Portal Futebol

Tudo sobre o futebol Brasileiro e Internacional

Vitória vence Grêmio com gol nos acréscimos

Rubro-negro baiano pressionou o jogo todo e foi recompensado


Gremio Vitoria


O Vitória venceu o Grêmio por 1 a 0, na tarde deste domingo, no Barradão, em partida válida pela 4ª rodada do Campeonato Brasileiro. Leandro Domingues fez um golaço e garantiu a vitória do Leão. Com o resultado, o Vitória alcança a vice-liderança da competição com 9 pontos. O Grêmio permanece com 4 pontos, em décimo segundo.


O Vitória inicou a partida buscando mais o ataque. Logo aos dois minutos, Adriano chutou de fora da área para defesa de Victor. Aos 10, Victor Ramos recebeu cruzamento de Leandro Domingues e cabeceou por cima da meta. O Leão estava melhor na partida, diante de um Grêmio postado na defesa. A primeira chance do Grêmio foi através de Souza, mas o chute do meia saiu ao lado do gol de Viáfara. Aos 18, mais Vitória,

Apodi arrancou pela direita e rolou para Adriano na entrada da área. O atacante bateu de canhota, mas a bola foi na trave. O rubro-negro continuava criando chances, aos 22 Victor e Neto Baiano se chocaram na área e o atacante ficou pedindo pênalti. Cinco minutos depois, William escorregou na área em disputa com Ruy e também pediu pênalti.

O time baiano voltou a assustar os 33, William arriscou chute de fora da área e obrigou victor a fazer boa defesa. Mesmo sem jogar bem, o time gaúcho quase abriu o placar quando Réver cabeceou com perigo após cobrança de escanteio de Souza. O Leão respondeu aos 40. Na chance mais clara da primeira etapa, Apodi foi lançado na área do Grêmio e só não marcou o gol graças a boa saída de Victor que fez a defesa.

O primeiro tempo terminou com o Vitória com mais volume de jogo e buscando sempre o ataque, mas esbarrando no goleiro Victor, enquanto o Grêmio pouco ameaçava a meta de Viáfara.

Vitória pressiona e consegue gol no fim

A etapa final começou como havia terminado o primeiro tempo, o Vitória buscando o ataque e o Grêmio jogando atrás sem conseguir encaixar os contra-ataques. Apodi era uma boa opção pela direita e a movimentação de Adriano e Neto Baiano levava perigo ao Grêmio. Anderson Martins quase abriu o placar em chute forte de fora da área, mas Victor fez mais uma boa defesa.

Aos 22, a partida ficou ainda mais complicada para o Grêmio quando Jonas, que havia entrado no segundo tempo, fez falta em Apodi e foi expulso após receber o segundo amarelo. Com um jogador a mais, o vitória tentava pressionar. Aos 30, Elkeson arriscou de fora da área, mas parou em Victor mais uma vez. O técnico Carpegiani abriu mão de um zagueiro e colocou o experiente meia Ramon para tentar chegar ao gol.

O Grêmio levou perigo aos 35, Souza arriscou chute de longe e Viáfara fez boa defesa. Nos últimos minutos o jogo ficou aberto, mas sempre com o Vitória pressionando. O Grêmio ainda teve uma ótima chance quando Máxi Lopez conseguiu invadir a área e bater forte para defesa de Viáfara. Mas, no último minuto, a ousadia e determinação do time baiano foi premiada. Leandro Domingues acertou um chute de muito longe e marcou um golaço para garantir os três pontos para o Vitória.


FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA 1 X 0 GRÊMIO


Local: Barradão, Salvador (BA)
Data e hora: 31/05/2009 – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Wagner Tardelli (SC)
Auxiliares: Alcides Pazetto (SC) e Angelo Bechi (SC)
Cartões Amarelos: Fábio Santos, Leo, Jadílson Jonas (GRE) Apodi (VIT)
Cartões Vermelhos: Jonas (GRE)
Gols: Leandro Domingues

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor Ramos e Anderson Martins (Ramon); Apodi, Vanderson, Leandro Domingues, Willian e Ueliton (Roger); Adriano (Elkeson) e Neto Baiano. Técnico: Paulo Cesar Carpegiani.

GRÊMIO: Victor, Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Túlio, Adilson (Jadílson), Souza e Fábio Santos; Alex Mineiro (Jonas) e Maxi López (Douglas Costa). Técnico: Paulo Autuori

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 31, 2009 Posted by | Grêmio, Vitória | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

De pênalti, Naútico empata em 1 a 1 no fim da partida e complica a vida do Flu

Com defesas senscionais Berna, tricolores venciam até os 49 minutos do primeiro tempo, mas Maicon cometeu falta em Anderson Lessa na área

Fluminense empata

Gilmar acabou com a festa do Fluminense no Campeonato Brasileiro, que adminstrou a vitória nos Aflitos até os 49 minutos do segundo tempo. O jogador do Náutico, em cobrança de pênati, empatou a partida em 1 a 1. O goleiro Ricardo Berna, que vinha muito bem no jogo, não conseguiu defender a cobrança, que foi originada por Maicon em Anderson Lessa.

O não Fluminense conseguiu na tarde deste domingo a primeira vitória fora de casa. O time passou por um sério problema na terça-feira passada e teve até jogador afastado do elengo.

O Náutico tentou várias vezes, mas o goleiro Ricardo Berna estava lá para defender várias tentativas dos pernambucanos. O camisa 1 foi um dosa grandes destaques do time tricolor. Agora resta saber se ele será mantido para enfrentar o Botafogo na próxima rodada da competição, domingo que vem.

O goleiro Ricardo Berna substituiu o titular Fernando Henrique, afastado do time por que um amigo seu sacou uma arma dentro do clube e efetuou disparos para o alto, na tentativa de pôr fim a uma invasão, na última terça-feira, de torcedores nas Laranjeiras.

O estreante Diogo, meia que atuou na lateral direita, lançou com perfeição na grande área para Fred, que chutou cruzado, aos nove minutos do primeiro tempo, sem chance de defesa para o goleiro Eduardo. O atacante acabou com um jejum de cinco partidas sem balançar a rede adversária.

O Náutico buscava o empate até que Marquinho fez falta desnecessária e Júnior Carioca num contra-ataque. O atacante Carlinhos Bala cobrou, mas Ricardo Berna estava lá para defender.

Em rápida jogada pela esquerda, Fred cruzou para o apoiador Marquinho tentar o segundo do Flu. O goleiro Eduardo conseguiu impedir o gol tricolor. Em vantagem no placar, os cariocas ficaram atrás, esperando para jogar em contra-ataques. Essa postura dificultou o Náutico, que não encontrava espaços.

Quase no fim da etapa inicial, os pernambucanos ainda tentaram alguma pressão sobre o Fluminense. Mas foi o Tricolor que emendou um contra-ataque: Thiago arrancou do seu campo de defesa, tocou para Conca, que devolveu para o camisa 10 entrar pela esquerda e mandar um balaço na trave direita de Eduardo.
Na entrada da área do Fluminense, Diogo fez falta em Anderson Santana. Carlinhos bala ajeitou a bola e bateu no ângulo direito do goleiro. Ricardo Berna foi lá em cima para defender e impedir o gol de empate do Náutico.

No intervalo do segundo tempo, o técnico Waldemar Lemos mexe no time e Náutico passa a atacar mais

O Náutico voltou a campo com muita vontade de empatar a partida. Em quatro minutos foram dois ataques perigosíssimos para os pernambucanos. No primeiro minuto de jogo, Asprilla cabeceou a bola no travessão do goleiro do Fluminense.

Numa saída errada de Diogo, o Náutico recuperou a bola dos tricolores e quase empatou. Carlinhos Bala mandou a bola no ângulo, e Ricardo Berna, mais uma vez, estava lá para fazer sensacional defesa. A torcida pernambucana se inflamou com as jogadas.

Wellington Monteiro subiu ao ataque e chutou com força. Eduardo, bem colocado, mandou a bola parea escanteio. Na cobrança, Fred aparece no lance e cabeceia para o chão. Eduardo, novante, salva o Náutico.

Aos 26 da etapa final, Anderson Santana cruzou na área do Fluminense e Gladstone cabeceou à queima-roupa. Ricardo Berna, de forma incrível, defendeu. Pressão total no Náutico, que não saia da área do Fluminense. Maicon salvou praticamente em cima da linha uma cabeçada perigosa de Carlinhos Bala.

Carlinhos Bala recebeu em condição legal dentro da área e perdeu excelente oportunidade. Ricardo Berna saiu no abafa e impediu a conclusão da jogada, que poderia ser o gol de empate.

Mas aos 49 do segundo tempo, Maicon tentou driblar Anderson Lessa na área e cometeu pênalti. Gilmar cobrou e empatou a partida em 1 a 1.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Ficha técnica:

NÁUTICO 1 x 1 FLUMINENSE
Eduardo, Gladstone, Vágner Silva e Asprilla (Galliardo); Derley, Johnny, Júnior Carioca (Dinda), Carlinhos Bala e Anderson Santana; Kuki (Anderson Lessa) e Gilmar Ricardo Berna, Diogo, Luiz Alberto, Edcarlos e João Paulo; Wellington Monteiro, Marquinho, Carlos Eduardo (Maicon) e Conca; Thiago Neves (Alan) e Fred
Técnico: Waldemar Lemos. Técnico: Carlos Alberto Parreira.
Gols: Fred, aos 9 minutos do primeiro tempo;
Cartões amarelos: Asprilla, Dinda, Vágner Silva, Derley (Náutico); Carlos Eduardo, Thiago Neves (Fluminense). Cartão vermelho: Derley (Náutico); Luiz Alberto (Fluminense).
Estádio: Aflitos. Data: 31/05/2009. Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP). Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Emerson Augusto de Carvalho (SP).

maio 31, 2009 Posted by | Fluminense, Náutico | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Santos quebra jejum e acaba com invencibilidade do Corinthians

Peixe bate adversário após 13 meses e vai ao terceiro lugar. Time de Mano Menezes, que usou reservas, não havia perdido para um rival em 2009


Santos Vence

Após 13 meses, o Santos pode comemorar uma vitória sobre o Corinthians. Fez 3 a 1 neste domingo, na Vila Belmiro, e acabou com um jejum que durava desde 26 de março de 2008, pelo Paulistão. O resultado leva o Peixe à terceira colocação do Campeonato Brasileiro, com oito pontos. O Corinthians, que usou um time reserva, perdeu seu primeiro clássico no ano e soma quatro pontos.

O garoto Paulo Henrique brilhou e abriu 2 a 0 no primeiro tempo. Madson também marcou o seu, e Renato fez o gol de honra. Na próxima rodada, o Santos enfrenta o Santo André, fora de casa, às 21h de quinta-feira. O Corinthians volta a entrar em campo na quarta-feira, pela semifinal da Copa do Brasil, para enfrentar o Vasco, no Pacaembu. Às 18h30m de sábado, o adversário será o Coritiba, dessa vez pelo Brasileiro, no mesmo estádio.

Paulo Henrique brilha e faz dois gols

Assista os Golls da Partida:


O Santos começou o jogo com pressa, tentando resolver a partida de qualquer jeito. Com isso, os erros de passe se tornaram inevitáveis. Foi como se o Peixe tivesse entrado em campo precisando se recuperar da derrota na final do Paulista. E o Corinthians se aproveitou disso. Como aconteceu na decisão estadual, a equipe do Parque São Jorge achou espaços para atacar – e quase abriu o placar aos 13 minutos, quando Morais recebeu passe de Souza pela direita e mandou uma bomba de pé direito. Fábio Costa espalmou.

O Corinthians, com um time totalmente reserva, não teve aquele que fez a diferença no Paulistão, Ronaldo. Com isso, aos poucos o Peixe foi se tranquilizando. Colocou a bola no chão e pôs em prática o seu jogo, que é rápido mas não apressado. Foi assim que os gols começaram a sair.

Paulo Henrique, autor dos dois primeiros gols, comemora na vitória sobre o Corinthians

Aos 16, Luizinho recebeu ótimo passe de Rodrigo Souto e cruzou rasteiro para Paulo Henrique, que desviou de primeira, de pé esquerdo. Júlio César tentou defender, mas a bola atravessou a linha: 1 a 0 para os donos da casa. A torcida santista se animou e passou a jogar junto com o time, que se empolgou e ampliou o seu domínio.

Aos 30 minutos, mais um gol. Lulinha perdeu a bola no meio-de-campo para Madson. O baixinho rolou para Paulo Henrique, que, imediatamente, lançou Kléber Pereira. O artilheiro recebeu na entrada da área e chutou forte. Júlio César espalmou e, no rebote, o próprio Paulo empurrou de pé direito para a rede.

Em desvantagem, o Timão se desorientou e cometeu erros de posicionamento. Passou a falhar em passes fáceis e na marcação. Por ter perdido a bola no lance que originou o segundo gol santista, Lulinha levou uma enorme bronca de Mano Menezes e foi se esconder na lateral esquerda.

Timão ameaça, mas perde Lulinha. Peixe amplia

O Corinthians voltou melhor no segundo tempo. Mano Menezes trocou Jucilei, que não conseguiu sair para o jogo, pelo meia Marcinho. A mudança adiantou a equipe corintiana, que diminuiu a diferença no placar logo aos cinco minutos. Marcinho virou o jogo para Morais, que chutou cruzado. Fábio Costa espalmou, e a bola sobrou para o zagueiro Renato estufar a rede.

Quando o Timão ameaçava empatar a partida, Lulinha, aos 20 minutos, deu uma entrada dura em Léo, por trás, e foi expulso. O Peixe passou a rondar mais a área adversária e a cruzar bolas com perigo. Faltava, porém, alguém para empurrar para o gol. Kléber Pereira, aos 28, teve uma grande chance para ampliar, quando entrou sozinho de frente para Júlio César, mas chutou em cima do goleiro.

O Peixe seguia desperdiçando chances, e o Corinthians, acuado, tentava encaixar algum contra-ataque, mas pecava no útlimo passe. Morais teve espaço para arrancadas, mas não conseguiu dar sequência às jogadas.

Aos 44, de tanto apertar, o Peixe ampliou o placar. Germano chutou cruzado da esquerda, Júlio César desviou, e Madson, livre na pequena área, empurrou para o gol. O curioso é que Bruno, que estava fora do campo, voltava e parou em cima da linha de fundo, pedindo impedimento inexistente.

Ficha técnica:

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)
Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

SANTOS 3 x 1 CORINTHIANS
Fábio Costa, Luizinho (Pará), Fabão, Fabiano Eller e Pará; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Paulo Henrique e Molina (Neymar); Madson e Kléber Pereira. Júlio César, Diogo, Jean, Renato e Wellington Saci (Bruno); Moradei (Jadson), Jucilei (Marcinho), Boquita e Morais; Lulinha e Souza.
Técnico: Vagner Mancini. Técnico: Mano Menezes.
Gols: Paulo Henrique, aos 16 e 30 minutos do primeirio tempo; Renato, aos cinco, e Madson, aos 44 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Fabiano Eller (Santos), Souza, Jean, Boquita, Renato (Corinthians). Cartão vermelho: Lulinha (Corinthians).
Estádio: Vila Belmiro, em Santos. Data: 31/05/2009. Árbitro:Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP) e Nilson de Souza Monção (SP). Público e renda: Leandro Pedro Vuaden (RS). 10.666 pagantes / R$ 245.040

maio 31, 2009 Posted by | Corinthians, Santos | , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Noite gelada, fase quente: Inter 100% faz 2 a 1 no Avaí

Com apenas dois titulares, Colorado confirma ótimo momento e mantém a ponta no Brasileirão. Talles Cunha e Alecsandro marcam, e Lima desconta


Inter Avaí

A fase iluminada do Inter não faz distinções: é vitória com time titular, misto ou reserva, dentro ou fora de casa, com calor de torrar ou frio de congelar. A vítima deste domingo foi o Avaí. Com apenas dois titulares no time que começou a partida, o Colorado fez 2 a 1 em um Beira-Rio que mais parecia um iceberg e manteve 100% de aproveitamento no Campeonato Brasileiro (assista ao vídeo ao lado). São quatro vitórias em quatro jogos, que rendem a liderança isolada da competição ao time gaúcho.

Os gols colorados foram marcados por Talles Cunha e Alecsandro. Lima, de pênalti, descontou no fim. Com 12 pontos, o Inter já abre três de vantagem para o vice-líder, o Vitória. São 24 jogos de invencibilidade na temporada. O Avaí, em contrapartida, conviveu com algo pior do que os cerca de 10ºC em Porto Alegre: o incômodo de manter o jejum no retorno à Séria A. Após três empates, perdeu a primeira. A equipe de Silas é a 16ª colocada.

A próxima missão vermelha é a batalha contra o Coritiba na quarta-feira, valendo vaga na final da Copa do Brasil. O Inter pode até perder por um gol no Couto Pereira. Pelo Brasileirão, o time gaúcho volta a jogar no domingo, em Belo Horizonte, contra o Cruzeiro. Já o Avaí recebe o São Paulo no mesmo dia.

Mais um guri colorado


Talles Cunha quase some na festa vermelha

O Inter não cansa de revelar atacantes rápidos e habilidosos. O próximo da linhagem de Nilmar, Rafael Sobis, Alexandre Pato e Taison pode ser Talles Cunha, que treina com os profissionais desde o ano passado, mas vem recebendo poucas chances como titular. Neste domingo, foi ele que colocou o time colorado na frente do Avaí.

O gol saiu aos 15 minutos do primeiro tempo, um pouco por mérito do Inter, um pouco por bobeada do time de Floripa. Andrezinho bateu falta na direção da área, Danny desviou de cabeça, Bruno errou em bola (incrível: levou um chapéu do gramado) e Talles, pela direita, mandou uma bomba cruzada. Se não tivesse uma rede atrás do goleiro Eduardo Martini, sabe-se lá onde e quando a bola pararia. Belo gol vermelho.

Os reservas do Inter não tiveram a mesma mecânica de jogo dos titulares, mas também souberam criar jogadas vistosas. Em uma delas, quase saiu mais um gol para os gaúchos. Glaydson puxou contra-ataque e rolou para Alecsandro na direita. O centroavante mandou no pé de Talles Cunha, que desta vez errou feio. Perdeu gol imperdível.

O Avaí também deu suas escapulidas ao ataque, mas nada capaz de empolgar os torcedores catarinenses que quase formaram um bloco uniforme de gelo atrás de um dos gols do Beira-Rio. Eles não esperavam tanto frio. O jeito foi pular com chances pouco efetivas mesmo. Caio e Muriqui ficaram perto do gol de Lauro aos 20 e 21 minutos, mas os chutes foram para fora. Muriqui teve repeteco aos 35. O chute foi bom, mas bom também é o goleiro do Inter, que conseguiu segurar sem maiores dificuldades.

O segundo tempo começou sem sal, com as duas equipes reduzindo o jogo ao espaço entre as intermediárias. O jogo voltou a esquentar com as expulsões de Maycon, do Inter, e Emerson, do Avaí, ambas um tanto exageradas. Os visitantes teriam empatado se André Turatto, dentro da pequena área, não tivesse cabeceado por cima do gol de Lauro. Mas ele não fez, e aí Alecsandro deu o golpe de misericórdia.

A jogada saiu aos 14 minutos. Começou com Giuliano, que teve raciocínio rápido para acionar Kleber na esquerda. O lateral-esquerdo, em seu último jogo antes de se apresentar à seleção brasileira, mandou cruzamento preciso para Alecsandro escorar a bola na direção da rede catarinense: 2 a 0.

O Avaí tentou reagir, criou chances, perdeu gols e insistiu até chegar lá com gol de pênalti. Lima caiu na entrada da área, em lance duvidoso que a arbitragem viu como infração. O próprio Lima bateu para descontar.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Ficha técnica:

INTERNACIONAL 2 x 1 AVAÍ
Lauro, Danilo Silva, Danny Morais, Sorondo e Kleber; Maycon, Glaydson, Andrezinho (Marcelo Cordeiro) e Giuliano; Talles Cunha (Sandro) e Alecsandro (Leandrão). Eduardo Martini, Ferdinando, Emerson, André Turatto e Uendel; Marcus Vinícius, Bruno (Bruno), Muriqui e Marquinhos; Caio (Luís Ricardo) e Evando (Lima).
Técnico: Tite. Técnico: Silas.
Gols: Talles Cunha, aos 15 minutos do primeiro tempo; Alecsandro, aos 14, e Lima, aos 42 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Danilo Silva, Kleber, Maycon, Sandro (Inter); Bruno, Emerson (Avaí). Cartão vermelho: Maycon (Internacional); Emerson (Avaí).
Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Data: 31/05/2009. Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE). Auxiliares: Jossemar José Diniz Moutinho (PE) Ubirajara Ferraz Jota (PE).

maio 31, 2009 Posted by | Avaí, Internacional | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Na volta de Borges, Tricolor dá troco na Raposa em prévia da Libertadores

Atacante faz o segundo gol no triunfo de 3 a 0, primeiro do São Paulo no Brasileiro. Dia 17, times jogam pelo torneio continental


Borges, atacante do São Paulo

Borges esperneou contra a reserva e abriu polêmica com o técnico Muricy Ramalho por uma vaga de titular no São Paulo. Pelo menos neste domingo, o atacante apresentou seus argumentos. Com um gol dele e outros de Washington e Dagoberto, o Tricolor derrotou o Cruzeiro por 3 a 0, no Morumbi, vingou-se da derrota na semana passada e obteve a primeira vitória no Campeonato Brasileiro.

O placar, aliás, classificaria o São Paulo para as semifinais caso a partida valesse pela Taça Libertadores. No primeiro duelo, em Belo Horizonte, os mineiros venceram por 2 a 1. O segundo jogo está marcado para o dia 17 de junho, às 21h50m, novamente no Morumbi.

Pelo Brasileirão, o primeiro triunfo após quatro rodadas põe o Tricolor na nona colocação, com cinco pontos. O time dirigido por Muricy Ramalho não vencia há quatro jogos, desde o 2 a 1 diante do América de Cali, pela última rodada da primeira fase da Libertadores. Já a Raposa cai para oitavo, com seis.

Assista os Golls da Partida:

Na próxima rodada, o São Paulo pega o Avaí, domingo, às 16h, na Ressacada, em Florianópolis. O Cruzeiro encara o Internacional, no mesmo dia, às 18h30m, no Mineirão.

Tricolor abre boa vantagem no primeiro tempo

O São Paulo foi a campo com três novidades que mexeram bastante na estrutura da equipe. Hernanes, Dagoberto e Jorge Wagner ficaram no banco de reservas para as entradas de Junior Cesar, Marlos e Borges, que havia reclamado da reserva após a derrota para o mesmo Cruzeiro, quarta-feira passada, em Belo Horizonte.

Mesmo sem encantar, o Tricolor não demorou a abrir o placar em um lance curioso, aos 12 minutos. Miranda deu um chutão da defesa para o ataque. Washington desviou de cabeça, a bola subiu e foi em direção ao gol de Fábio. Ainda pelo alto, a defesa não conseguiu cortar corretamente, e o Coração Valente testou no canto direito: 1 a 0.

O Cruzeiro quase empatou no lance seguinte. Após cruzamento da esquerda de Wellington Paulista, Denis não saiu, e a bola sobrou na segunda trave para Gerson Magrão. Livre de marcação na pequena área, o lateral-esquerdo tocou de primeira, mas acertou a trave, assustando os mais de 51 mil torcedores presentes ao Morumbi.

Contratado para resolver os problemas de armação no meio-de-campo do São Paulo, Marlos começou a aparecer aos 27. De fora da área, arriscou e obrigou Fábio a fazer ótima defesa, espalmando para escanteio. Aos 32, fez linda jogada pela direita e rolou para Zé Luis na linha de fundo. O ala cruzou rasteiro e Borges apareceu em velocidade para fazer o segundo. Festa do atacante, que vibrou muito, deu a famosa cambalhota e arrancou da torcida os gritos de “Bor-ges!”.

Mais uma vez o Cruzeiro teve a oportunidade de marcar logo em seguida ao gol tricolor. Aos 36, Kléber avançou pela direita e cruzou rasteiro. Ramires furou na tentativa do calcanhar e a bola cruzou toda a pequena área. Wellington Paulista também não desviou.

Dagoberto fecha a conta no Morumbi

No segundo tempo, o técnico Adilson Batista sacou Gerson Magrão para a entrada de Athirson. Mas foi o São Paulo que assustou logo aos dois minutos. Zé Luis cruzou da direita para Borges na área. Sem marcação, o atacante bateu forte, e Fábio fez ótima defesa. Aos três, foi a vez de Ramires. Ele chutou de fora da área, e Denis defendeu.

Com a boa vantagem no placar, o São Paulo passou a administrar jogando nos contra-ataques. Como aliada, o Tricolor pôde contar com a chuva que caiu sobre o Morumbi na etapa final. Com o gramado mais pesado, o Cruzeiro sofreu para tocar a bola. Zé Carlos, herói da Raposa no duelo de quarta-feira, entrou no lugar de Wellington Paulista, mas nada fez.

Para ganhar velocidade, Muricy Ramalho sacou Washington e colocou Dagoberto. Logo no primeiro lance, o atacante perdeu boa chance. Ele partiu rápido pela direita, cortou para o meio e soltou a bomba, mas sem direção, enquanto Borges e Marlos esperavam passe na área.

Mas, na segunda oportunidade, Dagoberto não desperdiçou. Após lançamento do goleiro Denis, o atacante recebeu a bola na direita da área e chutou forte e cruzado, sem chances para Fábio. Festa no Morumbi e sonho em repetir a dose pela Libertadores.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 X 0 CRUZEIRO

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 31/05/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman – PR(FIFA)
Auxiliares: Márcia Bezerra Lopes Caetano/RO(FIFA) e Gilson Bento Coutinho/PR
Cartões Amarelos: Miranda E Zé Luís (SAO); Wellington Paulista, Henrique e Ramires (CRU).

GOLS: Washington, aos 11’/1oT (1-0); Borges, aos 32’/1oT (2-0) e Dagoberto, aos 33’/2oT (3-0).

SÃO PAULO: Dênis; Renato Silva, André Dias e Miranda; Zé Luís, Jean, Eduardo Costa, Marlos (Hernanes, aos 33’/2ºT) e Júnior César; Borges e Washington (Dagoberto, aos 26’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

CRUZEIRO: Fábio; Jonathan, Léo Fortunato, Thiago Heleno e Gérson Magrão (Athirson, no intervalo) (Eli Carlos, aos 28’/2ºT) ; Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná e Ramires; Wellington Paulista (Zé Carlos, aos 20’/2ºT), e Kléber. Técnico: Adílson Batista

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)


maio 31, 2009 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

‘Festa na favela’: no reencontro com a torcida, Adriano faz gol, e Fla vence

Imperador tem boa atuação e faz o segundo gol da vitória por 2 a 1 sobre o Furacão no Maracanã


Adriano marca no retorno e corre para o abraço

Uma celebração com roteiro perfeito para os rubro-negros cariocas no Maracanã: confirmação do Rio de Janeiro como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, vitória do Flamengo com reestreia e gol de Adriano. Com participação efetiva do Imperador, o time da Gávea superou o Atlético-PR por 2 a 1, pela quarta rodada do Brasileirão, e levou à loucura os quase 72 mil torcedores presentes ao estádio. E a massa assumiu a origem simples do atacante ao comemorar o gol cantando “Favela, é festa na favela!”.

Assista os Golls da Partida:


Com o resultado, o Rubro-Negro pula para sete pontos e está na sexta posição na competição, enquanto o Furacão, com apenas um, é o vice-lanterna ao lado do Coritiba, levando vantagem no saldo negativo de gols: quatro contra cinco do arquirrival. No próximo domingo, os cariocas vão até o Recife encarar o Sport, às 16h, na Ilha do Retiro. Já os paranaenses recebem o Atlético-MG, no mesmo dia e horário, na Arena da Baixada.

No embalo da torcida para Adriano, o Flamengo começou a partida marcando no campo de ataque e com os laterais avançados. Logo aos dois minutos, a primeira chance: Juan levantou a bola no segundo pau, e Léo Moura cabeceou com força para grande defesa de Vinícius. Os visitantes tentaram dar o troco aos cinco, com Rafael Moura, que avançou pelo meio e chutou de longe, mas sem dar trabalho a Bruno.

Antônio Carlos faz contra, mas Adriano estava lá para conferir

Dois minutos depois, Juan mais uma vez apareceu bem. O lateral-esquerdo cruzou à meia altura, Emerson furou, e Adriano completou de barriga para fora. Aos nove, o Imperador concluiu com perigo, mas desta vez a jogada começou pela direita, com Willians. O volante foi ao fundo e cruzou na medida para o camisa 29 testar firme para o chão. O goleiro do Furacão apareceu bem novamente.

Adriano seguia como o centro das atenções da partida, até mesmo nos lances contra o seu próprio time. Aos 13, ele perdeu a bola na intermediária, e Rafael Moura levou perigo. O atacante do Furacão invadiu a área e bateu cruzado, mas parou em Bruno. Dois minutos depois, o Flamengo abriu o placar. Pela terceira vez Juan chegou livre ao ataque pela esquerda e cruzou buscando o Imperador, que se colocava na área para concluir. A bola, no entanto, não chegou até ele, pois Antonio Carlos apareceu no meio do caminho e, na tentativa de cortar o lance, fez contra.

Com a vantagem no marcador, Flamengo e Adriano diminuíram o ritmo. Parado na frente, o atacante praticamente só observava o desenrolar do jogo no meio-campo, e as equipes pouco criavam. Treze minutos após o gol, ele precisou de apenas um toque para deixar Toró frente a frente com Vinícius. O volante chutou forte, e o goleiro defendeu.

Foi a última boa jogada da primeira etapa, e na saída para o intervalo todos os microfones se voltaram para Adriano, que avisou.

– Estou animado. Vou voltar para o segundo tempo – avisou.

Maracanã lotado entoa o canto ‘Festa na favela’

O Imperador realmente voltou animado. Logo no primeiro minuto, o momento mais esperado: Léo Moura partiu em velocidade pela direita e cruzou na medida. Bem colocado no segundo pau, Adriano se deslocou e cabeceou sem chances para Vinícius. Era o que a torcida queria neste reencontro, e o canto das arquibancadas tomou conta do Maracanã: “Favela! é festa na favela!”, em alusão ao retorno do jogador ao Rio de Janeiro para ficar próximo à comunidade onde nasceu (Vila Cruzeiro).

No lance seguinte, a galera novamente foi ao delírio com um corte de carrinho do Imperador na defesa. Mesmo fora de forma, o atacante era responsável pela maioria das jogadas ofensivas do Flamengo. Aos nove, ele deu um bom passe de calcanhar para Emerson, que demorou para finalizar e foi desarmado.

Mas a parceria com o Sheik deu sinais de que pode dar certo. Aos 11, Adriano cruzou na segunda trave, e Emerson cabeceou para fora. Do lado do Atlético-PR, Júlio dos Santos era o destaque. Aos 12, ele chutou forte de longe, e Bruno deu rebote, mas se recuperou e com o pé direito evitou a conclusão de Rafael Moura, em lance parecido ao que protagonizou com Nilmar, do Internacional, na partida de ida pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Aos 15, foi a vez de o paraguaio assustar em cobrança de falta. Os lances animaram o Furacão, que diminuiu aos 24. Márcio Azevedo fez boa jogada individual, passou por Toró e caiu na área, em lance duvidoso. O árbitro marcou pênalti, convertido por Rafael Moura, com direito a paradinha.

O gol paranaense levou o Fla com mais ímpeto ao ataque. Aos 26, Adriano invadiu a área pela direita, cortou para o meio e rolou para Léo Moura. O lateral emendou de primeira, sem direção, Emerson desviou no meio do caminho, e Vinícius salvou com os pés. No lance seguinte, o Imperador serviu Juan, que chutou em cima da zaga.

Com a partida se encaminhando para o fim, o Atlético-PR tentava o empate de forma desordenada, enquanto o Flamengo aproveitava para levar perigo em contra-ataques. Aos 43, Adriano recebeu de Ibson e foi desarmado na pequena área por Chico. Um minuto depois, Everton recebeu passe da estrela da tarde e chutou cruzado para fora. Foi o ato final de uma festa perfeita para os rubro-negros do Rio de Janeiro, com Adriano em campo durante toda a partida.

FLAMENGO 2 X 1 ATLÉTICO PARANAENSE

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 31/5/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS)

Renda e público: R$ 1.293.939,00 / 68.217 pagantes
Cartões Amarelos: Rhodolfo (45′ /1º T); Léo Moura (17′ 2º T), Chico (25′ 2º T), Márcio Azevedo (40′ 2º T), Everton Silva (45 / 2º T).
GOLS: Antonio Carlos, gol contra, 13’/1ºT (1-0), Adriano, 1’/2ºT (2-0), Rafael Moura, 25’/2ºT (2-1)

FLAMENGO: Bruno, Willians, Aírton e Ronaldo Angelim; Léo Moura (Everton Silva 42′ 2º T), Ibson, Toró (Wellinton 35′ 2º T) , Kléberson e Juan; Emerson (Everton 35’/ 2º T) e Adriano. Tecnico: Cuca.

ATLÉTICO-PR: Vinícius, Rhodolfo, Chico e Antonio Carlos; Raul (Manoel, 19’/ 2º T), Rafael Miranda (Wesley 29′ 2º T) , Valência, Júlio dos Santos e Márcio Azevedo; Marcinho (Patrick, intervalo) e Rafael Moura. Técnico : Geninho.

maio 31, 2009 Posted by | Atlético-PR, Flamengo | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

São Paulo x Cruzeiro: duelo, agora, é pelo Brasileiro

Times se enfrentam pela segunda vez em quatro dias

LANCEPRESS!

São Paulo e Cruzeiro, rivais nas quartas-de-final da Libertadores, voltam a se encontrar neste domingo às 16h, no Morumbi. Depois da vitória da Raposa na última quarta, pela competição sul-americana (2 a 1, no Mineirão), o duelo agora vale pelo Campeonato Brasileiro.

O Tricolor tenta quabrar um incômodo jejum. O atual tricampeão brasileiro ainda não venceu no campeonato deste ano. Já a Raposa, embalada pela vitória na Liberta, está em quarto lugar no Brasileirão.

E não é somente no Brasileiro que o São Paulo vive mau momento. O time já está sem vencer há seis partidas, e depois de vários problemas de lesões de elenco, o técnico Muricy Ramalho poderá contar com praticamente todos os titulares. Até o zagueiro Miranda, convocado para a Seleção Brasileira, deve estar em campo. O volante Richarlyson, suspenso, e o goleiro Rogério Ceni, ainda se recuperando de cirurgia, são os desfalques.

No Cruzeiro, uma despedida: o meia Ramires, também convocado por Dunga, deve fazer sua última partida pela Raposa. O jogador, que defenderá o Brasil nas Eliminatórias e na Copa das Confrederações, foi vendido ao Benfica (POR).

Apesar da importância dos duelos pela Libertadores, o meia Jorge Wagner, do Sampa, prefere “esquecer” da competição sul-americana e se concentrar no Brasileiro:

– Agora, o nosso pensamento volta para o Campeonato Brasileiro. Precisamos pontuar, pois já têm várias equipes despontando na ponta da tabela e não podemos vacilar.

Depois de quebrar, na última quarta, a marca de cinco anos sem vencer o São Paulo, o Cruzeiro entra em campo agora com uma nova motivação. A escrita da vez é terminar com o jejum contra o Tricolor no Morumbi.

Jogando no território inimigo, o último triunfo celeste foi em 2003. O camisa 10 Alex e o atacante Deivid, três vezes, marcaram os gols e a Raposa venceu por 4 a 2. A curiosidade é que, na ocasião, o Gladiador Kléber estava do lado paulista.

– O time de 2003 do Cruzeiro era praticamente imbatível. Perdemos feio no Mineirão e tomamos um passeio no Morumbi também – elogia o atacante Kléber, agora, do lado azul do confronto.

O Gladiador deverá ter um novo parceiro no ataque. Thiago Ribeiro se lesionou no confronto pela Libertadores e desfalcará o time por um mês. Wellington Paulista e Zé Carlos, autor do gol da vitória na quarta-feira passada, lutam pela vaga.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO X CRUZEIRO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 31/5/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman – PR(FIFA)
Auxiliares: Marcia Bezerra Lopes Caetano/RO(FIFA ) / Gilson Bento Coutinho/PR

São Paulo: Denis, Zé Luis, André Dias, Miranda e Richarlyson; Eduardo Costa, Jean, Hernanes e Jorge wagner; Dagoberto e Washington (Borges)
Técnico: Muricy Ramalho

Cruzeiro: Fábio, Jonathan, Thiago Heleno, Leonardo Silva e Gerson Magrão; Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná e Ramires; Wellington Paulista (Zé Carlos) e Kléber
Técnico: Adilson Batista

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 31, 2009 Posted by | Cruzeiro, São Paulo | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Mengão encara Furacão com Adriano. Leia

Jogo é a grande chance das equipes se afirmarem no Brasileiro

Adriano foi confirmado no Flamengo no lugar de Josiel (foto: Gilvan de Souza)

LANCEPRESS!

Maracanã lotado e todos querendo ver a volta do atacante Adriano. O retorno do Imperador é a maior atração da partida deste domingo, entre Flamengo e Atlético Paranaense, às 16h, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Além do atacante Fla, a espectativa é que a torcida do Fla dê um grande show para comemorar a volta de seu ídolo. Pelo lado do Furacão, o técnico Geninho ainda não definiu a equipe que enfrenta os cariocas.

Com quatro pontos ganhos, o Flamengo precisa da vitória diante da sua torcida para continuar sua caminhada rumo ao hexacampeonato da competição. A única indefinição do técnico Cuca era mesmo para o ataque. Porém, uma lesão de Josiel fez com que a presença do Imperador fosse garantida desde o início da partida. Emerson será a dupla de Adriano.

O lateral-esquerdo Juan, que cumpria suspensão de 30 dias do TJD do Rio, teve o seu pedido de efeito suspensivo aceito por Antônio Vanderler e poderá participar da partida.

Lanterna do Brasileirão após três rodadas, o Atlético Paranaense luta para conquistar a sua primeira vitória na competição. No entanto, para conseguir a vitória, o Furacão terá que passar por cima de um triste retrospecto na temporada 2009.

Nos sete jogos contra adversários da elite do futebol brasileiro neste ano, o time do técnico Geninho venceu apenas o Corinthians, no primeiro jogo das quartas-de-final da Copa do Brasil e teve dois empates contra o Coritiba, na primeira fase do Estadual, e o São Paulo, na penúltima rodada da Série A, respectivamente.

Para o duelo, o Furacão terá alguns problemas. O atacante Wallyson está vetado devido a um estiramento muscular na coxa esquerda. Marcinho será adiantado para o ataque, atuando ao lado de Rafael Moura. As outras novidades são as entradas do zagueiro Rhodolfo, do apoiador Julio dos Santos, do volante Valencia e do goleiro Vinícius, que entra no lugar do barrado Galatto.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO X ATLÉTICO PARANAENSE

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 31/5/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS)

FLAMENGO Bruno, Willians, Aírton e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Ibson, Toró, Kléberson e Juan; Emerson e Adriano. Tecnico: Cuca.

ATLÉTICO-PR: Vinícius; Rhodolfo, Antônio Carlos e Rafael Santos; Raul, Chico, Valencia, Rafael Miranda e Marcio Azevedo; Marcinho e Rafael Moura. Técnico : Geninho.

maio 31, 2009 Posted by | Atlético-PR, Flamengo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Verdão pega Barueri de olho na Libertadores

Palmeirenses querem vitória por mais confiança

LANCEPRESS!

O Palmeiras vive um momento difícil nesta temporada. Há quatro jogos sem vencer, dois pela Copa Libertadores e dois pelo Brasileirão, a equipe visitará neste domingo o Grêmio Barueri, às 18h30, na Arena Barueri, e necessita da vitória se quiser subir na tabela da competição nacional.

A preocupação se torna ainda maior já que o atacante Keirrison está ao mesmo tempo sem marcar gols, o último foi na estreia do Verdão pelo Campeonato Brasileiro, contra o Coritiba, no dia 9 de maio.

Dessa forma, Obina pode se tornar a atração principal. Já fez seu primeiro jogo diante da torcida (contra o Nacional-URU) e foi bastante aclamado. Não foi um jogo perfeito, mas o jogador deu mostras que pode ser esperança de gol.

O técnico Vanderlei Luxemburgo terá apenas um desfalque: o zagueiro Maurício Ramos foi expulso contra o São Paulo e não jogo neste domingo. Fora isso, o comandante contará com todos os jogadores, já que o próximo jogo decisivo do Verdão será só no próximo dia 17. Logo, a força máxima deve estar em campo.

– Para a confiança elevar para a Libertadores, o Palmeiras tem de entrar forte no Brasileiro e vencer esses jogos para ir para o Uruguai com o moral lá em cima – declarou Pierre, um dos líderes do Verdão.

Já o adversário do Alviverde, encontra-se em uma posição pior que a do Verdão, ainda não venceu no Brasileirão.

Para o zagueiro Leandro Castan, o time ainda não engrenou na competição por conta da escassez de gols marcados. Até agora, o Barueri balançou a rede apenas duas vezes.

– Nesses três jogos nossa equipe criou, teve oportunidades, mas marcou poucos gols e acabamos castigados. Agora temos que ter cabeça fria para que os gols aconteçam – analisou o zagueiro.

Sobre o adversário, Castan afirma que sua equipe está preparada para encarar o Verdão de igual para igual.

– Trabalhamos bastante durante a semana e agora vamos buscar nossa primeira vitória no campeonato – acredita.

A grande novidade no time do Barueri deve ser a estréia do zagueiro André Luiz, que entra no lugar do volante Leanderson. Com isso, Estevam Soares passa a armar seu time no 3-5-2. Será a primeira grande mudança que o treinador fará no time desde o início do Brasileirão. Outro que pode perder a vaga no time titular é o lateral Marcos Pimentel, que deve dar lugar a Eder.

FICHA TÉCNICA:
BARUERI X PALMEIRAS

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 31/5/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (Fifa-SP)
Auxiliares: Marcio Luiz Augusto (SP) e Vicente Romano Neto (SP)

BARUERI: Rene; Daniel Marques, Leandro Castan e André Luiz; Éder, Ralf, Everton, Thiago Humberto e Márcio Careca; Fernandinho e Pedrão. Técnico: Estevam Soares

PALMEIRAS: Marcos; Wendel, Danilo, Marcão e Pablo Armero; Souza, Pierre, Cleiton Xavier, Diego Souza; Keirrison e Obina. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

maio 31, 2009 Posted by | Palmeiras | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Em semana complicada, Flu busca a recuperação contra o Náutico

Tricolor sonha com a vitória fora de casa, e Timbu quer terminar a rodada roubando a liderança do Internacional

Barrado, goleiro Fernando Henrique (esq.) será substituído por Ricardo Berna no Fluminense

Fluminense e Náutico vão medir força na tarde de domingo, às 16h, no estádio dos Aflitos, em Recife, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, no confronto de duas equipes que vivem momentos distintos na temporada. O Tricolor viveu uma semana conturbada, com torcedores invadindo o treino, amigo de jogador dando tiros para cima e o técnico Carlos Alberto Parreira correndo o risco de perder o cargo.

Já o Timbu vive uma lua-de-mel com a sua torcida. Ainda invicto na competição, o time é o vice-líder, com sete pontos ganhos, dois a menos que o líder Internacional, e sonha terminar a rodada em primeiro lugar. Para isso precisa vencer o Fluminense em partida que será transmitida pela Rede Globo ao vivo para o Rio de Janeiro, exibia pelo Premiere para todo Brasil e acompanhada em tempo real pelo GLOBOESPORTE.COM a partir das 16h.

Duas estreias na equipe tricolor

O Fluminense terá duas estreias no time para a partida contra o Náutico. Sem poder contar com os laterais Eduardo Ratinho e Dieguinho, que cumprem suspensão por terem sido expulsos contra o Santos, além de Mariano, entregue ao departamento médico, Parreira vai improvisar o volante Diogo pela direita. No meio, Carlos Eduardo também faz o seu primeiro jogo, com Thiago Neves indo formar dupla de ataque com Fred e Maicon ficando como opção no banco de reservas.

– O Náutico está fazendo uma campanha excelente, com duas vitórias espetaculares. Vai ser um jogo quentíssimo, mas estamos preparados para enfrentá-los e pensando em ganhar. Vamos jogar futebol com vontade e mesmo com as mudanças podemos ganhar lá dentro – disse Parreira.

O goleiro Fernando Henrique foi afastado pela diretoria por ele estar envolvido, mesmo que indiretamente, nos problemas que aconteceram no clube durante a semana. Com isso, Ricardo Berna assume a titularidade da camisa 1 tricolor.

– Estou preparado para ser titular. Vivo um momento bom tecnicamente e venho trabalhando forte para quando a chance surgisse, eu aproveitasse da melhor maneira. Quero fazer uma boa atuação para tentar conseguir uma sequência de jogos como titular – afirmou Berna.

‘Menudos’ embalam o Náutico em busca da liderança

Vice-líder do Campeonato Brasileiro com sete pontos, o Náutico vai no embalo dos ‘Menudos dos Aflitos’ para a partida contra o Fluminense e sonha com a liderança do Campeonato Brasileiro, que hoje é do Internacional. Garotos como Eduardo Eré, Dinda, Wellington e Anderson Lessa, formados nas categorias de base do Timbu, estão empolgando a torcida e o técnico Waldemar Lemos. O time vem de uma bela vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-PR, na Arena da Baixada, e neste domingo recebe o time tricolor, nos Aflitos.

A equipe treinou na manhã desta sexta-feira e uma preocupação de última hora surgiu. O atacante Gilmar sentiu uma fisgada na coxa direita e passou a ser dúvida para o jogo deste domingo. O técnico Waldemar Lemos deve confirmar o time neste sábado, quando o time fará o seu último apronto antes de enfrentar os cariocas.

Caso Gilmar não se recupere da lesão, o jovem Anderson Lessa formará a dupla de ataque ao lado de Kuki, que voltou a treinar entre os titulares. A provável formação alvirrubra será: Eduardo; Gladstone, Vágner Silva, Asprilla e Wellington; Júnior Carioca, Derley, Johnny e Carlinhos Bala; Kuki e Anderson Lessa.

Alguns atletas ainda treinaram a parte, como David e Onildo, que se recuperam de cirurgia, e o uruguaio Acosta ainda está entregue à fisioterapia. Márcio Barros, que foi contratado e já se apresentou, ainda não tem condições de jogo. A partida contra o Fluminense será especial para o goleiro Eduardo, que se tornará o quarto arqueiro que mais vestiu a camisa alvirrubra, com 143 jogos disputados.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 31, 2009 Posted by | Fluminense, Náutico | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Líder, Inter recebe o Avaí com time misto

Invicto, Colorado encara o Leão, que ainda não venceu na competição

Inter e Avaí se enfrentam neste domingo (Crédito: Arquivo)

Inter e Avaí se enfrentam neste domingo

LANCEPRESS!

Não é só o Inter completo que vem fazendo bonito. O mistão colorado também. Utilizado em duas das três rodadas, ajudou com seis pontos – dois terços do total – a conquista da liderança do Brasileiro. Para este domingo, o mistão está de novo escalado, agora para recepcionar o Avaí no Beira-Rio. É que vem aí o jogo da volta da semifinal da Copa do Brasil, quarta-feira, contra o Coritiba, no Couto Pereira.

Para ganhar do Palmeiras por 2 a 0, no Beira-Rio, e do Goiás por 1 a 0, no Serra Dourada, o técnico Tite não recorreu a uma mera combinação de titulares e reservas. No primeiro, a certa altura chamou D’Alessandro, Guiñazú e Nilmar, que sentavam no banco. No segundo, liquidou o adversário ao usar Taison nos últimos 35 minutos.

Dessa vez, o procedimento não será diferente: poucos titulares no time, muitos no banco de reservas, para serem utilizados se o tempo fechar.

– Por mim, escalaria força máxima, porque os três pontos poderão fazer falta lá no fim. Mas aqui os médicos passam por cima da vontade do treinador – constatou Tite, conformado.

A base da defesa deve ser a do início contra o Goiás. Talvez apenas com Kleber no lugar de Marcelo Cordeiro. O titular se apresentará à Seleção no dia seguinte e o reserva é o único da posição com que conta o técnico para enfrentar o Coritiba, quarta-feira.

Do meio para a frente, a dúvida é saber quais titulares começarão no banco e quais devem sair no segundo tempo. Guiñazú, que não atuou no meio da semana, é o caso típico. O certo é que D’Alessandro não atuará, pois se recupera de dores musculares. Nem Nilmar. Embora já curado de lesão no quadril, o atacante será preservado para se apresentar inteiro à Seleção, segunda-feira. Quanto a Taison, mistério total.

O confronto com o Avaí servirá para acelerar a recuperação do zagueiro Sorondo. O uruguaio, que vinha de uma parada de oito meses devido a cirurgia no joelho esquerdo, entrou contra o Goiás e produziu atuação irrepreensível em seu forte – o jogo aéreo. Segundo Tite, falta-lhe aprimorar o lance por baixo.

Para o jogo deste domingo o Avaí só terá o desfalque do volante Léo Gago, que continua lesionado. O objetivo da equipe dirigida por Silas é conseguir a primeira vitória na competição e não levar gols bobos durante a partida. E para isso, existe a possibilidade do treinador mudar o esquema do 4-4-2 para o 3-5-2.

O Leão de Santa Catarina ocupa a 13ª colocaçção com 3 pontos dos jogos que empatou antes da quarta rodada. Ao final do dia surgiu uma torcida que pode deixar a torcida do Avaí apreensiva. Silas pode substituir Nelsinho baptista no Sport. O treinador está analisando a proposta do clube pernambucano.

FICHA TÉCNICA

Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 31/5/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Nelson Nogueira Dias(PE)
Auxiliares: Josemar José Diniz Moutinho (PE) e Ubiraba Ferraz Jota (PE)

INTERNACIONAL: Lauro, Bolívar, Sorondo, Danny Morais e Kleber; Glaydson, Sandro (Magrão), Guiñazú (Giuliano) e Andrezinho; Talles Cunha e Alecsandro (Leandrão). Técnico: Tite.

AVAÍ: Eduardo Martini, André Turatto, Emerson, Ferdinando e Uendel; Marcos Vinícios, Pingo, Muriqui(Marquinhos) e Caio; Evando e William. Técnico Silas.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 31, 2009 Posted by | Avaí, Internacional | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Grêmio escala titulares para encarar o Vitória

Tricolor gaúcho tenta tirar o foco da Copa Libertadores

LANCEPRESS!

O Grêmio se encontra em Salvador desde a manhã de quinta-feira, preparando-se para o confronto com o Vitória, neste domingo, às 16h, no Barradão. O técnico Paulo Autuori mandará a campo o mesmo time que empatou em 1 a 1 com o Caracas, quarta-feira, na capital venezuelana, pelas quartas-de-final da Libertadores. Com uma única dúvida: o garoto Adilson ou o veterano Túlio no meio-de-campo.

Não haveria razão para fazer diferente. A equipe está descansada e seu próximo jogo pela competição continental será só no dia 17 de junho.

– O principal motivo é que precisamos subir na tabela. Estamos em oitavo lugar, com quatro pontos em três jogos, e esse desempenho é insuficiente para as ambições do Grêmio – disse Autuori.

Ruy traz um argumento bem razoável ao apoiar a decisão de não poupar jogadores. Para o lateral-direito, nenhum time está se cansando muito nesse momento.

– Desgaste físico nós vamos sentir lá pelo fim do Brasileiro. Então, a hora de ir com força máxima e dar todo o gás é agora – receitou Ruy.

Todos estão conscientes de que o time não atuou bem em Caracas. Mas, segundo os jogadores, a culpa foi dos buracos do gramado.

– O Barradão não é uma mesa de bilhar, mas vai dar para o Grêmio rolar a bola – apostou Réver.

A questão da mudança de esquema será levada com comedimento. Paulo Autuori acha que, se tirar um dos três zagueiros, pode desestabilizar o setor defensivo, que segundo ele vem dando sustentação à equipe. Por isso, a passagem do 3-5-2 para o 4-4-2 será feita gradualmente. Por enquanto, mudando jogadores de função ao longo da partida. Por exemplo, passando o zagueiro Leo para a lateral direita e deslocando o lateral-direito Ruy para o meio-campo.

Para essa partida contra o Vitória, Ruy, Rafael Marques e Réver entrarão pendurados com dois cartões amarelos.

O zagueiro Anderson Martins deve ser a principal novidade do Vitória para o jogo contra o Grêmio. Recuperado de uma lesão na panturrilha, o atleta tem sido escalado entre os titulares nos últimos treinos.

Pelo que demonstrou durante a semana, o técnico Paulo César Carpegiani pretende mandar a campo uma equipe mais cautelosa. Tanto que saiu do tradicional 4-4-2 para o 3-6-1. Anderson Martins formará o trio defensivo com Wallace e Victor Ramos.

FICHA TÉCNICA:

VITÓRIA X GRÊMIO

Local: Barradão, Salvador (BA)
Data e hora: 31/05/2009 – 16h (horário de Brasília)

Árbitro: Wagner Tardelli (SC)

Auxiliares: Alcides Pazetto (SC) e Angelo Bechi (SC)

VITÓRIA: Viáfara, Wallace, Victor Ramos e Anderson Martins; Apodi, Vanderson, Uelliton, Leandro Domingues, Ramon Menezes e Adriano; Neto Baiano. Técnico: Paulo Cesar Carpegiani.

GRÊMIO: Victor, Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson (Túlio), Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López. Técnico: Paulo Autuori.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 31, 2009 Posted by | Grêmio, Vitória | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Santos encara um Corinthians desfigurado

Mano Menezes poupa sua equipe titular pensando na Copa BR

(Crédito: Allex Ximenes)

LANCEPRESS!

O elenco do Santos não esconde que a ausência de Ronaldo (lesionado) para o clássico entre Santos e Corinthians no próximo domingo, na Vila Belmiro, traz certo alívio. Afinal, com o Fenômeno em campo, o Santos não conseguiu vencer o Corinthians este ano. Foram duas derrotas e um empate em três jogos.

– Jogar contra o Ronaldo é chique. Mas não sou doido, prefiro que ele não jogue. Assim a nossa defesa fica um pouco mais tranquila, apesar de o Corinthians ter outros bons jogadores como o Souza e o Jorge Henrique – afirma o meia Madson.

Para a partida, o técnico Vagner Mancini deve repetir a mesma escalação da equipe que venceu o Fluminense. A exceção fica por conta do zagueiro Fabiano Eller, que está de volta, após acertar a permanência no clube até o fim do ano.

– Vai ter um clima eletrizante de um clássico, mas a gente não tem que levar pelo lado da rivalidade. Temos que pensar no objetivo dos três pontos, isso é o mais importante para a gente – afirma o zagueiro.

Já o seu adversário, o Corinthians, ocupa apenas o nono lugar, mantendo ainda seu foco na Copa do Brasil. Devido à prioridade na competição em que está na semifinal, Mano Menezes deverá poupar mais uma vez seus titulares e entrar em campo com uma equipe desfigurada.

Além de Ronaldo e Jorge Henrique, que aprimoram a parte física, Mano deverá poupar toda a equipe titular. O treinador não poderá contar também com Diego, suspenso.

– Vamos conversar. Se depender de mim, eu jogo. Mas é bom lembrar que temos um projeto que está para ser concretizado. Esse projeto é uma coisa maior (a vaga na Copa Libertadores). Se o Mano achar necessário, vai ser bom para o nosso time na quarta-feira (diante dos vascaínos) – afirmou o volante Elias

FICHA TÉCNICA:
SANTOS X CORINTHIANS

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 31/06/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden
Auxiliares: Nilson de Souza Monção e Carlos Augusto Nogueira Júnior

SANTOS: Fábio Costa; Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Léo; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Molina, Paulo Henrique, Madson; Kléber Pereira. Técnico Vagner Mancini.

CORITHIANS: Júlio César, Diogo, Renato, Jean e Wellington Saci; Jucilei, Moradei, Boquita e Lulinha; Morais e Souza. Técnico: Mano Menezes

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)
Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 31, 2009 Posted by | Corinthians, Santos | , , , , , , , | Deixe um comentário

Com um a mais, Galo decepciona e fica no zero contra o Ramalhão

Marcelinho Carioca deixa o Santo André com dez atletas ao ser expulso. Atlético-MG pressiona, mas não aproveita

Galo de Diego Tardelli não conseguiu superar a forte marcação do Santo André

O Atlético-MG decepcionou os quase 27 mil torcedores que compareceram neste sábado à noite ao Mineirão para assistir ao confronto contra o Santo André. Mesmo com um jogador a mais desde os sete minutos do segundo tempo (Marcelinho Carioca foi expulso), o Galo não conseguiu superar a retranca do Ramalhão e ficou só no empate em 0 a 0.

O time mineiro, que alcançaria provisoriamente a liderança se vencesse, fica em segundo lugar, com oito pontos. Já a equipe paulista soma agora cinco pontos e começará o domingo na oitava colocação.


Na próxima rodada, o Santo André recebe o Santos no Bruno José Daniel, às 21h de quinta-feira, e o Galo faz o duelo dos Atléticos no Paraná, às 16h de domingo.

Primeiro tempo morno

Jogando em casa, embalado pela invencibilidade e pela perspectiva de dormir neste sábado na liderança do Brasileirão, o Atlético-MG tomou a iniciativa e tentou encurralar o Santo André desde o início. Com Éder Luís aberto pela direita, explorando as descidas do lateral-esquerdo Gustavo Nery, do Ramalhão, o Galo buscou o gol desde o início.

No entanto, o time visitante, marcando bem e posicionado corretamente em campo, começou a partida sem dar chances ao adversário, e, ainda por cima, criando boas jogadas em contra-ataques. Só que faltava pontaria de um lado e de outro.

O Atlético teve chances aos 11, em chute de Carlos Alberto, e aos 16, com Eder Luís. O primeiro chutou para fora. O segundo errou a bola após cruzamento de Thiago Feltri. Minutos antes, aos oito, o Santo André havia perdido uma oportunidade com Nunes, que não conseguiu alcançar o bom cruzamento de Pablo Escobar

Como a pontaria não foi o ponto forte dos dois times, os goleiros praticamente não apareceram. A não ser para cortar cruzamentos incorretos. A correria do início da partida foi dando lugar a certa morosidade. Os dois times passaram a tocar mais a bola – com o Galo dominando a posse pela maior parte do tempo, mas sem ameaçar efetivamente o gol de Neneca.

Segundo tempo quente

O segundo tempo, apesar da falta de gols, foi bem mais quente. Logo aos sete minutos, Marcelinho Carioca exagerou em um carrinho sobre Thiago Feltri e levou o cartão vermelho. Imediatamente após a expulsão do meia do Santo André, o Atlético partiu com tudo para cima do Ramalhão.

A blitz mineira, no entanto, não deu resultado. Sérgio Guedes, técnico do time do ABC, tirou o atacante Antônio Flávio e colocou em campo o volante Dionísio. Com isso, bloqueou a entrada da área de sua equipe. O Galo batia no muro azul, que com o passar do tempo ia se tornando intransponível.

Mas o problema dos mineiros não era apenas esse. Como eles saíam em bloco para o ataque, abriam espaços para perigosos contra-ataques do Santo André. Tanto que, apesar do amplo domínio do time alvinegro, foi a equipe azul que perdeu a melhor chance da segunda etapa. Aos 33, Júnior Dutra desceu pela esquerda e cruzou rasteiro. Nunes, livre, chutou para o gol, mas o goleiro Aranha, que estreava pelo Galo, salvou, dividindo com o atacante rival e afastando o perigo.

O Atlético continuou em cima e passou a cruzar bolas na área adversária. Mas nem pelo alto teve jeito. O gol defendido por Neneca estava trancado.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 0 X 0 SANTO ANDRÉ

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG).
Data/Hora: 30/5/2009 às 18h30.
Árbitro: Cláudio Luciano Mercante Júnior (BA).
Assistentes: Erich Bandeira (PE), José Pedro Wanderlei da Silva (PE).
Cartões Amarelos: Jonílson, Diego Tardelli, Júnior, Welton Felipe, Renan (ATL); Vinícius Simon, Nunes, Marcel, Ricardo Conceição (STA).
Cartão Vermelho: Marcelinho Carioca (7’/2ºT).

ATLÉTICO-MG: Aranha, Carlos Alberto (Evandro, aos 15’/2ºT), Welton Felipe, Leandro Almeida e Thiago Feltri; Renan, Jonílson (Élder Granja, aos 12’/2ºT), Márcio Araújo e Júnior; Éder Luís (Alessandro, aos 30’/2ºT) e Diego Tardelli . Técnico: Celso Roth.

SANTO ANDRÉ: Neneca, Cicinho (Ricardo Goulart, aos 22’/2ºT), Vinícius Simon, Marcel e Gustavo Nery; Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca e Pablo Escobar (Júnior Dutra, aos 30’/2ºT); Antônio Flávio (Dionísio, aos 12’/2ºT) e Nunes. Técnico: Sérgio Guedes.

maio 31, 2009 Posted by | Atlético-MG | , , , , , , | Deixe um comentário

Mal atrás, Botafogo só arranca empate com o Sport no Rio

Rubro-Negro, que viveu semana conturbada, assusta na reestreia de Lucio Flavio no Alvinegro, que evita a derrota

Na reestreia de Lucio Flavio, Botafogo empata com o Sport no Engenhão: jejum de sete jogos

As falhas no setor defensivo custaram mais um resultado ruim ao Botafogo, que ainda não venceu no Brasileirão. Na noite deste sábado, no Engenhão, na abertura da quarta rodada, o Alvinegro empatou em 2 a 2 com o Sport, que chegou ao Rio de Janeiro ainda vivendo o clima conturbado dos últimos dias, após as saídas do técnico Nelsinho Baptista e do meia Paulo Baier. O time carioca, por sua vez, novamente foge dos planos de Ney Franco: o técnico esperava a conquista de sete pontos nas três primeiras rodadas, mas foram apenas dois. Depois, com três partidas seguidas em casa – incluindo o clássico contra o Fluminense – a intenção era ter 100% de aproveitamento.

Fora do clima decisivo da rodada do meio de semana, com os confrontos pela Copa do Brasil e Taça Libertadores, as duas equipes voltam a campo no próximo domingo. O Botafogo, que soma três pontos e torce por tropeços de Barueri, São Paulo e Atlético-PR para não voltar à zona de rebaixamento, enfrenta o Tricolor carioca no Maracanã, às 18h30m. O Sport, com apenas dois e a possibilidade de terminar a rodada na vice-lanterna, recebe o Flamengo na Ilha do Retiro, às 16h. Os pernambucanos também seguem sem vitória na competição.

Em 20 minutos, dois ataques e dois gols do Leão

Apesar dos problemas internos, o Sport não fez feio no início da partida. O Botafogo errava muitos passes, e os visitantes aproveitaram para jogar em cima das falhas do adversário. Aos seis minutos, Weldon arrancou pela esquerda, Castillo hesitou na saída do gol, e a bola parou nos pés de Wilson, que, sem ser acompanhado por Teco, empurrou para as redes: 1 a 0 para o Rubro-Negro.

O Alvinegro chegou a ameaçar com Victor Simões, que parou na defesa de Magrão, e Lucio Flavio, cobrando falta, sofrida por ele mesmo, em cima da barreira. Em desvantagem no placar, o time carioca se lançou desordenadamente ao ataque, expondo a defesa às investidas do Leão. Em um contra-ataque pela direita, Moacir driblou Juninho e cruzou para Weldon. Castillo saiu mal e não alcançou, facilitando a vida do atacante. Livre de marcação, ele só teve o trabalho de completar: Sport 2 a 0 com 20 minutos de jogo.

A torcida botafoguense perdeu a paciência e passou a hostilizar jogadores e o treinador Ney Franco. Inoperante, o time tinha nos lances de bola parada a sua única esperança de diminuir a vantagem, e foi num deles que Juninho mandou uma bomba na trave esquerda de Magrão. O goleiro ainda apareceu bem ao defender um chute de Victor Simões, que ainda desperdiçou ótima chance no fim do primeiro tempo: Teco desceu pela esquerda e cruzou rasteiro para o meio da área. O camisa 9 chegou atrasado e não conseguiu alcançar a bola.

Postura muda na etapa final, e Alvinegro chega ao empate

Diante da pressão da própria torcida, que já havia organizado, durante a semana, uma manifestação em frente a General Severiano, o Botafogo voltou com outra postura para o segundo tempo. Com Tony e Léo Silva nos lugares de Túlio Souza e Teco, respectivamente, a equipe ganhou mais força no meio-campo e presença no ataque.

Apesr dos erros de passe e do nervosismo – a torcida passara a direcionar as vaias a alguns jogadores específicos, como Castillo e Alessandro – o time pressionava o Sport, que ficou acuado. O resultado veio aos 15 minutos. Eduardo arrancou pela esquerda e mandou para a área. Tony apareceu na segunda trave para marcar o seu primeiro gol com a camisa alvinegra.

Foi o suficiente para a torcida começar a jogar junto com o time, acreditando na virada. Com a expulsão de Hamilton aos 28, por falta mais dura em Alessandro, os donos da casa passaram a ter o domínio completo da partida – na cobrança, Leandro Guerreiro cabeceou para Magrão fazer defesa espetacular.

O camisa 1 rubro-negro vinha sendo o grande destaque, mas não conseguiu evitar o empate. Aos 39 minutos, Lucio Flavio – que reassumiu a função de dono dos lances de bola parada, à exceção das faltas de média e longa distância, cobradas por Juninho – bateu escanteio com perfeição, e Fahel subiu para cabecear sem defesa.

O Botafogo seguiu pressionando nos minutos finais, mas foi o Sport que quase fez o terceiro, mas Castillo se redimiu ao fazer grandes defesas em chutes de Luciano Henrique e Juliano. Após o apito final de Jailson Macedo Freitas, a torcida alvinegra não perdoou a sétima partida sem vitória do Alvinegro – a última foi contra o Americano (2 a 1), dia 16 de abril, pela Copa do Brasil, mas no confronto em que a equipe acabou eliminada na decisão por pênaltis – e os jogadores deixaram o campo sob muitas vaias.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 2 X 2 SPORT

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/horário: 30/05/2009, às 18h30
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Luiz Carlos Silva Teixeira (BA) e Adson marcio Lopes Leal (BA)
Renda/público: R$ 100.785,50 / 8.555 pagantes
Cartões amarelos: Teco, Juninho, Lucio Flavio, Fahel e Thiaguinho (BOT); Moacir, Hamilton, Magrão e Juliano (SPO)
Cartões vermelhos: Hamilton, 27’/2ºT (SPO)
GOLS: Wilson, 6’/1ºT (0-1), Weldon, 17’/2ºT (0-2); Tony, 15’/2ºT (1-2), Fahel, 39’/2ºT (2-2)

BOTAFOGO: Castillo; Leandro Guerreiro, Juninho e Teco (Léo Silva, intervalo); Alessandro (Thiaguinho, 29’/2ºT), Fahel, Túlio Souza (Tony, intervalo), Lucio Flavio e Eduardo; Laio e Victor Simões – Técnico: Ney Franco.

SPORT: Magrão; Moacir (Juliano, 35’/2ºT), César, Igor e Durval; Hamilton, Sandro Goiano (Eliseu, 26’/2ºT), Luciano Henrique e Dutra; Weldon (Dude, 30’/2ºT) e Wilson – Técnico: Levi Gomes.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 31, 2009 Posted by | Botafogo, Sport | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Goiás toma conta do Couto Pereira e joga o Coritiba para a lanterna

Esmeraldino faz 3 a 1 e sobe na tabela. Coxa amarga jejum

Iarley comemora o segundo gol do Goiás

Como se estivesse em casa, o Goiás derrotou o Coritiba neste sábado, por 3 a 1, em Curitiba, pela quarta rodada do Brasileirão, e subiu na tabela. O time de Hélio dos Anjos surpreendeu o Coxa no Couto Pereira e chegou a cinco pontos. Se o duelo contra o Esmeraldino era considerado um bom teste para pegar o Inter, na semana que vem, o cenário não é bom. O time do Alto da Glória foi para a lanterna do Nacional com apenas um ponto em quatro partidas.

O Coxa volta a jogar pelo Brasileirão no próximo sábado, contra o Corinthians, em São Paulo. Antes, porém, faz o segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil com o Internacional, nesta quarta. Como perdeu a partida de ida por 3 a 1, no Beira-Rio, terá de vencer por 2 a 0 para ficar com a vaga. O Esmeraldino vai ter uma semana para se preparar para pegar o Barueri, no domingo, em Goiânia.

Goiás se sente em casa

A intenção do Coritiba era pressionar o Goiás desde o início do jogo para tentar conseguir a primeira vitória no Brasileirão. Não deu certo. No primeiro ataque dos visitantes, Iarley recebeu na área, foi puxado por Carlinhos Paraíba e Felipe ao mesmo tempo, e a arbitragem marcou pênalti. Felipe precisou cobrar duas vezes para abrir o placar. Na primeira, bateu no canto direito de Vanderlei, mas o goleiro defendeu. O auxiliar Hilton Moutinho Rodrigues considerou a defesa irregular por acreditar que o camisa 1 se adiantou. Bola novamente na cal, o atacante repetiu o lado e desta vez não vacilou: 1 a 0.

Em desvantagem, não restava outra opção ao time do Alto da Glória a não ser atacar. Muito dependente de Marcelinho Paraíba, a equipe de René Simões até que tentou pressionar, mas apresentou total desorganização ofensiva. Bem montado por Hélio dos Anjos, o Goiás tratou de aproveitar.

Aos 24, Felipe fez bela jogada pela ponta esquerda, tentou achar Iarley na área, mas a bola passou pelo atacante. Cinco minutos depois, Marcelinho Paraíba cobrou escanteio e por muito pouco não surpreendeu o goleiro Harlei, que tirou a bola com um tapa. No contra-ataque, Iarley apareceu mais uma vez com perigo. Após cruzamento de Júlio César, ele recebeu na área e, mesmo sob marcação de Pereira, dominou bonito e marcou o segundo.

A situação ficaria pior para o Coxa, aos 38. Em cobrança de falta ensaiada, Iarley rolou para Felipe, e o atacante fez o segundo dele no jogo. Quarto gol no Brasileirão, e a artilharia do campeonato. Ainda havia tempo para tentar o quarto. Aos 41, Felipe Menezes recebeu pela esquerda, tentou encobrir Vanderlei com um toque de categoria, só que a bola saiu pela linha de fundo. Fim de primeiro tempo, e muitas vaias no Couto Pereira.

Goiás cadencia, e Coxa se esforça

O Coritiba voltou com Ariel no lugar de Pedro Ken, mas o que fez a diferença foi a postura do time. Aos cinco, Marcelinho Paraíba recebeu passe com liberdade na esquerda, tirou Fábio Bahia com um lindo drible entre as pernas e soltou uma bomba, com raiva, no canto direito de Harlei: 3 a 1. O jogador também chegou ao quarto gol na competição e é artilheiro.

Se o goleirão do Goiás não conseguiu defender, Vanderlei evitou o quarto do Esmeraldino. Após cobrança de lateral no campo de ataque, a defesa paranaense parou, Iarley ficou livre na área para chutar, mas esbarrou no goleiro. Marcelinho Paraíba decidiu chamar a responsabilidade para si. Aos 11, ele avançou até a entrada da área, bateu forte com o pé esquerdo e assustou Harlei.

Apesar da desvantagem no placar, o Coxa ficou com um jogador a mais em campo. Aos 22, Rafael Tolói fez falta dura em Ariel, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. O jogador do Coritiba também foi punido por reclamação. Sete minutos depois, Renatinho soltou uma bomba de muito longe e acertou a trave. Não era dia do time da casa.

O jogo também foi marcado por um festival de cartões. Foram treze amarelos e um vermelho. Vermelha também é a cor da luz que está acesa no Alto da Glória. Em quatro jogos, apenas um pontinho foi conquistado. É a segunda derrota no Couto Pereira. A primeira foi para o Santo André, por 4 a 2, na segunda rodada. Do outro lado, comemoração pela primeira vitória no Brasileiro.

FICHA TÉCNICA:

Local: Couto Pereira (PR)
Data/Horário: 30/05 – 18h30
Árbitro: Pablo dos Santos ALves (RJ)
Renda/Público: R$ 106.180 – 8.642 pagantes
Cartões amarelos: Carlinhos Paraíba, Felipe, Marcio Gabriel, Ariel, Leandro Donizete, Pereira, Jaílton (Coritiba); Amaral, Tolói, Iarley, Fábio Bahia, Harlei (Goiás)
Cartão Vermelho: Rafael Tolói(Goiás)

Coritiba: Vanderlei, Cleiton (Leandro Donizete/30’/1ºT), Pereira, Felipe; Marcio Gabriel, Jailton, Pedro Ken (Ariel/Intervalo), Carlinhos Paraíba, Vicente (Renatinho/18’2ºT); Bruno Batata, Marcelinho Paraíba. Técnico: René Simões

Goiás: Harlei, Ernando, Rafael Tolói, leandro Eusébio; Fábio Bahia, Amaral (Everton/ Intervalo), Ramalho, Felipe Menezes (João Paulo/24’/2ºT), Júlio César; Iarley (Zé Carlos/4′ 2ºT), Felipe. Técnico: Hélio dos Anjos

maio 31, 2009 Posted by | Coritiba, Goiás | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Vasco com Reservas e prejudicado pela arbitragem, perde no paraná

Dorival Escala Time reserva poupando os titulares pensando no corinthians

LANCEPRESS!

O Vasco foi até Curitiba tentando manter os 100% de aproveitamento no Campeonato Brasileiro, contra o Paraná, pela quarta rodada da competição. Porém, a equipe da casa mostrou um futebol mais envolvente e venceu a partida por 3 a 1, com gols de Alex Afonso, Marcelo Toscano e Dinélson. O gol vascaíno foi marcado por Edgar.

Por causa de um gramado cheio de areia, a partida começou bem ruim e muito truncada. As duas equipes cometiam muitas faltas e erravam passes bobos. As únicas jogadas interessantes surgiam através de bolas cruzadas para área. E foi assim, após um bom cruzamento de Enrico pela esquerda, que Edgar subiu com categoria na área e, de cabeça, abriu o placar para o Vasco, aos 12 minutos do primeiro tempo.

Depois do gol, o Paraná acordou e começou a explorar os buracos deixados nas costas dos laterais vascaínos. Aos 16 minutos, após um cruzamento pela direita do ataque paranaense, Alex Afonso subiu mais do que os defensores e cabeceou para boa defesa do arqueiro do Vasco. O milagre feito por Fernando Prass não pôde ser repetido no minuto seguinte. Em outra bola cruzada na área, desta vez pela esquerda, Alex Afonso empatou a partida com uma bela cabeçada.

O gol de empate parecia que iria dar um novo gás ao jogo, mas o que aconteceu foi exatamente o contrário. Os erros de passes voltaram a acontecer e se não fosse pela expulsão do meia Enrico, aos 39 e a bola na trave do zagueiro Titi, aos 42, os torcedores presentes ao estádio teriam pegado no sono até a hora do intervalo.

A segunda etapa começou um pouco mais movimentada, a entrada de Rodrigo Pimpão no lugar de Fernandinho, fez com que o Vasco ficasse um pouco mais criativo e dominasse a partida, mesmo tendo um jogador a menos em campo. Porém, uma falta na entrada da área, aos 9 minutos, mudou o rumo da partida. Marcelo Toscano bateu com categoria, no ângulo esquerdo, e virou o jogo para equipe da casa.

Com o gol, o Paraná tomou conta da partida e não demorou muito para amplicar o marcador. Aos 24 minutos, após bom lançamento, Dinelson invadiu a área e tocou na saída do goleiro, para fazer o terceiro gol, para a alegria dos torcedores presentes ao Durival de Brito.

Após a vitória decretada, foi só a equipe do técnico Zetti tocar a bola e esperar o tempo passar. Quando o árbitro apitou o fim do jogo, os paranistas puderam comemorar a sua primeira vitória na competição.

PARANÁ X VASCO

FICHA TÉCNICA:

PARANÁ 3 X 1 VASCO
Estádio: Durival de Brito, Curitiba (PR)
Data/hora: 30/5/2009 – 16h10 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)

Cartões amarelos: Freire, Murilo Ceará, Wando e Dinélson (PAR); Enrico, Rodrigo Pimpão (VAS)
Cartões vermelhos: Enrico, 39’/1ºT (VAS)
GOLS: Edgar, 12’/1ºT (1-0); Alex Afonso, 17’/1ºT (1-1); Marcelo Toscano, 9’/2ºT (1-2); Dinélson, 24’/2ºT (1-3)

PARANÁ: Ney; Marcelo Toscano, Freire, Dirley e Murilo Ceará; Adoniran, João Paulo, Davi (Luis Henrique), Bebeto (Malaquias) e Wando (Dinélson); Alex Afonso Técnico: Zetti.

VASCO: Fernando Prass; Paulinho, Leonardo, Titi e Pará (Nilton); Mateus, Bruno Gallo, Jeferson (Ramon) e Enrico; Fernandinho (Rodrigo Pimpão) e Edgar. Técnico: Dorival Júnior.

maio 30, 2009 Posted by | Paraná, Vasco da Gama | , , , , , | Deixe um comentário

Por primeira vitória, Botafogo e Sport se enfrentam no Engenhão

Equipes vivem momento parecido e tentam se reerguer no Brasileirão

LANCEPRESS!

Em busca da primeira vitória na competição, Botafogo e Sport se enfrentam no Engenhão. o Alvinegro conta com um importante reforço para isso: Lucio Flavio. Pelos lados do Sport, já sem Nelsinho Batista e Paulo Baier, a equipe também tenta se reergeur já sob novo comando.

O pensamento no Botafogo, apesar de já somar dois empates e uma derrota nas três primeiras rodadas, continua sendo o de disputar o título. Com apenas dois pontos somados, o time precisa vencer e, “Em casa é obrigação”. É o que ressalta Leandro Guerreiro:

– Se quisermos realmente disputar o título, precisamos vencer urgentemente. E, em casa, precisa ser obrigação. Já perdemos pontos importantes. Agora, não podemos mais.

Para a partida, Ney Franco não terá a presença de Reinaldo, Tony e Wellington, lesionados. Com isso, Ney Franco ainda faz mistério quanto ao time titular. a tendência é de que Laio seja o companheiro de Victor Simões e Wellington Júnior atue na esquerda.

No Sport, Levi Gomes, técnico das divisões de base do clube, comandará o time contra o Botafogo. Em relação ao time que Nelsinho vinha preparando para esta partida, Levi fez apenas uma modificação: sacou o garoto Eliseu, oriundo dos aspirantes e que faria sua estreia nos profissionais, para a entrada do experiente Sandro Goiano.

– Eu conheço bem o time e tive uma boa conversa com os jogadores. Vou manter a base que Nelsinho Baptista vinha fazendo, até porque é um modelo que vinha dando certo – explicou Levi Gomes.

A equipe continuará no esquema 3-5-2 e com a volta do zagueiro Durval, já recuperado de uma lesão no joelho direito. Na lateral direita, Moacir está confirmado, pois havia sido substituído na derrota para o Atlético Mineiro na rodada passada. No ataque, o armador Luciano Henrique jogará improvisado ao lado de Wilson.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO X SPORT

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data e horário: 30/05, as 18h30
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Luiz Carlos Silva Teixeira (BA) e Adson marcio Lopes Leal (BA)

BOTAFOGO: Renan; Leandro Guerreiro, Juninho e Teco; Alessandro, Fahel, Túlio Souza, Lucio Flavio e Eduardo ; Laio e Victor Simões – Técnico: Ney Franco.

SPORT: Magrão; Moacir, César, Igor e Durval; Hamilton, Sandro Goiano, Fumagalli e Dutra; Luciano Henrique e Wilson – Técnico: Levi Gomes (interino).

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 30, 2009 Posted by | Botafogo, Sport | , , , , , , , | Deixe um comentário

Washington e Borges: Sedentos por gols

Se marcarem contra o Cruzeiro, atacantes alcançam marcas pessoais. Disputa também por vaga no time

Além de ser um fator importante na luta por uma vaga no competitivo ataque do São Paulo, Washington e o insatisfeito Borges terão um aperitivo a mais para marcar contra o Cruzeiro, neste domingo, às 16h, no Morumbi, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Se marcarem pelo menos um tento contra a equipe mineira, os dois atacantes alcançarão marcas significativas pelo Tricolor.

Washington, titular absoluto da equipe de Muricy, vem tentando, desde a partida contra o Fluminense, na primeira rodada, o seu centésimo gol na competição nacional. Já Borges, reserva na última partida contra o Cruzeiro, e vencedor dos últimos dois brasileiros com o Sampa, busca seu gol de número 50 com a camisa do clube.

O camisa 9 do São Paulo marcou 99 gols no Brasileirão por cinco clubes diferentes: Paraná (dez, em 1999), Ponte Preta (16 e 18, em 2000 e 2001, respectivamente), Atlético-PR (34 em 2004) e Fluminense (21, em 2008). Nas duas últimas edições do torneio que ele participou, ele terminou como o artilheiro. Em 2004, O Coração Valente bateu o recorde. É o jogador que mais fez gols em uma só edição do Brasileiro.

– Para mim esta marca seria muito importante, ainda mais por se tratar de um campeonato tão disputado como este – comentou o camisa 9 tricolor, antes da estreia no Brasileirão deste ano.

Washington foi o autor do gol são-paulino na derrota de 2 a 1 para o Cruzeiro, pelas quartas-de-final da Libertadores, na última quarta-feira. Ele acabou com um jejum de sete jogos sem marcar, seu maior desde que chegou ao Morumbi. O atacante é o artilheiro do São Paulo no ano, com 15 gols marcados, seguido por Borges.

O mesmo Borges que foi o artilheiro do Tricolor nas duas últimas temporadas, mas que, este ano, tem seu posto ameaçado por um ‘estreante’ no clube. O camisa 17 é o artilheiro da equipe na Libertadores. Amparado pelos números, o jogador desabafou nesta semana, após ficar no banco de reservas no duelo decisivo contra o Cruzeiro, pela competição sul-americana.

– Onde eu ando na rua, todo mundo fica perguntando por que eu não sou titular. Estou bem, não estou com problema. Não posso ser cara-de-pau de falar que fiquei feliz de não Ter jogado, porque sou o artilheiro na Libertadores e na última partida marquei gol. Mas é o Muricy que escala e não tem de dar satisfação – declarou Borges, logo após a partida no Mineirão.

Vale lembrar que, na Libertadores, todos os gols da equipe de Muricy foram marcados por atacantes. Além dos cinco de Borges, Washington marcou três, Dagoberto, dois, e André Lima, um.

Em contrapartida, o São Paulo não tem um jogador na briga pela artilharia do Brasileirão, competição que venceu as últimas três edições, desde 2002, quando Luís Fabiano foi o maior goleador. Com disputa acirrada por posição, e com marcas a alcançar, o ataque do São Paulo vai com tudo pra cima do Cruzeiro. Pior para Fábio, goleiro da equipe mineiro.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 30, 2009 Posted by | São Paulo | , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Corinthians terá time reserva no clássico

Até goleiro Felipe será poupado pelo técnico Mano Menezes visando o confronto diante do Vasco

LANCEPRESS!

De olho na segunda partida da semifinal da Copa do Brasil, o treinador Mano Menezes irá poupar os onze titulares do Corinthians na partida contra o Santos, no próximo domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

Os onze que iniciarão a partida no domingo devem ser: Júlio César, Diogo, Renato, Jean e Wellington Saci; Jucilei, Moradei, Boquita e Lulinha; Morais e Souza.

Vale salientar que o zagueiro Diego está suspenso e também não poderá enfrentar o Santos.

O Corinthians enfrenta o Vasco, na quarta-feira no Pacaembu, e decide uma vaga na decisão da Copa do Brasil. No jogo de ida, as equipes empataram em 1 a 1 no Maracanã, o que permite à equipe classificar-se com um simples 0 a 0.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 30, 2009 Posted by | Corinthians | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Morais quer garantir sua permanência

Contrato de empréstimo do meia encerra dia 30 de junho

Morais espera fazer um bom jogo contra o Santos (Crédito: Tom Dib)

Morais espera fazer um bom jogo contra o Santos

LANCEPRESS!

Corinthians enfrenta o Santos no próximo domingo com uma time repleto de reservas. Para um desses jogadores, o jogo representa uma oportunidade de garantir sua permanência na equipe de Mano Menezes.

Morais, que tem contrato (de empréstimo) com o Corinthians até dia 30 de junho, espera fazer um bom jogo para incentivar a diretoria a se movimentar para sua contratação em definitivo.

– É mais uma oportunidade para mostrar meu futebol. Um jogo em que eu posso definir a minha vida, minha permanência ou não. Tenho que estar sempre provando, sempre mostrando – disse o meia.

O Jogador está contratado por empréstimo junto ao Vasco até o dia 30 de junho, e se o Corinthians decidir permanecer com Morais, seu passe está avaliado em U$ 3 milhões (Cerca de R$ 6 milhões).

Indagado sobre se a queda do dólar facilitaria sua contratação, o meia desconversa e afirma que o importante é trabalhar:

– Tenho mais um mês de contrato. Vou procurar fazer meu trabalho da melhor maneira possível – completou Morais.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 30, 2009 Posted by | Corinthians | , , | Deixe um comentário

Verdão faz recreativo para pegar Barueri

Descontração na manhã deste sábado empolga palmeirenses

Keirrison e seus companheiros pegarão o Barueri neste domingo, às 18h30, na Arena Barueri (Crédito: Tom Dib/LANCEPRESS)

Keirrison e seus companheiros pegarão o Barueri neste domingo, às 18h30, na Arena Barueri

LANCEPRESS!

Às vespéras do confronto contra o Barueri, a equipe do Palmeiras realizou um treino recreativo na Academia de Futebol. Supervisionados pelo preparador físico Antônio Mello, os jogadores mostraram-se descontraídos com os trabalhos.

– O grupo sentiu, mas absorveu bem o empate contra o Nacional. Todos estão confiantes de que o resultado vai voltar a aparecer – comentou Mello.

Após o recreativo, os jogadores do setor ofensivo ainda participaram de um trabalho de finalização, que durou aproximadamente 30 minutos.

maio 30, 2009 Posted by | Palmeiras | , , , , , , | Deixe um comentário

Adriano será o titular no Flamengo

Imperador entra no lugar de Josiel, vetado pelo DM por precaução

Adriano, a princípio, ficaria no banco de reservas (Crédito: Gilvan de Souza)

Adriano, a princípio, ficaria no banco de reservas

Um problema de última hora com o atacante Josiel fez com que o planejamento da comissão técnica do Flamengo e do próprio Adriano mudasse. Agora o Imperador será o titular ao lado de Emerson contra o Atlético (PR), mesmo preferindo começar a partida de domingo no banco de reservas.

A mudança ocorreu por conta de um remédio para gripe. Na última quinta-feira, Josiel resolveu tomar por conta própria um medicamento para aliviar os sintomas da virose. O departamento médico do clube só ficou sabendo do ato no dia seguinte e, após investigação, descobriu que um dos componentes químicos do comprimido era dopante.

Para evitar qualquer risco de o atacante ser flagrado no exame antidoping, o departamento médico vetou a participação de Josiel na partida. Quem deve compor o banco de reservas no lugar que seria de Adriano é o recém chegado Aleílson.

– Realmente o Josiel se medicou por conta própria e, como existe o risco de ele passar por exame, preferimos poupá-lo para evitar qualquer problema – afirmou o doutor Marcelo Soares.

maio 30, 2009 Posted by | Flamengo | , , , , , , | Deixe um comentário

Paraná e Vasco se enfrentam em Curitiba

Time da casa ainda não venceu e cariocas só conhecem a vitória

Paraná e Vasco voltam a se enfrentar no Durival Britto. Quem sairá vitorioso?

Paraná e Vasco voltam a se enfrentar no Durival Britto. Quem sairá vitorioso?

LANCEPRESS!

Vasco e Paraná se enfrentam neste sábado às 16h10 no Estádio Durival Britto, pela quarta rodada da Série B. As duas equipes vivem momentos opostos na competição. Enquanto o time carioca é líder, com nove pontos, os paranistas amargam má fase, com apenas um ponto e o incômodo 18º lugar.

O Cruzamaltino, mais preocupado com a Copa do Brasil – o time disputa com o Corinthians uma vaga na grande decisão -, colocará em campo um time totalmente reserva, com exceção do goleiro Fernando Prass.

O técnico Dorival Júnior, entretanto, garante que isso não quer dizer que o Vasco esteja fazendo pouco caso da Segundona.

– O Vasco terá dois desafios difíceis, certamente. mas acredito que o Vasco tem condição de fazer não apenas uma, mas duas apresentações excelentes, tanto contra o Paraná quanto contra o Corinthians – afirmou.

Além de ter a oportunidade de ver o Vasco no Estádio Durival Britto, o torcedor do Paraná terá a chance de ver a reestreia do último ídolo do clube. O meia-armador Dinelson fará a sua primeira partida com a camisa paranista após a boa passagem em 2007, quando levou o Paraná até as oitavas-de-final da Libertadores e ao vice-campeonato estadual.

Como ainda não está 100% fisicamente – na atual temporada não teve a chance de jogar uma partida inteira -, o técnico Zetti já adiantou que o jogador será utilizado nos 45 minutos finais da partida. Nada que estrague a felicidade de Dinelson pelo retorno.

– Estou muito ansioso com o reencontro com a torcida. Fui recepcionado muito bem pelos torcedores, recebi várias mensagens de apoio. Estou muito ansioso e pronto para fazer uma grande partida pelo Paraná. Espero que a Vila Capanema esteja lotada e que possamos conquistar a primeira vitória na Série B – afirmou, ao LANCE!NET.

E para alcançar o triunfo, o técnico Zetti aramará o Paraná no 4-4-2, com três volantes no meio-de-campo. O desfalque fica por conta do volante Agenor, que não teve o seu empréstimo renovado com a equipe do Brasiliense. Luis Henrique será o titular.

FICHA TÉCNICA:
PARANÁ X VASCO

Estádio: Durival Britto, Curitiba (PR)
Data/hora: 30/5/2009 – 16h10min (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Eremilson Xavier Macedo (DF) e Evandro Gomes Ferreira (DF)

PARANÁ: Ney, Marcelo Toscano, Freire, Dirley e Murilo Ceará; Luis Henrique, João Paulo, Davi e Bebeto; Alex Afonso e Wando. Técnico: Zetti.

VASCO: Fernando Prass, Paulinho, Leonardo, Titi e Pará; Mateus, Bruno Gallo, Jeferson, Enrico e Fernandinho; Edgar. Técnico: Dorival Júnior.

maio 30, 2009 Posted by | Paraná, Vasco da Gama | , , , , , , , | Deixe um comentário

Peixe planeja mandar cinco jogos pelo Brasileirão no Morumbi

Presidentes de Santos e São Paulo negociam preço de aluguel do estádio para que Alvinegro possa se aproximar de seus torcedores da capital

Ampliar Foto Marcelo Prado/GLOBOESPORTE.COM Marcelo Prado/GLOBOESPORTE.COM

Morumbi deverá virar a casa santista na capital

O Santos está acertando com o São Paulo a cessão do Morumbi para cinco jogos do Alvinegro Praiano pelo Brasileirão na capital paulista. Durante encontro entre os presidentes dos quatro grandes clubes de São Paulo, na última sexta-feira, na Vila Belmiro, o assunto foi discutido entre o santista Marcelo Teixeira e o são-paulino Juvenal Juvêncio.

O Peixe tem interesse em jogar em São Paulo para se aproximar de seus torcedores que moram na capital. Já o Tricolor quer faturar com o aluguel do Morumbi, receita que o clube perdeu depois que o Corinthians decidiu não utilizar o estádio, em fevereiro. O Santos agora tenta convencer o São Paulo e abater o valor do aluguel.

Existe a hipótese de o Tricolor não cobrar pela cessão do estádio, mas ficar com parte das rendas. Normalmente, o Peixe utiliza o Pacaembu quando quer atuar em São Paulo, levando ao estádio uma média de 20 mil pessoas por jogo.

O técnico santista, Vagner Mancini, aprova a ideia, mas com uma ressalva:

– Acho uma boa nos aproximarmos do nosso torcedor de São Paulo. Além disso, acho que o Morumbi oferece uma boa estrutura, um gramado com qualidade semelhante ao da Vila Belmiro. Mas acho que não deve ser agora. Nessa fase em que estamos buscando afirmação no campeonato, a Vila Belmiro é fundamental.

Sport West - Loja do Grupo Esportes Oeste (Loja Credenciada da Nike.com)

maio 30, 2009 Posted by | Santos | , , , , , | Deixe um comentário