Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Aranha assusta o Flu e Galo vence no Mineirão

Goleiro tem noite inspirada e segura o 2 a 1 para o Atlético Mineiro

Diego Tardelli marcou o segundo gol para o Galo

Diego Tardelli marcou o segundo gol para o Galo

Se muitos aindam duvidam que o Atlético Mineiro tem potencial para ser líder, ao menos sorte de campeão alguns já estão começando a perceber que o time de Celso Roth tem. Com Serginho fazendo gol após desvio da bola na zaga tricolor, Diego Tardelli marcando meio sem jeito, e um Aranha operando milagres, o Galo bateu o Fluminense por 2 a 1 e manteve a liderança no Campeonato Brasileiro. Ao Fluminense, apesar da bravura, restou o desespero de continuar na penúltima colocação.

PRIMEIRO TEMPO

O jogo começou muito corrido. Embalado pela torcida, que lotava o Mineirão, o Atlético Mineiro buscava o ataque mas esbarrava num forte bloqueio armado pelo técnico Renato Gaúcho. O Fluminense do novo comandante se mostrava mais bem postado e organizado na saída de bola.

Ambas as defesas pareciam nervosas e complicavam bolas aparentemente fáceis, porém, tanto Diego Tardelli, pelo Galo, quanto Fred, pelo Tricolor, estavam pouco inspirados e não criavam chances.

Em suma, as melhores oportunidades no primeiro tempo foram do Atlético Mineiro, entretanto, Fernando Henrique, inspirado, ajudou o Tricolor com suas defesas com os pés. No geral, o 0 a 0 da etapa inicial acabou justo.

SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa teve início com o Fluminense sufocando o Atlético Mineiro. Não fosse o goleiro Aranha, em noite inspiradíssima, o Tricolor poderia ter aberto o marcador.

O Galo parecia perdido. Sem ímpeto ofensivo, o time tinha dificuldade na saída de bola. Porém, quando a fase é boa, tudo sopra à favor. Após cruzamento da esquerda que desviou na zaga, Serginho desviou de cabeça e a equipe mineira abriu o placar.

Um pouco depois, também após cruzamento da esquerda (onde Luiz Alberto falhou), Diego Tardelli escorou para o fundo da rede e marcou seu oitavo gol no Campeonato Brasileiro.

No fim, Kieza descontou para o Fluminense após passe de um Tartá completamente impedido. Entretanto, apesar de mostrar muita luta, o Tricolor não conseguiu chegar ao empate graças a um iluminado Aranha.


ATLÉTICO MINEIRO 2 X 1 FLUMINENSE

Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 23/7/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)
Renda/público: Não divulgado.
Cartões amarelos: Diego Tardelli, Welton Felipe, Evandro (ATL); Wellington Monteiro, Conca, João Paulo, Ruy (FLU)
Cartões vermelhos: Não houve.
GOLS: Serginho, 14’/2ºT (1-0); Diego Tardelli, 20’/2ºT (2-0); Kieza, 34’/2ºT (2-1).


ATLÉTICO MINEIRO: Aranha, Márcio Araújo, Welton Felipe, Alex Bruno e Thiago Feltri (Wellington Saci, 31’/2ºT); Jonílson, Renan, Serginho e Júnior (Evandro, 31’/2ºT); Diego Tardelli e Éder Luís. Técnico: Celso Roth.

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Edcarlos, Cássio (Maicon, 25’/2ºT) e Luiz Alberto; Ruy, Wellington Monteiro, Diguinho (Marquinho, 37’/2ºT), Tartá, Conca e João Paulo; Fred (Kieza, 11/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

julho 23, 2009 Posted by | Atlético-MG, Fluminense | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Corinthians bate o Vitória e entra no G4

Em meio ao desmanche, Timão confirma a boa fase

O atacante Dentinho homenageou seu amigo Lulinha, que deixou o Corinthians (Foto: Ari Ferreira)

O atacante Dentinho homenageou seu amigo Lulinha, que deixou o Corinthians (Foto: Ari Ferreira)

Bruno Arraes

Corinthians e Vitória entraram em campo nesta quinta-feira, no Pacaembu, com o mesmo objetivo: conquistar a vitória para voltar ao G4 do Brasileirão. E quem se deu melhor foi o Timão, que venceu a equipe baiana por 2 a 1, com gols de Dentinho e Jucilei, e fez a festa dos mais de 20 mil corintianos que foram ver uma equipe diferente dos últimos jogos.

O Timão entrou em campo pela primeira vez sem os titulares André Santos e Cristian, negociados com o Fenerbahçe, da Turquia. Em seus lugares foram escalados Diego e Jucilei, respectivamente. Jorge Henrique, fortemente gripado, ficou no banco apenas como opção no segundo tempo. Morais foi o seu substituto.

O Vitória, que iniciou a partida com 21 pontos, almejava encostar nos líderes do campeonato e, para isso, o técnico Paulo César Carpegiani mandou a equipe a campo com a mesma formação que goleou o Santos por 6 a 2, no Barradão, em jogo válido pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.

O Corinthians começou melhor na partida, ganhou o meio-de-campo e o Vitória não conseguia sair da marcação. Por isso, a primeira boa chance no jogo foi do volante Elias. Após bela troca de passes entre ele, Dentinho e Ronaldo, o camisa 7 arriscou o chute de fora da área, mas o goleiro Viáfara, bem posicionado, fez bela defesa. Em seguida foi a vez de Dentinho, também em chute de fora da área, testar o goleiro da equipe baiana, que respondeu com outra boa defesa.

Aos 15 minutos, Ronaldo proporcionou o lance mais inusitado da noite no Pacaembu. Ao correr em direção a bola para a cobrança de uma falta, o Fenômeno escorregou e a bola saiu para o lado. A defesa do Vitória ligou o contra-ataque rapidamente e Roger chutou no canto, mas o goleiro Felipe se esticou para fazer boa defesa e salvar a pele do camisa 9 corintiano.

Mas como um rei nunca perde a majestade, o Fenômeno logo se redimiu e após cortar o zagueiro baiano deu belo passe para Dentinho. O camisa 31 dominou, dentro da área, e sem deixar a bola cair acertou um belo chute, sem chance para o goleiro Viáfara. Na comemoração, o atacante homenageou o ex-companheiro Lulinha, que nesta quinta-feira deixou a equipe do Corinthians rumo a Portugal.

O Vitória não sentiu o golpe e continuou fazendo o que foi proposto. Esperar o Corinthians no campo de defesa e sair rapidamente no contra-ataque. E desta forma ameaçou o Timão. De tanto ameaçar, aos 28 minutos, em cobrança de falta ensaiada, a equipe baiana quase chegou ao gol de empate. O meia William rolou na entrada da área e Leandro Domingues chutou forte para o gol obrigando Felipe a fazer defesa sensacional.

Em seguida, o Corinthians executou bela troca de passes e a bola sobrou no pé de Douglas. O camisa 10, que pode ter feito seu último jogo com a camisa do Timão, deu um belíssimo passe para o zagueiro Jean.

O Vitória novamente não sentiu o gol corintiano e seguiu atacando com qualidade. Aos 42 minutos, o meia Leandro Domingues deu belo passe para o lateral Apodi, que, nas costas de Diego, entrou livre na área e descontou para a equipe baiana. O primeiro tempo terminou com pressão intensa da equipe baiana em busca do empate.

No início do segundo tempo, o Corinthians conseguiu neutralizar as ações do Vitória e reequilibrou o jogo. Porém, ainda era a equipe baiana quem oferecia mais perigo ao gol de Felipe.

As ameaças começaram a se tornar mais incisivas, como aos 21 minutos. Após belo passe de Leandro, William chutou mas a bola passou à direita do gol de Felipe. Com esses lances o Vitória começou a dominar amplamente o jogo.

Aos 30 minutos, o lateral corintiano Diogo tentou dar um chutão para a frente e a bola foi para trás, em direção a Felipe. O goleiro pegou a bola com a mão e o árbitro Nelson Nogueira Dias marcou recuo do lateral, e tiro livre indireto dentro da área. O meia Leandro Domingues chutou direto para o gol e o goleiro Felipe, incocentemente, defendeu. O Vitória ainda ameaçou diversas vezes com Roger e Leandro Domingues, mas o goleiro Felipe, em noite inspirada, garantiu o triunfo do Timão no Pacaembu.

Nos últimos minutos, Ronaldo e Elias ainda tiveram chances de aumentar para o Corinthians, porém o goleiro Viáfara evitou que o placar fosse ainda maior para o Timão.

CORINTHIANS 2 X 1 VITÓRIA

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 23/07/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Nelson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (Fifa-RJ) e Ubirajara Ferraz Jota (PE)
Renda/público: R$ 790.664,50 / 23.600 pagantes
Cartões amarelos: Elias, Dentinho, Felipe (COR); Magal, Wallace, Anderson Martins, Victor Ramos(VIT)
GOLS: Dentinho, 21’/1ºT (1-0); Jean, 30’/1ºT (2-0); Apodi, 42’/1ºT (2-1)

CORINTHIANS: Felipe, Diogo, Chicão, Jean e Diego; Jucilei, Elias e Douglas (Moradei, 31’/2ºT) ; Morais (Jorge Henrique, 10’/2ºT), Dentinho (Marcinho, 46’/2ºT) e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor Ramos, Anderson Martins; Apodi(Ramon, 43’/2ºT), Uelliton, Magal(Itacaré, 33’/2ºT), Leandro Domingues, Leandro; William (Bida, 27’/2ºT) e Roger. Técnico: Paulo César Carpegiani

julho 23, 2009 Posted by | Corinthians, Vitória | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em jogo feio, Coritiba e Sport empatam

Fortes chuvas em Curitiba prejudicaram a partida

Leandro Donizete teve muito trabalho para parar o ataque do Sport (Crédito: Felipe Gabriel)

Leandro Donizete teve muito trabalho para parar o ataque do Sport

LANCEPRESS!

Em partida de muitos erros, Coritiba e Sport empataram nesta noite no Couto Pereira, em jogo válido pela 13ª rodada do Brasileiro. Dutra marcou o gol do Sport e Marcelinho Paraíba fez para o Coxa.

Devido às fortes chuvas que castigaram Curitiba nos últimos dias, o gramado estava muito pesado e por isso o jogo começou com muitos erros de passes dos dois lados. Como jogava em casa, o Coritiba soube aproveitar melhor os problemas do campo no início da partida. Aos oito minutos Carlinhos Paraíba arriscou de fora da área para a defesa parcial de Magrão. No rebote, Pedro Ken cruzou, mas Marcelinho Paraíba chutou para fora.

No lance seguinte, Marcelinho acertou a trave em uma cobrança de escanteio. No entanto foi o Sport que abriu o placar. Aos 17 minutos Élder Granja cruzou para Dutra, que cabeceou no canto direito do goleiro Magrão. O gol tirou um pouco do ímpeto do Coxa, mas não por muito tempo. Aos 33 minutos, Bruno Batata foi derrubado dentro da área. Pênalti que Marcelinho Paraíba cobrou bem para empatar a partida: 1 a 1.

A equipe de René Simões ainda tentou virar o placar na primeira etapa, mas Magrão fez grandes defesas e impediu a mudança no placar.

Na volta para o segundo tempo René colocou Marcos Aurélio no lugar de Leandro Donizete. Decisão acertada do comandante alviverde. O atacante deu mais velocidade ao time da casa, que passou a criar mais chances de gol. Aos nove minutos, Marcelinho Paraíba tabelou com Marcos Aurélio e chutoucom força, porém a bola passou por cima do gol de Magrão.

Do outro lado, o Sport tentava, aos poucos, sair no contra-ataque, principalmente com Guto e Vandinho. Aos 27 minutos, Dutra chegou bem pela linha de fundo e cruzou para Vandinho. Mas o atacante não percebeu que estava impedido e o Leão perdeu outra oportunidade. Cinco minutos depois, Dutra recebeu dentro da área e chutou com força, a bola passou rente à trave.

Mas quem continuou melhor no jogo foi o time da casa. Marcelinho Paraíba, o melhor da partida, cobrou falta com muito perigo e, no rebote, o Coxa quase marca, aos 38 minutos.

No fim o rendimento das duas equipes caiu e o empate se manteve. Na próxima rodada o Sport tem o clássico contra o Náutico, na Ilha do Retiro. Já o Coritiba pega o Vitória, no Barradão.

FICHA TÉCNICA:
CORITIBA 1 X 1 SPORT

Local: Couto Pereira, Paraná (PR)
Data/Hora: 23/07/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Cléber Welington Abade (SP)
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto (SP) e Nilson de Souza Monção (SP)
Renda e Público: R$ 81.865,00 – 6.781 pagantes
Cartões Amarelos: Douglas Silva (CTB); Guto, Elder Granja (SPT)
Cartões Vermelhos: Não teve
Gols: Dutra 17’/1ºT (0-1), Marcelinho Paraíba 33’/1ºT (1-1),


CORITIBA: Vanderlei, Rodrigo Heffner, Dirceu, Demerson e Douglas Silva(Rodrigo Crasso / intervalo); Leandro Donizete(Marcos Aurélio / intervalo), Jaílton, Pedro Ken e Carlinhos Paraíba; Marcelinho Paraíba e Bruno Batata. Técnico: René Simões.


SPORT: Magrão, Juliano, Igor e Durval; Elder Granja, Hamilton, Sandro Goiano(Andrade, 41, 2º/T) Fabiano e Dutra; Vandinho e Guto – Técnico: Emerson Leão.

julho 23, 2009 Posted by | Coritiba, Sport | , , , , , , | Deixe um comentário

Cuca não resiste a sequência ruim e é demitido do Flamengo

Vice de futebol, Kléber Leite dá coletiva para explicar a saída do treinador

Cuca não comanda mais o Flamengo (Crédito: Paulo Sérgio)

Cuca não comanda mais o Flamengo

LANCEPRESS!

Cuca não é mais o treinador do Flamengo. Apesar da tentativa de ocultar a demissão – o presidente em exercício Delair Drumbosck anunciou que o manteria -, a diretoria do clube anunciou a mudança no comando nesta tarde, por conta dos quatro jogos sem vencer da equipe no Brasileirão. O último fracasso foi diante do Barueri, no empate em 1 a 1, no Maracanã.

Cuca esteve na Gávea nesta quinta-feira no horário programado, mas não vestiu o uniforme do clube e, ao lado do vice de futebol, Kléber Leite, concedeu entrevista coletiva para a explicar sua saída. O cartola, na verdade, preferiu tratar a decisão como “conjunta”.

– Decidimos que o Flamengo tem de ficar em primeiro lugar, e o melhor é interromper esse trabalho com esse profissional que muito nos honrou em tê-lo por aqui. Cuca é uma das melhores pessoas com quem trabalhei no futebol. Flamengo tinha amplas possibilidade de seguir bem no Brasileiro, mas tomamos esta decisão – disse Kléber Leite.

Como detalhe, o dirigente rubro-negro e Cuca jantaram juntos na noite de quarta-feira, após o jogo. O técnico chegou à Gávea em janeiro para a disputa do Campeonato Carioca, venceu 19 vezes, empatou outras 13 e perdeu sete. Esta foi sua segunda passagem pelo clube, e a que lhe garantiu o único título da carreira até aqui: o Estadual. A outra fora em 2005.

* Atualizado às 17h05

julho 23, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , | Deixe um comentário

Coritba recebe o Sport para manter invencibilidade em casa

Equipe alviverde não perde no Couto Pereira há três partidas

LANCEPRESS!

O Coritiba recebe o Sport nesta quinta-feira, às 21h, no Couto Pereira, com transmissão em tempo real pelo LANCENET!, querendo manter o bom retrospecto em casa. Nas últimas três partidas, foram três vitórias. E para continuar com essa sequência, o técnico René Simões conta com o apoio da torcida que, segundo ele, vem fazendo a diferença.

– O Brasileirão é extremamente difícil. Temos que jogar de maneira mais compacta possível. Vamos jogar em casa e isso é bom, o time está gostando. Temos que fazer prevalecer o mando de campo. A torcida faz o diferencial, faz os jogadores se sentirem bem, bota pressão no adversário. Ela levanta os jogadores quando as coisas não estão indo muito bem. Isso é bom porque o jogador se sente confiante – afirmou René, que terá problemas para escalar a equipe.

Os zagueiros Felipe, que deixou o hospital segunda-feira passada após sentir dores no abdômen, e Cleiton, com uma lesão muscular, seguem fora da equipe. O atacante Ariel, que sofreu uma lesão no joelho esquerdo no Atle-Tiba, também é desfalque. Bruno Batata fica com a vaga no ataque ao lado de Marcelinho Paraíba.

Por outro lado, o zagueiro Jeci pode fazer sua reestreia com a camisa alviverde caso seu nome apareça no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. Se não for regularizado, Dirceu é quem formará a dupla de defesa, ao lado de Demerson.

No Sport, o treinador Emerson Leão resolveu os desfalques sem precisar improvisar nas posições, ao contrário da partida passada, quando pôs o volante Fabiano no ataque. Desta vez, Vandinho e Guto formarão a dupla de frente, já que Weldon foi negociado para o Benfica, de Portugal, e Ciro está na Seleção Brasileira Sub-20.

– Estamos vivendo uma situação complicada, mas não adianta nos afobarmos. Temos que manter a calma e tentar vencer o Coritiba. Quero entrar bem e aproveitar as chances de gols que aparecerem. Se mantivermos o controle, poderemos voltar ao Recife com um grande resultado – disse Guto.

O discurso do atacante só terá realmente sentido caso o Sport volte com os três pontos, o os primeiros fora casa neste Brasileirão. O único desfalque entre os titulares é o zagueiro César, suspenso. No seu lugar, Juliano está confirmado. O volante Hamilton, que voltou de suspensão, volta na vaga de Dudé.

FICHA TÉCNICA:
CORITIBA X SPORT

Local: Couto Pereira, Paraná (PR)
Data/Hora: 23/07/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Cléber Welington Abade (SP)
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto (SP) e Nilson de Souza Monção (SP)

CORITIBA: Vanderlei, Rodrigo Heffner, Dirceu (Jeci), Demerson e Douglas Silva; Leandro Donizete, Jaílton, Pedro Ken e Carlinhos Paraíba; Marcelinho Paraíba e Bruno Batata. Técnico: René Simões.

SPORT: Magrão, Juliano, Igor e Durval; Elder Granja, Hamilton, Sandro Goiano, Fabiano e Dutra; Vandinho e Guto.
Técnico: Emerson Leão.

julho 23, 2009 Posted by | Coritiba, Sport | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em meio ao desmanche, Timão pega o Vitória

Depois de perder jogadores, Corinthians busca o G4

(Crédito: Allex Ximenez)

LANCEPRESS!

O Corinthians recebe o Vitória nesta quinta-feira, no Pacaembu, às 21h, com trasmissão em tempo real pelo LANCENET!, para buscar uma vaga no G4. Entretanto, a equipe de Mano Menezes está aos pedaços devido à onda de transferências que atingiu o clube.

Base do sistema defensivo do time, Cristian foi vendido ao Fenerbahçe, da Turquia, e deixa o Corinthians sem seu melhor marcador, além de ter uma ótima saída de bola. Junto com ele vai André Santos, a força do ataque pelo flanco esquerdo. Douglas deve embarcar para os Emirados Árabes nos próximos dias, mas contra o Vitória entrará em campo.

Com seu time se desconstruindo, Mano Menezes tenta manter o equilíbrio no Corinthians e tranquiliza a torcida através de seu twitter.

– Estamos trabalhando para fazermos reposição com qualidade. E assim seguiremos sonhando com o Brasileirão – afirmou o treinador.

O volante Edu, que chegou recentemente, já treinou com bola, entre os reservas, porém só poderá estrear em agosto, por ter vindo do exterior. Com isso Jucilei será mantido no time titular, agora com a vaga de Cristian. Para jogar no lugar de André Santos, Mano improvisará Diego.

Além das perdas sofridas para o mercado, Mano ainda conta com desfalques na defesa. Alessandro e William, se recuperando de lesão não estão disponíveis. Diogo e Jean entram nas vagas respectivamente.

O atacante Ronaldo não terá vida fácil no confronto contra o Vitória. Isso porque a equipe pernambucana terá o retorno de seu quarteto defensivo: Vanderson, Wallace, Victor Ramos e Anderson Martins.

Ao contrário dos três zagueiros, que estão confirmados no time titular, o técnico Paulo César Carpegiani não escalará o volante Vanderson, que cumpriu suspensão imposta pelo STJD. Assim, a dupla Uelliton e Magal segue junta pela quinta vez no Brasileirão.

Com uma virose, Roger não participou do treino desta quarta-feira, mas garante que estará em campo para seguir disputando a artilharia do campeonato. Em excelente fase, o atacante já tem 8 gols e promete complicar a vida do Fenômeno para ser artilheiro.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS X VITÓRIA

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 23/07/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Nelson Nogueira Dias (PE)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (FIFA-RJ) e Ubirajara Ferraz Jota (PE)

CORINTHIANS: Felipe, Diogo, Chicão, Jean e Diego; Jucilei, Elias e Douglas (Morais); Jorge Henrique, Dentinho e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor Ramos, Anderson Martins; Apodi, Uelliton, Magal, Leandro Domingues, Leandro; William e Roger.

julho 23, 2009 Posted by | Corinthians, Vitória | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Galo e Flu fazem duelo dos distintos

Enquanto Atlético (MG) tenta manter liderança, Tricolor quer espantar crise

LANCEPRESS!

O Mineirão será palco, nesta quinta-feira, às 21h, de um duelo de extremos na tabela do Campeonato Brasileiro. Enquanto o Atlético Mineiro curte a boa fase e tenta manter a liderança da competição, o Fluminense, com a estreia de Renato Gaúcho, luta para fugir da zona de rebaixamento e da crise que atormenta o clube.

Após a dura partida em Salvador, o técnico Celso Roth contará com o retorno do atacante de Diego Tardelli, que não enfrentou o Vitoria, domingo passado.

O goleador atleticano já balançou redes em sete oportunidades no Brasileirão e quer manter a boa fase na partida desta quarta-feira. Uma das maiores fontes de inspiração do jogador tem sido a Massa do Galo. Segundo ele, a afinidade com a torcida tem sido fator predominante no momento vivido.

– Nossa torcida é sensacional. Sou até suspeito para falar, já que para mim é muito bom. Tenho um ótimo relacionamento com os torcedores e estou apaixonado pela torcida do Atlético. Tenho uma identificação muito boa com o torcedores atleticanos – disse.

Roth terá também a volta de Júnior. O meia sentiu dores musculares na coxa direita antes do jogo contra o Vitória, mas treinou sem nenhuma limitação física.

No Fluminense, a chegada do técnico Renato Gaúcho é encarada como o primeiro ponto para a mudança de ares no clube. Em penúltimo lugar na tabela, o Tricolor vai para Belo Horizonte em busca dos três pontos que podem tirá-lo da zona do rebaixamento.

Para o confronto, Renato fez logo grandes alterações na equipe. No gol, Fernando Henrique volta no lugar de Ricardo Berna, na zaga, a opção é por três zagueiros. Já no ataque, Leandro Amaral será afastado até que recupere 100% de sua forma. Tartá, que não vinha sendo aproveitado por Parreira, preenche a vaga, porém, como apoiador.

– Todos os jogos são difíceis a partir de agora. Temos que enfrentar todo mundo sempre buscando a vitória. A obrigação de vencer é do Atlético, que é o líder do campeonato. Vai ser um jogo super difícil.

ATLÉTICO MINEIRO X FLUMINENSE

Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 23/7/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)

ATLÉTICO MINEIRO: Aranha, Marcos Rocha, Werlton Felipe, Alex Bruno e Thiago Feltri; Renan, Jonílson, Márcio Araújo e Júnior; Diego Tardelli e Éder Luís. Técnico: Celso Roth.

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Edcarlos, Cássio e Luiz Alberto; Ruy, Wellington Monteiro, Diguinho, Tartá, Conca e João Paulo; Fred. Técnico: Renato Gaúcho.

julho 23, 2009 Posted by | Atlético-MG, Fluminense | , , , , , , , , | Deixe um comentário

“Irmãos” fazem gols, e Tricolor empata no Sul

Inter sai na frente, mas São Paulo reage e volta com um ponto para casa

Inter sai na frente, mas Tricolor empata no Beira Rio (Foto: Ricardo Rimoli)

Inter sai na frente, mas Tricolor empata no Beira Rio (Foto: Ricardo Rimoli)

LANCEPRESS!

Com quatro gols de “irmãos”, Internacional e São Paulo empataram nesta quarta-feira no Beira Rio. Com dois gols do irmão de Richarlyson, Alecsandro, o Inter saiu na frente no placar. Mas o Tricolor não se intimidou e foi para cima, e com dois gols dos melhores amigos Hernanes e Jean, empatou em Porto Alegre.

O primeiro lance de perigo do jogo foi do Tricolor, logo aos dois minutos de jogo, Jean fez cruzamento pela direita, Lauro espalmou e na sobra, Dagoberto chutou forte de fora da área, por cima do gol de Lauro.

O São Paulo mostrou mais atitude, e chegou ao ataque em pelo menos mais três oportunidades, numa delas, Magrão fez falta em Hernanes, Dagoberto cobrou muito fraco, sem perigo para o gol de Lauro. A defesa do São Paulo, até então, muito atenta, tratou de fechar as alas do Inter, por onde caia, principalmente, Nilmar pela direita.

O primeiro susto de Bosco, foi com Guinãzu. Aos dezessete minutos, o camisa cinco chutou forte de fora da área, porém, Bosco bem posicionado, fez excelente defesa. E mais uma vez, ele, o volante argentino carregou da intermediária até a entrada da área, saiu bem de dois marcadores, tocou para Indio, que em boa posição, chutou em cima de Bosco.

Na ocasião, André Dias que chegava na sobra, bateu o joelho no rosto de Bosco, que atordoado, teve de paralizar o jogo por alguns minutos.

Aos 29 minutos, o São Paulo tomou um gol de uma jogada muito conhecida pelo Tricolor. Kléber cobrou falta na área, e de cabeça, Alecsandro, impedido, desviou para o fundo da rede de Bosco.

E o goleiro, após a pancada sofrida por André Dias, não aguentou e saiu. Denis, voltou ao gol Tricolor.

Pela direita, Magrão driblou André Dias, e esticou até a linha de fundo. O camisa 11 cruzou, mas o ataque colorado não acompanhou.

Um reprise da jogada do primeiro gol. Aos 37 minutos, Kléber cobrou falta no primeiro poste, e Alecsandro, mais uma vez impedido, nas costas do irmão Richarlysou, subiu alto e mandou para o gol. Agora a vítima, foi Bosco.

Nilmar, esperto, aproveitou bobeira da zaga são-paulina, roubou a bola e entrou na área e cruzou. Alecsandro chutou fraco e Denis segurou.

O São Paulo ainda teve uma grande chance. Richarlyson entrou na área, e Guiñazu ao dar um carrinho na bola, o árbitro deu pênalti. Washingtou, o artilheiro do Tricolor na temporada, com 18 gols, chutou no meio do gol, e Lauro, defendeu, na sobra, o camisa 9 chutou, mas Sandro atento, tirou em cima da linha.


São Paulo voltou com Jorge Wagner no lugar de Marlos, e mais animado. Logo, aos três minutos iniciais, Washington fez o pivô na entrada da área, fez passe para Hernanes, que penetrou na área, e marcou. É o segundo do camisa 10 no Brasileiro.

Mais agressivo, e com mais posse de bola, o Tricolor abusou das suas alas. Com o meio mais protegido, com Richarlyson e Hernanes, que teve uma das suas melhores atuações neste Brasileiro, Jean e Jorge Wagner deram bastante trabalho para Kléber e Sandro.

Na metade da etapa final, ótima troca de passes entre Andrézinho e Nilmar, que deixou Alecsndro livre. O atacante desperdiçou, chutando fraco, para a defesa de Denis.

E as alas são-paulinas voltam a dar trabalho para o colorado. Jean arriscou de fora da área, e marcou um golaço, no ângulo de Lauro. É o empate do Tricolor. O Colorado pareceu ter sentido os gols.

Sem um jogador de criação, não encontrava espaço para jogar pelo meio-de-campo do São Paulo, da mesma forma, as jogadas pelas laterais de campo foram constantemente desarmadas pela zaga tricolor, que muito atenta tratou de fechar os espaços de Nilmar e Alecsandro.

O São Paulo, melhor no segundo tempo ainda sofreu com alguns levantes do Internacional, principalmente com a entrada de D’Alessandro e Taison. Kléber, em duas oportunidades subiu pela esquerda, mas o ataque colorado, muito desatento não acompanhou as chegadas do lateral.

Taison, que tinha acabado de entrar, recebeu no canto da grande área, de frente para o gol, e chutou no canto direito de Denis, porém a bola foi para fora. No final do segundo tempo, Jorge Wagner fez falta em Taison, e o reserva D’Alessandro bateu forte, mas Denis, bem colocado, segurou firme.

O Inter volta a campo agora contra o Botafogo no Engenhão, e o Tricolor, com alguns desfalques por suspensão como Júnior César e Richarlyson, encara o Barueri no próximo domingo, na Arena Barueri.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL 2 X 2 SÃO PAULO

Estádio: Beira Rio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 22/7/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Nunes (RJ)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa-RJ) e Cláudio José de Oliveira(RJ)
Renda/público: R$ 17.759 / 240.510 pagantes
Cartões amarelos: Sorondo, Sandro, Alecsandro, Sorondo, Índio (INT); Júnior César, Richarlyson (SAO)
GOLS: Alecsandro, 29’/1ºT (1-0); Alecsandro, 37’/1ºT (1-0); Hernanes, 3’/2ºT (2-1);
Fulano, 45’/2ºT (2-2)

INTERNACIONAL: Lauro, Bolívar, Índio (Taison, 43’/2ºT), Sorondo e Kléber; Sandro (D’Alessandro, 31’/2ºT),, Magrão, Guiñazú, e Andrezinho (Giuliano, 35’/2ºT); Alecsandro e Nilmar. Técnico: Tite.

SÃO PAULO: Bosco (Denis, 31’1º T), Renato Silva, André Dias, Miranda, Jean, Hernanes, Richarlyson, Júnior César e Marlos (Jorge Wagner, intervalo); Dagoberto (Borges, 25’2T) e Washington. Técnico: Ricardo Gomes

julho 23, 2009 Posted by | Internacional, São Paulo | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

De virada e no fim, Goiás bate o Palmeiras

Jorginho conhece sua primeira derrota no comando do Verdão, que estava há doze partidas invicto

(Crédito: Carlos Costa)

Na antepenúltima partida de Jorginho à frente do Palmeiras, o Goiás saiu atrás do marcador, recuperou-se e mesmo sem contar com Felipe, artilheiro da equipe no Brasileirão com oito gols, conseguiu a vitória por 2 a 1 no Serra Dourada, pela 13ª rodada do campeonato.

Assim, o Alviverde paulista, que não sabia o que era não somar pontos há doze jogos, conheceu o primeiro revés sob as ordens de Jorginho, que acumula quatro vitórias, um empate e uma derrota.

Com o resultado, o Palmeiras ainda fica com a vice-liderança, com 25 pontos, e o Goiás subiu para a sétima colocação, com 20.

Em uma primeira etapa cujo tom foi o equilíbrio e a forte marcação de ambos os lados, os esmeraldinos se sobressaíram pelo maior volume de jogo e maior incidência no ataque, enquanto os comandados de Jorginho, apesar de terem ficado atrás no quesito posse de bola,chegaram mais próximos de abrir o placar em um chute cruzado de Armero para a área de Harlei que Obina chegou atrasado na segunda trave, aos 25 minutos.

O ponto forte do Goiás foram as investidas de Julio Cesar, pela esquerda, e Vitor, pela direita. o setor defensivo palmeirense, desfalcado de Maurício Ramos e Pierre, suspensos pelo terceiro cartão amarelo e substituídos por Marcão e Sandro Silva, respectivamente, teve dificuldade de conter os avanços goianos. Marcos ficou cara a cara com os mandantes em duas oportunidades na etapa inicial – primeiro evitou conclusão de Felipe Menezes ao sair na risca da grande área e evitar a conclusão, e depois fechou bem o ângulo em conclusão de Ramalho.

Para o segundo tempo, Hélio dos Anjos perdeu o poder de fogo de sua equipe pela direita, já que Vitor sentiu lesão na coxa direita e cedeu vaga para o zagueiro Gomes, improvisado na lateral, o que fez com que os mandantes recuassem a marcação para o campo de defesa.

Apagado na partida, Diego Souza tratou de dar brilho no Serra Dourada aos 7 minutos. Em belo lance individual, fintou Ramalho com o pé direito e emendou de esquerda no ângulo de Harlei. Um golaço, o terceiro dele nos últimos três embates do Verdão paulista. Como resposta, Léo Lima, estreante pelo Goiás que enfrentava o time do Palestra Itália pela primeira vez desde que deixou o clube no final do ano passado, recebeu cruzamento dentro da área e tocou na saída de Marcos. Antes que a bola cruzasse a linha fatal, Danilo afastou.

Com ritmo diminuído, o Palmeiras ofereceu espaço para o adversário. Julio Cesar invadiu a área e caiu após disputa com Wendel. Léo Lima converteu com categoria no canto esquerdo de Marcos. A seis minutos do fim, Cleiton Xavier deu lindo passe e deixou Daniel livre para marcar, mas o atacante finalizou em cima de Harlei, que fechou bem o ângulo. Aos 43 minutos, Bruno Meneghel invadiu a área, chutou e a bola desviou em Marcão antes de estufar a rede de Marcos.

No próximo domingo, o Palmeiras vai a Presidente Prudente fazer clássico com o Corinthians, e o Goiás viaja a Belo Horizonte para o duelo com o Atlético-MG.

FICHA TÉCNICA:
GOIÁS 2 X 1 PALMEIRAS

Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/hora: 22/7/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Enio Ferreira de Carvalho (DF)
Renda/público: não disponíveis
Cartões amarelos: Léo Lima (GOI); Wendel, Sandro Silva, Edmílson e Jumar (PAL)
Cartões vermelhos: não houve
GOLS: Diego Souza 07’/2ºT (0-1); Léo Lima 30’/2ºT (1-1); Bruno Meneghel 43’/2ºT

GOIÁS: Harlei; Ernando, Valmir Lucas, Leandro Euzébio; Vitor (Gomes 40’/1ºT), Amaral, Ramalho (Bruno Meneghel 23’/2ºT), Léo Lima, Felipe Menezes, Julio Cesar; Iarley. Técnico: Hélio dos Anjos.

PALMEIRAS: Marcos, Wendel, Danilo, Marcão, Armero; Sandro Silva (Jumar 14’/2ºT), Edmílson, Cleiton Xavier, Diego Souza, Willians (Daniel 34’/2ºT) e Obina. Técnico: Jorginho.

julho 23, 2009 Posted by | Goiás, Palmeiras | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Neymar salva Santos na estreia de Luxemburgo

Jovem atacante entra no segundo tempo e marca o gol da quarta vitória santista no Brasileirão

Santos sofre mas consegue vencer na estréia de Luxemburgo (Foto: Ivan Storchi)

Santos sofre mas consegue vencer na estréia de Luxemburgo (Foto: Ivan Storchi)

Bruno Arraes

O Santos venceu o Atlético-PR por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro. O jogo marcou a reestreia de Vanderlei Luxemburgo no comando da equipe alvinegra. O treinador inicia seu trabalhando cumprindo o primeiro passo da meta preestabelecida: vencer todas as partidas em casa para tentar garantir vaga na próxima Copa Libertadores.

O triunfo foi o quarto do grupo santista nesta edição da competição e a terceira na Vila Belmiro. E manteve a invencibilidade de Luxa em estreias no comando alvinegro. Nas outras três passagens, ele venceu uma partida e empatou as outras duas.

Em contrapartida, o Atlético Paranaense segue mal. A equipe perdeu sua sétima partida na competição e pode terminar a rodada na zona de rebaixamento.

O técnico Vanderlei Luxemburgo admitiu durante a semana que a equipe santista era muito vulnerável e sua primeira missão seria compactá-la. Com isso, o Peixe entrou em campo com uma formação diferente no meio-de-campo. Com a volta de Rodrigo Souto e a permanência de Germano e Roberto Brum, os anfitriões iniciaram a partida com três volantes. O preterido por Luxa foi o jovem Paulo Henrique Lima, o Ganso. Madson e Robson foram os encarregados da armação, deixando a equipe com cinco jogadores no meio.

O jogo começou muito disputado, com as duas equipes partindo para o ataque. O Atlético-PR iniciou marcando forte as jogadas santistas pelas laterais e impediu a pressão inicial do adversário. Por isso, o primeiro lance de perigo só aconteceu aos 17 minutos. Em cobrança de falta de Madson, a bola desviou na zaga atleticana e sobrou para Robson. O camisa 7 cabeceou e a ela passou rente à trave direita do goleiro Vinícius.

No primeiro vacilo da zaga do Furacão, o zagueiro Vinícius saiu mal e perdeu para Germano. O volante rolou para o meio da área para a chegada do baixinho Madson, mas o zagueiro Rafael Santos chegou a tempo e impediu o arremate. Aos 38, o lateral Luizinho rolou na entrada da área para Germano, o volante chutou forte e a bola passou muito perto do gol de Vinícius.

Madson, como sempre, foi quem mais incomodou a zaga atleticana na primeira etapa. A esperança do Furacão estava depositada em Rafael Moura, porém o jogador ficou isolado entre os zagueiros do Peixe e não oferecia perigo ao jovem goleiro Felipe.

O Santos voltou para o segundo tempo com duas modificações. Os jovens Neymar e Paulo Henrique entraram. Com isso, Luxemburgo abandonou o esquema com três volantes, retirando Roberto Brum e Robson. Porém, o primeiro lance de perigo foi do Furacão, com Rafael Moura. O atacante, em sua primeira boa jogada na partida, cabeceou perto do gol.

O Santos só voltou a ameaçar aos 13 minutos em mais uma jogada de Madson. Ele cruzou bem para Paulo Henrique, mas o meia não conseguiu dominar e a bola escapou para as mãos do goleiro Vinícius. A partir daí, a equipe do Peixe passou a dominar amplamente o jogo, porém pecava no último passe e não conseguia entrar na área rival em condições de finalizar.

Aos 27 minutos Neymar e Roni fizeram ótima tabela. O jovem atacante recebeu dentro da área, cortou o zagueiro e chutou sem chances para o goleiro Vinícius, do Atlético-PR. Com o gol, Neymar salvou o Santos pela segunda vez em uma semana. Há sete dias, contra o Barueri, o jovem marcou o gol de empate aos 44 minutos do segundo tempo e evitou a derrota santista.

Após o gol, o Atlético-PR acordou e tentou pressionar, mas o Santos conseguiu se segurar e garantiu a vitória na estréia de Luxemburgo.

Na próxima rodada, o Santos receberá o conturbado Flamengo, na Vila Belmiro. Os cariocas empataram com o Barueri, no Maracanã, e completaram três igualdades seguidas. Na Arena da Baixada, o Atlético-PR enfrentará o embalado Avaí, que nesta quarta-feira venceu o Grêmio em casa por 1 a 0.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 1 X 0 ATLÉTICO-PR

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 22/07/2009 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (SC)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Marco Antônio Martins (SC)
Renda/público: R$ 190.325,00 / 7.375 pagantes
Cartões amarelos: Neymar (SAN); Nei, Márcio Azevedo, Rhodolfo e Rafael Miranda (ATL)
GOLS: Neymar, 27’/2ºT (1-0);

SANTOS: Felipe; Luizinho (Pará, 20’/2º), Fabão, Domingos e Léo; Germano, Rodrigo Souto, Roberto Brum (Neymar, Intervalo) e Róbson (Paulo Henrique, Intervalo); Madson e Roni. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

ATLÉTICO-PR: Vinícius; Nei (Manuel, 31’/2º), Rafael Santos, Rhodolfo e Márcio Azevedo; Valencia, Rafael Miranda, Paulo Baier e Marcinho; Wallyson (Patrick, 27’/2º) e Rafael Moura (Jhonatan, 31’/2º). Técnico: Waldemar Lemos.

julho 23, 2009 Posted by | Atlético-PR, Santos | , , , , | Deixe um comentário

Botafogo joga mal e empata em 2 a 2 com Náutico nos Aflitos

Resultado mantem as duas equipes na zona de rebaixamento

LANCEPRESS!

No aniversário de 43 anos do técnico Ney Franco, o Botafogo foi ao Estádio dos Aflitos e apenas empatou em 2 a 2 com o Náutico, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do Náutico foram marcados por Gilmar (duas vezes). Juninho e Reinaldo fizeram para o Glorioso. O resultado manteve os dois times na zona rebaixamento da competição.

Empolgados por causa do aniversário do comandante, os jogadores do Botafogo partiram para cima do Náutico e apesar de um começo meio cinzento, aos pouco o Glorioso começou a dominar a partida e, sempre pela esquerda, ameaçava o gol de Eduardo. Renato era sempre acionado pelo setor, mas acabava errando nas finalizações.

As grandes oportunidades do time carioca, no primeiro tempo, saíam dos chutes de longas distâncias, tanto de Túlio Souza, quanto do capitão Juninho, que ia calibrando o pé. Aos 20 minutos, após uma cobrança de escanteio, Juninho recebeu a bola sozinho, e de tanto tentar, acabou acertando uma bomba, de fora da área, que o goleiro Eduardo aceitou.

Após o gol do Botafogo, inexplicavelmente o time de Ney Franco recuou e o Náutico começou a pressionar. Castilho, que até então era um simples observador, começou a ter trabalho, mas a defesa do Botafogo formada por Leandro Guerreiro, Wellington e Juninho conseguia resitir.

A segunda etapa começou como terminou a primeira, com o time da casa pressionando. Pouco a pouco, o recuado Botafogo foi sendo envolvido, mas o Náutico não conseguia chegar ao gol. Se não fosse o pênalti mal marcado pela árbitragen, após Anderson Santana invadir a área pela esquerda e cair, os pernambucanos não conseguiriam abrir o placar. Porém, como no futebol o se não existe, Gilmar cobrou a penalidade com categoria e empatou o jogo.

O gol animou o time da casa, que continuou envolvendo o meio-de-campo alvinegro. Muito recuado, não demorou muito para o Botafogo ser punido mais uma vez. Carlinhos Bala recebeu aos 23 minutos, uma bola dentro da área e cruzou para Gilmar. O atacante subiu sozinho e fez o segundo gol do Naútico na partida.

Desanimado, o técnico Ney Franco colocou o volante Jônatas para tentar melhorar a criação do Glorioso, mas foi novamente após uma falta cobrada por Juninho, que o Botafogo conseguiu chegar ao empate. Aos 31 minutos, o capitão alvinegro soltou uma bomba do meio da rua e no rebote, Reinaldo empatou.

Quando parecia que o time carioca voltaria a dominar a partida, Fahel fez uma falta boba no meio-de-campo, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Porém, mesmo com um homem a mais, o Náutico não conseguiu vencer a partida e os cerca de 12 mil torcedores que pagaram o ingresso para ver o jogo, saíram do estádio bastante chateado com a atuação da equipe no jogo.


FICHA TÉCNICA:

NÁUTICO 2 X 2 BOTAFOGO

Estádio: Aflitos, Recife (PE)
Data/hora: 22/07/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: José Henrique de Carvalho (SP/Asp.Fifa)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP/Fifa) e José Antônio Chaves Franco Filho (RS)
Renda/Público R$ 33.825,00/ 12.721 presentes.
Cartões amarelos: Nilson, Vagner, Galiardo, Derlei, Carlinhos Bala e Gladstone (NAU); Túlio Souza, Renato, Léo Silva e Juninho(BOT)
Cartões vermelhos: Fahel 33’/2ºT (BOT)
GOLS: Juninho 20’/1ºT (0-1); Gilmar 13’/2ºT (1-1); Gilmar 23’/2ºT (2-1); Reinaldo 31’/2ºT (2-2)


NÁUTICO: Eduardo, Galiardo, Vágner e Gladstone; Nilson, Derley, Johnny (Acosta, 24’/2ºT), Aílton (Marcio Barros, 44’/2ºT) e Anderson Santana; Carlinhos Bala e Gilmar. Técnico: Geninho.

BOTAFOGO: Castillo, Wellington, Juninho e Leandro Guerreiro; Túlio Souza (Jônatas, 27’/2ºT), Fahel, Renato (Léo Silva, 36’/2ºT), Lucio Flavio e Batista; Victor Simões e André Lima (Reinaldo, 17’/2ºT). Técnico: Ney Franco.

julho 23, 2009 Posted by | Botafogo, Náutico | , , , , | Deixe um comentário