Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Classificação Brasileirão 2009 Serie A

Posição

Time

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

1


Palmeiras

Palmeiras

40

21

11

7

3

33

19

14

2


Goiás

Goiás

38

21

11

5

5

39

29

10

3


São Paulo

São Paulo

36

21

10

6

5

29

22

7

4


Avaí

Avaí

34

21

9

7

5

33

24

9

5


Internacional

Internacional

33

19

10

3

6

33

24

9

6


Atlético-MG

Atlético-MG

33

20

9

6

5

35

28

7

7


Corinthians

Corinthians

32

21

9

5

7

28

27

1

8


Barueri

Barueri

32

21

8

8

5

40

29

11

9


Grêmio

Grêmio

31

21

9

4

8

37

24

13

10


Vitória

Vitória

28

21

8

4

9

29

32

-3

11


Santos

Santos

28

20

7

7

6

33

33

0

12


Cruzeiro

Cruzeiro

27

20

8

3

9

24

30

-6

13


Atlético-PR

Atlético-PR

27

21

8

3

10

23

31

-8

14


Flamengo

Flamengo

27

21

7

6

8

29

36

-7

15


Santo André

Santo André

24

21

6

6

9

24

30

-6

16


Coritiba

Coritiba

22

21

6

4

11

27

33

-6

17


Náutico

Náutico

21

21

5

6

10

26

41

-15

18


Botafogo

Botafogo

21

20

4

9

7

29

35

-6

19


Sport

Sport

16

21

4

4

13

27

39

-12

20


Fluminense

Fluminense

16

21

3

7

11

21

33

-12

agosto 24, 2009 Posted by | Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Botafogo, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Náutico, Palmeiras, Santo André, Santos, São Paulo, Sport, Vitória | | Deixe um comentário

Impecável no Olímpico, Grêmio derrota o Atlético-MG sem fazer força

Em ritmo de treino, Tricolor faz 4 a 1 no Galo e enxerga o G-4 mais próximo. Mineiros vivem pequeno jejum


Rever comemoração Gremio jogo contra Atletico-MG

Fácil como tirar doce de criança. Assim o Grêmio construiu uma vitória maiúscula sobre o Atlético-MG, neste domingo, pela 21ª rodada do Brasileirão. O placar de 4 a 1 foi construído praticamente todo no primeiro tempo com tranquilidade e três gols. O resultado comprova a força do Imortal no estádio Olímpico. Em onze jogos como mandante, foram nove vitórias e dois empates. O Tricolor chega a 31 pontos e assume a oitava posição. O Galo completa quatro partidas sem vencer e perde novamente a chance de voltar ao G-4. Com 33 pontos, está em sexto.

Confira a classficação do Brasileiro e simule resultados

Na próxima rodada, as duas equipes jogam no domingo. O Atlético recebe o Sport, no Mineirão, às 16h. O Grêmio visita o Botafogo, no Engenhão, às 18h30m.

Em ritmo de treino, Grêmio abre vantagem

Assista os Golls da Partida:

Antes de a bola rolar, o técnico do Atlético, Celso Roth, ex-comandate gremista, foi vaiado por parte dos torcedores no estádio. Mas houve quem o aplaudisse, principalmente o público das sociais. Todos os jogadores do Tricolor fizeram questão de cumprimentá-lo.

O início da partida foi mentiroso. Solto e bem disposto em campo, o Galo parecia pronto para surpreender e usou o lado direito para tentar abrir o placar. Aos três, a defesa do Grêmio vacilou na marcação e deixou Marcos Rocha passar livre. O garoto cruzou, mas Victor não deixou que bola chegasse em Diego Tardelli na pequena área. Tardelli e Carlos Alberto também apareceram pelo setor com perigo, mas não o suficiente.

E logo na primeira vez que buscou o gol, o Grêmio conseguiu. Aos sete, a bola área, sempre forte, deu resultado. Tcheco cobrou falta do lado esquerdo para a área, Réver subiu sem marcação e abriu o placar. Quarto gol do zagueiro no Brasileirão. Os mineiros sentiram o golpe, mas sem desanimar. Aos 15, Marcos Rocha voltou a ter libertade na direita, rolou para Carlos Alberto, e o chute do volante saiu cruzado e torto. Faria falta.

Com domínio absoluto do jogo, a equipe de Paulo Autuori provou que vive mesmo uma fase irretocável no Olímpico e passou a explorar o lado direito do ataque. Aos 23, Souza recebeu livre na área e cruzou na segunda trave. O colombiano Perea, sem qualquer marcação, cabeceou no travessão, a bola tocou no goleiro Bruno e entrou: 2 a 0 no placar e avalanche na arquibancada.

Estava realmente fácil demais para o Grêmio. Com o Atlético desorganizado e abatido, os donos da casa trataram de ampliar. Aos 29, Souza cobrou falta com perfeição, e Bruno só olhou, impotente. Na tentativa de mudar o quadro, Celso Roth não esperou o fim do primeiro tempo para mexer. O cronômetro marcava 33 minutos quando o meia Evandro entrou no lugar de Marcos Rocha. Não havia muita força e nem tempo para criar.

Tricolor amplia, e Galo sofre

Roth mudou o ataque atleticano na volta do intervalo. Ele lançou o colombiano Rentería, que durante muito tempo foi rival do Grêmio com a camisa do Inter, no lugar de Eder Luis. Como um sopro de esperança, o Galo chegou a assustar bem cedo. No primeiro minuto, Renan Oliveira recebeu ótimo passe na área pela esquerda, bateu cruzado com a canhota, mas a bola se perdeu pela linha de fundo.

Não era dia nem de Diego Tardelli. O artilheiro do time no Brasileiro, com nove gols, pouco conseguiu produzir de tão isolado na frente. Atlético sem força, sem equilíbrio e frágil. Aos 12, o quarto gol gremista comprovou que realmente a tarde não era atleticana. Com um passe de primeira, Souza encontrou Jonas na área, o atacante só esperou o zagueiro Welton Felipe passar lotado pela bola e a empurrou para o gol de Bruno. Não perca a conta: 4 a 0.

E até quando a defesa falha o Grêmio está seguro. Aos 21, num dos poucos lances de ataque alvinegro até então, Rentería recebeu na área e cruzou certinho para Tardelli bater de primeira, com a esquerda. Victor, goleiro da seleção brasileira, fez uma defesa espetacular. Mas bastou caprichar um pouquinho para o Galo chegar. Aos 33, em jogada individual, Evandro saiu de marcação dupla com velocidade e bateu cruzado da entrada da área. Gol de honra. E só. Coincidentemente, nas últimas três partidas que venceu no Olímpico, o Imortal fez o placar de 4 a 1. Celso Roth precisa conter a queda livre.

agosto 24, 2009 Posted by | Atlético-MG, Grêmio | , , , , | Deixe um comentário

No Serra Dourada, Goiás despacha o Santos e segue na cola do Verdão

Equipe esmeraldina confirma sua fama de carrasca santista em Brasileiros e se isola na vice-liderança da competição


Jogadores do Goiás comemoram no Serra Dourada

O Goiás acabou com os cinco jogos de invencibilidade do Santos neste Brasileirão, venceu por 2 a 1, neste domingo, no Serra Dourada, em Goiânia, e se isolou na vice-liderança da competição, com 38 pontos. A equipe esmeraldina está dois pontos atrás do líder Palmeiras e dois à frente do São Paulo, terceiro colocado. Já o Peixe estaciona nos 28 pontos e está em 11º lugar.

Com o resultado, o time esmeraldino confirma sua fama de carrasco santista. Agora, são 36 jogos entre as duas equipes válidos pelo Brasileirão. O Peixe venceu apenas oito vezes: são 15 empates e 13 vitórias do Goiás. Nenhuma outra equipe da Série A leva tanta vantagem sobre o Santos no histórico de confrontos pela competição nacional.

O Goiás volta jogar no próximo domingo, às 18h30m (horário de Brasília), contra o Internacional, em Porto Alegre. Já o Peixe joga quarta-feira, às 21h, na Vila Belmiro, também contra o Colorado. O jogo é válido pela 16ª rodada e foi remarcado porque o time gaúcho estava disputando um torneio no Japão.

Goiás sai na frente, mas Santos equilibra

O Santos tentou controlar o jogo no início, marcou bem pelo meio e se lançou ao ataque com a velocidade de Madson. Tanto que chegou até a ameaçar primeiro, quando o baixinho fez jogada individual pela direita, aos nove, e mandou uma bomba da entrada da área. A bola passou bem perto da trave esquerda.

Assista os Golls da Partida:

Mas o time da casa não se assustou. Conseguiu se assentar em campo e passou a dar as cartas no meio-de-campo, abrindo a defesa santista graças à movimentação constante do trio formado pelo ala direito Vítor e pelos atacantes Iarley e Felipe. Aos 11, o goleiro Felipe conseguiu salvar o Peixe espalmando uma bomba de Iarley. Mas, aos 19, não teve jeito. Iarley recebeu na meia-lua e escorou para Vítor mandar a bomba de direita. Felipe se esticou todo, mas não conseguiu chegar perto.

Após o gol, o Goiás aumentou a pressão e chegou a acuar o Peixe, que se retraiu na esperança de encaixar algum contra-ataque. Como o Esmeraldino foi todo à frente, apareceram espaços para os visitantes trocarem passes quando conseguiam sair. Até que, aos 29, veio o empate. Paulo Henrique acertou um belo passe para Kléber Pereira, que entrou pela direita e chutou forte e rasteiro. A bola ainda bateu em Harley, mas acabou entrando.

Empatada a partida, o Peixe passou a mandar no meio-de-campo, envolvendo a marcação adversária. Faltou, porém, maior capricho no passe final.

Esmeraldino aperta e garante a vitória

O Goiás voltou para o segundo tempo com apetite, foi para cima, pressionou e conseguiu ficar em vantagem novamente, logo aos cinco minutos. Após cobrança de escanteio da direita, Fabão cortou e a bola sobrou para Felipe, que limpou a marcação e mandou a bomba de fora da área. Seu xará santista voou, mas novamente não chegou sequer perto: 2 a 1.

O esmeraldino seguia em cima. Como o Peixe saiu para tentar o empate, mais uma vez, sobravam espaços para o time da casa criar jogadas. Aos 12, Júlio César pegou a bola pela meia direita e tentou chutar colocado, de canhota. Acabou acertando a trave.

Aos poucos, o Peixe foi se soltando e equilibrou o jogo novamente. A partir dos 15 minutos, a equipe paulista passou a rondar mais a área adversária, principalmente em jogadas de bola parada, mas faltava concluir as jogadas: a zaga do Goiás conseguia sempre levar a melhor.

Aos 20 minutos, as duas esperadas estreias. Fernandão, do Goiás, e Emerson, do Santos, entraram em campo. Fernandão, em melhor forma, ajudou na armação de jogadas, mostrou mobilidade. Já Emerson, visivelmente fora de forma, tinha dificuldade até para dominar a bola. Logo após essas alterações, a equipe da casa retomou o controle do jogo e criou boas chances, mas o goleiro Felipe fazia boas defesas. Uma delas, aos 20, num chute de seu xará Felipe.

Aos 27, um lance engraçado e esquisito: o goleiro santista foi repor a bola numa jogada de tiro de meta e escorregou. A chuva em Goiânia era muito forte e tornava o gramado bastante escorregadio. Mesmo com o goleiro tocando a bola, o árbitro Heber Roberto Lopes determinou a repetição da cobrança.

O Goiás continuava mais perigoso e criava chances, mas Felipe seguia salvando o Santos. Aos 40, em mais um duelo de Felipes, o santista levou a melhor, espalmando um chute cruzado de esquerda. Graças a seu goleiro, o Peixe escapou de perder por um placar elástico.

Aos 41, o zagueiro João Paulo, do Goiás, fez falta em Madson e, como já tinha o amarelo, acabou expulso. Com jogador a mais, o Peixe apertou no fim, jogou várias bolas na área esmeraldina, mas não conseguiu empatar a partida.

agosto 24, 2009 Posted by | Goiás, Santos | , , , | Deixe um comentário

Flu só empata com o Barueri no Maracanã e permanece na lanterna

Tricolor das Laranjeiras joga mal e não consegue superar o time paulista mesmo com dois jogadores a mais no segundo tempo


Conca se esforça contra o Barueri, mas não evita o empate sem gols no Maracanã

Com uma atuação muito ruim, o Fluminense só empatou sem gols neste domingo com o Barueri, no Maracanã, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor das Laranjeiras foi dominado na maior parte da partida e só não foi derrotado porque Thiago Humberto estava em um dia infeliz. O camisa 10 do Barueri perdeu três chances claras de gol durante a partida.

