Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Montillo: uma joia que o São Paulo deixou escapar

Considerado caro, argentino saiu da mira do clube e, hoje, brilha no Cruzeiro

A vitória contra o Atlético-PR foi celebrada por Paulo César Carpegiani pelo fato de a bola ter passado mais pelo meio de campo, dando ao time maior posse dela. Sem um camisa 10, sente-se a falta de um maestro capaz de cadenciar o jogo e, ao mesmo tempo, proporcionar o “toco y me voy.” Mas essa realidade poderia ser muito diferente.

No primeiro semestre, o nome do argentino Montillo, destaque do Universidad de Chile, semifinalista da Libertadores, constava nas anotações do auxiliar técnico Milton Cruz, maior responsável por indicar contratações à diretoria.

Após as primeiras sondagens, porém, o valor de US$ 3,5 milhões (hoje em torno de R$ 5,9 milhões) o assustou e, ciente da política do clube, nem sequer passou o nome ao presidente Juvenal Juvêncio.

– Sei que aqui não fazem essas loucuras, porque não temos investidores – disse, ao LANCENET!.

Em conversas com o amigo Cuca, Milton fez elogios a Montillo. E, ao contrário do Sampa, o Cruzeiro foi atrás do argentino aproveitando-se da parceria com o banco BMG, que bancou integralmente o valor da compra de 100% dos direitos econômicos do meia, que assinou contrato por cinco anos.

Essa não foi a primeira vez que o Tricolor “fechou a mão” e perdeu um jogador do nível do cruzeirense. Quando estava no clube, o técnico Muricy Ramalho pediu por diversas vezes a contratação de Conca, mas os altos valores também nunca animaram a diretoria.

– Fazemos, eventualmente, investimentos assim. Fizemos um ainda maior com Dagoberto – disse Leco, vice-presidente de futebol.

Cifras como as que foram pagas pela contratação de Cleber Santana, que, por opção técnica, não fez nenhum jogo com Carpegiani. Para tirá-lo do Atlético de Madrid (ESP), foram pagos R$ 3,5 milhões por apenas 50% dos direitos econômicos e contrato até 2012. Já os “caros” Conca e Montillo brigam pelo prêmio de craque do campeonato, com média de nota 6,7 na Seleção do Campeonato do LANCE!.

Na quarta-feira, o Sampa reencontra o cruzeirense Montillo, que estreou pela Raposa contra o Tricolor, no jogo de ida. Aos são-paulinos, a sensação é a de que um grande jogador escapou.

Bate-Bola com Milton Cruz

LANCENET!: Quando observou Montillo?
MILTON CRUZ: Ele começou a me chamar a atenção na Libertadores. Fui atrás dos valores e pediam US$ 3,5 milhões. Nem levei para Juvenal, pois sei que aqui não se faz essas loucuras, não temos investidores. Cuca me ligou e comentei com ele.

LANCENET!: Indicou para o Cuzeiro?
MILTON CRUZ: Cuca disse que também tinha o observado, coincidentemente. Temos um gosto parecido. E o Cruzeiro tem seus investidores.

LANCENET!: Mas como se sente por ter acertado na análise do jogador?
MILTON CRUZ: Fico feliz, tenho bons olhos, não é?! (risos). É bom saber que a minha aposta daria certo.

LANCENET!: E o que está achando do futebol que ele está apresentando? É um dos melhores jogadores do Brasileirão, concorda?
MILTON CRUZ: Montillo é um bom jogador, um meia argentino. Só eles é quem sabem fazer meias. O futebol brasileiro não faz mais. É difícil encontrar meias com muita dinâmica, só o Santos que tem o Ganso, os outros times não têm ninguém. Vai muito de época, de formar vários jogadores da mesma posição. Tem época que se forma vários laterais-direitos, vários laterais- esquerdos. É difícil ter jogadores como Conca e Montillo, meias que sabem armar e que, com a mesma qualidade, tem poder de marcação.

novembro 2, 2010 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | | Deixe um comentário

Sem estrear, Possebon vira ‘artigo de luxo’ no Santos

Há mais de dois meses no clube, volante ainda não estreou, mas garante estar 100% fisicamente

Arouca está machucado, mas Marcelo Martelotte opta por Danilo, lateral-direito de origem, para a função. E Rodrigo Possebon? Mais de dois meses após ser anunciado, o volante ainda não conseguiu estrear. Difícil de explicar!

