encobrindo o goleiro do Fla, que conseguiu se recuperar e mandar para escanteio.

Adriano, que teve uma tarde apagada, perdeu boa chance aos 40 minutos, quando recebeu livre na pequena área e mandou por cima. O Sport respondeu aos 45, quando Luciano Henrique mandou uma cobrança de falta no travessão. Apesar das tentativas, o placar do primeiro tempo permaneceu.

junho 7, 2009 Posted by | Flamengo, Sport | , , , , , , , | Deixe um comentário