Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Confusão marca o desembarque dos heróis corintianos em Cumbica

Oito jogadores saem no saguão e precisam da ajuda de seguranças para driblarem os empolgados torcedores

Ampliar Foto Francio de Holanda/GLOBOESPORTE.COM Francio de Holanda/GLOBOESPORTE.COM

Goleiro Felipe tenta se esconder sob o boné

O relógio marcava 13h47m quando a espera finalmente acabou. Desde o meio-dia, aproximadamente 400 torcedores do Corinthians esperavam no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, a chegada dos heróis alvinegros, que na última quarta-feira, conquistaram o tricampeonato da Copa do Brasil, após um empate por 2 a 2 com o Internacional, no estádio Beira-Rio. A delegação alvinegra vai ainda nesta quinta até Brasília para ser recebida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O primeiro a aparecer foi o zagueiro Jean reserva. Ele praticamente não foi utilizado por Mano Menezes, mas, com o título conquistado, virou ídolo. Assim que ele apareceu, a massa foi toda para cima dele. Um segurança, inutilmente, tentava proteger o jogador, que sorria e gritava.

– O que é isso? Eu nunca vi nada tão maravilhoso. Essa torcida é realmente fantástica, esse título é para eles – afirmou.

A seguir, outros apareceram. Vieram Otacílio Neto, Chicão, Douglas, Diego, Felipe, Marcelinho, Alessandro e Boquita. Os seguranças não mediam esforços para protegerem os atletas. Quem chegou perto para tentar uma foto levou tapa, empurrão e cotovelada. Uma atitude infeliz dos seguranças que claramente não foram orientados.

Frâncio de Holanda/GLOBOESPORTE.COM

Diego é cercado por torcedores corintianos no aeroporto

O meia Douglas agradeceu o apoio do torcedor.

– Esse título é para a torcida corintiana, que é maravilhosa. Agora vamos aproveitar para descansar e comemorar com os familiares.

Diego foi o único atleta que teve paciência. Atendeu a todos os torcedores, tirou centenas de fotos e deu muitos, muitos autógrafos. Tamanha boa vontade foi reconhecida pela galera.

– El, el, el, Diego é da Fiel.

O beque retribuiu.

– Esse carinho é bom demais para nós jogadores. Agora temos de ir atrás da tríplice coroa. Já ganhamos o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil e temos todas as condições de vencer o Campeonato Brasileiro também.

Em compensação, o goleiro Felipe não escondeu a irritação. Primeiramente, ele saiu de boné, como se fosse possível não ser reconhecido. Protegido por seguranças, ele caminhou em direção a um táxi. Quando estava chegando perto, um torcedor arrancou o seu boné. Visivelmente descontrolado, ele olhou para trás e gritou com o torcedor, que devolveu na hora.

O camisa 1 ainda disparou outros xingamentos e entrou no táxi.

Frâncio de Holanda/GLOBOESPORTE.COM

Felipe mostra a medalha da conquista da Copa do Brasil

julho 2, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Timão chega a São Paulo e muitos torcedores aguardam os campeões

Cerca de 400 fiéis estão no setor de desembarque. Alguns atletas irão descer e outros seguirão para Brasília para encontro com o presidente Lula

A torcida do Corinthians não arreda o pé do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Apesar de já haver a confirmação oficial de que a delegação alvinegra seguirá para Brasília, onde haverá um encontro com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a Fiel não perde a esperança. Muitas crianças aproveitaram as férias e foram com os pais na tentativa de ver de perto os seus ídolos. O avião pousou às 13h30m. Alguns atletas irão desembarcar e outros seguirão para a capital federal para evento no Palácio do Planalto.

Marcelo Prado/GLOBOESPORTE.COM

Torcedores corintianos lotam o setor de desembarque do aeroporto internacional de Cumbica

A geração de torcedores do futuro do Corinthians marcou presença em várias faixas etárias. Caio Daniel de Morais, de 9 anos, estava feliz da vida com o título. Ele disse que espera ganhar um autógrafo de Dentinho.

– Meu pai me deixou assistir ao jogo até o final. Já estou de férias na escola e pude dormir mais tarde ontem. Fiquei muito feliz porque o Corinthians mereceu – afirmou o garoto, timidamente.

Ao seu lado, estava Ian Ronaldo de Morais, de 5 anos. Para ele, vale o sacrifício. Afinal, não é todo dia que se pode ver Ronaldo de perto.


– Ele é bom demais. Espero que apareça aqui. Ele é o meu ídolo – ressaltou o garoto.

Para completar, o trio, o pequeno Guilherme Morais da Silva, de 3 anos, estava sério. Não queria dar entrevista e, na primeira foto, não sorriu. Após um pedido do pai, o moleque abriu uma gargalhada e disse que queria ver o zagueiro Chicão.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 2, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , | Deixe um comentário

Grêmio e Cruzeiro: só uma vaga na decisão

Qual dos dois fará a final da Libertadores contra o Estudiantes?

LANCEPRESS!

O Grêmio recebe o Cruzeiro nesta quinta-feira, na partida decisiva das semifinais da Libertadores. O Tricolor Gaúcho foi derrotado na partida da última semana, no Mineirão, por 3 a 1, e terá de vencer por 2 a 0 ou três gols de diferença, caso o Cruzeiro balance as redes. A principal mudança no time de Porto Alegre é a entrada de Herrera no lugar do questionado Alex Mineiro.

Com a mudança, o técnico Paulo Autuori turbinou outro fator favorável. A torcida, que já faria um barulho infernal com qualquer um que não se chamasse Alex Mineiro, é fã incondicional de Herrera desde sua primeira passagem, em 2006. Herrera, aliás, entra no time devido à fase desfavorável de Alex, que está completando quatro meses sem marcar um mísero gol – o último foi na derrota de 2 a 1 para o Inter, em 1º de março, pelo Gauchão.

— O momento não é mesmo propício para continuar a insistir com o Alex Mineiro – convenceu-se Autuori, que percebeu a animosidade da torcida com o camisa 9, depois dos dois gols perdidos no jogo do Mineirão.

Herrera entra, também, para mudar o estilo da equipe na parte ofensiva. O Grêmio vai partir desde cedo para o abafa, e precisa de dois atacantes definidores. Ao contrário de Alex Mineiro, que costuma recuar para elaborar jogadas, o argentino é mais agudo. Seu forte é corpo-a-corpo na grande área. Mas também se desloca para o lado direito, buscando o cruzamento para o cabeceio de Maxi López.

A outra modificação será a volta do goleiro Victor, que esteve com a Seleção na África do Sul, desfalcando a equipe em quatro jogos do Brasileiro e dois da Libertadores. Marcelo Grohe foi isentado de culpa nos três gols do Cruzeiro. Mas, diz-se no Olímpico, é incapaz de praticar os “milagres” do titular.

Diferentemente do que aconteceu no primeiro jogo, o Cruzeiro terá reforços consideráveis e que podem ajudar o time na manutenção da vantagem estabelecida em casa. Se há uma semana Adilson Batista perdeu dois jogadores por lesão e ficou sem um suplente no banco de reservas, o treinador poderá contar com dois cruzeirenses que não participaram da vitória por 3 a 1, em Belo Horizonte, além do retorno de Ramires, que estava com a Seleção Brasileira.

Gerson Magrão e Thiago Ribeiro, titulares do time, foram liberados pelo departamento médico. Magrão deverá começar jogando na lateral esquerda. Thiago, por sua vez, pode ser preservado para o segundo tempo e irá explorar a sua característica principal: a velocidade.

– Sabemos que o Grêmio vai querer pressionar e temos de estar bem fechado, como foi no Morumbi, para, nos contra-ataques, na base da velocidade, surpreender e marcar. Sabemos que, fazendo um gol, a dificuldade para o Grêmio aumenta ainda mais – analisou o atacante.

A última vez que a Raposa chegou à semifinal da Libertadores foi em 1997, ano em que o time conquistou o bicampeonato da competição sob o comando de Paulo Autuori, hoje à frente do Grêmio.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO x GRÊMIO

Estádio: Olímpico Monumental, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 2/7/2009 – 21h50
Árbitro: Óscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Abraham González (COL) e Humberto Clavijo (COL).

GRÊMIO: Victor, Thiego, Leo, Réver e Fábio Santos; Adilson, Túlio, Souza e Tcheco; Herrera e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva e Gerson Magrão; Henrique (Fabinho), Marquinhos Paraná, Ramires e Wagner; Wellington Paulista e Kléber. Técnico: Adilson Batista

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 2, 2009 Posted by | Cruzeiro, Grêmio | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Corinthians conquista o tri da Copa do Brasil

Timão fica no 2 a 2 com o Internacional e garante vaga na Libertadores em 2010, ano do seu centenário

Corintianos comemoram no Beira-Rio (Crédito: Ricardo Rímoli)

Corintianos comemoram no Beira-Rio

O que era para ser um inferno vermelho para o Corinthians, o Gigante da Beira-Rio se tornou um paraíso para o Timão, que empatou em 2 a 2 com Internacional, conquistou o tricampeonato da Copa do Brasil (95-02-09) e garantiu vaga na Copa Libertadores da América de 2010, ano de seu centenário.

Se Porto Alegre foi palco do rebaixamento do Alvinegro de Parque São Jorge em 2007, foi na capital gaúcha que Ronaldo, Elias & Cia começaram a traçar os planos para os cem anos do time paulista. Do lado colorado, fica o sentimento de frustração por ter conseguido até então apenas o título estadual.

Além de conquistar o tri do clube no torneio nacional, Mano Menezes escreveu mais uma linha na História do Timão – levantou a terceira taça consecutiva no comando da equipe de Parque São Jorge. O técnico havia conquistado a Série B do Campeonato Brasileiro em 2008 e o Paulistão de forma invicta no primeiro semestre deste ano.

Já Ronaldo colocou na sua sala de troféus o primeiro de grande repercussão no Brasil. Ou seja, desde que voltou de sua terceira grave contusão na carreira, papou tudo – Paulista e Copa do Brasil.

Como era de se esperar, o Colorado iniciou a partida fazendo pressão a partir de seu campo de ataque. Com forte marcação de ambos os lados, o juiz Ricardo Marques Ribeiro aplicou dois cartões amarelos em menos de cinco minutos – um para André Santos e outro para Índio.

Apesar de belas trocas de passes, os gaúchos não conseguiam furar a barreira corintiana formada por William e Chicão, que não perdem atuando juntos desde a final da Copa do Brasil de 2008. Quando conseguiraram furar o bloqueio, Taison e Nilmar pararam nas mãos de Felipe.

Aos 12 minutos de jogo, D’Alessandro lançou Taison, mas o arqueiro antecipou o lance. A resposta dos comandados de Mano Menezes viria três minutos depois, com gol de Jorge Henrique, mas o assisestente invalidou corretamente a jogada, já que o camisa 23 estava em impedimento quando recebeu passe de Elias.

Porém, o atacante alvinegro fez Lauro buscar a bola no fundo da rede mais uma vez. Aos 19 minutos, André Santos cruzou na cabeça do pequenino Jorge Henrique que, com 1,69 cm de altura, antecipou o zagueiro Danny Morais, que tem 1,88 cm e foi escolhido por Tite para o lugar de Álvaro, titular no embate de ida.

Passados oito minutos, André Santos ampliou a vantagem para cima do Internacional que, por superstição, entrou em campo com o uniforme branco, com qual foi campeão do mundo em 2006. André Santos, Jorge Henrique e Ronaldo fizeram uma triangulação fenomenal, e o lateral-esquerdo saiu livre dentro da área para encher o pé e colocar as mãos corintianas de vez na taça da Copa do Brasil. Antes do intervalo, Nilmar obrigou Felipe a fazer grande defesa depois de belo passe de letra de Taison, que terminou a competição como artilheiro, com sete gols.

Na volta dos vestiários, Tite colocou Alecsandro no lugar de Glaydson, que fora escalado no lugar de Sandro, machucado. De tanto insistir e pelo recuo mais do que natural do Corinthians, o Inter conseguiu marcar duas vezes.

A primeira aos 25 minutos, quando D’Alessandro tentou passe, a bola desviou em Jorge Henrique e sobrou para Alecsandro tocar na saída de Felipe. A segunda aos 29, de cabeça, após cruzamento. Empatada a partida, Cristian caiu no gramado e os atletas colorados foram para cima do corintiano tirar satisfação, o que causou cartão vermelho para D’Alessandro.

Depois da confusão, Andrezinho colocou bola na área, em cobrança de falta, e Magrão desviou para o goleiro alvinegro espalmar para escanteio.

O Timão segurou o empate, sagrou-se tricampeão da Copa do Brasil e mantém 2009 literalmente fenomenal.

FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL 2 X 2 CORINTHIANS

Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 1/7/2009 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa – MG)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifca- PR) e Alessandro Matos (Fifa – BA)
Renda e público: R$754.460,00 / 50.286 pagantes
Cartões amarelos: Índio, Bolívar D’Alessandro, Taison, Nilmar (INT); André Santos, Jean, Diego, Elias, Douglas (COR)
Cartões vermelhos: D’Alessandro (30’/2ºT); Elias (37’/2ºT)
Gols:Jorge Henrique, 19’/1ºT (0-1); André Santos, 27’/1ºT (0-2); Alecsandro, 25’/2ºT (1-2); Alecsandro, 29’/2ºT (2-2).

INTERNACIONAL: Lauro; Bolivar (Danilo Silva 42’/2ºT), Índio, Danny Morais, Kléber; Guiñazú, Magrão, Glaydson (Alecsandro/Intervalo), D’Alessandro, Taison (Andrezinho 20’/2ºT) e Nilmar. Técnico: Tite.

CORINTHIANS: Felipe; Alessandro, Chicão, William, André Santos (Diego 33’/2ºT); Elias, Cristian (Boquita 35’/2ºT), Douglas, Jorge Henrique, Dentinho (Jean 38’/2ºT), Ronaldo. Técnico: Mano Menezes.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

julho 2, 2009 Posted by | Corinthians, Internacional | , , , , , , , , | Deixe um comentário

O Coringão voltou… para Libertadores: Timão empata e fatura Copa do Brasil

Editoria de Arte / GLOBOESPORTE.COM

julho 2, 2009 Posted by | Corinthians | | Deixe um comentário