Tão misterioso quanto o seu anúncio, em 19 de agosto, é o seu ciclo no Santos. Desde que chegou, colocado por empresários no clube, com o aval de Dorival Júnior, após passagem pelo Manchester United (ING), Possebon limitou-se apenas a jogos no Sub-23.

O problema, incrivelmente, não é mais físico.

O meio-campista chegou bem fisicamente, se queixando, apenas, da falta de ritmo de jogo. Em boa condição, tem feito mais trabalhos coordenativos, de agilidade.

– Estou 100%, pois fiz um bom trabalho de pré-temporada. Claro que ainda preciso de algumas partida para render um jogo top – disse, logo em sua apresentação.

Desde então, somente treinos. Possebon sequer chegou a ser relacionado para alguma partida. O volante foi uma indicação de Fernando Silva, consultor de futebol do clube, responsável por negociações.

Pouco conhecido, já que saiu ainda cedo do país – era uma das grandes revelações do Internacional –, foi aprovado após um DVD, analisado pelo consultor.

Possebon se defende, garante estar “tranquilo” e diz que passa por um período de redaptação.

– Eu joguei três anos na Europa e de uma hora para outra vou me readaptar? Não sou robô, precisarei trabalhar – explicou.

A lista de relacionados para a partida contra o Vitória ainda não foi divulgada. Rodrigo Possebon garante estar bem fisicamente, mas admite que precisaria de tempo.

– Não estou com ritmo de jogo, isso só viria com o tempo. Fisicamente estou bem – completou.

Seu ciclo no clube é misterioso. Quando a torcida conhecerá de verdade o potencial da contratação?

Volante pode não ficar em 2011

Logo na chegada de Rodrigo Possebon, a diretoria santista explicou que o volante foi contratado por meio de empresários.

Possebon assinou contrato até agosto de 2014 e o Santos ficou com 30% de seus direitos econômicos.

Na ocasião, Luis Álvaro Ribeiro não quis revelar os outros investidores. OLANCE!NET apurou que a Maxima Sport, de Renato Cemin e Fabiano Soares, são os detentores dos outros 70% dos direitos.

O Peixe possui preferência na compra de mais 25%, por 550 mil euros (1,2 milhão), mas, sem se quer estrear, pode ficar sem o volante em 2011.

– Se não acontecer nada até o fim do ano, pode ser difícil. Ele está bem por enquanto – disse Fabiano Soares.

O ciclo de Possebon:

19 de agosto
Volante é anunciado como reforço.

20 de agosto
Atleta faz seu primeiro treinamento pelo Peixe, no CT Rei Pelé.

23 de agosto
Volante é apresentado oficialmente como jogador do Santos e diz: “Estou pronto. Não vejo a hora de jogar”. Na ocasião, gerente de futebol Jamelli não revelou quem era o investidor que o adquiriu e repassou ao Peixe.

15 de setembro
Atleta “estreia” pelo Santos, em partida preliminar que o Peixe perdeu por 1 a 0 para o Avaí, na Vila Belmiro, pela Copa sub-23. Titular durante os 90 minutos, teve atuação apagada. Marcelo Martelotte comandou o time.

2 de novembro
Passados quase dois meses e meio desde a sua apresentação, volante ainda não estreou pelo Santos.

novembro 2, 2010 Posted by | Santos | , | Deixe um comentário

Invicto desde 2008, Verdão se sente em casa na Arena da Baixada

Nesta temporada, Alviverde conquistou vaga nas quartas de final da Copa do Brasil no estádio

Se adotou Barueri para mandar seus jogos do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras bem que poderia ter escolhido outra Arena como sua casa. E essa fica em Curitiba. Pelo seu retrospecto longe de São Paulo no Brasileirão e o desempenho nos últimos anos no temido estádio do Atlético-PR, os palmeirenses têm tudo para se dar bem na partida de quinta-feira à noite.

Jogar na Arena da Baixada sempre foi um problema para o Verdão. Mas até 2007. Desde o dia 16 de setembro daquele ano, quando saiu derrotado por 2 a 1, pelo Nacional, a equipe não sabe o que é tropeçar no local. Desde então, foram outros três encontros, com uma vitória e dois empates. A última igualdade aliás, neste ano, valeu a vaga nas quartas de final da Copa do Brasil.

Se não bastasse essa invencibilidade, o Alviverde tem mostrado um desempenho muito bom quando atua fora de cidade de São Paulo. A última derrota longe da capital paulista foi em 18 julho, bem na estreia de Felipão no banco de reservas. Em duelo contra o Avaí, o time perdeu por 4 a 2, em Florianópolis. Desde então, foram 11 compromissos, com quatro triunfos e sete empates.

– Esse jogo é chave para a gente. Se conseguirmos a vitória, vamos para cima do Guarani (domingo). Assim, começamos a brigar no Campeonato Brasileiro também. Nosso maior objetivo é o título da Sul-Americana. Mas não pode esquecer o Brasileiro – disse o atacante Kleber, que não viaja para Curitiba por estar suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Se ainda luta por uma vaga na Copa Libertadores de 2011 pelo Nacional, o Palmeiras tem a obrigação de passar pelo Atlético-PR. Atualmente, as equipes estão empatadas com 47 pontos, mas os paranaenses levam vantagem no critério de desempate. Logo, a vitória representa não só a manutenção da invencibilidade como a queda de um rival direto.

No segundo turno, o Verdão não tem obtido bons resultados contra os times que lutam pela Libertadores. A única vitória foi contra o Grêmio. Depois, perdeu para Corinthians e São Paulo, e empatou com o Botafogo. Então, a Arena da Baixada é o lugar ideal para mudar a situação.

Bons motivos para vencer na Arena

Jejum atleticano
O Atlético-PR não vence o Palmeiras pelo Campeonato Brasileiro desde o dia 16 de setembro de 2007. Em jogo válido pelo segundo turno da competição, o Furacão fez 2 a 1 no Verdão. Desde então, foram cinco partidas, com quatro vitórias palmeirenses e um empate.
Assim, o Alviverde é o time com a melhor sequência diante dos paranaenses no Brasileirão. Isso sem contar que nas últimas partidas na Arena da Baixada, os paulistas ganharam uma e empataram duas.

Sem perder fora de São Paulo
A última derrota do Palmeiras longe da cidade de São Paulo no Campeonato Brasileiro foi no dia 18 de julho. Na partida que marcou a estreia de Felipão no banco de reservas, o Alviverde perdeu para o Avaí por 4 a 2, em Florianópolis. Desde então, foram 11 partidas, com quatro vitórias e outros sete empates.
Nesse período, o único tropeço do Verdão como visitante no Nacional foi diante do Corinthians. No dia 24 de outubro, os palmeirenses perderam por 1 a 0, mas o jogo aconteceu no Pacaembu.

Reviravolta na Arena

Antes de 2007
Até o fim 2007, o Verdão não sabia o que era vencer na Arena. Em seis jogos, foram quatro derrotas e dois empates, e só um gol marcado.

2008
Com dois gols de Diego Souza, o Alviverde acabou com o jejum em 31 de agosto e venceu por 2 a 1. Desde então, foram só alegrias na tão temida Arena da Baixada.

2009
Pelo Brasileirão, as equipes empataram em 2 a 2, no dia 20 de junho. Obina e Keirrison marcaram.

2010
Os times se enfrentaram pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Após vencer em casa na ida por 1 a 0, o Verdão se classificou na Arena ao empatar em 1 a 1, gol de Lincoln.

novembro 2, 2010 Posted by | Palmeiras | , | Deixe um comentário

Um Brasileirão com cara de pré-temporada ao Inter

Classificado para o Mundial de Clubes, Colorado não tem bom índice quando o assunto é gol marcado

O elenco é de primeiríssima qualidade. O time acabou de se sagrar bicampeão da Copa Libertadores. Em menos de um mês estará disputando o Mundial de Clubes da Fifa. Com esse cenário, fica difícil focar no Campeonato Brasileiro, que acaba servindo como preparação para a competição onde o Colorado vai buscar seu bicampeonato mundial.

Entretanto, ao analisar o número de gols que o time marcou no Campeonato Brasileiro, a luz de alerta liga no Beira-Rio. Com 38 gols marcados, o Colorado figura apenas em 12º entre os times que mais marcaram gols.

Mesmo com poucos gols, a equipe se mostra coesa na divisão dos gols, já que 17 jogadores comemoraram seus gols com a consagrada camisa vermelha do Sport Club Internacional.

Os destaques ficam por conta do atacante Alecsandro. Com nove gols no campeonato, ele é o principal artilheiro da equipe. Dos seus pés, sete gols saíram dentro das áreas dos adversários. Com mais dois pênaltis convertidos, chega-se aos nove gols do atacante.

Outros dois destaques são os jovens Giuliano e Leandro Damião. Ambos marcaram gols na final da Copa Libertadores e repetiram boas atuações nos gramados brasileiros. Com nove gols juntos, o Colorado está bem servido de bons jovens.

Um número que chama atenção no Internacional, próximo adversário do Fluminense, é como o time cresce no segundo tempo. Na primeira etapa, o time marcou 13 gols. Número que quase dobra na segunda etapa: foram 25, até então.

Confira aqui como saíram os 38 gols do Internacional no Brasileirão-2010:

Internacional 38 gols (12º melhor)
Gols em casa 22
Gols fora de casa 16
Gols no 1º tempo 13
Gols no 2º tempo 25
Gols de cabeça 8
Gols de perna direita 21
Gols de perna esquerda 9
Gols dentro da área 28
Gols fora da área 5
Gols de falta 1
Gols de pênalti 4

novembro 2, 2010 Posted by | Internacional | | Deixe um comentário

Jonas é o coração do Grêmio que ressuscitou no Brasileirão

Artilheiro da competição com 20 gols, Jonas levou o Grêmio para uma escalada na tabela de classificação

Ainda restam 6 rodadas, mas Jonas, com 20 gols, oito a mais do que Bruno César, segundo jogador que mais gols fez, é candidato forte para se sagrar artilheiro de uma edição do Campeonato Brasileiro.

Foi dos pés do atacante que o Grêmio, comandado por Renato Gaúcho, ressucitou na competição e ainda almeja uma vaga na Copa Libertadores da América, título que pertence ao arquirrival Internacional.

Jonas, neste campeonato, fez gol de todas as maneiras. Gol de cabeça foram dois. Com o pé direito foram mais 12. Com o pé esquerdo, outros seis. 12 dentro da área. Três de fora da área. Dois de falta e outros três de pênalti. Um ano realmente iluminado para o camisa 7 gremista que um dia foi chamado de pior atacante do mundo.

É de Jonas a culpa pela grande diferença de gols entre os setores da equipe gremista. Somados, meias e jogadores de defesa não conseguem bater a marca individual do atacante.

Um detalhe curioso do artilheiro é que Jonas marcou 10 gols em cada etapa. Foram dez no primeiro tempo e os outros dez saíram na etapa final.

Para alcançar o objetivo que é uma vaga na Copa Libertadores, além de Jonas, o Grêmio aposta na força da dupla André Lima-Douglas. Juntos, foram mais 9 gols, sendo 7 deles no Estádio Olímpico, casa gremista.

Apostando em seu ataque, o quarto melhor do Brasileirão, Renato Gaúcho espera que o Grêmio faça história e saia da zona de rebaixamento direto para a principal competição da América do Sul, assim como fez o Flamengo em 2007.

Confira aqui como saíram os 52 gols do Grêmio no Campeonato Brasileiro de 2010:

Grêmio 52 gols (4º melhor)
Gols em casa 20
Gols fora de casa 11
Gols no 1º tempo 16
Gols no 2º tempo 15
Gols de cabeça 5
Gols de perna direita 15
Gols de perna esquerda 11
Gols dentro da área 22
Gols fora da área 3
Gols de falta 3
Gols de pênalti 3

novembro 2, 2010 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Bota e Flu aprendem lição e viram exemplos

Na luta pelo título, Fluminense e Botafogo destacam nova rotina carioca: saber jogar o Brasileiro

Em novembro de 2009, Fluminense e Botafogo passavam por batalha que serviu como lição. A improvável fuga do rebaixamento de ambos resultou em planejamento e, um ano depois, a dupla tenta repetir o feito do Flamengo: ser campeão brasileiro nos pontos corridos. Aos poucos, os cariocas começam a ser personagens comuns na parte superior da tabela, resultado de um pensamento inteligente.

Diante de campanhas exemplares, Flu e Bota mostram pequenas mudanças que fizeram a diferença. Nos dois casos, os técnicos foram mantidos como peças importantes nas filosofias de trabalho. Assim como Andrade foi a cara do Fla em 2009, Muricy Ramalho e Joel Santana apontam onde os times pensam. Nos casos, o título.

Para dentro das quatro linhas, mais mudanças. Os rivais enfrentaram problemas por lesões e passaram por cima das dificuldades com um elenco de qualidade. No Bota, Joel destaca que não existem titulares e reservas. Já Muricy sabe trabalhar com as peças que tem.

A fórmula parece simples, mas a lista não conta com contratações equivocadas e salários atrasados.

Se não dá para erguer um moderno CT de um dia para o outro, por exemplo, resta aproveitar fatores mínimos para levar vantagem.

– Lógico que é bom um clube proporcionar estrutura, mas também acho que se deve saber jogar o Brasileiro. O campeonato é equilibrado e precisamos usar nossos trunfos – disse Carlinhos, lateral-esquerdo tricolor.

Para o presidente do Botafogo, Mauricio Assumpção, o clube ainda não chegou ao ideal, mas sabe quais são os passos para continuar firme entre os primeiros no futuro:

– Com um planejamento maior, servido por centro de treinamento e divisões de base, o clube vai estar sempre nas cabeças. Sem isso, o topo pode virar apenas algo eventual – afirmou.

EQUIPES CARIOCAS NA ERA DO BRASILEIRO 2003 

8° Flamengo

17° Vasco

19°Fluminense

*Botafogo

2005 

5° Fluminense

9° Botafogo

12° Vasco

15° Flamengo

2007 

3° Flamengo

4° Fluminense

9° Botafogo

10° Vasco

2009 

1° Flamengo

15° Botafogo

16°Fluminense

*Vasco

POR PONTOS CORRIDOS 

* JOGOU A SÉRIE B

2004 

9°Fluminense

16° Vasco

17° Flamengo

20° Botafogo

2006 

6° Vasco

11° Flamengo

12° Botafogo

15°Fluminense

2008 

5° Flamengo

7° Botafogo

14°Fluminense

18° Vasco

2010 

????????

????????

????????

????????

novembro 2, 2010 Posted by | Botafogo, Fluminense | | Deixe um comentário

Com Luxa, Fla melhora parte física. Mais fôlego na reta final?

Rubro-Negro chega bem preparado para encarar as seis decisões que restam neste Campeonato Brasileiro

No Flamengo, o discurso é unânime: o clube terá seis decisões até o fim do Brasileiro. À torcida, cabe prender a respiração e ter muito fôlego, o que não tem faltado ao grupo rubro-negro. Visivelmente melhores na parte física, os jogadores chegam à reta final em boas condições para dar uma arrancada e conseguir a vaga na Sul-Americana.

Durante muito tempo, o time foi criticado pela condição física inferior à dos demais. Jogadores como Renato, Deivid, Val Baiano e Diogo viraram alvo da ira dos torcedores devido ao mau condicionamento. Mas isso não é mais um problema, conforme garante o preparador do clube, Antônio Mello.

Segundo ele, o Flamengo chega à fase decisiva da competição muito bem fisicamente. E mais. Ao contrário da maioria, está em trajetória de crescimento nesse aspecto.

– Estamos numa crescente e a tendência é a de que o time, a cada jogo, apresente um melhor condicionamento – avaliou ele.

Mello chegou ao clube no começo de outubro. De lá para cá, aponta uma grande evolução física do elenco. O profissional, no entanto, faz questão de não colocar na conta de seus antecessores o mau rendimento do time nesse quesito, e atribui a melhora ao tempo maior para preparar os jogadores, uma vez que a tabela do campeonato, com menos jogos, permitiu isso.

– Trabalhamos muito a parte anaeróbia e intensificamos os treinos de força e velocidade – disse.

Se é preciso correr para fugir de vez do perigo do rebaixamento e alcançar uma posição mais confortável na tabela, gás não vai faltar ao Rubro-Negro.

Evolução tática auxilia parte física

Polido para evitar áreas de atrito, Vanderlei Luxemburgo evitou fazer uma análise mais profunda sobre a evolução da preparação física rubro-negra após a sua chegada e do preparador físico Antonio Mello.

Se evitou comentar o trabalho de seus antecessores, Luxa não se furtou a analisar a evolução tática da equipe com a sua chegada.

– Não gosto de falar do trabalho de pessoas que antecederam a mim e a minha comissão técnica. Além disso, essa questão da forma física é relativa, porque um time precisa, acima de tudo, de equilíbrio entre os setores. Um time mais organizado taticamente também é um time melhor fisicamente – comentou Luxa.

Segundo o treinador, a rodada do fim de semana foi ótima para o Flamengo e a classificação para a Sul-Americana do ano que vem ficou plenamente possível:

– Foi um bom fim de semana. Isso nos obriga a fazer nossa parte agora. É um jogo decisivo e vamos tentar a vitória para buscar a vaga.

Os treinamentos do Flamengo

Academia – Normalmente no dia seguinte aos jogos, o grupo faz trabalho de fortalecimento muscular na academia. Este tipo de trabalho visa mais força muscular.

Físico – Além da academia, jogadores são submetidos a treinos físicos, às vezes antes mesmo dos trabalhos com bola. Exercícios com tração também fazem parte das atividades.

Físico-técnico – Jogadores intercalam treinos com bola, como de finalização, e trabalhos físicos, como saltar obstáculos (foto), correr em linha reta e zigue-zague.

Físico-Recreativo – Espécie de hora do recreio. Nesta parte do treino, jogadores, para trabalhar a musculatura, brincam de briga de galo, corrida de cambalhotas, somente para citar alguns exemplos.

Em Forma Quando Luxemburgo chegou à Gávea, Val Baiano, Deivid, Diogo, Renato e Petkovic estavam fora de forma
Val Baiano Sensação do Grêmio Barueri no Brasileiro do ano passado, Val chegou quatro quilos acima do peso e, por conta disso, ficou dez jogos sem marcar, o que somente ocorreu após a chegada de Luxa.
Deivid Pouco aproveitado no Fenerbahçe, chegou à Gávea visivelmente fora de forma. Ainda não conseguiu empolgar a torcida, mas, três quilos mais magro, mostra boa evolução na parte física.
Diogo Dos últimos contratados, foi o que chegou em melhor condição. Seu melhor condicionamento e a boa atuação contra o Corinthians lhe garantiram a volta ao time.
Renato Desacostumado ao futebol brasileiro, foi um dos que mais sofreram para entrar em forma. Até os gols de falta, sua marca registrada, demoraram para sair. Novamente em forma, tem sido muito útil nesta reta final.
Petkovic O tempo, realmente, é implacável. Destaque na conquista do hexa, saiu vertiginosamente de produção neste ano. Melhor fisicamente, tem sido boa opção no decorrer dos jogos.

novembro 2, 2010 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

Um argentino + dois brasileiros = trio de sucesso

O trio formado por Montillo, Thiago Ribeiro e Wellington Paulista assusta qualquer adversário. E tem outro argentino na área…

Montillo, sete gols. Thiago Ribeiro, seis. Wellington Paulista, outros sete. Juntos, o trio ofensivo titular do Cruzeiro tem 20 gols somados dos 45 que a equipe marcou neste Campeonato Brasileiro.

De quebra, no banco de reservas, prontos para qualquer oportunidade, o argentino Farias e o brasileiro Robert, cada um com três gols assinalados, esperam uma chance de brilhar na equipe comandada por Cuca.

A força ofensiva do Cruzeiro assusta. E talvez seja por isso que o clube esteja lutando cabeça a cabeça com o Fluminense pela ponta do disputado Campeonato Brasileiro de 2010.

Ao analisar os números do Cruzeiro, uma surpresa: Se a bola vem por baixo, Montillo e Thiago Ribeiro se destacam. Com os pés, os dois marcaram 12 dos 13 gols que têm somados.

Se a bola vem pelo alto, Wellington Paulista já marcou quatro vezes de cabeça. Farias e Robert, também deixaram suas marcas de cabeça nas redes adversárias.

O número de gols de cabeça do Cruzeiro é alto em relação aos adversários diretos na luta pelo título. Com 13 gols neste quesito, o clube se destaca contra dez do Corinthians e nove do Fluminense.

No rodízio de jogadores que marcam gols, o Cruzeiro é o time que mais viu jogadores diferentes comemorarem: ao total foram 17 atletas que balançaram as redes adversárias com a camisa azul.

De ponto negativo, o Cruzeiro não marcou nenhum gol de falta no Campeonato Brasileiro.

Confira aqui como aconteceram os 45 gols do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro de 2010:

Cruzeiro 45 gols (5º melhor)
Gols em casa 21
Gols fora de casa 24
Gols no 1º tempo 21
Gols no 2º tempo 24
Gols de cabeça 13
Gols de perna direita 22
Gols de perna esquerda 10
Gols dentro da área 35
Gols fora da área 5
Gols de falta 0
Gols de pênalti 5

novembro 2, 2010 Posted by | Cruzeiro | , | Deixe um comentário

Trio inédito de artilheiros para deixar Timão de Tite ofensivo

Dentinho e Ronaldo, goleadores dos últimos anos, e Bruno César, líder em 2010, atuarão juntos pela primeira vez

Os principais responsáveis pelos gols do Corinthians nos últimos anos estarão juntos pela primeira vez amanhã, no Pacaembu, para dar o espírito ofensivo à equipe comandada pelo técnico Tite.

As lesões impediram que Dentinho (artilheiro da equipe em 2008), Ronaldo (2009) e Bruno César (líder na atual temporada) estivessem à disposição de Mano Menezes e Adilson Batista, antigos treinadores de 2010. Amanhã, com Tite, eles tornam-se as principais apostas de gols alvinegros diante do Avaí.

Gols que, além de garantir a vitória – para tentar alcançar Fluminense e Cruzeiro, três pontos à frente –, podem servir para melhorar o saldo de gols, critério de desempate que pode decidir o título. No quesito, o Corinthians só perde para o Flu (15 contra 20 do rival).

– Vou voltar a fazer gols e dar alegrias à torcida para ajudar o Corinthians – disse Dentinho, que está recuperado após seguidas lesões musculares, em ambas as coxas.

Quando chegou ao clube, Tite não escondeu que a prioridade era arrumar o sistema defensivo. Nos últimos dois jogos (vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, e empate por 1 a 1 com o Flamengo), apenas um gol sofrido. No entanto, o Timão só fez dois gols (média de um por jogo). Com Adilson no comando, o Corinthians fez 32 gols em 17 partidas (média de 1,88). Já com Mano, foram 20 gols em 11 partidas (1,81).

Do trio, Bruno César é a sensação de gols do Corinthians no Brasileirão. Com 12, é o vice-artilheiro. Em um amistoso contra o Comercial-MS, vitória por 6 a 0, ele marcou mais um. Mesmo contratado pelo clube apenas em maio, ele é o artilheiro da atual temporada.

Ronaldo tem nove gols em 2010, apenas três no Brasileiro. Mas foi em 2009 que brilhou: 23 gols em 38 partidas, sendo o artilheiro do time nas duas conquistas (Paulistão e Copa do Brasil) e no Nacional.

Dentinho, neste ano, também tem nove gols, mas ainda não desencantou neste Brasileirão. Em 2008, com 24 gols, ele foi o principal goleador no ano em que o Corinthians chegou à final da Copa do Brasil e conquistou a Série B.

Com o novo trio de frente, Tite pode comemorar: vem gol por aí…

Dentinho

24 gols em 2008
Fez Dentinho, em 58 partidas naquela temporada. Ele foi o principal artilheiro da equipe, que foi vice-campeã da Copa do Brasil e conquistou a Série B do Brasileirão. Na época, o argentino Herrera e o lateral André Santos ficaram atrás dele na artilharia do time.

5 jogos
Está o atacante sem atuar, após lesão na coxa direita. Ele jogou por apenas nove minutos contra o Atlético-MG, antes de sofrer a lesão. Antes, ficou 13 partidas fora por conta de duas lesões, primeiro na coxa direita e, depois, esquerda.

Ronaldo

23 gols em 2009
Fez Ronaldo, o artilheiro do time na temporada. Foram 38 jogos. Sua meta era 30 gols, mas ainda assim ele foi o artilheiro da equipe nos títulos do Paulistão e da Copa do Brasil, e também do Brasileirão. Neste ano, ele marcou apenas nove.

3 jogos
Em sequência, atuando 90 minutos em todos, fez o Fenômeno – contra Guarani, Palmeiras e Flamengo. Sua meta é disputar os próximos seis jogos do Timão, sem ser poupado. Neste Brasileirão, ele disputou apenas seis partidas e já marcou três gols.

Bruno César

13 gols em 2010
Fez Bruno César, artilheiro da atual temporada. Ele fez um na vitória por 6 a 0 sobre o Comercial-MS, em um amistoso, e os outros 12 no Brasileirão, em que ele é o vice-artilheiro, atrás de Jonas, do Grêmio, que marcou 20.

2 jogos
O meia ficou fora recentemente, por conta de uma lesão muscular na parte posterior da coxa direita. Nestes duelos, o Corinthians não conseguiu fazer gol: derrota por 2 a 0 para o Vasco e empate por 0 a 0 com o Guarani. Quando voltou, ele marcou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, no Pacaembu.

Os desencontros do trio na temporada de 2010

Lesão de R9
Ronaldo atuou na estreia do Brasileirão, na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-PR, em 9 de maio. Durante um treino, ele sofreu um estiramento na panturrilha direita. Bruno César, na época recém-contratado, foi só estrear no dia 26, no empate por 2 a 2 com o Grêmio-PP. Dentinho estava no ataque, com Souza e Defederico.

A vez de Dentinho
No dia 8 de agosto, em duelo contra o Flamengo, Dentinho sofreu uma lesão na parte posterior da coxa direita. Quando estava prestes a retornar, em um treino, acabou lesionando a outra coxa. Semanas depois, no dia 29 de agosto, Ronaldo voltou a jogar, contra o Vitória, no Pacaembu. Apenas Bruno César estava em campo, e o Timão venceu: 2 a 1.

De novo, Ronaldo
Dias depois do duelo contra o Vitória, o atacante começou a reclamar de dores na panturrilha esquerda. Foi constatado um edema, que demorou a sarar. Neste meio tempo, Dentinho recuperou-se da lesão na coxa esquerda. Ele voltou contra o Atlético-MG, em Sete Lagoas (MG), mas atuou por apenas nove minutos e lesionou-se de novo. Desta vez, o problema era novamente a coxa direita. Bruno César estava em campo.

Bruno sentiu a coxa
O meia sofreu uma lesão na parte posterior da coxa direita e ficou fora das partidas contra Vasco e Guarani. Esta última marcou o retorno do Fenômeno aos gramados. Contra Palmeiras e Flamengo, os dois atuaram juntos.

novembro 2, 2010 Posted by | Corinthians | | Deixe um comentário

Torcida lota General Severiano e apoia na reta final

Cerca de 400 torcedores foram a sede do clube incentivar os jogadores. Lucio Flavio foi o mais ovacionado

Estiveram presentes em General Severiano cerca de 400 torcedores do Botafogo apoiando o clube para a reta final do Brasileiro. Todos os jogadores tiveram foram aplaudidos. Ao contrário da semana passada quando vieram cobrar maior empenho, a torcida mostrou-se totalmente ao lado do time, cantando o hino a todo momento. Lucio Flavio, bastante criticado nos últimos jogos, foi o mais contemplado.

A emoção ficou por conta de Maicosuel, que estava na academia com Fábio Ferreira e teve seu nome gritado. O apoiador ficou emocionado e agradeceu. Maicosuel, Fábio Ferreira e Herrera só retornam ao time na próxima temporada devido a lesões.

O torcedor Nélio Ferreira, um dos presentes na sede do clube, mostrou confiança no título.

– Sempre pensamos em ser campeão. Apesar dos percalços, a expectativa é de conseguirmos o título. O Joel confia na estrela dele e traz a sorte que precisamos para chegar lá – comentou o torcedor.

O Botafogo joga contra o Atlético-GO na próxima quarta-feira, às 19h30, no Engenhão

novembro 2, 2010 Posted by | Botafogo | | Deixe um comentário

Galo treina com Edison Méndez no meio de campo

Treinador atleticano comandou treino tático na manhã desta terça-feira e colocou o equatoriano na vaga de Renan Oliveira

O técnico Dorival Júnior comandou treinamento tático nesta manhã na Cidade do Galo e praticamente definiu a equipe que enfrentará o Guarani, nesta quarta-feira, às 19h30, no Brinco de Ouro, em Campinas, pela 33ª rodada do Brasileirão.

A principal novidade foi a presença do volante Edison Méndez na formação principal. O equatoriano entrou na vaga de Renan Oliveira, ao que tudo indica, por opção do treinador, já que o meia participou de trabalhos de finalização.

O zagueiro Werley e o volante Zé Luis estão de volta ao time depois de cumprirem suspensão automática por três cartões amarelos na rodada passada. Com Serginho suspenso, Dorival Júnior confirmou as expectativas e colocou Alê.

O provável Atlético-MG para o duelo contra o Guarani: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Réver, Werley e Leandro; Zé Luis, Alê, Méndez e Diego Souza; Diego Tardelli e Obina.

Além dos titulares, o comandante alvinegro relacionou mais oito jogadores para a viagem a Campinas, que acontece nesta tarde. Confira os escolhidos:

Goleiros: Renan Ribeiro e Aranha
Laterais: Rafael Cruz, Leandro e Fernandinho
Zagueiros: Réver, Werley e Lima
Volantes: Alê, Zé Luis, Jataí e Méndez
Meias: Diego Souza, Renan Oliveira e Nikão
Atacantes: Diego Tardelli, Obina, Neto Berola e Ricardo Bueno

novembro 2, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário