Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Agora é na Vila! Corinthians e Santos ficam no 0 a 0

Apesar de classico movimentado, partida de ida da final do Paulistão termina sem gols no Pacaembu

O primeiro capítulo das finais do Campeonato Paulista terminou sem gols, mas não sem emoção. Com bolas na trave, Ganso lesionado e um Timão lutador até o fim, Corinthians e Santos ficaram apenas no 0 a 0 neste domingo de Dia das Mães no Pacaembu. Assim, a decisão fica mesmo para o próximo domingo, na Vila Belmiro.

O resultado deixa tudo aberto para a partida de volta: uma vitória simples na Baixada Santista dá ao Timão o 27º Campeonato Paulista. O mesmo vale para o Peixe, se quiser conquistar seu 19º campeonato e a quarta taça em seis anos. Um empate, seja qual for, leva a partida para os pênaltis.

Receba primeiro as notícias do Timão e do Santos no seu celular!

O resultado mantém a sina do Timão no Pacaembu, onde não perde um clássico há 15 jogos. A última derrota no estádio contra um arquirrival fora, coincidentemente, para o Santos (3 a 0, em outubro de 2006).

No clássico deste domingo, depois de um primeiro tempo sem grandes lances, Neymar protagonizou boas jogadas no início a segunda etapa. Parecia que o Santos conquistaria a vitória. Parecia… Só que o Timão melhorou em campo, igualou forças e lutou, mas não conseguiu a vitória. Agora é na Vila!

FINAL, PARTE 1

O Pacaembu lotou. 34 mil corintianos viram um Corinthians forte, mas sem conseguir penetrar na defesa santista, que havia cedido 10 gols nos últimos três clássicos com o arquirrival da capital.

O Timão tinha como única novidade a entrada de Wallace, zagueiro, improvisado na lateral-direita na vaga de Alessandro, suspenso. Com Jorge Henrique e Dentinho ao lado de Liedson, Tite tinha à disposição o mesmo esquema (um 4-3-3 que também se “transforma” em 4-5-1) que Mano Menezes utilizou com sucesso em 2009, na ocasião do título corintiano contra o mesmo Santos.

Já pelo lado do Peixe, Muricy Ramalho não abriu mão de um centroavante e Zé Eduardo começou a partida na linha de frente, com Ganso e Neymar. Léo e Arouca, com dores musculares, deram lugar à Alex Sandro e Adriano e, assim, o Muricy buscava montar um Peixe forte atrás e imprevisível na frente.

Só que, mudanças à parte, a primeira final do Paulistão demorou a encantar. Os dois times, com os nervos à flor da pele, passaram os primeiros 20 minutos tocando bola e travando disputas no meio-campo, sem conseguir quebrar o gelo.

Era necessário inovação, criatividade. Um passe de Jorge Henrique por cima surpreendeu a defesa santista e Liedson cruzou para Dentinho dentro da área, que não alcançou. A jogada marcou a primeira incursão do Timão em áreas santistas. A partir daí, a torcida corintiana se animou e as duas equipes se soltaram.

O Peixe respondeu com Danilo, de fora da área. Em seguida, aos 22 minutos da primeira etapa, Neymar protagonizou jogada “ousada”, como ele mesmo gosta de dizer. Pouco depois de provocar o cartão amarelo de seu marcador, Wallace, a Joia aproveitou brecha dentro da área, passou por três marcadores e beijou a trave direita de Julio Cesar.

O ritmo da partida melhorou e os dois camisas 10, até então muito bem marcados, apostaram nos chutes longos de fora da área. Primeiro, o corintiano Bruno César, aos 23. Cinco minutos depois, o santista Ganso também tirou tinta da trave corintiana. Parecia ser o caminho mais fácil para chegar ao gol, já que os atacantes das duas equipes pareciam inacessíveis – Liedson e Zé Eduardo eram engolidos pelo paredão adversário.

