Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Inter a dez jogos do Mundial: confiança, ajustes e dúvidas

Técnico Celso Roth testa novo esquema e observa jogadores antes de definir elenco que, cheio de moral, lutará pelo bi

Dez jogos. Menos de mil minutos. Pouco mais de dois meses. E aí é Mundial, é Emirados Árabes, é sonhar ser o patrão do planeta mais uma vez. A luta pelo bicampeonato intercontinental se aproxima do Inter com uma mescla de sensações: a confiança no elenco abraça a certeza de um time forte; a dúvida sobre o esquema se enrola nas indefinições da lista de eleitos do técnico Celso Roth para o segundo maior desafio da história colorada.

Faltam só dez jogos. E alguns deles, dependendo do que acontecer, podem nem ser com o elenco principal. O Inter acelera sua preparação. Até o fim do mês, o clube apresentará os uniformes do Mundial – apenas com o patrocínio principal e com poucas mudanças na comparação com o atual. Nos próximos dias, o espião Guto Ferreira iniciará a peregrinação pelos países dos possíveis adversários no torneio. Torcedores começam a agilizar passagens, vistos de entrada e hotéis em Abu Dhabi. Conforme o Brasileirão caminha para o fim, o clima do Mundial começa a envolver o Beira-Rio.

O mergulho emocional na luta pelo bi só não é total porque o clube gaúcho segue grudado nas chances de título nacional. E aí está o maior suporte da confiança vermelha. Estar forte no Brasileirão, na visão dos colorados, é o maior sinal de que o Inter está bem preparado para o Mundial. A ideia é que siga assim até dezembro.

– Se estivermos disputando o Brasileiro, com condições de sermos campeões, é um sinal de que estaremos bem preparados – disse o meia Tinga.

– É muito raro um time ser campeão da Libertadores e manter o nível no Brasileirão – comentou recentemente o técnico Celso Roth.

Mas a confiança se mistura com as indefinições. Contra o Atlético-MG, um pouco por causa da multidão de desfalques, outro tanto para testar novas alternativas, Roth decidiu observar o time no 4-4-2. Foi um hiato na tradição do 4-5-1 que ele impôs desde que chegou ao Beira-Rio. Antes disso, o Inter sofreu quatro derrotas em cinco jogos como visitante e gerou preocupações sobre sua real capacidade.

Enquanto busca o time mais confiável, Celso Roth analisa o elenco em busca do melhor grupo possível para levar aos Emirados Árabes. Inicialmente, o Inter precisa enviar uma lista com 30 jogadores para a Fifa. Depois, sete deles são cortados. O treinador tem um claro problema na defesa. Primeiro, o Inter negociou Fabiano Eller; depois, não conseguiu contratar Rodrigo; agora, corre o risco de perder Sorondo, com problema pubiano. A eventual ausência do uruguaio pode fazer com que o Inter dispute o Mundial com Ronaldo Alves e Juan como reservas imediatos de Índio e Bolívar.

Celso Roth observa atletas em outros setores. Figuras como Daniel, Marquinhos, Oscar, Eduardo Sasha e até Guto, do time B, lutam por vaga no grupo. A função de primeiro volante, com Wilson Matias como titular, ainda pode ser modificada. Glaydson e Derley lutam por vaga no time. Giuliano e Rafael Sobis, em tese, disputam uma posição no setor ofensivo – o primeiro leva vantagem no 4-5-1, e o segundo tem mais chances no 4-4-2.

A boa notícia é o fortalecimento do elenco com a recuperação clínica dos jogadores que sofreram lesões musculares. Índio, Tinga, Leonardo, Wilson Matias, Rafael Sobis: estão todos ou jogando, ou entrando no ritmo de treinos, ou cumprindo a última etapa da recuperação física.

– O Mundial é um torneio. São dois jogos. A gente faz um barulho muito grande para dez dias. Você pode, em dez ou 15 dias, ajeitar uma equipe para disputar o torneio. É muito cedo para falar de uma situação que pode ser resolvida em 15 dias. O melhor a fazer é brigar no Brasileiro. Hoje, estaríamos prontos para o Mundial. Com todos os jogadores clinicamente bem, se o Mundial fosse daqui a dez dias, estaríamos bem. Mas é daqui a dois meses – comentou Tinga.

O Inter embarca para os Emirados Árabes no dia 8 de dezembro, em voo fretado. Até lá, saberá se o sonho de ser campeão brasileiro virou realidade. São dez jogos, menos de mil dias, pouco mais de dois meses. O Mundial está chegando.

Inter no Mundial:

No 4-5-1: Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias, Guiñazu, Tinga, Giuliano e D’Alessandro; Alecsandro.

No 4-4-2: Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias, Guiñazu, Tinga e D’Alessandro; Rafael Sobis e Alecsandro.

Como estão os atletas:

Nomes certos: Renan, Abbondanzieri, Nei, Bolívar, Índio, Kleber, Wilson Matias, Guiñazu, Glaydson, Derley, Tinga, D’Alessandro, Giuliano, Andrezinho, Alecsandro, Rafael Sobis, Leandro Damião e Edu.

Quase lá: Lauro, Ronaldo Alves, Leonardo, Marquinhos e Ilan.

Correndo por fora: Muriel, Daniel, Juan, Dalton, Oscar, Eduardo Sasha e Guto.

Dependendo de recuperação clínica: Sorondo.

outubro 12, 2010 - Posted by | Internacional | ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s