Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Ceará freia o bonde do Flamengo no Engenhão

Flamengo perde invencibilidade de 26 partidas e fica em situação complicada nas quartas de final da Copa Libertadores

Empolgado pelo título carioca conquistado no domingo, o Flamengo foi surpreendido pelo Ceará nesta quinta-feira, no Engenhão, por 2 a 1, e ficou em situação delicada na Copa do Brasil. De quebra, o Rubro-Negro viu sua invencibilidade de 26 jogos (desde a penúltima rodada do Brasileirão de 2010) ser quebrada. Com gols de Marcelo Nicácio e Geraldo – Wanderley descontou -, os cearneses ficaram mais próximos das semifinais.

Receba primeiro as notícias do Mengão no seu celular!

Agora, para se classificar, o Flamengo precisa, no Presidente Vargas, em Fortaleza, na próxima quarta-feira, vencer por dois gols de diferença ou por um gol de vantagem, desde que faça três ou mais gols. O empate e uma vitória rubro-negra por 1 a 0 classificaria o Ceará. Nada satisfeita, a torcida rubro-negra vaiou o time ao término do jogo – inclusive Ronaldinho Gaúcho.

Equilíbrio e gol no fim

Os torcedores que foram ao Engenhão devem ter bocejado durante todo o primeiro tempo. Apesar de os primeiros 45 minutos terem sido disputados e equilibrados, as chances de gol foram escassas. Mas, a rede balançou… e não foi a favor do time da casa.

Se fosse julgar pelos minutos iniciais, os presentes achariam que a história seria diferente. Aos nove minutos, Ronaldinho Gaúcho fez jogada individual e recebeu falta próxima à área. O camisa 10 cobrou e obrigou o goleiro Fernando Henrique a fazer boa defesa. A resposta veio apenas três minutos depois, quando Marcelo Nicácio, também de falta, carimbou a trave direita do goleiro Felipe.

Aos 20, depois de boa troca de passes, a bola sobrou para Deivid, que invadiu a área e caiu. Pediu pênalti, mas o árbitro nada marcou. Mais uma vez, o Ceará tratou de ir ao ataque logo depois e Vicente acertou forte chute da entrada da área e Felipe afastou o perigo.

A marcação de ambos os times ficou mais acirrada e as oportunidades de gol ainda mais raras no primeiro tempo. Depois de alguns chutões para lá e para cá, o gol. Já nos minutos finais, quando tudo parecia se encaminhar para um empate sem gols e sem graça, Marcelo Nicácio arrumou a bola para uma cobrança de falta quase que no mesmo local do começo do jogo. Mas, desta vez, bateu do outro lado e contou com uma pequena ajuda do goleiro Felipe para abrir o placar.

Gol do Ceará. Substituições e gol do Fla

O Flamengo voltou para o segundo tempo mais ligado. Logo aos dois minutos, Ronaldinho Gaúcho mandou a bola para dentro da área, ninguém alcançou, Thiago Neves apareceu sem marcação e desviou para o gol, mas a bola bateu no travessão. No rebote, Deivid finalizou e a bola pegou na zaga.

A partir daí, a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo começou uma verdadeira blitz em busca do gol de empate, mas ele não saía. E quem balançou a rede foi o Ceará. Aos 20 minutos, Geraldo recebeu na entrada da área, dominou (com uma ajuda do braço esquerdo), entrou na área e bateu na saída do goleiro Felipe para ampliar a vantagem alvinegra.

Aos 30 minutos, o toque de Luxemburgo. Fierro, que havia entrado no segundo tempo, cruzou para Wanderley, que também entrou na etapa final, fazer o gol do Flamengo. Depois do gol, o time da Gávea voltou a pressionar. Aos 34, o goleiro Fernando Henrique evitou o empate com a ponta dos dedos literalmente. Depois de cruzamento de Fierro, Ronaldo Angelim cabeceou no canto o camisa 1 salvou.

Aos 37, quase saiu o terceiro do Ceará. Murilo foi à linha de fundo e cruzou para Geraldo que, sem marcação, mandou a bola para fora, perdendo chance clara. Apesar das chances, o placar não foi mais modificado.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 2 CEARÁ

Data-Hora: 5/5/2011 – 21h50 (de Brasília)
Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Kléber Lúcio Gil (ES)
Renda e público: R$ 306.520,00 / 14.711 pagantes / 17.127 presentes
Cartões amarelos: Bottinelli e Willians (FLA); Geraldo e Fernando Henrique (CEA)
Cartões vermelhos: –
Gols: Marcelo Nicácio 43’/1ºT (0-1), Geraldo 20’/2ºT (0-2) e Wanderley 30’/2ºT (1-2)

FLAMENGO: Felipe, Galhardo (Diego Maurício 39’/2ºT), Welinton, Ronaldo Angelim e Rodrigo Alvim (Fierro 23’/2ºT); Willians, Renato, Bottinelli e Thiago Neves; Ronaldinho Gaúcho e Deivid (Wanderley 29’/2ºT) – Técnico Vanderlei Luxemburgo.

CEARÁ: Fernando Henrique, Boiadeiro, Fabrício, Erivélton e Vicente; João Marcos, Eusébio, Thiago Humberto (Murilo 32’/2ºT) e Geraldo; Iarley (Osvaldo 39’/2ºT) e Marcelo Nicácio (Washington 23’/2ºT) – Técnico: Vagner Mancini.

