Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Grêmio bate Caxias e se classifica no Gauchão

Vitória confirmou Tricolor nas quartas de final da Taça Piratini

Com dois jogos de antecedência, o Grêmio garantiu classificação para a fase final da Taça Piratini. A vitória sobre o Caxias, que tinha a melhor campanha do Gauchão, garantiu o Tricolor entre os quatro primeiros colocados da chave 2. Com 14 pontos, o time gremista assume a ponta de seu grupo. Já o Caxias, mesmo com a vitória, se mantém na primeira colocação da chave 1 e espera o resultado de Inter x Veranópolis para saber sua posição.

Na quarta, o Grêmio cumpre jogo adiado devido à disputa da Pré-Libertadores contra o São Luiz, em Ijuí, às 22h. Já o Caxias joga apenas no fim de semana, no domingo, contra o Porto Alegre, às 17h.

Os primeiros toques da partida foram bonitos. Todos os jogadores tricolores tocaram apenas uma vez na bola, sem deixar a roda parar. Mas quando o Caxias recuperou, mostrou porque defendia a melhor campanha do Gauchão. Em um toque, Balthazar fez Victor ter de deixar a área e se antecipar à Lima.

A troca de passes gremista continuou vistosa. Como se em um coletivo em que só pudesse tocar duas vezes na bola, aos seis minutos, Willian magrão tabelou com André Lima. O centroavante lançou o volante às costas da zaga, sem marcação. Magrão viu Douglas na pequena área e só rolou para o meia abrir o placar.

Estreante, Rodolfo mostrou a que veio. Em lance que Lima atingiu Gilson e ficou caído, o Caxias não colocou a bola para fora de campo. Quando ela quicou em sua frente, Rodolfo jogou na arquibancada e correu em direção ao capitão do time adversário, cobrando fair play. A torcida foi ao delírio.

O esquema armado por Lisca dava liberdade para Fábio Rochemback. O 4-3-2-1 deixou o capitão gremista livre para acionar Júnior Viçosa, derrubado na intermediária, que Rochemback colocou na área. Rodolfo correu para área depois de ouvir as orientações de Renato e complicou a marcação de Neto. Pois o estreante ajeitou para Vilson se desgarrar da marcação e fazer o segundo gol gremista aos 24.

Melhor campanha do Gauchão antes de iniciar a partida, o Caxias só conseguiu levar perigo ao gol de Victor aos 38 minutos. Edenílson carregou pelo meio, acionou Lima no pivô e chutou a direita do gol do goleiro gremista. Aos 47, André Lima recebeu de Lúcio na área e quase marcou.

Sob o calor e as entradas duras do Caxias, Renato resolveu poupar dois dos principais jogadores gremistas: Gabriel, no final do primeiro tempo, e Rochemback, no intervalo. Entraram Mário Fernandes e Vinícius Pacheco, respectivamente. O Caxias também mudou, e Pedro Henrique, promessa das categorias de base caxiense e atacante substituiu o volante Felipe. Na lateral-direita, Patrício tomou o lugar de Allison.

Com as mudanças, o Caxias se postou mais a frente, dentro do campo do Grêmio. A posse de bola se inverteu, e o time visitante agora tinha mais tentativas de criação. Porque chances claras… nenhuma.

Até os 15 minutos, quando Balthazar lançou Pedro Henrique às costas de Rodolfo. O atacante dançou na frente do zagueiro e finalizou de pé esquerdo para defesa do goleiro Victor. Entretanto, ao invés de melhorar o momento do time do interior gaúcho, a chance acordou o Grêmio. Melhor postado, o dono da casa parou o ímpeto caxiense e voltou a levar perigo.

Aos 30 minutos, em escanteio batido curto, Vinícius Pacheco cruzou e Viçosa cabeceou em cima do goleiro Matheus. Logo depois, saiu para o retorno aos gramados do centroavante Borges, sem jogar desde o dia 11 de setembro de 2010.

Mesmo melhor no segundo tempo, o Caxias só conseguiu chegar com força aos 38 minutos, em lançamento de Edenílson para Pedro Henrique. Victor abafou e jogou para escanteio. Na cobrança, Balthazar levantou a bola na área e Edson Rocha subiu no quarto andar para descontar. A pressão do Caxias se intensificou no fim da partida, mas não surtiu efeito

FICHA TÉCNICA:

Grêmio 2 x 1 Caxias

Data/hora: 06/02, 17h

Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre

Gols: Douglas, aos 6min do primeiro tempo e Vilson, aos 24 do primeiro tempo(G). Edson Rocha, aos 39 do segundo tempo(C).

Cartão Amarelo: Lúcio (G) Allison, Pedro Henrique, Itaqui (C)

Público: 9.094

Renda: R$ 123.755,50

Grêmio: Victor; Gabriel(Mário Fernandes), Vilson, Rodolfo e Gilson; Fábio Rochemback(Vinícius Pacheco), Willian Magrâo , Lúcio e Douglas; Júnior Viçosa e André Lima.Técnico: Renato Gaúcho

Caxias: Matheus, Allison(Patrício), Edson Rocha, Neto e Gerley; Marcos Rogério, Felipe(Pedro Henrique), Itaqui(Rodrigo Paulista) e Edenílson; Balthazar e Lima. Técnico: Lisca.

fevereiro 5, 2011 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Sob vaias, Santos só empata e não passa Verdão

Depois de primeiro tempo eletrizante, Maikon Leite saiu e Peixe não encontrou forças para virar o jogo na segunda etapa

Era a chance do Santos chegar à liderança do Campeonato Paulista ao menos até o Palmeiras jogar neste domingo. Mas, sem poder contar com Elano, o Peixe só empatou por 1 a 1 com o Santo André, no estádio do Pacaembu, na noite deste sábado.

Os gols foram marcados por Marcelo Godri, pelo Ramalhão, e Rodrigo Possebon, pelo Santos, ambos na primeira etapa.

Ainda invicto, o Alvinegro Praiano chega ao seu terceiro empate em sete jogos – são 15 pontos no Campeonato Paulista, contra apenas 6 do rival do ABC, que continua sem vencer na competição.

REVANCHE DA FINAL DE 2010?

O Santos chegou ao Pacaembu como visitante. O estádio Bruno José Daniel foi liberado pela FPF para apenas 8 mil lugares. Sendo assim, a diretoria do Ramalhão optou pelo Pacaembu, apostando na torcida santista invadindo o estádio.

Mas os santistas que compareciam ao estádio paulistano tiveram um susto logo a 5 minutos. Depois da bola bater na barreira santista em cobrança de falta, Marcelo Godri aproveitou a sobra e chutou mascado. 1 a 0 Santo André, decidido a ‘se vingar’ da final do Campeonato Paulista de 2010.

Depois do gol do Ramalhão, a equipe de Adílson Batista precisou de 40 minutos para chegar ao inevitável empate, sem antes demostrar todo seu poderio ofensivo.

O Bi-campeão Mundial mostrou por que teve 18 gols em 6 partidas. Fulminante, o Peixe teve uma série de 9 finalizações a gol, que deixou o Ramalhão sem conseguir respirar: Maikon Leite aos 16, aos 18, aos 25, aos 27 e aos 32; Felipe Anderson aos 28; Róbson aos 25; o estreante Diogo aos 30; Edu Dracena, de cabeça, aos 34.

Ufa!

O experiente atacante Nunes, único remanescente do Ramalhão na final do Paulistão 2010, alertou no intervalo:

– Nunca se joga atrás contra um time como o Santos.

E ele tinha razão, porque minutos antes, aos 45, Rodrigo Possebon marcara o gol de empate. O ex-volante do Manchester United acertou o canto de Neneca sem deixar a bola cair, em dois tempos. Era o 1 a 1 no Pacaembu.

Para a segunda etapa, o Santos chegou com perigo, se aproveitando da velocidade do ataque.

Mas as chances do Peixe se diluíram assim que o motor de arranque sanstista, Maikon Leite, foi substituído com dores na coxa esquerda para dar lugar à Keirrison, aos 16.

Sobrou para Felipe Anderson a responsabilidade de armar o Peixe, já que Róbson também fora substituído aos 20.

O garoto, revelado no Peixe, mostrou que poderia resolver aos 26, ao quase marcar de fora da área.

Mas o Santos estava tomado pela apatia de uma equipe que já não tinha Elano e nem Maikon Leite em campo. A dupla, dessa vez, não pôde salvar o Peixe.

Diante da desorganização do Santos, que não tinha pernas para finalizar, o Ramalhão quase surpreendeu aos 39, com Juan Felipe.

Foi apenas a segunda finalização da equipe do ABC paulista no Pacaembu. E, das duas, uma foi o gol.

Fim de jogo sob vaias da massa Alvinegra. 1 a 1 e chance desperdiçada de ultrapassar o Palmeiras na liderança do Paulistão.

Para a próxima rodada, o Ramalhão visita o Botafogo em Ribeirão Preto no sábado, dia 12, enquanto o Santos encara o Noroeste na Vila Belmiro na sexta-feira (11).

O Peixe antecipou a data do duelo para se programar para a viagem à Venezuela, onde enfrenta o Deportivo Tachira-VEN no dia 15, em sua estreia na Copa Libertadores.

FICHA TÉCNICA
SANTO ANDRÉ 1X1 SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 5/2/2011 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Aurélio Sant’anna Martins
Auxiliares: Reinaldo Rodrigues dos Santos e Osny Antonio Silveira
Renda/público: R$ 226.770,00 / 8.310 pagantes
Cartões amarelos: Mario Jara (STA); Léo (SAN)
GOLS: Marcelo Godri, 5’/1ºT (1-0); Rodrigo Possebon, 45’/1ºT (1-1)

SANTO ANDRÉ: Neneca; Iran, Sandoval, Anderson e Alex Silva (Valmir, 11’/2ºT); Marcelo Godri, Magno, Romário e Aloísio (Juan Felipe, intervalo); Rychely e Nunes (Mario Jara, 33’/2ºT). Técnico: Pintado.

SANTOS: Vladimir; Pará, Edu Dracena, Bruno Rodrigo e Léo; Adriano, Rodrigo Possebon, Felipe Anderson e Róbson (Crystian, 20’/2ºT); Maikon Leite (Keirrison, 16’/2ºT) e Diogo (Moisés, 32’/2ºT). Técnico: Adilson Batista.

fevereiro 5, 2011 Posted by | Santos | , | Deixe um comentário