A primeira etapa terminou sem dar a sensação de que se tratava de uma final de Campeonato Paulista. Um dos personagens principais do clássico, Ganso, sentiu a coxa direita já nos minutos finais e pediu para sair. O meia-armador dividiu com Jorge Henrique na intermediária e sentiu a lesão. Depois de ser atendido fora de campo, ele até voltou ao gramado nos acréscimos do primeiro tempo, mas visivelmente sem condições. Com a imagem melancólica do camisa 10 do Peixe se arrastando em campo, a etapa inicial acabou deixando má impressão. Será que o segundo tempo reservava um melhor futebol?

NEYMAR NELES!

Com Alan Patrick no lugar de Ganso, machucado, o Peixe buscou mais velocidade para atacar, mas quem mudou o panorama do clássico foi Neymar! Aos 9 minutos, a Joia passou com maestria para Danilo encobrir Julio Cesar. Antes que a bola entrasse no gol, Chicão salvou o Timão. Um minuto depois, Neymar tabelou com Alan Patrick e invadiu a área. Com o pé esquerdo, o camisa 11 acertou o travessão corintiano.

Por um instante, o Pacaembu se calou para admirar o talento de Neymar. Tite, que não queria perder tempo contemplando a Joia santista, tratou de fazer duas alterações a fim de recolocar o Timão na partida: pôs Morais e Willian nos lugares de Bruno César e Dentinho.

Aos 22 minutos, mais surpresas. Leandro Castán encarnou Beckenbauer, desarmou Zé Eduardo no campo de defesa e, como um foguete, levou a bola até o campo de ataque. O zagueirão esticou o passe para Liedson na área, que não alcançou. Em seguida, foi a vez de Morais tocar e Paulinho errar dentro da pequena área. Haja emoção!

Ao contrário do que aconteceu na primeira etapa, o 0 a 0 já não traduzia mais a realidade do clássico, que passou a ser muito mais movimentado e repleto de bons lances. A despeito da semana agitada do Peixe, que atuou contra o América (MEX) na terça-feira e não teve descanso como o Corinthians, eram os santistas quem pareciam mais à vontade em campo.

O Peixe tomava maior iniciativa: Elano, aos 29, cobrou falta à direita do gol de Julio Cesar e levou muito perigo. Mas o Timão se agigantou e respondeu. Willian, que foi o herói corintiano contra Oeste (quartas de final) e Palmeiras (semi), testou sua capacidade de talismã com um chute venenoso aos 33 minutos, que Rafael segurou sem sustos.

Aos 39, Liedson recebeu de Jorge Henrique e carimbou a trave direita de Rafael. O Timão ainda brigou, levantou bolas no ataque e sufucou o Santos, mas não conseguiu furar a defesa rival.

A partida de volta das finais do Campeonato Paulista acontece no próximo domingo, na Vila Belmiro. Antes, o Peixe tem um compromisso importante pela Copa Santander Libertadores: vai a Manizales (COL) encarar o Once Caldas, na quarta-feira, em partida válida pelas quartas de final da competição continental.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 0X0 SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 8/5/2011 – 16h
Árbitro: Cleber Wellington Abade
Auxiliares: Rogerio Pablos Zanardo e Fausto Augusto Viana Moretti

Renda/público: R$ 1.412.840,00 / 34.547 pagantes
Cartões amarelos: Wallace (COR); Danilo, Neymar (SAN)
Cartões vermelhos: –
GOLS: –

CORINTHIANS: Julio Cesar, Wallace (Luis Ramírez 29’/2ºT), Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Bruno César (Morais 13’/2ºT); Dentinho (Willian 13’/2ºT), Jorge Henrique e Liedson. Técnico: Tite.

SANTOS: Rafael, Jonathan, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Adriano, Danilo, Elano (Pará 42’/2ºT) e Ganso (Alan Patrick, intervalo); Neymar e Zé Eduardo (Keirrison 38’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

maio 9, 2011 - Posted by | Corinthians, Santos |

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s