Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Vasco vence no sufoco e coloca um pé nas semfinais: 2 a 1

Gol da vitória saiu, mais uma vez, através de pênalti polêmico. Cabofriense está rebaixada

Mais uma vez na emoção. O Vasco conseguiu vitória no sufoco por 2 a 1, neste sábado, diante da Cabofriente, em São Januário. Com o resultado, o Cruz-Maltino coloca a mão em uma das vagas para as semifinais. Já a Cabofriense está rebaixada. 

O show antes do jogo ficou por conta da torcida. Convocados pelo juiz, os jogadores das duas equipes se reuniram no meio do campo para respeitar um minuto de silêncio pela tragédia em Realendo, Zona Oeste do Rio. O inesperado partiu das arquibancadas. Todos calados, algo pouco comum nos estádios brasileiros

Vasco abre o placar, mas recua e permite o empate

O Vasco começou o jogo como vinha fazendo nas últimas rodadas, atacando bastante e prendendo o adversário no campo de defesa. Com um time mais leve, devido a entrada de Bernardo no lugar de Diego Souza, suspenso, as chances não demoraram muito a surgir.

Logo aos dois minutos, Allan, improvisado na direita mais uma vez, cruzou e Alecsandro por pouco não conseguiu cabecear. Pouco depois, Bernardo apareceu. Após passe de Felipe, o meia soltou a bomba de esquerda, a perna “ruim” e deu trabalho ao goleiro Flávio.

O mesmo camisa 1 fez milagre no lance seguinte. Após mais um cruzamento de Allan e cabeceada, desta vez certeira, de Alecsandro, o goleiro fez uma defesa espetacular, impedindo o segundo gol da equipe cruz-maltina.

A rede dos visitantes, porém, não demoraria muito para balançar. Após jogada rápida, mais uma vez pela direita, AOS 20, Eder Luis deu uma de garçom mais uma vez na temporada e tocou para Bernardo. Livre, o camisa 31 ainda teve tempo de se ajeitar dentro da área e chutar para marcar seu sexto gol em dez jogos com a camisa do Vasco.

Os que pensaram que o Vasco continuaria pressionando em busca de mais gols se enganaram. Após conseguir a vantagem, o Gigante da Colina diminuiu a pegada, abrindo espaços para a Cabofriense, que se animou.

Tanto que aos 34, o time da Região dos Lagos chegou ao empate. Após boa enfiada de bola pela esquerda, Léo Itaperuna bateu cruzado, Fernando Prass rebateu e Zotti, no rebote, deixou tudo igual.

Daí para frente o Cruz-Maltino até tentou chegar, mas esbarrou na boa marcação do adversário. As duas equipes foram para os vestiários com a igualdade no placar.

Mais uma vitória decidida com pênalti duvidoso

O panorama do início do primeiro tempo se repetiu no segundo. Vasco dominando as ações e fazendo o adversário recuar com seus ataques. Mas quem assustou foi a Cabofriense. Após cobrança de falta de Zotti, Luciano Totó cabeceou forte no ângulo. Fernando Prass voou na bola e fez grande defesa para evitar o gol

Depois do susto, controle do jogo retomado pelo Gigante da Colina. Com boas tramas entre a dupla Felipe / Alecsandro, a falha no toque final era o único empecilho. Mas aos 12, após falta na intermediária, o atacante Assumpção recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso.

O técnico Lucho Nizzo foi obrigado a colocar André Oliveira no lugar de Zotti, melhor do time, para fechar a Cabofriense. O recuo do adversário apenas chamou o Vasco mais para frente. Aos 15, Bernardo dominou dentro da área, girou, mas o chute saiu lascado e facilitou a defesa de Flávio.

Com um a mais, Ricardo Gomes aproveitou para colocar o atacante Leandro no lugar do volante Fellipe Bastos. Lucho Nizzo respondeu colocando Allan, cria das categorias de base do Vasco, no lugar de Léo Itaperuna.

O tempo passou, o gol não saía. Aos 27, Leandro driblou bonito e chutou, mas a marcação desviou para escanteio. Na cobrança de Bernardo, Dedé cabeceou bonito, mas a zaga adversária salvou em cima da linha.

Aos 31, em contra-ataque, susto para Fernando Prass. Arílson tentou surpreender arriscando de longe e quase conseguiu. O goleiro teve que se esticar todo para desviar para escanteio.

Dois minutos depois, a melhor chance da partida. Após cobrança de falta de Felipe, Dedé desviou para o meio da área e Rômulo, livre, ao invés de dominar, tentou de primeira. O goleiro Flávio, personagem da noite, fez mais uma grande defesa.

Sem Bernardo, que saiu contundido para a entrada de Enrico, o Cruz-Maltino perdeu em criação. Mas Felipe, responsável pelas jogadas, quase resolveu aos 36. Após se livrar de dois marcadores, o camisa 6, de frente para o gol, bateu bonito, muito perto do gol.

E só dava Vasco. Leandro, em duas oportunidades, também quase decidiu. Na primeira, em cabeçada que Flávio salvou mais uma vez. A segunda, em uma bomba de fora da área que acertou o travessão.

Mas o jogo contra o ABC-RN seria lembrado. Se na quarta a partida foi decidida em um pênalti duvidoso, nesta sábado, idem. Aos 41, Allan, caiu na área e o juiz não deu. Mas na sobra, Eder Luis foi derrubado e Antônio Frederico dos Santos apontou a marca. Alecsandro bateu bem e colocou o Gigante da Colina na frente.

Daí para frente foi só segurar a posse de bola. Com a vitória, o Vasco chega aos 16 pontos e coloca a mão na vaga para as semifinais. Dependendo do resultado do jogo do Americano, contra o Flu, neste domingo, o time pode se classificar com um jogo de antecedência.

Já a Cabofriense está rebaixada. Com apenas oito pontos na classificação geral, o time não tem como alcançar os concorrentes e apenas cumpre tabela contra o Volta Redonda na última rodada.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 2 X 1 CABOFRIENSE

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 9/4/2011 – 18h30 (de Brasília)
Renda/Público: R$ 214.950 / 13.783 presnetes
Árbitro: Antônio Frederico dos Santos (RJ)
Auxiliares: Lilian da Silva Fernandes (RJ) e Andréa Izaura Maffra (RJ)
Cartôes amarelos: Anderson Martins, Fellipe Bastos, Alecsandro (VAS); Léo Itaperuna, Assumpção e Zé Carlos (CAB)
Cartão vermelho: Assumpção, 12’/2ºT (CAB)

GOLS: Bernardo, 20’/1ºT (1-0); Zotti, 34’/2ºT (1-1); Alecsandro, 40’/2ºT)

VASCO: Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Allan; Rômulo, Fellipe Bastos (Leandro, 21’/2ºT), Felipe e Bernardo (Enrico, 33’/2ºT); Eder Luis e Alecsandro – Técnico: Ricardo Gomes.

CABOFRIENSE: Flavio, Vagner, Zé Carlos, André Paulino e Everton; Luciano Totó, Cardoso, Diego Sales (Arílson, 28’/1ºT) e Zotti (André Oliveira, 13’/2ºT), Léo Itaperuna (Allan, 21’/2ºT) e Assumpção – Técnico: Lucho Nizzo.

abril 10, 2011 - Posted by | Vasco da Gama |

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s