Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Grêmio goleia e carimba faixa do Corinthians

Tricolor gaúcho faz 3 a 0 e Corinthians perde a primeira após ser campeão da Copa do Brasil

Grêmio venceu o Timão no Olímpico (Foto: Ricardo Rímoli)

Grêmio venceu o Timão no Olímpico (Foto: Ricardo Rímoli)

A faixa de campeão do Corinthians foi carimbada na mesma cidade onde foi conquistada. Na tarde deste domingo, o Grêmio bateu o Timão por 3 a 0.

Garantido na Libertadores de 2010, era esperado que o time do Corinthians jogasse o Campeonato Brasileiro sem preocupação. Toda essa apatia foi demonstrada nesta partida no Olímpico.

O Grêmio começou a partida muito bem e dominava o meio de campo do Olímpico. Fabio Santos fez uma boa jogada pela esquerda e cruzou para Alex Mineiro finalizar de primeira e abrir o placar. O atacante gremista não balançava as redes há cerca de quatro meses.

O Corinthians parecia estar dormindo e tomava muita pressão. Minutos após o primeiro gol, Fabio Santos quase aumentou a diferença no placar em cobrança de falta perigosa. E aos 21 minutos, em outra jogada pela esquerda, Jonas cabeceou cruzamento de Adílson e desta vez sim, ampliou para 2 a 0.

A equipe de Mano Menezes já não conseguia armar jogadas e aos 29 minutos ainda ficou com um jogador a menos. Jean foi expulso após xingar o árbitro por uma marcação de falta. Na cobrança, Souza obrigou Felipe a fazer boa defesa.

Os jogadores corintianos não apareciam no campo de ataque. Era difícil distinguir se a dificuldade era muita ou se a vontade do atletas não existia. André Santos perdeu uma bola na lateral de maneira displicente e proporcionou mais uma oportunidade de contra-golpe ao Grêmio, entretanto Diego conseguiu salva a situação e desarmar Alex Mineiro.

Aos 37 minutos, depois de confusão na área, a bola sobrou para Souza na lateral e o meia gremista colocu a bola na cabeça de Rafael Marques, livre de marcação. Era o terceiro gol do Grêmio.

O Corinthians conseguiu chutar sua primeira bola em direção ao gol gremista somente aos 41 minutos da partida, e mesmo assim Elias não levou perigo à Victor.

Na segunda etapa a apatia corintiana continuou dominando a equipe. Já o Grêmio, com o placar garantido só fez administrar o resultado.

O Corinthians permanece com 14 pontos e é ultrapassado pelo Grêmio, que vai a 15. Na quarta-feira, o time de Paulo Autuori vai ao Couto Pereira enfrentar o Coritiba. o Corinthians recebe o Sport no Pacaembu.


FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 3 X 0 CORINTHIANS

Estádio: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 12/07/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Pedro Jorge de Araujo (AL) e Carlos Titara da Rocha (AL)
Renda/público:
Cartões amarelos: Thiego, Tcheco, Rafael Marques, Léo e Souza (GRE); Ronaldo, Douglas, Alessandro e Jean (COR)
Cartões vermelhos: Jean (COR)
GOLS: Alex Mineiro, 16’/1ºT (1-0); Jonas, 21’/1ºT (2-0); Rafael Marques, 37’/1ºT (3-0)


GRÊMIO: Victor; Thiego, Léo, Rafael Marques e Fábio Santos; Adílson, Túlio (Makelele, 21’/2ºT), Tcheco e Souza (Maylson, 38’/2ºT); Jonas (Perea, 25’/2ºT) e Alex Mineiro. Técnico: Paulo Autuori

CORINTHIANS: Felipe; Alessandro (Diogo, 24’/2ºT), Jean, Diego e André Santos; Cristian, Elias (Jucilei, 36’/2ºT) e Douglas; Dentinho, Ronaldo e Jorge Henrique (Renato, INT). Técnico: Mano Menezes

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Corinthians, Grêmio | , , , , | Deixe um comentário

Santos é goleado pelo Vitória, que chega ao G4

Defesa falha muito e Peixe é humilhado fora de casa; Vagner Mancini balança no comando da equipe

Peixe é goleado fora de casa pelo Vitória, que manteve a invencibilidade (Crédito: Romildo de Jesus)

Peixe é goleado fora de casa pelo Vitória, que manteve a invencibilidade

LANCEPRESS!

Sem poder nenhum de fogo, o Santos mostrou total fragilidade e foi goleado por 6 a 2 pelo Vitória, no Barradão. O time baiano manteve a invencibilidade dentro de casa e ainda subiu para a terceira colocação do Brasileirão.

O Peixe mantém o mau retrospecto fora de casa e cai ainda mais na tabela do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o técnico Vagner Mancini – que comandava o time baiano até o começo deste ano – voltará a sofrer pressão para sair do comando, principalmente com a sombra de Vanderlei Luxemburgo, ainda desempregado.

O Vitória fez o que quis com a equipe do Santos, que quase não viu a cor da bola. O time baiano mostrou muita movimentação, soube aproveitar os espaços dado pelo time da Baixada e impôs a sua velocidade em campo.

O principal ponto do time baiano foi a lateral direita, com Apodi. Ele conseguiu avançar em todas as jogadas e não perdeu nenhum lance com o Pará, do Santos, pela esquerda.

As falhas da equipe alvinegra ficou evidente, o meio ficou longe da defesa, os zagueiros não anteciparam jogadas e se mostraram afobados em muitos lances. Domingos teve uma atuação desastrosa. O ataque quase não recebia bolas, o que dificultava muito levar perigo para o mandante.

A goleada já estava contruída com menos de 30 minutos de jogo. Logo aos 3, Roger aproveitou falha do goleiro Douglas e abriu o placar. Aos 15, o mesmo Roger fez o segundo. A blitz continou e William, aos 23 e Victor Ramos quatro minutos depois, fizeram os seus.

O Peixe, que até descontou aos 47 da etapa final, só mostrou reação no segundo tempo. Os meias apareceram mais e talvez pela diminuição do ímpeto do Vitória, a equipe da Vila Belmiro mostrou mais garra para buscar o placar. Foi assim que o Santos conseguiu fazer seu segundo gol, aos 16, com Gans, aproveitando a bola parada a seu favor. Mas a reação acabou por aí mesmo…

Mas a noite não era mesmo do Peixe. Logo após a pequena reação do Peixe, Leandro Domingues marcou o quinto do Vitória. Ainda deu tempo para Jackson marcar aos 33 e fechar a goleada dos donos da casa.

A humilhante derrota mostra que os problemas fora de campo do Santos, com discussões entre jogadores e o ambiente pesado, já espalhou para o campo.

Na próxima rodada, o Vitória vai aos Aflitos, enfrentar o Náutico, na quinat-feira, às 21h. Já o Peixe recebe em casa o Barueri, na quarta-feira, às 21h.


FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA 6 X 2 SANTOS

Estádio: Barradão, Salvador (BA)
Data/hora: 12/07/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (RJ)
Auxiliares: Marco Aurélio Pessanha (RJ) e Ediney Guerreiro (RJ)
Renda/público: não disponíveis
Cartões amarelos: Molina, Paulo Henrique Rodrigues, Kléber Pereira, Domingos, Pará (SAN); Victor Ramos, Apodí, Wallace e William (VIT)

GOLS: Roger aos 3′ do 1º tempo e aos 15′ do 1º tempo, William aos 23′ do 1º tempo; Victor Ramos aos 27′ do 1º tempo; Kléber Pereira aos 47′ do 1º tempo; Paulo Henrique Ganso aos 16′ do 2ºT, Leandro Domingues aos 28′ do 2º tempo; Jackson aos 33′ do 2º tempo.

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor Ramos, Anderson Martins; Apodí, Uelliton (Carlos Alberto 37′ do 2ºT), Magal, Leandro Domingues (Elkson, 41′ do 2ºT), Leandro; William (Jackson 17′ do 2ºT e Roger. Técnico: Paulo César Carpegiani.

SANTOS: Douglas, Wagner Diniz (Luizinho, 15′ do 2ºT), Fabão, Domingos, Pará; Roberto Brum (Molina, 20′ do 1ºT), Paulo Henrique Rodrigues, Rodrigo Souto; Paulo Henrique Lima e Madson (Róbson, 29′ do 2ºT); Kléber Pereira. Técnico: Vágner Mancini.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Santos, Vitória | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Atlético-MG vence reservas do Cruzeiro

Com derrota do Internacional, Galo retoma a liderança

Os reservas do Cruzeiro sucumbiram diante do arquirrival Atlético-MG (Crédito: VIPCOMM)

Os reservas do Cruzeiro sucumbiram diante do arquirrival Atlético-MG

LANCEPRESS!

Com gols de Júnior, Alessandro e Éder Luís, o Atlético-MG derrotou o Cruzeiro por 3 a 0, neste domingo, no Mineirão e quebrou um tabu de dois anos e 12 partidas sem vencer o maior rival. Com a derrota do Internacional para o Atlético-PR, o Alvinegro voltou à liderança do Campeonato Brasileiro.

PRIMEIRO TEMPO
O Cruzeiro entrou em campo praticamente com um jogador a menos. Explica-se: o atacante Zé Carlos foi expulso com menos de um minuto de jogo, após dar uma cotovelada no volante Renan. Em um momento melhor e com um jogador a mais, o Atlético-MG pressionava a saída de bola do Cruzeiro. Mas quem quase marcou primeiro foi a Raposa. Após cruzamento de Deigo Renan, o volante Fabinho subiu de cabeça e a bola saiu tirando tinta da trave esquerda de Aranha.

Apesar do susto, o Galo continuou superior e só não chegou ao gol por conta da falta de pontaria de Júnior. O lateral, que estava jogando no meio teve quatro oportunidades de marcar, mas mandou a bola para longe. O Galo fazia uma blitz nos reservas do Cruzeiro, e, de tanto tentar, conseguiu chegar ao gol justamente com Júnior. Aos 40 minutos, o capitão do Atlético-MG marcou com uma bomba de direita, após furada de Diego Tardelli.

O gol não mudou o panorama da partida e não demorou para o Galo ampilar. Aos 43 minutos Diego Tardelli fez bela jogada pela esquerda, cruzou para a área, o volante Fabrício furou e Alessandro, que havia entrado no lugar de Marcos Rocha, mandou para o barbante. Após o segunda bola na rede, o árbitro Paulo César de Oliveira não demorou mais de cinco minutos para encerrar o primeiro tempo.

SEGUNDO TEMPO
A segunda etapa começou com uma cena curiosa. Mesmo perdendo, a torcida do Cruzeiro gritava “olé” quando o time celeste tocava a bola. Mas não foi a torcida da Raposa que fez o time de Celso Roth recuar. Evandro, que entrara no lugar de Júnior, arriscou de canhota e quase marcou o terceiro.

Pouco tempo depois, Éder Luís chegou muito perto de ampliar. De frente para o goleiro Andrey, o atacante chutou no meio do gol. A tônica da partida continuava a mesma e o Atlético-MG sempre esteve mais perto do gol. O meia Evandro levou perigo novamente ao gol do Cruzeiro com uma cabeçada que tocou na trave e balançou a rede pelo lado de fora.

Aos 43 minutos, em uma falha bizonha do goleiro Andrey, ainda daria tempo para Éder Luís marcar o terceiro gol do Galo com um lindo toque por cobertura. Com o resultado praticamente garantido, já que o Cruzeiro não mostrava forças para tentar uma reação, coube ao Galo tocar a bola e esperar o apito final do árbitro para sair do Mineirão com a vitória de 3 a 0.

FICHA TÉCNICA:
CRUZEIRO 0 X 3 ATLÉTICO-MG

Estádio: Mineirão (MG).
Data/hora: 12/07/2009 – 16h (de Brasília).
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP- Fifa).
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Janette Mara Arcanjo (MG).
Renda/público: Não divulgados.
Cartões amarelos: Marcos Rocha (ATL); Márcio Araújo (ATL); Renan (ATL); Elicarlos (CRU); Wanderley (CRU); Serginho (ATL).
Cartões vermelhos: Zé Carlos (CRU, 7s’/1ºT).
Gols: Júnior (0-1, 40’/1ºT); Alessandro (0-2, 43’/1ºT); Éder Luís (0-3, 43’/2ºT).

CRUZEIRO: Andrey, Jancarlos, Neguete, Vinícius e Diego Renan; Fabinho (Anderson, 13’/2ºT), Fabrício (Anderson Uchoa, 28’/2ºT), Elicarlos e Athirson; Thiago Ribeiro (Wanderley, 15’/2ºT) e Zé Carlos.
Técnico: Adilson Batista.

ATLÉTICO-MG: Aranha, Marcos Rocha (Alessandro, 30’/1ºT), Welton Felipe, Werley e Thiago Feltri; Renan (Serginho,31’/2ºT), Jonílson, Márcio Araújo e Júnior (Evandro, 16’/2ºT); Éder Luís e Diego Tardelli.
Técnico: Celso Roth.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Atlético-MG, Cruzeiro | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Adriano faz um, e São Paulo e Flamengo empatam no Morumbi

Time de Cuca chegou a estar vencendo por duas vezes, mas não resistiu

Léo Moura dá um carrinho em Marlos: empate em 2 a 2 no Morumbi (Crédito: Tom Dib)

Léo Moura dá um carrinho em Marlos: empate em 2 a 2 no Morumbi

Adriano voltou a deixar sua marca no Morumbi, mas não pôde evitar que o Flamengo sofresse duas vezes o empate do São Paulo, neste domingo, pela décima rodada do Brasileirão. Em partida bem disputada, e de baixo nível técnico, melhor para o Rubro-Negro, que se manteve na sétima posição na tabela. O rival é o 12º colocado.

Cuca anunciou que o Flamengo seria ofensivo quando tivesse a bola nos pés, ao atacar no esquema 3-4-3. A torcida rubro-negra talvez só não esperasse que a tática surtiria efeito logo de cara, depois de um erro grotesco de Denis. O goleiro são-paulino saiu jogando errado e entregou o ouro para Fierro, que abriu o placar, com o gol vazio, aos três minutos.

O abafa carioca, porém, não seguiu tão efetivo. Apesar das boas investidas de Everton Silva pela direita, lado que o Flamengo utilizava muito mais, apenas uma boa chance, por meio de Adriano, foi criada e desperdiçada. O time de Ricardo Gomes, por sua vez, sofria para armar as jogadas, parando com frequência em Willians.

Mas, num lance isolado, Borges aproveitou bobeira da defesa adversária e empatou a partida. Mesmo com muitas faltas, o Rubro-Negro seguia parando o Tricolor – terminou o primeiro tempo com nada menos que seis cartões amarelos. Na frente, no entanto, havia espaço para jogar.

Em uma das investidas, aos 21, Adriano caiu na área. O árbitro Ricardo Ribeiro assinalou a duvidosa penalidade. Com tranquilidade, o Imperador cobrou e ampliou para 16 a conta de gols no Morumbi em sua carreira. Detalhe é que não vibrou, segundo ele, em respeito ao ex-clube, pelo qual jogou apenas seis meses.

A partir daí, coube a equipe dirigida por Cuca conter o rival, que, sem mostrar qualquer padrão de jogo, ameaçava muito pouco. Antes do fim da primeira etapa, Renato Silva agarrou Zé Roberto e acabou expulso.

O que se viu na volta do intervalo, sem alterações em campo, na verdade, foi um Flamengo cauteloso, com mais dificuldade de ameaçar o São Paulo, em desvantagem numérica. Com isso, o jogo ficou feio, de muita marcação.

Mas não houve jeito. De tanto insistir, embora ainda desorganizado, o Tricolor conseguiu um pênalti, cometido por Willians. O “detalhe” é que o lance protagonizado por Miranda também foi controverso. Na batida, Jorge Wagner, que acabara de entrar, deslocou Bruno e igualou novamente o placar.

Ricardo Gomes ainda pôs Washington e Eduardo Costa, enquanto Cuca optou por Erick Flores, Jorbison e, depois, Petkovic, mudando apenas as peças, mas mantendo esquema, do qual gostou. Apesar de muita luta, nem mesmo os contragolpes são-paulinos – já que, à essa altura, o Fla voltara a dominar – deram jeito.

Quase nos acréscimos, Erick Flores, sem goleiro, mas também sem ângulo, e Jean perderam excelentes chances de garantirem a vitória para seus respectivos times. Antes do apito final, Everton Silva se embolou com Washington em sua área e os tricolores reclamaram pênalti.

Na próxima rodada, o São Paulo encara o Atlético Mineiro, em Belo Horizonte, na quinta-feira, e o Flamengo recebe o Palmeiras, um dia antes, no Maracanã.


FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 2 X 2 FLAMENGO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 12/7/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Ribeiro (MG)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Erich Bandeira(PE)
Renda/Público: R$ 507.690,00 / 21.648 pagantes
Cartões amarelos: Renato Silva (SAO); Fierro, Welington, Adriano, Bruno, Everton Silva, Léo Moura, Willians, Everton e Fabrício (FLA)
Cartões Vermelhos: Renato Silva, 43’/1ºT
GOLS: Fierro, 3’/1º (0-1), Borges, 18’/1ºT (1-1); Adriano, 21’/1ºT (1-2); Jorge Wagner, 19’/2ºT (2-2)

SÃO PAULO: Denis, Jean Rolt, Renato Silva, Miranda e Junior Cesar; Jean, Arouca, Hernanes (Eduardo Costa, 13’/2ºT) e Marlos; Hugo (Jorge Wagner, 13’/2ºT) e Borges (Washington, 31’/2ºT) – Técnico: Ricardo Gomes

FLAMENGO: Bruno, Wellinton (Erick Flores, 25’/2ºT), Fabrício e Ronaldo Angelim; Everton Silva, Willians, Léo Moura, Fierro (Jorbison, 33’/2ºT), Zé Roberto e Everton (Petkovic, 37’/2ºT); Adriano – Técnico: Cuca

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Flamengo, São Paulo | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Fluminense perde outra e se complica de vez

Santo André vence por 1 a 0 com gol contra e Tricolor vai para a zona de rebaixamento

(Crédito: Paulo Sérgio)

Com mais uma atuação sofrível, o Fluminense perdeu outra no Campeonato Brasileiro, entrou na zona de rebaixamento e aumentou sua crise. Desta vez o carrasco foi o Santo André, que venceu por 1 a 0, gol contra de Wellington Monteiro, neste domingo, no Engenhão, e complicou a vida de Parreira, ameaçado do cargo e hostilizado pelos torcedores.

O Engenhão vazio mostrou o quanto a torcida está insatisfeita com o time, que não vence há cinco jogos. Mas a pressão sobre o Fluminense, que já era grande, ficou ainda pior logo aos três minutos com o gol do Santo André. E mais uma vez a defesa tricolor falhou. Com espaço, Antônio Flavio entrou pela direita e cruzou. Wellington Monteiro tentou afastar, mas acabou marcando contra.

Aos poucos, a torcida foi parando de apoiar e passou a hostilizar principalmente Edcarlos e Wellington Monteiro. Desorganizado, o Fluminense teve maior domínio, mas foi o Santo André que esteve mais perto de ampliar. Com a defesa batendo cabeça e fazendo a linha burra de impedimento, o time só não saiu com um resultado pior por incompetência do adversário e pelo pé de Edcarlos, que tirou uma bola em cima da linha.

O único motivo para os tricolores comemorarem no primeiro tempo foi a atuação de Ruy. Fugindo ao seu estilo, Parreira surpreendeu e escalou o lateral logo no início no lugar de Mariano. E os torcedores puderam ver que o time ganhou mais uma opção de ataque além do solitário Conca. Só que a inoperância de João Paulo pelo outro lado continuou a mesma.

No intervalo, Marquinho entrou no lugar de Wellington Monteiro, mas o Fluminense continuou jogando da mesma maneira ou até pior. Bem armado na defesa, o Santo André deu poucas chances ao inoperante ataque tricolor e continuou assustando.

Com 20 minutos do segundo tempo, o Fluminense não conseguiu criar nenhuma grande chance de gol. Conca e Ruy sumiram do jogo e a esperança foi sumindo. A torcida perdeu completamente a paciência. Primeiro, Parreira foi hostilizado. Depois, Edcarlos, o mais perseguido, teve sua expulsão pedida após uma falta.

Aos trancos e barrancos o Fluminense foi pressionando. As entradas de Tartá e Maicon deram mais força ao ataque, mas foi Ricardo Berna que evitou o segundo gol em contra-ataque que Antônio Flavio entrou na área sozinho. Tartá também teve sua chance após falha de Neneca, mas chutou para fora. O goleiro se redimiu ao defender faltas cobrada por Conca.

O resultado foi o pior possível, já que na próxima rodada o Fluminense terá uma partida complicada para se recuperar e afastar a crise. O Tricolor enfrentará o vice-líder Internacional no Beira-Rio. Já o Santo André recebe o Atlético Paranaense.

A pressão é cada vez maior, o abismo está mais perto e muita coisa está errada no Fluminense. Para começar, Diguinho usando a camisa 10 tricolor.


FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 0 X 1 SANTO ANDRÉ

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 12/7/2009 às 18h30
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES)
Assistentes: Antônio Carlos de Oliveira (ES) e José Ricardo Linhares (ES)

Renda/público: R$ 72.360, 50/ 4.818 pagantes
Cartões amarelos: Tartá, Edcarlos, Conca (FLU); Marcelinho Carioca, Cesinha (STA)
GOLS: Welington Monteiro (contra), 3’/1ºT (0-1);

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Ruy, Edcarlos, Luiz Alberto e João Paulo (Tartá, 13’/2ºT); Wellington Monteiro (Marquinho, intervalo), Diguinho, Carlos Eduardo e Conca; Leandro Amaral (Maicon, 27’/2ºT) e Alan. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

SANTO ANDRÉ: Neneca; Cicinho (Dionísio, 16’/2ºT), Cesinha, Marcel e Gustavo Nery; Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca (Rodrigo Fabri, 41’/2ºT) e Élvis (Pablo Escobar, 29’/2ºT); Antônio Flávio e Nunes. Técnico: Sérgio Guedes.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Fluminense, Santo André | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em jogo eletrizante, Atlético-PR vence o Inter de virada

Colorado perde a liderança e Furacão se afasta da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro

Atlético e Inter eletrizante na Arena da Baixada, no Paraná (Crédito: Felipe Gabriel)

Atlético e Inter eletrizante na Arena da Baixada, no Paraná

LANCEPRESS!

Quem esteve na Arena da Baixada, neste domingo, viu a eletrizante vitória por 3 a 2, de virada, do Atlético-PR em cima do Internacional. Velocidade, disposição e muita qualidade dos dois lados. O placar faz o Inter perder a liderança. Já o Furacão se afasta da degola.

A partida foi de muita movimentação e marcação forte no meio-de-campo. Com tamanho equilíbrio, o gol do Internacional saiu de um lance de sorte. Nilmar arriscou da entrada da área, a bola desviou em Rhodolfo e enganou o goleiro.

E o gol não diminuiu a velocidade das equipes. Pela esquerda, Taison entrou na área, mas foi desarmado pela defesa. A resposta atleticana veio com Wallyson, que alçou bola pela direita e Paulo Baier, atrasado, perdeu ótima chance.

Em vantagem, o Inter abusou da bola esticada, já que Andrezinho foi bem marcado por Valencia. Os colorados viram o volante Guiñazú assumir a distribuição do jogo. Fechada, a equipe do técnico Tite se fechou no campo defensivo e buscou sair nos contra-ataques.

A partida não parou e a qualidade das equipes era visível. Em tarde inspirada, Marcinho, de letra, tocou para Paulo Baier, que parou no goleiro Lauro. Após ótima jogada de Wallyson pela direita, o próprio entrou na área, cruzou rasteiro para que Marcinho apenas desviasse para a rede.

Com muita disposição, Taison fez belo passe para Nilmar, mas o atacante chutou cruzado para a excelente defesa de Vinícius. A movimentação colorada diminui perto do intervalo. Mas o Atlético seguiu com disposição. Raul cruzou da direita, Wesley furou o arremate e Márcio Azevedo finalizou muito perto da trave direita.

A partida seguiu eletrizante na segunda etapa. Paulo Baier bateu falta pela esquerda, Chico desviou de cabeça e Lauro espalmou para fora da área. O Inter diminuiu a velocidade e ficou sem poder ofensivo na volta do intervalo.

Antes que o Colorado pudesse se reencontra, Bolívar empurrou Wallyson na área. Marcinho cobrou pênalti no canto esquerdo para a virada atleticana. Em sua melhor partida neste Brasileirão, o Atlético viu Marcinho cruzar para Wesley domingar na risca da área e finalizar no canto direito de Lauro para marcar o terceiro.

O Inter mudou três peças. Mas elas não foram suficientes para que o Colorado retomasse o bom futebol da primeira etapa. Alecsandro até diminuiu a vantagem após cobrança de falta de Andrezinho. Mas ficou assim: 3 a 2.

O Atlético dá esperanças aos torcedores de que a recuperação no campeonato é questão de tempo. Ótima partida e excelentes atuações de Marcinho, que teve chance de marcar o quarto nos acréscimos, mas o chute parou na trave, e Wesley.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-PR 3 X 2 INTERNACIONAL

Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data/Hora: 11/07/09 – 16h10 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Ênio Ferreira de Carvalho(DF) e Fábio Gonçalves (DF)
Renda/Público: R$ 352.640 – 16.747 pagantes
Cartões amarelos: Sorondo, Indio, Danilo Silva, Bolívar, Giuliano (INT); Raul, Nei (APR)
GOLS: Nilmar (9’/1T), Marcinho (31’/1T e 14’/2T), Wesley (25’/2T), Alecsandro (43’/2T)

ATLÉTICO-PR: Vinícius, Raul (Ney, 20’/2T), Rhodolfo, Rafael Santos e Márcio Azevedo; Valencia, Chico, Paulo Baier (Rafael Miranda, 31’/2T) e Marcinho; Wésley e Wallyson (Patrick, 21’/2T). Técnico: Waldemar Lemos.

INTERNACIONAL: Lauro, Bolívar (Danilo Silva, 29’/2T), Indio, Sorondo e Marcelo Cordeiro; Glaydson (Giuliano, 17’/2T), Guiñazú, Magrão e Andrezinho; Nilmar e Taison (Alecsandro, 21’/2T). Técnico: Tite.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Atlético-PR, Internacional | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Com gol de pênalti, Sport vence o Goiás na Ilha do Retiro

Equipe goiana conhece sua primeira derrota fora de casa

Sport vence e consegue se afastar da zona da degola (Crédito: Antônio Carneiro)

Sport vence e consegue se afastar da zona da degola

LANCEPRESS!

O Goiás conheceu sua primeira derrota fora de casa neste Campeonato Brasileiro. Foi derrotado por 1 a 0 pelo Sport, neste domingo, na Ilha do Retiro, com um gol de pênalti após o zagueiro Rafael Toloi colocar a mão na bola dentro da área goiana.

O Goiás não tomou conhecimento da pressão na Ilha do Retiro e logo assutou o goleiro Magrão. O lateral-direito Vitor puxou a marcação, arrumou para o chute e carimbou a trave de muito longe. Em seguida, Rafael Toloi cabeceou após o escanteio para fácil defesa do goleiro.

Com mais posse de bola, o Goiás avançava com os dois laterais. O atacante Felipe obrigou Magrão a boa defesa, espalmando para a linha de fundo. E a resposta do Rubro-Negro veio com Fabiano, que tentou o chute de longe após a zaga tirar o cruzamento de Ciro e a bola sobrar na entrada da área.

Após cobrança de escanteio, Rafael Toloi subiu e colocou a mão na bola. Infração vista pelo assistente Altemir Hausmann e assinalada pelo árbitro Leandro Vuaden. Fabiano cobrou no canto direito de Harlei para abrir o placar.

O Goiás sentiu o gol e não conseguiu a reação antes do intervalo. Com Vandinho no lugar de Ciro, o Sport tentou ampliar na segunda etapa e Guto só não marcou, pois Ernando travou o chute.

Cauteloso, o Sport tentou administrar a vantagem. Para isso, o técnico Emerson Leão reforçou a marcação deixando a equipe com apenas um atacante na segunda etapa. O Goiás não teve eficiência para marcar mesmo com três atacantes e o placar não mudou.

FICHA TÉCNICA:
SPORT 1 X 0 GOIÁS

Estádio: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data/hora: 12.07.09 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Altemir Hausmann (RS) e Alessandro Álvares Rocha de Matos (BA)
Cartões amarelos: Rafael Toloi, Julio Cesar, Vitor (GOI); César, Magrão, Vandinho (SPT)
Renda/Público: R$ 9.935 – 16.645 pagantes
GOL: Fabiano (17’/1T)

SPORT: Magrão, César, Igor, Durval; Élder Granja, Dudé, Sandro Goiano, Fabiano (Luciano Henrique, 19’/2T) e Dutra; Guto (Andrade, 26’/2T) e Ciro (Vandinho – intervalo). Técnico: Emerson Leão.

GOIÁS: Harlei, Ernando, Rafael Toloi e Leandro Euzébio; Vitor, Amaral, Ramalho, Felipe Menezes (Zé Carlos, 21’/2T) e Julio Cesar (Jael, 36’/2T); Iarley (Felipe Meneghel, 17’/2T) e Felipe. Técnico: Hélio dos Anjos.

julho 12, 2009 Posted by | Goiás, Sport | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo reencontra Adriano ao receber o Fla no Morumbi

Técnicos Cuca e Ricardo Gomes têm muitos desfalques para o jogo deste domingo, no Morumbi

LANCEPRESS!

Com mudanças e pressionado pela má situação na tabela, o São Paulo recebe o Flamengo, neste domingo, às 16h, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. A partida terá um aperitivo a mais para o torcedor são-paulino: pela primeira vez, o clube terá pela frente o Imperador Adriano, que teve passagem pelo Morumbi no ano passado.

Após a demissão do técnico Muricy Ramalho, em virtude de mais uma eliminação na Libertadores, o clube passa por um momento difícil e um revés contra a equipe carioca colocaria uma pressão muito grande sob o recente trabalho de Ricardo Gomes.

O novo treinador sabe que a torcida ainda não engoliu sua contratação e, por conta disso, a necessidade de resultados imediatos é evidente. Desta forma, o novo técnico do Sampa deve promover ao menos quatro mudanças com relação a equipe que foi derrotada pelo Coritiba, no último domingo.

Com André Dias suspenso, o comandante são-paulino será obrigado a mudar mais uma vez o setor defensivo. Renato Silva deve ficar com a vaga, formando dupla com Miranda. Os dois terão a missão de manter a boa média contra o Flamengo de Adriano. O Tricolor não sabe o que é sofrer um gol dos rubro-negros atuando no Morumbi desde 2004. O Imperador, como não poderia deixar de ser, preocupa muito os tricolores.

Mantendo o esquema 4-4-2, seu preferido, Ricardo Gomes, durante a semana, também acenou com a possibilidade de testar novamente o volante Arouca na lateral direita. Neste caso, Zé Luis vai para o banco de reservas. Assim como Washington que, constantemente, tem sido vaiado pela torcida. O atacante não marca um gol há seis partidas e, pela primeira vez, deve ser sacado da equipe, dando lugar a Hugo. Dagoberto está suspenso.

Para conseguir manter o Flamengo na principal competição das Américas no ano que vem, o técnico Cuca teve que alterar quase toda a equipe rubro-negra para este duelo importante.

Sem Aírton (suspenso no STJD), Juan (machucado), Toró (machucado), Emerson (suspenso por terceiro cartão amarelo), Kleberson (suspenso por cartão vermelho) e Ibson (voltou para o Porto), foi preciso escalar um Flamengo com dois laterais direitos em campo, sendo que Léo Moura jogará no meio-de-campo, deixando Everton Silva na posição original.

No ataque, Zé Roberto jogará aberto pela esquerda, enquanto Fierro subirá pela direita, com Adriano centralizado. A grande dúvida de Cuca é se escala a equipe rubro-negra no tradicional 4-4-2 ou se arma a equipe em um 3-4-3, com variações para o 3-6-1.


FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO X FLAMENGO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 12/7/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Ribeiro (MG)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Erich Bandeira(PE)

SÃO PAULO: Denis, Arouca, Renato Silva, Miranda e Junior Cesar; Eduardo Costa, Jean, Hernanes e Marlos; Hugo e Borges. Técnico: Ricardo Gomes

FLAMENGO: Bruno, Wellinton, Fabrício e Ronaldo Angelim; Everton Silva, Willians, Léo Moura e Everton; Fierro, Zé Roberto e Adriano. Técnico: Cuca.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Flamengo, São Paulo | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cruzeiro e Atlético-MG fazem clássico de focos opostos

André Durão /GLOBOESPORTE.COM

Raposa só pensa na Libertadores e Galo quer a ponta do BR

LANCEPRESS!

Cruzeiro e Atlético-MG fazem neste domingo um clássico de dois focos. A Raposa entra com um time diferente do habitual e com a cabeça na final da Copa Libertadores, na próxima quarta-feira, contra o Estudiantes. Já o Galo aposta todas as suas fichas na busca pela liderança pelo Campeonato Brasileiro e pelo fim do jejum de 12 partidas sem vencer o maior rival.

O time celeste deve contar com os garotos do time júnior e reservas de boa qualidade para tentar manter a invencibilidade diante do Alvinegro. Quando foi utilizado, o mistão da Raposa mostrou capacidade, mesmo quando saiu derrotado de campo, como foi contra Barueri e Goiás. Do outro lado, os atleticanos contarão com força máxima e acreditam principalmente no bom entrosamento vivido pela dupla Diego Tardelli/Éder Luís. Eles são responsáveis por 11 dos 20 gols do Galo no Brasileiro e juntos já balançaram redes em 44 ocasiões na temporada.

Outro confronto interessante do clássico será entre os dois treinadores, que vivem grandes momentos. Roth comanda pelo segundo ano consecutivo uma equipe que permanece nas cabeças do Brasileirão e quer conquistar o título inédito na sua carreira. Adilson, na Raposa desde o início de 2008, já foi campeão mineiro duas vezes e aposta no caneco da Libertadores, que já levantou como jogador do Grêmio em 95.

Apesar dos objetivos diferentes, os dois técnicos sabem da importância do clássico e farão de tudo para vencer o maior rival.

– O torcedor está muito contente com o nosso time, motivado. Temos muitos sócios-torcedores. Vai ser um jogo emocionante, importante para a nossa equipe – afirmou Adilson.

-Acho que a gente vem numa batida muito boa no Campeonato Brasileiro e não podemos transformar, ou mudar tudo de uma hora para outra. As coisas não são assim. Futebol é sequência de trabalho – afirmou Roth.

FICHA TÉCNICA:
CRUZEIRO X ATLÉTICO-MG

Estádio: Mineirão (MG)
Data/hora: 12/07/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP- Fifa)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Janette Mara Arcanjo (MG)

CRUZEIRO: Andrey, Jancarlos, Anderson, Neguete e Vinícius; Fabrício, Elicarlos, Bernardo e Athirson; Thiago Ribeiro e Zé Carlos. Técnico: Adilson Batista

ATLÉTIC0-MG: Aranha, Marcos Rocha, Welton Felipe, Werley e Thiago Feltri; Renan, Jonílson, Márcio Araújo e Júnior; Éder Luís e Diego Tardelli. Técnico: Celso Roth.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Atlético-MG, Cruzeiro | , , , , , | Deixe um comentário

Furacão e Inter buscam esquecer pancadas em jogo de recuperação

Paranaenses e gaúchos, vindo de derrotas pesadas, medem forças às 16h de domingo

Marcinho e Nilmar são esperanças de gol

Na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, Atlético-PR e Inter nada têm em comum. Mas os dois clubes compartilham uma questão no jogo das 16h deste domingo, na Arena da Baixada, em Curitiba: a necessidade de levantar a cabeça depois de duas pancadas feias. O Colorado vai a campo ainda buscando explicações para a derrota de 3 a 0 para a LDU na decisão da Recopa. O Furacão, depois de iniciar recuperação no Nacional, levou 4 a 1 do Grêmio na última rodada.

O time rubro-negro luta para fugir da zona de rebaixamento. O Atlético entra na rodada em 18º, com apenas oito pontos. A equipe gaúcha é a líder da competição, com 20 pontos, dois à frente do Atlético-MG, segundo colocado.

O GLOBOESPORTE.COM acompanha a partida em Tempo Real, com vídeos. A RBS TV mostra ao vivo para o Rio Grande do Sul. O Premiere, pelo sistema pay-per-view, exibe para todo o país.

Furacão sem Rafael Moura

O Atlético-PR tenta fugir da zona do rebaixamento, mas sabe que terá uma tarefa nada fácil. Além de enfrentar o líder do Brasileiro, o Furacão não poderá contar com seu principal atacante. Rafael Moura levou o terceiro cartão amarelo na derrota para o Grêmio e cumprirá suspensão automática. Wesley e Wallyson formarão a dupla de ataque para o confronto contra o Colorado.

A grande novidade na equipe será a entrada do lateral-direito Raul, de 19 anos. O jogador, que foi integrado ao elenco profissional neste ano, vive um momento especial na carreira. Ele foi convocado para a seleção brasileira sub-20, que disputa torneio na cidade de Puerto La Cruz, na Venezuela, em preparação para o Mundial da categoria, em agosto, no Egito. Raul acredita que a pouca idade não atrapalhará no desempenho pelo time principal do Furacão e promete muita vontade neste domingo.

– Tenho que entrar com muita determinação para ficar na equipe. A torcida pode esperar muita vontade do nosso time e muita determinação para conseguirmos a vitória – disse o jogador ao site oficial do clube.

O técnico Waldemar Lemos treinou muito o sistema defensivo durante a semana. A equipe paranaense tem a defesa mais vazada do Campeonato Brasileiro, com 19 gols sofridos em nove jogos disputados. O volante Chico fez questão de exaltar o ataque do Inter e pediu muita atenção com Nilmar.

– O Nilmar é um jogador muito rápido e que faz a diferença na velocidade. Ele pode definir a partida em um lance. Precisamos de muita atenção para não dar espaços para ele e para todo o time do Inter – lembrou.

Momento de questionamentos

Apesar da liderança isolada do Campeonato Brasileiro, o Inter vive momento de questionamentos. Atletas importantes da equipe colorada passam por má fase. Dois deles não encaram o Furacão: Kléber foi liberado para resolver assuntos particulares e D’Alessandro fica fora para fazer trabalhos de recondicionamento físico.

Sem o meia argentino, o equatoriano Bolaños ganha uma vaga na delegação colorada, já que a CBF só permite três estrangeiros sejam relacionados por partida.

O time tenta levantar a cabeça depois de perder duas finais consecutivas em um intervalo de uma semana – Copa do Brasil e Recopa. O volante Magrão diz que não vai faltar vontade.

– Quando o time não ganha, as pessoas só vêem coisas erradas, negativas. Quando ganhamos, está tudo uma maravilha. Sempre temos vontade e garra. Nosso trabalho é o mesmo do dia-a-dia, não mudou nada. O time do Inter sempre lutará dentro de campo. Não é porque perdemos o jogo que não temos vontade e empenho. É a marca do Inter, e nunca deixaremos isto se perder – disse o jogador.

O técnico Tite poderá contar com o lateral-direito Bolívar, que não enfrentou a LDU porque estava suspenso. No meio, Sandro, em processo de recuperação de lesão muscular, ainda não deve jogar. A expectativa é de que ele retorne no Gre-Nal do outro domingo. Na zaga, uma mudança. Suspenso, Danny Morais dará lugar a Sorondo, mas o substituto imediato seria Álvaro. No entanto, o jogador chegou 55 minutos atrasado no treino da manhã de sábado, por isso está fora da partida. As atividades foram realizadas com portões fechados, sem a presença da imprensa e da torcida.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Atlético-PR, Internacional | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Missão do Santos é parar o invicto Vitória

Duelo marca o reencontro de Vagner Mancini com ex-clube

LANCEPRESS!

O Santos enfrenta o Vitória neste domingo, às 18h30, no Barradão, disposto a encostar no G-4. Mas a missão santista não será fácil.

Na terceira posição, o time baiano é uma das sensações do Brasileiro e está invicto dentro de casa. Já o Peixe é o nono colocado e não tem boa campanha fora de casa. Em cinco jogos, venceu um, empatou três e perdeu outro.

– A gente já queria estar no G-4. Mas infelizmente não foi possível. Agora temos o confronto direto com o Vitória, então temos que fazer de tudo para somar pontos e tirar deles – analisou o goleiro Douglas.

O duelo também marca o retorno do técnico Vagner Mancini ao Barradão. O treinador foi comandante do Vitória de março de 2008 a fevereiro deste ano. E é justamente por conhecer o estilo ofensivo do rival, que Mancini deve escalar um time mais cauteloso, com a entrada do zagueiro Paulo Henrique Rodrigues, que também atua como volante, na vaga de Neymar, suspenso.

– Temos que salientar que é importante marcar bem o Vitória. Lá o campo é grande, o jogo é às 18h30, mas há uma atmosfera diferente. Temos que estar atentos a tudo isso – avisou Mancini.

Além de Neymar, o Santos não poderá contar com o lateral-esquerdo Léo, suspenso, e o goleiro Fábio Costa, lesionado. O zagueiro Fabão sentiu entorse no tornozelo esquerdo na sexta-feira e é dúvida. Se for vetado, Eli Sabiá fará sua estreia pelo Peixe.

No Vitória, o técnico Paulo César Carpegianni não poderá contar com o lateral-direito Apodi, com uma lesão no joelho, e Vanderson, que cumprirá suspensão pela expulsão contra o Flamengo.

Com a saída de Bosco e as atuações pouco convincentes de Nino Paraíba, Carpegiani improvisará o meia Elkeson na direita. Sem Vanderson, o meia Willian pode ganhar nova chance entre os titulares. Recuperado de lesão, o jogador voltará a ser utilizado desta vez no ataque.

FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA X SANTOS

Local: Barradão, em Salvador (BA)
Data/Hora: 12/7/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (RJ)
Auxiliares: Marco Aurélio dos Santos Pessanha (RJ) e Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ)

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor Ramos, Anderson Martins; Elkeson, Uelliton, Magal, Leandro Domingues, Leandro; William e Roger. Técnico: Paulo César Carpegiani.

SANTOS: Douglas, Wagner Diniz, Eli Sabiá (Fabão), Domingos, Pará; Roberto Brum, Paulo Henrique Rodrigues, Rodrigo Souto; Paulo Henrique Lima e Madson; Kléber Pereira. Técnico: VAgner Mancini.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Santos, Vitória | , , , , , , | Deixe um comentário

Corinthians volta ao Olímpico após acesso

Grêmio recebe o Timão no estádio que marcou a queda para segunda divisão

LANCEPRESS!

Neste domingo, as 16h, o Corinthians retorna ao estádio que marcou a pior fase da história do clube. No local que sacramentou a queda para a série B, o Grêmio recebe a equipe de Parque São Jorge pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Entretanto, agora o Corinthians vive um momento completamente diferente daquela ocasião. Retornou para a primeira divisão com algumas rodadas de antecipação, foi campeão paulista invicto e sagrou-se campeão da Copa do Brasil, fatos que o condecoram como um dos melhores times do país na atualidade.

Após uma bela exibição contra o Fluminense na última rodada, a equipe de Mano Menezes reforçou a vontade de brigar pela possível conquista da tríplice coroa, entrando firme da disputa do título brasileiro.

– É um momento muito importante e pode ser histórico conquistar a tríplice coroa. Ganhamos o Paulista, a Copa do Brasil e vamos em busca do Brasileiro – disse Dentinho, animado com a fase corintiana.

Apesar de não estar no rebaixamento corintiano, Mano Menezes também terá um importante reencontro no domingo. Depois de deixar o Grêmio para comandar o Corinthians, será a primeira vez que o treinador irá enfrentar seu ex-clube. Alheio a sentimentalismos, o gaúcho só pensa em conquistar mais um título na temporada.

– Temos o Brasileiro pela frente, o principal campeonato do país que está aí para ser ganho por alguém e nos sentimos candidatos. Temos equipe para brigar. Temos que esquecer a Libertadores que é no ano que vem. Você não joga uma competição seis meses antes de começar – afirmou Mano.

Já o Grêmio faz uma campanha em tudo mediana. Ou medíocre, se comparada à do Brasileiro passado, em que foi vice. Colocado bem no meio da tabela, em 10º lugar, o jogo contra o Corinthians servirá como um definidor dessa questão.

Se o Tricolor derrotar aquele que seu técnico, Paulo Autuori, considera o melhor time brasileiro da atualidade, ganhará moral e poderá embalar. Afinal, já vem de uma vitória – a goleada de 4 a 1 sobre o Atlético-PR, domingo passado, em casa. Aquele resultado serviu para dar vida nova a um time em depressão pela eliminação da Libertadores. Para completar o tratamento, nada como ganhar de Ronaldo & Cia. Há muita excitação entre os gremistas. O Olímpico deverá receber mais de 40 mil deles.

Alívio na comissão técnica: os exames em Réver, poupado do treino da sexta-feira devido a dores musculares na perna direita, não acusaram lesão, e o melhor jogador do sistema defensivo gremista vai para o jogo. Assim, a confiança em deter o ataque do Timão aumenta.

O assunto dominante, depois do treino de sexta, aliás, foi justamente esse. O atacante Maxi López e o volante Túlio foram unânimes em afirmar que, mais do que uma marcação especial sobre Ronaldo, é importante fazer com que a bola não chegue até ele.

– É preciso bloquear os passes, porque as coisas sempre se complicam quando Ronaldo pega na bola – afirmou Maxi López. Que, no entanto, quer ver seu time amassando o Timão.

– Precisamos matar o Corinthians rápido – receitou o argentino.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO X CORINTHIANS

Estádio: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 12/07/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Pedro Jorge de Araujo (AL) e Carlos Titara da Rocha (AL)

GRÊMIO: Victor; Thiego, Léo, Réver e Fábio Santos; Adílson, Túlio, Tcheco e Souza; Jonas e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori

CORINTHIANS: Felipe; Alessandro, Jean, Diego e André Santos; Cristian, Elias e Douglas; Dentinho, Ronaldo e Jorge Henrique. Técnico: Mano Menezes

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Corinthians, Grêmio | , , , , , , , | Deixe um comentário

Flu recebe o Santo André precisando da vitória

Tricolor tenta voltar a vencer para se afastar da zona de rebaixamento

LANCEPRESS!

Sem vencer há quatro partidas, o Fluminense encara o Santo André neste domingo, às 18h30, no Engenhão, em situação delicada no Campeonato Brasileiro. Apesar de ainda ser o início da competição, o Tricolor precisa do resultado positivo para ter tranquilidade e ficar fora da zona de rebaixamento. Já o clube do ABC paulista conta com o retorno de titulares para voltar a vencer.

Dono do pior ataque do Brasileiro (com apenas oito gols), o Fluminense ainda terá o desfalque de seu artilheiro Fred, suspenso. O técnico Carlos Alberto Parreira já confirmou a entrada de Alan, que no último jogo atuou bem e marcou até um gol. A esperança é que o ataque volte a funcionar para o time engrenar na competição.

– Só podemos pensar na vitória. O Fluminense estava em uma zona nebulosa, mas agora entrou numa zona de desconforto. Se não ganhar pode ir para a zona de rebaixamento – afirmou Parreira.

Mas o problema não é apenas esse. Na 15ª posição na tabela, o Fluminense precisa de uma boa atuação no Rio para voltar a ter o apoio da torcida, insatisfeita com os últimos resultados e com os erros individuais. Apesar de serem contestados, Edcarlos e Mariano deverão ter mais uma chance. Apresentado nesta semana, Ruy deve ficar no banco de reservas. Em compensação, o Tricolor terá de volta o capitão Luiz Alberto, que cumpria suspensão.

– A pressão da torcida pode atrapalhar. É normal, nós estamos acostumados. Na fase boa, erramos dois passes seguidos e os torcedores aplaudem – disse Leandro Amaral.

Depois da goleada sofrida para o Vitória por 4 a 1 e do empate por 1 a 1 com o Barueri, o Santo André espera voltar a vencer no Brasileiro. A principal novidade é o retorno de Cicinho, que desfalcou a equipe na última rodada por estar com dores na perna esquerda. Já Gustavo Nery ainda é dúvida.

O lateral estava certo de que iria voltar a jogar após sofrer uma cirurgia no joelho esquerdo há um mês, mas sentiu dores no local e ainda não sabe se vai jogar.

O técnico Sérgio Guedes está confiante no aproveitamento de Gustavo Nery e comemorou o fato de não ter mais problemas médicos:

– A princípio está tudo bem, mas em qualquer caso temos o Arthur. Vamos iniciar uma fase importante dentro do Brasileiro e é muito bom poder ter todos os jogadores à disposição. Vamos enfrentar um mês recheado de jogos (10 em 33 dias) e é fundamental termos peças de reposição.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE X SANTO ANDRE

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 12/7/2009 às 18h30
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES)
Assistentes: Antônio Carlos de Oliveira (ES) e José Ricardo Linhares (ES)

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Edcarlos, Luiz Alberto e João Paulo; Wellington Monteiro, Fabinho (Carlos Eduardo ou Marquinho), Diguinho e Conca; Leandro Amaral e Alan. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

SANTO ANDRÉ: Neneca; Cicinho, Cesinha, Marcel e Gustavo Néry (Arthur); Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca e Élvis; Pablo Escobar e Nunes. Técnico: Sérgio Guedes.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 12, 2009 Posted by | Fluminense, Santo André | , , , , , , , , | Deixe um comentário