Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Simples e eficiente, Flu vence o Cruzeiro e assume a liderança

Com FH inspirado, Tricolor segura domínio do time mineiro e alcança primeira posição graças ao zagueiro Leandro Euzébio: 1 a 0, no Maracanã

Pouco importa se o adversário dominou a partida, se o melhor em campo foi o goleiro ou se a estrela da companhia esteve irreconhecível. Para os 34.535 torcedores presentes no Maracanã na noite desta quinta-feira e outros tantos espalhados pelo Brasil, o que importa é que o Fluminense é o primeiro colocado do Brasileirão. Liderança alcançada com a vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, em partida válida pela décima rodada, um dia após o aniversário de 108 anos do clube.

O gol aconteceu da única maneira que podia acontecer: em jogada de bola parada. Com uma cabeça certeira, Leandro Euzébio, aos nove do segundo tempo, foi o responsável por levar o Tricolor ao topo da tabela, com 22 pontos – o Corinthians 21. A última vez que o clube carioca tinha alcançado esta posição foi em 2006, na oitava rodada, após vencer clássico contra o Flamengo. Já o Cruzeiro, do ovacionado Cuca, perdeu a oportunidade de chegar ao G-4 e está em sexto, com 15.

Na próxima rodada, o Flu tem pela frente o clássico contra o Botafogo, domingo, às 18h30m (de Brasília), no Engenhão. Os cruzeirenses, por sua vez, recebem o Grêmio, no Mineirão, no mesmo dia, às 16h.

Como de costume, a torcida do Fluminense recebeu a equipe no Maracanã com muita festa. Teve pó de arroz, parabéns pelo aniversário de 108 e aplausos para…o adversário? Isso mesmo. Técnico da arrancada que impediu o rebaixamento em 2009, Cuca foi tratado como ídolo, em campo e fora dele. Dos ex-comandados, muitos abraços. Da arquibancada, gritos de apoio. O resultado? O jogadores do Cruzeiro começaram a partida como se estivessem em casa e mandaram no primeiro tempo.

Ao contrário do que fez nas últimas partidas no Maracanã, contra Flamengo, Vitória e Prudente, o Tricolor encontrou um adversário que não lhe permitiu impor o ritmo de jogo nos minutos iniciais. Pelo contrário, o Cruzeiro, com avanços precisos e bom toque de bola, cadenciava a partida e contava com escapadas velozes de Rômulo e Gilberto.

A primeira boa chance dos mineiros aconteceu logo aos dois minutos, quando o estreante Rômulo, após lançamento longo, serviu Wellington Paulista. Livre, o atacante invadiu a área e chutou forte. Fernando Henrique salvou com o pé esquerdo. Mal na saída de bola, o Fluminense perdeu sua principal arma, as laterais, e não era feliz nas jogadas pelo meio. Tanto que só conseguiu levar susto em bola parada.

Aos sete, Conca cobrou falta na área, Fred disputou no alto com Caçapa e a bola sobrou para Gum. O zagueiro chutou forte, e Wellington Paulista salvou com a cabeça. O Cruzeiro, no entanto, seguia melhor em campo e levava perigo com triangulações pelas pontas.

Bastante participativo, Wellington Paulista voltou a aparecer bem no ataque aos 13, quando chutou para defesa de FH. No rebote, Gilberto chutou para fora. Novamente em lance de bola parada, o Flu deu o troco no minuto seguinte, e após escanteio Leandro Euzébio cabeceou como manda o figurino, para o chão e no canto. Fábio voou e fez linda defesa.

Com Rodriguinho apagado e Fred irreconhecível, o Tricolor carioca não conseguia manter a bola no ataque e boas jogadas eram raras. Aos 23, após bom passe de Mariano, Diguinho foi quem apareceu bem na área, mas não alcançou a bola, que ficou com Fábio.

Logo na jogada seguinte Fernando Henrique mais uma vez salvou o Fluminense. Gilberto descolou lindo passe de calcanhar para o ex-tricolor Everton. O volante girou, chutou forte e encontrou o goleiro. Diante da apatia do time, a torcida do Flu chamou pelo “time de guerreiros”. Não deu muito certo.

A melhor notícia a esta altura foi a lesão de Gilberto, no tendão de Aquiles, aos 36, que fez com que ele desse lugar a Marquinhos Paraná. Foi quando a partida ficou mais equilibrada na (falta) de ações ofensivas. A única realmente perigosa foi protagonizada por Carlinhos, aos 44. Ele recebeu lançamento de Conca e encheu o pé de canhota. Fábio novamente se fez presente e impediu o gol.

Na volta para o segundo tempo, o panorama foi o mesmo: a torcida do Fluminense cobrava a presença do time de guerreiros, o Cruzeiro dominava, perdia gols, e o Tricolor assustava em jogadas de bola parada. A diferença a favor dos cariocas foi a eficiência nas raras oportunidades.

Se aos três e aos sete minutos Thiago Ribeiro e Wellington Paulista só ajudaram Fernando Henrique a fazer boas defesas e sair de campo consagrado, Leandro Euzébio se mandou para o ataque e abriu o placar. Aos nove, Conca cobrou escanteio com precisão, o zagueiro, quase na marca do pênalti, subiu mais alto que os adversários e testou firme no canto direito de Fábio: 1 a 0. Na comemoração, beijos no escudo e corrida na direção de Muricy.

No embalo, Alan quase ampliou em bonita jogada individual no minuto seguinte. O jovem se livrou de dois zagueiros e chutou colocado. Fábio fez a defesa. Em desvantagem e cansado, o Cruzeiro tinha maior posse de bola, mas criava pouco. Aos 17, Mariano perdeu a bola para Henrique no campo de defesa e o volante serviu Marquinhos Paraná, que chutou por cima do travessão.

Foi a última boa jogada ofensiva da partida. A partir daí, o que se viu foi um Fluminense seguro na defesa contra um Cruzeiro atordoado. Cenário perfeito para garantir o resultado e alegria dos torcedores, que deixaram o estádio gritando: “Olê, olê, líder, líder!”.

FLUMINENSE X CRUZEIRO
Fernando Henrique, Gum, Leandro Euzébio e André Luis; Mariano, Diguinho, Diogo, Conca (Marquinho) e Carlinhos; Rodriguinho (Alan) e Fred. Fábio, Rômulo, Gil, Cláudio Caçapa e Diego Renan; Henrique, Fabrício (Robert), Everton (Reina) e Gilberto (Marquinhos Paraná); Wellington Paulista e Thiago Ribeiro.
Técnico: Muricy Ramalho Técnico: Cuca
Gols: Leandro Euzébio, aos nove minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: André Luis, Leandro Euzébio e Diguinho (Fluminense) Wellington Paulista, Gil, Marquinhos Paraná e Fabrício (Cruzeiro)
Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro. Data: 22/07/2010. Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF). Auxiliares: Roberto Braatz (FIFA-RS) e Ênio Ferreira de Carvalho (DF).

julho 22, 2010 Posted by | Cruzeiro, Fluminense | , | Deixe um comentário

Palmeiras e Botafogo empatam em jogo emocionante no Pacaembu

Primeiro tempo foi fraco, mas etapa final compensou. Depois de o Verdão fazer 2 a 0, o Fogão buscou forças para chegar à igualdade

Valeu pelo segundo tempo. Toda a emoção que faltou na etapa inicial, sobrou na complementar. A começar pela mudança de uniforme do Palmeiras. O time paulista abandonou o verde tradicional do começo e voltou com a camisa verde-limão. Mais ligado, o clube fez 2 a 0 em 12 minutos, com Marcos Assunção e Kleber. Mas o Botafogo foi guerreiro, valente e conseguiu um heróico empate por 2 a 2, construído em apenas dez minutos, com gols de Jobson e Antônio Carlos.

A igualdade, em partida válida pela décima rodada do Campeonato Brasileiro, não foi boa para nenhuma das duas equipes. Mas ao menos o palmeirense Felipão e o botafoguense Joel Santana puderam ver que há chance de melhorar, especialmente pelo que ambos apresentaram na etapa final. Em termos de tabela, é claro, a mudança tem de ser mais significativa. E rápida.

Com o resultado desta quinta-feira, o Verdão foi a 13 pontos e manteve posição intermediária na classificação. Já o Fogão foi a 11 e seguiu perto da zona de perigo.

Na próxima rodada, o Palmeiras vai a Fortaleza encarar o Ceará. A partida está marcada para domingo, às 18h30m, no estádio Castelão. No mesmo horário, só que no Engenhão, no Rio de Janeiro, o Botafogo faz o clássico com o Fluminense.

O cronômetro marcava 43 minutos. Jobson avançou pelo lado direito e chutou cruzado. Marcos, de mão trocada, fez linda defesa e cumprimentou o atacante. No lance seguinte, Lincoln recebeu cruzamento da esquerda e, da pequena área, perdeu gol. Logo depois, o meia teve outra chance e bateu colocado para fora.

Somente nesses três últimos minutos da etapa inicial é que Palmeiras e Botafogo fizeram jus ao tamanho do jogo. No restante, nervosismo, falta de criatividade, erros de passes e limitações técnicas deram o tom da partida. É verdade que os dois times correram, mas ambos pareciam não ter objetivo.

Inicialmente, o time carioca parecia mais disposto. Recuado, o mandante Palmeiras tomou postura de visitante, bem cautelosa. Apesar dessa superioridade no começo do duelo, o Fogão não conseguiu criar nenhuma grande jogada. A principal delas foi uma falta de Marcelo Cordeiro, defendida por Marcos aos três minutos. E só.

O Palmeiras foi ainda pior. Posicionado quase sempre à espera de um contra-ataque, o clube paulista dependia totalmente de Lincoln. Não à toa todos os projetos de jogadas do Verdão passaram pelos seus pés. Do outro lado, o Botafogo tentava ser armar com Lucio Flavio, Jobson e Caio. Sem sucesso.

Quando falta criatividade, a solução na maioria das vezes é a bola parada. E assim fez o Palmeiras. Tentou três escanteios seguidos e mais duas faltas nos pés de Marcos Assunção. Nenhuma delas deu certo. Com a escassez de oportunidades, o jogo ficou nervoso, mais faltoso. O que salvou mesmo foram as chances no final.

Palmeiras e Botafogo não mudaram nada nas equipes no retorno para o segundo tempo. Mas o time paulista resolveu trocar de uniforme. Tudo porque o verde escuro estava confundindo um pouco com o preto do Fogão. Assim, o clube do Palestra Itália trocou a camisa 1 pela número 2, verde-limão.

E ela parece ter dado sorte. Logo no primeiro lance o Verdão abriu o marcador. Kleber foi derrubado perto da meia-lua. Marcos Assunção pegou a bola, recebeu um beijo de Maurício Ramos na careca, ajeitou e se concentrou para a cobrança da falta. Com muita competência, ele acertou o ângulo esquerdo de Jefferson: 1 a 0.

O Palmeiras não marcava um gol de falta havia quase dez meses. Antes desse, o último tinha sido no Brasileirão do ano passado, na vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, no dia 23 de setembro. O gol assustou o Botafogo e animou o Verdão, que teve duas ótimas chances de ampliar antes dos dez minutos.

Primeiro com Lincoln, aos oito, mas ele chutou por cima do travessão depois de boa jogada pelo meio. Depois com Ewerthon, aos nove. O atacante recebeu na área, se livrou de marcador e chutou em cima do goleiro Jefferson. Era o sinal de que o segundo gol do Verdão estava esquentando. E assim foi. Em lindo contra-ataque.

Aos 12 minutos, Lincoln deu ótimo passe para Ewerthon na direita. Ele dominou, esperou um melhor posicionamento e acionou Kleber na grande área. O camisa 30 dominou, girou e chutou para o fundo da rede: 2 a 0. Para tentar uma reação, Joel Santana mudou o Botafogo. Sacou Fahel e colocou o meia-atacante Edno.

Aos poucos, o abatimento do Fogão ficou de lado e o time comandado por Joel Santana começou a se arriscar mais. O resultado disso veio aos 24 minutos, quando Jobson marcou de cabeça após cruzamento de Marcelo Cordeiro. Um belo lance, que não deu chance para o pentacampeão Marcos.

Foram precisos mais dez minutos para que o Botafogo, persistente, chegasse ao empate. E mais uma vez em um lance de cabeça. Agora com o zagueiro Antônio Carlos, que aproveitou cruzamento da esquerda. Aos 39 minutos, Marcos evitou a virada carioca. Jobson fez grande jogada e chutou cruzado. O goleiro espalmou.

No final do jogo, com os ânimos exaltados, Marcos Assunção e Jobson foram expulsos depois de se estranharem no gramado do Pacaembu. A torcida do Verdão não perdoou o botafoguense, chamado de “cheirador”, por conta do caso de doping em que se envolveu. Sobrou também para a diretoria alviverde, que ouviu parte do Pacaembu gritar: “ô, ô, ô, queremos jogador”.

PALMEIRAS 2X2 BOTAFOGO
Marcos; Vitor, Edinho, Maurício Ramos e Armero; Pierre, Márcio Araújo, Marcos Assunção e Lincoln (Tadeu); Kleber e Ewerthon (Patrik). Jefferson; Fahel (Edno), Antônio Carlos e Fábio Ferreira; Alessandro, Leandro Guerreiro, Somália, Lucio Flavio (Renato) e Marcelo Cordeiro; Caio (Túlio) e Jobson.
Técnico: Luiz Felipe Scolari Técnico: Joel Santana
Gols: Marcos Assunção, a 1 minuto, Kleber, aos 12, Jobson, aos 24, Antônio Carlos, aos 34 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Pierre, Edinho (PAL); Fábio Ferreira, Caio, Antônio Carlos (BOT). Cartões vermelhos: Marcos Assunção (PAL) e Jobson (BOT)
Público: 12107 pagantes. Renda: R$ 431.991,00
Local: Pacaembu, em São Paulo. Árbitro: Alício Pena Júnior (MG).Auxiliares: Márcio Eustáquio Souza Santiago (MG) e Helberth Costa Andrade (MG).

julho 22, 2010 Posted by | Botafogo, Palmeiras | | Deixe um comentário

Com gol de aniversariante, Guarani reage e busca empate contra Ceará

Ricardo Xavier completa 32 anos nesta quinta-feira e faz gol no 1 a 1. Cearenses abriram o placar com belo gol de Ernandes

Guarani e Ceará buscavam a reação no Campeonato Brasileiro, mas terminaram iguais. O empate por 1 a 1, nesta quinta-feira, em Campinas, frustrou as expectativas das duas equipes. Graças ao aniversariante do dia, Ricardo Xavier, o Bugre escapou de sua segunda derrota seguida em casa. Na quarta passada, o time alviverde levou 3 a 0 do Internacional, no Brinco de Ouro. O atacante completou 32 anos e foi festejado pelos companheiros.

No entanto, o time de Vagner Mancini segue tropeçando na tabela da competição. O Bugre agora é oitavo colocado, com 14 pontos, enquanto o Vozão não conseguiu o objetivo de, pelo menos, atingir a vice-liderança. Os cearenses ultrapassariam o Corinthians se tivessem vencido por dois ou mais gols de diferença, mas seguem em terceiro, com 19 pontos.

Ambos continuam sem vencer depois da parada para a Copa do Mundo. São dois empates e uma derrota para cada lado. O Guarani conseguiu manter a escrita de nunca ter perdido para o Ceará: agora, em 13 jogos, são 8 vitórias e 5 empates.

Velocidade pelas laterais

O técnico Vagner Mancini mostrou logo na escalação que iria colocar a equipe no ataque. Mesmo sem mudar o esquema, ele conseguiu deixar o time mais veloz ao lançar Apodi no lugar de Rodrigo Heffner, pela lateral direita. Além disso, o gramado do Brinco de Ouro foi molhado pelo sistema de irrigação cerca de duas horas antes do jogo. Assim, a bola rolava mais rápida em campo.

Com a alteração, o Guarani começou o jogo explorando muito as jogadas pelas laterais. Tanto com Apodi e Mário Lúcio na direita, quanto com Márcio Careca e Mazola pela esquerda. A movimentação abriu a zaga do Ceará, que teve de parar com faltas a maioria dos lances de perigo. Em uma dessas infrações, na entrada da área, o atacante Ricardo Xavier quase abriu o placar. Na cobrança, o camisa 9 buscou o ângulo, mas Diego se esticou para espalmar.

Xavier tentou a todo custo fazer seu gol no primeiro tempo. A chance mais clara, porém, ocorreu com uma ajudinha do braço. Após ótimo cruzamento de Márcio Careca, ele entrou por trás da zaga e tocou de mão direita, para bela defesa de Diego. O árbitro percebeu e presenteou o atacante com um cartão amarelo.

Apesar de manter a posse de bola, o Guarani pecou na hora de finalizar, principalmente com Mazola. Ele acabou irritando os companheiros por sempre tentar jogar sozinho, sem perceber as opções dadas pelos outros jogadores. O individualismo custou outro amarelo para o Bugre, quando o camisa 11 tentou driblar toda a defesa cearense e se jogou na área.

Confiando na defesa sólida, o Ceará pouco buscou o jogo e só atacava com segurança. O goleiro Douglas praticamente não trabalhou. Isolado nas pontas, Misael tentou por várias vezes a jogada individual e não tinha opções para tabelar. Geraldo e Washington, parceiros de setor ofensivo, sumiram diante da pesada marcação bugrina.

Na mesma moeda

Se o Bugre apostou na velocidade para jogar melhor no primeiro tempo, o Ceará resolveu fazer o mesmo no segundo. Impaciente com a lentidão do meia Geraldo, o técnico Estevam Soares lançou Tony para que Misael pudesse ganhar um parceiro mais rápido para as jogadas ofensivas.

Com apenas 50 segundos, o time alvinegro já fez mais do que nos 45 minutos iniciais. Tony deu excelente passe para Ernandes, que invadiu a área, driblou dois e chutou rente à trave esquerda de Douglas. O Ceará dava pinta de que tinha acordado. E, como o Bugre manteve seu estilo insinuante, o jogo ficou aberto. Aos 5, Mário Lúcio recebeu lançamento perfeito de Paulo Roberto e finalizou por cima do gol.

Mas pouco depois, aos 8, o Ceará mostrou que não está no G-4 do Brasileirão à toa. Foi só tocar a bola com consciência que o time chegou ao gol. Após boa troca de passes, Ernandes recebeu na entrada da área, driblou Apodi com calma e acertou uma bomba de pé esquerdo, sem chances para Douglas. Golaço e 1 a 0 para os cearenses no placar.

Vagner Mancini tentou responder imediatamente, trocando seus dois meias. Baiano e o estreante Geovane entraram para dar mais qualidade, mas esbarraram na defesa menos vazada do campeonato. Só a bola parada assustou. Por duas vezes, aos 24 e a aos 27, Baiano quase marcou. Na primeira, ele aproveitou rebote de um escanteio e chutou com muito efeito. A bola passou a centímetros do travessão. Depois, cobrou falta perigosa que Diego defendeu.

Na terceira, a defesa do Ceará não segurou. Baiano cruzou na área, e Ricardo Xavier conseguiu o tão perseguido gol de aniversário. Ele se antecipou à zaga e, de costas para o gol, desviou de cabeça na saída de Diego para empatar o placar.

Empolgado e empurrado pela torcida, o Guarani começou a correr mais para buscar a virada. Mazola quase conseguiu no fim, mas, com de frente para o gol, furou e perdeu a última oportunidade de desempatar.

GUARANI 1 X 1 CEARÁ
Douglas, Apodi (Rodrigo Heffner), Fabão, Aílson e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Preto (Geovane) e Mário Lúcio (Baiano); Mazola e Ricardo Xavier Diego, Oziel, Fabrício, Anderson e Ernandes; Michel, João Marcos, Careca e Geraldo (Tony); Misael (Erick Flores) e Washington (Wellington Amorim)
Técnico: Vagner Mancini Técnico: Estevam Soares
Gol: Ernandes, aos 8min, e Ricardo Xavier, aos 29 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Anderson, Ernandes, Geraldo, Diego, Washington (CEA); Ricardo Xavier, Mazola, Fabão (GUA)
Estádio: Brinco de Ouro, Campinas (SP). Data: 22/7/2010. Árbitro:Márcio Chagas da Silva (RS).
Auxiliares:
José Antônio Chaves Franco Filho e José Javel Silveira.Público: 4.595 pagantes. Renda: R$ 68.808,00

julho 22, 2010 Posted by | Ceará | , | Deixe um comentário

Em duelo ambicioso, Fluminense recebe o Cruzeiro de Cuca

Vitória contra equipe do ex-treinador vale liderança do Brasileirão para o Tricolor carioca. Já o time mineiro mira vaga no G-4

Um reencontro para lá de especial e com ambições bem mais prazerosas do que da última vez em que Fluminense e Cuca estiveram juntos em uma partida pelo Brasileirão. Na ocasião, no dia 6 de dezembro de 2009, em Curitiba, equipe e técnico conseguiram um empate que evitou o rebaixamento tricolor. Resultado que não é suficiente para Fluminense e Cruzeiro alcançarem suas metas nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília), no Maracanã, em partida válida pela décima rodada da competição nacional.

Com 19 pontos, o Flu deixou de lado a intensa luta contra a Série B do ano passado. De lado, não. Deixou bem distante. O que está em jogo agora é a liderança. Segundo colocado, o Tricolor ocupa a ponta da tabela em caso de triunfo. Isso porque o Corinthians, primeiro, com 21, foi derrotado pelo Atlético-GO por 3 a 1 na rodada.

Cuca também não tem do que se queixar. Demitido do Fluminense em abril, quatro meses após efetuar o “milagre da salvação”, assumiu o Cruzeiro com tempo para trabalhar e chega ao G-4 se vencer os ex-comandados. Com 15 pontos, a equipe é sexta colocada, mas pode superar Flamengo, Internacional e até mesmo o Ceará.

A despedida com aplausos e palavras de incentivo ficaram para trás. O carinho por Cuca ainda permanece pelo trabalho realizado em 2009, mas o agora adversário chama mais a atenção nas Laranjeiras pelas armadilhas que pode armar dentro de campo do que pelos laços afetivos.

Há apenas duas partidas no comando do Cruzeiro, Cuca conquistou 100% de aproveitamento no clube mineiro e preocupa o artilheiro Fred.

– O que mais me preocupa é a evolução do Cruzeiro com o Cuca, são dois jogos e duas vitórias. Mas como sempre falei, vamos estar com nossa torcida, vamos estar em casa, e vamos jogar com inteligência para buscar os três pontos.

Fred, por sinal, está ligado emocionalmente não somente ao treinador cruzeirense, mas ao clube como um todo.

Tem o Cuca, o Cuquinha, o Eudes (auxiliares), e o Cruzeiro, que é uma das minhas casas, tenho amigos lá, carinho pela torcida.

Quem também demonstrou preocupação com o rival mineiro foi Muricy Ramalho. Ciente da expectativa do torcedor em se tornar líder, o treinador fez questão de ressaltar a força do adversário e o grau de dificuldade do jogo.

– O Cruzeiro, como o Fluminense, depende muito do coletivo. É um time entrosado, que não mudou muito nos último anos. O que o torcedor tem que saber é que do outro lado há um time. É um adversário bem treinado e que vai ao Maracanã tentar nos vencer. É preciso ter humildade quanto a isso. Vai ser um clássico duríssimo.

Para a partida, o Flu não tem escalação confirmada. Apesar da boa atuação diante do Santos, a tendência é que Leandro Euzébio fique no banco, com a entrada de Marquinho no meio e o retorno para o esquema 4-4-2. Já no ataque a dúvida está no companheiro de Fred. Alan leva vantagem na disputa com Rodriguinho.

O técnico Cuca já definiu a estratégia para conquistar a vitória sobre o Fluminense em pleno Maracanã: o contra-ataque. Os três pontos deixam o Cruzeiro no G4, a um ponto do próprio Tricolor. Ninguém na Toca da Raposa II esconde os cuidados que terão diante de Fred e Conca, considerados as estrelas tricolores. Os dois serão vigiados de perto pelos marcadores cruzeirenses.

– O Fred, além de um grande atacante, é um amigo com quem convivi por muito tempo no Lyon. Ele faz gols e é imprevisível para marcar. Não podemos dar espaço para ele e nem para o Conca, que comanda as jogadas. Este jogo vai ser um grande teste para a nossa defesa, que não leva gols há duas partidas – declarou o zagueiro Cláudio Caçapa.

Para o técnico Cuca, que se reencontrará com a equipe que salvou do rebaixamento no Brasileiro do ano passado, o Maracanã proporcionará ao Cruzeiro impor uma nova postura de jogo.

– Temos que ter velocidade no contra-ataque e uma postura para não tomar gols. O campo beneficia a posse de bola, e temos jogadores velozes e com qualidade técnica. É ter atenção na nossa saída para o ataque.

O treinador celeste não terá a presença do lateral-direito Jonathan, suspenso, e do meia Roger, lesionado. Rômulo e Everton, recentemente contratados, estão confirmados. Outra novidade será a presença de Marquinhos Paraná no banco de reservas. O volante se recuperou de um estiramento na coxa esquerda e será opção para o segundo tempo.


FLUMINENSE X CRUZEIRO
Fernando Henrique, Mariano, Gum, André Luis e Carlinhos; Diogo, Diguinho, Marquinho (L. Euzébio) e Conca; Alan (Rodriguinho) e Fred. Fábio; Rômulo, Gil, Cláudio Caçapa e Diego Renan; Fabrício, Henrique, Everton e Gilberto; Wellington Paulista e Thiago Ribeiro.
Técnico: Muricy Ramalho Técnico: Cuca
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro. Data: 22/07/2010. Horário: 21h (de Brasília). Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF). Auxiliares: Roberto Braatz (FIFA-RS) e Ênio Ferreira de Carvalho (DF).
Transmissão: O Premiere Futebol Clube exibe para todo o Brasil, pelo sistema pay-per-view. O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances em Tempo Real a partir das 20h45m.

julho 22, 2010 Posted by | Cruzeiro, Fluminense | , , | Deixe um comentário

Felipão prevê ‘duelo’ em inglês com Joel Santana no Pacaembu

Treinadores de Palmeiras e Botafogo podem protagonizar diálogo inusitado na beira do gramado antes de partida

A partida entre Palmeiras e Botafogo, marcada para as 21h desta quinta-feira, no Pacaembu, pode ter um idioma diferente na beira do gramado por alguns minutos. Técnicos com passagens pelo futebol internacional, o palmeirense Luiz Felipe Scolari e o botafoguense Joel Santana podem protagonizar um diálogo na língua estrangeira quando se encontrarem.

– Meu filho Fabrício adora o jeito dele comandar, vou dar um abraço no Joel por ele. Sei que vou ter que enfrentar a prancheta, ele arma direitinho suas equipes. Será uma briga feia (no inglês). Pelo o que eu vi, acho que falo um pouquinho melhor do que ele. Vamos nos comunicar em inglês antes do jogo. Imagina – brincou o treinador palmeirense.

Depois que deixou o Brasil, Felipão comandou a seleção portuguesa, entre os anos de 2003 e 2008, até se transferir para o Chelsea, da Inglaterra. No clube britânico, Scolari ficou somente por uma temporada. Mas o tempo foi suficiente para se virar bem no inglês e garantir uma vaguinha como comentarista em uma emissora de televisão sul-africana, durante a Copa do Mundo.

Enquanto Felipão se aventurava pelo Chealsea e o Bunyodkor, do Uzbequistão, seu último time antes de voltar para o Brasil, Joel Santana passou pela seleção da África do Sul. O atual treinador do Botafogo ficou entre 2008 e 2009 no país e sempre procurava falar em inglês nas suas entrevistas.

Pronto para encarar o debate em inglês e as armações feitas na prancheta, Felipão não deixou de elogiar Joel e sua equipe. E se mostrou preocupado com os artifícios que o rival pode apresentar no Pacaembu.

– O Botafogo usa muito as passagens pelas laterais. O time concentra parte das jogadas no meio-campo, pois tem um dos jogadores que melhor bate na bola (Lucio Flavio). E como todos sabem, um lance de bola parada pode decidir uma partida – disse Felipão.

julho 22, 2010 Posted by | Botafogo, Palmeiras | , , | Deixe um comentário

Na véspera do anúncio, Mano vive dia de ‘popstar’ e ofusca Ronaldo

Técnico vira atração durante treino do Timão, mas ninguém no clube dá pistas sobre acerto com Seleção. Fenômeno treina quase sem ser notado

Mano Menezes viveu um dia de estrela nesta quinta-feira. Na véspera do anúncio oficial sobre quem será o substituto de Dunga no comando da Seleção Brasileira, o treinador recebeu todas as atenções durante o treinamento do Corinthians, no Parque São Jorge. Ronaldo, sempre o mais badalado, foi praticamente esquecido em um de seus raros treinamentos no gramado desde a lesão na panturrilha direita.

O clima é de mistério total no Timão. Mano não concedeu entrevistas para falar sobre se finalmente foi procurado pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Até a quarta-feira, depois da derrota por 3 a 1 para o Atlético-GO, no Serra Dourada, pelo Campeonato Brasileiro, o treinador jurava que não havia recebido qualquer convite do mandatário, mas já admitia pensar no assunto caso fosse chamado.

Os dirigentes corintianos também não apareceram. O presidente Andrés Sanches e o diretor de futebol Mário Gobbi Filho não atenderam a nenhuma ligação para seus celulares. Nos bastidores, comenta-se que o Alvinegro tenha alinhavado um acordo com Adilson Batista, ex-Cruzeiro, para assumir o lugar de Mano. Através da assessoria de imprensa, o clube nega que Sanches ou Gobbi tenham falado com o ex-zagueiro.

Os jogadores juram que não foram comunicados por Mano Menezes sobre uma possível saída. O capitão William, um dos atletas mais próximos ao treinador, garante que ele em nenhum momento citou a possibilidade de assumir a Seleção Brasileira e está concentrado apenas no duelo contra o Guarani, domingo, às 18h30min, no Pacaembu.

– Ele só fala sobre o Corinthians e sobre os adversários que vamos enfrentar. Mas temos grandes nomes para assumirem a Seleção, como Mano, Muricy, Luxemburgo, Felipão e Autuori, só para citar cinco nomes. Por enquanto, é só especulação – disse.

Mano apareceu no gramado da Fazendinha para ver o jogo-treino entre os reservas e a equipe sub-17. Enquanto esteve no banco de reservas, foi “perseguido” pelas lentes dos fotógrafos e cinegrafistas, ávidos por uma imagem que pudesse revelar o acerto com a Seleção.

O assédio era tanto que até Ronaldo quase passou sem ser notado. Recuperado de uma lesão na panturrilha direita, o Fenômeno foi a campo para realizar um trabalho físico e tentar recuperar parte da forma, seu maior problema no momento. O camisa 9, contudo, ainda segue sem previsão para voltar, e Mano Menezes, por enquanto, é o treinador do Corinthians.

julho 22, 2010 Posted by | Corinthians, Seleção brasileira. | , | Deixe um comentário

Farías é o novo reforço do Cruzeiro

Argentino chegará na quarta-feira da semana que vem em Belo Horizonte

Após uma negociação que se arrastou por cerca de um mês, o Cruzeiro pôde enfim anunciar oficialmente o argentino Ernesto Farías como seu reforço no início da noite desta quarta-feira.

O presidente Zezé Perrella se reuniu em Portugal com o jogador e conseguiu equalizar a pedida salarial do argentino. Ele terá 100% dos seus direitos trocados por 50% do zagueiro Maicon, que já atua pelo clube português desde a temporada passada.

Farías é o terceiro reforço do Cruzeiro confirmado nesta quarta-feira. Antes dele, o zagueiro Edcarlos e o atacante Wallyson foram anunciados pelo clube.

Reforços celestes:

Farías: Chega em Belo Horizonte na quarta ou quinta-feira da semana que vem. Tem uma semana para providenciar a sua mudança de Portugal.

Wallyson: É aguardado pela direitoria na segunda ou terça-feira da próxima semana. Estava mantendo a forma no ABC, de Natal.

Edcarlos: Chegará em Belo Horizonte sexta-feira e deverá ser apresentado pelo clube no sábado pela manhã.

julho 22, 2010 Posted by | Cruzeiro | | Deixe um comentário

PC Gusmão já pode utilizar reforços ‘importados’ a partir desta quinta

Grupo se reapresenta em São Januário, e treinador vai iniciar a montagem da equipe que vai encarar o Atlético-GO, em São Januário, no sábado

O técnico Paulo César Gusmão marcou a reapresentação dos jogadores do Vasco para esta quinta-feira, às 15h30m, em São Januário. O treinador vai iniciar a montagem do time que vai encarar o Atlético-GO, no próximo sábado, às 18h30m (de Brasília), pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. A expectativa é que o comandante já comece a inserir entre os titulares os reforços contratados de clubes do exterior. O volante Felipe Bastos, os apoiadores Felipe e Zé Roberto e o atacante Eder Luís, caso sejam inscritos na CBF, já terão a oportunidade de começar a partida pelo Gigante da Colina.

O lateral-direito Irrázabal, contratado ao Cerro Porteño, do Paraguai, e o apoiador Carlos Alberto, que ficou fora de algumas atividades realizada em São Januário por conta de uma trauma no pé direito, não vão ter condições de jogo. Para PC, os garotos que atuaram nos três jogos após a retomada do Campeonato Brasileiro deram conta do recado.

– Essa garotada foi muito bem e vai passar o bastão para os atletas contratados para tirar o Vasco dessa situação. Eles cumpriram a missão de pontuar. O Vasco vai montar um time forte, vai ter um grupo forte para fazer uma boa campanha no Brasileiro – afirmou o treinador.

Na última quarta-feira, sob o comando dos auxiliares Gaúcho e Jorge Luiz, os reforços “importados” golearam a Portuguesa por 8 a 0. Zé Roberto (4), Jéferson (2), Thiago Martinelli e Eder Luís marcaram os gols do Gigante da Colina. Além disso, o apoiador Felipe mostrou desenvoltura nas enfiadas de bola para os atacantes vascaínos.

Com o empate por 1 a 1 com o Grêmio, em Porto Alegre, o Vasco chegou aos dez pontos e permaneceu na 11ª colocação no Campeonato Brasileiro.

julho 22, 2010 Posted by | Vasco da Gama | | Deixe um comentário

PC Gusmão é o único técnico invicto após dez rodadas do Brasileirão

Contando trabalho no Ceará, treinador do Vasco não sabe o que é derrota na competição há dez partidas. Equipes só levaram três gols

Paulo César Gusmão soube dar continuidade no trabalho que iniciou no Ceará nas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro no Vasco. Após trabalhar por sete jogos na equipe de Fortaleza e conquistar cinco vitórias e dois empates, o técnico aceitou o desafio de tentar tirar o Gigante da Colina da zona de rebaixamento. Em três jogos, ele já conseguiu um triunfo e duas igualdades no marcador, todas fora de casa (contra Goiás, no Serra Dourada, e Grêmio, no Olímpico).

Além disso, outro dado que chama a atenção no trabalho realizado por PC Gusmão é a baixa média de gols de suas defesas. No Ceará, o setor sofreu apenas um gol em sete partidas. No Vasco, o aproveitamento é um pouco inferior. Em três jogos, a zaga levou dois gols.

– O nosso assessor passou dentro do vestiário e falou: “PC, o Corinthians perdeu. Você continua como o único invicto”. Eu falei: “Opa, que beleza”. Mas acho que isso é o que menos interessa para nós. Torço, para que o Ceará possa ter uma caminhada muito boa, por tudo que me deu de oportunidades, de poder estar lá representando. E o Vasco da Gama, que nós possamos ter essa caminhada, esse resgate, uma história diferente que a gente quer para o Vasco da Gama e para o próprio Rio de Janeiro – afirmou o treinador, em entrevista à Rádio Globo.

Mano Menezes, do Corinthians, era o único treinador que ainda não tinha perdido no Brasileiro. Porém, na última quarta-feira, os paulistas foram derrotados pelo Atlético-GO por 3 a 1, no Serra Dourada, em Goiânia.

No próximo sábado, às 18h30m (de Brasília), o Vasco vai enfrentar o próprio Atlético-GO, em São Januário, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Apesar dos bons resultados na competição, o Gigante da Colina ocupa 18ª posição, com dez pontos.

A INVENCIBILIDADE DE PAULO CÉSAR GUSMÃO NO BRASILEIRÃO
NO CEARÁ
JOGO LOCAL
Ceará 1 x 0 Fluminense Castelão (CE)
Ceará 1 x 1 Santos Vila Belmiro (SP)
Ceará 1 x 0 Vitória Castelão (CE)
Ceará 0 x 0 Goiás Serra Dourada (GO)
Ceará 1 x 0 Cruzeiro Castelão (CE)
Ceará 2 x 0 Avaí Castelão (CE)
Ceará 1 x 0 Atlético-MG Mineirão (MG)
NO VASCO
Vasco 0 x 0 Goiás Serra Dourada (GO)
Vasco 3 x 1 Atlético-PR São Januário (RJ)
Vasco 1 x 1 Grêmio Olímpico (RS)

julho 22, 2010 Posted by | Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Diretor banca Ricardo Gomes, mas vice não garante permanência

Jesus Lopes diz que São Paulo dá total respaldo ao treinador. Leco, porém, diz que Gomes é o técnico tricolor, mas não sabe dizer até quando

Mal dentro de campo, o São Paulo também não se encontra fora dele. Depois do empate com o Grêmio Prudente por 1 a 1, quarta-feira à noite no Morumbi, a quinta-feira foi de muita especulação. Dentro do clube, nos bastidores, a queda de Ricardo Gomes era tida como certa. As duas derrotas e um empate desde que o Brasileirão recomeçou após o fim da Copa deixaram o técnico em situação complicada.

Mas se Gomes não consegue acertar o time, a diretoria também não mostra sintonia. Enquanto João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol, foi categórico ao afirmar que o treinador seria mantido, Carlos Augusto de Barros Silva, vice de futebol e mais conhecido como Leco, não tinha tanta certeza.

– Eu posso lhe garantir que nada mudará. Conversei pela manhã com o presidente Juvenal Juvêncio, que não está em São Paulo (está em Brasília) e o seguimos dando total respaldo ao trabalho do Ricardo. Estou lhe garantindo que ele comanda o time no próximo domingo, contra o Santos – disse Jesus Lopes..

Leco mostrou opinião um pouco diferente. Em entrevista ao programa Arena Sportv, ele não garantiu a presença do treinador no clássico contra o Santos, domingo.

– Eu não tenho nenhuma definição. Pode acontecer uma mudança, uma transformação, mas longe do que estão dizendo. Escutei alguns delírios e posso assegurar que, até agora, o Ricardo é o nosso treinador.

Pela manhã,  o treinador negou os boatos de que seria dispensado. Mais tarde, ele comandou normalmente o treino.

julho 22, 2010 Posted by | São Paulo | , | Deixe um comentário

Dorival diz que derrotas servem de alerta para a Copa do Brasil

Treinador viu sua equipe perder as três partidas que disputou após a Copa do Mundo

O técnico Dorival Júnior afirmou que a derrota por 2 a 0 para o Atlético-PR nesta quarta-feira, na Arena da Baixada

a terceira seguida após o recomeço do Brasileirão, deve servir para o Santos acordar e corrigir os erros, já que na próxima quarta-feira vai enfrentar o Vitória, na Vila Belmiro, pela partida de ida da decisão da Copa do Brasil.

– O Santos sempre errou em momentos oportunos e de repente esses três jogos servem como alerta. Espero que a partir da próxima partida nós possamos trilhar o caminho das vitórias novamente – declarou o treinador.

Antes do duelo com os baianos, o Peixe receberá o São Paulo, na Vila Belmiro, pelo Brasileirão. Sem saber se vai poupar os principais jogadores, o técnico comentou que a colocação do seu time, 11º lugar, com 12 pontos, não é das piores.

– A rodada de hoje (quarta-feira) comprovou que nenhuma equipe conseguiu abrir tanto e o Santos com todos esses problemas após Copa, ainda assim, se encontra em posição que não é confortável, mas não é desesperadora.

Para o treinador, apesar das bobeiras no começo das duas etapas, que resultaram nos gols do Furacão, a vitória do time da casa foi merecida.

– Foram duas bolas paradas que penalizaram a nossa equipe, mas temos que reconhecer que o Atlético-PR fez uma grande partida e mereceu.

julho 22, 2010 Posted by | Santos | | Deixe um comentário

Alecsandro diz que Celso Roth prometeu fazer o time jogar para ele

Artilheiro do Brasileirão relata apoio que recebeu do novo técnico

Artilheiro do Brasileirão com seis gols (ao lado de Roger, que já deixou o Guarani rumo ao Japão), Alecsandro vive com Celso Roth seu melhor momento no Inter. Após marcar duas vezes na vitória fora de casa contra o Atlético-MG

, o centroavante lembrou que seu bom desempenho se deve ao apoio que recebeu do técnico.

– O Celso me passou confiança desde que chegou. Expressou isso externamente, na imprensa. Falou que me pediu nas últimas quatro equipes em que ele trabalhou. É gratificante para o jogador saber que o treinador conta com ele – afirmou.

Alecsandro contou que Roth prometeu fazer o time jogar para ele.

– Quando ele chegou, me disse pra ficar tranquilo, que eu seria o titular dele, que era para eu apenas trabalhar e me posicionar da maneira que ele pedisse. “Gol você sabe fazer, durante toda sua carreira você fez. Espero que do meu lado faça ainda mais. Vou posicionar o time para que você possa nos ajudar” – ele me falou.

Adaptado ao esquema 4-2-3-1, o centroavante explica a mudança de posicionamento que contribuiu para o aumento dos gols:

– Como jogamos com só um atacante, com mais dois vindo de trás, como D’Alessandro e Taison, o posicionamento é diferente de quando se joga com dois atacantes. Com dois, você acaba tendo que sair para fazer a jogada de beirada. Com um só, eu fico mais posicionado na área, segurando a defesa adversária, deixando o lado da área para as jogadas do Taison, do D’Alessandro, do Giuliano .

julho 22, 2010 Posted by | Internacional | | Deixe um comentário

Dirigente do Inter confirma ausência de Tinga contra o São Paulo

Jogador vai ter que cumprir suspensão pela expulsão na final da Taça Libertadores de 2006, contra o próprio Tricolor Paulista

Apesar do esforço do departamento jurídico do clube, o Internacional não poderá escalar o volante Tinga contra o São Paulo, na próxima quarta-feira, no Beira-Rio, na primeira partida de uma das semifinais da Libertadores-2010.

O jogador foi expulso na finalíssima da competição em 2006, contra o próprio Tricolor Paulista, e vai ter cumprir suspensão. O que foi confirmado nesta quinta-feira pelo vice-presidente de futebol do Inter, Fernando Carvalho.

– Houve uma informação inicial de que estava prescrita a pena, mas queríamos uma declaração clara para não ter nenhum problema. A resposta foi de que ele tem que cumprir suspensão de um jogo. É uma pena, mas temos um grupo de qualidade que vai suprir a ausência do Tinga – afirmou o dirigente.

Além de trabalhar com a possibilidade de que a punição estivesse prescrita por ter se passado um prazo de três anos, a diretoria colorada também tentou com a Conmebol a conversão da suspensão em multa. O que não foi aceito pela entidade.

Após quatro anos no Borussia Dortmund (Alemanha), Tinga acertou o retorno ao Inter e reestreou na equipe na quarta-feira, na vitória colorada sobre o Atlético-MG por 2 a 1. Seu retorno aos gramados foi antecipado com a mudança do período da janela de transferências do exterior, alterada pela CBF para a última terça-feira (dia 20). A data original era 3 de agosto.

O jogador está liberado para disputar a segunda partida semifinal, marcada para o próximo dia 5, no Morumbi.

julho 22, 2010 Posted by | Internacional | | Deixe um comentário

Diretor de futebol garante que Silas continuará no comando do Grêmio

Luiz Onofre Meira diz ter convicção de que o time se remobilizou e que o mau tempo tirou a vitória gremista diante do Vasco

A pressão de parte da torcida e de alguns movimentos dentro do Conselho Deliberativo do Grêmio é grande, mas o diretor de futebol do clube, Luiz Onofre Meira, garante que o técnico Silas será mantido no cargo. Depois da péssima jornada contra o Prudente, no interior paulista, no último domingo, o dirigente garante que as conversas durante a semana remobilizaram o grupo de jogadores e, não fosse o temporal que desabou sobre Porto Alegre, o Tricolor sairia com os três pontos contra o Vasco na noite desta quarta

– Tivemos uma retomada negativa após o reinício do Brasileirão. Quanto você não pontua, principalmente dentro de casa, complica. Mas temos convicção no trabalho que está sendo feito. Nós não tivemos a competição ideal contra o Prudente. Temos que retomar o trabalho, as conversas, o comprometimento dos jogadores. Hoje, certamente o Grêmio daria esta resposta, mas o tempo prejudicou. Certamente venceríamos o Vasco no Olímpico – disse Meira.

Agora, o Grêmio terá pela frente duas partidas muito complicadas fora de casa. Domingo, enfrenta o Cruzeiro, em Minas Gerais, e no dia 1º de agosto, tem o Gre-Nal no Beira-Rio. No ano passado, o clube conviveu com um longo jejum longe do Estádio Olímpico e conseguiu apenas um bom resultado distante de Porto Alegre, contra o Náutico, já pelo segundo turno do Brasileirão.

– São dois jogos decisivos. Daqui para frente, todos os jogos serão decisivos. O Cruzeiro é o desafio que o Grêmio gostaria de ter para mudar o quadro do ano passado e retomar vitórias fora de casa. Podemos chegar lá e vencer. O Grêmio tem camisa, tem time. Pode chegar lá e surpreender o Cruzeiro fora de casa – disse o diretor de futebol tricolor.

Além dos resultados em campo, a torcida do Grêmio está revoltada com o fato de o time pouco ter se reforçado durante a parada para a Copa do Mundo. Nos últimos dias, o Tricolor viu dois jogadores que estavam nos planos do clube acertando com outras equipes.

– O Grêmio tem parâmetros financeiros. Esta condição que não nos habilitou a trazer o Réver de volta. Não queremos endividar o Grêmio. Temos que fazer o time com o que está previsto no orçamento do clube. O Éder Luís teve uma proposta maior do Vasco e a negociação entre lusitanos facilitou a vida do clube carioca. Não vamos fazer qualquer loucura.

julho 22, 2010 Posted by | Grêmio | , | Deixe um comentário

Terceira camisa do Grêmio vale ingresso para jogo contra o Flu

Na compra do terceiro uniforme do Tricolor, sócios e torcedores do Exército Gremista poderão assistir à partida no dia 8 de agosto, no Olímpico

A diretoria do Grêmio lançou uma promoção para atrair o torcedor e divulgar a terceira camisa do time, que começa a ser vendida nesta sexta-feira. Quem comprar o novo modelo, que foi escolhido pela torcida, até o dia 5 de agosto, ganha um ingresso para comemorar o Dia dos Pais assistindo ao jogo Grêmio x Fluminense, em 8 de agosto, no Olímpico, pela 13ª rodada do Brasileirão. Participam da promoção somente os sócios e torcedores alistados no Exército Gremista.

A promoção para a compra da nova terceira camisa é válida para qualquer loja de artigos esportivos. Para retirar o ingresso, basta apresentar a nota fiscal na Central de Relacionamento do estádio Olímpico. São dois mil ingressos para cadeiras laterais e mais dois mil para arquibancada.
Dúvidas ou informações pelo telefone (51) 3218.2000 ou pelo mail relacionamento@gremio.net. As informações são do site oficial do clube.

julho 22, 2010 Posted by | Grêmio | | Deixe um comentário

Chicão e Souza são desfalques, mas Timão tem voltas de William e Jorge

Jogadores estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo e não pegam o Guarani, domingo, às 18h30min, no Pacaembu, pelo Brasileirão 2010

O técnico Mano Menezes será obrigado a fazer pelo menos uma mudança no Corinthians para a partida contra o Guarani, domingo, às 18h30min, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. O zagueiro Chicão e o centroavante Souza receberam o terceiro cartão amarelo na derrota por 3 a 1 para o Atlético-GO, quarta-feira, no Serra Dourada, e terão de cumprir suspensão.

O treinador, porém, tem boas notícias. O zagueiro e capitão William e o atacante Jorge Henrique retornam depois de se ausentarem pelo acúmulo de advertências. A tendência, aliás, é que de ambos sejam escalados como titulares diante do Bugre.

William é titular absoluto e formará a dupla de zaga com Paulo André, mantido após a ausência de Chicão. Já Jorge Henrique disputa a vaga com Iarley, autor do único gol alvinegro em Goiânia. Dentinho tem presença certa.

No treinamento desta tarde de quinta-feira, no Parque São Jorge, os jogadores titulares fizeram um trabalho de recuperação na academia. Os reservas e aqueles que não aturam os 90 minutos contra o Dragão realizaram um jogo-treino contra a equipe sub-17.

julho 22, 2010 Posted by | Corinthians | , | Deixe um comentário

Botafogo anuncia volta de Maicosuel

Depois de boa passagem no Carioca de 2009, Mago é novamente alvinegro

Finalmente a espera acabou e a diretoria do Botafogo anunciou oficialmente o retorno do meia Maicosuel. O pagamento ao Hoffenheim foi feito na manhã desta quinta-feira e o Mago será apresentado oficialmente neste domingo, no clássico contra o Fluminense, no Engenhão.

Maicosuel já vinha treinando há quase um mês no clube e chegou a participar de um jogo-treino, mas não podia ser apresentado oficialmente por pendências financeiras. O jogador agora aguarda apenas a tramitação de todos documentos para sua regularização na CBF.

O Alvinegro divulgou também a imagem da camisa comemorativa em homenagem ao jogador. Na frente, o uniforme tem uma foto do meia e, atrás, o número 7 com o apelido Mago. Curiosamente, em sua primeira passagem por General Severiano, Maicosuel atuava com a camisa 10, que hoje está com Lucio Flavio. Em 2009, o dono da 7, que já pertenceu a Garrincha, era o atacante Reinaldo.

O meia volta ao Botafogo um ano após deixar o clube. Em 2009, o Mago foi campeão da Taça Guanabara e vice da Taça Rio, sendo o artilheiro, o melhor meia-esquerda e craque do Campeonato Carioca. Antes de ter seu retorno definido, Maicosuel disse ter uma dívida com o Alvinegro.

julho 22, 2010 Posted by | Botafogo | | Deixe um comentário

Vanderlei Luxemburgo encara problemas para enfrentar o Avaí

Leandro, Zé Luís e Ricardo Bueno, contundidos, estão vetados para a partida

A fase não é mesmo das melhores no Atlético-MG. Como se não bastasse a derrota em casa para o Internacional e a consequente volta para a zona de rebaixamento, o técnico Vanderlei Luxemburgo terá problemas para escalar o time que enfrentará o Avaí. O lateral-esquerdo Leandro, com uma tendinite na coxa esquerda, o volante Zé Luís, sentindo cansaço muscular, e o atacante Ricardo Bueno, com dores na coxa esquerda, foram cortados da viagem a Santa Catarina.

Nessa quarta-feira, Ricardo Bueno e Zé Luís participaram da derrota para o Inter, em Sete Lagoas. O atacante entrou no segundo tempo, no lugar de Neto Berola, enquanto volante começou como titular, mas foi substituído por Ricardinho.

Por outro lado, Luxemburgo terá a chance de promover a estreia do meia Daniel Carvalho. O jogador, que veio do futebol russo, teve a documentação regularizada na última quarta-feira. O zagueiro Werley, que cumpriu suspensão diante do colorado, também poderá reforçar o time.

O Galo está na vice-lanterna, com nove pontos, e o Avaí ocupa o sétimo lugar, com 15 pontos.

Veja quem são os relacionados

Goleiros: Aranha, Fábio Costa e Renan Ribeiro
Laterais: Diego Macedo, Fernandinho e Rafael Cruz
Zagueiros: Cáceres, Jairo Campos, Lima e Werley
Volantes: Fabiano, Rafael Jataí e Serginho
Meias: Daniel Carvalho, Diego Souza, João Pedro, Nikão e Ricardinho
Atacantes: Diego Tardelli e Neto Berola

julho 22, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Na água e na raça, Vasco empata no Sul

Após primeiro tempo movimentado, equipes têm dificuldade de atuar na etapa final. Árbitro ignora pênalti a favor dos gaúchos no fim da partida

Debaixo de um forte temporal que castigou Porto Alegre na noite desta quarta-feira, Grêmio e Vasco empataram por 1 a 1, no Olímpico, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado manteve as duas equipes na zona de rebaixamento. Enquanto os cariocas continuam em ascensão após a pausa para a Copa do Mundo – dois empates e uma vitória. Os gaúchos seguem sem vencer após a retomada da competição. No fim do jogo, Borges teve a chance de dar à vitória aos donos da casa, mas Titi, dentro da área, cortou a bola com a mão. O árbitro Heber Roberto Lopes ignorou a penalidade.

O resultado deu mais confiança ao Vasco para a sequência do Campeonato Brasileiro. No Grêmio, o técnico Silas está ameçado por conta da campanha irregular.

Com o empate, o Vasco chegou aos dez pontos e permaneceu na 18ª colocação. O Grêmio tem o mesmo número e está  uma posição acima. Os gaúchos ganham dos cariocas no saldo de gols (-3 a -5). Na próxima rodada, o Gigante da Colina vai enfrentar o Atlético-GO, no sábado, às 18h30m, em São Januário. O Tricolor pega o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, no domingo, às 16h.

Debaixo de forte temporal, as duas equipes fizeram o possível para tentar chegar ao ataque. E o primeiro tempo foi movimentado. Logo aos cinco minutos, Carlinhos cobrou falta da esquerda, Nunes subiu mais do que os adversários e cabeceou para o gol. A bola parou em uma poça na pequena área. No  lance seguinte, também em uma bola parada, o centroavante vascaíno aproveitou cruzamento na área para roçar de cabeça e colocar o Vasco em vantagem.

Não demorou para o Grêmio empatar a partida. Aos oito, Borges recebeu pelo lado esquerdo, tocou para Maylson, que rolou para Jonas na entrada da área. O atacante percebeu Fernando Prass um pouco adiatando e chutou colocado para igualar o marcador no Olímpico. Um minutos depois, após bobeada de Victor, que não saiu gol, Nilton quase marcou. O volante driblou o goleiro e chutou na rede pelo lado de fora.

E para quem achava que o jogo seria arrastado por conta do temporal se enganou. Aos dez, Hugo cruzou da esquerda e Jonas, dentro da pequena área, errou a conclusão por muito pouco. Dois minutos depois, Jonathan foi lançado, ganhou de um adversário e dividiu com o goleiro Victor. Na sobra, o apoiador tentou encobrir o camisa 1 tricolor, mas errou o alvo.

O Vasco teve a chance mais clara de ficar à frente do marcador aos 20. Jonathan cruzou para Fumagalli dentro da área. O meia dominou com o pé direito e chutou de primeira com a canhota. A bola explodiu no travessão do Grêmio. Um minuto depois, Borges passou por Titi, invadiu a área e finalizou por cima do gol de Prass.

Os donos da casa ainda tiveram uma ótima chance aos 40. Adilson chutou de fora da área e Fernando Prass defendeu em dois tempos. Apesar do temporal, os dois times mostraram qualidade para atuar debaixo d’água.

O Vasco foi quem teve a primeira chance de desempatar a partida no segundo tempo. Aos sete, Jonathan recebeu ótimo lançamento, tentou driblar Victor, mas o goleiro deu um tapinha na bola para evitar o gol dos cariocas. A partir do lance vascaíno, o campo ficou carregado, cheio de poças visíveis e que dificultavam as ações dos jogadores de ambas as equipes. Era difícil das sequências às jogadas.

O Grêmio voltou a assustar aos 18. Fábio Rochemback bateu falta da direita na cabeça de Borges. O atacante subiu mais do que Dedé, mas errou o alvo. A bola passou por cima do gol de Fernando Prass. O Vasco assustou os donos da casa em  uma cobrança de falta de Léo Gago, aos 22. O volante chutou e a bola passou à direita de Victor.

A partida caiu muito de produção. As duas equipes tentavam chegar ao gol com chutões. E foi o Grêmio quem teve uma oportunidade clara de marcar. Aos 29, Maylson recebeu ótimo passe de Borges dentro da área. O jogador demorou a finalizar e a defesa do Vasco afastou o perigo.

Aos 43, Borges aproveitou bobeada da defesa do Vasco, driblou Fernando Prass e soltou a bomba. Na corrida, o zagueiro Titi, dentro da área, cortou a bola com o braço e evitou o gol da derrota vascaína. O árbitro Heber Roberto Lopes ignorou a penalidade (veja o lance no vídeo acima). No fim da partida, os torcedores gaúchos pediram a saída de Silas: “Adeus, Silas!”

GRÊMIO 1 X 1 VASCO
Victor; Fernando (Saimon), Ozeia, Rafael Marques e Neuton; Adilson, Fábio Rochemback, Maylson (André Lima) e Hugo (William Magrão); Jonas e Borges. Fernando Prass, Fágner (Jumar), Dedé, Titi e Carlinhos; Nilton, Rafael Carioca, Rômulo e Fumagalli (Léo Gago); Jonathan (Elton) e Nunes
Técnico: Silas Técnico: Paulo César Gusmão
Gols: Nunes, aos seis minutos, Jonas, aos oito minutos do primeiro tempo
Cartões amarelos: Fernando, Neuton (Grêmio); Nunes (Vasco)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR-Fifa)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
Local: Olímpico, Porto Alegre (RS).

julho 22, 2010 Posted by | Grêmio, Vasco da Gama | , | Deixe um comentário

Inter vence de virada e mantém tabu diante do Atlético-MG

Colorado não perde para o Galo em Brasileiros desde 2002. Diego Souza abre o placar, mas Alecsandro faz os dois gols dos gaúchos

Atlético-MG e Internacional honraram suas tradições e fizeram um grande jogo na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Galo saiu na frente, com Diego Souza, mas permitiu a virada do Colorado, com Alecsandro marcando duas vezes, e chegando à artilharia do Brasileirão, com seis gols, ao lado de Roger, do Guarani. O Inter aumenta para 13 a série de jogos sem derrotas para os atleticanos pelo Brasileiro. Neste período, que começou em 2002, são seis vitórias do time gaúcho e sete empates.

Agora, o Galo é o 16º colocado da competição, com nove pontos, mas fatalmente vai terminar a quarta-feira na zona de rebaixamento, já que Grêmio e Vasco, 17º e 18º colocados, respectivamente, se enfrentam, em Porto Alegre. Já o Inter se beneficiou do empate entre Flamengo e Avaí e sobiu para a quarta posição, com 16 pontos.

Na próxima rodada, o Atlético-MG vai a Florianópolis, onde enfrenta o Avaí, no sábado, às 18h30m (de Brasília). O Internacional recebe o Flamengo, no Beira-Rio, no domingo, às 16h.

Alta velocidade

Como era de se esperar, o jogo começou muito veloz. Com formações ofensivas, os dois times buscaram o gol desde o início. E ele não demorou a sair. Logo aos sete minutos, Neto Berola arrancou com a bola em velocidade e deu um passe milimétrico para Fernandinho. O lateral tirou Abbondanzieri com um toque, e Diego Souza entrou como um raio para empurrar a bola para o fundo das redes do Inter. Foi o primeiro dele com a camisa do Atlético-MG.

O gol do Galo não abalou o Inter, que colocou a bola no chão e continuou saindo para o jogo. Até que foi premiado, aos 13 minutos, com o empate. Taison tocou para Alecsandro dentro da área. O atacante colorado ganhou da marcação de Diego Macedo e se aproveitou da saída errada de Fábio Costa para marcar seu quinto gol no Brasileirão e deixar tudo igual na Arena do Jacaré.

A igualdade no placar não mudou o panorama da partida. O ataque atleticano continuou se movimentando e buscando os espaços nas pontas, ora com Neto Berola, ora com Tardelli. Diego Souza usava sua força física e era marcado de perto por Guiñazu, no grande duelo da primeira etapa.

Pelo lado do Inter, o destaque ficou por conta de Tinga, que reestreou com a camisa colorada e se aproximou de D’Alessandro e Taison na criação de jogadas para Alecsandro.

Virada do Inter

O técnico Vanderlei Luxemburgo mandou o Galo para o segundo tempo com uma formação mais ofensiva. O meia Ricardinho entrou no lugar do volante Zé Luís.

O jogo ficou mais truncado do que na etapa inicial, mais concentrado no meio-campo e com mais jogadas de contato. Era preciso uma jogada de talento para que um gol saísse na Arena do Jacaré.

E foi exatamente o que o argentino D’Alessandro fez, aos 16. Ele segurou a bola, tirou a marcação de três adversários e fez com que ela sobrasse para Guiñazu. ‘El Cholo’ lançou Alecsandro, que passou por Fábio Costa e fez um golaço: 2 a 1 para o Inter.

Após o gol, Luxemburgo mandou Ricardo Bueno para o jogo, no lugar de Neto Berola. O Galo foi todo pra cima do Inter, pressionando bastante, mas cedia muitos espaços para o time gaúcho contra-atacar.

O Atlético-MG teve algumas chances de gol, como numa cabeçada de Jairo Campos e num chute cruzado de Diego Tardelli. Mas o Inter conseguiu segurar a pressão do Galo e manter o tabu de 13 jogos sem derrota para o adversário em jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro.

ATLÉTICO-MG 1 X 2 INTERNACIONAL
Fábio Costa; Diego Macedo, Jairo Campos , Cáceres e Fernandinho; Zé Luís (Ricardinho), Serginho, Fabiano (João Pedro) e Diego Souza; Diego Tardelli e Neto Berola (Ricardo Bueno). Pato Abbondanzieri; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Sandro, Guiñazu, Tinga (Wilson Matias), D’Alessandro (Giuliano) e Taison; Alecsandro (Leandro Damião).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo Técnico: Celso Roth
Gols: Diego Souza, aos sete, e Alecsandro, aos 13 minutos do primeiro tempo, e aos 16 minutos do segundo tempo.
Cartões: Jairo Campos (Atlético-MG); Kleber e Abbondanzieri (Internacional)
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). Data: 21/07/2010.Horário: 19h30m (de Brasília). Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP).Assistentes: Ednílson Corona (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP).

julho 22, 2010 Posted by | Atlético-MG, Internacional | | Deixe um comentário

Timão cai contra lanterna Atlético-GO e pode perder a liderança nesta quinta

Último invicto até esta quarta-feira, Corinthians joga mal, leva 3 a 1 no Serra Dourada e agora pode ficar sem a primeira colocação do Brasileirão 2010

Lanterna, pior ataque e somente uma vitória em nove rodadas. O Atlético-GO surgia como uma presa fácil para o líder, invicto e favorito Corinthians. Mas não foi. Com uma atuação ruim e muitos erros, o Timão foi derrotado por 3 a 1, nesta noite de quarta-feira, no Serra Dourada, pelo Campeonato Brasileiro. Robston, de pênalti, Pedro Paulo e Marcão marcaram para os donos da casa. Iarley fez e Chicão perdeu o segundo pênalti seguido para os paulistas, que ficam sem a invencibilidade e podem perder a liderança.

Com o resultado, o Corinthians permanece com 21 pontos, mas correndo sério risco de cair para a segunda colocação até o encerramento da décima rodada. Isso porque o Fluminense enfrentará o Cruzeiro, nesta quinta-feira, às 21h, no Maracanã, e chegará a 22 se obtiver um resultado positivo. Caso os cariocas não vençam, ainda há outra possibilidade de o Alvinegro ficar sem o primeiro lugar. Para isso, basta o Ceará, terceiro, com 18, derrotar o Guarani, no mesmo horário, em Campinas.

O Atlético-GO respira, mas segue em situação bastante complicada na luta contra o rebaixamento para a Série B. O Dragão conseguiu apenas a segunda vitória em dez rodadas e tem agora sete pontos, ainda na última posição.

Na próxima rodada, o Atlético-GO volta a jogar no sábado, contra o Vasco, às 18h30min, em São Januário, no Rio de Janeiro. Já o Corinthians recebe o Guarani, domingo, no mesmo horário, no Pacaembu, em São Paulo.

Diante do pior ataque do Campeonato Brasileiro, o Corinthians não teve problemas para controlar o jogo desde o início. A velocidade dos jogadores de frente e a fragilidade do sistema defensivo do rival fizeram o Timão ter bastante espaço para criar, principalmente com o buraco deixado pela marcação na entrada da área.

Depois de Danilo e Elias assustarem, Bruno César quase abriu o placar, aos 11 minutos. Após jogada de Iarley, o meio-campista ficou com o rebote sem marcação na meia lua e soltou a bomba. Márcio, bem colocado, fez ótima defesa, espalmando para escanteio.

O Corinthians, porém, foi castigado pouco depois, aos 21, com uma falha do sistema defensivo. Chicão tentou driblar no meio de campo, perdeu a bola e armou o contra-ataque. Rodrigo Tiuí recebeu lançamento na área em posição irregular (27 cm impedido) e foi derrubado pelo goleiro Julio Cesar. Robston cobrou a penalidade e fez 1 a 0.

Apesar do susto, o Corinthians continuou melhor. O empate não demorou a surgir. Aos 33, Roberto Carlos arrancou pela esquerda e tocou para Bruno César cruzar. Danilo desviou na segunda trave e Iarley apareceu entre os zagueiros para desviar no canto direito de Márcio.

Os times ainda tiveram chance de marcar até o encerramento do primeiro tempo. Aos 37, Márcio cobrou falta e Julio Cesar fez boa defesa no canto direito. Depois de quase balançar as redes, o goleiro do Dragão salvou, aos 44. Iarley recebeu passe na área, chutou cruzado e o camisa 1 espalmou.

Chicão perde outro pênalti, e Atlético-GO garante triunfo
Na volta do intervalo, o Atlético-GO quase marcou o segundo, logo no primeiro minuto. O ex-palmeirense William fez linda jogada pelo meio, passou por dois marcadores com belos dribles e ajeitou para Rodrigo Tiuí chutar com perigo por cima. Aos sete, Pedro Paulo recebeu de Chiquinho na área e finalizou no ângulo direito. Julio Cesar espalmou com estilo e salvou.

Depois de melhorar, o Corinthians voltou a dormir e a ficar em desvantagem no placar. Aos 23, Danilo acertou o árbitro ao tentar fazer um lançamento e a bola ficou para Robston. O volante tocou na esquerda para Pedro Paulo cortar para o meio e acertar um chutaço no ângulo esquerdo, sem qualquer chance para Julio Cesar.

O Timão teve a chance de empatar logo em seguida, aos 27. Iarley foi derrubado na área por Pituca e o juiz marcou pênalti. Chicão foi para cobrança, deu a paradinha, mas Márcio defendeu no canto direito baixo. Foi a segunda penalidade consecutiva perdida pelo defensor.

O golpe final dos goianos veio aos 34. Pedro Paulo recebeu passe na área, dividiu com Chicão e a bola sobrou limpa para Marcão apenas empurrar na saída de Julio Cesar, decretando a primeira derrota corintiana no Brasileirão 2010.

ATLÉTICO-GO 3 X 1 CORINTHIANS
Márcio, Dida, Jairo (Daniel Marques), Welton Felipe e Chiquinho; Pituca, Robston e William; Pedro Paulo, Marcão (Juninho) e Rodrigo Tiuí (Agenor). Julio Cesar; Alessandro, Chicão, Paulo André e Roberto Carlos (Defederico); Ralf, Elias, Bruno César e Danilo (Tcheco); Dentinho (Souza) e Iarley.
Técnico: Roberto Fernandes. Técnico: Mano Menezes.
Gols: Robston, de pênalti, aos 22, e Iarley, aos 33 minutos do primeiro tempo. Pedro Paulo, aos 23, e Marcão, aos 34 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Rodrigo Tiuí, Robston, Marcão, Chiquinho, William, Pituca (Atlético-GO); Julio Cesar, Chicão, Souza (Corinthians).
Estádio: Serra Dourada, Goiânia. Data: 20/07/2010. Árbitro:Gutemberg de Paula Fonseca. Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises e Marco Aurelio Pessanha.

julho 22, 2010 Posted by | Corinthians | | Deixe um comentário

Com gols relâmpagos, Furacão vence Peixe e sai da vice-lanterna

Na Arena da Baixada, Atlético-PR marca no começo do primeiro e do segundo tempo e bate os Meninos da Vila por 2 a 0

No duelo das equipes que vinham de duas derrotas seguidas, o Atlético-PR levou a melhor sobre o Santos ao vencer por 2 a 0 nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela décima rodada do Brasileirão. A vitória foi conquistada graças a gols marcados nos minutos iniciais da primeira e segunda etapa, com Bruno Costa e Bruno Mineiro, respectivamente.

Com o triunfo, a equipe do Paraná sai da vice-lanterna e salta para 15º colocação, com dez pontos. Já o Peixe segue sem pontuar após a volta da Copa do Mundo e aparece na 11ª colocação, com 12 pontos.

Sem poder contar com o meia Paulo Henrique Gansos, suspenso com três cartões amarelos, o técnico Dorival Júnior surpreendeu ao escalar Zezinho desde o início da partida. O jovem, porém, teve atuação apagada e foi substituído no intervalo. Também com três cartões, Durval não jogou e deu lugar a Bruno Aguiar. Na frente, Marcel ganhou a confiança do comandante e herdou a vaga de André, sacado após cair de produção.

Do outro lado, Paulo César Carpegiani não pôde contar com os defensores Manoel, Eli Sabiá e Chico, todos suspensos. Já no ataque, a aposta para começar a partida foi na dupla Alex Mineiro e Bruno Mineiro.

O Santos pouco atacou no primeiro tempo. Já o Atlético-PR criou boas oportunidades de gols e conseguiu a abrir o placar logo aos dois minutos. Paulo Baier cobrou escanteio do lado esquerdo do ataque, a bola resvalou em Alex Mineiro e na zaga santista e sobrou limpa para Bruno Costa, na segunda trave, completar para o fundo das redes.

A resposta santista saiu dos pés de Neymar, que fez jogada individual e bateu com força mandando a bola perto do gol. A partida seguiu aberta e após boa escorada de Alex Mineiro na entrada da área, Paulo Baier soltou a bomba de primeira. O goleiro Rafael conseguiu desviar e a bola passou rente ao travessão.

O Furacão chegou novamente aos 16, e Alex Mineiro acabou chutando para fora. O duelo ficou morno e só voltou a ter emoção com uma arrancada do time casa, que resultou em chute de fora da área e Paulo Baier e outra boa espalmada Rafael. O veterano teve outra oportunidade aos 41, mas não pegou bem na bola e mandou para fora. Nos minutos finais, Bruno Aguiar cobrou falta para boa defesa de Neto.

Insatisfeito com o rendimento do time, Dorival Júnior sacou Maranhão e Zezinho para as entradas de Danilo e Breitner. Mas, assim como na etapa inicial, o time da casa balançou as redes logo no começo. Com um minuto, Paulo Baier cobrou falta para a área, Rafael soltou a bola no pé de Bruno Mineiro, que errou na primeira tentativa, mas pegou a sobra, driblou o zagueiro e, com muita calma, tocou para o gol aberto.

O Santos chegou com chute de Robinho, aos 18. Neto fez a defesa. Pouco depois, do outro lado, Rafael foi buscar no ângulo um desvio de Alex Mineiro. Com Breitner, o Peixe criava mais do que com Zezinho. Mas quem quase marcou o terceiro foi o Furacão, com chute de Alex Mineiro na trave, aos 29. Nos 15 minutos finais, o time paulista não mostrou poder de reação.


ATLÉTICO-PR X SANTOS
Neto, Leandro, Rhodolfo e Bruno Costa; Wagner Diniz, Deivid, Vitor, Paulo Baier (Branquinho), Paulinho; Alex Mineiro (Thiago) e Bruno Mineiro (Mithyuê). Rafael, Maranhão (Danilo), Edu Dracena, Bruno Aguiar e Pará; Arouca,  Wesley , Zezinho (Breitner) e Robinho; Marcel (André) e Neymar.
Técnico: Paulo César Carpegiani. Técnico: Dorival Júnior.
Gols: Bruno Costa, aos dois minutos do primeiro tempo; Bruno Mineiro, a um minuto do segundo tempo
Cartões amarelos: Wagner Diniz, Rhodolfo, Alex Mineiro e Deivid (Atl); Arouca (San)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba-PR. Data: 21/07/2010. Árbitro:Leonardo Gaciba da Silva (CBF-RS)
Auxiliares: Julio César Rodrigues Santos (RS) e Alexandre Kleiniche (RS)

julho 22, 2010 Posted by | Atlético-PR, Santos | , | Deixe um comentário