Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Na estreia de Paulo Autuori, Grêmio vence o Botafogo no Olímpico

Diante de seu novo treinador, time gaúcho acerta pontaria no segundo tempo, faz 2 a 0 e alcança primeiro triunfo no Brasileiro

Ruy, do Grêmio, disputa a bola com Gabriel, do Botafogo

Novidade, apenas à beira do campo. No dia em que Paulo Autuori estreou como seu técnico, o Grêmio voltou a se impor em um Estádio Olímpico cheio e venceu por 2 a 0 o Botafogo, neste domingo, mantendo uma invencibilidade em casa sobre o adversário que já dura 11 anos, em partidas pelo Campeonato Brasileiro.

O Grêmio conquistou sua primeira vitória na competição e agora soma quatro pontos em três rodadas. O Alvinegro, que ainda não venceu no Brasileiro de 2009, permanece com dois pontos.

O Botafogo vai tentar a recuperação recebendo o Sport no Engenhão, no próximo sábado. Antes de enfrentar o Vitória, em Salvador, no domingo, o Grêmio viaja para a Venezuela, onde joga contra o Caracas, nesta quarta-feira, no jogo de ida das quartas de final da Libertadores.

Grêmio domina, mas perde muitas chances no primeiro tempo

Mesmo com o pensamento voltado para a competição sul-americana, o Grêmio enfrentou o Botafogo empolgado pela estreia de Paulo Autuori. Dispostos a mostrar serviço ao novo treinador, os jogadores do time gaúcho não demoraram muito a tomar conta da partida. A equipe alvinegra logo se viu dominada e entregue ao adversário.

Carente de um jogador de ligação, o Botafogo errava muito nos passes, o que o impedia de construir jogadas de ataque. Isolado na frente, Victor Simões mostrava impaciência. A deficiência técnica beneficiou o Grêmio, que chegava com facilidade à frente, mas falhava nas conclusões.

Irritado com a quantidade de bolas que via chegar à sua baliza, o goleiro Castillo procurava orientar a defesa, que dava espaços à linha de frente do Grêmio. Aos 18 minutos, o lateral-esquerdo Fábio Santos concluiu por cima do gol uma boa jogada de Jonas com Souza, e aos 31, o zagueiro Léo acertou a trave após pegar o rebote de uma falta cobrada na área.

Pouco criativo e disperso, o Botafogo levou perigo apenas no final da primeira etapa, depois que Juninho cobrou falta de longe e deu trabalho ao goleiro Victor, que espalmou.

O Botafogo voltou para o segundo tempo com duas modificações: o zagueiro Wellington entrou no lugar de Gabriel, com Eduardo sendo deslocado para a lateral esquerda. Além disso, o meia Rodrigo Dantas foi substituído pelo atacante Jean Coral, em uma tentativa de dar maior poder ofensivo ao time.

Os resultados logo apareceram. O Alvinegro voltou melhor, chegando com mais facilidade ao ataque, e, embora tenha construído jogadas, levou perigo ao Grêmio apenas em mais uma jogada de bola parada. Juninho cobrou falta aos sete minutos e acertou uma bomba na trave esquerda de Victor.

E no momento em que não atuava bem, o Grêmio mostrou a eficiência que faltou na primeira etapa. Na tentativa de impedir uma tabela adversária, Leandro Guerreiro afastou a bola nos pés de Jonas, que chutou de bico no canto direito de Castillo, fazendo 1 a 0 aos 12 minutos.
O gol fez com que o Grêmio tomasse novamente o controle da partida. Com a vantagem garantida e uma viagem para a Venezuela à frente, o time começou a valorizar a posse de bola, envolvendo o Botafogo. A equipe carioca tentava ir à frente, mas continuava a esbarrar nos erros de passe.


E foi na base do toque de bola que o Grêmio marcou o segundo gol, aos 33 minutos. Após jogada iniciada por Douglas Costa, Maxi López recebeu e tocou de calcanhar para Fábio Santos, que apareceu livre no meio da área para completar e decretar a vitória por 2 a 0.

FICHA TÉCNICA:
Grêmio 2 x 0 Botafogo

Estádio: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: –
Renda/público: –
Cartões amarelos: Réver (GRE); Eduardo, Gabriel e Tony (BOT)
GOLS: – Jonas (12/2ºT) e Fabio Santos (33/2ºT)

GRÊMIO: Victor; Rafael Marques, Léo e Réver (Thiego, 40/2ºT); Ruy, Túlio, Tcheco, Souza (Douglas Costa, 26/2ºT)e Fábio Santos; Jonas (Herrera, 35/2ºT) e Maxi López – Técnico: Paulo Auruori

BOTAFOGO: Castillo; Leandro Guerreiro, Juninho e Eduardo; Alessandro (Diego, 28/2ºT), Fahel, Túlio Souza, Rodrigo Dantas (Jean Coral, intervalo) e Gabriel (Wellington, intervalo); Tony e Victor Simões – Técnico: Ney Franco.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Botafogo, Grêmio | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Santos aproveita a má atuação do Fluminense e goleia no Maracanã

Tricolor tem dois jogadores expulsos no segundo tempo. Madson e Neymar ajudam o time a construir o placar

Madson comemora o gol da virada santista sobre o Flu no Maracanã

O Santos não quis saber do abatimento do Fluminense por conta da eliminação na Copa do Brasil e, mesmo jogando no Maracanã, goleou por 4 a 1, de virada, com excelentes atuações de Madson e Kleber Pereira, na terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O time tricolor fez uma de suas piores atuações na temporada e o técnico Carlos Alberto Parreira enfrentará problemas durante a semana.

Na próxima rodada, o Flu vai ao Recife enfrentar o Náutico, no domingo, às 16h, nos Aflitos, enquanto o Peixe terá o clássico contra o Corinthians, no mesmo horário, na Vila Belmiro.

Ouça os gols do jogo narrados por José Carlos Araújo

O primeiro tempo começou com o Fluminense perdido dentro de campo. O Santos dominou as primeiras ações da partida e sempre buscava o ataque pelo lado esquerdo, explorando a velocidade de Madson nas costas de Mariano. Mesmo pior em campo, o Tricolor chegou ao gol. Aos nove minutos, Conca chutou pelo lado esquerdo, a bola desviou na defesa e sobrou para Mariano, que bateu no canto direito de Fábio Costa e abriu o placar.

A vantagem fez bem ao Fluminense. No minuto seguinte, Dieguinho fez um ótimo lançamento para Fred, que matou a bola e chutou rasteiro, assustando o goleiro santista. Aos 11, novamente Fred finalizou e quase aumentou o placar. Depois dessa pressão tricolor, o nível técnico da partida caiu.

A torcida santista passou a cantar mais alto no Maracanã, que não recebeu um grande público, e o Santos cresceu em campo. Aos 29, Domingos cabeceou a bola depois de cobrança de falta, e Fernando Henrique salvou o time do empate. Mas, aos 37, não teve jeito. Mariano errou na saída de bola e, no contra-ataque, Madson sofreu falta na entrada da área. Molina cobrou à meia-altura, Roberto Brum se agachou e enganou Fernando Henrique: 1 a 1.

Flu desatento permite a virada

Na volta para o segundo tempo, um detalhe curioso. O atacante Fred trocou a camisa e vestiu uma da coleção passada, diferente da que os seus companheiros de time estavam usando. O Fluminense começou desligado ,e o Santos se aproveitou disso para marcar o segundo gol e virar o placar.

Aos seis minutos, Edcarlos cortou a bola de cabeça para a entrada da área. Roberto Brum matou e lançou para Madson. Ele teve a tranquilidade para driblar Fernando Henrique e chutar para o gol vazio. Mesmo depois de sofrer a virada, o Fluminense não conseguiu equilibrar o jogo. Parreira colocou Maurício e Alan, nas vagas de Marquinho e Maicon

E a situação ficou ainda pior aos 20 minutos. Dieguinho fez falta em Madson e, como era o último jogador da defesa, acabou recebendo o cartão vermelho. Com um a menos, o time tricolor se perdeu completamente em campo. O Santos dominou o Fluminense, e a goleada foi construída naturalmente.

Aos 39 minutos, o técnico Vagner Mancini colocou Neymar em campo. No seu primeiro toque na bola, ele encontrou Madson livre na ponta esquerda. O baixinho cruzou para área, e Kleber Pereira entrou de carrinho para marcar o terceiro. Depois do gol, a torcida do Fluminense começou a vaiar os jogadores e chamar o time de sem-vergonha.

O abatimento tomou conta do time de Parreira, e o quarto gol saiu dois minutos depois. Neymar chutou forte da entrada da área, e Fernando Henrique espalmou para o lado. Kleber Pereira ganhou na corrida da defesa e fez o quarto gol, fechando a goleada santista.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 1 X 4 SANTOS

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 24/5/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: José Antônio Chaves Franco (RS) e Júlio César Rodrigues Santos (RS)
Renda/público: R$ 164.071,50 / 11.953 pagantes e 13.274 presentes
Cartões amarelos: Luiz Alberto (FLU); Léo, Molina (SAN)
Cartões vermelhos: Dieguinho, 21’/2ºT, Eduardo Ratinho, 40’/2ºT (FLU)
GOLS: Mariano, 9’/1ºT (1-0); Molina, 37’/1ºT (1-1); Madson, 6’/2ºT (1-2); Kléber Pereira, 39’/2ºT (1-3); Kléber Pereira, 41’/2ºT (1-4)

FLUMINENSE: Fernando Henrique; Mariano (Eduardo Ratinho, 45’/1ºT), Edcarlos, Luiz Alberto e Dieguinho; Wellington Monteiro, Marquinho (Maurício, 9’/2ºT), Conca e Thiago Neves; Maicon (Alan, 9’/2ºT) e Fred. Técnico: Parreira.

SANTOS: Fábio Costa; Luizinho, Fabão, Domingos e Léo; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Madson e Molina (Neymar, 38’/2ºT); Kléber Pereira e Paulo Henrique (Paulo Rodrigues, 30’/2ºT). Técnico: Vágner Mancini.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Fluminense, Santos | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

De virada, Náutico bate o Furacão na Arena: 3 a 2

Anderson Lessa faz dois gols e garante a segunda vitória no Brasileirão

Wallyson marcou dois para o Furacão, mas Náutico conseguiu a virada no segundo tempo (Crédito: Felipe Gabriel)

Wallyson marcou dois para o Furacão, mas Náutico conseguiu a virada no segundo tempo

Numa grande partida e com a estrela do atacante Anderson Lessa, o Náutico bateu o Atlético Paranaense por 3 a 2, neste domingo à tarde, em plena Arena da Baixada. O Furacão chegou a fazer 2 a 0, mas na etapa final os pernambucanos chegaram à vitória com dois gols do jogador, que entrou no intervalo da partida.

Com o triunfo, o Náutico chega aos sete pontos, conquistando duas vitórias nas três partidas do Brasileirão. Já o Furacão sofre a sua segunda derrota em casa e tem apenas um ponto na Série A.

Furacão domina a primeira etapa; Anderson Lessa vira para o Náutico nos 45 minutos finais

Pressionado por ainda não ter vencido no Brasileirão, o Atlético Paranaense sabia que um novo tropeço jogando em casa poderia ser o início de uma crise na Baixada. Com a equipe no 4-4-2, o Furacão explorava bem as jogadas pelas laterais, principalmente com Márcio Azevedo e Wallyson.

O Náutico, como não poderia se diferente, jogava nos contra-ataques. E mesmo com um volume de jogo bem inferior, teve a primeira grande chance da partida. Rafael Santos foi desarmado na intermediária por Dinda. O meia-armador cruzou e Gilmar, sem goleiro, conseguiu chutar para fora.

Com o susto, o rubro-negro acordou. Márcio Azevedo lançou Wallyson na ponta esquerda, que, com categoria, aproveitou bobeada da zaga pernambucana e encobriu o goleiro Eduardo, aos 24. A partir desse lance o Náutico se perdeu em campo e começou a apelar com algumas faltas desleais. Nada que abalasse o Furacão. Wallyson, mais uma vez, saiu livre dentro da área e anotou aos 35.

Waldemar Lemos voltou para o segundo tempo com Anderson Lessa no lugar de Eduardo Eré. O Náutico melhorou e descontou logo aos dois minutos num belo gol do zagueiro Gladstone, que tocou com categoria, de fora da área, após uma saída ruim do goleiro Galatto. Preocupado, Geninho colocou em campo o zagueiro Gustavo, passando o rubro-negro para o 3-5-2.

Não deu tempo para saber se funcionaria. Assim como aconteceu contra o Goiás, o Náutico foi buscar a igualdade. Após cobrança de escanteio, Galatto, que já havia falhado no primeiro, soltou a bola na pequena área. Anderson Lessa não perdoou, empatando a partida aos 11, de cabeça.

A paciência da torcida foi para o espaço e com isso o Furacão passou a errar passes fáceis, não acertando mais nenhuma jogada. Tirando um chute no travessão de Rafael Moura, a equipe paranaense nada fez na etapa final. Já o Náutico explorava apenas os contra-ataques, esperando uma falha da zaga rubro-negra para chegar à virada.

E ela aconteceu. Carlinhos Bala, que jogou livre no meio-de-campo, puxou a marcação e deu belo passe para Anderson Lessa. O jogador, que mudou a história da partida, saiu cara a cara com o goleiro Galatto e com um simples toque deu números finais a partida, aos 37. Festa do Náutico que chega a sua segunda vitória em três partidas disputadas.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-PR 2 X 3 NÁUTICO

Estádio: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data/hora: 24/05/09 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence e Fabrício Vilarinho da Silva (GO)Cartões amarelos: Asprilla e Wellington (NAU)
Renda/Público: R$ 264.980 / 14.172 pagantes
Gols: Wallyson, 24’/1ºT (APR) – 1×0 e Wallyson, 35’/1ºT – 2×0 (APR), Gladstone, 2’/2ºT – 2×1 (NAU), Anderson Lessa, 11’/2ºT – 2×2 (NAU) e Anderson Lessa, 37’/2ºT – 2×3 (NAU)


ATLÉTICO-PR: Galatto, Raul, Rafael Santos, Antonio Carlos e Márcio Azevedo (Patrick, 30’/2ºT); Chico, Rafael Miranda, Marcinho (Gabriel Pimba, 19’/2ºT) e Wesley (Gustavo, 7’/2ºT); Wallyson e Rafael Moura. Técnico Geninho.

NÁUTICO: Eduardo; Gladstone (Negretti, 15’/2ºT), Vágner e Asprilla; Eduardo Eré (Anderson Lessa, intervalo), Derley, Johnny, Dinda e Wellington; Carlinhos Bala e Gilmar (Juliano, 35’/2ºT). Técnico: Waldemar Lemos.

maio 24, 2009 Posted by | Atlético-PR, Náutico | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Avaí mantém rotina de empates, e Coxa conquista seu primeiro ponto

Com o 2 a 2 na Ressacada, time da casa continua invicto na competição, enquanto os paranaenses deixam a lanterna

Hugo toca na saída de Eduardo Martini para empatar o jogo

O Avaí manteve sua invencibilidade no Campeonato Brasileiro na noite deste domingo, mas ainda não conseguiu a sua primeira vitória. Jogando na Ressacada, o time catarinense empatou por 2 a 2 com o Coritiba, que por sua vez somou seu primeiro ponto na competição nacional após três rodadas.

Com o resultado, o Leão chegou ao terceiro empate no campeonato e, com três pontos, ocupa o 13º lugar. O Coxa, que tem dado mais atenção para a Copa do Brasil, deixou a lanterna e ocupa agora a penúltima posição.

No próximo sábado, às 18h30m (de Brasília), o Coritiba recebe o Goiás no Couto Pereira. Antes disso, o time tem um compromisso importante pelas semifinais da Copa do Brasil. O Coxa enfrenta o Internacional no Beira-Rio, nesta quarta-feira, às 21h50m. O Colorado será também o próximo adversário do Avaí, na quarta rodada do Brasileirão. As equipes se enfrentam no domingo, às 18h30m, em Porto Alegre.

Um minuto que valeu por 45

O jogo demorou a empolgar. Com muita disputa no meio-campo, as equipes tinham dificuldade para criar. Um pouco melhor, o Avaí teve sua primeira boa chance apenas aos 23 minutos. Caio cruzou, Muriqui chutou mal, e William desviou de cabeça, mas Vanderlei defendeu. O time da casa chegou mais uma vez no minuto seguinte. William rolou para Evando, que chutou para fora.

Aos 35 minutos, o Leão foi premiado com um gol. Primeiro, William chutou de dentro da área e Vanderlei fez grande defesa. Na sequência, Evando recebeu de Caio, driblou o goleiro e tocou para Muriqui apenas empurrar para o gol aberto.

A torcida catarinense nem teve tempo para comemorar. Logo na saída de bola, Hugo recebeu passe dentro da área e tocou por cima de Eduardo Martini. O Avaí teve ainda mais uma chance na primeira etapa, mas Pereira conseguiu evitar o chute de Evando na linha da pequena área, depois de cruzamento de William.

Correria desde o início

O segundo tempo manteve o ritmo intenso do fim do primeiro e, logo aos seis minutos, o time da casa acertou a trave. Evando bateu falta e William, que estava na barreira, desviou. O goleiro Vanderlei ficou apenas olhando a bola explodir no travessão.

O Coxa respondeu rápido, e dois minutos depois, Bruno Batata deixou a marcação para trás, chutando para a defesa tranquila de Martini. O time chegou mais uma vez no lance seguinte. Marcos Aurélio invadiu a área e chutou forte, mas o goleiro espalmou. Na sobra, o próprio atacante cruzou para Marcelinho Paraíba escorar e fazer 2 a 1.

Empurrado pela torcida, o Avaí não desanimou. Aos 14 minutos, Ferdinando cobrou falta com força e Vanderlei espalmou. No rebote, Marcus Vinícius, impedido, chutou e Pereira cortou com a mão, mas o árbitro não marcou nenhuma das infrações. Pressionando, o Leão chegou ao empate aos 28, quando Ricardinho acertou um belo chute de primeira depois do cruzamento de Evando.

FICHA TÉCNICA
AVAÍ 2 X 2 CORITIBA

Local: Ressacada, em Santa Catarina (SC)
Data-Hora: 24/05/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ/ Fifa)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ/ Fifa) e Marco Aurélio dos Santos Pessanha (RJ)
Renda e Público: Não divulgado
Cartões Amarelos: Evando, Ferdinando, Émerson e Eduardo Martini (AVA); Carlinhos Paraíba, Jaílton e Demerson (COT)
Cartões Vermelhos: Não Teve
Gols: Muriquei 34’/1ºT (1-0); Hugo 35’/1ºT (1-1); Marcelinho 09’/2ºT (1-2); Ricardinho 29’/2ºT (2-2)

AVAÍ: Eduardo Martini, André Turatto, Émerson, Ferdinando e Uendel; Marcos Vinícios, Pingo(Ricardinho 26’/ 2ºT), Muriqui e Caio; Evando e William(Luis Ricardo 18’/ 2ºT) – Técnico: Silas.

CORITIBA: Vanderlei, Demerson, Pereira e Felipe; Márcio Gabriel, Jaílton, Carlinhos Paraíba(Leozinho 41’/ 2ºT), Marcelinho Paraíba e Leandro Donizetti; Marcos Aurélio(Ramon 31’/ 2ºT) e Hugo(Bruno/ Intervalo) – Técnico: René Simões.

maio 24, 2009 Posted by | Avaí, Coritiba | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Atlético-MG bate o Sport na Ilha do Retiro

Galo é o terceiro colocado no Campeonato Brasileiro

LANCEPRESS!

Velocidade foi a palavra do jogo deste domingo. Tudo aconteceu de forma muito rápida na vitória do Atlético por 3 a 2 sobre o Sport, na Ilha do Retiro. Para começar, dois gols em apenas dez minutos, sendo um deles com uma arrancada sensacional.As subidas de Carlos Alberto e Márcio Araújo foram fundamentais para a criação de jogadas do Galo no jogo.

Ainda atordoado pela eliminação nos pênaltis na Copa Libertadores,o Sport apenas assistia às ofensivas atleticanas.

O discurso de buscar apenas um ponto, entoado por Diego Tardelli e outros atleticanos durante a semana e minutos antes do jogo, ficou só na teoria. Desde o início o Galo marcou por pressão e não deixou o Leão sair para o jogo. Márcio Araújo teve uma chance no início da partida, mas chutou para fora.

Aos cinco minutos, Éder Luís abriu o marcador com um golaço. O atacante recebeu passe na intermediária defensiva, avançou, driblou quatro marcadores e chutou de perna esquerda para abrir o placar em Recife. Cinco minutos depois, o velocista recebeu cruzamento da direita e finalizou de perna direita, anotando o segundo dele no jogo e no Brasileirão.

Meio sem jeito, o Sport tentava responder em lances esporádicos. Fumagalli, cobrando falta, acertou a trave e quase empatou a partida. Mas o Galo seguia dono do jogo e continuava criando chances pelos dois lados do campo.

Antes do fim do primeiro tempo, Márcio Araújo recebeu no meio, avançou e marcou um belíssimo gol de fora da área.

A velocidade mudou de lado e foi a vez de o Sport partir para o ataque a fim de recuperar o prejuízo. O Leão diminuiu com menos de um minuto em um gol contra de Jonílson e criou várias chances para buscar o empate. O Galo caiu no jogo e esperava o melhor momento para contra-atacar. O sufoco continuou e o time pernambucano assustou com um gol de Dutra aos 46 do segundo tempo.

Apesar disso, a vantagem da primeira etapa foi suficiente para a equipe mineira ficar com a vitória. O time tem apenas um ponto no Brasileirão e está na zona de rebaixamento. Já o Galo é o terceiro colocado.

FICHA TÉCNICA:

SPORT 2 X 3 ATLÉTICO-MG

Estádio: Ilha do Retiro, Recife (PE)
Data/hora: 24/5/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegador Cortez (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Rodrigo Pereira Jóia (RJ)
Renda e público: R$75,380 / 15.315
Cartão Amarelo: Igor, César, Dutra, Wilson (SPT); Márcio Araújo, Junior, Juninho, Eder Luis (ATL)
Cartão Vermelho: Não houve
Gols: Éder Luis, 5’/ 1ºT (0-1); Éder Luis, 10’/1ºT (0-3), Márcio Araújo, 43’/1ºT (0-3), Jonilson (contra), 1’/2ºT (1-3); Dutra, 44’/2ºT (2-3)

SPORT: Magrão, Moacir (Jonas), Igor e César; Andrade (Fumagalli), Hamilton, Sandro Goiano, Luciano Henrique e Dutra; Wilson e Ciro (Weldon). Técnico: Nelsinho Baptista.

ATLÉTICO-MG: Juninho, Carlos Alberto, Welton Felipe, Leandro Almeida e Thiago Feltri; Jonilson, Renan, Márcio Araújo e Júnior; Éder Luís e Diego Tardelli (Alessandro). Técnico: Celso Roth.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Atlético-MG, Sport | , , , , , , , | Deixe um comentário

Em clássico equilibrado, goleiros garantem o 0 a 0 no Choque-Rei

Marcos, do Palmeiras e Denis, do São Paulo, brilham no Palestra Itália num jogo cheio de oportunidades

Hernanes e Mozart disputam a posse de bola

O São Paulo dominou o primeiro tempo e o Palmeiras tomou conta do segundo. No equilibrado clássico deste domingo, no Palestra Itália, o empate de 0 a 0 foi metade culpa da falta de pontaria dos atacantes e metade mérito dos goleiros. O resultado acabou sendo pior para o Tricolor, que segue sem vencer após três rodadas deste Campeonato Brasileiro.

O São Paulo começou bem mais perigoso. Seguro no sistema defensivo, com Eduardo Costa com forte marcação e com os três zagueiros – André Dias, Miranda e Richarlyson – bem postados, o Tricolor tinha tranquilidade e espaços para sair jogando e armar contra-ataques. Nos primeiros minutos, só o visitante jogou.

Marcos faz mais uma boa defesa

Aos sete, a primeira chance. Hugo chutou de longe e o tiro nem foi dos mais difíceis, mas Marcos soltou a bola e assustou a torcida palmeirense. Aos oito, mais uma investida são-paulina. Após cruzamento de Hugo, Washington dividiu com Marcão pelo alto e a bola sobrou para André Dias. O zagueiro cabeceou e Marcos defendeu. Na sequência, Washington mandou para a área novamente e Jorge Wagner errou o alvo na cabeçada.

Só dava São Paulo. O Verdão parecia pedir para tomar o gol. Aos 12, depois de um erro da zaga palmeirense na saída de bola, Dagoberto foi lançado e ficou cara a cara com Marcos, que, de novo, fez grande defesa. O Palmeiras, que não conseguia espaço para jogar e tinha dificuldade para brecar o adversário, só foi reagir aos 20 minutos. A primeira chance de gol, ainda que remota, foi num chute de longe de Diego Souza, que Denis defendeu.

As duas melhores oportunidades do primeiro tempo, porém, estavam guardadas para os minutos finais. Do lado verde, Keirrison completou um cruzamento de Wendel e chutou, à queima roupa, para Denis pegar. No ataque do Tricolor, Washington finalizou ainda mais de perto, dentro da pequena área, de voleio, e Marcos fez mais um dos seus milagres.

Ao sair para o intervalo, os dois técnicos foram para cima do árbitro Rodrigo Braghetto. Muricy Ramalho cobrava um segundo cartão amarelo – seria o vermelho – para Jumar, que brecou um contra-ataque são-paulino com falta. Vanderlei Luxemburgo não queria deixar o rival pressionar o juiz e ficou marcando os passos do treinador tricolor.

Segundo tempo palmeirense

Na volta para o segundo tempo, vendo que seu time estava em desvantagem, foi Luxemburgo quem mexeu: trocou Danilo e Mozart por Lenny e Souza. E o Palmeiras dos últimos 45 minutos foi completamente diferente. Agora, de fato, jogando como o verdadeiro dono da casa.

Aos três, Cleiton Xavier testou Denis de fora da área. Aos oito, Miranda derrubou Diego Souza dentro da área, mas o juiz mandou seguir o lance. Logo depois, foi a vez de Lenny desperdiçar oportunidade quase debaixo do travessão. Aos 11, Keirrison também chutou para fora a sua chance.

Ao contrário da primeira etapa, o São Paulo mal conseguia ficar com a posse de bola e raramente passava da linha do meio-de-campo. Para tentar mudar o cenário, Muricy tirou o apático Hernanes para a entrada de Arouca. Mas o Verdão não deixava o Tricolor respirar.

Muricy ainda substituiu Hugo por Junior Cesar e Jorge Wagner por André Lima. Já Luxemburgo mandou Ortigoza para o lugar de Keirrison. Em má fase com o gol, o K9 saiu de campo sob vaias. A sorte dele é que o público do Palestra Itália foi decepcionante – 12 mil pessoas – e o protesto não foi mais sonoro.

A exemplo do primeiro tempo, quando o São Paulo pressionou e recuou, o Palmeiras também diminuiu o ritmo com o passar do tempo. Depois que Maurício Ramos foi expulso, aos 30 minutos, e o time não tinha mais direito a fazer nenhuma substituição, o 0 a 0 passou a ser um placar interessante. E ninguém conseguiu balançar a rede até o juiz apitar o fim do jogo. Bem que os são-paulinos tentaram no finalzinho, só que Marcos não deixou: aos 43 pegou chute de Dagoberto e aos 46 evitou gol certo de Washington. Por falta violenta, Richarlyson ainda recebeu cartão vermelho. E, aos 49, Denis fez bela defesa ao defender cabeçada de Diego Souza.

Agora, os dois times voltam as suas atenções para as quartas de final da Taça Libertadores da América (se é que não estavam pensando nisso durante o clássico também). Na quarta-feira, o São Paulo encara o Cruzeiro no Mineirão. Na quinta, o Palmeiras recebe o Nacional (URU) no Palestra. Pelo Campeonato Brasileiro, as equipes só voltam a jogar no próximo domingo: o Tricolor repete o duelo com a Raposa no Morumbi e o Verdão visita o Barueri.

FICHA TÉCNICA
Palmeiras 0 X 0 São Paulo

Estádio: Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data/hora: 24/05/09, às 16h00
Árbitro: Rodrigo Braghetto (SP)
Assistentes: Ednílson Corona (Fifa-SP) e Emerson Carvalho (Fifa-SP)

Renda e público: R$ 47.220.124 / 12.000 pagantes

Cartões amarelos: Jumar e Maurício Ramos (Palmeiras) e Zé Luís (São Paulo). Cartão vermelho: Maurício Ramos (31’ / 2ºT) e Richarlyson (47′ / 2ºT)

PALMEIRAS: Marcos, Maurcio Ramos Danilo (Lenny / Intervalo) e Marcão ; Wendel, Jumar , Mozart (Souza / Intervalo), Cleiton Xavier e Armero; Diego Souza e Keirrison (Ortigoza / 27’ 2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SÃO PAULO: Denis, Zé Luís, André Dias, Miranda e Richarlyson, Eduardo Costa, Hernanes (Arouca / 15’ 2ºT) e Jorge Wagner (André Lima / 38′ 2ºT), Hugo (Júnior César / 25’ 2ºT), Dagoberto e Washigton. Técnico: Muricy Ramalho

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Palmeiras, São Paulo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Inspirado, Josiel dá vitória ao Flamengo sobre o Santo André

Atacante faz os dois gols da vitória diante do algoz de 2004. É o primeiro triunfo do time carioca no Brasileirão 2009

Josiel desencanta, faz golaço e Flamengo derrota o Santo Andre

Artilheiro é sempre perigoso. Quando está inspirado, então, é fatal. E assim foi Josiel na noite deste domingo, em jogo válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Com dois gols do camisa 9, o Flamengo venceu o Santo André por 2 a 1, no estádio Bruno José Daniel, no ABC Paulista, e conquistou sua primeira vitória na competição. O adversário, por sua vez, perdeu a invencibilidade.

Embora estivesse atuando como visitante, o Rubro-Negro contou com apoio maciço dos seus torcedores, que reverenciaram o herói da noite: Josiel. Personagem que nos jogos mais importantes do Flamengo na temporada, como as finais do Estadual e nos duelos decisivos da Copa do Brasil, foi preterido pelo técnico Cuca. Mesmo assim, ele é o artilheiro do clube da Gávea na temporada, agora com 13 gols.

O triunfo desta noite não só deu ao Flamengo um gostinho de vingança por conta da derrota para o Ramalhão, no Maracanã, na final da Copa do Brasil de 2004, como também ajudou o elenco a esquecer a eliminação na mesma competição para o Internacional, na última quarta-feira. Além, é claro, de tranquilidade no Brasileiro.

Com os três pontos conquistados fora de casa, a equipe do Rio de Janeiro tem agora quatro pontos e embola a zona intermediária da tabela, em décimo. O Santo André (sétimo), por sua vez, tem o mesmo número de pontos. A equipe paulista perdeu a chance de manter a perseguição ao líder Internacional, único com 100% de aproveitamento.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Santo André joga fora de casa. Encara o Atlético-MG, no sábado, às 18h30m (de Brasília), em Belo Horizonte. No dia seguinte, às 16h, o Flamengo duela com o Atlético-PR, no Rio de Janeiro, no jogo que deve marcar a reestreia do atacante Adriano Imperador.

Ouça os gols do jogo na narração de Edson Mauro

Equilíbrio dá o tom

A presença em grande número da torcida pode até ter feito os jogadores do Flamengo se sentirem em casa, mas quem logo de cara mostrou que era o verdadeiro mandante foi o Santo André. Com apenas 22 segundos de jogo, o atacante Antônio Flávio arriscou de longe e quase enganou Bruno, que espalmou.

O Rubro-Negro bem que tentou revidar em seguida, com Josiel avançando pela lateral esquerda. Mas não deu certo. Mantendo postura agressiva no ataque, o Ramalhão chegou ao gol aos dois minutos, porém o árbitro anulou. Após escanteio cobrado por Marcelinho Carioca, Nunes subiu para cabecear, mas fez falta.

Depois desse susto, o Fla acordou em campo e inverteu a pressão. Aos 12 minutos, chegou em chute de Kleberson que passou longe do gol. Dois minutos depois, ele mesmo deu ótimo passe para Everton Silva concluir em cima de Neneca. Mais tarde, aos 19, foi Ibson quem arriscou da meia-lua e mandou pela linha de fundo.

O bom momento dos cariocas empolgou os rubro-negros que foram ao estádio Bruno José Daniel. Pressionado em campo e também pela arquibancada, o Santo André deu mais espaços para o Flamengo tentar o seu gol. Aos 29 minutos, após cruzamento de Everton da esquerda, Gustavo Nery falhou e Josiel foi parado por Neneca.

A insistência de Josiel foi premiada aos 31 minutos. Ibson cobrou escanteio da direita e o atacante subiu mais do que todos os zagueiros para cabecear no canto direito de Neneca, que se esticou todo mas não conseguiu evitar o gol rubro-negro. Em vantagem, porém, o Flamengo se acomodou um pouco. E o Santo André empatou.

Depois de assustar aos 37 minutos com chute de Marcelinho Carioca que o goleiro Bruno espalmou para fora da área, os donos da casa igualaram o marcador aos 43. O atacante Nunes recebeu na grande área, protegeu e rolou para a conclusão do volante Ricardo Conceição, que bateu forte, sem chances para o goleiro do Fla.

Josiel matador

Na etapa final, quem começou a todo vapor foi o Flamengo. Aos três minutos, Josiel tabelou com Everton Silva e chutou forte. Só que a bola parou na zaga do Santo André, que aos seis respondeu. Marcelinho Carioca cobrou falta da direita, e Pablo Escobar desviou de cabeça. No entanto, sem força suficiente para assustar.

Um minuto depois, o próprio Pablo Escobar levou perigo. Após disputa de Marcelinho Carioca com Airton, ele ficou com a sobra e chutou. Kleberson, atento, salvou. Mantendo o ritmo intenso do jogo, o Flamengo criou boa chance aos 11. Everton Silva fez boa jogada e rolou para Obina chutar para fora, totalmente livre.

Foi o suficiente para a torcida rubro-negra começar a pegar no pé do atacante. Em coro, os torcedores xingaram e vaiaram aquele que já foi xodó. Aos 15 minutos, o técnico Cuca resolveu sacar Obina e colocar Erick Flores. Quando perceberam a mudança, os flamenguistas aplaudiram a decisão do treinador.

Quatro minutos depois, o Santo André deu um susto no Fla. Ricardo Goulart chutou, o goleiro Bruno ficou apenas olhando a bola passar e tocar a trave. Mas o Flamengo, melhor em campo, respondeu rapidamente. E com um golaço. Aos 20, Ibson lançou Josiel, que em belo lance tocou por cobertura na saída do goleiro Neneca.

Com total domínio da partida, a equipe do técnico Cuca quase chegou ao terceiro gol aos 27 minutos. Erick Flores avançou e tocou para Ibson. O volante, com boa visão de jogo, rolou para Everton Silva, que apareceu em velocidade pela direita. Só que o goleiro Neneca se arriscou nos pés do lateral e ficou com a bola.

Daí por diante, o Santo André não teve mais forças para tentar uma reação, e o Flamengo administrou a posse de bola, alternando com momentos de pressão.

FICHA TÉCNICA:
SANTO ANDRÉ 1 X 2 FLAMENGO

Local: Bruno José Daniel, Santo André (SP)
Data/Hora: 24/5/2009 às 18h30
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA)
Assistentes: Adson Marcio Lopes Leal (BA) e Raimundo Carneiro de Oliveira (BA)

Renda/público: R$ 197.685,00 / 8.819 pagantes
Cartões amarelos: Dionísio, Ricardo (STA); Willians, Toró, Erick Flores (FLA)
GOLS: Josiel, 31’/1ºT (0-1); Ricardo Conceição, 43’/1ºT (1-1); Josiel, 20’/2ºT (1-2).

SANTO ANDRÉ: Neneca; Dionísio (Júnior Dutra, 36’/2ºT), Cesinha, Marcel e Gustavo Nery; Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca e Pablo Escobar (Rodriguinho, 29’/2ºT); Antonio Flávio (Ricardo, 18’/2ºT) e Nunes. Técnico: Sérgio Guedes.

FLAMENGO: Bruno, Everton Silva, Aírton, Ronaldo Angelim e Everton (Fierro, 34’/2ºT); Toró (Welinton, 25’/2ºT), Willians, Kleberson e Ibson; Josiel (Erick Flores) e Obina (Erick Flores, 14’/2ºT). Técnico: Cuca.

maio 24, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Venda de ingressos para Vasco x Corinthians começa nesta 2ª-feira

Terá início nesta segunda-feira (25/05), a venda de ingressos para a partida entre Vasco x Corinthians, que será realizada na quarta-feira (27), às 21h50, no Maracanã, pela semifinal da Copa do Brasil.

A venda de ingressos será realizada das 9h às 17 horas nos seguintes postos: São Januário, Maracanã (Bilheteria 8), Gávea, Laranjeiras, Estádio do São Cristóvão e Terra Encantada.

No dia do jogo, a bilheteria 5 do Maracanã será aberta às 18 horas.

Para sua maior comodidade os portões serão abertos às 19h.

Procure comprar o seu ingresso antecipadamente

Vasco x Corinthians

Preços:

Arquibancada verde e amarela – R$ 30,00

Arquibancada verde e amarela 1/2 entrada – R$ 15,00

Arquibancada branca – R$ 40,00

Arquibancada branca 1/2 entrada – R$ 20,00

Cadeira azul – R$ 20,00

Cadeira azul 1/2 entrada – R$ 10,00

Cadeira Especial – R$ 120,00

Cadeira Especial 1/2 entrada – R$ 60,00

SERÃO INSTALADOS TRÊS QUIOSQUES PARA PROMOVER A CAPTAÇÃO DE SÓCIOS PARA O CLUBE

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Corinthians, Vasco da Gama | , , , , , , | Deixe um comentário

Flu e Santos se enfrentam tentando deslanchar

Equipes buscam afirmação na temporada e jogam no Maracanã

LANCEPRESS!

Um foi eliminado recentemente da Copa do Brasil, o outro perdeu o título do Campeonato Paulista. Em comum um Corinthians no meio do caminho. Ainda buscando a afirmação na temporada, Fluminense e Santos se enfrentam neste domingo, às 16h, no Maracanã, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

Nas Laranjeiras ainda é notória a ferida pela desclassificação na Copa do Brasil. Para amenizar, o clube apresentou a contratação do volante Fábio Santos, ex-Lyon (FRA), São Paulo e Cruzeiro. Em contrapartida, alguns jogadores devem estar de malas prontas para sair. No meio disso tudo, o técnico Parreira tenta montar a equipe para enfrentar o Peixe.

Como João Paulo ainda segue lesionado, Dieguinho, que foi bem contra o Corinthians, segue na lateral-esquerda. Já Mariano volta a exercer a lateral-direita desde o início. No ataque, a dúvida fica entre Maicon e Alan, mas a tendência é que o primeiro continue como titular.

– Santos joga parecido com o Corinthians. Tem um desenho tático igual – analisou o técnico Carlos Alberto Parreira que até agora no comando do time na competição nacional tem uma vitória e um empate.

Já o Santos vai ao Rio em busca de sua primeira vitória. Para a partida, o Peixe terá algumas novidades. A principal delas é o retorno do lateral-esquerdo Léo à equipe. Recuperado de uma lesão no ligamento cruzado do joelho esquerdo, o ala volta ao time após três meses afastado dos gramados.

– Jogar 90 minutos, eu acredito que ainda não consigo. Mas no que eu puder, eu vou ajudar o grupo. A vontade de jogar é muito grande. Meu lugar é no campo, junto com os companheiros – afirmou o ala.

Quem também deve aparecer entre os titulares é Eli Sabiá. Com a iminente saída de Fabiano Eller do clube, o zagueiro recém-contratado treinou ao lado de Fabão e deve fazer sua estreia contra o Flu.

Além do ala Triguinho – afastado em razão de uma fissura por estresse no pé esquerdo – o Santos perdeu outro jogador: o atacante Maikon Leite. O jogador sentiu uma fisgada no adutor da coxa esquerda e não viaja com o grupo.


FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE X SANTOS

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 24/5/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: José Antônio Chaves Franco (RS) e Júlio César Rodrigues Santos (RS)

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Mariano, Luiz Alberto, Edcarlos e Dieguinho; Wellington Monteiro, Maurício (Marquinho), Conca e Thiago Neves; Maicon (Alan) e Fred. Técnico: Parreira.

SANTOS: Fábio Costa; Luizinho, Fabão, Ele Sabiá, Léo; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Paulo Henrique, Madson; Neymar e Kléber Pereira.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Fluminense, Santos | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em busca da primeira vitória, Grêmio e Botafogo duelam no estádio Olímpico

Tricolor gaúcho tem a estreia de Paulo Autuori, e Alvinegro entrará em campo com pelo menos três mudanças no time

Após breve passagem pelo Timão, o agora tricolor Túlio reencontra Leandro Guerreiro

Enquanto o Grêmio está sob nova direção, depois da contratação do técnico Paulo Autuori, que evitou mexer significativamente no time, o Botafogo de Ney Franco ainda procura a melhor formação para a disputa do Brasileirão. E é sob essa perspectiva, aliada à busca pela primeira vitória na competição, que as duas equipes se enfrentam no próximo domingo, às 16h, no estádio Olímpico. A Rede Globo transmite para o Rio de Janeiro, e o Premiére, pelo sistema pay-per-view, mostra o jogo para todo o Brasil. O GLOBOESPORTE.COM acompanha o confronto em Tempo Real com vídeos.

Em sua estreia à frente do Tricolor gaúcho, Paulo Autuori deve promover sutis mudanças no posicionamento do time, que soma apenas um ponto no campeonato – empatou com o Santos (1 a 1) e perdeu para o Atlético-MG (2 a 1). Os alas estão orientados a buscar um pouco mais o jogo pelo meio, liberando a passagem de Tcheco e Souza ao ataque. O treinador entende que Maxi López, por atuar fixo na área, precisa ser acionado o tempo todo, e os armadores são fundamentais para isso.

O treinador sabe que um bom resultado contra o Alvinegro carioca, clube com o qual conquistou o Campeonato Brasileiro de 1995, será importante também para o primeiro duelo das quartas de final da Taça Libertadores, contra o Caracas, na próxima quarta-feira, às 21h50m, na Venezuela – a equipe, dona da melhor campanha da primeira fase, tem a vantagem de sempre fazer o segundo jogo em casa.

– O Brasileiro é importante e é difícil. A equipe tem condições de vencer. Contra o Santos poderia ter vencido. Diante do Atlético-MG sofreu a derrota no fim do jogo, de maneira esquisita. E agora tem de superar o Botafogo. Vitória traz tranquilidade – comentou Autuori.

Por outro lado, o técnico do Glorioso, Ney Franco, confirmou pelo menos três alterações na equipe. Alessandro está de volta à lateral direita, no lugar de Thiaguinho; Eduardo segue na zaga, ocupando o lugar de Emerson; e Tony ganhou a disputa com Jean Coral, Jean Carioca e Lucas Silva para formar a dupla de ataque com Victor Simões – Reinaldo ainda sente dores na coxa direita e sequer participou do treino na sexta-feira

– Vamos enfrentar um time forte, atual vice-campeão brasileiro e que pode conquistar a Libertadores. O Grêmio conta com um dos melhores elencos do país, e agora contratou um dos técnicos mais vitoriosos que conheço – afirmou Ney.

E o comandante do Alvinegro, que vem de empates com Santo André (1 a 1) e Corinthians (0 a 0) ainda pode ser obrigado a fazer outra mudança. Renan, que faz tratamento para se recuperar de dores lombares, ainda é dúvida. Se não estiver bem até momentos antes do jogo, Castillo, convocado para defender o Uruguai nas duas próximas rodadas das eliminatórias para a Copa de 2010, voltará a vestir a camisa 1 depois de pouco mais de sete meses – o goleiro, que irá enfrentar a seleção brasileira, sofreu uma grave lesão no joelho direito em outubro, foi submetido a uma cirurgia e voltou aos treinos em março.

O meia Souza e o atacante Jonas deixaram o treinamento da manhã de sexta mais cedo. Eles serão reavaliados pelo departamento médico do Grêmio, mas não devem ser problema para o duelo do Olímpico. Assim, o time terá apenas um desfalque. O volante Adílson, expulso contra o Galo, será substituído por Túlio, ex-capitão do Botafogo. O jogador lembrou com carinho de suas passagens por General Severiano, mas no domingo a história é outra.

– Tenho as melhores recordações. Criei uma identificação muito forte, e o tempo que passei no clube foi maravilhoso. Mas sempre existe uma hora para sair, e eu decidi quando seria. Desejo toda a sorte ao time, mas só depois desta rodada – disse o volante, que enfrentará seu ex-companheiro de meio-campo Leandro Guerreiro.

Para o atacante Tony, o jogo de domingo vale mais que três pontos. Pode significar o início promissor de sua passagem pelo Botafogo. Embora tenha entrado na partida contra o Timão, esta será a sua primeira chance como titular.

– Não há receita para jogar bem. E também não adianta falar muita coisa antes da partida. Aos poucos vou ganhando o meu espaço. Não posso é ficar deslumbrado com a confiança do treinador no meu trabalho. É apenas o começo de uma trajetória que pode ser vitoriosa – garantiu Tony, de 23 anos, contratado recentemente ao Boavista.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Botafogo, Grêmio | , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Flamengo encara fantasma Santo André

Rubro-Negro se concentra no Brasileiro e reencontra algoz de 2004

LANCEPRESS!

Eliminado pelo Internacional na Copa do Brasil, o Flamengo tenta juntar os cacos e volta as suas atenções para a disputa do Campeonato Brasileiro. Neste domingo o Rubro-Negro encara o Santo André às 18h30, fora de casa, na busca pela primeira vitória na competição.

A partida válida pela terceira rodada também marca o reencontro do Flamengo com um fantasma recente. Em 2004, o Santo André foi campeão da Copa do Brasil sobre o Rubro-Negro em pleno Maracanã ao vencer por 2 a 0. Essa derrota é considerada uma das piores da História do clube.

E o clima no clube não é dos melhores. No desembarque ao Rio, Cuca discutiu com um torcedor. Antes do jogo contra o Inter, Juan brigou com o treinador. Sem contar o racha entre o departamento de futebol e a presidência do clube por causa da contratação de Pet.

É nesta panela de pressão que o clube encara o duelo contra o Santo André. Uma outra derrota pode acabar com a paciência dos torcedores e o time entra pressionado em busca da primeira vitória. Se voltar de Santo André com os três pontos, o Flamengo volta a respirar para contar com Adriano na próxima rodada.

E o ataque segue indefinido. Zé Roberto, que pode ir para o Cruzeiro, não foi relacionado. Cuca não divulgou quem vai entrar no seu lugar.Emerson, com dores no joelho esquerdo está fora. O treinador não vai poder contar com Léo Moura e Juan.Em seus lugares entram Everton Silva e Everton.

Já o Santo André vive bom momento e ocupa a quarta posição, com 4 pontos. Apesar de estar mais bem colocado na tabela, o experiente lateral-esquerdo Gustavo Nery prevê dificuldades diante dos cariocas.

-Vamos enfrentar um duro adversário, mas penso que podemos conquistar a vitória. Atuaremos ao lado do nosso torcedor e precisamos buscar o resultado – declarou o camisa seis.

O maior problema do técnico Sérgio Guedes para definir sua equipe é na lateral-direita. O titular Cicinho foi punido pelo STJD com a suspensão de dois jogos pela expulsão na primeira rodada. Além dele, Junior Caiçara, substituto para a vaga, também foi expulso na última partida e fica fora. Por conta disso, o volante Dionísio deve ser improvisado na posição. A boa notícia é que o Departamento Médico liberou o meia Rodrigo Fabri para estrear com a camisa do Ramalhão.

FICHA TÉCNICA:
SANTO ANDRÉ X FLAMENGO

Local: Bruno José Daniel, Santo André (SP)
Data/Hora: 24/5/2009 às 18h30
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA)
Assistentes: Adson Marcio Lopes Leal (BA) e Raimundo Carneiro de Oliveira (BA)

SANTO ANDRÉ: Neneca; Dionísio, Cesinha, Marcel e Gustavo Nery; Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca e Pablo Escobar; Antonio Flávio e Nunes. Técnico: Sérgio Guedes.

FLAMENGO: Bruno, Everton Silva, Aírton, Ronaldo Angelim e Everton; Toró, Willians, Kleberson e Ibson; Josiel (Erick Flores) e Obina. Técnico: Cuca.

maio 24, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , | Deixe um comentário

Choque-Rei movimenta início de Brasileirão

Palmeiras quer quebrar pequeno tabu, e São Paulo a reabilitação após tropeços nos primeiros jogos

Clássico paulista movimenta terceira rodada do Brasileirão (Crédito: Allex Ximenez)

Clássico paulista movimenta terceira rodada do Brasileirão (Crédito: Allex Ximenez)

LANCEPRESS!

O Choque-Rei deste domingo, no Palestra Itália, pela terceira rodada do Brasileirão, é movido pela vontade dos times de voltar a triunfar na temporada. Do lado do Palmeiras, a equipe quer vencer sob os olhares da torcida após um desempenho ruim e derrota para o time misto do Inter no último domingo, no Beira Rio. Já o São Paulo, que vem de empate com o Atlético-PR, no Morumbi, busca sua primeira vitória na competição.

O Verdão recebe o Tricolor e tenta se aproveitar da pouca experiência do goleiro Denis, que substituirá Bosco, para quebrar um pequeno e indigesto tabu para os torcedores palmeirenses: a última vez em que o Alviverde superou o Tricolor no Campeonato Brasileiro foi em 2006 (3 a 1, em Presidente Prudente). De lá para cá foram quatro partidas entre os rivais pela competição: duas vitórias dos comandados de Muricy e dois empates.

No retrospecto geral, a última vez em que o Palmeiras bateu o São Paulo em casa foi na semifinal do Paulistão do ano passado, no polêmico jogo do ‘gás’ – no intervalo do jogo, jogadores do São Paulo reclamaram da existência de um gás no vestiário do visitante. No único duelo de 2009, Washington fez o gol da vitória do clube do Morumbi e os são-paulinos deixaram os rivais sem balançar a rede pela primeira oportunidade no ano.

Com os desfalques de Pierre, suspenso por cartão vermelho no jogo de Porto Alegre, Willians, em fase final de recuperação de lesão no púbis, além de Edmílson, que reiniciou os trabalhos físicos nesta semana depois da cirurgia em abril, Vanderlei Luxemburgo deve escalar Jumar e Souza como volantes, assim como fez no último treino antes do clássico, e adiantar Diego Souza para ficar mais próximo de Keirrison no ataque.

Das muitas ausências do São Paulo, André Dias, Dagoberto e Jean treinaram normalmente neste sábado pela manhã. O zagueiro e o volante ainda não estão confirmados no time, mas o atacante formará a dupla de ataque ao lado de Washington, já que Borges ainda está afastado pelo departamento médico em função da pancada que levou na cabeça no jogo contra o Atlético-PR.

Palmeiras x São Paulo

Estádio Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data: 24/05/2009 às 16:00
Árbitro: Rodrigo Braghetto
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)

Palmeiras: Marcos, Maurício Ramos, Danilo e Marcão; Fabinho Capixaba, Jumar (Mozart), Souza, Cleiton Xavier e Armero; Diego Souza e Keirrison. Técnico : Vanderlei Luxemburgo.

São Paulo: Denis, Zé Luis, Miranda, Richarlyson (André Dias) , Jorge Wagner, Eduardo Costa (Jean) e Arouca; Hernanes, Hugo, Dagoberto e Washington. Técnico: Muricy Ramalho.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 24, 2009 Posted by | Palmeiras, São Paulo | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário