Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Valdivia sente coxa esquerda e deixa treino mais cedo ‘por precaução’

Atleta chileno abandona atividade com dores, mas afirma que não será problema para confronto da Sul-Americana

O meia Valdivia precisou terminar as atividades desta terça-feira mais cedo, por conta de dores na parte posterior da coxa esquerda. O atleta chileno, um dos principais do Palmeiras, já havia se queixado de um incômodo na região durante o treino da última segunda-feira, já na Bolívia, onde o Alviverde enfrenta o Univertario de Sucre às 21h15m (de Brasília). O jogo é válido pela primeira partida das oitavas de final da Copa Sul-Americana.

Valdivia fez apenas a parte física com o elenco palmeirense. Depois da atividade, ele foi medicado e já iniciou tratamento na região. Apesar da dor, o atleta afirmou que não deve ser um problema para o técnico Luiz Felipe Scolari no jogo com os bolivianos.

– Comecei a sentir esta dor no início da semana, mas saí mais por precaução. Não significa nada, não é nada demais – apressou-se em dizer o camisa 10 alviverde.

Sobre a disputa com os bolivianos, que eliminaram Colo-Colo (CHI) e Cerro Porteño (PAR) nas rodadas anteriores, Valdivia afirmou que o Palmeiras precisa ter atenção durante todo o jogo.

– Eles eliminaram equipes fortes, então termos de tomar bastante cuidado. Será um jogo difícil por causa da atitude e do nosso adversário. Mas viemos para conseguir um resultado positivo e esperamos que isso se confirme – avaliou.

outubro 12, 2010 Posted by | Palmeiras | | Deixe um comentário

Destaque da defesa cruzmaltina, Dedé renova com Vasco até 2014

Zagueiro acerta bases do novo vínculo com o Vasco nesta terça-feira

Dedé fica no Vasco até 2014. O zagueiro, destaque do clube no Campeonato Brasileiro, disse nessa terça-feira que falta apenas assinar o novo contrato, mas que todas as cláusulas já foram acordadas por ele e pelo clube.

Contratado pelo cruzmaltino em 2009 após fazer um bom Campeonato Carioca pelo Volta Redonda, Dedé comemorou o desfecho das negociações e espera manter o bom rendimento na Colina.

– Tenho muito que agradecer ao Vasco pela oportunidade, pela paciência durante a minha adaptação. Não posso esquecer de agradecer o PC Gusmão, pois foi ele quem conversou comigo e me orientou a ficar. Ganhei a oportunidade,soube aproveitar e agora estou trabalhando firme para ser considerado um dos destaques deste Brasileiro. Sei que os atacantes ganham mais atenção, mas, de vez em quando, sobra espaço para um zagueiro se destacar – disse o zagueiro, através de sua assessoria de imprensa.

Nesta quarta-feira, o defensor estará entre os titulares que enfrentam o Corinthians, às 22h desta quarta-feira, em jogo adiado da 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances em tempo real.

outubro 12, 2010 Posted by | Vasco da Gama | , | Deixe um comentário

Jonas tem nove jogos para seguir fazendo história no Grêmio

Atacante pode ultrapassar Rodrigo Fabri e Cláudio Pitbull como maiores artilheiros do clube em Campeonatos Brasileiros

Jonas não para quieto. Recordes dissipam-se em nuvens de poeira sob as chuteiras do camisa 7 gremista. Para ele, disparar na artilharia do Brasileirão 2010 não é suficiente. Os gols perseguem outras marcas, históricas.

Na lista de goleadores históricos do Grêmio, ídolos da torcida ficaram para trás. Com 71 gols, Jonas está a três de igualar Renato Gaúcho. Ronaldinho e Jardel foram ultrapassados.

E os 19 gols marcados na principal competição nacional equiparam Jonas aos maiores artilheiros do Grêmio em Brasileirões: Rodrigo Fabri, em 2002, e Cláudio Pitbull, dois anos depois.

Na temporada passada, Jonas também empatara com os segundos colocados na mesma relação. Foram 14 gols, reprisando o que André Catimba (1978), Baltazar (1980), Lima (1986) e Ronaldinho (2000) fizeram.

Jonas tem ainda boas chances de ser o primeiro jogador do Grêmio a conquistar a artilharia isolada de um Brasileirão. Em 1996, Paulo Nunes e Renaldo (Atlético-MG – 16 gols) dividiram o feito; e Rodrigo Fabri, em 2002, alcançou a mesma produtividade do são-paulino Luís Fabiano.

outubro 12, 2010 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

De volta a Sucre, Palmeiras tenta minimizar efeitos da altitude

Time retorna à cidade boliviana mais de um ano depois ter usado local como base para jogo em Potosi

Sucre, local da próxima partida do Palmeiras pela Copa Sul-Americana, não chega a ser uma das cidades mais altas por onde o time passou – são 2.800 metros acima do nível do mar. Mas a chegada com três dias de antecedência foi providencial para que o time de Luiz Felipe Scolari não sofresse com os efeitos do ar rarefeito, segundo o fisiologista Paulo Zogaib.

– Toda vez que jogamos em altitude, estamos expostos a uma pressão atmosférica menor e, portanto, uma pressão de oxigênio menor. Isso leva à diminuição da capacidade física, embora nessa altitude em particular, a 2.800m, esse decréscimo de altitude seja muito pequeno, de 10%, mas não deixa de ser um decréscimo – explicou Zogaib ao site oficial do Palmeiras.

O Palmeiras já esteve em Sucre no início do ano passado, quando se hospedou na cidade para enfrentar o Real Potosi pela primeira fase da Taça Libertadores. Na ocasião, o time só foi para o local da partida, que fica 4.000 metros acima do nível do mar no dia da partida. Desta vez, a equipe enfrentará o Universitário de Sucre, às 21h15 de Brasília, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

– Talvez o mais importante nessa altitude seja o tempo de bola. Pelo ar ser mais rarefeito, temos menos resistência, portanto os objetos se movem numa velocidade maior. Então, essa chegada com três ou quatro dias de antecedência, além de minimizar esses efeitos de decréscimo da condição física, melhora a parte de coordenação neuromuscular, impedindo que tomemos dribles bobos, percamos o tempo de bola ou que os passes ou o domínio de bola sejam mal-feitos – salientou o fisiologista.

Na tarde da última segunda-feira, o Palmeiras fez seu primeiro treino na cidade boliviana. Na ocasião, Anselmo Sbragia, preparador físico do clube afirmou que usou a atividade para dar ênfase no trabalho de bola.

– É para que os atletas possam sentir a velocidade que a bola chega para domínio, a intensidade e a força que eles têm que colocar para fazer um passe, um cruzamento, chutar a gol. E também para os goleiros, que são os mais prejudicados. Todos os dias serão baseados em fundamentos para que esse problema seja minimizado e os jogadores já estejam adaptados.

outubro 12, 2010 Posted by | Palmeiras | , | Deixe um comentário

Val Baiano concorda com Luxa e admite limitação: ‘Não sou de driblar’

Treinador pediu para atacante ficar próximo à área porque não tem técnica. Depois de três gols em dois jogos, ele assina embaixo


Ao orientar Val Baiano na estreia, Vanderlei Luxemburgo não deu rodeios: “Meu filho, fica próximo da área, porque se você ficar longe não tem jeito”. O recado foi esmiuçado em entrevista coletiva. Segundo o treinador, o atacante do Flamengo não tem técnica e precisa aproveitar as suas virtudes: bom posicionamento, finalização e faro goleador para triunfar.

Nos dois primeiros jogos sob nova direção, Val entendeu o recado. Ele entrou nos minutos finais do jogo contra o Atlético-GO e subiu com estilo para pôr fim ao jejum de dez partidas sem marcar no Rubro-Negro. Contra o Avaí a estratégia se repetiu. O camisa 9 aproveitou dois ótimos passes de Renato e marcou duas vezes antes dos 17 minutos de jogo. Puro oportunismo.

E Val sabe de suas limitações. Ele abaixa a cabeça e concorda com o diagnóstico de Luxemburgo:

– Ele está certo, sim. Não sou de driblar, sou homem de área, centroavante, que faz gols. A bola pouco chegou nos outros jogos. Deus colocou o Vanderlei na hora certa no Flamengo. Ele me deu o moral necessário – disse Val Baiano.

Nesta terça-feira o elenco volta aos treinamentos depois da segunda de folga. A tendência é que Val Baiano seja mantido no time titular na partida contra o Inter, sábado, no Engenhão. Afinal, o próprio Vanderlei afirmou que Deivid não é “homem de área”. Desta forma, Diego Maurício, o próprio Deivid e Diogo, se for liberado pelos médicos, disputariam a vaga no ataque

outubro 12, 2010 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Família, desconfiança e seminário, os obstáculos do Timão por Parreira

Andrés Sanches ainda tenta convencer o técnico a comandar o Corinthians no Brasileirão, mas a missão é complicada para presidente

A diretoria do Corinthians vai insistir na contratação de Carlos Alberto Parreira para o lugar do demitido Adilson Batista. Mas a missão do presidente Andrés Sanches não é das mais fáceis. O mandatário alvinegro terá de superar alguns obstáculos, como compromissos pessoais do tetracampeão, receio de assumir um clube em crise e um seminário que é o xodó do ex-treinador da Seleção Brasileira.

Em um primeira momento, via intermediário, Parreira disse “não” ao convite do Timão. Mas Andrés Sanches não desistiu. Ele acredita que pessoalmente possa tentar convencer o técnico. O discurso oficial do Corinthians, no entanto, é de que não vai procurar Parreira, que é uma missão impossível. Mas em outros casos, desde que Andrés é mandatário, isso é praxe para desviar o foco.

Voltando a Parreira. O técnico, que fez sucesso no Timão em 2002, com os títulos do Rio-São Paulo e da Copa do Brasil, pretendia ficar um tempo maior com sua família depois de dirigir a África do Sul na Copa do Mundo. Programou viagens e outros compromissos familiares que não estaria disposto a cancelar.

Há ainda o receio de assumir um clube em crise. Parreira conhece bem o Corinthians e suas pressões. Seu medo é que seja desvalorizado no caso de não conseguir o título ou a vaga na Taça Libertadores. Contra isso, o presidente Andrés Sanches adotou discurso semelhante ao do treinador e avisou que o novo técnico não será herói, muito menos vilão em caso de insucesso.

Outro compromisso sagrado para Parreira é o Footecon (Fórum Internacional de Futebol), realizado há sete anos no Rio de Janeiro. O técnico é um dos idealizadores do projeto e se dedica bastante a ele. De qualquer maneira, a diretoria alvinegra vai tentar convencê-lo de conciliar isso com o comando do Corinthians, até porque o evento será nos dias 7 e 8 de dezembro. O Brasileirão já terá terminado.

outubro 12, 2010 Posted by | Corinthians | , , | Deixe um comentário

Inter a dez jogos do Mundial: confiança, ajustes e dúvidas

Técnico Celso Roth testa novo esquema e observa jogadores antes de definir elenco que, cheio de moral, lutará pelo bi

Dez jogos. Menos de mil minutos. Pouco mais de dois meses. E aí é Mundial, é Emirados Árabes, é sonhar ser o patrão do planeta mais uma vez. A luta pelo bicampeonato intercontinental se aproxima do Inter com uma mescla de sensações: a confiança no elenco abraça a certeza de um time forte; a dúvida sobre o esquema se enrola nas indefinições da lista de eleitos do técnico Celso Roth para o segundo maior desafio da história colorada.

Faltam só dez jogos. E alguns deles, dependendo do que acontecer, podem nem ser com o elenco principal. O Inter acelera sua preparação. Até o fim do mês, o clube apresentará os uniformes do Mundial – apenas com o patrocínio principal e com poucas mudanças na comparação com o atual. Nos próximos dias, o espião Guto Ferreira iniciará a peregrinação pelos países dos possíveis adversários no torneio. Torcedores começam a agilizar passagens, vistos de entrada e hotéis em Abu Dhabi. Conforme o Brasileirão caminha para o fim, o clima do Mundial começa a envolver o Beira-Rio.

O mergulho emocional na luta pelo bi só não é total porque o clube gaúcho segue grudado nas chances de título nacional. E aí está o maior suporte da confiança vermelha. Estar forte no Brasileirão, na visão dos colorados, é o maior sinal de que o Inter está bem preparado para o Mundial. A ideia é que siga assim até dezembro.

– Se estivermos disputando o Brasileiro, com condições de sermos campeões, é um sinal de que estaremos bem preparados – disse o meia Tinga.

– É muito raro um time ser campeão da Libertadores e manter o nível no Brasileirão – comentou recentemente o técnico Celso Roth.

Mas a confiança se mistura com as indefinições. Contra o Atlético-MG, um pouco por causa da multidão de desfalques, outro tanto para testar novas alternativas, Roth decidiu observar o time no 4-4-2. Foi um hiato na tradição do 4-5-1 que ele impôs desde que chegou ao Beira-Rio. Antes disso, o Inter sofreu quatro derrotas em cinco jogos como visitante e gerou preocupações sobre sua real capacidade.

Enquanto busca o time mais confiável, Celso Roth analisa o elenco em busca do melhor grupo possível para levar aos Emirados Árabes. Inicialmente, o Inter precisa enviar uma lista com 30 jogadores para a Fifa. Depois, sete deles são cortados. O treinador tem um claro problema na defesa. Primeiro, o Inter negociou Fabiano Eller; depois, não conseguiu contratar Rodrigo; agora, corre o risco de perder Sorondo, com problema pubiano. A eventual ausência do uruguaio pode fazer com que o Inter dispute o Mundial com Ronaldo Alves e Juan como reservas imediatos de Índio e Bolívar.

Celso Roth observa atletas em outros setores. Figuras como Daniel, Marquinhos, Oscar, Eduardo Sasha e até Guto, do time B, lutam por vaga no grupo. A função de primeiro volante, com Wilson Matias como titular, ainda pode ser modificada. Glaydson e Derley lutam por vaga no time. Giuliano e Rafael Sobis, em tese, disputam uma posição no setor ofensivo – o primeiro leva vantagem no 4-5-1, e o segundo tem mais chances no 4-4-2.

A boa notícia é o fortalecimento do elenco com a recuperação clínica dos jogadores que sofreram lesões musculares. Índio, Tinga, Leonardo, Wilson Matias, Rafael Sobis: estão todos ou jogando, ou entrando no ritmo de treinos, ou cumprindo a última etapa da recuperação física.

– O Mundial é um torneio. São dois jogos. A gente faz um barulho muito grande para dez dias. Você pode, em dez ou 15 dias, ajeitar uma equipe para disputar o torneio. É muito cedo para falar de uma situação que pode ser resolvida em 15 dias. O melhor a fazer é brigar no Brasileiro. Hoje, estaríamos prontos para o Mundial. Com todos os jogadores clinicamente bem, se o Mundial fosse daqui a dez dias, estaríamos bem. Mas é daqui a dois meses – comentou Tinga.

O Inter embarca para os Emirados Árabes no dia 8 de dezembro, em voo fretado. Até lá, saberá se o sonho de ser campeão brasileiro virou realidade. São dez jogos, menos de mil dias, pouco mais de dois meses. O Mundial está chegando.

Inter no Mundial:

No 4-5-1: Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias, Guiñazu, Tinga, Giuliano e D’Alessandro; Alecsandro.

No 4-4-2: Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias, Guiñazu, Tinga e D’Alessandro; Rafael Sobis e Alecsandro.

Como estão os atletas:

Nomes certos: Renan, Abbondanzieri, Nei, Bolívar, Índio, Kleber, Wilson Matias, Guiñazu, Glaydson, Derley, Tinga, D’Alessandro, Giuliano, Andrezinho, Alecsandro, Rafael Sobis, Leandro Damião e Edu.

Quase lá: Lauro, Ronaldo Alves, Leonardo, Marquinhos e Ilan.

Correndo por fora: Muriel, Daniel, Juan, Dalton, Oscar, Eduardo Sasha e Guto.

Dependendo de recuperação clínica: Sorondo.

outubro 12, 2010 Posted by | Internacional | , | Deixe um comentário