Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Atlético-MG vence vários obstáculos e volta da Colômbia classificado

Mesmo perdendo por 1 a 0, Galo garante vaga nas quartas de final da Sul-Americana

Foi no sufoco. E meio sem ar. Mas o importante é que o Atlético-MG superou a pressão do Santa Fe, a altitude colombiana e o fato de ter levado apenas três jogadores para o banco de reservas e saiu de Bogotá com a classificação garantida para as quartas de final da Copa Sul-Americana. O Galo perdeu para o Cardeal por 1 a 0, gol de Félix Noguera, e como venceu o jogo de ida por 2 a 0, em Sete Lagoas, saiu de campo classificado. Agora tem pela frente provavelmente o Palmeiras, que pode empatar com o Sucre, da Bolívia, para ficar com a vaga.

Antes, porém, o Atlético tem um compromisso importantíssimo. Encara seu maior rival, o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro, domingo, às 18h30m (de Brasília), no Parque do Sabiá, em Uberlândia. Ao Santa Fe, resta o Campeonato Colombiano, do qual é líder e já garantido na próxima fase. O próximo adversário é o Deportivo Cúcuta, em Cúcuta.

Falta de talento comlombiano

Como era previsto, o Santa Fé começou quente em cima do Atlético, pois já entrou em campo perdendo por 2 a 0. O Galo visivelmente poupava energias, pois atuava na altitude de 2.640m acima do nível do mar e só tinha dois jogadores de linha no banco de reservas.

A pressão colombiana foi aumentando com o passar do tempo. O Santa Fé chegou a abrir o placar, aos 10 minutos, com Seijas, mas o gol foi corretamente anulado. Anchico, Otálvaro e Rodas tentaram chutes ao gol e levaram muito perigo a Renan Ribeiro.

O maior problema do Galo era não segurar a bola no campo de ataque. Méndez e Diney erravam muitos passes e os laterais Diego Macedo e Fernandinho eram figuram de decoração até aquele momento.

O ânimo do time colombiano foi arrefecendo em torno dos 30 minutos, mas o Galo não soube se aproveitar do bom momento e o Santa Fé novamente cresceu no jogo.

Os colombianos seguiram pressionando, mas não tiveram competência para abrir o marcador. O jogo se arrastou moroso até o final do primeiro tempo, num 0 a 0 que acabou sendo justo, pelo pouco poder de finalização do Santa Fé.

Gol e pressão

O Santa Fé voltou para o abafa no segundo tempo, pois o resultado, em hipótese alguma, lhe interessava. O time de Bogotá perdeu duas boas chances antes do 10 minutos, ambas originárias de bolas alçadas na área.

Os colombianos seguiram pressionando e tentando a jogada aérea. Aos poucos, o Galo foi conseguindo se equilibrar em campo, o que forçou o Santa Fé a buscar outras alternativas de ataque. E foi aí que conseguiu achar o gol.

Aos 15 minutos, o lateral esquerdo Félix Noguera arrancou da defesa e acertou um belo chute de fora da área. A bola foi no cantinho direito, sem chances de defesa para Renan Ribeiro.

O gol incendiou de vez o El Campín e a torcida passou a incentivar o Santa Fé ainda mais ostensivamente. O time colombiano partiu pra cima, mas começou a dar espaços para os contra-ataques do Atlético.

Fui num lance assim, que o Galo quase empata, cinco minutos depois. Fernandinho arrancou livre pela esquerda e errou na hora de fazer o cruzamento. O goleiro Agustín Júlio saiu bem e fez a defesa.

A pressão do Santa Fé persistia e o Atlético se defendia de todas as maneiras possíveis e imagináveis com chutões pro lado, inclusive. O mais dramático neste momento do jogo é que o fôlego dos brasileiros parecia ter chegado ao fim e os contra golpes acabaram.

Dos 30 minutos em diante, a principal figura do jogo passou a ser o goleiro Renan Ribeiro que, em pelo menos três ocasiões, salvou a pátria do Galo.

O jogo caminhou dramático até o final, mas o Santa Fé não conseguiu o gol que o classificaria. Os jogadores do Atlético comemoraram muito uma classificação suada, conquistada à base de muita raça e pouco ar nos pulmões.

SANTA FE 1 X 0 ATLÉTICO-MG
Agustin Julio; Sergio Otálvaro, Carlos Valdés, Jhonier González e Félix Noguera (Efrain Viáfara); Yulián Anchico, Daniel Torres, Mário González (Alejandro Bernal) e Luís Seijas; Christian Nazarith e Oscar Rodas (Néstor Salazar). Renan Ribeiro; Cáceres, Lima e Jairo Campos; Diego Macedo, Alê, Méndez, Diney e Fernandinho; Ricardo Bueno (Fabiano) e Neto Berola (Jheimy).
Técnico: Nestor Otero Técnico: Ivan Izzo
Gol: Félix Noguera, aos 15 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Mário González, Jhonier González e Daniel Torres (Santa Fé); Renan Ribeiro, Alê, Ricardo Bueno e Lima (Atlético-MG)
Local: Estádio El Campín, em Bogotá (Colômbia). Data: 20/10/2010
Árbitro: Carlos Vera (Equador). Auxiliares: Marco Muzo (Equador) e Carlos Herrera (Equador)

outubro 20, 2010 - Posted by | Atlético-MG, Futebol Sulamericano |

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s