Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Com a cara de Felipão, Verdão vence o clássico contra o Santos e cresce

Com novo técnico nas tribunas, Palmeiras joga com raça, faz 2 a 1 e sobe para o sétimo lugar. Desfalcado, Peixe aparece só no fim e segue em quarto

Luiz Felipe Scolari ainda não sentou no banco de reservas do Palmeiras, mas os jogadores já incorporaram o jeitão gaúcho do técnico trabalhar. Com um celular em punho nas tribunas, o pé quente Felipão deu seus “pitacos” para que o Verdão mostrasse muita raça e vencesse um desfalcado Santos por 2 a 1, nesta fria quarta-feira, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. Ewerthon, com um chutaço de fora, e o estreante Tinga marcaram para os alviverdes. Marcel, em outro golaço, descontou no fim.

O resultado não só renova ainda mais o ânimo alviverde para uma nova era como faz a equipe respirar na competição. O Palmeiras não vencia há quatro partidas (desde 22 de maio) e sofria com a cobrança pesada da torcida. O time pula para a casa dos 12 pontos, atingindo a sétima colocação.

Ao Santos resta lamentar. O Peixe tinha a chance de se aproximar dos líderes, porém, sentiu as ausências de Robinho, Léo, Marquinhos e Paulo Henrique Ganso, que entrou apenas no segundo tempo. Com a derrota, a segunda no torneio, o Alvinegro praiano segue com 12 pontos e se mantém na quarta colocação.

Na próxima rodada, o Palmeiras vai a Florianópolis enfrentar o Avaí, domingo, às 16h, na Ressacada. No mesmo dia, mas às 18h30min, o Santos recebe o Fluminense, na Vila Belmiro.

Um foguete chamado Ewerthon
Apresentado na hora do almoço na Academia de Futebol, Felipão chegou ao estádio no ônibus da delegação e conversou com os jogadores minutos antes de eles subirem ao gramado. Dos camarotes, se comunicou a todo momento com o fiel escudeiro Flávio Murtosa, orientado o time. E deu certo. O Palmeiras iniciou a partida em ritmo mais acelerado que os santistas. Logo no primeiro minuto, Marcos Assunção cometeu dura falta sobre Neymar na intermediária, dando mostras de que o jovem craque não teria vida fácil.

Com o camisa 11 vigiado de perto e sem poder contar com Robinho, liberado por mais alguns dias pela Copa do Mundo, e Paulo Henrique Ganso, colocado no banco de reservas depois da cirurgia no joelho direito, o Peixe foi uma presa fácil para a boa marcação feita pelo Verdão. Outra aposta da base, Alan Patrick pouco apareceu, enquanto André ficou preso entre os zagueiros.

Melhor para o Verdão, que apostou tudo na velocidade e nos toques rápidos do trio composto por Kléber, Lincoln e Ewerthon. Foi dos pés do último, aliás, que os alviverdes abriram o placar com um golaço. Maranhão  afastou mal uma bola alçada para a área, o atacante pegou o rebote e disparou uma bomba certeira no ângulo esquerdo do jovem goleiro Rafael.

Errando muito, o Santos não respondeu. André, aos 25, em cabeçada para fora, e Madson, aos 32, em chute prensado, tiveram as melhores chances. O Palmeiras poderia ter ampliado, aos 35. Kléber ganhou de Edu Dracena na corrida pela esquerda e cruzou. Lincoln dividiu com um marcador e Rafael defendeu com os pés. No rebote, Ewerthon apareceu na marca do pênalti, mas escorregou na hora da finalização e desperdiçou.

Estreante, Tinga faz o dele. Marcel desconta com golaço
Na etapa complementar, Dorival Júnior colocou Ganso na vaga de Madson tentando melhorar a produção do Santos. Entretanto, foi o Palmeiras quem assustou, aos três minutos. Ewerthon recebeu passe de frente para Rafael, mas chutou em cima do goleiro. A resposta veio aos seis, com Maranhão batendo de longe e Deola fazendo bela defesa.

Murtosa e Felipão trataram de fechar ainda mais o Palmeiras com a entrada do estreante volante Tinga no lugar de Lincoln.  Imediatamente, Dorival trocou tudo o que poderia, aumentando o poder ofensivo, com Zé Eduardo na vaga de Alan Patrick e Marcel em substituição a Neymar.

A estrela de Scolari brilhou aos 21. Tinga, que acabara de entrar, disparou pela direita e chutou rasteiro. Edu Dracena tentou cortar e acabou jogando a bola para dentro da própria meta, aumentando para 2 a 0 a vantagem alviverde.

Com o placar ainda mais desfavorável e a chuva cada vez mais forte, o Santos teve problemas para reagir. Ganso nitidamente evitou jogadas mais bruscas ainda com receio pela cirurgia. Com ele produzindo pouco, Marcel foi o encarregado de descontar. Aos 38, Léo tirou de cabeça, o centroavante dominou na coxa e chutou forte, acertando o ângulo direito. A bola ainda tocou no travessão antes de entrar.

Nos minutos finais, o Santos foi com tudo para cima e quase empatou, aos 43. Após cruzamento para a área, Deola saiu mal, a bola desviou em Vitor e tocou no travessão. Sorte Felipão mostrou que ainda tem!

PALMEIRAS 2 X 1 SANTOS
Deola, Vitor, Léo, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Márcio Araújo, Marcos Assunção e Lincoln (Tinga); Ewerthon (Patrick) e Kleber (Tadeu). Rafael, Maranhão, Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Wesley, Alan Patrick (Zé Eduardo) e Madson (Paulo Henrique Ganso); Neymar (Marcel) e André.
Técnico: Flávio Murtosa. Técnico: Dorival Júnior.
Gols: Ewerthon, aos 12 minutos do primeiro tempo, e Tinga, aos 21, e Marcel, aos 38 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Gabriel Silva, Edinho, Marcos Assunção (Palmeiras); Neymar, Pará, Paulo Henrique Ganso (Santos)
Local: Pacaembu, em São Paulo. Árbitro: Cléber Welington Abade (CBF-SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Roberto Braatz (SP)

julho 15, 2010 Posted by | Palmeiras, Santos | , | Deixe um comentário

Atlético-MG vence xará goianiense e deixa a zona de rebaixamento

Vitória por 3 a 2 deixa o Galo na 13a posição do Campeonato Brasileiro. Dragão é o lanterna

parada para a Copa do Mundo fez bem ao Atlético-MG. O time entrou em campo com uma postura ofensiva, com três atacantes velozes, e o resultado não poderia ter sido outro: vitória de 3 a 2 sobre o Atlético-GO, gols de Diego Tardelli (2) e Ricardo Bueno, contra um de Marcão e outro de Rodrigo Tiuí. O jogo, que valeu pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, foi realizado na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Agora, o Galo é o 13º colocado do Brasileirão, com nove pontos, enquanto o Dragão permanece na lanterna, com apenas quatro.

Na próxima rodada, o Atlético-MG vai ao Pacaembu enfrentar o Corinthians, domingo, às 16h (de Brasília). Já o Atlético-GO recebe o Flamengo, no Serra Dourada, no mesmo dia e horário.

Tempo de gols e velocidade

O início de jogo foi embolado, concentrado no meio campo, com marcação forte e jogadas ríspidas. Até que Ricardinho começou a acertar os passes e lançamentos para os rápidos atacantes do Galo, e o time mineiro passou a ter o domínio das ações em campo.

O trio de ataque do Atlético-MG funcionou, aos 17 minutos. Neto Berola avançou pelo meio, levando a marcação de dois adversários, e deu belo passe para Diego Tardelli invadir a área sozinho e, de perna esquerda, abrir o placar na Arena do Jacaré: 1 a 0 para o Galo.

O gol deixou o Atlético-GO atordoado. Cinco minutos depois, quase sai mais um dos alvinegros. Leandro cruzou para Ricardo Bueno, que, sem marcação e dentro da pequena área, perdeu um gol incrível.

O domínio do Galo era total. Mas, quando parecia que o time mineiro ampliaria o placar, foi o Dragão quem marcou. Aos 31 minutos, Marcão entrou na área e bateu no canto esquerdo de Fábio Costa, sem chances para o goleiro.

O Atlético-GO nem teve tempo de comemorar seu gol. No lance seguinte, pênalti para o Galo. Neto Berola foi derrubado pelo goleiro Márcio, que foi advertido com cartão amarelo. Diego Tardelli bateu forte, no canto direito do goleiro, que nada pôde fazer.

Ainda havia tempo para mais um gol do Galo no primeiro tempo. Diego Macedo cobrou falta da direita e Ricardo Bueno subiu para, de cabeça, marcar seu primeiro gol com a camisa alvinegra.

Etapa final

O segundo tempo começou com o Atlético-GO jogando mais avançado e tentando mais jogadas de ataque. Roberto Fernandes mandou a campo William e Elias, nos lugares de Agenor e Ramalho.

O esforço do Dragão foi premiado aos 15 minutos. Após longo lançamento, Fábio Costa foi enganado pelo quique da bola e Rodrigo Tiuí não perdoou a falha do goleiro: 3 a 2.

O segundo gol deixou o time goiano mais empolgado e o jogo ganhou em emoção.

O bom momento do Atlético-GO no jogo fez com que Vanderlei Luxemburgo promovesse a estreia de Diego Souza, para alegria da torcida alvinegra em Sete Lagoas. Mas o meia mostrou estar fora de forma e sem ritmo de jogo, em pelo menos dois lances em que foi acionado por Ricardinho.

Os minutos finais da partida foram marcados pelo esforço que o Atlético-GO fez para empatar a partida. Mas faltou ao time goiano força física e competência para atingir seu objetivo.

ATLÉTICO-MG 3 X 2 ATLÉTICO-GO
Fábio Costa; Diego Macedo, Werley, Jairo Campos e Leandro; Zé Luís, Serginho (João Pedro) e Ricardinho; Neto Berola (Fabiano), Diego Tardelli (Diego Souza) e Ricardo Bueno. Márcio; Dida, Gílson, Jairo e Chiquinho; Agenor (William), Pituca, Ramalho (Elias) e Robston; Rodrigo Tiuí e Marcão (Anaílson).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo Técnico: Roberto Fernandes
Gols: Diego Tardelli, aos 17 e aos 35; Marcão, aos 31, e Ricardo Bueno, aos 37 minutos do primeiro tempo. Rodrigo Tiuí, aos 15 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Diego Tardelli (Atlético-MG); Agenor, Marcão, Márcio e Chiquinho (Atlético-GO).
Cartão vermelho: Jairo (Atlético-GO).
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, MG. Data: 15/07/2010Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA). Assistentes: Adson Márcio Lopes Leal (BA) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)

julho 15, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Displicente, Flu empata com o Prudente e perde chance de virar líder

Com um futebol sonolento durante todo o segundo tempo, Tricolor tropeça diante do Grêmio Prudente no Maracanã e permanece em terceiro

“A bola pune”. Durante os 40 dias de paralisação do Campeonato Brasileiro para a Copa do Mundo, o lema do Fluminense foi “trabalho”, tanto pregado por Muricy Ramalho. Mas na volta do Nacional, a frase famosa do treinador que se fez presente foi outra. Contra um adversário nitidamente mais fraco, o Tricolor carioca apresentou um futebol sonolento no segundo tempo do duelo no Maracanã, empatou com o Grêmio Prudente por 1 a 1, nesta quinta-feira, pela oitava rodada, e desperdiçou a oportunidade de assumir a liderança da competição.

Fred, de cabeça, fez justiça ao colocar a equipe da casa em vantagem em um primeiro tempo amplamente dominado pelos cariocas. Nos 45 minutos finais, no entanto, a objetividade deu lugar ao futebol displicente, castigado com o gol de Wesley, já aos 38.

Com o resultado, o Flu chega a 16 pontos e permanece em terceiro, atrás de Corinthians e Ceará, que têm 18. No próximo domingo, às 18h30m (de Brasília), o compromisso é contra o Santos, na Vila Belmiro.

Já o Grêmio Prudente tem o que comemorar. O empate leva o time a nove pontos, mas na zona de rebaixamento, em 17º. O adversário do time paulista na próxima rodada será o Grêmio, também no domingo, às 18h30m, no Prudentão.

No embalo do torcedor, que compareceu em bom número (mais de 24 mil torcedores) e fez uma bonita festa com velas antes do início da partida, o Fluminense entrou em campo aceso e teve amplo domínio na primeira etapa. Bem postado defensivamente, a equipe de Muricy Ramalho demonstrava muita objetividade do meio para frente.

Mal na tabela, o Prudente até tentou se mandar para o ataque no minuto inicial, quando Wesley fez boa jogada e chutou em cima da zaga. O lance, no entanto, foi um dos raros suspiros ofensivos da equipe paulista. Aos quatro minutos, o Tricolor já tinha criado a primeira boa oportunidade. Mariano invadiu a área em velocidade e rolou para Conca, que, do bico da pequena área, chutou por cima do gol.

Jogando pelas pontas, Alan lembrava um pouco o papel exercido por Maicon em 2009 e infernizava a defesa adversária, enquanto Fred se mantinha centralizado. Ainda assim, o mais perigoso jogador tricolor seguia sendo Conca. Aos seis, o argentino fez fila pelo meio e chutou cruzado. Márcio voou e defendeu com a ponta dos dedos (assista o lance no vídeo acima).

Cinco minutos depois, não teve jeito. A bola, enfim, chegou para o principal jogador da equipe, e ele não perdoou. Aos 11, Conca cobrou falta com precisão e Fred, sem sequer sair do chão, escorou de cabeça, com estilo, no ângulo direito: 1 a 0. Na comemoração, o atacante colocou a bola na barriga em homenagem à irmã, que está grávida.

Apesar do domínio, o Fluminense tinha um problema: criava poucas chances claras de gol. As jogadas quase que obrigatoriamente passavam pelos pés de Mariano e Carlinhos, nas laterais, mas a zaga prudentina, toda recuada, afastava o perigo na base do chutão.

Aos 32, o time visitante finalmente colocou Fernando Henrique para trabalhar. E o goleiro, que completou 250 jogos com a camisa tricolor, defendeu sem dificuldades. A esta altura, o ritmo da partida já era mais lento. Tão lento que Anderson Luís cochilou aos 41 e por pouco não deu de presente o segundo gol do Flu. Fred desarmou o zagueiro e serviu Conca. Atento, Márcio foi esperto e saiu do gol para ficar com a bola antes da conclusão do adversário.

Na volta para o segundo tempo, o Fluminense seguia dono do jogo, mas se mostrava sonolento. Com facilidade para chegar ao campo de ataque, era displicente e não conseguia transformar a imensa superioridade em tempo de  posse de bola em gols. Tanto que nos primeiros 15 minutos, o que mais chamou a atenção foi a fumaça que tomou conta do campo por conta de um sinalizador na arquibancada.

As jogadas de ataque do Flu ficaram restritas aos lances de bola parada, em sua maioria sem perigo. Aos sete, no único em que o ataque concluiu, Fred cabeceou nas costas de Rodrigo Mancha. Na jogada, o goleiro Márcio saiu em falso e machucou o joelho direito, sendo substituído por Giovanni.

Aos 17, a primeira boa jogada. Sem marcação, Mariano, na intermediária, levantou a cabeça e encontrou Fred livre na área. O atacante dominou e chutou forte por cima do gol. Com o time inoperante e errando muitos passes, Muricy resolveu trocar Alan por Rodriguinho. Nada que mudasse o panorama da partida.

E se o Tricolor não assustava, o Grêmio Prudente ganhava confiança. Estrategicamente, se posicionava defensivamente como se esperasse um vacilo do adversário para dar o bote. E foi o que aconteceu aos 38. Após um dos inúmeros ataques sonolentos do Flu, Wesley dominou no peito na intermediária, partiu em disparada e chutou forte, cruzado, para superar Fernando Henrique. Placar empatado e espanto nas arquibancadas.

A partir daí, o Flu acordou, se mandou com tudo para o ataque, mas criou apenas uma boa oportunidade, com Rodriguinho, aos 41. Na frente de Giovanni, ele chutou forte, mas o goleiro conseguiu desviar com o corpo (no vídeo acima). Por apresentar um futebol preguiçoso em toda a segunda etapa, o Tricolor desperdiçou a oportunidade de assumir a liderança. E deixou o campo sob vaias. A bola pune.

FLUMINENSE 1 X 1 GRÊMIO PRUDENTE
Fernando Henrique, Mariano, Gum, André Luis e Carlinhos; Diogo, Diguinho, Marquinho e Conca; Alan (Rodriguinho) e Fred Marcio (Giovanni), Paulo César, Anderson Luís, Leonardo e Marcelo Oliveira; Rodrigo Mancha, Carlos Eduardo, João Vítor e David Sacconi (Wanderley); Wesley e William
Técnico: Muricy Ramalho Técnico: Toninho Cecílio
Gols: Fred, aos 11 minutos do primeiro tempo; e Wesley, aos 38 do segundo
Cartões amarelos: Marcelo Oliveira, Rodrigo Mancha, Paulo César (PRU) e Fred (FLU)
Estádio: Maracanã. Data: 15/07/2010. Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG) Auxiliares: Katiuscia Mayer Mendonça (Fifa-ES) e Helberth Costa Andrade (MG). Renda: R$ 500.870,00. Público: 24.335

julho 15, 2010 Posted by | Fluminense, Grêmio Prudente | , | Deixe um comentário

Flu quer manter sequência de vitórias contra o Prudente

Tricolor carioca terá apenas três mudanças no time para enfrentar o Prudente, do estreante da noite Paulo César, velho conhecido

Na expectativa pela confirmação da contratação do meia Deco, a torcida do Fluminense reencontrará seu time nesta quinta-feira, na partida contra o Grêmio Prudente, às 21h, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. E não verá muita novidade no time titular. O técnico Muricy Ramalho promoveu apenas três mudanças na equipe desde a última partida antes da paralisação para a Copa do Mundo. Do lado adversário, o Tricolor terá pela frente o lateral-direito Paulo César, estreante da noite e velho conhecido do Flu.

Melhoramos muito na parte física, que era o que mais interessava. Vai ser um retorno muito difícil. Todos se prepararam bem, todos contrataram. Nosso conjunto vai continuar sendo forte – disse Muricy Ramalho.

Assim como na goleada sobre o Avaí, em junho, o goleiro Fernando Henrique começa jogando, mas, desta vez, promovido a titular. Naquela oportunidade, Rafael era o camisa 1 tricolor, mas estava lesionado. Hoje, ambos têm condições de jogo, mas FH ganhou a confiança de Muricy. Na zaga, o recém-contratado André Luis entra na vaga de Leandro Eusébio, suspenso. No ataque, Alan é o companheiro de Fred.

Pelo lado do Grêmio Prudente, a parada para a Copa serviu para a recuperação do lateral-direito Paulo César, que vai estrear no Campeonato Brasileiro. O ex-jogador do Flu é o mais experiente do elenco prudentino, que perdeu o centroavante Tadeu, negociado com o Palmeiras. A outra baixa foi o meia-atacante Geovani, que acertou sua transferência para o Guarani.

O técnico Toninho Cecílio terá os desfalques do meia Fabiano Gadelha, que se recupera de lesão, e do zagueiro Diego Giaretta, suspenso. O volante Marcelo Oliveira acredita que o Grêmio utilizou a pausa na competição da melhor forma.

– A gente ganhou muito. Claro que tem dia que é pegado, treinos fortes, exaustivos, mas sabemos que lá na frente vamos ser recompensados. Mesmo assim, não podemos pensar que teremos uma partida fácil. Será um jogo bom e sabemos que o Fluminense é um time qualificado, que cresceu muito nas últimas rodadas. Mas também vamos criar dificuldades para eles lá dentro – garantiu o jogador.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE X GRÊMIO PRUDENTE

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 15/7/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG/Fifa)
Auxiliares: Katiuscia Mayer Berger Mendonça (ES/Fifa) e Helberth Costa Andrade (MG)

FLUMINENSE: Fernando Henrique; Mariano, Gum, André Luis e Carlinhos; Diogo, Diguinho, Marquinho e Conca; Alan e Fred. Técnico: Muricy Ramalho.

GRÊMIO PRUDENTE: Marcio; Paulo César, Paulão, Leonardo e Diego; João Vitor, Rodrigo Mancha, Marcelo Oliveira e Wesley; Vanderley e Araújo (Flavinho). Técnico: Toninho Cecílio.

julho 15, 2010 Posted by | Fluminense, Grêmio Prudente | , | Deixe um comentário

Palmeiras recebe o Santos em nova casa

No Pacaembu, Verdão começa nova fase contra um Peixe com a cabeça na Copa do Brasil

Nesta quinta-feira, Palmeiras e Santos se enfrentam no Pacaembu, às 21h. Enquanto o Verdão tenta se recuperar de um primeiro semestre desastroso, o Peixe volta ao Brasileirão com a cabeça na Copa do Brasil.

Depois de uma despedida melancólica no Palestra Itália – derrota para o Boca Juniors (ARG) por 2 a 0 – o Palmeiras mandará suas partidas no Campeonato Brasileiro no Pacaembu. O clássico contra o Santos será o primeiro jogo do time alviverde como mandante no estádio este ano. Da última vez que as duas equipes se enfrentaram no Pacaembu, quem se saiu melhor foi o Santos, que venceu o Verdão no Brasileirão de 2004 por 2 a 1.

O goleiro Marcos falou sobre a “mudança” do Verdão para o Pacaembu e disse que espera se acostumar logo com a sua nova casa.

– Precisa ser a nossa nova casa. A torcida tem de comparecer como comparecia no Palestra. Já conquistamos títulos e vitórias importantes no Pacaembu e não vejo problema algum em nos acostumar a atuar lá – comentou o ídolo palmeirense, que é dúvida para a partida.

Mas uma coisa é certa no Palmeiras, o reforço de Kleber. O nome do atacante apareceu no BID na última terça-feira. Por isso, o Gladiador está liberado para formar com Ewerthon o ataque do Verdão. Felipão é outro que deve marcar presença no Pacaembu. O novo técnico do Palmeiras será apresentado antes do jogo e, apesar de ainda não sentar no banco de reservas, já estará presente, assistindo à reestreia do Alviverde no Brasileirão. O desfalque fica por conta de Cleiton Xavier, que foi vendido na noite de quarta e já está fora.

Se Luiz Felipe Scolari ainda não pôde realizar as mudanças que gostaria no time, pelo menos o clima na Academia de Futebol já está diferente. Com a chegada do técnico, tanto jogadores, quanto a torcida se mostram mais confiantes para o segundo semestre.

A tristeza fica por conta das ausência de Pierre, que está em fase final de tratamento da lesão na sola do pé direito. Por não estar 100%, o jogador deve ficar fora da partida. Com isso, Edinho e Márcio Araújo devem formar a dupla de volantes do Verdão.

O Santos, pensando mais na final da Copa do Brasil – contra o Vitória, nos dias 28 de julho e 4 de agosto – retoma as atenções para a disputa do Campeonato Brasileiro.

Em quarto lugar, com 12 pontos, o técnico Dorival Júnior terá que superar os desfalques do Peixe. Robinho, que retornou recentemente da Copa do Mundo, pediu para ser poupado e não será opção nem no banco de reservas. Além dele, o meia Marquinhos e o lateral-esquerdo Léo, com lesões musculares, também ficarão fora da partida.

Em compensação, Dorival ganhou nesta semana um grande reforço: Paulo Henrique Ganso, que está recuperado de artroscopia no joelho direito e fica como opção para o treinador.

Avaliado através do ‘Soccer Test’ – teste que avalia a condição aeróbia dos atletas -, o treinador santista recebeu o sinal positivo para relacioná-lo.

– O Ganso tem condições de até mais do que um tempo, se tivesse mais quatro ou cinco dias poderia até iniciar a partida – disse Dorival.

Antes do clássico, o Peixe passou por uma intensa preparação. Após a vitória por 4 a 0 contra o Vasco, pela sétima rodada do Brasileirão, o clube ficou de recesso do dia 8 a 20 de junho. Retornou aos trabalhos no dia 21 e ainda realizou dois amistosos, contra a Ferroviária e o XV de Piracicaba.

– Vai ser um jogo complicado, difícil. Primeiro pelas modificações que tivemos necessidade de fazer, segundo pela estreia do Luiz Felipe, no mínimo observando a equipe de fora já dará muita motivação ao grupo deles – explicou o técnico, que chegou a trabalhar com Felipão, ainda quando era jogador, no Grêmio.

Para o confronto, Dorival escolheu Maranhão, que vem bem nos treinamentos como substituto de Léo. Pará, então, vai para a esquerda. Alan Patrick continua na vaga de Ganso e Madson na de Robinho.

– Tudo é questão de tempo para o Alan Patrick, ainda que tenha qualidade. A equipe estava acostumada com Marquinhos e Ganso e vai levar tempo para a adaptação. É um garoto que promete – elogiou o treinador.

Dorival acredita no potencial do seu time, sensação do primeiro semestre, mas sabe que a cobrança e a marcação será mais forte agora. Recomeça, então, o sonho santista em busca da Tríplice Coroa.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 15/7/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Cléber Welington Abade (CBF-SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Roberto Braatz (SP)

PALMEIRAS: Deola (Marcos), Vitor, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Márcio Araújo, Marcos Assunção (Tinga) e Lincoln; Ewerthon e Kleber.Técnico: Flávio Murtosa.

SANTOS: Rafael, Maranhão, Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Wesley, Alan Patrick e Madson; Neymar e André. Técnico: Dorival Júnior.

julho 15, 2010 Posted by | Palmeiras, Santos | , | Deixe um comentário

Atléticos fazem confronto dos desesperados

Os dois times buscam vitória para deixar a zona do rebaixamento

O Atlético-MG tenta sair da incômoda posição na tabela enfrentando nesta quinta-feira, às 21h, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG, o xará goianiense, atual lanterna e dono do pior desempenho ofensivo do Campeonato Brasileiro.

A partida marcará a estreia oficial do Galo como mandante na Arena do Jacaré na competição nacional. Com o fechamento do Mineirão para reformas, o estádio localizado a aproximadamente 70 quilômetros de distância de Belo Horizonte passa a ser a nova casa alvinegra.

Apesar de o clube mineiro ter se reforçado com boas contratações para a sequência da temporada, o mais provável é que poucas caras novas estejam em campo para enfrentar o Dragão. No gol é certa a estreia de Fábio Costa com a camisa 1.

Existe, porém, uma grande expectativa para que o principal reforço do Atlético-MG possa jogar pela primeira vez, nem que seja por 25 minutos. O clube aguarda a publicação do nome de Diego Souza no BID para confirmar a presença do atleta em Sete Lagoas.

Já o Atlético-GO terá pela primeira vez o técnico Roberto Fernandes à beira do campo, em jogo válido por competição. O substituto de Geninho terá no começo de trabalho um importante confronto contra Vanderlei Luxemburgo.

O Atlético-GO se reforçou pouco durante a paralisação para a Copa do Mundo, mas parece ter se reforçado com as peças certas. Tanto que os dois principais jogadores que chegaram, o lateral Dida e o meia William, deverão ser titulares na partida de hoje. Os dois ganharam a posição em setores do campo que mais sofreram criticas no início da campetição.

William chegou ao clube e de cara, parece ter ganho a confiança do treinador. O jogador ocupou a vaga que antes era disputada por Keninha e Elias, e mesmo com as fracas atuações nos amistosos que o time realizou, deve permanecer como titular. William é a arma que Roberto Fernandes quer usar para explorar a velocidade nos contra-ataques, e por isso, pode até surpreender na escalação do time hoje.

– Cheguei aqui com muita desconfiança de todos pelo histórico de lesões, mas trabalhei bem e estou melhor. Quero buscar meu espaço, mas sei que a posição é muito concorrida e tem jogadores de qualidade – afirmou o meia.

FICHA TÉCNICA
Atlético-MG x Atlético-GO

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data-Hora: 14/7/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Adson Márcio Lopes Leal (BA) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)

ATLÉTICO-MG: Fábio Costa, Jairo Campos, Cáceres e Werley; Diego Macedo, Zé Luis, Fabiano (João Pedro), Ricardinho e Júnior; Diego Tardelli e Ricardo Bueno – Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

ATLÉTICO-GO: Márcio, Dida, Gilson, Jairo e Chiquinho (Erandir); Agenor, Pituca, Robston, William; Marcão e Rodrigo Tiuí – Técnico: Roberto Fernandes.

julho 15, 2010 Posted by | Atlético-MG | , | Deixe um comentário

Zagueiro do Lanús acerta com o Vasco e chega ao Rio nesta sexta

Jadson Vieira, de 28 anos, é o novo reforço cruzmaltino para a sequência do Campeonato Brasileiro. Diretoria quer contratar mais um defensor

O Vasco acertou a contratação do zagueiro Jadson Vieira, do Lanús, da Argentina. O jogador, de 28 anos, chegará ao Rio de Janeiro nesta sexta-feira para fazer exames médicos e assinar o contrato. Os valores investidos no defensor e o tempo de contrato não foram divulgados pela diretoria.

Jadson Vieira se destacou no Danubio, do Uruguai, onde foi bicampeão uruguaio. O jogador nasceu em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, mas nunca atuou no futebol brasileiro. O anúncio oficial da contratação, porém, deverá ser feito até terça-feira.

Além de Jadson Vieira, a diretoria vascaína quer acertar a contratação de mais um zagueiro para compor o elenco para a sequência do Campeonato Brasileiro.

Confira a ficha do reforço vascaíno:

Nome: Jadson Vieira Castro
Nascimento: 4 de agosto de 1981 (28 anos)
Local de Nascimento: Santana do Livramento (RS)
Clubes: Danubio, Atlante-MEX e Lanús

julho 15, 2010 Posted by | Vasco da Gama | , | Deixe um comentário

Gomes faz reunião com elenco para mostrar erros da derrota contra o Avaí

Conversa aconteceu na tarde desta quinta-feira, no CT da Barra Funda e durou aproximadante uma hora. Atletas falam em reação contra o Vitória

A quinta-feira foi um dia de muita conversa no CT da Barra Funda. Antes do treino físico que ocorreu no Reffis, o técnico Ricardo Gomes reuniu todo o elenco na sala de vídeo para fazer uma análise do fraco rendimento da equipe na partida contra o Avaí, realizada na última quarta-feira, no estádio do Morumbi, e que terminou com a vitória do time catarinense por 2 a 1.

O papo demorou uma hora. Ricardo Gomes analisou os dois principais problemas apresentados pela equipe: a falta de criatividade no meio-campo e a deficiência na marcação, que culminou com os dois gols rivais.

– O Ricardo reuniu todos os titulares e outros que ele achou importante estarem presente. Foram discutidos os erros de posicionamento e ele aproveitou para fazer ajustes táticos. Ele falou durante muito tempo e depois deu abertura para todos os atletas falarem. Todos assimilaram muito bem – afirmou o zagueiro Xandão, que será o substituto de Alex Silva, suspenso, na partida deste sábado, contra o Vitória, no Barradão.

O zagueiro, inclusive, não tem dúvidas e acredita que o elenco dará a resposta que todos querem na próxima partida pelo Campeonato Brasileiro.

– Temos de mostrar que o que aconteceu contra o Avaí foi um acaso – afirmou o defensor.

O lateral-esquerdo Junior Cesar seguiu pela mesma linha de raciocínio.

– O primeiro passo para melhorar é ser humilde. E temos humilde e reconhecemos que fomos muito mal contra o Avaí. Com todo respeito ao time deles, não podíamos ter perdido. Só que não fomos o mesmo São Paulo de antes da parada. Teremos apenas um treino até o jogo contra o Vitória, mas já sabemos onde precisamos melhorar. Tem de ser diferente contra o Vitória – afirmou o camisa 6.

Na manhã deste sexta-feira, Ricardo Gomes comandará um treino tático no CT da Barra Funda. A princípio, Xandão deverá ser a única novidade na equipe que vai a Salvador no sábado.

julho 15, 2010 Posted by | São Paulo | | Deixe um comentário

Dracena sonha com nova tríplice coroa e vaga na seleção brasileira

Capitão do Peixe traça metas pessoais para alcançar na temporada, que já rendeu um título paulista

zagueiro Edu Dracena tem um objetivo pessoal para esta temporada. Após levantar a taça de campeão paulista no primeiro semestre, o capitão do Santos espera  repetir um feito histórico na sua carreira, quando foi campeão da tríplice coroa (o Mineiro, a Copa do Brasil e o Brasileirão) pelo Cruzeiro, em 2003.

– Temos tudo para conquistar essa façanha. A Copa do Brasil está bem perto da final, temos só dois jogos para conseguir o título e caso isso aconteça ficaremos ainda mais fortes para o Brasileiro – disse o defensor.

A distância para o título da Copa do Brasil não é tão longa. A equipe do Litoral já está na decisão, que será disputada em duas partidas contra o Vitória, nos dias 28 de julho e 4 agosto. Por estar suspenso, o defensor só atuará no segundo jogo, no Barradão. Já a conquista do Brasileirão requer um esforço maior, uma vez que a competição terá a sua oitava rodada, do total de 38, disputada neste meio de semana.

E já que o assunto é meta pessoal, o santista de 29 anos também revela o sonho de defender a seleção brasileira em uma Copa do Mundo. Dracena já teve cinco convocações para a seleção
principal, além de uma vasta experiência com a amarelinha nas categorias de base.

– Sonho com a seleção, sim. O meu objetivo é disputar uma Copa do Mundo, já que atuei em todas as seleções de base, joguei Pré-Olímpico e em todas às convocações fui capitão. A esperança aumenta agora porque essa mudança de comando abrirá chance para vários jogadores.

julho 15, 2010 Posted by | Santos | | Deixe um comentário

No Palmeiras, Felipão diz que clube não é trampolim para seleção

Técnico não se preocupa com possível futuro no comando do Brasil

O sonho do torcedor de ter um comandante de peso no futebol, com histórico vencedor no clube, foi oficializado na manhã desta quinta-feira. Depois de dez anos distante do Palestra Itália, o técnico Luiz Felipe Scolari volta a comandar o Palmeiras. O treinador assinou contrato de dois anos e meio, após ganhar bagagem internacional, comandando a seleção portuguesa, o Chelsea, da Inglaterra, e o Bunyodkor, do Uzbequistão. A tarefa do renomado treinador é recolocar o time palestrino no caminho dos títulos de expressão no cenário nacional. Mas o assunto seleção brasileira não poderia deixar de ser o principal na primeira entrevista do treinador. Afinal, ele foi apontado pelo povo brasileiro em diversas pesquisas como o nome ideal para assumir o comando do Brasil após a saída de Dunga. Felipão foi enfático ao explicar que não está pensando em seleção neste momento, e sim no Palmeiras (assista ao vídeo).

– Eu me apresento hoje com intuito de trabalhar no Palmeiras. Pela milésima vez respondo sobre isso. Nunca trabalho em um lugar com segundas intenções, pensando em outra situação. Se tiver de sair solicitado por A ou B, isso vai ser comunicado ao presidente do clube e resolvido da melhor forma para todos. Venho me apresentar ao Palmeiras, e é ele que fará parte da minha vida. Não estou preocupado com o que vai acontecer, e sim com quem me trouxe, que é o Palmeiras. Agradeço a manifestação do povo brasileiro, a lembrança depois de tantos anos, mas meu foco é o Palmeiras – afirmou o treinador, arrancando aplausos dos presentes.

Perguntado se aceitaria dividir o trabalho entre o Palmeiras e a seleção, já que o Brasil não precisará disputar eliminatórias por ser o país que receberá a Copa de 2014, o treinador palmeirense brincou com a situação.

– Nem assinei contrato ainda. Vou pedir aumento (risos). Pelo amor de Deus. A única certeza é que estou no Palmeiras e vou fazer meu trabalho para que a equipe tente e evolua como imaginamos. Não vamos alimentar uma situação que não existe.

Mas Felipão gostaria ou não de voltar a dirigir a seleção brasileira, com a qual foi campeão mundial em 2002? O treinador fez um longo discurso para tentar responder a simples questão.

– Vamos separar as situações. Quando terminou meu contrato na seleção, fui convidado a conversar com o Ricardo Teixeira sobre uma possível renovação. No final perguntei: se eu fosse você, e você fosse o Felipão, o que é que diria? Ele falou: vai embora, vai que é bom pra ti. Em 2006, sim, recebi um convite e recusei pela família. Meus filhos estavam na escola, e minha esposa entendeu que não era a hora de voltar ao Brasil. Tinha acertado com Gilberto e Belluzzo que viria depois de ter conversado bastante,  e que no dia 15 estaria aqui. Se houver algo envolvendo meu nome no futuro, será passado ao Belluzzo. Sempre representarei o Brasil, fiz amizade com a maioria dos técnicos de outras seleções. Quando vierem para a Copa, vão me procurar.

julho 15, 2010 Posted by | Palmeiras | , | Deixe um comentário

Após melhora na etapa final contra o Guarani, Inter espera se soltar

Preparador físico acredita em evolução com a volta da sequência de jogos

Com nova comissão técnica, após três semanas de treinos fortes e mais de um mês sem jogar, é como se o Inter estivesse começando uma nova temporada. Depois da parada de um mês, o time começou mal a partida contra o Guarani. A marcação estava ajustada, mas o time errava muitos passes e não conseguia fazer jogadas ofensivas. No segundo tempo, os jogadores acertaram os passes e os gols começaram a sair. Segundo o preparador físico Fábio Mahseredjian, é normal que o clube demore um pouco a “se soltar” após a intertemporada.

– A minha intenção é que o time vá se soltando com os jogos. O ritmo de jogo é algo que você não consegue mensurar, e com o passar de jogos, o ritmo melhora e a equipe fica mais equilibrada – afirma.

Para Mahseredjian, a vitória no primeiro jogo foi importante também no aspecto físico.

– O preparo físico tende a evoluir durante a temporada. Com o ritmo de jogo, também existe evolução física. O time foi bem, e isso também ajuda no aspecto físico. Nem era para evoluir tanto no segundo tempo – acredita.

O lateral-esquerdo Kleber não descarta que a longa parada tenha se refletido nas dificuldades do primeiro tempo.

– Talvez. Em alguns momentos a gente se precipitou mesmo. A cada jogo a gente vai procurando a forma ideal. A preparação foi boa, tanto que o resultado foi excelente.

julho 15, 2010 Posted by | Internacional | , | Deixe um comentário

Com distensão muscular na coxa esquerda, Leandro para por um mês

Meia-atacante lesionou-se mais uma vez diante do Vitória

Depois de uma nova lesão muscular, Leandro deverá ficar sem jogar por, no mínimo, um mês. Essa última foi na coxa, na noite desta quarta, diante do Vitória, no Olímpico. Ainda no primeiro tempo ele teve que sair. O meia-atacante passou por um exame de ressonância magnética nesta quinta para avaliar a gravidade.

Desde o início do ano no Grêmio, Leandro não conseguiu se firmar na equipe. O jogador chegou após insistência da direção na sua contratação, com todos os créditos, como um grande reforço, e não correspondeu. O principal problema foi a série de lesões que atrapalharam o atleta nesses meses.

Recentemente ele conseguiu fazer um trabalho de recuperação, após ter se recuperado das lesões que o incomodaram no início do ano. No período em que os jogadores tiraram férias de 10 dias antes da Copa do Mundo, o jogador fez um trabalho especial para ter totais condições de jogo no retorno do Brasileirão. O meia-atacante ganhou a confiança de Silas e voltou entre os 11. Porém, no primeiro jogo, voltou a se lesionar. Leandro assinou com o Grêmio por três anos.

julho 15, 2010 Posted by | Grêmio | , | Deixe um comentário

FOTO: via Twitter, Belletti agradece ao Fluminense por repatriá-lo

Após oito anos no futebol europeu, lateral reforça a equipe de Muricy

Pentacampeão mundial com a seleção brasileira em 2002 e autor do gol que deu o título da Liga dos Campeões ao Barcelona, contra o Arsenal, em 2006, Belletti está de volta ao futebol brasileiro. Após oito anos atuando na Europa, o lateral, de 34 anos, acertou a sua transferência para o Fluminense após deixar o Chelsea, da Inglaterra. Em seu Twitter, o jogador, considerado versátil e elogiado pelo técnico Muricy Ramalho, agradeceu ao Tricolor das Laranjeiras por repatriálo.  (Foto: reprodução / twitter)

julho 15, 2010 Posted by | Fluminense | , | Deixe um comentário

Regularizado, Correa disputa coletivo e pode estrear no próximo domingo

Reservas e jogadores que disputaram poucos minutos do jogo contra Botafogo são observados por Rogério Lourenço na Gávea

Na chuvosa tarde desta quinta-feira, Rogério Lourenço comandou um coletivo, na Gávea, com jogadores que não enfrentaram o Botafogo, na última quarta-feira, ou ficaram poucos minutos em campo. Com isso, Paulo Sérgio e Cristian Borja formaram a dupla de ataque do time titular. Rogério Lourenço fez algumas observações para enfrentar o Atlético-GO, domingo, no Serra Dourada. A principal delas é com relação a Correa, que já está regularizado. O volante tem vínculo com o Dínamo de Kiev, mas seu empréstimo foi efetuado pelo Atlético-MG, caracterizando uma transferência nacional.

O nome de Correa apareceu no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF na tarde desta quinta-feira, com vínculo até 15 de junho de 2011. Com isso, ele deve ser titular domingo, entrando no lugar que foi ocupado por Rômulo. No coletivo comandado por Rogério, ele atuou nesta função de primeiro homem de meio de campo. O time treinou com Vinícius, Everton Silva, David, Fabrício e Rodrigo Alvim; Correa, Fernando, Fierro e Michael; Paulo Sérgio e Cristian Borja.

Dois reforços para o ataque foram observados no time reserva, que treinou com Paulo Victor, Rafael Galhardo, Jean, Christianno e Jorbison; Lenon, Léo Medeiros Camacho e Saba; Val Baiano e Marquinhos.

Enquanto o coletivo aconteceu, os titulares que enfrentaram o Botafogo fizeram um rápido  trabalho regenerativo. Quem apareceu na Gávea após o empréstimo para o Apollon Limasol, do Chipre, foi o zagueiro Thiago Sales, que deve treinar com o grupo até ser emprestado novamente para outro clube.

julho 15, 2010 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

Atacantes do Cruzeiro travam disputa interna pela artilharia na temporada

Apesar de ter chegado há pouco tempo, Robert já fez 15 gols em 2010

Os gols de Wellington Paulista e Robert na vitória do Cruzeiro sobre o Atlético-PR acirraram a briga pela artilharia na temporada. Apesar de recém-chegado, Robert é o líder de gols marcados nessa disputa com os atacantes da equipe mineira.

O ex-jogador do Palmeiras, antes de chegar à Toca da Raposa II, já havia feito 14 gols em 2010, sendo dez gols no Campeonato Paulista. Os outros quatro foram marcados na Copa do Brasil.

Thiago Ribeiro vem logo em seguida, com 13 gols. Ele é o atual artilheiro da Taça Libertadores, ao lado de Kleber, que já deixou o clube, com sete gols. Ribeiro marcou cinco vezes no Estadual e apenas um no Brasileiro.

Já Wellington Paulista é o terceiro da lista, com nove gols marcados até agora. O atacante marcou quatro gols no Mineiro, um na Libertadores e quatro no Brasileirão.

Nacional

Apesar da disputa acirrada entre os três atacantes cruzeirenses, os celestes estão longe do líder da artilharia no ano, o santista Neymar, com 27 gols. O jovem craque do Santos está na ponta da lista de artilheiros e segue firma na disputa do Prêmio Friedenreich, troféu dado ao maior goleador da temporada.

julho 15, 2010 Posted by | Cruzeiro | | Deixe um comentário

Em má fase, Defederico recebe apoio do técnico Mano Menezes

Técnico diz que argentino está no caminho certo para conseguir se firmar com a camisa alvinegra, mas destaca necessidade de evolução

Defederico ameaçou ir para o River Plate-ARG, cobrou mais oportunidades no Corinthians, mas até agora não correspondeu. Contra o Ceará, quarta-feira, no Castelão, o argentino teve novamente mais uma atuação apagada. Mesmo assim, recebeu elogios do técnico Mano Menezes pela dedicação.

– Esse é o caminho. Se ele continuar trabalhando e se empenhando assim, vai ter mais chances e vai entrar – afirmou o comandante.

Matías Defederico foi comprado pelo Corinthians no ano passado com status de craque. Depois do bom desempenho no Huracán-ARG, o baixinho chegou a ser comparado a Messi e fez o Timão desembolsar quase US$ 5 milhões (R$ 9 milhões) para contratá-lo.

O rendimento em campo, porém, nunca se aproximou da fama que construiu em seu país. Após más atuações e seguidas lesões, Defederico passou a ser pouco utilizado e, logo após a eliminação na Libertadores, chegou a pedir para ser emprestado ao River para tentar recuperar o bom futebol.

Com o veto da diretoria, o jogador passou a ser relacionado novamente, mas ainda não engrenou. Foram apenas dois jogos como titular neste Brasileirão (Grêmio Prudente e Ceará) e nenhum gol marcado em 2010.

– Ele fez algumas jogadas, foi para cima. Mas, às vezes, ainda erra muito. Precisamos melhorar isso – completou Mano.

julho 15, 2010 Posted by | Corinthians | Deixe um comentário

Ricardo Bueno quer aproveitar chance no time titular do Atlético-MG

Atacante fará sua primeira partida jogando desde o início

A situação do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro não é boa. O time ocupa a 17ª colocação, com apenas seis pontos ganhos em sete jogos. Então, vencer a partida contra o Atlético-GO, nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília), é muito importante para o time. Para isso, o Galo vai contar com os gols de Ricardo Bueno, companheiro de ataque de Diego Tardelli, na partida.

O atacante, contratado junto ao Oeste de Itápolis (SP), já fez quatro partidas com a camisa do Atlético-MG neste Brasileirão, mas em todas entrou durante o jogo. Agora, como titular, Ricardo Bueno espera aproveitar a chance.

– Vai ser uma volta muito forte. Vou procurar mostrar meu trabalho pra me manter no grupo. Claro que antes do jogo bate aquela ansiedade, mas é só a bola rolar que fica tudo tranquilo, afirma.

Ricardo Bueno sabe da concorrência que vai ter no decorrer do campeonato, com a volta de jogadores lesionados e dos que ainda estão sem condições de jogo.

– Tenho que mostrar trabalho porque os jogadores que estão voltando de lesão são muito bons. Fazendo o meu melhor, tenho certeza que vai dar tudo certo sim, disse.

julho 15, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário

Vasco busca zagueiro ‘importado’ para a sequência do Brasileirão

Diretoria negocia com o uruguaio Scotti, que defendeu a Celeste na Copa do Mundo, e com o brasileiro Jadson Vieira, que jamais atuou no país

A diretoria do Vasco quer acertar a contratação de dois zagueiros para a sequência do Campeonato Brasileiro. Os favoritos da cúpula cruzmaltina são o uruguaio Andres Scotti, do Colo Colo e que disputou a última Copa do Mundo pela Celeste, e Jadson Vieira, do Lanus, da Argentina. A expectativa é que ocorra o acerto com pelo menos um deles nas próximas semanas.

A negociação de Scotti é considerada a mais complicada. A intenção dos representantes do jogador é que o Vasco pague uma quantia no ato do acerto. O valor giraria em torno de US$ 500 mil (cerca de R$ 885 mil), valor considerado alto pela cúpula cruzmaltina. Aos 34 anos, o zagueiro foi reserva da seleção uruguaia na África do Sul.

Já o acerto com Jadson Vieira, de 28 anos, é mais simples. O jogador nasceu em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, mas nunca atuou no futebol brasileiro. Bicampeão uruguaio atuando pelo Danúbio, atualmente ele defende o Lanus. O maior empecilho para o acerto é justamente a liberação dos argentinos.

A diretoria do Vasco confirmou que está conversando com os dois jogadores para a sequência da temporada. Com o retorno do diretor executivo de futebol, Rodrigo Caetano, ao Rio de Janeiro, a expectativa é que as negociações avancem nos próximos dias.

O Vasco esteve bem próximo de anunciar a contratação de outro zagueiro de seleção. Tratava-se de Antolin Alcaraz, de 27 anos, que defendeu o Paraguai na África do Sul. Porém, o Wigan, da Inglaterra, apareceu com uma oferta superior e ficou com o jogador.

julho 15, 2010 Posted by | Vasco da Gama | | Deixe um comentário

Na estreia de PC, Vasco empata com Goiás em noite inspirada de Prass

Donos da casa param em boa atuação do goleiro cruzmaltino e interrompem série de vitórias. Cariocas permanecem na zona de rebaixamento

Na retomada do Campeonato Brasileiro após a disputa da Copa do Mundo, Vasco e Goiás não saíram do zero no Serra Dourada, em Goiânia, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Em noite inspirada de Fernando Prass, os cariocas evitaram a quinta derrota na competição, mas não conseguiram deixar a incômoda zona de rebaixamento na estreia do técnico Paulo César Gusmão. Já os donos da casa viram a sequência de vitórias ser interrompida com a igualdade dentro de seus domínios.

Se do lado vascaíno Fernando Prass estava inspirado, Bernardo foi o destaque dos goianos. O apoiador criou os principais lances de ataque dos donos da casa e ajudou a sua equipe a conquistar apenas um ponto na tabela de classificação. Com o resultado, o Goiás chegou aos 11 e caiu para a décima colocação na tabela de classificação. O Vasco passou a somar seis e permaneceu na penúltima posição.

Na próxima rodada, o Vasco vai enfrentar o Atlético-PR, em São Januário, no sábado, às 18h30m (horário de Brasília). O Goiás pega o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Jogando em casa, o Goiás tomou a iniciativa da partida e assustou o Vasco logo aos cinco minutos de jogo. Hugo cobrou falta da entrada da área e Fernando Prass defendeu com segurança, espalmando para escanteio. Apesar da pressão inicial, os cariocas tentavam igualar a partida na disposição. Aos 12, Fágner roubou a bola do lateral-esquerdo Wellington Saci e tocou para Jéferson. O meia rolou para Nunes, que, da meia-lua, chutou por cima do gol.

Com seis jogadores no estaleiro, o Vasco apostava nos garotos dos juniores, campeões estaduais no último fim de semana. O volante Rômulo e o meia Jonathan começaram a partida como titulares e pareceram não sentir a pressão. E, aos 22 minutos, os dois ganharam a companhia do lateral-esquerdo Carlinhos. Com 19 anos, o jogador entrou na vaga de Ernani, que deixou o campo com uma entorse no tornozelo direito.

Fernando Prass voltou a entrar em ação aos 28 e aos 38 minutos da etapa inicial. Nos dois lances, o goleiro vascaíno evitou o pior para o time da Colina, mostrando estar recuperado das falhas que o perseguiram nas última partidas da equipe na temporada.

A primeira defesa aconteceu após bela jogada de Bernardo. Emprestado ao Goiás pelo Cruzeiro, o apoiador passou por um adversário e rolou para Everton Santos, completamente sozinho. Diante do gol vascaíno, o atacante tentou chutar por cima, mas Fernando Prass se esticou todo para salvar os cariocas. Dez minutos depois, Romerito tocou para Ernando, já dentro da área. O zagueiro finalizou e o goleiro voltou a defender.

O Goiás ainda assustou o Vasco no finzinho da etapa inicial. Aos 43, Wellington Saci chutou de longe e a bola bateu no travessão cruzmaltino. Prass apenas acompanhou o lance para não ser pego de surpresa.

Donos da casa acertam o travessão, e Vasco garante empate na estreia de PC

O segundo tempo começou com o Goiás em cima do Vasco. Logo aos dez segundos, Bernardo, o jogador mais perigoso dos donos da casa, recebeu lançamento dentro da área e chutou à esquerda de Fernando Prass. Aos sete, o apoiador disputou a bola com o zagueiro Titi dentro da área dos cariocas e caiu. Mesmo com a reclamação dos donos da casa, o árbitro Leandro Pedro Vuaden mandou o lance seguir.

Aos 16, o duelo Bernardo e Fernando Prass ficou ainda mais evidente. O apoiador cobrou falta da entrada da área e a bola passou rente à trave esquerda do goleiro vascaíno. Quatro minutos depois, Everton Santos recebeu ótimo lançamento pelo lado direito da grande área. O atacante chutou cruzado e por pouco não abriu o marcador para o Goiás.

O Vasco acordou após a pressão do Goiás e teve a sua melhor oportunidade apenas aos 30 minutos da etapa final. Nunes deu um passe açucarado para Jonathan, já dentro da área. O garoto chutou cruzado e a bola passou rente à trave direita de Rodrigo Calaça. O jogo seguiu aberto, com as duas equipes buscando o gol da vitória. Aos 44, Otacílio Neto cruzou da direita, Dedé entrou de carrinho para evitar o gol e acabou chutando contra o próprio gol. A bola estourou no travessão e saiu.


GOIÁS 0 X 0 VASCO
Rodrigo Calaça; Carlos Alberto (Douglas), Valmir Lucas, Ernando e Wellington Saci; Amaral, Jonílson, Wellington Monteiro e Hugo (Romerito) (Otacílio Neto); Everton Santos e Bernardo. Fernando Prass; Fagner (Elder Granja), Dedé, Titi e Ernani (Carlinhos); Rafael Carioca, Romulo, Nilton e Jeferson (Allan); Jonathan e Nunes.
Técnico: Emerson Leão Técnico: Paulo César Gusmão
Cartões amarelos: Ernando (Goiás); Titi, Nilton (Vasco)
Local: Serra Dourada, Goiânia (GO). Árbitro: Leandro Pedro Vuaden/RS(Fifa). Auxiliares: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e Júlio César Rodrigues Santos (RS).

julho 15, 2010 Posted by | Goiás, Vasco da Gama | , | Deixe um comentário

No duelo de líderes, Ceará e Corinthians não passam do empate

Com o 0 a 0 no Castelão, Timão mantém no saldo de gols a liderança, que pode perder se Flu vencer na quinta-feira o Grêmio Prudente, no Maracanã

Castelão cheio, com recorde de público antecipado e bonita festa da torcida do Ceará e do Corinthians num jogo de líderes invictos. O clima era o ideal para um grande duelo de alvinegros na volta do Campeonato Brasileiro após a paralisação da Copa do Mundo. O Vovô, com melhor defesa, recebia o Timão, com ataque mais positivo. Mas emoção mesmo se viu nos 20 minutos finais, quando os dois times tentaram a vitória para disparar na ponta da tabela.  A partida, no entanto, terminou 0 a 0 na noite desta quarta-feira. O resultado favoreceu a equipe paulista, que com melhor saldo de gols segue em primeiro lugar na tabela, com 18 pontos ganhos.

Mas a liderança pode ser perdida nesta quinta-feira, quando termina a oitava rodada. Se o Fluminense bater o Presidente Prudente no Maracanã, empata em pontos ganhos e fica na frente no critério de desempate por vitórias.

Na nona rodada, no próximo domingo, o Ceará, em segundo lugar, com 18 pontos, encara o Inter no Beira-Rio. No mesmo dia, o Corinthians recebe o Atlético-MG, no Pacaembu.

Vovô no ataque

O primeiro tempo do duelo da melhor defesa com o melhor ataque terminou num 0 a 0 justíssimo. Não que o sistema defensivo do Ceará, menos vazado do Brasileirão, com apenas um gol sofrido, merecesse. Sem o zagueiro Anderson e o volante Heleno, suspensos, abusou das falhas de marcação e na saída de bola. Com isso, o goleiro Diego saiu como destaque, com pelo menos duas boas defesas. Sorte também que a linha de frente corintiana sentia a falta dos contundidos Ronaldo, Dentinho e Jorge Henrique. Iarley e Defederico pouco agrediam.Tanto que a melhor chance de gol foi do Vovô.

O time da casa, apoiado pela torcida e estimulado pela possibilidade de roubar do Corinthians a liderança, procurava o ataque logo de início. O cartão de visitas foi logo aos cinco minutos, quando Misael, livre pela direita, tentou  tirar Julio Cesar da jogada, mas o goleiro tocou com a ponta dos dedos para escanteio.

O Vovô buscava velocidade, principalmente pelas pontas. O Timão, cadenciado, tinha noção da falta do trio de ataque. Mas a equipe paulista nem demorou tanto a dar o troco. Aos oito minutos, Roberto Carlos bateu cruzado pela esquerda, num cruzamento que quase surpreendeu Diego. O goleiro salvou com um tapa na bola.

Gol perdido

A defesa menos vazada sentia a falta de Anderson e Heleno, e os substitutos Jorge Luís e Careca protagonizaram uma videocassetada ao baterem cabeça aos oito minutos, possibilitando contra-ataque corintiano mal aproveitado devido à lentidão de Danilo. O Ceará mostrava tantos erros de marcação que o Timão alugou meio-campo até os 20 minutos, mas sem criar situações de gol – Alessandro, preso do lado direito, dava poucas opções para abrir o jogo.

A torcida do Vovô começava a se impacientar quando, aos 22, o time conseguiu pela direita a melhor jogada até então. Oziel arrancou, foi à linha de fundo e centrou rasteiro. Geraldo, que tentou organizar as jogadas do time na primeira etapa, mergulhou de peixinho e não alcançou a bola. Washington subiu e a testou na pequena área, mas ela, caprichosamente, quicou e subiu sobre o travessão.

Timão assusta

Se tentava desafogar o Timão da pressão cearense atacando pela esquerda, Roberto Carlos, por outro lado, se atrapalhava na defesa. Aos 29 minutos, deu uma canelada na bola, que foi a escanteio.  Na frente, o ataque mostrava tanta lentidão para aproveitar as falhas na marcação adversária que Mano Menezes esbravejava com Defederico, Iarley e Bruno César. As broncas só deram resultado a partir dos 34, quando Iarley rolou para Bruno César soltar uma bomba no ângulo direito que Diego espalmou de mão trocada para escanteio, na defesa mais bonita do jogo.

O Ceará recuou, e o goleiro do Vovô voltou a trabalhar aos 41, quando Bruno César bateu falta de longe que quicou e quase o enganou, e aos 42, quando Danilo tentou encobri-lo em cabeçada pela esquerda. Diego espalmou novamente e saiu como destaque de um primeiro tempo sem brilho das duas equipes.

Bem que o Timão tentou mudar esse panorama no início da segunda etapa. Mas esbarrava num apático Defederico, logo substituído por William Morais. O goleiro Diego, destaque do primeiro tempo, falhou ao cortar mal escanteio cobrado por Bruno César e deu susto na zaga cearense. O técnico Estevam Soares trocou o meia Geraldo, cansado, por Tony, para dar mais velocidade aos contra-ataques. Mas Misael, que caía pela direita, e Ernandes, pela esquerda, não acertavam os cruzamentos na área.

Jogo melhora

Aos 25 minutos, Mano voltou a mexer no ataque corintiano, ao sacar Iarley, ovacionado pela torcida cearense – natural de Quixeramobim, foi campeão pelo Vovô e é torcedor declarado do clube -, por Souza. Mas quem assustou foi o Ceará, num chute venenoso de Tony. A bola quicou no gramado antes de chegar na direção de Julio Cesar, que espalmou com dificuldade para escanteio.

O jogo melhorou quando Mano trocou o megalento Danilo, que saiu vaiado pela torcida, por Tcheco. No minuto seguinte, aos 32, o meia bateu com violência da meia-direita, para boa defesa de Diego, que socou a bola. Dois minutos depois, Bruno César sofreu falta de Fabrício na altura da meia-lua, desperdiçada para fora dois minutos depois por Chicão, exímio batedor por ali.

Se Tcheco despertou o Corinthians, Tony acendeu a chama do Ceará, que teve três chances seguidas de marcar. Aos 39, ele serviu Washington, que girou e bateu de canhota à direita de Julio Cesar.  Aos 41, tocou para Careca bater com violência por cima do travessão. Mas foi aos 42 que a torcida teve o gol da vitória entalado na garganta, quando Misael, pela esquerda, bateu para defesa sensacional de Julio Cesar. O empate acabou merecido.

CEARÁ 0  X 0 CORINTHIANS
Diego, Oziel, Fabrício, Jorge Luís e Ernandes; Michel, Careca, João Marcos e Geraldo (Tony); Misael e Washington. Julio Cesar, Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Elias, Danilo (Tcheco) e Bruno César; Defederico (William Morais) e Iarley (Souza)
Técnico:Estevam Soares Técnico: Mano Menezes
Estádio: Castelão. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (Fifa-RJ) e Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa-RJ)
Gol: Cartões amarelos: Careca e Geraldo, Misael, Oziel e Fabrício (Ceará) e Chicão, Elias, Souza (Corinthians) Cartão vermelho:
Renda: não divulgada. Público: .

julho 15, 2010 Posted by | Ceará, Corinthians | , | Deixe um comentário

Em Campinas, Inter vence o Guarani e acaba com jejum de 21 anos

Colorado não vencia o time paulista fora de casa desde 1989. Time gaúcho evitou a zona de rebaixamento, e o Bugre perdeu a chance de ir ao G-4

Sandro, Alecsandro e Taison. Esses foram os responsáveis pela vitória por 3 a 0 do Internacional sobre o Guarani na noite desta quarta-feira, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. O triunfo, em partida válida pela nona rodada do Brasileirão, fez o Colorado acabar com um jejum de 21 anos diante do time paulista.

A última vez que os gaúchos haviam vencido os campineiros fora de casa em Campeonatos Brasileiros foi na edição de 1989. O Inter, aliás, só conseguiu ser superior no segundo tempo, quando soube aproveitar os erros de passe do rival, que reclamou bastante da atuação do árbitro Evandro Rogério Roman.

Com essa vitória, o Internacional chegou a 10 pontos no Nacional e se afastou da zona de rebaixamento. O Guarani, por sua vez, manteve os 12 pontos de antes da Copa do Mundo e perdeu a chance de entrar no G-4 da competição.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, as duas equipes atuam no domingo. O Guarani visita o Botafogo, no Engenhão, no Rio de Janeiro, às 18h30m. O Inter, por sua vez, joga antes, às 16h, contra o Ceará, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

A equipe gaúcha, no entanto, está mais preocupada com os duelos com o São Paulo pelas semifinais da Taça Libertadores da América. As partidas estão marcadas para o dia 28 de julho, no Beira-Rio, e 5 de agosto, no Morumbi.

Antes da partida desta noite, o volante Renan tinha elogiado o entrosamento que o Guarani conquistou na parada para a Copa do Mundo. Por outro lado, o técnico Celso Roth reclamou que o Inter ainda está longe do ideal. Os primeiros minutos de partida até que comprovaram as duas teorias.

Mais ousado e com bom toque de bola, o Bugre partiu para cima do Colorado, que não conseguia passar do meio de campo. Aos oito minutos, os donos da casa chegaram a abrir o marcador, mas Baiano estava impedido quando desviou o chute de Paulo Roberto. O árbitro Evandro Rogério Roman anulou bem o lance.

O time de Porto Alegre foi chegar com perigo ao gol defendido por Douglas apenas aos 17 minutos. Kleber deu ótimo passe para D’Alessandro na esquerda. O argentino cruzou para o meio da área, mas Alecsandro se atrapalhou com a bola e não conseguiu concluir, sendo presa fácil para a zaga bugrina.

Depois disso, o jogo virou um festival de erros de passe e reclamações. Tanto Guarani quanto Internacional não conseguiam dar sequência às jogadas por conta desses erros. Nervosos, os jogadores do Bugre começaram, então, a reclamar do juiz. Especialmente porque Wilson Matias, do Inter, já tinha cartão amarelo.

A cada falta mais dura do jogador colorado, lá iam os bugrinos pedir o cartão vermelho. Sentindo que seu atleta estava perdendo o controle, Celso Roth o sacou aos 24 minutos para a entrada de Glaydson. Mas a principal reclamação do Guarani foi de um pênalti de Índio em Ricardo Xavier. O árbitro nada marcou.

Nos minutos finais da etapa inicial, o Guarani foi para a pressão em cima do apático e desorganizado Inter. E as duas melhores chances do jogo apareceram. Primeiro aos 32 minutos, em cobrança de falta de Baiano que Abbondanzieri defendeu. E depois em gol incrível perdido por Ricardo Xavier na grande área, aos 40 (veja no vídeo acima).

Após boa jogada de Márcio Careca, a bola sobrou para Mazola, que deixou Xavier livre para tentar o gol. O chute, porém, passou longe.

As duas equipes voltaram para o segundo tempo com a mesma formação que terminaram a etapa inicial. Mas mal deu tempo de a bola rolar. Logo no primeiro minuto, Sandro sofreu falta na intermediária e ficou caído no gramado. O jogo ficou paralisado por quase dois minutos para atendimento ao volante. Depois, o médico do Colorado explicou que ele estava com um pedaço de grama no olho.

Além de não terem sofrido alterações nas escalações, os dois times mantiveram a mesma postura do primeiro tempo, abusando dos erros de passe. Com o gramado bastante molhado por conta da chuva, a dificuldade de bugrinos e colorados era ainda maior. Impaciente, a torcida começou cedo a reclamar.

Mais concentrado, o Internacional melhorou o toque de bola e por pouco não abriu o marcador aos oito minutos. D’Alessandro fez boa jogada pela esquerda e rolou no bico da grande área para Sandro. O volante chutou forte e obrigou o goleiro Douglas a grande defesa, evitando que o placar fosse aberto em Campinas.

Sem conseguir chegar com perigo ao gol do Inter, o Guarani passou a arriscar os chutes de fora da área, como aos 13 minutos, quando Baiano mandou por cima do travessão de Abbondanzieri. Mas o melhor momento do Internacional é que foi recompensado. Aos 14, o time gaúcho balançou a rede do Bugre.

Kleber tabelou com Giuliano no lado esquerdo. Mas na disputa do lateral com Rodrigo Heffner, a bola sobrou para Sandro soltar o pé e marcar para o Inter. O gol abalou o Guarani, que não conseguiu mais levar perigo ao adversário. Melhor para o Inter. A equipe gaúcho cadenciou o jogou e manteve boa posse de bola.

Aos 24 minutos, aliás, por pouco o Inter não marcou o segundo. Nei fez bom cruzamento para Alecsandro cabecear e obrigar Douglas a importante defesa. Mas o presente de Alecsandro estava guardado. Aos 26 minutos, após chute de Andrezinho, o camisa 9 aproveitou o rebote e ampliou.

Com a desvantagem de dois gols no placar, o Bugre ficou entregue em campo. O Guarani ainda teve algumas chances de diminuir, mas não soube aproveitar e parou nos defensores colorados. Aos 47 minutos, porém, o Inter ainda ampliou. Taison aproveitou contra-ataque e tocou na saída do goleiro Douglas, dando números finais ao duelo.

GUARANI 0X3 INTERNACIONAL
Douglas; Rodrigo Heffner, Fabão, Ailson e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Preto (Moreno) e Baiano (Mário Lúcio); Mazola e Ricardo Xavier (Diogo). Pato Abbondanzieri; Nei, Bolívar, Índio (Fabiano Eller) e Kleber; Sandro, Wilson Matias (Glaydson), Giuliano (Andrezinho), D’Alessandro e Taison; Alecsandro.
Técnico: Vagner Mancini Técnico: Celso Roth
Gols: Sandro, aos 14, Alecsandro, aos 26, e Taison, aos 47 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Márcio Careca, Baiano (GUA); Wilson Matias, Nei, Sandro, Índio (INT). Cartões vermelhos:
Público: 2193 pagantes. Renda: R$ 28.370,00
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR). Assistentes: Gilson Bento Coutinho (PR) e Bruno Boschilla (PR).

julho 15, 2010 Posted by | Internacional | , | Deixe um comentário