Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Santos vence o São Paulo e segue líder do Paulistão

No primeiro clássico do Campeonato Paulista, Peixe vence o Tricolor por 2 a 0 e se mantém invícto na competição

No primeiro clássico deste Paulistão quem deu a bola foi o Santos. O Peixe venceu o São Paulo por 2 a 0, na Arena Barueri, e manteve a liderança do Campeonato Paulista, com 13 pontos. Os gols da vitória santista foram marcados por Elano e Maikon Leite, artilheiros da competição.

Além da liderança, com a vitória o Peixe segue invícto na temporada, com quatro vitórias e um empate. Já o São Paulo estaciona nos nove pontos, mas segue no G8.

Aproveitando o gol logo no início da partida, o Alvinegro jogou a maior parte do jogo fechado, explorando os contra-ataques oferecidos pelo Tricolor, que mais uma vez sentiu falta de um meia armador. A equipe encontrou muitas dificuldades para criar jogadas e, apesar da pressão imposta no segundo tempo, não conseguiu marcar.

Na próxima rodada o Santos visita a Ponte Preta, quarta-feira, às 19h30 e o Sampa recebe o Linense, quinta-feira, às 19h30, no Morumbi.

O JOGO

Contando com um série de desfalques, como Arouca, Paulo Henrique Ganso e Neymar, o Peixe foi a campo com um time parecido com o que empatou com o São Caetano na última rodada. A única baixa na equipe foi o lateral Jonathan que, machucado, foi substituído por Pará. Com isso, o volante Rodrigo Possebon ocupou a vaga aberta no meio-de-campo.

Já o São Paulo teve três modificações em relação à equipe que enfrentou o Americana, na última quarta-feira. Com Alex Silva vetado pelo departamento médico, devido à dores no joelho esquerdo, Xandão ocupou o seu lugar e Jean, que na última partida jogou como volante, voltou à lateral. No ataque, outra novidade: Marlos perdeu o lugar para Fernandão que, pela primeira vez no ano, começou como titular.

O jogo começou equilibrado, com as duas equipes se estudando bastante. Apesar de o Santos se lançar mais ao ataque, a primeira jogada de perigo foi dos visitantes, aos 3 minutos. Fernandinho recebeu de costas para o gol e girou para cima de Adriano. O meia invadiu a área, driblou Edu Dracena e chutou fraco, fazendo a bola passar muito próxima da trave direita de Rafael.

A resposta do Santos, entretanto, foi mais efetiva e, aos dez minutos, Elano abriu o placar para o Peixe. Róbson fez um lindo cruzamento e o camisa 8 apareceu sozinho na área e marcou, de cabeça, o seu quinto gol nesta temporada.

Com a vantagem, o Peixe passou a trocar passes, tentando esfriar a partida. O Tricolor sentia falta de um camisa 10 e tinha dificuldades para criar jogadas. As melhores jogadas da equipe saiam pelo lado esquerdo, com as descidas de Juan e Fernandinho.

Já o Peixe aproveitava os espaços oferecidos pelo São Paulo e assustava nos contra-ataques. Aos 22 minutos, o time da Vila quase ampliou com Rodrigo Possebon. Após cobrança de escanteio, o volante subiu, livre, e cabeceou para o chão. Rogério Ceni se esticou todo e fez uma linda defesa.

Buscando o empate, o Tricolor passou a se movimentar mais e melhorou à partir dos 35 minutos. Em duas oportunidades, o time do Morumbi quase conseguiu a igualdade. Primeiro aos 38, em um gol de Dagoberto bem anulado. O atacante cobrou falta e Rafael deixou a bola entrar, mas o árbitro assinalou impedimento de Miranda que, apesar de não ter tocado na bola, atrapalhou o goleiro do Peixe.

A outra boa chance do São Paulo foi aos 40, com Fernandinho, que recebeu belo lançamento de Dagoberto e dentro da área chutou forte, mas foi travado no momento da finalização por Edu Dracena.

O segundo tempo começou da mesma forma que acabou a primeira etapa, com o Tricolor pressionando. O Santos ficava acuado em seu campo e só levava perigo nos contra-ataques.

Apesar da pressão do Tricolor, o time do Morumbi tinha dificuldades para penetrar na defesa santista e quando conseguia, pecava nas finalizações.

Mesmo jogando mal, o Santos conseguiu ampliar a vantagem aos 28 minutos, com Maikon Leite. Elano arriscou de longe e Rogério rebateu. A bola sobrou para Maikon Leite que, sozinho, só teve o trabalho de tocar para o fundo do gol.

Abalado pelo segundo gol, o São Paulo perdeu o ímpeto, mas mesmo assim ainda teve algumas chances, duas delas em cobranças de faltas perigosas de Rogério Ceni. Porém, a tarde definitivamente não era são-paulina.

No final da partida, ainda deu tempo do Peixe trocar passes aos gritos de olé da sua torcida.

SANTOS 2 X 0 SÃO PAULO

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 30/1/2011 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Anderson José de Moraes Coelho (SP)
Cartões Amarelos: Pará, Elano (SAN) ; Carlinhos, Marlos (SPO)
Público e renda: 9334 pagantes / R$ 213.960,00
Gols: Elano, 10’/1ºT (1-0); Maikon Leite, 28’/2ºT (2-0)

SANTOS: Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano (Bruno Rodrigo, 22’/2ºT), Rodrigo Possebon (Anderson Carvalho, 29’/ºT), Elano e Róbson(Felipe Anderson 35’/2ºT); Maikon Leite e Keirrison. Técnico: Adilson Batista.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Jean, Xandão, Miranda e Juan (Luiz Eduardo, 33’/2ºT); Rodrigo Souto, Zé Vitor (Marlos, 9’/2ºT), Carlinhos e Fernandinho; Dagoberto (Marcelinho, 29’/2ºT) e Fernandão. Técnico: Paulo César Carpegiani.

janeiro 31, 2011 Posted by | Santos, São Paulo | | Deixe um comentário

Com gols no fim, Palmeiras vence Lusa no Canindé

Quando o jogo parecia caminhar para um 0 a 0 sem emoções, Cicinho e Kleber fizeram para o Verdão

Em tarde de estreias, o Palmeiras conseguiu sua quarta vitória seguida ao bater a Portuguesa, no Canindé, por 2 a 0. O Verdão se manteve na cola do líder Santos, que também venceu neste domingo, e retomou a vice-liderança do Campeonato Paulista, agora com 13 pontos. Os gols foram marcados por Cicinho e Kléber, ambos nos minutos derradeiros da segunda etapa.

A vitória colocou o Verdão na vice-liderança, atrás do Santos pelo saldo de gols (8 contra 6). Já a Lusa caiu para a nona colocação.

VÍDEO Veja os melhores lances de Portuguesa x Palmeiras

Sem o zagueiro Danilo, que negocia sua saída do Palmeiras, o técnico Felipão promoveu a estreia de Thiago Heleno. Mas os destaques mesmo ficaram para outras duas novidades: os atacantes Max Santos e Adriano Michael Jackson entraram no segundo tempo e melhoram o time. Com os dois em campo, o Palmeiras conseguiu os dois gols que decretaram a vitória.

PRIMEIRO TEMPO MORNO

Envolvido pelo meio de campo fechado da Portuguesa, o Palmeiras sofreu no começo da partida e só conseguiu chegar ao ataque em algumas brechas em contra-golpes. Mas a alternativa não surtiu grande efeito. Tinga, sobrecarregado, tentou municiar os três atacantes de Felipão, sem sucesso.

O Palmeiras teve uma boa chance com o volante João Vitor, substituto de Marcos Assunção, lesionado. Mas foi pouco!

Foi difícil passar pela dupla Ferdinando e Ademir Sopa, que formava uma paredão frente à defesa lusa. Além deles, dois jogadores formados na base do Canindé, Guilherme e Henrique, completavam o meio de campo com muita disposição para barrar as investidas palmeirenses.

As boas chances da equipe da casa saíram dos pés destes pratas-da-casa. Guilherme, aos 18, soltou uma bomba que Marcos buscou. Henrique, aos 41, foi lançado por Héverton e tentou encobrir Marcos.

No segundo tempo, Felipão resolveu mudar a equipe. Já na volta do intervalo, sacou o inoperante Dinei e escalou Patrik, destaque nos últimos jogos. Logo depois, promoveu a estreia de Max Santos, no lugar de Luan. É o novato conseguiu abrir espaços logo em sua entrada.

Animado, Max chutou forte e Wéverton espalmou, aos 11. Um minuto depois ele fugiu pela esquerda e cruzou para Tinga, que não alcançou. A torcida palmeirense gostou, mas o time não evoluiu.

O jogo permaneceu truncado, a exemplo do primeiro tempo. Diante de tanto equilíbrio, o gol poderia sair a qualquer instante. Nenhuma das equipes mostrava superioridade no Canindé até então.

ATAQUE EM BLOCO

Foi durante este momento de morosidade no segundo tempo que Felipão tentou incendiar a partida. O treinador colocou em campo outra novidade: Adriano Michael Jackson, que substituiu Tinga, aos 28 minutos, e deu novo ânimo à torcida palmeirense.

Imediatamente após sua entrada, o Verdão acordou em campo, mas sem a participação direta de Adriano. Max Santos abriu o jogo pela esquerda, escapou da zaga e achou Kléber livre na pequena área. O camisa 30 desperdiçou grande chance. O Verdão pressionou e criou outras três boas chances de marcar, que acabaram desperdiçadas.

Mas aos 36, Kleber comandou jogada de ataque do Palmeiras e tocou forte para Michael Jackson. O atacante não alcançou mas a bola acabou nos pés de Cicinho, que chutou dea entrada da área com categoria para abrir o placar.

A Lusa bem que tentou pressionar, mas foi o Verdão quem marcou. Aos 45 minutos, Kleber recebeu passe de Adriano e girou para fazer o segundo gol do Palmeiras.
Agora, a Portuguesa recebe o Americana no Canindé, na próxima quarta-feira, enquanto o Palmeiras vai à Mirassol enfrentar o time da casa, no mesmo dia.

FICHA TÉCNICA:
PORTUGUESA 0 X 2 PALMEIRAS

Estádio: Canindé, São Paulo (SP)
Data/hora: 30/01/2011 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Márcio Jacob e Luis Alexandre Nilsen
Renda/público: R$ 224.520,00 / 9.304 pagantes
Cartões amarelos: Preto Costa, Domingos (POR); Kleber, João Vítor (PAL)
GOLS: Cicinho, 36’/2ºT (0-1); Kleber, 45’/2ºT (0-2)

PORTUGUESA: Wéverton, Paulo Sérgio (Rafael Silva, 24’/2ºT), Domingos, Preto Costa e Marcelo Cordeio; Ferdinando, Ademir Sopa, Guilherme e Henrique (Dinei, 37’/2ºT); Héverton e Luis Ricardo. Técnico: Sérgio Guedes.

PALMEIRAS: Marcos, Cicinho, Mauricio Ramos, Leandro Amaro e Rivaldo; Márcio Araújo, João Vítor, Tinga (Adriano, 28’/2ºT); Luan (Max Santos, 10’/2ºT), Kleber e Dinei (Patrik, intervalo). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

janeiro 31, 2011 Posted by | Palmeiras, Portuguesa | , | Deixe um comentário

Em clima de festa, São Bernardo e Corinthians só empatam no ABC


Único contente com empate em 2 a 2 foi o ex-presidente Lula, presente nos camarotes; peruano Ramírez marcou o segundo gol e brilhou

Sob os olhos atentos do ex-presidente Lula, o Corinthians, com os reservas, empatou com o São Bernardo por 2 a 2 e agora segue para a Colômbia, onde decidirá seu futuro na Copa Libertadores contra o Deportes Tolima, na quarta.

O Timão saiu atrás duas vezes no placar, mas conseguiu igualar o marcador diante de mais de 15 mil torcedores e a presença do ex-presidente Lula nos camarotes. Os gols foram marcados por Júnior Xuxa e Kauê, pelo lado do Tigre, e Danilo e Luiz ‘Cachito’ Ramírez, pelo Corinthians.

O Alvinegro segue com apenas uma vitória em quatro jogos no Campeonato Paulista, em 11º na tabela.

Sem os titulares, poupados para o jogo contra o Tolima, o técnico Tite deu chance a vários jogadores que voltavam de empréstimo, como Edno, Diego Sacoman, Marcelo Oliveira e Morais, titulares no jogo deste domingo.

Mas quem brilhou mesmo foi o peruano Ramírez, com grande atuação individual, coroada pelo gol de empate no segundo tempo.

Na próxima semana, o Corinthians tem confronto decisivo contra o Tolima, na Colômbia, valendo vaga para a fase de grupos da Copa Libertadores. Já o São Bernardo visita o Bragantino na quinta-feira. A partida do Timão válida pela sexta rodada, contra o Ituano, será realizada apenas no dia 15.

EM RITMO DE FESTA

Contando com bom público no estádio Primeiro de Maio, a partida deste domingo representava festa. Não só por enfrentar o Corinthians, mas por causa da presença do ex-presidente Lula no camarote e a cerimônia de inauguração do estádio reformado.

Os mais de 15 mil torcedores viram o São Bernardo pressionar e se aproveitar do clima favorável para marcar o primeiro gol.

Aos 15, Danielzinho viu Júnior Xuxa livre na área. O 10 ainda cortou Diego Sacoman e tocou para o fundo das redes de Julio Cesar.

O gol, em vez de saciar a vontade dos donos da casa, fomentou ainda mais o Tigre, como é chamado.

A partida era dinâmica, com chances para os dois lados, mas o São Bernardo levou mais perigo aos 29, quando Danielzinho, melhor jogador em campo, achou Willian Favoni livre na pequena área. O camisa 7 tocou em cima de Julio Cesar e perdeu a chance de ampliar o marcador.

O apoio maciço da torcida bernardense, a presença de Lula, o jogo contra um time grande. O Tigre estava motivado, mas em algum momento a empolgação sucumbiria diante da qualidade do Corinthians.

E foi aos 39 que o placar chegou à igualdade. Danilo aproveitou passe de Morais, escorado por Edno, para sair na cara do gol e tocar por cima de Marcelo Pitol. 1 a 1.

O gol deu forças ao Timão, que manteve sua superioridade até o fim do primeiro tempo. A entrada de Ralf no lugar de Marcelo Oliveira, no intervalo, representou mais força na marcação para deter Júnior Xuxa e Danielzinho, homens perigosos do Tigre.

Tendo que lidar com uma muralha à frente da zaga corintiana, o time da casa ciscava e trocava passes, mas não chutava à gol.

Mas o Corinthians voltou à dominar a partida. Edno, aos 15, e Paulinho, chegando como elemento surpresa, aos 16, mostrava que o Alvinegro queria a vitória antes do confronto decisivo pela Libertadores.

Como o Timão estava sem os titulares, o peruano Luiz Ramírez, novidade na equipe, aproveitou para mostrar seu bom futebol e impressionar Tite.

Aos 24, o ‘Cachito’, como é chamado no Peru, cortou e soltou uma bomba, que Pitol foi buscar.

À medida em que o Timão intensificava suas investidas, o São Bernardo passou a responder com mais perigo também. Aos 19, Danielzinho recebeu sozinho de Lucas e driblou Julio Cesar, mas parou em Moradei antes da bola entrar.

Lembra-se daquela empolgação a qual me referia no começo de jogo? Pois ela havia voltado, quando o Tigre chegou ao seu segundo gol com 27 minutos da segunda etapa: Kauê aproveitou rebote de chute de Lucas de fora da área e marcou. 2 a 1 Bernô!

O resultado parecia improvável àquela altura, já que o Corinthians havia melhorado em campo.

Mas o peruano Luiz Ramírez estava em campo e tratou de fazer justiça. O camisa 11, como num lance de futsal, passou por dois marcadores e chutou no alto, indefensável para Pitol. Empate do Timão, mais um!

Diante das chances criadas e a dinâmica do jogo, o 2 a 2 acabou sendo um resultado justo, principalmente para o ex-presidente Lula, corintiano devoto e morador ilustre de São Bernardo, onde construiu sua carreira na política.

FICHA TÉCNICA:
SÃO BERNARDO 2 X 2 CORINTHIANS

Estádio: 1º de Maio, São Bernardo do Campo (SP)
Data/hora: 30/01/2011 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan
Auxiliares: Giuliano Colisse e Fabio Baesteiro
Renda/público: R$ 363.100,00 / 15.159 pagantes
Cartões amarelos: Danielzinho, Marcelo Pitol, Guto, Leandro Camilo (SBE)
GOLS: Júnior Xuxa, 15’/1ºT (1-0); Danilo, 39’/1ºT (1-1); Kauê, 27’/2ºT (2-1), Luiz Ramírez, 33’/2ºT (2-2)

SÃO BERNARDO: Marcelo Pitol, Régis (Henrique, 26’/2ºT), Leandro Camilo, Amarildo e Kauê; Dirceu, Lucas (Sicrano, 12’/1ºT), William Favoni e Júnior Xuxa (Guto, 30’/2ºT); Danielzinho e Romarinho (Nenê, 16’/2ºT). Técnico: Ruy Scarpino.

CORINTHIANS: Julio Cesar, Moradei, Wallace, Diego Sacoman e Fábio Santos; Paulinho, Marcelo Oliveira (Ralf, intervalo), Morais (Willian, 19’/2ºT), Luis Ramirez e Danilo (Bruno Cesar, 36’/2ºT); Edno. Técnico: Tite.

janeiro 31, 2011 Posted by | Corinthians | , | Deixe um comentário

Atlético-MG vence na estreia do Mineiro


Desde 2006 sem vencer uma estreia no Estadual, Galo vence o Funorte de virada e larga bem no Campeonato Mineiro

Na primeira rodada do Campeonato Mineiro, uma partida inédita: Funorte e Atlético-MG se enfrentavam pela primeira vez na história. Após 13 anos, um time de Montes Claros retornava à elite do futebol mineiro. Porém, para a tristeza da torcida local, o Galo venceu por 2 a 1.

O Atlético-MG entrou em campo com um 4-4-2, a mesma formação que o treinador havia testado o time diante do River Plate-URU, na última quarta-feira, na Arena do Jacaré.

O princípio da partida foi preto e branco, com o Galo trocando passes no meio-campo e buscando o ataque a todo instante. Porém, o time da capital não conseguiu furar o forte bloqueio dos montes-clarenses.

Primeiro tempo:

Logos aos sete minutos de partida, a primeira boa jogada do Atlético. Em belo lançamento do meia Ricardinho, Renan Oliveira recebeu dentro da grande área e finalizou nas mãos do goleiro Barrios.

Nos primeiros minutos de partida, Renan Oliveira era o principal jogador da partida. O camisa 8 buscava a bola, ditava o ritmo da partida e fazia a ligação entre meio-campo e ataque. Tanto que aos 13 minutos, o meia-atacante arrancou com a bola dominada do campo de defesa, passou a bola para Diego Tardelli, que fintou um adversário e rolou para Jobson na cara do gol. O atacante finalizou fraquinho, apenas rolando nas mãos do goleiro adversário.

Até a metade do primeiro tempo, nenhuma das duas equipes conseguiu chegar com tanto perigo ao gol adversário. Contudo, o Galo ainda dominava o jogo. O time trocava passes no meio-campo e tentava penetrar a defesa do Formigão.

Apesar de chamar a responsabilidade e tentar cadenciar a partida para o time de Montes Claros, Peter, meio-campo do Funorte, não conseguia criar boas jogadas para o Formigão, que, até ficou até os 28 minutos, sem incomodar o goleiro Renan Ribeiro. Porém, quando incomodou, acabou abrindo o placar. Após receber um belo passe de Peter, o lateral-esquerdo Stanley acertou um belo chute e abriu o marcador, na primeira finalização em direção ao gol do time de Montes Claros.

Após o gol do Funorte, o Galo tentou chegar ao ataque. Porém, o time não encontrava uma forma de escapar. Pela lateral-direita, Rafael Cruz era pouco acionado. Já pelo lado esquerdo, Leandro era bastante marcado pelos defensores do Funorte. Além disso, os jogadores de meio-campo não trocavam passes com a mesma eficiência do início da primeira etapa.

Aos 35, o atacante Ualisson Mineiro deu um belo drible em Richarlyson e finalizou fraquinho nas mãos de Renan Ribeiro.

Em jogada pelo lado direito do ataque tricolor, Ualisson sofreu falta do zagueiro Werley. O atacante acabou levando a pior na dividida com o defensor atleticano e a partida foi paralisada por dois minutos.

Aos 43 minutos, Serginho tentou levantar uma bola na área, mas o goleiro Barrios acabou dando um tapinha nela e a bola saiu para escanteio. Logo depois, Réver finalizou de dentro da área, após receber cruzamento de Ricardinho. O jogador tentou tirar do goleiro adversário. Porém, acabou cabeceando para fora.

Aos 47, Ricardinho cobrou escanteio, a zaga do Funorte cortou e Diego Tardelli recuperou na sobra, finalizando para fora.

O árbitro deu três minutos de acréscimos e finalizou o primeiro tempo aos 48 minutos.

Segundo tempo:

Dorival Júnior fez duas modificações durante o intervalo. Jobson cedeu lugar a Magno Alves e Rafael Cruz foi substituído por Wesley. O treinador alterou a formação da equipe e passou a utilizar três atacantes.

A segunda etapa começou com o Atlético-MG buscando o empate. O Alvinegro atacava e incomodava a defesa do Funorte com seu trio de ataque e seus dois armadores: Ricardinho e Renan Oliveira.

Aos oito minutos, em boa jogada do trio de ataque atleticano, Tardelli lançou para Wesley, que finalizou rasteiro, mas o goleiro Barrios espalmou e a bola sobrou para Magno Alves, bem colocado, apenas empurrar a bola para o gol adversário.

Após o gol, o Atlético continuo pressionando o adversário. A movimentação dos três atacantes confundiam a defesa do Funorte e o time da capital mineira incomodava a todo instante. Entretanto, com apenas um jogador de marcação no meio-campo e Serginho deslocado para a lateral-direita, o sistema defensivo do Galo ficou vunerável e o time montes-clarense tinha espaço para contra-ataques.

Réver recebeu cartão amarelo aos 16 minutos após uma falta no atacante Dandão. Um minuto depois, foi a vez do zagueiro Anderson Silva receber o cartão devido a uma falta em Diego Tardelli.

Depos de receber um passe do atacante Wesley, aos 18 minutos, Diego Tardelli finalizou de fora da área. Raphael Barrios, o goleiro adversário, fez boa defesa e evitou o que poderia ser o segundo gol do Galo.

O trio de ataque atleticano continuava funcionando muito bem. Aos 21 minutos, o atacante Wesley recebeu boa bola de Diego Tardelli. O centroavante girou e bateu forte, buscando o canto esquerdo do goleiro. Contudo, a bola acabou saindo para tiro de meta.

Peter foi substituído por Gabriel, aos 25 minutos do segundo tempo.

O lateral Stanley demonstrou ser um bom finalizador. Mais uma vez com a canhota, o jogador finalizou da intermediárea. No entanto, a bola passou pelo lado esquerdo do goleiro Renan Ribeiro.

Aos 28 minutos de partida, Renan Oliveira saiu para a entrada de Mancini, que fez sua reestreia pelo Atlético após nove anos longe do clube.

Após um vacilo do sistema defensivo do Atlético-MG, o meio-campista Anderson Toto recebeu um ótimo passe na grande área. O jogador tentou finalizar de primeira e a bola acabou subindo demais.

Aos 33 minutos do segundo tempo, Wesley recebeu uma boa bola de Serginho e acabou sendo calçado dentro da área pelo zagueiro Vinícius. O árbitro marcou pênalti para o Atlético. O zagueiro Anderson Mendes, que já havia recebido um cartão amarelo, foi advertido novamente por reclamação e acabou expulso. O atacante Diego Tardelli converteu a cobrança, fazendo o segundo gol atleticano no Campeonato Mineiro

O Atlético fez uma excelente jogada aos 40 minutos de partida. O ataque envolveu a defesa do Funorte, passando a bola de pé em pé até a finalização do meia-atacante Mancini, defendida pelo goleiro Barrios.

O trio de ataque do Atlético, formado por Diego Tardelli, Wesley e Magno Alves, deu outro ritmo ao jogo e levou a equipe Alvinegra a uma excelente vitória na estreia do Estadual, que o time não conseguia desde a temporada 2006.

FICHA TÉCNICA:
FUNORTE 1 X 2 ATLÉTICO-MG

Local: José Maria Melo, em Montes Claros
Data/hora: 30/01/2011, 19h30
Árbitro: Renato Cardoso da Conceição (MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Heberth Costa (MG)
Renda/Público: R$ 157.850,00 – 4.900 pagantes.

Cartões amarelos: Réver (CAM); Anderson Silveira, Dandão, Vinícius (FUN)
Cartões vermelhos: Anderson Silveira (FUN).

Gols: Stanley (29’/1T); Magno Alves (8’/2T) e Diego Tardelli (36’/2T)

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz (Wesley), Werley, Réver e Leandro; Serginho, Richarlyson, Ricardinho e Renan Oliveira (Mancini); Jobson (Magno Alves) e Diego Tardelli. Técnico: Dorival Júnior

FUNORTE: Raphael Barrios, Anderson Silva, Anderson Mendes, Vinícius e Stanley (Fabricinho); Marcelino, Pedrinho, Peter (Gabriel) e Anderson Toto; Dandão e Ualisson Mineiro. Técnico: Wágner Oliveira.

janeiro 31, 2011 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Cruzeiro supera a Caldense e estreia com vitória no Mineiro

Raposa só venceu a resistência do adversário na segunda etapa do confronto na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas

O Cruzeiro demorou a engrenar, mas confirmou o seu favoritismo e estreou no Campeonato Mineiro de 2011 com vitória. Neste domingo, a Raposa derrotou a Caldense por 3 a 0, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

O jogo:

O fato de a Caldense ter iniciado a sua pré-temporada antes do Cruzeiro, o que é normal para equipes de menor expressão, não surtiu o efeito esperada pela equipe de Poços de Caldas no início da partida. Apesar de melhor condicionada fisicamente, a Caldense teve muita dificuldade para impedir o bom toque de bola do Cruzeiro, que envolveu o adversário.

Com posse de bola e toques objetivos, a Raposa ditava o ritmo do jogo e foi assim que criou três boas oportunidades de gol. Aos quatro minutos, Thiago Ribeiro fez boa jogada pela direita e por muito pouco não abriu o placar. Aos 15 minutos, o zagueiro Léo – sem marcação na pequena área – só não marcou, pois finalizou sem direção. No minuto seguinte, mais uma chance. Novamente Thiago Ribeiro obrigou Glaysson a fazer boa defesa.

Diego Renan vibra com gols marcados no início da temporada

No entanto, a blitz do Cruzeiro não intimidou a Caldense, que de acuada em campo passou a ser ofensiva e levou perigo. Aos 23 minutos, após jogada de Mirandinha, Rivaldo, sem marcação, finalizou para fora. No minuto seguinte foi a vez de Mirandinha arriscar finalização contra a meta defendida por Fábio.

Apesar de ter diminuído o seu ímpeto, a Caldense teve grande oportunidade de abrir o placar graças à falha de defesa cruzeirense. Após jogada de Ivo, o zagueiro Gil falhou e Mário Loyola demorou a finalizar. Já o Cruzeiro seguia pressionando o adversário e desperdiçando gols. Aos 41 minutos, Gilberto – que ouvia a torcida do Cruzeiro pedir pela presença do meia Roger – dominou com categoria e finalizou em um belo voleio, que não foi na direção do gol.

Segundo tempo:

O panorama dos primeiros minutos da segunda etapa foi semelhante ao do início da partida. O Cruzeiro começou melhor. O zagueiro Léo teve a primeira chance de gol, após cobrança de escanteio de Montillo. Já a Caldense também ameaçou. Aos 15, Ivo finalizou e Fábio fez boa defesa e impediu que Fabrício chegasse na bola. No minuto seguinte foi a vez de Thiago Ribeiro arriscar de fora da área e a bola passar com perigo.

Raposa engrena e vence o goleiro Glaysson:

O Cruzeiro era melhor em campo. Com três atacantes – Wallyson entrara – a Raposa sofreu, mas alcançou o seu objetivo após boa jogada de Thiago Ribeiro. Aos 19 minutos, o camisa 11 foi derrubado por Ivo na pequena área. Pênalti que Wellington Paulista cobrou e marcou. Cruzeiro 1 a 0.

Dois minutos depois, Diego Renan tabelou com Wellington Paulista e finalizou sem chances para Glaysson. Cruzeiro 2 a 0 e Caldense sem forças para reverter o placar.

Com uma boa vantagem no placar, o Cruzeiro passou a administrar o resultado e quando teve espaços para chegar ao gol de Glaysson, não desperdiçou. Aos 40 minutos, após boa jogada de Wallysson, Dudu marcou o seu primeiro gol em competições oficiais com a camisa do Cruzeiro, após aproveitar rebote do goleiro da Caldense e definiu o placar na Arena do Jacaré.

Próximos compromissos:

Na próxima quarta-feira (2/2), a Caldense recebe o América-MG, no Ronaldão, às 22h. Já o Cruzeiro visita o Villa Nova, às 17h, no Castor Cifuentes.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 3 X 0 CALDENSE

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas
Data/hora: 30/01/2011, 17h
Árbitro: Cleison Veloso
Auxiliares: Celso Luiz da Silva (MG) e Marcus Vinícius Gomes (MG)
Renda/Público: Não divulgados.

Cartões amarelos: Rômulo (CRU); Rivaldo e André Alves (CAL)
Cartões vermelhos: Não houve.

Gols: Wellington Paulista, aos 20’2T(1-0), Diego Renan, aos 20’2T(2-0) e Dudu, aos 40’2T(3-0).

CRUZEIRO: Fábio, Rômulo (Wallyson, aos 9’2T), Gil, Léo e Diego Renan; Pablo, Henrique, Gilberto (Pedro Ken, aos 31’2T) e Montillo (Dudu, aos 36’2T); Thiago Ribeiro e Wellington Paulista. Técnico: Cuca

CALDENSE: Glaysson, André Alves, Anderson Carvalho, Rafael Dias; Ivo (Robson, aos 25’2T), Maxsuel, Mário, Luizinho e Mário Loyola (Flavinho, aos 29’2T); Mirandinha e Rivaldo (Fabrício, aos 12’2T).

janeiro 31, 2011 Posted by | Cruzeiro | | Deixe um comentário

Grêmio bate Inter no Gre-Nal ‘uruguaio’ do Gauchão

Em Rivera, no Uruguai, Tricolor sai atrás na primeira etapa, mas chega à virada e segue invicto na temporada

No primeiro Gre-Nal disputado fora do Brasil, quem levou a melhor foi o Grêmio, que derrotou de virada o Internacional por 2 a 1 neste domingo, no estádio Atílio Paiva Oliveira. em Rivera (Uruguai). Guto abriu o placar para os colorados no primeiro tempo, mas Bruno Collaço, cobrando falta, e Lins, viraram o placar na etapa final.

Com o resultado, o Colorado perdeu a liderança do Grupo A para o Caxias, que venceu o Veranópolis fora de casa por 3 a 0. Já o Grêmio segue invicto na temporada, mas é apenas o segundo colocado no Grupo B, atrás do Juventude.

Mesmo sem contar com os titulares de ambos os lados, o Gre-Nal começou quente. Com apenas oito segundos de jogo, Maylson recebeu cartão amarelo por uma falta dura. A primeira boa chance de gol foi gremista: Diego Clementino recebeu sozinho na entrada da área, mas bateu mal. Mesmo assim, Muriel foi obrigado a fazer grande defesa, logo aos sete minutos.

No entanto, o jogo esfriou, ao longo do primeiro tempo. Com muitos jovens em campo, o jogo tinha ritmo acelerado, mas com muitos erros de passe.

O Grêmio voltou a ter boa chance aos 26, quando Bruno Collaço bateu falta com força, e o zagueiro colorado Rodrigo Moledo desviou contra o próprio gol, obrigando Muriel a espalmar para escanteio.

Mas quem abriu o placar foi o Colorado. Aos 39 minutos, Marquinhos cobrou escanteio e o centroavante Guto cabeceou forte, sem chances para Marcelo Grohe. O gol animou o Inter, que criou boas chances ainda no fim do primeiro tempo, como no chute de Guto, que passou raspando a trave aos 43.

O Grêmio mexeu no intervalo: o zagueiro Vílson saiu para dar lugar ao volante Willian Magrão. Com isso, Mário Fernandes passou para o centro da defesa, com Maylson na lateral.

Melhor na volta do intervalo, o Grêmio perdeu chance incrível aos dez minutos. Wesley cabeceou após o cruzamento e Muriel fez milagre. Na sobra, Clementino mandou na trave.

O empate era questão de tempo. Bruno Collaço bateu falta aos 14 minutos e colocou no canto direito de Muriel. Depois da nova igualdade, o jogo ficou aberto, com os dois lados disperdiçando chances claras.

Aos 29, veio a virada do Grêmio. Marcelo Grohe deu um chutão para a frente, e o garoto Lins aproveitou a indecisão na defesa colorada, entrou livre na área e tocou na saída de Muriel.

O Colorado foi para o desespero no fim do jogo, e até o goleiro apareceu na área gremista para tentar o gol de empate, mas não adiantou. O Tricolor sai vitorioso do primeiro Gre-Nal de 2011.

GRÊMIO 2 X 1 INTERNACIONAL

Local: Atílio Paiva Oliveira, em Rivera (Uruguai)

Data/Hora: 30/1/11 – 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Márcio Chagas da Silva.

Público: 7.000 pessoas.

Grêmio: Marcelo Grohe; Mario Fernandes, Vilson (Willian Magrão, intervalo), Neuton e Bruno Collaço; Adilson, Mateus Magro, Maylson e Mithyuê (Lins, 20’/2ºT); Diego e Wesley (Dener, 31’/2ºT). Técnico: Roger.

Internacional: Muriel; Daniel, Rodrigo Moledo, Ronaldo Alves e Massari; Juliano, Augusto (Wagner Libano, 17’/2ºT), Nathan (Marinho, 37’/2ºT), Ricardo Goulart (Thiago Humberto, 31’/2ºT) e Marquinhos; Guto. Técnico: Enderson Moreira.

Cartões amarelos: Maylson, Marcelo Grohe (GRE).

janeiro 31, 2011 Posted by | Grêmio, Internacional | | Deixe um comentário

Flu vence de virada a Cabofriense e mostra força

Conca entrou no segundo tempo e estreou em 2011

O Fluminense suou muito, mas conseguiu a vitória sobre a Cabofriense, de virada, após ficar atrás do placar, perdia por 2 a 1. Com dois gols de Fred, um de André Luis e outro de Willians, o Tricolor mostrou sua força e se manteve com 100% na competição. Agora, são quatro jogos e 12 pontos, perdendo para o Botafogo no saldo de gols.

No começo do jogo o Tricolor parecia que não teria dificuldades contra a Cabofriense. Com bom toque de bola, envolveu facilmente o adversário e chegou ao seu gol aos seis minutos. Após jogada ensaiada, Souza rolou para Fred de bater de primeira no cantinho. 1 a 0.

O Fluminense continuou tomando conta do jogo. Fred tentou de de voleio, Rodriguinho perdeu chance na pequena área depois de jogada de Carlinhos e Tartá desperdiçou a principal oportunidade. Ele ficou com o gol escancarado, mas de perna direita chutou por cima. Como no futebol, quem não faz leva, a Cabofriense, que chegava em alguns contra-ataques, mas timidamente, acabou em uma das chances empatando. O atacante Capixaba foi o autor. Zotti levantou, e o jogador dominou com categoria e bateu na saída de Diego Cavalieri. Falha geral da zaga tricolor, que assistiu.

Com o gol de empate, a equipe tricolor ficou nervosa e não conseguir traduzir sua superioridade em vitória.

Segundo tempo bem quente

Logo no início do segundo tempo, o Tricolor colocou Conca, que fez a sua estreia em 2011, e Marquinho nos lugares de Tartá e Rodriguinho. E mesmo assim, foi surpreendido. O apoiador Diego Salles fez grande jogada e foi calçado por Souza dentro da área. Pênalti marcado e cobrado pelo mesmo, com muita categoria. A Cabofriense virava o jogo, em Macaé, fazendo seus primeiros gols na competição.

O Fluminense conseguia fazer de um jogo fácil, uma partida complicada. Mas as substituições feitas por Muricy Ramalho foram surtindo efeito. O Flu foi à frente. Conca também teve boa participação. O argentino fez sua primeira exibição nesta temporada e armou bem o jogo com bons passes, um deles de calcanhar. Pena que Marquinho finalizou mal a bela jogada. Em seguida, Souza bateu escanteio na cabeça do zagueirão André Luis, que empatou a partida.

Um lance inusitado, que causou revolta entre os jogadores da Cabofriense, foi quando o zagueiro Leandro Euzébio chutou a bola no técnico Waldemar Lemos, desnecessariamente. O treinador ficou furioso, mas nada aconteceu com o zagueiro, somente com o mesmo, que foi expulso. Na pressão do Flu, a Cabofriense teve o zagueiro Allyson expulso, o que causou mais reclamação no time de Cabo Frio.

Entretanto, o Tricolor precisava da virada. E quem resolveu a parada? Fred, sempre ele. O camisa 9 fez o terceiro gol, após boa jogada do jovem atacante Willians, que entrara no lugar de Souza.

Agora, nada mais pararia o campeão brasileiro. O que era iminente aconteceu. Aos 35, Marquinho cruzou e Willians marcou, fechando o caixão do Cabofriense.

FICHA TÉCNICA:

CABOFRIENSE 2 X 4 FLUMINENSE

Estádio: Claudio Moacyr, Macaé (RJ)
Árbitro: William de Souza Nery (RJ)
Auxiliares: Silbert Farias Sisquim (RJ) e Sérgio Waldman (RJ)
Cartões Amarelos: Rodrigo, Alisson (CAB)
Cartões Vermelhos: Allyson (CAB)

Público/Renda: Não divulgado.

Gols: (FLU) (Fred 6’/1°T) (André Luis 20’/2°T) (Fred 35’/2°T) (Willians 37’/2°T); (CAB) (Capixaba 31’/1°T) (Diego Salles 3’/2°T)

Fluminense: Diego Cavalieri, Mariano, André Luis, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Diguinho, Souza (Willians) e Tartá (Marquinho); Rodriguinho(Conca) e Fred. Técnico: Muricy Ramalho

Cabofriense: Fábio, Allyson, Matheus e Rodrigo; Scheneider, Luciano Totó, Zotti (Alexandre Calango), Diego Salles e Wágner; Allan e Capixaba (Assunção). Técnico: Waldemar Lemos.

janeiro 31, 2011 Posted by | Fluminense | | Deixe um comentário

Flamengo derrota o Vasco e elimina matematicamente rival da Taça Guanabara

Flamengo segue com 100% de aproveitamento e Vasco perde quarta partida seguida

O Flamengo derrotou o Vasco por 2 a 1 neste domingo, no Engenhão, e eliminou o rival da Taça Guanabara. Com gol de Deivid e golaço de Thiago Neves no primeiro tempo, o Rubro-Negro venceu o Cruz-Maltino, que ainda diminuiu no segundo tempo com Rômulo.

Na próxima rodada o Flamengo enfrentará o Nova Iguaçu quarta-feira, às 22h, no Engenhão, na estreia de Ronaldinho Gaúcho. Já o Vasco cumprirá tabela contra o Volta Redonda, quinta-feira, em São Januário.

FLAMENGO É MELHOR E THIAGO NEVES FAZ GOLAÇO

Os times foram para a partida passando por momentos completamente distintos. O Vasco vivendo uma crise após três derrotas seguida para times pequenos e com demissão de técnico PC Gusmão e afastamento de jogadores (Carlos Alberto e Felipe). O Flamengo, mais tranquilo, chegou com a moral dos 100% de aproveitamento.

O jogo começou corrido, os dois times tantando encontrar um caminho para chegar ao gol adversário. Porém, nos primeiros minutos da partida o Flamengo, com maior posse de bola, arriscou mais chutes de fora da área. Antes da parada técnica somente o goleiro Fernando Prass teve de trabalhar em chutes de Vander, Maldonando e Egídio.

FOTOS! Veja em sequência o golaço de Thiago Neves

O Flamengo transformou esse domínio em gol. Aos 22 minutos, Egídio cruzou a bola para Thiago Neves, que tocou para Léo Moura. O lateral chutou cruzado para o meio da área e Deivid escorou para o fundo da rede.

O Vasco tentava fazer algumas investidas com Jéferson e Eder Luis. Outra aposta vascaína era pelo lado direito com Fagner, de onde saíam algumas boas jogadas. Porém, o Flamengo continuava melhor na partida.

Thiago Neves, que fazia sua estreia no Engenhão com a camisa do Flamengo, estava bem na partida e mostrava vontade de marcar seu primeiro gol pelo clube. Tanto tentou que conseguiu aos 44 minutos de jogo. E que golaço, por sinal. Renato Abreu fez um lançamento em profundidade para o camisa 7, que entrou sozinho na área. Thiago encobriu o goleiro Fernando Prass e de coxa direita ampliou para o Rubro-Negro.

(Thiago Neves fez seu primeiro gol pelo Fla – Crédito: Paulo Sérgio)

Essa foi último lance do primeiro tempo. Vantagem do Flamengo por 2 a 0 e mais pressão sobre o Vasco.

VASCO DIMINUI, MAS É ELIMINADO DA TAÇA GUANABARA

O Flamengo veio para o segundo tempo ainda com muita disposição. Logo aos três minutos de jogo Deivid acertou o travessão do Vasco. Renato Abreu soltou a bomba de fora da área e Fernando Prass rebateu. Na sequência o atacante rubro-negro pegou de primeiro, mas a bola caprichosamente foi na trave.

O Flamengo continuou dominando a partida. Gaúcho, o técnico interino do Cruz-Maltino, colocou Márcio careca e Misael na esperança de melhorar o desempenho de seu time. E de fato aconteceu. O Gigante teve algumas boas chances de diminuir, mas esbarrava sempre nas defesas de Felipe.

(Ronaldinho, ao lado de Patricia Amorim, gostou do que viu – Crédito: Alexandre Loureiro)

Porém, tanto tentou que consegui diminuir em jogada confusa dentro da área do Fla. Após cruzamento, Wellinton cabeceou para cima. O goleiro Felipe pulou para tentar segurar, mas não achou nada. Rômulo, atento, aproveitou e diminuiu para o Vasco.

O Vasco decidiu tomar as rédeas do jogo. Misael e Jéferson davam trabalho à zaga rubro-negra. O time buscava o empate de qualquer maneira, mas não conseguia transformar a pressão em gols.

Porém, a partida terminou desta maneira. O Flamengo derrotou o Vasco por 2 a 1 e eliminou matematicamente o time cruz-maltino da Taça Guanabara.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 X 2 FLAMENGO

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

Data/Hora: 30/1/2011 – 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (RJ)

GOLS: Deivid (22’/1ºT) Thiago Neves (44’/1ºT) e Rômulo (30’/2ºT)

CARTÕES AMRELOS: Renato Abreu e Maldonado (Flamengo) , Anderson Martins, Fernando Prass, Eduardo Costa e Fagner (Vasco)

PÚBLICO: 12.854 pagantes e 15.356 presente

RENDA: R$ 354.720,00

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Ramon (Márcio Careca 14’/2ºT); Eduardo Costa, Rômulo, Allan (Misael 14’/2ºT) e Jéferson; Eder Luis (Patric 33’/2ºT) e Marcel. Técnico: Gaúcho.

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura, Welinton, David e Egídio; Maldonado, Willians, Thiago Neves (Marquinhos 20’/2ºT), Renato e Vander (Fierro 30’/2ºT); Deivid (Wanderley 20’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

TAGS

janeiro 31, 2011 Posted by | Flamengo, Vasco da Gama | | Deixe um comentário