Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

‘Fenômeno’ Liedson resolve e Corinthians vence o Mogi

Na primeira partida sem Ronaldo, Levezinho faz dois e Timão fica perto dos líderes

O que seria do Corinthians pós-aposentadoria de Ronaldo, ninguém podia afirmar. E logo na primeira partida sem a sombra do Fenômeno no grupo, Liedson mostrou que se a Fiel não tem mais R9, pode ao menos comemorar a chegada de um novo “Fenômeno”. Com dois gols do Levezinho, o Timão venceu o Mogi Mirim, por 2 a 0, no Pacaembu, e colou nos líderes do Paulistão.

Mesmo sem o Fenômeno, a vida seguiu para o Corinthians. Sofrendo com os problemas de armação, o Timão pouco criou durante toda a partida. No entanto, o oportunismo de Liedson apareceu e a Fiel acabou “premiada” com os três pontos. Bem posicionado o atacante marcou o primeiro gol num rebote. O segundo, numa bobeada incrível do goleiro do Mogi.

A pior notícia, no entanto, foi a lesão de Chicão, que sentiu a coxa ainda no primeiro tempo. O capitão foi substituído e preocupa a torcida corintiana para o clássico contra o Santos, no próximo domingo. Com os três pontos, o Corinthians chegou à quinta colocação do Paulistão, com 16 pontos.

Liedson salva!

Em um primeiro tempo muito fraco tecnicamente, o Corinthians rondou a área adversária, tocou, tentou, mas não teve forças para abrir o placar. Apostando nos contra-ataques e encarando o empate como um bom resultado, o Mogi Mirim praticamente não saiu do seu campo de defesa.

Com a postura cautelosa do Mogi, Jucilei teve liberadade para chegar constantemente ao ataque, deixando Ralf preso no meio de campo e atento aos contra-golpes. Ainda assim, mesmo contra um adversário todo atrás, a dificuldade do Timão em armar as jogadas foi muito grande.

Ramírez e Danilo, teoricamente os dois armadores, não fizeram a bola chegar nos pés de Jorge Henrique e Liedson como deveriam. Enquanto o primeiro voltava para buscar, Liedson só apareceu quando recebeu algum lançamento em profundidade. Apagado, o atacante pouco produziu na etapa incial, mas criou a melhor (e única) oportunidade do Timão. Aos 10 minutos, Danilo desviou de cabeça para o Levezinho, que arriscou de primeira. A bola passou muito perto, rente à trave defendida por João Paulo.

Sem levar gol há três partidas, o principal acontecimento da primeira etapa foi a saída de Chião. Lutando contra uma contração na coxa esquerda desde os primeiros minutos de jogo, o capitão Alvinegro não aguentou e deu lugar a Wallace aos 26.

Na segunda etapa, o Corinthians voltou mais ligado e quase abriu o placar logo em seu primeiro lance de ataque. Aos 2 minutos, Jorge Henrique cruzou por baixo e Liedson arriscou de primeira, com muito perigo. No entanto, o Corinthians errou muitos passes e o Mogi segurou bem os avanços do Alvinegro.

Negociando sua saída do Corinthians, Jucilei deu lugar a Morais, aos 18 minutos. Com isso, o técnico Tite tentou resolvido os problemas de ligação entre o meio e o ataque. Ledo engano. O panorama da partida seguiu o mesmo e o empate sem gols se arrastou até os 27 minutos…

Foi aí que a estrela do atacante naturalizado português começou a brilhar. Dentinho, que havia entrado no lugar do criticado Danilo, arriscou de muito longe. Atrapalhado, o goleiro João Paulo largou e Liedson apareceu no meio de três zagueiros para mandar para a rede.

Atrás no placar, o Mogi Mirim resolveu sair para o jogo e arriscou alguns avanços. No entanto, era tarde demais e o Corinthians soube segurar bem a vantagem. E se a vida já não estava fácil para o Mogi, já no fim de jogo, aos 41 minutos, o goleiro João Paulo ainda deu de presente o segundo gol. Numa tentativa de driblar Liedson, o atacante foi mais esperto, roubou a bola e tocou para o fundo do gol.

Mesmo jogando mal, o Corinthians levou a melhor e mostrou que mesmo sem sua principal referência no ataque, a Fiel pode ficar tranquila: se precisar, o “Fenômeno” Liedson resolve!

No próximo domingo, o Corinthians faz clássico contra o Santos, no Pacaembu, às 16h. No mesmo horário, o Mogi Mirim recebe o Palmeiras, em casa.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 2 x 0 MOGI MIRIM

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 17/2/2011 / 21h50
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Daniel Luis Marques e Gustavo Rodrigues de Oliveira
Renda e público: R$ 189.581,00 / 7.248 pagantes
Cartões amarelos: Jucilei, Liedson (COR); Cleidson, Everton Dias (MOG)
Cartões vermelhos: Não houve
GOLS: Liedson, 27’/2ºT (1-0); Liedson, 41’/2ºT (2-0)

CORINTHIANS: Julio César, Alessandro, Chicão (Wallace, 26’/1ºT), Leandro Castan e Marcelo Oliveira; Ralf, Jucilei (Morais, 18’/2ºT), Ramírez e Danilo (Dentinho, 10’/2ºT); Jorge Henrique e Liedson. Técnico: Tite.

MOGI MIRIM: João Paulo, Niel, Audálio, Leomar e Cleidson; Baraka, Val, João Paulo (Everton Sena, 34’/2ºT) e Geovane; Roberto Jacaré (Paulo Isidoro, 23’/2ºT) e Denílson. Técnico: Guto Ferreira.

fevereiro 17, 2011 Posted by | Corinthians | Deixe um comentário

Grêmio goleia Oriente Petrolero e lidera Grupo 2

Clube gaúcho se junta a Cruzeiro como brasileiro que ganhou na estreia na fase de grupos da Libertadores da América

Em um jogo inicialmente mais complicado do que o esperado, o Grêmio bateu o Oriente Petrolero, da Bolívia, por 3 a 0, com gols de Douglas, duas vezes, e Gilson e lidera o Grupo 2 da Libertadores. Com o resultado, o Tricolor passa a ter saldo 3 e ultrapassa o Junior de Barranquilla, que tem o mesmo número de pontos.

Na próxima rodada, o Grêmio vai a Barranquila e enfrenta o time colombiano, dia 24, às 23h45. O León de Huánuco recebe o Oriente Petrolero, dia 23, às 17h15.

O JOGO

Foi um primeiro tempo bastante movimentado e equilibrado. Para quem achou que o Oriente se defenderia, se enganou. A equipe boliviana adiantou o time e deu problemas ao Grêmio nos primeiros 10 minutos. Mas foi o time da casa que finalizou a primeira vez, com Douglas, da intermediaria.

O canhoto gremista se movimentou bastante. Carlos Alberto não ficou preso no lado direito do losango. Por vezes foi o mais adiantado do setor, com Douglas ocupando o seu lugar pela direita e Lúcio jogando mais recuado.

No entanto, afora um chute de Arce aos 20, o Oriente Petrolero só levou perigo ao Grêmio aos 37 minutos. Nesse meio tempo, o Tricolor empilhou chances de gol e teve inclusive um anulado. Aos 19, Borges dominou a bola com a mão e fez um gol irregular e anulado. Teve de parar as cambalhotas no ar.

O gol do Grêmio amadurecia. O Oriente Petrolero recuou e aceitou a pressão do time da casa, esperando o contra-ataque. Aos 37, teve a única chance dada pelo Tricolor: Arce foi acionado em velocidade, e não fosse a recuperação de Gilson no lance, teria feito o primeiro gol.

Se o Oriente não aproveitou as chances, o Grêmio resolveu finalmente abrir o placar. Mas teve uma ajudinha do árbitro Néstor Liber. A bola bateu no rosto de Terrazas, mas o juiz interpretou como pênalti. Douglas cobrou e colocou a bola para dormir na rede.

O Grêmio voltou do vestiário com o mesmo ímpeto. Em jogada pela esquerda de Gilson, Borges fez a parede e finalizou no gol, fraco. Suárez deu outra ajuda ao Tricolor e soltou a bola nos pés de Gilson, que só empurrou ao gol vazio. 2 a 0 tricolor aos dois minutos. E a pressão seguiu até os 15 minutos, só depois o Oriente Petrolero se refez do baque.

Depois de alguns bons momentos do Oriente, o Grêmio retomou o controle da bola e do jogo. Aos 21, em bate-rebate na área, André Lima deu uma casquinha e Suárez quase se complicou. Era o que precisava para o Tricolor voltar ao jogo. Lúcio foi a linha de fundo e colocou rasteiro para Douglas, que minutos antes havia sido repreendido por Renato Gaúcho. O meia empurrou para o gol e ampliou a vantagem para três gols.

Sem muito mais o que fazer na partida, o time boliviano só tocava a bola. Em uma finalização aos 30, fez Victor trabalhar, mas já não tinha forças para lutar com a qualidade gremista. Os últimos minutos do Grêmio foram para testes. Renato colocou Escudero, Adilson e Maylson, e cozinhou o jogo até o apito final.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO 3 X 0 ORIENTE PETROLERO

Data/Hora: 17/02, às 19h45

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre

Árbitro: Líber Prudente, auxiliado por Carlos Pastorino e William Casavieja, todos uruguaios.

Gols: Douglas, aos 43 do primeiro tempo e aos 24 do segundo, e Gilson, aos dois minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Maurício Saucedo, Caamaño(O) Carlos Alberto

Público: 35.693

Renda: 825.910,50

Grêmio: Victor; Gabriel, Paulão, Rodolfo e Gilson; Fábio Rochemback, Lúcio(Maylson), Carlos Alberto(Adilson) e Douglas; Borges e André Lima(Escudero). Técnico: Renato Gaúcho.

Oriente Petrolero: Hugo Suárez; Miguel Hoyos, Alejando Caamaño, Alejandro Schiapparelli(Melean) e Luis Gutiérrez; Fernando Saucedo, Jhasmani Campos(Peña), Terrazas(Aguirre), Joselito Vaca e Mauricio Saucedo; Juan Carlos Arce. Técnico: Ariel Russo.

fevereiro 17, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário