Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Fla dá resposta a escândalo e vence Botafogo no Maracanã

Gol de Paulo Sergio ajuda clube a recuperar moral após prisão de Bruno. ‘Travado’, Alvinegro segue mal na tabela do Brasileiro

“O Flamengo precisa de boas notícias”. A frase da presidente Patrícia Amorim teve repercussão nos jogadores na noite desta quinta-feira. Em jogo de muita aplicação e uma pitada de talento de Petkovic, o Rubro-Negro superou o favoritismo do Botadogo e venceu por 1 a 0, no Maracanã.

O gol da vitória foi de Paulo Sergio, no segundo tempo, após excelente passe do sérvio. A vitória devolve um pouco da alegria perdida na Gávea após a prisão do Bruno. Nos dias que antecederam ao jogo, tanto Patrícia quanto o diretor-executivo Zico ressaltaram ao elenco a necessidade de vitória para desviar o noticiário das páginas policiais. Foram atendidos.

– Temos que começar a escrever uma nova história. É um novo Flamengo – disse o novo capitão, Léo Moura.

Do outro lado, o excesso de tranquilidade durante a Copa do Mundo acabou sendo prejudicial para o Alvinegro. Durante quase todos os 90 minutos, o time enrolou-se no ataque e abusou das tentativas de cavar pênalti.

A vitória coloca o Flamengo com 12 pontos, na rota do G-4. O Botafogo segue parado nos nove.


A volta ao Maracanã, no contexto geral, poderia ser melhor. Noite chuvosa, pouco público, gramado ruim – mesmo após longo período sem jogos – e por todos os lados a lembrança da prisão do goleiro Bruno. Os alvinegros, obviamente, aproveitaram para criar músicas irônicas e tripudiar da situação. Os rubro-negros só se manifestaram para incentivar o substituto dele, Marcelo Lomba.

Antes dos dez minutos, Welinton, afobado, fez duas faltas na entrada da área. Na primeira, Lucio Flavio acertou a barreira. Na segunda, Marcelo Lomba saltou no canto esquerdo e espalmou.

O time desmantelado e o ataque jovem pesaram para as dificuldades do Flamengo nos minutos iniciais. Mas aos poucos o nervosismo passou. Diego Maurício caprichou no visual, colocou tranças dread e conseguiu acertar a primeira jogada aos 19. Ele tabelou com Vinícius Pacheco dentro da área, mas o companheiro precipitou o chute e mandou para fora.

A dupla fez outra boa jogada aos 22 e Vinícius, desta vez como pé esquerdo, chutou forte. Jefferson espalmou para escanteio.

O Botafogo recorreu aos contra-ataques. Marcelo Cordeiro fez ótimo lançamento aos 27, Juan cochilou e Alessandro entrou livre na área. O lateral do Flamengo se recuperou e conseguiu atrapalhar o chute.

Por causa de toda a situação que precedeu a partida, o Rubro-Negro, surpreendentemente, dominou boa parte do primeiro tempo. Aos 34, Kleberson cruzou rasteiro e Petkovic chutou rente ao ângulo esquerdo.

Na última chance antes do primeiro tempo, o Botafogo teve um contra-ataque rápido após equívoco do árbitro Péricles Bassols. Ele marcou uma falta no campo de ataque, os alvinegros cobraram bem à frente e por pouco Caio, impedido, não abriu o placar. A bola saiu rasteira, à direita da baliza.

O Botafogo voltou com Edno no lugar de Sandro Silva, que errou tudo o que tentou no primeiro tempo. Mas a primeira boa chance foi do Flamengo. Diego Maurício fez jogada individual e chutou forte. Jefferson espalmou.

A resposta do Botafogo veio com Herrera. Ele chutou forte da entrada da área e Lomba fez como manda o manual do goleiro: espalmou para o lado.

Aos 20 minutos, Jobson entrou na vaga de Caio. Foi a volta do atacante ao futebol após seis meses de suspensão por consumo de crack. Na primeira jogada, ele jogou a bola entre as pernas de Welinton. A torcida delirou.

Mas o grito mais forte saiu do lado rubro-negro. Petkovic fez ótimo passe para Vinícius Pacheco, o apoiador cruzou rasteiro e Paulo Sergio, meio sem jeito, empurrou para o gol. Na comemoração, o atacante tirou a camisa e mandou corações para a torcida rubro-negra.

O Botafogo, com dificuldades na armação de jogadas, tentou pressionar, mas foi barrado pelo sólido sistema defensivo rubro-negro.  No único lance de perigo, aos 47, Herrera chutou forte de dentro da área, mas isolou.



FLAMENGO 1  X 0 BOTAFOGO
Marcelo Lomba; Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Rômulo, Willians, Kleberson e Petkovic; Diego Maurício (Paulo Sergio) e Vinícius Pacheco (Camacho). Jefferson; Antônio Carlos, Fahel e Fábio Ferreira; Alessandro, Leandro Guerreiro, Sandro Silva (Edno), Lucio Flavio (Renato Cajá) e Marcelo Cordeiro; Caio (Jobson) e Herrera.
Técnico: Rogério Lourenço Técnico: Mano Menezes
Estádio: Maracanã. Árbitro: Pericles Bassols (Fifa-RJ) Auxiliares: Ediney Mascarenhas (RJ) e Rodrigo Joia (RJ)
Gol: Paulo Sergio, aos 24 minutos do segundo tempo Cartões amarelos: Kleberson e Paulo Sergio (Flamengo); Fábio Ferreira (Botafogo)
Renda: R$ 416.885,00 . Público: 15.373 pagantes (20.076 presentes).

julho 14, 2010 Posted by | Botafogo, Flamengo | | Deixe um comentário

Na estreia de Cuca, Cruzeiro faz 2 a 0 no Atlético-PR e sobe na tabela

Time mineiro não vencia o Furacão na Arena da Baixada desde 2003

Nesta quarta-feira, na estreia do técnico Cuca, o Cruzeiro conquistou uma ótima vitória sobre o Atlético-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba. O time mineiro fez 2 a 0 sobre o Furacão, com gols de Wellington Paulista e Roberto (veja o vídeo).

Com o resultado, a Raposa chegou aos 12 pontos e subiu algumas posições na tabela de classificação. O Atlético-PR, por sua vez, segue em situação difícil na competição. O time paranaense tem apenas sete pontos ganhos.

Na próxima rodada, o Furacão vai ao Rio de Janeiro, onde enfrentará o Vasco, no sábado, às 18h30 (de Brasília). Já o Cruzeiro receberá o Goiás, no domingo, às 18h30m, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Gol no fim da partida

Na tentativa de surpreender o Cruzeiro, o Atlético-PR começou melhor. O Furacão usava a velocidade – principalmente com Paulo Baier, que ditava o ritmo do jogo. Porém, o time mineiro, aos poucos, equilibrou a partida e chegou com perigo ao gol de Neto.

Thiago Ribeiro, em duas oportunidades, uma delas de fora da área, quase abriu o marcador. O atacante – destaque do Cruzeiro nos últimos jogos – chegou a acertar a trave esquerda do Furacão.

Aos 21 minutos, mesmo um pouco superior, o Cruzeiro acabou levando o gol, anulado posteriormente pelo árbitro. Em ótima jogada, Fransérgio chutou de fora da area, Fábio fez grande defesa e, no rebote, Alex Mineiro tocou para o gol. Porém, o paulista Wilson Luiz Seneme apontou impedimento – de forma equivocada – do ataque rubro-negro.

A partir daí, o Furacão teve outras várias chances de marcar. A melhor delas foi com Paulo Baier, aos 32 minutos. O meia chegou a driblar o goleiro Fábio, que se recuperou e evitou o gol.

Mas quem fez o gol foi o Cruzeiro, aos 45 minutos do primeiro tempo. No último lance, Thiago Ribeiro recebeu pela direita e fez um cruzamento perfeito, na cabeça de Wellington Paulista. O atacante tocou com categoria, no canto esquerdo de Neto, que se esticou, mas não evitou o gol.

Pressão rubro-negra

O técnico Paulo César Carpegiani voltou para o segundo tempo com duas alterações. Eli Sabiá e Branquinho entraram no Atlético-PR, que passou a atuar no 3-5-2.

A princípio, as mudanças surtiram efeito, já que o Furacão passou a pressionar o time mineiro. Por muito pouco, o time rubro-negro não empatou a partida. A defesa cruzeirense passou por apuros, e o goleiro Fábio teve que realizar alguns milagres.

Ao Cruzeiro, cabia os contra-ataques, principalmente com Roger e Thiago Ribeiro. Em um desses lances, Wellington Paulista quase aumentou o placar para o Cruzeiro.

Aos 32 minutos, os jogadores do Atlético-PR foram à loucura. Paulo Baier bateu uma falta pela direita, e Rhodolfo cabeçou sozinho, para o fundo das redes. Porém, o auxiliar Vicente Romano Neto, acertadamente, assinalou o impedimento.

Cuca colocou em campo Marquinhos Paraná e Fabinho, na tentativa de segurar o placar. Mas o Cruzeiro acabou fazendo mais um, aos 41 minutos, com Robert. O atacante, que havia entrado a pouco tempo, tabelou com Wellington Paulista e saiu na cara do gol: 2 a 0.

Até o fim, o Furacão tentou, mas a defesa cruzeirense conseguiu suportar. Na estreia de Cuca, o Cruzeiro se deu bem e venceu em plena Arena da Baixada.

ATLÉTICO-PR 0 X 2 CRUZEIRO
Neto; Wagner Diniz, Manoel, Rhodolfo e Jean (Eli Sabiá); Vitor (Branquinho), Fransérgio, Paulo Baier e Paulinho; Bruno Mineiro e Alex Mineiro (Thiago Santos) Fábio; Jonathan, Gil, Cláudio Caçapa e Diego Renan; Fabrício, Henrique, Gilberto (Fabinho) e Roger (Marquinhos Paraná); Wellington Paulista e Thiago Ribeiro (Robert)
Técnico: Paulo César Carpegiani Técnico: Cuca
Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR). Data: 14/7/2010. Horário:19h30m (de Brasília). Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa/SP).Auxiliares: Vicente Romano Neto (SP) e Dante Mesquita Júnior (SP).
Público: 13.952 pagantes. Renda: R$ 190.340,00. Cartão amarelo:Roger (Cruzeiro)
Gols: Wellington Paulita (Cruzeiro), aos 45 minutos do primeiro tempo, e Robert (Cruzeiro), aos 41 minutos do segundo tempo

julho 14, 2010 Posted by | Atlético-PR, Cruzeiro | , | Deixe um comentário

Na estreia de Lopes, Avaí anula o São Paulo e vence dentro do Morumbi

Em noite infeliz, Tricolor para na eficiente postura da equipe de Santa Catarina, que ganha por 2 a 1 e ultrapassa o time paulista na tabela

Inspirado na Copa do Mundo, o São Paulo voltou da parada do Brasileirão para o Mundial dizendo que gostaria de jogar como a campeã Espanha, ou seja, com posse de bola na maior parte do tempo, troca de passes rápidos e esperando a hora certa para atacar. Mas, quando a bola rolou no gelado e vazio Morumbi na noite desta quarta-feira, o que se viu foi uma réplica da partida entre a Fúria e a Suíça, ocorrida na África do Sul. Um time que tomou a iniciativa, mas não conseguiu derrubar a muralha defensiva adversária e foi surpreendido nos contra-ataques.

O longo período de treinos não fez grande efeito ao Tricolor Paulista, a quem faltou a velocidade e a qualidade que Xavi, Iniesta e cia mostraram de sobra nos gramados africanos. Do lado do Avaí, não faltou eficiência. Quando criou, o time catarinense, que teve a estreia do técnico Antonio Lopes, foi fatal e mereceu amplamente a vitória por 2 a 1, em partida realizada nesta quarta-feira, pela 8ª rodada do Campeonato Nacional.

Com a derrota, o Tricolor caiu para a oitava colocação na tabela, com 11 pontos, mesma pontuação do rival catarinense, que subiu para o sétimo lugar. Os dois times voltarão a campo no próximo final de semana. O São Paulo, no sábado, vai até Salvador para enfrentar o Vitória, no Barradão. Já o time catarinense terá o Palmeiras pela frente, no estádio da Ressacada.

O São Paulo encontrou muitas dificuldades no primeiro tempo. Suas principais peças pouco apareceram. No meio, Hernanes foi vigiado de perto por Rudinei. Marlos teve marcação pessoal do experiente Marcinho Guerreiro, enquanto que Dagoberto, que voltou diversas vezes para buscar a bola, tinha sempre a companhia de Rivaldo. Para se ter uma ideia do ferrolho catarinense, quando o Tricolor tinha a posse de bola, apenas o atacante Roberto ficava além do meio-campo. Os demais atletas voltavam para ajudar na defesa. E quando o Avaí recuperava a bola, atacava com muita rapidez, o que complicava a marcação tricolor.

O sistema defensivo da equipe da casa apresentou falhas. Claramente, a troca de posição entre Alex Silva e Miranda ainda precisa de ajustes. O primeiro, que possui boa saída pela direita, não tem velocidade para jogar na sobra. E Miranda, que não conta com a mesma qualidade para conduzir a bola, ficou mais fixo na defesa. Pela esquerda, Junior Cesar e Richarlyson não se acertaram na vigilância aos adversários e deixaram vários espaços que poderiam ter sido aproveitados pelo rival.

Sem inspiração para furar o bloqueio, o Tricolor teve duas chances de gol na etapa inicial: aos sete, em cobrança de falta de Rogério Ceni, que raspou a trave direita adversária, e aos 26, em chute de Hernanes por cima do gol. Mas a melhor oportunidade dos primeiros 45 minutos foi do Avaí. Aos 16, Roberto aproveitou o vacilo da marcação são-paulina pelo lado esquerdo, invadiu a área e bateu no canto esquerdo de Rogério Ceni, que tocou na bola antes de ela acertar a sua trave esquerda (no vídeo acima).

As duas equipes voltaram para o segundo tempo sem alterações e, com isso, o panorama da partida não se modificou. O São Paulo tomava a iniciativa, mas sem qualidade, e se tornava  presa fácil para a marcação adversária. Aos 15, o técnico Ricardo Gomes resolveu modificar o esquema tático da equipe paulista, passando do 3-5-2 para o 4-4-2, com a entrada de Cléber Santana na vaga de Rodrigo Souto. Richarlyson saiu da zaga e foi para o meio.

Aos 16, surpresa no Morumbi. Patric arriscou o chute rasteiro para a área, Roberto desviou e mandou para o fundo das redes de Rogério Ceni. Logo depois, o mesmo Roberto só não marcou o segundo, em jogada pela direita, porque Alex Silva, de carrinho, salvou.

A inesperada desvantagem no marcador fez o São Paulo se perder em campo. E o Avaí, com espaço de sobra nos contra-ataques e aproveitando as bobeiras defensivas do Tricolor, fez o segundo aos 20. Caio desceu pela esquerda nas costas de Jean e cruzou para Vandinho, que havia entrado no lugar de Robinho. O atacante só teve o trabalho de empurrar a bola para as redes: 2 a 0.

No desespero, o time da casa foi ao ataque. Aos 23, o juiz Francisco Carlos Nascimento errou ao não marcar pênalti de Rudinei em Dagoberto. O atacante foi derrubado dentro da área, mas o juiz assinalou a infração fora (confira o lance no vídeo ao lado). Aos 29, Dagoberto invadiu a área e cruzou para Fernandão, que só não marcou porque Gabriel salvou. No minuto seguinte, no entanto, não teve jeito. Após cruzamento na área, Hernanes, após furada de Fernandão, mandou no ângulo de Renan: 2 a 1.

Com o gol, o São Paulo acelerou o ritmo e ganhou nova força em campo. Com a mudança no esquema tático do Tricolor, a marcação catarinense já não encaixava com tanta precisão. Aos 34, Junior Cesar fez grande jogada pela esquerda e cruzou para Fernandão. A bola acabou sobrando para Cléber Santana, que bateu e exigiu grande defesa de Renan. Quatro minutos depois, Marlos fez jogada individual e bateu por cima do gol. Diante da pressão são-paulina, o Avaí recuou e garantiu sua justa vitória.


SÃO PAULO 1 X 2 AVAÍ
Rogério Ceni; Miranda, Alex Silva e Richarlyson; Jean, Rodrigo Souto (Cléber Santana), Hernanes (Washington), Marlos e Junior Cesar; Dagoberto e Fernandão. Renan; Patric, Emerson, Gabriel e Eltinho (Marcos); Marcinho Guerreiro, Rudnei (Diogo Orlando), Rivaldo e Caio; Robinho (Vandinho) e Roberto.
Técnico: Ricardo Gomes. Técnico: Antônio Lopes
Gols: Roberto, aos 16 minutos do 2º tempo, Vandinho, aos 20, e Hernanes, aos 30.
Cartões amarelos: Alex Silva e Richarlyson (São Paulo); Caio, Roberto, Marcinho Guerreiro, Gabriel e Eltinho (Avaí). Renda e Público: não divulgados
Estádio: Morumbi, em São Paulo (RJ). Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (BA). Auxiliares: Erich Bandeira (PE) e Alessandro Álvaro de Rocha Matos (BA).

julho 14, 2010 Posted by | Avaí, São Paulo | , | Deixe um comentário

Gelados, Grêmio e Vitória fazem jogo ruim e empatam no Olímpico

Com temperatura máxima de 10ºC em Porto Alegre, gaúchos e baianos ficam no 1 a 1 e congelam na tabela do Campeonato Brasileiro

Silas disse que a intenção do Grêmio era aproveitar o frio de Porto Alegre para colocar o Vitória numa gelada no estádio Olímpico. Por pouco o time dele não congelou na noite desta quarta-feira. As equipes se enfrentaram sob temperatura de 10ºC, com sensação térmica ainda mais baixa: 6ºC. No banco de reservas, jogadores dos dois times se aqueceram com agasalhos, luvas e cobertores. Os gaúchos diriam que é um frio de renguear cusco. Na tradução do “gauchês”, significa que é tão intenso que faz até o cachorro (cusco) tremer e mancar. Só que os baianos não tremeram. O Rubro-Negro deixou Salvador com os termômetros marcando quase 30ºC e se esforçou para esquentar e equilibrar a partida. No fim, 1 a 1 com nível fraco. Só jogadores da equipe baiana marcaram. O zagueiro Wallace a favor e o lateral-esquerdo Egídio contra.

Com o resultado, os times chegam a nove pontos e não andam na tabela. O Tricolor está em 13º e o Leão em 14º. Na próxima rodada, o Vitória recebe o São Paulo, sábado, às 18h30m, no Barradão. No domingo, no mesmo horário, o Grêmio visita o Grêmio Prudente, no estádio Prudentão.

Iguais no frio, as equipes dividiram cada palmo do gramado do Olímpico. Muitas vezes abusaram das jogadas mais fortes. Os gremistas retomaram a disputa do Brasileirão sem quatro titulares. Mário Fernandes, que passou por uma cirurgia no ombro direito, Fábio Rochemback, suspenso, Fábio Santos, com dores na região lombar, e Douglas, gripado. Foram substituídos por Rafael Marques, Adilson, Neuton e Hugo, respectivamente. O Leão não teve o artilheiro Junior. O atacante ficou fora por conta do falecimento do pai. Elkeson fez companhia a Schwenck na linha de frente.

A forte marcação no meio-campo atrapalhou a troca de passes. A criatividade passou longe. Apesar de não jogarem com a Jabulani, a famigerada bola da Copa do Mundo na África do Sul, a solução foi investir nos chutes de longa distância e tentar surpreender os goleiros. Edilson foi o primeiro e testou Viafara  Em cobrança de falta, o lateral-direito bateu forte, o goleiro colombiano deu rebote para frente, mas o zagueiro Wallace afastou. Ricardo Conceição tentou para os baianos. De longe, buscou o ângulo esquerdo, e Victor espalmou.

Em seu melhor momento na primeira etapa, o Grêmio perdeu duas ótimas oportunidades. Aos 24, Borges roubou a bola, partiu em disparada desde o meio-campo, mas bateu cruzado e para fora. Jonas, livre ao lado dele, não gostou e se queixou. Cinco minutos depois, Maylson, que entrara no lugar de Leandro, machucado, foi à ponta direita, cruzou para a pequena área, mas Hugo bateu por cima do travessão.

O Vitória atacou menos e foi mais eficiente. Aos 33, Ramon inverteu da direita para a esquerda, a bola passou por Adilson e se acomodou no peito do zagueiro Wallace dentro da área. O chute de esquerda, cruzado, venceu o goleiro Victor: 1 a 0. Em vantagem, a tática baiana foi recuar e esperar o Grêmio. O Tricolor acusou o golpe, errou um punhado de passes e fez força para irritar a torcida. Com frio e insatisfeitos, os tricolores vaiaram e cornetaram jogadores e o técnico Silas. Pelo menos no primeiro tempo, não foi o recomeço de campeonato que eles esperavam.

Ricardo Conceição, Fernando e Ramon. O trio fez a bola girar pelo meio-campo do Vitória. Era a melhor maneira de segurar a bola, gastar tempo e fazer o adversário se afobar. Silas não fez nenhuma alteração no intervalo, e o Grêmio continuou desorganizado. Hugo e Maylson até se apresentaram mais na criação, Jonas e Borges buscaram jogo, mas todos pouco inspirados. Aos 16 minutos, o técnico tricolor atirou o time para frente. Ele sacou o volante Willian Magrão e lançou André Lima como terceiro atacante. Funcionou quase nada.

Na base dos contra-ataques, o Vitória conseguiu incomodar com os laterais Egídio e Nino. Em dois bons chutes de longe, eles quase ampliaram, mas o goleiro Victor estava atento. A noite estava tão complicada para os gremistas que até jogador de frente virou zagueiro adversário. Aos 24, Edilson cobrou escanteio, Rodrigo desviou de cabeça, a bola bateu em Hugo quase na linha do gol dos baianos e foi afastada.

O mérito do Grêmio foi persistir mesmo quando tudo parecia dar errado. Até que a sorte virou. Aos 30, Jonas avançou pela esquerda e cruzou na segunda trave. O lateral-esquerdo Egídio tentou escorar para o goleiro Viafara com a coxa, mas a bola entrou: 1 a 1. Vilson ainda tentou tirar, mas foi em vão.

Ao contrário do esperado, a pressão gremista foi discreta. O time só partiu para o abafa nos acréscimos. André Lima foi quem chegou mais perto da virada, aos 47, após cobrança de escanteio. Numa confusão generalizada na área, faltou pouco para o atacante empurrar a bola para o gol, mas Viafara conseguiu afastar e evitar a derrota rubro-negra.

GRÊMIO 1 X 1 VITÓRIA
Victor, Edilson, Rafael Marques, Rodrigo e Neuton; Willian Magrão (André Lima), Adilson, Leandro (Maylson) e Hugo; Jonas e Borges. Viafara, Nino, Anderson Martins, Wallace e Egídio (Rafael Cruz); Vanderson, Ricardo Conceição, Fernando (Vilson) e Ramon (Soares); Elkeson e Schwenck.
Técnico: Silas. Técnico: Ricardo Silva.
Gols: Wallace, aos 33 do primeiro tempo. Egídio (contra), aos 30 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Hugo, Willian Magrão, Jonas e Neuton (Grêmio); Ramon, Elkeson, Ricardo Conceição, Fernando e Viafara (Vitória).
Estádio: Olímpico, Porto Alegre. Data: 14/07/2010. Árbitro: André Luiz de Freitas Castro/GO. Auxiliares: João Patrício de Araújo/GO e Marco Antônio de Mello Moreira/GO.

julho 14, 2010 Posted by | Grêmio, Vitória | , | Deixe um comentário

Grêmio aposta em dupla afinada contra o Vitória

Equipes se enfrentam nesta quarta-feira no Olímpico

A chance para a recuperação do Grêmio no Campeonato Brasileiro será nesta quarta-feira, contra o Vitória, às 19h30, no Olímpico. Para encarar os baianos, finalistas da Copa do Brasil, a equipe gaúcha terá uma das melhores duplas de ataque da Série A: Jonas e Borges.

Outro trunfo é a presença do meia Douglas. Quando o trio esteve em campo este ano, o desempenho quase sempre convenceu. Um exemplo foi a partida contra o Vasco, pela Copa da Hora, em Florianópolis. Esse foi o único jogo durante o recesso por conta do Mundial em que os dois atuaram, e o Tricolor Gaúcho ganhou de 3 a 0.

O problema desta vez será na defesa. O zagueiro Mário Fernandes foi afastado para operar o ombro direito e ficará três meses sem atuar.

Com os mesmos oito pontos que o Grêmio na Série A, o Vitória acredita ter aproveitado bem a pausa.

– O recesso da Copa do Mundo foi benéfico para podermos dar alguns ajustes ao time – afirmou o técnico Ricardo Silva.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO X VITÓRIA

Local: Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 14/7/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)

GRÊMIO: Victor, Edilson, Rafael Marques, Rodrigo e Fábio Santos (Neuton); Adilson, Willian Magrão, Leandro e Douglas;
Jonas e Borges. Técnico?: Silas

VITÓRIA: Viáfara, Nino, Anderson Martins, Wallace e Egídio;
Vanderson, Ricardo Conceição, Fernando e Ramon; Elkeson e
Schwenck. Técnico: Ricardo Silva.

julho 14, 2010 Posted by | Grêmio, Vitória | , | Deixe um comentário

Cheios de mudanças, Guarani e Inter retornam ao Brasileirão

Enquanto o Bugre perdeu seu artilheiro, Colorado trouxe novo técnico para a competição

Na primeira partida após a pausa do Brasileirão, Guarani e Internacional se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h30, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas.

Os dois times passaram por muitas mudanças na pausa para a Copa. Enquanto o Guarani, que vem fazendo boa campanha no Brasileirão, perdeu Roger, seu artilheiro, para o futebol japonês, o Inter, que vinha fazendo péssima campanha na competição sob o comando de Fossati, reestreia com Celso Roth como técnico, esperando que os bons jogos na Libertadores se repitam no campeonato nacional.

O Guarani reestreia no quinto lugar da tabela. Na semana passada o Bugre foi surpreendido pela transferência de Roger. Emprestado pelo São Paulo até o fim do ano, o atacante deixou o Brinco de Ouro e se transferiu para o Kashiwa Reysol, do Japão.

O jogador era o artilheiro da competição, com seis gols. Em contrapartida, o lateral-direito Apodi e o atacante Geovane, que disputou o Paulistão pelo Mogi Mirim, reforçaram o elenco. Para substituir o artilheiro, o técnico Vagner Mancini optou por utilizar Ricardo Xavier como companheiro de Mazola no ataque. Ricardo foi o artilheiro do clube, com 14 gols, na campanha do acesso na Série B, em 2009.

Ainda nesta semana o Bugre poderá anunciar Rômulo, ex-Grêmio e Cruzeiro, para ser mais uma opção no ataque. Mancini realizou um coletivo nesta terça-feira, mas não confirmou se os recém-chegados Apodi e Geovanne farão sua estréia no Bugre.

Já o Internacional, apenas duas posições acima da zona de degola, confia no trabalho de seu terceiro técnico neste campeonato para reagir. Celso Roth é esse homem. Depois do desempenho desastroso do time sob o comando de Jorge Fossati (três derrotas e uma vitória) e apenas mediano do interino Enderson Moreira (uma vitória, uma derrota e um empate) há esperanças de que as coisas melhorem.

Roth chegou impondo intensos treinos em dois turnos, buscando aprimorar a condição física dos jogadores colorados. Com isso, a torcida espera que os problemas físicos que afligiram o Inter no primeiro semestre não se repitam.

– E o melhor de tudo é que a turma aceitou o trabalho pesado – destaca o técnico, prometendo um time mais corredor e pegador.

A equipe que enfrentará o Guarani ainda não é a projetada para o segundo semestre. Os reforços ainda não têm condições legais. São eles o goleiro Renan, o meia Tinga e o centroavante Rafael Sobis, além do lateral-esquerdo Leonardo, contratado para a reserva de Kleber.

Além disso, o volante Guiñazu será poupado. O capitão se recupera de uma pancada na panturrilha esquerda, sofrida no amistoso com o Peñarol, há dez dias.

O substituto do argentino será o atacante Taison. Roth aproveitou que seu time titular ainda não marcou gol no esquema 4-5-1 para torná-lo mais ofensivo já contra o Bugre. É verdade que Taison cumprirá também funções defensivas, tendo, por exemplo, que cuidar das subidas do lateral-direito Apodi. Mas ganhará liberdade para se juntar a Alecsandro.

A armação de jogadas caberá a D’Alessandro, que atuará aberto pela direita apesar de ser canhoto, e a Giuliano, que se postará mais centralizado, à frente da dupla de volantes, Sandro e Wilson Mathias.

– Já podem nos cobrar resultados – desafia Celso Roth, confiante.

FICHA TÉCNICA:
GUARANI X INTERNACIONAL

Estádio: Brinco de Ouro, Campinas (SP)
Data/hora: 14/7/2010 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Bruno Boschilia (PR).

GUARANI: Douglas, Rodrigo Heffner, Fabão, Ailson e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Preto e Baiano; Mazola e Ricardo Xavier. Técnico: Vagner Mancini.

INTERNACIONAL: Abbondanzieri, Nei, Bolívar, Indio e Kleber; Sandro, Wilson Mathias, Giuliano e D’Alessandro; Alecsandro e Taison. Técnico: Celso Roth.

julho 14, 2010 Posted by | Internacional | , , | Deixe um comentário

Cruzeiro enfrenta o Atlético-PR na Baixada

Times fazem campanhas irregulares no Brasileiro

O Cruzeiro terá força máxima na estreia do Cuca no comando da Raposa nesta quarta-feira, às 19h30, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada. A nova versão do time para a sequência do Campeonato Brasileiro terá desfeito o sistema com três volantes e passará a jogar somente com dois.

Para o duelo de logo mais diante do Furacão, a armação do time deverá ser dividida entre Gilberto e Roger. Ambos começaram como titulares o amistoso de sexta-feira passada contra o Tupi.

Com nove pontos ganhos em sete rodadas disputadas, Cuca aposta na recuperação do Cruzeiro e promete que o time entrará forte para buscar o título.

– Nós estamos a três pontos da zona de rebaixamento e a três da zona de classificação para a Libertadores. Uma rodada pode levar para uma situação ou outra. Se tivermos um êxito lá e outro aqui no domingo, estaremos na zona da Libertadores. Aí os ânimos são outros, você não tem a pressão de estar lá embaixo – analisou o treinador.

Um Atlético Paranaense diferente. É isso que o técnico Paulo César Carpegiani promente e a torcida espera diante do Cruzeiro, em partida que marca o retorno do Campeonato Brasileiro.

O Furacão ocupa a 16ª colocação no Campeonato Brasileiro, vendo a zona de rebaixamento de perto. Por isto, dez contratações foram feitas pela diretoria. Porém, diante da Raposa, a tendência é que apenas o lateral-esquerdo Paulinho seja titular, atuando no meio-campo, ao lado de Paulo Baier.

Mas a principal alteração será no esquema de jogo. Carpegiani abandonou o 3-5-2 e adotou o 4-4-2, com os laterais ficando mais fixos na defesa, formando uma linha de quatro, dando mais liberdade aos meias. Mudança trabalhada durante a paralisação da Copa do Mundo que, para o treinador, deixou a equipe mais competitiva.

– Tivemos um progresso bom e estamos mais competitivos. Agora temos que mostrar isso na quarta-feira, porque é um jogo onde precisamos vencer – declarou Carpegiani.
FICHA TÉCNICA:

Local: Arena da Baixada (PR)
Data e hora: 14 de julho de 2010, às 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Wilson Luis Seneme (Fifa-SP)

ATLÉTICO-PR: Neto, Leandro, Manoel, Rhodolfo e Jean; Fransérgio, Renan, Paulo Baier e Paulinho; Bruno Mineiro e Alex Mineiro. Técnico: Paulo César Carpegiani

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Gil, Caçapa e Diego Renan; Fabrício, Henrique, Roger, Gilberto; Thiago Ribeiro e Wellington Paulista. Técnico: Cuca

julho 14, 2010 Posted by | Atlético-PR, Cruzeiro | , | Deixe um comentário

Flamengo e Botafogo fazem duelo de ‘diferentes’ pelo Brasileiro

Retorno após Mundial coloca frente a frente clubes de ambientes distintos

Mais de um mês longe do Brasileiro por causa da Copa do Mundo, Flamengo e Botafogo voltam para a competição já em clima de rivalidade total. Empatados na tabela com nove pontos ganhos, os dois clubes se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h, no Maracanã, em partida válida pela oitava rodada, com transmissão em tempo real pelo LANCENET!.

Apesar de próximos na classificação, Bota e Fla vivem momentos distintos fora de campo e existe uma grande expectativa para saber como ambos vão retornar aos jogos oficiais.

DIAS COMPLICADOS

Durante o período de paralisação para a Copa do Mundo, o Rubro-Negro, que está em nono lugar, passou por momentos conturbados. Se um pouco antes do recesso o clube havia sofrido com a saída de Adriano, o tempo de Mundial trouxe surpresas nada agradáveis na Gávea. Vagner Love voltou para o CSKA (RUS) e uma série de outros atletas foram alvo no mercado.

Se os atletas do Fla chamaram a atenção pelas possibilidades de negócios, Bruno deixou de frequentar as páginas esportivas dos jornais para fazer parte do caderno de polícia. Acusado de participação na morte de Eliza Samudio, Bruno foi afastado do Rubro-Negro e deixou a vaga no gol para Marcelo Lomba, que se diz pronto.

– Já são dez anos no Flamengo e sempre batalhei pela oportunidade. O Bruno é um grande goleiro, cotado para a Seleção Brasileira, mas agora chegou a hora de escrever a história do Marcelo Lomba. Trabalhei muito tempo com o Bruno, ele é um amigo. De toda a confusão, só sei o que sai na imprensa. Vamos deixar para a justiça julgá-lo, mas quero dar conta do recado em campo – destacou.

Para deixar a trama ainda mais dramática, o Fla acertou com seis reforços, mas nenhum novo nome vai entrar na equipe, já que as contratações estão sem condições de jogo por diversos motivos.

UM MAR DE CALMARIA

Enquanto o clima na Gávea anda confuso, o Botafogo quer aproveitar a maré de tranquilidade para se fixar entre os primeiros colocados do Brasileirão. Atualmente na oitava posição, o Glorioso não perdeu jogadores titulares no mercado e ainda se reforçou com Jobson e Maicosuel, dois jogadores conhecidos e queridos da torcida.

Enquanto o Mago ainda nem sequer foi apresentado oficialmente pelo Alvinegro, Jobson participou bem dos treinos táticos e técnicos durante o período de atividades na paralisação do Brasileiro e já poderá até mesmo reestrear já no time. Recuperado de virose contraída durante a semana, Herrera vai formar dupla de ataque com Caio, mas Jobson admitiu que está especialmente ansioso pela partida.

– Estou ansioso para entrar logo em campo, ainda mais pelo Botafogo, que foi o clube que me deu uma grande projeção e pelo qual ganhei muito destaque. Também será minha primeira vez no Maracanã, que é um grande palco do futebol. Só espero ter uma oportunidade de fazer uma grande partida e ajudar meus companheiros e o Alvinegro. Espero sair de lá com uma vitória – disse.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO X BOTAFOGO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 14/7/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ) Gutemberg de Paula Fonseca
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Rodrigo Pereira Joia (RJ)

FLAMENGO: Marcelo Lomba, Leonardo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Rômulo, Willians, Kleberson e Petkovic; Vinicius Pacheco e Diego Maurício. Técnico: Rogério Lourenço.

BOTAFOGO: Jefferson, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Fahel; Alessandro, Leandro Guerreiro, Sandro Silva, Lucio Flavio e Marcelo Cordeiro; Herrera e Caio. Técnico: Joel Santana.

julho 14, 2010 Posted by | Botafogo, Flamengo | , | Deixe um comentário

Ceará x Timão: Duelo de líderes no Brasileirão

Retorno da competição nacional já começa com embate valendo a liderança isolada

Após a paralisação do Campeonato Brasileiro para a Copa do Mundo, a competição volta a todo vapor. Nesta quarta-feira, os dois últimos invictos se enfrentam em um embate pela liderança do Brasileirão.

Com os mesmos 17 pontos conquistados, o Corinthians vai a Fortaleza para enfrentar a surpresa da competição, o Ceará, no Castelão. A equipe de Mano Menezes, que ocupa a primeira colocação devido ao saldo de gols, espera manter o ritmo da “primeira fase” do Brasileirão.

– Terminamos a primeira fase em primeiro, agora é só manter o que a gente vinha fazendo. Jogar da mesma forma, encara os adversários da mesma maneira que com certeza vamos chegar no final brigando pelo título – garantiu Danilo.

Durante o período de intertemporada, o Corinthians aprimorou a preparação física em Águas de Lindoia e realizou alguns amistosos. Entretanto, voltará ao campeonato com muitos desfalques. Além de Moacir e Dodô, o trio ofensivo do Timão que mais atuou na temporada, será desfalque.

Ronaldo ainda faz trabalhos físicos específicos para retomar a forma. Já Dentinho, o artilheiro do time na temporada, se recupera de lesão e Jorge Henrique, que sofreu uma pancada (joelhada) nas costas,não se recuperou.

Para os que dizem que o Campeonato Brasileiro começa agora, Mano Menezes garante o contrário. A liderança corintiana após sete rodadas é sinal disso, garante o treinador corintiano.

– Ceará e Corinthians tem uma pequena vantagem, talvez podemos colocar o Fluminense na mesma situação. Se temos uma vantagem é porque o Campeonato não começa agora, é porque já começou. Essa é uma teoria que defendem aqueles que estão atrás.O campeonato já tem sete rodadas e quem continuar trabalhando melhor, no nosso caso vamos manter – afirmou Mano.

Já o Ceará tem a chance de fazer história diante de sua torcida, no Castelão. Caso vença, será a primeira equipe cearense na história do Brasileirão a assumir a liderança da competição. Feito jamais alcançado nem pelo alvinegro, nem por seu rival Fortaleza.

Os jogadores já estavam ansiosos para o recomeço do campeonato e esperam manter a mesma pegada do primeiro semestre. Nas sete primeiras rodadas, o Ceará venceu cinco jogos e empatou dois.

– O Brasileirão está voltando e devemos agora trabalhar para fazer bons jogos nessa competição. O Ceará tem um grande elenco e todos torcemos para que o time volte com a mesma garra que começou – destacou o atacante Welington Amorim.

A ausência do atacante Ronaldo foi confirmada pelo Corinthians. Porém, segundo o goleiro Diego, isso não é motivo para o Ceará entrar em campo despreocupado.

– Ronaldo é um jogador que dispensa apresentações por tudo que já fez na carreira e fará falta ao Corinthians, mas não podemos achar que isso facilitará a nossa vida, pois eles têm um elenco qualificado e pronto para suprir desfalques – ressaltou Diego.

O técnico Estevam Soares não poderá contar com o zagueiro Anderson e o volante Heleno (ambos suspensos), que vinham atuando como titulares no Brasileiro. Agora, resta a eles apoiar os companheiros na noite desta quarta.

– Eu não poderei atuar, mas ficarei na torcida e tenho certeza que meus companheiros entrarão em campo com um só objetivo, a vitória – afirmou Anderson.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ X CORINTHIANS

Estádio: Castelão, Fortaleza (CE)
Data/hora: 08/07/2010 – 21h50
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Dilbert Pedrosa Moises (Fifa-RJ) e Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa-RJ)

CEARÁ: Diego; Oziel, Jorge Luiz, Fabrício e Ernandes; Michel, Careca, João Marcos e Geraldo; Misael e Washington. Técnico: Estevam Soares.

CORINTHIANS: Julio Cesar, Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Elias, Bruno César e Danilo; Defederico e Souza. Técnico: Mano Menezes

julho 14, 2010 Posted by | Ceará, Corinthians | , | Deixe um comentário

Palmeiras recebe o Santos em nova casa

No Pacaembu, Verdão começa nova fase contra um Peixe com a cabeça na Copa do Brasil

Nesta quinta-feira, Palmeiras e Santos se enfrentam no Pacaembu, às 21h. Enquanto o Verdão tenta se recuperar de um primeiro semestre desastroso, o Peixe volta ao Brasileirão com a cabeça na Copa do Brasil.

Depois de uma despedida melancólica no Palestra Itália – derrota para o Boca Juniors (ARG) por 2 a 0 – o Palmeiras mandará suas partidas no Campeonato Brasileiro no Pacaembu. O clássico contra o Santos será o primeiro jogo do time alviverde como mandante no estádio este ano. Da última vez que as duas equipes se enfrentaram no Pacaembu, quem se saiu melhor foi o Santos, que venceu o Verdão no Brasileirão de 2004 por 2 a 1.

O goleiro Marcos falou sobre a ‘mudança’ do Verdão para o Pacaembu e disse que espera se acostumar logo com a sua nova casa.

– Precisa ser a nossa nova casa. A torcida tem de comparecer como comparecia no Palestra. Já conquistamos títulos e vitórias importantes no Pacaembu e não vejo problema algum em nos acostumar a atuar lá – comentou o ídolo palmeirense, que é dúvida para a partida.

Mas uma coisa é certa no Palmeiras, o reforço de Kleber. O nome do atacante apareceu no BID na última terça-feira. Por isso, o Gladiador está liberado para formar com Ewerthon o ataque do Verdão. Felipão é outro que deve marcar presença no Pacaembu. O novo técnico do Palmeiras será apresentado antes do jogo e, apesar de ainda não sentar no banco de reservas, já estará presente, assistindo à reestreia do Alviverde no Brasileirão.

Se Luiz Felipe Scolari ainda não pôde realizar as mudanças que gostaria no time, pelo menos o clima na Academia de Futebol já está diferente. Com a chegada do técnico, tanto jogadores, quanto a torcida se mostram mais confiantes para o segundo semestre.

A tristeza fica por conta das ausência de Pierre, que está em fase final de tratamento da lesão na sola do pé direito. Por não estar 100%, o jogador deve ficar fora da partida. Com isso, Edinho e Márcio Araújo devem formar a dupla de volantes do Verdão.

O Santos, pensando mais na final da Copa do Brasil – contra o Vitória, nos dias 28 de julho e 4 de agosto – retoma as atenções para a disputa do Campeonato Brasileiro.

Em quarto lugar, com 12 pontos, o técnico Dorival Júnior terá que superar os desfalques do Peixe. Robinho, que retornou recentemente da Copa do Mundo, pediu para ser poupado e não será opção nem no banco de reservas. Além dele, o meia Marquinhos e o lateral-esquerdo Léo, com lesões musculares, também ficarão fora da partida.

Em compensação, Dorival ganhou nesta semana um grande reforço: Paulo Henrique Ganso, que está recuperado de artroscopia no joelho direito e fica como opção para o treinador.

Avaliado através do ‘Soccer Test’ – teste que avalia a condição aeróbia dos atletas -, o treinador santista recebeu o sinal positivo para relacioná-lo.

– O Ganso tem condições de até mais do que um tempo, se tivesse mais quatro ou cinco dias poderia até iniciar a partida – disse Dorival.

Antes do clássico, o Peixe passou por uma intensa preparação. Após a vitória por 4 a 0 contra o Vasco, pela sétima rodada do Brasileirão, o clube ficou de recesso do dia 8 a 20 de junho. Retornou aos trabalhos no dia 21 e ainda realizou dois amistosos, contra a Ferroviária e o XV de Piracicaba.

– Vai ser um jogo complicado, difícil. Primeiro pelas modificações que tivemos necessidade de fazer, segundo pela estreia do Luiz Felipe, no mínimo observando a equipe de fora já dará muita motivação ao grupo deles – explicou o técnico, que chegou a trabalhar com Felipão, ainda quando era jogador, no Grêmio.

Para o confronto, Dorival escolheu Maranhão, que vem bem nos treinamentos como substituto de Léo. Pará, então, vai para a esquerda. Alan Patrick continua na vaga de Ganso e Madson na de Robinho.

– Tudo é questão de tempo para o Alan Patrick, ainda que tenha qualidade. A equipe estava acostumada com Marquinhos e Ganso e vai levar tempo para a adaptação. É um garoto que promete – elogiou o treinador.

Dorival acredita no potencial do seu time, sensação do primeiro semestre, mas sabe que a cobrança e a marcação será mais forte agora. Recomeça, então, o sonho santista em busca da Tríplice Coroa.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 15/7/2010 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Cléber Welington Abade (CBF-SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Roberto Braatz (SP)

PALMEIRAS: Deola (Marcos); Vitor, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Márcio Araújo, Cleiton Xavier e Lincoln; Ewerthon e Kleber. Técnico: Flávio Murtosa.

SANTOS: Rafael; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Wesley, Alan Patrick e Madson; Neymar e André. Técnico: Dorival Júnior.

julho 14, 2010 Posted by | Palmeiras, Santos | , | Deixe um comentário

Com força máxima, São Paulo encara o Avaí

Tricolor volta a jogar pelo Brasileirão após a parada da Copa

Depois da longa parada devido a Copa do Mundo, o São Paulo volta a disputar uma partida do Brasileirão nesta quarta-feira contra o Avaí, às 19h30 no Morumbi. Na sexta colocação, o Tricolor está seis pontos atrás do líder Corinthians. Já os catarinenses aparecem na 13ª posição.

Apesar da distância para a ponta da tabela, ninguém do Sampa esconde que a preocupação é com a Libertadores. Competição que o clube enfrentará o Internacional pela semifinal no dia 28. Ricardo Gomes quer foco no Brasileirão e espera muito equilíbrio nos duelos que estão por vir:

O Avaí fez uma boa campanha no ano passado e agora tem um técnico novo. O São Paulo volta bem, a preparação foi boa. Vários times se preparam bem e acredito que vamos ter um equilíbrio ainda maior que no ano passado e que antes da parada.

Sem desfalques importantes, o treinador poderá escalar força máxima nesta quarta-feira. Com a saída de Cicinho, Jean fará sua primeira partida como novo dono da ala direita.

De técnico novo, o Avaí vai até São Paulo querendo beliscar pelo menos um ponto no reinício do Campeonato Brasileiro-2010. Substituto de Péricles Chamusca, que foi para o Qatar, Antônio Lopes já tomou decisões polêmicas: o Delegado barrou as estrelas avaianas Sávio e Vandinho, segundo ele, ainda longe da forma ideal.

Na partida desta quarta-feira, o ataque catarinense será formado por Robinho e Roberto, que já vinham atuando antes da parada da Copa do Mundo. No gol, um problema. O titular Zé Carlos, com uma tendinite crônica, está fora. Caberá ao jovem Renan, que foi muito bem na vitória de 2 a 0 sobre o Vasco na terceira rodada, defender a meta.

Outros desfalques são o zagueiro Léo San, que sofreu uma queda nos treinos de domingo e o atacante Leonardo. Antônio Lopes prega respeito ao São Paulo, mas espera um bom resultado no Morumbi:

– O São Paulo é um time excepcional, talvez seja o melhor time do Brasil atualmente. Pela qualidade, sabemos que a parada será difícil e que são favoritos, que têm um time muito melhor que o nosso. Mas vamos lá, com humildade, lutar para buscar essa vitória.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X AVAÍ

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 14/7/2010 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Erich Bandeira (PE/Fifa) e Alessandro Rocha de Matos (BA/Fifa)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Miranda, Alex Silva e Richarlyson; Jean, Rodrigo Souto, Hernanes, Marlos e Junior Cesar; Dagoberto e Fernandão. Técnico: Ricardo Gomes.

AVAÍ: Renan, Patric, Emerson, Gabriel (Émerson Nunes) e Eltinho; Marcinho Guerreiro, Rudnei, Rivaldo e Caio; Robinho e Roberto. Técnico: Antônio Lopes.

julho 14, 2010 Posted by | Avaí, São Paulo | , , | Deixe um comentário

No retorno do Brasileiro, Goiás recebe Vasco

Enquanto time cruzmaltino luta para sair da zona de rebaixamento, Goiás mira G4

Vasco e Goiás se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h50, no Estádio Serra Dourada, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

No retorno da competição nacional, o Goiás, com 10 pontos e na sétima colocação, quer alcançar o G4. Já o Vasco, com apenas cinco pontos, espera engrenar para sair da zona de rebaixamento. Mas, para isso, o time de São Januário não poderá contar com os seus jogadores ditos “medalhões” e aposta na garotada.

O zagueiro Titi, que volta a ser titular no cruzmaltino, garante que o time está focado para sair de campo vitorioso.

– Passamos por situações complicadas, mas o time está focado. Nós nos preparamos para voltar bem. O período de treinos serviu para recuperar o time fisicamente – disse.

Para o volante Nilton, um dos mais experientes dentre os titulares desta quinta-feira, afirma que a situação do Vasco mexeu com os jogadores, que vão se esforçar ao máximo para revertê-la.

– Temos de buscar pontos dentro e fora de casa. Na situação em que estamos, os adversários podem achar que o Vasco está caído. As pessoas estavam debochando do Vasco, e isso atingiu nosso ego. Estamos determinados a mudar isso – ressaltou, mostrando confiança nos jovens que estarão na equipe titular:

– A garotada que está subindo é sangue novo, todos estão querendo ajudar e têm condições para isso.

Já para o Goiás, a paralisação não foi boa. Depois do fraco início, quando chegou a estar na lanterna, o time de Leão venceu três partidas consecutivas, pulando para a sétima colocação.

Por isso, a missão agora é recuperar o bom momento, presente até a sétima rodada. E, ao contrário da maioria, Leão optou pela não utilização de amistosos no período da Copa. Segundo ele, não são esses jogos que farão a diferença para o time nesse momento.

Para essa partida, o treinador mexeu em diversas posições do time. A começar pelo gol. O mais provável é que Calaça seja titular, mas, se Harlei for selecionado para ficar no banco, existe a possibilidade do veterano iniciar a partida. O zagueiro Valmir Lucas entra na zaga, no lugar de Rafael Toloi, suspenso.

Tudo novo nas laterais também. O recém-contratado Carlos Alberto atuará na ala direita, mesmo sendo um volante de origem. Na esquerda, Wellington Saci ganha nova oportunidade. Wellington Monteiro é a novidade entre os volantes. O jogador não vinha tendo uma chance desde que Jorginho foi demitido.

Daí para frente, o time é o mesmo que venceu o Flamengo, no Maracanã: Hugo na armação e Bernardo e Éverton Santos formando a dupla de ataque. Segundo o atacante Bernardo, o Goiás precisa começar o jogo partindo para cima e buscando o gol a todo o tempo.

– Não podemos levar o primeiro gol se quisermos sair de campo com a vitória. Ao meu ver, o mais importante é marcar o gol logo no primeiro tempo para termos tranquilidade. Infelizmente, essa paralisação não foi boa para o nosso time, que vinha embalado – concluiu o jogador do Goiás.

FICHA TÉCNICA:
GOIÁS X VASCO

Estádio: Serra Dourada, Goiania(GO)
Data/hora: 13/7/2010 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa – RS)
Auxiliares: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e Júlio Cesar Rodrigues Santos (RS)

GOIÁS: Calaça, Carlos Alberto, Valmir Lucas, Ernando e Wellington Saci; Jonílson, Amaral, Wellington Monteiro e Hugo; Bernardo e Éverto Santos
Técnico: Emerson Leão.

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Titi e Ernani; Rafael Carioca, Rômulo, Nilton e Jeferson; Jonathan e Nunes.
Técnico: PC Gusmão

julho 14, 2010 Posted by | Goiás, Vasco da Gama | , , | Deixe um comentário

Lincoln quer Palmeiras agressivo contra o Santos, no Pacaembu

Meia alviverde afirma que time não pode dar espaços para os Meninos da Vila no clássico desta quinta, na volta do Campeonato Brasileiro

Na décima posição do Campeonato Brasileiro com nove pontos, o Palmeiras busca retomar o caminho das vitórias para, enfim, alcançar o grupo dos quatro melhores do torneio. E logo na retomada do Nacional, o time, que aguarda ainda a chegada do técnico Luiz Felipe Scolari, terá uma parada complicada pela frente. Nesta quinta, às 21h, o Alviverde enfrenta o Santos, quarto colocado, no Pacaembu.

– Sabemos da qualidade do elenco deles. Se deixarmos jogarem, vamos sofrer com os ataques. Portanto, devemos entrar em campo com o pensamento de partir para cima. Teremos que ser agressivos e ficar de olho na marcação, porque dessa maneira não daremos espaços para eles e teremos grandes chances de sairmos vitoriosos desse grande clássico – disse o meia Lincoln.

O camisa 99 do Palmeiras já enfrentou o Santos em duas oportunidades. Em 1999, quando ainda defendia o Atlético-MG, venceu o Alvinegro por 2 a 0, no Brasileirão. Neste ano, já atuando pelo Alviverde, Lincoln triunfou com a equipe nos 4 a 3, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista.

– Isso me deixa bastante feliz e motivado para essa partida. Tenho muito respeito por eles, sei que representam uma parte da história do futebol brasileiro, com o Pelé, o Robinho e muitas outras revelações talentosas. Porém, meu objetivo é ajudar o Palmeiras e espero que eu possa sair com o resultado positivo desse difícil confronto.

julho 14, 2010 Posted by | Palmeiras | , | Deixe um comentário

CSKA não cede aos apelos, e Love terá de retornar à Rússia

Clube russo envia notificação ao jogador ameaçando-o de multa. Ele fica distante de acerto com o Flamengo

A reunião entre Flamengo e Vagner Love, na última semana, não surtiu o efeito desejado. Nesta terça-feira, o CSKA enviou uma notificação ao atacante exigindo a apresentação dele nos próximos dias sob ameaça de multa.

O contrato de empréstimo do jogador com o Rubro-Negro terminou no dia 10 de julho, mas ele continua no Rio de Janeiro.

– Vagner está no Rio e tentou convencer o CSKA a liberá-lo, mas está difícil. Ele vai se apresentar nos próximos dias – declarou o advogado Diogo Souza.

Depois da conversa na semana passada, na Gávea, o Flamengo tentou um novo contato com os russos, mas não apresentou qualquer proposta oficial e novamente recebeu um “não”. Desta forma, a tentativa de manter um dos integrantes do Império do Amor deve fracassar. Os nomes de Deivid (Fenerbahçe) e Diogo (Olympiacos) são os mais fortes para reforçar o ataque.

julho 14, 2010 Posted by | Flamengo | , | Deixe um comentário

Luxemburgo confirma a presença de Diego Souza contra o Atlético-GO

Técnico do Galo diz que meia ficará como opção no banco de reservas

Principal contratação do Atlético-MG em 2010, o meia Diego Souza será relacionado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo para o jogo desta quinta-feira, às 21h (de Brasília), contra o Atlético-GO. O jogador, que ficou cerca de dois meses parado – após ser afastado do Palmeiras –, participou de todo o coletivo desta terça-feira, na Cidade do Galo, no time reserva.

– O Diego viaja. Vamos tentar colocá-lo em condição para quinta-feira – afirmou o técnico Luxemburgo.

Inicialmente, a estreia de Diego Souza estava planejada para o dia 21 de julho, diante do Internacional, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. A antecipação, segundo o treinador, se deve à boa condição física do jogador e também às ausências de Daniel Carvalho e Edison Méndez, que só poderão estrear após a abertura da janela de transferências internacionais, em 3 de agosto.

– Falei que ele só deveria estrear contra o Inter. Mas, pela necessidade do Atlético-MG e pelo momento que estamos vivendo, ele tem condição de jogar 25 ou 30 minutos, porque é um atleta – justificou Luxemburgo.

No entanto, para ser relacionado, Diego Souza ainda precisa ser inscrito no BID da CBF, o que deve acontecer nesta quarta-feira.

julho 14, 2010 Posted by | Atlético-MG | | Deixe um comentário