TAGS

maio 6, 2011 Posted by | Ceará, Flamengo | | Deixe um comentário

Histórico! Coxa faz 6 a 0 no Palmeiras e dá grande passo para as semis

Em noite perfeita, o Coritiba fez grande resultado e ampliou marca histórica

No jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, o Coritiba goleou o Palmeiras por 6 a 0 em uma noite quase impecável, nesta quinta-feira, no estádio Couto Pereira. O Coxa segue invicto em 2011, com 27 vitórias e dois empates e impressionantes 24 vitórias consecutivas. Já o Palmeiras viu a sua boa defesa ser vazada seis vezes.

Receba primeiro as notícias do Coritiba no seu celular!

Com o resultado, o Palmeiras terá o pior dos cenários no jogo de volta, na próxima quarta-feira, dia 11. O Coxa pode até perder por cinco gols de diferença que assegura a sua classificação às semfinais da competição, além de também contar com o empate. Para se classificar o Palmeiras precisa vencer o Coxa por 7 a 0.

“Bonde do Coxa Sem Freio” no Couto Pereira (Foto: Felipe Gabriel)

Quem passar entre Palmeiras e Coritiba paga o classificado do jogo entre Flamengo e Ceará, que se enfrentaram nesta quarta-feira, no Engenhão – com vitória cearense por 2 a 1. Fla e Vozão também fazem o jogo de volta no próximo dia 11, com mando do clube cearense.

No primeiro tempo, o Palmeiras criou muito pouco e teve diante de si um adversário com muita variação tática ofensivamente e seguro na defesa. Na segunda etapa, o Coritiba administrou o jogo e ainda fez mais dois gols e teve a expulsão de Rivaldo para facilitar sua tarefa.

Coxa letal

No primeiro tempo, o Coritiba mostrou porque vem fazendo uma campanha espetacular nesta temporada. A característica que se evidenciou na primeira etapa foi a letalidade do ataque do Coritiba diante da boa defesa do Palmeiras.

O Coxa impôs o seu jogo, ao lado de seus torcedores. Mas o que impressionou foi o aproveitamento: em quatro oportunidades o alvi-verde curitibano marcou três, aproveitando-se também de falhas do Verdão.

O primeiro gol veio após cobrança de escanteio – nos últimos seis gols sofridos pelo Palmeiras, cinco foram nesta situação -, o segundo em um grande contra-ataque do Coxa, mas com falha do Palmeiras, que deixou Davi livre para completar para o gol. No terceiro, Léo Gago teve toda a liberdade para chutar de longe e, depois de desvio em Danilo, marcar.

Taticamente, o ataque do Coritiba tinha muita versatilidade nas ações. Os quatro jogadores mais avançados revezavam-se na armação e penetração na área e a defesa se postava bem. No Palmeiras, o meio de campo sofria para acompanhar a velocidade do Coxa e tanto Luan, quanto Kleber ficavam distantes um do outro e não eram auxiliados por Lincoln e Patrik, muito apagados.

Novas falhas do Verdão

Já goleando desde o primeiro tempo, a situação piorou para o Coxa no segundo. Logo aos dez minutos de jogo, Leandro Amaro fez pênalti infantil em Bill, que bateu e ampliou o placar para o Coxa.

Nas poucas vezes que chegou ao gol, o Verdão não assustou uma equipe muito bem posicionada do Coritiba. Pelo contrário, o que se viu foi novamente a organização ofensiva e a variação tática da defesa.

Para piorar, aos 17 minutos do segundo tempo, o lateral Rivaldo deu uma cotovelada em Bill fora do lance e recebeu o cartão vermelho direto. O jogador esteve destemperado todo o jogo – em lance com Rafinha, revidou uma falta e levou o cartão amarelo.

Com um a mais, o Coritiba ampliou o seu domínio do jogo e apenas administrou a partida. Ao Palmeiras, restava lidar com uma desorganização tática ocasionada pela expulsão, que não conseguiu lidar com o arrumado time do Coxa. E liquidou o jogo com Geraldo e Anderson Aquino no finalzinho da partida.

FICHA TÉCNICA:
CORITIBA 6 X 0 PALMEIRAS

Estádio: Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Data/hora: 5/5/2011 – 19h30
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Julio dos Santos (RS)
Renda/público: R$ 848.620,00 e 28.870 pagantes
Cartões amarelos: Leandro Donizete, Rafinha e Cleiton (COR); Luan, João Vitor e Danilo (PAL)
Cartões vermelhos: Rivaldo, 17’/2ºT
GOLS: Emerson, 11’/1ºT (1-0); Davi, 21’/1ºT (2-0); Léo Gago, 43’/1ºT (3-0); Bill, 10’/1ºT (4-0); Geraldo, 45′, 2ºT (5-0) e Anderson Aquino, 48′, 2ºT (6-0)

CORITIBA: Edson Bastos; Jonas, Pereira (Cleiton, 5’/2ºT), Emerson, Lucas Mendes; Leandro Donizete (Willian 21′, 2ºT), Léo Gago, Rafinha (Geraldo 21′, 2ºT) e Davi; Anderson Aquino e Bill. Técnico: Marcelo Oliveira.

PALMEIRAS: Marcos; Márcio Araújo, Danilo, Leandro Amaro e Rivaldo; João Vitor (Chico, intervalo), Marcos Assunção, Patrik (Wellington Paulista, intervalo) e Lincoln (Adriano, 30’/2ºT); Kleber e Luan. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

maio 6, 2011 Posted by | Coritiba, Palmeiras | | Deixe um comentário