Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Sob gritos de ‘olé’, Flu perde para o Boavista no Engenhão

Tricolor reencontra carrasco da Taça GB e cai de novo. Crise aumenta às vésperas de jogo decisivo pela Copa Libertadores

Sem técnico definitivo, o Fluminense recebeu o Boavista na noite deste sábado, no Engenhão, e depois do tropeço para a equipe de Saquarema na semifinal da Taça Guanabara nos pênaltis, voltou a perder. Desta vez, por 2 a 0, gols do zagueiro Gustavo, no primeiro tempo, e do atacante Max, na etapa final. Irritada, a torcida gritou olé nos minutos finais a cada passe trocado pelo time visitante.

Com o resultado, o Boavista foi a nove pontos e assumiu temporariamente a liderança do Grupo A. Já o Fluminense, permaneceu com sete pontos no Grupo B, mas agora na terceira posição, fora da zona de classificação às semifinais da Taça Rio. E na próxima quarta-feira o Tricolor tem um jogo decisivo pela Copa Santander Libertadores, contra o América-MEX, no Engenhão…

GALERIA: Veja as melhores fotos da partida no Engenhão

Bonito gol de falta

O jogo começou com as equipes em ritmo lento e o que poderia se transformar no primeiro gol do Boavista logo aos cinco minutos falhou, quando Andre Luis, dentro da área, perdeu o equilíbrio sozinho e caiu, sem finalizar a jogada. Os problemas do Tricolor no primeiro tempo começaram aos 14 minutos, quando Leandro Euzébio foi tirar uma bola de André Luis, dentro da área, e acabou machucando o tornozelo direito, sendo substituído por Digão.

Aos 17 minutos, porém, o Fluminense quase abriu o placar, quando Conca levantou para Rafael Moura que, dentro da área, dominou no peito e chutou forte para a defesa de Thiago. Aos 24, novo susto para o Boavista: Diguinho arriscou de longe, a bola bateu no chão e dificultou a defesa do goleiro do time de Saquarema.

Cinco minutos depois, o técnico interino Ronaldo Torres foi obrigado a fazer nova alteração por lesão. O lateral-esquerdo Carlinhos, após divida com Everton Silva, sentiu o joelho direito e teve de ser substituído por Julio Cesar. Apenas três minutos depois, Erick Flores avançou pela esquerda e rolou para Joilson, que bateu colocado e a bola passou próximo à trave direita de Ricardo Berna.

Mas o gol do Boavista não tardou. Aos 37 minutos, Gustavo, em uma falta cobrada de longe, acertou o ângulo esquerdo de Ricardo Berna e abriu o placar no Engenhão.

Pressão… mas gol do Boavista

No retorno para o segundo tempo, Ronaldo Torres colocou o atacante Fred no lugar de Rafael Moura. O time das Laranjeiras conseguiu melhorar em campo e pressionar o adversário. E, após algumas oportunidades, Conca avançou e foi derrubado por Gustavo na área, mas o árbitro nada marcou, ignorando o pênalti.

A equipe do Fluminense continuou criando boas chances, mas quem assustou foi o Boavista. Aos 14 minutos, Erick Flores acionou Andre Luis, que chutou, mas a bola foi para fora. Aos 21, porém, chance clara para o atacante Fred, que recebeu cruzamento nas costas da defesa, dominou e chutou, mas mandou por cima da meta.

A partir daí, ambos os times foram para o ataque e o jogo ficou aberto. Andre Luis, aos 24, entrou driblando na área tricolor e bateu colocado para a defesa de Ricardo Berna. Aos 32 minutos, o Boavista conseguiu ampliar a vantagem. Depois de boa troca de passes, a bola ficou com Max que, de dentro da área, chutou forte: 2 a 0.

Pouco tempo após o gol, Tony arriscou chute de longe e carimbou a trave direita de Ricardo Berna. O Fluminense, que se desencontrou depois do segundo gol adversário, não mostrava poder de reação e desperdiçava as poucas chances de gol que criava.

Assim, o jogo terminou com a derrota do Tricolor, que continua em crise. Líder do Grupo A até a rodada deste domingo, o Boavista encara o Botafogo no próximo sábado, no Engenhão. Já o Fluminense encara o América-MEX quarta-feira, pela Libertadores, no Engenhão, e no domingo tem clássico contra o Vasco, no mesmo estádio, pelo Estadual.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 0 X 2 BOAVISTA

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 19/3/2011 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Antônio Frederico Shcneider (RJ)
Auxiliares: João Luiz Coelho (RJ) e Francisco Perreira de Sousa (RJ)
Renda e público: R$ 96.690,00 / 5.046 pagantes
Cartões amarelos: Gum, Diogo e Julio Cesar (FLU); Everton Silva (BOA)
Cartões vermelhos: –
Gols: Gustavo 37’/1ºT (0-1) e Max 32’/2ºT (0-2)

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio (Digão 14’/2ºT) e Carlinhos (Julio Cesar 28’/2ºT); Diogo, Diguinho, Marquinho e Conca; Emerson e Rafael Moura (Fred – Intervalo) – Técnico: Ronaldo Torres.

BOAVISTA: Thiago, Everton Silva, Gustavo, Bruno Costa e Paulo Rodrigues; Julio César, Joílson (Roberto Lopes 36’/2ºT), Tony e Erick Flores (Edu Pina 30’/2ºT); André Luís e Frontini (Max 20’/2ºT) – Técnico: Alfredo Sampaio.

março 19, 2011 - Posted by | Fluminense | ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s