Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Tabela Campeonato Brasileiro Serie A 2009

Classificação Atualizada

Posição

Time

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

1

Atlético-MG

Atlético-MG

25

12

7

4

1

25

12

13

2

Palmeiras

Palmeiras

25

12

7

4

1

22

12

10

3

Internacional

Internacional

23

12

7

2

3

19

13

6

4

Vitória

Vitória

21

12

6

3

3

21

13

8

5

Barueri

Barueri

21

12

5

6

1

28

17

11

6

Corinthians

Corinthians

20

12

6

2

4

18

16

2

7

Grêmio

Grêmio

18

12

5

3

4

20

13

7

8

Goiás

Goiás

17

12

4

5

3

22

17

5

9

Santo André

Santo André

17

12

4

5

3

16

16

0

10

Flamengo

Flamengo

16

12

4

4

4

17

20

-3

11

Coritiba

Coritiba

14

12

4

2

6

17

20

-3

12

São Paulo

São Paulo

14

12

3

5

4

13

14

-1

13

Santos

Santos

14

12

3

5

4

24

26

-2

14

Avaí

Avaí

13

12

3

4

5

15

18

-3

15

Atlético-PR

Atlético-PR

12

12

3

3

6

13

22

-9

16

Sport

Sport

11

12

3

2

7

18

21

-3

17

Botafogo

Botafogo

11

11

2

5

4

14

18

-4

18

Cruzeiro

Cruzeiro

10

11

3

1

7

10

19

-9

19

Fluminense

Fluminense

10

12

2

4

6

11

21

-10

20

Náutico

Náutico

9

12

2

3

7

11

26

-15


julho 19, 2009 Posted by | Atlético-MG, Atlético-PR, Avaí, Botafogo, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Grêmio Prudente, Internacional, Náutico, Palmeiras, Santo André, Santos, São Paulo, Sport, Vitória | | 1 Comentário

Tabela Campeonato Brasileiro Série B 2009

Classificação Atualizada

Posição

Time

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

1

Guarani

Guarani

27

12

8

3

1

17

9

8

2

Atlético-GO

Atlético-GO

23

12

7

2

3

26

17

9

3

Vasco

Vasco

23

12

6

5

1

16

4

12

4

Ponte Preta

Ponte Preta

21

12

6

3

3

20

11

9

5

Portuguesa

Portuguesa

21

12

6

3

3

15

13

2

6

Figueirense

Figueirense

20

12

6

2

4

20

14

6

7

Brasiliense

Brasiliense

19

12

6

1

5

18

15

3

8

Ceará

Ceará

19

12

5

4

3

16

12

4

9

América-RN

América-RN

18

12

6

0

6

15

17

-2

10

Ipatinga

Ipatinga

18

12

5

3

4

20

16

4

11

Bragantino

Bragantino

16

12

4

4

4

16

15

1

12

Bahia

Bahia

16

12

4

4

4

13

13

0

13

Fortaleza

Fortaleza

14

12

4

2

6

20

22

-2

14

Juventude

Juventude

14

12

4

2

6

14

17

-3

15

Paraná

Paraná

14

12

4

2

6

12

19

-7

16

Duque De Caxias

Duque De Caxias

14

12

3

5

4

14

16

-2

17

São Caetano

São Caetano

12

12

3

3

6

14

13

1

18

Vila Nova

Vila Nova

12

12

3

3

6

9

17

-8

19

ABC

ABC

7

12

2

1

9

5

25

-20

20

Campinense

Campinense

6

12

2

0

10

12

27

-15


Data Hora Jogos Local Status Serviços
21/07 21:00
Fortaleza Fortaleza x Bragantino Bragantino
Castelão Aguardando Início Sem Serviços
21/07 21:00
Juventude Juventude x Ipatinga Ipatinga
Alfredo Jaconi Aguardando Início Sem Serviços
24/07 21:00
ABC ABC x Guarani Guarani
Frasqueirão Aguardando Início Sem Serviços
24/07 21:00
Duque De Caxias Duque De Caxias x Ceará Ceará
Raulino De Oliveira Aguardando Início Sem Serviços
24/07 21:00
Paraná Paraná x São Caetano São Caetano
Durival De Britto Aguardando Início Sem Serviços
25/07 16:10
Bahia Bahia x Vasco Vasco
Roberto Santos Aguardando Início Sem Serviços
25/07 16:10
Ponte Preta Ponte Preta x Figueirense Figueirense
Moisés Lucarelli Aguardando Início Sem Serviços
25/07 16:10
Portuguesa Portuguesa x América-RN América-RN
Canindé Aguardando Início Sem Serviços
25/07 16:10
Vila Nova Vila Nova x Campinense Campinense
Serra Dourada Aguardando Início Sem Serviços
25/07 21:00
Brasiliense Brasiliense x Atlético-GO Atlético-GO
Boca Do Jacaré Aguardando Início Sem Serviços

julho 19, 2009 Posted by | ABC de Natal, America-RN, Bahia, Ceará, CRB, Criciuma, Figueirense, Fortaleza, Juventude, Paraná, Ponte Preta, Portuguesa, São Caetano, Vasco da Gama, Vila Nova | , | Deixe um comentário

Flamengo e Botafogo empatam pela enésima vez

Cuca e Ney Franco fazem mais um duelo que termina em 2 a 2

Batista disputa bola com Zé Roberto (Crédito: Cléber Mendes)

Batista disputa bola com Zé Roberto

LANCEPRESS!

Flamengo e Botafogo fizeram um clássico eletrizante neste domingo, no Maracanã. O equilíbrio foi a tônica da partida que terminou com uma nova igualdade por 2 a 2, uma constante nos confrontos entre Cuca e Ney Franco. Com o resultado, o Rubro-Negro se manteve na décima colocação. O Alvinegro permanece na zona do rebaixamento, em 17º.

O primeiro tempo foi de intensa movimentação do início ao fim. O Flamengo começou um pouco melhor, principalmente por conta da exploração à velocidade do atacante Emerson, um tormento frequente à zaga alvinegra. O Rubro-Negro chegou perto do gol com Adriano, que quase marcou de numa jogada em que estava de costas para o gol.

No entanto, um outro Emerson, o do Botafogo, foi fundamental para a mudança do panorama do clássico. O zagueiro sentiu uma contusão e foi substituído pelo apoiador Renato logo aos 14 minutos. Isso tornou o Alvinegro mais ousado e o time de Ney Franco passou a tomar conta do jogo.

Esta supremacia ficou latente no número de oportunidades para cada time. Enquanto o Botafogo abusava de perder gols, o Flamengo se defendia como podia e nem nos contra-ataques ameaçava. O Alvinegro por pouco não abriu o marcador aos 23 minutos, quando Alessandro deu lindo lançamento para Victor Simões, que carimbou o travessão.

O gol alvinegro estava amadurecendo e saiu aos 28, com André Lima. No entanto, a jogada foi paralisada antes por conta de uma falta de Victor Simões em Welinton.

O Botafogo voltou a assustar nas cobranças de falta potentes de Juninho. Na primeira, Bruno espalmou para escanteio. Pouco depois, Bruno não conseguiu segurar e Alessandro, em posição de impedimento, estava lá para abrir o placar no Maracanã.

Só mesmo a desvantagem fez com que o Flamengo acordasse, já com Fierro no lugar de Zé Roberto, que saiu machucado. O Rubro-Negro chegou ao empate pouco depois. Kleberson cobrou falta da esquerda e Adriano cabeceou com estilo, no cantinho de Castillo. O Flamengo teve uma nova oportunidade com Adriano, mas o primeiro terminou mesmo em igualdade.

O segundo tempo também começou com maior presença ofensiva do Flamengo. Numa jogada de Kleberson pela esquerda, Adriano teve mais uma chance de cabeça, mas mandou por cima.

O Botafogo voltou à disposição tática do início do jogo quando Ney Franco lançou Wellington no lugar de Thiaguinho. Com isso, Leandro Guerreiro voltou para o meio-de-campo.

Esta mexida deixou o Botafogo um pouco mais acuado e o Flamengo procurou se aproveitar do fato. Em jogada de Fierro, Adriano teve a chance de marcar, mas chutou à direita do gol. O Alvinegro respondeu numa falta cobrada por Lucio Flavio, que Bruno defendeu para córner.

No lance seguinte, saiu o gol do desempate alvinegro. Lucio Flavio cobrou escanteio da direita e Renato se abaixou para cabecear no canto de Bruno. Foi o último lance do autor do gol, que deu lugar a Reinaldo. O Flamengo também mexeu: Camacho entrou na vaga de Welinton.

O Botafogo passou a administrar a vantagem e a explorar os contra-ataques. Numa dessas investidas, André Lima quase marcou de cabeça. Cuca partiu para o tudo ou nada e colocou Maxi no lugar de Aírton.

Não se sabe se foi preponderante, mas a investida rubro-negra deu resultado já que o time chegou ao empate. Emerson fez boa jogada pela esquerda, limpou para o pé direito e mandou no ângulo de Castillo, em lance semelhante ao de Diego Tardelli na final da Taça Guanabara de 2008, no mesmo Flamengo x Botafogo. A jogada decretou mais um empate por 2 a 2 entre os rivais.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 2 X 2 BOTAFOGO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data/hora: 19/7/2009 – 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Péricles Bassols Cortez (RJ)

Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (Fifa-RJ) e Lilian da Silva Fernandes Bruno (RJ)

Renda e público: R$ 499.403,00 / 29.508 pagantes

Cartões amarelos: Kleberson, Everton, Welinton, Fabrício (FLA); Castillo, Thiaguinho, Victor Simões, Eduardo (BOT)

Cartões vermelhos: Alessandro, 43’/2ºT (BOT)

GOLS: Alessandro, 35’/1ºT (0-1); Adriano, 40’/1ºT (1-1), Renato, 26’/2ºT (1-2); Emerson, 43’/2ºT (2-2).

FLAMENGO: Bruno, Welinton (Camacho, 29’/2ºT) Fabrício e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Aírton, Kleberson, Zé Roberto (Fierro, 36’/1ºT) e Everton; Emerson e Adriano. Técnico: Cuca.

BOTAFOGO: Castillo, Emerson (Renato, 14’/1ºT), Juninho e Eduardo; Alessandro, Leandro Guerreiro, Thiaguinho (Wellington, 9’/2ºT) (Reinaldo, 29’/2ºT), Lucio Flavio e Batista; André Lima e Victor Simões. Técnico: Ney Franco.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Botafogo, Flamengo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com show de Val Baiano, Barueri goleia o Náutico

Atacante marcou os quatro gols da partida

LANCEPRESS!

O Barueri bateu o Náutico por 4 a 0 na noite deste domingo, na Arena Barueri, com quatro gols do atacante Val Baiano, e chegou aos 21 pontos na competição, permanecendo na quinta posição. Com a vitória, a equipe da Grande São Paulo chega a marca de nove partidas sem derrota. Essa é a segunda maior série invicta do Campeonato, ficando atrás apenas do Palmeiras, que não perde há dez rodadas. Já o Timbu chegou ao seu oitavo jogo seguido sem vencer e amarga a lanterna da Séria A com apenas nove pontos ganhos.

A primeira oportunidade clara de gol apareceu somente aos 19 minutos do primeiro tempo. Fernandinho fez linda jogada e chutou na trave. A bola sobrou para Val Baiano, com o gol o livre. O centroavante chutou e o zagueiro Asprilla tirou em cima da linha, com a mão e foi expulso. Na cobrança do pênalti o próprio Val Baiano bateu com força e abriu o placar para o time da casa.

Em seguida, o Barueri teve mais duas chances com o volante Márcio Hã. Em chute de fora da área ele assustou o goleiro Eduardo e na outra apareceu livre na área, mas cruzou na mão do arqueiro.

A pressão da equipe da Grande São Paulo era grande. O atacante Fernandinho, que realizou excelente partida, chutou de fora da área e Eduardo buscou no ângulo. No escanteio em seguida, Val Baiano cabeceou para mais uma boa defesa do adversário.

Aos 36, a primeira oportunidade do Timbu. Jhonny cruzou rasteiro da esquerda e Gilmar tocou antes da zaga. A bola passou raspando a trave.

Três minutos mais tarde o Barueri chegou ao seu segundo gol. O lateral Franciscatti apareceu livre na direita e cruzou para área. Novamente Val Baiano apareceu livre e, de cabeça, aumentou a vantagem dos mandantes.

No segundo tempo o Náutico voltou melhor mas quem criou a primeira oportunidade foi o adversário. Fernandinho driblou dois zagueiros, o goleiro e cruzou para o artilheiro da partida. Ele recebeu com o gol livre, dentro da pequena área, mas tentou fazer de bicicleta e acabou chutando fora, perdendo chance incrível.

Aos 25, em nova jogada do atacante, ele tocou por cima do goleiro e Val Baiano foi puxado por Eduardo Erê. O árbitro assinalou pênalti corretamente. Mais uma vez o matador foi para cobrança e fez o seu sétimo gol na competição, assumindo a artilharia da equipe.

Sete minutos mais tarde ele marcou mais um. Fernandinho cruzou da esquerda, a zaga se atrapalhou e a bola sobrou para o novo artilheiro do campeonato, que empurrou para o fundo das redes, anotando o seu quarto na partida, dando números finais ao marcador.

Na próxima rodada, o Barueri vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Flamengo, quarta-feira, às 19h30, no Maracanã. Já o Náutico recebe o Botafogo, no estádio dos Aflitos, no mesmo dia, às 21h50.

FICHA TÉCNICA:
BARUERI 4 X 0 NÁUTICO

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 19/7/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Helberth Costa Andrade (MG)
Renda/público: R$ 19.365,00 / 1.868 pagantes
Cartões amarelos: Xandão, Diego (BAR); Gladstone, Eduardo Erê (NAU)
Cartões vermelhos: Asprilla, 18’/1ºT (NAU)
GOLS: Val Baiano, 19’/1ºT (1-0); Val Baiano, 39’/1ºT (2-0); Val Baiano, 25’/2ºT (3-0);Val Baiano, 32’/2ºT (4-)

BARUERI: Renê, André Luis, Xandão (Daniel Marques, 27’/2ºT), e Diego; Franciscatti, Marcio Hã, João Vitor (Otacílio Neto, 36’/1ºT), Thiago Humberto e Bruno Ribeiro; Fernandinho (Emiliano, 37’/1ºT) e Val Baiano. Técnico: Estevam Soares.

NÁUTICO: Eduardo, Vágner, Asprilla e Gladstone; Sidny (Eduardo Erê, 20’/2ºT), Galiardo, Derlei , Dinda (Juliano, intervalo) e Jhonny; Gilmar e Carlinhos Bala.
Técnico: Geninho.

julho 19, 2009 Posted by | Grêmio Prudente, Náutico | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Avaí vira, derrota o Sport na Ilha do Retiro e deixa a zona de rebaixamento

Catarinenses surpreendem fora de casa e sobem na classificação

Em um duelo entre dois clubes que brigam para fugir das últimas posições do Campeonato Brasileiro, o Avaí levou a melhor sobre o Sport. Mesmo jogando fora de casa, na Ilha do Retiro, o time catarinense venceu por 3 a 1 de virada, na noite deste domingo. Igor abriu o placar para a equipe rubro-negra, enquanto Dudé (contra), Roberto e Luis Ricardo fizeram os gols dos visitantes.

Com o resultado, o Avaí foi aos 13 pontos e deixou a zona de rebaixamento, subindo para 14º lugar. Por sua vez, o Sport se manteve com 11 está na 16ª colocação.

O próximo jogo da equipe de Santa Catarina é nesta quarta-feira, contra o Grêmio, às 19h30m (de Brasília), na Ressacada. Na quinta, às 21h, o time pernambucano encara o Coritiba, no Couto Pereira.

Equilíbrio e poucas chances no primeiro tempo

Logo em sua primeira chance, aos 12 minutos, o Sport abriu o placar na Ilha do Retiro. Fumagalli cobrou escanteio pelo lado direito, Igor subiu mais que a zaga adversária e tocou de cabeça. A bola ainda tocou na trave e caiu dentro do gol de Eduardo Martini.

O Avaí não se intimidou e igualou o marcador logo no minuto seguinte, também após uma cobrança de escanteio. Ricardinho bateu e Dudé desviou de cabeça contra a própria meta, surpreendendo o goleiro Magrão.

Depois dos gols, os dois times diminuíram o ritmo e a equipe da casa só voltou a levar perigo aos 28. Fumagalli cobrou falta perigosa e Eduardo Martini saltou para fazer a defesa. Os catarinenses responderam na mesma moeda aos 31. Ferdinando cobrou falta com força e a bola passou por cima.

Bem montada, a defesa visitante não dava espaços para os pernambucanos, que abusavam dos passes errados. A última chance do Rubro-Negro foi aos 45, quando Fumagalli pegou rebote da zaga e bateu para fora.

Modificações surtem efeito e Avaí vira o jogo

Ampliar Foto Agência/Estado Agência/Estado

Jogadores do Avaí comemoram gol

No começo do segundo tempo, aos cinco minutos, a primeira boa chance foi do Avaí. Eltinho avançou pela esquerda e cruzou para Muriqui, mas o atacante chegou desequilibrado e tocou por cima. Em seguida, aos seis, o Sport respondeu. Dutra arriscou cruzado de fora da área e a bola bateu na trave esquerda de Eduardo Martini.


Aos oito, Magrão salvou o rubro-negro ao defender chute forte de Caio. No entanto, aos 15, não teve jeito. Caio deu ótimo passe para Roberto, que tocou na saída do goleiro adversário para virar o placar. Detalhe é que o autor do gol havia entrado em campo dois minutos antes, enquanto seu companheiro foi lançado pelo técnico Silas no intervalo.

Roberto também foi fundamental no terceiro gol do Avaí, aos 23. O jogador passou por Sandro Goiano, foi à linha de fundo e cruzou com precisão para Luis Ricardo completar: 3 a 1. Aos 25, Dudé fez falta em e recebeu o cartão vermelho. Revoltados com o placar adverso, os torcedores rubro-negros ironizaram a expulsão e aplaudiram a saída do jogador. Em seguida, iniciaram os gritos de “olé” a cada toque dos catarinenses na bola.

Completamente descontrolado na partida, o Sport ainda teve outro jogador expulso: César, aos 34 minutos, após falta em Roberto. Com vantagem de dois gols no marcador e dois atletas mais em campo, o Avaí apenas administrou a vantagem. Emerson ainda fez mais um aos 45, mas estava impedido.

SPORT  x  AVAÍ
Magrão; Igor, César e Durval; Elder Granja (Moacir), Dudé, Sandro Goiano, Fumagalli (Everton Heleno) e Dutra; Fabiano e Weldon (Luciano Henrique). Eduardo Martini; Rafael, Emerson e Augusto; Ferdinando, Luis Ricardo, Leo Gago, William (Roberto) e Eltinho; Ricardinho (Caio) e Muriqui (Marcus Vinicius).
Técnico: Emerson Leão Técnico: Silas.
Gols: Igor, aos 12, Dudé (contra) aos 13 minutos do primeiro tempo; Roberto, aos 15 e Luis Ricardo, aos 23 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: William (Avaí) Dudé, César (Sport)

Cartão vermelho: Dudé, César (Sport)

Público: 16.218  Renda: R$ 80.360
Estádio: Ilha do Retiro, no Recife (PE). Data: 19/07/2009. Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA). Auxiliares: Adson Marcio Lopes Leal (BA) e Hilton Moutinho Rodrigues (RJ).

julho 19, 2009 Posted by | Avaí, Sport | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em Morumbi vazio, Tricolor vence San-São

No primeiro clássico sob comando de Gomes, São Paulo triunfa com dois gols de Washington

Washington brilha no primeiro clássico de Ricardo Gomes (Foto: Reginaldo Castro)

Washington brilha no primeiro clássico de Ricardo Gomes (Foto: Reginaldo Castro)

Ana Thaís de Matos

Num domingo frio e com um Morumbi quase vazio, o São Paulo venceu o seu primeiro clássico neste Brasileiro, ao bater Santos por 2 a 1, em casa. Na volta do artilheiro Washington, o camisa nove marcou duas vezes, e contou com um Dagoberto inspirado.

O primeiro lance de perigo do clássico foi do Tricolor com uma ótima jogada de Marlos e Dagoberto, o atacante caiu na entrada da área, e ganhou falta, mas Washington bateu fraco em cima da barreira e a bola foi apenas para fora. O São Paulo ainda teve mais duas chances de perigo, com Marlos e Washingnton. O meia voltou muito bem à equipe titular, distribuindo bem as jogadas para Dagoberto e Washington.

O Santos ofereceu perigo ao gol de Bosco apenas aos dez minutos iniciais. Paulo Henrique fez ótimo passe para Madson, que entrou na área, mas de pé direito, o canhoto finalizou mal. Pelo lado do Peixe, o melhor até então foi Paulo Henrique, que sobrava no meio campo, aproveitando das falhas de marcação do meio campo são-paulino que não acompanha o meia.

Aos 19 minutos, Miranda deu um passe errado no pé de Paulo Henrique, que muito ligado no jogo, deu passe para Roni, mas o árbitro, corretamente, deu impedimento. A maioria das bolas perigosas do Peixe passavam pelos pés de Lima.

Jean, atuando como um ala, recebeu na direita, depois de boa jogada de Washington. O volante errou o cruzamento, e desperdiçou o ataque. Fato que aconteceu bastante no primeiro tempo da partida, muitos erros de passe e de finalização para as duas equipes.

Nos últimos minutos da partida, Jean puxou contra ataque do São Paulo e Dagoberto, que se movimentou muito bem durante toda a partida, fez passe na medida para Washington. O atacante que estava há seis jogos sem marcar, de cabeça empurrou para o fundo da rede de Douglas. O Tricolor saiu na frente no Morumbi.

Mas a festa do Sampa durou pouco, ao 46 minutos, Germano antecipou bem a jogada e avançou pela esquerda, e em cruzamento nas costas da zaga tricolor, Roni, titular no lugar do lesionado Kléber Pereira, marcou para o empate do Peixe.

O Tricolor começou o segundo tempo explorando o lado direito do Peixe. E aos cinco minutos iniciais da segunda etapa, num contra ataque, Dagoberto recebeu dentro da área, chutou em cima de Douglas, e na sobra, Washington marcou o segundo gol dele, e do Tricolor no Morumbi.

O trio Marlos, Dagoberto e Washington fez a diferença na equipe são-paulina. Aos nove minutos, Marlos parou na frente de Germano e tentou fintá-lo, mas na confusão o árbitro deu falta para o Santos.

O São Paulo esteve mais agressivo que o Peixe, buscando mais o jogo no início do segundo tempo. O Santos insistiu em algumas jogadas na área, mas Bosco, atento, impediu os avanços do alvinegro. O lance de perigo do Peixe, ficou por conta de um contra ataque armado após um bate e rebate na intermediária do ataque são-paulino. Madson recebeu, e aproveitou que a zaga do Tricolor estava desmontada e avançou, mas Dagoberto, numa recuperação incrível, voltou até a pequena área e impediu o ataque do Peixe.

O técnico interino, Serginho Chulapa, promoveu as primeiras substituições no time do Peixe, entrou Neymar e Tiago Luis, nos lugares de Paulo Henrique, um dos melhores do time, e Pará. Para o lado Tricolor, Ricardo Gomes sacou o meia Marlos.

Mesmo com o segundo gol do Tricolor, o Santos foi quem mais ofereceu perigo, e Bosco, que assumiu a titularidade, pela primeira vez com o técnico Ricardo Gomes, fechou o gol do São Paulo. Madson e Neymar fizeram com o que o goleiro trabalhasse em três oportunidades de muito perigo. Numa delas Tiago Luis fez ótimo cruzamento para Neymar, que cabeceou em cima de do goleiro. Que bem posicionado, apenas segurou a bola, passando muita segurança para o time.

O São Paulo ainda teve uma oportunidade com Washington, que dentro da área se enrolou e foi desarmado pela zaga. O Tricolor venceu seu primeiro clássico neste Brasileiro, e agora assume a 12ª colocação na tabela, se afastando aos poucos da zona de perigo, o próximo compromisso do São Paulo é contra o Internacional, em Porto Alegre. O Peixe, que recebe o novo técnico Vandereley Luxemburgo nesta segunda-feira, perdeu mais um jogo e agora busca recuperação contra o Atlético-PR na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 2 X 1 SANTOS

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)

Data/hora: 19/7/2009 – 16h (de Brasília)

Árbitro: José Henrique de Carvalho (SP)

Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Everson Luquesi Soares (SP)

Renda/público: R$ 247.895,00 / 10.913

Cartões amarelos: Júnior César, Dagoberto (SAO); Germano, Domingos e Astorga (SAN)

GOLS: Washington 44’’/1ºT (1-0); Roni, 46’/1ºT (1-1) e Washington 5’/2ºT (2-1)

SÃO PAULO: Bosco, Renato Silva, André Dias, Miranda e Richarlyson; Hernanes (Eduardo Costa 46’/2ºT), Marlos (Arouca 31’/1ºT), Júnior César, Dagoberto (Oscar, 35’/2ºT) Técnico: Ricardo Gomes

SANTOS: Douglas, Luizinho, Domingos, Astorga e Léo; Roberto Brum,

Germano, Paulo Henrique (Neymar 20’/2ºT), e Madson; Pará (Felipe Azevedo 20’/2ºT) e Roni (Tiago Luis 31’/2ºT) Técnico: Serginho Chulapa

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Santos, São Paulo | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Atle-Tiba termina sem gols na Arena

Equipes empatam na Arena da Baixada em partida equilibrada

Clássico não saiu do zero no Paraná (Crédito: Felipe Gabriel)

Clássico não saiu do zero no Paraná

LANCEPRESS!

Em clima de decisão de campeonato entre as torcidas, Atlético-PR e Coritiba fizeram um clássico onde sobrou disposição, mas faltou qualidade técnica na Arena da Baixada, empatando em 0 a 0. O resultado acabou sendo pior para o Furacão, já que a equipe jogou em casa e, com 12 pontos, continua próxima da zona do rebaixamento. Já o coxa foi a 14 pontos e segue dentro da zona de classificação para a Sul-Americana.

O início de jogo, que recebeu grande público, teve as duas equipes se estudando muito. O Furacão inicou suas primeiras investidas pelos lados do campo, apostanto em cruzamentos. E a grande chance veio com Rafael Moura, que recebeu em boas condições e bateu firme para o desvio pra escanteio do goleiro Vanderlei. O Coxa respondia explorando bem o canto direito do campo, sempre chegando perigosamente com Marcelinho Paraíba.

No intervalo, lamentavelmente, as torcidas se provocaram, havendo princípio de confusão. Algumas bombas chegaram a explodir no meio da confusão. O incidente pode prejudicar ambas as equipes, que agora correm o risco de perderem seus mandos de campo nas próximas rodadas.

As equipes retornaram ainda mais enérgicas para o segunda etapa, sem nenhuma substituição no intervalo. Logo no primeiro minuto o Furacão quase marca em jogada perigosíssima pelo meio, onde o goleiro vanderlei defendeu em dois tempos, à queima-roupa. Diante da pressão do Atlético, o Coxa respondeu com Rodrigo Heffner, obrigando o goleiro Vinícius a espalmar. Na sequência da jogada, o arqueiro rubro-negro voltou a defender com segurança o chute de Jaíton. O Coritiba seguiu pressionando com Marcelinho Paraíba. Após dois chutes perigosos a gol e uma tentativa de gol olímpico, o atacante recebeu belo passe em posição legal aos 23 minutos, driblou o goleiro e só não marcou um golaço porque Rhodolfo cortou em cima da linha. Depois dos lances, o jogo esfriou e a qualidade técnica caiu. Mesmo com as substiuições feitas pelos técnicos Waldemar Lemos e René Simões. No final, a torcida rubro-negra ainda protestou por dois pênaltis que acertadamente não foram assinalados pelo árbitro.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR X CORITIBA

Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data/Hora: 19/07/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luis Seneme (SP)
Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA) e Roberto Braatz (PR)
Renda e Público: Público Pagante: 19.266. Público total: 20.264. Renda: R$ 400.180,00.
Cartões Amarelos: Wallyson (ATP); Leandro Donizete, Carlinhos Paraíba (CTB)
Cartões Vermelhos: Bernardo Carvalhal 2’/1ºT (MAC)

julho 19, 2009 Posted by | Atlético-PR, Coritiba | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Grêmio vira e vence Gre-Nal do centenário

Souza marca o gol 500 do Tricolor na História do clássico

Nilmar marcou o seu, mas não evitou a derrota.

Nilmar marcou o seu, mas não evitou a derrota.

LANCEPRESS!

Deu Grêmio. 2 a 1 na partida que marcou os 100 anos do clássico gaúcho. Jogando no Olímpico, o time virou a partida com gols de Souza e Maxi López. Nilmar fez o gol do Internacional. O Inter perde a chance de ser líder e o Grêmio se aproxima dos primeiros colocados.

O Grêmio começou melhor no Olímpico. Com os avanços de Fábio Santos pela esquerda e Souza e Maxi López tabelando pelo meio, o Tricolor chegava com facilidade na área do Inter e perdeu algumas oportunidades de abrir o placar. O Internacional quando chegou pela primeira vez, quase marcou. Sorondo cabeceou após escanteio e Victor fez grande defesa.

E foi o Colorado quem saiu na frente. aos 24 minutos, Nilmar recebeu lançamento, ganhou a dividida com Souza e bateu no alto, sem chances para Victor.

Com o gol sofrido, o Grêmio partiu para cima. Até que aos 34, Souza foi derrubado por Guiñazu. Ele mesmo bateu a falta e marcou um belo gol, o de número 500 de sua equipe na História dos Gre-Nais.

A segunda etapa começou da mesma forma que a primeira. O Grêmio tinha mais posse de bola e chegava pelas laterais. Mas o rival começou a apertar a saída de bola e teve duas boas chances de marcar. Primeiro com Nilmar, que fez grande jogada individual, mas foi desarmado na hora da finalização. E depois com D’Alessandro, que encontrou espaço para bater de perna esquerda e assustar a torcida gremista, pois a bola bateu no lado de fora da rede.

Aos 24 minutos, veio a virada do Grêmio. Após cobrança de escanteio, Adilson tentou o chute, a bola bateu em Ginãzu e sobrou para Maxi López bater e colocar o Tricolor na frente.

O Internacional precisou sair e deixou espaços para os contra-ataques. O Grêmio quase ampliou em um deles, mas o chute de Herrera bateu na trave. Na sequência, o Tricolor tentou esfriar o jogo e muitas paralisações para substituições aconteceram. No fim, o Gre-Nal do centenário terminou com o triunfo gremista, para felicidade da parte zul de Porto Alegre

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 2 X 1 INTERNACIONAL

Estádio: Olímpico (Porto Alegre, RS)

Data/hora: 19/07/2009 – 16h (de Brasília)

Árbitro: Leonardo Gaciba

Auxiliares: Altemir Hausmann e José Franco Filho

Gols: Nilmar, 24/1T (0-1); Souza, 34/1T (1-1); Maxi López, 24/2T (2-1)

Cartões Amarelos: Guiñazu e Taison(INT); Tcheco (GRE)

Cartões Vermelhos: Não houve.

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes (Makelele, 39/2T), Rafael Marques, Réver e Fábio Santos; Adilson, Túlio, Souza e Tcheco; Herrera (Jonas, 39/2T) e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

INTERNACIONAL: Lauro, Bolívar (Danilo Silva, 36/2T), Indio, Sorondo e Kléber; Sandro, Guiñazu, Andrezinho (Giuliano, 34/2T) e D’Alessandro; Nilmar e Taison (Alecsandro, 27/2T). Técnico: Tite.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Grêmio, Internacional | , , , , , , | Deixe um comentário

Timão vence Cruzeiro com gol de Ronaldo

Atacante, que também perdeu pênalti, chega à marca de 36 gols em 30 jogos no Mineirão

Marcelo Braga

Após três derrotas e dois empates longe do Pacaembu, o Corinthians enfim conseguiu vencer longe de casa no Brasileirão. Neste domingo, o Timão visitou o Cruzeiro e venceu por 2 a 1, com gols de Kléber, para a Raposa, e Jorge Henrique e Ronaldo, para o Alvinegro. O Fenômeno, que ainda não havia marcado gols longe do estado do São Paulo, fez um e sacramentou a sexta vitória de sua equipe no Campeonato Brasileiro.

A fim de superar a tristeza pelo vice-campeonato da Libertadores, os mineiros começaram melhor a partida, principalmete em jogadas pelas laterais. Sem Wagner e com o jovem Dudu com a camisa 10, porém, o time tinha pouca força de criação e errava muitos passes no meio-de-campo.

Apesar do aparente domínio, foi o Corinthians que abriu o placar aos 22 minutos. Ronaldo, de volta a casa que o consagrou em 1993, deu lindo lançamento para o atacante Jorge Henrique. O atacante recebeu, driblou Fábio e marcou um belo gol.

Cinco minutos depois, os paulistas tiveram uma grande chance de ampliar. Em contra-ataque, Morais tocou para Ronaldo. Sozinho, o Fenômeno chutou colocado, mas Leonardo Silva evitou o gol com a mão. O árbitro marcou pênalti e expulsou o zagueiro. Na batida, R9 abusou da classe e, com paradinha, bateu fraco para a defesa de Fábio, em grande fase.

O lance de maior polêmica da partida aconteceu aos 43 minutos. Gérson Magrão cruzou, Wellington Paulista e Chicão disputaram a bola no alto e ela sobrou para Jonathan, que estufou a rede. Porém, o árbitro viu falta na disputa de bola e anulou o gol.

O segundo tempo começo com tudo. Mesmo com um a menos, o Cruzeiro se impôs em campo, criando grandes chances com Kléber, Fabrício e Jonathan, que em sua maioria pararam nas mãos de Felipe, também em grande tarde.

Experiente, Ronaldo não se abateu com o pênalti perdido e teve outras duas chances de marcar. Na primeira, parou em Fábio. Depois, recebeu livre de Jucilei e bateu no canto direito, sem chances para o goleiro.

Aos 38, o Cruzeiro ainda tinha forças para brigar e Kléber, um dos melhores do time no jogo, driblou Chicão e foi derrubado na área. Pênalti não disperdiçado pelo Gladiador, que diminuiu o placar. No último minuto, Athirson cruzou e Thiago Ribeiro cabeciou. Chicão tirou em cima da linha e, no rebote, Kléber parou em Felipe, que garantiu os três pontos para o Timão.

Na próxima rodada, o Cruzeiro visita o Santo André, na quarta-feira, no Estádio Bruno José Daniel. Depois, na quinta, o Corinthians recebe o Vitória, no Pacaembu.


FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 1 X 2 CORINTHIANS

Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 19/7/2009 – 16h00 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Fabrício da Silva (GO) e Cristhian Passos Sorense (GO)
Renda/público: R$ 619.679,72 / 32.295 pagantes
Cartões amarelos: Henrique, Fabrício (CRU); Elias, Morais, Diego(COR)
Cartões vermelhos: Leonardo Silva (27’/1ºT)
GOL: Jorge Henrique 22’/1ºT (1-0); Ronaldo 31’/2ºT

CRUZEIRO: Fábio; Jonathan, Leonardo Silva, Henrique e Gerson Magrão (Athirson 15’/2ºT);Fabinho, Fabrício, Marquinhos Paraná e Dudu (Elicarlos 31’/1ºT); Kléber e Wellington Paulista (Thiago Ribeiro 10’/2ºT).Técnico: Adilson Batista

CORINTHIANS: Felipe; Diogo, Diego, Chicão e André Santos; Cristian, Jucilei, Elias (Marcinho 35’/2ºT) e Morais (Jadson 17’/2ºT); Jorge Henrique (Marcelinho 25’/2ºT) e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Corinthians, Cruzeiro | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Vitória e Atlético-MG empatam sem gols

No Barradão, atacante Roger desperdiça muitas chances e passa em branco contra o líder Galo

Roger passou em branco contra o líder do Campeonato (Crédito: Romildo de Jesus)

Roger passou em branco contra o líder do Campeonato

LANCEPRESS!

No Barradão, Vitória e Atlético-MG ficaram no 0 a 0 em partida muito disputada, válida pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, numa tarde nada inspirada do atacante Roger, do Rubro-Negro. Aranha foi o destaque do Galo fazendo várias defesas importantes.

O Vitória começou melhor, marcando o Galo no campo de ataque. O time mineiro parecia sentir a falta de Júnior – vetado momentos antes do início do jogo – e Diego Tardelli, artilheiro da equipe. Atordoado, dava campo para o Rubro-Negro avançar. Logo aos 9, Leandro Domingues colocou Apodi em boas condições de marcar, mas o lateral-direito chutou para fora. O Galo, que levou algum tempo para acordar em campo, devolveu em seguida com Werley, de cabeça, desviando cruzamento de Evandro.

A esta altura a partida já estava equilibrada. Jonílson, aos 14, assustou Viáfara, que espalmou assustado. O Leão respondeu prontamente. Depois de cruzamento de Roger, Apodi quase alcançou para fazer o primeiro do Vitória. O equilíbrio foi a tônica da primeira etapa, com chances desperdiçadas pelo Atlético – com Éder Luís e Evandro – e pelo time da casa, com William e o próprio Apodi. O último lance agudo dos primeiros 45 minutos foi de Roger. O atacante fez de cabeça, mas o auxiliar marcou acertadamente o impedimento.

No segundo tempo, os times voltaram sem mudanças na escalação e também na postura – ambos se lançando ao ataque. A primeira boa chance foi dos baianos, com Roger, que recebeu passe de Leandro Domingues mas vacilou ao praticamente recuar a bola para Aranha, perdendo grande chance da partida, aos 5. Aos 16 ele teve outra excelente oportunidade, mas desperdiçou da mesma forma.

Mas foi aos 30 minutos que Roger chegou à conclusão de que não era a sua tarde. Ao dominar de frente para o gol, entre os zagueiros, o atacante teve tempo de girar e acertar a trave de forma inacreditável. Assim como Apodi, que isolou ao pegar o rebote de Aranha depois de falta cobrada por Bida, aos 37. No fim, o empate sem gols entre as equipes, que permanecem no G4 do Brasileirão.


FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA 0X0 ATLÉTICO-MG

Local: Barradão, Salvador (BA)
Data/Hora: 19/07/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS/Fifa)
Auxiliares: Ênio Ferreira de Carvalho (DF) e Marrubson Melo Freitas (DF)
Público e renda: Não divulgados
Cartões amarelos: Apodi (VIT), aos 39’/1ºT; Werley (AMG), aos 41’/1ºT; Viáfara (VIT), aos 43’/1ºT; Aranha (AMG), aos 40’/2ºT


VITÓRIA: Viafara, Reniê (Róbson, aos 42’/2ºT), Carlos Alberto e Uelinton; Apodi (Elkeson, aos 39’/2ºT), Magal, Gil, Leandro Domingues e Leandro; Willian (Bida, aos 22’/2ºT) e Roger.
Técnico: Paulo César Carpegiani

ATLÉTICO-MG: Aranha, Carlos Alberto (Serginho, aos 17’/2ºT), Welton Felipe, Werley e Thiago Feltri; Renan (Alex Bruno, aos 25’/2ºT), Jonílson, Márcio Araújo e Evandro; Alessandro (Kléber, aos 18’/2ºT) e Éder Luís.
Técnico: Celso Roth

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Atlético-MG, Vitória | , , , , , , , | Deixe um comentário

Em casa, Cruzeiro tenta se reanimar diante de um empolgado Corinthians

Marcos Ribolli / GLOBOESPORTE.COM

Raposa e Timão duelam neste domingo, e Ronaldo vai reencontrar time que o projetou para o futebol mundial

Partida no Mineirão marca o duelo particular entre Gladiador e Fenômeno, que reencontra ex-clube

De um lado, o campeão da Copa do Brasil, cheio de moral depois da vitória sobre o Sport no meio de semana e a aproximação ao pelotão de frente do Campeonato Brasileiro. Do outro, o vice-campeão da Taça Libertadores, em sua primeira tentativa de recuperar o ânimo e se afastar da zona do rebaixamento. Esse é o panorama do duelo deste domingo, às 16h, entre Cruzeiro e Corinthians, no Mineirão, em Belo Horizonte. A Rede Globo transmite ao vivo para São Paulo, e o Premiére, pelo sistema pay-per-view, para todo o Brasil. O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances, com vídeos, em Tempo Real.

Agência / VIPCOMM

Apenas quatro dias depois da frustração pela perda do título do torneio sul-americano, para o Estudiantes (ARG), o torneio nacional tornou-se o principal objetivo da Raposa na temporada. A meta é conquistar uma das vagas na edição do campenato continental do ano que vem, ou até mesmo o título. O certo é que não será fácil.

Como priorizava a Libertadores, disputou alguns jogos com reservas e jogadores da base, opção que resultou na perda de terreno. Hoje o time beira a zona do rebaixamento, com dez pontos – mesmo número de Botafogo (17º), Avaí (18º) e Fluminense (19º), sendo que o primeiro tem um jogo a menos, justamente contra a Raposa. Para o atacante Kléber, a reação deve ser imediata, o grupo vai ter de encontrar forças para subir na classificação e remar tudo outra vez.

– Temos de recomeçar logo. Não há como ficar remoendo uma derrota. O Brasileiro está aí, e nós estamos mal. Vamos levantar a cabeça e correr atrás. Nosso time é bom. Não é por uma derrota que ninguém presta. O time tem tudo para se reerguer e buscar o título. O São Paulo buscou o Grêmio no ano passado depois de tantos pontos perdidos e foi campeão – ressaltou o atacante.

O Corinthians, apesar dos erros apresentados na derrota para o Grêmio, e alguns deles repetidos na vitória sobre o Sport, vive um momento de euforia. Além dos títulos do Paulista e da Copa do Brasil, o Timão confia na conquista do Brasileirão, completando a Tríplice Coroa. Após 11 rodadas, a equipe do técnico Mano Menezes já aparece perto dos líderes, com 17 pontos, mas vai precisar vencer fora de casa para melhorar mais.

– Nós temos de criar dificuldades para o Cruzeiro, para tentar nossa primeira vitória fora de casa. Isso seria importante – comentou o comandante corintiano.

A ordem no clube, aliás, é não esperar por um Cruzeiro desanimado ou ainda abalado pela derrota na decisão da Libertadores. Pelo contrário. Mano Menezes aproveita esse momento para lembrar uma situação que viveu no Grêmio, em 2007, logo depois de perder a final da mesma competição para os argentinos do Boca Juniors.

– O Corinthians não pode esperar um Cruzeiro arrasado. Eu lembro que quando perdi a Libertadores com o Grêmio, no domingo tínhamos um joguinho fácil: um Gre-Nal no Beira-Rio – disse ele, em tom de ironia. – Todo mundo esperava um Grêmio arrasado, sem seis jogadores titulares, mas ganhamos o clássico.

As equipes

No Cruzeiro, Kléber se casou nesta sexta-feira e abriu mão da lua de mel para ajudar o time. O técnico Adilson Batista ainda não decidiu se vai escalar o atacante, até porque ele sente dores no púbis há mais de um mês. O treinador, aliás, relacionou todos os titulares para a partida, mas só definirá a escalação após uma conversa com os médicos e os preparadores físicos do clube.

A principal dúvida está na zaga. Thiago Heleno e Leonardo Silva se queixam de dores. Caso não joguem, Neguete e Vinícius, ambos da base, mais uma vez terão chances. O mesmo acontece com o lateral-esquerdo Diego Renan. Se Gerson Magrão, que também está desgastado, não tiver condições, o garoto deve ser chamado.

O meia Wagner, que deixou o jogo contra o Estudiantes com uma lesão no tornozelo esquerdo. Também pode ficar fora. Neste caso, Athirson é a opção mais provável.

No Corinthians, o técnico Mano Menezes tem dois desfalques importantes: o meia Douglas e o atacante Dentinho. No meio-campo, a tendência é que o treinador mantenha Jucilei ao lado de Cristian na contenção e adiante Elias, que retorna de suspensão, para a criação. Mas e no lugar de Dentinho?

Como está sem muitas opções para o ataque, a solução poderia ser a entrada de Morais para formar o trio ofensivo com Jorge Henrique e Ronaldo. Ou então, caso prefira, adotar um esquema 4-4-2, com Morais e Elias na armação. O mistério será desfeito momentos antes da partida.

O lateral-direito Alessandro, suspenso contra o Sport, poderia até voltar, mas a intenção do técnico corintiano é mantê-lo fora. Tudo para que o jogador possa se recuperar melhor fisicamente. Ele ainda está desgastado por conta da Copa do Brasil. William segue como desfalque, tratando um problema na planta do pé direito.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Corinthians, Cruzeiro | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Embalado, Atlético-MG vai até Salvador encarar o Vitória

Galo quer manter a liderança e rival quer permanecer no G-4

LANCEPRESS!

Embalado pela semana positiva que teve em Minas Gerais, o Galo vai até Salvador para encarar o Vitória neste domingo, às 16h, no Barradão.

O período de alegria alvinegra começou domingo passado, quando o time venceu o clássico contra o Cruzeiro por 3 a 0. A festa continou na quarta-feira com a derrota do rival na final da Copa Libertadores e só terminou na quinta com o triunfo diante do São Paulo.

Para o jogo deste domingo, o técnico Celso Roth não poderá contar com Diego Tardelli, vice-artilheiro do Brasileirão com sete gols. Ele recebeu o terceiro cartão amarelo contra o São Paulo cumprirá suspensão automática. O substituto do camisa 9 deve ser mesmo Alessandro, que vem entrando bem desde a sua contratação e ganha a primeira chance como titular.

Apesar do grande início de Brasileiro, o técnico Celso Roth garante que ainda falta muito para o título e que o Alvinegro mineiro precisa seguir trabalhando duramente.

– Pelo título ainda falta muita coisa. Nós estamos com um terço do campeonato. Acho que o Atlético está mostrando nesse início de campeonato uma força digna de sua história e a nossa expectativa é que continue assim. Continue dentro desse padrão – disse.

Já o Rubro-Negro baiano quer seguir no G-4 e continuar a boa campanha no campeonato. Na rodada passada, o Vitória foi até Recife e ficou só no empate com o Náutico. E essa partida trouxe muitos problemas para o técnico Paulo César Carpegiani. Isso porque sua equipe não poderá contar com nenhum dos três zagueiros titulares, já que Wallace foi expulso e Anderson Martins e Victor Ramos receberam o terceiro cartão amarelo.

Quem também não atuará será Vanderson, que ainda cumpre suspensão pela expulsão no jogo contra o Flamengo, quando deu uma cabeçada no atacante Emerson. Mas as notícias não são apenas ruins em Salvador. Para encarar o Galo, Carpegiani terá o retorno de Uelinton e Apodi.

FICHA TÉCNICA:
VITÓRIA X ATLÉTICO-MG

Local: Barradão, Salvador (BA)
Data/Hora: 19/07/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS/Fifa)
Auxiliares: Ênio Ferreira de Carvalho (DF) e Marrubson Melo Freitas (DF)

VITÓRIA: Viafara, Apodi, Reniê, Marco Aurélio, Leandro; Leandro Domingues, Magal, William e Uelinton; Adriano e Roger. Técnico: Paulo César Carpegiani.

ATLÉTICO-MG: Aranha, Carlos Alberto, Welton Felipe, Werley e Thiago Feltri; Serginho, Jonílson, Márcio Araújo e Júnior; Alessandro e Éder Luís. Técnico: Celso Roth.

julho 19, 2009 Posted by | Atlético-MG, Vitória | , , , , , , , | Deixe um comentário

Flamengo tenta driblar irregularidade contra um Botafogo em recuperação

Rubro-Negro tem escrita a seu favor: jamais perdeu para o arquirrival no Campeonato Brasileiro por pontos corridos


Clássico no Maracanã coloca os treinadores Cuca e Ney Franco novamente frente a frente

Não há como negar que nos últimos anos o Flamengo transformou-se em um pedregulho e tanto no caminho do Botafogo. No Campeonato Carioca, são três finais e três vices consecutivos do Alvinegro (2007/08/09). Mas quando os dois rivais entrarem em campo neste domingo, às 18h30m (de Brasília), no Maracanã, outro tabu incômodo estará na mente dos alvinegros. Desde o início do Campeonato Brasileiro por pontos corridos, em 2003, o Rubro-Negro jamais perdeu o clássico. São cinco vitórias e igual número de empates – O premiére Futebol Clube, no sistema pay-per-view, transmite a partida ao vivo para todo o Brasil, e o GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances em Tempo Real, com vídeos.

Se o retrospecto recente ajuda, a irregularidade do time comandado por Cuca desanima. Apesar da nona colocação, com 15 pontos, o Flamengo alterna bons jogos com atuações desastrosas. No meio da gangorra, a torcida demonstra sinais de impaciência. A cada jogo um atleta é escolhido para receber vaias – ou mais de um. Léo Moura, Juan, Welinton… A lista é extensa. E diante do panorama, nem a diretoria acredita em grande público.

– Não passa de 30 mil. Por que passaria? Qual é o motivo? – questionou o diretor de arrecadação do clube da Gávea, Flávio Pereira.

No meio da semana, o Palmeiras colocou líquido fervente no caldeirão rubro-negro, vencendo por 2 a 1 no Maracanã. Mas a poção ainda não transbordou. O técnico Cuca mantém-se tranquilo no cargo. Durante a semana houve reunião de líderes de torcidas cobrando a diretoria por melhores resultados. No entanto, uma derrota para o Botafogo teria consequências imprevisíveis.

– Nada melhor que uma vitória em um clássico para apagar a última partida – disse o capitão Bruno.

Juan e Toró, machucados, seguem fora. Willians também não joga porque está suspenso. Em contrapartida, Aírton retorna à equipe depois de cumprir suspensão por cinco partidas.

Em General Severiano, ânimo renovado

Apesar de ainda estar na zona de rebaixamento – é o 17º colocado, com dez pontos, mas um jogo a menos – o Botafogo ganhou uma injeção de ânimo nos últimos dias. Primeiramente com a chegada de dois reforços importantes (André Lima e Jônatas) e o retorno de Reinaldo, afastado há dois meses por causa de uma lesão no tornozelo esquerdo. Além disso, o empate com o líder Atlético-MG (1 a 1) no Mineirão e a vitória sobre o Avaí (2 a 1) na Ressacada trouxeram o otimismo de volta ao clube.

E diante de um rival que anda entalado na garganta, vontade de vencer é pouco para descrever o sentimento alvinegro para o clássico. Sem vencer o Flamengo há oito partidas, o Glorioso aposta nos detalhes para comemorar mais três pontos nesta rodada e soltar o grito que está engasgado na garganta.

– Vencer um time grande e mais bem colocado na tabela nos daria certeza de que estamos no caminho certo – disse o técnico Ney Franco, que tem novo duelo particular contra Cuca. Em 2007, Ney foi campeão estadual com o Flamengo em cima do colega, então comandante botafoguense. O troco veio este ano.

Para superar um adversário tão conhecido, Ney aposta nos detalhes e nas jogadas de bola parada. O comandante acredita que Juninho, autor de dois gols de falta nos últimos dois jogos, e Lucio Flavio podem surpreender e fazer a diferença em um lance próximo à área. E o Maestro terá um novo companheiro no meio-campo: Thiaguinho ganhou a vaga de Renato.

No ataque, Victor Simões e André Lima serão as esperanças de gol da torcida. A dupla se entrosou tão bem que Reinaldo, que no coletivo de quinta-feira chegou a entrar na equipe, não integrou em nenhum momento o time titular durante a atividade desta sexta-feira. Enquanto ele mal tocou na bola, André Lima balançou as redes três vezes, fazendo boa jogada com Victor Simões em um dos lances.

No meio campo, Jônatas permanece na reserva, mas poderá ser utilizado normalmente durante o confronto, já que não há empecilho legal para que enfrente o seu ex-clube. O departamento jurídico do Botafogo, entretanto, recomendou que o lateral-esquerdo Michael, que ficaria no banco, não entre em campo até o fim da janela de transferências, no dia 3 de agosto.

Flamengo x Botafogo na era dos pontos corridos

2003 – Botafogo estava na Série B
2004 – Flamengo 0 x 0 Botafogo / Botafogo 0 x 0 Flamengo
2005 – Flamengo 2 x 0 Botafogo / Botafogo 1 x 3 Flamengo
2006 – Flamengo 1 x 0 Botafogo / Botafogo 0 x 2 Flamengo
2007 – Flamengo 2 x 2 Botafogo / Botafogo 1 x 1 Flamengo
2008 – Flamengo 0 x 0 Botafogo / Botafogo 0 x 1 Flamengo

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Botafogo, Flamengo | , | Deixe um comentário

Grêmio espera quebrar jejum de vitórias no duelo contra o Inter

Inter quer aproveitar o clássico e encostar no líder Atlético-MG

LANCEPRESS!

Sem vencer o Inter desde o primeiro turno do Brasileiro de 2007 (1 a 0, gol do estreante zagueiro Leo), o Grêmio recebe seu rival de cem anos, na tarde deste domingo, no Olímpico, com missão dupla: acabar com esse tabu de oito jogos sem vitória e provar que encontrou mesmo o rumo. Afinal, depois de golear Atlético-PR e Corinthians, o time de Paulo Autuori voltou a mostrar velhos vícios na derrota para o Coritiba no meio da semana.

E o Inter? Seus dirigentes não demitirão Tite em caso de derrota, como se apregoa, pelo retrospecto do técnico e também pelos 4 a 2 aplicados no Fluminense, quarta-feira. Aquilo foi um alívio. Interrompeu um período em que o Colorado vencera apenas duas vezes em dez partidas.

O Grêmio enfrentará o rival no Olímpico pela primeira vez desde agosto passado, quando empatou em 2 a 2, pela Copa Sul-Americana.

— E a gente sabe o quanto a nossa torcida pode fazer a diferença – avisa Tcheco, o capitão do time. Ele lembra que, se não derrota o rival em casa desde 2007, também é verdade que o Tricolor não perde: foram dois empates, um pelo Gauchão e outro pela Sul-Americana, além de outro escore igual no campo do adversário. De fato: dos últimos quatro confrontos, todos com vitória colorada, três foram no Beira-Rio e um em Erechim.

— Nossa ambição é alcançar o G-4 logo e, depois, brigar pelo título. Se vencermos o clássico, ganharemos moral para alcançar nossos objetivos – afirma o volante Túlio. Em oitavo com 15 pontos, o Tricolor pode chegar ao quinto posto, se vencer e os resultados paralelos ajudarem.

Ao entrar no ano do Centenário, o Inter fixou como objetivo conquistar o título do Brasileiro, algo que não consegue desde o tri invicto de 1979. Time contraditório: apesar das crises, se mantém na vice-liderança. E poderá voltar à ponta, desde que ganhe o clássico e que o Atlético-MG não derrote o Vitória em Salvador.

Como faz no Olímpico, o Grêmio atuará pressionando o tempo todo. Seu único desfalque considerável será o zagueiro Leo, cumprindo suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O zagueiro Thiego, expulso contra o Coritiba, atuava improvisado na lateral-direita e não andava bem. Joílson, ou mesmo o volante Makelelê improvisado ali, poderá render melhor.

De resto, Autuori saúda os retornos do zagueiro Réver, do meia Souza e dos atacantes Maxi López e Herrera, desfalques que influíram na derrota no Couto Pereira.

No Inter, que jogará pela segunda vez seguida no 3-5-2, há duas dúvidas: Sandro ou Danny Morais como volante e Taison ou Alecsandro iniciando ao lado de Nilmar. A primeira dúvida se deve às ausências de Magrão e Glaydson, suspensos. A segunda tem a ver com estratégia: é melhor iniciar com Alecsandro, como no jogo contra o Fluminense, ou com Taison, que entrou nos últimos 20 minutos e marcou dois gols?

Assim como no ataque, sobra gente para a defesa: a zaga terá três zagueiros (Indio, Sorondo e Álvaro) e Bolívar e Kleber retornarão às laterais (ou alas, já que se trata do 3-5-2). Falta é no meio-campo: além de Magrão e seu reserva Glaydson, ficará de fora a estrela da companhia, o argentino D’Alessandro, suspenso por 60 dias. Sandro volta de lesão, e não teria fôlego para mais de 45 minutos. E Danny Morais de volante seria uma improvisação. Ele é zagueiro.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO X INTERNACIONAL

Estádio: Olímpico (Porto Alegre, RS)

Data-hora: 19/07/2009 – 16h (de Brasília)

Árbitro: Leonardo Gaciba

Auxiliares: Altemir Hausmann e José Franco Filho

GRÊMIO: Victor, Joílson, Rafael Marques, Réver e Fábio Santos; Adilson, Túlio, Souza e Tcheco; Herrera e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

INTERNACIONAL: Lauro, Indio, Sorondo e Álvaro; Bolívar, Danny Morais (Sandro), Guiñazú, D’Alessandro e Kleber; Nilmar e Taison (Alecsandro). Técnico: Tite.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Grêmio, Internacional | , , | Deixe um comentário

Piores paulistas, Santos e São Paulo duelam

Para arrancar no nacional, piores paulistas no Brasileiro se encontram domingo

LANCEPRESS!

Longe do G4 e piores times paulistas na classificação do Campeonato Brasileiro, São Paulo e Santos enfrentam-se neste domingo, no Morumbi. A partida é encarada como a chance de recuperação das equipes na competição.

O Tricolor fará seu terceiro clássico paulista na atual edição e ainda não venceu nenhum (empate 0 a 0 com o Palmeiras, no Palestra Itália, e derrota por 3 a 1 para o Corinthians, no Pacaembu). Já o Peixe tem um melhor retrospecto: dos dois clássicos disputados, venceu o Corinthians e empatou com o Verdão.

– Esse jogo contra o Santos pode significar muito. Se a equipe vencer, pode começar uma nova era, uma nova fase para gente. A gente sabe que em uma situação como essa um clássico pode mudar o campeonato, por isso vamos entrar em campo com o dobro de atenção no domingo – disse o zagueiro Miranda.

Enquanto o São Paulo ainda tenta se encaixar sob o comando de Ricardo Gomes, o Alvinegro praiano busca vencer para acabar com a crise no clube após a vexatória derrota por 6 a 2 para o Vitória e o empate por 3 a 3 com o Barueri, na Vila Belmiro. O Peixe figura na décima primeira colocação, com 14 pontos, enquanto o Tricolor está a um ponto da zona de rebaixamento, com 11.

– O clássico em si já é apimentado. A gente sabe o que move um clássico, então a motivação vem naturalmente. Quem errar menos sai com o melhor resultado – afirmou o lateral santista Léo.

O Santos será comandado interinamente por Serginho Chulapa. O novo treinador, Vanderlei Luxemburgo, será apresentado na segunda. Velho conhecido da torcida santista, ele voltará ao comando da equipe santisa após um ano e meio de afastamento.

Chulapa, que é o maior artilheiro da história do time do Morumbi, declarou que pretende entregar a equipe ao seu sucessor a equipe santista com a vitória no clássico.

– Não deu contra o Barueri (3 a 3), quem sabe não conseguimos agora contra o São Paulo. Gostaria de deixar o cargo com uma vitória – confia Chulapa

No Tricolor, os zagueiros André Dias e Renato Silva, que cumpriram suspensão na derrota por 2 a 0 para o Atlético-MG, retornarão à equipe. Outro que voltará é o meia Marlos, que, gripado, também não encarou os mineiros.

Os desfaques ficam por conta de Jorge Wagner e Borges, suspensos. A única dúvida, porém, é o meia Hugo, que sofreu uma entorse no joelho direito ainda no primeiro tempo na derrota para o Galo.

O zagueiro Fabão e o volante Rodrigo Souto, suspensos, serão os desfalques do Peixe. Astorga e Germano deverão ser os substitutos, respectivamente. Por outro lado, a equipe terá o retorno do meia Molina. O lateral-direito Wagner Diniz deve perder a vaga no time titular. O jogador não foi bem no diante do Barueri, na última quarta-feira, e pode dar lugar a Luizinho.


FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO x SANTOS

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 19/7/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: José Henrique de Carvalho (SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Everson Luis Luquesi Soares (SP)

SÃO PAULO: Denis, Zé Luis, André Dias, Miranda e Júnior César; Jean, Richarlyson, Hernanes e Marlos; Washington e Dagoberto. Técnico Ricardo Gomes

SANTOS: Douglas, Luizinho, Astorga, Domingos e Léo; Roberto Brum, Germano, Paulo Henrique Lima e Madson; Neymar e Kléber Pereira. Técnico: Serginho Chulapa

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 19, 2009 Posted by | Santos, São Paulo | , , , , , , | Deixe um comentário