Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Palmeiras x Nacional: apostas em dois atacantes que vivem momentos distintos

Keirrison está em baixa, mas segue como artilheiro do Verdão. Biscayzacú foi o herói no último clássico contra o Peñarol no Uruguai

Ampliar Foto Editoria de Arte/GLOBOESPORTE.COM Editoria de Arte/GLOBOESPORTE.COM

Keirrison e Biscayzacú: artilheiros em campo

O duelo entre Palmeiras e Nacional, nesta quinta-feira, às 22h, pelas quartas de final da Taça Libertadores, marcará o encontro de duas equipes que vêm de clássicos locais, com atacantes que vivem fases distintas. Enquanto o badalado Keirrison tem atuações irregulares, mas ainda mantém o posto de artilheiro da equipe na temporada, Gustavo Biscayzacú foi proclamado pela imprensa uruguaia o ‘herói’, depois de marcar três gols na partida contra o Peñarol, que terminou 3 a 2. E são neles que as equipes apostam para avançar às semifinais do torneio. O Sportv e a Rádio Globo AM transmitem a partida a partir das 22h. O GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real.

Biscayzacú preocupa o Verdão
O matador do time uruguaio de sobrenome complicado marcou seis gols nas últimas três partidas pelo Nacional. Aos 30 anos, Biscayzacú chega ao Brasil em alta depois dos gols no clássico do futebol de seu país. Ex-atleta do Nacaxa, do México, ele tem sete gols em sete partidas e foi inscrito na equipe somente nesta fase da Libertadores. Biscayzacú é o principal alvo da defesa alviverde e foi o atleta que mais ocupou espaço entre as imagens distribuídas ao elenco, no DVD que mostra lances do Nacional.

Embora não viva um de seus melhores momentos, Keirrison ainda é o artilheiro palmeirense na Libertadores, com seis gols. O atacante usa como justificativa para a oscilação de seu desempenho em campo o fato de ter mudado um pouco seu posicionamento – agora tem de voltar mais para buscar jogo. Diferentemente de seu oponente, passou em branco no clássico do último domingo, contra o São Paulo – a partida terminou 0 a 0. Além disso, ele terá como sombra Obina, novo atacante do clube, e que não marca há 17 jogos.

– Não contratei o Obina para mexer com o Keirrison. Se o Keirrison tiver de jogar, vai jogar. Senão, não. Nós confiamos neles e acreditamos que o Palmeiras pode fazer um bom jogo – disse Vanderlei Luxemburgo.

Fabinho Capixaba na direita e nada de sofrer gols

O Palmeiras que enfrenta o Nacional terá o contestado lateral-direito Fabinho Capixaba como titular da posição. O atleta entra na vaga de Wendel, suspenso por ter sido expulso contra o Sport, e ganhou o apoio do técnico, que pediu para os torcedores terem paciência.

Na zaga, permanecem com Maurício Ramos, Danilo e Marcão, sendo que o último pode alternar na lateral esquerda com o colombiano Armero. Pierre e Souza devem ser os responsáveis pela contenção, para que a equipe tenha uma marcação mais forte no meio-campo.

O objetivo do Palmeiras é não sofrer gols em casa, uma vez que um tento sofrido pode fazer com que a equipe tenha de marcar dois na partida de volta, marcada para o próximo dia 17, no Uruguai.

– Temos de ter atenção. Não dá para se atirar ao ataque de qualquer jeito. Temos de ter cuidado porque não podemos sofrer gols. É ter paciência. O resto é jogar para frente e se empenhar ao máximo – disse o meia Diego Souza, que deve jogar mais à frente, perto de Keirrison.

Nacional empolgado

No time uruguaio, o otimismo é total. A vitória sobre o rival Peñarol por 3 a 2, no último fim de semana, pelo Campeonato Uruguaio, serviu para mostrar que o Palmeiras terá muitas dificuldades. O técnico Gerardo Pelusso afirma que seu time vai sair para o jogo e enfrentar o rival de igual para igual.

– Não podemos deixar o Palmeiras jogar porque eles têm jogadores que podem desequilibrar. Mas também vamos sair para o jogo porque temos qualidade para isso. Será um duelo muito parelho e no qual os detalhes vão fazer a diferença.

O treinador confirmou seu time no esquema 4-4-2. No meio-campo, serão três volantes marcadores, o que deixará o meia Lodero livre para criar. No ataque, a sensação Biscayzacú e Medina estão confirmados.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS NACIONAL
Marcos; Maurício Ramos, Danilo e Marcão; Fabinho Capixaba, Pierre, Souza, Cleiton Xavier e Armero; Diego Souza e Keirrison. Muñoz; Caballero, Coates, Victorino e Rodriguez; Fernandez, Morales, Arismendi e Lodero; Biscayzacú e Medina.
Técnico: V. Luxemburgo Técnico: Geraldo Pelusso.
Estádio: Palestra Itália. Data: 28/05/2009. Horário: 22h. Árbitro: Carlos Torres (PAR). Auxiliares: Rodney Aquino e Milcíades Saldívar.
Transmissão: O Sportv exibe a partida ao vivo. O Premiere, pelo sistema pay-per-view, mostra para todo o país.
Tempo Real: O GLOBOESPORTE.COM acompanha a partir das 22h (de Brasília).

maio 28, 2009 Posted by | Palmeiras | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Cruzeiro é melhor e vence o São Paulo

Com o 2 a 1 desta quarta-feira, Raposa precisa de um empate no Morumbi; Tricolor joga mal, de novo

Cruzeirenses comemoram gol nesta quarta-feira; Raposa abre vantagem (Foto: Gil Leonardi)

Cruzeirenses comemoram gol nesta quarta-feira; Raposa abre vantagem (Foto: Gil Leonardi)

O público recorde da Libertadores deste ano viu um bom jogo nesta quarta-feira, no Mineirão. Aproveitando o embalo da torcida, o Cruzeiro pressionou mas não conseguiu fazer uma vantagem maior que os 2 a 1 sobre o São Paulo.

Resultado não desastroso para o Tricolor, que precisa de um triunfo por 1 a 0 (ou dois gols de diferença), no Morumbi, no dia 17 de junho, no Morumbi. A Raposa foi melhor nesta quarta, o São Paulo foi eliminado nas últimas três edições da Libertadores por times brasileiros, mas em casa o São Paulo pode reverter.

Mais uma vez Muricy Ramalho optou pela entrada de Richarlyson. Desta vez, o jogador atuou como lateral-esquerdo. Nos últimos jogos, o camisa 20 foi zagueiro.

Com o seu time no 4-4-2, Muricy apostou em dois volantes para atuar nas duas laterais. Curiosamente, o técnico tinha no banco de reservas dois especialistas para as posições: Wagner Diniz, para a direita, e Júnior César, para a esquerda.

Já Adilson Batista preferiu não arriscar. Sem Wágner, o treinador preferiu adiantar Ramires e Marquinhos Paraná e deixou Athirson, que poderia atuar na meia, no banco de reservas.

Jogando em casa e apoiado pela torcida, o Cruzeiro foi superior durante todo o primeiro tempo. Com Thiago Ribeiro e Kléber caindo pelas pontas, o time apostou na velocidade para furar o bloqueio do São Paulo.

O Tricolor paulista pouco chegou ao ataque. E o quando o fez, mais uma vez, cruzou insistentemente a bola. Isolado no ataque e sem velocidade, Washington sofreu para conseguir produzir algo. Dagoberto, muito sacrificado na marcação, pouco ajudou.

Apesar do domínio territorial, a Raposa conseguiu chegar com perigo na maioria das vezes com bolas chutadas de fora da área. Seguro, o jovem goleiro Denis, rechaçou as que chegaram na etapa incial.

Na última intervenção do arqueiro são-paulino, aos 45 minutos, do primeiro tempo, ele fez boa defesa em chute rasteiro de Henrique, espalmando a bola para o escanteio. Na cobrança, Leonardo Silva chegou antes da defesa tricolor e abriu o placar de cabeça.

No segundo tempo, com a lesão de Thiago Ribeiro, Adilson colocou Athirson em campo. Lateral-esquerdo de origem, o jogador foi escalado no meio-de-campo, com Kléber isolado no ataque.

A aposta era no contra-ataque, com Ramires e Athirson como responsáveis em municiar o Gladiador. Mas a jogada aérea do São Paulo finalmente funcionou no jogo. Dagoberto cabeceou para grande defesa de Fábio, mas Washigton – que acabara de perder uma boa chance – aproveitou o rebote e contou com a sorte (a bola só entrou porque pegou no zagueiro) para empatar aos 11 minutos.

Com o gol do São Paulo, o primeiro sofrido pelo Cruzeiro no Mineirão nesta Libertadores, Adilson voltou a escalar dois atacantes. Promoveu a entrada de Zé Carlos, que fez sua estreia na competição sul-americana, na vaga do lateral-esquerdo Gérson Magrão, voltando Athirson para o setor.

E brilhou a estrela do “estreante”. Em uma de suas primeiras jogadas, Zé Carlos marcou o segundo da Raposa. Após boa trama de Kléber, Jonathan cruzou para o camisa 18 tocar para as redes. Lance que o goleiro Denis poderia ter evitado.

Aos 26 do segundo tempo, Muricy abriu mão de vez do seu ataque titular, escalando André Lima e Borges. Mas as substituições não surtiram efeito e a Raposa continuou melhor. Mas não conseguiu aumentar a vantagem.


FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 2 X 1 SÃO PAULO

Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 27/5/2009 – 21:50h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Chandía (CHI)
Assistentes: Cristian Julio (CHI) e Osvaldo Talamilla (CHI)

Renda e público: R$ 1.376.847,50 / 52.906 pagantes
Cartões amarelos: Kléber (CRU); Richarlyson, Zé Luis, Dagoberto e Miranda (SAO)
GOLS: 45’/1ºT – Leonardo Silva (1-0); 11’/2ºT – Washington (1-1); 20’/2ºT – Zé Carlos (2-1)

São Paulo: Denis, Zé Luis, Miranda, André Dias e Richarlyson; Eduardo Costa, Jean, Hernanes e Jorge Wagner; Dagoberto (24’/2ºT – Borges) e Washington (26’/2ºT – André Lima). Técnico: Muricy Ramalho

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva e Gérson Magrão (15’/2ºT – Zé Carlos); Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná e Ramires; Kléber e Thiago Ribeiro (Intervalo – Athirson). : T: Adilson Batista

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 28, 2009 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Vasco e Corinthians ficam no empate no Maracanã

Timão foi melhor durante mais tempo, mas Gigante se supera com apoio da torcida

Vasco e Corinthians empatam em 1 a 1 no primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil

Vasco e Corinthians empatam em 1 a 1 no primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil (Crédito: Julio César Guimarães)

No primeiro duelo entre a solidez de um time montado há um ano e meio com a inconstância de um grupo que está sendo formado há cinco meses, o resultado foi o empate. Nesta quarta-feira, Vasco e Corinthians empataram em 1 a 1, no Maracanã, no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil.

Com o resultado, na partida de volta, dia 3 de junho, em São Paulo, quem vencer por qualquer placar conquistará a vaga na decisão da competição. Caso aconteça um novo 1 a 1, a definição sairá nos pênaltis; ao Timão, favorece a igualdade em 0 a 0; e o Gigante da Colina se classifica com qualquer empate a partir de 2 a 2.

Como era esperado, o Vasco começou o jogo tentando pressionar o Corinthians, que se postou cautelosamente e buscando o contra-ataque. Porém, com todo o meio de campo e também o seu ataque em noite ruim, os donos da casa não ameaçaram Felipe (apenas um chute de Paulo Sérgio) e não prenderam a bola na frente.

Diante da facilidade, o Timão passou a controlar as ações e não demorou a abrir o placar aos 29 minutos. Amaral falhou ao tentar fazer a linha de impedimento, e deixou Dentinho livre para receber passe de Jorge Henrique e marcar. Com facilidade, os visitantes só não ampliaram porque faltou capricho na conclusão das jogadas.

A partida recomeçou agitada: com dois minutos, Souza e Morais desperdiçaram boas chances para o Corinthians e, pelo lado do Vasco, Elton chutou cruzado para boa defesa de Felipe. O Alvinegro paulista continuou mais seguro no confronto, próximo de ampliar a vantagem do que sofrer o empate – aos 10 minutos, o camisa 9 vascaíno ainda perdeu gol feito na marca do pênalti.

No entanto, o Gigante da Colina continuou correndo, buscando algum lampejo de sorte – e talento. E ele veio, aos 18 minutos. Elton recebeu de Paulo Sérgio na grande área e deixou de calcanhar para Rodrigo Pimpão, que conduziu e se preparou para chutar dividido com William. A bola acabou entrando.

E ainda deu tempo para os goleiros mostrarem a importância em campo. Aos 29 minutos, Fernando Prass faz grande defesa em chute de Elias da pequena área. Cinco minutos depois, Paulo Sérgio cruzou pela direita, a bola passou por todo mundo e Felipe mostra reflexo para espalmar.

Vasco e Corinthians fazem o segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil na próxima quarta-feira, às 21h50, no Pacaembu. Antes, as equipes entrarão em campo pelo Campeonato Brasileiro.

Pela Série B, o Cruzmaltino enfrentará o Paraná, no sábado, às 16h10, em Curitiba (PR). Na Série A, o Timão, no domingo, fará clássico contra o Santos, às 16h, na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 1 X 1 CORINTHIANS

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 27/5/2009 – 21h50
Árbitro: Heber Roberto Lopes(FIFA-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (FIFA-PR) e Altemir Hausmann (FIFA-RS)
Renda/público: R$ 1.389.015,50 / 68.299 pagantes e 72.183 presentes
Cartões amarelos: Vilson e Léo Lima (VAS); Elias (COR)

GOLS: Dentinho, 29’/1°T (0-1); Rodrigo Pimpão, 18’/2°T (1-1)

VASCO: Fernando Prass, Paulo Sérgio, Vilson, Gian e Ramon; Amaral, Nilton (Mateus, 5’/2°T), Léo Lima e Jeferson (Enrico, 5’/2°T); Rodrigo Pimpão (Edgar, 30’/2°T) e Elton. Técnico: Dorival Júnior.

CORINTHIANS: Felipe, Alessandro, Chicão, William e André Santos; Elias, Cristian e Douglas; Jorge Henrique (Morais, 34’/1°T), Dentinho (Boquita, 24’/2°T) e Souza (Otacílio Neto, 27’/2°T). Técnico: Mano Menezes.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 28, 2009 Posted by | Corinthians, Vasco da Gama | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Grêmio arranca empate na Venezuela

Sem jogar bem, time gaúcho passa sufoco contra o Caracas

Venezuelanos deram trabalho para Grêmio

Venezuelanos deram trabalho para Grêmio (Crédito: EFE)

LANCEPRESS!

Jogando na Venezuela contra o Caracas, o Grêmio empatou por 1 a 1 com o Caracas e trouxe um bom resultado para o jogo de volta no Olímpico. Mesmo jogando abaixo da sua média de atuações na Libertadores, o Grêmio conseguiu empatar a partida. Fábio Santos fez o gol gremista, enquanto Cichero marcou para os venezuelanos.

Com um minuto de jogo o Caracas conseguiu marcar o primeiro gol da partida. Em cobrança de falta ensaiada, Rey levantou na área, a zaga do Grêmio vacilou e três venezuelanos subiram sozinhos, resultado: Cichero desviou de cabeça, sem chances para Victor. Após o gol venezuelano o jogo ficou muito disputado no meio campo e os dois times não conseguiam criar boas oportunidades.

Esse panorama mudou aos 25 minutos, na melhor chegada do Grêmio, até então, Jonas fez boa jogada pela direita e cruzou para a área, Vega se complicou e a bola quase sobra para Maxi Lopez empatar, porém o goleiro venezuelano se recuperou e fez a defesa. No minuto seguinte, Tcheco cobrou falta pela esquerda e Vega defendeu em dois tempos. O goleiro venezuelano parecia inseguro.

Depois de passar por dois sustos, o Caracas respondeu. Após boa jogada pela esquerda, Cichero recebeu na área e bateu com força. Victor fez uma defesa incrível e evitou que o time da casa ampliasse a vantagem. No lance seguinte, após rebatida da defesa, Rey arriscou um chute de fora da área e a bola passou a esquerda do gol, com perigo.

No último lance de perigo do primeiro tempo, Rey cobrou falta parecida com a do lance do gol, a zaga do Grêmio saiu tentando fazer linha de impedimento e a bola passou por todo mundo e saiu a esquerda do gol, o lance quase surpreendeu o goleiro Victor.

Fábio Santos empata no segundo tempo

O Grêmio voltou para o segundo tempo em busca do empate, mas esbarrava nos erros de passe. Aos cinco, Fábio Santos fez boa jogada arancando pela esquerda e tentou o cruzamento para Máxi Lopez, mas antes que a bola chegasse ao argentino, Cichero cortou. O Caracas teve a chance de ampliar em um chute perigoso de Castellín que passou a esquerda do gol de Victor.

Aos 19, o Grêmio teve boa chance. Fábio Santos cruzou e Maxi lopez cabeceou para fora. Um minuto depois o próprio fabio santos chutou de dentro da área, mas a boa subiu demais. Mas as jgoadas de bola parada do time venezuelano eram mesmo o grande pesadelo para o Grêmio. Aos 23, Rey cobrou mais uma vez na área e após mais uma falha da zaga,a bola sobrou para Prieto, que finalizou mal e mandou por cima do gol.

O time gaúcho quase empatou aos 27, Souza cobrou com categoria uma falta de longe e acertou a trave esquerda de Vega que ficou só olhando. E foi em um lance de bola parada que o Grêmio chegou ao gol de empate. Aos 29, Tcheco cobrou falta da esquerda e Fábio Santos cabeceou firme para fazer 1 a 1. Após o gol de empate do Tricolor, inexplicavelmente o sistema de irrigação do estádio foi ligado e a partida interrompida por alguns minutos.

Os últimos dez minutos tiveram chances para os dois times, mas o placar não foi alterado. Com o resultado, o Grêmio joga por um empate por 0 a 0 no Olímpico para garantir a vaga nas semifinais.


FICHA TÉCNICA

CARACAS X GRÊMIO

Local: Estádio Olímpico (Caracas, VEN)
Data-hora: 27/05/2009 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silveira (URU)
Auxiliares: Miguel Nievas e Marcelo Gadea (URU)
Cartões amarelos: Tcheco, Ruy, Léo (gremio) Figueroa, Piñango(Caracas)

CARACAS: Vega; Romero, Deivis-Barone, Rey e Cichero; Vera, Piñango, Gómez (Escobar) e Emilio Rentería (Pietro) ; Castellín e Darío Figueroa (Guerra). Técnico: Noel Sanvicente.

GRÊMIO: Victor; Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Túlio, Tcheco, Souza (Tulio) e Fábio Santos; Jonas (Alex Mineiro) e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 28, 2009 Posted by | Grêmio | , , , , , , , | Deixe um comentário

No jogo de ida, Inter derrota o Coxa por 3 a 1

Coritiba abre o placar, mas Taison comanda a virada colorada

Índio ganhou todas as disputas com o coxa-branca Ariel Nahuelpan

Índio ganhou todas as disputas com o coxa-branca Ariel Nahuelpan (Crédito: Vipcomm)

De virada e com uma bela atuação do atacante Taison, o Internacional venceu o Coritiba por 3 a 1, nesta quarta-feira à noite, no Beira-Rio, e conquistou um ótima vantagem no primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil. Com o placar, o Inter poderá perder até por 1 a 0 na próxima semana, no Couto Pereira, que chegará à final da competição.

Marcos Aurélio abriu o placar para o Coxa, mas Taison, Alecsandro e Andrézinho fizeram a festa da torcida colorada, que mais uma vez lotou o Beira-Rio.

A partida

Enquanto o Inter entrou em campo desfalcado do suspenso Guinazu, René Simões armou o Coritiba com Pedro Ken no lugar de Marcelinho Paraíba, também suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Com o meia-armador, o Coxa qualificou mais a sua saída de bola, mas, um pouco assustado, a equipe jogava à base dos chutões.

Assim como fez na partida contra o Flamengo, o torcedor Colorado não parou um minuto sequer de cantar, embalando o Inter. Como no futebol tudo pode mudar em apenas um lance, quem cantou mais alto foram os 1800 torcedores coxa-branca que foram a Porto Alegre.

Marcio Gabriel foi à linha de fundo e cruzou para Marcos Aurélio, aos 13, marcar com categoria, sem chances para o goleiro Lauro. Nada que tenha abalado a massa Colorada. Como se nada tivesse acontecido, o Inter colocou a bola no chão, consciente das suas qualidades.

D’Alessandro passou a jogar um pouco mais recuado para fugir da marcação de Leandro Donizete e a partir disso o Colorado dominou o jogo. Taison recebeu belo passe de Nilmar dentro da área e chutou forte para deixar tudo igual no Beira-Rio, aos 20. Quando a virada era iminente, Nilmar deixou o campo para a entrada de Alecsandro, após receber uma forte pancada do zagueiro Felipe.

Sem seu principal jogador, as esperanças do Inter na etapa final ficaram nos pés do jovem Taison. E o garoto acabou com o jogo. No gol da virada, o 2 a 1, Taison passou por dois defensores do Coxa e deixou Alecsandro livre, que marcou aos 14. Na sequência, dois minutos depois, foi a vez de Andrézinho ampliar, num belo gol, pegando de primeira passe do próprio Alecsandro.

Abatido, o Coritiba não conseguia dar sequência às jogadas. René ainda colocou em campo o meia-armador Ramon e atacante Hugo, mas nada de produtivo foi feito. Fim de jogo e a decisão será no Couto, apesar da grande vantagem colorada.

FICHA TÉCNICA:

Internacional 3 x 1 Coritiba

Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 27/05/09 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (SP)
Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Márcio Eustáquio S. Santiago (MG)
Gols: Marcos Aurélio, 13’/1ºT – 0x1 (CBA), Taison, 20’/1ºT – 1×1 (INT), Alecsandro, 14’/2ºT – 2×1 (INT) e Andrezinho, 16’/2ºT – 3×1 (INT)
Cartões amarelos: Felipe, Marcio Gabriel e Leandro Donizete (CBA) / Magrão e D’Alessandro (INT)

Renda/Público: R$ 598.665 – 43.366 pagantes

Internacional: Lauro, Bolívar, Índio, Álvaro e Kleber; Sandro, Magrão, Andrézinho e D’Alessandro (Gleidson, 32’/2ºT); Nilmar (Alecsandro, 37’/2ºT) e Taison. Técnico Tite.

Coritiba: Vanderlei; Felipe, Rodrigo Mancha e Pereira; Marcio Gabriel, Leandro Donizete, Carlinhos Paraíba, Pedro Ken (Cleiton, 26’/2ºT) e Vicente; Marcos Aurélio (Ramon, 31’/2ºT) e Ariel (Hugo, 17’/2ºT). Técnico René Simões.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 28, 2009 Posted by | Coritiba, Internacional | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário