Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Após dois dias de molho, Montillo treina e deve enfrentar o Grêmio

Jogador está recuperado de uma contratura muscular na panturrilha direita

Boa notícia na Toca da Raposa! O Cruzeiro terá seu principal jogador contra o Grêmio ,neste domingo. O meia Walter Montillo treinou normalmente nesta sexta-feira e deve ter presença confirmada para a partida em Porto Alegre. Poupado dos últimos dois dias de treino, o argentino era dúvida por causa de uma contratura muscular na panturrilha direita.

Além de Montillo, o técnico Cuca terá outro reforço para a posição. Gilberto poderá voltar ao time após quase três meses longe dos gramados. A última partida do meia foi contra o Fluminense em julho, pela 10ª rodada. Ele deve ser opção para o banco.

Se o meio-campo estará reforçado, a defesa terá alguns desfalques. Caçapa e Diego Renan não se recuperaram e serão substituídos por Léo e Pablo respectrivamente.

outubro 15, 2010 Posted by | Cruzeiro | , | Deixe um comentário

Dorival Júnior tenta motivar os jogadores para o desafio de domingo

Treinador deve promover mudanças, e Fernandinho é a novidade no meio

Treino e conversa. Assim foi a manhã do Atlético-MG nesta sexta-feira. O time enfrentará o Avaí, no próximo domingo, às 16h (de Brasília), em Sete Lagoas, no que está sendo considerado o ‘jogo do ano’ para as pretensões do Galo. Se vencer, poderá deixar a zona de rebaixamento. Se perder, agravará ainda mais a situação.

O técnico Dorival Júnior fez uma atividade com os jogadores de linha e, se depender da formação escolhida por ele, muitas mudanças ocorrerão em relação ao time que começou jogando na quarta-feira, diante do Santa Fé, da Colômbia, pela Copa Sul-Americana. A equipe foi formada por Rafael Cruz, Werley, Réver e Eron; Zé Luis, Serginho, Fernandinho e Diego Souza; Obina e Daniel Carvalho. Os goleiros fizeram trabalho à parte. Eron foi o titular da lateral esquerda, enquanto Fernandinho foi deslocado para o meio. Réver treinou no lugar de Lima, poupado devido a dores musculares. Além dessas mudanças, Zé Luis, que foi substituído pelo jovem Diney no jogo de quarta-feira, e Daniel Carvalho, poupado por conta de uma contusão na mão, também figuraram entre os titulares.

Fernandinho, que começou o jogo com o Santa Fé na lateral, treinou no meio-campo, sua posição de origem. Ele revelou que, pela formação, ele e Serginho terão a função de sair mais para o jogo, enquanto Zé Luis ficará mais recuado, dando o primeiro combate. Uma função que o agrada mais do que se fosse escalado na lateral, devido às atuais condições físicas.

– Fiquei um mês e meio parado, e é sempre complicado voltar e ser muito exigido, como acontece na lateral, onde temos de dar piques de 70 metros e, em seguida, voltar para marcar. Como meu condicionamento ainda não é o ideal, prefiro voltar jogando no meio. E quando voltar a ter pulmão, poderei voltar à lateral.

Esse revezamento de funções não incomoda Fernandinho. Ele lembrou que atuou nas duas posições durante os dois anos e meio em que defendeu o Cruzeiro. O então técnico Adilson Batista apostava na versatilidade do jogador sempre que fosse preciso.

– No futebol de alto nível, hoje em dia, os treinadores gostam de jogadores versáteis. E como o Dorival quer hoje uma equipe que tenha saída de bola mais rápida, acredito que essa formação é a ideal.

Papo

Após o treino, o técnico Dorival Júnior reuniu o grupo e teve uma conversa de aproximadamente 15 minutos. Fernandinho contou que, dentre os assuntos, foi feita uma breve análise da situação do Atlético-MG, além da importância da vitória no domingo e, também, a valorização de cada atleta do elenco.

– Tem horas que uma boa conversa é melhor que treinamento. Ele passou aquilo que nós já temos consciência, de que esse jogo é o mais importante do campeonato. Falou dos bons jogadores que temos, destacou a melhora que nossa equipe teve, mas lembrou que ainda falta muito ainda. Afinal, não adianta vencer um ou outro, pois ainda precisamos de uma sequência de três vitórias seguidas que não tivemos em 27 rodadas.

outubro 15, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Para gremistas, não há ninguém melhor no Campeonato Brasileiro

Segundo Renato Gaúcho e Douglas, Grêmio está no mesmo patamar dos demais

Tempo perdido. Esta é, para os profissionais do Grêmio, a diferença entre a equipe e os concorrentes acima na tabela do Brasileirão 2010. Não há, segundo o técnico Renato Gaúcho e o meia Douglas, ninguém melhor que o Grêmio. Nem pior.

O problema, segundo o jogador, foi a má campanha no primeiro turno:

– Nenhum time é melhor, está tudo nivelado. Alguns aproveitaram mais, outros menos, mas não tem ninguém melhor do que a gente. (…) A gente não pode mais lamentar. Sabemos que no primeiro turno deixamos a desejar, perdemos muito ponto em casa. A nossa confiança voltou, a nossa motivação voltou. Jogar contra o líder é sempre importante, vai ser bem disputado, a gente tem a possibilidade de vencer novamente, então vamos procurar dar sequência para começar a subir na tabela de novo – disse Douglas, referindo-se ao confronto de domingo, contra o líder Cruzeiro.

Renato concorda com o meio-campista. Para o treinador, o Grêmio ‘acordou tarde’ no campeonato.

– Não vejo nenhum time melhor do que o Grêmio. Mas também não vejo nenhum abaixo.

Tudo está nivelado. (…) Estamos acordando tarde no campeonato, as outras equipes acordaram cedo. Agora a gordurinha deles está diminuindo. Por isso que eu digo, a luz no final do túnel está acendendo. Antes não tinha nem túnel, nós que abrimos.

Mas o técnico gremista lembra algo importante. Um título já foi conquistado. Fugir do rebaixamento.

– O Grêmio já ganhou um título este ano, o de não ter sido rebaixado. Pode ter certeza, porque a coisa estava feia.

outubro 15, 2010 Posted by | Grêmio | , | Deixe um comentário

Roth celebra fim da maratona, mas assegura: ‘O trabalho continua’

Técnico pretende manter o Inter na briga pelo Brasileiro sem deixar de lado o foco no alto desempenho pelo Mundial

Nem a derrota para o Santos, que tirou o Internacional do G-4, nem o foco inquestionável do clube pelo Mundial de Clubes são motivos para que Celso Roth jogue a toalha no Brasileirão. O Colorado está na quinta posição, com 47 pontos, a sete pontos do líder Cruzeiro e, finalmente, terá um período para treinar.

Realizando rodízio constantemente para poupar seus atletas da maratona de jogos da Libertadores e, depois da Copa do Mundo, dos confrontos do Brasileiro no meio e aos finais de semana, o elenco gaúcho pode se considerar vitorioso após superar essa fase desgastante. Depois da próxima rodada, em que encara o Flamengo, no Engenhão, neste sábado, às 18h30m, o Inter só terá jogos aos finais de semana, mas a ideia de conservar os atletas para o Mundial permanece.

– Manteremos a mesma postura que vínhamos tendo, e seguiremos com ela até o final: podemos ter jogadores convocados outra vez para seleções, ou mesmo se jogadores apresentarem qualquer indício de lesão, estão fora por pelo menos 30 ou 40 dias. Nos encaminhamos para 50 dias do Mundial e temos que nos preocupar especialmente com a questão física dos jogadores. Não é só não ter dor: ele tem que poder treinar – defendeu o técnico.

Apesar do descanso da reta final do campeonato servir para todos os clubes que disputam o Nacional, Roth chamou a atenção para os que disputam a Copa Sul-Americana.

– Não são todos os times que terão essa condição, pois têm alguns na Sul-Americana. E, mesmo assim, os outros não tiveram a mesma carga de jogos que o Inter. Estamos apostando não só no título Brasileiro, que é nosso foco, sim, mas visamos ter alto desempenho para chegar ao final do ano e termos todos os jogadores em condições de disputar o Mundial. Estamos dentro do nosso planejamento, que iremos seguir, independente dos resultados. O trabalho continua.

outubro 15, 2010 Posted by | Internacional | , | Deixe um comentário

Sábado será dia de mais protesto no Timão. Treino será aberto à Fiel

Diretoria mudou o treinamento para o Parque São Jorge e vai deixar a torcida entrar para cobrar ainda mais o elenco alvinegro

O próximo protesto da Fiel contra o mau momento do Corinthians no Campeonato Brasileiro já tem data, local e hora marcados. Será neste sábado, às 9h30m, no Parque São Jorge. Excepcionalmente, o treino voltará a ser no clube. A justificativa é que a medida tem como ideia aproximar a torcida do elenco.

Depois de seis jogos sem vencer e a queda para a terceira colocando, ficando mais longe da briga pelo título, o dia foi quente no Parque Ecológico na última sexta-feira. Cerca de 70 torcedores estiveram no local, esticaram faixas de protesto e exigiram conversa com alguns jogadores.

Acompanhados do diretor de futebol Mário Gobbi Filho, William, Chicão, Elias e Roberto Carlos ouviram as reclamações dos torcedores. Neste sábado, porém, a pressão deve ser maior. Pela internet, as principais organizadas estão combinando uma visita em massa ao Parque São Jorge.

Quando abre os treinamentos aos sábados para a Fiel, a arquibancada do Parque São Jorge fica com milhares de torcedores. E diante da fase da equipe, os cantos devem ser de cobrança, embora Elias acredite no apoio dos alvinegros.

– Não vou tratar como pressão. Isso é coisa normal de torcedor presente. Nesse momento eles vão continuar apoiando, como sempre fizeram – disse o volante.

Neste domingo, às 16h, o Corinthians encara o Guarani, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

outubro 15, 2010 Posted by | Corinthians | | Deixe um comentário

Fiel protesta no treino do Timão e cerca o capitão William

Irritados, torcedores vão ao CT com faixas e exigem conversa com os atletas

Seis jogos sem vencer e a torcida do Corinthians voltou a protestar. Nesta sexta-feira, antes do treino marcado para as 16h no CT Joaquim Grava, cerca de 70 torcedores do Timão se concentraram no portão, com faixas exigindo uma postura diferente dos atletas nesta reta final do Campeonato Brasileiro. William, Chicão, Elias e Roberto Carlos aceitaram conversar com os manifestantes que foram autorizados a entrar no local de treinamento. O capitão William chegou a ficar pressionado contra uma parede.

“Acabou a paciência! Tolerância zero!”, diz uma das faixas.

Em outra, os torcedores mostravam qual é o perfil que, na análise deles, não serve para o Corinthians:

“Não aceitamos jogadores inúteis, inerces (sic), sem brio, energúmenos, covardes, incapacitados, arrogantes, mentecaptos. O Corinthians não precisa de vocês”.

Alguns jogadores foram diretamente citados, como o atacante Souza.

“Souza fora. Flamenguista safado”.

“A Fiel repudia esses m…: Souza, Danilo, Moacir e Alessandro. São comédias”.

Por fim, uma faixa dava o recado à diretoria sobre que tipo de jogadores a Fiel quer ver vestindo o uniforme do Corinthians.

“Nós aceitamos jogadores com força de vontade, disciplina, disposição, brio, perspicaz, humilde, sujeito homem… Aí sim será reconhecido como jogador de verdade”.

Cinco viaturas da Polícia Militar foram acionadas para conter os manifestantes. A diretoria liberou a entrada e eles foram conversar com os zagueiros William e Chicão, o volante Elias e o lateral-esquerdo Roberto Carlos. O diretor de futebol, Mário Gobbi, foi quem autorizou a entrada e acompanhou o papo de perto. William, na condiçaõ de capitão, foi o que mais falou. Após a “reunião”, que durou 30 minutos, os torcedores cantaram o hino do clube e soltaram fogos.

outubro 15, 2010 Posted by | Corinthians | | Deixe um comentário

Valdivia isenta médicos de culpa por lesão e fará exames no sábado

Mago diz que avisou corpo clínico que sentia dores, mas revela que jogou por se sentir bem. Ele é dúvida para clássico diante do Corinthians, dia 24

O meia Valdivia assumiu a responsabilidade de ter sido escalado na partida contra o Universitario Sucre-BOL, quinta-feira, na Bolívia, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O Mago admitiu que vinha sentindo dores na coxa esquerda desde o duelo contra o Botafogo, no último domingo, pelo Brasileirão, mas informou à comissão técnica alviverde que tinha condições de atuar no torneio internacional. O meia fará exames no início da tarde deste sábado para constatar a gravidade do problema.

– Joguei porque estava me sentindo bem. Sempre joguei com moléstias. Eu já vinha sentindo essas dores e acho que foi por isso que estourou – lamentou o armador.

Valdivia revelou que havia informado aos médicos do Palmeiras que estava com um incômodo muscular na parte posterior da coxa direita. Na terça-feira, reclamou de dores e deixou o treinamento por precaução. Mas foi liberado na quarta.

– Eu falei para eles que estava sentindo dores. Já tinha passado para eles – ressaltou.

Vinícius Martins, responsável pelo corpo clínico do Verdão na Bolívia, informou que a decisão de atuar foi do próprio jogador e preferiu não fazer uma projeção sobre o tempo que o chileno precisará fica em tratamento. No dia 24, o Alviverde faz o clássico contra o arquirrival Corinthians.

– Vamos fazer uma avaliação, mas não dá para saber. Ele está se sentindo melhor do que ontem (quinta). Foi dito ao Valdivia que ele não era obrigado a jogar. Ele se sentiu à vontade. Foi uma infelicidade, mas não acreditamos que seja grave – explicou.

O chileno já está fora da partida de domingo, contra o Ceará, suspenso com três cartões amarelos.

outubro 15, 2010 Posted by | Palmeiras | | Deixe um comentário

Sem aceitar rótulo de professor, Carpegiani ensina grupo tricolor

Alex Silva confessa que o treino é um pouco parado e por isso jogadores não gostam tanto, mas ressalta importância do trabalho do treinador

Neste 15 de outubro, dia do professor, Paulo César Carpegiani levou o grupo do São Paulo para o Morumbi. Colocou o time em campo e fez um trabalho tático detalhado. Mostrou na prática o que queria de cada jogador, em um exercício de paciência. Como um verdadeiro mestre ensinando seus alunos, ele se colocou no papel dos atletas, lembrando os tempos de ex-jogador. Mas a verdade é que Carpegiani não gosta de ser chamado de professor.

– Não gosto nem que os jogadores me chamem assim.

Os atletas confessam que o treino tático e constantemente parado para instruções é uma atividade um pouco chata, mas bastante importante para que todos entendam o que é preciso fazer contra o Santos neste domingo, às 18h30m, pelo Brasileiro.

– Foi feito um trabalho tático, até porque o Paulo, quando chegou, não teve muito tempo para isso. Faltam poucos jogos, e ele tenta acertar tudo da melhor maneira possível. Os jogadores não gostam muito de tático porque é um treino parado, mas é necessário neste momento. O Paulo procurou ajeitar o time de acordo com o Santos, trabalhou postura e compactação da equipe – explicou Alex Silva, que aprendeu direitinho que não deve chamar o comandante de professor.

O técnico diz que gosta mesmo de explicar com detalhes aos atletas tudo o que espera deles. O desafio de Carpegiani é fazer o Tricolor jogar com quatro homens de frente e ainda assim não perder força defensiva.

– Tenho insistido com o tático. Não adianta colocar o Fernandinho no lado esquerdo só, sei que ele pode executar funções específicas, e ele tem que saber o motivo. Se eu não mostrar para eles o que quero, não posso cobrar. O jogador só vai ter essa consciência se treinar. Somos um pouco relaxados com isso no Brasil porque sempre achamos que vamos decidir o jogo quando queremos pela qualidade, e não é bem assim – justificou o comandante.

outubro 15, 2010 Posted by | São Paulo | , | Deixe um comentário

Arouca admite jogo especial contra o Tricolor e mira o título brasileiro

Volante cresceu de produção desde que chegou ao Santos e fala em motivação a mais diante do ex-time no clássico deste domingo

Depois de um ano no Morumbi sem muito sucesso, Arouca foi emprestado no início de 2010 ao Santos, que acabou comprando o jogador em definitivo em julho. Na Vila Belmiro, o volante teve boas atuações e se firmou entre os titulares da equipe. Apesar de já ter enfrentado o seu ex-clube no Paulistão deste ano, o jogador diz que é sempre uma motivação a mais encarar o Tricolor, adversário deste domingo.

– É especial, sim. Se lá não deu certo, agora estou no Santos, estou bem aqui e espero ajudar o time – afirmou o volante.

Na ocasião, Arouca foi trocado com Rodrigo Souto, que fez o caminho inverso e foi atuar no São Paulo. Mas não foi só o volante santista que gostou da troca. O técnico Marcelo Martelotte foi outro que ficou satisfeito e fez elogios ao jogador.

– No momento da troca, o Rodrigo Souto era atá mais valorizado do que o Arouca, já que o Arouca não era titular do São Paulo. Mas ele ganhou espaço no Santos, foi bem, e com certeza foi uma troca positiva para o Santos – avaliou Martelotte.

Agora, Arouca visa a conquista do título brasileiro. Por isso, sabe que uma vitória no clássico do Morumbi é de fundamental importância para o Peixe.

– Nosso obejtivo é o título, estamos apenas seis pontos atrás líder. Não nos interessa o segundo e nem o terceiro lugar, o que nos interessa é o titulo. Por isso, vamos em busca da vitória contra o São Paulo – disse o volante santista.

outubro 15, 2010 Posted by | Santos, São Paulo | | Deixe um comentário

Perto de recorde negativo, Coração Valente deseja repetir feito de 2008

Na Libertadores daquele ano, Washington marcou duas vezes contra o São Paulo e colocou o Flu na semi após maior seca da carreira: oito jogos

No mercado do futebol, Washington é o chamado “tiro certo”. Com o Coração Valente, não há problema de adaptação, lesão ou qualquer outro empecilho. Onde vai, ele faz gols. Foi assim na Ponte Preta, Paraná, Atlético-PR, Fenerbahçe, futebol japonês, São Paulo e, obviamente, no Fluminense. Pelo Tricolor carioca, foram 74 jogos e 45 gols. Média de 0,60 por partida. Das duas passagens nas Laranjeiras, no entanto, o atacante guarda uma recordação ruim: o recorde de oito partidas em branco, em 2008. Marca que está próxima de se repetir.

Há sete jogos sem marcar, Washington, com a experiência de quem tem 35 anos de vida, quase 18 como jogador profissional, mantém a calma, mas não nega que a seca o incomoda. Neste domingo, às 18h30m (de Brasília), no Engenhão, ele terá a chance de não igualar a marca negativa, contra o Botafogo, pela 30ª rodada do Brasileirão. Um golzinho basta. E o atacante pega o fim do último jejum como exemplo para ser mais uma vez decisivo.

Se os oito jogos em branco entraram para sua história pessoal, a forma como encerrou esta má fase o eternizou no Fluminense. Foi com os dois gols marcados contra o São Paulo nas quartas de final da Libertadores de 2008, o último deles salvador e no minuto final da vitória por 3 a 1.

 

outubro 15, 2010 Posted by | Fluminense | , | Deixe um comentário

Joel analisa jejum em clássicos no Engenhão: ‘Coincidências’

Antes de jogo contra o Fluminense, treinador comenta os cinco empates com rivais sob seu comando no estádio alvinegro

O Botafogo vai entrar em campo neste domingo para enfrentar um de seus maiores rivais. Mas além do Fluminense, o Alvinegro terá pela frente a incômoda marca de nunca ter vencido um clássico carioca desde que assumiu o comando do Engenhão, em 2007 (oito empates e duas derrotas). Para Joel Santana, que comanda a equipe há quase nove meses, a falta de triunfos em casa sobre seus maiores adversários na atual temporada pode ser considerada obra do acaso.

O treinador fez questão de lembrar detalhes de cada um dos clássicos do Botafogo sob seu comando no Engenhão. Para ele, fica difícil explicar o porquê de o Alvinegro ter empatado os quatro clássicos disputados em seu estádio em 2010.

– Fizemos bons jogos, mas foram coincidências. Coisas do futebol.

Em toda a temporada de 2010, somando as partidas no Maracanã, o Botafogo disputou 11 clássicos cariocas, com quatro vitórias, duas derrotas e cinco empates. O último triunfo foi os 2 a 1 sobre o Flamengo, pela final da Taça Rio, que deu ao Alvinegro o título estadual por antecipação.

Abaixo estão os melhores momentos dos clássicos do Botafogo no Engenhão, pelo Brasileiro, com uma breve análise de Joel Santana:

outubro 15, 2010 Posted by | Botafogo | | Deixe um comentário

Luxa aposta em Deivid: ‘Está bem treinado e ganhou confiança’

Treinador do Flamengo afirma que condições física e técnica do atacante estão bem melhores do que na semana passada

No momento em que soube que não poderia contar com Val Baiano no jogo deste sábado, contra o Inter, no Engenhão, Vanderlei Luxemburgo certamente lamentou, já que o atacante desencantou e fez três gols nos últimos dois jogos pelo Flamengo. Mas, após o treino desta sexta-feira, o discurso do treinador era de total apoio a Deivid, ex-titular, e substituto natural do centroavante, que teve um estiramento na panturrilha direita.

– O Deivid está bem treinado e ganhou confiança. Ele vai estar em uma situação bem melhor do que na semana passada.

Luxemburgo tem mostrado muita confiança na equipe, já que teve a semana inteira para trabalhar. Mesmo sem poder contar também com Léo Moura e Willians, suspensos, o treinador aposta em quem vai jogar, como por exemplo, Maldonado.

– Ele é um dos jogadores mais táticos que conheço. Está sempre no lugar certo. Sabe antecipar. No Flamengo do ano passado, quando entrou, ajeitou a equipe. Não aparece para a torcida, mas é jogador-chave.

O técnico rubro-negro, que evita falar em rebaixamento – o Fla é o 14º colocado, com 34 pontos no Brasileiro – também admitiu que no passado não dava importância para a Copa Sul-Americana.

– Pensamento bom hoje é chegar à Sul-Americana, como digo desde que cheguei. Já desprezei essa competição, colocava o time reserva. Mas agora leva à Libertadores.

outubro 15, 2010 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

No Vasco, o ataque tem que defender e a defesa, atacar

Eder Luis revela que PC pede para atacantes ajudarem na marcação e Felippe Bastos diz que jogadores que atuam atrás também armam jogadas

Jogo Vasco x Corinthians. O Timão tenta armar uma jogada pelo lado direito, mas na hora do cruzamento a bola é cortada quase na linha de fundo. Uma jogada normal não fosse o autor do corte ser o atacante Eder Luis. O jogador acompanhou o ataque adversário e conseguiu dar uma de zagueiro evitando uma jogada de perigo para o rival.

Um lance que, segundo o atacante, é treinado em São Januário. O atacante afirma que no Vasco os jogadores de frente têm que ajudar a defesa durante os jogos.

– O PC me pede pra dar uma ajuda. Tem determinado momento que você está mais perto e pode dar uma mão. Principalmente, quando é uma jogada invertida. Cada um tem que fazer a sua parte – disse o atacante.

E dentro desse quesito de cada um fazer a sua parte estão incluídos os jogadores de defesa, claro. Afinal, se o ataque ajuda no desarme, os marcadores têm que ajudar a criar.

– Todos têm a obrigação de ajudar o Felipe, que é nosso único meia criador. Os volantes e os laterais também tentam criar. Temos a missão não só de marcar, mas também de ajudar a chegar aos gols – afirma Fellipe Bastos.

Nesse ritmo que o Vasco vai encarar o Atlético-GO, neste domingo. O jogo será disputado no Serra Dourada e tem início às 16h (horário de Brasília).

outubro 15, 2010 Posted by | Vasco da Gama | , , | Deixe um comentário

Prass elogia manutenção da base e diz que esse é caminho para os títulos

Goleiro fala que time ainda briga pela Libertadores do ano que vem, mesmo com a distância de oito pontos para o Corinthians

Muito perto de acertar a renovação com o Vasco por mais três anos, o goleiro Fernando Prass diz que uma das coisas que o fazem ficar confiante é o projeto a longo prazo do time. Para ele, o fato da maioria dos jogadores ter contrato longo garante a manutenção da base a equipe, o que será essencial para que o Gigante da Colina volte a conquistar títulos.

– O Vasco tem uma quantidade grande de jogadores com 3, 4 , 5 anos de contrato. O time tendo uma base tem mais facilidade para ganhar títulos. Ainda mais uma base com jogadores de qualidade como o Vasco tem. Podemos perder algumas peças, mas aí será uma questão só de repor, não de contratar um time inteiro – explica.

Para o goleiro, esse projeto de longo prazo do time já tem surtido efeito. Afinal, mesmo vindo da Série B do ano passado o time ainda sonha com a disputa da Libertadores do ano que vem.

– A gente subiu e está brigando por uma vaga na Libertadores, ao contrário do que a maioria dos clubes fazem no ano seguinte ao do acesso. Desde o ano passado, o Vasco passou a montar uma estrutura melhor. Espero que possa dar uma sequência a esse trabalho.

Para seguir sonhando com a Libertadores, o Vasco precisa vencer. A começar pelo jogo deste domingo, contra o Atlético-GO. A partida será disputada no Serra Dourada e tem início às 16h (horário de Brasília). A Rede Globo transmite o duelo ao vivo.

outubro 15, 2010 Posted by | Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Na altitude, Palmeiras usa arma ‘Assunção’ para ficar perto da vaga

Gol de falta do volante e boa atuação de Deola garantem vitória sobre o Universitario de Sucre pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana

Antes do duelo contra o Universitario de Sucre, Luiz Felipe Scolari afirmou que 70% da vaga para as quartas de final da Copa Sul-Americana seriam decididos na Bolívia. E, pela matemática do treinador alviverde, o Palmeiras está muito perto da classificação. Para derrotar o adversário e a altitude de 2.800m de Sucre na noite desta quinta-feira, o Alviverde contou com uma de suas armas mais eficientes. Graças a um gol de falta de Marcos Assunção, o time paulista derrotou a equipe boliviana por 1 a 0, no jogo de ida do duelo pelas oitavas da competição. 

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, na Arena Barueri, às 22h (de Brasília). O Palmeiras joga pelo empate. O time classificado encara nas quartas de final o ganhador do duelo entre Atlético-MG e Santa Fé (Colômbia). No jogo disputado em Minas, o Galo venceu por 2 a 0.

Arma mortal palmeirense garante vantagem

A altitude da capital constitucional da Bolívia prejudicou o Palmeiras antes mesmo de a bola rolar. O volante Edinho passou mal horas antes do jogo e nem foi para o estádio da Pátria. Pierre ganhou a vaga, na única mudança em relação à equipe que iniciou a partida contra o Botafogo, no último domingo. Scolari desistiu de escalar um segundo atacante (Dinei ou Tadeu), como havia comentado na véspera do jogo, e manteve Rivaldo.

O gol da vitória do Palmeiras
sobre o Universitario de Sucre

Consciente de que precisava dosar as energias no início da partida, o Alviverde adotou um postura de espera nos dez minutos iniciais. Já o time da casa se lançou para frente, priorizando cruzamentos sobre a área, apostando na trajetória instável da bola no ar rarefeito, e chutes de longe. Mas a maioria de seus jogadores demonstrou má pontaria e pouca técnica, com muitos erros de passes.

E foi com uma das principais armas do time – a precisão de Marcos Assunção – que o Palmeiras teve a sua primeira oportunidade. O volante cobrou falta sobre a área aos 17 minutos. A defesa do Sucre bobeou, e a bola chegou limpa para Kléber na pequena área. O atacante cabeceou rente ao travessão.

A arma funcionou com perfeição aos 26, após Kléber sofrer falta perto da área. Um dos responsáveis pela classificação do time para a fase internacional da Sul-Americana, com um gol de falta diante do Vitória, Marcos Assunção mostrou novamente categoria e eficiência, cobrando a infração no canto direito do goleiro Lampe, que apenas acompanhou a bola ir para a rede.

Diante do reduzido poder de fogo do adversário, o Palmeiras manteve a postura de aguardar os erros do rival e partir em contra-ataques. Em um deles, aos 35, Valdivia sentiu uma forte dor na coxa esquerda – a mesma que o afastou do treinamento de terça-feira. E teve que ser substituído. Tristeza para o chileno, que viu seus colegas entrarem em campo com um bandeira do seu país e uma faixa da saudação aos mineiros resgatados no deserto da Atacama.

No segundo tempo, o Universitario de Sucre, apesar da falta de técnica, partiu para a pressão. Com dez minutos da etapa final, o treinador argentino Javier Vega colocou um terceiro atacante em campo (Cirillo) no lugar de um meia (Junco). A mudança melhorou o time boliviano. E foi a vez do goleiro Deola aparecer no jogo.

O substituto de Marcos defendeu uma falta cobrada com força por Bejarano aos 12. E também o rebote, completado meio sem jeito por Cirillo. E o arqueiro também teve sorte e ajuda dos companheiros Rivaldo e Márcio Araújo para manter a sua meta invicta nove minutos depois. Após cobrança de escanteio, Bejarano completou de cabeça. A bola tocou na trave direita e voltou para o centro da pequena área, se oferecendo para Aguirre. O zagueiro chutou, e Rivaldo salvou o Palmeiras, cortando com o pé direito. Na sequência, Márcio Araújo salvou em cima da linha. Deola ainda apareceu bem aos 27, espalmando uma falta cobrada por Lima.

Diante da iniciativa do adversário e já sem o mesmo fôlego da etapa inicial, o Palmeiras apostou na marcação, tentando não dar espaços para o time boliviano. O time paulista pouco foi ataque no segundo tempo. Mas não deixou a Bolívia com uma vantagem ainda maior devido a um erro da arbitragem aos 35 minutos. Kleber chutou de fora da área, e o goleiro Lampe largou. Lincoln, que estava atrás do último defensor, acompanhou o chute e aproveitou o rebote, colocando a bola na rede. Mas o auxiliar César Escano marcou impedimento inexistente.

Nos minutos finais, o Universitario tentou pressionar, mas não mostrou o mesmo ímpeto anterior. E restou ao Palmeiras deixar o tempo passar e respirar mais tranquilo com a vantagem obtida na altitude de Sucre.

UNIVERSITARIO DE SUCRE 0 X 1 PALMEIRAS
Lampe; Añez, Albarracín, Aguirre e Bejarano; Liendo, Lima, Gallegos (Morales) e Junco (Cirillo); Galindo e Fernández (Vaca). Deola, Márcio Araújo, Maurício Ramos (Leandro Amaro), Danilo e Gabriel Silva; Pierre (Fabrício), Marcos Assunção, Tinga, Rivaldo e Valdivia (Lincoln); Kléber.
Técnico: Javier Vega. Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Gol: Marcos Assunção, aos 26 minutos do primeiro tempo
Cartões amarelos: Liendro, Aguirre, Molares (UNI), Marcos Assunção, Tinga e Fabrício (PAL)
Estádio: Pátria (Sucre, Bolívia). Árbitro: Victor Carrillo.Assistentes:César Escano e Jorge Yupanqui.

outubro 15, 2010 Posted by | Palmeiras | , | Deixe um comentário