O Barueri terminou a partida com menos dois jogadores. Os zagueiros André Luiz e Diego foram expulsos no segundo tempo. Mas mesmo assim, o Flu não conseguiu se organizar em campo e criar jogadas de ataque. Com apenas 16 pontos, o Tricolor termina a rodada na última colocação da tabela e seis pontos atrás do Coritiba, o primeiro time da fora da zona de rebaixamento.

Na zona de rebaixamento há 11 rodadas, o Fluminense está em uma situação bem delicada. Pelos matemáticos, o time precisa de dez triunfos nas 17 partidas restantes na competição para se livrar da Série B. O Tricolor, até agora, só venceu três vezes após 21 rodadas.

O técnico Renato Gaúcho começa a ser questionado. Ele só venceu uma partida em dez jogos no comando do Fluminense neste Brasileirão.

Na próxima rodada, o Fluminense vai até a Vila Belmiro enfrentar o Santos. A partida será no domingo, às 16h. Já o Barueri enfrenta o Corinthians, na quarta-feira, às 21h50m.

Primeiro tempo desastroso do Fluminense

Assista os lances da Partida:

O Fluminense entrou em campo no esquema 4-3-3, com Roni, Maicon e Kieza no ataque. Adeílson, que seria titular, sentiu uma lesão muscular pouco antes da partida. Mas apesar de a tática ser ofensiva, o que se via em campo era um time recuado, desorganizado, sem criar jogadas de ataque.

Eram muitos erros de passe. João Paulo estava perdido na esquerda. Ruy era perseguido pela torcida. E Fabinho e Diguinho não se entendiam no meio-campo. Até Dario Conca estava perdido. Logo, o Barueri começou a dominar a partida.

O primeiro chute veio aos cinco minutos. Bola fraca de Ralf que o goleiro Rafael defendeu sem problema, no meio do gol. Pouco depois, uma grande oportunidade. Márcio Careca tocou para Thiago Humberto, que entrou livre na área e chutou em cima do goleiro Rafael. O camisa 1 tricolor espalmou para escanteio e salvou o time de sofrer o primeiro gol.

O Fluminense não tinha saída de bola e deixava o técnico Renato Gaúcho desesperado. Ele chutava o vento, gesticulava, gritava com os jogadores. Mas nada adiantava. O Barueri mandava na partida. Val Baiano recebeu livre na entrada da área, mas chutou mal. Rafael defendeu. Aos 33, bola cruzada para a área tricolor. André Luiz apareceu livre para cabecear. Para a sorte de Rafael, ela passou por cima do travessão.

O Fluminense só chegou com perigo aos 35. Maicon avançou pela direita, entrou na área e chutou rasteiro. A bola foi para fora, com o goleiro Renê em cima do lance. Foi a única chance tricolor em todo o primeiro tempo.

Aos 43, um lance incrivel. Fabinho perdeu a bola no meio-campo e Thiago Humberto arrancou sozinho. Ele ficou na cara de Rafael e tinha Val Baiano livre do lado direito. Mas o meia preferiu chutar rasteiro. A bola foi para fora. Um gol inacreditável perdido pelo camisa 10 do Barueri. Após o lance, quase todos os jogadores do time paulista colocaram as mãos à cabeça sem acreditar. E as vaias e protestos dos torcedores tricolores vieram com o fim do primeiro tempo. Alguns mostravam para os jogadores notas de R$ 1 e R$ 10 na descida para o vestiário.

Mesmo com dois a mais em campo, Tricolor não consegue vencer

O Fluminense voltou sem alterações para o segundo tempo. E continuou muito mal. O cenário seguia sombrio como nos primeiros 45 minutos. O Barueri criava chances. Thiago Humberto chutou por cima do travessão. Val Baiano chegou tarde em um cruzamento.

A sorte tricolor é que Thiago Humberto estava em uma tarde muito infeliz. O meia tabelou com Val Baiano e entrou livre na área. Mas Rafael defendeu com os pés o chute do camisa 10. Logo depois, o meia recebeu outro passe de Val Baiano e da marca do pênalti bateu em cima de Luiz Alberto. Na sobra, o atacante do Barueri iria marcar o gol. Mas o chute bateu nas costas de Thiago Humberto e foi para fora. Impressionante o azar do camisa 10 do time paulista.

Renato Gaúcho resolveu então mudar. Tirou Roni e colocou Alan no time. De nada adiantou. O Barueri seguia dominando a partida. Mas para a sorte tricolor, o zagueiro Diego deu uma entrada maldosa em cima de Maicon e acabou expulso direto pelo árbitro.

Com um jogador a menos, o Fluminense partiu com tudo para cima. Mais na vontade do que com organização. Aos 34, Renê saiu mal do gol. Ruy conseguiu chegar primeiro na bola e tocar por cobertura. O goleiro se esticou todo e tocou na bola, que ainda bateu no travessão. Por muito pouco não saiu o gol tricolor.

O Barueri, porém, não estava entregue. Em um contra-ataque, Márcio Careca avançou bem pela esquerda e chutou da entrada da área. Rafael pulou no ângulo direito e espalmou para escanteio.

No final, o zagueiro André Luiz ainda foi expulso por falta dura em Maicon. Mas o Fluminense não conseguiu aproveitar a superioridade numérica. E o placar não saiu do 0 a 0 para o desespero dos torcedores.

agosto 24, 2009 Posted by | Fluminense, Grêmio Prudente | , , | Deixe um comentário

Wellington Paulista marca três vezes, e Cruzeiro bate o Náutico no Mineirão

Atacante demora apenas 15 segundos para abrir o placar e comanda vitória celeste, em jogo interrompido por falta de luz


Wellington Paulista comemora um de seus três gols na vitória do Cruzeiro

Com direito a um gol-relâmpago, o atacante Wellington Paulista marcou três vezes na vitória do Cruzeiro sobre o Náutico por 4 a 2, neste domingo, no Mineirão, em partida válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, e frustrou o sonho dos recifenses de deixar a zona de rebaixamento. A partida, que não contou com a presença do atacante cruzeirense Kleber, que tem uma pubalgia e também estaria envolvido em negociações com o Porto, teve a estreia do equatoriano Guérron e foi interrompida duas vezes por conta da queda de energia no estádio.

Com o resultado, a Raposa chegou à 12ª colocação, com 27 pontos. O Timbu segue em 17º, com 21.

O Cruzeiro enfrenta o Botafogo às 21h de quinta, no Engenhão, em partida adiada da 11ª rodada. No sábado, o Náutico recebe o Atlético-PR nos Aflitos, às 18h30m.

Primeira etapa repleta de gols

Assista os Golls da Partida:

O Cruzeiro saiu na frente com apenas 15 segundos de bola rolando. Gilberto recebeu pela direita, foi à linha de fundo, se livrou do zagueiro e fez o cruzamento para o cabeceio certeiro de Wellington Paulista, que se antecipou a Asprilla e abriu o placar, marcando o gol mais rápido desta edição do Brasileirão. A Raposa esteve perto de ampliar aos cinco minutos. Diego Renan roubou a bola no meio-campo, rolou para Fabrício, que foi à linha de fundo e cruzou para Thiago Ribeiro, mas o atacante chutou em cima do goleiro Gledson.

No contra-ataque, Gilmar invadiu a área pela esquerda e foi derrubado por Gil, aos seis. O árbitro assinalou pênalti e, na cobrança, o próprio atacante mandou no canto esquerdo de Fábio e empatou.

Apesar da igualdade no placar, o time mineiro era visivelmente superior em campo. Aos 12, Gilberto cobrou falta da entrada da área e obrigou o goleiro alvirrubro a fazer boa defesa. O segundo gol cruzeirense veio aos 29, e foi um golaço. De fora da área, Fabrício mandou uma bomba no ângulo direito de Gledson e ampliou.

O Náutico poderia ter empatado na sequência, com Carlinhos Bala. Mas o atacante alvirrubro desperdiçou chance incrível dentro da área, aos 30

Se aproveitando bem dos espaços, a equipe celeste insistia no ataque. Aos 34, Henrique tentou driblar Vagner dentro da área e sofreu o pênalti. Wellington Paulista cobrou alto, no meio do gol, e marcou o terceiro. Thiago Ribeiro ainda desperdiçou a chance de marcar o quarto, aos 43. O atacante recebeu na frente e chutou cruzado da entrada da área, mas a bola saiu à direita da meta recifense.

Luz apagada e queda de ritmo

Quando os jogadores das duas equipes já estavam de volta ao gramado para a segunda etapa, uma queda de energia retardou o reinício do jogo. Foram necessários cerca de 30 minutos para que houvesse iluminação suficiente para o prosseguimento da partida. O técnico Geninho foi o único a mexer em sua equipe no intervalo e pôs o uruguaio Acosta no lugar de Juliano.

Mas se o primeiro tempo foi repleto de gols desde o início, na metade final os lances de ataque foram mais raros.

Aos 13, Jancarlos fez boa jogada individual pela direita e cruzou rasteiro, mas a bola atravessou a área e passou por Thiago Ribeiro, que não conseguiu desviar para o gol. O técnico Adilson Batista já passava orientações para o equatoriano Guerrón quando as luzes do Mineirão voltaram a se apagar, aos 15. A partida foi retomada dez minutos depois, e o atacante equatoriano pôde, enfim, fazer sua estreia pelo Cruzeiro.

Um lance curioso aconteceu aos 38, quando o alvirrubro Anderson Santana deu um lençol em Marquinhos Paraná e emendou com o “drible da foquinha”, que ficou famoso justamente com o ex-cruzeirense Kerlon.

O ritmo da partida caiu vertiginosamente na etapa final, e o estreante Guerrón aproveitou para mostrar serviço. Aos 49, o equatoriano cruzou da direita para Wellington Paulista, de cabeça, marcar mais um. Aos 53, em sua única chance de marcar no segundo tempo, o Náutico descontou, com Carlinhos Bala, que recebeu na área e estufou as redes.

agosto 24, 2009 Posted by | Cruzeiro, Náutico | , , , , | Deixe um comentário

Avaí bate fácil o desmantelado Flamengo e entra no G-4

Equipe catarinense está há 11 partidas sem perder. Rubro-Negro começa a se preocupar com a zona de rebaixamento


Jogadores do Avaí comemoram gol sobre o Fla

O Avaí provou mais uma vez que não é apenas um “fogo de palha”. Neste domingo, a equipe catarinense venceu com facilidade o Flamengo por 3 a 0 e agora está há 11 rodadas sem perder. Com 34 pontos, o time consegue entrar no grupo dos classificados para a Libertadores de 2010 (quarto lugar). Luis Ricardo, Léo Gago e Fabinho Capixaba fizeram os gols.

Com a mais uma derrota, a terceira seguida,o Rubro-Negro permanece com 27 pontos e caiu para a 14ª posição do Campeonato Brasileiro. A equipe carioca mais uma vez sofreu muito com o desentrosamento causado pela grande quantidade de desfalques (nove para este jogo). O novo fracasso deixa o Fla com o alerta mais ligado do que nunca, já que a zona de rebaixamento começa a ficar muito próxima.

Na próxima rodada, sábado, às 18h30m, o Avaí vai até Curitiba enfrentar o Coritiba. No mesmo dia e no mesmo horário, o Flamengo recebe o Santo André no Maracanã.

Fla não é páreo para o Avaí

Assista os Golls da Partida:

Cheio de confiança com a boa fase que vive, o Avaí mostrou que estava disposto a dominar a partida desde o início. Logo aos quatro minutos, a desentrosada e mau posicionada defesa do Flamengo aprontou a primeira. Wellinton e Bruno não se entenderam na hora de cortar uma bola cabeceada por Marquinhos e quase entregaram o gol para o o atacante William. Mas os catarinenses não demorariam a abrir o placar. Aos sete minutos, o Avaí bateu curto o escanteio e o Fla ficou só olhando. Muriqui cruzou rasteiro e Luis Ricardo desviou para o fundo da rede: 1 a 0.

Atrás no placar, o Rubro-Negro conseguiu uma ótima chance de igualar o marcador aos 11 minutos. Zé Roberto cruzou da esquerda e a bola sobrou para Adriano na segunda trave. O Imperador, no entanto, se enrolou na hora do domínio e perdeu a oportunidade. Um minuto depois, mais um problema de lesão para o técnico Andrade: Everton Silva machucou a coxa esquerda e foi substituído pelo jovem Rafael Galhardo.

Quando tentava equilibrar o jogo, o Flamengo levou outro duro golpe. Aos 30 minutos, Léo Gago, sem marcação, arriscou de longe e se deu bem. A bola desviou no meio do caminho em Everton e matou o goleiro Bruno: 2 a 0. Quando a fase é ruim…

Cansado de errar passes, o Fla quase viu o Avaí ampliar aos 45 minutos. Luis Ricardo penetrou na área como quis e chutou de perna esquerda, mas Bruno conseguiu fazer a defesa.

Avaí tira o pé do acelerador. Mas amplia

Na volta do intervalo, o técnico Andrade tirou Rômulo e colocou Camacho para tentar organizar o meio de campo. E, apesar de mais atrás por causa da vantagem feita no primeiro tempo, foi o Avaí que teve uma ótima chance de fazer o terceiro. Aos sete, o ex-rubro-negro Eltinho desceu pela esquerda e cruzou na medida para Luis Ricardo. Ele desviou de primeira e a bola passou rente à trave de Bruno. Aos 11, o Fla conseguiu uma rara boa trama de ataque. Everton cruzou para Denis Marques, que, de cabeça, mandou para trás. Wellinton mandou uma bomba da entrada da área e a bola passou raspando o travessão.

Aos 17, o Rubro-Negro assustou em uma falta na entrada da área sofrida por Denis Marques. Rafael Galhardo cobrou com categoria, mas o goleiro Eduardo Martini voou e fez boa defesa. Para piorar a situação do time e do técnico Andrade, o volante Willians foi expulso aos 25 minutos.

Apesar de acomodado e só esperando o tempo passar, o Avaí conseguiu matar o jogo aos 32 minutos. Muriqui achou Fabinho Capixaba sozinho na direita. O lateral, de frente para o goleiro Bruno, teve tempo de dominar e equilibrar antes de fuzilar o camisa 1 do Flamengo: 3 a 0.

Os visitantes ainda tentaram até o fim diminuir o prejuízo mas, desorganizados, não conseguiram ameaçar o adversário. Antes de o apito final, Adriano levou o seu terceiro cartão amarelo e não vai enfrentar o Santo André na próxima rodada.

agosto 24, 2009 Posted by | Avaí, Flamengo | , , | Deixe um comentário

Com gol de mão e pênalti inexistente, Timão e Bota empatam no Pacaembu

Árbitro Arilson Bispo da Anunciação erra muito, e times ficam no 3 a 3. Corinthians cai na tabela e cariocas seguem no sufoco


Jorge Henrique, do Corinthians, e Fahel, do Botafogo, disputam lance no Pacaembu

No jogo mais polêmico da edição 2009 do Campeonato Brasileiro, Corinthians e Botafogo empataram por 3 a 3, neste domingo, no Pacaembu. O duelo ficou marcado pelos erros do árbitro Arilson Bispo da Anunciação, que validou um gol de mão de André Lima e marcou um pênalti inexistente em Jorge Henrique. O placar interrompeu a arrancada paulista e fez os cariocas permanecerem na zona de rebaixamento.

Com o resultado, o Corinthians se afasta da briga pelos primeiros lugares. O Timão está agora na sétima colocação, com 32 pontos, nove a menos que o líder Palmeiras. Já o Bota segue bastante ameaçado pela degola, em 18º lugar, com apenas 21 pontos – a equipe, porém, tem uma partida a menos, contra o Cruzeiro, que será disputada na próxima quinta-feira.

Na próxima rodada, o Corinthians enfrenta o Barueri, quarta-feira, às 21h50m, na Arena, na Grande São Paulo. O Botafogo recebe o Grêmio, apenas no domingo, às 18h30m, no Engenhão, no Rio de Janeiro.

Times perdem chances, mas Dentinho marca de pênalti

Assista os Golls da Partida:

Embalado pelas duas vitórias consecutivas, o Corinthians começou a partida tentando tirar proveito do momento ruim vivido pelo Botafogo. Com os cariocas formando duas linhas de quatro jogadores em seu campo, Mano Menezes apostou na agilidade de seu ataque para furar o bloqueio e incomodar o goleiro uruguaio Castillo.

Logo aos nove minutos, Marcinho, mais ofensivo do que nos outros jogos, fez o cruzamento pela esquerda, Henrique se antecipou a um adversário e cabeceou rente ao canto direito. No lance seguinte, Jorge Henrique arrancou da intermediária, passou pela defesa, mas, na saída do goleiro, bateu para fora. Seria um golaço!

Depois da pressão inicial, o Botafogo conseguiu reagir. Lucio Flavio se aproximou dos atacantes e aumentou o poder ofensivo diante de uma defesa totalmente reserva. Aos 11, foi a vez do zagueiro Juninho quase marcar em seu lance característico. Ele cobrou falta pela esquerda, a bola tocou no gramado e raspou a trave direita de Julio Cesar.

O lance animou o Bota. Aos 17, mais uma boa chance. Lucio Flavio fez ótimo passe, André Lima entrou por trás da zaga na área e chutou forte para o goleiro corintiano defender. Dois minutos depois, o mesmo centroavante pegou rebote na entrada da área e disparou uma bomba. Julio pegou no canto direito.

Com o avanço carioca, o Corinthians ganhou espaço para jogar nos contra-ataques. Jorge Henrique, aos 26, avançou em velocidade e cruzou. Leandro Guerreiro afastou mal, Dentinho pegou o rebote na área, mas bateu por cima, para desespero da torcida. Em seguida, aos 26, o Botafogo reclamou de um pênalti. Alessandro desviou de cabeça para a área, Moradei subiu para cortar e trombou com Victor Simões. O árbitro ignorou.

Antes do encerramento do primeiro tempo, o Corinthians conseguiu abrir o placar em uma penalidade, aos 42. Dentinho arrancou pela esquerda, driblou Wellington e foi derrubado na área por Léo Silva. O próprio atacante bateu e colocou o Timão em vantagem.

Segundo tempo com gol de mão, pênalti duvidoso e muita polêmica

Na volta do intervalo, Estevam Soares trouxe o Botafogo para o ataque com a entrada de Reinaldo no lugar de Léo Silva. A mudança deu resultado logo a um minuto. Lucio Flavio cobrou escanteio, o atacante subiu mais que os zagueiros e cabeceou sem chances para Julio Cesar, empatando o jogo.

O Corinthians, porém, respondeu imediatamente. Aos seis minutos, o árbitro marcou falta que não aconteceu em Jucilei. Marcinho cobrou com perfeição e acertou o canto esquerdo. Castillo sequer foi para a bola. Foi o primeiro gol do jogador com a camisa do Timão.

A animação da Fiel nas arquibancadas acabou aos 14 minutos com o empate carioca. Após cruzamento da direita, André Lima, que já vinha sendo puxado pela camisa, se antecipou ao goleiro Julio Cesar e desviou com a mão esquerda para as redes. Os jogadores do Corinthians reclamaram, mas o árbitro Arilson Bispo da Anunciação e o auxiliar Luiz Carlos Silva Teixeira confirmaram o gol.

A confusão, contudo, estava longe de acabar. Aos 24, mais um pênalti. Só o juiz viu um empurrão de Thiaguinho em Jorge Henrique na área. Souza, que acabara de entrar, pegou a bola para bater, mas Dentinho assumiu a responsabilidade novamente. Ele bateu, Castillo defendeu, mas o atacante aproveitou o rebote para fazer 3 a 2. Os jogadores do Botafogo reclamaram de uma irregularidade. O lance, no entanto, foi validado.

O Botafogo mostrou força para chegar ao empate mais uma vez. Lucio Flavio cobrou falta com perfeição, aos 34, e acertou o ângulo esquerdo, marcando um golaço. Nos minutos finais, os times ainda tentaram o quarto gol, mas o desgaste físico impediu.

agosto 24, 2009 Posted by | Botafogo, Corinthians | , , , , | Deixe um comentário

Aos gritos de ‘O Leão voltou!’, Sport vence o Vitória

Após seis derrotas consecutivas, pernambucanos dão o primeiro passo para deixar a degola


Jogadores do Sport comemoram o retorno da vitória

Jogadores do Sport comemoram o retorno da vitória

Já eram seis derrotas consecutivas. Mas os gritos de “O Leão voltou!” após o triunfo por 2 a 0 em cima do Vitória, neste sábado, na Ilha do Retiro, mostraram que os pernambucanos deram o primeiro passo para deixar a zona de rebaixamento do Brasileirão.

Mesmo jogando fora de casa, o Vitória começou a partida indo para cima do Sport. Rapidamente, Leandro Domingues achou Apodi, que disparou pela direita. Antes da linha de fundo, tocou para trás, mas Roger não caprichou no chute e a bola saiu pelo lado esquerdo.

Substituto de Viafara, o goleiro Gléguer vinha sendo elogiado por ótimas atuações. No entanto, falhou no gol do Sport. Em cobrança de falta, Andrade colocou a bola no cantinho direito e viu Gléguer aceitar o chute.

O segundo gol não saiu por muito pouco. O Sport encontrou liberdade pelo lado direito do time baiano e desceu com Dutra. O cruzamento foi na medida, mas Arce, que nem precisou sair do chão para cabecear e só tinha Gléguer à frente, não teve força para tocar a bola para dentro.

Assista os Golls da Partida:


O Vitória não ameaçou após o lance com Roger no início do jogo. Mas quase aproveitou os erros de Igor e Élder Granja, que perderam a bola na defesa na saída para o ataque, para marcar.

Mas o time da casa não demorou muito para ampliar a vantagem e retomar o domínio da partida. Dutra cobrou falta pela direita e Fabiano, livre, subiu para cabecear de costas e vencer o goleiro Gléguer: 2 a 0.

Na arquibancada, os gritos de “O Leão voltou!”, inspirado na torcida do São Paulo, que canta “O campeão voltou!”, ecoaram. Era o alívio pelo seis jogos consecutivos sem vitória neste Campeonato Brasileiro.

A jogada de maior perigo do segundo tempo aconteceu com Neto Berola, que reclamou de pênalti do goleiro Magrão. Na jogada, o atacante sairia para o gol aberto, mas parou nas mãos do camisa 1.

As alterações de Mancini não fizeram o Vitória reagirNem Berola nem Roger conseguiram desequilibrar a partida. E o time baiano viu o Sport criando oportunidade para ampliar a vantagem. Mas o placar não mudou.

FICHA TÉCNICA:

SPORT 2 X 0 VITÓRIA

Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data/Hora: 22/8/09 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Arnaldo Rodrigues de Souza (CE)
Renda/Público: R$ 67.960 – 17.064 pagantes
Cartões amarelos: Adriano, Leandro, Ramon, Wallace, Leandro Domingues, Magal (VIT); Arce, Élder Granja, Vandinho, Durval (SPT)

GOLS: Andrade (14’/1T), Fabiano (31’/1T)

SPORT: Magrão, Élder Granja (Juliano, 28’/2T), Igor, Durval, Dutra; Hamilton, Andrade, Fabiano (Sandro Goiano, 22’/2T), Luciano Henrique; Wilson e Arce (Vandinho, 17’/2T). Técnico: Péricles Chamusca.

VITÓRIA: Gléguer, Apodi, Anderson Martins, Wallace, Leandro; Vanderson, Jackson (Ramon, intervalo), Magal, Leandro Domingues; Roger (Leandrão, 24’/2T) e Adriano (Neto Berola, intervalo). Técnico: Vagner Mancini

agosto 24, 2009 Posted by | Sport, Vitória | , , | Deixe um comentário

Santo André administra vantagem e vence o Coritiba

Ramalhão passou a maior parte do confronto com um jogador a mais em campo


Nunes marcou o único gol da partida

Nunes marcou o único gol da partida

O Santo André soube administrar a vantagem de estar com um a mais em campo ao vencer o Coritiba por 1 a 0, neste sábado, no Bruno José Daniel, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Logo aos nove minutos, Carlinhos Paraíba deixou o gramado sentindo dores na virilha e foi substituído por Rodrigo Pontes. O volante do Coritiba foi expulso logo depois, ao receber dois cartões amarelos em menos de três minutos. Dessa forma, o Coxa ficou com dez jogadores em campo desde os 19 minutos do primeiro tempo e a opção foi se fechar e tentar se defender do constante avanço do Santo André.

Com a vantagem númerica, o Ramalhão buscava a todo custo o gol. O primeiro lance de maior perigo foi com Arthur, que deu um chutão de fora da área. Em escanteio cobrado para o Santo André e depois de um bate e rebate na área, Nunes subiu mais que todo mundo e cabeceou para abrir o placar para o time da casa. Mesmo na frente, o Ramalhão não se acomodou e continuou tentando ampliar, ainda no primeiro tempo.

– Demorou para eu fazer o gol, o Coritiba estava muito fechado. O goleiro estava muito bem posicionado, mas consegui subir e marcar – afirmou Nunes.

Assista o Goll da Partida:


Na volta do intervalo, Ney Franco colocou Renatinho no lugar de Guaru, a fim de dar um nova cara ao Coritiba e sair do domínio do Santo André do primeiro tempo. Marcelinho Paraíba tentava resolver sozinho para o Coxa, com chutes de fora da área, mas sem sucesso. O Ramalhão chegava mais ao ataque, porém, não conseguia ser objetivo nas finalizações e deixava passar chances de liquidar logo a partida. O Coritiba ainda cresceu no final ao pressionar o Santo André, mas não conseguiu inverter a desvantagem.

Assim, o Santo André respira no Brasileirão, vai a 24 pontos e se afasta um pouco da zona de rebaixamento. Já o Coritiba se complica e pode terminar a rodada na zona da degola, caso Náutico ou Botafogo vençam seus jogos neste domingo.

SANTO ANDRÉ 1 X 0 CORITIBA

Estádio: Bruno José Daniel, Santo André (SP)
Data/hora: 22/08/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Ricardo M. F. de Almeida (RJ)
Renda/público: R$ 18.444,00/1.245 pagantes

Cartões amarelos: Rodrigo Pontes (CBA), Rômulo (STA), Ricardo Conceição (STA), Marcos Aurélio (CBA), Pablo Escobar (STA), Jaílton (CBA), Fernando (STA), Cris (STA),
Cartões Vermelhos: Rodrigo Pontes

GOL: Nunes (1-0)

SANTO ANDRÉ: Neneca, Cicinho (Pablo Escobar 5’/2ºT), Cris, Cesinha e Arthur; Fernando (Elvis 15’/2ºT), Ricardo Conceição, Sidney; Júnior Dutra (Maciel 46’2ºT), Rômulo e Nunes. Técnico: Alexandre Gallo.

CORITIBA: Edson Bastos, Márcio Gabriel, Jeci, Felipe e Guaru (Renatinho – intervalo); Jaílton, Pedro Ken e Carlinhos Paraíba (Rodrigo Pontes 11’/1ºT); Marcelinho Paraíba, Thiago Gentil (Hugo 20’/2ºT) e Marcos Aurélio. Técnico: Ney Franco.

agosto 24, 2009 Posted by | Coritiba, Santo André | , | Deixe um comentário

Palmeiras vence Inter e se garante na liderança

Verdão sofre no fim da partida, mas volta a vencer depois de quatro jogos; Colorado fica mais distante


Obina comemora o primeiro gol do Palmeiras

Obina comemora o primeiro gol do Palmeiras

Em noite de estreia no Parque Antarctica, o Palmeiras voltou a alegrar o seu torcedor. De camisas azuis, em homenagem ao Palestra Itália, o Verdão retornou ao caminho das vitória após quatro jogos sem vencer. E para melhorar, o triunfo por 2 a 1 foi sobre o Internacional, rival direto na briga pelo título Brasileiro.

Com o resultado, o Alviverde (azulado) chega aos 40 pontos garante mais uma rodada na ponta do campeonato. Para melhorar a situação o time abriu sete de vantagem sobre o Colorado, que ainda tem dois jogos a menos. Recuperado da má fase, o Palmeiras agora se prepara para o clássico contra o São Paulo.

Logo no começo da partida o Verdão sofreu uma baixa importante. Cleiton Xavier, um dos principais jogadores da equipe, sentiu uma torção no tornozelo, após tentar uma finalização. Com menos de 15 minutos de partida Muricy Ramalho, que desta vez escalou o time no clássico 4-4-2, já precisou usar o banco de reservas. O escolhido foi o jovem Deyvid Sacconi.

Assista os Golls da Partida:


O jogo era bastante disputado no meio-de-campo, as duas equipes faziam uma forte marcação. O Colorado teve mais posse de bola na primeira etapa, mas não reverteu isso em chances de gol. Marcos não precisou fazer nenhuma defesa, o lance mais perigoso saiu em cobrança de falta de Andrezinho que passou perto.

Já o Palmeiras, quando tinha a bola, jogou sempre ofensivamente e buscanco o gol. Até os 30 minutos, o placar dos chutes a gol estava 11 a 0 para os donos da casa. De tanto insistir, o Verdão foi recompensado. Aos 38, Diego Souza invadiu a área e foi derrubado por Danny Moraes. Obina bateu no canto direito de Lauro, que pulou para o lado esquerdo: 1 a 0 no Palestra Itália.

Se no começo do primeiro tempo, a torcida palmeirense teve motivos para se preocupar, na segunda etapa foi diferente. Logo aos 2 minutos, o Verdão ampliou a vantagem no jogo com Ortigoza. Diego Souza fez fila fora da área e bateu. A bola explodiu na zaga e sobrou limpa para o paraguaio, na cara do gol, fazer o segundo. Festa para os mais de 22 mil torcedores que foram ao Palestra.

O gol do Verdão fez com que o Internacional partisse para cima. O Palmeiras se encolheu e começou a explorar os contra-ataques. Os gaúchos começaram a exercer uma forte pressão na defesa alviverde, com muitas bolas aéreas e chutes de fora da área. Aos 18, Andrezinho soltou uma bomba que parou no travessão de Marcos.

A (pequena) pressão do Inter só foi dar resultado aos 40 minutos. Giuliano fez grande jogada e bateu de fora da área para marcar um golaço. A bola entrou no ângulo de Marcos, que nada pôde fazer. O fim de jogo foi dramático e Alecssandro quase empatou aos 47. Mas a noite era palmeirense e os três pontos também.

Na próxima rodada as duas equipes vão ter mais confrontos diretos pela ponta do Brasileirão. o Palmeiras tem o clássico contra o embalado São Paulo, no Morumbi, e o Internacional recebe, no Beira-Rio, o Goiás.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 2 X 1 INTERNACIONAL

Estádio: Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data/hora: 22/08/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Eremilson Xavier Macedo (DF) e João Antônio Paulo Neto (DF)
Renda/público: R$ 734.836,24 / 22.101 pagantes
Cartões amarelos: Diego Souza, Deyvid Sacconi, Armero (PAL); Guiñazú, Danny Moraes, Sandro, Giuliano (INT)
GOLS: Obina, 38’/1ºT (1-0); Ortigoza, 2’/2ºT (2-0); Giuliano, 41’/2ºT (2-1)

PALMEIRAS: Marcos; Wendell, Maurício, Danilo e Armero; Edmílson (Jumar, 36’/2ºT), Souza, Cleiton Xavier (Deyvid Sacconi, 11’/2ºT, depois Sandro Silva, 42’/2ºT) e Diego Souza; Ortigoza e Obina. Técnico: Muricy Ramalho.

INTERNACIONAL: Lauro; Danilo, Sorondo, Danny Morais e Kleber; Sandro, Guiñazú, Giuliano e Andrezinho (Wagner Libano, 30’/2ºT); Alecsandro e Taison (Bolaños, 30’/2ºT). Técnico: Tite.

agosto 24, 2009 Posted by | Internacional, Palmeiras | | Deixe um comentário

Vasco completa festa com vitória no Maraca

Público recorde celebra liderança da Série B após 4 a 0 sobre o Ipatinga na última rodada do primeiro turno


Carlos Alberto deixou sua marca para o Vasco contra o Ipatinga (Foto: Julio Cesar Guimarães)

Carlos Alberto deixou sua marca para o Vasco contra o Ipatinga

Nada menos que 16 rodadas depois, o Vasco finalmente retomou a liderança da Série B. Diante de 79.636 pessoas (76.211 pagantes) que lotaram o Maracanã e quebraram o recorde de todas as divisões do Campeonato Brasileiro, o Gigante da Colina venceu o Ipatinga por 4 a 0, neste sábado, e fechou com chave de ouro a semana de comemoração do seu aniversário de 111 anos. Os gols da partida foram marcados por Alex Teixeira (duas vezes), Carlos Alberto e Elton.

Com o resultado, o Vasco chegou aos 39 pontos e abriu três de vantagem em relação ao Atlético Goianiense, segundo colocado. De quebra, alcançou na última rodada o título simbólico de campeão do primeiro turno. De acordo com a matemática do técnico Dorival Júnior, faltam agora 25 pontos para que o time de São Januário garante a classificação para a Série A. Já o Ipatinga, com 24 pontos, permaneceu no 12º lugar.

Assista os melhores momentos:


A partida começou em ritmo cadenciado. O Vasco buscou as jogadas de ataque pelos lados do campo, especialmente com Ramon, muito participativo. Foi dele o cruzamento para Alex Teixeira, aos 11 minutos. O camisa 7 foi inteligente, se adiantou à defesa e marcou de cabeça o primeiro dele no Maracanã este ano: Vasco 1 a 0 e explosão de alegria na arquibancada do Maracanã.

Enrico e Carlos Alberto deram bom ritmo ao meio-de-campo vascaíno, mas alguns erros de passes deixaram o jogo um pouco truncado. O Ipatinga aproveitou a queda de rendimento e chegou a ameaçar o Vasco em duas oportunidades. Diego Silva e Thiago Matias, ambos de cabeça, desperdiçaram boas chances de empatarem a partida.

Quando menos se esperava, o Cruzmaltino alcançou o segundo gol. Aos 47 minutos, Enrico descolou ótimo lançamento para Alex Teixeira, que entrou na área e deixou Carlos Alberto totalmente livre para escorar a bola para o fundo da rede: Vasco 2 a 0.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo do primeiro. Até que o Ipatinga chegou a dar a impressão de que obrigaria o Vasco a apertar o passo no Maracanã. Entretanto, a sensação não durou muito tempo. Rapidamente, o time da casa começou a tocar a bola e contou com a ajuda da fraca defesa do adversário. Após cobrança de escanteio, Elton foi puxado na área por Alessandro Lopes. Aos 11 minutos, o atacante cobrou pênalti com categoria e chegou aos oito gols na competição: Vasco 3 a 0.

Depois disso, o show na arquibancada se tornou mais interessante que a partida no gramado, disputada quase em ritmo de treino. Aos gritos de “O recorde é nosso!”, vascaínos lançavam o desafio aos rubro-negros, superados com a festa deste sábado. Ainda houve tempo para o quarto gol. Aos 43 minutos, Alex Teixeira aproveitou o contra-ataque, driblou o zagueiro e bateu cruzado. Fim de festa com direito a show.

FICHA TÉCNICA:

VASCO 4 X 0 IPATINGA

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 21/8/2009 – 16h10 (horário de Brasília)
Árbitro: João Alberto Gomes Duarte (RN)
Auxiliares: Luiz Carlos Camara Bezerra (RN) e José Ricardo Maciel Linhares (ES)
Renda/público: R$ 1.485.275,00 / 76.211 pagantes e 79.636 presentes
Cartões amarelos: Aloísio (VAS); Lucas, Alessandro Lopes e Max (IPA).

GOLS: Alex Teixeira, 11’/1ºT (1-0); Carlos Alberto, 47’/1ºT (2-0); Elton, 11’/2ºT (3-0); Alex Teixeira, 43’/2ºT (4-0)

VASCO: Fernando Prass, Paulo Sérgio (Fagner – 35’/2ºT), Vilson, Gian e Ramon; Mateus, Souza, Enrico e Alex Teixeira; Carlos Alberto (Adriano – 24’/2ºT) e Elton (Aloísio – 14’/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.

IPATINGA: Fred, Alex Silva, Thiago Matias, Max e Marinho Donizete; Alessandro Lopes (Leandro – 12’/2ºT), Lucas (Luiz Fernando – 35’/2ºT), Max Carrasco e Marcelo Moscatelli; Marcelo Ramos e Diego Silva (Márcio Diogo – 24’/2ºT). Técnico: Émerson Ávila.

agosto 24, 2009 Posted by | Vasco da Gama | , , , , , , , | Deixe um comentário