Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

São Paulo volta a errar muito e empata com o Prudente no Morumbi

Torcida tricolor não perdoa a fraca apresentação da equipe, que foi dominada no primeiro tempo, e xinga o técnico Ricardo Gomes

Na última partida do time principal do São Paulo antes da semifinal da Taça Libertadores, contra o Internacional, na próxima quarta-feira, a paciência da torcida tricolor se esgotou. No Morumbi, pela 10ª rodada do Brasileirão, com muitos erros defensivos e falta de criatividade no meio-campo, a equipe sofreu para empatar por 1 a 1 com o acertado time do Grêmio Prudente. Que, pela terceira vez consecutiva, complicou a vida de um tricolor no Nacional. Antes, a equipe do técnico Toninho Cecílio havia empatado com o Fluminense, no Maracanã, e derrotado o Grêmio em casa.

De quebra, a equipe de Ricardo Gomes viu o seu rival na competição sul-americana ganhar o terceiro jogo consecutivo no Nacional. O Inter, em ascensão, fez 2 a 1 no Atlético-MG, em Sete Lagoas. O time de Celso Roth somou nove pontos após a volta do Brasileirão. O Tricolor Paulista, apenas um.

Na classificação, o São Paulo foi a 12 pontos e, momentaneamente, ocupa a 12ª posição, três colocações atrás do Grêmio Prudente, que tem um tento a mais. No domingo, o time do Morumbi, provavelmente com uma formação de suplentes, desafia o Santos, na Vila Belmiro, às 16h (de Brasília), enquanto a equipe do interior paulista receberá a visita do Vitória em Presidente Prudente, no sábado (18h30m).

Começo arrasador do São Paulo

O São Paulo entrou em campo com novidades na escalação. Sem Dagoberto e Fernandão, machucados, o técnico Ricardo Gomes também barrou Richarlyson e Marlos e promoveu as entradas de Xandão e Cléber Santana. No Grêmio Prudente, Toninho Cecílio escalou o time no 4-4-2, com três volantes, apostando na marcação forte e na saída rápida para os contra-ataques.

Porém, os planos do treinador do time do interior paulista ficaram prejudicados com menos de um minuto. Aos 48 segundos, o Tricolor abriu o marcador. Cléber Santana deu passe açucarado para Fernandinho, que aproveitou vacilo da marcação adversária, invadiu a área pela esquerda e, cara a cara com o goleiro Giovanni, rolou para Washington empurrar para o gol vazio: 1 a 0 São Paulo. (Veja o gol)

Só que quem esperava que a vantagem no marcador fosse facilitar as coisas para o time de Ricardo Gomes, se enganou. O Tricolor diminuiu a velocidade e passou a esperar o adversário para tentar surpreender no contra-ataque. E, mesmo jogando no Morumbi, os visitantes começaram a ameaçar. Aos 12, Vanderlei, em chute de fora da área, mandou à direita do gol de Rogério Ceni, com muito perigo.

Nove minutos depois, o visitante acertou a rede. Após cobrança de escanteio por Paulo César, o zagueiro Anderson Luis subiu mais alto que Miranda e cabeceou no canto direito de Rogério Ceni, que só olhou. Na saída de bola são-paulina, Rodrigo Souto falhou, e o segundo gol do Prudente só não saiu porque o goleiro são-paulino fez grande defesa em chute de Vanderlei.

Com 1 a 1 no placar, o São Paulo entrou em parafuso. E o Prudente, cada vez mais à vontade, aproveitava os claros buracos da marcação rival. O time da casa falhava em bolas rasteiras e aéreas. Jean deixava uma avenida pelo lado direito. Nem mesmo a presença de Xandão melhorou o setor. Na esquerda, Miranda, irreconhecível, não ganhava uma bola de Vanderlei. No ataque, como faltava rapidez no meio-campo, a única estratégia era cruzar bolas na área para Washington.

E o Prudente seguiu perdendo chances. Aos 31, quando a torcida são-paulina já vaiava, Deyvid Sacconi invadiu a área e foi travado por Jean na hora do chute. Aos 42, Paulo César cobrou escanteio e Diego, sozinho na área, cabeceou à direita de Ceni.

O São Paulo só foi assustar novamente aos 45, em lance de Fernandinho, que invadiu a área e chutou firme. Giovanni espalmou para escanteio. No minuto seguinte, Washington recebeu na área, girou e chutou. A bola acertou o braço de Anderson Luis. Pênalti não marcado por Rodrigo Martins Cintra. Na sequência do lance, enquanto os são-paulinos reclamavam, o Prudente disparou no contra-ataque pela esquerda e só não marcou porque Deyvid Sacconi, cara a cara com Rogério Ceni, chutou por cima do gol ao tentar encobrir o arqueiro. Na saída para o intervalo, muitas vaias para a equipe e gritos de burro para Ricardo Gomes.

Os dois times voltaram para a segunda etapa sem alterações. O São Paulo, como no primeiro tempo, começou em ritmo acelerado. Sem inspiração no meio, o time abriu o jogo pelas pontas. Aos cinco, Jean tabelou com Hernanes, recebeu de volta na área, mas bateu errado, por cima do gol. No minuto seguinte, Hernanes cobrou escanteio, e Xandão cabeceou à esquerda do gol de Giovanni, com muito perigo

Dois minutos depois, Junior Cesar avançou pela esquerda e bateu cruzado. O goleiro do Prudente espalmou, e a zaga afastou o perigo na sequência.

Preocupado com o avanço do adversário, Toninho Cecílio resolveu mudar a marcação, tirando Carlos Eduardo, que já havia recebido cartão amarelo, para colocar Anderson Trindade. Depois, sacou Deyvid Sacconi e mandou Henrique Dias a campo. Na sequência, Ricardo Gomes trocou o volante Rodrigo Souto pelo meia Marlos. Cinco minutos depois, fez a segunda mudança, com Marcelinho Paraíba na vaga de Fernandinho.

A partir dos 25 minutos, o jogo caiu muito de nível. Embora seguisse tomando a iniciativa, o São Paulo criava muito pouco. E o Prudente, que foi melhor na primeira etapa, recuou, como se estivesse satisfeito com o empate. Quando o jogo chegou aos 30, a torcida são-paulina perdeu a paciência e começou a protestar. Surgiram os gritos de “raça, raça” e “vamos jogar bola”.

Mas, dentro de campo, nada mudou. O São Paulo, apesar da vontade, não acertou mais nada, enquanto que o Prudente não assustou o gol de Rogério Ceni. Assim que Rodrigo Martins Cintra apitou o final da partida, a torcida tricolor não perdoou mais uma vez e protestou.

– Não é mole não. Libertadores virou obrigação.

SÃO PAULO 1 X 1 GRÊMIO PRUDENTE
Rogério Ceni; Xandão, Alex Silva e Miranda; Jean, Rodrigo Souto (Marlos), Hernanes, Cléber Santana e Junior Cesar; Washington e Fernandinho (Marcelinho Paraíba). Giovanni, Paulo Cesar, Anderson Luis, Leonardo e Diego Giaretta; Rodrigo Mancha, Marcelo Oliveira, Carlos Eduardo (Anderson Trindade) e Deyvid Sacconi (Henrique Dias); Wanderley e Wesley (Sasha).
Técnico: Ricardo Gomes. Técnico: Toninho Cecílio
Gols: Washington, a 1 min e Anderson Luis, aos 21min do 1º tempo
Cartões amarelos: Carlos Eduardo, Anderson Luis, Leonardo e Wesley (Grêmio Prudente). Renda e Público:
Estádio: Morumbi, em São Paulo (RJ). Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP). Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP)

julho 21, 2010 Posted by | Grêmio Prudente, São Paulo | | Deixe um comentário

Pancadaria no fim ofusca o bom empate por 2 a 2 de Vitória e Goiás

Esmeraldino faz 2 a 0, time baiano reage e empata. Depois, jornalista acusa Leão e Rafael Moura de agressão, e técnico e jogador são detidos

Tinha tudo para terminar bem o duelo entre Vitória e Goiás, nesta quarta-feira, no Barradão.  Bom jogo e emocionante, com empate de 2 a 2, não merecia um final com pancadaria e agressões do técnico Leão, do atacante Rafael Moura e da comissão técnica do Goiás a jornalistas que estavam no gramado. Tudo isso depois de uma reclamação do técnico do Goiás à arbitragem de Péricles Bassols, que inclusive anulou um gol no fim da partida marcado não pelo Esmeraldino, mas pelo Vitória – Ramon estava em condições, mas Soares, impedido, saiu da frente no chute do camisa 10 e atrapalhou a visão do goleiro Calaça.

Leão, no entanto, achou que a arbitragem foi tendenciosa para o time da casa. Logo depois de tentar dirigir-se ao juiz, o técnico discutiu com o radialista Roque Santos, que foi entrevistá-lo. Depois, houve uma troca de empurrões, e o jornalista o acusou de agressão. O tumulto se espalhou pelo campo. Integrantes da comissão técnica do Goiás participaram da pancadaria. O atacante Rafael Moura levou a nocaute o mesmo radialista. Alguns jornalistas e jogadores do Goiás procuravam acalmar os ânimos. A polícia só apareceu no fim. Roque Santos foi dar queixa de agressão na 10ª DP, do bairro de Pau da Lima, em Salvador. Segundo o site do Ibahia, Leão e Rafael Moura receberam voz de prisão e foram conduzidos à DP. A Rádio Sociedade informou que Romerito também está detido

Quem foi ao Barradão não merecia o espetáculo lamentável no fim. A partida foi boa e movimentada. O Vitória começou melhor, mas o Goiás fez 2 a 0. Depois, o time baiano reagiu e chegou ao empate. Agora, o Rubro-Negro, que vai a 13 pontos, volta a campo no Brasileirão no sábado para encarar, fora de casa, o Grêmio Prudente. O Goiás, que pula para 11, receberá no Serra Dourada, no domingo, o Atlético-PR.

Vitória no ataque

Com Júnior de volta ao ataque, empolgado pelo triunfo por 3 a 2 sobre o São Paulo, na nona rodada, e perto de decidir a Copa do Brasil contra o Santos, na quarta-feira, o Vitória começou a partida em velocidade máxima. A ideia era logo imprensar o adversário para chegar ao gol. O Goiás aguentou firme o sufoco, esperou as falhas de marcação na defesa adversária, principalmente no lado que o Leão mais atacou, para fazer 2 a 0 e mudar a partida. Mas o time baiano não esmoreceu e diminuiu o placar no fim de um primeiro tempo de bom nível técnico e muita emoção.

A tática do Vitória de atacar logo parecia que ia da certo. O caminho escolhido foi o lado esquerdo. Nos cinco primeiros minutos, duas boas chances foram criadas. Na primeira, aos 3, o lateral  Egídio foi à linha de fundo e centrou para Júnior, que se esticou para escorar a bola, mas o tiro saiu para fora. Dois minutos depois, Elkeson se deslocou para receber de Ramon e centrou para Júnior, que chegou a matar a bola para bater, mas foi interceptado na hora H por Saci. O lateral tocou para escanteio.

O Goiás se defendia como podia e explorava os contra-ataques. Aos seis minutos, Carlos Alberto arrancou pela direita e centrou para Rafael Moura, que estava livre mas não acertou a cabeçada. A jogada era essa, mas não dava certo, em parte porque Bernardo, camisa 10 de volta ao Esmeraldino, até aquele momento estava bem marcado. Além disso, o meio-campo rubro-negro tocava com velocidade a bola para o ataque, que se mexia bem. Foi assim que Elkeson quase abriu o marcador, aos 20 minutos, quando recebeu pela esquerda, ganhou na velocidade de Amaral e bateu cruzado, para fora. Júnior, livre na área, reclamou que o companheiro não o serviu.

Esmeraldino faz dois

O Vitória mandava na partida, mas o Esmeraldino não estava morto. Tocava a bola para os lados esperando uma brecha na defesa adversária para atacar. E bastou uma bobeira para a partida mudar radicalmente. Aos 20 minutos, Bernardo recebeu livre, na entrada da meia-lua, driblou para o lado esquerdo e bateu de canhota, com violência. Viafara fez linda defesa, espalmando para escanteio.

Dali em diante, o Goiás cresceu  em campo e acertou a jogada de contra-ataque. Justamente pelo lado em que o Vitória atacava mais, o esquerdo. Egídio se mandava para fazer a triangulação com Ramon e Elkeson, mas a cobertura do Leão ao lateral falhava. Foi asssim que, lançado pela direita, Rafael Moura arrancou na frente de Neto, que caiu, e Anderson Martins. No quique da bola, o atacante soltou uma bomba à esquerda de Viafara – que ainda tocou na bola -, aos 30 minutos, abrindo o placar.

Três minutos depois, pelo mesmo lado direito esmeraldino, de novo Rafael Moura, bem na partida, centrou consciente para Everton Santos. O camisa 7 ganhou no alto da zaga rubro-negra e cabeceou firme para as redes, fazendo 2 a 0.

Rubro-Negro diminui

A torcida do Vitória parecia não acreditar. Os jogadores também. O jogo ficou mais aberto ainda. Júnior, aos 37, mandou um balaço de fora da área. Calaça espalmou com a ponta dos dedos antes de a bola explodir no travessão. O troco não demorou. De novo pela direita, Everton Santos foi à linha de fundo e centrou rasteiro. Viafara saiu bem e salvou o que poderia ser o terceiro gol do Esmeraldino. Rafael Moura, livre na área, esperava a sobra que não ocorreu.

O esforço do time baiano acabou recompensado aos 44 minutos. Elkeson, melhor do time, levantou da meia-lua para a área. Ricardo Conceição, de cabeça, diminuiu o placar, à esquerda de Calaça, e recolocou o Vitória na briga.

Na segunda etapa, o início parecia um replay da primeira. O Vitória pressionando, com mais posse de bola, mas nem criando tantas oportunidades. O Goiás, perigoso nos contra-ataques.

Aos cinco minutos, Fernando bateu uma falta com violência. Calaça voou em mais uma bela defesa, tocando para escanteio. Pouco depois, usando também o lado direito, Nino se livrou de Wellington Saci e soltou um míssil cruzado, à direita do goleiro esmeraldino.

Mexidas, empate e briga

No ataque mas sem conseguir o empate, o técnico Ricardo Silva resolveu radicalizar aos 15 minutos. Pôs, de uma vez só, Soares e Schwenck nos lugares de Fernando e Elkeson, que vinha bem na partida e saiu visivelmente contrariado. A torcida do Vitória vaiou a substituição.

Pelo Goiás, Leão também mexeu ao trocar Bernardo pelo experiente Romerito. A ideia era cadenciar o jogo. O Vitória queria mais velocidade, e com Nino crescendo pela direita, impedia os buracos pelo lado de Egídio e dava mais opção de ataque.

Aos 25, no entanto, o lateral-direito se machucou e saiu para a entrada de Jonas – com suspeita de ruptura no músculo, pode ser desfalque contra o Santos. A equipe baiana perdeu uma boa opção de jogada, mas com três atacantes ia com mais perigo ao gol.

O sufoco aumentou a partir dos 28, quando Schwenck centrou rasteiro da esquerda, mas Soares e Jonas chegaram atrasados no lance. Seis minutos depois, o atacante-garçom girou na entrada da área e bateu à direita de Calaça.

Leão trocou Wellington Saci por Marcão. Aos 41, Ramon, que cresceu no segundo tempo, marcou um belo gol bem anulado pelo árbitro Péricles Bassols – Soares, que estava impedido no lance e saiu da frente, atrapalhou a visão do goleiro Calaça. Três minutos depois, o empate saiu com justiça: Soares mandou um petardo de fora da área, à direita de Calaça. Placar merecido para uma boa partida de futebol, que acabou em pancadaria lamentável.

VITÓRIA 2 X 2 GOIÁS
Viafara, Nino (Jonas), Anderson Martins, Wallace e Egídio; Vanderson, Neto, Ricardo Conceição, Ramon Menezes e Fernando (Soares); Elkeson (Schwenck) e Júnior. Calaça; Carlos Alberto, Rafael Toloi, Ernando e Wellington Saci  (Marcão); Jonilson, Amaral, Wellington Monteiro e Bernardo (Romerito); Éverton Santos (Almir Lucas) e Rafael Moura
Técnico: Ricardo Silva. Técnico: Emerson Leão.
Gols: no primeiiro tempo, Rafael Moura, aos 30, Everton Santos, aos 33, e Ricardo Coneição, aos 44. No segundo tempo, Soares, aos 44
Cartões amarelos: Anderson Martins e Wallace (Vitória) e Wellington Monteiro, Amaral e Marcão (Goiás)
Local: Barradão, em Salvador. Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ). Assistentes: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Vinícius da Vitória Nascimento (RJ).

julho 21, 2010 Posted by | Goiás, Vitória | | Deixe um comentário

Flamengo sai na frente, cochila e Avaí arranca empate no Maracanã

Resultado tira os cariocas do G-4 e mantém boa campanha dos catarinenses pós-Copa do Mundo

O Flamengo versão 2010 gosta de filmes repetidos e sem final feliz para a torcida no Maracanã. Depois de duas vitórias quase inesperadas e da entrada no G-4, o time não fez uso do fator campo nesta quarta-feira e, na hora de embalar, tropeçou novamente em casa. O Avaí aproveitou-se da “síndrome” e arrancou importante empate por 1 a 1, no Rio.

Neste Brasileiro, o time jogou seis vezes na sua casa e conseguiu apenas duas vitórias. Houve também três empates e uma derrota.

O início dos cariocas até foi empolgante e o gol de Diego Maurício, após bela jogada coletiva, foi o reflexo disso. Mas, apostando na fórmula de jogos anteriores, o time recuou e permitiu o empate dos visitantes no segundo tempo.

Prejudicado pela vitória do Inter sobre o Atlético-MG, o Flamengo pula para os 16 pontos, mas cai para a quinta colocação. O Avaí, que também vinha de duas vitórias, pulou para os 15 pontos e está em sétimo.

Na próxima rodada, o time carioca visita o Inter, domingo, no Beira-Rio. No sábado, o Avaí recebe o Atlético-MG no estádio da Ressacada.

A torcida não compareceu à altura de um integrante do G-4, mas trocou a quantidade por qualidade para apoiar a equipe renovada e aplicada. A resposta veio aos dez minutos em ótima jogada coletiva. Petkovic iniciou o lance e tocou para Vinícius Pacheco. Ele abriu para Léo Moura na direita. O capitão rolou e Diego Maurício, de direita, bateu rasteiro para abrir o placar. Foi o primeiro gol do Drogba da Gávea no time profissional após sete partidas em branco.

O gol aumentou a empolgação. Petkovic só não fez olímpico porque Renan salvou sobre a linha. Logo depois, Léo Moura fez ótima jogada, mas Vinícius Pacheco se enrolou, furou e concluiu por cima.

Aos poucos, o Avaí começou a encontrar espaços, sobretudo no lado esquerdo da defesa adversária. Em um dos lances, aos 23, Robinho rolou para Roberto, que cruzou rasteiro. A bola chegaria aos pés de Caio, mas Léo Moura salvou dentro da pequena área.

A segunda chance foi em falta frontal cobrada por Gabriel, aos 26. Ele bateu forte e Marcelo Lomba fez excelente defesa no canto direito.

O Flamengo só voltou a ameaçar aos 41. Willians pedalou, passou por um adversário e chutou forte da entrada da área. Renan caiu no canto direito e espalmou. Três minutos depois, Correa puxou contra-ataque e passou para Diego Maurício. Ele errou, a bola sobrou para Petkovic, que bateu rasteiro nas mãos de Renan.

O Avaí fez duas alterações no intervalo e voltou melhor, imprensando os mandantes no campo de defesa. Aos 11, Léo Moura escorregou, Eltinho aproveitou na ponta esquerda e bateu cruzado. Marcelo Lomba desviou levemente, Roberto pegou a sobra e bateu no lado de fora da rede.

Petkovic cansou, e o Flamengo travou. As jogadas de ataque rarearam e a defesa passou a recorrer aos chutões. O técnico Rogério Lourenço ainda dificultou mais a situação quando trocou Vinícius Pacheco por Camacho.

O empate não tardou. Aos 29, Gabriel bateu forte, de longe, e surpreendeu Marcelo Lomba, que pulou no canto direito, mas não alcançou. O Flamengo, enfim, voltou a ter o domínio territorial. Mas sem força ofensiva pouco ameaçou o goleiro Renan e saiu de campo vaiado pelos poucos mais de 19 mil presentes no estádio.

FLAMENGO 1 X 1 AVAÍ
Marcelo Lomba; Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Correa (Rômulo), Willians, Kleberson (Borja) e Petkovic; Diego Maurício e Vinícius Pacheco (Camacho). Renan, Patric, Gabriel, Émerson e Eltinho; Marcinho Guerreiro, Diogo Orlando (Marcos), Rivaldo e Caio; Roberto e Robinho (Davi).
Técnico: Rogério Lourenço Técnico: Antônio Lopes
Estádio: Maracanã. Árbitro: Jailson Macedo Freitas-BA. Auxiliares:Alessandro Alvaro Rocha de Matos (FIFA-BA) e Katiuscia Mayer Berger Mendonça (FIFA-ES).
Gol: Diego Maurício, aos dez minutos do primeiro tempo; Gabriel, aos 29 do segundo tempo.
Cartão Amarelo:
Welinton, Borja e Camacho (Flamengo); Marcos e Patric (Avaí)
Renda: R$ 364.165,00 Público: 14.051 pagantes (19.085 presentes)

julho 21, 2010 Posted by | Avaí, Flamengo | , | Deixe um comentário

Para ganhar moral, São Paulo enfrenta Grêmio Prudente

Tricolor vem de duas derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro

Para evitar qualquer possibilidade de crise às vésperas da semifinal da Libertadores, o São Paulo busca uma vitória contra o Grêmio Prudente nesta quarta-feira. A partida acontece às 19h30 no Estádio do Morumbi.

Na 13ª colocação, o Tricolor vem de duas derrotas consecutivas. O que todos pensam no clube é em reencontrar o caminho das vitórias para elevar o moral para o jogo do dia 28, contra o Internacional, pela semifinal da Libertadores.

Porém, Ricardo Gomes tem problemas para escalar seu ataque. Dagoberto, com dores na coxa esquerda, está vetado. Fernandinho deve ser seu substituto. Já Fernandão, o outro titular é dúvida. O atacante está com um trauma no joelho esquerdo e não treinou com os demais companheiros na segunda e na terça-feira. Washington é seu reserva imediato.

Mas nem tudo é notícia ruim no Morumbi. Alex Silva retorna ao time após cumprir suspensão com o Vitória e Marlos, que sentiu dores durante a semana, está confirmado.

O Grêmio Prudente tenta diante do São Paulo a primeira vitória fora de casa no Campeonato Brasileiro. O Abelha tem um retrospecto negativo como visitante: dois empates e três derrotas.

O técnico Toninho Cecílio terá dois desfalques: o goleiro Marcio, que para por sete meses por causa de uma lesão no joelho direito, e o volante João Vitor, expulso na vitória contra o Grêmio por 2 a 0. Eles serão substituídos por Giovanni e Anderson, respectivamente.

A equipe também tenta o primeiro triunfo diante dos grandes paulistas neste ano. Contra Palmeiras e Corinthians foram dois empates. Além de uma derrota para o Santos e uma para o São Paulo.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X GRÊMIO PRUDENTE

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 21/7/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Carlos Augustos Nogueira Junior (SP)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Miranda, Alex Silva e Richarlyson; Jean, Rodrigo Souto, Hernanes, Marlos e Junior Cesar; Fernandinho e Washington (Fernandão). Técnico: Ricardo Gomes.

GRÊMIO PRUDENTE: Giovanni, Paulo César, Anderson Luis, Leonardo e Marcelo Oliveira; Rodrigo Mancha, Anderson, Carlos Eduardo e Deyvid Sacconi; Wesley e Wanderley. Técnico: Toninho Cecílio.

julho 21, 2010 Posted by | Grêmio Prudente, São Paulo | , , | Deixe um comentário

Furacão e Santos jogam para espantar crise

Santistas querem interromper brigas e derrotas, enquanto Atlético-PR foge da zona de risco

Atlético-PR e Santos duelam nesta quarta-feira, às 21h50, na Arena da Baixada, em jogo válido pela 10ª rodada do Brasileirão, com transmissão em tempo real pelo LANCENET!, tentando mudar os resultados obtidos anteriormente.

