Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Bruno e Macarrão chegam à Divisão de Homicídios do Rio

Eles se entregaram nesta tarde no prédio da Polinter, no Andaraí.
MP do Rio denunciou os dois por sequestro e lesão corporal

O goleiro Bruno e o amigo dele Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como “Macarrão”, chegaram na noite desta quarta-feira (7) à Divisão de Homicídios do Rio, na Zona Oeste do Rio. Eles se entregaram nesta tarde no prédio da Polinter, na Zona Norte da cidade. O jornal “Extra” acompanhou a chegada de Bruno na Polinter.

Segundo o delegado Felipe Ettore, da DH, Bruno foi indiciado como o mandante do sequestro. Já o menor que prestou depoimento na terça-feira (6) e Macarrão seriam os executores do sequestro de Eliza.

Bruno e Macarrão tiveram o pedido de prisão temporária decretada na manhã desta quarta. O delegado disse que 15 equipes da DH do Rio estavam nas ruas à procura dos dois. À tarde, policiais estiveram na casa da ex-mulher do goleiro, Dayanne, para ver se Bruno estava lá. Eles também procuram um carro do jogador.

O delegado disse que o depoimento do menor ajudou na investigação.

– Ele esclareceu muitos elementos e dúvidas que se tinham até então, muitos detalhes informados que depois de checados fizeram essas informações se sustentarem – disse o delegado.

Ele confirmou também que o menor teria testemunhado o estrangulamento de Eliza, mas o delegado disse não lembrar quem seria o assassino segundo o menor.

Denúncias

Desde a noite de terça-feira até o início da tarde desta quarta-feira, o Disque-Denúncia do Rio recebeu 15 ligações sobre a possível localização do goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes. As informações são do próprio órgão. Ainda de acordo com o Disque-Denúncia, desde o dia 26 de junho até esta quarta-feira foram recebidas 30 ligações sobre o desaparecimento de Eliza.

No mesmo período, o Disque-Denúncia 181 de Minas Gerais recebeu 120 denúncias sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, de acordo com a assessoria de imprensa do Instituto Minas Pela Paz. O 181 é um serviço da Secretaria Estadual de Defesa Social em parceria com o instituto. Desse total de denúncias, 30 teriam saído do Rio de Janeiro.

A assessoria do Instituto Minas Pela Paz afirmou ao G1 que não se manifesta sobre o teor das denúncias, pois se tratam de casos em investigação.

Pedido de Habeas Corpus

Um dos advogados do goleiro Bruno, Michel Assef Filho, afirmou que vai entrar com pedido de habeas corpus. Ele esteve no Fórum do Rio nesta manhã para pegar a cópia do pedido de prisão temporária do atleta do Flamengo.

– Eu vou impetrar um hc (habeas corpus) porque no meu entendimento não há fundamento para a prisão – afirmou o advogado.

Sobre o depoimento do menor na terça-feira, que teria complicado a situação do goleiro e de seu amigo ‘Macarrão’, Michel Assef Filho disse que ainda vai decidir se pede a anulação do depoimento.

Interrogatório

O jovem de 17 anos, que foi apreendido pela polícia na casa do goleiro, prestou depoimento por mais de sete horas na terça-feira, na Divisão de Homicídios do Rio. O interrogatório pode ajudar a polícia a desvendar todo o mistério em torno do desaparecimento de Eliza. Ele foi levado para Minas, para ajudar nas investigações que estão centralizadas por lá.

O adolescente foi encontrado na casa do jogador na tarde desta terça-feira, após uma denúncia. O goleiro Bruno estava em casa e abriu a porta para os policiais. De acordo com a polícia, o depoimento do menor foi considerado esclarecedor, apesar de ele ter entrado em contradição várias vezes. Durante o interrogatório, ele confirmou que Eliza está morta.

Segundo a polícia, o adolescente mentiu em alguns momentos. No interrogatório, de acordo com a polícia, ele contou que ajudou o Luiz Henrique Romão a levar Eliza Samudio e o bebê do Rio para o sítio do goleiro, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG).

julho 7, 2010 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário

Enfurecida! Espanha desbanca Alemanha e vai à final da Copa

Fúria barra bom futebol alemão e vence por 1 a 0, com gol de Puyol. Copa do Mundo terá campeão inédito

Que soem sem parar as castanholas, que touro e toureiro façam as pazes, que o madrileno, o catalão e o basco compartilhem o mesmo abraço, porque a Espanha, pela primeira vez, está em uma final de Copa do Mundo. A Fúria mostrou sua raiva, “La Roja” apresentou o vermelho de seu sangue, a seleção de Vicente del Bosque jogou demais para vencer a Alemanha por 1 a 0 nesta quarta-feira, em Durban, e garantir presença na grande decisão. O planeta espera um campeão inédito: Espanha e Holanda, domingo, no Soccer City, decidirão quem passa à turma dos vencedores.

Puyol, gigante na defesa, fez o gol da classificação. Foi no segundo tempo, de cabeça, em um lance emblemático para um dos símbolos de uma geração que tenta matar a fome de títulos dos espanhóis. A Alemanha, bem menos brilhante do que contra Inglaterra e Argentina, agora lutará pelo terceiro lugar. O jogo é sábado, em Porto Elizabeth, contra o Uruguai.

Espanha espanhola, Alemanha alemã

Por alguma dessas mágicas que só o futebol tem, o primeiro tempo do jogo em Durban acabou com a brincadeira de troca de papéis que Alemanha e Espanha faziam na Copa do Mundo. Foi uma Espanha espanhola, com qualidade, bola na pé, superioridade técnica, diante de uma Alemanha alemã, compacta, matemática na distribuição de seus jogadores, mas sem aquele brilho que apresentou para cegar adversários como Inglaterra e Argentina. Pertenceu à Fúria a etapa inicial no Moses Mabhida.

Faltou o gol à Espanha. E faltou aquele encaixe final que vem rendendo goleadas à Alemanha. “La Roja” usou seu jeitão de coletividade fominha para ser melhor nos primeiros 45 minutos. Jogou como o moleque que é dono da bola nas peladas de rua: é dele e ninguém tasca – teve 57% da posse, com seis chutes a gol, contra apenas um da Alemanha. Desta vez, a Fúria teve o acréscimo de Pedro, prodígio do Barcelona, bem mais participativo do que vinha sendo Fernando Torres. É uma engrenagem de meter medo: Pedro, Xavi, Xabo Alonso, Sergio Ramos, Iniesta (parece que tem uns 17 Iniestas em cada centímetro do campo), todos em busca de David Villa, a peça final.

Peça final, susto inicial. Eram cinco minutos de jogo quando Pedro encontrou Villa em condições de marcar. O artilheiro do Mundial recebeu e preparou o bote. Quando percebeu, viu Neuer se agigantando na frente dele. O chute do craque espanhol foi abafado pelo goleirão da Alemanha. A seleção de melhor futebol até as semifinais da Copa recebia o primeiro aviso de que a Espanha pretendia encerrar o período de hibernação futebolística.

Seguiu dando Fúria. Aos 13 minutos, Iniesta (ou um dos 17 que ocupam cada centímetro do campo) cruzou da direita. Puyol subiu bonito, subiu alto, subiu como sobem os zagueiros que marcarão o gol. O cabeceio dele foi um tiro. Mas a bala foi perdida. A bola passou por cima do gol de Neuer, gerando um “uh” coletivo – no Moses Mabhida, na Alemanha, na Espanha, sabe-se lá em quantos lugares do mundo.

A Alemanha, aos poucos, foi controlando o ânimo espanhol. “La Roja” viu suas ameaças ficarem mais raras. O problema para os tricampeões foi a incapacidade de encontrar a mesma criatividade de outros jogos – talvez a ausência de Müller, suspenso, seja a maior culpada. Houve pelo menos três lances em que os germânicos partiram para o contra-ataque com o veneno habitual. Mas se enrolaram nas próprias pernas. A Alemanha ficou resumida a cruzamentos para área, um chute de Trochowski defendido por Casillas e um pênalti reclamado por Özil, que deixou a perna para ser tocado por Sergio Ramos na entrada da área.

As rugas de Puyol na bola: Espanha na final!

Recomeçou do jeito que parou, mas em versão acelerada. A Espanha pisou no segundo tempo ainda mais superior do que no primeiro. Foi uma coleção de chances de gol. Na primeira, Pedro passou por meio time da Alemanha e rolou para Xabi Alonso, que bateu mal. Na segunda, o jogador do Real Madrid teve nova chance, desta vez ao receber passe de Xavi, e voltou a errar. Na terceira, Villa bateu colocado, no cantinho esquerdo de Neuer, com muito perigo. Na quarta, a bola não entrou porque é teimosa mesmo.

Foi aos 12 minutos. A Espanha se aproximou da área alemã em bloco, trocando passes com precisão milimétrica, como se fosse a ação mais natural do mundo. A bola chegou até Pedro, que mandou a patada. Neuer espalmou, mas a jogada teve sequência logo depois, com Iniesta. O meia do Barcelona avançou pela esquerda, chegou à linha de fundo, já dentro da área, e mandou uma pancada como cruzamento. David Villa tem 1,75m. Se tivesse 1,76m, teria feito o gol. Esticar cada osso do corpo em um carrinho não foi suficiente para o goleador deixar sua marca.

A Alemanha até tentou mostrar que não estava dormindo. Klose recebeu cruzamento e encaixou o corpo para emendar voleio. O chute foi por cima. Mas a Espanha logo reagiu. Sergio Ramos entrou de surpresa na área alemã e quase completou cruzamento de Alonso.

A Alemanha, tão pressionada, resolveu dar um grito de que encrencaria o jogo. Kroos apareceu pela direita e mandou uma pancada em diagonal. Casillas salvou. Parecia que os tricampeões acordariam. E foi aí que mergulharam no sono da eliminação. Aos 27 minutos, Xavi cobrou escanteio e Puyol subiu. Lembra dele? Lembra do zagueiro que, no primeiro tempo, subiu bonito, subiu alto, subiu como sobem os zagueiros que marcarão o gol? Neuer, o goleiro da Alemanha, vai lembrar por todo o sempre. As rugas da testa do jogador de 32 anos estão eternizadas na bola. Golaço.

A Espanha ainda poderia ter chegado ao segundo gol, mas Pedro preferiu enfeitar o lance em vez de fazer o passe a Torres, que acabara de substituir o artilheiro Villa. Mas não fez falta. O resto é alegria e tristeza. Alegria de uma seleção que alcança um feito inédito. Tristeza de uma seleção que jogou bonito, que encantou o mundo, mas que, desta vez, não estará na final. Espanha ou Holanda, Holanda ou Espanha. O grupo dos campeões mundiais terá um novo integrante no domingo.

ALEMANHA 0 X 1 ESPANHA
Neuer, Lahm, Friedrich, Mertesacker e Boateng (Jansen); Schweinsteiger, Khedira (Mario Gomez) e Özil; Trochowski (Kroos), Klose e Podolski. Casillas, Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Capdevila; Xabi Alonso (Marchena), Busquets, Xavi e Iniesta; Villa (Torres) e Pedro (David Silva).
Técnico: Joachim Löw. Técnico: Vicente del Bosque.
Gol: Puyol, aos 27 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: nenhum.
Estádio: Moses Mavhida, Durban (AFS). Data: 07/07/2010. Árbitro:Viktor Kassai (HUN). Assistentes: Gabor Eros (HUN) e Tibor Vamos (HUN). Público: 60.960.

julho 7, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Radio ao vivo, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | | Deixe um comentário

Tão parecidas, tão diferentes: Alemanha e Espanha lutam pela final

Clique na Imagem e Veja AO VIVO!

Potências mundiais, seleções têm históricos opostos e caminhadas distintas até as semifinais da Copa do Mundo de 2010, nesta quarta-feira, em Durban

As diferenças não separam a Alemanha da Espanha. As semelhanças tampouco as unem totalmente. Tão opostas e, ao mesmo tempo, quase irmãs gêmeas: combinação de histórias singulares, de trajetórias distintas, de estilo próprio, tudo direcionado ao sonho que envolve duas potências do futebol mundial. O planeta que trate de parar por duas horas nesta quarta-feira, porque os tricampeões mundiais duelam com a Fúria às 15h30m (de Brasília), no estádio Moses Mabhida, em Durban. Vale vaga na final da Copa do Mundo de 2010 para enfrentar a Holanda, que derrotou o Uruguai por 3 a 2 na primeira semifinal.

Não era de se duvidar que uma seleção encantasse com dribles, com triangulações, com velocidade. Cabia à Espanha o papel de artista do Mundial. Mas foi a Alemanha quem encenou o estereótipo do jogo bonito. E ninguém questionaria que uma seleção venceria sempre no limite da necessidade, jogando o suficiente para seguir em frente, para manter viva a esperança. Era para ser a Alemanha, sempre pragmática, hoje encantadora. Acabou sendo a Espanha, antes encantadora, hoje pragmática.

