Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Mistão do Inter não sai do zero no Beira-Rio

Mesmo com Rafael Sobis e Cavenaghi, ataque do Colorado não funciona e time é vaiado em casa

Com time misto, o Internacional ficou no 0 a 0 contra o Novo Hamburgo na tarde deste sábado, pela terceira rodada do segundo turno do Gauchão.

Apesar do bom início, em que pressionou a equipe do interior durante boa parte do primeiro tempo, o Colorado não balançou as redes defendidas por Eduardo Martini.

O desentrosamento era nítido. Andrezinho pouco conseguia encontrar Cavenaghi, que, apesar da expectativa criada em Porto Alegre, nada fez até o momento pelo clube.

Rafael Sobis também estava apagado, assim como a própria equipe colorada como um todo, que, na segunda metade do primeiro tempo, passou a levar sufoco do time visitante.

Apesar das mudanças, a postura do Inter foi a mesma no segundo tempo. Pouca criatividade, poucas chances de gol e muitos erros levaram à insatisfação da torcida, que vaiou o time em diversos momentos.

Nem o jovem Eduardo Sasha, que entrou na etapa final no lugar de Daniel, foi poupado da revolta dos torcedores. O técnico Celso Roth foi ainda chamado de burro por trocar Cavenaghi pelo artilheiro Leandro Damião – isso porque a torcida queria a saída de outro jogador.

Na próxima rodada, o Inter encara o São José, às 21h50 da próxima quarta-feira, no estádio Passo D’Areia. Mais cedo, às 20h, o Novo Hamburgo recebe o Ypiranga no Estádio do Vale.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 0X0 NOVO HAMBURGO

Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data/hora: 19/3, às 16h
Público: 11.872 pagantes
Árbitro: Ronaldo Santos da Silva
Auxiliares: José Antônio Filho e Sedenir Martins
Cartões amarelos: Rodrigo (INT), Fabinho (NOV)

INTERNACIONAL: Lauro; Daniel, Rodrigo, Índio, Juan; Matias, Glaydson, Guiñazu e Andrezinho; Rafael Sobis e Cavenaghi. Técnico: Celso Roth.

NOVO HAMBURGO: Eduardo Martini; Bosco, Cláudio Luiz, Lino e Fabinho; Márcio Hahn, Russo, Eduardinho e Rodrigo Mendes; Michel e Juba. Técnico: Julinho Camargo.

março 19, 2011 Posted by | Internacional | | Deixe um comentário

Cruzeiro vence e dispara na liderança do Mineiro

Diante de um adversário que pouco lhe ameaçou, Raposa triunfa e se aproxima da classificação para as semifinais

O Cruzeiro fez o seu dever de casa neste sábado e venceu o Funorte por 3 a 0, na Arena do Jacaré, em partida válida pela sétima rodada do Campeonato Mineiro, se distanciando na liderança da competição.

Com o triunfo, a Raposa foi aos 19 pontos e se aproximou da classificação para as semifinais do Mineiro-2011. O América-MG, vice-líder, tem 16. Já a equipe de Montes Claros segue na última posição com apenas dois pontos ganhos.

Próximos compromissos:

Na próximo domingo, dia 27, o Cruzeiro faz o clássico com o América-MG, no Estádio do Melão, em Varginha. Já o Funorte recebe o Tupi, um dia antes, no José Maria Melo.

O jogo:

O Cruzeiro, dono do melhor ataque do Campeonato Mineiro com 21 gols em sete partidas, teve a iniciativa no jogo e com os seus três atacantes (Thiago Ribeiro, Wellington Paulista e Wallyson) pressionou a equipe de Montes Claros. No entanto, a primeira oportunidade de gol
foi do Funorte, após a boa finalização de Stanley, aos três minutos.

Como a partida era um típico ‘ataque versus defesa’, a primeira chance de gol da Raposa não tardou a acontecer. Aos cinco minutos, Dudu
fez cruzamento preciso e Thiago Ribeiro cabeceou na trave direita de Raphael Barrios, que nada poderia fazer.

Apesar do domínio territorial e da maior posse de bola, a Raposa não tinha êxito em sua missão de transpor a marcação do Funorte, que mesmo tendo a pior defesa do Mineiro-2011 (17 gols sofridos em sete partidas) dificultava e muito as ações dos comandados de Cuca, que sentiam a ausência de Roger e Montillo, que foram poupados em razão da Libertadores.

Após muita vontade e pouca qualidade do Cruzeiro, que demostrava certa displicência em campo, eis que no primeiro erro do Funorte, o placar
foi inaugurado na Arena do Jacaré. Aos 37 minutos, o zagueiro Wellington Paulo, de 38 anos e que fazia a sua estreia pela equipe de Montes
Claros, empurrou Wellington Paulista na pequena área. Pênalti que o próprio atacante, muito contestado pela torcida cruzeirense, converteu. Raposa na frente.

Segundo tempo:

O Cruzeiro voltou para a segunda etapa ainda mais ofensivo. Cuca optou por poupar o volante Henrique e com isso promoveu a entrada do também volante Everton, que passou a atuar na lateral esquerda, liberado o experiente Gilberto para a armação.

Assim como em toda a primeira etapa, o Cruzeiro era superior, tinha mais posse de bola, mas seguia tendo dificuldades para vencer a marcação do Funorte. Quando apostou na velocidade e nos toques rápidos, a Raposa alcançou o seu objetivo. Aos dez minutos, Dudu serviu o veloz Wallyson, que como um autêntico garçon passou para Thiago Ribeiro só empurrar para o fundo do gol. Cruzeiro 2 a 0.

Enfrentando um adversário que pouco ameaçava, o Cruzeiro seguia em busca de mais gols para lhe proporcionar ainda mais tranquilidade na partida. Thiago Ribeiro, em boa finalização de fora da área e Léo, após cruzamento de Gilberto, tiveram boas oportunidades para ampliar o triunfo cruzeirense, porém não alcançaram o objetivo.

Na parte final do confronto, o enredo seguia o mesmo: o Cruzeiro em busca de um novo gol e o Funorte apenas evitando uma possível goleada, o que não pode ser evitado. Aos 47 minutos, após cruzamento de Dudu, o zagueiro Wellington Paulo tentou o corte e acertou o próprio travessão. Na sobra, Thiago Ribeiro só teve o trabalho de completar. Goleada azul na Arena do Jacaré.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 3 X 0 FUNORTE

Local: Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/horário: 19/3/2011, às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Átila Carneiro Magalhães (MG)
Auxiliares: Marcus Vinícius Gomes (MG) e Mauro Antônio Ferreira Santos (MG)
Renda/Público: R$ 46.062,50 – 3.671 pagantes.

Cartões amarelos: Wellington Paulista e Leandro Guerreiro (CRU); Stanley, Wellington Paulo e Edenílson (FUN)
Cartões vermelhos: Não houve.

Gols: Wellington Paulista, aos 38’1T(1-0) e Thiago Ribeiro, aos 10’2T(2-0) e Thiago Ribeiro, aos 47’2T(3-0).

CRUZEIRO: Fábio; Pablo; Gil, Léo e Gilberto; Leandro Guerreiro, Henrique (Everton, intervalo) e Dudu; Wallyson (André Dias, aos 20’2T), Thiago Ribeiro e Wellington Paulista (Farías, aos 29’2T). Técnico: Cuca.

FUNORTE: Raphael bairros; Wellington Paulo, Binho e Vinícius; Anderson Toto, Diego Paulista, Marcelino, Stanley (Caio, aos 31’1T) e Cristiano (Fabrício, aos 10’2T); Ualisson Mineiro e Edenílson (Dandão, aos 24’2T). Técnico: Luiz Eduardo.

março 19, 2011 Posted by | Cruzeiro | Deixe um comentário

Sob gritos de ‘olé’, Flu perde para o Boavista no Engenhão

Tricolor reencontra carrasco da Taça GB e cai de novo. Crise aumenta às vésperas de jogo decisivo pela Copa Libertadores

Sem técnico definitivo, o Fluminense recebeu o Boavista na noite deste sábado, no Engenhão, e depois do tropeço para a equipe de Saquarema na semifinal da Taça Guanabara nos pênaltis, voltou a perder. Desta vez, por 2 a 0, gols do zagueiro Gustavo, no primeiro tempo, e do atacante Max, na etapa final. Irritada, a torcida gritou olé nos minutos finais a cada passe trocado pelo time visitante.

Com o resultado, o Boavista foi a nove pontos e assumiu temporariamente a liderança do Grupo A. Já o Fluminense, permaneceu com sete pontos no Grupo B, mas agora na terceira posição, fora da zona de classificação às semifinais da Taça Rio. E na próxima quarta-feira o Tricolor tem um jogo decisivo pela Copa Santander Libertadores, contra o América-MEX, no Engenhão…

GALERIA: Veja as melhores fotos da partida no Engenhão

Bonito gol de falta

O jogo começou com as equipes em ritmo lento e o que poderia se transformar no primeiro gol do Boavista logo aos cinco minutos falhou, quando Andre Luis, dentro da área, perdeu o equilíbrio sozinho e caiu, sem finalizar a jogada. Os problemas do Tricolor no primeiro tempo começaram aos 14 minutos, quando Leandro Euzébio foi tirar uma bola de André Luis, dentro da área, e acabou machucando o tornozelo direito, sendo substituído por Digão.

Aos 17 minutos, porém, o Fluminense quase abriu o placar, quando Conca levantou para Rafael Moura que, dentro da área, dominou no peito e chutou forte para a defesa de Thiago. Aos 24, novo susto para o Boavista: Diguinho arriscou de longe, a bola bateu no chão e dificultou a defesa do goleiro do time de Saquarema.

Cinco minutos depois, o técnico interino Ronaldo Torres foi obrigado a fazer nova alteração por lesão. O lateral-esquerdo Carlinhos, após divida com Everton Silva, sentiu o joelho direito e teve de ser substituído por Julio Cesar. Apenas três minutos depois, Erick Flores avançou pela esquerda e rolou para Joilson, que bateu colocado e a bola passou próximo à trave direita de Ricardo Berna.

Mas o gol do Boavista não tardou. Aos 37 minutos, Gustavo, em uma falta cobrada de longe, acertou o ângulo esquerdo de Ricardo Berna e abriu o placar no Engenhão.

Pressão… mas gol do Boavista

No retorno para o segundo tempo, Ronaldo Torres colocou o atacante Fred no lugar de Rafael Moura. O time das Laranjeiras conseguiu melhorar em campo e pressionar o adversário. E, após algumas oportunidades, Conca avançou e foi derrubado por Gustavo na área, mas o árbitro nada marcou, ignorando o pênalti.

A equipe do Fluminense continuou criando boas chances, mas quem assustou foi o Boavista. Aos 14 minutos, Erick Flores acionou Andre Luis, que chutou, mas a bola foi para fora. Aos 21, porém, chance clara para o atacante Fred, que recebeu cruzamento nas costas da defesa, dominou e chutou, mas mandou por cima da meta.

A partir daí, ambos os times foram para o ataque e o jogo ficou aberto. Andre Luis, aos 24, entrou driblando na área tricolor e bateu colocado para a defesa de Ricardo Berna. Aos 32 minutos, o Boavista conseguiu ampliar a vantagem. Depois de boa troca de passes, a bola ficou com Max que, de dentro da área, chutou forte: 2 a 0.

Pouco tempo após o gol, Tony arriscou chute de longe e carimbou a trave direita de Ricardo Berna. O Fluminense, que se desencontrou depois do segundo gol adversário, não mostrava poder de reação e desperdiçava as poucas chances de gol que criava.

Assim, o jogo terminou com a derrota do Tricolor, que continua em crise. Líder do Grupo A até a rodada deste domingo, o Boavista encara o Botafogo no próximo sábado, no Engenhão. Já o Fluminense encara o América-MEX quarta-feira, pela Libertadores, no Engenhão, e no domingo tem clássico contra o Vasco, no mesmo estádio, pelo Estadual.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 0 X 2 BOAVISTA

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 19/3/2011 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Antônio Frederico Shcneider (RJ)
Auxiliares: João Luiz Coelho (RJ) e Francisco Perreira de Sousa (RJ)
Renda e público: R$ 96.690,00 / 5.046 pagantes
Cartões amarelos: Gum, Diogo e Julio Cesar (FLU); Everton Silva (BOA)
Cartões vermelhos: –
Gols: Gustavo 37’/1ºT (0-1) e Max 32’/2ºT (0-2)

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio (Digão 14’/2ºT) e Carlinhos (Julio Cesar 28’/2ºT); Diogo, Diguinho, Marquinho e Conca; Emerson e Rafael Moura (Fred – Intervalo) – Técnico: Ronaldo Torres.

BOAVISTA: Thiago, Everton Silva, Gustavo, Bruno Costa e Paulo Rodrigues; Julio César, Joílson (Roberto Lopes 36’/2ºT), Tony e Erick Flores (Edu Pina 30’/2ºT); André Luís e Frontini (Max 20’/2ºT) – Técnico: Alfredo Sampaio.

março 19, 2011 Posted by | Fluminense | , | Deixe um comentário

Santos volta a jogar mal e perde para o Bragantino

Com derrota por 2 a 1, Peixe perde a chance de dormir na liderança do Paulistão

O Santos prolongou sua má fase neste sábado ao perder para o Bragantino por 2 a 1, fora de casa, e perdeu a chance de dormir na liderança do Campeonato Paulista. O time, que vive um momento delicado na Copa Libertadores desde a derrota do último meio de semana para o Colo Colo, no Chile, voltou a atuar mal e agora vê a pressão para contratar um técnico aumentar. Com o resultado, o Alvinegro segue em terceiro lugar, mas cairá para o quarto lugar neste domingo caso o Palmeiras no ao mesmo empate com o São Caetano, no ABC. Já o time do interior viu suas chances de classificação às quartas de final aumentarem já que agora ocupa a 10ª colocação da tabela,

O jogo começou com o Santos pressionando muito e o Braga respondendo por meio de faltas, principalmente em cima do atacante Neymar. Logo aos dois minutos, Murilo Henrique cometeu falta em cima do atacante e levou o primeiro cartão amarelo da partida. Um minuto depois, Elano quase abriu o placar para o Peixe. Em cobrança de falta, o meia chutou e o goleiro Gilvan tirou a bola de soco.

Aos 14 minutos, o Bragantino assustou pela primeira vez. Nego cobrou escanteio e Marcelinho cabeceou para o gol, mas a bola acertou a trave esquerda do goleiro Rafael. E depois do primeiro lance, o Braga pareceu ter acordado para a partida. Aos 25 minutos, Léo Jaime abriu o placar. O atacante aproveitou falha de Edu Dracena e bateu cruzado, sem chances para o goleiro Rafael.

Confira imagens da derrota alvinegra

Menos de cinco minutos depois, o Santos igualou o jogo. O zagueiro Everaldo cometeu pênalti em cima de Zé Eduardo e Elano converteu, empatando a partida. Depois do gol, as duas equipes tiveram mais uma ou duas chances cada, mas o primeiro tempo terminou empatado.

O segundo tempo começou e foi a vez de o Santos cometer muitas faltas. Aos seis minutos, Adriano levou cartão amarelo por falta em Marcelinho. Um minuto depois, Danilo recebeu o seu por causa de um carrinho violento em cima de Rodriguinho. Os dois jogadores do Santos estavam pendurados e não enfrentam o Mogi Mirim.

Aos 14 minutos, Neymar conseguiu finalmente escapar da marcação de Murilo e rolou a bola para Elano. O meia entrou livre na área e bateu de primeira. A bola passa por Gilvan e cruza todo o gol, saindo com muito perigo. Aos 20 minutos o jogo esquenta, os dois times se envolvem em uma confusão após falta cometida por Ganso. O jogador recebeu cartão amarelo. Cinco minutos depois outra confusão, desta vez entre Neymar e Nego, ambos são amarelados.

O Santos continuou sofrendo com as faltas e aos 33 minutos em cobrança de falta, Elano chutou na área e Murilo marcou contra. Mas o assistente marcou falta duvidosa de Neymar em cima de Murilo e anulou o gol. Aos 38, Durval mergulhou e desviou de cabeça cruzamento de Elano, mas a bola passa pelo gol do Bragantino.

Quando a partida parecia estar definida, Júlio César cobrou escanteio e Marcelinho subiu livre para marcar o segundo gol do Bragantino e garantir a vitória sobre o Peixe.

Na próxima rodada o Santos receberá o Mogi Mirim na Vila Belmiro, na quarta-feira, às 19h30. Enquanto o Bragantino irá enfrentar o São Caetano, às 17h, no Anacleto Campanella, no mesmo dia.

FICHA TÉCNICA

BRAGANTINO 2 x 1 SANTOS

Estádio: Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista (SP)
Data/hora: 19/03/2011 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
Auxiliares: Daniel Luis Marques e Gustavo Rodrigues de Oliveira (SP)
Renda/público: R$ 249.592,00 / 11.146 pagantes
Cartões amarelos: Murilo Henrique, Carlinhos, Nego (BRA); Zé Eduardo, Adriano, Danilo, Paulo Henrique Ganso, Neymar (SAN)
GOLS: Léo Jaime, 25’/1ºT (1-0); Elano, 31’/1ºT (1-1); Marcelinho, 43’/2ºT (2-1)

BRAGANTINO: Gilvan; Carlinhos, Murilo Henrique e Everaldo; Nego, Diego (Cristian, 44’/2ºT) , Eder, Rodriguinho (Paulo Roberto, 18’/2ºT) e Julio Cesar; Léo Jaime (Fabrício Carvalho, 37’/2ºT) e Marcelinho. Técnico: Marcelo Veiga.

SANTOS: Rafael; Danilo, Edu Dracena, Durval e Pará; Adriano, Rodrigo Possebom, Elano e Paulo Henrique Ganso (Maikon Leite, 31’/2ºT); Neymar e Zé Eduardo. Técnico: Marcelo Martelotte.

março 19, 2011 Posted by | Santos | Deixe um comentário