O Furacão quer acabar com a má fase que vem se instalando no clube. Nas últimas três partidas, três derrotas, que empurraram o time para a 19ª colocação, com apenas sete pontos ganhos.

Do outro lado o Santos, que vive situação parecida. Vindo de duas derrotas, entra em campo para evitar algo que ainda não aconteceu neste ano: perder três vezes seguidas.

Além da importância do resultado dentro das quatro linhas, uma vitória seria boa para o Alvinegro espantar a crise que começa a rondar o clube, depois da confusão do útlimo domingo. Atualmente, o Peixe é o nono colocado, com 12 pontos.

VITÓRIA PARA SAIR DA ZONA DE REBAIXAMENTO

A dois pontos de distância do primeiro time fora da zona de rebaixamento – o Atlético-MG, com nove pontos – o Atlético-PR precisa desesperadamente da vitória. Mas o técnico Paulo César Carpegiani terá seis desfalques para a partida: os zagueiros Manoel e Eli Sabiá e o volante Chico, suspensos, os laterais-esquerdos Márcio Azevedo e Jean, lesionados, e o atacante Maikon Leite, que não pode enfrentar o Peixe, por ainda ter vínculo com o Alvinegro.

Assim, quem ganha uma chance entre os titulares, são o zagueiro Bruno Costa e o volante Deivid. Por outro lado, o zagueiro Alex Fraga e o volante Olberdam, que treinaram entre os titulares, ficam de fora, uma vez que não tiveram seus nomes registrados no BID. Opções, ou falta delas, que Carpegiani vai tentando lidar para montar um time.

– Temos que escalar a equipe, com o melhor que temos no momento, buscando a vitória. Respeitamos o Santos, mas temos obrigação de vencer. Passamos segurança para os jogadores, para que não aconteça as desatenções. Conhecemos o Santos, que é talvez a equipe mais técnica do Brasil, e por isto temos que ir para cima – declarou o treinador.

TRIUNFO PARA ESPANTAR A CRISE

O fato de ter perdido os dois últimos jogos já colocaria uma pressão natural em cima do Santos, mas uma confusão no último domingo piorou ainda mais a situação. Durante a concentração para enfrentar o Tricolor carioca, Wesley e Robinho se desentenderam. Em uma brincadeira, o Rei do Drible quebrou o celular do volante, que descontou batendo com um taco de sinuca no retrovisor do carro do atacante.

Apesar do entrevero, os atletas não foram afastados da última partida e nem punidos. Por isso, devem entrar em campo contra o Furacão. Mesmo assim, o técnico Dorival Júnior terá quatro desfalques para o jogo válido pela 10ª rodada do Brasileirão.

Além de Léo e Marquinhos, que se recuperam de lesão, o comandante não poderá contar com Durval e Paulo Henrique, ambos suspensos. Para substituir o zagueiro, Bruno Aguiar foi o escolhido. Em relação ao atleta que ocupará a vaga de Ganso, Dorival faz mistério e só adianta que tem três opções para a posição, sem revelar nomes. Mesmo assim, ele garante que o time continuará ofensivo.

– Vamos ter jogos em que a defesa vai ser exigida, mas o ataque vai ser eficiente. O ataque é a defesa do Santos e não vamos mudar a forma de jogar por conta de dois jogos. O Fluminense soube ser efetivo e aproveitou uma oportunidade. Sempre que perder dessa forma, serei o treinador derrotado mais feliz do mundo, porque a equipe teve uma postura agressiva. Os resultados podem ser contestados, mas não vou mudar nenhuma vírgula do que estou fazendo – afirmou o comandante.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-PR X SANTOS

Estádio: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data/hora: 21/7/2010 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Auxiliares: Julio Cesar Rodrigues Santos (RS) e Alexandre Kleiniche (RS)

ATLÉTICO-PR: Neto, Leandro, Rhodolfo e Bruno Costa; Wagner Diniz, Deivid, Fransérgio, Paulo Baier e Paulinho; Branquinho e Bruno Mineiro. Técnico: Paulo César Carpegiani.

SANTOS: Rafael, Maranhão, Edu Dracena, Bruno Aguiar e Pará; Arouca, Wesley e Madson; Neymar, Robinho e André (Marcel) Técnico: Dorival Júnior.

julho 21, 2010 Posted by | Atlético-PR, Santos | , | Deixe um comentário

Timão vai à Goiânia para manter a liderança

Líder do Campeonato Brasileiro, Corinthians vai ao Serra Dourada enfrentar o lanterna Atlético-GO

O Corinthians enfrenta nesta quarta-feira o Atlético-GO, às 21h50, em Goiânia, e visa consolidar a boa fase e a liderança do Campeonato Brasileiro. Em situações completamente distintas, o time do Parque São Jorge está no topo da tabela, enquanto o Dragão é o último colocado.

O Timão conta com o estímulo também de estar próximo de igualar seu recorde de partidas invictas em Campeonatos Brasileiros. A marca anterior é de 1993, quando a equipe ficou 15 jogos sem saber o que era perder. Neste ano, somado com o fim do Brasileirão de 2009, já são dez partidas sem derrotas.

Entretanto, apesar do ótimo momento no torneio, nem tudo está tranquilo no Parque São Jorge. Especulações da saída de Mano Menezes para assumir o comando da Seleção Brasileira além da conturbada situação do goleiro Felipe, que pode deixar o clube dão o tom do ambiente corintiano às vésperas do jogo desta quarta-feira.

O Corinthians tem dois desfalques para o jogo diante do Dragão: Jorge Henrique e William, suspensos por levarem o terceiro cartão amarelo na partida contra o Galo, não jogam e devem ser substituído, respectivamente, por Iarley e Paulo André.

O goleiro Julio Cesar ressaltou a confiança do grupo e a importância dos pontos que o Corinthians vem somando enquanto os demais times não “embalam”.

– Estamos muito bem, o grupo está muito bem. Todo mundo a vontade, muito confiante. Começar o ano bem, abrir pontos dos concorrentes, nos ajuda bastante. Se a gente continar nessa sequência, tomara que sejamos campeões – analisou o goleiro.

Na lanterna, o Atlético-GO terá uma verdadeira batalha pela frente para tentar respirar no Campeonato Brasileiro. Pela frente, o líder da competição, Corinthians. Por isso, o técnico Roberto Fernandes tomou uma medida a la Dunga: fez treino secreto para não dar armas ao adversário.

Apesar de tanto mistério, o time que vai a campo não deve ser muito difrente do que perdeu para o Flamengo no último domingo. Anaílson, que não vinha tendo chances quando Geninho era o treinador, começará entre os titulares, no lugar de Elias, que levou o terceiro amarelo na última partida.

O meia acredita que sua experiência pode fazer a diferença. Além disso, espera ter mais oportunidades agora que Roberto Fernandes assumiu o time.

– Estou muito confiante que vou render bem nesse Campeonato Brasileiro. Conheço o compatição, pois disputei vários anos pelo São Caetano. Precisamos vencer essa primeira para trazer novamente a confiança de todo mundo – disse Anaílson.

Outros dois que voltam ao time é o zagueiro Jairo e o atacante Marcão. O defensor entra no lugar de Gilson, que não foi bem contra o Fla. Já Marcão deve fazer dupla de ataque com Rodrigo Tiuí.


FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-GO X CORINTHIANS

Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/hora: 21/7/2010 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Dilbert Pedrosa Moises (Fifa-RJ) e Marco Aurelio Pessanha (RJ)

ATLÉTICO-GO: Marcio; Dida, Jairo, Welton Felipe e Chiquinho; Agenor, Pituca, Robston e Anaílson; Marcão (Pedro Paulo) e Rodrigo Tiuí. Técnico: Roberto Fernandes

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Chicão, Paulo André e Roberto Carlos; Ralf, Elias, Danilo e Bruno César; Iarley e Dentinho. Técnico: Mano Menezes.

julho 21, 2010 Posted by | Corinthians | , | Deixe um comentário

Grêmio recebe o Vasco e quer a recuperação no Brasileirão

Gaúchos não venceram desde a volta do Brasileirão. Vascaínos querem dar continuidade ao bom momento

Grêmio e Vasco fazem o jogo do roto contra o esfarrapado na noite desta quarta-feira no Olímpico. Ambos estão na zona do rebaixamento – o Tricolor em 17º lugar e os cruzmaltinos em 18º.

Apesar da aparente vantagem, o mandante amarga situação muito pior. Ao contrário do visitante, que ainda saboreia a vitória sobre o Atlético-PR, o dono da casa vem de fracasso em fracasso – empate no Olímpico com o Vitória e derrota fora para o Grêmio Prudente.

Seu técnico, Silas, sente a corda apertar no pescoço a cada hora que passa. E não vai poder contar com seis titulares em momento tão crucial.

O lateral-direito Edilson, o zagueiro Rodrigo e o meia Douglas receberam o terceiro cartão amarelo no 0 a 2 para o Prudente. O zagueiro Mário Fernandes se recupera de operação no ombro direito e o lateral-esquerdo Fábio Santos e o meia Leandro têm lesão muscular.

Se já tinha que improvisar o zagueiro Neuton na lateral-esquerda, o técnico terá de deslocar outro jogador, o volante Fernando, para a lateral-direita. Isto é, a linha defensiva de quatro mal se conhece.

Alguns jogadores atravessam má fase. Outros são limitados mesmo. Mas o caso mais grave é o dos que parecem não se importar com o destino do time, segundo avaliação dos dirigentes.

– Perder na técnica ainda admitimos, mas ser derrotado porque o adversário se empenhou mais do que o Grêmio, que tem uma tradição de garra a zelar, é inadmissível – disse o vice-presidente de futebol Luiz Onofre Meira depois do vexame em Presidente Prudente.

O discurso pareceu correto. Mas, em relação a Silas, Meira foi inabilidoso. Ele acrescentou lenha à fogueira ao admitir que derrota para o Vasco significará a degola do técnico. A pressão da torcida e de parte da imprensa, que já era grande, pode se tornar insuportável se o Vasco abrir o placar.

Do lado vascaíno, a vitória na última rodada, contra o Atlético-PR, em casa, parece ter animado torcida e jogadores. Dos seis pontos disputados desde a volta do Brasileirão, os cariocas conquistaram quatro. Além do triunfo sobre os parananenses, a equipe de São Januário empatou com o Goiás, no Serra Dourada.

O atcante Nunes, que marcou seu primeiro gol com a camisa do Vasco na última rodada, quer aproveitar o momento de fragilidade do adversário, mas ressaltou que os vascaínos devem tomar cuidado.

– Com 15 minutos, se eles não construírem um resultado, a torcida vai chiar e a pressão vai existir. Tratando-se de Grêmio, não podemos nos precipitar. Uma vitória lá com certeza levantaria a moral. Não estamos à procura de um empate neste jogo. Se não ganharmos, não podemos perder. Temos de aproveitar o bom momento – afirmou.

O técnico cruzmaltino, PC Gusmão, não acredita em vida fácil em Porto Alegre, e lembrou que as equipes se enfrentaram há pouco tempo na Copa da Hora, em Florianópolis.

– Será mais um jogo difícil. E para os dois lados. Isso porque as equipes já se conhecem. Nos enfrentamos no torneio em Florianópolis. Nossa equipe está amadurecenco muito rápido e é preciso que nosso time tenha atitude para tirar o Vasco desta situação – completou PC.


FICHA TÉCNICA
GRÊMIO X VASCO

Estádio: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data/Horário: 21/7, às 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (FIFA/PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)


GRÊMIO: Victor; Fernando, Ozeia, Rafael Marques e Neuton; Adilson, Rochemback, Maylson e Hugo; Jonas e Borges
Técnico: Silas

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Dedé Titi, Carlinhos; Rafael Carioca, Romulo, Nilton e Fumagalli; Jonathan e Nunes
Técnico: Paulo César Gusmão

julho 21, 2010 Posted by | Grêmio, Vasco da Gama | , | Deixe um comentário

Fla e Avaí jogam para manter o bom momento

As duas equipes conquistaram vitórias nas duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro

Com bons retrospectos, Flamengo e Avaí se encaram, nesta quarta-feira, no Maracanã, às 21h, em partida válida pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. Com 15 pontos, o Rubro-Negro procura se manter no G4. Já o Avaí, na sexta colocação, quer vencer para embalar no campeonato.

Para esta partida, o técnico Rogério Lourenço vai repetir a equipe titular que venceu o Atlético-GO no último domingo. O comandante do Flamengo acredita que, a partir deste jogo, o time começa a ganhar um estilo mais visível, uma identidade.

– É um jogo importante para ter uma tranqüilidade maior. A equipe começa a ganhar um corpo, uma cara. O Fla vem de duas vitorias . é o momento de brilhar. Não é o time dos sonhos do torcedor, é um time aplicado que vai dar orgulho aos torcedores. Por isso, deve ser apoiado – disse.

O treinador confessou que não acompanhou os últimos jogos do próximo adversário, mas se disse aliviado por Sávio, cria da base do Flamengo, desfalcar a equipe do Avaí.

– Sávio jogou aqui no Flamengo e no exterior. Não acompanhei muito os jogos do Avaí e não sei como ele estava. Mas, apesar de, pela idade, a performace não ser mais a mesma, não ter Sávio em campo é um alivio – afirmou.


Embalado por duas vitórias seguidas – sobre São Paulo e palmeiras – o Avaí vem ao Maracanã com plena consciência que pode derotar o Flamengo. O técnico Antônio Lopes, profundo conhecedor do fuebol carioca, espera surpreender o atual campeãoo brasileiro.

A maior baixa do técnico é Sávio, ex-Flamengo, vetado pelos médicos. O atacante está com uma lesão no músculo adutor da coxa. Na vaga do suspenso Rudnei, entra o volante Diogo Orlando, que recebe sua primeira chance como titular.Recuperado de problemas estomacais, o lateral-esquerdo Eltinho retorna na vaga de Pará, também suspenso.

Um dos destaques da equipe avaiana, o atacante Roberto, em entrevista ao ‘Diário Catarinense’, definiu qual é a melhor estratégia para a partida no Maracanã

– Como é um campo daquele tamanho, nosso time vai ter boas oportunidades de contra-ataques – disse.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO X AVAÍ

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 21/7/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha De Matos (BA – FIFA) e Katiuscia
Mayer Berger Mendonça (ES – FIFA)

FLAMENGO: Marcelo Lomba; Leonardo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Williansd, Correa, Kleberson e Petkovic; Diego Maurício e Vinícius Pacheco
Técnico: Rogério Lourenço

AVAÍ: Renan; Patric, Gabriel, Emerson e Eltinho; Marcinho Guerreiro, Diogo Orlando, Rivaldo e Caio; Robinho e Roberto
Técnico: Antônio Lopes

julho 21, 2010 Posted by | Avaí, Flamengo | , , | Deixe um comentário

Atlético-MG enfrenta o embalado Inter

Colorado tem 100% de aproveitamento no pós-Copa. Galo precisa vencer para evitar a degola

Atlético-MG e Inter medem forças nesta quarta-feira, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Os mineiros precisam da vitória para não terminarem a rodada na zona de rebaixamento. Já os colorados buscam a terceira vitória consecutiva e estão invictos no pós-Copa.

A semana começou em alto astral lá pelos lados do Beira-Rio. A antecipação da janela colocou três reforços trazidos do exterior à disposição do técnico Celso Roth – o goleiro Renan, o atacante Rafael Sobis e o meio-campo Tinga.

Somente Tinga foi inscrito a tempo para jogar nesta quarta-feira, mas o acréscimo de qualidade para a Libertadores e o restante do Brasileiro aumentou a confiança dos colorados. Ela já era grande. Sob o comando de Roth, o aproveitamento no pós-Copa é de 100%, com vitórias sobre o Guarani, fora de casa, e Ceará, em casa.

– Esperamos alcançar a terceira vitória consecutiva. O Galo em seu terreiro é jogo duro, mas confiamos no nosso bom momento – resumiu o zagueiro Bolívar.

Ou seja: o time que amargava um 15º lugar após as sete primeiras rodadas saltou para o 7º nas duas últimas. E com o melhor ataque, ao lado do corintiano e do santista, com 16 gols.

– E ainda me chamam de retranqueiro – tripudiou Roth, cuja linha de frente marcou cinco gols nesses dois jogos (média de 2,5), contra os 11 em sete partidas sob o comando de Jorge Fossati (média de 1,6).

O novo comandante confirma, assim, a tradição de começar bem os seus trabalhos. Cumprirá a sina de perder gás quando se aproxima da reta final? Isso não é assunto que se levante agora, desconversam os dirigentes. Afinal, o que lhes interessa mesmo é conquistar a Libertadores, que termina ali adiante, em agosto.

Guiñazú é a novidade para começar a partida. O volante ficou de fora contra Guarani e Ceará, em tratamento para uma contusão na perna esquerda. O principal candidato a sair é o meia Giuliano, já que o técnico não aprecia muito a movimentação de Guiñazú como volante.

Já o Atlético chega para o confronto contra o Internacional apostando suas fichas na volta do artilheiro Diego Tardelli, que cumpriu suspensão na derrota para o Corinthians no último domingo. Em contra-partida, o Galo não conta com Daniel Carvalho, que ainda não teve o nome registrado no BID da CBF. Além do ex-colorado, Werley e Leandro estão fora pelo terceiro amarelo. Assim, Lima e Fernandinho ganham nova oportunidade.

– Claro que há ansiedade, mas eu venho treinando forte há mais de um mês. Minha parte física está melhorando, eu confio na minha técnica, mas o físico é que vinha atrapalhando. Eu espero corresponder à expectativa da torcida do Atlético-MG, do Vanderlei Luxemburgo e a minha mesmo – declarou o lateral-esquerdo Fernandinho.

Outra novidade no time mineiro fica por conta da escalação do armador Diego Souza na equipe titular. Ele entrou no decorrer das partidas contra o Atlético-GO e Corinthians e já adquiriu ritmo de jogo.


FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO X INTERNACIONA

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data e hora: 21 de julho, às 19:30 (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

ATLÉTICO: Fábio Costa, Diego Macedo, Campos, Lima e Fernandinho; Zé Luis, Serginho, Diego Souza e Ricardinho; Neto Berola e Diego Tardelli. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

INTERNACIONAL: Abbondanzieri; Nei, Bolívar, Indio e Kleber; Sandro, Wilson Matias, Guiñazú e D’Alessandro; Taison e Alecsandro. Técnico: Celso Roth.

julho 21, 2010 Posted by | Atlético-MG, Internacional | , | Deixe um comentário

FOTOS: supostas novas camisas do Vasco circulam na internet

Modelos dos uniformes 1 e 2 serão lançados na semana que vem

novo uniforme do vasco estilo anos 70O Vasco lançará na próxima semana seus novos uniformes, mas fotos dos supostos modelos já estão circulando na internet. No detalhe, a frase ‘O Vasco é o time da virada’ estampada na parte da frente da camisa, no lado inferior esquerdo (Foto: Reprodução Internet)
novo uniforme do vasco estilo anos 70Esses modelos das camisas divulgados na internet têm como inspiração o estilo usado na década de 70, inclusive na conquista do campeonato carioca de 1977 (Foto: Reprodução Internet)

julho 21, 2010 Posted by | Vasco da Gama | , | Deixe um comentário

Mattos chega ao Bota prometendo jogar como um campeão nacional

Volante, que estava no Corinthians, diz que torceu pelo Botafogo até contra o Timão, por conta da negociação com o clube carioca

O Botafogo apresentou nesta terça-feira seu segundo reforço para o restante do Campeonato Brasileiro. Marcelo Mattos, campeão nacional em 2005, foi adquirido por empréstimo de um ano ao Panathinaikos (Grécia), dono de seus direitos federativos. O jogador diz que está em boa forma e que vai apresentar o mesmo futebol que ajudou o Corinthians a ser o melhor time do país há cinco anos.

O torcedor pode esperar o Marcelo Mattos de 2005 ou melhor. Estou muito feliz de estar aqui e espero que o pessoal que me trouxe tenha motivos no final do ano para ficar também – disse, em suas primeiras palavras como jogador alvinegro.

Apesar de pertencer ao clube grego, Marcelo não chegou da Europa para o Botafogo. Há um ano, o jogador estava emprestado ao Corinthians, mas, como não teve as mesmas exibições de temporadas anteriores, acabou preterido e ficando no banco da equipe paulista. E isso acabou ocasionando um fato engraçado.

O namoro entre Botafogo e Marcelo Mattos durou cerca de três meses, quando o volante ainda estava no Timão. Quando as duas equipes se enfrentaram, pela sétima rodada do Brasileiro, o volante já sabia que deixaria o Parque São Jorge e que General Severiano seria provavelmente sua nova casa. Por isso, mesmo estando no banco da equipe paulista, sua torcida estava do outro lado.

– No jogo contra o Corinthians, eu estava torcendo pelo Botafogo já. Infelizmente, o clube acabou perdendo pontos naquele jogo.

Marcelo Mattos não fez a intertemporada com o Corinthians. Negociando seu novo destino, o jogador preferiu ficar em São Paulo e manter a forma sozinho. E garante que isso fez efeito e que em breve poderá atuar pelo Botafogo.

– Minha chegada no Corinthians foi complicada, tinha passado por uma cirurgia. Em janeiro, comecei a temporada bem, mas tinha outros jogadores também em boa forma. Não tive muitas oportunidades e é difícil ficar no banco sabendo que tem condições de jogar. Quando o time foi para a intertemporada, conversei com a diretoria e preferi ficar. Fiz minhas corridas para manter a forma. Não é igual a você estar com um preparador físico, mas acho que me mantive bem. Tenho uma boa condição física e isso me ajuda bastante. Acho que em uma semana já estarei no nível dos outros jogadores.

Marcelo está entregue à preparação física para entrar o mais rapidamente em forma. Contudo, são poucas as chances de que o volante atue contra o Fluminense, no próximo domingo. A estreia deve ficar para a semana que vem.

julho 21, 2010 Posted by | Botafogo | | Deixe um comentário

Diego Tardelli afirma que elenco do Atlético-MG é o melhor do Brasil

Atacante está confirmado na partida contra o Internacional, em Sete Lagoas

O atacante Diego Tardelli, artilheiro do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro e na temporada 2010, voltará a campo nesta quarta-feira. Após cumprir suspensão automática – por causa do terceiro cartão amarelo – o jogador é nome certo para o jogo contra o Internacional, nesta quarta-feira, às 19h30m (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Quanto à posição ruim do Galo na tabela, o atacante prefere minimizar e apostar na força do elenco que o clube está montando.

– Esse é o Campeonato Brasileiro. Se a gente tivesse reformulado o grupo desde o início da competição, a gente não estaria nesta situação, estaria numa situação bem melhor. Com a chegada dos novos jogadores, o Atlético-MG está formando um elenco, que, para mim, é o melhor do Brasil.

Diego Tardelli quer o Galo forte para não se distanciar demais dos líderes do torneio. Atualmente, o time é o 16º colocado na tabela, com apenas nove pontos ganhos.

– Uma vitória para a gente amanhã, contra um adversário muito forte, será muito bom. Vai nos dar muita confiança pra chegar forte e brigar pelo título. Espero voltar, fazer gols e vencer. Mas, mesmo se o gol não for meu, o importante é vencer porque temos que pontuar – disse Tardelli.

O atacante, mesmo lamentando o resultado negativo da partida do último domingo, gostou de ter sido lembrado pela torcida e apontado como a grande ausência da equipe.

– Eu vejo pelo lado positivo. O grupo precisa de mim, a torcida acredita em mim. Vejo sempre pelo lado bom. Eu sei o que represento aqui no Atlético-MG, sei o quanto posso contribuir e ajudar. A torcida está acostumada comigo em campo. Por isso que sente minha falta quando não posso jogar.

Jogo duro e elenco forte

Tardelli já trabalhou com Celso Roth, atual treinador do Internacional. Roth comandou o Galo no Brasileirão de 2009 e tem uma característica marcante, na visão do atacante alvinegro.

– O treinador deles gosta muito de marcação forte, o Celso Roth tem essa característica. Amanhã vai ser um jogo muito pegado, muito truncado, o campo é pequeno. Então vamos precisar muito do torcedor nesta quarta-feira, para fazer da Arena o nosso caldeirão.

julho 21, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário