Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Flu vence de virada e fica com a mão na taça

Desmotivado, Palmeiras sai vencendo, mas vê o Fluminense virar o jogo e ficar a 90 minutos do título Brasileiro

Em jogo da união das torcidas, o Fluminense venceu o Palmeiras, de virada, por 2 a 1, na Arena Barueri, e ficou próximo de conquistar o título Brasileiro. No próximo domingo, basta o Fluminense vencer o Guarani, já rebaixado, no Engenhão, para ficar com a taça. Caso o time não vença, dependerá dos resultados dos jogos de Corinthians e Cruzeiro para obter pela segunda vez o troféu da competição.

A partida começou com o Fluminense tomando a iniciativa. Porém, aos 4 minutos, o Palmeiras surpreendeu. Leandro Euzébio falhou e Dinei acertou uma bomba, inapelável para Ricardo Berna. O atacante do Verdão não comemorou. O Fluminense voltou a atacar e, após cruzamento, Emerson carimbou o travessão de Deola. No rebote, o mesmo Emerson, em impedimento, perdeu um gol feito.

De tanto pressionar, aos 18 minutos o Tricolor chegou ao empate. Carlinhos passou pela defesa e bateu de perna direita, no ângulo de Deola, que, atrasado, não chegou na bola. O gol do time visitante, de forma inusitada, contou também com a vibração da torcida do Palmeiras. Visivelmente sem motivação, os jogadores do Palmeiras tiravam o pé em algumas bolas. Deola, com boas defesas, era vaiado pela torcida palmeirense e até mesmo xingado em alguns lances.

Assista aos gols da virada do Flu sobre o Palmeiras

Aos 31, Deco sentiu a coxa e teve que deixar a partida. A torcida pediu e Muricy atendeu, colocando Tartá em seu lugar. Cinco minutos depois, o Flu teve uma grande chance de virar. Conca encontrou Fred sozinho. O goleador rolou para Emerson, que por pouco não mandou para a rede. O Tricolor tentou, mas não chegou à virada ainda na primeira etapa.

O Palmeiras voltou com uma mudança para o segundo tempo. O garoto Fernando entrou na vaga de Marcos Assunção. Aos 8 minutos, Fred teve a melhor chance do jogo. Após belo passe de Conca, o goleador invadiu a área e mandou por cima do gol de Deola, para desespero dos tricolores.

Porém, aos 13, a torcida soltou o grito engasgado. Após chute de Emerson, Deola rebateu e Tartá colocou no canto direito para virar a partida na Arena Barueri. Sem aspirações em campo, o Palmeiras olhava o Fluminense jogar. Kléber arriscou de longe e obrigou Berna a fazer boa defesa. A partida ficou parada e as duas equipes pouco criando. Aos 31, Dinei, autor do gol do Palmeiras, deixou o gramado muito vaiado.

Sem atacar, o jogo ficou mesmo na vitória do Fluminense e a taça cada vez mais próxima. Na próxima rodada, o Tricolor encara o Guarani, no Engenhão, para confirmar o título. Basta uma vitória par ao Tricolor, após 26 anos, voltar a levantar o título Brasileiro. Já o Verdão encerrará sua participação no Brasileiro contra o Cruzeiro, que ainda briga pelo título, em Sete Lagoas (MG).
FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 1 X 2 FLUMINENSE

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Cesar Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Marrubson Melo Freitas (DF)
Renda/público: R$ 393.596,00/ 11.291 pagantes
Cartões amarelos: Pierre e Luan (PAL); Tartá (FLU)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Dinei, 4’/1ºT (1-0); Carlinhos, 18’/1ºT (1-1) e Tartá 13’/2ºT (1-2);

PALMEIRAS: Deola; Márcio Araújo, Maurício Ramos, Leandro Amaro e Gabriel Silva; Pierre, Marcos Assunção (Fernando, intervalo) e Tinga; Luan (Lenny, 10’/2ºT), Dinei (Vinícius, 31’/2ºT) e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Diguinho, Valencia, Deco (Tartá, 31’/1ºT) e Conca; Fred e Emerson (Rodriguinho, 36’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

novembro 28, 2010 Posted by | Fluminense, Palmeiras | | Deixe um comentário

Corinthians faz dever de casa e vence o Vasco

Apesar do triunfo por 2 a 0, Timão segue atrás do Fluminense, que bateu o Palmeiras e se manteve na liderança

Com clima de “entrega ou não entrega” e torcedores de olho no resultado de Fluminense e Palmeiras, na Arena Barueri, o Corinthians venceu o sem pretensõesVasco da Gama por 3 a 0, no Pacaembu, e se manteve na cola do líder Fluminense na busca pelo título. Mas ficou difícil…

O jogo

Apesar de todos os comentários sobre beneficiar ou não o rival Fluminense, a equipe vascaína começou a partida demonstrando vontade. Mas não demorou muito para o Corinthians tomar conta do meio-campo e, consequentemente, do jogo.

Com o apoio maciço da torcida e sob os olhares de Andrés Sanchez e Ronaldo, o volante Jucilei e o meia Bruno César organizavam as principais jogadas. Aos 5 minutos, a notícia que os corintianos tanto aguardavam chegou. O sistema de som anunciou o gol do palmeirense Dinei em cima do Fluminense, na Arena Barueri. Festa da Fiel!

Aos 6 minutos, em cobrança de falta de Bruno César, Jucilei e Dentinho tiveram a oportunidade de oferecer novo presente aos torcedores. Mas não conseguiram. Minutos depois, foi a vez de Roberto Carlos, com forte chute, fazer Fernando Prass arregaçar as mangas e trabalhar. Do lado carioca, Carlos Alberto até tentava, mas esbarrava na forte marcação de Chicão e Ralf.

Nem mesmo o anúncio do empate do Fluminense diminuiu o ímpeto corintiano. Aos 27 minutos, o goleiro vascaíno salvou novamente a equipe em chute de Jucilei. Apenas aos 28 minutos, enfim, o Vasco levou perigo ao goleiro Julio Cesar. De fora da área, Eder Luís arriscou forte chute, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura. Aos 39 minutos, Bruno César abriu o placar. O camisa 10 arriscou chute de longe, a bola desviou no zagueiro Dedé e enganou Fernando Prass: 1 a 0.

Na volta do intervalo, PC Gusmão optou pela experiência de Fumagalii e sacou o jovem Allan. Apesar da mudança no Vasco, foi o Corinthians que começou a segunda etapa assustando. Aos 3 minutos, Danilo invadiu a área e chutou forte. Atento, Fernando Prass desviou a bola para escanteio.

Aos 7 minutos, Zé Roberto, enfim, apareceu na partida. O meia recebeu a bola na área, dominou, virou e chutou com força. Mas a bola passou longe do gol. A alteração vascaína começou a surtir efeito apenas aos 10 min, quando Carlos Alberto e Fumagalli começaram a dar trabalho aos defensores do Corinthians.

Mas a reação carioca parou aos 12 minutos. Após bela troca de passes entre Roberto Carlos e Bruno César, o meia Danilo foi lançado na pequena área e, de cabeça, fez o segundo gol do Timão. Porém, a comemoração corintiana acabou enfraquecida com o a virada do Fluminense diante do Palmeiras.

Assim como no primeiro tempo, Eder Luís demorou a aparecer. Aos 20 minutos, o atacante invadiu a área e chutou cruzado. Julio Cesar não precisou de muito esforço para defender a bola.

Quando o Vasco tentava se encontrar na partida, Zé Roberto, após três faltas consecutivas, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso pelo árbitro Marcio Chagas da Silva. Momentos depois, alteração no Corinthians. Cansado, Dentinho foi substituído por Iarley.

Com o resultado de 2 a 0, o Corinthians fez apenas o famoso “feijão com arroz”. Apático, o Vasco não demonstrava poder de reação. A partida voltou a ter ânimo com a entrada de Defederico. Mas ficou nisso. Aos 47 minutos, apito final e vitória corintiana.

Apesar do triunfo, a vitória do Fluminense por 2 a 0 diante do Palmeiras estragou a festa corintiana no Pacaembu. Assim como em 2009, o Brasileirão será decidido na última rodada. O Corinthians enfrenta o Goiás, no Serra Dourada. Em São Januário, o Vasco recebe o Ceará.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 2 X 0 VASCO DA AGAMA

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Marcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (RS-Fifa) e Marcelo Barison (RS)
Renda/público: R$ 1.190.821,50 / 33.487 pagantes
Cartões amarelos: Renato Augusto, Zé Roberto (VAS)
Cartões vermelhos: Zé Roberto (27’/2ºT)
GOLS: Bruno César (39’/1ºT) e Danilo (12’/2ºT)

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Danilo e Bruno César (Defederico, 40’/2ºT); Jorge Henrique e Dentinho (Iarley, 30’/2ºT). Téc.: Tite

VASCO DA GAMA: Fernando Prass; Fagner (Irrazával, 15’/2ºT), Dedé, Douglas e Ramon (Diogo, 29’/2ºT); Rômulo, Renato Augusto, Allan (Fumagalli, Intervalo) e Carlos Alberto; Zé Roberto e Eder Luis. Téc.: PC Gusmão

novembro 28, 2010 Posted by | Corinthians, Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Empate contra o Ceará tira Atlético-PR da Libertadores

Chances de alcançar o G4 caem bruscamente com os resultados da rodada; Vozão está na Sul-Americana

Em partida movimentada e cheia de alternativas, Ceará e Atlético-PR empataram em 1 a 1 neste domingo, no Castelão, pela 37ª rodada do Brasileirão. Com gols de Rafael Santos para os paranaenses e Manoel contra, o Furacão está fora da briga pela Libertadores, visto que Grêmio e Botafogo se enfrentam na última rodada. Enquanto isso, o Alvinegro comemorou a confirmação da vaga na Sul-Americana.

A partida começou disputada, mas com poucas chances de ambos os lados. A concentração era muito grande no meio de campo, apesar da formação ofensiva do Furacão, com três atacantes.

Pouco a pouco, o Atlético começava a chegar mais ao ataque, avançando mais pelo lado direito, por meio de Guerrón e Wagner Diniz. Os cearenses também exploravam mais o setor direito, com o lateral Boiadeiro. O Ceará trabalhava melhor a bola, mas não conseguia criar lances de perigo.

Passados os quinze primeiros minutos, o jogo ganhou em movimentação e velocidade. Os paranaenses tentavam pressionar, mas a resposta do time da casa vinha logo em seguida, sempre com Boiadeiro. Magno Alves também fazia das suas, mas todos os chutes paravam no goleiro Neto.

Apesar da grande presença da torcida no Castelão, o Ceará, nos primeiros minutos, esperava o Atlético em seu campo e apostava na velocidade para encaixar os contra-ataques, mas logo procurava manter a posse de bola para organizar jogadas ofensivas.

No entanto, foi o Rubro-Negro que chegou mais perto do gol, aos 28 minutos, com chute de Maikon Leite no travessão. Na sequência, Wagner Diniz acertou cruzamento preciso para Bruno Mineiro, que mandou pela linha de fundo. Aos 36, a pressão deu resultado: após cruzamento de Paulinho em cobrança de falta pela esquerda, Rafael Santos abriu o placar para o Furacão: 1 a 0.

Sete minutos depois, em um dos contra-ataques cearenses, Magno Alves levou a bola em velocidade e cruzou pela direita. O zagueiro Manoel desviou e a bola morreu lentamente no fundo das redes do goleiro Neto. Era o empate dos mandantes.
Mesmo com um a menos, Vozão para para cima

A etapa final começou com a expulsão de Diego Sacoman logo no primeiro minuto, após falta sobre Guerrón. O zagueiro era o único da equipe de Dimas Filgueiras que tinha sido advertido com o cartão amarelo. Logo em seguida, o técnico alvinegro tirou o atacante Marcelo Nicácio, sem oportunidades na partida, para colocar o volante Camilo, recompondo o meio de campo.

Mesmo com um jogador a menos, o Ceará tentou partir para cima, como sempre, com velocidade. Geraldo, principal homem de criação, era muito acionado, mas esbarrava na forte marcaçãoparanaense, que fechava o cerco com zagueiros, laterais e também com os volantes Vítor e Deivid.

Precisando do segundo gol, o técnico rubro-negro Sérgio Soares tirou o volante Vítor para colocar Netinho, meia de armação, para ajudar Branquinho a articular as jogadas de ataque. E a alteração deu resultado: o Furacão passou a explorar melhor os espaços deixados pela equipe cearense.

Com isso, o jogo ficou aberto, com chances de ambos os lados. As principais chances do time da casa aconteciam em lances de bola parada, mas as jogadas terminavam sempre nas mãos de Neto, que fez boas e importantes defesas ao longo do jogo, como aos 37 minutos, em cobrança de falta de Reina.

Apesar disso, nem os espaços deixados pela ausência de Diego Sacoman tornaram o jogo mais movimentado. Não houve trocas rápidas de passes nem jogadas criativas como nos primeiros 45 minutos. No entanto, o Ceará crescia pouco a pouco, administrando a posse de bola, ciente da desvantagem numérica. Com isso, Sérgio Soares trocou volantes: Deivid por Claiton, aos 30 minutos. A busca pela vaga no G4 parecia ter ficado em segundo plano.

Nas substituições, mérito para o técnico Dimas Filgueiras, que não deixou o Ceará perder seu poder de marcação, mesmo com um jogador a menos. Já o time de Sérgio Soarews não conseguiu recuperar avantagem. O time pagou com a vaga à Libertadores. O preço acabou sendo alto demais.

FICHA-TÉCNICA
CEARÁ 1X1 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Data e hora: 28 de novembro, às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Ednilson Corona (SP) e João Bourgalber Nobre Chaves (SP)
Cartões amarelos: Diego Sacoman, Geraldo (CEA); Deivid, Guerrón (APR)
Cartões vermelhos: Diego Sacoman (CEA)
Gols: Rafael Santos 36’/1°T (0-1), Manoel contra 43’/1°T (1-1)

CEARÁ: Michel Alves ; Fabrício, Erivelton e Diego Sacoman; Boiadeiro (Luizinho 31’/2°T), Michel, Careca, Geraldo e Eusébio (Reina, 33’/2°T); Magno Alves e Marcelo Nicácio (Camilo, 3’/2°T) . Técnico: Dimas Filgueiras.

ATLÉTICO-PR: Neto, Wagner Diniz (Marcelo, 27’/2°T), Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Vitor (Netinho, 12’/2°T), Deivid (Claiton 30’/2°T) e Branquinho; Guerrón, Bruno Mineiro e Maikon Leite. Técnico: Sérgio Soares.

novembro 28, 2010 Posted by | Atlético-PR, Ceará | | Deixe um comentário

Dragão e São Paulo apenas empatam em Goiânia

Times fazem partida insossa e ficam no 1 a 1. Atlético-GO conquista, assim, apenas um ponto e ainda corre risco de cair

Atlético-GO e São Paulo não saíram do empate no Serra Dourada: 1 a 1. O empate nada significa para o Tricolor paulista, que não tem mais nenhum objetivono Brasileirão. Para o Dragão, no entanto, o resultado significa a permanência do risco de ser rebaixado para a Série B do Brasileirão em 2011.

O lento começo de jogo, com as duas equipes demonstrando pouco poder criação nada lembrou os últimos anos, em que o São Paulo se acostumou a chegar na penúltima rodada do Brasileirão com aspirações maiores.

Mais interessado no resultado, já que ainda corre riscos de ser rebaixado, o Atlético-GO teve as melhores chances da primeira etapa. A melhor delas veio com Róbston, que, aos 28 minutos, deu lindo drible em Samuel e bateu firme, para boa defesa de Rogério Ceni.

O São Paulo seguiu seu ritmo lento na partida, apenas arriscando chutes de fora da área. Carlinhos Paraíba, Lucas e Cleber Santana conseguiram bons arremates dessa forma. Em duas dessas, no entanto, Márcio conseguiu defender. O chute de Lucas passou à esquerda do goleiro, com grande perigo.

Mesmo com a maior necessidade de conseguir um bom resultado, Renê Simões não mexeu na equipe de Goiás no intervalo de jogo. Carpegiani, diferentemente do companheiro, mudou por duas vezes, colocando Jorge Wagner e Zé Vitor noa jogo.

As substituições poderiam sugerir um Tricolor mais defensivo nos últimos 45 minutos de jogo. Mas não foi o que aconteceu. Lucas arrancou, aos nove minutos de jogo, e foi empurrado por Agenor, dentro da área. Carlos Eugênio Simon não teve dúvidas e apitou a penalidade, duvidosa e muito contestada pelos jogadores do Atlético.

Rogério Ceni cobrou com perfeição, longe do alcance de Márcio. A situação ficara dramática para os goianos.

Renato Silva, que por muitas vezes foi criticado na zaga são-paulina, foi responsável direto pelo lance que deu o empate ao Dragão. Ele falhou após passe de Anaílson para Elias, aos 19 minutos de jogo. O atacante do Dragão teve a frieza necessária para deslocar Rogério e dar esperança à sua torcida.

Com sérias dificuldades de articulação em seu meio de campo – muito em função da retranca imposta pela São Paulo após o gol sofrido – o Rubro-negro não conseguiu virar a partida e, com os resultados nesta rodada, ainda depende de suas próprias forças para escapar do rebaixamento, na última partida do Brasileirão, no próximo domingo.

Na 38ª rodada, o Atlético-GO terá um duríssimo confronto direto com o Vitória, no Barradão. Quem perder terá sua vaga na Série B em 2011. Caso empate, o Dragão permanece na primeira divisão do futebol brasileiro. O São Paulo apenas cumprirá tabela contra o Atlético-MG, no estádio do Morumbi.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-GO 1 X 1 SÃO PAULO

Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e José Javel Silveira (RS)
Renda/público: Não disponíveis.
Cartões amarelos: Cleber Santana e Renato Silva (SAO); Agenor (ATL)
Cartões vermelhos: Nenhum.
GOLS: Rogério Ceni, 9’/2ºT (0-1); Elias, 19’/2ºT (1-1)

ATLÉTICO-GO: Márcio, Adriano, Gilson, Welton Felipe e William; Agenor, Pituca, Robston e Renatinho (Anaílson, 7’/2ºT); Marcão e Elias. Técnico: Renê Simões.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Jean, Alex Silva, Renato Silva e Samuel; Casemiro (Jorge Wagner, Intervalo), Cleber Santana, Lucas e Carlinhos Paraíba; Lucas Gaúcho (Zé Vitor, Intervalo) e Marlos. Técnico: Paulo César Carpegiani.

novembro 28, 2010 Posted by | São Paulo | | Deixe um comentário

Atlético-MG vence o Goiás e se garante na

Apoiado por sua torcida, Galo alcançou os 45 pontos na tabela e afastou de vez as chances de rebaixamento

O torcedor do Atlético-MG, pode enfim respirar aliviado. Neste domingo, o Galo vence o já rebaixado Goiás por 3 a 1, na Arena do Jacaré com a presença maciça de sua torcida, e se garantiu a sua permanência na Série A do Brasileirão.

Com o triunfo, a equipe mineira foi aos 45 pontos. Já o Goiás segue com 32 e na vice-lanterna da competição.

O jogo:

A festa da torcida do Atlético-MG era grande nas arquibancadas da Arena do Jacaré. Assim como o calor em Sete Lagoas. Mas o Goiás, já rebaixado à Série B, não se intimidou com a pressão e teve boas oportunidades de gol nos primeiros minutos da partida. Já o Atlético buscava cadenciar o jogo e valorizava a posse de bola. O Galo era pura tranquilidade em campo.

O Goiás queria deixar uma boa imagem nessa reta final de competição. Logo aos dois minutos, Camacho arriscou de fora da área. Renan Oliveira fez a defesa. Aos nove, foi a vez de Jonílson chegar à frente. Mais dois minutos e Leyrielton arriscou finalização pela direita – setor em que o Goiás mais atacava – e por pouco não acertou o gol de Renan.

Com a tranquilidade com a qual iniciou a partida, o Galo apagou o ‘fogo’ do Goiás e abriu o placar na Arena do Jacaré. Renan Oliveira passou para Diego Souza, que venceu a marcação goiana e finalizou de esquerda. A bola bateu na trave esquerda, correu a linha da pequena área e entrou. Atlético-MG 1 x 0 Goiás.

O valente Goiás chega ao empate

Após o gol, o Atlético equilibrou as ações e passou a buscar a melhor oportunidade para chegar à pequena área de Harlei. Mas o Goiás não desistiu em deixar aquela ‘boa impressão’ na reta final. A equipe goiana tinha qualidade e provou isso ao chegar ao empate. Wendell Lira fez boa jogada pela direita, colocando a bola por debaixo das pernas do selecionável Réver, e Éverton Santos só teve o trabalho de empurrar para o gol. Atlético-MG 1 x 1 Goiás.

Uma dupla que decide para o Galo

Após muita conversa conversa entre os atleticanos, o Galo voltou a pressionar o Goiás. E para chegar a mais um gol, novamente a dupla Diego Souza-Renan Oliveira entrou em ação. Após cobrança de lateral pela direita do ataque mineiro, Diego Souza achou Renan Oliveira livre na pequena área. O camisa 16 do Galo não desperdiçou. Finalização de primeira no ângulo esquerdo de Harlei, que nada pode fazer. Atlético-MG na frente.

Werley celebra fim do drama do Atlético-MG

A partir de terça-feira, foco do Galo é a Sul-Americana

Discurso do Atlético-MG é em tom de consciência

Segundo tempo:

O Atlético-MG voltou para a segunda etapa com duas mudanças. Saíram Renan Ribeiro e Obina. O goleiro, em decorrência de dores na região do abdômen. Já o atacante, por opção do técnico Dorival Júnior. Com a entrada de Berola, o Atlético passou a ter ainda mais velocidade em seus ataques e com isso.

Gol da permanência

Foi com essa velocidade que o Atlético amplicou. Aos 18 minutos, Diego Tardelli, recebeu bola – em posição duvidosa – cara a cara com Harlei e não desperdiçou. Atlético-MG 3 a 1 Goiás.

A partir do terceiro gol, o Atlético passou a cadenciar o jogo na Arena do Jacaré e ficou na expecativa por uma oportunidade gerada por um contra-ataque para ampliar o marcador em Sete Lagoas. O veloz Neto Berola deu muito trabalho à marcação do Goiás, que buscou uma reação mas não teve a felicidade de marcar novamente.

Já na parte final da partida, o Galo só esperou o apito final do árbitro Guilherme Cereta de Lima e enfim pode comemorar a sua permanência na Série A de 2010. Ano que vem, o futebol de Minas Gerais terá três representantes na elite: América-MG, Atlético-MG e Cruzeiro.

Próximos compromissos:

No próximo domingo, o Goiás recebe o Corinthians, que luta pelo título, no Serra Dourada, às 17h. No mesmo dia e horário, o Atlético-MG visita o São Paulo.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG 3 X 1 GOIÁS

Local: Estádio Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Data/Hora: 27/11/2010 às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Renda/Público: R$ 103.127,50/17.234 pagantes.

Cartões amarelos: Réver (ATL); Leyrielton (GOI)
Cartões vermelhos: Não houve.

Gols: Diego Souza, aos 15’1T(1-0); Éverton Santos, aos 38’1T(1-1); Renan Oliveira, aos 46’1T(2-1); Diego Tardelli, aos 18’2T(3-1);

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro(Aranha, intervalo); Rafael Cruz, Réver(Lima, aos 29’2T), Werley e Leandro; Zé Luis, Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina(Neto Berola, intervalo). Técnico: Dorival Júnior.

GOIÁS: Harlei; Leyriélton, Danilo Costa(Felipe Amorim, aos 25’2T), Valmir Lucas e Jadílson; Lenon, Jonílson, Wendel Santos e Camacho(Pedro, aos 25’2T); Éverton Santos e Wendell Lira. Técnico: Artur Neto.

novembro 28, 2010 Posted by | Atlético-MG, Goiás | | Deixe um comentário

Cruzeiro vence o Fla e mantém o sonho do título

Cariocas mesmo perdendo conseguem escapar do perigo do rebaixamento

O Cruzeiro foi até o Raulino de Oliveira e conseguiu vencer o Flamengo 2 a 1, de virada, na tarde desta domingo, pela penúltima rodada do Brasileiro. O importante resultado mantém os mineiros na briga do título – a dois pontos do Fluminense – o Rubro-Negro, por sua vez, mesmo perdendo conseguiu escapar da Série B.

Novamente Montillo foi o carrasco do Fla ao fazer o cruzamento na cabeça de Thiago Ribeiro. Roger em cobrança de falta marcou o primeiro para o time celeste. O primeiro gol da partida foi feito por Diego Maurício em belo passe de Diogo.

No próximo domingo, o Flamengo vai até a Vila Belmiro enfrentar com o Santos, às 17h. No mesmo dia e horário o Cruzeiro encara o Palmeiras, na Arena do Jacaré.

Diego Maurício e Roger marcam

As primeiras boas chegadas do Flamengo foram em chutes de longa distância, com Welinton e Renato. O Cruzeiro respondeu na tentativa de passe de Montilho à procura de Thiago Ribeiro. Aos nove minutos, Diogo arrancou em velocidade desde o meio de campo e acertou um lançamento preciso para Diego Maurício. O Drogbinha teve calma para desclocar Fábio e colocar a bola no fundo do barbante: 1 a 0.

Logo depois teve um princípio de confusão gerada pela entrada de Willians em Roger e logo em seguida a de Marquinhos Paraná em Renato. O Flamengo apertava a saída de bola e o Flamengo marcava pressão, o que dificultava a progressão das jogadas do time celeste. Contudo, Roger cobrou falta com rara habilidade e empatou o placar: 1 a 1. Após o gol o Cruzeiro cresceu em campo e passou a jogar em cima do adversário.

Embora o jogo tenha seguido equilibrado, o Cruzeiro assustou em mais um chute de longe de Montillo. O Cruzeiro seguiu mais perigoso e o Rubro-Negro só conseguia sair do campo de defesa com chutões. Os excessivo erro de passes em contra-ataques prejudicava o andamento das jogadas. Montillo seguia infernizando a defesa do Flamengo e era a principal jogadas saiam dos mineiros saim do pé do argentino. Em novo chute de longa distância obrigou Marcelo Lomba a fazer uma defesa difícil.

Acuado, o Fla cresceu no jogo ao começar a explorar as duas laterais. Além disso, segurava com inteligência a bola no campo adversário e fazia boas tabelas. No fim, a tônica foi os cariocas no campo de ataque pressionando e o Cruzeiro à espera para contra-atacar. O jogo seguiu equilibrado até o fim da primeira etapa.

Thiago Ribeiro vira para o Cruzeiro

O ritmo do ínicio do segundo tempo foi menos intenso. Somente na chegada de Diogo em dois lances e numa cabeçada de Welinton ocorreu boas oportunidades. Aliás, o atacante logo em seguida acertou uma bonita bicicleta e Lomba teve de fazer defesa difícil.

A partida seguiu muito disputada no estádio Raulino de Oliveira. Em boa chegada pela direita, aos 17, Marquinhos chutou cruzado visando Diego Maurício, mas o atacante não dominou. No lance seguinte, no entanto, ganhou na força do marcador e chutou cruzado para fora.

Desaparecido até a metade do segundo tempo, Montillo apareceu quando a defesa do Fla estava desguarnecida e fez um cruzamento milimétrico na cabeça de Thiago Ribeiro virar para o Cruzeiro: 2 a 1.

A partir do gol, o Rubro-Negro partiu para cima do Cruzeiro, que passou a jogar mais defensivamente com a saída de Roger e a entrada do zagueiro Edcarlos. Luxemburgo tirou Marquinhos e pôs Val Baiano para dar mais presença de área. A pressão pelo gol do empate seguiu até o fim, mas acabou sendo em vão. O Cruzeiro conseguiu uma importante vitória no Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 1 X 2 CRUZEIRO

Estádio: Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS), Julio Cesar Rodrigues Santos (RS)
Renda/público:
Gols: Flamengo: Diego Maurício (9’/1ºT), Cruzeiro: Roger (15’/1ºT), Thiago Ribeiro (23’/2ºT)
Cartão Amarelo: Marquinhos Paraná (10’/1ºT), Jonathan (31’/2ºT), Diogo (4’/2ºT)
Cartão Vermelho: Não houve.

FLAMENGO: Marcelo Lomba; Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Maldonado, Willians (Correa 33’/2ºT), Marquinhos (Val Baiano 24’/2ºT) e Renato; Diogo (Petkovic 12’/2ºT) e Diego Maurício.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

CRUZEIRO: Fábio; Jonathan, Gil, Léo e Diego Renan; Henrique, Marquinhos Paraná, Montillo (Everton 42’/2ºT) e Roger (Edcarlos 25’/2ºT); Thiago Ribeiro e Welington Paulista;
Técnico: Cuca.

novembro 28, 2010 Posted by | Cruzeiro, Flamengo | | Deixe um comentário

Bota passa pelo Prudente e mantém Libertadores no foco

Glorioso joga com disciplina e faz o suficiente para sonhar

A segurança venceu o medo no Rio, também nos gramados. Vindo de derrota em casa para os reservas do Internacional, o Botafogo não deu muitas oportunidades para o lanterna Grêmio Prudente, neste domingo, e derrotou o clube paulista por 3 a 1, comgols de Antônio Carlos, Edno e Marcelo Cordeiro. Willian José descontou. Com 59 pontos, o Alvinegro vai para a última rodada do Brasileiro ainda com chances de entrar no G4. Até a próxima semana, resta apenas pensar em contas.

Em quinto lugar, o Glorioso vai encarar o Grêmio, no Olímpico, rival direto e que tem 60 pontos. Ao Bota, só o triunfo fora interessa. Se passar pela prova de fogo, depois será necessário torcer pelo título do Independiente (ARG) na Copa Sul-Americana para que o Goiás não leve a vaga na próxima Libertadores. Missão complicada, mas a tropa do técnico Joel Santana deseja mostrar que é osso duro de roer.

ATIVIDADE ALVINEGRA

Diferentemente da empolgação na arquibancada, esvaziada pela violência no Rio, o jogo começou quente na casa alvinegra. A primeira tentativa do Bota aconteceu aos seis minutos, quando Marcelo Cordeiro errou cruzamento e sem querer deixou Loco Abreu livre. De frente para o gol, o uruguaio bateu forte, mas o arqueiro Sidney levou a melhor.

Veja os gols da vitória do Botafogo sobre o Prudente

Veja os gols da vitória do Botafogo sobre o Prudente

No entanto, mesmo ofensivo na escalação, com apenas Lucas Zen de volante, o Glorioso também mostrou cautela ao partir para cima. Edno até tentou, aos 10, mas o bom ritmo do jogo esfriou aos poucos e o rebaixado Prudente não deu espaços para o clube da Estrela Solitária chegar na área.

Sem responsabilidade, o lanterna da competição se manteve na defesa e esperou o Botafogo avançar. Fórmula para disputa com raras emoções. Além disso, o forte calor na cidade cadenciou as ações. Emoção novamente só aos 28 minutos, quando Lucio Flavio bateu falta na frente da área e colocou rente ao poste esquerdo.

A bola parada parecia a solução. E foi. Aos 30, escanteio pela direita cobrado com perfeição por Lucio Flavio achou a cabeça de Antônio Carlos. Entre os defensores, o camisa 3 subiu seguro e empurrou para o fundo da rede, o sétimo dele no Brasileirão. Gol para ligar o Glorioso, daí mais calmo em campo, apesar de levar sustos em duas faltas do adversário.

Cabia mais e a fragilidade prudentina ficou exposta. Aos 44, Caio trabalhou pela direita e serviu Edno, que olhou para a meta e soltou a bomba. Sem chances, no canto esquerdo do goleiro Sidney.

NA PAZ

Na volta do intervalo, a vantagem não freou o ímpeto alvinegro. Aos 3 minutos, Antônio Carlos lançou Caio, que entrou pela área e deu serviço para Sidney, que tirou no reflexo. Pelo Prudente, nada de esboçar reação e assim o tempo passou, sob vaias da torcida do Bota.

Mal pressentimento do público, convertido em gol. Aos 24, Willian José aproveitou vacilo da zaga e deixou o placar menos elástico, após chute de fora da área. Com o susto, Joel Santana procurou dar novo fôlego ao time com as entradas de Alex e Renato Cajá nos lugares de Loco Abreu e Lucio Flavio.

Já na reta final, o enfrentamento ficou mais brigado. Coração na ponta dos pés e muita disposição. A organização tática de ambos os clubes deu lugar à correria e o Bota aproveitou. Na velocidade, Alex foi derrubado dentro da área. Pênalti marcado, convertido por Marcelo Cordeiro no canto direito do goleiro Sidney, aos 45 minutos. Fogão vivo na guerra.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 3 X 1 GRÊMIO PRUDENTE

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Christian Passos Sorence (GO) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO)
Renda/público: R$ 87.417,00 / 4.932 pagantes
Cartões amarelos: Márcio Rosário (BOT); Marcelo Oliveira (PRU)
GOLS: Antônio Carlos, 30’/1ºT (1-0); Edno, 44’/1ºT (2-0); Willian José, 24’/2ºT (2-1); Marcelo Cordeiro, 45’/2ºT (3-1)

BOTAFOGO: Jefferson, Fahel, Antônio Carlos e Márcio Rosário; Alessandro, Lucas Zen, Lucio Flavio (Renato Cajá, 29’/2ºT), Edno (Tulio Souza, 39’/2ºT) e Marcelo Cordeiro; Caio e Loco Abreu (Alex, 27’/2ºT). Técnico: Joel Santana.

GRÊMIO PRUDENTE: Sidney, Saldanha, Anderson Luís, Diego e Marcelo Oliveira; Rodrigo Mancha, Roberto (Renan, 39’/1ºT), Anderson e Serginho (Juan, 33’/2ºT); Willian José e Rhayner (William Henrique, 17’/2ºT). Técnico: Fábio Giuntini.

novembro 28, 2010 Posted by | Botafogo, Grêmio Prudente | | Deixe um comentário

Grêmio goleia, segue no G4 e fica com o Saldanhão

Equipe gaúcha, agora, tem duelo direto com o Botafogo na última rodada. Resultado decreta o rebaixamento do Bugre.

O Grêmio não fez esforço para golear por 3 a 0 um esforçado Guarani, na tarde deste domingo, no Brinco de Ouro, pela penúltima rodada do Brasileirão. O resultado mantém o Tricolor gaúcho no G4 e premia a equipe do Sul com o Troféu João Saldanha, dado pelo LANCE! ao campeão do returno. Já o Bugre dá adeus à Série A.

Agarrado às poucas chances de não ser rebaixado, o Guarani partiu com tudo para cima do Grêmio. E quase marcou no primeiro minuto. Baiano enfiouótima bola para Reinaldo, que tocou para dentro da área para a chegada de Mazola. Porém, Fábio Santos se adiantou, evitando a conclusão do atacante.

Também querendo vencer para se manter no G4, o Tricolor gaúcho perdeu o zagueiro Mário Fernandes aos 10. Improvisado na direita, o jogador, que voltava a jogar depois de quatro meses parado, sentiu o tornozelo esquerdo e precisou ser substituído.

Os goleiros só começaram a aparecer aos 23, quando o Grêmio abriu o placar. Após cobrança de falta de Rochemback pela esquerda, André Lima subiu mais que a zaga e, de cabeça, desviou para a rede, sem chances para Emerson.

O jogo tornou-se, então, aberto. O Bugre, mais contundente em campo, pecava pela falta de criatividade, mas assustou com Baiano, em cobrança de escanteio, Mazola, que acertou o travessão, e Apodi, que quase enganou Victor em chute que quicou na frente do goleiro.

Na volta do intervalo, o Grêmio pareceu que tomaria conta da partida, mas foi apenas engano. O time do Sul seguiu cadenciando o jogo, vendo o Guarani chegar e obrigar Victor a fazer algumas defesas. Mas o Bugre seguia sem qualidade no meio de campo.

A melhor chance de empate do Guarani aconteceu em cobrança perfeita de falta de Baiano, que obrigou Victor a defender no ângulo esquerdo. Mas o Bugre, que seguia melhor, foi castigado com mais um gol. Diego foi derrubado na área por Ronaldo e, na cobrança, Jonas ampliou.

Para confirmar a permanência entre os quatro primeiros, o Grêmio ampliou. Jonas viu Diego se movimentar e entrar na área e deu lindo passe para o companheiro, que afundou a rede de Emerson. Era o rebaixamento selado do Guarani, que sentiu o gostinho da Primeira Divisão por apenas sete meses.

FICHA TÉCNICA:
GUARANI 0 X 3 GRÊMIO

Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data/Hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Jossemmar José Moutinho (PE) e José Pedro da Silva (PE)
Cartões amarelos: Maycon, Mazola, Baiano, Aislan (GUA); Fábio Rochemback, Jonas (GRE)
Cartões vermelhos:

GOLS: André Lima 23’/1T (0-1); Jonas 33’/2T (0-2); Diego 38’/2T (0-3)

GUARANI: Emerson, Apodi, Aislan, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Baiano, Paulinho (Pablo, intervalo) e Diego Barboza (Ronaldo, 27’/2T); Mazola e Reinald (Douglas, 11’/2T). Técnico: Vágner Mancini.

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes (Ferdinando, 11’/1T), Paulão, Rafael Marques e Fábio Santos; Fábio Rochemback, Adilson, Lúcio (Gilson, 36’/2T) e Douglas; Jonas e André Lima (Diego, 21’/2T). Técnico: Renato Gaúcho.

novembro 28, 2010 Posted by | Grêmio, Guarani | , | Deixe um comentário

Empate com o Inter mantém Vitória na zona da degola

Na última rodada, time pega Atlético-GO de olho na sobrevivência

Internacional e Vitória empataram em 1 a 1, neste domingo, no Beira-Rio. Os gols fora de Adaílton e Rafael Sobis. O resultado manteve o Vitória na zona do rebaixamento, com 41 pontos ganhos. O Inter despediu-se de sua torcida antes do embarque rumo ao Mundial de Clubes, em Abu Dhabi. Na próxima rodada, no próximo domingo, o Vitória recebe a visita do Atlético-GO, enquanto o Inter, quinta-feira, encerra o Brasileirão diante do Grêmio Prudente, em Presidente Prudente.

Os primeiros 45 minutos foram gelados. Os visitantes pareciam dispostos a sair com um empate a todo custo. O esquema formado por Antônio Lopes deixou o atacante Elkeson absolutamente isoilado entre a zaga rival. O Internacional, por sua vez, mais parecia disputar um recreativo de luxo, com direito a uniforme, súmula e arbitragem.

Mesmo sem ser incisivo, a iniciativa maior do jogo foi dos colorados. Este leve domínio, entretanto, não foi traduzido em oportunidades de gol. Os goleiros Viáfara e Renan foram espectadores privilegiados dentro do campo de jogo: as equipes praticamente não arremataram em gol. Para ser mais preciso, houve um chute de cada lado.

O Vitória voltou à etapa final mais ousado. Se passou a primeira metade do jogo empenhado em defender, o time retornou do intervalo com uma proposta mais ofensiva. A tática não tardou a surtir efeito: aos 5, Adaílton, em jogada individual, mandou uma bomba indefensável para Renan.

A vantagem, contudo, devolveu ao Vitória o ímpeto excessivamente defensivo. A equipe se fechou em demasia, o que proporcionou campo ao Inter. O empate colorado veio aos 16 minutos, em um chutaço de Rafael Sobis. Golaço e justiça no placar do Beira-Rio.

O desenho da partida seguiu inalterado. O Inter em busca do gol de desempate, e o Vitória lutando e rezando para que o tempo passasse mais depressa. Com o apito final, vibração rubro-negra por um pontinho que pode ser valioso no fim.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL X VITÓRIA

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (SP-Fifa)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e João Antônio Sousa Paulo Neto (DF)
Cartões amarelos: Neto Coruja (VIT); Sobis, Nei (INT)
Cartões vermelhos: Não houve
Gols: Adaílton, 5’/2ºT (0-1); Sobis 16’/2ºT (1-1)

INTERNACIONAL: Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Mathias, Guiñazu, Tinga (Andrezinho, 15’2ºT), D’Alessandro (Giuliano, 15’2ºT); Rafael Sobis e Alecsandro (Leandro Damião, 31’2ºT). Técnico: Celso Roth.

VITÓRIA: Viáfara, Nino, Gabriel Paulista, Anderson Martins e Egídio; Uelliton, Neto, Bida (Vanderson, 35’2ºT) e Elkeson (Fernando, intervalo); Júnior (Jacson, 20’2ºT) e Adailton. Técnico: Antônio Lopes.

novembro 28, 2010 Posted by | Internacional, Vitória | | Deixe um comentário

Avaí vence o Santos e se livra do rebaixamento

Peixe abriu dois gols de diferença, mas permitiu a virada do time catarinense

Caio. Este nome será lembrado pelos jogadores do Santos nos próximos dias. Depois de estar vencendo o Avaí por 2 a 0, neste domingo, na Ressacada, em Florianópolis, o Peixe tomou a virada e perdeu por 3 a 2, com três golaços do camisa 10 catarinense, resultado que praticamente tirou o Avaí da briga pelo rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Agora com 43 pontos ganhos, o Avaí subiu para a 14ª colocação do Brasileiro, ficando mais distante do descenso. Já o Santos, sem pretensões na competiçãopor estar garantido na Libertadores de 2011 e não estar brigado nem pelo título nem para cair, ficou com os mesmos 55 pontos, na sétima posição.

O jogo

Com a Ressacada completamente lotada, o Avaí começou o jogo todo no ataque. Caio, Rudnei, Robinho e Vandinho saindo para o jogo e impedindo o time santista de jogar. No entanto, as chances de gols foram raras até os nove minutos de jogo, quando o placar foi alterado pela primeira vez.

Em um lance de sorte, Neymar conseguiu evitar a saída da bola pela lateral, deu um drible no zagueiro do Avaí e cruzou na área. O goleiro Renan tentou tirar, mas Keirrison mandou de joelho para o gol e a bola entrou devagarzinho. 1 a 0 Peixe!

Daí em diante, o jogo se tornou um duelo entre Neymar e Caio. Do lado santista, a esperança era por uma sobra de bola na direita para o garoto tentar as jogadas e concluir para o gol. Foram duas tentativas desta forma: uma em que o camisa 11 tentou encobrir o goleiro e outra aos 32, depois de Arouca passar com maestria pelo meio de campo catarinense e lançar de três dedos para Neymar, que tocou no canto de Renan e fez o segundo. Santos 2 a 0, para desespero dos catarinenses.

Já pelo lado do Avaí, Caio estava disposto a brilhar. Foram quatro tentativas de marcar o gol, sendo a mais perigosa aos 19 minutos, quando ele driblou o zagueiro do Santos e chutou por cima. Porém, aos 39, o camisa 10 protagonizou uma jogada de craque: recebeu na entrada da área, driblou três santistas, invadiu a área e chutou na saída de Rafael, marcando o primeiro do Avaí, para explosão das arquibancadas.

O gol despertou o time da casa e a torcida, que empurrou o time ao empate. E ele aconteceu aos 46, obviamente com Caio. Desta vez, ele arriscou de fora da área e Rafael, que vinha fazendo excelentes defesas no jogo, deixou passar. 2 a 2, ainda no primeiro tempo.

– A gente precisa ir para cima, vencer… – disse Caio, no intervalo.

E foi isso que o Avaí fez durante todo o segundo tempo. Caio voltou para o jogo apagado, mas mesmo assim ainda levou perigo ao gol santista, como em um lance aos nove minutos em que ele driblou o marcador e chutou de perna direita, mas a bola foi longe.

O Santos também continuou com a mesma forma de jogar do primeiro tempo: bola no Neymar. Só que o camisa 11 cansou a etapa final, e pouco fez. Keirrison quase não encostou na bola e os demais estavam andando em campo. Até os jogadores que poderiam mostrar algo ao novo técnico Adilson Batista, pouco fizeram. Casos de Rodrigo Possebon e Adriano, que foram substituídos na etapa final e não tiveram bom desempenho.

Aos 30 minutos, Davi apareceu sozinho na área e perdeu, depois de tropeçar na bola, para desespero da torcida do Avaí. A entrada de Zé Eduardo, também aos 30, fortaleceu o ataque santista, que passou a assustar o goleiro Renan.

E quando tudo caminhava para o empate, Caio apareceu novamente. Ele avançou pela entrada da área, cortou o marcador e chutou no ângulo de Rafael, marcando o terceiro gol, o da virada, do Avaí, selando a vitória da equipe catarinense. No final do jogo, a torcida do Avaí comemorou muito a vitória, a permanência na Série A e o nome do jogo e do Avaí no Brasileirão: Caio.

O Avaí reencontra o rival Figueirense na elite do futebol brasileiro em 2011, fato que não acontece desde 1979. A última vez que a Série A teve dois times catarinenses foi em 2004, quando Figueirense e Criciúma participaram da Primeira Divisão.

Na última rodada, o Santos recebe o Flamengo, na Vila Belmiro. Já o Avaí, ainda lutando contra o rebaixamento, joga contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada.

FICHA TÉCNICA
AVAÍ 3 X 2 SANTOS

Estádio: Ressacada, Florianópolis (SC)
Data/hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Marcia Lopes Caetano (Fifa-RO) e Gilson Bento Coutinho (PR)
Renda/público: R$ 67.100, 00 – 17.800 pagantes
Cartões amarelos: Bruno Silva, Emerson e Eltinho (AVA) Keirrison, Neymar, Arouca, Alex Sandro, Danilo, Rodrigo Possebon, Adriano, Durval (SAN)
Cartões vermelhos: Não houve
GOLS: Keirrison 9’/1°T; Neymar 32’1/1°T; Caio 39’/1°T; Caio 46’/1°T; Caio 36’/2°T

AVAÍ: Renan; Patric, Emerson Nunes, Emerson e Eltinho; Bruno, Rudnei, Batista e Caio (Dinélson – 45’/2°T); Robinho (Davi – Intervalo) e Vandinho (Daniel – 22’/2°T). Técnico: Vagner Benazzi.

SANTOS: Rafael; Pará (Zé Eduardo – 32’/2°T), Bruno Aguiar, Durval e Léo; Arouca, Adriano (Danilo – Intervalo), Rodrigo Possebon (Alex Sandro 15’/2°T) e Felipe Anderson; Neymar e Keirrison. Técnico: Marcelo Martelotte.

novembro 28, 2010 Posted by | Avaí, Santos | | Deixe um comentário

Corinthians recebe Vasco focado no título

Timão tem de vencer o cruzmaltino e torcer por tropeço do Fluminense para reassumir a ponta da tabela

O Corinthians recebe o Vasco neste domingo, às 17h, no Pacaembu, pensando na conquista do título do Campeonato Brasileiro. A equipe paulista precisa vencer e torcer por um tropeço dolíder Fluminense para reassumir o topo da tabela. Já o Vasco, na 11ª colocação, tenta carimbar vaga na Sul-americana.

O Corinthians joga todas as suas fichas do campeonato no jogo contra o Vasco. Um vacilo pode dar o título para o Fluminense. Para se manter com chances de conquistar a taça, a equipe tem de vencer de qualquer maneira.

Mas o Timão tem problemas para o jogo. Ronaldo, com uma lesão na coxa direita, está fora. Outro desfalque é Elias, que terá de cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Na ausência do Fenômeno, Dentinho se candidata ao posto de homem de decisão.

– Nosso grupo é qualificado, a gente sabe a falta que o Ronaldo faz em campo. Mas é a hora de quem está ali na frente, eu, Jorge Henrique, Bruno César chamar a responsabilidade – afirmou o atacante que retorna de suspensão.

O Pacaembu estará lotado. A torcida do Corinthians comprou praticamente todos os ingressos de forma antecipada. A meta é vencer o Vasco e secar o Fluminense.

RÁDIO L! Tabelinha: Fim de semana de título no Brasileirão?

O Vasco vai para a partida com algumas alterações. O meia Felipe, com dores no joelho direito, está vetado. Em seu lugar, entra o jovem Allan, que terá ao seu lado, no meio de campo, Renato Augusta, Rômulo e Zé Roberto. No ataque vascaíno, Eder Luis e Carlos Alberto.

Na defesa, outra alteração. Com a intenção de recolocar Dedé atuando pela lado direito, PC Gusmão optou por colocar o jovem Douglas, zagueiro que estava no time Sub-23, na equipe titular. Além disso, o comandantes cruzmaltino contará com o retorno do lateral-esquerdo Ramon.

Apesar de muitos acharem que o time de São Januário não briga por mais nada no Brasileiro, o técnico PC Gusmão afirmou que seus comandados vão entrar em campo para ganhar e lembrou que a vaga na Sul-americana ainda não está garantida.

– O Vasco ainda tem pretensões no campeonato, pois ainda não garantiu nada. Temos uma Sul-americana para segurar a vaga e mostrar que ainda estamos vivos. Se não fizermos a nossa parte, estamos fora – afirmou o treinador.

L! no Ar analisa rodada que pode definir o campeão

L! no Ar analisa rodada que pode definir o campeão

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS X VASCO

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 28/11/2010 às 17:00
Árbitro: Marcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (RS – Fifa) e Marcelo Bertanha Barison (RS)

CORINTHIANS: Julio Cesar, Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Bruno César e Danilo; Jorge Henrique e Dentinho – Técnico: Tite.

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Douglas e Ramon; Rômulo, Renato Augusto, Allan e Zé Roberto; Carlos Alberto e Eder Luis – Técnico: PC Gusmão

novembro 28, 2010 Posted by | Corinthians, Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Guarani joga contra o Grêmio para se segurar na elite

Bugre encara os gaúchos precisando vencer para permacencer na Primeira Divisão. Tricolor quer seguir no G4

Mesmo com grandes chances de cair para a Série B, o Guarani tem dois jogos pela frente que podem decidir o título brasileiro e uma das vagas
brasileiras na Libertadores do ano que vem. E as “decisões” começam neste domingo, às 17h, quando o Bugre recebe o Grêmio, no Brinco de
Ouro, em Campinas. Uma derrota rebaixa o timecampineiro para a Segunda Divisão.

E o retrospecto é ainda pior. Sem saber o que é vitória há 11 rodadas, o Guarani ainda tem o pior ataque com 33 gols. O único número positivo é o Tricolor Gaúcho não vence o Bugre em Campinas há 12 anos.

– A equipe iniciou bem a competição, mas depois caiu muito de produção. Esperávamos algumas boas partidas para conseguir escapar, mas
infelizmente o rendimento caiu e não conseguimos reagir a tempo de escapar – afirmou o presidente do clube, Leonel Martins de Oliveira.

Ouça na RÁDIO LANCE!

Lúcio: ‘Não podemos lamentar os pontos perdidos’
Douglas: ‘Se tivéssemos reagido antes, brigaríamos pelo título’
Renato feliz com assédio da torcida gremista
Renato quer tirar proveito da situação do Guarani

Para o jogo, o treinador não poderá contar com Geovane, que recebeu o terceiro cartão amarelo no último jogo e está fora. Reinaldo deve ser
seu substituto. Além dele, Mancini também não terá o goleiro Douglas, o zagueiro Fabão, o volante Renan e o meia Ricardo Xavier, todos
machucados. Durante a semana, o meia Preto e o atacante Mazola reclamaram de dores musculares e são dúvidas para a partida. Se não
jogarem, Paulinho e Pablo serão os titulares, respectivamente.

Precisando vencer e torcer para se manter à frente de Atlético-PR e Botafogo na briga pela última vaga para a Libertadores-2011, os Grêmio ganhou um reforço importante para o duelo contra o Guarani, neste domingo, em Campinas. Presente no STJD nesta sexta-feira, o atacante Jonas pegou um jogo de suspensão – já cumprido – e está liberado para a reta final do Brasileirão.

O camisa 7 do Tricolor gremista respondeu ao artigo 254-A (Praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente) por ter acertado o rosto de Adriano, do Santos, com uma cotovelada no dia 13 de novembro. Podendo ser suspenso de quatro a 12 jogos, Jonas pegou apenas um. Aliviado com a liberação, Jonas admitiu que é difícil comparecer ao Tribunal e que já está com o pensamento voltado para o jogo deste domingo.

– É complicado estar na frente dos auditores, sendo julgado, mas saio feliz com o resultado, vou comemorar muito. Já estou pensando no Guarani. Vou dar o máximo nesses dois jogos para ajudar o Grêmio nessa briga pela vaga na Libertadores. Domingo tem uma pedreira – disse o atacante.

Com a notícia de que Jonas está liberado para atuar, o técnico Renato Gaúcho vai mantê-lo ao lado de André Lima na frente. O restante do time é o mesmo que vem atuando nas últimas rodadas, tirando o zagueiro Mário Fernandes, que volta a ser titular, improvisado, no lugar de Gabriel.

FICHA TÉCNICA:
GUARANI X GRÊMIO

Local: Brinco de Ouro, em Campinas (SP)
Data/Hora: 28/11/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Jossemmar José Moutinho (PE) e José Pedro da Silva (PE)

GUARANI: Emerson, Apodi, Aislan, Aílson e Márcio Careca; Maycon, Baiano, Preto e Diego Barboza ; Mazola e Reinaldo. Técnico: Vágner Mancini.

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Paulão, Rafael Marques e Fábio Santos; Fábio Rochemback, Adilson, Lúcio e Douglas; Jonas e André Lima. Técnico: Renato Gaúcho.

novembro 28, 2010 Posted by | Grêmio, Guarani | | Deixe um comentário