Tão parecidas: meio-campo habilidoso, com Xavi e Iniesta de um lado, com Özil e Schweinsteiger de outro, cada qual com seu artilheiro, o fulminante Villa contra o oportunista Klose. Tão diferentes: Alemanha tricampeã mundial, Espanha eterna (será?) decepção. Algo parece unir essas duas seleções. Em 2008, final da Eurocopa, com título para a Espanha; em 2010, semifinal da Copa do Mundo, com todo um destino a ser escrito.

Antes mesmo de começar, é um jogo para a história. O GLOBOESPORTE.COM, a TV Globoe o SporTV transmitem ao vivo.

Uma nova Alemanha

Para essa partida lendária, Alemanha entra com a confiança nas alturas. Afinal, o time despachou nada mais, nada menos do que Inglaterra e Argentina nas fases anteriores. E com direito a chocolate: 4 a 1 e 4 a 0, respectivamente.

O técnico Joachim Löw, entretanto, assegura que seus comandados estão com os pés no chão e focados para o duelo contra a Fúria. Ainda segundo o treinador, o seu time evoluiu em relação ao de de dois anos atrás, que caiu diante do adversário.

– Tínhamos muita energia, mas não conseguíamos dominar uma partida e também não tínhamos qualidade e todas posições como temos hoje. E acho que o jeito que jogamos até agora e os resultados na Copa mostram que melhoramos claramente e que estamos vários passos à frente de 2008 – assegurou o técnico, que chamou nove jogadores abaixo dos 23 anos de idade (a média do time é de 24,8 anos).

E Thomas Müller, um desses jovens e revelação da Copa (anotou quatro gols e deu três assistências), é o único e grande desfalque. Suspenso, o meia-atacante deve dar lugar ao teuto-brasileiro Cacau, que está recuperado de uma lesão no abdômen. Trochowski e Kroos correm por fora.

No ataque, Miroslav Klose está confirmado e é a grande esperança de gols dos germânicos. Se balançar as redes ao menos uma vez, o atleta do Bayern igualará o recorde de Ronaldo (15 gols) e se tornar o maior artilheiro da história das Copas.

Agora ou nunca para a Fúria

A Espanha pode chegar pela primeira vez a uma final de Copa do Mundo. É uma história pobre para um país enlouquecido por futebol, com uma das ligas mais fortes do mundo, recheado de craques – sejam eles espanhóis ou estrangeiros. O sentimento é duplo para a Fúria: de um lado, o peso da responsabilidade de apagar o passado; de outro, a empolgação diante da chance de fazer história.

– Estamos muito eufóricos pela oportunidade que temos. Precisamos aproveitar – disse o meia Xabi Alonso.

O raciocínio espanhol é na base do “agora ou nunca”. Os próprios atletas da Fúria entendem que a chance de título pode não ser tão clara no futuro. Eles não querem perder o trem da história.

– É um belo momento do nosso futebol, um feito que não é casual. São diversos fatores para que o futebol espanhol esteja nesta fase. Estamos muito felizes. Temos recursos para enfrentar de cara qualquer rival, incluindo a Alemanha – disse o técnico Vicente del Bosque.

A Espanha deve mudar para o duelo desta quarta-feira. A tendência é de que Fernando Torres deixe a equipe justamente contra a Alemanha, adversária na qual ele fez o gol do título da Eurocopa de 2008. “El Niño” não completou uma partida sequer na Copa do Mundo. Também não fez gols. Agora, deve dar lugar ao meia David Silva.

Assim, o time passará ao esquema 4-5-1, com o goleador David Villa migrando da esquerda para uma função mais centralizada. Foi assim que a Espanha jogou contra a Suíça, na primeira rodada do Mundial. E perdeu por 1 a 0.

julho 7, 2010 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, CRB, Criciuma, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Futebol Europeu, Futebol Sulamericano, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport, TV ao Vivo, Vasco da Gama, Vila Nova, Vitória | , , | Deixe um comentário

Policiais deixam a casa do goleiro Bruno na Zona Oeste do Rio

Equipes da DH estavam na porta do atleta do Flamengo desde 5h. MP pediu a prisão temporária do jogador

Os policiais da Delegacia de Homicídios do Rio deixaram o condomínio onde mora o goleiro Bruno, suspeito do desaparecimento da ex-amante Eliza Samudio, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio de Janeiro, por volta de 8h30m desta quarta-feira.

De acordo com as primeiras informações, a delegada de Contagem (MG), Alessandra Wilke também teria chegado ao local junto com o delegado Felipe Ettore, da DH do Rio. As informações dão conta de que Bruno não estaria em casa.

Equipes chegaram cedo

Duas equipes da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro chegaram ao condomínio por volta das 5h desta quarta-feira. Policiais entraram na casa por volta de 8h e saíram 15 minutos depois.

A polícia aguarda uma decisão da Justiça para efetuar a prisão do atleta, suspeito no desaparecimento de sua ex-amante Eliza Samudio. A mulher, mãe de um bebê de quatro meses, que diz ser filho do jogador, está desaparecida há cerca de um mês.

O Ministério Público do Rio pediu, no fim da noite de terça-feira, a prisão temporária de Bruno, e do amigo dele, Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, por envolvimento no desaparecimento de Eliza Samudio. Segundo o MP, cabe à Justiça decretar ou não a prisão dos dois.

Um jovem de 17 anos, que foi apreendido pela polícia na casa do goleiro, prestou depoimento por mais de sete horas na terça-feira, na Divisão de Homicídios do Rio. O interrogatório pode ajudar a polícia a desvendar todo o mistério em torno do desaparecimento de Eliza.

O adolescente foi encontrado na casa do jogador na tarde desta terça-feira, após uma denúncia. O goleiro Bruno estava em casa e abriu a porta para os policiais. De acordo com a polícia, o depoimento do menor foi considerado esclarecedor, apesar dele ter entrado em contradição várias vezes. Durante o interrogatório, ele confirmou que Eliza está morta.

Segundo a polícia, o adolescente mentiu em alguns momentos. No interrogatório, de acordo com a polícia, ele contou que ajudou o Luiz Henrique Romão a levar Eliza Samudio e o bebê do Rio para o sítio do goleiro, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG).

O adolescente disse à polícia que estava escondido no banco de trás do carro. No meio da viagem, segundo ele, houve uma discussão e ele bateu na cabeça de Eliza com uma arma que pertenceria a Macarrão. O menor contou que, neste momento, ela sangrou, mas ainda estava viva.

Mais adiante, o jovem falou que Eliza estava morta, mas não revelou quem seria o assassino. A caminhonete usada por eles seria a mesma onde o teste de luminol confirmou vestígios de sangue numa das janelas. O exame de DNA, que fica pronto esta semana, vai dizer se o sangue é de Eliza.

O delegado Felipe Ettore, da Divisão de Homicídios, responsável pelo caso, pediu a apreensão do jovem ao Juizado de Menores por ter participado do sequestro da ex-amante do jogador. O menor foi detido e encaminhado para a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), no Centro, onde aguarda a decisão da Justiça se decreta ou não a apreensão dele.

Denúncia

Numa entrevista à Rádio Tupi, do Rio, um conhecido do adolescente disse ter ouvido do jovem que Bruno teria dado dinheiro a um homem identificado como Clayton para que entregasse o corpo de Eliza a um traficante.

– O Bruno contratou o cara para dar sumiço, o Clayton, para levar o corpo até o cara que ia sumir com o corpo. Aí, pagou R$ 3 mil, ‘tá’ entendendo? O garoto sabe também, o garoto viu aonde ‘tá’. O garoto vai dar tudo. A garota foi desossada, enterraram os ossos da garota e concretaram – disse o homem em entrevista à Rádio Tupi.

O depoimento do adolescente terminou no fim da noite de terça-feira e o promotor de Justiça que acompanhou parte das sete horas e meia de interrogatório disse que as informações do adolescente no depoimento parecem consistentes:

– A versão dele é crível, a versão dele é razoável – disse.

A Polícia Civil do Rio vai repassar todos os detalhes colhidos no depoimento para a polícia de Minas Gerais. Segundo a polícia, é a partir do confronto do que diz esta testemunha com as evidências colhidas até aqui, que os investigadores esperam estabelecer o que aconteceu com Eliza Samudio.

julho 7, 2010 Posted by | Flamengo | | Deixe um comentário