Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Em jogo apático, Vasco garante vaga nas quartas

Vasco e Náutico não saíram do zero na noite desta quarta-feira, em São Januário; Atlético-PR será adversário nas quartas

Na decisão por uma vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil, um time com a cabeça no clássico de domingo, contra outro completo de reservas. Nesse clima de desinteresse, Vasco e Náutico empataram sem gols, nesta quarta-feira, em São Januário, resultado que confirmou a classificação da equipe cruz-maltina.

No primeiro duelo, havia batido o Timbu por 3 a 0, no Recife – o que fez os pernambucanos entregarem os pontos antecipadamente. Para este jogo, apenas os reservas foram escalados.

Bernardo, que briga por uma vaga entre os titulares do Vasco, foi o destaque deste confronto apático. Do camisa 31 saíram as jogadas de maior perigo. Porém, pecou pelo egoísmo em alguns ataques, chegando a irritar alguns companheiros.

Na próxima fase, o Vasco terá pela frente o Atlético-PR. A primeira partida será disputada na próxima quarta-feira (4), na Arena da Baixada. Antes, porém, encara o principal jogo na temporada até agora. Domingo, decide o título da Taça Rio, contra o Flamengo, no Engenhão.

Já o Náutico, eliminado do Campeonato Pernambucano, entrará em férias forçadas até o dia 21 de maio, quando estreia na Série B do Brasileirão, contra a Portuguesa, no Canindé.

BERNARDO ACORDA TORCIDA DO VASCO

Num primeiro tempo de dar sono, o meia Bernardo protagonizou os poucos lances que arrancaram alguma reação da quase vazia arquibancada de São Januário. Primeiro, ao receber uma solada violenta do lateral Peter e ser retirado de campo com muitas dores no tornozelo direito. Mas o xodó da Colina voltou em seguida, aliviando os cruz-maltinos às vésperas da decisão da Taça Rio, contra o Flamengo.

Em campo, porém, esteve longe de uma exibição que lhe respaldasse a vaga de Diego Souza no time titular. Fominha, o camisa 31 irritou os companheiros, como no lance em que, num contra-ataque, deixou de passar para Eder Luis, livre, e finalizou mal para o gol, despendiçando grande chance de abrir o placar.

Em outro, arrancou novos protestos ao cobrar uma falta lateral diretamente para o gol, enquanto os zagueiros Dedé e Anderson Martins esperavam o cruzamento para a área.

Por fim, partiu dele a melhor chance da primeira etapa. Após receber belo passe de Eder Luis, ele fintou dois zagueiros, o goleiro, mas, no chute, acabou acertando o travessão.

O Náutico, que após o revés de 3 a 0 em casa na primeira partida, mandou um time de reservas para “cumprir tabela” no Rio de Janeiro. Porém, levou trabalho à defesa cruz-maltina, principalmente com o meia Deyvid Sacconi, que chegou a fazer um gol, anulado, e o ala-esquerdo Jeff Silva.

FÁGNER VOLTA E PLACAR NÃO SAI DO ZERO

Na segunda etapa, o lateral-direito Fagner voltou ao time após um mês e meio afastado se recuperando de lesão. Enquanto isso, a patia em campo permanecia. Bernardo ainda era o homem mais agressivo, assustando o goleiro Douglas com chutes venenosos de fora da área.

O Náutico, que abusou dos cartões amarelos (foram sete, no total), teve mais um gol anulado, desta vez, equivocadamente. Silas, em posição legal, finalizou para as redes do goleiro Fernando Prass, mas o bandeira assinalou impedimento do atacante do Timbu.

Nem o maestro Felipe conseguiu trazer um pouco de brilho ao jogo. No dia em que completava 300 jogos pelo Vasco, ele saiu de campo no meio da segunda etapa, após atuação apagada e muitos passes errados.

Com o apito final do árbitro Devarly Lira, alívio para os jogadores do Vasco, que com a classificação confirmada, poderão concentrar-se inteiramente na decisão de domingo.

FICHA TÉCNICA
VASCO 0 X 0 NÁUTICO

Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 27/4/2011 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Devarly Lira do Rosario (ES)
Auxiliares: Jose R Maciel Linhares (ES) e Vanderson Antonio Zannoti (ES)

Cartões amarelos: Ramon, Jumar (VAS), Peter, Fabio Reis, Deyvid Sacconi, Rodolfo, Jeff Silva, Jorge Felipe, Elicarlos (NAU)

VASCO: Fernando Prass, Allan (Fagner, aos 10’/ 2ºT), Dedé, Anderson Martins e Ramon; Jumar, Eduardo Costa, Felipe (Enrico, aos 21’/ 2ºT) e Bernardo; Eder Luis (Caíque, aos 40’/ 2ºT) e Elton. Técnico: Ricardo Gomes

NÁUTICO: Douglas, Jorge Felipe, Wescley e Rafael; Peter, Rodolfo Potiguar, Elicarlos, Saconni (Marcus Vinícius, aos 31’/ 2ºT), Philip e Jeff Silva; Fábio Reis (Silas, intervalo). Técnico: Zé do Carmo

abril 27, 2011 Posted by | Náutico, Vasco da Gama | , | Deixe um comentário

Com facilidade, Flamengo goleia Horizonte e avança

Rubro-Negro enfrentará Ceará nas quartas de final. Thiago Neves rouba a cena no Ceará

Em Horizonte (CE), o Flamengo não deu chance para a zebra na Copa do Brasil e venceu o time da casa por 2 a 0, nesta quarta-feira, avançando às quartas de final da Copa do Brasil. O adversário do Rubro-Negro será o Ceará, que derrotou o Grêmio Prudente. O primeiro confronto será disputado na próxima quarta, dia 4 de maio.

Sem Ronaldinho Gaúcho e Léo Moura, lesionados, Thiago Neves chamou a responsabilidade e foi o protagonista no triunfo do Flamengo.

FLAMENGO OFENSIVO E GOL RÁPIDO

O técnico Vanderlei Luxemburgo alterou o time que conseguiu a classificação para a final da Taça Rio, no domingo, contra o Fluminense. Ele optou por uma formação mais ofensiva com Bottinelli no meio na vaga do volante Fernando, que sequer ficou no banco de reservas, Deivid no ataque ao lado de Wanderley.

No 4-4-2, com Willians e Renato como volantes, Thiago Neves e o argentino tiveram liberdade para se movimentar à frente. E foi com a dupla que quase o Flamengo abriu o placar.

Aos cinco minutos, Thiago Neves lançou Bottinelli na intermediária. El Pollo dominou, avançou, mas finalizou para fora, à esquerda do goleiro Alex.

Quatro minutos depois, porém, o Rubro-Negro abriu o placar com Galhardo, que substitiu Léo Moura. A revelação do Fla tentou cruzar, a bola foi em direção ao gol e o camisa1 do Horizonte não alcançou.

À frente no placar, o Flamengo pouco era ameaçado pelos cearenses. O time local tentava explorar o contra-ataque, mas não conseguia concluir as jogadas.

A melhor jogada do Horizonte no primeiro tempo foi uma falta cobrada por Junior Cearense da intermediária direita. O camisa 11 bateu diretamente para a área, a bola quicou à frente de Felipe, mas o goleiro espalmou para escanteio.

O Flamengo poderia ter ampliado a vantagem no marcador. Pelo menos três oportunidades claras foram criadas até o término da primeira etapa.

A primeira delas aconteceu com Deivid, aos 29 minutos. O camisa 9 recebeu na ponta esquerda, penetrou na área e chutou cruzado. A bola sofreu desvio do goleiro e saiu à linha de fundo.

Pouco tempo depois, aos 34, Wanderley recebeu lançamento de Thiago Neves, deu um chapéu no zagueiro e finalizou com força. Alex, porém, conseguiu fazer a defesa.

Já no fim do primeiro tempo, Deivid, de novo, quase marcou o segundo para o Flamengo. Após outro passe de Thiago Neves, o camisa 9 antecipou-se ao marcador, tirou do goleiro, mas Douglas brecou o chute do atacante rubro-negro.

SOLO DE THIAGO NEVES

Principal responsável pelas jogadas do Flamengo no primeiro tempo, Thiago Neves manteve o bom nível de sua atuação na etapa final e logo aos três minutos deu passe para Deivid marcar o segundo.

O gol, porém, ficou em segundo plano. Antes do camisa 9 marcar, Thiago Neves driblou três adversários e rolou para Deivid apenas empurrar para o gol vazio.

Autor de vários passes, o camisa 7 também tentou deixar a sua marca. Aos 13 minutos ele cobrou falta do lado direito e quase surpreendeu o goleiro Alex, que espalmou para escanteio.

O terceiro gol quase saiu em uma jogada que também começou com Thiago Neves. O meia cruzou da esquerda, o goleiro Alex soltou a bola e ela sobrou para Wanderley. O atacante do Fla, porém, isolou e desperdiçou a chance.

DOMÍNIO E GOLEADA

Superior em campo e com uma boa vantagem no placar, O Flamengo não era ameaçado. Vanderlei Luxemburgo, então, promoveu alterações no Flamengo. Ele sacou Bottinelli para lançar Fierro e, depois, abdicou do 4-4-2, deixando o Fla somente com Deivid no ataque. Wanderley saiu para a entrada de Muralha no meio de campo.

Isolado à frente, Deivid teve a chance de marcar seu segundo gol na partida. O camisa 9 foi lançado no ataque após erro de posicionamento da defesa do Horizonte e avançou. Sozinho ele tentou tirar a bola do goleiro, mas mandou para fora.

Depois do camisa 9, foi a vez de Fierro perder uma oportunidade. Aos 30 minutos, Renato penetrou pela esquerda e rolou para trás. O chileno chutou com força, mas a bola pegou na zaga.

A 12 minutos para o fim do jogo, o principal jogador da classificação rubro-negra deixou o campo. Thiago Neves saiu e deu lugar a Diego Maurício.

Pouco tempo depois, aos 35 minutos, foi a vez do volante Willians roubar a cena e mostrar categoria para marcar o terceiro do Flamengo em Horizonte. Ele arrancou do meio de campo, passou por Carlinhos, driblou o goleiro Alex e sacramentou o placar.

o golaço do camisa 8 representou a boa atuação do Flamengo que não deixou chances ao Horizonte.

FICHA TÉCNICA:

HORIZONTE 0 X 3 FLAMENGO

Data/hora: 27/4/2011, às 21h50 (de Brasília)
Local: Domingão, Horizonte (CE)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa/PR)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA) e Gilson Bento Coutinho (PR)
Cartão amarelo: Carlinhos, Siloé (HOR); David, Galhardo (FLA)
Cartão vermelho: Hércules, aos 29’/ 2ºT (HOR)

Gols:Galhardo, aos 9’/ 1ºT; Deivid, aos 3’/ 2ºT; Willians, aos 35’/ 2º T (FLA)

HORIZONTE: Alex, Robert, Carlinhos, Douglas e Hércules; Valter (André Luís, aos 6’/2º T), Isac (Lúcio Maranhão, aos 18’/2º T), Elanardo e Diego Palhinha; Júnior Cearense (Da Silva, aos 33’/2ºT) e Siloé. Técnico: Roberto Carlos.

FLAMENGO: Felipe, Galhardo , Welinton, David e Rodrigo Alvim; Willians, Renato, Bottinelli (Fierro, aos 16’/2º T), Thiago Neves (Diego Maurício, aos 33’/2ºT); Deivid e Wanderley (Muralha, aos 22’/2º T). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

abril 27, 2011 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

Pratto e Borges complicam Grêmio na Libertadores

Chilenos confirmam bom retrospecto fora de casa e vencem por 2 a 1. Grêmio precisa vencer por 2 a 0 no Chile para avançar

Foi um jogo muito mais complicado do que a torcida previa. A Universidad Católica manteve sua escrita de bons jogos longe de casa e, dentro do Estádio Olímpico, surpreendeu o Grêmio com um placar de 2 a 1. Borges foi expulso ainda no primeiro tempo e deixou o Tricolor com um a menos. Lucas Pratto marcou os dois gols dos chilenos, enquanto Douglas descontou para o time gaúcho. O resultado deixa os tricolores com a responsabilidade de vencer por dois gols de diferença ou por um desde que marque três na próxima quarta-feira, em Santiago.

Com os instrumentos musicais e bandeiras de sua torcida liberados pela polícia após polêmica, a noite se iniciava de forma otimista para o Grêmio. Enquanto ainda havia torcedores chegando ao Estádio Olímpico, o Tricolor já tinha quatro escanteios a seu favor. Quase marcou em uma cabeçada de Borges e deu esperanças aos gremistas presentes.

Um dos melhores times a jogar fora de seus domínios na Libertadores, a Universidad Católica não seguiu o exemplo de Oriente Petrolero e León de Huánuco, adversários gremistas na fase de grupos, e jogou. Teve logo no início do jogo uma finalização de Pratto. Mas o que chamou atenção foi a dedicação na marcação, dificultando às ações de ataque gremista. Douglas encontrou espaço e acertou a trave de Garcés, mas os tricolores não conseguiam entrar na área da La Católica. Pratto também assustou de fora da área. Depois das finalizações, o jogo permaneceu morno para os dois lados, e a torcida azul arrefeceu seu ânimo na arquibacanda.

As emoções do primeiro tempo iniciaram a partir dos 25 minutos. Borges, em um dos lances em que foi protagonista, driblou três marcadores e chutou para fora. Três minutos depois, o balde de água fria. Em erro de Gilson no ataque, a Universidad retomou a bola. Cañete recebeu o lançamento, tirou Rafael Marques da jogada e o campo se abriu na sua frente. Ao seu lado, Pratto entrou livre pela esquerda. Neuton, sozinho, nada pode fazer. O centroavante dos chilenos tocou na saída do goleiro Marcelo Grohe e abriu o placar.

Só que se a coisa estava ruim, piorou. Borges deu uma cotovelada em Henríquez e o auxiliar viu. Foi dedurado e expulso por Néstor Pitana. Deixou o Grêmio com uma a menos e sem centroavante. Na pressão gremista até o fim do primeiro tempo, seriam dois levantamentos que cruzaram a área sem um pé de camisa 9 para empurrá-los para dentro do gol.

Após os 20 minutos no vestiário, Lins voltou no ataque junto de Leandro. A tentativa era de dar mais força ao setor ofensivo. E, ao menos em postura, adiantou. Outra vez com dois atacantes, o Grêmio se postou à frente, no campo da Universidad.

De inúmeras tentativas coletivas, nada saiu. Pois em uma jogada individual de Douglas, o empate veio. Sozinho, Douglas saiu da direita e passou por seus adversários em direção ao meio-campo. Da intermediária, armou e bateu forte na bola. O chute zuniu em direção ao ângulo de Garcés, onde entrou aos 14 minutos. Que golaço! Que empate!

A partir daí, o Tricolor se empolgou. Trocou bola no meio-campo e tentava achar alguma outra brecha na defesa da Católica. Leandro tinha muito vontade, corria muito, mas não conseguiu ser decisivo como em outras situações. E para piorar, os chilenos não se retrancaram. Muito pelo contrário: em estocada aos 29 minutos, Lucas Pratto recebeu cruzamento na área e cumprimentou Marcelo Grohe. O desânimo arrebateu o Estádio Olímpico.

Sem organização, o Grêmio pressionou – ou tentou – até o final da partida. Os chilenos saíam nos contra-ataques e mantinham a posse de bola até gastar o tempo necessário para o árbitro apitar o término do jogo. Nos últimos minutos, Marcelo Grohe ainda salvou o Grêmio de um futuro pior.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 2 UNIVERSIDAD CATÓLICA

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Data-Hora: 26/4/2011 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Auxiliares: Hernan Maidana (ARG) e Alejo Castan (ARG)
Renda e público: R$ 766.807,50 / 31.559 pagantes / 35.101 presentes
Cartões amarelos: Martínez, Costa, Silva, Eluchans e Valenzuela (UCA); Willian Magrão e Adilson (GRE)
Cartões vermelhos: Borges 34’/1ºT (GRE)
Gols: Pratto 28’/1ºT (0-1), Douglas 14’/2ºT (1-1) e Pratto 29’/2ºT (1-2)

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Gabriel, Rafael Marques, Neuton e Gilson (Escudero 45’/2ºT); Fábio Rochemback, Willian Magrão (Lins – Intervalo), Adilson e Douglas; Leandro (Carlos Alberto 32’/2ºT) e Borges – Técnico: Renato Gaúcho.

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Garcés, Valenzuela, Henríquez, Martínez e Eluchans; Ormeño, Silva (Felipe Gutiérrez 18’/2ºT), Costa (Sepúlveda 38’/2ºT), Meneses e Cañete (Villanueva 30’/2ºT); Pratto – Técnico: Juan Antonio Pizzi.

abril 27, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário