Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Com a força dos argentinos, Cruzeiro bate o Ceará por 2 a 0, em jogo difícil

No segundo tempo, Montillo e Farías decretam a vitória celeste. Ceará reclama de gol mal anulado de Marcelo Nicácio, quando o jogo estava 1 a 0

Foi uma noite sofrida como uma letra de tango, mas, no fim, os argentinos garantiram a alegria do Cruzeiro. O time sofreu, mas venceu o Ceará em Sete Lagoas e segue firme na perseguição ao líder Corinthians. Os argentinos Montillo, de pênalti, e Farías marcaram no fim do segundo tempo e deixaram a Raposa, por ora, na vice-liderança do Brasileirão, com 44 pontos – o Timão tem a mesma pontuação, mas com uma vitória a mais e ainda enfrenta o Santos na rodada, além de ter um jogo do primeiro turno para fazer. O Fluminense caiu para o terceiro lugar, mas ainda joga nesta quinta-feira contra o Atlético-MG, no Engenhão.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Os pontos do time mineiro foram ainda mais importantes porque a Conmebol anunciou, nesta quarta-feira, que o país cujo time tiver conquistado a Libertadores não terá mais vaga extra na competição. Como o Internacional é o atual campeão, a medida, na prática, reduziu o G-4 a G-3. Já o Ceará segue com 30 pontos, longe da briga por um lugar na Libertadores, mas também a uma distância segura do Z-4.

Além de sofrido, o triunfo celeste foi marcado por uma polêmica. Ainda que o pênalti convertido por Montillo tenha sido indiscutível, já que houve toque de mão de Oziel dentro da área, o time cearense reclamou muito da arbitragem. Tudo porque, aos 42 minutos, o juiz Cláudio Francisco Lima e Silva atendeu o aceno do bandeira e anulou um gol legal de Marcelo Nicácio.

Primeiro tempo sem gols e com boas chances para o Ceará

A torcida do Cruzeiro fazia a festa desde o início na Arena do Jacaré. Com a equipe disputando as primeiras colocações, os cruzeirenses lotaram o estádio e vibravam com qualquer jogada de seus jogadores no início da partida.

O meia argentino Montillo caiu definitivamente nas graças do torcedor celeste por conta de suas atuações. Logo em seu primeiro toque na bola, os torcedores fizeram um barulho ensurdecedor saudando o novo ídolo.

Mas quem levou perigo primeiro foi o Ceará, logos aos dez minutos, com Wellington Amorim chutando duas vezes para Fábio fazer a defesa. No minuto seguinte, Geraldo cabeceou para fora livre na grande área.

O Cruzeiro cedia espaços aos cearenses, mas aos poucos, foi impondo seu ritmo. Tanto que aos 16 minutos, o argentino Montillo deu o primeiro chute a gol da Raposa e o goleiro Michel Alves fez boa defesa.

O jogo era aberto. O Ceará preocupava em defender-se, mas encontrava espaços nos contra-ataques. O Cruzeiro buscava o ataque a todo o momento e deixava a defesa desguarnecida.

O volante João Marcos quase complicou a vida celeste ao chutar por cima, com perigo. No lance seguinte, após o Cruzeiro ir ao ataque, o Vozão desperdiçou grande chance ao perder um contragolpe com três atacantes contra dois defensores celestes.

No final do primeiro tempo, quem apareceu foi outro argentino do Cruzeiro. O atacante Ernesto Farías chutou cruzado e Michel Alves espalmou com dificuldades. No último lance, ele cabeceou livre na pequena área e o goleiro salvou.

Gols salvadores no fim e lance polêmico

O Cruzeiro voltou para a segunda etapa com o volante Everton no lugar do meia Roger. O técnico Cuca optou por proteger a defesa que ficou exposta em alguns momentos no primeiro tempo. O zagueiro Léo, amarelado, deixou o campo para a entrada de Gil.

Farías continuou tentando roubar o posto de melhor argentino da noite e quase marcou após bobeada da zaga, que deu rebote e o atacante chutou forte, por cima, logo aos oito minutos.

O Ceará se fechou e passou a subir ao ataque de maneira esporádica. O técnico Dimas Filgueiras colocou Marcelo Nicácio no lugar de Kempes. Já Cuca optou por Wallyson na vaga de Rômulo, deixando a equipe mais ofensiva.

As alterações de Cuca surtiram pouco efeito. Sem Roger, Montillo sentiu a falta de um companheiro para dividir a criação das jogadas. Michel conseguia anular as principais tentativas do argentino.

Mas aos 36 veio o alívio. O volante Henrique chutou de dentro da área e a bola bateu na mão do lateral Oziel. Pênalti marcado e cobrado por Montillo, com perfeição, que novamente comemorou o gol no estilo cowboy. Explosão na Arena do Jacaré.

O gol deveria acalmar o time da casa, mas o que se viu foi o crescimento dos visitantes. Como o resultado já era negativo, o Ceará partiu para cima e até conseguiu o empate. Aos 42 minutos, Diego Sacoman bateu de fora da área e a bola desviou em Gil. Em seguida, ela sobrou para Marcelo Nicácio após dividida entre Diego Renan e João Marcos. O jogador, que aparentemente vinha atrás da linha da bola, empurrou para as redes. Os jogadores comemoravam o empate, mas o árbitro atendeu apelo da arbitragem e assinalou irregularidade no lance, o que revoltou os cearenses.

Mas aos 46 a torcida do Cruzeiro pôde comemorar a vitória. Wallyson fez bela jogada pela direita e cruzou rasteiro no primeiro pau. Farías, com um leve toque, marcou e deu números finais ao confronto, 2 a 0 e três pontos garantidos.

CRUZEIRO 2 X 0 CEARÁ

Fábio; Rômulo (Wallyson), Edcarlos, Léo (Gil) e Diego Renan; Fabrício, Henrique, Roger (Everton) e Montillo; Farías e Thiago Ribeiro.

Michel Alves; Oziel, Diego Sacoman, Anderson e Ernandes; Michel, Heleno, João Marcos e Geraldo; Wellington Amorim (Luizinho) e Kempes (Marcelo Nicácio).
Técnico: Cuca Técnico: Dimas Filgueiras
Gols: Montillo, aos 38, e Farías, aos 46 do segundo tempo
Cartões amarelos: Diego Sacoman, Geraldo, Kempes, Marcelo Nicácio e Oziel (Ce); Henrique, Léo (Cr)
Estádio: Arena do Jacaré, Sete Lagoas. Data: 22/09/2010.
Arbitragem: Cláudio Francisco Lima e Silva (SE) Auxiliares: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE)

setembro 22, 2010 Posted by | Ceará, Cruzeiro | , , | Deixe um comentário

Irregular, São Paulo bate o Guarani e mantém o sonho de alcançar o G-3

Tricolor começa muito bem a partida, faz 1 a 0, diminui o ritmo e sofre o empate em pênalti duvidoso. No segundo tempo, Ricardo Oliveira marca

Ainda não foi a atuação segura que o torcedor são-paulino espera, mas valeu pela vitória. Alternando muito o ritmo durante a partida, o São Paulo fez a lição de casa, marcou 2 a 1 no Guarani e manteve vivo o sonho de chegar ao G-3 e garantir uma vaga na Taça Libertadores de 2011. O maior destaque da partida foi Ricardo Oliveira, que retornou após sete a partidas e marcou o gol da vitória. (Reveja o gol do camisa 99)

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Com o triunfo, o Tricolor Paulista manteve a oitava colocação, com 34 pontos, oito a menos que o Fluminense, que nesse momento ocupa a terceira colocação. Já o Bugre, que sofreu sua nona derrota na competição, caiu para o 12º lugar, com 30. As equipes voltarão a campo no próximo fim de semana. No sábado, a equipe de Baresi encerrará sua série alviverde contra o Goiás, às 18h30m, no Morumbi. No mesmo dia e horário, o time campineiro receberá a visita do Vasco no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.

Começo arrasador do Tricolor, e Bugre empata em pênalti inexistente

Na tabela de classificação, Tricolor e Bugre começaram a rodada separados por apenas duas posições (oitavo e décimo, respectivamente). Mas, dentro de campo, ficou claro que apenas um time buscaria a vitória. O Tricolor entrou em campo no 4-4-2. e o Bugre, claramente pensando em se defender, se posicionou no 4-5-1, com uma curiosidade: cinco laterais em campo (Rodrigo Heffner, Apodi, Baiano, Márcio Careca e Fabiano).

Quando a bola rolou, o Tricolor sabia, que para furar o ferrolho adversário, só com toques rápidos e muita velocidade. O primeiro gol só não saiu aos dez minutos porque Rodrigo Heffner, em cima da linha, evitou um golaço de Richarlyson que, após cobrança de escanteio da direita, deu um chapéu em Apodi dentro da área. Três minutos depois, saiu o gol: Casemiro fez bela jogada individual e deu passe açucarado para Marlos, que driblou Aílson e bateu rasteiro, sem chances para Douglas.

Aos 17, o Guarani teve uma chance de ouro para empatar, mas por falha do São Paulo. Miranda, ao tentar recuar a bola para Rogério Ceni, bateu fraco e permitiu que Fabiano invadisse a área e tocasse para Baiano. Livre de marcação e, cara a cara com Rogério, o camisa 8 campineiro chutou em cima do capitão são-paulino, para delírio do pequeno público presente ao Morumbi. Em contra-ataque no minuto seguinte, Marlos foi lançado por Jorge Wagner, avançou sozinho e, à frente de Douglas, bateu à direita do gol adversário.

A verdade é que o gol prematuro acabou com a estratégia do Guarani. Vágner Mancini havia proposto duas linhas, a primeira com quatro homens fixos na defesa e a segunda com cinco, sendo que dois laterais abertos (Apodi e Fabiano) nas pontas para atuarem nas costas de Jean e Richarlyson. Baresi contra-atacou, trocando Jean com Rodrigo Souto, que ficou fixo na direita e deixando Jorge Wagner aberto pela ponta esquerda. Com isso, os visitantes ficaram sem saída. A velocidade de Maycon era muito pouco para superar a boa marcação do Tricolor.

Com o passar do tempo, a velocidade caiu em campo. Isso porque o São Paulo, erradamente recuou. E o Bugre seguiu no seu jogo burocrático, congestionando o meio-campo e esperando que algo caísse do céu. E o empate veio nos descontos. Após cruzamento na área, o juiz Marcelo Aparecido de Souza viu puxão de Miranda em Baiano. Pênalti duvidoso, que o próprio camisa 8 bateu no canto esquerdo de Rogério Ceni para deixar tudo igual.

Etapa complementar

O São Paulo voltou com uma alteração para o segundo tempo. Fernandão sentiu uma lesão no primeiro tempo e deixou o gramado para a entrada de Ricardo Oliveira. Com o empate, o jogo voltou ao seu panorama inicial. O Guarani voltou a se defender com até nove homens (apenas Reinaldo ficava à frente da linha do meio-campo). Do lado são-paulino, faltaram a velocidade e a inspiração do começo da partida. Com 21 atletas numa metade do campo, era praticamente impossível criar algo.

Para dar nova movimentação, Baresi então chamou Dagoberto, que entrou na vaga de Marlos. No lance seguinte, o Tricolor voltou a ficar em vantagem. Jorge Wagner cobrou escanteio, e Richarlyson desviou na primeira trave para Dagoberto, que cabeceou no travessão. Na volta, Ricardo Oliveira bateu, de canela, para o gol vazio: 2 a 1. O mesmo camisa 99, aos 18, exigiu grande defesa de Douglas em chute cruzado, após belo lançamento de Dagoberto.

Em desvantagem, Mancini resolveu abandonar de vez a retranca. Primeiro, sacou o volante Baiano e colocou o meia Mário Lúcio. Depois, mandou a campo mais dois atacantes (Ricardo Xavier e Geovane), nas vagas de Reinaldo e Apodi. Baresi respondeu e reforçou o meio com a saída de Lucas para a entrada do volante Zé Vítor. O Bugre cresceu, ganhou campo e aos, 36, Rogério Ceni fez boa em defesa em chute de fora da área de Geovane. No fim, nos contra-ataques, o São Paulo teve duas grandes chances, com Casemiro e Ricardo Oliveira. Em ambas, Douglas fez belas defesas.

SÃO PAULO 2 X 1 GUARANI
Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Casemiro, Rodrigo Souto, Marlos (Dagoberto) e Jorge Wagner; Lucas (Zé Vítor) e Fernandão (Ricardo Oliveira). Douglas; Rodrigo Hefner, Fabão, Aílson e Marcio Careca; Apdoi (Geovane), Maycon, Baiano (Mário Lúcio), Paulo Roberto e Fabiano; Reinaldo (Ricardo Xavier).
Técnico: Sérgio Baresi. Técnico: Vagner Mancini
Gols: Marlos, aos 14min e Baiano, aos 48min do 1º tempo. Ricardo Oliveira, aos 18min do 2º tempo.
Cartões amarelos: . Miranda e Dagoberto (São Paulo); Reinaldo, Fabiano e Baiano (Guarani). Renda e Público: R$ 196.717,259 / 10.264 pagantes
Estádio: Morumbi, em São Paulo (RJ). Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP). Auxiliares: Vicente Romano (SP) e Marcelo Carvalho (SP).

setembro 22, 2010 Posted by | Guarani, São Paulo | , | Deixe um comentário

Fora de casa, Palmeiras vence Prudente e respira no Brasileirão

Alviverde faz 1 a 0 nos donos da casa, em Presidente Prudente, e confirma sina de se dar bem distante do Pacaembu

Nos momentos difíceis, o melhor é sair de casa. É distante do Pacaembu e de sua torcida que os melhores resultados têm aparecido. E essa sina palmeirense ficou comprovada mais uma vez na noite desta quarta-feira, em Presidente Prudente. Contra o Grêmio Prudente, lanterna do Campeonato Brasileiro, o Alviverde penou, mas conseguiu uma vitória por 1 a 0 e voltou a respirar na competição.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

O tento salvador foi marcado pelo volante Márcio Araújo, que anotou pela primeira vez pelo time palestrino, e colocou a equipe na nona posição, com 32 pontos. E ele saiu depois de uma furada do atacante Dinei, estreante da noite que tinha a missão de melhorar o sistema ofensivo alviverde.

Se no Pacaembu o Palmeiras sofre para se acertar – são duas vitórias, três empates e quatro derrotas – , longe da sua torcida o Alviverde tem conseguido sorrir mais vezes. Apesar da grande quantidade de empates (sete), o time se apresenta melhor – três vitórias, considerando o jogo em Prudente, e duas derrotas (contabilizando uma partida com o Vitória, pela Sul-Americana).

Na próxima rodada, o Palmeiras enfrenta o Flamengo, no Engenhão, às 18h30 deste sábado. Será mais uma oportunidade de o Alviverde engrenar uma série positiva sob o comando de Luiz Felipe Scolari.

Ao Grêmio Prudente, que agoniza na rabeira da competição – são 17 pontos em 24 partidas -, resta tentar acertar nas mãos de Marcelo Rospide para enfrentar o Atlético-GO , também às 18h30 deste sábado, no Serra Dourada.

Partida ruim e vaias da torcida

O jogo parecia propício para o Palmeiras voltar a vencer, pois enfrentava o último colocado do Campeonato Brasileiro. Mas o que se viu no primeiro tempo da disputa com o Grêmio Prudente foi uma partida sem grandes emoções, com dois times afoitos e errando demais.

O Prudente teve duas boas chances de abrir o marcador, mas acabou parando nas mãos de Deola, que segue substituindo o lesionado Marcos. Na primeira delas, aos 12 minutos, Marcelo Oliveira conseguiu se livrar de dois defensores, mas acabou finalizando fraco quando estava frente a frente com o arqueiro alviverde. Aos 32, Cleidson fez bom cruzamento para Rodrigo Mancha, que também acabou sendo barrado pelo goleiro palmeirense.

No lado alviverde, a melhor chance foi aos 35 minutos com Kleber, que voltou ao time depois de cumprir suspensão contra o São Paulo. No lançamento de Marcos Assunção, o camisa 30 cabeceou bem, mas Giovanni conseguiu afastar. O próprio Gladiador conseguiu pegar o rebote e cruzou para Dinei, estreante da noite, que mandou para fora.

No mais, o que se viu no Prudentão foi um festival de passes errados. Aos 40 minutos foram contabilizados 32 erros, sendo 17 para o lado prudentino e 15 para o palmeirense. Como resultado de um 0 a 0 sem grandes emoções, as vaias. O Palmeiras não empolgava. E o Prudente pouco fazia para tentar se livrar da lanterna. Pior para o público.

Atacante erra, mas volante acerta

Na segunda etapa, Luiz Felipe Scolari fez algumas alterações no Palmeiras para conseguir ter vantagem sobre o adversário. Com Rivaldo mal na esquerda, ele optou pela entrada do garoto Gabriel Silva e colocou Edinho mais próximo de Vítor, pela direita. O Alviverde logo passou a dominar a partida e pressionar o Grêmio Prudente.

Na primeira tentativa, Marcos Assunção cruzou, e Danilo perdeu cara a cara com Giovanni um gol incrível, aos 13. Dois minutos depois, o Palmeiras viu o alívio aparecer nos pés de um volante. Edinho chutou cruzado, Dinei errou o chute, mas a bola sobrou caprichosamente para Márcio Araújo acertar o alvo e agradecer aos céus.

A vitória fora de casa confirma o bom momento do time longe do Pacaembu. Esta foi a oitava partida invicta distante de seus domínios – a última derrota no Brasileiro foi para o Avaí (4 a 2), na estreia de Felipão no comando do time, em julho passado. E eleva o moral palmeirense para mais um jogo no campo rival, desta vez contra o Flamengo, no Engenhão.

GRÊMIO PRUDENTE 0X1 PALMEIRAS
Giovanni, Bruno Ribeiro, Anderson Luis, Diego e Cleidson (Flavio Boaventura); Rodrigo Mancha, Roberto, Marcelo Oliveira e Fabiano Gadelha; Carlos Eduardo (Henrique Dias) e Hugo. Deola, Vítor, Maurício Ramos, Danilo e Rivaldo (Gabriel Silva); Edinho, Pierre, Márcio Araújo e Marcos Assunção; Dinei (Tadeu) e Kleber.
Técnico: Marcelo Rospide. Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Gols: Márcio Araújo, aos 15 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Diego e Marcelo Oliveira (Grêmio Prudente). Maurício Ramos (Palmeiras).
Estádio: Prudentão, em Presidente Prudente. Data: 22/09/2010.Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR/Fifa). Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior e João Bourgalber Nobre Chaves (ambos do PR)

setembro 22, 2010 Posted by | Grêmio Prudente, Palmeiras | , | Deixe um comentário

Botafogo busca empate heróico nos acréscimos contra o Vasco

Após estar perdendo por 2 a 0 e ter Herrera expulso, Alvinegro consegue um ponto no clássico com o gol de Loco Abreu aos 47 do segundo tempo

O Vasco tinha a vitória na mão, mas novamente deixou escapar os três pontos. Após sair perdendo por 2 a 0, o Botafogo buscou o empate e conseguiu mais um ponto na classificação com um gol de pênalti de Loco Abreu aos 47 minutos do segundo tempo. Durante parte da etapa final, o Alvinegro atuou com um jogador a menos já que Herrera foi expulso. E no emocionante clássico, nesta quarta-feira, no Estádio Olímpico João Havelange, tudo igual: 2 a 2. Ramon e Éder Luis, para o Vasco, e Herrera e Loco Abreu, para o Botafogo, marcaram os gols.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Foi o 12º empate do Vasco em 23 rodadas no Campeonato Brasileiro. Com isso, o clube segue em posições intermediárias na classificação: 13º lugar com 30 pontos. Já o Botafogo está na briga para ficar entre os classificados para a Taça Libertadores. Com o resultado, o Alvinegro ficou em quarto lugar com 39 pontos.

Segundo decisão da Conmebol nesta quarta-feira, o Brasileirão classificará apenas três equipes para a Libertadores. Na próxima rodada, o Vasco enfrenta o Guarani, no sábado, no Brinco de Ouro, em Campinas. O Botafogo encara o Atlético-PR, no domingo, no Engenhão.

O Botafogo não perde uma partida no Engenhão há mais de cinco meses. Agora são 15 jogos (seis vitórias e nove empates). A última derrota no estádio aconteceu em abril: 2 a 3 para o Santa Cruz, pela Copa do Brasil.

O Vasco entrou em campo sem Felipe e Carlos Alberto. Paulo César Gusmão preferiu deixar os dois jogadores, que voltam de lesão, no banco. E logo no início, o torcedor vascaíno já lamentou a decisão ao ver Rafael Coelho perder mais um gol inacreditável após receber passe de Éder Luis. Livre na área, na frente do goleiro Jefferson, ele chutou para fora. Logo depois, o atacante ainda caiu na área pedindo um pênalti, que o árbitro ignorou.

De camisa preta, o Vasco estava melhor com Éder Luis e Ramon explorando bem as jogadas pela esquerda em cima de Alessandro. E o primeiro gol saiu aos 13 minutos. Antônio Carlos foi tentar sair para o ataque e foi surpreendido por Zé Roberto. Fellipe Bastos ficou com a bola e tocou para Ramon. O lateral cortou para o meio e chutou. No caminho, houve um desvio na defesa alvinegra, que enganou o goleiro Jefferson. Vasco 1 a 0. Após o lance, os jogadores do Botafogo reclamaram de falta em Antônio Carlos no início do lance.

O jogo era muito disputado, com divididas duras. O árbitro economizava nos cartões. Pouco criativo, o Botafogo não conseguia chegar com perigo ao gol de Fernando Prass. A única chance no primeiro tempo foi com Maicosuel. Chute para fora após a bola sobrar limpa na área.

Mais uma vez, o Alvinegro sofreu com as lesões. Perdeu dois jogadores no primeiro tempo. Antônio Carlos saiu aos 17 minutos com um problema no tornozelo. Maicosuel aos 32. Joelho, preocupando bastante o departamento médico. O técnico Joel Santana teve que mudar a forma de atuar da equipe no clássico. Colocou primeiro Caio. Depois, Herrera. Não deu certo. Com a saída de Antônio Carlos, Leandro Guerreiro foi para a defesa. Fahel ficou no meio. Mas a avenida ainda existia no setor direito da defesa. Do banco, veio a ordem para os dois trocarem. Fahel recuou, Leandro Guerreiro avançou. Nada adiantou.

Éder Luis recebeu passe na esquerda, avançou para o meio e chutou forte no canto de Jefferson. Um lindo gol. Vasco 2 a 0. E a torcida começou a gritar “Joel, tira o Fahel”. Algum tempo depois, o volante caiu no campo pedindo uma falta e a torcida do Botafogo comemorou.

O lance do segundo gol do Vasco nasceu de uma bola perdida pelo Caio no ataque. No fim do primeiro tempo,o Caio fez a mesma coisa e Éder Luis quase marcou o terceiro em um contra-ataque. Herrera e, principalmente, Loco Abreu repreenderam duramente o Caio, que tentou se explicar. Terminou o primeiro tempo. Quando deixava o campo rumo ao vestiário, Joel Santana foi chamado de burro por alguns torcedores da ala oeste e foi aplaudido por outros.

No intervalo, Paulo César Gusmão tirou o atacante Rafael Coelho e colocou Carlos Alberto em campo. O Vasco ganhou mais qualidade, mas também ficou mais exposto. E em uma bobeira de Fernando Prass, o Botafogo diminuiu aos dez minutos. Após o goleiro sair mal do gol, Herrera aproveitou a sobra e, de cabeça, encobriu o camisa 1 cruzmaltino. Nilton ainda tentou evitar o gol, mas foi todo estranho para a bola.

Mas a reação alvinegra foi prejudicada quando o atacante argentino perdeu a cabeça e foi expulso. Aos 18 minutos, Herrera entrou forte em Zé Roberto. E recebeu o segundo cartão amarelo.

O Vasco passou a dominar a partida, mas não conseguia fazer o terceiro e decidir. Carlos Alberto até colocou a bola no fundo da rede, mas estava impedido. Da área técnica, Joel Santana pedia para o Botafogo jogar com as bolas aéreas para Loco Abreu. Era a única alternativa para tentar o empate.

Carlos Alberto poderia acabar com o sofrimento da torcida cruzmaltina, mas não teve competência na hora do chute. Jefferson defendeu. Felipe entrou, mas o Vasco ficou mais lento e fraco na marcação. Quando aos 39 minutos Ramon se machucou e teve que sair de campo com um problema muscular deixando o Vasco também com dez jogadores, o Botafogo se animou novamente. E foi para o abafa.

O Vasco recuou e foi castigado. Em um lance infantil, Titi colocou a mão na bola após o cruzamento e cometeu pênalti. Loco Abreu pegou a bola e cobrou muito bem no canto esquerdo de Fernando Prass. Era o gol alvinegro aos 47 minutos do segundo tempo. Era mais um empate para o Vasco, que vencia por 2 a 0. E o Botafogo segue na briga pelas primeiras posições.

VASCO 2 X 2 BOTAFOGO
Fernando Prass, Fágner, Dedé, Titi e Ramon; Nilton, Rafael Carioca, Fellipe Bastos e Zé Roberto (Felipe); Éder Luís (Nunes) e Rafael Coelho (Carlos Alberto). Jefferson, Danny Morais, Antônio Carlos (Caio) e Fábio Ferreira; Alessandro, Leandro Guerreiro, Fahel, Renato Cajá (Edno) e Somália; Maicosuel (Herrera) e Loco Abreu.
Técnico: Paulo Cesar Gusmão Técnico: Joel Santana
Gols: Ramon aos 13 e Éder Luis aos 36 minutos do primeiro tempo; Herrera aos 10 e Loco Abreu aos 47 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Zé Roberto, Fellipe Bastos, Nunes (Vasco); Loco Abreu, Alessandro, Danny Morais, Herrera (Botafogo)
Cartão vermelho: Herrera (Botafogo)
Público: 14.248 pagantes / 16.736 presentes
Renda: R$ 347.545,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (Fifa-RJ) e Luiz Muniz de Oliveira (RJ).
Estádio: João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro.

setembro 22, 2010 Posted by | Botafogo, Vasco da Gama | | Deixe um comentário

No clássico do Z-4, Atlético-GO vence e deixa o Goiás para trás

No Serra Dourada, time rubro-negro interrompe série invicta do Esmeraldino e ultrapassa o rival direto na luta contra a degola

O Atlético-GO levou a melhor sobre o Goiás, no clássico contra a degola, na noite desta quarta-feira, no Serra Dourada, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time rubro-negro venceu por 3 a 1 e, apesar de seguir na zona de rebaixamento, assim como o Esmeraldino, ganhou posições importantes e ultrapassou os arquirrivais – que estavam invictos há quatro jogos – na classificação. Elias abriu o placar para os atleticanos logo no início da partida. Amaral igualou, ainda na primeira etapa, mas, no segundo tempo, Gilson e Juninho garantiram os três valiosos pontos para a equipe comandada por René Simões.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Com 23 pontos, o Dragão é o 17º colocado da tabela. O time do técnico Jorginho, com 21, é o vice-lanterna. As equipes voltam a campo no sábado, quando o Atlético-GO recebe o Grêmio Prudente, às 18h30m (de Brasília), no Serra Dourada, e o Goiás vai ao Morumbi encarar o São Paulo, no mesmo horário.

Dragão abre o placar, Esmeraldino empata

O Atlético-GO começou o clássico insistindo pelo lado esquerdo. Já nos primeiros minutos, Thiago Feltri chegou a tentar algumas jogadas pelo setor e foi de lá que, aos seis, o placar foi aberto. Em contra-ataque veloz do time rubro-negro, Elias recebeu passe na intermediária, avançou até a linha da grande área e chutou cruzado, fora do alcance do goleiro Harlei – 1 a 0.

Lance polêmico, aos 14. Em dividida na pequena área, o meia Diguinho se chocou com Harlei e foi ao chão. Apesar dos pedidos de pênalti dos atleticanos, o árbitro Sálvio Spinola mandou o jogo seguir. O Dragão manteve a pressão. Aos 16, Elias foi derrubado na entrada da área, mas a bola sobrou para Feltri e a arbitragem aplicou a lei da vantagem. No chute cruzado do lateral, a bola carimbou a trave esquerda de Harlei. O Goiás quase chegou ao empate em bela jogada individual de Wendel Santos, pela direita. O lateral-direito deixou dois atleticanos para trás, invadiu a área, mas finalizou sem equilíbrio, e Agenor conseguiu cortar para escanteio, aos 20.

Em seguida, dois lances determinaram a igualdade no placar. O primeiro deles – o gol de empate – aconteceu aos 26. Amaral aproveitou a cobrança de escanteio da esquerda, se antecipou à zaga e, em cabeçada certeira, balançou as redes de Márcio – 1 a 1. Logo depois, aos 28, Gilson, também de cabeça, quase pôs o Dragão novamente em vantagem, mas Harlei – em defesa salvadora – pulou no canto direito e espalmou para escanteio.

Os minutos seguintes foram de equilíbrio em campo, com os jogadores das duas equipes exagerando nas tentativas de cavar faltas, mas dando pouco trabalho aos goleiros.

Atleticanos garantem a vitória

Não se pode dizer que o Goiás foi surpreendido pelo segundo gol do Atlético-GO, que saiu logo aos cinco minutos da etapa final. Em lance que vinha sendo ensaiado desde o início da partida, o zagueiro Gilson aproveitou o escanteio da direita e, da primeira trave, cabeceou para escrever 2 a 1 no marcador.

Apesar das entradas de Romerito e Bernardo no intervalo, o Esmeraldino perdeu em organização no meio de campo, e o Dragão aproveitou para valorizar a posse de bola. Em lampejo do ataque alviverde, Amaral quase igualou o placar novamente, mas a cabeçada saiu à esquerda da meta de Márcio.

O Atlético-GO recuou, e, aos 33, Rafael Moura tentou um lance de efeito. Após receber cruzamento da direita, o He-Man dominou no peito e emendou de bicicleta, mas Márcio só observou enquanto a bola saía pela linha de fundo.

O golpe final dos rubro-negros ainda viria, aos 40. Anaílson fez o cruzamento da esquerda para  Elias, que recebeu e carimbou a trave direita de Harlei. O camisa 1 na pôde fazer para evitar que Juninho, de frente para o gol, pegasse o rebote e fechasse a contagem: 3 a 1.

GOIÁS 1 X 3 ATLÉTICO-GO
Harlei, Wendel Santos, Valmir Lucas, Rafael Tolói e Junior; Amaral, Wellington Monteiro, Wellington Saci (Romerito) e Everton Santos (Bernardo); Rafael Moura e Felipe. Márcio; Vitor Ferraz, Daniel Marques, Gilson e Thiago Feltri; Agenor, Pituca (Juninho), Robston, Diguinho (Keninha) e Elias; Marcão (Anailson).
Técnico: Jorginho. Técnico: René Simões.
Gols: Elias (Atlético-GO), aos seis; Amaral (Goiás), aos 26 minutos do primeiro tempo. Gilson (Atlético-GO), aos cinco; Juninho (Atlético-GO), aos 40 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Wellington Monteiro, Valmir Lucas (Goiás); Pituca, Daniel Marques, Agenor e Diguinho (Atlético-GO).
Estádio: Serra Dourada, em Goiânia. Horário: 19h30m (de Brasília).Data: 22/09/2010. Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa/SP).Assistentes: Jesmar Benedito Miranda de Paula (GO) e João Patrício de Araújo (GO).

setembro 22, 2010 Posted by | Goiás | , | Deixe um comentário

Sem Dorival e R9, Peixe e Timão se enfrentam

Mesmo sem as principais estrelas, clássico é o atrativo da rodada do Campeonato Brasileiro

O clássico entre Santos e Corinthians, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, promete esquentar a rodada do Campeonato Brasileiro. A partida já gerou grande expectativa apenas pela confirmação das principais estrelas das equipes: Neymar pelo Santos e Ronaldo pelo Corinthians. O santista até foi afastado pelo técnico Dorival Júnior, mas o treinador acabou sendo demitido e a Joia deve jogar. O Fenômeno está fora.

Na equipe de Adilson Batista, a última esperança de contar com Ronaldo para o clássico chegou ao fim na terça-feira. Sem treinar com bola no dia anterior, o clube paulista confirmou a ausência do Fenômeno. De acordo com a programação da comissão técnica, ele segue em tratamento para curar o edema na panturrilha esquerda, que o tirou dos últimos três jogos. Além do camisa 9, Dentinho também foi vetado para a partida, já que ainda não se recuperou de lesão na coxa esquerda.

– Evidente que gostaria de contar com todos eles, você tem mais peças de reposição. Infelizmente não foi possível. Não vamos ficar lamentando, vamos tentar encontrar alternativas, Souza, William Morais, adiantar o Defederico, o Bruno, tentando criar algumas situações – disse Adilson Batista.

Entretanto, o Corinthians também teve boas notícias. Ralf, que havia torcido o tornozelo esquerdo diante do Grêmio e desfalcou o Timão contra o Fluminense e o Grêmio Prudente, treinou normalmente e não deve ser problema. Outro que não deve preocupar é Alessandro, que saiu no intervalo da partida diante do Prudente com um pancada na panturrilha. O lateral também participou do treinamento e viajou com a delegação para Santos.

Mesmo sem contar com Ronaldo, mais uma vez, Adilson Batista terá a presença de Iarley, seu homem de confiança. Na ausência do Fenômeno, o camisa 21 vem correspondo as expectativas do treinador e já marcou cinco gols nos últimos seis jogos do Corinthians. Com sete gols no Brasileirão, concorre com Bruno César pela artilharia da equipe no Nacional.

Ostentando o melhor ataque do Campeonato Brasileiro, ao lado do Fluminense e com um jogo a menos, Adilson confia no poder de definição de seus jogadores e garante que o crédito é todo deles.

– É a qualidade dos nosso jogadores mesmo. Quem bota a bola para dentro são eles. Eu só escalo – completou o treinador corintiano.

A tarefa, que já não era fácil, ficou mais complicada para o Santos. Além de enfrentar o líder Corinthians, o Peixe não vai ter Dorival Junior. Na véspera do clássico paulista, o técnico não fez mistério e tinha confirmado que o ataque do Peixe será formado por Madson e Marcel. A dupla atuou como titular no último domingo, no empate sem gols contra o Guarani, e fez a ausência de Neymar ser sentida. Com isso, a diretoria não perdoou e demitiu o treinador, campeão paulista e da Copa do Brasil.

Edu Dracena é o desfalque do Santos. O zagueiro cumpre suspensão pelo terceiro cartão amarelo e vai ser substituído por Bruno Aguiar.

A surpresa da lista é o meia Alan Patrick entre os titulares, ajudando Marquinhos na armação das jogadas. Pará, que não enfrentou o Guarani no último domingo por ter sofrido um acidente de carro dois dias antes da partida, volta à equipe.

Com a saída de Dorival, Narciso deve comandar o time no clássico.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS X CORINTHIANS

Estádio: Vila Belmiro, São Paulo (SP)
Data/hora: 22/9/2010 – 22h
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Alessandro Álvaro de Matos (Fifa-BA) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)

SANTOS: Rafael, Pará, Bruno Aguiar, Durval, Léo; Arouca, Danilo, Alan Patrick, Marquinhos; Neymar e Marcel. Técnico: Narciso.

CORINTHIANS: Julio Cesar, Alessandro, William, Paulo André e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Bruno César; Jorge Henrique e Iarley. Técnico: Adilson Batista.

*Atualizada às 23h30

setembro 22, 2010 Posted by | Corinthians, Santos | , , | Deixe um comentário

Vasco e Botafogo batalham pelo desempate em ano eletrizante

Entre goleada e decisão de turno no Estadual, quem vai sorrir no fim?

Segundo um conhecido ditado popular, quem ri por último é aquele que ri melhor. Em uma temporada de duelos emocionantes entre si, Vasco e Botafogo fazem nesta quarta-feira o último clássico alvinegro de 2010, no Engenhão, às 21h. Com uma vitória para cada lado e um empate, resta buscar com tudo os três pontos e fechar com chave de ouro um período de grandes confrontos.

A partida com transmissão em tempo real pelo LANCENET! será a terceira no estádio do Glorioso desde janeiro, apesar de o mando de campo ser vascaíno. No primeiro embate do ano, deu Vasco por incríveis 6 a 0. Depois, na final da Taça Guanabara, no Maracanã, triunfo do Bota por 2 a 0. Já no turno inicial do Brasileirão, tudo igual em 1 a 1. Diante de tantos placares diferentes, o público pode esperar por fortes emoções antes de sorrir.

CABEÇA ERGUIDA

Pelo lado cruzmaltino, o time tenta se recuperar da primeira derrota no período pós-Copa e busca a vitória para voltar a sonhar com uma vaga no G4. Para o clássico, o técnico Paulo César Gusmão terá à disposição os meias Felipe e Carlos Alberto, recém-recuperados de lesão, além do atacante Nunes, que estava recuperando a forma física. Porém, o treinador preferiu manter o mistério quanto à escalação titular.

– Serão aproveitados ou no banco de reservas ou dentro do campo de acordo com o que acontecer. A comissão técnica vai sentar com os jogadores e avaliar o que eles tiverem de melhor para aproveitá-los em 90 minutos, 45 ou em 20% do jogo. Eles vão ser aproveitados da melhor maneira possível, mas ainda não sei se todos eles – disse PC, que elogiou a equipe comandada por Joel Santana:

– Posso destacar todo o Botafogo, que é uma equipe forte. Para um time ser forte, deve ser equilibrada em todos os setores.

MIRA NO VASCO, MIRA NO TÍTULO

Jogos contra o Vasco significam dias de mudanças para o Botafogo. Depois do fatídico 6 a 0, o Glorioso contratou Joel Santana e deu a volta por cima no Estadual. Quase oito meses depois daquele 24 de janeiro, a meta no Botafogo é arrancar na base da vitória e continuar na caça dos líderes. De acordo com o técnico, são jogos assim que dão moral para crescer.

– Clássico é clássico. Nosso grande momento no Carioca foi quando vencemos os clássicos. Ganhamos o Flamengo em uma quarta-feira, eu acho, e depois vencemos o Vasco no domingo. Assim a equipe chegou com força. Tem certos momentos da competição que ganhamos moral com triunfos – disse Joel Santana, que espera sair logo dos 38 pontos.

De olho em voltar a fazer três pontos, após perder por 4 a 1 para o Goiás e empatar em 2 a 2 com o Cruzeiro, o Botafogo deve voltar a contar com o esquema 3-5-2. Loco Abreu e Herrera podem ser escalados na frente, enquanto Jobson ainda continua em recuperação de lesão na coxa direita e está fora de combate.

Por outro lado, o lateral-direito Alessandro recuperou-se de entorse no tornozelo e vai para campo. Também confirmado e às vésperas de disputar o primeiro clássico após voltar ao Bota, Maicosuel não esconde a ansiedade.

– A motivação de todos fica ainda maior em um clássico. Comigo não é diferente. Sei que a responsabilidade é grande, mas o grupo me ajuda muito. O carinho da torcida também é importante. Será um jogo complicado, mas quero superar as memórias e mostrar o Maicosuel de hoje – afirmou.

FICHA TÉCNICA:
VASCO X BOTAFOGO

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 22/9/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (Fifa-RJ) e Luiz Muniz de Oliveira (RJ)

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Titi e Ramon; Rafael Carioca, Nilton, Felipe e Carlos Alberto; Zé Roberto e Felipe. Técnico: Paulo César Gusmão.

BOTAFOGO: Jefferson, Danny Morais, Antônio Carlos, Fábio Ferreira; Alessandro, Leandro Guerreiro, Fahel, Maicosuel, Somália; Herrera e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

setembro 22, 2010 Posted by | Botafogo, Vasco da Gama | , | Deixe um comentário

Duelo de técnicos marca Grêmio x Fla

Renato Gaúcho e Silas tentam provar que foram boas escolhas

A dança dos técnicos é uma constante no Campeonato Brasileiro. Porém, um clube que troca de treinador nem sempre se dá bem. Tentando provar que foram boas apostas, Renato Gaúcho, do Grêmio, e Silas, do Flamengo, enfrentam-se nesta quarta-feira, às 22h, no Estádio Olímpico, pela 24ª rodada do Brasileirão. Ambos querem mostrar que suas equipes podem, sim, embalar na competição.

O curioso é que Renato assumiu o posto justamente no lugar de Silas, que deixou o Olímpico muito criticado pela torcida e, após um período sem clube, foi contratado pelo time da Gávea. Tudo isso coloca ainda mais fogo no duelo pessoal entre os técnicos.

Depois de perder em casa para o Palmeiras, por 2 a 1, o Tricolor vem de uma vitória fora de casa por 3 a 0 sobre o Avaí e espera conseguir uma sequência positiva a partir de agora. O mesmo quer o Rubro-Negro, que venceu o Grêmio Prudente na 22ª rodada e empatou com o vice-líder Fluminense em seguida.

Renato Gaúcho terá um único desfalque em relação ao último jogo, o volante Fábio Rochemback, que fará falta pelos lançamentos e cobranças em bola parada. Contudo, o substituto, Ferdinando, é elogiado pelo poder de marcação.

– Confio plenamente neste rapaz. A atuação dele na vitória sobre o Corinthians foi muito boa – disse Renato Gaúcho, prevendo um bloqueio maior dos contra-ataques do Flamengo.

Para o goleador Jonas, o alargamento da distância para a zona de rebaixamento, agora de oito pontos, aumenta a confiança do grupo.

– Sem aquela pressão, a gente joga mais leve, cria mais, e pode sonhar mais alto. Só não podemos esquecer o aqui, o agora – destacou o autor de dois belos gols no 3 a 0 sobre o Avaí, que o alçaram à liderança dos artilheiros, com 11.

No Flamengo, os desfalques são o lateral-esquerdo Juan, que ainda se recupera de lesão no tornozelo, e Willians, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo. Rodrigo Alvim será mantido na lateral. No meio, a tendência é a de que Correa entre ao lado de Toró, Kleberson e Renato. Existe ainda a possibilidade de Ronaldo Angelim ser poupado na zaga. Nesse caso, Jean deve ser o escolhido.

– Temos o Palmeiras com 29 pontos jogando em Prudente e esses dois últimos jogos nos favoreceram. Precisamos ajudar a tabela para ficarmos numa situação mais confortável – afirmou Silas.

O atacante Deivid, que desencantou no último domingo e marcou seu primeiro gol com a camisa rubro-negra, confia em uma boa atuação fora de casa.

– Sempre disse que precisaríamos de tempo para nos entrosar. Agora é que estou conhecendo melhor o Diogo e o Léo Moura, por exemplo, que encostam mais lá na frente no ataque. Por isso os resultados começam a aparecer – explicou.

GRÊMIO X FLAMENGO

Estádio: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 22/9/2010 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa – DF)
Auxiliares: Enio Ferreia de Carvalho (DF) e Kleber Lucio Gil(SC)

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Vilson, Rafael Marques e Fábio Santos; Ferdinando, Adilson, Souza e Douglas; Jonas e André Lima. Técnico: Renato Gaúcho.

FLAMENGO: Marcelo Lomba, Léo Moura, David, Ronaldo Angelim (Jean) e Rodrigo Alvim; Toró, Correa, Kleberson, Willians e Renato; Diogo e Deivid. Técnico: Silas.

setembro 22, 2010 Posted by | Flamengo, Grêmio | , | Deixe um comentário

No Morumbi, São Paulo quer embalar contra o Guarani

Após vencer o Palmeiras, Tricolor pode subir na tabela

O São Paulo recebe o Guarani nesta quarta-feira, às 19h30, no Morumbi, para tentar embalar no Campeonato Brasileiro. A equipe de Sérgio Baresi se recuperou diante do Palmeiras e ocupa 8ª colocação, com 31 pontos, sete a menos que o Botafogo, último time que se garantiria na Libertadores neste momento.

Para o jogo, o Tricolor terá o desfalque de Ilsinho. O lateral-direito torceu o tornozelo esquerdo no clássico de domingo e não poderá jogar por duas semanas. Além dele, Junior Cesar (lesão no tendão-de-aquiles) e Fernandinho (estiramento no músculo posterior da perna direita) também estão no departamento médico.

O São Paulo terá dois jogos no Morumbi. Depois de encarar o Bugre, a equipe recebe o Goiás, no sábado. Essa sequência pode fazer com que o Tricolor volte a brigar por algo maior no campeonato. Para conseguir isso, Richarlyson se espelha na última atuação:

– Temos de ter a mesma atitude que a gente teve contra o Palmeiras. Mesmo se nós tivéssemos vencido o Inter, eu não teria gostado da nossa atitute. Contra o Palmeiras, a nossa atitude foi diferente e, em nenhum momento, a torcida ficou cabisbaixa.

A novidade é o retorno de Ricardo Oliveira. O atacante está recuperado de uma tendinite no joelho esquerdo e voltará a disputar uma partida após quase um mês frequentando o Reffis.

Depois de empatar sem gols no Brinco de Ouro com o Santos, o Guarani tem mais um grande paulista pela frente. Apesar de não vencer há duas rodadas, o alviverde campineiro se mantém em uma situação estável no Brasileirão, atualmente está em 10º lugar com 30 pontos.

Para a partida desta quarta-feira, o técnico Vágner Mancini não contará com duas importantes peças de sua equipe. O volante Renan e o atacante Mazola não entrarão em campo, ambos pertencem ao São Paulo e estão emprestados para o Guarani, na negociação houve o acordo de que eles não poderiam enfrentar o clube que os cedeu por empréstimo. No lugar de Renan, já está confirmada a entrada de Maycon.

Já na vaga de Mazola, Mancini mantém um certo mistério. Geovane que substituiu Mazola na última partida, quando o mesmo estava suspenso, pode perder a vaga para um terceiro zagueiro. No treinamento da manhã desta terça-feira, o treinador chegou escalar a equipe titular no 3-5-2, com Fabão, Ailson e Aislan formando o trio defensivo. O Bugre entrou com essa formação apenas uma vez na competição e o resultado não foi dos melhores: 4 a 2 para o Cruzeiro.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X GUARANI

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 21/9/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Vicente Romano Neto (SP) e Marcelo Van Gasse (SP)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Rodrigo Souto, Alex Silva e Miranda; Jean, Casemiro, Jorge Wagner, Lucas e Richarlyson, Fernandão e Ricardo Oliveira. Técnico: Sérgio Baresi.

GUARANI: Douglas; Fabão, Ailson e Aislan (Geovane); Apodi, Maycon, Paulo Roberto, Baiano e Marcio Careca; Mario Lucio e Ricardo Xavier. Técnico: Vágner Mancini.

setembro 22, 2010 Posted by | Guarani, São Paulo | , , | Deixe um comentário

Prudente x Palmeiras: momentos conturbados marcam duelo

Time do interior paulista está na lanterna e Verdão sofre para embalar

Palmeiras e Grêmio Prudente se enfrentam nesta quarta-feira, no estádio Prudentão, às 19h30, em partida válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, com objetivos muito parecidos na competição: a recuperação imediata.

O time do interior paulista, lanterna do nacional com apenas 17 pontos, luta bravamente contra um rebaixamento anunciado. E para evitar a incômoda última colocação na tabela, o time do técnico Marcelo Rospide ganhou o reforço do volante Marcelo Oliveira, que foi desfalque no duelo contra o Corinthians.

– Não podemos abaixar a cabeça. Vamos enfrentar as dificuldades e sair desta situação. O Palmeiras está vindo de derrota em um clássico, tem jogadores de qualidade, então com certeza vai vir para o Prudentão querendo jogar. Mas, jogando em casa, temos que impor nosso ritmo, marcar bem o time deles – disse o volante.

Outro reforço prudentino é o meia Wesley, que desfalcou o Grêmio nas últimas três partidas e foi liberado pelo departamento médico após se recuperar de um problema na panturrilha.

– Precisamos pensar em um jogo de cada vez. Primeiro vamos pensar em vencer o Palmeiras aqui, claro que com todo respeito que o time deles merece.Sabemos que a situação está complicada. Mas, sabemos também que ninguém vai poder nos ajudar a não ser nós mesmos. Então o jeito é trabalhar, se unir mais ainda para tentar sair desta situação – disse o meia.

Apesar de ter desfalques importantes, o Verdão também terá dois importantes retornos para a partida no Estáido Eduardo José Farah. O atacante Kleber Gladiador e o volante Edinho retornam após cumprirem suspensão e irão começar a partida entre os titulares.

Os desfalques são Valdivia e Tinga que estão suspensos por terem levado o terceiro cartão amarelo no clássico contra o São Paulo. Além deles, o técnico Luiz Felipe Scolari ainda não pode contar com os lesionados Marcos e Lincoln. O meia está mais próximo da volta e pode ser relacionado para a partida do próximo fim de semana, contra o Flamengo.

Além deles, o Palmeiras também perdeu o atacante Ewerthon, que sofreu um trauma na cartilagem do joelho esquerdo e deve ficar fora do time até o fim do Campeonato Brasileiro. Com isso, Tadeu, ex-Grêmio Prudente, deve seguir como titular de Felipão.

– Eu ja passei momentos assim, é muito triste, um jogador que vinha crescendo, que é importante, estamos na expectativa que ele volte o mais rapidamente possível. É um jogo dificil, o Grêmio Prudente vai jogar a vida deles pra sair dessa situação. Agora é concentrar neles pra subir na tabela – disse Tadeu.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO PRUDENTE X PALMEIRAS

Estádio: Prudentão, em Presidente Prudente (SP)
Data/hora: 22/9/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueria Junior (SP) e João Bourgalber Nobre Chaves (SP)

GRÊMIO PRUDENTE: Giovanni, Paulo César, Anderson Luiz, Diego e Marcelo Oliveira; Rodrigo Mancha, Roberto, Eduardo Ramos e Fabiano Gadelha; Hugo e Wesley. Técnico: Marcelo Rospide.

PALMEIRAS: Deola, Vitor, Maurício Ramos, Danilo, Fabrício; Edinho, Pierre, Márcio Araújo e Marcos Assunção; Kleber e Tadeu. Técnico: Felipão.

setembro 22, 2010 Posted by | Grêmio Prudente, Palmeiras | , | Deixe um comentário

Cruzeiro pega Vovô buscando encostar no topo

Raposa tem sequência de bons resultados e Ceará promete jogar sem medo de atacar

A oito jogos sem perder no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro recebe o Ceará nesta quarta-feira, às 19h30, na Arena do Jacaré, para tentar manter o embalo da série invicta e não se distanciar do líder Corinthians.

Dono da melhor campanha do returno do Brasileirão com dez pontos conquistados em quatro jogos, o time de Cuca buscará a sétima vitória em casa. Pela segunda vez desde que chegou ao clube, o treinador poderá repetir o mesmo time que empatou com o Botafogo, no Engenhão.

Entre uma das manutenções que podem acontecer, é a escalação do meia Roger ao lado de Montillo. Ambos foram titulares contra o Alvinegro Carioca e tiveram boa atuação.

Roger acredita que poderá ser mantido e pede o apoio da torcida para que a Raposa consiga superar o Ceará, adversário considerado pelo cruzeirense como tinhoso.

– O torcedor não pode ir para o estádio achando que vai ser um jogo que vai ser definido logo. Tem que ter muita paciência. Vai ser um jogo de xadrez, pois o Ceará vem fechado, para tirar pontos da gente. Então, o time tem de ser muito inteligente para não ser surpreendido – avisou Roger.

Com o status de o único técnico invicto do Campeonato Brasileiro, Dimas Filgueiras afirma que o Ceará não vai jogar acuado diante do Cruzeiro. Para o treinador do Vozão, que em três partidas à frente da equipe conseguiu dois empates e uma vitória, o objetivo é pontuar, mas não pode entrar em campo pensando em empatar.

– Desperdiçamos pontos em casa e temos de busca fora. O Cruzeiro é um time de muita qualidade, mas nosso objetivo é sair de campo com o resultado positivo. Vamos precisar saber explorar bem o erro deles e aproveitar as oportunidades que aparecerem – comentou Dimas.

Para seguir sem derrotas e ainda por cima acabar com a invencibilidade de oito partidas do time mineiro, o Ceará aposta no centroavante Marcelo Nicácio. O jogador, artilheiro da Série B de 2009 pelo Fortaleza, estreou no empate de 1 a 1 da semana passada com o Goiás, mas dessa vez vai começar como titular.

Outra novidade é o volante Heleno, que entra na vaga do meia Camilo, suspenso. Mas o defensor vai atuar como terceiro zagueiro. Por outro lado, o time cearense tem desfalques. O zagueiro Fabrício e o atacante Magno Alves estão machucados e nem viajaram com a delegação alvinegra.

A única dúvida de Dimas Filgueiras, no entanto, é o companheiro de Marcelo Nicácio. Kempes e Misael brigam pela vaga. No último duelo entre cearenses e mineiros, vitória para o Ceará por 1 a 0, no Castelão.


FICHA-TÉCNICA

CRUZEIRO X CEARÁ

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data e hora: 22 de setembro, às 19h30min (horário de Brasília)
Árbitro: Cláudio Francisco Lima e Silva/SE
Assistentes: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e Cleiriston Clay Barreto Rios (SE)

CRUZEIRO: Fábio, Rômulo, Edcarlos, Léo, Diego Renan; Fabrício, Henrique, Roger e Montillo; Thiago Ribeiro e Farías. T: Cuca

CEARÁ: Michel Alves; Anderson, Diego Sacoman e Heleno; Oziel, João Marcos, Michel, Geraldo e Ernandes; Marcelo Nicácio e Misael (Kempes). Técnico: Dimas Filgueiras.

setembro 22, 2010 Posted by | Ceará, Cruzeiro | , | Deixe um comentário

Internacional quer aprontar para cima do Atlético-PR na Arena

Colorado já soma cinco vitórias fora de casa e quer a sexta para seguir sonhando com o topo da tabela

O Internacional é um dos times que mais venceu como visitante neste Brasileiro: já são cinco vitórias, uma a menos do que conseguiu no Beira-Rio. Na mais recente, 3 a 1 no São Paulo, deu show de bola no Morumbi. A ideia é confirmar essa característica vencendo o Atlético-PR nesta quarta-feira, às 22, na Arena da Baixada, com transmissão em tempo real no LANCENET! .

Tanto é verdade que o plano de poupar D’Alessandro para a partida contra o Corinthians, domingo que vem, foi arquivado. O Inter, quarto lugar com 38 pontos, seis a menos que o líder, quer alcançar a ponta da tabela pensando jogo a jogo, como disse o técnico Celso Roth.

No treino da véspera, Roth confirmou força total. Só não joga quem não pode: o goleiro Renan e o lateral-direito Nei. Renan sofreu uma pancada na cabeça, domingo, contra o Vasco, e ainda está em observação, embora o caso não seja grave. Nei cumpre suspensão por ter recebido o terceiro cartão amarelo.

O argentino Abbondanzieri entra no gol. Roth se disse em dúvida entre Daniel e Glaydson para a posição de Nei. Mas é quase certo que optará pelo primeiro. Embora volante, Glaydson já atuou por ali com o técnico Jorge Fossati e se saiu bem. Além de menos experiente, Daniel, de 20 anos, não marca tão bem.

Cinco titulares entrarão na Arena da Baixada pendurados com dois cartões amarelos: Bolívar, Kleber, Wilson Mathias, D’Alessandro e Leandro Damião. Além do meia Andrezinho. O atacante Ilan foi incluído na delegação e poderá fazer sua estreia justamente contra o time que o revelou, atuando por alguns minutos. Sua forma ainda não é a ideal.

Quatro dias depois de sua melhor partida no Brasileiro, o Inter atuou muito mal contra o Vasco, domingo, no Beira-Rio, apesar de ter vencido por 1 a 0. A desculpa, além da forte marcação do adversário, foi a ausência de Tinga e Giuliano. O primeiro foi poupado. O segundo cumpriu suspensão por ter recebido o terceiro cartão amarelo.

Ambos estarão de volta. Andrezinho cede a vaga a Tinga e, Edu, a Giuliano. Com isso, Roth muda também o esquema, ou melhor, utiliza outra vez aquele que deu tão certo contra o São Paulo: o 4-2-3-1. Que se transforma em 4-3-3 quando o Inter recupera a bola, já que dois dos três meias se transformam em atacantes.

Atlético-PR

O time paranaense está de olho no G4 e tenta manter a boa fase e aumentar a sequência de vitórias, que, no momento, é de duas. Para isso, o técnico Paulo César Carpegiani fez total mistério quanto à escalação no último treino antes do jogo.

O treinador conta com os retornos do zagueiro Manoel, do lateral-esquerdo Paulinho e do armador Paulo Baier, que cumpriram suspensão. A tendência é a de que, apesar de o bom resultado fora de casa, o trio retorne. Mas fica a dúvida quanto ao padrão de jogo que será adotado.

– É um campeonato muito duro e este jogo é muito importante. Diante da nossa torcida precisamos conquistar mais três pontos. Nosso time vem mudando ao longo dos jogos, mas nosso grupo tem qualidade e vem mostrando força nas últimas partidas – disse o volante Vitor.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-PR X INTERNACIONAL

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data/Hora: 22/9/2010 – 22h (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e Guilherme Dias Camilo (MG)

ATLÉTICO-PR: Neto, Wagner Diniz, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Vitor, Branquinho e Paulo Baier; Maikon Leite e Bruno Mineiro. Técnico: Paulo César Carpegiani.

INTERNACIONAL: Abbondanzieri, Glaydson (Daniel), Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Mathias, Guiñazu, D’Alessandro e Tinga; Leandro Damião e Giuliano. Técnico: Celso Roth.

setembro 22, 2010 Posted by | Atlético-PR, Internacional | , | Deixe um comentário

Goiás x Atlético-GO clássico com contornos de decisão

Duelo tem equipes em situações iguais e táticas diferentes

LANCEPRESS!

O jogo não é uma decisão, mas tem um caráter de suma importância para Goiás e Atlético-GO, clássico que acontece no estádio Serra Dourada nesta quarta-feira, às 19h30.

Com as duas equipes na zona de rebaixamento (Goiás é 18° e Atlético 19°), o confronto de seis pontos pode mostrar quem continua vivo para fugir da Série B e quem se afunda de vez na competição.

Os dois lados não adotam essa teoria. Tanto o técnico René Simões quanto Jorginho acreditam que ainda têm muitas partidas pela frente, 45 pontos a serem disputados e que não se pode fazer um prognóstico. Ainda assim, o resultado pode interferir na sequência de ambos na competição, pois o Esmeraldino tenta manter uma série invicta e o Atlético espera volta a vencer após dois jogos. E os dois lados adotam táticas diferentes.

Mistério e pedido de apoio no Goiás:

Pelo lado esmeraldino, a tática do mistério mais uma vez foi utilizada. O técnico Jorginho fechou a primeira parte do treinamento, na tarde desta terça-feira, para montar o melhor esquema, assim como na véspera da partida contra o Corinthians, quando o treinador optou por três zagueiros. Só que dessa vez, o treinador não deve surpreender muito na formação.

Com o esquema 3-5-2, o time criou uma identidade e não perde há quatro jogos. Por isso, mudar antes de um clássico estadual não passa pela cabeça do treinador. Se não muda o esquema, o técnico mexe nas peças. Marcão e Júnior voltam ao time após cumprir suspensão automática contra o Bahia, assim como Jonílson, liberado pelo departamento médico. A dúvida fica para quem sai na defesa: Valmir Lucas e Rafael Tolói estão prestigiados e pode sobrar para Ernando. Na esquerda, Douglas perde a posição.

No ataque, é certo a permanência de Felipe e Rafael Moura. Este último acredita na reação esmeraldina na competição e convoca a torcida para vencer o duelo pacífico nas arquibancadas contra a rubro-negra. Para o He-Man, o momento que o time vive na competição é suficiente para o torcedor acreditar e apoiar o Goiás no clássico.

– Tomara que eles lotem o Serra Dourada, pois com o apoio do torcedor e com a nossa determinação em campo, o Goiás vai continuar nessa crescente no campeonato. Não pode ter uma cadeira vazia, porque aí sim cada vez mais nos vamos lutar dentro de campo – afirmou Rafael Moura.

Força e rapidez no contra-ataque no Atlético-GO:

É hora de explorar a velocidade. É o que pensa o técnico René Simões. O treinador realizou três alterações em relação ao time que perdeu para o Atlético-PR no último sábado e deu ênfase às jogadas de contra-ataque no treinamento realizado na manhã desta terça-feira.

Na defesa, o experiente Jairo dará lugar a Daniel Marques, que volta ao time titular após sequer ser relacionado para o último confronto. No meio, Agenor ganha a posição que Ramalho, que rompeu o tendão de Aquiles do pé esquerdo e só volta em 2011. Na frente, Juninho cede o lugar para Marcão, que volta após lesão, já que Diogo Galvão não pode enfrentar o Goiás, por estar emprestado ao Dragão pelo Esmeraldino.

Quem permanece na equipe é o meia Diguinho, que saiu com apenas 20 minutos do 1° tempo na última partida e mostrou claros sinais de insatisfação. O jogador teve uma conversa em separado com o técnico René Simões na última segunda-feira e o treinador o manteve para o confronto, com um posicionamento mais ofensivo e com o dever de dar velocidade ao setor esquerdo de ataque. O meia acredita que vai dar a volta por cima no clássico.

– Saí chateado sim, qualquer jogador sairia, porque quem não sair chateado no primeiro tempo, vai procurar outra profissão então. Tem que levantar a cabeça, se quiser jogar a culpa para cima de mim pode jogar, fui o culpado pela derrota e tenho certeza de que vou ser o culpado pela vitória no clássico. Não o culpado, mas sim o jogador que vai chamar a responsabilidade e tenho certeza de que meu dia vai ser totalmente diferente – afirmou o camisa 77.

FICHA TÉCNICA:
GOIÁS X ATLÉTICO-GO

Local: Estádio Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/Hora: 22/9/2010 às 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Jesmar Benedito Miranda de Paula (GO) e João Patrício de Araújo (GO)

GOIÁS: Harlei, Valmir Lucas, Rafael Tolói e Marcão; Wendel Santos, Wellington Monteiro, Romerito, Bernardo e Júnior; Felipe e Rafael Moura. Técnico: Jorginho.

ATLÉTICO-GO:Márcio, Victor Ferraz, Daniel Marques, Gilson e Thiago Feltri; Agenor, Pituca, Robston, Diguinho e Elias; Marcão. Técnico: René Simões.

setembro 22, 2010 Posted by | Goiás | , | Deixe um comentário

Brasileirão 2010 só classificará três times para a Taça Libertadores 2011

Conmebol anuncia que título da Libertadores não garante mais um posto para o país. Vaga ficará para o campeão da Copa Sul-Americana

O G-4 virou G-3. Foi isso que aconteceu, na prática, após o anúncio da Conmebol nesta quarta-feira. Segundo a entidade, o título da Libertadores não abrirá mais uma vaga extra ao respectivo país da equipe campeã. Como o Internacional é o atual dono do troféu, isso significa que o Brasileiro deste ano só classificará três times para a próxima Libertadores, em vez de quatro.

A mudança se deve ao fato de que a Copa Sul-Americana passou a valer uma vaga para a Libertadores. Assim, a única possibilidade de um país ter um representante a mais no torneio é conquistando a Sul-Americana. Neste momento, quem perderia a vaga na mais importante competição do continente é o Botafogo, que tem 38 pontos e está em quinto – o Inter, em quarto lugar, já está assegurado.

Além do Colorado, o Brasil já tem outro representante classificado, o Santos. O Peixe está garantido por ter conquistado a Copa do Brasil. A única possibilidade, portanto, de o Brasil ter seis times na próxima Libertadores é se Atlético-MG, Avaí, Goiás ou Palmeiras conquistar a Sul-Americana deste ano.

setembro 22, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Guarani, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Seleção brasileira., Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Corinthians e Santos são os reis dos pênaltis perdidos no Brasileirão

Cada time já teve oito pênaltis marcados a favor neste campeonato, mas Timão errou quatro vezes, enquanto Peixe desperdiçou três cobranças

Cobrar pênalti não tem sido uma tarefa fácil para Santos e Corinthians neste Brasileirão. Apesar de serem as equipes com mais penalidades máximas marcadas a favor, os adversários desta quarta-feira têm aproveitamento fraco no fundamento. Cada um dos times teve oito oportunidades de tiro livre direto a 11 metros do gol, mas o Peixe desperdiçou três delas, enquanto o Timão tem quatro erros.

O santista Neymar desperdiçou três (contra Ceará, Grêmio e Goiás) dos seis pênalis que bateu no Brasileirão. Os erros do jovem atacante, por sinal, acabaram tendo influência na briga dele com o técnico Dorival Júnior. Duas rodadas atrás, diante do Atlético-GO, o treinador ordenou que Marcel cobrasse o pênalti, causando a revolta de Neymar. Do lado corintiano, Chicão não converteu duas vezes (diante de Atlético-MG e Atlético-GO), enquanto Bruno César (contra o Cruzeiro) e Iarley (contra o Grêmio) perderam um cada.

No Corinthians, o atacante Ronaldo é o jogador com o melhor aproveitamento no fundamento. O camisa nove, que segue contundido, balançou as redes apenas duas vezes no torneio, ambas em cobrança de pênalti contra o Atlético-PR, nos jogos válidos pelos dois turnos.

No total do campeonato, foram 77 pênaltis marcados, sendo que 53 deles foram convertidos e 24 perdidos.

setembro 22, 2010 Posted by | Corinthians, Santos | Deixe um comentário

Declarações de Kalil ainda são analisadas pela Justiça Desportiva

Dirigente atleticano pode ser acusado de incitação à violência

Alexandre Kalil será chamado para depor no Ministério Público. O presidente atleticano terá que explicar as declarações feitas para uma rádio paulista em que disse ‘não ver problemas’ caso jogadores que estivessem frequentando baladas na noite ‘levassem um cacete’.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva e o promotor Antônio Baeta já avaliaram a gravação da entrevista e decidiram não oferecer denúncia contra o dirigente.

O promotor Joaquim Miranda, coordenador do Centro de Apoio das Promotorias de Justiça de Combate ao Crime do Ministério Público Estadual, será o próximo a analisar as declarações de Kalil. Miranda recebeu um relatório do também promotor Antônio Baeta, que considerou não ter havido incentivo à violência nas declarações do presidente e, por isso, não encaminhou denuncia.

A análise de Baeta levou em consideração o Estatuto do Torcedor, os direitos do consumidor e cível. Já a análise de Miranda terá como viés a área criminal. Miranda adiantou que o mandatário alvinegro será chamado a depor no início de outubro.

STJD

O procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, confirmou ter recebido esclarecimentos de Alexandre Kalil na última semana. Segundo ele, Kalil justificou que a declaração dada em entrevista foi distorcida, que essa distorção acabou gerando a polêmica e que ele não quis dizer nada que incitasse a violência. Schmitt disse que vai analisar detalhadamente a justificativa apresentada, mas adiantou que não deve ser oferecida denúncia contra o dirigente

setembro 22, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Baresi mantém dúvida entre Ricardo Oliveira e Marlos para pegar o Guarani

Treinador comandou um treino fechado nesta terça, no CT e deixou claro que o time precisa aprender com os erros que cometeu na derrota para o Inter

Ricardo Oliveira ou Marlos. Essa é a dúvida do técnico Sérgio Baresi para escalar o time do São Paulo para a partida desta quarta-feira, contra o Guarani, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador, como de praxe nas vésperas dos jogos, realizou um treino fechado no CT da Barra Funda, que teve a duração de 1h15m.

Duas variações foram testadas. Na primeira, Ricardo Oliveira formou dupla de ataque com Fernandão e o garoto Lucas, destaque do clássico contra o Palmeiras, foi recuado para o meio-campo. Na segunda, Ricardo Oliveira foi para a equipe reserva, Lucas voltou para o ataque e Marlos entrou no setor de criação.

– Existem algumas questões que preciso pensar para definir o time. Ainda quero conversar com o Ricardo Oliveira para ver como ele se sentiu em campo. E no treino realizado, também teve uma outra opção que me agradou mais. É que não posso falar para vocês senão vocês vão definir o time – afirmou o treinador, tentando fazer mistério.

O posicionamento de Rodrigo Souto, que foi terceiro zagueiro contra o Palmeiras, dependerá da postura tática do Guarani. Se o adversário vier com apenas um atacante, ele atuará como volante e o time jogará no 3-5-2. Caso Vagner Mancini coloque dois homens na frente, o camisa 18 formará o trio de beques com Alex Silva e Miranda.

Independente da formação, Baresi espera ver um time atento em campo. Em sua última apresentação no Morumbi, o Tricolor foi amplamente dominado pelo Internacional e perdeu por 3 a 1.

– O que temos de fazer é não cometer os erros que temos cometido. Precisamos aprender. Passamos por uma situação difícil contra o Inter e não podemos deixar que isso aconteça novamente – concluiu o treinador.

O São Paulo que irá a campo nesta quarta-feira terá: Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Casemiro, Rodrigo Souto, Jorge Wagner e Marlos (Lucas); Lucas (Ricardo Olliveira) e Fernandão.

Fonte;globoesporte.com

setembro 22, 2010 Posted by | São Paulo | | Deixe um comentário

Fernandão não acredita mais no heptacampeonato

Para o atacante, equipe precisa sair urgentemente do ‘bolo’ intermediário para brigar por vaga na Liberta

LANCEPRESS!

Antes de a bola rolar na noite de quarta-feira, contra o Guarani, o São Paulo aparece a sete pontos do Internacional, último clube do G4. Para Fernandão, a equipe precisa sair logo das posições intermediárias para começar a brigar em cima.

– Tem um bolo muito grande no meio da tabela, a diferença é de um, dois pontos. Nesse bolo temos de fazer a diferença agora. Só isso vai dar condição de sonhar com algo maior.

O camisa 15, porém, admite não acreditar mais no heptacampeonato, devido á oscilação do time.

– Estamos devendo. Os líderes estão muito mais regulares. Fazemos partidas extraordinárias, como times que podem brigar lá em cima. Mas em outras não vamos bem. Não acho que dê para buscar o título, mas se encaixarmos uma regularidade vamos chegar no pessoal da frente.

setembro 22, 2010 Posted by | São Paulo | | Deixe um comentário

Richarlyson é ‘soberano’ na esquerda

Com Junior Cesar fora até 2011 e concorrentes ‘esquecidos’, Ricky assume a ala esquerda

A vitória contra o Atlético-MG, por 3 a 2, no Ipatingão, foi um divisor de águas para a lateral esquerda do São Paulo. No intervalo, quando o time perdia por 2 a 1, o técnico Sérgio Baresi sacou Junior Cesar e deslocou Richarlyson para o setor. Com a vitória, o camisa 20 não saiu mais dali: enfrentou Flamengo, Botafogo, Internacional e Palmeiras.

Agora, com a grave lesão de Junior Cesar, que sofreu ruptura total do tendão-de-aquiles e já será operado, Richarlyson reina absoluto na posição. Afinal, como concorrentes, tem dois jovens que não ganharam chance nem de Ricardo Gomes e nem de Baresi: Diogo e Carleto.

– São dois grandes jogadores, já mostraram isso. Não sou eu quem decido, mas vou tentar ao máximo continuar – afirmou o jogador, que comemorou não ter sido improvisado na zaga contra o Palmeiras, já que Rodrigo Souto foi o escolhido.

– Fiquei muito feliz de não ter sido o terceiro zagueiro. Falei com o Baresi e ele viu que não me sinto à vontade ali. Gosto de ir à frente, correr e atacar – justificou o jogador, que agora passa de lateral para ala no 3-5-2.

CONHEÇA OS CONCORRENTES DE RICKY

DIOGO CARLETO
Aos 20 anos, o jogador alçado das categorias de base iniciou o ano em briga judicial contra o clube. Após se ausentar dos treinos por conta disso, acertou um novo contrato com o Sampa e foi reintegrado por Ricardo Gomes. Enfrentou só o Santos, pelo Brasileirão, quando atuaram apenas reservas. Com Baresi, nos jogos-treino pós-rodada que ocorrem no CT, às vezes joga no meio de campo. Contrato neste ano junto ao Valencia (ESP) – estava emprestado ao Elche, da segunda divisão espanhola – Thiago Carleto sofreu com as seguidas lesões. Após superar uma muscular na coxa esquerda, teve de passar por artroscopia para correção de lesão no menisco do joelho esquerdo. Fez apenas um jogo no ano, contra o Rio Branco, pelo Paulistão. Nos treinamentos, a potência de seus chutes impressiona.

setembro 22, 2010 Posted by | São Paulo | Deixe um comentário

Sem querer mudar de nome, Dinei já reforça o Palmeiras em Prudente

Atacante, que tem como nome verdadeiro Telmário, afirma que não liga para comparações com corintiano e vê mais semelhanças com Henry

O novo reforço do Palmeiras tem nome de ídolo corintiano, afirma ter mais semelhanças físicas com o francês Thierry Henry e diz que não mudará seu apelido. Contratado por empréstimo junto ao Atlético-PR até o fim da temporada, o atacante Dinei, que na verdade se chama Telmário, já está regularizado para atuar pelo clube e segue que a delegação para Presidente Prudente, onde às 19h30 desta quarta-feira o time enfrenta o Grêmio Prudente pelo Campeonato Brasileiro.

O atleta, que vestirá a camisa 29, é chamado de Dinei desde criança pela semelhança que tem com o ex-jogador do Corinthians. Apesar da rivalidade e do caso do meia Lucas, que deixou de ser Marcelinho no São Paulo, na última semana, para evitar as referências ao meia corintiano, o Dinei palmeirense dá de ombros para a comparação.

– Faz três dias que estou treinando aqui com o grupo e espero poder ajudar nesta partida. O fato de me chamarem de Dinei não vai influenciar em nada. É só um apelido por ser parecido com o ex-jogador do Corinthians – disse ele, que afirma ter mais semelhanças com o atacante Thierry Henry, da França.

Anunciado pela diretoria palmeirense na última quinta-feira, Dinei, de 26 anos, foi emprestado até o final deste ano pelo Atlético-PR. O atacante baiano surgiu no Bragantino, foi adquirido pelo clube paranaense em 2003 e depois rodou por várias equipes, como Ferroviária, Noroeste, Guaratinguetá, Vitória, Celta-ESP e Tenerife-ESP.

– Estou no grupo para ajudar. Se o Felipão optar, vou ficar à disposição. O elenco me recebeu bem e darei o meu máximo para ajudar o Palmeiras. É uma experiência nova, em um clube de grande porte. Trabalhar com o Felipão será um incentivo a mais. Sempre fui bem nas equipes pelas quais passei e acho que aqui não vai ser diferente – afirmou.

Dinei chega ao Palmeiras para disputar vaga com Luan, Vinícius e Tadeu, as outras três opções de Luiz Felipe Scolari para a posição. No último domingo, o treinador perdeu Ewerthon para o restante da temporada, pois o atacante sofreu uma lesão no joelho esquerdo e será operado nesta quarta-feira, pela manhã.

Confira os outros relacionados para a partida:

Goleiros: Deola e Bruno

Zagueiros: Maurício Ramos, Danilo, Leandro Amaro e Fabrício

Laterais: Gabriel e Vitor

Volantes: Marcos Assunção, Pierre, Edinho, Márcio Araújo e Rivaldo

Meias: Patrik e Bruno Oliveira

Atacantes: Tadeu, Luan, Kleber, Vinícius e Dinei

setembro 22, 2010 Posted by | Palmeiras | , | Deixe um comentário

Tadeu aponta problemas na criação para a falta de gols do Palmeiras

Atacante alviverde, que fez apenas três gols em 13 jogos, diz que tem recebido poucas bolas e fala de dificuldades no meio-campo da equipe

Quinto pior ataque do Brasileirão, o Palmeiras vem encontrando dificuldades para acertar o setor ofensivo. Único centroavante do elenco, Tadeu vem sendo cobrado pela falta de gols. No entanto, o atacante se defende e aponta problemas também na criação de jogadas no meio-campo.

– Centroavante sempre é cobrado, não fujo da responsabilidade, mas também não tive situações claras de gol. O centroavante precisa receber bolas. Foram poucas chances que tive e eu marquei naquelas que apareceram – afirmou Tadeu.

Com 24 gols marcados em 23 partidas no Campeonato Brasileiro, o Verdão só supera Ceará, Grêmio Prudente, Flamengo e Vasco neste fundamento. Tadeu foi titular no último domingo, mas tem começado no banco nos outros jogos. Em 13 partidas pelo clube, o centroavante balançou as redes apenas três vezes, sendo que dois destes gols foram pela Copa Sul-Americana, diante do Vitória.

A expectativa de Tadeu é que esse rendimento possa subir quando os meias ofensivos do Verdão estiverem no melhor de sua forma.

– O Valdivia ainda não está em 100% de sua condições e ainda tem a ausência do Lincoln. Precisamos receber as bolas com qualidade na frente, tanto eu, como o Kleber e o Luan. Mas o Valdivia está melhorando a sua forma física e o Lincoln também está voltando – declarou.

Na partida contra o Grêmio Prudente, nesta quarta-feira às 19h30, o Palmeiras não poderá contar com os meias Valdivia e Tinga, suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Lincoln, recuperado de lesão muscular na coxa, treinou com bola nesta segunda-feira, mas ainda não tem presença confirmada. Por outro lado, o técnico Luiz Felipe Scolari terá as voltas do volante Edinho e do atacante Kleber. Antes da viagem para Presidente Prudente, o treinador comandará um treinamento nesta terça-feira à tarde, sendo que a primeira hora de trabalho será com os portões fechados para a imprensa.

setembro 22, 2010 Posted by | Palmeiras | | Deixe um comentário

Fluminense x Avaí será em Volta Redonda

Tricolor e Vasco entram em acordo e jogo não será mais em São Januário

Após a CBF remarcar o confronto entre Fluminense e Avaí, dia 29 de setembro, para São Januário, o Tricolor e o Vasco entraram em um consenso e o clube das Laranjeiras agora fará sua partida no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ). Quem confirma é o vice de futebol do Flu, Alcides Antunes, que explica os motivos.

– Eu e José Hamilton Mandarino (vice de futebol do Vasco) conversamos ontem à noite (segunda) e ficou definido que jogaremos em Volta Redonda. Nessa semana, São Januário terá dois jogos do Vasco (terça, dia 28, contra o Santos, e sexta, dia 1º de outubro, contra o Guarani), por isso entramos em um consenso – argumentou Alcides.

Antes do acordo entre os clubes, o Vasco já havia entrado com um ofício na CBF não liberando São Januário para o Fluminense. Apesar de o fato, o vice de futebol tricolor garante que não haverá problemas futuros caso haja necessidade de o clube usar o estádio em outra oportunidade.

setembro 22, 2010 Posted by | Avaí, Fluminense, Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Empresário confirma sondagens do Flu por goleiro Lauro

Segundo agente, nenhuma proposta oficial foi passada pelo goleiro

O empresário do goleiro Lauro, Eduardo Kuperman, confirmou que chegou a ser procurado por empresários ligados ao Fluminense, mas nada oficial do clube chegou até agora.

– Houve algumas sondagens para saber a situação do jogador. Alguns empresários, que disseram ter relações com o Fluminense, me procuraram, mas ninguém do clube nos procurou. Vamos aguardar. Para o Lauro seria um grande negócio, até porque além de ser um grande goleiro, é muito profissional e quer estar jogando. Ir para o Fluminense seria ótimo para ele – garantiu.

Informações dão conta que o Internacional não criaria empecilhos para liberar o jogador. Há alguns meses, o jogador recebeu uma prospota do exterior, que não se concretizou devido aos baixos valores oferecidos ao Colorado. Lauro vem sendo apenas a terceira opção para o gol e com isso, caso chegue uma boa oferta, o Inter vai liberar o jogador.

setembro 22, 2010 Posted by | Fluminense, Internacional | | Deixe um comentário

Juan está fora do jogo contra o Grêmio; Angelim deve ser poupado

Lateral não se recupera de torção no tornozelo. Silas mantém Rodrigo Alvim no setor e confirma Correa na vaga de Willians

A prudência falou mais alto, e o Flamengo adiou o retorno de Juan à equipe. O lateral ainda não está totalmente recuperado de uma torção no tornozelo esquerdo e não viaja com a delegação para Porto Alegre, nesta terça-feira.

Rodrigo Alvim, mesmo criticado, será mantido no setor. Silas pediu paciência:

– O Juan está fora. Ele treinou, mas para jogar inseguro não é o ideal. O que a gente tem que entender é não pode ter tolerância mil com uns e zero com outro. O lado positivo é que com o Alvim ganhamos um e empatamos outro. E o Mariano, que é a arma no Flu, não se destacou tanto. Dar moral, abraçar. Estou levando o Saba também – disse o treinador, que também relacionou Vitor Saba para o duelo no Olímpico.

A sequência de jogos deve provocar outra mudança. Essa por questão física. Ronaldo Angelim conversou com o técnico e deve ser poupado. David Braz e Jean são os favoritos para formar a zaga..

– O Angelim viaja com a gente e na hora vamos decidir. Ele é muito tranquilo em relação a isso. Bem esclarecido e ajuda o treinador.

Silas também confirmou que no lugar de Willians, suspenso, jogará Correa. Provável escalação: Marcelo Lomba; Léo Moura, David Braz, Jean e Rodrigo Alvim; Toró, Correa, Kleberson e Renato; Diogo e Deivid.

Fonte:globoesporte.com

setembro 22, 2010 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário